Page 126

Uma hora e Mais Outra

Poesia

146 - DF, ano XXI , nº 48, julho de 2011

Há uma hora triste que tu não conheces. Não é a tua tarde quando se diria baixar meio grama na dura balança; não é a da noite em que já sem luz a cabeça cobres com frio lençol antecipando outro mais gelado pano; e também não é a do nascer do sol enquanto enfastiado assistes ao dia perserverar no câncer, no pó, no costume, no mal dividido trabalho de muitos; não a da comida UNIVERSIDADE E SOCIEDADE

Revista Universidade e Sociedade - N°48  

Revista do Sindicato Nacional ANDES-SN

Advertisement