Issuu on Google+

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CAMPUS DE PALMAS DISCIPLINA:LABORATÓRIO DE ENSINO DA MATEMÁTICA PROFESSORA: KALINA ANDRADE Adriano Pereira de Miranda Helia Regina Araújo da Silva (Ferreira) Gino Carneiro Moreira Filho Carmenilde das Graças Oliveira Lopes Rubens Marinho de Jesus Wildenner Gonçalves Marinho Componentes do Grupo

1


LABORATÓRIO DE ENSINO DE MATEMÁTICA E MATERIAIS DIDÁTICOS 2


OBJETIVO DO TEXTO Descrever o funcionamento do Laboratório de Matemática e a importância da utilização dos Materiais

didáticos para consolidar a aprendizagem do aluno na disciplina de Matemática.

LORENZATO, Sérgio. O laboratório de ensino de matemática na formação de professores. 3. ed. Campinas: SP, 2012. 3


ORGANIZAÇÃO DA APRESENTAÇÃO • Introdução; • Algumas concepções de LEM; • A construção do LEM; • Objeções ao uso do LEM; • Material Didático;

• Material Didático e Ensino-Aprendizagem; • O professor e o uso do Material Didático; • Potencialização e obstáculos de uso do Material Didático. 4


INTRODUÇÃO Prof. Carmenilce das Graças Oliveira Lopes

• Discussão histórica do ensino da Matemática através de Laboratórios e Materiais Didáticos. • Destaque especial para que o ensino focado no apoio visual ou do visual-tátil para facilitar a aprendizagem; • A aprendizagem da Matemática se dá através da interação e do processo existente entre: professor  aluno  material

didático  aprendizagem significativa.

5


Aspectos históricos da aprendizagem da Matemática utilizando o MD Comenius (1650)

“O ensino deveria dar-se do concreto para o abstrato”

Dewey (1900)

“Importância da experiência direta como fator básico para construção do conhecimento”

Locke (1680):

Montessori

Rousseau “Necessidade da experiência sensível para alcançar o conhecimento”

“Material didático valoriza a aprendizagem através dos sentidos”

(1780)

Vygotsky

“Experiência direta sobre os objetos, visando a aprendizagem”

“Experiências do mundo real constitui o caminho para construção do raciocínio”

Assim a discussão da aprendizagem utilizando MD não é nova! Não faltam argumentos favoráveis para que as escolas possuam materiais para facilitar a aprendizagem 6


O LABORATÓRIO DE ENSINO DE MATEMÁTICA (LEM) Prof. Gino Carneiro Moreira Filho

• O

bom

desenvolvimento

profissional

depende

ambientes

e

dos

de

todo

também

dos

instrumentos

disponíveis; • O LEM é indispensável à escola para despertar o gosto pela matemática no aluno; • O LEM é uma alternativa metodológica para

atender

as

necessidades

educacionais do aluno. 7


ALGUMAS CONCEPÇÕES DE LEM

Poderia ser um local para guardar materiais essenciais, tornando-se acessíveis para as aulas.

Local reservado para aulas de matemática e espaço para atividades de interação, exposição de atividades, projetos e tendências inovadora.

Local dedicado à criação de situações pedagógicas desafiadoras: salaambiente para estruturar, organizar planejar e fazer acontecer o pensar matemático.

O ideal seria se todas as salas de aula fosse um laboratório onde se dá aprendizagem de modo gratificante para o professor e para o aluno. 8


LEM E ENSINO DE MATEMÁTICA

Gratificante para o professor

Compreensivo para o aluno.

Adequações de metodologias diferenciadas

Desperta a criatividade do professor

Consolida o processo de ensino da Matemática

9


A CONSTRUÇÃO DO LEM Prof. Adriano Pereira de Miranda

• Dificuldade: construção e manutenção;

• Deveria se dar através da conquista dos professores, administradores e alunos  aspiração grupal; • Os materiais presentes no LEM deve ampliar os conceitos

e símbolos e algoritmos por parte do aluno; • O LEM deve ser um espaço que desafie o raciocínio lógico do aluno. • Dificuldade: cursos de formação de professores não discuti a implantação e/ou implantação dos LEM’s; 10


CONSTITUIÇÃO DO LEM

• Livros Didáticos • Livros Paradidáticos • Artigos de revistas e jornais • Quadros murais • Pôsteres • Computadores • Filmes

• Questões de Vestibulares • História da Matemática • Jogos • Instrumentos de Medida • Calculadoras • Quebra-cabeças 11


É caro e exige materiais que a escola não dá ao professor e raríssimas escolas possuem um LEM.

Exige do professor uma boa formação e possibilita o “uso pelo uso”.

OBJEÇÕES AO USO DO LEM

Não pode ser aplicado a todos os assuntos do programa nem em classes numerosas.

Exige mais tempo para ensinar e exige do professor uma postura diferente do tradicional. 12


MATERIAL DIDÁTICO (MD) Prof. Helia Regina Araújo da Silva (Ferreira)

Perguntar-se: Qual o objetivo do MD?

Manipulação do Concreto Calculadora, giz, filme, livro, quebra-cabeça, jogo.

Instrumento útil ao processo de ensinoaprendizagem.

13


MATERIAL DIDÁTICO E PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

Aprendizagem é um processo evolutivo.

Deve partir do concreto para o abstrato.

Evolui com o processo de abstração.

Concreto: Palpável e Imagens Gráficas. 14


O PROFESSOR E O USO DO MD Prof. Wildenner Gonçalves Marilho & Carmenilde das Graças Oliveira Lopes

• A atuação do professor é determinante para o sucesso ou

fracasso escolar; • Possuir o LEM é importante, mas saber utilizar e manuseá-lo é mais importante ainda; • Planejamento é essencial: será conveniente utilizar este material? Que material? Quando utilizá-lo?

15


Utilização correta do MD é fundamental para o sucesso da aula planejada.

A eficiência de uma aula utilizando o MD depende mais do professor que do próprio MD.

PROFESSOR E USO DO MATERIAL DIDÁTICO

A aula só será produtiva a partir do momento que o aluno for desafiado e encarar como “novo” o MD em questão.

As aulas deixam de ser meramente verbalizadas e são direcionadas para aulas concretas, visando o desenvolvimento do pensamento abstrato. 16


POTENCIALIDADES DO MD • Potencialidade: quando é revelado sua construção pelos próprios alunos. • Possibilita a constatação por parte do professor de conceitos que precisam ser revistos ou ampliados; • Regula o ritmo da aprendizagem, possibilitando que o aluno aprenda no seu próprio ritmo;

• Valoriza mais o processo de ensino e aprendizagem; • Modifica o modo que o assunto da aula é trabalhado; • Possibilita a utilização do computador como recurso facilitador do processo de aprendizagem. 17


OBSTÁCULOS AO USO DO MD Prof. Rubens Marinho de Jesus

Cursos de Licenciatura e/ou formação continuada não orientam o professor quanto a utilização correta do MD;

Falta de preparo do professor para saber estabelecer e/ou selecionar o MD para trabalhar um determinado conteúdo.

“Resistência” a mudanças e inovações didáticas, por não terem conhecimento da potencialidade do trabalho com MD na sala de aula. 18


REFLEXÕES SOBRE O MD E LEM

As Secretarias de Educação deveriam implantar LEM em suas escolas?

O uso do MD facilita ou dificulta o magistério?

Como o MD Por que escolas pode influir no de formação de processo de professores ensinodeve possuir os aprendizagem? seus LEM’s?

19


Agradecemos a atenção de Todos(as)!

20


Trabalho de lem trab 2