Page 3

DO DIRECTOR

MENTE

SÃ EM CORPO SÃO?

VAMOS A ISSO!

António Realinho [O Director]

Quando a mente pensa bem e o corpo é capaz de executar aquilo que a mente pensa, está estabelecida a ligação entre Crescimento e Desenvolvimento. Estão criadas as condições essenciais para enfrentar a vida com sucesso! O Desporto, para além de “espectáculo”, é, deve ser, essencialmente… isso! Criar equilíbrio entre crescer e desenvolver! (Em desequilíbrio, uma deficiência provoca a outra): De uma pessoa muito crescida, mas sem os conhecimentos essenciais na cabeça, diz-se: coitado, aquele, ou aquela, não tem pernas para andar! Duma outra com muitos conhecimentos, mas de físico atrofiado, também se diz: é pena ser tão fraquinho, se não fosse, havia de ser alguém! Portanto, é a pensar na saúde física e mental da juventude cá da BIS, que abordamos o DESPORTO como grande tema deste número da VIVER. Desporto… no sentido mais lato do termo, no sentido mais abrangente, exercício físico meramente recreativo ou competitivo que contribua para melhorar as capacidades físicas e intelectuais da nossa juventude; que o mesmo é dizer, aumentar as possibilidades dum melhor desenvolvimento futuro.

Praticar desporto, seja ele qual for, em particular desportos colectivos, alarga a rede de relações sociais dos nossos jovens, contribui para criar novas amizades entre pessoas, e, à terra, melhora o ambiente social e cultural para a integração da juventude; ajuda, por pouco que seja, a enfrentar o isolamento provocado pelo despovoamento acelerado do interior e a por cá ficar por mais algum tempo, até que a crua realidade da falta de emprego os empurre para longe! Mas a actividade desportiva é, também, uma actividade económica e geradora de algum emprego. Treinadores, preparadores físicos, colectividades locais, associações e clubes desportivos, deslocações, construções desportivas, etc., etc., tudo isto ajuda a abrandar o ritmo do nosso despovoamento. É importante que os nossos responsáveis autárquicos sejam sensíveis às necessidades da juventude para praticar desporto. Não basta construir infra-estruturas, embora isso seja indispensável. A BIS necessita de muito mais actividade desportiva, mais intenso aproveitamento das infra-estruturas já existentes. É necessário dar início a uma nova maneira de pensar, é necessário dar utilidade e sentido ao que já se fez. Os pavilhões desportivos sem actividade desportiva não podem transformar-se em “tascas grandes”. Devemos lutar para que cumpram a função para que foram pensados. Para que tal aconteça, é preciso agir a montante, ao nível dos “animadores / dinamizadores” desportivos, ao nível da capacidade de imaginar, organizar e programar actividades desportivas que atraiam mais juventude. Atingido um nível já razoável ao nível das infraestruturas, temos que começar a investir em recursos humanos para dinamizar globalmente as actividades desportivas, temos que encher de ruído e alegria os pavilhões desportivos das vilas e aldeias da BIS, mesmo que sejamos já poucos. Mesmo sendo poucos, podemos mover-nos muito mais, pelo menos, para desfrutar da sensação de sermos muitos! Estamos abertos na medida das nossas possibilidades, a considerar propostas que visem a promoção / organização de actividades desportivas capazes de prestigiar e colocar a BIS na agenda nacional desportiva. Que a BIS do futuro chegue: “mais alto e mais longe” são os nossos desejos.

‘1,

Profile for ADRACES BIS

Viver 17 - Desportivamente na BIS  

Pensar o desporto de âmbito local como uma alavanca de dinâmicas sócio-culturais para o desenvolvimento de um território "física e intelectu...

Viver 17 - Desportivamente na BIS  

Pensar o desporto de âmbito local como uma alavanca de dinâmicas sócio-culturais para o desenvolvimento de um território "física e intelectu...

Profile for adraces
Advertisement