Page 1

Habilitação em RP completa 40 anos Esta edição do Interpúblicos é especial, porque comemora os 40 anos da habilitação em Relações Públicas da Universidade Feevale. Em clima de comemoração e buscando resgatar um pouco das origens do curso, o InteRPpúblicos conversou com Ciro Domingos Ferreto, graduado na primeira turma de Relações Públicas, em 1973. Atualmente, Ciro é empresário do ramo de imóveis. Segundo ele, a formação foi fundamental em sua vida profissional. “Fazer parte da primeira turma de RP é um orgulho. Foi um desafio na época, porque muitas eram as expectativas”, lembra. Na época, já se sabia que, para as empresas, era importante contar com este profissional. “A confiança na instituição foi fundamental para continuar no caminho da graduação”, ressalta. Uma das lembranças mais marcantes que Ciro tem da instituição foi o discurso do reitor na formatura. “Ele pediu que sempre lembrássemos da Feevale com carinho”, conta.

Os alunos da primeira turma foram pioneiros, segundo o entrevistado. Por isso, viviam certa incerteza quanto ao curso. “Hoje fico muito feliz porque o curso ainda existe e coloca pessoas no mercado que podem se direcionar mais especificamente para o ramo”.

“Tenho um grande carinho pela Feevale, por tudo o que vivi lá.” Não foram apenas conhecimentos profissionais que Ciro adquiriu. Mudanças nas atitudes pessoais também foram proporcionadas pelo curso. Ele lembra que era muito tímido - vindo do interior. Quando alguém falava com ele, ficava vermelho “feito bombeiro”. As aulas o ajudaram a ter mais desenvoltura para se manifestar diante das pessoas. “Meus professores também notaram isso. Vinicius Bossle, que foi meu professor, muitas vezes me pedia: ‘Ciro, fica monitorando a turma ali’. Com isso, adquiri desenvoltura e hoje consigo me comunicar com bastante tranqüilidade”, explica.

A experiência da vida acadêmica é, sem dúvida, uma das mais árduas e divertidas. Os alunos de hoje também estão colhendo e colherão no futuro frutos desta dedicação, e terão muitas histórias para contar. Confira a entrevista de Ciro Ferreto na íntegra no blog do núcleo de RP: www.rpresente.blogspot. com

Formado em 1973, Ciro foi aluno da primeira turma de Relações Públicas da Feevale

úão: Relações P Programaç ntro de professores de co 19/05 - En blicas 4h às 18h Horário: 1

Porto fº Roberto ões ro P m o c elaç ula Magna olítica de R P o ã ç n 10/06 - A u F jetória da Simões: Tra Públicas h 9h30 às 22 Horário: 1 finir Local: a de você engramação ro p a re b ações so Mais inform contra no endereço m spot.co sente.blog re p .r w w w


“ Flávio Schmidt: Ser RP é ser agente de mudanças O profissional Flávio Schmidt, proprietário da PróImagem Consultoria de Relações Públicas, já trabalhou com Vera Giangrande e Carlos Eduardo Mestieri e tem um currículo extenso. Foi sócio-diretor da Inform Comunicação Integrada (1989 a 1992), sócio-proprietário da VG&S Comunicação Empresarial (1992 a 1995), associado à LVBA Comunicação e Propaganda (1995 a 1997), assessor de comunicação da Lojas Arapuã (1997), diretor-executivo da Sine Qua Non, de 1998 a 2001 e diretor da divisão de Comunicação Corporativa da Ketchum Estratégia durante o período de 2002 a 2009. Flávio palestrou na Feevale no dia 15 de abril, na aula magna em comemoração aos 40 anos da habilitação em Relações Públicas. Durante a palestra sobre reputação e sustentabilidade, Schmidt afirmou que, hoje, as relações públicas vivem o seu melhor momento de reconhecimento no mercado e na sociedade. Para o InteRPúblicos, o profissional falou sobre a necessidade de cada um ter seu estilo profissional e sobre o papel transformador dos relações públicas. Considerando um dos aspectos do tema de sua palestra na Feevale - a reputação: como você vê a reputação da profissão de Relações Públicas? Guardando-se as devidas proporções, em todos os tempos, todos os momentos foram muito bons para relações públicas no mercado, mas agora, com o mercado internacionalizado e a expansão da comunicação global, essa área toma importância fundamental para todas as instituições e organizações. Nesse contexto, reputação se dá com a construção do reconhecimento da importância de uma atividade para o

Cada profissional habilitado precisa fazer valer o seu diferencial de conhecimento, adotar postura adequada e ter atitudes corretas

Palestra de Flávio Schmidt abre comemorações dos 40 anos

mercado, para as organizações e para as pessoas. Hoje, a atividade de relações públicas tem o seu melhor momento de reconhecimento e uma excelente reputação no mercado e na sociedade, pois é cada vez mais reconhecida como essencial para a permanência e sobrevivência das empresas no mercado. Desse modo, transferir esse conceito para a profissão, do ponto de vista do profissional de relações públicas, que hoje é habilitado na área, é uma questão de postura profissional de cada um. Cada profissional habilitado precisa fazer valer o seu diferencial de conhecimento, adotar postura adequada e ter atitudes corretas em relação a esse diferencial incontestável. O que o levou a criar a PróImagem? Boa parte da minha carreira profissional se deu dentro da Inform, onde trabalhei por doze

anos ao lado de nomes como Vera Giangrande e Carlos Eduardo Mestieri. Ao final desse período me tornei sócio de Vera Giangrande com a agência VG&S. Quando nos separamos, resolvi criar a minha própria agência, a PróImagem Consultoria de Relações Públicas. No seu texto “A arte, o conceito e o estilo”, disponível no Blog do Flávio, você fala que cada profissional deve impor sua maneira própria de praticar o conceito de RP no mercado. Como os estudantes da área podem começar a identificar e a impor seu próprio estilo? Como disse no artigo citado, o estilo é o homem, quer dizer, o estilo é você do jeito que você é. Porém, se você for medíocre, seu estilo será medíocre, se você for excelente, seu estilo será excelente. Para começar, o aluno precisa se preparar e desenvolver o melhor conhecimento sobre a atividade que escolheu, precisa conhecer profundamente seus princípios e fundamentos e depois praticá-los do modo correto e permanentemente. Sempre, depois que deixar a universidade e durante toda a carreira profissional, mesmo diante dos maiores desafios que se apresentarem. Impor seu estilo é não se submeter aos caprichos do mercado e não deixar se corromper por sua


Jornal TRI - Maio/ Junho 2010 Como você imagina que será a atuação profissional de RP daqui a 40 anos? Não tenho dúvida de que o futuro para relações públicas é muito promissor, porém não podemos esperar que as coisas mudem. O mercado, a sociedade e a própria humanidade está em permanente transformação, com evolução contínua. Ainda no Blog do Flávio, pode-se ler um artigo Para se manter reconhecida e útil à sociedade, a intitulado “Futuro Perfeito”. Você acredita que atividade de relações públicas precisa, do mesmo os profissionais de RP agem praticando o futuro modo, evoluir de acordo com as mudanças da perfeito, hoje? sociedade. Não vejo nenhum problema em reNem todos os profissionais estão conscientes lação a sua concepção, mas o profissional deverá desse fato ou agem dessa maneira. Para atuar e tomar o cuidado e manter-se alerta para essas fazer acontecer o Futuro Perfeito é preciso que mudanças que serão cada vez mais intensas e o profissional esteja consciente de sua responsa- contínuas. Nesse sentido, a maior responsabilibilidade e atue de maneira sustentável para que dade é do próprio profissional de relações púsua atividade alcance o resultado esperado pela blicas, que não pode acomodar-se na estrutura sociedade e não aqueles esperados por interesses em que está inserido e ser, como já é por sua individuais específicos ou de grupos econômicos. natureza, um agente de mudanças, antevendo tendências, identificando novas situações, diagO curso de Relações Públicas da Universidade nosticando e orientando para a correta mudança Feevale está completando 40 anos em 2010. de postura e atitudes. imposição. Ter segurança pessoal e profissional e fazer valer seus conhecimentos, praticando-os em todos os momentos e situações. Seguir rigorosamente os passos do que está definido como arte, conceito e estilo, no artigo de referência, citado nessa pergunta.

O que você deixa como mensagem final aos futuros profissionais, nossos leitores? Se você escolheu a profissão de relações públicas, acredite que, a partir de agora, você faz parte de um grupo diferenciado de profissionais, de um grupo privilegiado, que tem, como principal diferencial, ser agente de mudanças e de transformação social. Acredite que seu papel é preponderante e demasiadamente importante porque será responsável pela transformação do contexto onde estiver atuando. Acredite que esse é seu papel e atue aplicando todos os preceitos de sua profissão. O seu sucesso profissional será alcançado sempre que você promover a harmonização das expectativas e a satisfação dos interesses mútuos dos grupos envolvidos em seu trabalho. Você se encontrará no auge de sua carreira quando descobrir que está realizando, na prática e em sua plenitude, os objetivos preconizados pela atividade de relações públicas. Confira como foi o início da carreita de Flávio Schmidt no blog do núcleo de RP: www.rpresente.blogspot.com.

A atividade profissional de Relações Públicas está sempre mudando. As formas de lidar com os públicos, trabalhar a comunicação interna e externa, dentre outras funções, se aprimoram com a evolução da tecnologia e das ferramentas de trabalho que estão disponíveis para o profissional. Pensando nisto, o InteRPúblicos conversou com profissionais e alunos de Relações Públicas para saber como eles imaginam que será a profissão daqui a 40 anos.

O RP será, cada vez mais, peça fundamental dentro das organizações, como na divulgação correta da imagem da empresa e no trabalho para prevenir crises. Daqui a 40 anos, muita coisa vai rolar em termos de tecnologias. Mas talvez ainda volte um pouco a questão da “informalidade”. Eu penso e acredito que RP vai trabalhar muito naquele “modelo da vovó”, ou seja, de aproximação. Por isso, será, cada vez mais, uma peça chave no mercado. Adriana Wordell, 41 anos, estudante do 7º semestre de RP na Feevale

O RP, assim como os profissionais de outras áreas, deverá estar por dentro das tecnologias, das redes sociais e da informática. A cada ano que passa, conhecemos novos cases; vemos o que está acontecendo na mídia. Eu sempre me pergunto: como profissional, o que eu faria nesta situação? Acredito que o profissional de 2050 será um mestre da comunicação, e reconhecido por isto. Aline Ramos Barros Shimoda, 28 anos, estudante do 7º semestre de RP na Feevale

Imagino que a profissão seja reconhecida como estratégica, ocupando cargos de gestão, como em vários países ocorre. Essa é uma visão que se espera há bastante tempo no nosso campo profissional. Daniela Salvador, 31 anos, responsável pelo Núcleo de Relações Públicas do Departamento de Marketing da Feevale, formada em RP desde 2003


De cara nova Renovar. Com esse intuito, o Núcleo de Relações Públicas, com a ajuda do Núcleo de Publicidade e Propaganda da Agência Experimental de Comunicação (Agecom), deu uma cara nova tanto para o Blog do Núcleo de RP quanto para o InteRPúblicos. A idéia era torná-los mais próximos do leitor. O nome do blog deveria ter a sigla “RP.” Como resultado, o antes chamado “Blog do Núcleo de Relações Públicas da Agecom” tornou-se “EstaRPresente”. O novo logo representa o relacionamento entre pessoas que estão ligadas por linhas que se complementam, trabalhando com a ideia de conexão. Para conferir, acesse www.rpresente.blogspot.com.

O blog está sendo divulgado por meio de cartazes (imagem ao centro), flyers e e-mail marketing. No caso do InteRPúblicos, o foco também era renovar, com mudanças no logo e no projeto gráfico do encarte. Buscou-se criar um logo que focasse a ideia de públicos e, portanto, lembrasse pessoas. O resultado vocês conferem em primeira mão nesta edição. Com essas iniciativas, os integrantes do Núcleo de RP da Agecom da Feevale pretendem mostrar que, como bons representantes da área, estão sempre buscando a melhor maneira de estabelecer relações com seu público.

Pergunta aos formandos

Quais são seus planos profissionais para depois da formatura? Coord. do Curso de Comunicação Social Cristiano Max Pereira Pinheiro Orientação Professoras Adriana Stürmer (Conrerp RS 2881) e Donesca Calligaro Direção do projeto gráfico Professora Rosana Vaz Silveira Colaboradora Professora Caroline Delevati Colpo Núcleo de Relações Públicas Camila Borniger, Carolina Freitas, Cínthia Alves, Marcos Vinicius Brenner, Romina Medina Projeto gráfico Anieli Tondin André Fernando Ferreira interpublicos@feevale.br (51) 35868800 Ramal: 8775 http://rpresente.blogspot.com

Interpúblicos Maio / 2010  

Desenvolvido pelos alunos do núcleo de Relações Públicas da Agência Experimental de Comunicação (Agecom) da Universidade Feevale, o periódic...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you