Page 1

N.º 1 MAIO DE 2013

NESTA EDIÇÃO O CANDIDATO

2

ENTREVISTA

2

APRESENTAÇÃO

4

“A MADRINHA”

6

FOTOGRAFIAS

7

www.acreditar2013.pt

http://www.facebook.com/acreditar2013


02 ACREDITAR EM MONÇÃO

MAIO DE 2013

O C A N D I D AT O António José Fernandes Barbosa nasceu em 5 de março de 1976, tem 37 anos de idade, filho de Antonino Pires Barbosa e Belmira Cândida de Campos Fernandes Barbosa. É o mais velho de três irmãos. Estudou nas Escolas Primária, Preparatória e Secundária de Monção. Em 1994 rumou à Cidade do Porto onde estudou e

Armando Fontainhas Vice-Presidente da Adega Cooperativa de Monção “O António é uma pessoa jovem, dinâmica, capaz. É uma pessoa que vai trazer uma renovação ao concelho, que tem boas ideias para este concelho, que pretende trazer de volta o desenvolvimento e retirar Monção da estagnação que esteve nos últimos anos. O protejo político do António tem a ver com o desenvolvimento do concelho, tem a ver com uma aposta na juventude, uma aposta na educação e uma aposta no sector agrícola. O sector primário tem estado abandonado desta política ao longo dos anos, não tendo havido qualquer apoio para os agricultores, nomeadamente para os viticultores, e o António vai apoiar a dinamização deste sector. O António vai ajudar os jovens a conseguirem a sua fixação no concelho. A juventude de Monção, muita dela com formação superior, vêse obrigada a emigrar ou a migrar internamente para outros destinos, em virtude de em Monção não existirem oportunidades de emprego capazes para os nossos jovens.”

Catarina Soares Advogada “É com grande orgulho que me juntei a esta luta por Monção, pelos monçanenses, com o António Barbosa. Uma pessoa que sempre pautou a sua vida pública pelo serviço dos outros e não para servir-se dos outros. Uma pessoa que desempenhou sempre as suas funções com convicção nos seus projetos e nas suas causas. Por isso estamos juntos por Monção.”

se formou em Economia e Gestão de Empresas. Em termos profissionais é, desde agosto de 1999, trabalhador do Ministério das Finanças, estando neste momento a exercer funções de auditor interno. É casado desde maio de 2009 com Liliana Andreia Martins Pinheiro Barbosa e é pai de uma menina de 6 meses, a Bárbara.

E N T R E V I S TA A O C A N D I D AT O Pergunta: Ficou impressionado com a enorme adesão de monçanenses ao ato de apresentação da sua candidatura no passado dia 20 de abril? António Barbosa: Confesso que fiquei bastante emocionado com a adesão dos meus conterrâneos à minha apresentação. Foi um passo ambicioso de cujo sucesso alguns duvidavam, mas que constituiu um momento muito feliz que ficará gravado na minha memória. Como diz a sabedoria popular, sempre que iniciamos um novo projeto é muito importante que o façamos com o pé direito. E acho que é este o termo adequado: iniciámos este caminho com o pé direito. P: Algumas pessoas encaram a sua idade como um óbice à sua candidatura. Que tem a dizer a isso? AB: Sinceramente essa é uma falsa questão. Eu tenho 37 anos de idade, uma formação académica, uma família e uma carreira profissional no Ministério das Finanças da qual me orgulho e que contará, no próximo mês de agosto, com 14 anos. Orgulho-me de nunca ter vivido à sombra de qual-

quer cargo político ou partidário, tendo conquistado a minha vida com base no meu esforço e nas minhas qualidades enquanto pessoa. Julgo que estes atributos contrariam com facilidade essa afirmação. E com muita consideração por quem pensa o contrário, devo dizer que nunca a idade foi ou será um argumento desprestigiante para quem quer que seja. Mais importantes são as convicções, o carácter, a forma de estar e o projeto que temos a apresentar aos nossos concidadãos. Relembro-lhe, a propósito de idade, que o Pre-

sidente Kennedy foi eleito, como 35.º presidente do Estados Unidos, com 44 anos, tendo marcado para sempre a vida política americana e mundial. Há momentos da vida social em que é necessária uma renovação geracional - claramente acho que este é o momento. P: Já estão a ser escolhidas as pessoas que integrarão o projeto do partido, seja ao nível da Câmara Municipal, Assembleia Municipal ou Assembleias de Freguesia? AB: Antes de lhe responder a essa questão, deixe que lhe refira que as pessoas para mim não são simples números ou peças de puzzle a encaixar em determinados lugares e que respeito muito as opções das pessoas, pelo que nunca pressionarei quem quer que seja para estar nas nossas listas. Pretendemos e estamos a construir uma “gran-

de família” onde relações pessoais e de amizade se estão a construir e donde irão sair, de forma natural, os candidatos à Câmara Municipal, Assembleia Municipal e Assembleias de Freguesia. Esta é a única forma de todos trabalharmos e estarmos centrados num objetivo que é comum a todos: Monção e os Monçanenses. Respondendo agora diretamente à sua questão, é óbvio que já nos encontramos a escolher as pessoas que integrarão as nossas diferentes listas aos diversos órgãos. Dentro do espírito que anteriormente lhe referi, poderei dizer que já temos alguns amigos que estão disponíveis para aceitarem o desafio de se candidatarem aos diferentes órgãos que referiu, sendo o rosto de candidaturas que considero bastante coesas e com fortes possibilidades de obterem uma aprovação maioritária por parte da população. Ao


ACREDITAR EM MONÇÃO MAIO DE 2013 03

E N T R E V I S TA A O C A N D I D AT O

nível das listas para as Assembleias de Freguesia poderei afirmar que nunca o PSD, depois de ter saído do poder, teve tantas candidaturas como aquelas que irá apresentar neste processo autárquico, sendo o meu desejo apresentar, salvo situações especiais, candidaturas à generalidade das freguesias. P: Teme que a situação atual do país, com o clima generalizado de contestação ao PSD nacional possa ser penalizador para o partido a nível concelhio? AB: Penso sinceramente que não. Os cidadãos são cada vez mais informados e saberão distinguir as situações. A nível autárquico votase mais pelas pessoas e menos nos partidos. A candidatura que iremos apresentar será obviamente em nome do PSD, mas acima de tudo supra partidária. Nas nossas listas constarão, tanto ao nível das Freguesias como para a Câmara e Assembleia Municipal, militantes, simpatizantes, independentes e até pessoas que se revêm mais noutras forças políticas mas que estarão connosco porque, acima de tudo, acreditam no nosso projeto e nas pessoas que o integram. P: O PSD Monção tem obtido nas últimas eleições para a Câmara e Assembleia Municipal resultados muito aquém das expetativas. O que espera das próximas eleições autárquicas? AB: Estou profundamente convicto que vamos ga-

nhar as eleições. Todas as pessoas que se encontram envolvidas neste processo, e já são muitas, acreditam, cada vez com mais força, que essa vitória é possível e até desejável. Nesta fase é inegável para todos os monçanenses que o PSD Monção é detentor de uma nova energia, que permite aos seus simpatizantes e militantes reverem-se no partido e acreditarem em si como uma verdadeira alternativa política ao atual executivo municipal. Esta era condição essencial para podermos abrir o partido à sociedade civil, permitindo desta forma a aproximação do partido às pessoas e dandonos a possibilidade de auscultar o sentir e as necessidades das populações, o que é fundamental para um partido político. Se pretende um indicador, reafirmo-lhe que o PSD apenas não apresentará listas às assembleias de freguesia em que

existam grupos de cidadãos que estejam a constituir listas independentes, que mereçam a nossa confiança e simpatia. P: O que o leva a acreditar que o PSD pode ganhar as próximas eleições? AB: O que me leva a acreditar é o contacto com as pessoas nas diversas Freguesias do Concelho, com as associações e com as próprias pessoas que fazem parte dos atuais executivos em funções nas diversas juntas de freguesia. O sentimento de mudança começa a ser generalizado e transversal a toda a sociedade de Monção, o que já leva, inclusivamente, muita gente a procurar-nos e tentarem, de alguma forma, dar contributos para que sejamos bemsucedidos. O PSD Monção tem as portas abertas a todos aqueles que gostam da nossa terra, querem um futuro sustentável para a mesma e que, acima de tudo, acreditam em nós. P: Como vê o futuro de Monção? AB: Tenho muita confiança no futuro de Monção. Temos muitas coisas boas que nos fazem acreditar na nossa terra, designada-mente pessoas capazes de trabalhar em prol de Monção e de levar cada vez mais longe o seu nome, paisagens deslumbrantes, a nossa floresta muito diversificada, o Rio Minho, o Vinho Alvarinho, as nossas diversas e multifacetadas associações e

coletividades e uma vila lindíssima, apesar de necessitar de um projeto profundo de reabilitação. Vislumbro que seja necessário e urgente saber unir esforços, de forma a todos, em conjunto, conseguirmos ultrapassar este período muito difícil com competência e sabedoria, porque os períodos de crise são, quando bem aproveitados, períodos de grandes oportunidades. Com inteligência e uma estratégia adequada podemos fazer com que o nosso concelho saia mais forte e robustecido desta fase menos boa da economia nacional e europeia. P: Quer deixar alguma mensagem aos Monçanenses? AB: Quero acima de tudo deixar uma mensagem de esperança a todos. Todos sabemos que 2013 não está a ser um ano fácil para ninguém e, principalmente para aqueles que estão ou ficaram desempregados recentemente. Aquilo que podemos desde já garantir a todos é que o projeto apresentado pela minha candidatura às próximas eleições autárquicas de outubro terá um grande pendor de ação social e ao apoio a quem mais necessita de ajuda: desempregados, crianças, pessoas idosas. Não esquecendo como é óbvio a economia. Porque só com uma economia saudável e próspera podemos criar riqueza para distribuir.

José Temporão Monte Vereador da Câmara Municipal de Valença “Acreditar em Monção é acreditar numa equipa dinâmica, numa equipa jovem, numa equipa que volte a pôr Monção no mapa. Hoje temos um grupo de jovens que têm como objetivo devolver a Monção as suas origens. Acreditar em António Barbosa é acreditar, no fundo, numa ideia, num projeto que devolva aos monçanenses o valor e o sentimento de ser monçanense. É acreditar no turismo, acreditar no património, no comércio e nas nossas gentes. É esse o objetivo, é esse o projeto que define esta candidatura. Monção, uma vila dinâmica, uma vila que procura, junto do enquadramento social e do Alto Minho, uma forte dinâmica no âmbito do papel do turismo, da gastronomia, do comércio e da indústria. Temos que acreditar nesta equipa, acreditar nestes jovens que se apresentam às eleições autárquicas, para que devolvam a Monção o seu valor, a sua essência. Acreditar em Monção é acreditar nas pessoas certas para os lugares que Monção merece. Acreditar em António Barbosa é acreditar numa equipa dinâmica, nos jovens valores que Monção procurou e encontrou.”

Agostinho Dias Alves Gerente Bancário “Eu conheço o António desde a minha infância, é meu amigo, é de confiança, tem dinamismo e novas ideias, e, acima de tudo, ama Monção! Nesta fase é a escolha adequada, é tempo de novas soluções.”


04 ACREDITAR EM MONÇÃO

MAIO DE 2013

A P R E S E N TA Ç Ã O D A C A N D I D AT U R A MAIS DE MEIO MILHAR DE MONÇANENSES NA APRESENTAÇÃO DA CANDIDATURA

Alzira Fernandes Professora “Conheci o António Barbosa quando tinha seis anos e ele entrou para o primeiro ano da escola primária. Foi meu aluno durante quatro anos. Era um aluno inteligente, educado, correto e muito sociável. Foi sempre muito bom aluno. Hoje é bom profissional, empreendedor, trabalhador e conhece o concelho de Monção e as suas necessidades. Já mostrou interesse em melhorar as condições de vida da população do concelho de Monção. Reúne, a meu ver, as condições necessárias para vir a ser um bom Presidente da Câmara de Monção. Por tudo isso e pela vontade que ele tem em trabalhar para melhorar o concelho de Monção, eu apoio a candidatura do Dr. António Barbosa à Câmara Municipal de Monção.”

Marco Fernandes (Bina) Jogador de Futebol do Desportivo de Monção “O António é a pessoa certa para Monção. É um jovem empenhado, dinâmico e empreendedor que tem conhecimento de todas as dificuldades e de todas as potencialidades da nossa terra que é Monção. Daí que possa combater todas essas dificuldades da melhor forma e potencializar todas essas potencialidades que Monção tem. O António é um jovem com ideias novas e frescas que irá ajudar a melhorar Monção.”

No passado dia 20 de abril, o PSD de Monção realizou a cerimónia de apresentação do seu candidato à Câmara Municipal de Monção, António Barbosa. Começando por ser um final de tarde animado, aos sons da tradição, com bombos e concertinas, foi um evento marcado pelo mote: Acreditar em Monção e que contou com a presença de mais de meio milhar de monçanenses que se quiseram associar ao acontecimento, tendo decorrido na histórica Praça Deu-laDeu, numa tenda propositadamente montada para o efeito. António Barbosa proferiu um discurso emotivo, que cativou todos aqueles que marcaram presença, tendo agradecido a todos aqueles que têm ajudado a construir este novo projeto para Monção: “ Permitam-me que agradeça ao meu partido e aos seus militantes a confiança que depositam em mim para liderar este projeto. E que aproveite, também, para agradecer a todos aqueles que têm demonstrado amor à sua terra e que já se disponibilizaram a integrar as listas do Partido e me têm vindo a ajudar neste caminho!”. A Juventude Social Democrata também foi alvo de um agradecimento especial

por parte do candidato, que expressou “Saliento, ainda, a nossa dinâmica e corajosa JSD – com jovens assim… é muito fácil acreditar que Monção tem futuro!”. António Barbosa ressalvou que “É de nós que se espera um projeto novo, com novos ideais e com uma renovada vontade de acreditar em Monção! Para isso é imperiosa uma nova liderança que volte a galvanizar e a unir todos os monçanenses, reavivando o nosso legítimo sonho de desenvolvimento! Uma liderança que coloque os monçanenses em primeiro lugar, pensando nas suas necessidades mais prementes. Esse papel incumbe ao PSD! É preciso pensar Monção de forma estruturada e ponderada, o que implica mudar de paradigma, equa-

cionando as melhores soluções para os nossos problemas: maior criação de riqueza, melhores condições de trabalho, melhores comunicações e melhor rede social.” Na sua intervenção, António Barbosa, e traçou as grandes linhas de orientação do seu programa eleitoral. O candidato afiançou que “Com um rumo certo, colocaremos Monção na rota dos locais mais visitados do Norte do País.” e acrescentou “Vamos fazer de Monção um centro de turismo de excelência assente na nossa gastronomia, na nossa paisagem, no nosso vinho e na nossa forma hospitaleira de receber quem nos visita.” “Adicionalmente importará repensar a estratégia face

à economia e ao tecido empresarial do concelho, em especial os vinhos e o turismo, que apesar da falta de apoios específicos por parte da autarquia, se tem destacado no cômputo nacional sendo sinónimo de pioneirismo e modernidade.” proferiu António Barbosa. “O projeto por mim liderado contemplará a criação de estruturas complementares à atividade económica que permitam consolidar a posição geoestratégica de Monção no espaço da EuroRegião Norte de PortugalGaliza, bem como potenciar a oportunidade gerada pelo impacto positivo da Plataforma Logística de Salvaterra/ Neves. Assim, aumentaremos a competitividade económica e empresarial da região e criaremos novos e inovadores projetos empre-


ACREDITAR EM MONÇÃO MAIO DE 2013 05

A P R E S E N TA Ç Ã O D A C A N D I D AT U R A

sariais. Através desta ação vamos procurar gerar riqueza e promover a regeneração do tecido empresarial da Região.” António Barbosa acrescentou “Vamos, ainda, associar incentivos autárquicos fiscais e parafiscais às empresas e ao investimento realizado no concelho. Nós vamos fazer do MinhoPark uma realidade útil e economicamente frutuosa para o Concelho!”. Neste discurso, como não poderia deixar de ser, o candidato proferiu algumas palavras acerca do comércio tradicional, que tem sido alvo, ao longo de vários meses, de um carinho especial por parte do Partido Social Democrata, “Mas, não se poderá esquecer, que o comércio tradicional faz parte da identidade ancestral do

nosso concelho, do nosso ADN coletivo! E a sua sobrevivência deverá merecer também a nossa especial atenção, através, por exemplo, da criação de um gabinete de apoio ao empreendorismo e ao comércio tradicional e o desenvolvimento de programas de apoio. Assumo esse compromisso: Vamos dar vida às zonas de comércio tradicional de Monção, requalificando-as!” As diversas freguesias do concelho também não foram esquecidas e mereceram algumas referências “Quero que o nosso concelho se desenvolva de forma harmoniosa e sustentada, em que cada freguesia seja olhada positivamente nas suas particularidades e em função das suas potencialidades, e se desenvol-

vam de forma integrada e homogénea, criando novos polos de centralidade e novos centros cívicos em cada uma delas. Para mim todas as freguesias de Monção terão de ser de primeira e iguais em direitos!”. Numa fase em que o País e o Concelho se encontram a braços com uma forte crise económica, o candidato não pode deixar de proferir algumas palavras que visam, segundo palavras do próprio, a construção de uma sociedade monçanense mais solidária e fraterna, “É também preciso não esquecer as pessoas, em especial as mais necessitadas e excluídas, é imperioso promover o aperfeiçoamento da política e da rede social de forma a minorar o sofrimento e as dificuldades sentidas.”. Relativamente às políticas de juventude e educação, António Barbosa ressalvou que merecerão uma atenção muito especial da parte dum futuro executivo por si presidido, tendo afiançado que “Estas duas áreas constituem um binómio de sucesso de qualquer comunidade e, devem estar, acima de quaisquer interesses político–partidários, devendo-se promover políticas incrementais bem pensadas e ponderadas, num ambiente pacífico, que possibilite opções serenas e eficazes ao serviço da comunidade. Porque só com uma educação de primeira, podemos ambicionar ter um concelho de primeira!”. A racionalização de gastos autárquicos, o equilíbrio das contas municipais e a desburocratização processual, também são preocupações do futuro Presidente da Câmara Municipal de Monção, que proferiu “Não poderia deixar de referir também o compromisso de praticar uma política de obtenção de receita moderada, regularizando as contas camarárias por via da redução das despesas, em especial as mais sumptuosas e desnecessárias, que permitirão, entre

outras, a redução das taxas de ligação ao saneamento e abastecimento de água. Empreenderemos também, uma nova política de simplificação de licenciamentos, mais céleres e económicos. Vamos baixar as taxas autárquicas e simplificar os licenciamentos!”. António Barbosa tem já delineados alguns projetos e ideias para o Concelho de Monção, mas esta candidatura “visa: devolver Monção aos Monçanenses. Fazendo-os voltar a Acreditar na nossa terra… Acreditar em Monção.” Nesse sentido pretende “a convocação de todas as forças vivas do Concelho, para que, com as suas opiniões e empenho, possam dar amplitude e ajudar na construção da nova governação autárquica.” O candidato acrescentou que “Só mobilizando os melhores, conseguiremos encontrar os caminhos que façam de Monção um Concelho audaz, com uma nova vontade de acreditar no seu futuro. É este o momento de construirmos o nosso sonho… Acreditemos em Monção! Juntos, faremos uma reflexão aberta e plural com a sociedade civil, tendo por base os grandes vetores temáticos que constituirão as pedras basilares do nosso programa e da nossa futura atuação à frente dos destinos do município de Monção. Quero que os monçanenses voltem a Acreditar nas suas potencialidades e na sua terra. Quero construir uma nova atitude de relacionamento entre os eleitos e os eleitores, valorizando sempre a proximidade entre a autarquia e os monçanenses.” “Eu acredito em Monção! E sei que vocês também acreditam.” Estas foram as palavras de encerramento desta intervenção que galvanizou os Monçanenses para o combate que se avizinha e para uma verdadeira mudança no Concelho de Monção.

Armindo da Ponte Vice-Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Monção “Conheço o António Barbosa há algum tempo. Diria que suficiente para poder sobre ele manifestar a minha convicção de que se trata da pessoa certa para poder ocupar tão difícil cargo, sobretudo nos tempos conturbados que de facto vivemos. Creio que reúne todas as condições que se pedem a um jovem presidente de câmara e esta é, desde logo, a primeira grande capacidade e qualidade que eu aqui posso referir — a juventude — porque a juventude tem de facto ideias novas, tem projetos ambiciosos e esse é um aspeto que queria saudar. Na altura, uma das facetas que me era apontada era essencialmente o ser bastante jovem. É isso que eu reconheço também no nosso candidato, no António Barbosa, que sendo uma pessoa jovem, é de facto a pessoa indicada para exercer as funções que são exigidas. Além disso, o António tem tido, desde há uns tempos a esta parte, uma preparação adequada. Tem-se preocupado de facto em conhecer as reais necessidades e também as potencialidades que tem um concelho como Monção e creio que, nesta altura, poderá resultar, de facto, numa candidatura plena de sucesso e de êxitos. Creio que, genericamente, se lhe pode apontar um grande dinamismo, é um elemento congregador, unificador de várias tendências e de várias sensibilidades. Atendendo àquilo que tem sido os últimos anos de gestão do município de Monção, creio que é notório e evidente que os munícipes querem que haja de facto uma mudança e o António é a pessoa capaz de encarar essa mudança.”


06 ACREDITAR EM MONÇÃO

MAIO DE 2013

A “MADRINHA” D A C A N D I D AT U R A PRESIDENTE DA CÂMARA DE CAMINHA, JÚLIA PAULA COSTA, É A MADRINHA DA CANDIDATURA DE ANTÓNIO BARBOSA

Antónino Barbosa Pai O António é uma pessoa muito boa e que respeita muito os pais, os amigos, os irmãos. Sempre foi um bom estudante, uma pessoa educada, é amigo de toda a gente e toda a gente é amiga dele. O António é uma pessoa honesta, é um bom pai, é um bom filho.... O António é um orgulho para o pai, é um orgulho para a mãe e para os irmãos. Foi sempre assim desde pequeno, foi sempre uma pessoa sincera, trabalhadora, amiga… Acredito que o António é a pessoa indicada e que merece ganhar a Câmara de Monção.

Rui Rodrigues Estudante de Economia “António Barbosa é um homem sério, jovem, participativo e empreendedor. O António concilia a justiça, a dignidade e muita vontade de trabalhar. António é um homem da terra, é um homem nascido e criado no seio monçanense, que conhece melhor que ninguém as suas potencialidades, assim como as suas carências. É também uma pessoa dinâmica e pró-ativa. Convicto na sua competência, pelo trabalho desenvolvido, juntamente com a Juventude Social Democrata, o António implementará certamente no nosso concelho um futuro próspero, rentável, integrado. Fará da nossa região, com o apoio de todos os monçanenses, um concelho de progresso, justiça social e crescimento.”

A apresentação da candidatura do PSD à Câmara Municipal de Monção, que é liderada por António Barbosa, teve a honra de ser “apadrinhada” pela Presidente de Câmara de Caminha, Júlia Paula Costa, que está à frente dos destinos do seu concelho desde 2001 e é apontada como uma autarca modelo, pelo desenvolvimento e dinamismo que tem vindo a empreender. A madrinha, no seu discurso emotivo, teceu grandes elogios ao candidato, projetando o caminho profissional e de vida do candidato ao seu. Júlia Paula Costa começou a sua intervenção, contando o porquê de estar ali naquele dia “Quando o António me fez este convite, para vir falar, para dizer umas palavras na apresentação da candidatura dele, eu fiquei surpreendida... E questionei o porquê... «bem eu queria que fosse a doutora porque eu revejo-me muito na sua forma de estar, na sua forma de fazer política, revejome muito naquilo que constitui o seu trabalho no distrito e no concelho de caminha particularmente.» Imaginem a minha responsabilidade. E eu disse ao António então olha eu vou fazê-lo com todo o carinho e com todo o gosto sabes porquê, porque também me revejo muito na tua forma de estar na política, na tua forma de estar na sociedade e

porque também tens muito de dentificação e de identidade comigo. E é por isso que aqui estou única e simplesmente porque somos duas pessoas que acreditamos um no outro. E eu começo exatamente com a palavra “acreditamos”, começamos por acreditar um no outro. Estou porque eu acredito em ti e tu, estás aqui porquê António? estás aqui porque acreditas em ti, em primeiro lugar, e porque acreditas em Monção, em último e em primeiro lugar.” Júlia Paula Costa acrescentou “Eu acredito em ti porque acho que tu representas a maior riqueza que nós temos no país e é por isso que eu me congratulo com a presença de tantos jovens aqui hoje. A maior riqueza que nós temos num país são os nossos jovens, são a nossa juventude. A nossa juventude são o nosso futuro e vocês, que estão aqui e que são jovens, são a prova viva de que valeu a pena e que é importante acreditar em ti. Num país onde há tanto envelhecimento, num distrito em que o interior tem tanto envelhecimento, num país em que é tão difícil que as pessoas se envolvam na política, num país em que é tão difícil que as pessoas exerçam a sua cidadania, a sua obrigação de participação democrática na vida ativa. Então, digam-me lá, se não é uma grande riqueza que Monção tem, por ter

aqui este jovem que acredita no país que acredita no destino e que acredita, fundamentalmente, no seu concelho, que acredita em Monção e que quer um projeto de futuro para Monção. Querem maior riqueza? Eu também te digo uma coisa António tenho a certeza e acredito que os monçanenses vão saber dar valor a esse património e a essa riqueza. Vão saber acreditar que tu és um vencedor.” A Presidente da Câmara de Caminha aproveitou também este momento para relembrar um pouco do seu percurso profissional e a sua ligação ao pai do candidato, Antonino Barbosa, “Conheço muito bem o teu pai, foi meu chefe, ensinou-me algumas coisas... Eu acredito António que este homem, que é o teu pai, te deu grandes ensinamentos também, te deu grandes princípios de

vida e que tens nele um grande exemplo de trabalho e um grande exemplo de dedicação às causas, porque ele não se dedicou só ao trabalho. Quando acabou a sua jornada no trabalho entendeu que ainda tinha possibilidades e recursos para dar alguma coisa mais à sociedade e, por isso, sabemos todos o empenho, a dedicação, o profissionalis-mo e a competência com que ele tem desenvolvido a sua atividade à frente da adega cooperativa de Monção.” Júlia Paula Costa afiançou ainda “eu sei que aquilo que tu queres e a pretensão que tu tens para Monção é que ela não seja uma cidade ficcionalmente mas uma cidade em termos concretos. Aquilo que tu queres para Monção é que Monção seja uma referência no distrito, que Monção tenha desenvolvimento económico e que seja sustentável.”


ACREDITAR EM MONÇÃO MAIO DE 2013 07

FOTOGRAFIAS DA APRESENTAÇÃO DA CANDIDATURA


08 ACREDITAR EM MONÇÃO

MAIO DE 2013

Acreditar em Monção nº1  

O primeiro numero do jornal de campanha

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you