Page 3

editorial

A hora dos propósitos convergentes

E

ntramos em 2017 com a é necessário priorizar, checar as certeza de que teremos despesas e receitas e onde é posmais um ano repleto de sível racionalizá-las. Trata-se de desafios. Por um lado, observafazer um diagnóstico, um “check mos um pequeno aumento da up” completo da empresa. confiança dos agentes econômiAlém disso, precisamos estar cos, embora ainda prevaleça a atentos para a onda de pessimiscautela. De outro, cresce a apremo que cada vez mais toma conta ensão com o ritmo da retomada do País. Com tantas pessoas vatido crescimento, que para a maiocinando que não vai dar certo, ria ainda está mais lento do que a profecia tende a se autorrealise previa inicialmente. zar. O antídoto a essa situação é Essa percepção sobre uma acreditar que o Brasil tem jeito e Hilgo Gonçalves: suposta demora na retomada que essa verdade não se baseia presidente da ACREFI ganhou mais força em novembro, em um pensamento ingenuamenquando foi divulgado que o PIB te positivo. Temos um país com apresentou retração de 0,8% no terceiro trimestre. muitos e muitos pontos positivos, frequentemenO clima foi de decepção para a maioria da socieda- te esquecidos em razão das dificuldades que de. É compreensível que tenha havido essa reação, enfrentamos, mas que precisam ser lembrados e mas não se pode deixar de ponderar que o País enfatizados, e que vão nos ajudar a sair da crise. está vivendo um período, que começou no ano pasPara ter êxito nessa empreitada temos que sado e irá até 2018, no qual teremos, todos nós, de ter o pensamento e a ação sempre voltados para fazer uma grande e necessária lição de casa para propósitos convergentes. Em um cenário de tanque o Brasil volte aos trilhos, ao mesmo tempo em tas dificuldades, não cabe o individualismo nem a que teremos que refrear nossa ansiedade por uma busca por soluções que atendam a um determimelhora rápida da economia brasileira. nado grupo. O momento é de convergência, todos A tarefa é árdua, mas precisamos nos empe- tendo como prioridade número um os interesses nhar para cumpri-la. Nesse sentido, é importante do Brasil. que cada um de nós assuma o protagonismo que Como se vê, serão muitos os obstáculos a a situação exige. Os problemas são grandes e, enfrentar neste ano. No entanto, não podemos alguns deles, complexos, mas não se pode atribuí- esquecer de que já convivemos com outros perí-los aos “outros”. Uma frase define a postura odos de crise e saímos deles, por mais intranscorreta a adotar nesse caso: “É comigo mesmo!”. poníveis que parecessem os obstáculos. Entre as Não se pode terceirizar nossa responsabilidade, lições que aprendemos dessas situações, ficou nem podemos nos omitir frente às dificuldades. É claro que cada um deve fazer sua parte, sempre preciso arregaçar as mangas e partir para a ação, pensando no conjunto. Dessa forma teremos, sim, e fazer a nossa parte nesta retomada. um país consciente, forte e sustentável, como Em períodos como este que estamos vivendo merecem o Brasil e as gerações futuras. também é fundamental fazer um diagnóstico dos Desejamos um 2017 de realizações e que ele nossos negócios. Deve-se definir, por exemplo, seja melhor que 2016. quais são os pilares mais importantes, o que Todos pelo Brasil, pois juntos venceremos. f

janeiro 2017 FINANCEIRO

3

Financeiro 101/ Janeiro 2017  

A revista do crédito

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you