Page 1

Assembleia dos docentes da Unifesp debate indicativo nacional de greve A última reunião do Setor das Instituições Federais de Ensino (IFES) do ANDES-SN, realizada nos dias 24 e 25 de maio em Brasília, deliberou intensificar a mobilização dos docentes e indicou a deflagração de greve para o mês de junho. Para debater o indicativo nacional de greve, a Adunifesp-SSind. convoca uma Assembleia Geral dos docentes da Instituição para a próxima quinta-feira, dia 05 de junho. O resultado da plenária será levado para a próxima reunião do Setor IFES, no dia 7 de junho, em Brasília, que decidirá sobre a greve nacional dos docentes das universidades federais. A plenária acontece das 12 às 14 horas no Anfiteatro Jandira Masur, Edifício dos Anfiteatros (rua Botucatu, 862 – 1º Andar), campus São Paulo. O presidente da Adunifesp, Raul Hernandez, compareceu à reunião do Setor das IFES e fez um relato da plenária que contou com a presença de 36 seções sindicais do ANDES-SN. “É fundamental nos reunirmos na Unifesp para estabelecer a posição como categoria sobre essas propostas e fazer um balanço sobre a dramática situação do ensino superior federal no Brasil”, avalia. “Foi uma reunião amplamente representativa. As informações trazidas pelos representantes das seções sindicais demonstram um evidente aumento da indignação frente ao descaso do governo com as pautas dos trabalhadores da educação federal e apontam como reação a intensificação da mobilização”, avalia Marinalva Oliveira, presidente do ANDES-SN. Os quatro eixos da pauta de reivindicações dos docentes são: reestruturação da carreira, valorização salarial dos ativos e aposentados, melhoria das condições de trabalho e em defesa da autonomia universitária. Confira aqui o relatório da reunião do Setor das IFES. Outro ponto de pauta da Assembleia Geral será a continuação do debate sobre os critérios para a promoção à Classe E da Carreira do Magistério Superior – denominada Professor Titular, iniciada na plenária do dia 28 de maio. Também serão discutidas as ações judiciais em defesa dos direitos dos docentes com a presença da advogada Lara Lorena, da Assessoria Jurídica da Adunifesp. Assembleia Geral dos Docentes da Unifesp Quando: 05/06/2014 (quinta-feira), das 12 às 14 horas Onde: Anfiteatro Jandira Masur, Edifício dos Anfiteatros (Botucatu, 862 - 1ºAndar) - Campus São Paulo Pauta: 1) Informes; 2) Deliberação sobre indicativo de greve, e 3) Continuação da discussão sobre os critérios para promoção à Classe E - Professor Titular com a presença da Assessoria Jurídica da Adunifesp Com informações do ANDES-SN

Assessoria Jurídica ajuizará três ações coletivas no final de junho Filiação à Adunifesp pode ser decisiva para o reconhecimento de tais direitos. Prazo é 23/06. A Assessoria Jurídica da Adunifesp entrará na justiça com três ações em nome de toda a categoria no final de junho. Serão ajuizadas ações para a 1) devolução de imposto de renda recolhido sobre o terço de férias (abono de férias); 2) devolução de contribuição previdenciária também paga sobre o terço de férias no período de 2009 a 2011; e 3) pagamento dos valores de adicional de insalubridade desde o momento em que efetivamente as atividades foram exercidas em condições insalubres e não apenas a partir do laudo ou do término do respectivo processo administrativo. Advertimos, porém, que o entendimento majoritário dos tribunais é, se reconhecido o direito, do alcance apenas aos associados da entidade. Nesse sentido, quem tiver interesse em figurar como eventual beneficiário dessas ações, e ainda não for associado, deve procurar a entidade até 23/06/2014, momento em que as ações serão intentadas.


ANDES-SN elege nova diretoria com Paulo Rizzo, da UFSC, na presidência Foi divulgado no último dia 19 o resultado final da computação de votos das eleições para a diretoria do ANDES-SN, biênio 2014/2016. A chapa única "ANDES-SN de luta e pela base” foi eleita com 8.390 de um total de 9.157 votantes. Os votos em branco somaram 516 e os nulos 251. A nova diretoria do ANDES-SN tomará posse no dia 21 de agosto, durante a Plenária de Abertura do 59º Conad, que será realizado em Aracaju (SE). As eleições foram realizadas, por todo o Brasil, nos dias 13 e 14 de maio. A chapa "ANDES-SN de luta e pela base" é composta por Paulo Rizzo (presidente eleito), Claudia March (secretária-geral eleita) e Arauri Fragoso (tesoureiro eleito). A lista completa com os 83 nomes que integram a nova diretoria pode ser conferida aqui. A inscrição de uma única chapa para participar do processo eleitoral da nova diretoria do ANDES-SN, para a gestão 2014/2016, foi confirmada no dia 14 de fevereiro, durante o 33º Congresso do Sindicato Nacional. Fonte: ANDES-SN com edição da Adunifesp-SSind.

Adunifesp apoia a greve nas universidades estaduais paulistas As universidades estaduais paulistas vivem atualmente uma de suas mais graves crises. Alegando dificuldades financeiras, as instituições decidiram não conceder qualquer reajuste salarial a docentes e servidores técnico-administrativos. Em defesa de um orçamento adequado para as universidades estaduais paulistas, as comunidades se mobilizaram e deflagraram greve nas instituições. Em sua última reunião, a diretoria da Adunifesp-SSind. aprovou uma manifestação de apoio à greve de docentes, estudantes e funcionários de USP, Unesp e Unicamp. Confira: “Nós da Adunifesp-SSind. manifestamos nosso apoio à greve de docentes, estudantes e funcionários das universidades estaduais paulistas – USP, Unicamp e Unesp. Identificamos tais circunstâncias de 'dificuldades orçamentárias' a um projeto amplo e antigo de desqualificação do ensino superior público no país em benefício de grandes grupos privados interessados na educação exclusivamente como negócio, o que abre portas, por exemplo, para a cobrança de mensalidades “daqueles que poderiam pagar”, como declarado pelo reitor da USP ao jornal Folha de São Paulo. As atuais gestões das universidades públicas, em vez de zelarem pela garantia e fortalecimento do caráter público do conhecimento e de sua produção, continuam manifestando-se, sobretudo a partir do posicionamento da Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior), a favor da atual moda da "internacionalização", assumindo sem crítica a lógica escancaradamente empresarial e privatista sobre as pesquisas e sobre o processo de produção científica. Entendemos que a questão do arrocho salarial é nevrálgica, mas nunca exclusiva, no desmonte das condições de trabalho e estudo nas universidades públicas. A intransigência e o autoritarismo que têm marcado a atitude dos gestores faz coro às manifestações tantas vezes repisadas pelo Cruesp (Conselho de reitores das estaduais paulistas) e pelo governo do Estado de que a ideia de gerenciamento político da Educação tem precedência e orienta quaisquer determinações, mesmo que súbitas, de corte orçamentário. Não se trata, portanto, de não haver planejamento, mas o que existe está a serviço estrito de critérios absolutamente contrários a tudo o que pudesse ser a construção de uma universidade pública, gratuita e socialmente responsável para todos. Todo nosso apoio à luta dos funcionários, estudantes e docentes das Universidades Estaduais Paulistas em defesa da universidade pública brasileira.”


Adunifesp repudia criminalização de membros da comunidade da UFSC Uma ação surpresa da Polícia Federal de repressão às drogas em plena Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) continua tendo desdobramentos absurdos. Agora 41 pessoas da comunidade, incluindo o presidente eleito do ANDES-SN, professor Paulo Rizzo, foram convocadas a depor pela Polícia Federal. Os intimados poder ser enquadrados na Lei de Segurança Nacional, um instrumento da época da Ditadura Militar, e responsabilizados pelos fatos ocorridos. No dia 25 de março, a Polícia Federal entrou à paisana na UFSC, passou a revistar pessoas na lanchonete do Centro de Filosofia e Ciências Humanas, e prendeu um estudante supostamente por porte de maconha. A ação surpresa e a prisão em plena universidade causou revolta e desencadeou um tumulto. A Polícia Federal negou-se a qualquer negociação, afirmando se tratar de uma ação contra o tráfico de drogas no campus, e acabou chamando o Batalhão de Choque da Polícia Militar, que atirou balas de borracha, lançou bombas de gás lacrimogênio e prendeu mais cinco pessoas. A Adunifesp-SSind. se solidariza à comunidade da UFSC, em particular com seus membros intimados a depor. A universidade pública deve ser o lugar do diálogo, do conhecimento e da democracia. São, portanto, inadmissíveis as ações da Polícia Federal e do Batalhão de Choque da Polícia Militar em pleno campus.

Boletim Adunifesp #07 (junho de 2014)  

Boletim Adunifesp-SSind #07, gestão 2013-2015, publicado em 02 de junho de 2014. Jornalista responsável: Rodrigo Valente; Projeto gráfico e...

Boletim Adunifesp #07 (junho de 2014)  

Boletim Adunifesp-SSind #07, gestão 2013-2015, publicado em 02 de junho de 2014. Jornalista responsável: Rodrigo Valente; Projeto gráfico e...

Advertisement