Page 92

Rogério Alves Vieira

Internacional, e que expira na referida data.

CÉU ÚNICO EUROPEU

Destaco, no que respeita à carga a

No que concerne à criação do céu único

constituição de Uma Comissão Conjunta do

europeu importa dizer que o seu objectivo é

Programa Europeu de Carga Aérea, onde

apenas o de optimizar a gestão do tráfego

pela primeira vez, em igualdade de partes,

aéreo satisfazendo todos os utilizadores

estão companhias transportadoras e

civis e militares

do espaço aéreo, bem

Como noutras questões relacionadas com a

agentes, que passarão a ter, em terminologia

comum que deve ser gerido de forma

União Europeia, a tão desejada

internacional, a designação de

colectiva, sem atender a fronteiras.

harmonização ainda não conseguiu

“intermediaries “.

existem exemplos de gestão desse tipo inter-

A criação desta figura teve início em

países, subsiste a dificuldade de definir os blocos funcionais regionais onde as pressões comerciais poderiam entravar a sua aplicação.”

ultrapassar as barreiras que separam os Estados;

De realçar que este Programa, que será

Dezembro de 1999 com a comunicação da

gerido conjuntamente por Companhias de

Comissão ao Conselho e ao Parlamento

importa referir que nos EUA existe apenas

Aviação e “ Intermediaries “ representados

Europeu.

um único centro de controlo de tráfego

pelas várias Associações Nacionais entre as quais está a APAT , prevê ainda a criação de um Provedor para dirimir eventuais litígios, passando a ser a gestão do Programa a cargo da referida Comissão Conjunta, acrescentando ponto final ao papel da Iata, nos moldes de hoje, nesta matéria. Com efeito nos moldes actuais apenas uma das partes as Transportadoras (Iata) detinham direitos e a outra parte ( agentes) apenas deveres, arrogando-se aquela Associação de Transportadores o direito de lançar verdadeiros anátemas sobre os agentes no caso das situações de atrasos de pagamento mesmo que justificado, refiro-me às denominadas declarações de “ default “. Permito-lhes lembrar que o transporte aéreo,

está centralizado numa única

organização de referência (IATA), sendo o acesso ao sistema, por parte dos carregadores/clientes e seus agentes) restrito,

às empresas que apresentem

critérios válidos de solvabilidade, ou que não o demonstrando, prestaram as garantias por aquela exigidas. Acresce ainda o facto da existência de um sistema único de controle de cobrança de fretes o denominado CASS Cargo Accounts Settlement System. Recordo que nas falências relativamente recentes da Sabena, Swissair e TWA, para citar as mais conhecidas, foram os agentes que ficaram a perder uma vez que as companhias não tinham o dever de prestar a mesma garantia perante os seus clientes.

A necessidade da sua criação assenta fundamentalmente nos atrasos que se registam em diversos voos na Europa, resultado de saturação do espaço aéreo e suas infra estruturas, sendo necessária mais

aéreo, o que não será difícil de entender, tratando-se de um único País, mas cujo movimento de tráfego aéreo poderia induzir a necessidade de ser o mesmo dividido ou repartido por diferentes sistemas.

a aplicação de medidas de gestão colectiva do espaço aéreo, do que medidas técnicas

As obrigações de serviço

ou operacionais comuns.

público

O congestionamento do tráfego aéreo daqui

O acesso dos serviços aéreos regulares e

derivado é um dos aspectos mais evidentes

não regulares ás rotas dentro da

da necessidade destas acções.

Comunidade está vertido no Regulamento (

Estes trabalhos decorrem no âmbito do

CEE) nº 2408/92 do Conselho, de 23 de

EUROCONTROL, que agrupa actualmente

Julho de 1992 , onde no artº 4º, se prevê, a

32 Estados, mas tem conhecido muitos

possibilidade de imposição de uma

recuos não se excluindo a eventualidade dos

obrigação de serviço público, no que se

Estados não pretenderem avançar com este

refere aos serviços aéreos regulares para

esforço de organização.

um aeroporto que sirva uma região periférica

O impacto a nível nacional, da criação deste

ou em desenvolvimento.

instituto, será sobretudo junto da Empresa

A legislação nacional sobre esta questão -

que hoje assegura a navegação e segurança

DL 138/99, de 23 de Abril, regula as

aéreas a NAV, que poderia vir a perder uma

obrigações de serviço público e as ajudas de

fatia importante das funções actuais

de

Estado aplicadas e prestadas no âmbito dos

controlo que detém, o que implicaria uma

serviços aéreos regulares entre o

considerável perda de receitas, para além

Continente e as Regiões Autónomas da

doutros factores subjectivos de algum modo

Madeira e dos Açores, entre estas , no

relacionados com questões de soberania.

interior de cada região Autónoma, ou para

Aliás no Parecer do Comité Económico e Social sobre a Proposta de Regulamento do Parlamento Europeu e do Conselho que estabelece o quadro para a criação do céu

qualquer outra região periférica ou em desenvolvimento do território nacional, através de

mecanismos de subsídio /

compensações.

único europeu ( publicado noJOL de

Estas rotas serão atribuídas em regime de

7/10/2002 é bem sintomática esta questão

concessão precedida de concurso público a

,cito “ se bem que o Comité Económico e

que podem concorrer todas as

Social reconheça que a gestão comum do

transportadoras aéreas titulares de uma

espaço aéreo dentro de fronteiras não

licença de exploração válida, emitida nos

nacionais não pressupõe soberania, pois já

termos do Regulamento (CEE) nº 2407/92,

83 5º Congresso Nacional: O Transporte de Mercadorias Liberalízação e Logistica

Revista FERXXI - 5º Congresso Nacional - Teses  

Publicação relacionada com sistemas de transporte. Realizada pela ADFER - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Ferroviário. Speciali...

Revista FERXXI - 5º Congresso Nacional - Teses  

Publicação relacionada com sistemas de transporte. Realizada pela ADFER - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Ferroviário. Speciali...

Profile for adfer
Advertisement