Issuu on Google+

CORREIOS IMPRESSO ESPECIAL Nº 68001020/2001

DR/SC

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE MEDICINA

www.acm.org.br Nº277 - Novembro/Dezembro 2011

 1

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE MEDICINA Rodovia SC 401, Km4, n 3854 - Saco Grande Florianópolis/SC CEP 88032-005

Nova Diretoria ACM inicia gestão à frente de lutas históricas dos médicos catarinenses

ENVELOPAMENTO FECHADO PODE SER ABERTO PELA ECT.

A Gestão 2011-2014 da Associação Catarinense de Medicina foi empossada na noite de 21 de outubro. Os novos dirigentes da entidade iniciam mandato com destacadas ações em defesa da saúde da população, de condições adequadas de trabalho e da justa remuneração dos médicos em Santa Catarina.

2011 – Ano de Mobilização *Médicos rejeitam proposta do Plano SC Saúde *Suspensão do atendimento aos planos da Unidas *Protesto contra desrespeitos dos planos de saúde *Movimento em defesa do Sistema Único de Saúde


2 E

Editorial

75 A nos de nossa ACM

A

nova Diretoria da ACM tamente vai exigir, mais uma vez, a inicia sua gestão reafir- união de todos. mando seu compromisso O objetivo de reduzir distâncias ende fortalecer ainda mais tre a entidade e seus associados será as atividades associativas, científicas prioritário. Isso incluirá uma aproe representativas dos médicos catari- ximação especial com as Regionais nenses. As metas são ampliar a capa- Médicas de todo o estado, que se fará cidade da Associação em lutar pelas com viagens a diversos municípios. causas da categoria e consolidar ain- Acima de tudo, vamos ouvir os coleda mais sua credibilidade política ím- gas, vamos querer saber o que espepar frente à classe e junto àqueles que ram da sua representação associatidetêm o poder de decidir os rumos va, para poder projetar as ações em da saúde e do exercício da medicina. cada realidade específica. Com o cumprimento de suas missões, Também será foco de permanenconsolida-se a trajetória de sucesso de te atenção a face científica da ACM, 75 anos de história da ACM, aniver- no aprimoramento dos colegas de tosário que será comemorado em 2012, das as áreas de atuação, o que deve com o destaque merecido à mais anti- ser feito com um estreitamento ainga entidade médica de caráter estadu- da maior da relação da Associação al no solo de Santa Catarina. com as Sociedades de Especialidades. As últimas gestões da ACM realiza- Instrumentos já instalados para a disram importantes e indispensáveis ações seminação do conhecimento médico de modernização e de infraestrutura da serão incrementados, enquanto novas entidade, tornando-a apta a buscar sua ferramentas também já começam a autossustentabiliser estudadas para dade, em especial Vamos trabalhar incansavelmente, a efetiva atualização com o funcionado saber e o apermento do Centro de de maneira dedicada e determinada, feiçoamento da meEventos ACM, hoje dicina, que se reflehonrando o voto dos méum dos maiores tem diretamente na complexos de proqualidade do atendidicos que elegeram moções de toda a mento da saúde da região sul do Brasil. população. a nova Diretoria e seguinA Gestão 2011-2014 Por fim, a nova tem agora o desafio Diretoria reafirma do os passos de todos não apenas de manseu propósito de ter as conquistas já exercer seu papel aqueles líderes que já escrevealcançadas, mas de de integração da cair atrás das respostegoria médica, de ram com sucesso os capítulos tas ainda pendentes todas as maneiras na efetiva valorizajá citadas e ainda da história de nossa ACM ção do médico, que como aglutinadora necessariamente deve se traduzir numa de mãos e mentes. Certamente o fortamelhor remuneração e em condições lecimento da classe passa também pela adequadas de trabalho, nas suas mais capacidade de agrupar ideias e pessodiversas áreas de atuação, do consultó- as, de fazê-las dispostas ao congraçario aos bancos escolares. mento e à interação. Como a CASA DO Para isso, os dirigentes que agora MÉDICO CATARINENSE, a ACM aceita assumem a entidade associativa vão o desafio da união e conta com a colatrabalhar incansavelmente, de maneira boração de todos para alcançar as vitódedicada e determinada, honrando o rias que estão por vir. voto dos médicos que elegeram a nova Obrigado a todos pela confiança. Diretoria e seguindo os passos de toBoas festas! dos aqueles líderes que já escreveram os capítulos da história de nossa ACM. Aguinel José Bastian Junior A responsabilidade é grandiosa e cerPresidente

x p e d i e n t e

Informativo da Associação Catarinense de Medicina – ACM Rodovia SC 401, Km 4, Bairro Saco Grande - Florianópolis/SC Fone/Fax (48) 3231-0300 DIRETORIA Presidente Dr. Aguinel José Bastian Júnior Vice-Presidente Dr. Rafael Klee de Vasconcelos Secretário Geral Dr. Sérgio Marcos Meira Diretor Financeiro Dr. Fernando Graça Aranha Diretor Administrativo Dr. Esdras Camargos Diretor Científico Dr. Amberson Vieira de Assis Diretor de Publicações Científicas Dr. Ademar José de Oliveira Paes Junior Diretor de Patrimônio Dr. André Mendes Arent Diretora de Previdência e Assistência Dra. Rejane Gomes Diretor de Defesa Profissional Dr. Eduardo Nobuyuki Usuy Junior Diretor das Regionais Dr. Roberto Amorim Moreira Diretora Sócio-Cultural Dra. Concetta Esposito Diretor de Esportes Dr. Marcos Lázaro Loureiro Diretor do Departamento de Convênios Dr. Gianfranco Luigi Colombeli Diretora de Comunicação Dra. Eliete Magda Colombeli V I C E D I S T R I TA I S Sul: Dr. Renato Lopes Matos Planalto: Dr. Christian Luis Schenkel de Aquino Norte: Dr. Luiz Fernando da Silveira Lobo Cicogna Vale do Itajaí: Dr. Carlos Roberto Seara Filho Centro-Oeste: Dr. Ramiro Solla Camina Extremo-Oeste: Dr. Jorge Alberto Hazim DELEGADOS JUNTO À AMB Dr. Genoir Simoni Dr. Murillo Ronald Capella Dr. Jorge Abi Saab Neto Dr. Remaclo Fischer Junior Dr. Carlos Gilberto Crippa Dr. Théo Fernando Bub Dr. João Nilson Zunino Dr. Almir Adir Gentil Dr. Luiz Carlos Espíndola

Edição Texto Final – Assessoria de Comunicação Jornalistas Lena Obst (Reg. 6048 MT/RS) Denise Christians (Reg. 5698 MT/RS) Impressão Gráfica Darwin Tiragem 4.000 exemplares


3

Assembleia Geral de Médicos Catarinenses Unanimidade dos votos rejeita proposta do Plano SC Saúde Assembleia Geral de Médicos decidiu por unanimidade, no dia 7 de dezembro, na ACM, rejeitar a proposta do Plano SC Saúde, que tem como usuários cerca de 180 mil servidores públicos estaduais e seus dependentes em toda Santa Catarina. A categoria definiu que para recomendar o credenciamento à nova gestão do plano, que inicia suas atividades a partir de 1º de fevereiro de 2012, a remuneração dos médicos deve ter valores da CBHPM (Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos) vigente e plena, sem qualquer banda redutora. Por fim, a Assembleia deliberou que, apesar das adesões ao SC Saúde serem individuais, o COSEMESC (Conselho Superior das

Entidades Médicas de Santa Catarina) é o representante da categoria na negociação com o Governo do Estado e os gestores do plano. As decisões foram tomadas frente à proposta apresentada pela Secretaria de Estado da Administração, fruto de uma nova rodada de negociação ocorrida na noite anterior à Assembleia (6 de dezembro), com a presença do secretário Milton Martini. Na mesma ocasião, o secretário anunciou que o prazo de adesão ao plano foi estendido do dia 15 dezembro de 2011 para o dia 6 de janeiro de 2012. A Assembleia Geral foi conduzida pelos dirigentes do COSEMESC, com a coordenação do presidente da ACM, Aguinel

Médicos de todo estado votaram de maneira unânime nas deliberações da Assembleia de 7 de dezembro, na sede da ACM

Proposta do Plano SC Saúde à Assembleia Geral de Médicos REJEITADA 1. Procedimentos Diagnósticos e Terapêuticos – Honorários Médicos *CBHPM 5ª Edição menos 20% 2. Honorários Médicos relacionados em separado e com respectivo porte 3. Apresentação da tabela final de valores no dia 12/12/2011 4. Criação de Comissão Permanente de Acompanhamento do Plano *Entidades Médicas *Prestadores de Serviço *Representantes SC Saúde

José Bastian Junior, que destacou a importância da presença expressiva dos médicos na votação e do árduo trabalho realizado pelo Conselho das Entidades e pela CEHM (Comissão Estadual de Honorários Médicos) na defesa da categoria e da qualidade da assistência à saúde dos servidores públicos atendidos pelo plano. “A garantia da CBHPM como referencial de remuneração foi a meta central do COSEMESC durante todo o processo de negociação. Ao votarem de maneira unânime pela adoção da CBHPM vigente e plena, os médicos reafirmaram esse posicionamento e mostraram que estão unidos na luta pelo justo honorário”, afirmou o coordenador do COSEMESC.

Dirigentes das entidades médicas estiveram à frente da plenária, coordenada pelo presidente da ACM, Dr. Aguinel José Bastian Junior

Recomendações do COSEMESC após a Assembleia Geral * Não responda ao Edital de Chamamento da Secretaria de Estado da Administração para o credenciamento junto ao Plano SC Saúde. * Não faça acordo por conta própria! * Mantenha-se informado sobre o andamento das negociações entre o COSEMESC e os planos de saúde. * Aguarde as orientações das entidades médicas catarinenses.


4

Atendimento aos planos da UNIDAS será suspenso a partir de 10 de janeiro de 2012 Outra decisão importante votada pela Assembleia Geral dos Médicos de 7 de dezembro foi a rejeição à proposta apresentada pela UNIDAS (União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde), com suspensão do atendimento aos beneficiários dos planos a partir do dia 10 de janeiro de 2012, nas seguintes condições: • Estará suspenso, a partir das 8 horas do dia 10 de janeiro de 2012, o atendimento prestado aos usuários dos planos de saúde vinculados ao Grupo UNIDAS. • Serão mantidos os atendimen-

tos das situações classificadas como urgência/emergência e terapias continuadas, cuja interrupção comprometa a vida dos pacientes. • Enquanto não houver acordo firmado com o COSEMESC, a categoria médica prestará atendimento aos pacientes dos planos mediante pagamento no ato, pelos valores balizados pela CBHPM, com emissão de comprovante de pagamento para possibilitar reembolso. • Os médicos não preencherão quaisquer documentos oficiais

das operadoras que compõem o Grupo UNIDAS, registrando em impresso próprio ou da instituição de saúde os dados relativos aos atendimentos prestados, enquanto durar a suspensão no atendimento. • Os médicos não presentes na Assembleia Geral poderão referendar as decisões tomadas pela categoria, subscrevendo o Termo de Concordância com as propostas aprovadas, que pode ser disponibilizado nos sites e nas sedes das entidades médicas que integram o COSEMESC.

Reajuste insuficiente O COSEMESC há meses negocia um reajuste dos valores pagos aos médicos que atendem aos planos da UNIDAS. Diversas reuniões foram realizadas pelo COSEMESC e a Comissão Estadual de Honorários Médicos (CEHM) na busca de um entendimento, tendo como parâmetro a CBHPM e acordos já firmados pelo grupo em outros estados, como a Bahia, por exemplo, que acordou a consulta médica a R$ 60,00 e tabela equivalente à CBHPM 5ª Edição menos 20%. Mesmo diante das negociações, a nova proposta encaminhada pelos planos de autogestão foi considerada insuficiente pela categoria.

Proposta da UNIDAS à Assembleia Geral de Médicos REJEITADA Valores para 2012 Consulta Médica = R$ 54,00

Vigente em 2011 Consulta GEAP = R$ 56,00 Consulta CASSI = R$ 46,00 Consulta demais planos = R$ 48,00

Procedimentos = Aumento de 8%

CBHPM 4ª Edição Menos 10%

UCO = R$ 8,50

R$ 8,50

Planos de Autogestão Assefaz, Brasil Foods, Capesesp, Cassi, Celos, Conab, Correios Saúde, Eletrosul, Elos Saúde, Embratel, Fassincra, Funservir, Geap, Ministério Público do Trabalho, Ministério Público Federal, Petrobrás, Proasa, Pró-Saúde Alesc, Saúde Caixa, Sesef, Tractebel Energia e outros planos regionais.

Decisões referendadas pelos médicos de Joinville Durante a Assembleia Geral realizada em Florianópolis, o presidente da ACM e coordenador do COSEMESC, Aguinel José Bastian Junior, leu aos presentes o documento enviado pela SJM (Sociedade Joinvilense de Medicina), manifestando-se a favor

da adoção da CBHPM vigente e plena, como o “mínimo necessário para que possa ser concedido um atendimento adequado aos catarinenses”. O documento foi encaminhado ao COSEMESC em nome dos 504 médicos associados à SJM.


5

Médicos exigem melhorias no SUS

N

uma mobilização organizada pelo COSEMESC (Conselho Superior das Entidades Médicas de Santa Catarina), os profissionais catarinenses de medicina paralisaram o atendimento do SUS (Sistema Único de Saúde) das 13 às 14 horas do dia 25 de outubro. Com a ação, a ACM (Associação Catarinense de Medicina), o CREMESC (Conselho Regional de Medicina) e o SIMESC (Sindicato dos Médicos de Santa Catarina) aderiram ao protesto nacional da categoria, promovido pela AMB (Associação Médica Brasileira), o CFM (Conselho Federal de Medicina) e a FENAM (Federação Nacional dos Médicos), que integrou

médicos de 21 estados de todo o país num dia de luta em prol das melhorias urgentes e indispensáveis da assistência pública de saúde dos brasileiros. “Nós lutamos pela qualidade do atendimento prestado à população, que se faz com financiamento adequado e responsável para a saúde, uma política humanizada de assistência, condições dignas de trabalho e uma justa remuneração”, afirmou o presidente da ACM, Aguinel José Bastian Junior, durante a paralisação, em manifesto da categoria realizado em Florianópolis, em frente ao Hospital Celso Ramos, um dos maiores centros de referência da rede estadual. Na mobilização na capital catarinense

Diretores da ACM participaram da mobilização na capital: Drs. Esdras Camargos (Diretor Administrativo), Ademar José de Oliveira Paes Jr (Diretor de Publicações Científicas), Eliete Colombelli (Diretora de Comunicação) e Aguinel José Bastian Jr (Presidente)

foram concedidas entrevistas à imprensa e realizados pronunciamentos pró-SUS, contando com a presença dos dirigentes das entidades médicas do estado, assim como representantes do SindSaúde (dos Servidores da Saúde) e Assipesc (dos Servidores do Iprev). A luta dos médicos se ampara nos seguintes eixos: * por aumento do volume de investimentos do Governo na área da Saúde; * por uma remuneração adequada no setor público; * por uma melhora da infraestrutura (física e de recursos humanos) na rede pública de atendimento.

Diretor de Patrimônio da ACM, Dr. André Mendes Arent, concedeu entrevista à imprensa explicando o porquê do movimento dos médicos e as importantes reivindicações da categoria em todo o país

Manifesto em defesa do Sistema Único de Saúde Nós, médicos, representados por nossas entidades nacionais e um ano após as últimas eleições presidenciais, reiteramos publicamente à Nação nossa preocupação com a qualidade da assistência em saúde, especialmente na rede pública, cujos inúmeros problemas têm causado insatisfação e insegurança entre profissionais e pacientes. Em protesto contra a crise que afeta o trabalho dos profissionais e a assistência em saúde de milhões de brasileiros, os médicos de 22 estados suspenderam os atendimentos eletivos (consultas, exames e outros procedimentos). Em 20 unidades da Federação, a paralisação foi total, durante 24 horas. Em duas unidades, a suspensão foi localizada (por unidade ou apenas em alguns horários). Nos 27 estados, houve manifestações e atos

públicos. Acreditamos que o quadro vivido pelo SUS exige um esforço conjunto do Governo – em todas as esferas de gestão, dos parlamentares, dos movimentos organizados e da sociedade como um todo para garantir o aperfeiçoamento do SUS e sua eficiência, enquanto modelo de atendimento exclusivo e responsável pela oferta de diagnóstico e tratamento de 150 milhões de brasileiros. O modo com o qual a saúde pública tem sido tratada historicamente apresenta, cotidianamente, sua fatura nas emergências lotadas, nas filas de espera por consultas e exames, bem como no desestimulo que se abate sobre as equipes responsáveis pelo atendimento da população. Os médicos alertam as autoridades

sobre a crise e conclamam todos os setores da sociedade comprometidos com o respeito ao direito do cidadão à saúde com qualidade, como previsto na Constituição de 1988, a tomarem posição e buscarem respostas que garantam o futuro do Brasil enquanto projeto de Nação. Esperamos respostas e soluções aos problemas que comprometem os rumos da Saúde e da Medicina, contribuindo assim para a redução de desigualdades, para a promoção do acesso universal aos serviços públicos e para o estabelecimento de condições dignas de trabalho para os médicos e outros profissionais.

Associação Médica Brasileira Conselho Federal de Medicina Federação Nacional dos Médicos


6

Descontos que vão até 20% na compra de veículos zero quilômetro da marca Ford. Esta é uma vantagem que todo mundo quer, mas só quem é parceiro Ford Dimas tem. Por isso, a ACM firmou um convênio com as concessionárias Ford Dimas para estender este benefício a todos os associados.

Como condição exclusiva, a Ford Dimas oferece a possibilidade de os associados ACM poderem incluir seus carros usados na negociação, algo que o programa nacional Ford não contempla.

Campinas 48.3271.1233 SC 401 48.3239.1233 São Bento do Sul 47.3203.1400 Estreito 48.3381.1233 Tijucas 48.3641.1233 Mafra 47.3642.0322

FAÇA REVISÕES EM SEU VEÍCULO REGULARMENTE.

Acompanhe o Dimas na rede

www.forddimas.com.br


7

ACM participa da primeira reunião da nova Diretoria Plena da AMB Em 4 de novembro foi realizada a primeira reunião da Diretoria Plena com os integrantes da gestão 2011-2014 da Associação Médica Brasileira (AMB). Representando a Associação Catarinense de Medicina no evento estavam o Presidente da ACM, Dr. Aguinel José Bastian Júnior, o VicePresidente da AMB para a Região Sul, Dr. Murillo Ronald Capella, e o Diretor de Defesa Profissional da AMB, Dr. Jurandir Coan Turazzi, de Joinville. A reunião foi coordenada pelo novo presidente da entidade nacional, Dr. Florentino Cardoso, que

aproveitou o momento para apresentar os projetos da Associação no início da gestão. Também fizeram parte da pauta importantes discussões como o envolvimento da AMB em todas as ações de cunho social das federadas, o convite às federadas e sociedades de especialidade para que integrem as Comissões da AMB, a Comissão Nacional de Acreditação, o Projeto Revalida (que trata de balizar a revalidação de diplomas de médicos de estrangeiros), o Marco Regulatório da Residência Médica e o Programa de Valorização do

Profissional da Atenção Básica. De acordo com o Presidente da ACM, a AMB tem muitas frentes e tem o canal mais direto com a sociedade brasileira. “A entidade defende a qualidade da medicina exercida no Brasil e, por conseguinte, os interesses mais legítimos da sociedade com relação à medicina exercida em nosso país. Por isso, o posicionamento das federadas é unânime em respaldar a AMB em seus pleitos e levar os movimentos de interesse nacional a todas as regiões e realidades do Brasil”

Principais lutas

* Regulamentação da Medicina, ainda esperando a votação definitiva pelo Congresso Nacional. * Escolas médicas, a qualidade da formação dos novos médicos e os riscos da criação indiscriminada de escolas de medicina no país. * PEC 454, que cria a carreira de médico nos serviços públicos federal, estadual e municipal. *Emenda Constitucional 29, que estabelece os percentuais do orçamento para o financiamento da saúde pela União, Estados e Municípios.

Catarinense é Diretor de Defesa Profissional da Associação Médica Brasileira A nova diretoria da AMB, sob a presidência do Dr. Florentino Cardoso, eleita para o triênio 2011/2014, foi empossada na noite do dia 22 de outubro, em cerimônia oficial no

Teatro Municipal, em São Paulo. Na nova composição das lideranças nacionais está o médico catarinense Jurandir Turazzi, de Joinville, eleito como Diretor de Defesa profissional

da AMB, uma das funções mais importantes para a categoria médica de todo o país, tendo em vista as inúmeras lutas por melhores condições de trabalho e de remuneração.

Livro conta a história de 60 anos da entidade Desde a década de 50, quando médicos reivindicavam melhores condições de trabalho e remuneração, colocou-se em pauta a necessidade da criação de uma instituição médica nacional. Foi quando dois expoentes da medicina, os professores Alípio Corrêa Netto e Jairo de Almeida Ramos, idealizaram a Associação Médica Brasileira (AMB). A eleição da primeira diretoria, durante o Congresso do Brasil Central, realizado em Uberaba (MG), em 1951, passando por todas as transformações até chegar aos dias de hoje estão agora registradas no livro “AMB 60 anos”, lançado oficialmente durante a cerimônia de posse da nova diretoria 2011/2014, realizada no Teatro Municipal, em São Paulo. Segundo Hélio Barroso dos Reis, organizador da publicação, ela demarca as

principais ações e finalidades da AMB, em áreas diversas, como cultural, política, defesa profissional, educativa e histórica. “O que a AMB fez e faz pelos médicos, pela sociedade, pela medicina e pelo país é descrito em detalhes nas páginas desta verdadeira obra de arte”. O médico catarinense Murillo Ronald Capella, atual Vice-Presidente da AMB na Região Sul do Brasil e ex-Presidente da ACM, é um dos quase quarenta autores da destacada obra, que reúne diretores da AMB, médicos historiadores e jornalistas no inédito projeto. O livro apresenta, de forma dinâmica, a trajetória da entidade em várias ações temporais: o ontem e o hoje, com as suas principais e possíveis perspectivas para o amanhã. Além da edição em português, a obra também terá impressão na língua inglesa.


8


9

Nova Diretoria da ACM é empossada e inicia ações com a defesa profissional do médico catarinense Foi empossada na noite de 21 de outubro a nova Diretoria da ACM – Associação Catarinense de Medicina, a mais antiga entidade de caráter estadual dos médicos de Santa Catarina, que em 2012 completará 75 anos de atividade. O novo presidente da ACM é o urologista Aguinel José Bastian Junior, que já iniciou sua gestão com diversas ações na defesa da categoria, com adesão ao protesto nacional contra os abusos dos planos

de saúde e contra as más condições de trabalho do SUS (Sistema Único de Saúde). Em seu discurso de posse, o novo presidente destacou o momento vivido pela entidade e a responsabilidade dos novos dirigentes da representação associativa dos médicos catarinenses. “Escolhidos por mérito e reconhecimento de suas qualidades técnicas, éticas e potencial político, os colegas que me acompanham nes-

sa importante jornada representam jovens lideranças médicas. Agradeço publicamente o desprendimento e a autodoação dessas pessoas, que a partir de hoje integram a força de trabalho da gestão, que inicia com grande expectativa, gerada pelos desafios que temos a vencer e pelos grandiosos resultados que as últimas gestões alcançaram pela Casa do Médico”.

Cerimônia de posse teve a presença das lideranças da classe médica em Santa Catarina

Novo presidente da ACM, Dr. Aguinel José Bastian Jr recebe o cargo das mãos dos médicos que ocuparam a presidência da entidade na Gestão ACM 2008-2011: Drs. Márcia Regina Ghellar e Genoir Simoni

ACM Gestão 2011-2014 Presidente

Diretor Financeiro

Distrito Centro-Oeste

Aguinel José Bastian Junior

Fernando Graça Aranha

Ramiro Solla Camina

Rafael Klee de Vasconcelos

Concetta Esposito

Jorge Alberto Hazim

Rejane Gomes

DELEGADOS JUNTO À AMB

Vice-Presidente

Diretora Sócio-Cultural

Secretário Geral

Diretor de Previdência e Assistência

Diretor de Publicações Científicas

Diretor do Departamento de Convênios

Diretor de Defesa Profissional

Diretora de Comunicação

Sérgio Marcos Meira

Ademar José de Oliveira Paes Jr.

Gianfranco Luigi Colombeli

Eduardo Nobuyuki Usuy Jr.

Eliete Magda Colombeli

André Mendes Arent

VICE-PRESIDENTES DISTRITAIS

Esdras Camargos

Renato Lopes Matos

Marcos Lázaro Loureiro

Christian Luis Schenkel de Aquino

Roberto Amorim Moreira

Luiz Fernando da Silveira Lobo Cicogna

Amberson Vieira de Assis

Carlos Roberto Seara Filho

Diretor de Patrimônio

Diretor Administrativo Diretor de Esportes

Diretor das Regionais Diretor Científico

Distrito Sul

Distrito Planalto Distrito Norte

Distrito Vale do Itajaí

Distrito Extremo-Oeste

EFETIVOS

Genoir Simoni Murillo Ronald Capella Jorge Abi-Saab Neto Remaclo Fischer Junior Carlos Gilberto Crippa SUPLENTES

Théo Fernando Bub João Nilson Zunino Almir Adir Gentil Luiz Carlos Espíndola


10

Conheça os novos d DIRETORIA

PRESIDENTE - DR. AGUINEL JOSÉ BASTIAN JUNIOR - Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialidade em Urologia e Cirurgia.

VICE-PRESIDENTE - DR. RAFAEL KLEE DE VASCONCELOS Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialidade em Cancerologia e Cirurgia.

DIRETOR DE PATRIMÔNIO DR. ANDRÉ MENDES ARENT Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialidade em Neurocirurgia.

DIRETOR CIENTÍFICO DR. AMBERSON VIEIRA DE ASSIS Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialidade em Cardiologia.

DIRETOR ADMINISTRATIVO DR. ESDRAS CAMARGOS Formado pela Universidade Federal de Minas Gerais, com especialidade em Ginecologia e Obstetrícia.

DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE CONVÊNIOS - DR. GIANFRANCO LUIGI COLOMBELI Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialidade em Patologia.

DIRETORA DE COMUNICAÇÃO DRA. ELIETE MAGDA COLOMBELI Formada pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialidade em Pediatria e Cirurgia Geral.

DIRETORA SÓCIO-CULTURAL DRA. CONCETTA ESPÓSITO Formada pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialidade em PneumologiaTisiologia e Clínica Médica.


11

dirigentes da ACM

SECRETÁRIO GERAL - DR. SÉRGIO MARCOS MEIRA Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialidade em Pediatria e Nefrologia.

DIRETOR DE REGIONAIS - DR. ROBERTO AMORIM MOREIRA Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialidade em Ginecologia e Obstetrícia.

DIRETOR DE DEFESA PROFISSIONAL - DR. EDUARDO NOBUYUKI USUY JUNIOR Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialidade em Gastroenterologia.

DIRETOR FINANCEIRO - DR. FERNANDO GRAÇA ARANHA Formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com especialidade em Cardiologia.

VICE-DISTRITAIS

DIRETOR DE ESPORTES DR. MARCOS LÁZARO LOUREIRO Formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com especialidade em Anestesiologia.

SUL – DR. RENATO LOPES MATOS Formado pela Universidade Católica de Pelotas, com especialidade em Pneumologia e Tisiologia. PLANALTO – DR. CHRISTIAN LUIS SCHENKEL DE AQUINO Formado pela Universidade Federal do Paraná, com especialidade em Clínica Médica e Nefrologia. NORTE – DR. PAULO EDUARDO DA S. LOBO CICOGNA Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialidade em Clínica Médica e Nefrologia. VALE DO ITAJAÍ – DR. CARLOS ROBERTO SEARA FILHO Formado pela Universidade Católica de Pelotas, Medicina Geral. CENTRO-OESTE – DR. RAMIRO SOLLA CAMINA Formado pela Universidade Católica do Paraná, com especialidade em Pediatria.

DIRETOR DE PUBLICAÇÕES CIENTÍFICAS DR. ADEMAR JOSÉ DE OLIVEIRA PAES JUNIOR Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialidade em Radiologia.

DIRETORA DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA - DRA. REJANE GOMES Formada pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialidade em Anestesiologia.

EXTREMO-OESTE – DR. JORGE ALBERTO HAZIM Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, com especialidade em Pediatria.

DEPARTAMENTOS DE ESPECIALIDADES

Cirurgia – Dr. Gilberto Kremer Neurologia – Dr. André Sobierajski dos Santos Patologia – Dr. João Péricles da Silva Junior Urologia – Dr. Waltamir Horn Hulse Cancerologia – Dra. Cristiane Moro Ross Glavan Hematologia-Hemoterapia – Dra. Mary Anne G. de F. Taves Neurofisiologia Clínica – Dr. André Sobierajski dos Santos Técnica Operatória-Cirurgia Experimental – Dr. Carlos Alberto Justo da Silva Medicina do Tráfego – Dr. Guilherme Guerreiro da Fonseca Cirurgia de Cabeça e Pescoço – Dr. Daniel Knaben Ortellado Transplante – Dr. Élcio Silva


12

Dia do Médico 2011 Santa Catarina adere à campanha (Eu) Luto pela Saúde

P

or ocasião das coidealizados e distribuidos memorações do Dia cartazes, postais e adesivos, do Médico, em 18 de pelas representações da clasoutubro, as entidades médise em todo país. Também cas de Santa Catarina (ACM, foram veiculados um vídeo CREMESC E SIMESC) aderiinstitucional e spots de rádio ram à campanha lançada pepara marcar a data. las entidades médicas nacioA veiculação dessa campanais (AMB, CFM e FENAM), nha aconteceu nos níveis nanuma ação voltada aos profiscional e regional e inaugurou sionais e à sociedade na qual uma nova etapa na relação das se ressaltou a preocupação da entidades da categoria com classe com os vários probleos médicos e a população. A mas que afetam a assistência Outdoor divulgando a campanha dos médicos em defesa da saúde da população partir de agora, a expectativa em saúde no país. Mais que é estreitar o diálogo cada vez brasileira, com a assinatura das entidades médicas nacionais e catarinenses alertar, a campanha salientou mais com esses segmentos, o engajamento dos médicos com a sensibilizar a população. Assim, com a preocupação de contribuir busca de respostas que conduzam à as peças de comunicação produzi- com a valorização da medicina e das colocaram o médico como elo estimular a reflexão em torno de superação dos principais desafios. A partir do slogan “(Eu) Luto fundamental e agente de transfor- problemas e soluções que afetam a pela Saúde”, as entidades visaram mação da saúde brasileira. Foram vida de milhões de pessoas.

COSEMESC comemora a data com profissionais de todo o estado Para a comemoração da passagem do Dia do Médico 2011, o COSEMESC (Conselho Superior das Entidades Médicas de Santa Catarina) promoveu o tradicional Baile do Médico, na noite de 21 de outubro, no Centro de Eventos

Mesa solene da festa reuniu entidades médicas e parceiras

ACM. Durante a comemoração, foi empossada a nova Diretoria da ACM e também foram jubilados médicos pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina. O baile foi animado pela Banda Stagium 10 e levou os convi-

Médicos foram jubilados pelo CREMESC

dados à pista de danças do salão. Durante a solenidade, a Dra. Márcia Regina Ghellar encerrou sua gestão à frente da ACM e foi homenageada pelo novo presidente da entidade, Dr. Aguinel José Bastian Junior.

Dra. Márcia Ghellar recebeu placa das mãos do Dr. Aguinel José Bastian Junior


13

Exame realizado pelo MEC comprova crise no ensino médico A má qualidade do ensino médico no Brasil atingiu nível máximo de preocupação, exigindo adoção de medidas pela sociedade e pelas autoridades. Esse é o entendimento das entidades médicas nacionais e regionais, traduzido através de NOTA OFICIAL do Conselho Federal de Medicina, reproduzido no Jornal da ACM por sua importância e indispensável reflexão.

C

om base nos resultados do Conceito Preliminar de Cursos (CPC), divulgado pelo Ministério da Educação, no dia 17 de novembro, o Conselho Federal de Medicina (CFM), que se preocupa com a formação dos médicos brasileiros como forma de assegurar atendimento digno, chama – mais uma vez – a atenção da sociedade e das autoridades para o problema da má qualidade do ensino médico oferecido atualmente. É preocupante o número de escolas médicas que alcançaram notas ruins, entre 1 e 2 (de 141 instituições avaliadas, um total de 23). Também é lamentável que nenhuma delas tenha obtido nota suficiente para ser classificada na faixa máxima (nota 5). Este resultado é consequência da abertura indiscriminada de novos cursos de Medicina em território nacional, há tempos denunciada pelas entidades médicas. Ao fazer este alerta, ressaltamos que a si-

tuação atual do ensino médico não condiz com as preocupações humanitárias e sociais pertinentes à Saúde e à Medicina. O quadro descortinado pelo CPC denota a prevalência de interesses econômicos e políticos sobre a preocupação legítima com a qualidade da formação de futuros médicos. De 2000 a 2010, o número de escolas médicas pulou de 100 para 181. Das que entraram em funcionamento, 72,5% (58 escolas) são privadas e visam o lucro. No entanto, a multiplicação dessas instituições não solucionou a povoação de médicos nos locais desassistidos e sequer melhorou a qualidade daqueles ali formados. Não há dúvida que número importante das escolas médicas em atividade está sem condições plenas de funcionamento, seja em termos de instalações, seja em termos de conteúdo pedagógico, incluindo aí questões ligadas aos corpos docentes. Infelizmente, essa situação, tem prejudica-

do, sobretudo, a população que fica à mercê de profissionais com formação deficiente. Neste contexto, o CFM – novamente – alerta os brasileiros para esta realidade e considera oportuna a decisão do MEC de supervisionar o ensino oferecido por algumas escolas médicas. Esperamos rigor e seriedade na formação do médico brasileiro, eliminando as distorções no ensino que prejudicam toda a sociedade.


14

ACM participa de debate promovido pelo Instituto dos Advogados O Instituto dos Advogados de Santa Catarina promoveu, dia 28 de outubro, o “Painel de Debates – Conceituação Técnica e Jurídica do Erro Médico”, no auditório da OAB/SC, em comemoração aos 80 anos de fundação do IASC. O presidente da Associação Catarinense de Medicina, Dr. Aguinel José Bastian Junior, que também é coordenador do COSEMESC (Conselho Superior das Entidades Médicas de

Santa Catarina) foi um dos convidados especiais do debate, estreitando as relações entre os profissionais da medicina e da justiça no estado. Pela ACM também estiveram presentes o Diretor de Publicações Científicas, Dr. Ademar José de Oliveira Paes Junior, e o Assessor Jurídico da entidade médica, Nilo Oliveira. O evento contou com a participação dos seguintes debatedores: Cesar Luiz Pasold,

Drs. Aguinel Bastian Jr e Ademar Paes Jr com o Assessor Jurídico da ACM, Nilo Oliveira, e o promotor de Justiça do Ministério Público-SC, Luiz Suzin Marini Jr

orador do Instituto dos Advogados de Santa Catarina; Jaime Luiz Vicari, desembargador do Tribunal de Justiça de Santa Catarina; Luiz Suzin Marini Júnior, promotor de Justiça do Ministério Público de Santa Catarina; Domingos Afonso Krieger Filho, membro do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB/SC; Airton César de Menezes, médico e advogado; e Gilberto Lopes Teixeira, Advogado.

Jaime Luiz Vicari, desembargador do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, foi um dos palestrantes do painel promovido pelo IASC, dia 28 de outubro, em Florianópolis

Capital catarinense é sede de evento nacional de comunicadores das entidades médicas Florianópolis foi sede do III Encontro dos Assessores de Comunicação das Entidades Médicas, nos dias 3 e 4 de novembro 2011, que contou com a presença do Presidente da ACM, Dr. Aguinel José Bastian Jr. e da sua Assessoria de Imprensa. O evento foi coordenado pela FENAM, em parceria com o CFM e a AMB, e teve a participação importante dos presidentes das três entidades nacionais, além dos presidentes das entidades estaduais

(ACM, SIMESC e CREMESC), transformando-se num importante fórum de debates sobre os desafios da comunicação com os médicos e da valorização da imagem dos profissionais da medicina pela mídia e pela população. A informação pelas redes sociais, o papel dos assessores e dos dirigentes frente à comunicação também foram amplamente discutidos pelos participantes do encontro, que teve representantes de norte a sul do Brasil.

Jornalistas do CREMESC, da ACM e do SIMESC participaram, junto aos presidentes e representantes das entidades médicas catarinenses, do III Encontro dos Assessores de Comunicação

Presidente da ACM, Dr. Aguinel José Bastian Junior compôs a mesa dos debates e falou sobre a importância da comunicação para a integração dos médicos junto às suas representações de classe


15

Responsabilidade solidária: o trabalho em equipe em clínicas e hospitais Jaime Luiz Vicari - Desembargador do TJSC 1ª PARTE A partir desta edição, o Jornal ACM News vai publicar na íntegra – em capítulos – um importante artigo do desembargador do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, Jaime Luiz Vicari, repassado exclusivamente para a divulgação pela Associação Catarinense de Medicina aos seus associados. O documento é de extrema importância para o conhecimento dos médicos, pelas destacadas informações e reflexões nele contidas.

N

ós, da área jurídica, notadamente do Poder Judiciário, temos com a classe médica uma relação em que se mesclam admiração e respeito mas que, vez por outra, acaba sendo tisnada por alguns mal-entendidos. Nada mais natural, porque nos dedicamos a ramos do conhecimento que têm campo muito bem definido e, principalmente, porque falamos uma linguagem técnica que apresenta certo grau de dificuldade na, digamos, tradução. Em suma, o que digo é que precisamos nos conhecer melhor, e a prática da interdisciplinariedade é sempre salutar. O tema dessa explanação é o da responsabilidade solidária, aqui digo responsabilidade civil solidária em trabalho de equipe médica, em clínicas e hospitais. A atuação isolada do profissional médico, embora relevante – sou dos que acreditam que a clínica ainda é o melhor oráculo – vem nos últimos anos cedendo passo aos trabalhos em equipe. Previamente ao tema, algumas anotações merecem ser feitas, por servirem de base ao melhor enfrentamento da questão. 1. Natureza da relação médico-paciente Em primeiro lugar coloca-se a indagação acerca da natureza da relação jurídica que se estabelece entre o médico e o paciente. Embora não haja unanimidade a esse respeito nos círculos jurídicos, inclino-me a entender essa relação e assim a vê o ilustre jurista Sergio Cavalieri Filho , não como um mero contrato de prestação de serviços, mas como um contrato especial, porque a prestação devida pelo médico não é apenas a da realização de um serviço estritamente técnico (a intervenção medicamentosa, o procedimento cirúrgico etc.). É mais do que isso. O médico assume (ou assumia, até pouco tempo atrás), com responsabilidade – e isso está subentendido no contrato e também no juramento feito –, a posição de conselheiro e, de certa forma, de protetor não só do enfermo, mas de seus familiares. Entre o médico e o paciente se estabelece, a depender do caso, uma especial relação de confiança, que talvez seja um dos principais fundamentos que justificam porquê não se pode olhar a relação como uma outra qual-

quer prestação de serviços entre um fornecedor e um consumidor. Quem confia sua saúde aos cuidados de profissional da medicina não age exatamente como aquele que ingressa em um estabelecimento comercial para comprar, apenas para dar um exemplo, um eletrodoméstico. A característica intuito personae (em razão da pessoa) dos serviços prestados pelo médico (bem como pelos profissionais liberais em geral) põe a sua relação com o paciente em situação distinta das demais atividades exploradas na sociedade de consumo. Mas com essa distinção, no entanto, não importa dizer que as disposições do Código de Defesa do Consumidor sejam inaplicáveis às relações médico-paciente. O Código de Defesa do Consumidor incide, sim, nesse vínculo material, mas com o diferencial expresso no § 4º do art. 14 da Lei n. 8.078/90, que dispõe: “A responsabilidade pessoal dos profissionais liberais será apurada mediante a verificação de culpa”. A responsabilidade dos profissionais liberais se dá com base na comprovação da culpa, diversamente dos casos de responsabilidade dos fornecedores pelo fato do produto ou serviço, em que o legislador não admitiu nenhuma discussão acerca desse elemento subjetivo (CDC, art. 14, caput). De qualquer sorte, a incidência do Código de Defesa do Consumidor nessas relações é estreme de dúvida até mesmo porque, nos dias atuais, o perfil do profissional da medicina e a forma como este oferece e presta seus serviços no mercado de consumo não é mais a mesma daqueles tempos do “médico da família”, que visitava o paciente em sua própria residência, conhecia as doenças que acometiam os membros do grupo e atendia do neto ao avô. As relações mudaram, e muito. Em boa parte dos casos já não cabe mais falar em serviço prestado intuito personae, ou ao menos já não se pode generalizar esse tipo de relação. O paciente desprovido de recursos que, com sorte, logra atendimento médico em hospital ou posto de saúde escolhe o profissional com base em relação de especial confiança ou se sujeita ao atendimento que lhe é oferecido? E a pessoa que contrata um plano de saúde escolhe o médico ou pega

uma lista de nomes dos médicos especializados em determinada área? Há confiança? No médico ou no plano de saúde? E quem contrata um determinado médico para a realização de uma cirurgia estabelece uma relação intuito personae também com os médicos-auxiliares de cuja escolha não participou? São traços da sociedade massificada. Nem toda a relação estabelecida com um médico é, de fato, intuito personae. Há as que são e as que não são. Todas, no entanto, são regidas pelo Código de Defesa do Consumidor, que estabelece apenas a seguinte distinção: se o trabalho médico é prestado pessoalmente e por conta própria, sem subordinação e sem integrar elemento de empresa, a responsabilidade do médico sujeita-se à demonstração de culpa (CDC, art. 14, § 4º); se, todavia, a atividade médica é elemento de empresa – como no caso da clínica que mantém empregados que são médicos e que não agem em nome próprio, mas sob o comando do empregador – a responsabilidade civil é objetiva (CDC, art. 14, caput). Mais um ponto merece destaque. No relacionamento que travam entre si, médico e paciente assumem compromissos de parte a parte. Enquanto o médico se propõe a fazer o melhor pelo paciente, este se compromete a informar adequadamente ao médico os seus problemas e a seguir as prescrições que lhe forem feitas. É um compromisso baseado na confiança, que caracteriza uma espécie de contrato implícito, de alto sentido moral e que lançará efeitos sobre a definição da responsabilidade médica em caso de danos. Do exato cumprimento das recomendações médicas pelo paciente, a da sinceridade e exatidão das informações por este prestadas àquele profissional, depende o sucesso da intervenção médica. Isso o juiz não pode jamais deixar de considerar. Independentemente da natureza da obrigação assumida pelo médico (se de meio ou de resultado), é importante sempre avaliar o grau de atendimento, pelo paciente, daqueles compromissos, pois isso pode atenuar ou até mesmo extinguir o nexo causal entre a conduta médica e o dano cuja reparação se reclama.

Ao final da publicação do presente artigo – que será feita em capítulos, o Jornal ACM publicará um encarte com a totalidade do texto.


16


17

Convênios e Benefícios aos Associados Empresas Conveniadas

It’s Balloon A It’s Balloon atua há 14 anos no mercado de festas e eventos, e vem construindo uma história profissional pautada na ética e transparência com seus fornecedores e clientes. Atendendo casamentos, formaturas, aniversários e eventos corporativos, a empresa conta com uma equipe de produção treinada para dar todo o suporte necessário e satisfazer as expectativas de cada cliente. Oferece um grande mix de produtos e atende os eventos em sonorização, iluminação, audiovisual, efeitos especiais e led. Entre as novidades, destacam-se a PISTA DE LED, o PAINEL INFINITY e a FIRE MACHINE. E para 2012 já estão programadas mais novidades. No ano que vem a It’s Balloon será a fornecedora oficial da Mostra Casa Cor, que acontecerá no Mirante do Morro da Lagoa da Conceição, de 1º de maio a 10 de junho. Para maiores informações acesse: www. itsballoon.com.br Fone: 48 3209-1101 E-mail: comercial@itsballoon.com.br

Comunidade Terapêutica Casa Viva Nova proposta para a recuperação no contexto da dependência química (álcool e outras drogas) em regime de internação, na cidade de São Bento do Sul/SC. A Comunidade Terapêutica Casa Vida (COTECAVI) conta com uma equipe composta de médicos, psicanalista, psicólogos, pedagogos, psicopedagoga, psicomotricista relacional, filósofo, nutricionista, terapeuta ocupacional, fisioterapeuta, musicoterapeuta, assistente social e consultor. Reuniões com foco na orientação familiar também fazem parte do programa terapêutico da instituição. O espaço disponibiliza uma área de 24 mil hectares para o tratamento, que inclui atividades individuais e em grupo. Maiores informações: casavida.adm@gmail.com www.ctcasavida.com.br

Tevah Senhor médico catarinense. Quando você atinge o sucesso profissional, sua aparência fica ainda mais importante. Por isto, as Lojas TEVAH estão lançando uma completa linha profissional sob medida, em estilo moderno ou clássico, com tudo que você precisa vestir para realçar o seu sucesso. Na parceria que Lojas TEVAH e a ACM iniciaram, só tem um beneficiado: cada um dos médicos associados; e com exclusividade, o melhor custo-benefício, assim como qualidade, elegância e moda. De agora em diante fique apoiado nesta nova proposta. Venha conhecer a exclusiva linha sob medida profissional das lojas TEVAH: a sua nova marca de sucesso. Descubra e descubra-se no FLORIPA Shopping e no Shopping ITAGUAÇU.


18


19

Agenda da Diretoria ACM O Jornal ACM divulga aos médicos catarinenses a AGENDA DA DIRETORIA, com o intuito de permitir uma total transparência das ações da gestão da entidade associativa. O objetivo desta seção do informativo da ACM é ainda o de manter o médico de Santa Catarina permanentemente informado sobre as principais ações desenvolvidas em sua defesa e que muito necessitam de sua participação e opinião.

OUTUBRO/2011

Dia 04 Reunião da Comissão Estadual de Honorários Médicos (CEHM) do Conselho Superior das Entidades Médicas de Santa Catarina (COSEMESC) Dia 05 -Reunião do COSEMESC, na sede da ACM -Reunião de trabalho da Diretoria da ACM (Gestão 2008-2011) com a Diretoria eleita (gestão 2011-2014) Dia 18 Inauguração das novas quadras de esportes da ACM Dia 21 -Posse da nova Diretoria da ACM -Baile do Dia do Médico, promovido pelo COSEMESC Dia 22 -Posse da nova Diretoria da Associação Médica Brasileira (AMB) -Assembleia Ordinária de Delegados da AMB

Posse da nova Diretoria da Associação Catarinense de Medicina, em 21 de outubro, no Centro de Eventos ACM

Dia 25 Protesto dos médicos - Mobilização Pró-SUS Dia 26 Reunião do COSEMESC referente ao Plano SC Saúde Dia 28 Painel de debates na Ordem dos Advogados do Brasil – Secional Santa Catarina (OAB/SC).

NOVEMBRO/2011

Dia 09 Reunião do COSEMESC, na sede do Conselho Regional de Medicina Dia 10 Reunião de Diretoria plena da ACM Dia 11 Reunião de Diretoria com administração do Grupo Styllus Dia 14 Reunião com a CEHM Dia 16 Reunião com a CEHM

Presidente e Vice-Presidente da OAB-SC, receberam os dirigentes da ACM em evento no Instituto dos Advogados

Dia 18 Expediente da Diretoria na sede da ACM Dia 19 Reunião de final de ano e almoço de confraternização da Regional Médica Oswaldo Cruz Dia 22 Reunião da CEHM, com representantes das especialidades médicas Dia 23 Abertura do XXXIII Congresso Brasileiro de Urologia, no CentroSul, em Florianópolis Dia 24 -Reunião da Comissão de Honorários Médicos da AMB e da Comissão de Saúde Suplementar (COMSU), no Conselho Federal de Medicina (CFM), em Brasília -Reunião da CEHM, com representantes do Grupo UNIDAS -Reunião da CEHM com representantes do Plano SC Saúde Dia 30 Reunião da CEHM com representantes do Plano SC Saúde

Dia Nacional de Mobilização pelo SUS, em 25 de outubro, em frente ao Hospital Celso Ramos, na capital

Assessoria Jurídica gratuita na ACM Todas as quintas-feiras, das 14 às 18 horas, o Departamento Jurídico da ACM atende gratuitamente ao associado, no esclarecimento de dúvidas relacionadas a questões jurídicas na prática da medicina. O atendimento acontece nas dependências do Centro Administrativo da entidade, em Florianópolis, bastando ao associado agendar o horário, através do fone (48) 3231-0342, com Elizabeth. O serviço vale apenas para o associado adimplente e refere-se a assuntos de relevância médica/profissional. A Assessoria Jurídica é prestada pelo escritório GOSS & OLIVEIRA Advogados Associados, contratado da ACM, que desde 2009 vem auxiliando aos médicos associados na prestação de serviços jurídicos, registrando expressiva procura em pouco mais de dois anos de funcionamento da parceria. Não perca a oportunidade e mais este benefício disponibilizado por sua entidade associativa!


20


Edição 277- Nov/Dez 2011