Issuu on Google+

www.acm.org.br

Nº 220 • Agosto/Setembro 2001

ACM

Comemora

o Primeiro

Dia do Médico do Novo Milênio

No próximo dia 19 de outubro, a Associação Catarinense de Medicina comemora o Dia do Médico 2001 com um jantar especial em sua sede social, onde serão homenageados os Méritos Científicos e Associativos do ano. Sua presença é muito importante.

UNIÃO DE SUCESSO ENTRE A MEDICINA E A POLÍTICA

CAMPANHA PARA RESGATE DA IMAGEM DO MÉDICO

PÁGINAS CENTRAIS

PÁGINA 03


Jornal da ACM EDITORIAL

EXPEDIENTE Informativo da Associação Catarinense de Medicina - ACM Rodovia SC-401, Km 4, Bairro Saco Grande - Florianópolis/SC Fone/Fax: (48) 231-0300

A POLÍTICA COMO ALIADA A partir desta edição, a Associação Ca-

Somos mais de 200 mil eleitores médi-

tarinense de Medicina estará divulgando

cos em todo o país, mais de seis mil somen-

uma série de reportagens com médicos

te em Santa Catarina. É uma força inques-

que aceitaram o desafio da política e uni-

tionável nas urnas e que precisa ser reco-

ram com sucesso a medicina e o legislati-

nhecida e valorizada, não apenas pelos can-

vo. Ao descrevermos nas páginas de nos-

didatos, mas por nós mesmos, que muitas

so jornal um pouco sobre o trabalho dos

vezes desconhecemos nosso potencial, nos-

colegas políticos, temos como meta maior

so poder. Somos também uma classe de im-

ampliar o urgente debate sobre as elei-

portantes formadores de opinião, capaz de

ções que acontecem no ano 2002, que já

conquistar milhares de

ganham repercus-

“SOMOS UMA FORÇA

sões em todo o país

INQUESTIONÁVEL

e exigem a articula-

NAS URNAS, QUE PRECISA

ção da nossa classe em busca de repre-

SER RECONHECIDA E VALORIZADA, NÃO

fendam as causas da

APENAS PELOS

Acreditamos que

CANDIDATOS, MAS POR NÓS MESMOS,

fissional médico

QUE MUITAS VEZES

bilidade que a prática da medicina impõe, representando

Essa nova visão de classe e de associativismo precisa ganhar espaço, conquistar o pensamento do médi-

ao eleger-se, o proleva consigo a sensi-

de propostas coerentes e honestas.

sentantes que desaúde.

outros votos em favor

co catarinense, que não pode mais estar alheio ao mundo em transformação que o cerca. Além de médi-

DESCONHECEMOS NOSSO POTENCIAL, NOSSO PODER”

cos, somos seres políticos, cidadãos em pleno exercício da de-

um verdadeiro dife-

DELEGADOS JUNTO À AMB Dr. Remaclo Fischer Júnior Dr. Jorge Abi Saab Neto Dr. Almir Gentil Dr. Théo Bub Dr. Luiz Carlos Espíndola Dr. Roberto Benvenutti Dr. Milton Ernesto Scopell Dr. Altair Carlos Pereira Dr. Manoel Bardini Alves Dr. Oscar Antônio Defonso

É chegada a hora

cussões e votações de projetos e propos-

de debater abertamente sobre a união da

tas em benefício da assistência responsá-

medicina e da política. Deixar de lado a

vel e de resolutividade aos problemas da

acomodação ou os pruridos que nos afas-

população. Também temos convicção de

tam do poder decisório, que rege as nos-

que não existe defesa maior do que aque-

sas vidas e o nosso trabalho.

la que nasce do conhecimento, da experi-

Todos somos convidados ao debate.

ência já vivida no consultório, nos corre-

Você também.

Edição Texto Final - Assessoria de Comunicação Jornalistas Lena Obst Reg. 6048 MT/RS Denise Christians Reg. 5698 MT/RS Colaboradoras Lúcia Py Lüchman e Adriana Freitas Fotografia Renato Gama Diagramação e Impressão Gráfica e Editora Agnus Ltda.

dores hospitalares e postos de saúde. Tais características tornam-se fundamentais na classe e de ideais.

VICE-DISTRITAIS Sul – Dr. Júlio Márcio Rocha Planalto – Dr. Fernando Luiz Pagliosa Norte – Dr. Marcos F. F. Subtil Vale do Itajaí – Dr. Péricles Henrique Zarske de Mello Centro-Oeste – Dr. Élcio Luiz Bonamigo Extremo-Oeste – Dr. Airton José Macarini

mocracia.

rencial frente às dis-

hora de apoiar candidaturas de colegas de

DIRETORIA Presidente Dr. Carlos Gilberto Crippa Vice-Presidente Dr. Viriato João Leal da Cunha Secretário Geral Dr. Jorge Anastácio Kotzias Filho Diretor de Patrimônio Dr. João José Luz Schaefer Diretor de Publicações Dr. André Sobierajsk dos Santos Diretor Científico Dra. Regina Célia S. Valin Diretor de Esporte Dr. Gilberto D. da Veiga Diretor de Defesa de Classe Dra. Nilzete L. Bresolin Diretor Sócio-Cultural Dra. Sandra M. W. Rinaldi Diretor Administrativo Dr. Irineu M. Brodbeck Diretor de Previdência Dr. Waldemar de Souza Júnior Diretor Financeiro Dr. Dorival Vitorello Diretor de Regionais Dr.Tarcísio Crocomo

Carlos Gilberto Crippa Presidente

Tiragem 7.000 exemplares


Jornal da ACM

!

COMUNICAÇÃO DESTACA TRABALHO DAS SOCIEDADES MÉDICAS CATARINENSES A Diretoria da Associação Catarinense de Medicina reuniu, no dia 03 de setembro, os Presidentes das Sociedades e Departamentos de Especialidades para apresentar as novas ações de comunicação da entidade desencadeadas numa campanha de aproximação com a comunidade e resgate da imagem do médico em Santa Catarina. Além da manutenção do trabalho de assessoria de imprensa e edição do Jornal da ACM, fazem parte da nova estratégia: ·Edição mensal (última quinta-feira de cada mês) de coluna nas páginas internas do Diário Catarinense, divulgando o trabalho da entidade, assuntos de interesse da população leiga e da classe médica. ·Edição mensal de página inteira (contracapa) do Caderno de Saúde do Diário Catarinense (última sexta-feira de cada mês) com destaque para assuntos científicos, congressos da classe e espaço para ações de humanização da medicina. ·Programa semanal na emissora de televisão REDE TV !, que inicia a partir de outubro, todas as quartasfeiras, das 11h às 11h30, com abrangência estadual. O programa vai veicular sem qualquer custo para a ACM, que ficará responsável por toda a sua linha editorial, de-

REUNIÃO COM AS SOCIEDADES E DEPARTAMENTOS DE ESPECIALIDADES DEMONSTROU O INTERESSE DE PARTICIPAÇÃO NA NOVA ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO DA ENTIDADE

A ÚLTIMA PÁGINA DO CADERNO DE SAÚDE DO DIÁRIO CATARINENSE É RESERVADA PARA A

ACM, COM MATÉRIAS CIENTÍFICAS, DE HUMANIZAÇÃO DA MEDICINA E DE INTERESSE DA POPULAÇÃO

finindo em parceria com a empresa produtora (que comercializará o novo espaço) os assuntos e os médicos a serem entrevistados. Todas as ações iniciadas pela ACM dependem da participação efetiva das Sociedades e Departamentos de Especialidades, hoje as principais fontes de informação da medicina no estado, que devem ser valorizadas e estimuladas. Para tanto, é necessário que os dirigentes das entidades científicas repassem à Associação dados sobre o calendário de atividades em suas áreas de atuação, sugestão de matérias/artigos a serem divulgados e notas com notícias atuais sobre o setor. A participação de todos é fundamental para o sucesso do trabalho iniciado.

PROJETO DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL A Comissão de Defesa de Classe da ACM, após várias reuniões nas quais foram discutidos os inúmeros problemas associados com as condições de trabalho, remuneração e reconhecimento da atividade dos profissionais médicos, resolveu elaborar um projeto buscando resgatar a respeitabilidade e a valorização do exercício da medicina. Dessa forma, contrapõe ao crescente ataque da mídia sobre a classe que, se nem sempre dispõe de indivíduos éticos, apresenta sem dúvidas, um grande número de profissionais altamente preocupados em

se aperfeiçoar e prestar o melhor atendimento aos seus pacientes. Os “ataques” da mídia escrita e falada, além de nos despertarem muitos sentimentos desagradáveis, também lembram-nos que as seguradoras vêem os médicos como uma grande e rentável parcela de consumidores para seus planos de seguro. Assim, em nossas reuniões, formou-se a idéia de se iniciar um projeto, com a ajuda de profissionais especializados em “imagem”, marketing e divulgação, ressaltando os inúmeros trabalhos

positivos realizados pela nossa classe. Sabemos que não é um trabalho fácil e tampouco de rápida execução, mas estamos fortemente interessados em iniciá-lo. Acreditamos ainda que a parceria entre a Associação Catarinense de Medicina, o Conselho Regional de Medicina, o Sindicato dos Médicos e a Unimed poderá facilitar a execução do projeto proposto.

Dra. Nilzete Liberato Bresolin Diretora de Defesa de Classe da ACM


Jornal da ACM

"

ACM INSTALA ESCRITÓRIO NA SEDE DA COOPERATIVA DE CRÉDITO Procurando oferecer cada vez mais comodidade e facilidades para os médicos na região da Grande Florianópolis, a Associação Catarinense de Medicina montou um escritório no prédio da Unicred da capital do estado, bem no centro da cidade, para atender as necessidades mais urgentes do associado, que na sua maioria também integra a Cooperativa. “Com a estrutura montada na Unicred nós temos condições de resolver qualquer assunto relacionado à secretaria da entidade, desde a venda de tabela da AMB, CID, Manuais, até pagamentos de mensali-

dades, de seguros da ACM e PAM, entre outros”, explica Marilza de Oliveira Vieira, responsável pelo escritório central. Somente em Florianópolis a ACM conta com mais de mil sócios, que poderão se beneficiar deste novo espaço para resolver as questões que antes exigiam o deslocamento até a sede. “Agora poderão agilizar suas atividades, resolvendo num mesmo local os assuntos da ACM e de banco”, destaca Marilza. O escritório atende de segunda a sexta-feira no período das 12h30 às 18h30.

PREVIDÊNCIA PRIVADA: ALTERNATIVA PARA UM FUTURO MELHOR “Investir na Previdência Privada é a melhor maneira de colocar seu dinheiro para trabalhar por você”. Este foi o tema abordado pelo Diretor Estatutário da AGF do Brasil Seguros, João Carlos Santana, junto aos sócios e convidados da ACM, no dia 29 de agosto. Entre as opções apresentadas aos médicos, destacou-se o AGF Previdência Annuity, que oferece a possibilidade de planejamento da aposentadoria de maneira segura, flexível e personalizada. Além de oferecer total liquidez e ótima rentabilidade, é o benefici-

ado do plano quem decide a idade ideal para começar a receber o seu benefício, quanto e como quer investir, ou seja, com contribuições mensais, periódicas ou esporádicas. O AGF Previdência Annuity tem rentabilidade diária, acumulando recursos que, na data escolhida pelo cliente, para receber o benefício da aposentadoria, oferece as seguintes alternativas: recebimento do fundo à vista, recebimento de parte do fundo à vista e o restante em forma de renda e, ainda, a conversão total do fundo em renda mensal.

O ESCRITÓRIO NO PRÉDIO DA UNICRED FACILITA AINDA MAIS OS SERVIÇOS OFERECIDOS AOS ASSOCIADOS DA REGIÃO

MBA EM GESTÃO DE SAÚDE A ACM informa a seus associados que firmou parceria com a UDESC/ESAG para disponibilizar descontos para a participação do MBA em Gestão de Saúde, que terá início em Florianópolis no mês de outubro/2001. O curso visa possibilitar o conhecimento, a compreensão e as formas de utilização, no dia-a-dia da empresa, das ferramentas básicas da gestão estratégica, da gerência financeira, da gestão de métodos e processos, da administração de conflitos, das comunicações, das relações humanas e da cultura gerencial/empresarial. As aulas são dirigidas a profissionais da saúde (médicos, dentistas, farmacêuticos, bioquímicos, nutricionistas, enfermeiros e fisioterapeutas) que atuam ou que pretendem atuar como dirigentes, ou a graduados em outras áreas que exerçam funções no segmento da saúde. A carga horária total será de 375 horas, sendo que as aulas serão durante uma semana a cada mês, de 2ª a 6ª feira, das 18:30 às 22:30 horas, e aos sábados das 09:00 às 12:00 horas, para as disciplinas de 30 horas/aula, e às 4as. 5as. 6as. feiras e sábados, para as disciplinas de 15 horas/aula, sendo que apenas estas, quinzenalmente.

Benefícios para Associados

NO DIA 29 DE AGOSTO, O CONSULTOR JOÃO CARLOS SANTANA APRESENTOU AOS MÉDICOS OS INÚMEROS BENEFÍCIOS DE UM PLANO DE PREVIDÊNCIA PRIVADA

1. Cada médico associado da ACM que se inscrever no curso, fará jus a um desconto de 15% sobre a anuidade que é de R$ 7.400,00, reduzindo-a para R$ 6.290,00. 2) Isso significa um abatimento de R$ 1.100,00 no custo total, ou R$ 69,37 mensais. 3) A parcela normal de R$ 462,50, ficaria reduzida para R$ 393,13, sendo 16 (dezesseis) o número de mensalidades a pagar. 4) Esse desconto valerá para médicos indicados a ESAG pela ACM. 5) Operacionalmente será mais fácil oferecer o citado desconto no boleto bancário.


Jornal da ACM

#

DEPUTADOS CATARINENSES SÃO CHAMADOS A COLABORAR O Presidente da Associação Catarinense de Medicina, Dr. Carlos Gilberto Crippa, esteve reunido no dia 28 de agosto passado com o Presidente da Assembléia Legislativa do Estado, Onofre Santo Agostini, pedindo apoio dos parlamentares catarinenses para que se posicionem junto aos seus partidos e representantes federais contra o Projeto de Lei que retira direitos dos cerca de 40 milhões de brasileiros que hoje utilizam planos de saúde em todo o país. O Projeto nasceu da Medida Provisória 2.177-43, defendida pelo Ministério da Saúde, que entre outros prejuízos proíbe o paciente de escolher livremente os prestadores de serviços de saúde (médicos, laboratórios, hospitais), mesmo dentro da rede credenciada ou referenciada pelo plano. Graças à mobilização das entidades médicas, a MP foi retirada, mas as propostas de mudanças elaboradas pelo Ministério ainda mantêm-se.

Durante o encontro, o dirigente da classe médica também debateu com o Presidente da AL a paralisação nacional dos médicos residentes por melhores condições de trabalho e o respeito pelos hospitais à regulamentação da Residência Médica no país. O Deputado Onofre Agostini recebeu documentação sobre as prioritárias causas apontadas pelo Presidente da ACM, que afetam diretamente a saúde da população, comprometendo-se em levar adiante os pedidos junto às lideranças da Assembléia Legislativa.

DR. CARLOS GILBERTO CRIPPA ENTREGOU DOCUMENTO AO PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA, DEPUTADO ONOFRE AGOSTINI, SOBRE PLANOS DE SAÚDE

PROPOSTA DE LEI PARA DEFINIR ATO MÉDICO O debate sobre a definição do ATO MÉDICO vem conquistando destaque junto à classe, com especial atenção às discussões iniciadas junto ao Legislativo através do médico e senador catarinense Geraldo Althoff, defensor da criação de uma lei que defina com clare-

za e propriedade o que constitui-se ato exclusivo do profissional médico. Durante a III Jornada das Delegacias do CREMESC, realizada em Balneário Camburiú, nos dias 14 e 15 de setembro, o senador defendeu sua proposta: “Como se não bastasse o aviltamento dos salários pagos pelo poder público; como se já não fosse demais os médicos se virem presas de planos e seguros de saúde, ainda por cima, temos, hoje, a apropriação das atividades dos médicos por outros profissionais, que não têm o necessário preparo técnico e científico para praticar os atos que consideramos privativos dos profissionais da medicina”. MÉDICO E SENADOR CATARINENSE GERALDO ALTOFF APRESENTOU SUA PREOCUPAÇÃO COM A DEFINIÇÃO DE “ATO MÉDICO” AO VICE-PRESIDENTE DA AMBREGIÃO SUL, DR. REMACLO FISCHER JUNIOR

SIMPÓSIO DISCUTE AS MUDANÇAS NOS PLANOS DE SAÚDE Após a retirada da Medida Provisória 2.17743, o Ministério da Saúde comprometeu-se em não alterar a regulamentação atual dos planos sem antes promover uma ampla discussão com as entidades que representam o setor. Os debates iniciaram de maneira efetiva com a realização do Simpósio sobre Regulamentação dos Planos de Saúde, ocorrido nos dias 28 e 29 de agosto, no Auditório Nereu Ramos, no Senado Federal, em Brasília, numa promoção conjunta do Senado, Câmara dos Deputados e Conselho Nacional de Saúde. Durante o evento foi feito um balanço dos três anos de legislação vigente junto às operadoras de planos, desde a Lei 9.656/98. O Simpósio teve a presença de representantes do Conselho Federal de Medicina (CFM), Associação Médica Brasileira (AMB), PROCON, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), Fórum de Entidades Nacionais de Defesa dos Portadores de Patologias e Deficiências e Fórum Nacional de Acompanhamento da Regulamentação dos Planos de Saúde. O presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), Eleuses Paiva, que participou da mesa-redonda ‘Interface e articulação entre o público e o privado no sistema de saúde no Brasil’ defendeu a participação de todos os segmentos do setor nas decisões referentes à regulamentação. Além disso, ele apresentou duas propostas: composição paritária das entidades representativas na Câmara Suplementar de Saúde da Agência Nacional de Saúde (ANS) e a normatização da relação entre operadoras, usuários e médicos. “É preciso rever esta relação. Houve uma preocupação somente com a integração entre as operadoras e usuários, e os médicos, que desempenham um papel importante neste relacionamento, foram ignorados”. Todas as propostas apresentadas durante o evento serão resumidas em um documento e enviadas para análise e discussão de todos as esferas relativas ao tema e encaminhadas ao governo como forma de colaboração ao Projeto de Lei que será encaminhado ao Congresso. A intenção é criar uma comissão permanente e integrada por todos os representantes do setor para acompanhamento da evolução da regulamentação dos planos de saúde.


Jornal da ACM

$

ASSOCIAÇÃO MÉDICA DE BLUMENAU COMPLETA MEIO SÉCULO DE HISTÓRIA A NOVA SEDE DA AMBL É UM DOS GRANDES MOTIVOS PARA FESTEJAR OS 50 ANOS DA ENTIDADE

COMPROMISSO COM A MEDICINA Quando foi fundada, dia 20 de junho de 1951, a AMBl recebeu o nome de Associação Médica do Vale do Itajaí- AMVI. Desde então assumiu o compromisso de ser um órgão dirigente, harmonizador e coordenador da classe, com o objetivo de incentivar as suas atividades científicas, promover o intercâmbio cultural com outros centros, estudar problemas sociais como forma de buscar a dignidade profissional, e colaborar com

o poder público para o engrandecimento da medicina e da sociedade brasileira. Ao todo, 21 médicos participaram da reunião de fundação da entidade, que elegeu, para a Diretoria Provisória o Dr. Antônio Hafner, como Presidente, o Dr. Arminio Tavares, como Vice e os Drs. Renato Câmara e Ary Taborda, como secretários. A Associação Médica sempre atuou em defesa dos interesses da classe e combateu o exercício ile-

EX-PRESIDENTES DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA DE BLUMENAU

Médicos catarinenses prestigiaram a festa em comemoração aos 50 anos da Associação Médica de Blumenau, realizada no dia 25 de agosto, na sede da entidade. A comemoração teve entre os convidados seus expresidentes, que além de homenageados durante o discurso do atual Presidente, Dr. Sérgio Marcos Meira, se uniram no momento de apagar as velas do grande bolo. Entre as razões especiais para festejar a data destacam-se a união de seus associados e a realização de um antigo sonho da AMBl: a aquisição da nova sede da Associação, uma área de 26 mil metros quadrados, localizada no Bairro Fortaleza, em Blumenau.

gal da medicina. Em dezembro de 1951 a AMVI filiou-se à ACM e durante a gestão do Dr. Afonso Rabe (1957-59), foi dissolvida, dando origem a quatro regionais da Associação Catarinense de Medicina: Blumenau, Brusque, Itajaí e Rio do Sul. A atual gestão, presidida pelo Dr. Sérgio Marcos Meira, tem envidado esforços para manter projetos importantes como a campanha “Anti fumo Pró Saúde, Corrida, Caminhada e

1. (1951/53) Dr. Antônio Hafner 2. (1953/55) Dr. Renato Câmara 3. (55/57) Dr. Felipe B. Alencastro 4. (57/59) Dr. Afonso Rabe 5. (59/61) Dr. Paulo Carvalho 6. (61/63) Dr. Paulo Pedro Mayerle 7. (63/65) Dr. Affonso Balsini 8. (65/67) Dr. Lothar Franz 9. (67/69) Dr. Jaison Tupy Barreto 10. (69/71) Dr. Roberto Buechele 11. (71/73) Dr. Lourival Hari Saade 12. (73/75) Dr. Antônio C. P. Loureiro

Marcha”. Para incentivar o companheirismo entre a classe, tem promovido eventos como “Feijoada, amizade e pagode” e a confraternização do Dia do Médico. A atual Diretoria também criou a home page da AMBl, e em parceria com a ACM adquiriu a nova sede, com 26 mil m2, inaugurada dia 27 de agosto de 1999. Agora, tem um novo projeto, já em andamento, que é escrever o livro com a história da AMBl.

13. (75/77) Dr. Walmor E. Belz 13. (77/79) Dr. Luís Carlos Lins 15. (79/81) Dr. Silvio A. Schmitt 16. (81/83) Dr. Luiz Renato Faoro 17. (83/85) Dr. Cezar Zillig 18. (85/87) Dr. Cezar Zillig 19. (87/89) Dr. Marcos A. Nemetz 20. (89/91) Dra. Ana M. Gallo Hering 21. (91/93) Dr. Luiz E. Caminha 22. (93/95) Dr. Roberto Benvenutti 23. (95/97) Dr. Luiz Fonseca de Mello 24. (97/99) Dr. Sérgio Marcos Meira

LITERATURA MÉDICA Os médicos Walter Gaigher Filho e Sebastião Iberes Lopes Melo lançaram a obra “LER/DORT – A Psicossomatização no Processo de Surgimento e Agravamento” durante a 16º Feira do Livro de Florianópolis e 2ª Bienal do Cone Sul, no último dia 22 de setembro. O livro trata do fenômeno LER/DORT e seus efeitos sócio-econômicos, buscando uma reflexão sobre responsabilidade das empresas e dos indivíduos. A recomendação final da obra é para que os empregados adotem uma consciência corporal (somática) preventiva, como principal mecanismo de controle das situações de estresse e de adoecimento.


Jornal da ACM

%

NOVA GESTÃO DE JARAGUÁ DO SUL REALIZA EVENTOS O angiologista Douglas Faria Corrêa assumiu a presidência da Regional Médica de Jaraguá do Sul, no dia 29 de junho, em solenidade na sede da entidade, no Centro de Profissionais Liberais do município. As principais metas do novo Presidente eleito são conquistar aumento nos honorários médicos, modernizar o regimento interno e buscar um crescente congraçamento da classe em sua Regional, que abrange os municípi-

os de Jaraguá do Sul, Guaramirim, Corupá e Massaranduba, congregando, ao todo, 128 médicos filiados. Já pensando na união da classe, em agosto, a Regional organizou uma festa comemorativa ao Dia dos Pais, no sítio Toca da Caninana, com gincana, sorteios de brindes e muita alegria. Para o Dia do Médico, já está sendo organizado um baile. Outra preocupação do novo Presidente é com o Departamento Científico da Regional. Já foram realizados dois Encontros Estaduais, um de Colon Proctologia e outro de Patologia. Já em fase de organização, há um curso de reciclagem para médicos de todas as especialidades, em Reanimação e Ventilação Cardíaca.

DR. DOUGLAS CORRÊA FORMOU-SE EM 1981 NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE E ESPECIALIZOU-SE EM ANGIOLOGIA E CIRURGIA VASCULAR. EM 1998 E 1999, FOI DIRETOR CLÍNICO DO HOSPITAL E MATERNIDADE SÃO JOSÉ, EM JARAGUÁ DO SUL

MUDANÇAS NA DIRETORIA DA REMOC O Vice-Presidente da Regional Médica Osvaldo Cruz (REMOC), Dr. Alfredo Nagel, assumiu a presidência da entidade no dia 10 de setembro, em solenidade que contou com a presença do Presidente da ACM, Dr. Carlos Gilberto Crippa, e o Secretário Geral da Associação, Dr. Jorge Anastácio Kotzias Filho. Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina em 1976, o médico atua na área de ginecologia e obstetrícia e reside no município de Indaial. Esta é a segunda vez que assume a presidência da REMOC. A primeira foi na gestão 1988/1989. O principal objetivo do atual dirigente da entidade é reunir os médicos da Regional, aumentar o número de sócios e regularizar a situação dos inadimplentes. “Hoje, há cerca de 30 médicos inscritos junto à REMOC, mas há outros profissionais em nossa região. Por isso, queremos reunir a classe para poder trabalhar mais e melhor”. Outro objetivo do Dr. Nagel é atender ao resultado de uma pesquisa de opinião, realizada entre os médicos locais, que constatou a necessidade de reuniões bimestrais da classe e encontros científicos e sociais.

CAROPRESO É HOMENAGEADO PELA AMJS O médico e deputado federal Vicente Caropreso foi homenageado no dia 12 de julho pela Associação Médica de Jaraguá do Sul, quando fez um balanço de suas atividades parlamentares em Brasília. O médico Ricardo Puff iniciou a cerimônia destacando a atuação de Vicente Caropreso em atividades sociais, antes mesmo de ser eleito deputado. “Posso garantir que o Vicente tem duas paixões, a medicina e a política”. O presidente da Associação Médica de Jaraguá do Sul, o médico Douglas Corrêa, parabenizou o deputado pela coragem de “alçar vôos maiores e de ter chegado a Brasília”. Já o prefeito Irineu Pasold revelou que o deputado merece homenagens de muitos outros segmentos, e não somente da clas-

se médica, pela sua atuação em prol da região e de Santa Catarina. Durante a solenidade, Caropreso destacou o regime de competência da Câmara e do Senado, sua atuação como membro titular da Comissão de Seguridade Social e Família e como membro suplente na Comissão de Relações Exteriores. “O político do terceiro milênio deve demonstrar competência e resolver problemas”, destacou o deputado. Em relação aos projetos de lei de sua autoria, Caropreso disse que ficará muito satisfeito se forem aprovados em seu mandato dois, que segundo ele têm origem PRESIDENTE DA AMJS E LIDERANÇAS LOCAIS DESTACARAM O TRABALHO REALIZADO PELO COLEGA E DEPUTADO FEDERAL EM BRASÍLIA, EM PROL DA REGIÃO

em Jaraguá do Sul: o que institui a veiculação de mensagens educativas em produtos e serviços focados no sexo (PL nº428/99), e o que dispõe sobre dedução do Imposto de Renda por contribuições para hospitais públicos e instituições sem fins lucrativos (PL nº1022/99 Pró-Saúde) . O deputado também destacou a viabilização de recursos federais

para os municípios da região e de R$ 15,5 milhões para hospitais de Santa Catarina através do Programa de Reestruturação Financeira e Modernização Gerencial das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos. O deputado finalizou sua apresentação agradecendo pela oportunidade de relatar suas atividades na Câmara dos Deputados e a homenagem recebida pelos colegas.


Jornal da ACM

&

ACM PARTICIPA DE FÓRUM SOBRE RESPONSABILIDADE CIVIL, ÉTICA E PENAL DO MÉDICO O Fórum sobre Responsabilidade Civil, Ética e Penal do Médico, realizado dia 11 de agosto, no Hotel Maksud Plaza, em São Paulo, reuniu cerca de 700 pessoas, entre elas profissionais e acadêmicos da área médica e jurídica, para discutir temas de maior relevância no exercício da medicina. O principal objetivo foi abrir um amplo canal de diálogo entre médicos e sociedade de forma geral para a construção de um modelo sólido de justiça social e democracia nas relações entre os diversos componentes da rede de saúde. A idéia também foi garantir os direitos de todos os envolvidos no sistema, além de tornar mais claros os deveres de cada um. Para o Presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), Dr. Eleuses Paiva, “o modelo assistencial e o modelo de ensino possuem uma lógica comum que pode ser considerada totalmente mercantilista. Logo, a relação médico-paciente deteriora-se cada vez mais, agravando este conflito. “É preciso que cada um de nós assuma uma postura de mudança para se resgatar a boa prática da medicina”. Os temas do evento, promovido pela AMB e APM – Associação Paulista de Medicina, foram divididos em três mesas com duas palestras em cada. A primeira mesa foi coordenada

HOMEOPATIA SOLIDÁRIA

A Associação Médica Homeopática de Santa Catarina está integrada ao Programa “Homeopatia Solidária – Saúde para Nossas Crianças”, criado pela Associação Médica Homeopática Brasileira em conjunto com as entidades representativas das classes de farmacêuticos e odontólogos do país. A ação é desenvolvida junto à Pastoral da Criança e determina que cada médico e dentista que participam do trabalho atendam gratuitamente pelo menos uma criança carente no período de um ano, enquanto farmácias devem fornecer gratuitamente os medicamentos prescritos pelos profissionais cadastrados. Profissionais interessados devem entrar em contato através do fone 0800-6451030.

pelo Dr. José Luiz Gomes de Amaral, Presi- Defesa do Consumidor’, de Marcus Vinícius dente da APM, Dr. Lincoln Freire, Vice-Pre- Andrade, desembargador do Tribunal de Jussidente da AMB e Dr. Florisval Meinão, Dire- tiça de São Paulo. Drs. Eleuses Paiva e Eduardo Vaz, Diretor tor-Adjunto de Defesa Profissional da APM. ‘A avaliação do dano moral’ foi tema da palestra de Defesa Profissional da AMB, coordenaram de Clayton Reis, juiz aposentado do Tribunal a terceira mesa, em que o Presidente do CFM, de Alçada Civil do Paraná. Sálvio de Figueire- Dr. Edson Andrade, palestrou sobre ‘Os prindo Teixeira, Ministro do Superior Tribunal de cípios éticos profissionais do médico’, e o juiz Justiça e do Tribunal Superior Eleitoral, falou Vice-Presidente do Tribunal de Alçada Criminal de São Paulo, José Renato Nallini, falou sobre ‘Reflexões do Direito e da Medicina’. Já a segunda mesa teve como coordenado- sobre ‘A ética médica sob a ótica do judiciário’. res a Dra. Regina Parizzi, Presidente do CRM-SP e o Dr. Jorge Curi, Diretor de Defesa Profissional da APM. As palestras foram sobre ‘A responsabilidade Penal do Médico – O sigilo profissional e a requisição judicial do prontuário médico’, de Antônio Carlos Coltro, juiz do Tribunal de Alçada Criminal de São Paulo; ‘A responsabilidade OS CATARINENSES DR. REMACLO FISCHER JUNIOR, VICE-PRESIDENTE DA REGIÃO SUL civil do médico – O mé- DA AMB, DR. CARLOS GILBERTO CRIPPA, PRESIDENTE DA ACM, E NILO DE OLIVEIRA, ASSESSOR JURÍDICO DA ACM, PARTICIPARAM DO IMPORTANTE EVENTO EM SÃO PAULO dico frente ao Código de

PROJETO DE PREVENÇÃO À CEGUEIRA A Sociedade Catarinense de Oftalmologia – SCO, com o apoio do Conselho Brasileiro de Oftalmologia – CBO, está estudando a implantação do Projeto de Prevenção à Cegueira, de autoria do Dr. Walter Marra de Andrade, que tem como meta maior atender a demanda reprimida de pessoas que necessitam do assistência oftalmológica. A proposta nasce para combater as principais conseqüências advindas da falta de cuidados básicos com a visão: a cegueira e as deficiências visuais incapacitantes. O programa fundamenta-se na constatação de que a cegueira é prevenível em 60 a 70% dos casos, sendo que aproximadamente 30% têm conotação genética, que igualmente será considerada neste programa, e que sua principal causa (catarata) é tratável e curável.


Jornal da ACM

'

NOVA DIRETORIA DO SIMESC DEFENDE PROPOSTA DA ENTIDADE ÚNICA Empossada no último dia 03 de agosto, a nova Diretoria do Sindicato dos Médicos do Estado de Santa Catarina – SIMESC tem entre suas propostas centrais a defesa da integração da classe através do COSEMESC e da criação da Entidade Única para representar os profissionais do setor, reunindo a ACM, o Conselho e o Sindicato. “Vamos cumprir com a nossa parcela de responsabilidade na defesa e consolidação dos direitos dos médicos”, destaca o novo Presidente do SIMESC, o anestesiologista Cyro Veiga Soncini, que ainda traça como meta em curto prazo a organização de uma Defensoria Médica, como instrumento legítimo e moderno para a garantia dos antigos e novos interesses da classe, atenta e atuante nas questões trabalhistas, na consecução do Plano de Cargos e Salários, condições de trabalho e do exercício profissional. O Sindicato vem realizando atualização cadastral dos médicos

DIRETORIA EXECUTIVA

sindicalizados e tem como finalidades lutar por melhores condições de trabalho e remuneração de seus filiados, defender a independência e autonomia da representação sindical e apoiar iniciativas que visem melhorias das condições de vida do povo brasileiro, além de representar os associados civil e judicialmente, respeitando os limites estatutários. “Também estamos comprometidos com a política de saúde e a política médica, preocupados com o mercado de trabalho e com o ensino médico. Nossa meta é atuar em todos os níveis”, completa o Presidente, que ainda salienta como prioridades de trabalho os serviços de consultoria e

DR. CYRO SONCINI É O NOVO PRESIDENTE DO SIMESC, NA GESTÃO 2001/2003, QUE TEM ENTRE AS METAS CRIAR UMA DEFENSORIA MÉDICA EM SANTA CATARINA

assessoria para os médicos associados; regulação do mercado de trabalho; representação trabalhista, cooperativismo médico e a iniciativa privada; realização periódica de fóruns sobre questões trabalhistas, de responsabilidade civil e social; representação da categoria; revisão estatutária e promoção de ampla campanha de sindicalização, realizando ações em parceria com a ACM, que visem, entre outras coisas, resgatar o médico afastado.

ATIVIDADES INICIARAM EM 1979 Em 1º de setembro de 1979 foi criada a Associação Profissional dos Médicos do Estado de Santa Catarina, que em 30 de agosto do ano seguinte foi transformada em Sindicato dos Médicos do Estado de Santa Catarina – SIMESC. A carta sindical foi concedida pelo Ministério do Trabalho em 25 de março de 1981 e em setembro daquele ano aconteceu a primeira eleição, tendo como Presidente o médico Marco Antônio da Silva Rotolo. O atual presidente, Dr. Cyro Soncini, já integrava a chapa única e fez parte da pri-

meira Diretoria. No dia 15 de outubro/81 a assembléia geral aprovou a filiação do SIMESC à Federação Nacional dos Médicos, com sede no Rio de Janeiro. O dia 18 de março de 1982 foi marcado como Dia Nacional de Luta, quando, pela primeira vez, o SIMESC mobilizou a categoria em Santa Catarina, numa paralisação por melhores condições de trabalho e de salário e por um serviço de saúde digno à população. O SIMESC já foi presidido pelos seguintes médicos:

José P. Figueiredo Drummond Luiz Carlos Espíndola n João Batista Berto n Thaís Helena Lippel n Ari Rocha n Geraldo Swiech Na gestão 1990-93 foram criadas as vice-presidências com diretorias de três membros e sedes em Balneário Camboriú, Blumenau, Brusque, Chapecó, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joaçaba, Joinville, Lages, Mafra, Médio Vale, Rio do Sul, São Miguel d’Oeste, Tubarão, Videira e Xanxerê. n n

Presidente: Dr. Cyro Veiga Soncini Vice-Presidente: Dr. Marcolino Cargnin Cabral Secretário Geral: Dr. João Pedro Carreirão Neto Primeiro Secretário: Dr. Leopoldo Alberto Back Segundo Secretário: Dra. Anamar Lúcia Brancher Tesoureiro Geral: Dr. Vânio Cardoso Lisboa Primeiro Tesoureiro: Dr. Paulo Márcio da Silveira Brunato Diretor de Imprensa e Divulgação: Dr. Luis Joaquim Alves Diretor de Relações Intersindicais: Dr. César Augusto Ferraresi Diretor de Assuntos Sociais e Culturais: Dra.ElizabethReginaAlvesdeFaria DiretordeAssuntosJurídicos: Dr. Jairo Vieira Diretor de Formação Sindical e Estudos Sócio-Econômicos: Dr. Luis Leitão Leite Diretor de Saúde do Trabalhador: Dr. Edson Wittkopf Diretor de Patrimônio: Dr. Franz Willy Nietsch Cruz Diretor de Informática: Dr. Alfredo Martins Diretor de Apoio ao Graduando em Medicina: Dr. Odi José Oleiniski Diretor de Apoio ao Pós-Graduando em Medicina: Dr. Alvin Laemmel

CONSELHO FISCAL Titulares: Dr. José Caldeira Ferreira Bastos Dra. Raquel Helena dos Anjos Berreta Dr. Walter Vicente Bassanezzi Filho Suplentes: Dra. Ana Lúcia Faísca Dr. César Augusto de Mello Dr. Paulo César Consoni


Jornal da ACM



MÉDICOS CATARINENSES

QUE ESCOLHERAM A POLÍTICA COMO ESPECIALIDADE A partir desta edição, o Jornal da ACM começa a publicar uma série de entrevistas feitas com os médicos catarinenses que aceitaram o desafio da política e hoje representam a população de Santa Catarina no Senado, na Câmara Federal e na Assembléia Legislativa. O objetivo da Associação Catarinense de Medicina é iniciar o importante debate sobre a representatividade da classe médica, tendo em vista as eleições marcadas para o ano 2002.

DEPUTADO FEDERAL ANTÔNIO SERAFIM VENZON * Ações e projetos defendidos que destaca como político de uma maneira geral: Compareço em todas as Sessões da Câmara e do Congresso. Nos finais de semana ou feriados estou em contato com o povo de Santa Catarina. Aí é que anoto as sugestões. As que forem possíveis e cabíveis encaminho-as em forma de Projeto de Emenda Constitucional = 10, Projeto de Lei = 87 ou Projeto de Lei Complementar = 04. * Ações e projetos defendidos na área da saúde e da medicina que destaca como político: Alguns se referem à valorização do Ato Médico, como o que adequa os honorários médicos do SUS, ou que dispõe sobre a indicação, prescrição ou adaptação de lentes de contato como sendo exclusividade do médico oftalmologista. Outros se referem a segurança dos medicamentos ou substâncias tóxicas ou inflamáveis, e outras ainda se referem a segurança com equipamentos elétricos, como o que obriga a existência de dispositivo de ligação do Fio Terra em todos os eletrodomésticos. * Como vê a área da saúde nesta virada de século (desafios e prioridades)? O grande mal é que durante muito tempo o médico se desligou das decisões políticas. Deixou para os executivos resolverem. Agora já está melhor. É notório que o político se atém ao que pode dar voto. Para se manter na função, dirige as suas ações no sentido que obtém resultado. Aí é que nós médicos, além da preocupação com a legislação específica ou orçamentária, precisamos ajudar os executivos ou legisladores a obterem resultados positivos ao investirem em saúde. Conseguir essa transformação me parece ser o nosso grande desafio.

* Como vê a prática da medicina nesta virada de século (desafios e prioridades)? O médico nunca foi tão importante, apesar de não estar sendo valorizado nos honorários. O médico continua sendo o Deus-homem. Até 2 ou 3 décadas, o médico era pago melhor porque existiam menos profissionais, proporcionalmente. Por maior que seja a evolução tecnológica, o médico será imprescindível e se destacará aquele que se sobressair em relacionamento humano, que além de curar, transmite paz. * Como vê a ampliação do debate político na classe médica? É muito importante. Precisamos nos comprometer com a população tanto no seu bem estar quanto com o orçamento. * Avaliação da relação dos médicos políticos com as entidades médicas: Está cada vez maior. Sinto uma progressiva valorização do político-médico por parte das entidades. A vida sempre tem duas mãos. A mesma mão que recebe também se doa. A gratidão e o reconhecimento é próprio do ser humano. * Qual é o diferencial do médico político frente aos outros parlamentares em atividade no país? É a sensibilidade social. A doença que o médico cura ou minimiza seus agravos o envaidece. Mas as diversas realidades sociais e seus diferenciais, que conhece e sente, amolece-lhe a alma. A política é a arte de promover a boa convivência entre as pessoas, minimizando as diferenças, promovendo a fraternidade, donde requer muita sensibilidade e compreensão para se agradar com os aplausos , mas não se abalar com a repugnância de algumas situações ou esporádicas ingratidões.

Antônio Serafim Venzom nasceu em Botuverá/SC, é médico, foi vereador em Brusque (1989 a 1992), Vice-Prefeito de Brusque (1993 a 1995) e Deputado Federal nas legislaturas de 1995 a 1999 e de 1999 a 2003, pelo PDT. Formou-se em Medicina pela UFSC, em 1981, com especialização em Cirurgia Geral e Urologia. Na Câmara dos Deputados já participou das seguintes ações: COMISSÕES PERMANENTES: Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática: 1996-1997; Defesa do Consumidor, Meio Ambiente e Minorias: 1996-1998; Fiscalização Financeira e Controle: 1999-2000; Seguridade Social e Família: 1995- 1999 e 2000; Viação e Transportes: 1995-1996 COMISSÕES ESPECIAIS: PEC nº 6/95, Monopólio do Petróleo: 1995; PEC nº 25/95, Modifica Caput Art. 5º da Constituição Federal, Inviolabilidade do Direito a Vida: 1995-1996; PEC nº 40/95, Gratuidade dos Transportes Coletivos Urbanos e dos Serviços de Diversão Pública para Idosos: 1996-1999; PEC nº 76-A/99, Recursos Ciência e Tecnologia: 2000-; PEC nº 169/93, Sistema Único de Saúde: 1995-1999; PEC nº 256/95, Competência à União Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira: 1996; PEC nº 294/95, Benefícios aos Ex-Integrantes do Batalhão de Suez: 1999-; PEC nº 601/98, Direitos Sociais: 1999- 2000; PL nº 464/95, Critérios de Proteção e de Integração Social aos Portadores de Deficiência: 1996-1997; PL nº 1.210/95, Política Nacional do Petróleo: 1996-1997. COMISSÕES EXTERNAS: Pesca Predatória e Trabalho Escravo no Litoral Sul do Brasil: 1999. CPI: Fabricação de Medicamentos: 1995-1996 CONSELHOS, FRENTES E GRUPOS PARLAMENTARES E OUTROS: Grupo Parlamentar Católico: Membro.


Jornal da ACM



DEPUTADO ESTADUAL VOLNEI MORASTONI * Ações e projetos defendidos que destaca como político de uma maneira geral: Eu costumo dizer que o político, principalmente no parlamento, que é a minha experiência, é um generalista. Isto é, deve tratar de tudo. De saúde, de agricultura, de meio ambiente, de moradia, de saneamento básico, de transportes, de porto, de pesca, de assistência social. Por isso, o meu mandato parlamentar é direcionado principalmente para a saúde, mas tenho atuado em assuntos de transporte, com uma luta muito grande em defesa da municipalização do porto de Itajaí, contra a sua privatização, e a duplicação da BR-101, que envolveu a todos. Portanto, eu poderia continuar descrevendo as ações diversas que um mandato parlamentar exige, mas concluo dizendo que devo estar sempre disponível para tratar de qualquer assunto, embora tenha na saúde meu norte. * Ações e projetos defendidos na área da saúde e da medicina que destaca como político: A razão maior de minha atividade política é a saúde. A defesa da saúde pública, mais especialmente a defesa intransigente do SUS, seus princípios (universalidade, eqüidade e integralidade) e fundamentos básicos ( gerenciamento, financiamento, recursos humanos e controle social). Atualmente, estou ultimando o relatório de uma Comissão Parlamentar Externa da qual sou relator para tratar sobre a situação da saúde mental em Santa Catarina e propor uma reformulação do setor de acordo com as diretrizes de lei federal recentemente aprovada no Congresso Nacional, após 12 anos de tramitação. Também foi minha proposta um recente debate na Comissão de Saúde da Assembléia Legislativa sobre a situação de longas filas de espera, principalmente em especialidades cirúrgicas no Hospital Infantil Joana de Gusmão. Debatemos também, há poucos dias, a situação de problemas que ocorrem entre direção administrativa e clínica do Hospital Regional de São José, na Grande Florianópolis. Sempre que posso faço questão de acompanhar reuniões do Conselho Estadual de Saúde e do Conselho de Secretários Municipais de Saúde. A Saúde por si só tem assuntos que preenchem integralmente o tempo de qualquer mandato. * Como vê a área da saúde nesta virada de século (desafios e prioridades)? Os desafios da Saúde são muitos nesta virada do século. A globalização não pode ser só da economia, com o privilégio do capital financeiro especulativo. Um dos desafios é globali-

zar a saúde, o bem-estar social. Um dos desafios é fazer com que a humanidade possa usufruir de todos os avanços da tecnologia para o seu bem estar. Um dos desafios é que todos os avanços da humanidade, bem como todas as suas técnicas terapêuticas desenvolvidas ao longo da história sejam compartilhadas por todos e de forma integrada. No Brasil, entre nós, além de tudo, temos que tornar o SUS vencedor com seus princípios. * Como vê a prática da medicina nesta virada de século (desafios e prioridades)? A prática da medicina deve acompanhar os desafios que a saúde nos impõe. Se cada vez mais incorpora a tecnologia, por outro lado jamais poderá abdicar da relação humana que deve prevalecer entre o médico e o paciente. Grande parte da degradação dos sistemas de saúde, na atualidade, se deve à degradação da relação médico-paciente. Dentre os procedimentos médicos, principalmente aqueles decorrentes da tecnologia, a consulta médica é o ato médico que deve ser resgatado e valorizado em primeiro lugar. Nenhum sistema de saúde, nenhum plano de saúde, nenhuma máquina, nem as condições de remuneração e de trabalho deverão abalar esta relação. * Como vê a ampliação do debate político na classe médica? É fundamental que a classe médica participe do debate político que ocorre na sociedade. A classe médica é importante segmento social, formador de opinião e que se relaciona todos os dias com seres humanos. O médico precisa resgatar a sua dignidade profissional, resgatando a relação médico-paciente e estabelecendo este binômio indissociável. É no debate político que deverá buscar sua valorização, sua dignidade, sua remuneração e suas condições de trabalho. * Avaliação da relação dos médicos políticos com as entidades médicas: Eu percebo que há um relacionamento muito bom, maduro, ético entre os médicos que detêm mandatos e as entidades médicas, como a Associação Catarinense de Medicina, o Sindicato dos Médicos e o Conselho Regional de Medicina. As três entidades médicas que congregam o Conselho Superior das Entidades Médicas têm convidado com freqüência os “médicos políticos” para participarem das suas atividades. É importante que haja este canal de comunicação aberto e que este relacionamento se fortaleça cada vez mais porque os médicos que estão diretamente no exercício de mandatos parlamentares ou executivos deverão saber valorizar o médico.

* Qual é o diferencial do médico político frente aos outros parlamentares em atividade no país? É lógico que os “médicos políticos” estão engajados na atividade política através dos mais diferentes partidos políticos. Há diferentes concepções ideológicas, de sociedade, de valores humanos e sociais. Na maioria das vezes, eu entendo que o “médico político” sempre terá junto a si a voz da consciência a chamá-lo para um compromisso ético, social, humano e solidário, que é a razão maior da sua própria razão de ser e que deve diferenciá-lo dos demais políticos.

O deputado Estadual Volnei Morastoni formou-se em medicina em 1976 pela Universidade Federal do Paraná, sendo pósgraduado em Pediatria e Saúde Pública. Trabalhou, no início da carreira, no Hospital Infantil Menino Jesus de Itajaí e como médico voluntário na APAE local. Ingressando no Partido dos Trabalhadores em 1980, como fundador, logo despontou como liderança política municipal, elegendo-se por duas vezes consecutivas para a Câmara de Vereadores de Itajaí no período de 1989 a 1994, tendo se destacado nas lutas pelos Direitos da Criança, principalmente em defesa do Direito da Mãe Acompanhante para Crianças Hospitalizadas e pelos Direitos dos Pacientes no Hospital Marieta, além da luta pela municipalização do porto de Itajaí. Em 1994, foi eleito Deputado Estadual, sendo reeleito em 1998 com 23.711 votos. Na Assembléia Legislativa, Volnei destaca-se por seu trabalho em favor da Saúde, principalmente em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS), do qual a maioria da população depende. É membro efetivo da Comissão de Mérito de Saúde e Meio Ambiente e da Comissão Permanente de Mérito de Transportes e Desenvolvimento Urbano da Assembléia Legislativa. É autor de 28 leis estaduais, entre as quais destacam-se a Emenda Constitucional Estadual nº 20, que amplia o orçamento na área da saúde, no Estado e nos Municípios catarinenses.


Jornal da ACM



Destaques Catarinenses O Jornal ACM oferece um espaço para os médicos de Santa Catarina que ocupam ou já ocuparam a Presidência de Sociedades Científicas Nacionais de Especialidades.

Nos seus 43 anos dedicados à profissão médica, o gastroenterologista Waldomiro Dantas construiu um vasto currículo de destaque nacional. Especialista em Medicina Interna, Gastroenterologia, Endoscopia Digestiva e Hepatologia, títulos outorgados pela AMB em convênio com as respectivas sociedades de especialidade, chegou a ser Presidente da Sociedade Brasileira de Hepatologia (1993/1995) e da Federação Brasileira de Gastroenterologia (1998/2000). Na Sociedade de Hepatologia, entidade que congrega cerca de 400 sócios, Dr. Waldomiro Dantas realizou o XIII Congresso Brasileiro de Hepatologia e a Iª Jornada Sul da Associación Latinoamericana para Estudio del Higado. Esta, realizada em setembro de 1995 em Florianópolis, com a participação de 42 convidados nacionais e oito estrangeiros, sendo que 310 profissionais tiveram acesso à explanação de 159 temas livres. Na Federação de Gastroenterologia, que hoje conta com três mil associados, o médico organizou 30 cursos de atualização, realizou 25 reuniões associativas em diferentes cidades do país. Participou de 19 cursos, 16 congressos nacionais e sete internacionais. Reformou o estatuto e publicou 15 edições da Revista GED, em conjunto com a SOBED e SBH, e boletins informativos Gastren. Além disso, orga-

nizou e publicou um livro sobre a história da gastroenterologia. Seu mandato encerrou com a realização do XXVI Congresso Brasileiro de Gastroenterologia e 4ª Semana do Aparelho Digestivo, em Foz do Iguaçú, Paraná, onde participaram 2.300 profissionais que tiveram acesso a 327 temas livres proferidos por 32 convidados estrangeiros e 200 nacionais. “Organizamos também um pré-congresso, do qual resultou o livro ‘A Gastroenterologia rumo ao terceiro milênio”, conta o médico. Durante seu mandato, houve um intenso intercâmbio com as Sociedades Regionais de Gastroenterologia e com a Associação Médica Brasileira e uma importante assessoria técnica à Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde. “Tanto a gastroenterologia como a hepatologia, encontram-se em pleno desenvolvimento. Existem numerosos e excelentes centros de treinamento e as Sociedades estão bem estruturadas, o que permite uma intensa participação na formação dos especialistas. O número de titulares destas especialidades está aumentando consideravelmente, e os concursos para a outorga do título, realizados anualmente, são muito procurados. Esse interesse coincide com o aumento do número de associados das duas entidades. Evidentemente há dificuldades, como o

DR. WALDOMIRO DANTAS aumento dos custos dos equipamentos, a deterioração e o sucateamento dos serviços públicos de saúde e a baixa remuneração oferecida pelos órgãos pagadores de serviços médicos, mas, em contrapartida, o entusiasmo e a dedicação dos colegas supera os problemas e é oferecido um atendimento de elevado padrão técnico à comunidade”. Dr. Waldomiro Dantas formouse em 1958 na faculdade Fluminense de Medicina e fez Livre Docência em Medicina Interna em 1974 na UFSC, que lhe outorgou o título de Doutor em Ciências. Realizou 68 cursos de especialização, dos quais sete foram no exterior, nove estágios de especialização, sendo três no exterior. Participou de 226 Congressos e Jornadas, dos quais 27 foram em países estrangeiros. Ministrou 191 aulas, conferências e palestras em numerosas cidades do território nacional e participou de 45 bancas examinadoras de concurso para Magistério, Livre-Docência, Doutorado e Mestrado. Além disso, publicou 101 trabalhos científicos em periódicos, cinco em língua estrangeira. Fez 35 capítulos de livros, uma tese, duas monografias e participou como co-editor na publicação de seis livros de medicina. Fundou e presidiu diversas entidades em Santa Catarina, destacando-se a

ANÚNCIO

Academia Catarinense de Medicina, Sociedade Catarinense de Gastroenterologia, Capítulo de Santa Catarina do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Presidiu também, em dois mandatos, o CREMESC e, na ACM, exerceu os cargos de Secretário Geral, Vice-Presidente, Presidente do Departamento de Clínica Médica e delegado efetivo com múltiplos mandatos. Exerceu ainda o cargo de Conselheiro do Conselho Federal de Medicina (1984-1989). Na UFSC, o médico galgou todos os postos de carreira acadêmica, implantou o curso de Pós-graduação em Clínica Médica, do qual foi coordenador durante quatro anos. Chefiou o Departamento de Clínica Médica, a disciplina de Gastroenterologia e o Serviço de Gastroenterologia. Filiado a 22 Sociedades Científicas, sendo sete internacionais, participou do corpo editorial de 13 revistas científicas, 12 nacionais e uma estrangeira (The Croacian Journal of Gastroenterology and Hepatology, editada na Croácia).


Jornal da ACM

!

ALÉM DO CONSULTÓRIO ...

Meu lado artístico Desde jovem o Ginecologista e Obstetra Bonifácio Schmitt Neto já demonstrava habilidades para desenhar. Conforme declarou, durante as aulas mais chatas (do primário à faculdade) ele rabiscava figuras de colegas, fazia capas dos trabalhos e outros desenhos que chamavam atenção. Mas a dedicação a esta arte só iniciou há dois anos, quando decidiu estudar pintura, em Itajaí, no Atelier Suzete Zukóski, e depois fez um curso intensivo em São Paulo, com o artista Ronaldo Boner Júnior, ano passado. E o que começou como um passatempo para aliviar a tensão do trabalho, se transformou em arte, expressa nas obras pintadas em óleo sobre tela, revelando a grande paixão pelo mar. Ainda em 1999, quando começou a pintar, expôs seu trabalho na Mostra Coletiva de Pintura Artística. Em 2001 participou de quatro exposições e este ano, até maio, suas obras puderam ser apreciadas em outras quatro exposições. Já neste mês de setembro uma obra sua conquistou o 3º lugar no 1º Salão de Artes Lindolf Bell. “No momento só pinto natureza morta e frutos do mar”, conta o médico, que já começa o trabalho artístico antes de lidar com pincéis e tintas. Bonifácio vai no Mercado Público de Itajaí, onde mora, para escolher os animais (frutos) marinhos que vai pintar e depois inicia a composição dos itens para formar o quadro. Mas ele não se limita a reproduzir o que vê, deixa a imaginação voar. “Em geral, eu trabalho com ‘modelos’ que podem se decompor relativamente rá-

O PRAZER VINDO DA MÚSICA

“A música é um dos meus passatempos preferidos, me relaxa e me proporciona momentos de inteiro prazer”, revela a médica Rúbia Maria Albino, que desde criança demonstrou vocação musical e hoje além de cantar, toca violão nas horas de folga, mas apenas quando está inspirada, nunca por obrigação. Ainda menina teve o seu grande sonho realizado ao ganhar seu primeiro instrumento musical, uma gaita (acordeon) Todeschini de oitenta baixos: “Foi um dos dias mais felizes da minha vida”. Dos 12 aos 13 anos a Dra. Rúbia cursou aula de música e até a adolescência cantava na escola e em programas de auditório das rádios de Blumenau (sua cidade natal), “eram a co-

EM DOIS ANOS DEDICADOS À PINTURA, DR. BONIFÁCIO TEM CERCA DE 25 TELAS CONCLUÍDAS

pido e, quando não consigo adiantar o suficiente, eu os fotografo para continuar a pintar mais tarde. Depois eles vão para a cozinha, onde são preparados para degustação”. Dr. Bonifácio Schmitt, que é graduado em Medicina pela UFRJ, pinta para aliviar o estresse, para relaxar. “Não tenho intenção de vender o meu trabalho, por isso faço tudo muito devagar, em média de 30 a 40 minutos por dia. Uso as mesmas técnicas e o estilo do pintor Pedro Alexandrino, considerado um dos maiores pintores brasileiros de natureza morta do século passado. Nas minhas obras emprego muitos tons terra para dar aspecto envelhecido, inclusive faço as molduras com o mesmo cuidado”. Seus trabalhos podem ser apreciados pela Internet, no seguinte endereço: www.melim.com.br/~reichschmitt queluche das manhãs de domingo, naquela época que não havia televisão (local)”. Autodidata tanto no canto como na arte de tocar violão (aprendeu nas revistinhas especializadas), ela tem como suas “mestras” as cantoras Sarah Vaughn e Elis Regina. “Ouvindoas, ficava atenta aos seus modos de cantar, observava a respiração, o movimento do diafragma, a forma como dividiam o compasso, a articulação das palavras cantadas, o uso das oitavas numa mesma frase musical, entre outros detalhes”. Quanto à afinação da voz, a médica atribui à herança genética dos pais Maria e Alberto, “ambos afinadíssimos”. Como o seu compromisso musical é exclusivamente com o prazer de tocar e cantar, a Dra. Rúbia rejeitou o convite para integrar a Banda Stagium 10, embora tenha participado

O que estou lendo “A leitura de um livro me proporciona uma forma diferente de ver o mundo, de uma maneira que nenhum outro veículo de comunicação é capaz. Ler é um grande prazer”, declara o médico Pediatra Lairton Valentim, Presidente da Sociedade Joinvilense de Medicina – SJM. Ele considera a leitura uma atividade indispensável ao crescimento humano, à formação da essência do indivíduo. Apesar da correria inerente à profissão médica, ele não abre mão de em qualquer minuto de folga deleitarse com um bom livro. Em casa, Dr. Valentim costuma ler duas obras simultaneamente, no carro e no consultório tem sempre algum título para “saborear” nos intervalos entre uma atividade e outra. Pai Rico e Pai Pobre foi um dos mais recentes livros que o médico leu e recomenda. “Escrito por um investidor, ele trata das coisas que os pais devem ensinar a seus filhos para que aprendam a lidar com o dinheiro, de forma prática, didática, fácil de ler”. Também “prescreve” a leitura de Notícias do Planalto e de As 48 Leis do Poder, esta última é uma obra que analisa e reconhece recursos e ferramentas utilizadas nas relações de poder em 40 passos. O Pediatra tem especial atração pelos livros de humor, “com a caricatura do Brasil contemporâneo, como os de Luiz Fernando Veríssimo”.Com uma média de três livros lidos por mês, a leitura é, sem dúvida, o passatempo predileto do médico, cultivado desde a infância, marcada por várias aventuras literárias, como as vividas pelo Pequeno Príncipe, de Exupéry, e Olhai os Lírios do Campo, do eterno Érico Veríssimo. DR. LAIRTON VALENTIM LÊ CERCA DE TRÊS LIVROS POR MÊS

do grupo por um período curto, enquanto ainda cursava o último ano de medicina. “Foi a minha única experiência profissional, embora para mim representasse mais um hobby delicioso”. Apesar de não cantar nem tocar diariamente a música faz parte da vida desta médica que sabe admirar o que é belo. “Gosto de boa música, independente do gênero, desde que sejam excluídas a axé music e o que chamam de pagode. Em todos os gêneros existem músicas boas e ruins e eu fico com as boas, ricas em harmonia, melodia e poesia. Tom Jobim é o grande mestre de todos os tempos e continentes da música moderna”. DRA. RÚBIA CANTA E TOCA VIOLÃO TENDO O PRAZER COMO COMPROMISSO


Jornal da ACM

"

ANÚNCIO


Jornal da ACM

#

Família de Médico A família do médico catarinense também merece um carinho especial e um espaço reservado no Jornal da ACM.

O CANTO QUE ENCANTA Amante da música, seu marido como proo médico Joarês Nodutor executivo e no gara, que sempre derepertório canções sejou ouvir sua mueternas como Carinholher cantar, há cerca de so, Paz do Meu Amor, três anos foi até a EsSe todos Fossem Iguais cola de Música do Tea Você e Acalanto. atro Carlos Gomes, em Sônia Nogara estuBlumenau, e fez a mada técnica vocal e cantrícula de Sônia. A to lírico e erudito. Ela princípio, ela resistiu, canta músicas italiamas quando iniciaram nas, francesas, alemãs as aulas, ela sentiu o e brasileiras. No início quanto é bom cantar. do ano participou de SÔNIA NOGARA GRAVOU UM CD INTERPRETANDO “Hoje comemoro o uma oficina de músiCANÇÕES ETERNAS DA MÚSICA POPULAR fato de já me ter apreca em Curitiba com BRASILEIRA, TENDO COMO PRODUTOR SEU sentado em vários luDenise Sartori. MARIDO, DR. JOARÊS NOGARA gares, em Café ConNa sua rotina, faz certo no próprio teatro, em asilos, ansionatos, aulas uma vez por semana com um pianista principalmente na época de Natal”, conta en- particular e no teatro. Para quem gosta de cantusiasmada, destacando ainda a gravação de tar e ainda não se animou a aprender, Sônia CD “Sons Onde Nascem Inesquecíveis sugere: “vá em frente e inicie logo, pois cantar Amores”, na primavera do ano 2000, tendo é muito bom”.

AS MUITAS FACES DA ARTE Desde criança Betina Bub vem se dedicando à arte. Ainda garotinha freqüentava a Escolinha de Artes do MASC, onde ficou até os 12 anos. A partir daí, passou para a Escola de Artes, estudando teatro, música e pintura. “Estudei violão com o mestre Zequinha, pintura com o artista plástico Nilo Dias e desenho com o professor e desenhista Fossari. Foi uma grande oportunidade, principalmente porque Nilo aprendeu com Eduardo Dias, que

era aluno do Victor Meirelles. Aprendi muitas coisas com ele, desde esticar a tela e preparar a tinta com alvaiada com pigmentos e óleo de vinhaça, até produzir meu próprio carvão para os esboços com galhos de parreira”, conta a artista. Os trabalhos de Betina são pinturas a óleo de paisagens marinhas e o interior de matas nativas. “Meu estilo hoje utiliza um volume maior de tinta e pinceladas rápidas”, explica a artista, que também gosta de pintar flores em aquarela e fazer retratos humanos monocromáticos. “Gosto muito de trabalhar com expressão facial”. Betina, que é enfermeira e casada com o mé-

ANÚNCIO

COLABORADORES DA ACM Conhecer os colaboradores da ACM é descobrir um pedaço da história de 64 anos da entidade. Marco Antônio Machado começou a trabalhar na Associação Catarinense de Medicina no ano de 1991, como porteiro da sede social. Após dois anos, passou a Chefe de Serviços Gerais, onde permaneceu por mais cinco anos, sendo depois promovido para o trabalho na Secretaria da entidade, onde atua há cerca de quatro anos. “Atendo os associados, passo fax, organizo os auditórios para palestras, eventos e cursos realizados na sede da ACM. Também realizo gravações de palestras e aulas ministradas nas salas do prédio da Associação, faço projeções, participo da orgaMARCO ANTÔNIOMACHADOÉ nização de alguns RESPONSÁVEL POR TODA A PARTE eventos e sonori- DE ÁUDIO E VÍDEO DOS EVENTOS zação de apresen- REALIZADOS NA SEDE DA ACM tações especiais”. O funcionário já morou na sede da ACM por cinco anos e conhece bem toda a estrutura física da entidade. “Aqui eu encontrei pessoas que eu já considero meus irmãos”. dico cardiologista Théo Bub, já participou de algumas coletivas na capital catarinense. Atualmente está se dedicando também à fotografia. “Estou BETINA BUB, ESPOSA DO fazendo fotos de CARDIOLOGISTA THÉO FERNANDO plantas nativas da BUB, DEDICA-SE AO TEATRO, Ilha. São árvores MÚSICA, PINTURA E FOTOGRAFIA frutíferas, como bananeiras, goiabeiras e plantas decorativas”.


Jornal da ACM

$

CRIADO O CLUBE DO VINHO DO MÉDICO Sentir aromas e saborear um bom vinho é um privilégio ímpar para os enófilos, ou amigos do vinho. Estes apreciadores, através de reuniões periódicas, buscam em cada taça de degustação, captar ainda a história e a cultura da milenar bebida, que serve aos mais íntimos propósitos de sedução, paixão e alegria. A Associação Catarinense de Medicina – ACM, a exemplo de outras entidades médicas, criou o seu próprio Clube do Vinho, uma maneira de reunir os médicos e alguns familiares, fora do ambiente de trabalho, propiciando momentos de relaxamento e descontração, onde os participantes podem aprender um pouco mais sobre o vinho. “Nos reunimos para degustar vinhos (não para beber) de melhor qualidade”, explica Dr. Carlos Gilberto Crippa, Presidente da ACM. O Cardiologista Antônio Sbissa preside o Clube do Vinho, ao lado do Anestesiologista Nilton da Silveira (Secretário). A idéia é que seja constituído por um pequeno número de pessoas, porém bastante fiéis aos conceitos de um clube de vinho. A intenção é seguir as normas de confrarias do gênero, onde cada confrade recebe uma ficha e faz suas anotações, avaliando o aspecto, o aroma e a intensidade de cada bebida degustada. A ACM vai criar sua própria ficha, não como a dos enólogos, mas de enófilos. “Além dos vinhos, suas histórias e curiosidades, apresentamos os complementos ideais para uma degustação, desde saca-rolhas e taças até o alimento indicado, ou o melhor acompanhamento”, frisa Dr. Crippa. Ele acrescenta que o Clube vai criar um estatuto próprio para se consolidar e deverá estipular uma mensalidade para cobrir as despesas com os complementos necessários. Os enófilos deleitam-se com

cada informação deste vasto e fascinante universo. Segundo eles, o prazer começa com o exame visual da bebida, através da observação da cor, sua densidade, brilho e limpidez, elementos que oferecem a abordagem reveladora da origem do vinho e das uvas empregadas em sua elaboração. Depois vem a degustação propriamente dita. De acordo com o Dr. Sbissa, a pretensão inicial do Clube é mais didática, ensinar ao médico como é que se toma o vinho e transformar este momento numa atividade cultural e de entrosamento. Por isso, cada encontro tem a participação de um convidado com conhecimento especial sobre a bebida e que contribui com sua experiência, ao mesmo tempo em que todos degustam um vinho pré selecionado. O encerramento se dá com um jantar simples, em geral prato único, porque a finalidade é apreciar e brindar o anfitrião, ou seja, o vinho.

ENÓLOGOS (QUE ESTUDAM O VINHO) PASSAM O CONHECIMENTO AOS MÉDICOS INTEGRANTES DO CLUBE, NOVOS E ANTIGOS ENÓFILOS (APRECIADORES DO VINHO)

Agradecimento Especial

O advogado Edson Ubaldo, autor do livro Vinho um Presente dos Deuses, tem sido um grande incentivador e colaborador do Clube do Vinho da ACM. Seu conhecimento e interesse pelo tema já são antigos, com destaque especial à sua paixão pelos vinhos de Borgonha, que levaram este enófilo, natural de Campos Novos a integrar a Confraria Cavalheiros do Vinho do Porto, de Curitiba, e o Clube do Vinho de Florianópolis, em que é sócio honorário. O interesse em pesquisar e aprofundar conhecimentos sobre esta bebida milenar o motivaram a escrever livros e artigos sobre o assunto e, junto com as obras jurídicas editadas, conquistou uma cadeira na Academia Catarinense de Letras.

NOVOS CONVÊNIOS BENEFICIAM ASSOCIADOS A ACM informa que firmou os seguintes novos convênios de benefícios aos associados: * BAIT ALSHARK - Escola de Dança do Ventre e Yoga Rua Frei Caneca, 120 - Agronômica - Fpolis - 48 - 228-0986 Desconto de 20% (mediante apresentação da carteira de sócio ACM), em todos os produtos e serviços oferecidos pela escola. * Rede Bristol de Hotéis Florianópolis – Bristol Castelmar São Francisco do Sul – Bristol Villa Real Curitiba – Bristol Metropolitan Flat, Bristol Esteio Park Hotel, Bristol Duomo Park Hotel, Bristol Upper Residence, Bristol Ambassador Flat Londrina – Bristol Londrina Residence São José dos Pinhais – Bristol Dom Ricardo Hotel


Jornal da ACM

IV JOGOS PANAMERICANOS DE MEDICINA Os IV JOGOS PANAMERICANOS DE MEDICINA, serão realizados entre os dias 03 e 10 de novembro na Cidade do Rio de Janeiro-RJ. Organizado pelo Departamento de Esportes da Federação Médica Argentina, desde sua primeira edição, em 1998 em Mar Del Plata – AR, já reuniu mais de 4 mil profissionais de saúde, em mais de 20 modalidades esportivas (futebol de campo e quadra, natação, atletismo, maratonas, ciclismo, tênis de campo e mesa e várias outras). O Departamento Social da Associação Paulista de Medicina (APM) vem sendo um grande incentivador deste evento, desde sua primeira edição, reunindo atletas, não só de São Paulo, mas também de outros Estados como Goiânia, Paraná, Rio de Janeiro, Bahia e Alagoas. O Panamericano além de ser um momento esportivo de excelente nível técnico, tanto dos participantes quanto da organização, é, hoje uma oportunidade ímpar de integração e confraternização com colegas médicos e demais profissionais de saúde de vários países. E isso é possível em inúmeros momentos, principalmente durante o Simpósio Internacional de Medicina Esportiva que ocorre concomitante aos jogos. Maiores informações: DEPARTAMENTO SOCIAL: Associação Paulista de Medicina Av. Brigadeiro Luiz Antonio, 278 – Bela Vista – CEP 01318-901São Paulo/SP - Tel.: (11)3188-4282 / 4282 / 4280 – Fax.: (11) 3188-4283 - e.mail: ogeriocustodio@apm.org.br

%

PROFISSIONALIZAÇÃO NA ÁREA DA SAÚDE

O Ministério da Saúde pede espaço especial aos médicos de todo o país para divulgar o programa que pretende profissionalizar cerca de 10 mil auxiliares, atendentes e técnicos de enfermagem de Santa Catarina que hoje atuam em hospitais e estabelecimentos de saúde no estado sem a devida qualificação, colocando em risco a resolutividade dos serviços no setor. O PROFAE – Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem é o maior programa desenvolvido pelo Governo Federal junto à mão-de-obra da saúde e inicia com o cadastramento de todos os envolvidos na área. A ação compreende a realização de cursos específicos, também para agentes de saúde, visitador sanitário e auxiliar de serviços diversos. A proposta do Ministério da Saúde é qualificar, num prazo de quatro anos, um contingente aproximado de 225 mil trabalhadores em todo o país, por meio de cursos gratuitos que ampliem os conhecimentos e fortaleçam o desempenho dos profissionais do setor. O PROFAE oferece três modalidades de cursos gratuitos para os aprimoramento dos trabalhadores da área de enfermagem: Curso de Qualificação Profissional de Auxiliar de Enfermagem (duração de 12 meses) para os que concluíram o Ensino Fundamental, Complementação do Ensino Fundamental (duração máxima de 18 meses), para os que não o concluíram e Complementação de Técnico de Enfermagem, para quem tem o certificado de conclusão do Ensino Médio e do curso de Auxiliar de Enfermagem. Em Santa Catarina existem 11 Postos Fixos de Inscrições. Para saber onde se inscrever, os interessados poderão ligar para a linha gratuita do Ministério da Saúde – Disque Profae: 0800-7041447. Maiores informações poderão ser obtidas na Escola de Formação em Saúde – Bairro Bela Vista III – São José – Fone: (48) 246-6670 e 246-8611.


Jornal da ACM

&

ANÚNCIO


Jornal da ACM

'

“CRUZADA” CONTRA O CÂNCER DE MAMA EM SANTA CATARINA

Uma em cada nove mulheres que viver até os 70 anos terá câncer de mama, hoje a doença que causa o maior número de mortes entre mulheres de 35 a 50 anos em todo o mundo. No Brasil, o Ministério da Saúde prevê que só em 2001 serão pelo menos mais 30 mil novos casos e oito mil mortes, que poderiam ser evitadas com o diagnóstico precoce através do auto-exame da mama e da mamografia.

A II Semana Nacional de Incentivo à Saúde Mamária, entre os dias 15 e 21 de outubro, vai reunir mulheres de toda Santa Catarina para debater sobre as formas de conscientizar a população feminina num efetivo trabalho de prevenção do câncer de mama, geralmente descoberto já no seu quadro avançado, com alta taxa de mortalidade. No estado, a campanha está sendo organizada pela Sociedade Brasileira de Mastologia – Regional de Santa Catarina, integrada à Associação Catarinense de Medicina (ACM), que abrigará o evento em sua sede, em Florianópolis. Entre os objetivos da Semana de Incentivo à A CONSCIENTIZAÇÃO DA NECESSIDADE DO AUTO-EXAME DE MAMA É UMA DAS METAS DA PROGRAMAÇÃO

Saúde Mamária destacam-se a educação para o diagnóstico precoce do câncer, a busca por uma melhor qualidade de vida às portadoras da doença, maior sobrevida das mulheres com o problema e a prática de tratamentos menos agressivos. Para alcançar as metas, a programação do evento contará com a distribuição de folhetos e orientações nos shoppings e praças públicas de vários municípios, além de palestras em diversas cidades. No dia 18/10 acontecerá o 1º Encontro Catarinense de Mulheres Portadoras do Câncer de Mama, na Maternidade Carmela Dutra, e no dia 20/ 10 será a vez de um debate específico para a área médica especializada no tema. A campanha encerra-se no dia 21/10, com uma caminhada de conscientização na Avenida Beira Mar Norte, na capital.

VEM AÍ O XVII CONGRESSO BRASILEIRO DE PERINATOLOGIA Nos próximos dias 10 a 14 de novembro Florianópolis vai ser sede do XVII Congresso Brasileiro de Perinatologia e da XIV Reunião de Enfermagem Perinatal, reunindo as mais expressivas autoridades em perinatologia no país e no mundo. O tema central dos eventos será “Humanização, Prevenção e Tecnologia”, hoje instrumentos maiores para assegurar os direitos de nascer e crescer com saúde. A programação Científica já tem seus temas confirmados, pautados através do trabalho da Diretoria Científica da Sociedade Brasileira de Pediatria – SBP e Comissão Organizadora, que sem dúvida alguma, projetam a pediatria nacional na vanguarda do progresso médico a serviço da modernidade.

Objetivos

- Atualização profissional - Humanização dos serviços - Redução da mortalidade infantil - Redução de seqüelas a longo prazo - Abordagem de novas tecnologias - Intercâmbio entre profissionais nacionais e internacionais

Público Alvo

Pediatras gerais, pediatras especializados em neonatologia, especialistas em medicina fetal, obstetras, residentes de pediatria, neonatologia e obstetrícia, enfermeiros, fonoaudiólogos, fisioterapeutas e estudantes.

Informações

Açoriana Congressos e Eventos

Av. Rio Branco, 787 - Sala 204 Caixa Postal 192 - Centro - Florianópolis/SC - CEP 88015-203 Fone/Fax: (0xx48) 223 2152 E-mail: perinatologia@acorianaeventos.com.br

Convidados Internacionais

Cleide Suguihara (EUA), Christian Speer (Alemanha), Eduardo Bancalari (EUA), Fernando Barros (Uruguai), Gilberto Pereira (EUA), Henrietta S. Bada-Ellzey (EUA), James C. M. Chan (EUA), Jaques Belik (Canadá), Jose Luis Diaz Rossello (Uruguai), Kanwaljeet Singh Anand (EUA), Nestor Vain (Argentina), Pablo José Sánchez (EUA), Richard Schanler (EUA) e Shahnaz Duara (EUA).

Entidades Apoiadoras:

·Associação Catarinense de Medicina ·Associação da Mulher Catarinense Portadora de Câncer ·Fundação Vida ·FAHECE/CEPON – Centro de Pesquisas Oncológicas de SC ·Maternidade Carmela Dutra ·Núcleo Dalva Arruda ·Rede Feminina de Combate ao Câncer ·Secretaria de Estado da Saúde ·Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis ·SOGISC – Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia de Santa Catarina ·Universidade Federal de Santa Catarina ·Unimed ·Assembléia Legislativa do Estado de Santa Catarina

XXXV Jornada Catarinense de Debates Científicos e Estudos Médicos Data: 22 a 26 de outubro de 2001 Local: Auditório do HU, Florianópolis/SC Promoção: Universidade Federal de Santa Catarina - Centro de Ciências da Saúde - Curso de Graduação em Medicina - Associação Turma de Medicina 2002/2 Informações: Calimed, e-mail : jornada2001@brasilnet.com.br


Jornal da ACM



NOITE ITALIANA NO “DR. GOURMET” Na noite de 17 de agosto, a Associação Catarinense de Medicina realizou mais uma noite do “Dr. Gourmet”, desta vez com as participação dos chef’s Murillo Ronald Capella, Antonio Sbissa, Vanildo Ozelame e João Nilson Zunino. Os quatro médicos foram responsáveis pela NOITE ITALIANA, que além dos pratos típicos foi acompanhada com boa música e danças de um grupo folclórico.

CHEF’S DA NOITE: O VICEPREFEITO E CIRURGIÃO PEDIÁTRICO MURILLO RONALD CAPELLA, O CARDIOLOGISTA ANTONIO SBISSA, O PATOLOGISTA JOÃO NILSON ZUNINO E O RADIOLOGISTA VANILDO OZELAME

OS PARTICIPANTES DO JANTAR FORAM SERVIDOS PELOS GOURMETS, QUE PREPARARAM PRATOS TÍPICOS DA COZINHA ITALIANA

MÚSICAS E DANÇAS DA CULTURA ITALIANA

ACOMPANHARAM A NOITE NA SEDE SOCIAL DA ACM

PARTICIPE DA OLIMPÍADA MÉDICA ACM/UNIMED

Entre os eventos da festividade do Dia do Médico 2001 estará a realização da Olimpíada Médica da ACM, que neste ano será realizada em parceria com a Unimed de Florianópolis, também em comemoração aos 30 anos de atividades da Cooperativa de Trabalho Médico. As disputas acontecerão nos dias 20 e 21 de outubro, na sede da Associação Catarinense de Medicina, na capital.

Recursos Patrocinam Dia das Crianças O dinheiro arrecadado nos jantares do “Dr. Gourmet” serve para o desenvolvimento de ações sociais da ACM, que visa a aproximação da entidade com a comunidade. A próxima atividade patrocinada pelos recursos será a festa do Dia das Crianças, em12 de outubro, quando a Associação vai reunir alunos das escolas dos bairros do Monte Verde e Saco Grande, próximas a sua sede social, para atividades recreativas e distribuição de lanches. Desde que iniciou, o “Dr. Gourmet” já teve a participação dos médicos Carlos Gilberto Crippa, Jorge Abi Saab Neto, Luiz Arthur da Luz, Rodrigo D’Eça Neves, Luiz Fernando De Vincenzi, Giovani Colombo, Maurício Buendgens, Ivan Moritz da Silva, Jorge Humberto Barbato Filho, Geraldo Swiech, Nádia Porto, Paulo Roberto Hess de Souza, Almir Gentil, Newton Capella, Edevard José de Araujo, Murillo Ronald Capella, Antonio Silveira Sbissa, Vanildo Ozelame e João Nilson Zunino. Na última noite de 28 de setembro foi a vez das Chef’s Regina Valim, Cíntia Meirelles, Mary Anne Syridakis e Maria Helena Nunes prepararem o jantar, cujas fotos serão publicadas no próximo Jornal ACM.

As inscrições podem ser feitas junto às secretarias da ACM, Unimed, Unicred e Sindicato dos Médicos (SIMESC), com a opção de serem feitas também via fax (48) 231-0335 ou pelo site da entidade associativa: www.acm.org.br Modalidades oferecidas: basquete, canastra, dominó, fut-volei, futebol in-door, futebol suiço, natação, general, pebolim, tênis de mesa, tênis de campo, vôlei de praia e xadrez.


Edição 220- Ago/Set 2001