Page 33

A cruzada da juventude ADRACES

vidas por associações ou agrupamentos juvenis. No âmbito de um quadro de atribuições e competências a nível nacional o IPJ procura a nível local – no Distrito de Castelo Branco – cumprir todas as orientações estratégicas e, ao mesmo tempo, adaptá-las às circunstâncias e contingências do nosso território, a Beira Interior. Neste contexto, procuramos criar as condições necessárias para que os jovens do Interior, em particular do Distrito de Castelo Branco, tenham as mesmas oportunidades de desenvolvimento que os jovens do Litoral. Com a magnífica colaboração dos técnicos do IPJ de Castelo Branco, temos vindo a realizar um trabalho que assenta, fundamentalmente, na criação de uma verdadeira rede de parcerias, de forma a ampliarmos a nossa capacidade de intervenção e também de maximizarmos os recursos humanos e financeiros que se encontram à nossa disposição. De norte a sul do distrito, temos procurado pontos de apoio e parcerias diversificadas com o nosso público-alvo – a juventude – e também com diversas instituições que se identificam com os nossos objectivos, como as Associações RNAJ, Colectividades, Câmaras Municipais, Juntas de Freguesia, Instituições Particulares de Solidariedade Social e organismos descon-

centrados da Administração Central. Os resultados deste trabalho conjunto estão à vista de todos! Para além dos números e do cumprimento dos objectivos, desenvolvemos, em comum, uma verdadeira cultura de afectos que vai ao encontro das necessidades dos jovens, dando resposta aos seus problemas e apostando nas suas potencialidades. No domínio da coesão territorial e social alargámos horizontes e fomos à procura de coesão e solidariedade no quadro da União Europeia. Em parceria com a Direcção-Geral de Juventude do Governo Regional de Castilla y León, construímos um verdadeiro projecto de cooperação transfronteiriça – o COJUTRA – que tem realizado acções com e para a Juventude desta região raiana. Para além do apoio financeiro que tem criado as condições para a realização deste projecto, julgo que estamos no caminho certo, uma vez que “lançámos à terra” as sementes da cooperação genuína que, certamente, germinarão depois do esgotamento dos quadros comunitários de apoio. A nível da integração europeia temos vindo a apostar no Programa Juventude, promovendo a mobilidade juvenil e os intercâmbios. Ao longo do último ano aumentou, de forma significativa, o número de jovens e instituições que procuram o IPJ. Em resultado deste movimento verificou-se um aumento exponencial do número de projectos e também a sua cobertura territorial no âmbito dos limites do Distrito de Castelo Branco. O IPJ está mais presente e os jovens sabem disso. A implementação da Loja “Ponto Já” – uma autêntica loja do cidadão jovem – na sede do IPJ, em Castelo Branco, a par de uma postura mais pró-activa e interveniente, contribuíram, de forma decisiva, para a obtenção destes resultados. Estou certo que este modelo da Loja Ponto Já irá estender-se a mais concelhos no distrito, permitindo uma intensificação das linhas de intervenção na área juvenil. Temos vindo a contribuir para uma atitude mais atenta, solidária e interveniente da nossa juventude através da implementação de projectos sociais mobilizadores como, por exemplo, o Programa de Jovens Voluntários para a Floresta e o SNS-Jovem. No primeiro, os jovens ganham maior consciência ambiental, ajudando a sociedade na grande tarefa de proteger e valorizar a floresta; no segundo, os jovens estudantes das áreas da saúde contribuem, em ambiente hospitalar, para a humanização dos serviços. O IPJ tem uma grande responsabilidade social. Tem um papel de peso no processo da educação não formal e também na preparação e formação complementar das novas gerações. • Miguel Nascimento Delegado Regional de Castelo Branco do Instituto Português da Juventude

31

Grande tema

A 5 de Agosto de 2006 assumi, com muita honra, o cargo de Delegado Regional de Castelo Branco do IPJ - Instituto Português da Juventude. Deste então, tenho vindo a empenhar-me, de forma intensa, para a concretização da missão do IPJ a nível nacional e, em particular, no Distrito de Castelo Branco. O IPJ é a entidade responsável pela implementação e execução das políticas públicas de juventude definidas pelo Governo. Neste sentido, procuramos estimular e apoiar a participação dos jovens em actividades de carácter social, cultural, educativo, artístico, científico e desportivo. Por outro lado, incentivamos a realização de actividades promovidas ou desenvol-

Viver 2 - A Juventude da BIS  

Encarar os jovens como sérias esperanças para evitar o despovoamento absoluto e a subsequente desertificação da Beira Interior Sul foi o des...

Viver 2 - A Juventude da BIS  

Encarar os jovens como sérias esperanças para evitar o despovoamento absoluto e a subsequente desertificação da Beira Interior Sul foi o des...

Advertisement