Page 31

7º Congresso Nacional do Transporte Ferroviário

Com a evolução para a futura Rede de Alta Velocidade, podemos identificar importantes vantagens, dos pontos de vista económico e operacional, na partilha da infra-estrutura de suporte às comunicações ferroviárias por ambas as redes, Convencional e de Alta Figura 1 - Arquitectura do sistema CP-N Velocidade, sendo este objectivo realizável A arquitectura do sistema CP-N foi concebida através de soluções comuns, quer ao nível das tendo em conta a organização pretendida para o comunicações de Comando de Circulação, que Comando de Circulação. Cada Sector de Comando podem ser efectuadas pela mesma posição de de Circulação tem implementado um sistema operação, quer ao nível do equipamento rádio completo e independente que garante as embarcado, que pelas suas características duais comunicações no respectivo Sector, sendo esse (CP-N/GSM-R) permite implementar a função sistema composto por: distribuidora do TGV em linhas convencionais [1].

2.O ACTUAL SISTEMA DE COMUNICAÇÕES FERROVIÁRIAS O actual sistema de comunicações ferroviárias, designado por CP-N (CP Normalizado), é um sistema analógico que funciona na banda baixa UHF (450 a 470 MHz), sendo utilizado para a comunicação de voz e dados, utilizando para tal o mesmo canal de radiofrequência.

• Posto Regulador (PR) que integra um “Dispatcher” e as interfaces que permitem a operação, comando e supervisão do sistema. O PR é normalmente operado pelo Operador do Comando de Circulação. A evolução do PR e sua integração numa infra-estrutura IP permitiu tornar o “Dispatcher” independente da rede de acesso (CP-N ou GSM-R). • Estações Base (EB) que garantem a cobertura radioeléctrica do Sector de modo a permitir a ligação rádio permanente entre Posto Regulador e Postos Móveis. As EB's estão ligadas ao PR através de pares telefónicos, ou de fibra óptica, através do protocolo IP.

O sistema CP-N tem como principal finalidade o estabelecimento de comunicações entre o Posto Regulador (PR) e os Postos Móveis (PM) embarcados no material circulante que transitam no respectivo Sector de Comando de Circulação. Trata-se, por imperativos das especificações do cliente, de um sistema fortemente centralizado, pois qualquer comunicação de voz, excepto em situações de alarme, só pode ser estabelecida através do Operador do Comando de Circulação.

• Postos de Estação (PE) instalados nas estações da ferrovia, garantindo a comunicação entre o “staff” da estação e o Operador do Comando de Circulação.

O sistema CP-N funciona em “Half Duplex” e no modo de exploração “canal fechado”. Para endereçamentos e identificação dos intervenientes, é usada “chamada selectiva digital”, conforme o standard MPT 1327.

No sentido de permitir a comunicação entre o Operador do Centro de Comando e o Maquinista, o material circulante é equipado com o que designamos de Posto Móvel ou Rádio de Cabine, composto por:

A arquitectura do sistema CP-N é do tipo celular (ver Figura 1), com reutilização de frequências restringido à área de cobertura das linhas da ferrovia.

• Sub-bastidor Emissor / Receptor RC450 que inclui a componente rádio, módulo de alimentação e computador de bordo (ORD2) que disponibiliza interfaces com outros sistemas

>29

Revista FERXXI - 7ºCongresso Nacional - Teses  

Publicação relacionada com sistemas de transporte. Realizada pela ADFER - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Ferroviário. Speciali...

Revista FERXXI - 7ºCongresso Nacional - Teses  

Publicação relacionada com sistemas de transporte. Realizada pela ADFER - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Ferroviário. Speciali...

Profile for adfer
Advertisement