Page 48

‘46,

SENTIR A BEIRA

“OS FEITICEIROS DA “TRIBO”, POR MELHOR QUE DISCURSEM, TÊM CADA VEZ MENOS INFLUÊNCIA FACE À CRESCENTE DINÂMICA DOS SUPORTES DA INFORMAÇÃO E À IMPORTÂNCIA CRESCENTE DAS REDES SOCIAIS QUE CADA VEZ MAIS IRÃO EXIGIR QUE OS RESPONSÁVEIS PRESTEM CONTAS!”

3 - AS PESSOAS QUEREM SER RESPEITADAS, não querem ser tratadas como números ou massa anónima que se arregimenta e mobiliza em camionetas para piqueniques eleitorais de circunstância. Querem, sim, escolher de facto e em consciência, saber em quem votam, conhecendo o currículo de cada candidato, as ideias e propostas, os valores e os compromissos das pessoas em quem votam! Querem votar em pessoas concretas que lhes mereçam confiança e prestem contas e, como acontece tantas vezes, não em meras fotografias de nomeados e apadrinhados pelos aparelho partidários, por vezes sem qualquer ligação com o território sobre o qual pretendem deputar (que significa: delegar, incumbir, mandar em comissão)! Não é a democracia que está mal ou em crise mas, antes, o mau uso e o seu aproveitamento para interesses que invocam, usam e abusam do povo e do território!

4 – A REALIDADE AÍ ESTÁ A METER-SE PELOS OLHOS DENTRO. É urgente a alteração da Lei Eleitoral e a descentralização e simplificação das estruturas da administração pública de forma coerente com as características e o desenvolvimento do território (os Governos Civis não representam qualquer mais-valia para o desenvolvimento). A “solução administrativa” pensada nos gabinetes do poder central por políticos que são mais contabilistas de circunstância do que gestores com visão de futuro, de diminuir o número de Freguesias e de Concelhos, não será redutora? Não é acrescentar menos onde já há menos? Não haverá muito onde cortar na máquina do “Estado” a que se chegou? Querem o interior do país como território desprezado, onde alguns “índios” vão sobrevivendo, enquanto outros qual corte das tribos partidárias se senta à mesa do Orçamento Geral do Estado?

Profile for ADRACES BIS

Viver 17 - Desportivamente na BIS  

Pensar o desporto de âmbito local como uma alavanca de dinâmicas sócio-culturais para o desenvolvimento de um território "física e intelectu...

Viver 17 - Desportivamente na BIS  

Pensar o desporto de âmbito local como uma alavanca de dinâmicas sócio-culturais para o desenvolvimento de um território "física e intelectu...

Profile for adraces
Advertisement