Page 1

ISSN 1679-0189

o jornal batista – domingo, 01/12/13

?????

Órgão Oficial da Convenção Batista Brasileira

Fundado em 1901

1

Ano CXIII Edição 48 Domingo, 01.12.2013 R$ 3,20

Barco Pantavida prepara-se para nova viagem missionária

O Projeto Pantavida tem como finalidade alcançar as comunidades ribeirinhas distantes do conforto da cidade, levando-lhes melhor qualidade de vida por meio de atendimento

médico, odontológico, educação e assistência social. A próxima viagem missionária está confirmada para o período de 24 a 31 de janeiro de 2014, em Corumbá (pág. 10).

20 Crescer Missionário abençoou obreiros, funcionários da JMN e seus filhos o

Há 20 anos, a Igreja Batista do Bacacheri, em Curitiba (PR), realiza o congresso Crescer Missionário, visando o bem estar das famílias missionárias. Neste ano, o evento recebeu também filhos de missionários e funcionários da sede de Missões Nacionais, com uma programação especial para eles. Ao todo, foram 60 adultos e 65 crianças (pág. 07).


2

o jornal batista – domingo, 01/12/13

reflexão

EDITORIAL O JORNAL BATISTA Órgão oficial da Convenção Batista Brasileira. Semanário Confessional, doutrinário, inspirativo e noticioso. Fundado em 10.01.1901 INPI: 006335527 | ISSN: 1679-0189 PUBLICAÇÃO DO CONSELHO GERAL DA CBB FUNDADOR W.E. Entzminger PRESIDENTE Luiz Roberto Silvado DIRETOR GERAL Sócrates Oliveira de Souza SECRETÁRIA DE REDAÇÃO Arina Paiva (Reg. Profissional - MTB 30756 - RJ) CONSELHO EDITORIAL Celso Aloisio Santos Barbosa Francisco Bonato Pereira Guilherme Gimenez Othon Avila Sandra Natividade EMAILs Anúncios: jornalbatista@batistas.com Colaborações: editor@batistas.com Assinaturas: assinaturaojb@batistas.com REDAÇÃO E CORRESPONDÊNCIA Caixa Postal 13334 CEP 20270-972 Rio de Janeiro - RJ Tel/Fax: (21) 2157-5557 Fax: (21) 2157-5560 Site: www.ojornalbatista.com.br A direção é responsável, perante a lei, por todos os textos publicados. Perante a denominação batista, as colaborações assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, a opinião do Jornal. DIRETORES HISTÓRICOS W.E. Entzminger, fundador (1901 a 1919); A.B. Detter (1904 e 1907); S.L. Watson (1920 a 1925); Theodoro Rodrigues Teixeira (1925 a 1940); Moisés Silveira (1940 a 1946); Almir Gonçalves (1946 a 1964); José dos Reis Pereira (1964 a 1988); Nilson Dimarzio (1988 a 1995) e Salovi Bernardo (1995 a 2002) INTERINOS HISTÓRICOS Zacarias Taylor (1904); A.L. Dunstan (1907); Salomão Ginsburg (1913 a 1914); L.T. Hites (1921 a 1922); e A.B. Christie (1923). ARTE: Oliverartelucas IMPRESSÃO: Jornal do Commércio

O

ano está se findando, a história que você escreveu no ano de 2013 já está disposta. Qual o balanço você faz da sua trajetória neste ano? Você recebeu e reconheceu as bênçãos de Deus na sua vida? Muitas vitórias entre as lutas? Caso tenha ainda mais lutas do que vitórias para contar sobre este ano, não fique triste, o fim ainda não chegou. Nesta edição do Jornal Batista você vai ver nos textos os milagres de Deus, vai conhecer

o cuidado do Senhor, em outros textos você encontrará o alerta do Pai para sua vida. Isso tudo para você saber que ainda não é o fim. O final do ano traz para algumas pessoas uma sensação de nostalgia, principalmente sobre os seus problemas. Mas entenda, o seu Deus é um Deus de poder. “Terra de que o Senhor teu Deus tem cuidado; os olhos do Senhor teu Deus estão sobre ela continuamente, desde o princípio até ao fim do ano” (Deuteronômio 11.12).

Se mantenha firme na Palavra de Deus, cuidando para não se afastar dos caminhos do Senhor. “E será que, se ouvires a voz do Senhor teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu hoje te ordeno, o Senhor teu Deus te exaltará sobre todas as nações da terra” (Deuteronômio 28.1). Siga a vontade de Deus para sua vida. Deixe a sua vontade humana, pecaminosa, de lado e busque prazer em fazer o que é bom. “E não sede conformados com

este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus” (Romanos 12.2). Seguir a vontade de Deus traz consequências positivas. No final, as promessas de Deus sempre se cumprem. “E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre” (I João 2.17). (AP)


o jornal batista – domingo, 01/12/13

reflexão

3

MÚSICA Rolando de Nassau

(“In memoriam” de Isaltino Gomes Coelho Filho)

E

m 2011, depois de muito tempo observar que os programadores das Ordens de Culto das igrejas evangélicas fazem constar, ao lado dos títulos dos hinos, os respectivos nomes dos autores e compositores, sugeri que eles só se referissem aos hinógrafos, isto é, aos autores das letras (OJB, 13 fev 2011). Isto porque para o cultuante comum contemporâneo seria interessante saber quais foram os autores e tradutores que escreveram, entre 1890 e 1970, as letras dos hinos do “Cantor Cristão”. Ele poderia apreciar a qualidade literária dos hinógrafos de um passado não muito recente. Fico curioso para saber se o meu leitor conhece os hinógrafos do “Cantor Cristão”; será que ele conhece os do “Hinário para o Culto Cristão”; e os autores das letras dos cânticos (“corinhos”)? Viveram (ou vivem) as letras de seus hinos? Ele seria espiritualmente recompensado pelo conhecimento das circunstâncias em que os hinos foram escritos e de certas particularidades das vidas dos autores. A seguir, prop o m os um que stioná r io sobre cinco hinógrafos importantes na história dos batistas no Brasil e cinco hinos fundamentais na hinódia denominacional. 1) Na manhã ensolarada de 10 de junho de 1890, antes de desembarcar no porto do Rio de Janeiro, o evangelista congregacional terminou de traduzir um hino que encontrara num hinário recente, que trouxera da Inglaterra.

Para correção do hino, mostrou-o ao seu companheiro de viagem, um evangelista que vinha para fazer uma campanha no Brasil, onde predominava a Igreja Católica Romana. Esse é o mais antigo na hinódia batista usada no Brasil! É o hino de um visionário! Depois desse hino, ele publicou a primeira edição do “Cantor Cristão” e escreveu as letras de mais 112 hinos (OJB, 28 ago 77 e 12 jul 81). Quais eram os nomes dos evangelistas? Qual é o título e o número do hino no CC? 2) Foi o segundo maior hinógrafo do “Cantor Cristão”. Escreveu, traduziu ou adaptou 72 letras de hinos. Seu hino mais famoso é uma oração em favor do Brasil, inspirada na melodia de um hino norte-americano publicado em 1916. É o hino de um cidadão! O autor, missionário norte-americano, amava tanto o Brasil (a quem chamava de “minha pátria” e por quem ansiava morrer, “para ficar a pátria salva”), foi sepultado em Petrópolis (RJ). (OJB, 22 jul 2002). Qual era o nome do missionário? Qual é o título e o número do hino? 3) O autor do hino agora visado, era, em 1917, pastor de uma igreja no outro lado da Baía de Guanabara. Nesse ano, iniciou a construção do templo. O povo da cidade não ficou satisfeito, pois sabia que nessa “casa de oração” não haveria lugar para a idolatria. Certa noite, um forte vendaval derrubou a construção. Em seguida, baderneiros queimaram a bancada do futuro templo. Diante da triste situação, o pastor sentiu-se

inspirado para escrever a letra do hino, comentando as lutas e as vitórias dos crentes (OJB, 21 dez 86). É o hino de um combatente! Qual era o nome do pastor? Qual é o título e o número do hino? 4) A letra do hino que propomos para despertar a sua memória foi traduzida em 1924 pelo pastor de uma igreja suburbana no Rio de Janeiro. O tema é: Deus como refúgio do crente. O próprio tradutor assim expressou seu sentimento: “Lutas sem cessar eu estava passando no pastorado. Recebi conselho de abandonar a Igreja. Deus manifestou o Seu poder de um modo maravilhoso, removendo os obstáculos”. É o hino de uma pessoa confiante em Deus! As outras 15 traduções desse pastor obtiveram o agrado geral das congregações; estão entre os hinos favoritos do povo batista brasileiro (OJB, 27 jan e 03 fev 85).

Qual era o nome do pastor? do a Aliança Batista Mundial. Então, a Comissão entrou Qual é o título e o número em contato com alguns recodo hino? nhecidos poetas batistas. En5) O último hino a entrar tre as contribuições destacouno “Cantor Cristão” teve a -se a de um general. Em novembro foi lançado participação de três militares (um cabo, um capitão e um o hino oficial, cujo estribigeneral), mas é o hino de lho ainda ressoa. Usando a letra do general e a música todo evangelista! Um deles, na Segunda do cabo, foi cantado várias Guerra Mundial (1939-1945), vezes na 47ª Assembleia da serviu como cabo na infanta- CBB, em Niterói (RJ), e em ria do exército norte-america- 31 de janeiro de 1965, com no que lutara na Europa. No a presença de 150 mil pessosegundo semestre de 1964 as, no Estádio do Maracanã era membro da Comissão do (OJB, 15 nov 1964). Alguém apropriadamente Hino Oficial da Campanha Nacional de Evangelização, comentou: “Foi preciso que prevista para ser realizada um capitão desobstruísse o caminho para que o general durante o ano de 1965. O presidente da Campanha e o cabo se encontrassem!”. Quais eram os seus nomes? convidou o presidente da Aliança Batista Mundial, na Qual é o título e o número ocasião um pastor brasileiro do hino no CC? O leitor que que era capitão do Exército, desejar apurar se deu as rese tinha sido capelão do Re- postas certas ao questionário gimento “Sampaio” da Força poderá escrever para o nosso Expedicionária Brasileira na e-mail: nassau@abordo.com. Itália, para escrever a letra do br . Terá uma noção de quanto referido hino. Mas em agosto o convidado precisou viajar à conhece a respeito dos hinóEuropa e África, representan- grafos do “Cantor Cristão” ...


4

o jornal batista – domingo, 01/12/13

reflexão

GOTAS BÍBLICAS NA ATUALIDADE

OLAVO FEIJÓ Pastor, professor de Psicologia

No primeiro dia do sexto mês do segundo ano

O Eimaldo Vieira Pastor Emérito da IB Nova Jerusalém - Cabo Frio, RJ

S

eria essa uma posição bíblica e cristã? Existe um modelo denominacional no Novo Testamento? Neste artigo, pretendo apresentar alguns fundamentos de uma denominação bíblica. Noutras palavras, mostrar as origens de uma Instituição criada no Novo Testamento, com seus alicerces claramente definidos na Palavra de Deus. As considerações que se seguem não significam que não participamos de uma boa Denominação ou que estejamos insatisfeitos com ela. É claro que sempre há lugar para aperfeiçoamentos nos negócios do reino de Deus. A falta de uma visão neo-testamentária tem dado lugar ao surgimento de uma batelada de denominações, algumas aparentemente bem sucedidas, mas deixando um saldo de excessos, como domínio do rebanho, empobrecimento de princípios, gestão econômica sobre quantias astronômicas, entre outros problemas, que só comprometem o bom nome do Evangelho. Basta olhar para a Imprensa. A Denominação Cristã estava apenas começando no Cristianismo também nascente. Acompanhemos o surgimento das primeiras igrejas, a descida espontânea dos discípulos de Jerusalém a Samaria e Antioquia da

Síria, onde o título denominacional foi oferecido pelos de fora. Cristãos, em função do testemunho que davam de Cristo (Atos 11.26). O perfil das igrejas era devocional, fraterno, livre e testemunhal, compreendido esse termo em sua riquíssima extensão, ou seja, imitação, proclamação e sofrimento por Cristo. O modelo administrativo se fundamentava no comando do Espírito Santo e pronta obediência dos obreiros e das igrejas (Atos 13.2). Como resultado desse modelo de igrejas autônomas, missionárias, submissas à voz do Espírito Santo e dirigidas por pastores e líderes igualmente autônomos, muitas igrejas filhas foram fundadas através da Ásia Menor, além de projetarem novos cristãos pelos caminhos da Europa. Ao final da primeira viagem missionária de Paulo, algo aconteceu que não era possível resolver no âmbito das igrejas locais por se tratar de questões comuns a todas elas. Recorreu-se, pela primeira vez, à delegação coletiva, ou seja, representação voluntária das igrejas envolvidas no problema judaizante. A denominação ganhou expressão e corpo ainda mais visível. Assembleia Fraternal, Livre, Democrática. Amplo debate, testemunho persuasivo dos oradores. Resolução, Deixem os novos cristãos gentios em paz. O livro dos mensageiros foi escrito e divulgado com alegria e presteza. Tiago foi

o presidente (Atos 15.1-33). Estava criada a primeira Denominação Cristã, destinada a sucesso perene. Essa abençoada estrutura denominacional só foi possível graças a outra enorme bênção. A compreensão correta do modelo de liderança do Novo Testamento. Igrejas autônomas e iguais geram obreiros autônomos e iguais. A organização é a credencial das igrejas. A consagração, a do pastor. Essa consagração o credencia a ser um Pastor, Bispo, Apóstolo, Ancião ou Presbítero ou ainda a exercer tudo isso ao mesmo tempo. A ausência de uma interpretação correta tem gerado lideranças hierárquicas, como a Católica Romana, diversas neo-pentecostais e títulos mais modernos, onde, entre outros problemas, recursos econômicos gigantescos são carreados para sedes, bancos ou matrizes, enfeixados nas mãos de super líderes. Estruturas gigantes geram problemas gigantes. Lideranças hierárquicas geram entidades hierárquicas e monárquicas. Devemos incentivar as denominações a que se voltem para o modelo original de governo eclesiástico e liderança cristã do Novo Testamento. Utopia? Pode ser. Regozijemos por saber que é bíblico e inconfundível esse modelo que atravessou as barreiras dos séculos e permanece vitorioso até os nossos dias. Um verdadeiro Patrimônio Cultural para a Humanidade.

livro do profeta Ageu é pequeno: só tem dois capítulos. Por isso, é digno de nota que, em cada revelação recebida do Senhor, o Espírito revelador decidiu indicar a data exata do acontecimento. No livro constam, pelo menos, quatro datas, começando por: “No primeiro dia do sexto mês do segundo ano do reinado de Dario, a palavra do Senhor veio por meio do profeta Ageu...” (Ageu 1.1). Será que faz sentido o uso tão detalhado do tempo, a partir de uma entidade que, por natureza, “pertence” à eternidade? Aquele, para quem “um dia é como mil anos”, que sentido haveria em pequenos detalhes do calendário humano? Não somente calendário humano, mas um sistema de data somente utilizado por um grupo humano insignificante. E que voltava para seu antigo território nacional, após o vexame de quase um século de escravidão? Como provavelmente não encontraremos respostas satisfatórias para todas essas perguntas, valerá a pena

pelo menos focarmos um pequeno detalhe do tempo de ministério de Ageu. Comecemos relembrando a vigência das pregações de Jeremias: foram aproximadamente quarenta anos. Quarenta anos de lamentações, uma vez que o profeta já sabia, desde o início, que o povo não iria aceitar sua pregação. Quanto ao profeta Ageu, seu período de pregação durou umas duas semanas, durante dois meses. Tempo que foi suficiente para motivar o povo de Judá, no sentido de completar a reconstrução do templo de Jerusalém. Isto prova que Ageu foi mais eficiente que Jeremias? De jeito nenhum. Isto apenas prova que o tempo de cumprimento das determinações divinas dependem, realmente, do Senhor. As datas humanas sempre se submetem ao calendário do Eterno. Para Ageu, o Senhor modificou o coração do povo em apenas semanas. Em ambos os casos, cumpriu-se unicamente uma vontade: a do Senhor. As portas do nosso tempo continuam a ser abertas, ou fechadas, pelo Senhor da eternidade.


o jornal batista – domingo, 01/12/13

reflexão

Carlos Henrique Falcão Pastor da IB da Liberdade, Tijuca, Rio de Janeiro

A

casa de tábuas de Emily Sagalys, 21 anos, foi totalmente destruída pelas grandes ondas que assolaram a cidade costeira de San José, nas Filipinas, no dia 11 de novembro, durante a passagem do tufão Haiyan. Emily estava com nove meses de gestação, levada pelas ondas, foi salva pelo marido, Jobert, enquanto boiava junto com os restos do desastre. O casal se refugiou em uma escola, onde estavam outros sobreviventes. Lá ficaram por horas esperando resgate, bebendo apenas garrafas de água encontradas na enchen-

te. Quando a jovem entrou em trabalho de parto, o casal decidiu procurar ajuda. Caminharam quilômetros até encontrar uma carona que finalmente os levasse ao hospital improvisado no aeroporto de Tacloban. A maca foi um pedaço de madeira sujo, acompanhado de vidros quebrados, metal torcido, pregos e outros detritos, em galpão destruído no aeroporto da cidade, onde equipes médicas atendiam os feridos. Olhando para a sua filha, Emily sussurrou: “Ela é meu milagre. Vou chamá-la de Bea Joy em homenagem à minha mãe que desapareceu na enchente”. Bea nasceu de parto normal e passa bem (www1.folha.uol.com.br/ mundo).

A vida é criação de Deus. Após ter separado a água da parte seca, cobriu o que chamou de terra com todo tipo de vegetação que produziu sementes de acordo com suas espécies. Isso é vida. Também encheu as águas de seres vivos, aves que voavam sobre a terra, sob o firmamento do céu, e encheu a terra de seres vivos de acordo com suas espécies. Isso é vida. Por fim criou o homem e a mulher do pó da terra soprando em suas narinas o “fôlego da vida”. Também deu a eles o domínio sobre toda vida criada anteriormente. E disse mais: Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e subjuguem a terra!” (Gn 1.1-31). Significa que a vida

TURMA DR. JOSÉ LINS DE ALBUQUERQUE CINQUENTENÁRIO – SEMINÁRIO TEOLÓGICO BATISTA DO SUL Ao ensejo do Jubileu de Ouro da Formatura da turma José Lins de Albuquerque, em 30 de novembro de 1963, do Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, convidamos todos os formandos de 1963 (Bacharéis e Graduados em Teologia), para um encontro de confraternização e celebração, com um almoço e ação de graças, na cidade de João Pessoa – PB, por ocasião da 94ª Assembleia da Convenção Batista Brasileira. O encontro acontecerá às 12 horas do dia 25 de janeiro de 2014 (sábado), na sede da Assembleia da Convenção Batista Brasileira. Orivaldo Pimentel Lopes Presidente da Turma José Lins de Albuquerque (Favor confirmar a presença, por e-mail – orivaldopl@gmail.com)

que Deus criou em Adão seria perpetuada pelo próprio homem. Isso é vida. Creio que não exista nada mais forte que a vida. Foi com toda essa força concedida por Deus que Bea Joy nasceu no meio dos escombros. O salmista afirma que é possível preservar a vida sendo o próprio Deus o seu “refúgio porque ele está sempre pronto a nos socorrer. Por isso, ficamos destemidos diante dos desfiladeiros da morte e corajosos diante do mar tempestuoso e do terremoto; diante do ímpeto e do bramido dos oceanos e dos tremores que abalam montanhas” (Sl 46.1-3). A vida é preservada mesmo diante da morte quando todo tipo de agres-

5

são mortal nos alcança mas nada nos separa do amor de Deus (Rm 8.35-39). Quantas pessoas passam por verdadeiras devastações que deixam tudo destruído ao seu redor. Aparentemente não há salvação e não há quem os salve. No coração reina o medo e em muitos casos o desânimo e a desesperança. Então lembramos da voz de Deus: “Abandonem o caos! Olhem bem para mim, seu Deus Altíssimo, que está acima de tudo” (Sl 46.10). Então surge a vida. A vida continua. Ela está sempre disposta a continuar. Se você está passando hoje por alguma calamidade, tenha ânimo, confie em Deus, e saiba que Bea Joy irá nascer e a vida será preservada.

Convocação à 94ª Assembleia da Convenção Batista Brasileira O Sr. Presidente da CONVENÇÃO BATISTA BRASILEIRA, Pr. LUIZ ROBERTO SILVADO, no desempenho de suas atribuições, de acordo com o ESTATUTO, art. 5º § 1º, art. 9º inciso II e REGIMENTO INTERNO, art. 6º § 3º, CONVOCA as Igrejas Batistas do Brasil, a ela filiadas, a fim de enviarem os seus mensageiros, devidamente credenciados, para a 94ª Assembleia Ordinária da CBB, a realizar-se na cidade de JOÃO PESSOA – PB, entre os dias 24 e 28 de janeiro de 2014. Rio de Janeiro, 01 de dezembro de 2013. Pr. Luiz Roberto Silvado Presidente


6 vida em família

o jornal batista – domingo, 01/12/13

reflexão

Gilson e Elizabete Bifano

D

e todos os personagens bíblicos, depois de Jesus, um dos que mais admiro é José, marido de Maria. José é um injustiçado da igreja cristã. Nunca ouvi um sermão sobre José. Leonardo Boff, que escreveu um livro interessante sobre José, o chama de “patrono dos anônimos”. Ainda sobre José, Boff escreveu: “São José (como os católicos se refere a ele) é uma figura de sombra. Não deixou nenhuma palavra, apenas teve sonhos que, não sem dificuldades, acatou e seguiu. Não sabemos nem quando nasceu nem quando morreu. Apenas que, corajoso, levou para casa uma menina grávida e assumiu o menino impondo-lhe o nome Jesus. Depois enfrentou com a família a perseguição de um monarca sanguinolento, fugiu para o exílio e, na volta, se escondeu numa vilazinha ao norte, em Nazaré. Iniciou o filho nas tradições religiosas de seu povo e lhe transmitiu a profissão de artesão-carpinteiro. Dele se diz que era um homem justo. Depois sumiu sem deixar sinal. Apenas os apócrifos (livros tardios não aceitos pela Igreja oficial) sabem muito de José mas de forma fantasiosa e, por vezes, ridícula”. Se há um homem que todos os maridos deveriam imitar, este homem se chama José. Deste homem Lucas e Mateus dão detalhes inspirtativos. Há um texto sobre José que muito me chama a atenção. Está Mateus 2.14, que diz: “Levantando-se ele (José), tomou o menino e sua mãe, de noite, e foi para o Egito”. Não sabemos como foi o final de vida de José, mas o que sabemos é admirar. José foi um homem de família. Muitas vezes ressaltamos a humildade de Maria, em deixar ser usada por Deus

para trazer o Salvador ao mundo, mas nos esquecemos da prontidão, da sensibilidade espiritual e o zelo de José, para cuidar da mãe e do próprio Jesus. Perseguido por Herodes, José, após ouvir a voz de Deus, através de um anjo, em sonho, logo ao acordar, sem talvez esperar pelo amanhecer, levantou-se e partiu com Maria e o menino Jesus para o Egito. Neste versículo podemos conhecer um pouco do caráter deste homem. Sem dúvida, foi um marido e um pai (adotivo) que recebeu os aplausos e a aprovação de Deus. Homens como José são assim. Sabem o que devem fazer. Sabem que Deus lhes deu uma família para cuidar e proteger. São homens que se levantam e cuidam com prontidão e denodo de suas famílias. São homens que protegem suas esposas e zelam pela integridade dos seus filhos. O que temos visto, infelizmente, nos dias de hoje, são homens mais preocupados com o crescimento profissional, em ganhar dinheiro, em galgar os maiores postos na empresa, que estão mais interessados em futebol e passar a maior parte do tempo com os amigos. José não era desse tipo de homem. Homens como José deixam a zona de conforto e se levantam para abençoarem seus casamentos e deixar uma herança abençoadora na vida dos filhos. Homens apáticos, indiferentes às necessidades da esposa e dos filhos não podem afirmar que são parecidos com José. Que os homens de hoje sejam incomodados pelo Espírito Santo para exercerem o papel que Deus tem para eles em suas famílias e que sejam inspirados na vida de José, marido de Maria, pai adotivo de Jesus, o Salvador.

Mark Burnet vencedor de quatro prêmios Emmy

Pr. Valdo Romão Diretor Executivo da CBESP

O

tema veio da entrevista concedida pelo produtor-executivo Mark Burnet a Bill Hybels, quando da realização do The Global Leadership Summit 2013, realizado no último dia 31 de outubro, no templo da Igreja Batista Boas Novas de Vila Zelina, em São Paulo, capital. Mark Burnet é vencedor de quatro prêmios Emmy; produtor-executivo dos programas Survivor, The Voice, SharkTank e The Bible. É considerado uma das pessoas mais influentes do mundo pela revista Time. Juntamente com sua esposa, Roma Downey, produziu, recentemente, uma nova série de 10 horas sobre a Bíblia, chamada The Bible, que está sendo exibida em episódios de duas horas no canal History Channel. Quatro de seus programas já estiveram, simultaneamente, em primeiro lugar de audiência em canais de televisão. Burnet disse a Hybels, quando falava de liderança espontânea, que iniciou a sua vida de sucesso começando do nada. Alguns princípios ele aplicou para superar oposições. Escolheu suas companhias antes de escolher sua estrada. Formou equipes. Sonhou grande com limitações. Iniciou a sua vida vendendo camisetas com pequenos defeitos nas praias da Califórnia, nos Estados Unidos da América. Tornou-se um homem dos mais influentes do mundo. Começando do nada. Essa expressão volta e meia surge

nas conversas coloquiais que temos. Ela nasce para indicar muitas vezes um recomeço, para mostrar um novo estágio na vida, quer seja na esfera profissional, relacional, sentimental e mesmo espiritual. Começar é dar início, aliás, essa é a ideia original. Todos nós marcamos o começo da nossa trajetória do nada. Chegamos ao mundo desprovidos de qualquer aptidão. Desde os primeiros passos, somos levados por alguém para desbravar o universo do desconhecimento. As cortinas da nossa vida se abrem e do nada começamos a nossa caminhada. Em dados momentos acertamos e em outros a nossa atuação em nada chama a atenção. No entanto, desde o começo da nossa vida, as oportunidades vêm e vão. Muitas passam por nós e as perdemos e isso custa-nos muito. Amargamos o arrependimento. Perdemos o bonde da história, como se diz popularmente. Assim afetamos muitas áreas da vida. Porém, há uma área de que não podemos nos descuidar. Essa área é a espiritual. E nessa área não tem como não começar do nada. A vida espiritual não se inicia por um recomeço. Ela se inaugura como resultado do novo nascimento. Todos nós fomos afetados pela degeneração provocada pelo pecado. Caímos da Graça de Deus. Nessa condição, não há recomeço. Deverá acontecer um novo nascimento. Vida nova. Aqui não se trata de um recomeço. É começar do nada. Foi Jesus que respondendo a Nicodemos, um dos principais dos judeus, disse: “Em

verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” (João 3.3). A vida de relacionamento com Deus tem o seu início começando do nada. A caminhada com Deus se inicia como resultado de um ato que Jesus realiza, e só Ele, ninguém mais. O novo nascimento é graça pura de Deus na vida do pecador arrependido. Ninguém, por seus próprios atos, vem para Deus meio salvo. Ele poderá ter algum conhecimento de Deus. Até praticar algum ensino de Jesus. Admirá-Lo. Temê-Lo. Respeitá-Lo. Contudo, nada disso indica ter passado pelo novo nascimento referido por Jesus no diálogo que teve com Nicodemos. Vida de r ela c iona m ento c om Deus só existe começando do nada. Esse é o começo, que depende totalmente de Jesus. É presente dEle para todos os que nEle creem. Paulo, o apóstolo, assim escreveu: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2. 8 e 9). Neste caso, nenhum mérito está no homem ou na mulher, todos os méritos estão em Cristo. Aplicar princípios humanos, superar dificuldades pessoais, escolher boas companhias, formar equipes, nada disso se aplica para que a relação do homem e da mulher seja restabelecida com Deus. Esvaziar-se é o segredo. Deixar Jesus realizar o novo nascimento é começar do nada, para que se tenha uma vida vitoriosa.


o jornal batista – domingo, 01/12/13

missões nacionais

Obreiros puderam compartilhar suas experiências do campo

Grupo de crianças no parque Beto Carreiro

Igreja acolheu e valorizou o trabalho dos missionários

Momentos de interação entre missionários e membros da igreja

7

20o Crescer Missionário abençoou obreiros, funcionários da JMN e seus filhos

Ana Luiza Menezes Redação de Missões Nacionais

H

á 20 anos, a Igreja Batista do Bacacheri, em Curitiba (PR), realiza o congresso Crescer Missionário, visando o bem estar das famílias missionárias. Neste ano, o evento recebeu também filhos de missionários e funcionários da sede de Missões Nacionais, com uma programação especial para eles. Ao todo, foram 60 adultos e 65 crianças. Segundo o Pr. Roberto Silvado, da IB do Bacacheri e presidente da Convenção Batista Brasileira, além de abençoar os missionários o evento proporciona um tempo de refrigério e capacitação para os obreiros. “Ao recebê-los com amor e carinho em

nossas casas, queremos que se sintam amados e valorizados como indivíduos. Ao criarmos momentos de lazer e cuidado, estamos possibilitando que eles renovem suas energias. Quando providenciamos capacitação, desejamos fornecer novas ferramentas para facilitar o seu trabalho e viabilizar que sejam ainda melhores no que já fazem: Levar o amor de Cristo para os brasileiros”, explicou Pr. Silvado. A missionária Adriana Dias, que atua no projeto Sonho de Mãe, em Italva (RJ), definiu o Crescer Missionário como uma grande oportunidade para que ela e os outros participantes fossem ministrados por Deus por meio das vidas dos irmãos da IB do Bacacheri. Durante os quatro dias de congresso, foram oferecidos atendimentos médicos, odon-

Momento de abertura do congresso

tológicos e psicológicos, além das palestras. “Para nós missionários, que orientamos e cuidamos de tanta gente, foi o momento de parar e cuidar de nós mesmos”, afirmou Adriana. Ela destacou também as ministrações do Pr. Samuel Mitt como sendo inspirações de Deus que produziram em sua vida uma reflexão profunda do que Deus espera dela. O clima de alegria, amizade, comunhão e gratidão contagiou a todos que participaram e organizaram o 20º Crescer Missionário. Os cultos, atividades e também os testemunhos missionários abençoaram e impactaram vidas, reforçando em cada pessoa a convicção do chamado para a obra. Também as famílias que hospedaram os missionários e funcionários foram citadas

pelos participantes como instrumentos de Deus por terem demonstrado o verdadeiro sentido da palavra “acolher”. O amor de Cristo foi evidenciado em todos os momentos. As crianças tiveram uma programação montada especialmente para elas, incluindo um passeio ao parque Beto Carrero World, em Santa Catarina. “A minha filha, Jamilly, ficou bem impactada com o entrosamento, o ambiente diferente, com a ida ao Beto Carrero. Eles foram com uma equipe da igreja enquanto nós continuamos no Crescer. Eles gostaram e voltaram muito entrosados. Tiveram um momento de testemunho e minha filha ficou impressionada com os testemunhos dos filhos de missionários, a vida que eles levam. Então, tudo isso foi muito importan-

Missionários participaram de palestras

te”, afirmou Alzira Barroso Gomes, funcionária da sede de Missões Nacionais. Segundo os coordenadores do Crescer, Pr. Natanael e Carmen Chabaribery, investir na obra missionária faz parte do DNA da IB do Bacacheri. “Planejar e executar o Crescer Missionário é uma maneira de colocarmos em prática tudo o que ensinamos sobre missões. Promover uma interação real entre o missionário do campo e a igreja faz com que tenhamos uma visão mais clara das necessidades e dificuldades que eles e suas famílias enfrentam diariamente”, concluiu Pr. Natanael. Missões Nacionais agradece o apoio e incentivo que a IB do Bacacheri tem prestado aos nossos obreiros, por meio de atividades que valorizam esta tão grande obra.


8

o jornal batista – domingo, 01/12/13

notícias do brasil batista

Ame Mais, projeto social que move o coração de Deus

CRÉDITO: Anderson Solano

Comunicação da Convenção Batista do Mato Grosso do Sul

P

astor Flávio Joad Gonçalves Carvalho dirige a missão localizada em um dos bairros mais humildes da Capital do Mato Grosso do Sul, o Jardim Noroeste. Junto ao trabalho evangelístico, pastor Flávio trabalha com o Projeto Mais Amor, em parceria com o Mesa Brasil do SESC, por quase 4 anos. Todas as sextas-feiras são distribuídas sacolas com alimentos, geralmente frutas e legumes, para as famílias cadastradas no programa. São cerca de 100 famílias cadastras e outras 70 que são atendidas mediante as possibilidades do projeto.

O

Pastor Flávio Joad conta que iniciou o ponto de pregação no local em 2006, quando ainda estava no seminário. “Encontrei uma realidade muito difícil, pelo fato de estar ao lado do presídio e muitas famílias que moram no local têm familiares presos. Uma das coisas que entendi é que deveríamos ser igreja, mas igreja com uma visão social e aí é que começamos a desenvolver projetos para ajudar a comunidade nesse sentido”, afirma pastor Flávio. O bairro hoje já está melhor, “mas quando chegamos aqui era um bairro muito carente, com muitos barracos de lona; existiam poucas casas. Deus colocou em nosso coração o amor pelas pessoas, a fim de ajudá-las a

era de alimentos. Foi quando o pastor Flávio Joad tomou conhecimento do projeto Mesa Brasil desenvolvido pelo SESC. Há quase 4 anos os moradores são beneficiados pelo projeto. São 170 famílias – 100 famílias já cadastradas e as demais sendo atendidas na medida das possibilidades. É o projeto Mais Amor – e a distribuição dos alimentos ocorre toda sexta-feira. “Uma das coisas mais importantes é o reconhecimento das famílias”, relata o dedicado pastor. Para ele, “A IB no Jardim Noroeste faz a diferença. Um exemplo é a visão que a igreja tem diante da sociedade. Quando comecei esse trabalho pensei Alimento necessário Em 2010 algumas igrejas logo em formar uma igreja, ajudavam no trabalho, mas com membros, o desafio que a necessidade maior mesmo todo pastor tem quando initer uma vida melhor socialmente, culturalmente”, relata o pastor. O trabalho foi iniciado com crianças – havia cerca de 40 crianças – e poucos adultos. “Nós acabamos conquistando famílias e fazendo com que essas pessoas adultas pudessem se comprometer com o Reino de Deus, com a igreja, com o trabalho em si”, explica o pastor. Conforme o dirigente “A gente trabalha com pessoas muito feridas pela vida. São pessoas que vêm de ‘n’ relacionamentos, pessoas que já foram presidiárias, que vêm de um contexto de vida marcada por drogas e álcool”.

cia um trabalho. No entanto, Deus foi colocando em meu coração algo diferente: que a igreja precisava olhar para a necessidade das pessoas”. Explicando quanto esse projeto é importante para a igreja, pastor Flávio Joad declara: “Quero agradecer a Deus por ter colocado isso no meu coração, porque esse trabalho impactou minha vida, minha realidade de ministério e impactou a vida dos irmãos que trabalham aqui, porque eles veem que isso faz a diferença”. Encerrando, pastor Flávio agradece também ao pastor Marcelo Moura da Silva, “que sempre me incentivou, e sempre me falou que na realidade em que eu estava inserido precisava fazer um trabalho social abrangente no bairro”.

Acampamento de JCA debate feminilidade bíblica

acampamento estadual de Jovens Cristãs em Ação (JCA) foi realizado de 16 a 18 de agosto no Acambapi, reunindo cerca de 80 pessoas representando igrejas das associações Centro, Sul, Oeste e Pantanal do Mato Grosso do Sul. O tema debatido no encontro foi Feminilidade Bíblica: Eu curto e compartilho! A preletora do encontro foi Hedy Silvado, da Igreja Batista do Bacacheri, Curitiba (PR). “No acampamento eu tive momentos incríveis em que eu pude me aproximar mais de Deus e também pude compreender melhor qual o papel que o Senhor criou para a mulher de um modo geral”, expressou a jovem Evelayne Bispo de Souza. Equipes de louvor se revezaram na ministração dos cânticos e o acampamento JCA

CRÉDITO: Divulgação

O acampamento das jovens cristãs foi uma benção compartilhada com muita alegria

foi marcado por testemunhos emocionantes das jovens Rebeca Brandão, sobre a Trans MS 2013, e Suellen Costa, sobre o Projeto Pantavida. Bulimia, anorexia e pirâmide alimentar, além de orientações para uma alimentação saudável, foram temas abordados pela nutricionista Kethya Guttierres,na oficina “Geração Saudável”.

Conforme relato de Simone Trapp, Coordenadora Estadual de JCA/MS, na manhã de domingo, último dia do encontro, “tivemos um momento muito especial, onde as jovens passaram por um ‘exame do enem’ (Ensinamentos Norteadores das Escrituras para a Mulher). Com isso, quisemos testar o conhecimento da Palavra de Deus em relação aos

ensinamentos sobre a mulher, falado nas palestras. Também havia perguntas em relação à denominação”. As ganhadoras foram Suellen Costa e Fernanda Godoy, ambas da JCA Pantanal, que receberam como prêmio lindas Bíblias com capa feminina e jovem. Essa mesma associação recebeu um troféu em acrílico como prêmio da

“Maior Caravana de JCA”, com um total de 27 inscritas. “Uma nova experiência onde pude compartilhar novas ideias com jovens cristãs”, comentou a jovem Juliana Brandão sobre o encontro. Para a jovem Joyce de Oliveira Barros “o Senhor se fez presente naquele lugar... e amei conhecer cada menina de outras cidades!”


o jornal batista – domingo, 01/12/13

notícias do brasil batista

9

Igreja no Estado do Espírito Santo comemora Jubileu de Ouro Deocleciano Lino Sepúlveda Pastor da PIB em Alto Lage, Cariacica, ES

A

Primeira Igreja Batista em Alto Lage, Cariacica, ES, comemorou em outubro o Jubileu de Ouro. “Grandes coisas fez o Senhor por nós e por isso estamos alegres”, disse o pastor Deocleciano Lino Sepúlveda, que há 20 anos está na liderança da Igreja. Durante todo o mês a Igreja celebrou com diversos cantores, bandas e pregadores. No último final de semana do mês realizamos um almoço de confraternização e o encerramento contou a cantora Liége e uma queima de fogos. Histórico Tudo começou com a Igreja Batista em Jardim América, conduzida pelo pastor Manoel Leal e o irmão Hermílio Tavares, que com muita dedicação, toda semana subiam as escadarias de Alto Lage com um propósito de organizar uma Igreja Batista local. No dia 19 de outubro de 1963 este sonho foi realizado, foi organizada a Igreja

Batista em Alto Lage, ficando responsável pelo rebanho o pastor Anadir Rodrigues que liderou a Igreja por 10 anos. Em 1973 toma posse o pastor Zamite Duarte que durante 4 anos conduziu a Igreja para glória de Deus. Em 1977 chegou o pastor Almir Vargas que liderou da Igreja por longos 9 anos. Em 1986 toma posse o pastor Erci Pires, permanecendo durante 4 anos em Alto Lage. Em 1990 chegou o pastor Jorge Moreira que permaneceu na liderança da Igreja durante 3 anos. Em 1993 tomou posse o atual pastor que neste ano de 2013 completou 20 anos na liderança da PIBAL. Durante todo este período nosso Deus tem abençoado

ricamente a Igreja. Foram 50 anos de muitas lutas e vitórias. Para a glória de Deus a PIBAL é uma das maiores igrejas de Cariacica, ES, temos duas igrejas filhas, Igreja Batista em Vera Cruz e Igreja Batista em Itanguá e uma Igreja Neta no bairro São Conrado e atualmente estamos com duas Missões,

uma no bairro Vila Prudêncio e uma na Rua Pedro Álvares Cabral em Alto Lage e já estamos em fase de implantação de uma terceira Missão no bairro Sotema em Cariacica. Grandes coisas fez o Senhor pela PIBAL e por isso estamos alegres. Eu como atual pastor sou muito gra-

to ao nosso Deus por estar participando deste momento tão importante em que a PIBAL completa Jubileu de Ouro. Agradeço a Deus em primeiro lugar e aos amados colegas pastores que aqui passaram e aos queridos irmão que incansavelmente estão conosco nesta jornada gloriosa.


10 Com vagas já preenchidas barco Pantavida prepara-se para nova viagem missionária o jornal batista – domingo, 01/12/13

notícias do brasil batista

Comunicação da Convenção Batista do Mato Grosso do Sul

Montando cestas básicas Um dos principais problemas da comunidade ribeirinha, detectada pela equipe do projeto Pantavida em 2013 é a falta de alimentos. Por esse motivo, estamos trabalhando na arrecadação de alimentos para montar cestas básicas (abaixo, composição das cestas) que serão distribuídas em janeiro de 2014.

P

orto Domingos Ramos, Santa Catarina, Paraguai Mirim, Foz do Cuiabá, Rancho Itapuã, Porto Índio e Porto Gonçalo (Bolívia) são regiões ribeirinhas no Rio Paraguai – município de Corumbá – pouco conhecidas da maioria dos cidadãos sul-mato-grossenses, mas já fazem parte da história da viagem missionária do barco Pantavida. Em fevereiro de 2013, durante os oito dias da viagem missionária, foram atendidas 65 famílias com cerca de 120 crianças, que receberam alimento físico e espiritual. O Projeto Pantavida tem como finalidade alcançar as comunidades ribeirinhas distantes do conforto da cidade, levando-lhes melhor qualidade de vida por meio de atendimento médico, odontológico, educação, assistência social, sempre visando o resgate da cidadania, integração da família e os valores do Reino de Deus através da apresentação e presença real de Jesus Cristo. Em 2014 A próxima viagem missionária está confirmada para o período de 24 a 31 de janeiro de 2014, em Corumbá

Descrição

e todas as 20 vagas já foram rapidamente preenchidas. O foco continua sendo a ação social, com cortes de cabelo, distribuição de cestas básicas, palestras, atendimento médico, dentário e atividades para crianças e jovens que vivem às margens do rio Paraguai. Entremeando esse trabalho social está inserida a evangelização. Além de enfrentar dias quentes e úmidos, noites frias e muitos insetos, os voluntários pagam para viajar e doam sete dias de suas vidas. O custo da viagem para cada voluntário é de R$ 800. Esse importante e abençoado trabalho será realizado por 20 voluntários e cinco tripulantes da embarcação.

O barco Pantavida conta com quartos com ar condicionado, cozinha e consultório dentário. Uma embarcação auxiliar – voadeira – é utilizada para levar os voluntários para regiões onde o barco não pode chegar às margens. O projeto é uma iniciativa da Convenção Batista Sul-Mato-Grossense, através da Coordenadoria de Missões Estaduais dirigida pelo pastor Eli Souza Junior. O apoio e direção em Corumbá são do pastor Carlos Alberto da Silva, missionário da Convenção e coordenador do Projeto Pantanal, que é responsável pela administração e manutenção do Barco Pantavida.

Arroz Café Feijão Óleo Macarrão Sal Farinha de Trigo Farinha de Mandioca Caixa de Leite Extrato de Tomate Açúcar

Quantidade por Cesta 3 pct 2 pct 4 pct 4 litros 3pct 1pct 2pct 1pct 5cx 2 latas 2pct 2k

Total para arrecadar 420 280 560 560 420 140 280 40 700 280 280

Os pontos de arrecadação já estão a espera de doações nos seguintes endereços: Sede Da Convenção Batista Sul-Mato-Grossense Rua José Oliva, 648 - Monte Castelo 79.010-113 - Campo Grande-MS 2ª Igreja Batista Campo Grande Rua 26 de Agosto, 2005 - Amambaí 79005-030 - Campo Grande-MS 4ª Igreja Batista Campo Grande Rua José Antônio, 1951 - Centro 79010-190 - Campo Grande-MS Igreja Batista Nova Jerusalém em Dourados Av. Joaquim Teixeira Alves, 4160 - Vl. Industrial 79840-000 - Dourados-MS

Departamento de Ação Social da CBB

Visão com Comunhão – planejando a Ação Social dos batistas no Brasil Mark Greenwood Diretor do Departamento de Ação Social da CBB

C

oordenadores de Ação Social, de Convenções Batistas do Brasil todo, se encontraram em Brasilia nos dias 1 e 2 de novembro 2013. Tão diverso como a realidade social brasileira, o grupo compartilhou os seus planos e ações na área social e traçou linhas comuns para o trabalho batista de Ação Social em todo o país. Doze convenções, a Junta de Missões Mundiais, a Junta de Missões Nacionais e a UFMBB foram representadas nas conversas, que focaram importantes temáticas como: a Proteção de Crianças e Adolescentes contra Abuso Sexual; Monitoramento de

Políticas Públicas e Estratégias para Dinamizar a Ação Social nas convenções estaduais e regionais, entre outras. Destaca-se o plano de visitas para 2014, apresentado por Luciene Fraga, coorde-

nadora do Departamento de Ação Social da CBB (DAS-CBB): Em parceria com a gerência de Ação Social da JMN, o DAS-CBB planeja realizar oito capacitações para as convenções da re-

gião Norte, que nortearão as ações das igrejas e convenções na área social, e fomentarão a criação de Departamentos de Ação Social a nível estadual. Além de pastores, ministros e líde-

res das igrejas, assistentes sociais batistas receberão convites a estes encontros. Responsabilidades para a elaboração de reflexões bíblicas e estudos de caso, para o Dia Batista de Ação Social 2014, foram divididas, com o tema “A Família Colhedora”, e a divisa Salmo 68.5 “Pai dos órfãos e juiz das viúvas é Deus em sua santa morada”. Houve uma importante discussão sobre o futuro da Rede Batista de Ação Social (REBAS), e foi lançado o desafio de levar os batistas a uma participação no Plebiscito Popular sobre a reforma do sistema política - ato popular que acontecerá no dia 7 de setembro de 2014. Todo o evento foi embalado por comunhão preciosa, e por devocionais dirigidos pelos participantes.


o jornal batista – domingo, 01/12/13

missões mundiais

Templo batista é inaugurado na Guiné Equatorial Maria Lucinalva Dias e Nely Soares Missionárias da JMM

A

alegria em compartilhar os feitos maravilhosos que o Senhor tem realizado no campo enche nosso coração de gozo, pois as lutas, provações e choros fizeram parte desta jornada, mas nada que nos desanimasse a prosseguir para o cumprimento da visão do Mestre para a conclusão do templo da Igreja Batista Missionária na Guiné Equatorial. Quando voltamos do encontro de missionários da JMM na África, em setembro, começou a contagem regressiva para terminar o templo, pois a inauguração estava marcada para sábado, dia 9 de novembro. Foram dias de muitas lutas, provações, enfermidades, pois o inimigo fez de tudo para que a obra não prosseguisse. No período de chuvas, as estradas não ajudavam, e houve momentos em que pensamos que não íamos suportar tamanha responsabilidade, pois construir aqui não é fácil. Contudo, nosso lema é: “Fazer sempre o melhor para Deus”. Imagine como estava o nosso coração e o dos irmãos da Guiné Equatorial. Nossa boca se enchia de riso e alegria. O templo estava lindo, tudo perfeito, e esperávamos a vinda do diretor executivo da JMM, Pr. João Marcos B. Soares, e dos coordenadores regionais para a África, Pr. Hans Udo e Úrsula Fuchs, para abrilhantar essa grande celebração. Eles chegaram à Guiné Equatorial trazidos pela mão do Mestre, pois foi apenas no dia da viagem que eles receberam o visto de entrada no país. A inauguração aconteceu em dois dias: sábado e domingo. Foram festas maravilhosas que preparamos com muito amor. Todos os ministérios (mulheres, homens, jovens, crianças) estavam uniformizados para a apresentação ao dono da festa, o Senhor Jesus Cristo. Todos estavam impressionados com tão grande obra. Recebemos visitantes, missionários, pastores e autoridades; todos vieram participar desta celebração. Preparamos um grande banquete espiritual e físico no qual as mulheres serviram comidas típicas para os dois dias, pois não faltam recursos quando Deus abençoa.

Diretor executivo da JMM participou de culto de inauguração de templo na Guiné Equatorial

Pr. João Marcos celebra Ceia do Senhor

Integrantes do ministério de louvor com pastores João Marcos e Hans Fuchs

Na manhã de domingo, tivemos a celebração de 11 batismos. Foi lindo! Os batismos foram realizados na praia pelos pastores João Marcos e

Hans. Foi um momento de muita emoção ao ver nossos filhos na fé sendo batizados. Os irmãos cantavam, oravam e vibravam de alegria.

No domingo à tarde, aconteceu a celebração da primeira Ceia do Senhor. A igreja estava em festa, e todos os batizados estavam emocio-

11

nados e felizes por participar daquele banquete espiritual. O Pr. João Marcos trouxe uma palavra abençoada sobre a importância da Ceia do Senhor, uma ordenança dada por Jesus, e disse: “Hoje me senti de novo pastor de uma igreja, realizando a Ceia e apresentado uma criança ao Senhor. Vivenciar tudo isso não tem preço, pois muitos jovens que se batizaram saíram das drogas para os braços do Senhor, e os adultos deixaram a bruxaria para conhecer a Verdade que liberta”. Um momento especial no culto foi quando as mulheres entraram trazendo comidas, frutas, água mineral e refrigerantes como gesto de agradecimento por tudo que Deus tinha proporcionado naqueles dois dias. Isso é comum na cultura daqui: eles agradecem dando para os líderes o que de melhor eles podem oferecer. Foi emocionante, pois nos lembramos do gesto da viúva, que deu tudo o que ela tinha. Assim, ofertaram as mulheres, e depois todos saíram para dar sua oferta de gratidão ao nosso Deus. Não podemos deixar de mencionar a participação de mais de 90 crianças que se fizeram presentes junto com seus professores. As Mensageiras do Rei fizeram uma linda apresentação, como também foi bonita a coreografia dos jovens falando das batalhas espirituais que todos passamos, mas que em Cristo somos mais que vencedores. A inauguração foi encerrada com as mulheres cantando com toda a igreja um hino de vitória. Aleluia! Pois foi uma grande vitória. A promessa do Senhor se cumpriu, e agora prosseguimos para o desafio que é a inauguração do Centro Pré-Escolar Boa Semente e do posto de saúde da família. Contamos com sua contribuição, orações e adoção desses projetos, que estão no coração de Deus. Você faz parte deste grande sonho para 2014, pois a união faz a força. Ore por nossa saúde e para que Deus renove nossas forças, pelo crescimento da igreja no estudo da palavra e pela chegada dos novos missionários Marco Antônio Semião e Margarete Silva, que vêm somar conosco nesta grande obra. Interceda também pelo nosso ministério e pelos desafios para o próximo ano.


12

o jornal batista – domingo, 01/12/13

notícias do brasil batista

MAPAS

Veja os mapas de João Pessoa para você se localizar durante a 94ª Assembleia da Convenção Batista Brasileira


notĂ­cias do brasil batista

o jornal batista – domingo, 01/12/13

13


14

o jornal batista – domingo, 01/12/13

notícias do brasil batista

Jubacentro realiza lançamento do Projeto Labirinto

Anderson Solano Comunicação da Convenção Batista do Mato Grosso do Sul

M

ato Grosso do Sul ocupa o 3° lugar nacional no ranking de suicídios, 2° lugar de suicídios entre jovens de 15 a 35 anos e 1° lugar de suicídio entre mulheres. Campo Grande em 10 anos subiu da 20ª para a 17ª colocação enquanto que Amambai e Paranhos são campeãs nacionais e mundiais de suicídios. Dessa maneira o nosso estado vive uma epidemia generalizada nessa área de suicídios.

Com base nesses dados e voltada para a preocupação em alertar as famílias quanto ao perigo iminente dessa situação já instalada no estado, a Juventude Batista da Associação Centro (Jubacentro) realizou o lançamento do Projeto Labirinto, que serve como ponto de partida oficial dessa ação que marcará grandemente a juventude de MS. O lançamento do projeto ocorreu em culto realizado no dia 3 de agosto na Igreja Batista do Guanandi, na Capital. O culto teve como orador o Capelão Edilson Reis (bombeiro/UFMS) e também orientador do projeto, que abordou essa complexa temá-

tica falando sobre motivações para os atos, tabus, relatos de experiências e, ao final, conclamou nossa juventude e igrejas a se mobilizar nessa causa que é de relevância social extrema. Labirinto O projeto consistirá em três pilares: capacitação, prevenção e apoio técnico e espiritual. A capacitação ocorrerá através de cursos voltados para a área de capelania escolar e de palestra que mostra como identificar possíveis atos de suicídio e que será aplicada a professores, militares, pastores, igrejas e grupos interessados.

A área de prevenção terá como atividade principal e carro chefe do projeto o Dia da Vida, no qual será construído um labirinto de 400m², com 150.000 garrafas e que será utilizado com alunos das escolas de Campo Grande, ocasião que serão realizadas dinâmicas e palestras abordando essa temática. “Na parte de apoio técnico e espiritual, estamos criando uma rede de apoio on-line pelo Facebook e estamos estudando a criação de um grupo de apoio a pessoas em situação de risco e também a familiares de pessoas que cometeram o ato e que sofrem de luto intenso”, explica Emerson Leite de Brito, presidente da Jubacentro.

Para trabalhar como voluntários, a Jubacentro precisa de intercessores, psicólogos e acadêmicos de psicologia, fotógrafos, jornalistas, desenhistas, atores, editores de vídeo, editores de banners e mídia digital, voluntários para criação de pequenos grupos em escolas e universidades, apoio braçal para construção do labirinto. “Precisamos também de doações financeiras, pois o projeto não possui renda, doação de garrafas ou de qualquer outra forma que você possa colaborar. Não exigimos experiência para desempenhar as funções, mas sim compromisso”, conclui Emerson Brito.


o jornal batista – domingo, 01/12/13

ponto de vista

estão tomando com a própria saúde, com exercícios físicos: caminhadas, ginástica “E vos darei pastores se- e outras práticas esportivas, gundo o meu coração, os além de consultas médicas quais vos apascentarão com periódicas e alimentação ciência e inteligência” (Jere- adequada. Não só pelo fato supra cimias 3.15). tado do aumento populacioBrasil tem 14,5 nal, mas, para que haja mais milhões de ido- interação entre as gerações sos, segundo o e, consequentemente mais IBGE e esse nú- união fraternal, é imperioso mero tende a crescer. A ex- que as nossas igrejas tenham pectativa de vida dos bra- um olhar mais atencioso para sileiros é de 74,84 anos e, com os idosos, pois, pelo que segundo os estudiosos no observamos, eles estão ficanassunto, por volta de 2060, do esquecidos. Via de regra, a tal expectativa será de 80 atenção maior das lideranças anos. Isto acontece graças se volta para as crianças, (para aos avanços da medicina, e estas, nem tanto), para os adoalgumas medidas governa- lescentes e jovens. A liturgia igrejas está mudamentais em benefício da ter- em muitas anuncio_campanha_ojb_final.pdf 1 21/11/13 16:39 ceira idade, v.g. o Estatuto do da, segundo dizem, para agra1 jovens, 21/11/13 além 16:39de muitas Idoso; e anuncio_campanha_ojb_final.pdf também aos cuida- dar os dos que os de idade provecta outras atividades planejadas e Nilson Dimarzio Pastor, colaborador de OJB

O

realizadas exclusivas para jovens, como retiros, passeios, palestras, práticas esportivas e outras. E os adultos, como ficam? Por ocasião de eleições ou escolha de pessoas para determinados trabalhos especiais só se pensa nos jovens, esquecendo-se dos mais experientes, que poderiam, ao lado dos jovens, dar excelente contribuição visando à eficiência do empreendimento. Entre os idosos em nossas igrejas, geralmente há bons professores da Escola Bíblica Dominical, bons pregadores e músicos, homens e mulheres de Deus que se dedicam à visitação em domicílios e em hospitais, e outros mais entendidos em administração eclesiástica, e aqueles que optam pelo serviço social. Os idosos representam um potencial de inteligência e

conhecimentos conseguidos em anos e anos de estudo e de experiência nas atividades da causa, o que não deve ser descartado como de somenos importância, o que revelaria uma atitude discriminatória, algo que jamais deveria existir entre nós. Ante o exposto, creio que seria de bom alvitre que as igrejas pensassem em ter um pastor dedicado ao ministério com os idosos, com a anuência e apoio do Pastor titular. Sei que isto seria difícil para as igrejas menores, mas, para as de porte médio e para as maiores, este plano é perfeitamente exequível. Convidar um pastor experiente e que se sinta chamado por Deus para trabalhar com os idosos, através de visitação, encontros para orientação, treinamento e estímulo para que eles se mantenham

15

ativos nas diversas áreas em que, pelos dons que possuam, continuem a ser uma bênção nas mãos de Deus. Levando-os à compreenção de que no reino de Deus não há aposentadoria e nem INSS; e que, portanto, eles ainda podem dar frutos para a glória de Deus, conforme este luminoso texto bíblico nos assegura: “Os justos florescerão como a palmeira, crescerão como o cedro do Líbano. Estão plantados na casa do Senhor, florescerão nos átrios do nosso Deus. Na velhice ainda darão frutos, serão viçosos e florescentes, para proclamarem que o Senhor é justo” (Salmo 92. 12-15). Que o Espírito de Deus nos oriente e abençoe na consideração do assunto em tela. Amém!


Jornal Batista - 48  

Veja nesta edição de O Jornal Batista: Barco Pantavida prepara-se para nova viagem missionária. Seu objetivo é alcançar as comunidades rib...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you