Issuu on Google+

página 3

Esporte: página 8

página 6

Primeira Capital O povo lê e se vê!

1ª quinzena de abril de 2014 | Edição Nº 1

Bonatto Mentiu! Empresa continua mandando Lula Marques/Folhapress

Página 8

Romer Guex fala sobre Caos no Trânsito, página 2

Randolfe Rodrigues: primeiro Pré-candidato à Presidência da República que visita Viamão, pág. 5

A juventude quer alternativas, página 4


2 | Editorial

// Editorial Amigos de Viamão, estamos entregando em suas mãos o jornal “Primeira Capital”. Um veículo de comunicação para que a população de Viamão se veja, que não seja mais um meio de propaganda dos governantes de plantão. O “Primeira Capital” nasce com um propósito: ser a expressão do povo trabalhador, esquecido e desrespeitado de Viamão. Ser um espaço para a população denunciar, reclamar e exigir melhorias para a sua vida. Nossa cidade é parte da história do Rio Grande do Sul. O território é um dos maiores do Estado. Nosso povo é honesto e trabalhador. Mas, nossos governantes e políticos nos envergonham quando se elegem com promessas que nunca são cumpridas. Podemos melhorar a situação do nosso município e já estamos trabalhamos para isso. O “Primeira Capital” nasce para fiscalizar os poderosos, o Prefeito, a Câmara de Vereadores e todos aqueles que de alguma forma participam das decisões coletivas do município de Viamão. Nosso jornal é do povo e para o povo! Todo o cidadão de Viamão pode participar do jornal “Primeira Capital”, para reclamar dos problemas que estão sofrendo na vila, na escola, nos postos de saúde ou sobre os serviços que a Prefeitura deixa de fazer, como a falta de recolhimento do lixo ou falta de ônibus em seu bairro ou vila e o valor da tarifa. Contamos com seu apoio. O “Primeira Capital” estará disponível a cada quinze dias em diversos pontos da cidade. A segunda edição contará com um espaço para o leitor. Entre em contato pelo email: j.primeiracapital@gmail.com. Venha fazer parte desse projeto você também!

1ª quinzena de abril de 2014

Primeira Capital

// Viamonenses Sitiados

Caos no trânsito / Romer Guex Com o início efetivo do ano (após férias e carnaval) os viamonenses tem enfrentado uma piora dos congestionamentos nos acessos a Porto Alegre. Seja pela Sen. Salgado Filho/ Bento Gonçalves, seja pela estrada Caminho do Meio/ Protásio Alves é inegável que a cada ano piora a mobilidade daquelas vias.

Congestionamento na RS 040

Tudo, fruto da falta de qualquer atitude por parte das autoridades responsáveis que, a não ser falsos anúncios em época de eleição, nada fazem para alterar a situação. Na atualidade, não há qualquer ato, fato, obra ou ação sendo desenvolvida em prol de reduzir o problema. Para o advogado e candidato a prefeito na última eleição pelo PSOL, Romer Guex, “O problema dos congestionamentos havidos na RS040 não são de MOBILIDADE, mas, sim, de IMOBILIDADE dos Governantes, que não colocam os equipamentos públicos necessários ao alcance da comunidade. Dois viadutos, um na entrada do Campus da UFRGS e outro no acesso à Lomba do Pinheiro, resolveriam, em muito, o problema”. Segundo o ex-vereador, “em breve estaremos com essas rodovias, totalmente estagnadas, pois o acesso à capital para os moradores do litoral Sul (Cidreira, Pinhal e Magistério) e das cidades de Mostardas, Palmares e Capivari do Sul só pode ser feito por essas vias, não há outra solução e o crescimento populacional e de veículos será inevitável. Para evitarmos isso, teremos

que possuir um transporte eficiente como um Metrô de superfície de POA a Pinhal e já deveríamos ter iniciado esta obra, fase a fase. Também, é em razão da Imobilidade dos Governantes que não possuímos um melhor transporte Coletivo, pois todos sabemos, que quem manda no DAER, Prefeitura de Viamão e Metroplan é e Empresa de ônibus Viamão, que faz o que bem entende. Por outro lado, quando fazemos uma obra, mesmo pequena, a fazemos mal feito, como o caso do Pórtico na entrada da cidade, que é a mais pura prova de incompetência, ineficiência e falta de criatividade, pois aquele pórtico poderia ser, ao mesmo tempo, pórtico e passarela, eliminando um semáforo na rodovia”. Também amenizaria, segundo Romer, “se fosse estendido o corredor de ônibus da Agronomia até o centro de Viamão”. Em 2010, o então Vereador Romer Guex, do PSOL, apresentou um Projeto para que haja o prolongamento da Av. Ipiranga(que hoje já vai até a rua na frente do ex-motel Atenas) até a Walter Jobim (aquela Av. ao lado do Shopping da Santa Isabel), trecho de apenas 4 kms, que faria com que a população do 4º Distrito pudesse, através de uma via expressa e cercada, atravessar no pé do morro do campus da Ufrgs, reduzindo em cerca de 20% o tráfego da Bento Gonçalves. Por fim, diz Romer, “que deve o governo municipal fomentar e possuir projetos e políticas de geração de emprego e renda na nossa cidade, especialmente, na região entre o Passo do Vigário e Águas Claras e RS 118, para que possamos inverter parte do fluxo humano que se desloca para POA em razão do trabalho. São 60.000 diariamente”, concluiu. O problema dos congestionamentos havidos na RS040 não são de MOBILIDADE, mas, sim, de IMOBILIDADE dos Governantes.


Primeira Capital

1ª quinzena de abril de 2014

Política | 3

// Vereador Augusto Giraudo preside a CPI da Baldeação

// Ditadura Nunca Mais!

Ônibus superlotado e demora no trajeto:

1º de Abril de 1964 Lembrar para nunca mais acontecer!

triste realidade do transporte público de Viamão / Vereador Augustão

/ Berna Menezes // Trabalha na UFRGS onde é Coordenadora Geral da Assufrgs

Em mais uma sinalização de desrespeito a comunidade de Viamão em outubro do ano passado o prefeito Bonnato implantou uma integração das linhas dos ônibus, A BALDEAÇÃO. A infeliz ideia do prefeito beneficia a Empresa Viamão com a redução das linhas e está trazendo até hoje inúmeros problemas a comunidade. Na Câmara, o Ver. Augusto junto com outros pediu o adiamento do projeto à época e a explicação ao prefeito, atitude que até hoje não teve resposta. Diante dessa situação, de desrespeito com os viamonense foi aberta a CPI DA BALDEAÇÃO, QUE é presidida pelo Vereador Augusto Giraudo (PSOL). A CPI já realizou várias reuniões para debater a falta de transparência nas decisões sobre o transporte público. A CPI foi instalada para investigar possíveis irregularidades tanto no preço abusivo das passagens dos ônibus, com na alteração e eliminação de várias linhas de ônibus nos itinerários das linhas urbanas e rurais de Viamão. Somou-se a essas preocupações a necessidade de haver novas licitações para as empresas. O Ver. Augusto foi até o Prefeito e reinteirou os protesto da comunidade e lamentou que o Prefeito Bonatto se manteve intransigência e irredutível em relação à suspensão da baldeação. Foram solicitados ao prefeito, vários documentos como planilha de custo das passagens, contratos diversos com empresas que operam o sistema e estudos da prefeitura sobre a necessidade de novas linhas de ônibus.

Quando tinha 15 anos morava e estudava em São Paulo. Em um dia chuvoso ao chegar à escola reparei que muitas colegas não tinham vindo. Como no dia seguinte haveria uma prova difícil, decidi convencer as poucas colegas que haviam comparecido a “matar a aula” e irmos para casa estudar para a prova.

A CPI vem trabalhando junto com o Ministério Público, mando a esse todo material necessário para que este atue na defesa da comunidade, nesse sentido foi enviado um abaixo-assinado de usuários insatisfeitos em suas localidades com o atual funcionamento das linhas de ônibus. O Ver. Augusto Giraudo junto com outros membros da CPI foram ao MPC- Ministério Público de Contas solicitar ao Procurador Sr. Geraldo Da Camino, um apoio técnico e a comissão já encaminhou ao MPC documentos para a análise mais minuciosa. Entidades sociais e empresas envolvidas foram convidadas e ouvidas para esclarecimentos, foi realizada uma Audiência Pública referente à “baldeação”, onde várias lideranças de comunidades e bairros expuseram suas dificuldades após a implantação da baldeação. O Ver. Augusto também solicitou ao prefeito Bonatto o calendário com os prazos para o processo de licitação dos ônibus, visto que o prefeito anunciou a licitação para janeiro de 2014 e até agora nada foi feito.

EXPEDIENTE Primeira Capital - O jornal que o povo lê e se vê! Conselho editorial:

Berna Menezes; Guto Lopes; Mário Azeredo; Neiva Lazzarotto; Renato Guimaraes; Romer Guex e Rui Muniz

Colaboradores:

Vereador Augusto; Dra. Valnez Bitencourt; Dona Maria de Lourdes; Movimento Contestação; Emerson Dornelles; Fagner Pesch; Frederico Duarte Bartz; Marlise Paz; Rejane Aretz; Jian Casagrande e Alessandra Ambrósio

Diagramação:

Adriano Trindade (MTB 60.654)

Tiragem:

5 mil exemplares

Gráfica:

RML Gráfica

Entre em contato:

j.primeiracapital@gmail.com

No outro dia, ao chegar à escola eu e minhas colegas estávamos impedidas de entrar na sala de aula. Só poderíamos assistir à aula se o pai ou responsável comparecesse na escola, para conversar com a direção. Foi uma luta para chegar à sala da diretora sem meus pais, que não estavam na cidade. Ao chegar à sala, que estava convulsionada, com a presença de colegas e seus respectivos pais, a diretora perguntou: quem havia organizado o protesto contra o assassinato do jornalista Wladimir Herzog? Eu não sabia de protesto algum e nunca tinha ouvido falar Herzog. Num país com regime de ditadura, “matar aula” pode ser enquadrado em caso suspeito, mesmo que tu tenhas somente 15 anos. Final da história, rodei aquele ano. Mas, daquele momento em diante, comecei a pensar em política, na situação do país e cai na real. Com 21 anos, militando no movimento estudantil, fui presa e enquadrada na Lei de Segurança Nacional por organizar protestos contra a ditadura. Dessa vez fui punida, injustamente, mas pelo menos sabia o motivo. Posso dizer que meu caso teve um final feliz, porque a ditadura estava caindo. E meu processo teve que ser arquivado. Mas não podemos dizer o mesmo sobre os que perderam a vida, foram torturados e perseguidos pela ditadura militar. Por isso, nos 50 anos do golpe militar, queremos justiça! Pela punição dos torturadores e assassinos que agiram em nome do Estado brasileiro.


4 | Mundo do Trabalho

Primeira Capital

1ª quinzena de abril de 2014

// Conheça seus direitos!

Empregado doméstico / Valnez Bittencourt //Assessora da Intersindical Empregado doméstico é aquele que presta serviços de forma frequente, constante, à pessoa ou à família, na residência desta. O trabalho realizado não pode ter finalidade lucrativa. Exemplos: cozinheira(o), governanta, babá, lavadeira, motorista particular, jardineiro, acompanhante de idosos e caseiros de sítio de lazer. Direitos trabalhistas O trabalhador doméstico tem direito, por lei, a:

55 Salário mínimo; 55 Jornada de trabalho não superior a 8 horas diárias e a 44 horas semanais;

55 Décimo terceiro salário; 55 Repouso semanal remunerado, preferencialmente aos domingos;

55 Férias anuais, acrescidas de 1/3; 55 Vale transporte; 55 Licença-maternidade de 120 dias e a estabilidade provisória;

55 Licença-paternidade; 55 Aviso prévio;

Contribuição previdenciária (INSS), por parte do empregador, correspondente a 12% sobre o salário de contribuição do empregado doméstico. Dependem de regulamentação (lei) para entrar em vigor, os seguintes direitos, dentre outros, já reconhecidos aos domésticos pela Emenda Constitucional nº 72, de 2013:

ÄÄSeguro desemprego; ÄÄFundo de Garantia do Tempo de Serviço FGTS; ÄÄHoras extras; ÄÄAdicional noturno; ÄÄSalário família.

Os direitos garantidos pela Emenda Constitucional n.º 72, de 2013, que ainda dependem de regulamentação (lei), não serão retroativos, ou seja, somente poderão ser exigidos do empregador a partir da promulgação da lei regulamentadora.

// Juventude quer alternativas

A vida dos jovens na Vila Augusta / Juventude Movimento Contestação //Jian Casagrande e Alessandra Ambrósio Ser jovem na Augusta não é nada fácil. É viver em constante tensão e exposição a diversos tipos de perigo, como por exemplo, drogas e assalto. O jovem que acorda cedo para ir trabalhar ou estudar não quer pegar um ônibus hiperlotado, que demore quase duas horas para chegar a seu destino (e se chegar, né?). O jovem quer ter os direitos básicos do cidadão, direito dos quais muitos nem sabem que tem. Nós jovens queremos saúde, asfalto, educação, transporte e segurança! Não queremos

sair da vila para nos divertir, queremos uma praça em boas condições para em um domingo qualquer sentar nela e tomar um chimarrão. Atualmente o jovem tem apenas os famosos “baile funk” para descontrair, que ocorre algumas vezes ao mês. Mas mesmo esses não são seguros. Aqui temos nossos amigos, nossos pais, nossa casa. Aqui estudamos e é aqui que queremos que nossas vidas possam seguir, com mais oportunidades, lazer, em fim ter direito de viver!


Primeira Capital

1ª quinzena de abril de 2014

Destaques | 5

// Pré-candidato a presidente da república pelo PSOL

Entrevista com Senador Randolfe Rodrigues - PSOL/AP Primeiro Pré-candidato a Presidência da República a visitar o Município de Viamão. O Senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) é o pré-candidato do PSOL à Presidência da República para as eleições deste ano. Nascido em Garanhuns, Pernambuco, aos 41 anos é o senador mais jovem. Randolfe tem formação acadêmica em História pela Universidade Federal do Amapá, em Direito pela Faculdade Seama (Associação Educacional da Amazônia), e Mestre em políticas públicas pela Universidade Estadual do Ceará. O senador começou a vida política no movimento estudantil. Liderou o “Fora Collor” em seu Estado no início da década de 90. Duas vezes deputado estadual no Amapá pelo PT, Randolfe Rodrigues entrou para o PSOL em 2005. Elegeu-se senador em 2010. Primeira Capital – Qual o maior desafio em assumir essa tarefa de ser o pré-candidato ao Planalto um ano após as jornadas de junho?

das decisões e definições de políticas que poderiam mudar a vida para melhor.

Randolfe: Nosso partido e a nossa candidatura é a única, que hoje, tem a credencial de apresentar a verdadeira mudança. As outras candidaturas representam a continuidade com o modelo que está aí exposto. Uma política econômica de altas taxas de juros, baseada em câmbio flutuante e metas de inflação, que não resolveu o problema da desigualdade e que tem levado à reprimarização da nossa economia, cada vez mais dependente do setor de serviços e da exportação de uns poucos bens primários. O povo que tem ido às ruas reclamar por mais direitos e as candidaturas apresentadas têm limites para responder a esses anseios do povo brasileiro. O povo quer serviços públicos de qualidade, como saúde e educação e os outros candidatos não podem atender a essas reivindicações porque defendem a continuidade do modelo que está sendo aplicado no país nos últimos vinte e cinco anos. O povo está cansado da corrupção e dos políticos que prometem e depois de eleitos nada fazem. Está cansado dessa velha política do toma-lá-dá-cá.

Randolfe: A questão do endividamento público. Você sabe que mais de 45% de tudo que é arrecadado pelo governo federal vai para o pagamento de juros da dívida pública? E que quem detêm esses papéis da dívida são apenas 20 mil famílias ligadas aos grandes empresários e banqueiros nacionais e estrangeiros? Que dívida é essa? O dinheiro foi usado em que benfeitoria pública? Nós do PSOL defendemos que seja feita uma Auditoria Cidadã, onde se possa levantar todos os contratos e os valores já pagos. Porque a CPI no Congresso Nacional, mesmo com todas as suas limitações, apresentou flagrantes ilegalidades e imoralidades que foram e estão sendo feitas. É preciso que se investigue qual o valor real que já foi pago e quanto de todo esse montante realmente o estado brasileiro deve. Com isso, o Brasil terá condições de mudar o modelo econômico e inverter prioridades, onde as questões reclamadas pela população, que saiu às ruas em junho e julho de 2013, poderão ser efetivamente atendidas.

PC – Quais as propostas o PSOL vai apresentar em 2014 que estão em consonância com os anseios das ruas? Randolfe: Nós defendemos uma mudança no jeito de fazer política. Não é possível que partidos e políticos se apropriem do que é público em benefício próprio. É vergonhoso ver diariamente escândalos de corrupção, onde milhões, bilhões de dólares são desviados para compra de votos de políticos, para aprovar projetos contra os interesses dos trabalhadores e do povo pobre desse país. Esse método de fazer política afasta o povo

PC – Por exemplo?

PC – E o que mais o PSOL pretende apresentar de diferente para a população nessas eleições?

“...o Estado deveria planejar e assegurar políticas públicas para garantir a locomoção da população nas cidades.”

Randolfe: A questão da mobilidade urbana é um problema de quase todos os municípios do país. Não existe planejamento urbano. A prioridade do Governo Federal e dos demais entes federados é o transporte privado. Por isso que há tantas facilidades para o financiamento de veículos e o endividamento das famílias, quando na verdade, o Estado deveria planejar e assegurar políticas públicas para garantir a locomoção da população nas cidades. Por exemplo, o passe livre é possível. O problema é que a presidenta disse que queria dialogar com as manifestações e, depois, esqueceu. Qual é a lógica dessa proposta? Quem tem mais, paga aos que têm menos. É a proposta de inversão no IPTU. A União pode fazer isso? Não. Mas pode induzir a isso. Falei à Presidenta que ela tinha de enfrentar a máfia do transporte coletivo. Precisaria de uma política progressiva. Isso é uma medida adotada na Europa. Os que podem mais aportam recursos para que quem tem menos possa ter transporte coletivo, porque no fim das contas, isso beneficia todo mundo. PC – Para terminar, o que o Sr. Quer dizer para o povo de Viamão? Randolfe: Primeiro, eu já vim aqui no Rio Grande do Sul e gosto muito dos gaúchos. Segundo, é preciso continuar lutando para melhorar a vida, porque aqueles que estão lá em cima, vivem de promessas que não pretendem cumprir. Com luta e mobilização podemos transformar o Brasil. Viamão é uma cidade colada à capital dos gaúchos, não é aceitável que tenha um transporte coletivo tão ruim, caro e ineficiente, conforme me informaram. É preciso pressionar as autoridades locais para reverter esse quadro. O povo de Viamão pode contar comigo nessa e em todas as suas lutas por mais e melhores direitos sociais.


6 | Pelas Vilas

Primeira Capital

1ª quinzena de abril de 2014

// Queremos Saúde Pública de qualidade

Atenção moradores da Vila Augusta!! / Maria Lourdes Ambrósio Até o final de maio, todos os usuários do SUS moradores de nossa Vila temos que passar no Posto de Saúde ao lado da Sede da Vila Augusta, na Parada 20. Lá está sendo feito o Cartão Nacional do SUS, que a partir de agora será o documento exigido para qualquer procedimento: exames, consultas, raio-x, atendimento de pronto socorro, etc.

foto do cartão será feita lá mesmo no Posto de Saúde.

Como fazer meu cartão do SUS e de meus filhos?

Disseram que com esse cadastro seríamos atendidos prontamente pelos médicos, no entanto, quando vamos lá não tem ninguém.

ÄÄ UBS 24 horas do Centro de Viamão

Não fique na mão! Antes de ficar de posto em posto em Porto alegre para ser atendido. Faça seu cartão! Pagamos nossos impostos e queremos atendimento de saúde digna já!!

ÄÄ Hospital de Cardiologia de Viamão

1. Leve a carteira de identidade 2. Comprovante de residência 3. Todos tem que ir pessoalmente, pois a

Esperemos que desta vez as coisas comecem a funcionar, pois os agentes de saúde passaram em todas as casas pedindo documentos para fazer o cadastro no Posto.

Outros locais onde você pode fazer seu cartão em Viamão:

ÄÄ UBS do Passo Dorneles Centro

A educação em Viamão chocou o Rio Grande / Neiva Lazzarotto // Direção do Cpers e da Intersindical A educação pública vai mal em Viamão! Primeiro, o Prefeito Bonatto acabou com a eleição direta para Direções das Escolas Municipais. Um verdadeiro retrocesso quando nas ruas o povo pede mais democracia. Mas, nesta semana imagens de uma das nossas escolas chocou o Rio Grande. Um problema com solução adiada pelo poder público há 14 anos resultou em uma situação inusitada na Escola Estadual Rui Barbosa, em Morro Grande. Um anexo com quatro salas de aula, cozinha e refeitório que foi construído para ser provisório se

transformou na instalação permanente dos mais de 300 estudantes. Na semana passada, o prédio foi interditado pela Secretaria de Obras sob ameaça de desabamento. O resultado: com apenas três salas disponíveis os alunos estão indo às aulas dia sim, dia não. O refeitório foi substituído por mesas posicionadas na varanda da escola. Sem cozinha, a merenda ficou restrita a bolachas e frutas. Nos fundos da escola, um depósito com apenas uma lâmpada virou sala de aula, abrigando 14 alunos do 2º ano e a professora. Com o espaço das oficinas de teatro e música interditados, as aulas são ministradas embaixo de árvores.

// Transformação

Itapuã mais lindo e florido! / Guto Lopes Um grupo de lutadores sociais, cansados de ver Itapuã abandonada resolveu meter a mão na massa. Criaram o Projeto Pró FlorirItapuã e pretendem deixar a “vila” mais bonita. O inicio se deu pela entrada da localidade e hoje se estende por toda a região. O pessoal tem plantado e mantido os canteiros de flores, além de recolher o lixo, deixando a Vila de Itapuã ainda mais linda.

“Resolvemos botar a mão na massa, cansamos de ver nosso lugar sujo e feio” disse a moradora Ivete Zimmermann. O grupo conta com várias lideranças locais como o casal Antônio e Lexa Ilha, Eliane Guimarães, Adriana Gomes, Bernardo Ávila e muitos outros. Isso sim é mudança, é transformação, é o povo agindo e fazendo sem esperar por um governo que não se mexe.

Tudo isso acontecendo no terceiro ano do Governo Tarso! Devemos exigir respeito aos professores, funcionários e direções das nossas escolas. E, acima de tudo, ao nosso povo que paga os impostos e recebe esse tipo de tratamento para seus filhos, por parte desses governos que aí estão. (Informações e foto Jornal Zero Hora, 04/04/14)

Ricardo Duarte / Agência RBS

// Descaso com a educação!


Primeira Capital

1ª quinzena de abril de 2014

Cultura, Esporte e Lazer | 7

// Viamão pra quem?

// Cadê a Cultura?

// Origens

A mudança que nunca veio!!!

A curta cultura de Viamão

O que é a História?

/ Emerson Dorneles Após um ano de mandato do Prefeito Valdir Bonatto, ficou claro a que veio essa administração. É crime ambiental por todos os lados, lixo tomando conta das ruas, buracos e mais buracos nas ruas de nossa cidade, saúde precária, transporte público desumano, esgoto a céu aberto e tudo mais que podemos imaginar para atrasar ainda mais o desenvolvimento de Viamão.

/ Fagner Pesch Vamos lembrar de coisas que gostávamos em Viamão, da rua do lazer, do popular arraial da morte, o carnaval de rua, as peças de teatro, a feira do livro (precária), biblioteca (abandonada, mas estava lá), e os eventos com as bandas locais. Coisas que mesmo sendo nas coxas, existiam. O pão e o circo existiam. Hoje, nem isso. Entre outras coisas, uma galera que movimentava a cena musical, que não existia e ainda não existe apoio da prefeitura.

Porém, também ficou claro a que veio essa administração no quesito FAVORECIMENTOS. O prefeito veio para administrar para a elite, empresários graúdos e para alguns amigos de seu círculo de favores. É muito dinheiro público sendo usado de maneira irresponsável e truculenta. Existe uma frase que ilustra isso que eu lhes digo: É MUITO PARA POUCOS E POUCO PARA MUITOS! Outra vergonha que impera em nossa cidade é o tal pórtico, dito elefante branco, que em menos de 2 meses teve suas lonas trocadas por um custo superfaturado e para que? Para vangloriar uma seleção que APENAS irá se hospedar aqui por alguns poucos dias, e pelo visto, o nosso prefeito (que também foi professor) não estudou muito GEOGRAFIA, pois do jeito que ele tá fazendo o alarde sobre a seleção do Equador, parece que Viamão deixou de ser brasileira e se tornou cidade equatoriana.

Pessoas dispostas a fazer a cena nós temos, mas entendam que, sem apoio, sem ajuda da prefeitura, fica muito difícil e custoso. É muito desgastante e triste, elaborar um projeto, apresentar, e ninguém se interessar em apoiar, e a própria prefeitura não ter capacidade de fazer algo decente (vide femuvi). É inadmissível, uma prefeitura não disponibilizar aparelhagem de som, pois é alugada, e ainda assim, quando fazemos o pedido, nunca, e eu disse NUNCA tem verba, mas, gastar R$15.000 com a lona do pórtico trimestralmente, daí o dinheiro público verte. É meus queridos está cada vez mais vergonhoso e entristecedor morar em Viamão, pois a cidade dormitório está custando a acordar. Acostumem-se com as infecções.

E pelo que fiquei sabendo, a cidade será decorada com as cores do Equador, haverá um mega evento (pago com dinheiro público) e tudo mais de exorbitante. É o dinheiro público indo pro ralo, e faltando onde mais precisa que é a infraestrutura da cidade e das necessidades que Viamão necessita urgente. E para encerrar, quero deixar um agradecimento a grande maioria dos vereadores de nossa cidade, que mais uma vez estão pensando em seus próprios interesses ao votar a favor de liberar para a ACIVI um valor extraordinário de R$ 1.200.000,00 para divulgar a copa em nossa cidade, dinheiro esse que poderia ser aplicado na Escola Estadual Rui Barbosa, no Morro Grande, que vem se arrastando há 14 anos. São 300 jovens que estudam no local e que tem aula dia sim, dia não.

LAMENTÁVEL NOBRES VEREADORES!!! UMA VERGONHA!

FECARS em Viamão O tradicionalismo viamonense está em festa. Acontecerá de 1º a 4 de maio, no Parque de Eventos, a Festa Campeira do RS. Com Jogos Tradicionais e Seminário da Cultura Campeira, o evento espera uma multidão. Um dos responsáveis pelo evento é o Presidente da UTV, Azambuja. Parabéns aos organizadores e todos lá!

/ Frederico Duarte Bartz Esta coluna vai tratar de questões históricas, principalmente relacionadas à história de Viamão. Mas o que é A HISTÓRIA? Existem diversas concepções do que é mais importante se estudar na história da humanidade, sim, porque o Planeta Terra também tem sua história. Muitas vezes temos uma impressão enganosa da história, porque a Escola nos ensina de forma muito superficial e porque a televisão, a partir dos dramas que se ambientam no passado, nos oferece uma visão muito romanceada dos acontecimentos. A história não é uma lista de datas importantes e de grandes personagens. Se não, bastaria ser especialista em decoreba. Isto está errado! Para compreender a colonização do Brasil por Portugal,ajuda pouco saber que Pedro Álvares Cabral chegou a Bahia em 22 de abril de 1500. Saber a data e o nome do descobridor não esclarece os motivos pelos quais o Reino de Portugal queria conquistar nosso território. Ela também não é um roteiro para agir no presente, embora o conhecimento dela nos ajude a problematizar o mundo em que vivemos. A história, afinal, tem de ser entendida como um processo complexo de mudança que ocorre nas diferentes sociedades: esta é a chave para sua compreensão. A história trata da forma como a luta entre as classes mudaram as relações sociais, trata das modificações na cultura e na mentalidade das pessoas ao longo do tempo, trata das disputas políticas que aconteceram dentro e entre os diferentes países do mundo. A história é a grande aventura de toda a humanidade ao longo do tempo, em todos os aspectos de sua existência e é isto que a torna tão maravilhosa!


8 | Acontece

1ª quinzena de abril de 2014

Primeira Capital

// Transporte Público

Bonatto prometeu a Licitação. Mentiu! Em junho do ano passado a população viamonense, assim como de todo o país, foi para as ruas. Milhares de cidadãos protestavam por condições melhores de vida. O tema principal que afligia e continua atormentando nossa cidade é a questão do transporte coletivo municipal. Por dia mais de 100 mil pessoas utilizam este meio de transporte para deslocar-se e apenas uma única empresa é quem explora este serviço, que deveria ser público. O prefeito Bonatto, na época se manifestou dizendo “eu farei a licitação no primeiro dia de janeiro de 2014”. Não fez. Estamos no quarto mês do ano e o prefeito silencia sobre a tão necessária licitação. Nem fala mais sobre o assunto. No final do ano passado ações judiciais foram solicitadas ao Ministério Público, algumas delas solicitadas pelo PSOL e outras pelo ativista Emerson Dorneles, conhecidos pelas lutas contra o monopólio da empresa. Manifestações são feitas nos bairros pelo Bloco de Lutas, e recebe apoio da população. Até agora o MP não se posiciona sobre o assunto. Uma CPI, presidida pelo Vereador Augustão (PSOL) está por finalizar e apresentar um relatório.

A licitação do transporte municipal em Viamão não seria encaminhada em 2 de janeiro?

Enquanto isso os ônibus continuam atrasando, carregando as pessoas como sardinha enlatada e com a passagem mais cara da Região Metropolitana.

Talvez o Mc Donald’s tenha sido mais importante, né?

A pergunta que fica é: qual o poder que esta empresa exerce sobre o prefeito Bonatto?

Para quê serve este pórtico? Temporada 2014

Iniciou a temporada 2014 do Allambik Futebol. Os jogos aos sábados desta tradicional equipe viamonense já estão pegados. Os atletas são comandados pelo presidente do clube, Rafael Gall e tem vários destaques, entre eles o goleiraço Tiago Coronas. Vale conferir os jogos!

O prefeito Bonato havia prometido que transformaria este pórtico em passarela, mas o que fez foi trocar DUAS vezes em um ano a lona. Assim está conseguindo ser mais incompetente que o Alex e gastando ainda mais. Bonato está se transformando num baita mentiroso.


Primeira Capital - Edição Nº 1