Page 3

editorial | financeiro

e

A hora dos propósitos convergentes

EO

TEMPO DE CRESCER

ntramos em 2017 com a é necessário priorizar, checar as Brasil está próximo de reenNo entanto, é importante não perder certeza de que teremos despesas e receitas e onde é poscontrar um momento de maior de vista que temos pela frente desafios a mais um ano repleto Pode sível racionalizá-las. Trata-se estabilidade da economia. serem resolvidos. Independentemente de de demos ver sob dois ângulos. quem esteja frente do próximo desafios. Poro mundo um lado, observafazer um àdiagnóstico, umgover“check A ACREFI prefere observar a realidade no, é fundamental que esteja absolutamos um pequeno aumento da up” completo da empresa. sempre pela “metade cheia do copo”. mente comprometido com o equilíbrio confiança dos agentes sugerem econômidisso, precisamos estar Isso porque os indicadores que fiscalAlém e, consequentemente, com a reum horizonte promissor nos forma da Previdência. Temos, cos,teremos embora ainda prevaleça a atentos para a onda deportanto, pessimispróximos olharmos, por motivos reforçar nossotoma olhar na cautela. De meses. outro,Basta cresce a apremo quepara cada vez omais conta exemplo, o último relatório da Fenabra“metade cheia do copo”, sem esquecer os ensão com o ritmo da retomada do País. Com tantas pessoas vative, que aponta crescimento de 3,7% nas desafios que permanecem. do crescimento, que a maiocinando vai dar certo, vendas de veículos no para primeiro semesPor tudoque isso, não precisamos de uma tre, confirmando a previsão Anfavea positiva, com base em autorrealitodos os ria ainda está mais lentodado que aagenda profecia tende a se HILGO GONÇALVES: de expansão de 4% até o fim do ano. fatores favoráveis ao nosso País. A hora, presidente da ACREFI se previa inicialmente. zar. O antídoto a essa situação é Tivemos também, no mesmo período, a sim, é de cada um fazer sua parte, traEssa percepção sobrede trabauma acreditar quevezo mais Brasil jeito e recuperação de 67,4 mil postos balhando cada em tem conjunto Hilgo Gonçalves: lho. Além disso, a aprovação da reforma pelo crescimento do Brasilnão em todos os suposta demora na retomada que essa verdade se baseia TEMOS MOTIVOS presidente da ACREFI trabalhista trouxe um importante avanlugares – na família, no trabalho, na soganhou mais força em novembro, em um pensamento ingenuamenço nas relações de trabalho e perspectiva ciedade, nas associações, etc. Esteja onde PARA REFORÇAR O quando divulgado que o PIB te um país para a foi abertura de novas vagas. vocêpositivo. estiver, leveTemos uma mensagem positi-com apresentou retração de 0,8% terceiro trimestre. muitos eNA muitosva,pontos positivos, A inflação, por sua vez, atingiuno pata“olhe a parte cheia do frequentemencopo”. NOSSO OLHAR mares inferiores de 4,5%, criando boas Nós, da ACREFI, trabalhamos nessa que O clima foi de decepção para a maioria da socieda- te esquecidos em razão das dificuldades “METADE CHEIA condições para a queda da taxa de juros direção em todas as nossas iniciativas, de. Ée compreensível que tenha havido essa reação, enfrentamos, mas que precisam ser lembrados e para a redução da meta inflacionária tais como reuniões, debates, canais de masnos não se pode ponderar DO que oCOPO”, País enfatizados, vão nos eajudar saireventos da crise. SEM e que próximos anos. deixar São dadosde positivos comunicação tambéma nos sinalizam a economia que nessa promovemos, incluindotemos o 12º que estáque vivendo umqueperíodo, quecomeça, começou no ano pasPara ter êxito empreitada ESQUECER OS aos poucos, a se descolar dos aconteciSIAC (Seminário Internacional ACREsado e irá até 2018, no qual teremos, todos nós, de ter o pensamento e a ação sempre voltados para mentos políticos. Isso é resultado, em FI), marcado para o dia 21 de novemDESAFIOS QUE fazer uma grande e necessária lição de casa para propósitos convergentes. Em um de tangrande parte, do fato de termos instibro, que terá como tema cenário “Brasil, Tempo sólidas e um financeiro Crescer”. que tuições o Brasil volte aossistema trilhos, ao mesmo tempo em tas dificuldades,denão cabe o individualismo nem a PERMANECEM robusto e respeitado, cuja agenda BC+ Nós já enfrentamos muitas crises em que teremos que refrear nossa ansiedade por uma busca por soluções que atendam a um determideixa bastante claro o posicionamento nosso país e sempre saímos fortalecidos melhora rápida da economia brasileira. nado grupo. deserá convergência, todos do regulador. delas e agoraénão diferente. O BraPela ótica do consumo, temos aindaO momento ANo tarefa é árdua, mas elogiar precisamos nos empetendo das como interesses setor agrícola, devemos os a redução sil é muitonúmero maior, porum maisos graves que do endividamento famí-prioridade fatores positivos gerados por uma safra elas sejam. Vamos juntos na direção de lias e um maior controle orçamentário, nhar para cumpri-la. Nesse sentido, é importante do Brasil. excepcional, beneficiando a renda, o em- que têm permitido uma progressiva re- um novo Brasil e de um novo amanhã. que prego, cada asum de nós assuma o protagonismo que Como se vê, serão muitos os obstáculos a negociações de implementos cuperação do comércio, em ambiente de A Nação exige que cumpramos essa a situação exige. Ose oproblemas grandes e, enfrentar nestemissão, ano. pela No constante entanto,melhoria não podemos agrícolas, os veículos aumento das são da soconsumo mais consciente e sustentável. exportações, que também estão entre os ciedade brasileira e, principalmente, Aliás, o consumo e o uso consciente do alguns deles, complexos, mas não se pode atribuí- esquecer de que já convivemos com outros períretomada da economia, inclu- crédito, por meio da educação financei- pelo legado que deixaremos para as ge-los fatores aos da“outros”. Uma frase define a postura odos de crise e saímos deles, por mais intranssive pelo lado industrial. rações futuras. f ra, são bandeiras da ACREFI. correta a adotar nesse caso: “É comigo mesmo!”. poníveis que parecessem os obstáculos. Entre as Julho 2017 situações, FINANCEIRO 3ficou Não se pode terceirizar nossa responsabilidade, lições que aprendemos dessas nem podemos nos omitir frente às dificuldades. É claro que cada um deve fazer sua parte, sempre

Financeiro 104/Julho 2017  

A revista do crédito

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you