Page 108

Consciência de classe, organização de classe

tá no amoldamento chegarão a uma acredita que o proletariado é ontologicaconclusão espantosa, que infelizmente mente reformista não consegue explicar Como podemos buscar entre nós foi apresentada por alguém os momentos de rebeldia e revolução. uma solução para esse que tem uma longa ficha de serviços Quem acha que ele é ontologicamente problema? Afirmando prestados ao marxismo brasileiro: Jarevolucionário não consegue explicar que os trabalhadores cob Gorender. porque, a maior parte do tempo, ele não não são em si mesmos Gorender (1999) chegou a uma conpassa fazendo revoluções e rebeldia, mas clusão espantosa: Analisando bem as sim acomodado à ordem. nem reformistas natos coisas, a classe trabalhadora é ontoloComo podemos buscar uma solução nem revolucionários gicamente reformista. Os trabalhadores para esse problema? Afirmando que os por natureza. realmente existentes querem viver, patrabalhadores não são em si mesmos nem gar suas contas, receber seu salário, ter reformistas natos nem revolucionários sua casa, ter sua educação e se tudo der certo, deixar de por natureza. Da mesma forma, a consciência de classe ser trabalhador. dos trabalhadores não é nem ontologicamente revoQuando você chega para o trabalhador e fala: “Olha, lucionária, nem reformista. eu quero uma sociedade emancipada, sem classes, sem Essas manifestações são expressões do ser da classe Estado, onde cada um possa pegar os bens produzidos trabalhadora, ou seja, a classe trabalhadora é ao mesde acordo com sua necessidade, o comunismo mun- mo tempo uma classe da ordem do capital e por isso dial”, o trabalhador responde: “Muito bom, mas posso expressa na sua consciência os elementos do amoldareceber a minha parte agora em dinheiro?” mento, e exatamente por ser uma classe da ordem do Quer dizer que a consciência imediata é a consci- capital pode entrar em choque com esta, almejando ir ência do ser inserido numa divisão social do trabalho, além dela, e quando o faz, expressa uma consciência lutando na concorrência contra outros trabalhadores. que pode chegar a uma consciência de classe. Ora, se isso é a essência da consciência de classe dos Devemos resgatar Hegel e com ele afirmar que a trabalhadores, ela é, conclui o autor, ontologicamente verdade está no todo, mas o todo nada mais é do que o reformista. processo de sua constituição (Hegel, 1997, p. 31). Consciência revolucionária seria a expressão de Onde está, então, a consciência de classe? Ela está uma pequena burguesia descontente, revoltada, que no movimento que a leva da alienação inicial à rebelcria uma teoria e atribuiu a esse proletariado real uma dia, à constituição das lutas imediatas, da possibilidade tese que não é dele. de constituição de um sujeito histórico. É esse moviO reverso dessa tese, mas que acaba por se aparen- mento, nos termos de Marx, tomando por empréstimo tar no fundamental à ela, se apresenta na afirmação as palavras hegelianas, que leva da consciência em si à segundo a qual os trabalhadores são em si mesmos consciência para si. revolucionários. O próprio Lukács (2005), no início Dessa maneira, estamos agregando algo ao debate das suas formulações marxistas, acreditava nisso. O de nosso tema que não é estranho à Marx, mas que Lukács em Tática e Ética, numa passagem depois pu- normalmente não é considerado. A consciência de blicada em seu A história e consciência de classe, chega classe dos trabalhadores está no movimento que a leva a falar o seguinte: todo trabalhador é, em si mesmo, um da consciência em si para a consciência para si, mas marxista ortodoxo. Evidente que há aqui um exagero. existe um momento anterior à própria consciência em Lógico que a posição de classes dos trabalhadores si e que é a expressão mais imediata da consciência dos é essencial para a formação e desenvolvimento de sua trabalhadores serializados na concorrência. consciência de classe como possibilidade objetiva e é Dizem Marx e Engels (2007, p. 62): “a concorrênisso que fala o marxista húngaro, mas isso não faz da cia isola os indivíduos uns dos outros, não apenas os consciência imediata do trabalhador sua consciência burgueses, mas ainda mais os proletários, apesar de de classe, como o próprio Lukács bem sabe. agregá-los”. Assim, o mais correto seria dizer que o As duas teses, no entanto, se aproximam. Quem movimento da consciência da classe trabalhadora vai 126 - DF, ano XXI , nº 48, julho de 2011

UNIVERSIDADE E SOCIEDADE

Revista Universidade e Sociedade - N°48  

Revista do Sindicato Nacional ANDES-SN

Advertisement