Page 12

A RECONSTRUÇÃO DO BRASIL da natureza do seu mandato: aprovar no Congresso as leis e as emendas constitucionais que permitam com o passar do tempo reconquistarmos o equilíbrio fiscal perdido. Ele não terá tempo para grandes reformas na Saúde, na Educação e na Segurança.

Mas pode, através de concessões e parcerias com o setor privado iniciar a recuperação da infraestrutura. E certamente vai mudar o sinal da política externa e de comércio exterior, para expulsar a ideologia e as fraternidades políticas com o populismo

EDUCAÇÃO:

Cláudio Moura Castro

MEC PRECISA ENTENDER BEM O SEU PAPEL Mesmo antes que os efeitos da recessão se manifestassem plenamente, o Brasil continuava entre os piores países no ranking da qualidade da educação. Piorou de lá para cá? Primeira retificação: o Brasil está na rabeira dos cerca de cinquenta países do PISA, mas esse teste só inclui um quarto dos países do mundo. E como são os mais avançados, isso significa apenas que estamos dentre os piores dos cinquenta melhores. Educação muda muito pouco de ano a ano. A “folhinha” da educação anda por decênios. Portanto, dois ou três anos não trazem mudanças perceptíveis. Continuamos tão ruins quanto antes. Há alguma medida que o novo

12

latino-americano, em benefício de uma integração com as economias mais importantes do mundo. Uma coisa é certa : o pior já passou. A recuperação vai levar tempo, mas a sociedade brasileira acordou. E isto é muito bom.

governo pode tomar, em caráter emergencial, para pelo menos evitar que os problemas se agravem? Um: A grande prioridade não pode deixar de ser para a Educação Básica. O resto, não apenas é detalhe, mas tem sua qualidade amplamente determinada pelo desempenho dos alunos que recebe. Dois: Como a Educação Básica é municipal e estadual, o MEC não manda diretamente nela. Portanto, precisa usar uma combinação de avaliação e estímulos financeiros para impulsionar o sistema na boa direção. Com a montanha de programinhas de financiamento disso ou daquilo, tal não é possível. É preciso mais foco. Três: É indispensável criar reais condições para a diversificação do

Economista e presidente do conselho consultivo da faculdade Pitágoras

Ensino Médio. É uma vergonha sermos o único país do mundo em que só há um modelo de escola e um só currículo para todos. Quatro: Cabe ao MEC produzir uma Base Curricular adequada e não uma trapalhada amadorística e ideológica. E, cinco: Precisamos de um Ministro de primeira grandeza. Ministrinho de quarto escalão nem se impõe dentro e nem fora do MEC.

JORNAL

Maio junho 2016  
Maio junho 2016  
Advertisement