Page 29

ANA ALVIM

ADRACES

Companhia de Teatro Cães à Solta António Preto (Música) Bruno Esteves Celso Lopes (Design Gráfico e Multimédia) Daniela Simão Eduarda Gordino Inês Baltazar João Alberto Soares Luís Amaro (Técnico de Luz) Luís Moreira (Fotografia) Mara Filomeno Maria Teresa Rafael Milene Pio (Produção) Nuno Leão Nuno Pio Ricardo Marques Ricardo Martins Sérgio Lopes Rui Barata (Música)

A actividade da Companhia de Teatro Cães à Solta teve início no decorrer do ano de 2004 em Alcains. Preencher um vazio colectivo, por um lado, e expandir desejos e vontades criativas individuais, por outro, impuseram-se como as sementes essenciais na origem do projecto Cães à Solta. Em pouco mais de um ano e meio de existência, a Companhia de Teatro Cães à Solta orgulha-se de apresentar um curriculum inovador, dinâmico e diversificado no meio local e regional, tendo já realizado sete produções: IN DIALOGO (2004); AI (2004); SENTIMENTO DE UM OCIDENTAL (2005); O VEGETAL É UM ANIMAL (2005); AS MÃOS DE ABRAÃO ZACUT, de Luís de Sttau Monteiro (2005); O ALIENISTA, a partir de Machado de Assis (2006); CAFÉ POR ACASO (2006). Tendo em conta o contexto geográfico, a luta redobra-se para se conseguirem meios suficientes para se caminhar nesta actividade. A lógica de encenação da Companhia de Teatro Cães à Solta é colectiva. Aumentando, desta forma, o leque de possibilidades de encenação, uma vez que cada elemento do grupo po-

de sugerir aos restantes uma solução cénica. A par da representação teatral, o grupo tem incluído a arte musical no seu projecto, contando com três músicos permanentes. Uma outra obra concretizada pelos Cães à Solta é a sua Sala de Ensaios e Representação, situada na Av. Infante D. Henrique, 1, 6005 Alcains, que oferece um ambiente intimista e aconchegante por entre o palco e os seus cinquenta e seis lugares oficiais. Ao longo deste percurso, importa referir que a adesão do público tem sido muito positiva e calorosa, na medida em que tem sempre superado as expectativas. É de mencionar, também, que o tratamento e as relações que a Companhia tem estabelecido com os órgãos de comunicação social locais têm sido as melhores. A temática escolhida pela Companhia para o ano de 2006 foi a Loucura; este tema será desenvolvido e dará o mote para a ordem de trabalhos anuais sob diferentes formas em todos os espectáculos previstos. No horizonte do grupo está a realização de uma programação regular na sua Sala de Representação e Ensaios. •

27

Grande tema

Apresentam-se os “Cães à Solta”

Viver 2 - A Juventude da BIS  

Encarar os jovens como sérias esperanças para evitar o despovoamento absoluto e a subsequente desertificação da Beira Interior Sul foi o des...

Viver 2 - A Juventude da BIS  

Encarar os jovens como sérias esperanças para evitar o despovoamento absoluto e a subsequente desertificação da Beira Interior Sul foi o des...

Advertisement