Page 107

Dr. Antonio Marques

sempre centrais e não periféricas em relação

Desde a experiência, aliás bem sucedida, de

Estado assumir uma política que garanta

à aglomeração que servem, a construção de

Karlsruhe em 1992, que dezenas de cidades

uma visão integrada e coerente

“by-pass” permite que os comboios directos

estudam e implantam sistemas aptos a

imprescindível para que as empresas criem

de passageiros sirvam estes aglomerados

circular numa via de inserção urbana e

riqueza.

sem penetrarem no tecido urbano. Este

simultaneamente na rede ferroviária

Mas, a existência de várias entidades

sistema tem de ser aplicado de forma

reduzindo transbordos, melhorando tempos

( a u t o r i d a d e s ) p ú b l i c a s n o s e c t o r,

sistemática na futura rede portuguesa de alta

de percurso e reduzindo custos de

dependentes de tutelas diferentes, a actuar

velocidade, designadamente em Braga,

construção.

de forma autónoma e sem coordenação, dá

A necessidade de uma política

origem a manchas de sobreposição de

Aveiro, Viseu, Coimbra, Leiria e Évora. Os transportes têm que ser objecto da definição de uma política e da concepção de

nacional

competências de origem diversa, ou a campos onde não existem competências o

uma organização que se apoie numa visão

As empresas portuguesas têm de aumentar

que leva à inoperância dos seus poderes e

integrada e intermodal. Mais do que qualquer

a produtividade através do aumento do

descrédito na Autoridade de que as

outro sector, os transportes, carecem de uma

conteúdo tecnológico dos seus produtos e da

entidades públicas devem estar investidas.

perspectiva de muito longo prazo.

sofisticação dos seus serviços e para isso

A linha de Alta Velocidade projectada é complementar das ligações ferroviárias suburbanas ao Porto, desde Braga, Guimarães, Marco de Canavezes e Aveiro. Ta m b é m

n u m a

ó p t i c a

d e

complementaridade é urgente pensar na ligação desde Barcelos a Guimarães, passando por Braga.

necessitam, crescentemente, também de uma política para o transporte de mercadorias e para a logística. Há que garantir a construção de uma malha articulada de acessibilidades baseada nos principais modos de transporte (rodoviária, marítima, ferroviária e aérea). Em Portugal, país periférico, compete ao

Para superar estes constrangimentos temos de poder contar com uma Secretaria de Estado só para a logística e o transporte.

Revista FERXXI - 5º Congresso Nacional - Teses  

Publicação relacionada com sistemas de transporte. Realizada pela ADFER - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Ferroviário. Speciali...

Revista FERXXI - 5º Congresso Nacional - Teses  

Publicação relacionada com sistemas de transporte. Realizada pela ADFER - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Ferroviário. Speciali...

Profile for adfer
Advertisement