__MAIN_TEXT__

Page 1

Ano 77 - Edição nº 288 Janeiro de 2021


índice

16 Garagem Modas completa 30 anos com nova fase

20 Café 6 de Janeiro investe em qualidade e ressalta a

24 Receita de um bom churrasco

30 2021.2024 – Os desafios de uma nova gestão pública

cultura popular

06

Cátia Fonseca estrela 2ª edição da campanha ‘Liquida Tudo Franca’

34

ACIF cria ‘biblioteca’ de vídeos de empreendedorismo em seu canal no Youtube

08

Desenvolvimento Empresarial divulga cronograma de cursos 1º semestre 2021

36

Momento Empreender recebe Helinho Garcia em palestra motivacional

10

Para acertar na contratação

38

Da negativação indevida e da indenização por danos morais

12

Conheça + sobre o Pix

40

DNI-ACIF realiza ações para promover negócios digitais

26

Arroz com feijão é melhor que nada

42

Impostômetro

28

Arquitetura & Você

44

De Olho No Dinheiro

32

‘Queremos gerar emprego, acertar o recapeamento e cuidar da saúde’

DIRETORIA ADMINISTRATIVA E CONSELHO DELIBERATIVO - BIÊNIO 2019/2021 Tarciso Bôtto, Presidente João Batista de Lima, 1º Vice-Presidente Ézio Luiz Pedrosa, 2º Vice-Presidente Fernando Rached Jorge, 3º Vice-Presidente Thalita Faleiros Coelho, 4ª Vice-Presidente José Alexandre Carmo Jorge, 1º Diretor Financeiro Alex Rodrigues Kobal, 2º Diretor Financeiro Lívia Gomes, 1ª Diretora Administrativa Mariana Zani, 2ª Diretora Administrativa Júlio César Cheade, Presidente do Conselho Deliberativo Marcelo Carraro Rocha, Superintendente

SEDE Horário de atendimento - das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira R. Monsenhor Rosa, 1940 Centro - Franca/SP Telefone - (16) 3711-1700

EQUIPE Jornalista responsável: Ana Luiza Silva | MTb 63.305/SP Redação: Ana Luiza Silva, Marco Felippe Colaboradores: Ana Cláudia Silva Mariano e Caio Augusto de Oliveira Rodrigues Foto base da Capa: Olivier Le Moal/Shutterstock Fotos: Wilker Maia Diagramação / Arte / Projeto gráfico: Lucas Ribeiro Arte de Anúncios Institucionais: Andressa Alves Revisão de Anúncios: Michelly Ferreira Coordenação: Letusa Sartori A ACIF em Revista é uma publicação mensal da Associação do Comércio e Indústria de Franca Tiragem: distribuição online www.acifranca.com.br Fale conosco revista@acifranca.com.br (16) 3711-1739 Departamento Comercial ACIF (16) 3711-1721

EXPEDIENTE

As matérias publicadas nesta edição poderão ser reproduzidas, total ou parcialmente, desde que citada a fonte. As opiniões expressas em artigos assinados não coincidem necessariamente com a opinião da ACIF em Revista.

4 ACIF em Revista www.acifranca.com.br


editorial

TARCISO BÔTTO PRESIDENTE

O

2 0 2 1: QU EM

E

nfim, chegamos a 2021. O espírito de renovação, tão comum à época, se apresenta de modo mais consciente e menos emocional em razão dos desafios que 2020 nos trouxe. Há motivos para esperar por dias melhores, como a perspectiva de imunização da população à Covid-19 e tudo o que isso representa: mais segurança à vida, retorno das atividades econômicas em sua potência, geração de empregos e a possibilidade de um convívio social mais parecido com o que conhecíamos. Ainda assim, sabemos que essas expectativas serão alcançadas de forma gradual e que muito precisa ser recuperado, economicamente falando. Pensando nisso, a ACIF em Revista falou com representantes da classe empresarial, educacional, econômica e de controle social para saber suas expectativas e trouxe, na sequência, uma entrevista completa com o prefeito de Franca, Alexandre Ferreira, sobre os temas levantados. Nela, ele reconhece que gerar emprego e

www.acifranca.com.br

VEM

P OR

incentivar o surgimento de novas empresas estão entre as principais ações do seu plano de governo. Válido lembrar que, em novembro de 2020, ainda como candidato, Ferreira assinou a Agenda Positiva criada a partir de uma campanha da ACIF que questionou o empresariado local sobre o que o Poder Executivo Municipal deveria fazer em prol do empreendedorismo francano. A partir das respostas, dez propostas – como reuniões periódicas com as principais entidades de classe de Franca, criação de uma parceria Público-Privada para a implantação de um Centro Empresarial e revitalização dos corredores comerciais da cidade – foram formuladas e ele fala sobre isso, também. Nesta edição, a revista ainda traz as novidades da Liquida Tudo Franca, uma campanha de incentivo ao comércio que visa dar competitividade aos nossos associados em relação às grandes e tradicionais ações de queima de estoque realizadas em janeiro. A apresentadora Cátia Fonseca é a embai-

ACIF (@acifrancasp)

@acifranca

A Í?

xadora desta segunda edição que vai alcançar 600 estabelecimentos locais e consumidores de Franca e região. Vale a pena conferir. E para você que quer começar o ano atualizando ou adentrando áreas do conhecimento relacionadas à gestão, confira a agenda de cursos do setor de Desenvolvimento Empresarial da ACIF. Gerenciamento de estoque, escola de líderes e RH na prática estarão disponíveis para inscrição. 2021 é um ano de boas expectativas e precisamos estar prontos para extrair o melhor das oportunidades que surgirão e encarar o que for desafiador! No mais, agradeço a todos pela confiança no trabalho da ACIF e reforço o convite que sempre faço para que você, leitor, seja um agente ativo de nossa revista enviando sugestões do que você quer que vire matéria, críticas e apontamentos positivos para que possamos manter o que é bom e melhorar, sempre, nosso conteúdo. Nosso contato é o revista@acifranca.com.br. Boa leitura e até a próxima.

16 9 9967-4003

ACIF Franca Janeiro 2021

5


institucional

CÁTIA FONSECA

ESTRELA 2ª EDIÇÃO DA CAMPANHA

Ação da ACIF visa movimentar a queima de estoque tradicional de janeiro impactando mais de 600 lojas e consumidores de 11 cidades da região

A

ACIF promove neste mês, até o próximo dia 16, a 2ª edição da campanha “Liquida Tudo Franca”. A ação, que foi sucesso no ano passado, visa fomentar o setor comercial nesse início de ano e incentivar a tradicional queima de estoque nos estabelecimentos de Franca. Nessa edição, a apresentadora de TV Cátia Fonseca é a estrela da campanha de divulgação que contará com inserções televisivas, nas rádios, outdoors e redes sociais. Segundo a coordenadora de marketing da ACIF, Letusa Sartori, a iniciativa terá a participação de 600 lojas locais e espera impactar consumidores de Franca e outras 11 cidades da região. “A campanha Liquida Tudo Franca é voltada para os nossos associados divulgarem as ofertas de descontos ou serviços extras durante essa primeira quinzena de janeiro”. 6 ACIF em Revista www.acifranca.com.br

Os descontos a serem dados serão definidos por cada um dos 600 estabelecimentos envolvidos na ação, conforme seus planejamentos e estratégias, e as lojas participantes poderão ser conhecidas no site da ACIF (www.campanhasacif.com.br/participantes). Além da verificação no site, os pontos de venda podem ser identificados pessoalmente pelo público em trânsito por meio de displays da campanha e cartazes nas entradas das lojas. “As ações de queima de estoque do mês de janeiro se popularizaram entre as grandes marcas e o objetivo da nossa campanha é dar competitividade ao varejo local unificando as habituais ofertas dos pequenos e médios lojistas em uma ação ordenada, com investimento em divulgação e ampliação da abrangência”, afirma o presidente da ACIF, Tarciso Bôtto, que espera nesta nova edição do ‘Liquida Tudo Franca’ repetir os resultados alcançados no ano passado.


institucional

DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL DIVULGA CRONOGRAMA DE CURSOS

1º SEMESTRE

2021 Atividades visam ajudar empresas e profissionais a se destacarem no mercado de trabalho, cursos já estão com inscrições abertas

O

setor de Desenvolvimento Empresarial da ACIF ciente de que é inquestionável a importância da qualificação profissional, começa 2021 com a oferta de três novos cursos para ajudar empresas e profissionais a se destacarem no mercado. Os cursos abordam temas como gestão de estoque, vendas físicas e online, marketing, recursos humanos e formação de líderes, entre outros e foram escolhidos mediante uma demanda identificada pelo setor. As oportunidades são para o primeiro semestre deste ano e as inscrições já estão abertas para os interessados. O telefone para contato e mais informações é o (16) 3711-1722 ou pelo WhatsApp (16) 99187-6239, com Luciana.

8 ACIF em Revista www.acifranca.com.br

CUR S O D E GESTÃO DE ESTOQUE

O que é?

Diferente do que muitos resumem o estoque não é um depósito de mercadorias. A saúde financeira de uma empresa pode estar comprometida justamente pela não gestão desse setor tão importante. O curso tem o intuito de ajudar o empresário a fazer a gestão correta do estoque e assim, atender de forma rápida e objetiva a demanda do seu público, entender as vendas, sazonalidades e perdas.

Assuntos que serão abordados?

O curso abordará os fundamentos do estoque, tipos, importância e avaliação dos estoques, principais objetivos, organização, dimensionamento dos espaços, curva ABC e cálculo dessa curva, inventário, demanda, sistema de informação e controle de estoque e perfil do profissional.

Carga horária?

O curso terá 12 encontros de 3 horas (das 19 às 22 horas) e será ministrado pelo corpo docente do SENAI SP.

Quando acontecerá?

A partir de 10 de fevereiro.


Rawpixel.com/Divulgação

E S CO L A PR ÁT IC A PARA LÍDERES

O que é?

A mesma dinâmica da Escola Prática de Negócios será agora utilizada para a qualificação de líderes, que são aqueles que conduzem e orientam a equipe de linha de frente.

Assuntos que serão abordados?

A Escola Prática de Líderes abordará as principais áreas da empresa com objetivo de fazer o líder entender um pouco mais da engrenagem e a importância do seu papel nos resultados do negócio. Entre os temas centrais que serão trabalhados estão gestão de vendas, inovação e criatividade, marketing e gestão de pessoas.

Carga horária?

A Escola Prática para Líderes será um curso de extensão com duração de 3 meses. O curso contará com 12 encontros semanais de 4 horas (totalizando 48 horas de treinamento), incluindo aulas técnicas online e aulas práticas presenciais.

Quando acontecerá? Início em março.

PROGRAMA RH N A PR ÁT IC A

O que é?

O Programa RH na Prática tem por objetivo implantar ou reestruturar o RH dentro das empresas. A proposta é oferecer uma formação completa das principais ferramentas de Recursos Humanos, proporcionando treinamento para todas as lideranças, desenvolvendo as equipes de trabalho para atuarem de forma eficaz no dia a dia.

Assuntos que serão abordados?

O programa RH na Prática quer estimular nos empresários a importância do desenvolvimento de forma precisa e continua de seus colaboradores, e para isso o mesmo conta com uma metodologia de reuniões em grupos das empresas interessadas. Os participantes serão capacitados para implantar as ferramentas de RH e serão acompanhados para alinhamento das ações, com supervisão individual para esclarecimentos de dúvidas e encontros com toda equipe.

Carga horária?

Terá duração aproximada de 06 meses e será dividido em encontros com profissionais que serão responsáveis pela implantação do programa em cada empresa. As reuniões periódicas acontecerão de forma presencial e online.

Quando acontecerá? De janeiro a julho

Janeiro 2021

9


artigo

Para acertar na contratação

tsyhun/Divulgação

O

s processos para a contratação de funcionários necessitam de tempo e dinheiro para sua realização, além de treinamento até o recém-contratado amadurecer e adquirir independência. Mais do que um currículo brilhante, o grande desafio é encontrar profissionais com o perfil técnico e comportamental ideal para a organização. Como isso pode ser feito? É preciso fazer um levantamento das principais informações:

1 Qual o objetivo do cargo? 2 Qual a descrição do cargo? Tarefas e funções devem estar bem definidas. Vale um olhar para legislação para não ter acúmulo de funções e evitar passivos trabalhistas.

3 Quais são os requisitos básicos

de competência técnica, habilidades e demais pré-requisitos que o cargo exige?

4 Qual orçamento a empresa pos-

sui? Qual impacto a contratação trará ao fluxo de caixa? Após esse desenho, é importante definir os canais para divulgação da vaga para atrair os candidatos, bem como as etapas do processo seletivo: envio de currículo ou portfólio; avaliação técnica; prova; dinâmica de grupo; entrevista e definição dos critérios de avaliação em cada etapa. Isto ajuda a evitar julgamentos pessoais e torna o processo de escolha do candidato mais racional. Em um segundo momento, é importante ter um olhar interno

para a instituição, afinal, um negócio é como um organismo vivo composto por pessoas que possuem valores, repertórios, histórias, pontos de vistas diferentes, e que conviverão afim de produzirem resultados, por isso precisam estar em sintonia. Com isso, a cultura empresarial aparece neste contexto como elemento-chave para boas contratações. A cultura empresarial é o conjunto de verdades, regras indiscutíveis e pressupostos básicos que atuam no ambiente empresarial e que são passadas adiante. É fundamental que os recrutadores, além do olhar técnico, olhem as competências intrapessoais e comportamentais na seleção. Assim, o processo traz melhores resultados e diminui a rotatividade. ANA CL AUDIA SILVA MARIANO Analista de negócios do Sebrae-SP

10 ACIF em Revista www.acifranca.com.br


negócios

Conheça

+

sobre o

S

e você é acostumado a realizar muitos pagamentos e transferências já deve ter ouvido falar do Pix. Lançado em novembro do ano passado, o sistema foi criado pelo Banco Central e tem revolucionado a forma de realizar transações financeiras. Para falar sobre essa nova funcionalidade e tirar possíveis dúvidas a respeito de sua utilização, a ACIF em Revista procurou o Sicoob Cred-ACIF e conversou com o agente de crédito Luiz Paride Sinelli Neto. Com base nas informações colhidas preparamos um material especial, com perguntas e respostas, que poderá ajudar você a entender melhor como funciona esse novo sistema de pagamento. Confira:

12 ACIF em Revista www.acifranca.com.br


O que é o Pix?

Pix é uma tecnologia que permite realizar pagamentos e transferência de forma instantânea, em um serviço disponível 24 horas por dia, sete dias por semana, inclusive feriados.

Qual o objetivo do Pix?

O sistema foi desenvolvido para facilitar o dia a dia da PF (Pessoa Física) e PJ (Pessoa Jurídica). A proposta é oferecer uma transação focada em ser fácil, simples, intuitiva e rápida.

Quais as vantagens do Pix?

Pelo Pix, o cliente pode realizar compras e pagar o lojista imediatamente pelo celular, por meio do aplicativo do seu banco, sem precisar de dinheiro, cartão ou boleto bancário. O Pìx também pode ser usado entre estabelecimentos, como pagamento de fornecedores. Em breve deverá ser usado para pagamento de taxas, impostos, convênios, serviços e benefícios sociais.

Quem pode ter cadastro no Pix?

Qualquer pessoa, seja Pessoa Física ou Jurídica (estabelecimento comercial), que tenha uma conta bancária ativa.

O Pix tem custo?

O serviço é sem custo para pessoas físicas, independente de instituição financeira. Para empresas há um custo a cada recebimento dos pagamentos, mas o valor é menor que outros meios de pagamento.

Quanto tempo leva para a operação ser compensada?

A operação é realizada em poucos segundos (em torno de 10 segundos) independente da instituição financeira, ao utilizar o Pix o dinheiro é imediatamente debitado de uma conta e creditado na outra.

Existe um limite de valor para as transações do Pix?

As transações não têm um limite de valor mínimo e máximo pré estabelecido, mas cada instituição financeira

pode estabelecer as suas próprias diretrizes nesse sentido.

O Pix é seguro?

As transações são realizadas com autenticação digital e passam pela Rede do Sistema Financeiro Nacional do Banco Central.

O que é a Chave Pix?

Ela é a identificação da sua conta na sua instituição financeira. É uma espécie de apelido para os seus dados bancários. Ao invés de informar número e nome do banco, número da agência, tipo e número da conta e número do seu CPF ou CNPJ, você só informa a sua Chave Pix.

O uso da Chave Pix é obrigatório?

O uso da Chave não é obrigatório para receber ou realizar um pagamento instantâneo. Nesse caso, é possível efetuar transferências pelo Pix informando todos os dados do favorecido, como ocorre atualmente em relação a Docs e Teds. O objetivo da Chave Pix é tornar o processo mais prático e rápido.

Como cadastrar a Chave Pix?

É possível cadastrar até 5 Chaves no caso de Pessoa Física ou 20 para Pessoa Jurídica utilizando os seguintes dados: número do telefone celular, endereço de email, número do CPF ou CNPJ e uma chave aleatória. Vale lembrar que a Chave Pix é única para cada conta bancária ativa, isso significa que você pode ter mais de uma, desde que sejam Chaves diferentes para cada conta.

Por que utilizar o Pix no meu negócio?

O Pix traz facilidade e praticidade para o pagador com a conclusão da venda mais rápida. O resultado é um cliente mais satisfeito com o seu serviço, o que impacta positivamente o seu negócio. Além disso, o custo que você paga por transação de débito tende a diminuir muito.

*Fonte: Sicoob Cred-ACIF

Divulgação Janeiro 2021

13


associado em destaque

GA R AG E M MODA S completa 30 anos com nova fase Empresa conta com 5 lojas em Franca e implantação do e-commerce é uma das novidades

16 ACIF em Revista www.acifranca.com.br


MARCO FELIPPE

F

oi na garagem de uma antiga casa no Centro de Franca, que no início de 1990 o casal Antônio de Souza Miranda, 62 e Sandra Camargo Miranda, 62, resolveu unir a experiência que possuíam no setor comercial e empreender em uma loja de moda feminina. O ponto foi adquirido com a venda do carro da família e as araras de roupas montadas a partir de caixotes de madeira. Nascia assim a Garagem Modas, que em 2020 completou 30 anos com uma nova fase. Entre as novidades está a implantação do e-commerce

lojasgaragem.com.br que estava previsto para entrar no ar até o final do ano passado e começo de 2021. Antônio diz que no início tudo era improvisado e a expertise anterior ajudou a fazer o negócio prosperar. Antes de montar a Garagem, o agora empresário chegou a trabalhar como camelô, foi pioneiro no ramo dos bolotas em Franca e teve uma loja de bijuterias. Já Sandra foi vendedora e gerenciou uma feira de calçados na cidade. “Era uma loja pequena com apenas uma porta e a ideia do nome Garagem, o estacionamento da moda surgiu porque o cômodo era uma garagem antes. Foram

muitas as dificuldades no começo, mas elas ajudaram a fortalecer a gente”, lembra Antônio. Responsável por realizar as compras de todo o vestuário feminino, Sandra diz que sempre prezou pela qualidade das peças, mas que só conseguiu os melhores fornecedores com o tempo. “No início era complicado fazer compra, pois não conhecia. Com o passar dos anos, fui pegando o jeito”. Enquanto os pais trabalhavam para conquistar os clientes, os filhos Vinícius e Victor cresceram em meio aquele universo e acompanharam de perto a expansão da Garagem, que dez anos mais tarde também passou a trabalhar com moda masculina.

Sandra, Vinícius, Victor e Antônio Miranda

Janeiro 2021

17


Atualmente são cinco lojas, sendo duas femininas, uma masculina e uma de acessórios e perfumaria, no Centro da cidade, além de uma mista com moda masculina e feminina, localizada no Franca Shopping. “Com a pandemia, foi preciso readequar custos, então resolvemos unificar as lojas masculina e feminina do shopping em um mesmo espaço. Como a loja feminina é muito grande, fizemos algumas adaptações e o resultado agradou”, disse Vinícius Cardoso Miranda, que responde pelo marke-

ting da Garagem. Já o irmão Victor, é o responsável pelas compras de moda masculina e junto com a mãe contribui para que a Garagem tenha um mix de 300 itens variados entre blusas, vestidos, saias, casacos, calças, blazer, camisas, camisetas, sapatos e cintos. “A gente dormia na loja, então crescemos entre as roupas e hoje amo trabalhar com roupa e tenho esse feeling de comprar. Não tem como dar errado”. O que antes era uma loja estritamente familiar, aos poucos foi ganhando seus primeiros funcio-

a ida da marca Garagem para a região. “Queremos ampliar o número de lojas da Garagem em Franca e ir para algumas cidades vizinhas. Nesse ano, vamos estruturar o projeto e definir as cidades e a partir de 2022 abrir as primeiras lojas”, adiantou o empresário.

Nova fase

Ao completar 30 anos de mercado e tendo os filhos mais à frente dos negócios, o casal Antônio e Sandra viu que era necessário inovar e passar a atender no universo digital. Logo a Garagem começou a vender pelo WhatsApp e deu início ao desenvolvimento de 18 ACIF em Revista www.acifranca.com.br

nários e hoje a equipe conta com 30 colaboradores, alguns deles com mais de duas décadas de parceria. “Nos tornamos uma família e ter os filhos juntos no negócio, dando continuidade ao nosso trabalho, é uma satisfação muito grande”, diz Sandra. Para Antônio, ter um negócio próprio e vê-lo crescer sempre fez parte de seus sonhos e a ideia é continuar trabalhando em prol da expansão da empresa. Entre os planos a médio prazo estão a abertura de uma nova loja em Franca e

um e-commerce que começará a ser mais atuante neste novo ano. “A Garagem sempre teve esse espírito jovem, assim vimos que era preciso modernizar, acompanhar essa tendência, pois trabalhamos com moda jovem”, disse Sandra sobre as mudanças. Além do lançamento da plataforma, a empresa mudou seu logo que na nova fase adotou uma nova cor e fonte. “É um logo moderno e digital que está sendo implantado aos poucos em todas as nossas lojas”, destaca Vinícius.


café

Café Seis de Janeiro

investe em qualidade e ressalta a cultura popular Produção acontece na Fazenda Limeira, em Altinópolis e é cercada de cuidados 20 ACIF em Revista www.acifranca.com.br


MARCO FELIPPE

Fotos: Wilker Maia

T

odas as etapas do café, do plantio até chegar à xícara, são feitas com aprimoramento na Fazenda Limeira, em Altinópolis. Com mais de mil metros de altitude e 60 anos de história, a propriedade está na terceira geração de cafeicultores e é praticamente 100% voltada ao cultivo do grão. E foi em busca de mais qualidade para o produto, que em 2007, Márcio Luiz Palma Resende, um apaixonado por cafeicultura, decidiu fazer parte da Associação de Cafés Especiais da Alta Mogiana. Na ocasião, o principal objetivo era produzir um café especial sem defeitos, que oferecesse mais qualidade para agregar valor. “Meu avô plantava café nessa propriedade, depois meus pais assumiram na década de 90 e por um período virou uma fazenda de cana. Somente em 2000, ela voltou a produzir café e a partir de 2015 mudou o manejo de lavoura e terreiro para atender o mercado de especiais”, resume Márcio. O despertar aconteceu durante uma viagem para uma feira internacional de café em Dublin, na Irlanda. “Lá aprendi o potencial dos cafés especiais, como o mundo agrega valor e sobre pontuação. Vi sobre cuidados, manejo, técnicas e houve um choque, pois ali percebi que havia um caminho grande para percorrer”. De volta à Fazenda Limeira, Márcio começou a programar as mudanças e a investir em infraestrutura, com o aumento do número de secadores e terreiros. Com o desejo de apresentar o seu trabalho e, consequentemente, ter um retorno mais próximo sobre o café produzido, em 2016 o cafeicultor criou sua própria marca, que recebeu o nome de Seis de Janeiro como forma de homenagear a cultura da Folia de Reis, tradição muito forte em Altinópolis e parte das suas lembranças de criança. Janeiro 2021

21


“Sempre quis ter uma marca de café, aí veio a ideia de criar, um sentimento de participar do meio. Já o nome Seis de Janeiro surgiu por ser uma data muito forte em Altinópolis e pelo fato da minha infância e adolescência ter sido nesse universo”. Atualmente a fazenda, que é certificada, conta com 180 hectares de lavoura de café e possui um campo experimental com 28 variedades. “A ideia é sempre trabalhar para que tenha a menor quantidade de defeito e assim quando um talhão se destaca, fazemos a separação e programamos uma colheita dedicada”, explica Márcio, que comemora os resultados alcançados. “65% da nossa produção tem alcançado acima de 80 pontos. Chegamos inclusive alcançar bebida com pontuação de 88 e 89”. Para chegar a esse potencial,

22 ACIF em Revista www.acifranca.com.br

o processo de produção é cercado de cuidados e recebe um tratamento diferenciado dos seus 11 colaboradores. Como a fazenda fica localizada em um vale, o plantio e a colheita ocorrem de maneira mista (máquina e manual). Antes, há um mapeamento pré-colheita para identificar a qualidade do grão. Já o processo de secagem acontece à moda antiga e o café permanece até oito dias no terreiro. A propriedade ainda conta com estrutura para realizar todo o processamento do grão, incluindo tulha e o beneficiamento, além de um laboratório onde ocorre o processo de cupping para avaliação das características sensoriais do café, a torrefação, moagem e embalagem. Com foco principalmente no mercado internacional, a Fazenda Limeira exporta 70% de sua pro-

dução para países da Europa, como Finlândia, Polônia e Alemanha. Outra parte é encaminhada para uma cooperativa da região e uma quantidade menor de sacas destinada para a marca. “Com o café Seis de Janeiro atingimos mais a região, de modo especial Ribeirão Preto, mas também fazemos vendas online para São Paulo, Rio de Janeiro e para cidades do Rio Grande do Sul, sendo que o nosso principal cliente são as cafeterias”. A marca trabalha com embalagens de 250 gramas de café torrado ou moído, que em alusão ao nome Seis de Janeiro são ilustradas com elementos da festa folclórica. “O café Seis de Janeiro proporciona uma experiência única e especial e como sempre fui ligado à cultura e arte, decidimos por fazer essa homenagem”.


Já imaginou sua EMPRESA vendendo 24 HORAS? Seus PRODUTOS nos melhores MARKETPLACES vendendo MUITO mais!! - Crie sua vitrine de produtos e envie a seus clientes! - Aumente a exposição dos seus produtos e veja suas vendas crescerem!! - Para comércio em geral e delivery. deliver

16.3725-2834

www.softupsistemas.com.br


gastronomia

RECEITA DE UM BOM

24 ACIF em Revista www.acifranca.com.br


A gastronomia de janeiro ensina como preparar um churrasco de qualidade a partir de quatro dicas do Sr. Beff; Casa de carnes tem inovado ao oferecer preparo de cortes na hora

S

inônimo de união seja em um encontro de amigos no sábado à tarde ou no almoço de domingo em família. O churrasco faz parte da cultura do brasileiro e se tornou praticamente um evento social que alia um descontraído bate papo com uma boa refeição. Embora seja democrático, a carne continua sendo o principal ingrediente de um bom churrasco e para ajudar você leitor no preparo, a editoria de gastronomia deste mês foi atrás de dicas com quem entende de assunto. Marcelo Alexandre Carvalhais, 33, é proprietário do Sr. Beef, uma casa de carnes de Franca que inovou ao oferecer almoço e happy hour todos os dias com um diferencial: você escolhe o corte de sua preferência e a carne é preparada na hora em uma parrilla ou em uma pit smoker (churrasqueira americana de defumação). “Montamos uma espécie de açougue com bar que trabalha tanto com a parte de carne de desossa como as carnes embaladas”. No cardápio da casa, inaugurada há seis meses na Avenida Paulo VI, há cortes especiais de marcas certificadas que valorizam a genética do gado, além de linguiças de diferentes sabores de fabricação própria e hambúrgueres. Segundo Marcelo, são mais de 400 tipos, entres cortes, temperados e linguiças. O mix do Sr. Beef ainda conta com ingredientes para preparo do prato como sal e outros temperos, bebidas, acompanhamentos e presentes/acessórios. Para a foto que ilustra essa matéria, foi preparado um tomahawk acompanhado de um risoto de parmesão. A carne é um dos cortes mais fáceis de serem identificados, pois apresenta um grande osso da costela e lembra um pequeno machado dos índios norte americanos chamados tomahawk. No intuito de não deixar o leitor com vontade, acho desnecessário falar sobre a maciez e o sabor do prato e já partir para as cinco principais de dicas para um churrasco impecável.

As mais procuradas no Sr. Beef são os cortes de ancho e chorizo, que são semelhantes ao contrafilé. O bife de ancho tem como característica a gordura entremeada na carne. Já o bife de chorizo tem sabor muito marcante e sua suculência é preservada quando preparado na grelha ou assado. É um corte retirado do miolo do contrafilé. Marcelo também indica as diferentes marcas de picanha e o cowboy steak, extraído do centro do acém, região de grande concentração de marmoreio, ideal para churrasco.

O ideal é que carnes especiais sejam feitas somente na brasa, porém a quantidade e o tempo de permanência no fogo dependem do tamanho da peça e se ela possui osso ou não. A média de preparo é de 6 a 8 minutos e a carne deve ser tirada ao ponto ou mesmo antes, conforme o gosto.

Cortes especiais pedem apenas sal de parrilla, que é um sal específico com uma gramatura menor, porém se não for possível, a carne pode ser temperada com sal grosso. Dica importante: a carne deve ser assada sem tempero. O sal é jogado depois que corta, a gosto.

Embora a carne seja o prato principal, um bom churrasco também exige bons acompanhamentos. Entre as principais opções estão mandioca, farofa, salada e legumes na panela de ferro.

Janeiro 2021

25


ARROZ

COM

FEIJÃO

é melhor que nada

D

ois anos atrás esta coluna estreava em 2019 com um alerta: as promessas mirabolantes da equipe econômica do atual governo, com chances relevantes, deixariam a desejar. Privatizações que totalizariam R$1 trilhão, vendas de imóveis que levantariam montante equivalente, reversão da trajetória da dívida pública ainda naquele ano. O tempo passou, tivemos uma robusta reforma previdenciária, mas o pós-previdência parece estar por vir até hoje. Neste ano que se inicia agora o apelo é um pouco diferente: por favor (o que restou da) equipe econômica, esforcem-se para entregar o possível para que o país não imploda. Enquanto este artigo é escrito, em meados de dezembro de 2020, temos uma taxa de juros no mínimo nominal histórico (2%), inflação prevista para fechar o ano em pouco mais que o dobro disso (4,3%) e uma desconfiança razoável por parte do mercado em relação aos rumos da política fiscal. Não seria justo desconsiderar que, no meio do caminho, houve uma pandemia e, com ela, a neces-

sidade de desembolsos extraordinários em uma monta elevadíssima. Apenas o auxílio emergencial significou mais de R$300 bilhões a mais para o orçamento do ano passado. Mas também não é justo esquecer que, antes mesmo da pandemia se iniciar, já sabíamos que 2020 seria o sétimo ano seguido em déficit primário - como sabemos hoje que 2021 será o oitavo. A expressão “arroz com feijão” como nome de política econômica foi utilizada por Maílson da Nóbrega que, quando Ministro da Fazenda nos idos finais do governo de José Sarney, deixou bem claro que estava ali apenas para impedir um deteriorar maior da situação e para fazer breves ajustes pontuais que encaminhassem a situação para isso. O apelo deste que aqui escreve é para que o governo justamente pare com suas pretensões miraculosas de “salvar” o Brasil de sabe-se-lá o quê. Com todo esse período passado, já ficou fácil de entender que não é isso que deve acontecer. A confiança já está em derretimento há um tempo. No lugar disso, seria mais proveitoso tratar de dois assun-

tos importantíssimos: a não continuidade de gastos extraordinários fora do período extraordinário (afinal, a “suspensão” das regras fiscais ocorreu apenas até 31/12/2020, salvo se alterado após a finalização deste artigo) e a discussão de gatilhos que possam ser utilizados quando do alcançar de limites orçamentários do Teto de Gastos. Em relação ao primeiro ponto, será importante ter firmeza em explicar ao presidente que a estratégia de levar esses gastos adicionais para além do período necessário, diferentemente do que ocorreu na crise de 2008, é simplesmente impossível agora porque não há espaço fiscal. Medidas extraordinárias apenas em períodos extraordinários. Já sobre o segundo, é mais delicado, mas envolve apontar quem vai sair perdendo parcela do orçamento público. Aliás, se por um lado é complicado, por outro é certo: neste ano que se inicia, ou as más notícias serão dadas ou chegarão “de surpresa”. Basta ver o que irão escolher fazer os mandatários da política econômica nacional.

CAIO AUGUSTO DE OLIVEIR A RODRIGUES Editor do site Terraço Econômico e gestor financeiro 26 ACIF em Revista www.acifranca.com.br

Vanessa Volk/Divulgação

artigo


arquitetura

Arquitetura Você 6 dicas do arquiteto p a r a q u e m v a i c o n st r u i r o u re fo r m a s u a á re a d e l a ze r

1

Comece pelo projeto de arquitetura

O profissional vai fazer uma entrevista com a família, para entender suas necessidades, seus costumes. Lembre-se, a área é para relaxar, refugiar do estresse do dia a dia, promover convivência família e relaxamento, é o melhor investimento pra você e sua família.

28 ACIF em Revista www.acifranca.com.br

2

Defina os equipamentos

O arquiteto poderá auxiliar na definição e dimensionamento ideal da sua área gourmet, adega, churrasqueira elétrica, a gás ou carvão, piscina, spa, rede de descanso, área de pérgolas, jardins, telão, som ambiente, fonte entre outros, de acordo com o desejo da família e o tamanho da área disponível para o projeto.

3

Planejamento

Com o projeto definido você poderá planejar os custos da obra, além de ser uma obra mais rápida, valorizando seu imóvel com segurança.


Claudio Ferreira

Arquiteto e Urbanista CAU – A22675-0 Formado pela Universidade de Franca Atua com projetos e construções há mais de 25 anos Diretor do IAB SP Vice presidente IAB Franca Membro do PAR – Polo de Arquitetura e Urbanismo da ACIF @claudioferreiraarquitetura Fotos: Arquivo do arquiteto

4

Sustentabilidade

Planeje espaços verdes: pequenos jardins , vasos e hortas para dar um tempero diferente ao dia a dia. Deixe a iluminação e ventilação natural entrar nos ambientes para acalmar a alma. Use materiais e móveis de baixa manutenção. Iluminação artificial em LED, vasos que armazenam a água de chuva pra seu reaproveitamento. Aquecimento de água com sistema de placas solares. Uso correto de materiais e tecidos para áreas externas e internas, Lembre-se: com um bom projeto, você terá menos entulhos e desperdícios na obra, o meio ambiente agradece.

5

Estilo e bom gosto

O melhor estilo é o conforto e o bem estar é a tendência do momento, nunca vão sair de moda. Do rústico ao contemporâneo, as pedras naturais trazem sempre aconchego para os ambientes internos e externos, no mercado também temos várias opções de papel de parede com texturas de pedras, tijolos, madeiras, vegetação, para criar detalhes para valorizar usa obra.

6

Acessibilidade

Tudo planejado, locais de fácil acesso, organizado e prático. O arquiteto fará o projeto para organizar de forma prática e funcional e segura os espaços dos talheres, toalhas, carvão, lixeira, casa de máquinas, depósito de gás, entre outros.

Janeiro 2021

29


capa

Conheça as principais demandas do setor empresarial para o novo prefeito de Franca, Alexandre Ferreira MARCO FELIPPE

U

ma cidade com mais de 350 mil habitantes e um orçamento projetado para 2021 de R$ 948 milhões. Essa é a Franca que o novo prefeito Alexandre Ferreira assume nesta nova gestão. Segunda maior cidade da região, Franca continua em expansão e como todo grande centro há inúmeros desafios a serem enfrentados. O título de capital do calçado, por exemplo, é um dos pontos a serem trabalhados. O setor calçadista há tempos amarga prejuízos com queda de produção e fechamento de postos de trabalho, que se agravaram durante a pandemia de Covid-19. Embora tenha sido registrado um aumento das contratações no segundo semestre do ano passado, com 5,2 mil vagas abertas entre julho e outubro, o volume não foi suficiente para sobrepor as mais de 11 mil vagas perdidas anteriormente, entre março a junho de 2020. “A pandemia agravou a situação da indústria calçadista e o significado dela no mercado interno e externo precisa ser recuperado. Tínhamos mais de 18 mil empregados no setor e caímos para menos da metade. É uma queda muito grande e o governo municipal precisa tomar uma posição”, avaliou o economista do Instituto de Economia-ACIF, Adnan Jebailey. Para ele, uma das alternativas seria investir no marketing do “sapato de Franca”, como um produto artesanal e assim, buscar agregar valor. Além de um olhar mais cuidadoso para a indústria, que também deve abranger outros segmentos, a nova administração não pode esquecer o comércio, serviços e a construção civil. Franca está constantemente recebendo novos investimentos, sejam eles franquias, redes varejistas ou mesmo lançamentos imobiliários de grandes construtoras, porém muitos projetos deixaram de ser executados em razão de uma inércia da antiga administração municipal. “Diferente do gestor que sai, o novo prefeito precisa melhorar o relacionamento com a classe empresarial. Estar aberto ao diálogo”, diz o professor Alfredo José Machado Neto, reitor do Uni-Facef e vice-presidente do Conselho Deliberativo da ACIF. 30 ACIF em Revista www.acifranca.com.br


“Outra prioridade será reestruturar as finanças municipais, já que o caixa da Prefeitura está muito baixo e há a preocupação com a saúde e nesse ponto que creio que o nosso curso de medicina pode ajudar muito”. Em relação à classe empresarial inclusive, o novo prefeito recebeu da ACIF, ainda na condição de candidato ao cargo, propostas de ação que foram formuladas a partir de uma campanha feita junto ao empresariado local. Na ocasião, eles responderam a pergunta ‘o que a próxima gestão deve fazer pelo empreendedorismo francano?' e das respostas a esse questionamento surgiu uma Agenda Positiva que, dentre outras propostas, prevê reuniões periódicas com as principais entidades de classe de Franca, criação de uma parceria Público-Privada para a implantação de um Centro Empresarial e revitalização dos corredores comerciais da cidade. O documento que foi assinado por Alexandre Ferreira, em novembro passado, também pede pela desburocratização de processos e a criação de programas de incentivo à inovação. “Todas essas propostas estão neste documento e fazem parte das nossas expectativas para este novo governo”, pontuou o presidente da ACIF, Tarciso Bôtto. Para o coordenador executivo do Observatório Social do Brasil - Franca, Willian Karan Júnior, a expectativa é por uma administração mais participativa e transparente em todos os quesitos e que respeite e dê valor ao controle social. “O OSB, agora mais maduro, pretende ampliar a sua atuação. Um dos nossos objetivos é monitorar pelo menos 30% das entregas de produtos que é feita para a Prefeitura de Franca. Pretendemos também, para 2021, colocar em prática nosso curso de capacitação para micros e pequenas empresas”. Em entrevista para a ACIF em Revista (que pode ser conferida nas páginas 32 e 33), o próprio prefeito reconhece que gerar emprego e incentivar o surgimento de novas empresas estão entre as principais ações do seu plano de governo. “Quero capacitar o empresário e seus colaboradores, prospectar novos mercados para os produtos francanos e fazer com que novas empresas tenham interesse por Franca”. Janeiro 2021

31


entrevista

‘Queremos gerar emprego, acertar o recapeamento e cuidar da saúde’

Novo prefeito fala dos seus planos de governo e de como pretende atender as sugestões da Agenda Positiva

32 ACIF em Revista www.acifranca.com.br

MARCO FELIPPE

M

édico veterinário e professor universitário, Alexandre Ferreira (MDB), foi eleito em novembro último, com 76,3 mil votos, para administrar Franca pelos próximos quatro anos (2021/2024). O político comandará a cidade pela segunda vez (a primeira gestão foi 2013/2016), tendo como vice o professor Everton de Paula (PRTB). Em meio a reuniões de tran-

sição de governo e formação de sua nova equipe, o prefeito eleito recebeu a ACIF em Revista e falou de suas ações para os próximos quatro anos e de como pretende cumprir as propostas apresentadas pelos empresários locais em prol do desenvolvimento socioeconômico da cidade. As sugestões foram reunidas em uma Agenda Positiva que foi repassada ao até então candidato durante o período de campanha. Confira a seguir os principais trechos dessa entrevista:


ACIF em Revista – Diante da atual situação de Franca em diferentes setores, qual será seu maior desafio nessa nova administração? Alexandre Ferreira – O desafio será a gente conseguir fazer com que todos os serviços, que hoje estão parados, retornem no máximo em um ano. Acho que reorganizar atendimentos de pessoas em vulnerabilidade social, atendimentos de saúde e a desorganização administrativa também é um desafio. Precisamos ver qual a condição financeira da Prefeitura.

serviços e o agronegócio. Temos que retornar a nossa identidade setorial do café e do calçado, por exemplo. Criar condições de crédito, melhorar nosso parque fabril, internacionalizar nossos produtos, criar condições para novas frentes de exportação de calçados, lingerie, moletom, joia. Temos uma indústria forte de alimentação, doce, panificação e um parque tecnológico que está crescendo muito. E para fortalecê-los também é necessário formar novos líderes para todos esses setores.

ACIF em Revista – Quais são seus principais planos de trabalho? Alexandre Ferreira – O trabalho primordial será arrumar emprego e para isso, é preciso dar suporte para as empresas e empresários. Precisamos prospectar mercados, criar condições para que eles cresçam e também dar condições para que novas empresas surjam, sejam elas de Franca ou de fora. Precisamos criar possibilidade. Além da história do emprego, precisamos acertar o recapeamento e o tapa buraco. Queremos ainda trabalhar os serviços de saúde para que sejam mais eficientes. Acho que esses são os três principais problemas hoje.

ACIF em Revista - Alexandre, a Agenda Positiva apresentada pela ACIF também sugere a revitalização do Centro da cidade e dos corredores comerciais e pede pela regulamentação do comércio popular e uma maior fiscalização a respeito da presença de ambulantes. Quais os planos do senhor em relação a esses pontos? Alexandre Ferreira – Em relação aos ambulantes, muitos são pais de família que perderam o emprego e não tiveram outra escolha. Queremos dar condições para que regularizem a situação e se tornem empreendedores. Precisamos trabalhar a agências de fomento, conversar com o Banco do Povo, o Banco do Brasil, fornecer micro crédito para que essas pessoas possam abrir sua empresa, ter um lugar para se instalar, ensinar a vender, a fazer a gestão do seu negócio e acompanhar a evolução. Penso na possibilidade de criar um mercado popular, queremos inicialmente revitalizar as duas praças, deixar aqueles locais de compra mais bonitos, seguros e organizados. Vamos dar atenção ao Centro e também aos corredores comerciais como a Estação, Avenida Brasil, Adhemar de Barros, Abrahão Brickmann, enfim têm vários locais que a gente precisa agir.

ACIF em Revista - Em relação à criação de empregos, o que o senhor pretende fazer? Alexandre Ferreira – Para ajudar na criação de emprego, a gente precisa acertar o planejamento. Voltar a fazer da cidade um canteiro de obras, regularizar e autorizar novos loteamentos, pois uma coisa puxa a outra. Precisamos criar frentes específicas para a geração de emprego, seja através da criação de novas empresas ou pela capacitação dos empresários e colaboradores no intuito de sermos mais competitivos. Acho que a base é a qualificação e a capacitação. Precisamos fazer um trabalho em relação à indústria, o comércio,

ACIF em Revista – Como o senhor pretende trabalhar o aumento de pessoas em situa-

ção de rua nas praças e semáforos da cidade? Alexandre Ferreira – Quando era prefeito a gente não tinha essa quantidade de moradores de rua. Precisamos fazer um trabalho voltado para eles. Muitos estão expostos à violência sexual, moral, física e à dependência química. Queremos cuidar deles e tirar aquele que deseja das ruas. Vamos melhor estruturar nosso atendimento de assistência e oferecer condições de tratamento médico e qualificação. Para aqueles que desejarem faremos um trabalho de fortalecimento de vínculo familiar para que retornem às suas cidades de origem. ACIF em Revista – Outro ponto apresentado pela Agenda Positiva da ACIF diz respeito ao apoio para promoção de congressos, feiras e exposição... Alexandre Ferreira – Queremos sim atrair gente para Franca, mas vamos precisar esperar a história da pandemia, entender o que irá acontecer. Mas quero voltar com as festas agropecuárias, exposição de cavalos, evento para o setor de café, de moda, assim como fizemos lá atrás. Precisamos movimentar a cidade, gerar renda, emprego, fortalecer o nosso turismo de negócios. ACIF em Revista – A Agenda Positiva no item 10 fala sobre dar mais transparência aos gastos públicos. Nessa segunda gestão, o senhor pretender dar mais visibilidade aos atos e despesas da administração? Alexandre Ferreira – Na gestão passada nós ganhamos prêmios de transparência pública e queremos continuar publicando desde uma ata de reunião, notas de compras, contratos de todas as formas e inclusive as ações do prefeito. Vamos naquilo que for possível, fazer lives para discutir junto com a população as decisões da administração, mediante estudos técnicos. Queremos ouvir a população e não ouvir um ou outro palpite.

Janeiro 2021

33


institucional

P

ACIF cria ‘biblioteca’ de vídeos de empreendedorismo em seu canal no YouTube Ferramenta reúne mais de 40 produções, que totalizam 24 horas de conteúdo, sobre diferentes temas 34 ACIF em Revista www.acifranca.com.br

ensando em ajudar empreendedores que estão iniciando um negócio ou mesmo empresários que estão na ativa, mas procuram por atualização, a ACIF tem transformado seu canal no YouTube em uma verdadeira ‘biblioteca do empreendedorismo’ online. O canal, que pode ser encontrado com o nome ACIF Franca, conta com mais de 40 vídeos, totalizando 24 horas de conteúdo gravado, separados por playlists para que o empresário possa se informar sobre diferentes temas como gestão, finanças, marketing digital e vendas. “Temos 24 horas de conteúdo gravado disponível em nossa plataforma para todos que quiserem acessar. São informações úteis, que podem ajudar os empresários nas tarefas diárias”, destaca Diogo Azevedo, coordenador comercial da ACIF. Somente o projeto ACIF Responde, criado no início da pandemia de Covid-19 com o propósito de levar soluções para a classe empreendedora, foi responsável pela geração de 22 vídeos educativos que abordam criatividade e inovação, gestação de pessoas, crédito, além de esclarecimentos sobre dúvidas trabalhistas. Vale destacar que os vídeos são curtos, didáticos e produzidos por especialistas das áreas abordadas. “Profissionais da própria equipe da ACIF, dos seus diferentes setores como o Comercial, Empreender, Desenvolvimento Empresarial e Jurídico participam da produção do material que estamos disponibilizando, mas também estamos

recebendo convidados de áreas específicas, como profissionais de Marketing Digital, Finanças e Estratégias de Vendas”, revela Diogo. Na biblioteca online, o empresário pode ainda visualizar todo o material que tem sido apresentado nas edições periódicas dos webinar “Fique Por Dentro”. No ano passado, foram ao menos cinco encontros virtuais entre empreendedores e especialistas com temas variados. Entre os assuntos já discutidos estão o empreendedorismo pós pandemia, mercado de trabalho, assinaturas e contratos digitais, dicas para atrair clientes no final de ano, como adequar a operação a Lei Geral de Proteção de Dados, prospecção qualificada e ferramentas online para gestão de vendas. “Posso destacar o conteúdo completo de vendas, que atende tanto B2B quanto B2C, tanto no especial de vendas quanto nos demais Fique por Dentro. Destaco também o ACIF Responde, que reúne temas muito relevantes e práticos para gestão, produzidor por bons profissionais atuantes”. Para Diogo, os vídeos disponibilizados na ferramenta reúnem informações práticas, que contribuem para a tomada de decisão do empresário no dia a dia. “São assuntos que geram reflexões sobre o próprio modelo de negócio, gestão e atendimento. Hoje há grande oferta de conteúdos nas redes sociais, mas acreditamos que, com a interação constante com os associados em nossa rotina, nossos conteúdos são feitos sob medida para as suas necessidades e perfil”.


empreender

Momento Empreender recebe Helinho Garcia em palestra motivacional

Evento online foi realizado em dezembro e encerrou atividades do projeto em 2020

36 ACIF em Revista www.acifranca.com.br

Fotos: Divulgação

O

Programa Empreender e o Conselho da Mulher Empreendedora, ambos da ACIF, promoveram no dia 17 de dezembro, um evento de encerramento das atividades 2020 do “Momento Empreender”: projeto que nasceu como uma iniciativa de fomento aos negócios durante a pandemia de Covid-19 e que contou com três edições de rodadas de negócios e palestras bem sucedidas. O evento de fechamento ocorreu de forma virtual e teve a participação do técnico do SESI Franca Basquete, Helinho Garcia. Com o tema “Em Busca da Alta Performance”, ele apresentou aspectos profissionais que fazem sentido dentro das quadras e empresas. “Ele abordou assuntos como disciplina, comprometimento, ética e moral pelo bem comum, a importância da comunicação, motivação e outros conceitos que são usados tanto no esporte quanto no mundo corporativo. Além disso, falou sobre sua experiência de jogador e técnico, os desafios e superações que passou”, disse a gestora do Programa Empreender, Naina Correia. “O objetivo do evento foi traçar o paralelo mencionado pelo técnico a fim de que o início do ano seja visto como uma 'janela' de oportunidades pelos participantes”. Durante a apresentação, o técnico aconselhou os empresários a pensar no “nós, antes do eu” e ainda falou sobre a importância do equilíbrio. “Só assim um time ou empresa vai para frente, pois se compromete com o todo, o resultado. E nessa busca é preciso ter equilíbrio em 4 pilares fundamentais: trabalho, família, religião e lazer”.


notas do empreender

‘Sabores da Franca’ divulgará seus principais pratos em campanha institucional

preparada pela agência Dote e visa divulgar o prato ‘carro chefe’ de cada um dos estabelecimentos participantes. O prato escolhido será fotografado e utilizado nas peças publicitárias de outdoor, televisão e redes sociais. A campanha do Sabores da Franca também utilizará do rádio para divulgação.

Polo de TI participa de treinamento sobre programação

horas de imersão e fez parte da penúltima etapa do Empreender Competitivo. Pelo projeto, os empresários participantes do núcleo discutem seus problemas e buscam soluções conjuntas com apoio de um profissional.

O Núcleo Sabores da Franca realizará entre os dias 15 e 30 de janeiro, uma campanha de marketing institucional com divulgação nas principais mídias da cidade. A ação, que faz parte do Empreender Competitivo, está sendo

O Polo de TI promoveu, nos dias 14 e 15 de dezembro, um treinamento de programação com o desenvolvedor Vinícius Mussak. O treinamento contou com 16

Empreender Social envia cartões de Natal e guia da solidariedade para associados

O Empreender Social – núcleo formado por entidades assistenciais – promoveu no fim de 2020, uma ação junto a todos os 3,5 mil empresários da ACIF. No envio do calendário de 2021, distribuído pela Associação, o núcleo encaminhou um cartão de Natal exclusivo e um guia de apresentação das entidades com as informações sobre como auxiliá-las. “São entidades que atuam em áreas sensíveis à população, como Saúde, Educação, Amparo Social a jovens, adultos e idosos”, afirma o gestor do Programa Empreender ACIF, Jaider Silva. “Mais que contribuições, foi um apelo para que as pessoas se engajem nas causas, conhecendo os espaços de atendimento das entidades, seus profissionais e usuários. Cada indivíduo impactado é um ganho para a comunidade.” Os cartões de Natal enviados são exclusivos do Empreender Social e foram ilustrados com artes assinadas pelos artistas francanos Edina Sikora, Lucas Cassarotti e Samuel Freiria.

CME realiza confraternização online

O CME (Conselho da Mulher Empreendedora) realizou no final de novembro uma confraternização online. O encontro foi promovido com o intuito de brindar “a vida e o futuro” e contou com apresentação musical ao vivo por uma das empresárias participantes. Na confraternização, as empresárias ainda fizeram um balanço sobre 2020 e falaram das suas expectativas para esse novo ano. Antes do encontro, cada uma recebeu um kit de happy hour com um espumante e uma agenda personalizada. Janeiro 2021

37


momento jurídico

Peshkova/Divulgação

Da negativação indevida e da indenização por danos morais

O

SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), banco de dados de cadastro de consumidores autorizados pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC) e disponibilizado pela ACIF, reúne informações comerciais de todo o território nacional. O propósito do sistema é gerar confiança entre as pessoas para realização de negócios, ou seja, visa proteger, principalmente, os fornecedores de bens ou serviços contra a inadimplência. Para que um nome seja negativado, isto é, para que seja inscrito no SCPC, é necessário observar o que dispõe a lei, em especial, o CDC, disponibilizando à pessoa os dados e informações específicas sobre o teor do negócio, como forma de buscar meios para a solução da questão. Assim, quando uma negativação é realizada indevidamente, em face do não cumprimento das formalidades legais ou por não estar o consumidor inadimplente, tal fato pode ensejar em indenização por danos morais.

Todavia, nem todo nome negativado indevidamente significa que o consumidor receberá essa indenização. É claro que toda negativação indevida traz um dano à imagem do consumidor. Ninguém gosta de ser colocado em uma lista que restringe direitos sem razão. Afinal, ter o nome inscrito no órgão de proteção ao crédito pode prejudicar o seu direito a obter um financiamento ou abrir um crediário. Entretanto, há uma situação específica em que a negativação indevida não gera indenização por danos morais: quando há inscrição anterior. Assim, se o consumidor já detém o nome negativado por dívida existente e é “vítima” de uma negativação indevida, esta, sendo posterior, não gera qualquer dano creditício a ele, visto já ter outra ou outras restrições por uma dívida legal e exigível. De tantos processos já interpostos no Poder Judiciário a este respeito, o STJ editou a Súmula 385, dada a reiteração das decisões judi-

ciais nestes termos: “Da anotação irregular em cadastro de proteção ao crédito, não cabe indenização por dano moral, quando preexistente legítima inscrição, ressalvado o direito ao cancelamento”. Dessa forma, não cabe qualquer indenização por danos morais. Todavia, isso não significa que os direitos do consumidor em relação à negativação indevida não serão amparados. O consumidor continua a ter o direito de ter esse novo registrado apagado. E para isso, pode, inclusive, entrar com um processo judicial. Ainda, se algum valor chegou a ser pago indevidamente, o consumidor poderá ser ressarcido, até mesmo com a devolução em dobro dos valores pagos. Para o esclarecimento de dúvidas jurídicas, além de sugestões, o departamento jurídico da ACIF está sempre à disposição dos seus associados, seja presencialmente, via telefone (3711-1724), e-mail (jurídico@acifranca.com.br) ou whatsapp (16-99722-7027). Até a próxima! ADALBERTO GRIFFO JUNIOR

38 ACIF em Revista www.acifranca.com.br


negócios internacionais

jamesteohart/Divulgação

DNI-ACIF realiza ações para promover negócios digitais Pandemia de Covid-19 impulsionou a mudança para a digitalização dos mercados; trabalho tem apoio do IBREI

C

om as limitações impostas pela pandemia de Covi-19, empresas de todos os setores e mercados de todo o mundo se viram forçados a migrarem para o digital e ali passaram a realizar seus negócios. Devido a essa mudança, a “democratização do acesso ao mercado internacional” que até então era visto como algo difícil, complexo e, principalmente, custoso, se tornou mais descomplicada. “Só pensar que, em geral, companhias que buscavam abrir novos mercados precisavam investir em viagens e missões empresariais a muitos diferentes países para poder participar de feiras e rodadas de negócios internacionais, ou mesmo para visitar clientes ou possíveis prospects. E isso envolvia, necessariamente, gastos de alguns milhares de dólares em passagens, estadias, alimentação”, lembrou a coordenadora do DNI-ACIF, Suyara Águila. “Agora, no presente momento, todo esse panorama mudou de forma radical. Todo esse mundo de negócios e oportunidades está disponível online, e os empresários podem acessá-lo praticamente de forma gratuita e do conforto de suas casas”. Diante dessa facilidade, as micro e pequenas empresas têm hoje as mesmas oportunidades de se abrirem para o mundo e expandir seus horizontes, porém cientes das consequências dessa transformação. Segundo Suyara, o rompimento das “barreiras físicas” significa que a concorrência no mercado como um 40 ACIF em Revista www.acifranca.com.br

todo vai aumentar significativamente e a adaptação das empresas, ao mundo digital, deverá ser feita de imediato. “As empresas vão, cada vez mais, deixar de competir com seus concorrentes locais e passar a competir com o “mundo” e aquelas que demorarem a fazer sua migração ao mundo digital rapidamente estarão obsoletas e fora do mercado”. Nesse sentido, o IBREI (Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Relações Empresariais Internacionais) tem trabalhado no intuito de preparar as empresas para essa nova realidade. “Não só temos criado várias ações para instrução e capacitação das empresas e empresários, mas também desenvolvido muitas ferramentas de tecnologia para acesso ao mercado internacional”, diz o presidente do IBREI, Maurício Prazak. Um desses exemplos é a Plataforma de Rodada de Negócios online que permitiu a realização de eventos com negociações virtuais um-a-um entre empresas pré-selecionadas através de um trabalho de matchmaking especializado. “Desde seu lançamento, já realizamos diversos eventos que conectou centenas de empresas brasileiras com o mercado internacional. Outro importante exemplo são as ações desenvolvidas pelo instituto com seus grandes parceiros, como a ACIF, especialmente focadas em auxiliar as empresas a enxergar essas novas oportunidades e fazer essa transição para uma nova realidade de mercado”, conclui Prazak.


China Trade Center incentiva contatos online Brasil x China Em um ano atípico em todos os aspectos, o grupo China Trade Center começou a enfrentar os desafios de 2020 ainda em meados de janeiro. Na ocasião, os casos de Covid-19 estavam em maior intensidade na China, país que é mercado alvo do grupo e onde há departamentos que atuam forte nos setores de promoção e intercâmbio internacional. Com diversos grupos de empresários fechados para visitar a China, delegações formadas por autoridades e empresários chineses com agenda de visita ao Brasil e feiras confirmadas para o segundo semestre de 2020, o China Trade Center precisou se adequar e atuar pelos meios digitais. A partir do momento que a China começou a se reestabelecer, de forma antecipada ao Brasil, EUA e Europa, as ações dos governos provinciais chineses começaram a surgir como forma de gerar contatos e negócios. “Levamos 45 dias para começar nosso primeiro modelo de evento online de negócios entre Brasil e China e desde o início contamos com total apoio do DNI-ACIF. A China se movimentou rápido para desenvolver plataformas de negócios digitais, foi assim que promovemos eventos para diferentes setores, porém, sem dúvidas, nossa maior realização foi promover as duas edições da Canton Fair Online no Brasil”, disse o gerente de Relações Internacionais e Institucionais, Henrique Reis.

Henrique Reis, gerente de Relações Internacionais Institucionais do China Trade Center

No segundo semestre, algumas plataformas foram desenvolvidas também no Brasil, o que possibilitou o trabalho inverso. “Neste caso buscamos os potenciais compradores da China para conversar com os empresários brasileiros e conhecer melhor alguns produtos nacionais, principalmente no setor de alimentos e o DNI-ACIF se preocupou em levar essas oportunidades de negócios para a classe empresarial de Franca”, destacou Reis.

DNI-ACIF auxilia consultoria na exportação de serviços A Destra Consultoria, empresa com sede em Americana (SP) e com mais de 18 anos de experiência em consultoria, auditoria, capacitação profissional e software de gestão para empresas de todos os portes e segmentos, tem recebido assessoria do DNI-ACIF para a exportação de seus serviços. “Em momentos de crise, como esta causada pela Leandro Bianchini, sócio consultor da Destra

pandemia de Covid-19, nós da Destra precisamos mais do que nunca estar atentos a novas oportunidades que nos permitam garantir a sustentabilidade do negócio e o DNI nos trouxe essa oportunidade de exportar serviços”, diz o sócio consultor da Destra, Leandro Bianchini. “Reconhecemos que é um grande desafio, que nos apresenta reais possibilidades de penetração no mercado e a chance de sair na frente de nossos principais concorrentes e aumentar nosso faturamento”. A empresa atua com consultoria, treinamentos e auditorias nas áreas de Qualidade, Compliance, Saúde e Segurança Ocupacional, Meio Ambiente e Proteção de Dados, em formato remoto, híbrido ou presencial com foco em acelerar os resultados dos clientes. “O DNI virou peça fundamental para nossa visão estratégica. A sua dinâmica de trabalho e experiência profissional nos proporcionaram dados e ferramentas que auxiliam na tomada de decisão. A parceria que é recente já nos trouxe contatos com pessoas chaves do país em questão e ricos materiais para exportação do serviço”.

Janeiro 2021

41


fique

por

dentro

IMPOSTÔMETRO

Veja quanto já pagamos de impostos até o dia 22 de dezembro de 2020. Para ver o impostômetro em tempo real acesse: impostometro.com.br

Federal

001

998

299

808

173

73

Estadual

000

709

995

588

592

61

Municipal

000

000

208

107

395

83

TRI

BI

MI

MIL

Fotos: Divulgação

REAIS CENT

Federal: Esse dinheiro você poderia comprar 2,7 milhões de apartamentos com 3 quartos, 1 suíte, 2 garagens, 114 metros quadrados, no Centro de Garulhos SP.

Estadual: A arrecadação de SP representa: 37,4% do total de arrecação do Brasil.

Municipal: Com esse dinheiro daria para comprar 5.948 carros Renault Kwid Life 1.0 no valor de R$ 34.990 cada.

AJUDE A COMBATER O NOVO CORONAVÍRUS DEVER DO CONSUMIDOR

DEVER DO ESTABELECIMENTO

Use máscara de proteção ao sair de casa

Use sempre a máscara de proteção e troque-a durante o expediente por uma higienizada

Passe álcool em gel nas mãos

Limpar mesas e balcões

Mantenha distância segura de 2 metros entre as pessoas

Higienize as máquinas de cartões, teclado, mouse e demais objetos de manuseio

Evite aglomerações

Higienize as mãos antes e depois de tocar qualquer superfície ou objeto

Prepare uma lista do que precisa comprar e evite circulação excessiva

Organize o fluxo interno ou externo de seu estabelecimento

Evite adereços como anéis e correntinhas e prenda o cabelo

Nas filas externas o solo deverá ser demarcado mantendo o distanciamento de 2 metros

42 ACIF em Revista www.acifranca.com.br

ACIF (@acifrancasp)

@acifranca

16 9 9967-4003

ACIF Franca


fique

por

dentro

de OLHO no DINHEIRO

Sejam b e m -v i n d o s

Tabela de Imposto de Renda (IRRF) - 01/01/2020 a 31/12/2020

NOVOS ASSOCIADOS ACIF!

Base de Cálculo (em R$)

Alíquota (%)

Até R$ 1.903,98 De R$ 1.903,99 até R$ 2.826,65 De R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05 De R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68 Acima de R$ 4.664,68

Parcela a deduzir do IR (em R$)

Isento 7,5 15 22,5 27,5

142,8 354,8 636,13 869,36

Fazem parte desta lista empresas que chegaram à Entidade entre os dias 26 de novembro a 17 de dezembro de 2020. Salário Mínimo - Dezembro/2020 Mensais

- AC Angela Calixto - Boa Forma Suplementação Avançada - Braz Caparelli de Oliveira - Caboclo Artedecor - Cia D Pizza Pré Assada - Clinica Veterinária Gabriela - Comércio de Vidros

R$ 1.045,00

- Helena Morais

Salário Família - 2020

- Isac Gonçalves

Remuneração Mensal

- Juliana Madalena - Lobo do Cerrado - Marmitaria

Piso Salarial de Ingresso Empregados em Geral Caixa Faxineiro e Copeiro Office Boy e Empacotador Garantia Comissionista

- Mcell Import - Mega Motos - Mixea Nutrição

- Dri Silva

- Panificadora da Família - Papi Sorvetes - Polo Urban

Vida

- Transporte Alternativo

- Francauto Locadora

- Valka Shoes

- Fzardo Aquecedores e

- Vlicit Assessoria

Equipamentos

- Word Flex

44 ACIF em Revista www.acifranca.com.br

Geral

ME

EPP

R$1.462,00 R$ 1.571,00 R$ 1.291,00 R$ 1.073,00 R$ 1.716,00

R$ 1.195,00 R$ 1.345,00 R$ 1.461,00 R$ 1.201,00 R$ 1.073,00 R$1.571,00

R$ 1.259,00 R$ 1.404,00 R$ 1.510,00 R$ 1.237,00 R$ 1.073,00 R$1.649,00

SALÁRIO REGIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

Saudável

- Odilon Lana Studio

- Gislaine Bragatto

Salários Normativos do Comércio Varejista - 2019 Categorias

- Doc Engenharia

- Fcv Flor o Ciclo da

R$ 48,62

- Itamarati Veículos

- Mult Chance

- Espaco do Açai

Hora R$ 5,93

Calçados e Acessórios

David

- Eletromóveis

Diário R$ 33,70

R$ 1.163,55 (um mil cento e sessenta e três reais e cinquenta e cinco centavos) - Trabalhadores domésticos, serventes, trabalhadores agropecuários e florestais, pescadores, contínuos, mensageiros e trabalhadores de serviços de limpeza e conservação, trabalhadores de serviços de manutenção de áreas verdes e de logradouros públicos, auxiliares de serviços gerais de escritório, empregados não-especializados do comércio, da indústria e de serviços administrativos, cumins, “barboys”, lavadeiros, ascensoristas, “motoboys”, trabalhadores de movimentação e manipulação de mercadorias e materiais e trabalhadores não-especializados de minas e pedreiras; operadores de máquinas e implementos agrícolas e florestais, de máquinas da construção civil, de mineração e de cortar e lavrar madeira, classificadores de correspondência e carteiros, tintureiros, barbeiros, cabeleireiros, manicures e pedicures, dedetizadores, vendedores, trabalhadores de costura e estofadores, pedreiros, trabalhadores de preparação de alimentos e bebidas, de fabricação e confecção de papel e papelão, trabalhadores em serviços de proteção e segurança pessoal e patrimonial, trabalhadores de serviços de turismo e hospedagem, garçons, cobradores de transportes

ACIF (@acifrancasp)

@acifranca

coletivos, “barmen”, pintores, encanadores, soldadores, chapeadores, montadores de estruturas metálicas, vidreiros e ceramistas, fiandeiros, tecelões, tingidores, trabalhadores de curtimento, joalheiros, ourives, operadores de máquinas de escritório, datilógrafos, digitadores, telefonistas, operadores de telefone e de “telemarketing”, atendentes e comissários de serviços de transporte de passageiros, trabalhadores de redes de energia e de telecomunicações, mestres e contramestres, marceneiros, trabalhadores em usinagem de metais, ajustadores mecânicos, montadores de máquinas, operadores de instalações de processamento químico e supervisores de produção e manutenção industrial; R$ 1.183,33 (um mil cento e oitenta e três reais e trinta e três centavos) - Administradores agropecuários e florestais, trabalhadores de serviços de higiene e saúde, chefes de serviços de transportes e de comunicações, supervisores de compras e de vendas, agentes técnicos em vendas e representantes comerciais, operadores de estação de rádio e de estação de televisão, de equipamentos de sonorização e de projeção cinematográfica e técnicos em eletrônica.

16 9 9967-4003

ACIF Franca


Profile for acifmarketing

ACIF em Revista - Edição 288 - Janeiro - 21