Page 1

www.actualsintra.com

Director: Bruno Maia

Sexta-feira, 13 de Setembro de 2013

ANO VI | Nº 155 | Distribuição Gratuita AS

O que eles pensam para Sintra? Marco Almeida, Basílio Horta, Luís Fazenda, Pedro Pinto e Pedro Ventura são os últimos candidatos à Câmara Municipal entrevistados Páginas 6, 7 e 10 pelo Actual Sintra antes das eleições do dia 29 de Setembro. Homenagem a militares mortos no incêndio de 1966

Em Queluz AS

CMS

Página 3

Página 5

25 vidas recordadas na Serra Feira Setecentista até Domingo PUB


2

Abertura

Sexta-feira13deSetembro2013

(*) António Gouveia antonio.gouveia@actualsintra.com

Por Bruno Maia(*)

Ciclo de entrevistas chega ao fim No último Actual Sintra apresentámos as principais ideias e propostas defendidas por 5 dos 10 candidatos à Câmara Municipal de Sintra, ciclo que encerramos nesta edição, e cuja publicação foi apresentada na ordem cronológica da sua realização. Nestas entrevistas procuramos resumir de forma assertiva as conversas mantidas com todos aqueles que, no próximo dia 29 de Setembro, se apresentarão a votos numas eleições autárquicas que apresentam um número invulgar de candidaturas. Na prática, são 10 programas distintos apresentados aos eleitores, cujos principais traços e diferenças pretendemos dar a conhecer aos sintrenses, convictos que, dentro da nossa missão enquanto órgão de informação, poderemos contribuir para o pluralismo democrático no concelho e para uma escolha mais fundamentada e consciente de cada um. A pouco mais de 15 dias da data de todas as decisões quanto ao futuro do concelho, as campanhas eleitorais prosseguem, cada vez mais intensas, as sondagens vão sendo divulgadas, e o tempo para os indecisos, que todos procuram convencer, também se vai esgotando. Uma nota parece ser comum a todos os que estão nesta corrida: que a abstenção não se torne a grande vencedora das autárquicas 2013.

(*) Director do Actual Sintra

In memoriam Contrariando o adágio popular, mais vale prevenir que remediar, o Estado português, de acordo com Domingos Xavier Viegas, coordenador do Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais, continua, ano após ano, a devolver a Bruxelas milhões de euros que não são investidos na prevenção ao combate aos incêndios florestais, o que corrobora o relatório publicado, em março de 2012, pela Nações Unidas sobre o estado das florestas no Mediterrâneo e nos coloca como o país com o pior desempenho em matéria de prevenção entre os países do Sul da Europa, uma vez que continuamos a gastar cerca de 4 vezes mais em combate aos fogos florestais do que na sua prevenção, num país onde a larga maioria da floresta, 92%, é privada, cerca de 6% pertence às autarquias e comunidades lo-

cais e apenas 2% é propriedade do Estado. Ironicamente a Constituição da República Portuguesa refere, na alínea e) do seu artigo 9.º, que uma das tarefas fundamentais do Estado é defender a natureza e o ambiente, preservar os recursos naturais e assegurar um correto ordenamento do território. Ferida, no incumprimento, por inércia, ou inépcia, daqueles que com responsabilidades sobre o território a tardam em cumprir, temos ano após ano, uma desertificação florestal e um país que chora as mortes daqueles que, ao soar da sirene, a escutam pela última vez. Os bombeiros sapadores, ou voluntários, não merecem, nem a desterritorialização florestal que encontram quando as chamas os chamam, nem as ações de quem pode, deve, mas não tem tido a coragem suficien-

FICHA TÉCNICA DIRECTOR: Bruno Maia (bruno.maia.@actualsintra. com) SECRETARIADO: Fabíola Inácio DEPARTAMENTO COMERCIAL: Mário Magro (mario. magro@actualsintra.com) e Helena Martins (helena. martins@actualsintra.com) COLABORADORES: António Gouveia, Cátia Tavares, Cristóvam Augusto, Desidério Zeffir, Domingos Elias, Francisco de Queiroz (francisco.queiroz.actualsintra@ gmail.com), Hugo Miguel (hugo.miguel. actualsintra@gmail.com), João Pereira (joao.pereira. actualsintra@gmail.com), Luís Geirinhas, Nuno Cruz (nuno.cruz.actualsintra@gmail.com), Sam Cavalcanti e Sandra Cruz DIRECÇÃO DE ARTES E PAGINAÇÃO: Fabiano Rodrigues EDIÇÃO ON-LINE E INFORMÁTICA: Magnólia Pontes PUBLICIDADE: comercial@actualsintra.com ADMINISTRAÇÃO: António Maia (antonio.maia@actualsintra.com) DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE: Sérgio

Folgado IMPRESSÃO: GRAFEDISPORT - Impressão e Artes Gráficas, SA TIRAGEM MÉDIA MENSAL: 30.000 exemplares PROPRIEDADE: Centrais a Cores - Publicações Periódicas e Artes Gráficas, Lda. Registo: ICS- 125276 NIPC – 508290600 Inscrito na CRC Castelo Branco. Capital Social: 5.000€ Depósito Legal: 265617/07 REDACÇÃO E PUBLICIDADE: Avenida do Brasil, nº 27, Loja C 2735-668 São Marcos Telefone: 309 973 189 Fax: 309 973 190 E-mail: geral@actualsintra.com comercial@actualsintra.com

te para colocar, acima dos vários interesses instalados e por inúmeras vezes noticiados, maioritariamente de cariz económico, uma voz de comando que ecoe, por caminhos abertos nas florestas, as chamadas faixas de rede primária com cerca de 125 metros de largura onde a vegetação desbastada permita facilitar a circulação a todos aqueles que estoicamente combatem os fogos florestais. Uma voz de comando que possibilite a visão, por estes homens e mulheres, de meios aéreos adquiridos e não alugados. Uma voz de comando que encare a moldura penal a aplicar aos incendiários, como um retrato de fraca qualidade, apoie com mais meios todas as corporações de bombeiros, a nível nacional, e interiorize que, num Estado de direito, não temos o direito de pedir a estes homens e as estas mulheres que sacrifiquem as suas vidas, correndo, nos riscos de uma profissão, ou na nobreza do voluntariado, o risco de não mais ouvirem as sirenes que os colocam em sentido e com o imediato sentido do cumprimento de um dever para com o seu país. Na injustiça destas não ações, as lágrimas derramadas pela morte destes heróis nacionais, nunca serão suficientes para apagar o fogo da revolta, nem calar a dor a todos aqueles que sofreram a perda de um familiar, de um amigo, de um conhecido ou de alguém que admiram. E a todos os homens e mulheres que ao longo dos tempos têm, através das suas ações, contribuído para salvar bens materiais ou vidas humanas, o silêncio não pode, adagicamente, ser de ouro, porque, apesar da coragem, não reluz a todos aqueles que diariamente a abraçam.

(*) Professor do Ensino Secundário

Sam Cavalcanti(*) sccpianoviola@yahoo.com.br

Fortepiano va lontano... Um piano, uma intérprete de fibra, nove compositores, um bom presente. Assim é o álbum Piano Presente, recém-lançado pelo selo Sesc, da pianista brasileira Joana Holanda. Há uma κίνησις – quinesis, uma espécie de movimento – que perpassa todas as obras: a exploração das ressonâncias, nos limites do instrumento. O potencial expressivo do Pianoforte, desde sua invenção nos idos iniciais do século XVIII, pelo italiano Bartolomeo Cristofori di Francesco, tem a cada era, se revestido de signos e ampliações físicas quanto ao som e suas propriedades de projeção. A sonoridade como estética, o

som que emerge deste instrumento é uma espécie de máxima nas obras interpretadas neste disco. A primeira faixa é Contrastes de Marisa Rezende em cujo título a mimese se instaura facilmente à escuta: quatro notas – dó, ré bemol, si bemol e fá – perfazem uma aura nostálgica, uma espécie de lembrança que conduz a obra e a partir da qual se denota contrapontos afetivos com ataques diversos e outras ‘cores’ até rarefazer-se em sonoridade etérea retomando a clareza pela qual começou. Joana é sensível e extrai do instrumento tipos e nuances de ressonância em cada peça, mantendo-se compe-

tentemente fiel às ideias e aos textos. Mas o contexto mesmo é único, pura imanência tímbrica, puro ressoar de harmonias veladas ou superpostas. O Estudo II de Marcílio Onofre, igualmente repleto de oposições sonoras, é bruto e viril, mas com acordes alla Messiaen e ‘campanas’ que ressoam de quando em vez; entrecortados escalares, polirrítmicos, que se dissolvem em suave brisa de pontilhados sons; grandiloquência discursiva. O ponto alto, umas das obras que leva a criação de Cristofori mais ao longe neste álbum é certamente Instantânea de Bruno Ruviaro que desmantela qual-

quer percepção do instrumento enquanto ‘confessor’ romântico. Há na segunda parte desta peça uma espécie de honky-tonk mergulhado em eco, em espectros sonoros; uma peça que nos faz pensar o próprio conceito do que vem a ser ‘pianístico’. Em suma: uma intérprete que se revela atenta ao seu tempo e que segue a árdua tradição do pianismo, não mais lisztiano ou debussyano, ou sequer geograficamente reconhecível; um instrumento transversal ao próprio tempo, posto que ‘ateliê’ de som. (*) Mestre em Música


Destaque

Sexta-feira13deSetembro2013

Nossa Sra. da Natividade

Freguesia de Algueirão Mem Martins em festa

Homenagem

Militares mortos em incêndio relembrados 47 anos depois

AS

A

R

ealizaram-se, nos dias passados dias 6, 7 e 8 de Setembro, as festas em honra de Nossa Senhora da Natividade, na freguesia de Algueirão Mem Martins. A abertura dos festejos teve início no dia 6 às 19h00, com o desfile da Fanfarra dos Bombeiros desta freguesia, seguindo-se depois a visita aos diversos stands presentes no recinto das festas. A partir das 21h30 seguiu-se o espectáculo dos GNR, uma banda que dispensa apresentações e que fez o delírio dos presentes, terminando a noite com um baile nas instalações Mem Martins Sport Clube. Dia 7 de Setembro, teve início às 15h00 o XXVIII Festival Nacional de Folclore, decorrendo em simultâneo, e até às 19h00, a Festa da Criança. Às 21h00, foi a vez do cantor Pedro Ramos actuar para os presentes e às 22:30 a cantora Ruth Marlene prosseguiu esta noite musical, que terminou mais uma vez com um baile no Mem Martins Sport Club. O encerramento das festas em honra de Nossa Senhora da Natividade teve o seu ponto alto às 15h00, com a celebração da missa campal presidida pelo pároco da freguesia, seguida de uma procissão que teve como tradicionalmente acontece a venda de fugaças. Às 18h00 seguiu-se uma matiné dançante com oferta de um lanche no Mem Martins Sport Club. Às 21h30 foi a vez dos Alph Band actuarem, e assim se encerraram as festas em honra de Nossa Senhora da Natividade 2013.

3

A cerimónia de homenagem aos 25 militares do Regimento de Artilharia Antiaérea Fixa de Queluz decorreu no último sábado, dia 7 de Setembro, precisamente 47 anos depois de terem falecido no combate a um incêndio de grandes dimensões que deflagrou na Serra de Sintra.

homenagem começou com uma missa na Capela do Regimento de Artilharia Antiaérea nº 1 (RAAA1) em Queluz, onde estiveram presentes vários representantes do Exército e dos Bombeiros, de diversas corporações, entidades oficiais civis e familiares das 25 vítimas. Depois da cerimónia religiosa, a homenagem continuou no Pico do Monge, em plena Serra de Sintra, com honras militares, onde marcou presença um forte contingente quer de militares quer de bombeiros. Para além do silêncio que se fez para recordar as vítimas, o Oficial Capelão fez ainda um comunicado e uma oração e foram recordados os nomes dos 25 “bravos” que perderam a vida a proteger a floresta que a todos pertence. Na ocasião foram ainda depositadas coroas de flores no monumento evocativo deste trágico incidente. Para finalizar, teve lugar uma romagem ao local onde foram encontrados os corpos dos militares e onde estão plantados 25 ciprestes, um por cada um dos militares falecidos, aproveitando os familiares para colocar um ramo de flores junto de cada uma das árvores. Uma manhã vivida com muita emo-

AS

Volvidos 47 anos, a cerimónia de homenagem voltou a ser um dia de grande emoção para todos os presentes ção, especialmente pelos familiares dos falecidos que tiveram assim a oportunida-

de de, 47 anos depois, voltar a relembrar o terrível dia 7 de Setembro de 1966.

Apresentação no dia 7 de Setembro

Primaverarte sob o lema “reciclar e incluir” O

Parque da Liberdade, em Sintra, foi palco, no passado dia 7 de Setembro, pelas 11h00, do lançamento do projecto PrimaverArte, dinamizado pelo CECD Mira Sintra em parceria com a Câmara Municipal de Sintra -Divisão de Educação/ Centro Lúdico das Lopas, sob o tema ” Reciclar e Incluir”. O principal objectivo do PrimaverArte, que decorre até 3 de Dezembro, é o de fomentar a inclusão de pessoas com deficiência na sociedade, através da interacção

com outros jovens da comunidade, promovendo a igualdade de direitos e participação activa da pessoa com deficiência na sociedade.

Coloca o foco da sua acção na capacidade criativa das pessoas com deficiência, potenciando o seu contributo à comunidade, em parceria com outros públicos. O projecto alia a reciclagem e a pintura, com a utilização de troncos e madeiras resultantes da queda de arvores na serra de Sintra, cedidos pela Parques de Sintra – Monte da Lua.


DR

4

Local

Sexta-feira13deSetembro2013

No dia 6 de Setembro

Marco Almeida no IEFP e CFP de Sintra Marco Almeida, candidato independente à presidência da Câmara de Sintra reuniu, no dia 6 de Setembro, com a direcção do Instituto de Emprego e Formação Profissional de Sintra (IEFP), para se inteirar mais em promenor da situação do desemprego no concelho. No mesmo dia, decorreu ainda uma visita às instalações do Centro de Formação Profissional (CFP).

N

o final desta visita, Marco Almeida apresentou algumas das medidas do seu programa para as áreas da empregabilidade e desenvolvimento económico do concelho. O candidato deu a conhecer a sua preocupação na formação dos desempregados, capaz de um retorno a vida activa, formação nas áreas de interesse para o concelho, de criar as condições junto do Ministério da Educação, da Associação Empresarial de Sintra e da Sociedade Civil, numa conjugação de esforços, por forma a dinamizar sectores como turismo, património e agricultura. Reconhece que “esta ambição não é um trabalho para 4 anos mas sim para 12 anos”. O actual vice-presidente do município diz pretender “atrair empresas com dinâmicas instaladas em outros concelhos” e, ao mesmo tempo, manter e potenciar aquelas que já estão implantadas. As propostas avançadas incluem medidas de protecção

AS

Marco Almeida deixou patente a preocupação com os índices de desemprego em Sintra para as empresas, que podem passar por benefícios no pagamento de impostos como o IMI e Derrama ou na factura da água, entre outras. A ideia é gerar riqueza, emprego e

“não criar obstáculos a quem queira investir no concelho”, salientou o candidato pelo Movimento “Sintrenses com Marco Almeida”.

Este domingo

PS junta empresários em Sintra Pedro Pinto DR

junta-se à festa do “Há Sintra na Linha” O

O

José Faustino lança candidatura

AS

A apres e nt a ç ã o do candidato da coligação “Sintra Pode Mais” à União das Freguesias do Cacém e São Marcos, José Faustino, teve lugar no dia 5 de Setembro, na Escola EB1 do Cacém. Estiveram nesta cerimónia, o candidato a presidente da Câmara Pedro Pinto, presidentes das juntas de freguesia de São Marcos, Agualva, Mira Sintra, Rio de Mouro e muitos apoiantes. Depois de feita a sua apresentação, e de traçar as linhas com que se propõe dinamizar a freguesia nos próximos quatro anos, seguiu-se um jantar de confraternização com todos os presentes.

Victor Amaro apresenta-se em São Marcos

AS

No Centro Cultural Olga Cadaval

Partido Socialista organizou, no dia 6 de Setembro, um debate que juntou alguns dos principais empresários e investidores nacionais e sintrenses, numa iniciativa de apoio à candidatura de Basílio Horta à Câmara de Sintra. A acção decorreu no Auditório Acácio Barreiros, no Centro Cultural Olga Cadaval. Este debate, “Sintra, compromisso para o crescimento e o emprego” juntou nomes como Jorge Coelho, António Mega Ferreira, Carlos Martins, Carlos Monjardino, Carlos Santos Ferreira, João Tallone, Jorge Rebelo de Almeida, Mário Assis Ferreira, Murteira Nabo, e Ricardo Baião

Rápidas

Horta. Participaram também Capoulas Santos, ex-ministro da Agricultura e actual deputado europeu, Correia de Campos, ex-ministro da Saúde e actual deputado europeu e Maria de Belém, ex-ministra da Saúde e da Igualdade e actual deputada e presidente do PS, bem como comerciantes e representantes das principais forças vivas do concelho de Sintra. De acordo com o PS, o encontro serviu para “para discutir ideias e soluções para atrair investimento para o concelho de Sintra, bem como a criação de emprego como única forma de garantir políticas sociais eficazes”.

Candidato da Coligação “Sintra Pode Mais” (PSD, CDS-PP e MPT), Pedro Pinto, junta-se este domingo, dia 15, à festa organizada pelo Movimento “Há Sintra na Linha”, que contará com as actuações de Luís Represas e Olavo Bilac. A festa começará pelas 12h00, na Av. Dr. Miguel Freire da Cruz, no Cacém, com gastronomia, insufláveis, farturas e algodão doce. Haverão concertos com Luís Represas, Olavo Bilac, Dani Silva e Don Kikas. E também espectáculos de dança com grupos do Concelho. O animador da tarde será o Nenuco. O “Há Sintra na Linha” é um movimento social independente que agrega pessoas de diferentes etnias moradoras na linha de Sintra para promover os direitos cívicos e sociais de todos os cidadãos portugueses. “O Movimento apoia o candidato da Coligação “Sintra Pode Mais” à Câmara de Sintra e Pedro Pinto faz questão de estar presente nesta festa”, disse a candidatura.

Realizou-se no dia 8 de Setembro, no Centro Comercial de São Marcos, a apresentação da equipa que acompanha Victor Amaro à liderança da União das Freguesias do Cacém e São Marcos. Estiveram presentes os candidatos a presidente da Câmara, Marco Almeida, e a presidente da Assembleia Municipal, António Capucho, e outros candidatos pelas listas do movimento “ Sintrenses com Marco Almeida” às freguesias de Casal de Cambra, União das Freguesias de Agulava e Mira Sintra, União das Freguesias de São Martinho, Stª Maria e S. Miguel e São Pedro de Penaferrim e Freguesia de Algueirão -Mem Martins.

Luís Fazenda visitou Neolux

O candidato a presidente da Câmara pelo BE, Luís Fazenda, esteve esta terça-feira na Neolux, “em solidariedade com trabalhadores e trabalhadoras em greve pela manutenção dos seus postos de trabalho e dos seus direitos”, disse o BE. O candidato comprometeu-se com um pedido de esclarecimentos ao governo e recordou que a “Marca Sintra não pode ser só turismo, tem de significar dignidade no trabalho” e que para tal é preciso “outra atitude por parte da autarquia, para que a Sintra bonita seja uma Sintra com direitos”. Em causa poderá estar a manutenção de mais de 50 postos de trabalho, nesta empresa.


Local

Sexta-feira13deSetembro2013 PUB

Queluz

Feira Setecentista decorre até domingo O Largo do Palácio Nacional de Queluz acolhe, de hoje a domingo, a Feira Setecentista de Queluz. Inserida na marca Sintra Capital do Romantismo, esta recriação histórica apresenta uma animação permanente, onde artífices, artesãos, mercadores e outros comerciantes nacionais e estrangeiros recriam ofícios antigos, muitos deles em risco de desaparecer. A entrada é livre. DR

A

Feira Setecentista de Queluz constitui uma excelente oportunidade de viajar à época setecentista, período de apogeu do Palácio Nacional de Queluz. O palácio de Queluz é, sem dúvida, o lugar mais emblemático da corte portuguesa da segunda metade do séc. XVIII, principalmente a época que corresponde ao reinado de D. Maria I. Inicialmente construído como casa de veraneio, veio a tornar-se residência oficial da corte portuguesa após o incêndio na Real Barraca da Ajuda em 1794. Durante este reinado foram inúmeras as festas que ocorreram em Queluz cujos relatos chegaram até aos nossos dias, principalmente os festejos por alturas dos aniversários da casa real ou dos santos da devoção dos monarcas.

A população de Queluz aumentava consideravelmente por estas ocasiões. Aos residentes juntavam-se cocheiros, palafreneiros, criadas e lacaios, clérigos, moços de fretes e demais servidores. Estes, sem entrada no palácio, faziam a festa à medida das suas possibilidades no terreiro em frente. Enquanto no interior do paço, dançavam-se minuetes, gavotes e alemandes, comiam-se autênticos jantares pantagruélicos, entre variadíssimos jogos e brincadeiras acompanhadas pelo som de violinos, cá fora, o povo acendia fogueiras, dançava ao som de gaitas, de castanholas e de uma ou outra guitarra. É esse o ambiente que irá reviver-se em mais uma iniciativa Sintra, Capital do Romantismo. PUB

5


6

Entrevista

Sexta-feira13deSetembro2013

Coligação “Sintra Pode Mais”

Pedro Pinto aposta no crescimento económico O

candidato pela Coligação “Sintra Pode Mais”, Pedro Pinto, evidenciou ao Actual Sintra a confiança relativamente às autárquicas de 29 de Setembro. “Estou absolutamente convencido que vou ganhar as eleições, até pelo que indicam todas as sondagens. Apontam claramente para um crescimento da candidatura”, sublinhou. Pedro Pinto destacou “o grande trabalho” realizado por Fernando Seara no município, realçando que este “tomou decisões de estancar o crescimento urbanístico desordenado em Sintra, que vinha de Edite Estrela, a anterior presidente de Câmara do Partido Socialista”, bem como a “protecção que foi dada à capital mundial que é Sintra, uma zona fundamental para o nosso desenvolvimento porque nos diferencia de todas as regiões do país e do mundo que connosco concorrem”. Além disso,“resolveu problemas na área rodoviária, vimos o alargamento do IC19, a A16”. Ainda assim, considera que “ficam sempre coisas por fazer”. O candidato explicou ainda que se propõe “candidatar a Sintra por 8 anos”, tendo como “preocupação fundamental os desempregados”. Depois,“a parte que diz respeito às pessoas mais novas”, e,“claramente, as pessoas mais idosas”, prosseguiu. Outras propostas envol-

AS

“Sintra deve ser governada por pessoas que tenham preparação à dimensão do município” vem questões como a segurança, enfatizando os problemas existentes no concelho. “Por isso, transformei a segurança numa questão fundamental. Videovigilância nas escolas, nas passagens pedonais, na saída dos comboios”. As propostas, prossegue, têm a ver “com a segurança das pessoas mas também com o investimento: os investidores quando querem

investir em qualquer município têm que ter 3 condições básicas: uma tem a ver com a segurança, se é uma zona segura para instalar a sua empresa; outra, se têm condições de saúde e outra, condições na área da fiscalidade”. É neste sentido também, adianta, que “surgem as propostas da mudança do Centro de Saúde do Algueirão Mem Martins para a fábrica

da Messa e no caso de Queluz, para a EB nº 2”, dado ser necessária “uma rede de Centros de Saúde de excelência no concelho, porque tenho hospitais a uma certa distância”. Nesta matéria, Pedro Pinto diz não perceber “como é que o segundo maior município do país não tem um hospital”, uma valência que não promete mas pela qual “vai lutar”. Com vista ao objectivo primordial do crescimento económico, o candidato falou ainda nas propostas da Feira Popular, da transformação da Base Aérea nº 1 num aeroporto capaz de receber vôos «low cost» e no aumento da resposta hoteleira. “Se a riqueza não se criar aqui, é evidente que não pode ser distribuída”, frisou.“E por isso é que o turismo é uma valência fundamental para Sintra”. Pedro Pinto destacou ainda que se abre “um novo período que tem que ter um modelo de desenvolvimento substancialmente diferente do que havia dantes. Até aqui estivemos na fase das infraestruturas básicas, das linhas de caminho-de-ferro, das estradas, do saneamento…e aqui ainda há limitações”, disse. “Para governar Sintra, isto não pode ser para aprendizes de feiticeiro, tem que ser claramente feito por pessoas que tenham uma preparação à dimensão do próprio município”, finalizou.

Candidato pela CDU

Pedro Ventura assume “candidatura de ruptura” O

candidato da CDU à presidência da Câmara de Sintra, Pedro Ventura, diz pretender uma “candidatura de ruptura”. A definição, diz, parte da “avaliação muito concreta do que foram os 12 anos de governação do PSD e da década, praticamente, do PS no concelho. Sintra, pelas decisões políticas, tomadas teve um rumo que não é o necessário”, salientou. Neste sentido, sublinha que o programa apresentado “procura conduzir o concelho no que consideramos fundamental, o desenvolvimento económico”, considerando que “é necessário uma Câmara Municipal mais activa, que consiga dar resposta aos verdadeiros problemas sociais e económicos do concelho”. Para alcançar os objectivo traçados, Pedro Ventura defende ser “necessário encetar um processo de agilização do licenciamento das actividades económicas”, além de “explorar potenciais que existem no concelho”, e “dar um maior apoio a um gabinete que já existe, o Gabinete de Apoio à Inovação e Empresas”, devendo a autarquia ter “um peso muito mais activo no tecido industrial”. Neste domínio, o vereador destaca ainda que “o esforço que a Câmara de Sintra tem feito nos últimos anos para a recuperação dos

AS

“Sintra teve um rumo que não é o necessário”, disse Pedro Ventura mercados municipais deve continuar”, defendendo que “o seu papel da não deve apenas ser procurar os grandes investimentos”, mas também “manter as actividades económicas que existem no concelho, manter o nosso comércio e levar à sua revitalização”. Mas outras áreas merecem igualmente a atenção da CDU. “Continuamos a achar que

propostas nossas apresentadas a 10, 12 anos atrás continuam a ter actualidade”, frisa o candidato, que lembra que esta foi “a primeira força política a defender que a Base Aérea nº 1 de Sintra fosse o motor do desenvolvimento económico, que mantivesse a valência militar, mas também tivesse uma valência económica, ligada aos voos charters”. Pedro

Ventura assumiu ainda a intenção de promover uma reforma no plano do urbanismo, “para dar resposta àquilo que são os problemas actuais”, devendo “levar a uma revitalização das áreas industriais” e “dar resposta à legalização dos Bairros de Génese Ilegal”. No turismo, a CDU quer apostar na vertente dos negócios, além de entender como necessária a “colocação de zonas de empreendimentos hoteleiros na orla do centro histórico”, bem como apostar em outras duas áreas distintas: “a orla costeira, que não está minimamente aproveitada” e o “eixo Queluz-Belas”, pelo seu potencial. Pedro Ventura garante que a “CDU entende que tem condições para fazer uma reorganização da estrutura camarária” e “continuar o saneamento financeiro”, mas lembra “que este é um processo duro, que vai durar muitos anos. E não adianta prometer tudo”. Quem o faz, garante, “não irá realizar promessa alguma”. De acordo com o candidato, “a governação da Coligação Mais Sintra, que termina em 2013, deixa de ter fogo para os novos desafios. É altura dos sintrenses votarem na CDU porque é a altura certa para romper um ciclo de decadência”.


Entrevista

Sexta-feira13deSetembro2013

7

Marco Almeida

“Quero propor uma candidatura para 12 anos” O

actual vice-presidente da Câmara de Sintra, Marco Almeida apresentou a sua candidatura no dia 1 de Dezembro do ano passado. “Em poucos meses já fizemos um longo caminho”, salienta o autarca, que destaca “a enorme adesão contínua de pessoas que se associaram a essa decisão”. Além de presidentes de Juntas de Freguesia, de vereadores, o candidato diz que “o que mais impressionou foi a adesão de gente anónima”, além “de muitos empresários, de pequena média ou grande dimensão”. Assumindo-se “comprometido a gestão municipal ao longo dos últimos 12 anos”, Marco Almeida sublinha que, nas áreas sob a sua tutela, nomeadamente “na acção social e na educação”, há um “reconhecimento público“ e que “as pessoas valorizam o trabalho da Câmara.“É precisamente o facto de ter acumulado essa experiência que me levam a encabeçar uma lista à Câmara Municipal, mas que ambiciona novos caminhos para o concelho de Sintra” O que quero propor aos Sintrenses é que validem uma candidatura para os próximos 12 anos”, destaca. Uma das principais propostas apresentadas pela candidatura é precisamente na área social.“Vivemos uma profunda crise económica traduzida numa gravíssima situação social que as famílias sentem. A nossa prioridade é a constituição do que designei como a criação de

AS

Marco Almeida diz que “os sintrenses podem fazer história”, ao conceder-lhe a vitória um Estado social local onde estejam previstas um conjunto de medidas que salvaguardem as famílias”, traduzidas em acções nas áreas do emprego, da educação e da saúde, além da proposta de redução na factura da água. Para alcançar os objectivos traçados, o candidato lembra que a autarquia tem, “através de uma estrutura que lhe pertence, os SMAS, uma

folga orçamental de 15 a 19 milhões de Euros”. Frisando que estas medidas “não devem ser permanentes”, garante que “podem ter cobertura orçamental” e que “tudo é uma questão de opção. O orçamento municipal, fruto de uma boa gestão na área financeira pelos executivos anteriores, tem margem para se poder investir mais na protecção social”, assegura.

Depois da ruptura com o seu partido de origem, o PSD e ter avançado como independente, Marco Almeida diz perceber que “pretendam diminuir esta candidatura com o argumento que não é uma candidatura independente” mas lembra que “dos 441 candidatos apresentados no âmbito das 13 listas, só 38% têm filiação partidária”.“Este movimento traz para a participação pública dezenas de pessoas que se revêm nos objectivos do movimento e das pessoas que o encabeçam. Damos um contributo para que o concelho ganhe mais pessoas no âmbito da participação pública, aquilo que os partidos nunca conseguiram fazer”, enfatizando que “os sintrenses podem fazer história a nível nacional”. “Dando-nos a vitória, podem passar uma mensagem clara ao país de que é possível criar oportunidades de bom governo local através de movimentos de cidadania”, destaca. Perante umas eleições com dez listas concorrentes, Marco Almeida diz que vê todos os candidatos “com enorme satisfação, principalmente os que aqui trabalham, que aqui residem, com maior identidade no concelho”, mas critica “a candidatura dos deputados que são candidatos e que quer o PS, quer o PSD para aqui trouxeram. São candidatos profissionais que vêm aqui fazer o frete aos partidos mas não com o interesse de servir os sintrenses”.

Luís Fazenda, candidato pelo BE

“Não nos faltam causas onde fazer a diferença” O

candidato pelo Bloco de Esquerda à Câmara Municipal de Sintra, Luís Fazenda disse que o objectivo da sua corrida ao município é “passar a mensagem e encontrar uma fixação de um voto diferente, que vire à esquerda”. Para Fazenda, tem havido uma “ausência de uma prioridade social clara na gestão municipal. Isso vê-se na carência de apoios a nível de ajuda domiciliária dos mais idosos e dos mais vulneráveis, deficiência de equipamentos para as crianças e jovens, nos apoios aos que estão a perder as suas habitações”. Neste sentido, sublinha que “estas prioridades não têm estado em cima da mesa na gestão municipal e é forçoso que isso aconteça porque o concelho tem um elevado índice de desemprego e de pobreza”. “Sintra não pode ser apenas uma marca, tem que ser sobretudo a impressão digital de uma política de solidariedade. Essa é a principal razão da candidatura do Bloco de Esquerda”, explica. Além da prioridade que define, explica outras metas importantes: “tentar um urbanismo verde, que existam equipamentos culturais ou o desenvolvimento do associativismo”, realçando que “não nos faltam causas onde podemos fazer a diferença”. Luís Fazenda foi ainda crítico relativa-

AS

O candidato do BE defende o fim da “política de megalomania” em Sintra mente à acção do actual executivo, dizendo que “a gestão está estagnada”, e que “não tem havido nem inovação nem capacidade de resolver problemas essenciais”. Além disso, sublinha que “presidentes e candidatos não podem continuar a política de megalomania, promessas de grandes investimentos e pro-

jectos e depois não resolvem coisas simplicíssimas no concelho, como animar o tecido das pequenas e médias empresas, por exemplos. Temos que por os pés na terra e encontrar caminhos de dinamização económica”. Tendo em conta o trabalho desenvolvido no município, no âmbito desta candidatura,

Luís Fazenda acredita que “há possibilidades tangíveis do BE eleger um vereador, e isso seria uma oportunidade”, considera. “Por isso temos dito na campanha «atreve-te a mudar em Sintra», porque o voto no BE é um voto útil”. “Sentimos que há ainda muita gente que não decidiu o seu voto e é a esses que devemos dirigir uma palavra e dizer que o desencanto com a política do governo, que o destroço do país a que os partidos principais nos trouxeram não pode ser uma justificação para deixar de votar, pelo contrário. É importante castigar esses partidos e dar uma oportunidade àqueles que têm outras ideias e outra vontade. E ai o BE apresenta-se de mãos limpas e com total sentido de responsabilidade”, realçou o Bloquista, que lamenta verificar “uma certa indiferença” no eleitorado, “porque o massacre da crise e da má governação tem trazido muita gente ao desespero para com a coisa pública. As campanhas tornam-se difíceis. Mas isso é um desafio”. “Sintra é um concelho de diversidades e portanto isso também nos obriga a uma versatilidade. Sintra tem que deixar de estar na sombra de Lisboa e passar a ter luz própria”, finalizou.


8

Publicidade

Sexta-feira13deSetembro2013

Monte Abraão

Sessões de Fisioterapia A Junta de Freguesia de Monte Abraão vai (re) iniciar no próximo dia 10 de Setembro as aulas de exercícios em grupo, ministradas pela Fisioterapeuta Joana Fonseca, para os utentes do Centro de Convívio da Igreja Nossa Senhora da Fé. As aulas, decorrerão no espaço físico do salão paroquial da Igreja de Nossa Sra. da Fé, duas vezes por semana, às terças e sextas-feiras, no horário compreendido entre as 14h30 e as 15h30. A título particular, todos os interessados, poderão agendar a sua sessão de fisioterapia, mediante marcação prévia na Junta de Freguesia. As sessões terão um custo de 20 euros.

9ª Edição Promovida pela J.F. Monte Abraão

Campanha de recolha de manuais e materiais escolares

Feira de Artesanato, Velharias e Antiguidades de Monte Abraão A Junta de Freguesia de Monte Abraão realizou no dia 7 de Setembro a 9.ª Edição da Feira de Artesanato, Velharias e Antiguidades de Monte Abraão. O evento decorreu no jardim do Parque 25 de Abril, e contou com a participação de 41 vendedores. A Feira foi um sucesso e contou com o apoio de muitos moradores e amigos da Freguesia, que aproveitaram o agradável fim-de-semana de Setembro para passear em família pelo jardim e visitar as diversas bancas.

A Junta de Freguesia de Monte Abraão está a promover, até ao final do mês de Setembro, uma campanha de recolha de manuais e materiais escolares, de forma a apoiar as famílias residentes na Freguesia, aquando o início do novo ano escolar. As entregas podem ser efectuadas nas instalações da autarquia local, de 2.ª a 6.ª feira, no horário compreendido entre as 9h00 e as 12h30, as 14h00 e as 17h30.

Terças e quintas-feiras Aulas de Yoga em Monte Abraão A Junta de Freguesia de Monte Abraão promove aulas de Yoga para a população residente na Freguesia. As aulas decorrem nas instalações do salão paroquial gentilmente cedidas para o efeito, pela Igreja de Nossa Senhora da Fé, em Monte Abraão, todas as terças e quintas - feiras, das 18h30 às 19h30 e, são dinamizadas pela Professora Horácia Teodoro, voluntária da Junta de Freguesia. A adesão implica o preenchimento da ficha de inscrição, que será disponibilizada nas instalações da autarquia local.


Publicidade

Sexta-feira13deSetembro2013

9

Na Junta de Freguesia de Monte Abraão

9ª Edição Terapia da Fala Saúde Total em Monte Abraão A Junta de Freguesia de Monte A Junta de Freguesia de Monte Abraão realizou no dia 24 de Agosto, sábado, uma feira dedicada à promoção da saúde e hábitos de vida saudáveis, permitindo o acesso o acesso gratuito a um vasto leque de rastreios nas mais diversas áreas. A esta iniciativa juntaram-se a Associação Portuguesa de Familiares, Amigos e Pessoas com Epilepsia, o Agrupamento de Centros de Saúde de Sintra “Unidade de Cuidados na Comunidade Abraçar Queluz”, a Altavisão de Monte Abraão, a Acústica Médica, a Áshrama Sintra/ Chakra – Associação do Yoga, a Cardiorespira, o Consultório de Saúde Natural “Espaço Saúde em Branco”, o Espaço N – Neurociências, Saúde e Desenvolvimento de Lisboa, a Farmácia Portela, o Mercado Saloio, o ginásio + Leve de Monte Abraão, a Comfort Keepers (Empresa de Serviço de Apoio Domiciliário). Foi também realizado o atendimento de triagem nas áreas da Terapia da Fala e Fisioterapia. O evento decorreu no jardim do Parque 25 de Abril, das 10h00 às 17h00. Pelas 11h00 foi dinamizada uma aula de Yoga para crianças e pelas 16h00 realizou-se uma para adultos. O evento teve bastante adesão da população, tendo sido visitado ao longo do dia por muitos moradores residentes na Freguesia de Monte Abraão, que dedicaram o fim-de-semana aos cuidados de bem-estar, saúde e actividade física.

Sessão de Formação Parental “Planeamento Familiar e Doenças Sexualmente Transmissíveis” A Junta de Freguesia de Monte Abraão, em parceria com o Agrupamento de Centros de Saúde de Sintra, vai promover no dia 18 de Setembro uma sessão de formação parental sobre o “Planeamento Familiar e Doenças Sexualmente Transmissíveis”. A iniciativa será conduzida por Lurdes Veigas, Enfermeira na Unidade de Cuidados na Comunidades do ACES Sintra. Poderão participar na sessão todas as pessoas que tenham interesse em aprofundar os seus conhecimentos sobre o tema em questão. A sessão terá início pelas 18h00, na Rua Pedro Sintra, n.º6, R/c Dto., no Bairro 1.º de Maio, em Monte Abraão.

Abraão disponibiliza, desde o início do mês de Setembro, à população residente na Freguesia, sessões de Terapia da Fala, com preços mais acessíveis, possibilitando a todas as pessoas um serviço de saúde fundamental. As sessões são realizadas pela Terapeuta Edina Alvarenga, nas instalações da Junta de Freguesia, mediante marcação prévia. Os rastreios/ primeiro atendimento serão realizados gratuitamente, todas as 3.ªs feiras, entre as 14h00 e as 17h30. Para o efeito basta deslocar-se à Junta de Freguesia e solicitar a sua marcação. As sessões seguintes serão sujeitas a uma avaliação da condição socioeconómica do agregado familiar, pela equipa técnica da Área Psicossocial da autarquia, que irá determinar o valor a pagar por sessão, que poderá ir desde os 10 euros até aos 25 euros.

Monte Abraão

Personalização das caixas de electricidade A Junta de Freguesia de Monte Abraão tem vindo a desenvolver um projecto de embelezamento das ruas e jardins da Freguesia, através da personalização das caixas de electricidade existentes na Freguesia. A personalização das caixas é da autoria de Rui Pinto “SalDoce”, e os resultados têm superado todas as expectativas, motivo pelo qual será assegurada a sua continuidade.


10

Entrevista

Sexta-feira13deSetembro2013

Basílio Horta, candidato pelo Partido Socialista

Mais acção social e desenvolvimento económico

O

candidato pelo PS, Basílio Horta, mostrou a sua satisfação na evolução da corrida ao município sintrense, salientando que “em todas as sondagens que saíram até agora, a minha candidatura está à frente”.”Mas não embandeiro em arco com isso, acho que a melhor sondagem é o dia das eleições”, referiu. Para o candidato,“tão importante ou mais do que ganhar as eleições é o dia seguinte, o muito que há a fazer pelo concelho e pelas pessoas, e isso preocupa-me tanto quanto ganhar as eleições, embora saiba que primeiro tenho que as ganhar, tenho essa consciência”. Basílio Horta disse ainda notar que existe “uma grande esperança na nossa candidatura, de uma esperança de mudança no concelho, de uma nova fase que se abre. E nós temos a responsabilidade de concretizar essa esperança. É o que iremos fazer”, garantiu, depois de explicar que a decisão de avançar para estas autárquicas “representa o exercício de uma vontade. Fui convidado para vários municípios e nunca pensei aceitar nenhum, excepto Sintra”, esclareceu. Convidado a comentar os últimos anos da gestão municipal, referiu “não gostar de olhar para trás”.“Gosto mais de olhar para a frente. Há uma nova fase que se abre, no país, na Europa e tem que haver uma nova fase no concelho. Esta é a fase da economia, da criação do emprego,

AS

“Para que o apoio social seja sustentável, tem que se dar prioridade à economia” do valor acrescentado da oferta das indústrias de Sintra, ao lado das opções sociais, que são muito relevantes”. Na opinião do candidato, pela sua dimensão, Sintra tem “um grande número de problemas de toda a ordem. E não devemos ter a arrogância de pensar que se fossemos nós tínhamos resolvido todos”, explica. “Temos que ter a ideia que seguramente muito foi feito, mas muito ficou por fazer. E temos que olhar para o muito que ficou por fazer”.

O candidato sublinha uma clara aposta na política social no concelho, mas vai dizendo que “para que o apoio social seja sustentável, tem que haver uma prioridade muito grande dada à economia”. Para alcançar estas metas, Basílio Horta diz que “temos que manter os investidores e atrair novos investimentos. A proposta da nossa lista é abrir Sintra para o país e ao mundo”, mas “isto não significa desprezar os empresários sintrenses, pelo contrário”. Neste sentido,

defende a criação de um Gabinete de Apoio ao Investidor, e quer travar “as dificuldades burocráticas que se colocam ao investidor. A Câmara de Sintra tem que resolver aquelas que são da sua competência e acompanhar o investidor junto do poder central naquelas matérias que não são da sua competência”, defendeu. No que diz respeito à acção social, a estratégia apresenta dois eixos. “Primeiro, uma acção de emergência, tem a ver com pessoas que têm carências alimentares. Não haverá dinheiro para mais nada se houver carências na distribuição alimentar enquanto elas não forem supridas pela Câmara”, assegura. “Depois temos a parte institucional. Há falta de creches no concelho de Sintra; de lares, de centros de dia e apoio domiciliário. Há uma segunda ordem de prioridades, que tem a ver com os cuidados continuados e com os cuidados paliativos”, referiu ainda. Entre as propostas apresentadas, o candidato socialista sublinou ainda a importância de “dar ao resto [do concelho] que não é Vila histórica muita atenção. Aí tenho possibilidade e competências para dar uma resposta positiva. A resposta que tem que se dar é tentar criar emprego, fixar as pessoas aqui, levar a cultura até elas, fazer o reordenamento urbanístico daquilo que ainda é possível fazer, olhar para a juventude, para o turismo”, finalizou.

Pela primeira vez, a 9 de Setembro

474 Anos da Freguesia de São João das Lampas celebrado O

dia 9 de Setembro foi instituído como o Dia da Freguesia de São João das Lampas, porque foi neste dia do ano de 1539, que o Arcebispo de Lisboa, o Cardeal Infante D. Afonso, passou um Alvará que ordena a nomeação de sacerdote para a capela de S. João dos Porqueiros (nome por que era conhecido S. João das Lampas), até esta data anexa a S. Martinho. Foi este o primeiro documento que determinou a autonomia de um território, que se manteve até aos dias de hoje, por

isso a Junta de Freguesia não quis deixar passar esta oportunidade de celebrar pela primeira vez esta data como o Dia da Freguesia. Para que este dia tivesse uma marca para os vindouros, realizou-se uma cerimónia promovida pela Junta de Freguesia, para homenagear todos aqueles que ao longo dos anos ajudaram com o seu trabalho na concretização dos objectivos propostos. Foram atribuídas medalhas a todos os colaboradores e membros da Junta de Freguesia AS

e Assembleia de Freguesia, Presidentes de Juntas de Freguesia vizinhas, sociedade civil que por diversas formas estiveram sempre presentes quando lhes foi solicitado ajuda, representantes da Câmara Municipal de Sintra, na pessoa do seu vice-presidente Marco Almeida e a veredora Paula Simões, Autoridades policiais (GNR), corporações de Bombeiros, Associações de toda a ordem e o Centro Social e Paroquial São João das Lampas.

A cerimónia terminou com todos os convidados a cantarem os parabéns e a partilhar uma fatia de bolo, onde era visível o brasão da Freguesia e a inscrição “ Freguesia de S. João das Lampas – 1539 / 2013 Dia da Freguesia “. Para o ano será celebrado o 475º aniversário da Freguesia que estará unida à vizinha Terrugem, formando a União das Freguesias de S. João das Lampas e Terrugem.

PUB

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE SÃO MARCOS AVENIDA DO BRASIL, 27 A 2735-670 SÃO MARCOS TELEFONE: 21 426 19 74 TELEFAX: 21 426 20 08 E-mail: geral@jf-smarcos.pt

EDITAL Nº3/2013 Isabel Maria Pargana Calado Lima Dias, Presidente da Assembleia de Freguesia de São Marcos, faz público que, de harmonia com o disposto do nº 1 do Artº 13º da Lei nº 5-A/2002, de 11 de janeiro, se realiza uma Sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia, no dia 17 de Setembro pelas 21h30 horas, no Centro Carlos Paredes em São Marcos, com a seguinte ordem de trabalhos: PONTO UM – Leitura da correspondência; PONTO DOIS – Continuação da Análise e apreciação crítica do exercício do presente mandato, preste a concluir-se; PONTO TRÊS – A limpeza do espaço público compreendido entre a Rua da Copa e o início da Avenida do Brasil; PONTO QUATRO – Informação escrita do Presidente; PONTO CINCO – Ata de junho. A Presidente da Assembleia de Freguesia de São Marcos Isabel Dias

Durante a cerimónia, foram também distinguidas várias personalidades

São Marcos, 06/09/2013


Publicidade

Sexta-feira13deSetembro2013

Coval 57 Talhão 1 Mário Alberto Manuel Lobato Faria Coval 62 Talhão 1 Alfredo José Oliveira

EDITAL Nº 159/2013 ---FERNANDO JORGE LOUREIRO DE ROBOREDO SEARA, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE SINTRA-------------------------------Faz público que, por esta via, nos termos do Artigo 91º do Decreto-Lei 169/99, de 18 de setembro, alterado pela Lei 5-A/2002, de 11 de janeiro, e para cumprimento do disposto na al. d), do nº1, do Artigo 70º do Decreto-Lei 442/91 de 15 de novembro (CPA), e ainda nos termos do Artigo 39º, nº2, do Regulamento dos Cemitérios Municipais, que se vai proceder à exumação de covais do Cemitério do Alto do Chão Frio, nas datas mencionadas em anexo.-------------------------------------------------------------Os interessados na exumação das sepulturas temporárias identificadas, deverão dirigir-se à secretaria deste cemitério, nos dias úteis, das 09.00H às 16.30H, ou aos sábados, das 09.00H às 13.00H, no prazo de 10 dias a contar do fim do prazo de 20 dias de afixação do presente Edital, a fim identificarem o destino e demais termos da exumação das ossadas.-----Findo o prazo sem que os interessados compareçam a reclamar as ossadas, as mesmas consideram-se abandonadas.-------------------------------------------------O Município não poderá ser responsabilizado pelo desaparecimento ou desencaminho de valores, que tenham acompanhado os restos mortais aquando da inumação. No entanto, numa tentativa de recuperação, deverão declará-los na secretaria no momento da marcação das exumações.----------------------------Para constar se lavrou este e outros de igual teor, que vão ser afixados nos locais públicos do costume.----E, eu, Maria Alexandra Piteira de Sousa Rebelo, Chefe da Divisão de Assuntos Administrativos e Notariado, o subscrevo.--------------------------------------Paços do Município de Sintra, 31 de Julho de 2013.

Exumação dia 22 de outubro de 2013 Coval 1 Talhão 1 Maria Isabel Ribeiro Coval 3 Talhão 1 Celeste Rosa Gama Coval 16 Talhão 1 Mário Manuel Freitas Ferreira Exumação dia 23 de outubro de 2013 Coval 22 Talhão 1 Jaime Vasconcelos Lavarinhas Coval 27 Talhão 1 Benvinda Dias Coval 29 Talhão 1 Maria Fernandes Exumação dia 24 de outubro de 2013 Coval 38 Talhão 1 Adelina Simão Martins Sanches Coval 39 Talhão 1 Francisco Oliveira Lésico Exumação dia 25 de outubro de 2013 Coval 44 Talhão 1 Maria Alice Cipriano Rodrigues Exumação dia 05 de novembro de 2013 Coval 55 Talhão 1 Horácio Lopes

Exumação dia 06 de novembro de 2013 Coval 72 Talhão 1 Maria José Capinha Coval 73 Talhão 1 António Pereira Correia Coval 78 Talhão 1 Piedade Maria Exumação dia 07 de novembro de 2013 Coval 81 Talhão 1 Teotónio Pedro Paulo Coval 175 Talhão 3 Elisabete Maria Castanha Correia Exumação dia 08 de novembro de 2013 Coval 184 Talhão 3 João Fernando Sacadura Coval 189 Talhão 3 Adelino Ribeiro Exumação dia 12 de novembro de 2013 Coval 196 Talhão 3 Luzia Ribeiro Bernardo Coval 205 Talhão 3 Jaime Augusto Freire Andrade Coval 209 Talhão 3 Maria Rafael Morgado Exumação dia 13 de novembro de 2013 Coval 237 Talhão 3 Maria Helena Santos Pereira Costa Garnacho Coval 239 Talhão 3 António Augusto Mortágua Mantas Tittel Coval 251 Talhão 3 Adelina Jesus Paulo Exumação dia 14 de novembro de 2013 Coval 132 Talhão 2 Maria Alice Reis Ferraz Nunes Coval 168 Talhão 2 Manuel Joaquim Lopes Caetano

11

Coval 953 Talhão 12 Ruth Lucília Duemke Coelho Exumação dia 29 de novembro de 2013 Coval 1000 Talhão 12 Maria Adelaide Moncada Alboim Sousa Mendes Coval 1018 Talhão 13 José Pinto Ribeiro Exumação dia 03 de Dezembro de 2013 Coval 1021 Talhão 13 Elisabete Jacob Reis Coval 1025 Talhão 13 Maria Jesus Esteves Silva Ferreira Aquino Coval 1026 Talhão 13 José Julião Jesus Exumação dia 04 de dezembro de 2013 Coval 1032 Talhão 13 Joaquim Luis Osório Lopes Coval 1035 Talhão 13 Abel Pinheiro Rodrigues Coval 1074 Talhão 13 Manuel Almeida Alcântara Exumação dia 05 de dezembro de 2013 Coval 1088 Talhão 13 Salustiano Vicente Silva Coval 1100 Talhão 14 Maria Luísa Canto Lopes Vaz Exumação dia 06 de dezembro de 2013 Coval 1102 Talhão14 António Alexandre Coval 1104 Talhão 14 Manuel Moreira Exumação dia 10 de dezembro de 2013 Coval 1108 Talhão 14 Manuel Fernandes Neves Coval 1110 Talhão 14 José Oliveira Aguiar Coval 1112 Talhão 14 Maria Venância Paiva Pinto

Exumação dia 15 de novembro de 2013 Coval 275 Talhão 4 Mário Jorge Antunes Coval 317 Talhão 4 Maria Rosário Jesus Oliveira Pereira

Exumação doa 11 de dezembro de 2013 Coval 1113 Talhão 14 António Vinício França Fernandes Coval 1114 Talhão 14 António Eduardo Dias Coval 1116 Talhão 14 Valentim Fernandes Esteves

Exumação dia 19 de novembro de 2013 Coval 436 Talhão 6 Ivone Augusta Meira Coval 438 Talhão 6 António Eduardo Silva Lourenço Coval 473 Talhão 6 Maria Juliana Guerra Miranda

Exumação dia 12 de dezembro de 2013 Coval 1121 Talhão 14 Celeste Costa Felgueiras Dantas Coval 1125 Talhão 14 Nuno Pedro Vieira Marcelino

Exumação dia 20 de novembro de 2013 Coval 490 Talhão 6 Manuel Nunes Ribeiro Coval 677 Talhão 9 Fernando Conceição Duarte Coval 684 Talhão 9 Maria Evangelina Figeiredo Candeias Gonçalves

Exumação dia 13 de dezembro de 2013 Coval 1127 Talhão 14 Roque Armando Monteiro Lima Coval 1131 Talhão 14 Francisco Barros Duarte Ferreira

Exumação dia 21 de novembro de 2013 Coval 699 Talhão 9 José Mineiro Tiago Coval 784 Talhão 10 Manuel Anastácio

Exumação dia 07 de janeiro de 2014 Coval 1133 Talhão 14 José Ventura Gato Coval 1136 Talhão 14 Maria João Silva Martins Serra Cordeiro Coval 1140 Talhão 14 Maria Graça Leite Carvalho Silva

Exumação dia 22 de novembro de 2013 Coval 836 Talhão 10 Olímpia Adelaide Gama Coval 870 Talhão 11 Margarida Pinto Fialho Exumação dia 26 de novembro de 2013 Coval 885 Talhão 11 António Bráz Mateus Coval 888 Talhão 11 Carlos Alves Diniz Coval 897 Talhão 11 Domingos José Almeida

Exumação dia 08 de janeiro de 2014 Coval 1144 Talhão 14 Máximino Jesus Paulo Coval 1145 Talhão 14 Maria Manuela Cardoso Vigário Garcia Coval 1147 Talhão 14 António Pina Cardoso

Exumação dia 27 de novembro de 2013 Coval 936 Talhão 12 Vitor Manuel Santos Figueiredo Coval 937 Talhão 12 Júlia Encarnação Melo Graça Coval 944 Talhão 12 José Francisco Sancho Relvas

Exumação dia 09 de janeiro de 2014 Coval 1148 Talhão 14 Fernando Santiago Cruz Coval 1161 Talhão 14 Maria Luisa Conceição Santos

Exumação dia 28 de novembro de 2013 Coval 951 Talhão 12 Maria Domingas Silva

Exumação dia 10 de janeiro de 2014 Coval 1169 Talhão 14 José Henriques


12

Local

Sexta-feira13deSetembro2013

No dia 7 de Setembro

Até 8 de Setembro

Na última terça-feira

Monte Abraão promove Freguesia de Montelavar Fátima Campos 9ª Feira de Artesanato, em festa em honra apresentou lista à nova Velharias e Antiguidades de N. Sra. da Nazaré União de Freguesias A A A

Junta de Freguesia de Monte Abraão realizou, no passado dia 7 de Setembro, a 9ª edição da Feira de Artesanato, Velharias e Antiguidades de Monte Abraão. Como habitualmente, o evento decorreu no jardim do Parque 25 de Abril, e contou com a participação de 41 vendedores. De acordo com a Junta de Freguesia presidida por Fátima Campos,“a feira foi um sucesso e contou com o apoio de muitos moradores e amigos da Freguesia, que aproveitaram o agradável fim-de-semana de Setembro para passear em família pelo jardim e visitar as diversas bancas”.

freguesia de Montelavar realizou, de 31 de Agosto a 8 de Setembro, as festas em honra de Nossa Senhora da Nazaré. Com um programa variado, com muita música e espaços de comes e bebes, merece destaque a presença de artistas e bandas como Função Pública, Emanuel, 4 Revival e Rita Guerra. O momento alto das festas decorreu no dia 14, com a cerimónia de despedida da imagem de Nossa Senhora da Nazaré. A estas cerimónias seguiu-se a missa campal e a cerimónia para a entrega das Alfaias e por último, a entrega da Imagem à Paróquia de Cheleiros.

AS

A iniciativa voltou a receber muitos visitantes

lista de Candidatura de Fátima Campos à União das Freguesias de Massamá e Monte Abraão pelo Movimento “Sintrenses com Marco Almeida” foi apresentada esta terça-feira. A iniciativa incluiu um jantar e decorreu na Escola Secundária Miguel Torga. Além do elevado número de apoiantes, marcaram presença no evento os elementos da lista de Fátima Campos e o candidato à Câmara Municipal pelo Movimento, Marco Almeida. DR

AS

As festas apresentaram um vasto programa à população

Marco Almeida marcou presença no evento

PUB

Medalha de Mérito Municipal

Câmara de Sintra homenageia Ângelo Correia A

DR

Câmara Municipal de Sintra atribuiu, no passado dia 4 de Setembro, a José Ângelo Ferreira Correia, presidente da Assembleia Municipal de Sintra, a Medalha de Mérito Municipal, de Grau Ouro, na classe de Serviço Público, “em justo reconhecimento de toda uma carreira que vem desenvolvendo ao serviço da nação”, sublinhou a autarquia. Ângelo Correia recebeu a medalha das mãos do presidente da Câmara Municipal de Sintra, Fernando Seara, numa cerimónia que decorreu no Palácio Valenças. Presidente da Assembleia Municipal de Sintra desde 24 de Outubro de 2005, Ângelo Correia tem, de acordo com a Câmara Municipal, “desempenhado as suas funções com relevante espírito de serviço à causa pública, com ponderação e isenção em relação a todas as forças políticas”. A edilidade destacou ainda “uma brilhante e longa carreira política” na qual desempenhou, entre outros, os cargos de deputado da Assembleia Constituinte nas I, II, II, IV e V Legislaturas (1975-95), Ministro da Administração Interna (1981-83), Presidente da Comissão de Defesa Nacional (1978-81 e 1983-85); Presidente da Comissão Parlamentar para os Assuntos Europeus (1987-89), Presidente da Comissão Parlamentar para o Poder Local, Regiões e Ambiente (1989-93), Vice-Presidente da Comissão Parlamentar da Economia, Finanças e Plano (1981-83), Deputado do Conselho da Europa (1977-79), Deputado à Assembleia da EFTA (1977), Presidente da Delegação Parlamentar Portuguesa à Assembleia Parlamentar da NATO (1979-81 e 1985-95), Presidente da Delegação Parlamentar Portuguesa à CSCE (1990-95).


Local

Sexta-feira13deSetembro2013 PUB

No Ano Internacional da Cooperação pela Água

SMAS-SINTRA promoveram debate em defesa da água pública Os SMAS de Sintra realizaram, a 3 de Setembro, no seu auditório, um debate com o lema «Água de e para todos», uma reflexão e uma afirmação sobre a defesa da água pública, a gestão da água ao nível nacional, a sustentabilidade do sector dos serviços da água, o papel das entidades gestoras, a qualidade do serviço prestado às populações e a equidade no acesso aos serviços da água.

E

ste dia ficou ainda marcado, da parte da manhã, por uma visita às instalações do Complexo Oficinal e Laboratorial dos SMAS por parte dos candidatos oficiais à Camara Municipal de Sintra. Depois de dadas as boas vindas, pela engenheira Guadalupe Gonçalves, e das intervenções dos engenheiros Jorge Vilela e Carlos Nunes, os candidatos ficaram a conhecer, um pouco melhor os serviços prestados pelos SMAS-SINTRA, visitando ainda a Oficina-Auto, o Armazém, o Laboratório, o Gabinete Médico e a Telegestão. O debate, na parte da tarde, contou com a presença do Conselho de Administração dos SMAS de Sintra, representado pelos vereadores Ana Duarte e Pedro Ventura, tendo este último proferido o discurso de abertura e encerramento. O moderador foi Isabel Araújo Branco e os intervenientes foram Jaime Morell, da Associação Espanhola de Operadores Públicos de Água e Saneamento e membro da «Aqua Publica Europea», Carla Graça, Coordenadora do Grupo de

Água da Quercus, Heloísa Apolónia, deputada e dirigente do Partido Ecologista «Os Verdes», e Nuno Vitorino, da Associação «Água Pública». Durante os trabalhos, foram ainda visionados dois filmes: «El Água es um Direcho Humano» e «Remunicipalização», este último um inovador documentário de animação sobre cidades que reverteram a privatização da água para recuperar o controlo público. «Nos últimos anos, a política da água em Sintra assentou em quatro ideias fundamentais, interligadas e interdependentes», afirmou Pedro Ventura no seu discurso, enumerando-as: «o direito de todas as pessoas à fruição dos benefícios da água», «a responsabilização dos SMAS pela garantia das funções sociais, ecológicas e económicas da água», «o reforço do papel da autarquia na administração da água e dos serviços da água às populações» e «a gestão democrática e participada dos recursos hídricos pelos cidadãos». AS

O debate contou com a participação de vários especialistas nestas temáticas

13


14

Desporto

Sexta-feira13deSetembro2013

9ª EDIÇÃO

BTT Terrugem juntou mais de 800 participantes e muitas novidades Realizou-se dia 8 de Setembo a IX BTT Terrugem. A concentração dos praticantes desta modalidade do ciclismo nacional teve lugar nas instalações da Empresa Pneubase, situada em Vila Verde, Terrugem, que cedeu como é habitual o espaço das suas instalações para a realização do evento.

N

a competição, inscreveram-se 830 concorrentes nas três distâncias que habitualmente o evento tem: Raid 60 kms, Passeio 35 kms e Passeio família 15 kms. O início do evento contou com a presença do vice-presidente da Câmara Municipal de Sintra Marco Almeida, do presidente da Junta de Freguesia da Terrugem José António do Paço, individualidades convidadas e os responsáveis ligados à organização. Como é hábito todos os anos, existem sempre novidades ao nível do precurso, e nesta edição os trilhos escolhidos passaram em zonas nunca antes percorridas, que fez criar mais motivação a quem pratica esta modalidade. Este ano, e pela primeira vez, o percurso entrou na zona dos Parques de Sintra. Os concorrentes tiveram oportunidade de conhecer uma das zonas mais espectaculares para a prática desta modalidade existente em Portugal e tiveram acesso a trilhos pertencentes às principais zonas abertas à prática de BTT, tal como a Tapada do Saldanha, Tapada de Monserrate e Tapada de Roças. Como vtem acontecido, vieram ciclistas de quase todos os pontos do país, e até do estrangeiro. Além dos participantes do concelho de Sintra, vieram atletas dos concelhos de Cascais, Oeiras, Amadora, Lisboa, Loures,

18ª Edição

Lucas Nogueira e Isabela Sousa em destaque no Sintra Portugal Pro 2013

CMS

AS

O

A iniciativa, marcada pelo número elevado de participantes, voltou a ser um sucesso Mafra, Vila Franca de Xira, Montijo, Setúbal, Loulé, Santarém, Tavira, Beja, Estremoz, Arruda dos Vinhos e Porto, além de outros que se deslocaram de Madrid e do Luxemburgo, por exemplo. Este ano, os valores de inscrição de senhoras, crianças até aos 12 anos e sócios, reverteram na totalidade para a coorporação

de Bombeiros Voluntários de Sintra. Como acontece todos os anos, no final deste passeio, realizou-se um almoço de confraternização no local da partida, permitindo o convívio entre todos os participantes na prova e seus acompanhantes. Para o ano, novos desafios e novos trilhos surgirão e novos concorrentes também.

s brasileiros Lucas Nogueira e Isabela Sousa sagraram-se campeões do Sintra Portugal Pro 2013, na 18ª edição da única prova do circuito mundial de bodyboard no continente europeu, disputada na Praia Grande, em Sintra, de 27 de Agosto a 1 de Setembro. Nogueira venceu o GQS (circuito de qualificação) masculino da prova portuguesa, ao bater o francês Pierre Louis Costes na última onda da final, a escassos segundos do fim da bateria. “Há 11 anos que venho aqui a Portugal e na minha primeira final, com a graça de Deus, consegui. O Pierre começou muito forte, chegou mesmo a deixar-me a precisar de uma combinação de notas, mas consegui diminuir a desvantagem e depois esperei que viesse uma onda, pelo menos tão boa como a primeira do Pierre. Ainda escolhi algumas erradas mas, finalmente, apareceu”, explicou Lucas Nogueira. A prova da Praia Grande, que este ano atingiu a “maioridade” e é a mais antigo do circuito sem interrupções. O presidente da Federação Portuguesa de Surf (FPS), João Aranha, destacou a importância da prova, que distribui prémios monetários de 60 mil dólares (cerca de 44,8 mil euros), e o facto de a mesma ser a mais antiga do circuito no continente europeu.

João Pereira(*) joao.pereira.actualsintra@gmail.com

Quando se é árbitro, tem-se uma opinião sobre o trabalho de um observador. Quanto mais tolerante essa opinião, mais aquele consegue respeitar, primeiro, perceber, depois, o trabalho daquele que o observa. E é a medida dessa tolerância mais ou menos alargada, que acaba por ser um fator-chave na destrinça entre um futuro bom observador, ou não. Outro fator importante para se ser bom observador, é a faculdade (não necessariamente inata, aprendida, porque

Observador / Formador

não?) que se tem para avaliar o desempenho de alguém. Este fator importante acaba também por distinguir entre um bom observador e um observador. Alguns apercebem-se de que não são bons avaliadores, quando já causaram danos irreparáveis ao árbitro, no mínimo, naquela época. Avaliar não é penalizar. Avaliar é muito mais do que isso. Avaliar é exaltar os pontos fortes de um árbitro e dar a conhecer-lhe os pontos onde, melhorando, conseguirá o desempenho esperado.

Avaliar é, única e exclusivamente, ter em consideração aquele jogo, não se deixar influenciar pelo historial daquele árbitro, em termos de prestações passadas. Refletir durante algum tempo logo após o final do jogo é também recomendável no ato de avaliação, já que a ideia com que se sai do campo pode ser alterada aquando da elaboração do relatório. O passar do tempo tende a diluir aquilo que efectivamente se passou no jogo. Assim, essa reflexão deve ser tida como uma regra que deve ser sempre cumprida.

Como quando se é árbitro e se identificam jovens colegas com talento, também, da mesma forma, se solicita a um observador que tenha como um dos objetivos principais na sua observação essa identificação. Pelo que ficou dito, um bom observador deve ser capaz de saber formar. E saber formar não é fácil. E se não se sabe formar, não se é, de certeza, um bom observador. (*)Árbitro Licenciado da AFL


Vida & Lazer

Sexta-feira13deSetembro2013

Destaques da semana DR

“OU QUIXOTE” EM CENA NA QUINTA DA REGALEIRA Uma declaração de amor ao famoso romance de Cervantes, relido e recontado na mítica Quinta da Regaleira. Até 6 de Outubro – “Ou Quixote” propõe novas leituras sobre a cavalaria andante nas misteriosas noites de Sintra… um espectáculo que não pode nem deve perder. «Ou Quixote» engrossa a imensa lista de declarações de amor ao clássico de Cervantes que, de há quatro séculos a esta parte, têm ressuscitado o «romance dos romances», atualizando-o. Em “Ou Quixote” os actores leem, releem, tresleem, rasuram, regurgitam, reescrevem, remontam, travestem, ocupam o romance de Cervantes. Cruzam o Quixote barroco com outros pós-qualquer-coisa coevos, os que ainda há, excessivos, discretos, andantes sempre, em movimento-guerrilha, falantes, volitivos. O espetáculo cose, numa performance-palimpsesto diversas apropriações simbólicas a que o cavaleiro andante se achega. Um Quixote-messias-pessoal-sábio-loucoburgesso. Espetáculo sobre-informativo, fala-barato, errado. Tudo menos o Quixote. Ou Quixote. Ou Sancho. De quinta-feira a domingo, às 22h00. BYFURCAÇÃO TEATRO APRESENTA “AS AVENTURAS DE PINÓQUIO” Depois do sucesso de “O Principezinho” e de “Alice no País das Maravilhas”, a bYfurcação Teatro, apresenta agora “As Aventuras de Pinóquio”, uma comovente história que pretende envolver toda a família numa inesquecível experiência de teatro de rua, abrangendo público a partir dos 6 anos. De 27 de Abril a 29 de Setembro de 2013 os monumentais jardins e edifícios da Quinta da Regaleira – um dos mais surpreendentes monumentos da Serra de Sintra, situado no centro histórico da Vila – servirão de palco a esta história, onde a pequena marioneta de madeira, que sonha em ser um menino de verdade, viverá as suas aventuras. CRÓNICA DOS BONS MALANDROS NO OLGA CADAVAL Baseada no romance homónimo de Mário Zambujal, esta excelente comédia portuguesa conta com um elenco de luxo, do qual fazem parte, entre outros, Nicolau Breyner, Lia Gama, João Perry e Maria do Céu Guerra. A história anda à volta de um grupo de amigos que se dedica a pequenos assaltos, até que é subornado por um misterioso italiano que os desafia a roubar obras de arte num museu de Lisboa. Entre os preparativos para o grande golpe vamos conhecendo os membros do grupo e os caminhos que os levaram à marginalidade até que chega o dia do tão esperado assalto. Mas as coisas não correm como estava previsto… Para ver no Olga Cadaval, a 21 de Setembro, às 21h30. “OCEANOS” EM EXPOSIÇÃO NO MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL O Museu de História Natural de Sintra acolhe a exposição “1,2,3,4,5 Oceanos…”, que inaugurou no dia 11 de Janeiro. A partir do espólio existente no Museu é proposta uma viagem pelos oceanos desde a era paleozóica até à actualidade. Os temas focados na exposição são, “A Formação dos Oceanos”, “Origem da Vida nos Oceanos”, “Diversificação da Vida nos Oceanos”, “Ecossistemas Marinhos” e “Biodiversidade Marinha”. A exposição estará patente ao público até 30 de Dezembro de 2013. A entrada é gratuita.

Previsão do Tempo

Agenda Cultural

Horóscopo CARNEIRO

Teatro Reflexo apresenta “A Casinha de Chocolate” «A

Porto Coimbra Lisboa Faro

31º 15º 33º 15º 31º 20º 31º 20º

Porto Coimbra Lisboa Faro

27º 15º 31º 14º 29º 18º 27º 18º

Domingo Porto

28º 14º

Coimbra 30º 14º Lisboa Faro

27º 17º 33º 21º

Amor: Momento de grande agilidade e de grande energia a dois! Trabalho: Faça do seu dia-a-dia a companhia dos seus amigos e desfrute de ideias… Saúde: Possíveis dores de dentes!

DR

Casinha de Chocolate» é uma adaptação teatral, feita a partir do conto dos Irmãos Grimm, que fará as delícias das crianças e também dos adultos que ainda não perderam a capacidade de sonhar. Nesta versão da história do Teatro Reflexo é explorada a profunda relação entre os irmãos Hansel e Gretel que, contra todas as adversidades, tentarão sobreviver numa floresta, repleta de seres místicos e encantos sombrios. Durante a sua jornada pela floresta, cansados e com fome, encontram o refúgio mais encantador, o sonho de qualquer criança tornado realidade: uma casa toda feita de chocolate. Mas é aqui que a aventura começa. Hansel e Gretel são obrigados a fugir das garras de uma bruxa que acredita que as crianças são o ingrediente secreto que lhe permitirá fazer o mais saboroso chocolate do mundo. Dia 6 de Outubro, no Olga Cadaval, às 16h00.

Contemporaneus levam ópera ao Olga Cadaval A

ópera La princesse jaune op.30 de Camille Saint-Saens com libreto de Louis Gallet centra-se na história de dois jovens, Kornelis, que vive fascinado pela cultura japonesa e Léna que está apaixonada pelo seu primo Kornelis. Num momento de puro delírio, causado pela ingestão de uma poção, Kornelis é transportado para o Japão e nas suas alucinações apaixona-se pelo retrato de Ming, uma jovem princesa japonesa. Contudo chegará à conclusão que afinal o seu verdadeiro amor é Léna. The wandering scholar op.50 de Gustav Holst com libreto de Clifford Bax centra-se na história de um trio amoroso. Alison casada com Louis, recebe a visita do Padre Philippe após a ida de Louis à vila para comprar alimentos. Durante a sua visita o Padre e Alison entram no “espírito da Primavera”, mas acabam por ser interrompidos por Pierre, um estudante que entretanto bateu à porta e lhes pediu algo de comer. Nada satisfeito, o Padre Philippe expulsa o estudante de casa e este mais tarde, irá revelar ao marido traído toda a história. Dia 27 de Setembro, às 22h00, no Olga Cadaval.

TOURO

Regente: VÉNUS – 1/4 a 20/5

Amor: Esteja virado(a) para o seu interior e não subestime as suas ideias… Trabalho: O seu cargo pode ser de grande responsabilidade, por isso mantenha a paciência… Saúde: Faça mais exercício físico.

GÉMEOS

Regente: MERCÚRIO – 21/5 a 20/6

Amor: Pode sentir que a pessoa que o/a ama está mais perto do seu coração. Trabalho: A mudança está para chegar. Esteja preparado(a) para novidades no seio do seu trabalho. Saúde: Nada de importante a assinalar.

CARANGUEJO

Regente: LUA – 21/6 a 21/7

Amor: Os amores estão favorecidos. Dê uma oportunidade a si próprio(a) de amar… Trabalho: Verá reconhecida a sua actividade profissional e receberá os devidos elogios. Saúde: Possíveis dores musculares.

LEÃO

Regente: SOL – 22/7 a 22/8 Amor: Nem sempre está no seu melhor e nem sempre está no seu pior. Tente equilibrar as coisas. Trabalho: Alguém estará de olho em si e poderá fazer algumas críticas. Saúde: Faça aqueles exames há muito adiados!

VIRGEM

CONCERTO PARA BEBÉS – KOIS E SALTÉRIOS DO JAPÃO Os Concertos para Bebés são uma produção portuguesa pioneira no domínio das artes performativas para a primeira infância. Tiveram início em novembro de 1998 numa cidade no centro de Portugal, Leiria, e é seu autor o professor e musicólogo Paulo Lameiro. Têm a sua origem no trabalho com bebés desenvolvido pela Escola de Artes SAMP desde 1991 no programa «Berço das Artes» e são fortemente inspirados pela «Teoria de Aprendizagem Musical» do professor e pedagogo norte-americano Edwin Gordon. Depois de percorrerem as principais salas de concerto portuguesas estão presentes na programação de algumas das principais salas de concerto da Europa. Dia 22 de Setembro, às 10h00 e às 11h30, no Olga Cadaval. CARMINA BURANA NO OLGA CADAVAL No âmbito da comemoração do 20º aniversário do Coro Leal da Câmara, o Conservatório de Música de Sintra convida a Banda de Música da Força Aérea Portuguesa, o Coro Sinfónico Lisboa Cantat, também a assinalar 15 anos, e o Coro da Universidade Técnica de Lisboa para interpretar Carmina Burana, uma das mais emblemáticas obras do repertório coral e orquestral do século XX, do compositor alemão Carl Orff. A soprano Ana Paula Russo e o barítono Armando Possante juntam-se ao elenco, dando um brilho especial a uma obra já de si majestosa, num espectáculo que ficará também marcado pelo anúncio público do atelier vencedor do concurso de arquitectura do novo edifício do Conservatório de Música de Sintra. Dia 5 de Outubro, às 21h30, no Olga Cadaval.

Regente: MERCÚRIO – 23/8 a 22/9

Amor: Ter um amor é algo sempre complicado… pode trazer amarguras e felicidade! Trabalho: Período marcado por desenvolvimentos que pode não esperar… Saúde: Nada de importante a assinalar.

BALANÇA

Regente: VÉNUS – 23/9 a 22/10

Amor: Na vida nem tudo corre como se espera, mas poderá esperar por algo que tenta chegar até si! Trabalho: Ponha em prática as suas ideias e não desista do que realmente quer ou deseja! Saúde: Possíveis enxaquecas!

ESCORPIÃO

Regente: PLUTÃO – 23/10 a 21/11

Amor: Sempre foi perspicaz e poderá herdar momentos ou períodos de grande sabedoria… Trabalho: Em breve irá perceber que a seu lado está alguém que o/a vai ajudar muito! Saúde: Cuidado! Evite apanhar sol a mais…

EXPOSIÇÃO COLECTIVA DE PINTURA NA CASA MANTERO A Galeria Municipal – Casa Mantero acolhe uma exposição colectiva de fotografia, de 6 de Setembro a 11 de Outubro. Ao todo, são 10 fotógrafos que apresentam trabalhos sobre a simbiose natureza/homem, como união, representando momentos únicos em constante renovação, sejam por si mesmo ou por obra do Homem. Este trabalho fotográfico apresentado pelos dos diversos autores nesta exposição, desperta a atenção pelos diversos ambientes, pelas atmosferas algo utópicas, pelos cenários cinematográficos, pela simplicidade dos pormenores de uma paisagem, como uma árvore, uma sombra, uma casa, uma linha, ou mesmo pelo beijo enamorado em Paris.

CAMB APRESENTA EXPOSIÇÃO “AQUISIÇÕES RECENTES” Nos últimos dois anos, o CAMB apresentou uma exposição permanente com as obras mais emblemáticas dos artistas portugueses da coleção Manuel de Brito, de Amadeo de Souza-Cardoso a Julião Sarmento. Agora, nesta nova exposição, dá-se continuidade a essa apresentação inserindo novos artistas com obras recentes. Rui Ferreira, David Oliveira, Pedro A.H. Paixão e Pedro Vaz vão expor pela primeira vez no CAMB. Doutros a que já nos habituámos a ver, como Gabriel Abrantes, Ricardo Angélico, Isabelle Faria, João Francisco, Pedro Gomes, Cristina Lamas, João Leonardo, Fátima Mendonça e Rui Serra, apresentam-se obras que ainda não foram mostradas. De Paula Rego dá-se a ver uma obra de 2012, Do you remember an Inn, Miranda? E pela primeira vez reúne-se um núcleo significativo de artistas estrangeiros. De 21 de Junho a 22 de Setembro. Sábado

Por Desidério Zeffir

Regente: MARTE – 21/3 a 20/4

RETROSPECTIVA DE MARIA DE LOURDES DOS SANTOS PINTO O Museu Anjos Teixeira inaugurou a 28 de junho uma exposição retrospeCtiva de Maria de Lourdes dos Santos Pinto. A sua aCtividade artística desenvolveu-se sobretudo entre 1944 e 1974. Na sua obra destaca-se uma enorme capacidade para o desenho e na escultura para a modelação da figura humana. A artista trabalhou no atelier do escultor Barata Feyo e participou em várias exposições, individuais e colectivas, tendo exposto ao lado de consagrados artistas portugueses e estrangeiros, entre os quais se destacam: Martins Correia, António Duarte, Hansi Steal, António Lino, Molina Sanchez, Maria Luísa Tavares, Milly Possoz ou Bernardo Marques. A mostra fica patente até ao dia 29 de Setembro.

Sexta

15

EXPOSIÇÃO DE ESCULTURA AO AR LIVRE NA VOLTA DO DUCHE A exposição de Escultura ao Ar Livre – Sintra Arte Pública, conta este ano com a 9ª edição. À semelhança de anos anteriores, tem lugar na Volta do Duche, em pleno centro histórico. Organizada pela Câmara de Sintra, em colaboração com o Centro Internacional de Escultura, esta exposição, este ano sob o tema “Os Mitos e a Mitologia”, apresenta trabalhos de 18 escultores de várias nacionalidades. Até 10 de Junho do próximo ano, será possível apreciar estas 18 esculturas, cuja matéria-prima é a pedra. Esta é mais uma iniciativa da autarquia de Sintra, enquadrada na estratégia de consolidação da marca “Sintra, Capital do Romantismo”.

SAGITÁRIO

Regente: JÚPITER – 22/11 a 21/12

Amor: Neste momento da vida há que aprender o que fazer num período em que pouco dispõe para oferecer… Trabalho: É chegado o momento de dar a todos os que o/a rodeiam. Partilhe… Saúde: Cuidado com as gorduras!

CAPRICÓRNIO

Regente: SATURNO - 22/12 a 20/1 Amor: Sempre que brilha o sol deseja ser um(a) amante para a vida inteira… e quando chove? Trabalho: Momento repleto de algumas dúvidas que podem deixar alguma inquietação… Saúde: Nada de importante a assinalar.

AQUÁRIO

Regente: URANO – 21/1 a 19/2

Amor: Há sempre alguém perto de nós disponível para nos ajudar em momentos pouco felizes. Trabalho: Tem junto de si algo que permitirá colocar em marcha para o/a ajudar… Saúde: Deixe para trás a tristeza e viva a sua vida.

PEIXES

Regente: NÉPTUNO – 20/2 a 20/3 Amor: O encanto pela vida poderá tentar demonstrar que há muito mais a fazer nesta caminhada… Trabalho: Está farto(a) da sua actividade profissional, mas tudo parece continuar igual. Saúde: Nada de importante a assinalar.


16

Publicidade

Sexta-feira13deSetembro2013

Edição 155  

Edição 155

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you