Page 1

Rio do Sul, 7 de junho de 2011 - Ano 1 - Nº 6 - Adove Assessoria de Comunicação - Jornal Folha do Alto Vale

3 Material Eletroeletrônico é recolhido em Rio do Sul

3 Um bom exemplo a ser seguido Capital mineira proíbe uso de sacolas plásticas

4 Dia do Meio Ambiente, o que comemorar?


2 Na sexta edição do Caderno Sustentável você vai encontrar assuntos do cotidiano. Sacolas plásticas, lixo e meio ambiente, e então.. parece normal?? seria, se esses temas não fossem responsáveis pelo futuro do mundo inteiro. E quando falamos de futuro, não estamos nos referindo do próximo século, e sim dos próximos dias, já que estamos vivendo em um planeta cada vez mais poluído. A proposta desta edição do Caderno Sustentável é fazer uma análise do que temos a comemorar no Dia do Meio Ambiente e do que realmente esperamos para o amanhã. Apesar de nossa reconhecida criatividade, não registramos grandes ações para uma população de 190 milhões. A sustentabilidade abrange vários níveis de organização, desde a vizinhança local até o planeta inteiro. Se todos tiverem essa conscientização e

Agricultores e gestão municipal se unem para manter famílias na terra Nada de enfrentar congestionamentos ou filas. Nem o estresse tão comum atualmente nos grandes centros urbanos. Consumir alimentos colhidos direto da terra. O estilo de vida tão sonhado por muitos é realidade para Serenito Tambani, de 36 anos. O agricultor trabalha em Ibirama, no interior de Santa Catarina e se adapta perfeitamente a letra da conhecida canção da dupla Tonico e Tinoco. “De que me adianta viver na cidade se a felicidade não me acompanhar”. Ele não pensa mesmo em mudar da propriedade que pertence a família há cinco décadas. “A rotina é pesada. Acordo cedo e trabalha o dia todo. Mas gosto de morar aqui. A vida é simples, mas tranqüila e muito boa”, explica. O amor pela terra veio do pai. “Ele também era agricultor e ensinou muito pra gente”, diz. Além do exemplo da família, outra iniciativa tem estimulado

o setor agrícola e quem vive dele em Ibirama. O projeto pioneiro no país chamado de “Cuidando na Qualidade de Vida na Agricultura” fez aumentar a movimentação econômica do município neste setor em 163%. De R$ 5 milhões em 2009 para R$ 13,2 milhões em 2010, segundo dados da Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (AMAVI). A iniciativa já é lei e funciona através da troca de benefícios por ações positivas dos agricultores. Hoje 202 famílias estão inscritas no programa. O projeto transforma pequenos gestos como participar de reuniões e cursos, devolver as embalagens de agrotóxicos, dar a destinação correta ao lixo domiciliar, preservar a mata ciliar e desenvolver o turismo rural em pontos. A pontuação somada durante o ano resulta em benefícios gratuitos do poder público aos agricultores, como serviços de

máquina, transporte da produção e insumos. “É a valorização dos agricultores e uma troca em que todo mundo sai ganhando. A ação faz melhorar e aumentar a produção das propriedades, preserva o meio ambiente e ainda ajuda no desenvolvimento do município”, comenta o secretário de desenvolvimento econômico e meio ambiente e idealizador do programa, Jaime Juarez Schulz. A ação facilitou a rotina e resgatou a auto estima dos agricultores de Ibirama. “Ano passado eu não tinha me inscrito no programa. Aí eu vi as máquinas atendendo aos meus vizinhos. Este ano fiz questão de ser um dos primeiros a fazer a inscrição. Já consegui 6 horas de trabalho de uma máquina que eu não teria como pagar. É um benefício direto para a nossa necessidade”, comenta. Fonte: Prefeitura de Ibirama

tomar atitudes que vão fazer a diferença, certamente o mundo será melhor. Atualmente o termo sustentabilidade é tão batido e repetido que é praticamente impossível encontrar

Dica: Consumir de forma consciente e sustentável

alguém que nunca tenha ouvido falar em meios de vida mais sustentáveis ou formas de levar uma existência em acordo com o bem estar do planeta em que vivemos. Contudo, para muitos o conceito ainda é algo estranho e longe de suas realidades. Afinal de contas, como nossas atitudes de pessoas poderiam afetar o planeta e provocar alguma ameaça a existência de toda a raça humana? Como eu, que sou apenas um nesse mundo enorme, poderia contribuir para abafar a devastação do planeta? É por essas e outras questões que o caderno sustentável tem como objetivo conscientizar, mostrar bons exemplos e variadas formas de contribuir com o bem estar do mundo. Fique tento, faça a diferença e promova melhorias para o planeta. Leia o nosso caderno, afinal se cada um fizer a sua parte vai de alguma forma colaborar. O

Consumir não é apenas comprar. Esse ato, tão comum no nosso dia-a-dia, envolve um processo complexo de escolha do que comprar, por que fazêlo, como e de quem consumir, qual será o uso daquele produto ou serviço e as conseqüências do descarte. Do momento em que acordamos até a hora de dormir, nós consumimos água, eletricidade, pasta de dente, comida, sabonete, combustível, papel e outra infinidade de produtos. Mesmo sem abrir a carteira nenhuma vez durante um dia você terá consumido muita coisa. Por isso, aprender a utilizar o instrumento do consumo a nosso favor, produzindo e consumindo produtos e serviços de maneira diferente da atual, se torna cada dia mais necessário. Mas afinal, como consumir de forma sustentável? Antes da Compra: três perguntas básicas Antes de comprar, se planeje. Para comprar com consciência e evitar conflitos, do tipo “não sei pra que comprei isso”, o consumidor deve, antes de sair às lojas, responder a três perguntas básicas: - O que vou comprar? Ao comprar faça uma análise atenta e criteriosa se aquilo é realmente necessário e se, dentro de algum tempo, ainda vai te servir. Comprar por impulso é gastar o dinheiro

de forma desnecessária e produzir mais lixo para o planeta. - Quando vou comprar? Essa pergunta tem a ver com o planejamento financeiro. Não é raro a ansiedade nos empurrar a fazer uma compra que não é necessária. Por isso, antes de decidir consumir algo, pergunte-se se você precisa mesmo daquilo agora, se não é possível esperar outro momento, quando o mercado disponibilizar um produto melhor e mais barato. - De quem vou comprar? De empresas sócioambientalmente responsáveis. Para saber exatamente quem são essas empresas e onde encontrálas, o consumidor deve pesquisar e se informar. Muitas ferramentas já estão à disposição e podem ser consultadas na internet e em órgãos de defesa do consumidor. Portanto, certifique-se de que aquela empresa respeita o consumidor, o meio ambiente, o trabalhador, se possui programas de responsabilidade social e se está atenta e trabalhando para reduzir seus impactos e melhorar a qualidade de vida no planeta. Lembre-se que essa pesquisa não deve se restringir apenas ao produto, mas a todos os aspectos que envolvem a sua fabricação.

planeta agradece!

Redação e Edição Adove Assessoria de Comunicação e Imprensa

Rua: Herculano Teixeira Nunes, 105 Centro - Rio do Su - SC Jornalistas Responsáveis: Karine Sabino Lucilene Juncek Máira Daniela da Costa

Diagramação: Istela Capristano Imagens: Arquivo Digital Adove Contato: assessoria@adove.com.br Telefonme: (47) 3521-7146


3 Material Eletroeletrônico é recolhido em Rio do Sul O Ministério Público de Santa Catarina em parceria com entidades e a Prefeitura de Rio do Sul promoveu uma campanha para coleta de lixo eletroeletrônico. A ação aconteceu nos dias 3 e 4 de junho e recolheu dez caçambas de materiais. O evento também lembrou a passagem do Dia do Meio Ambiente, 5 de junho. Foram recolhidos: televisor, celulares, computadores e periféricos como impressoras, monitores, mouses, teclados, aparelhos de som, notebooks, aparelho de dvds, além de pilhas e baterias, entre outros. O material foi destinado para empresas especializadas em reciclar este tipo de produto.

Um bom exemplo a ser seguido Capital mineira proíbe uso de sacolas plásticas Em Belo Horizonte as sacolas plásticas foram proibidas. O objetivo da ação é diminuir os impactos ambientais, já que as sacolas feitas com derivados do petróleo podem levar de 300 a 400 anos para se decompor. Agora os comerciantes só podem utilizar bolsas de pano ou as biodegradáveis, que levam apenas 18 meses para o processo de decomposição. As sacolas biodegradáveis custam em média R$ 0,19 cada. São vendidas aos clientes para levarem suas compras para casa. Aos que não querem gastar com o material biodegradável, a solução está nas bolsas de pano, que podem ser usadas várias vezes. O objetivo é deixar de lado as embalagens plásticas, que tanto degradam o meio ambiente. Alguns estabelecimentos já comercializam bolsas de pano para

mostrarem sua preocupação com a causa. A capital mineira foi a primeira no país a tomar uma decisão neste sentido. A população tem três anos para se adequar as novas regras. Quem não aderir a norma dentro do prazo estipulado está sujeito ao pagamento de multas, que podem ser de R$1 mil para o comerciante que insistir no uso das sacolas de polietileno. Vale lembrar que ela pode aumentar e até chegar à cassação do alvará de funcionamento, em casos mais graves. Está mais que na hora de agirmos. Pequenas atitudes conscientes podem colaborar muito para melhorar a vida do nosso Planeta e conseqüentemente a nossa vida, pois ambas estão interligadas. Cabe a cada um dar o primeiro passo. Que tal começar com a abolição da sacola plástica?


4 Dia do Meio Ambiente, o que comemorar? A natureza não esta mais pedindo, ela esta gritando por socorro. No dia 05 de junho muitas comemorações marcam o dia do Meio Ambiente. Mas, o que exatamente temos a comemorar? A poluição, o desmatamento e a extinção da fauna e da flora? É isso? Estamos fartos e ao mesmo tempo assustados de conviver diariamente com as tragédias que há muito tempo vem ocorrendo com o meio ambiente. Tragédias que são causadas por nossa irresponsabilidade de não estarmos vigilantes com nossa atitude. Calamos, ou simplesmente comentamos quando vemos algo errado, mas não tomamos nenhuma providência para colocar um fim na situação e depois choramos, choramos muito quando somos atingidos por essas tragédias. O dia do Meio Ambiente não deve ser comemorado, e sim refletido. Marcado por ações e não por teorias. Muitas atividades são desenvolvidas no dia 05 de junho, as

escolas fazem gincanas, dão palestras e mostram a realidade atual. A maioria das empresas nem lembram, já que muitas delas são as responsáveis diretas pela poluição gerada e a população nem sabe da existência da data, ou então comemora atirando mais uma lata de refrigerante na rua.

Mas em geral a data é lembrada e muito questionada no mundo inteiro. Agora, você já parou para pensar que, passada a data, todos esquecem e voltam a ter atitudes que destroem o meio em que vivemos. Assim, agem como se o Meio Ambiente só fosse importante no dia 05 de junho.

Que tal fazer diferente? Mas, não espere para amanhã, ou só para o dia do Meio Ambiente, comece agora a fazer a sua parte. Cuidar do meio ambiente é um dever nosso. Ame as pessoas que ainda não nasceram e também aquelas que estão crescendo, pois muitas, se a gente não acordar, ficarão sem ver a beleza desse mundo. Ao invés de passear no shopping, que tal dar uma voltinha num jardim, num horto florestal, fazer uma trilha? Pense nisso! Cuide disso! O ar que respiramos é de nossa responsabilidade. Podemos agir assim todos os dias e chamar nossos amigos a nos acompanhar com pequenas atitudes que farão a diferença no Meio Ambiente. Colabore de a sua parcela de contribuição, afinal o planeta Terra e a nossa casa. Queremos que ele nos abrigue por muito temo e continue abrigando a todos que estão por chegar, mas com saúde e vitalidade.

Caderno Sustentável - 6º Edição  

Mais uma edição do Caderno Sustentável elaborado pela Adove Assessoria em parceria com o Jornal Folha do Alto Vale