Issuu on Google+

Campo Grande • Ano VIi • Abril de 2014 • nº 33

Meu negócio Empresária da Casa X conta estratégias que proporcionaram o rápido crescimento no mercado imobiliário. Pág. 6

entrevista

Você é realizado na vida pessoal e profissional? A coach Marcia Luz expõe ensinamentos para quem busca o sucesso. pág. 14

atuação

Confira as reivindicações dos empresários do Centro ao novo prefeito da Capital. pág. 32

João Carlos Polidoro Relembrando os passos de uma trajetória empreendedora, o diretor da ACICG expõe sua atuação em conquistas que favorecem a classe.

Abril de 2014 1


2 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33


editorial

Celebrando conquistas

M Omar Aukar Presidente da ACICG

Março foi um mês de comemoração. A Associação Comercial e Industrial de Campo Grande completou 88 anos em defesa dos empresários, no fomento da economia e no apoio ao comércio, através de parcerias e serviços de qualificação. Desde 2011, assumi o desafio da presidência e em 2014 somamos três anos de muitas conquistas. Mas antes de ser presidente sou empresário, portanto mantenho o olhar focado em sanar dificuldades e ampliar os serviços que facilitem a vida do empreendedor. Implantamos um posto de atendimento de medicina do trabalho dentro da ACICG, promovemos grandes melhorias na Colônia de Férias, proporcionando lazer com mais qualidade ao empresário, sua família e seus colaboradores. Fortalecemos o comércio da Capital ofertando capacitação não só para estabelecimentos do Centro, mas também das regiões periféricas. Criamos campanhas promocionais cooperadas para Dias das Mães, dos Namorados e Natal. Outra estratégia colocada em prática nesta gestão foi unir empresários de determinadas regiões em conselhos. Isso auxiliou no aquecimento do comércio, estruturando iniciativas mercadológicas específicas para o local. Na representatividade da classe, os trabalhos foram diversos. Lutamos para diminuir os prejuízos dos empresários da Júlio de Castilho causados pelas obras de revitalização da via; atuamos para resolver problemas da retirada das fachadas previstas no projeto Reviva Centro e conseguimos criar um diálogo com o novo prefeito para que as decisões sejam previamente comunicadas aos empresários da área central, reduzindo o impacto de possíveis prejuízos. Junto ao Conselho Comunitário de Segurança da Região Central apoiamos a busca pelo videomonitoramento e outras ações. Com tudo isso, estamos mais próximo do empresário, que respondeu ampliando sua atuação. Como feito desses três anos saltamos de 2.500 associados para quase 4.500, um mérito coletivo, de uma equipe capacitada e um corpo de diretores que acredita na força do associativismo. Em abril, encerra-se um ciclo e a Associação Comercial promove uma nova eleição para o triênio 2014-2017. Deixo a presidência, mas não a diretoria da entidade, porque acredito, fielmente, que empresários unidos são muito mais fortes. Enquanto isso convido você, empresário e colaborador, a conferir de perto parte das conquistas alcançadas até hoje em mais uma edição da Ação Comercial. Boa leitura!

Abril de 2014 3


Ação Comercial • Edição 31

6

14

Empresária da Casa X conta estratégias que proporcionaram o rápido crescimento no mercado imobiliário.

Você é realizado na vida pessoal e profissional? A coach Marcia Luz expõe ensinamentos para quem busca o sucesso.

Meu negócio

Entrevista

16

34

Capa

Atuação

Conheça a trajetória empreendedora de João Carlos Polidoro. O diretor da ACICG expõe sua atuação em conquistas que favorecem a classe empresarial.

ACICG apresenta reivindicações dos empresários do Centro ao novo prefeito da Capital.

Gestão estratégica 8

Nossas vantagens 24

Mural 44

Carreira 12

Eventos 28

Agenda 46

4 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33


meu negócio

C FOCO NO IMÓVEL Rapidez e presteza definem o sucesso da imobiliária Casa X Por Clarissa de Faria Fotos: Priscila Mota

6 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33

Com o mercado imobiliário aquecido e o boom da construção civil, empresas do setor precisam se diferenciar para conquistar seu espaço. Com Elaine Mara Trino, 48 anos, administradora de empresas e proprietária da Casa X, não foge à regr a. Casada e mãe de cinco filhos, a empreendedora começou no ramo em 2004, conciliando com o cargo de gerente na Caixa Econômica Federal por 15 anos. Sempre no ramo imobiliário, ela iniciou as pesquisas para a abertura de seu próprio negócio, como a escolha de uma boa marca, do ponto, da equipe e dos produtos. Em 2005 foi inaugurada a Casa X, desde então na Rua Sebastião Lima. Um ano mais tarde se mudou para um ponto maior e na mesma rua. "Hoje, em nossa sede própria, vamos ampliando os espaços e fazendo as devidas adequações para acomodar a equipe que só vem crescendo". Com um ano a frente do próprio negócio Elaine pediu demissão da Caixa. "O empreendedor tem que ser livre e não pode ter medo. Lógico que deve haver muita pesquisa, capital de giro, apoio familiar, dedicação, seriedade e garra antes de tomar uma decisão como esta", afirma. A empresa começava a trilhar um caminho de credibilidade e precisava do seu total envolvimento. Momentos de obstáculos e dificuldades também fizeram parte dessa trajetória, mas foram superados com a fé. "O sucesso da Casa X sempre foi e será pautado em princípios éticos, morais, competência, agilidade e na busca constante de novos conhecimentos e produtos para melhor atender os nossos clientes", revela. Com a finalidade de expandir os negócios e atender a uma demanda crescente de mercado, em julho de 2012 foi inaugurada a filial em Dourados que conta atualmente com sete funcionários e administra cerca de 1 mil imóveis. A unidade é correspondente Caixa nos financiamentos habitacionais. Hoje, a imobiliária atua com carteiras de locação, administração de condomínios e arrendamentos da Caixa - cerca de 3 mil unidades, contando com a Filial no interior - vendas de imóveis de terceiros e empreendimentos de construtoras renomadas. Quanto ao diferencial para se destacar, Elaine garante que é preciso capacitar seus profissionais constantemente para compreender as reais necessidades dos seus clientes e auxiliar com rapidez, sigilo e discrição na condução dos negócios. "Tudo isso deve estar aliado à busca constante de novos produtos e serviços que possam ser úteis aos nossos clientes. É no nosso dia a dia que fazemos a diferença e buscamos a excelência em toda e qualquer intermediação que formos fazer, já que o nosso trabalho é esse: ajudar e auxiliar na concretização de sonhos, como o lugar ideal para se morar e viver”, conclui.


Maio de 2013 7


gestão estratégica

alavancando seu negócio Estratégias simples para melhorar o desempenho da empresa

T

Todo empreendedor / empresário compartilha algumas preocupações, independente de sua área de atuação. A capacidade de alavancar seu negócio e enfrentar as crescentes condições de competitividade certamente está perto do topo da lista. Entre as diversas possibilidades ao nosso alcance, está o entendimento e uso de alguns

8 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33

FOTO SHUTTERSTOCK

Por Victor Mirshawka Junior Diretor da Pós-Graduação da FAAP Professor de Criatividade e Inovação

importantes conceitos: Proposta de Valor, Matriz Concorrencial, Gestão Profissional e Inovação. Neste artigo, vamos apresentar cada um deles de forma bem prática, sugerindo como usá-los para melhorar o desempenho do seu negócio, seja ele a venda de produtos ou de serviços.


1. Proposta de Valor Antes de comprar o seu produto / serviço, todo cliente passa por um processo de decisão aparentemente simples: compro esse ou aquele? Mas o cliente não está considerando apenas o preço, embora às vezes corramos o risco de pensar assim. Esse cliente está comparando a Proposta de Valor oferecida pelo seu negócio com as Propostas de Valor oferecidas pelos seus concorrentes. Proposta de Valor é o conjunto de atributos de valor oferecidos pelo seu produto / serviço, cuja combinação melhor atende, integral ou parcialmente, às demandas e desejos do cliente. O cliente compra valor e não somente um produto ou serviço.

Lista parcial de atributos de uma Proposta de Valor Fazem parte da Proposta de Valor atributos, tais como: Utilidade O produto / serviço deve resolver um problema ou aplacar uma demanda. A utilidade de um guardachuva é proteger seu portador da água... A utilidade de uma escova é pentear o cabelo, a de um casaco, aquecer, a de um delivery, entregar algo, etc... Qualidade A qualidade de um produto se reflete, por exemplo, na tempo que ele demora para se degradar ou estragar, e na confiabilidade em seu uso. Um saco plástico que rasga no primeiro uso tem baixa qualidade. Um brinquedo que quebra na primeira semana tem baixa qualidade. A qualidade de um serviço se reflete, por exemplo, na sua confiabilidade. Um serviço de entrega de pizza de qualidade entrega a pizza correta, no prazo solicitado e ainda quente... Design Além da utilidade / qualidade, o produto / serviço pode incorporar o capricho estético em seu design, ou seja, ser bonito ou belo. Um cinzeiro tem a utilidade de guardar cinzas; se for de qualidade, será resistente a quedas; ainda pode ser bonito e portanto, servir para decorar um ambiente doméstico.

Preço O valor que se paga por um produto, nas condições de pagamento oferecidas (descontos promocionais, parcelamentos, financiamentos, aceite de cheques ou cartões, etc...) constituem o preço. Acesso A facilidade / comodidade de acessar e comprar seu produto ou serviço fazem parte da proposta de valor. Uma loja com fácil estacionamento pode incrementar bastante a proposta de valor, bem como um serviço de venda de ingressos por internet que tenha bons assentos disponíveis para os espetáculos que vende e também um sistema de venda veloz e fácil de navegar. Marca A marca do produto / serviço pode pesar na hora de decidir pela compra se considerarmos que entre tantas marcas, algumas projetam mais respeitabilidade e inclusive podem significar status para seus compradores, que acabam ficando mais leais a elas.

Abril de 2014 9


gestão estratégica 2. Matriz Concorrencial

3. Gestão Profissional

Vivemos num ambiente competitivo, portanto é sempre mais provável que haja outros provedores de produtos / serviços comercializando algo parecido com seu negócio.

Para fazer com que sua Proposta de Valor assuma a posição de destaque na Matriz Concorrencial de sua área de atuação e, portanto, seja a melhor escolha para seu cliente, na maior parte do tempo, você precisa implantar um modelo de Gestão Profissional em seu negócio.

Nesta hora, é fundamental você preencher sua Matriz Concorrencial. Matriz Concorrencial é aquela que compara, para cada atributo de valor específico do seu negócio, a oferta entre diversos concorrentes diretos (veja na tabela).

Tipo de Negócio Loja de Materiais de Construção Atributo de Valor Preços Marcas oferecidas

Conc. B

Conc. A

Conc. B

baixos

baixos

altos

desconhecidas

desconhecidas

tradicionais

48 horas

72 horas

imediata

Serviço de Entrega

não

não

sim

Consultoria em Projetos

não

não

sim

próxima

excelente

distante

Disponibilidade de Estoque

Localização

O preenchimento da Matriz Concorrencial pressupõe que você identifique os seus concorrentes principais e os qualifique nos mesmos atributos de valor que você está oferecendo, de modo que você possa tomar decisões sobre como alavancar seu negócio. Além disso, interpretar a Matriz Concorrencial vai lhe permitir mudar aquilo que deve ser mudado. Porém, usando a figura 1 como base, note que, às vezes, a Proposta de Valor do Concorrente C, que tem preços mais altos, pode ser mais vantajosa para um cliente que tem pressa para receber o material de construção. Mais uma vez, ressalto que o cliente não compra só preço, embora esse possa ser o diferencial principal em diversos casos.

Dica: se você quer alavancar seu negócio, preencha a sua Matriz Concorrencial para ter clareza sobre como você se posiciona em relação aos seus concorrentes. Identifique áreas que você precisa melhorar e implante um modelo de Gestão Profissional em seu negócio.

10 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33

Especialmente porque será necessário atuar de forma eficiente, eficaz e efetiva em diversas frentes de gestão, tais como: contábil financeira, de pessoas, de marketing, de vendas, de logística, de infraestrutura, de qualidade, de portfolio, etc... Gestão Profissional implica em ter os conhecimentos, habilidades e atitudes necessários para garantir o desempenho de seu negócio. Você pode assimilar tudo isso através de experiência prática. Mas também pode e deve se preparar através de cursos específicos de formação em cada área e especialmente através da contratação de pessoas que tenham estas capacidades.

Dica: seja incansável na implantação de um modelo de Gestão Profissional em seu negócio, aproveitando todas as chances de aprender e se capacitar e contratando pessoas que tenham as capacidades que lhe faltam.


4. Inovação Mesmo que você faça com todo cuidado e zelo tudo o que foi recomendado até agora, ainda assim isso não será garantia de sucesso, pelo menos não por muito tempo. Será necessário que você, de tempos em tempos, reveja tudo o que faz, para introduzir inovações em seu negócio. Inovação é o resultado da criatividade que, aplicado a produtos, processos, ou serviços, tem aplicação prática e traz retorno. Fazer algo muito certo ou muito bem feito hoje não quer dizer que isso será o mais certo ou o mais bem feito por muito tempo... Pense em como os computadores aposentaram as máquinas de escrever, em como as agências de viagem virtuais estão concorrendo ferozmente com as agências tradicionais, em como as empresas que vendiam enciclopédias deixaram de existir, em como a injeção eletrônica substituiu carburadores ou em como os softwares de cálculo acabaram com diversos empregos. É absolutamente obrigatório que você pense, de tempos em tempos, nas coisas que você pode deixar de fazer, nas coisas que você pode fazer melhor e nas coisas que você nunca fez e deve começar a fazer.

Dica: considere a Inovação como uma de suas principais tarefas como empreendedor / empresário. Constantemente busque maneiras de fazer as coisas melhor ou fazer novas coisas. Se você considerar os conceitos e dicas tratados neste artigo, certamente aumentará as chances de alavancar seu negócio. A estratégia de sua empresa precisa prever o constante cuidado com sua Proposta de Valor, sua Matriz Concorrencial, seu Modelo de Gestão Profissional e seu poder de Inovação. Na verdade, alcançar o sucesso depende de tudo isso, mas também e principalmente, de muito trabalho e dedicação!

Bibliografia CHIAVENATO, Idalberto. Administração nos Novos Tempos. Rio de Janeiro: Campus, 2009. pos.victor@faap.br

Abril de 2014 11


carreira

LIDERAR é conversar...

Q

Quando me deparo com a palavra liderança, me vêm automaticamente à cabeça, de acordo com minha experiência com líderes de uma forma geral, algumas palavras associadas a ela, como desejo genuíno de ajudar, capacidade de desenvolver pessoas e de despertar a evolução do outro conversando de uma forma que o ajude avançar! Ao fazermos conexão com estas palavras ligadas à prática da liderança, remetemos automaticamente ao desafiador cenário de relacionar-se de forma mais próxima e aberta com o outro, neste caso, o desafio passa a ser maior, pois, indica que a prática efetiva da liderança está interligada a um processo muito mais complexo do que somente a obrigação de um cargo, às teorias e exigências do mercado e/ou a qualquer outra convenção imposta. Cabe-nos uma reflexão mais profunda em torno do que realmente significa em minha vida liderar. Pratico a liderança que ‘dita’ a teoria e as fórmulas de sucesso porque preciso e sou cobrado na posição em que ocupo, ou percebo nesta prática uma oportunidade de ser um ser humano melhor ao ajudar o outro a evoluir com o simples interesse genuíno de despertar nele o seu melhor como pessoa? Caso descubra, ao se questionar profundamente que quando conversa com seu liderado consegue despertar nele um potencial adormecido desafiando-o à mudança , e que ao perceber este resultado, sente-se realizado e feliz e que isso pode até ser um valor para você, é provável que esteja a um passo da prática de uma liderança autêntica e efetiva. Digo isso, pois tenho aprendido em minha prática

12 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33

FOTO SHUTTERSTOCK

Entenda o poder e o significado dessa prática Rosângela Barcellos - Professional Certified Coach-ICF/EUA*

profissional e pessoal que ao conversar podemos liderar e que, dependendo da qualidade de nossas conversas, podemos gerar no outro um mundo de possibilidades, evoluções, reflexões e de encadeamento de ações, para que ele avance desde que esteja aberto para este diálogo. Claro, não podemos cultivar a pretensão de ajudar ao outro se ele não nos ‘autoriza’ para tal. Creio que se não todas, mas grande parte das pessoas já vivenciou aquela sensação boa de sentir-se valorizado depois de ter tido com alguém uma conversa de qualidade, chamo de conversa de qualidade quando escutamos e somos escutados, quando olhamos no olho do nosso interlocutor com interesse... sem pressa de ir embora, quando perguntamos para saber o que ele pensa da vida, quando o respeitamos e colocamos de lado nossos julgamentos e verdades, quando ao escutar entendemos realmente o que ele quer nos dizer com o que está dizendo e desinteressadamente lançamos um questionamento para ajudá-lo a ver mais longe do que está vendo e a encontrar o seu melhor! Neste processo enxergo a prática de uma vivência que vai além da teoria do ter que... para ser realmente líder! Em minha caminhada com líderes constato a satisfação plena e o brilho no olhar de cada um quando conseguem promover evolução em seus liderados através de uma conversa de qualidade, isso me faz aumentar a crença de que nós somos, como seres humanos, infinitamente capazes de ajudar nosso semelhante e construir um mundo de novas possibilidades através de nossas conversas! *rosangelabarcellos@rbtconsultoria.com.br


Abril de 2014 13


entrevista

Além do trabalho Líder na própria carreira, a palestrante e coach Marcia Luz transmite seus ensinamentos sobre realização pessoal e profissional Por Cidiana Pellegrin

V

Várias pesquisa comprovam que a classe feminina assume mais responsabilidades que o sexo oposto. Depois de um longo expediente corporativo, as tarefas se acumulam em casa: cuidar dos filhos, do marido e afazeres domésticos. O desafio diário ainda inclui manter o bom humor, a energia e a vitalidade. Dupla – ou tripla - jornada parece ser a herança da mulher contemporânea. E como estar bem consigo mesma nesta interminável rotina?

FOTOS: PRISCILA MOTA

A empresária, especialista em gestalt-terapia, professora e coach Marcia Luz esteve na Capital, em março, falando de como é possível viver melhor conciliando estas múltiplas funções. Há 22 anos como palestrante, ela realiza cerca de 100 eventos por ano – entre treinamentos e conferências - voltados à liderança empresarial, sucesso profissional e equilíbrio pessoal. “Minha missão é ajudar pessoas a serem os melhores seres humanos que derem conta de ser”, afirma.

14 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33

A seguir, revela parte de seus ensinamentos para quem também busca qualidade de vida e uma carreira bem-sucedida.


Como surgiu a ideia de realizar a palestra “A arte de viver melhor”? Veio de alguma experiência pessoal? Sou coach executiva e pessoal e os exercícios da palestra são trabalhos de Life Coaching. Além disso, tenho muita demanda de público feminino que necessita de ajuda para trabalhar a auto-estima. Você utiliza princípios do Life Coaching em sua palestra. O que seria isso? São exercícios focados no autodesenvolvimento e na melhoria da qualidade de vida. Quais são as dicas para a mulher contemporânea viver melhor? A mulher é a maior vítima de stress em nossa sociedade porque acumula papéis: mãe, esposa, dona de casa, profissional, entre tantos outros. Por dizer sim a todos, acaba tendo que dizer não para si mesma; assim sente-se sobrecarregada e adoece. A mulher precisa aprender a priorizar-se. Qualidade de vida é um desejo não só das mulheres. Como esse assunto tem sido encarado pelas empresas? Cada vez mais as empresas estão adquirindo consciência de que profissional feliz produz muito mais e por isso tem investido na qualidade de vida de seus colaboradores, seja através de treinamentos, programas de incentivo ou benefícios. Como palestrante, percebi que sua atuação também é voltada para liderança, a busca pelo sucesso profissional, além do equilíbrio pessoal. Essas são as principais deficiências do meio corporativo? Pesquisas mostram que o principal fator que gera desmotivação nos colaboradores das empresas é a condução dos gestores. Não podemos culpá-los por isso; a maioria dos gestores aprendeu a conduzir equipes por tentativa e erro. Nunca foram preparados para isso. Um bom técnico ou bom vendedor não é pré-requisito

“Investir no desenvolvimento de lÍderes é a melhor aposta que as empresas podem fazer.”

para saber conduzir pessoas; são perfis diferentes. Investir no desenvolvimento de lideres é a melhor aposta que as empresas podem fazer. Quais as vantagens para o empresário/empresa criar condições que promovam essa qualidade? Ele terá uma equipe mais produtiva, engajada e co-responsável com a missão da empresa. Como escritora, você lançou o livro "Construindo um futuro de sucesso", com exemplos de pessoas realizadas. O que os personagens compartilham que pode nos servir de inspiração? Existe sim. Convidei para participar de meu livro pessoas de sucesso que partiram de uma origem super simples, com dificuldades financeiras ou até de acesso ao estudo, e que apesar das adversidades, conseguiram vencer. São empresários bem sucedidos ou pessoas conhecidas da mídia como Oscar Schimidt, Ana Maria Braga, seu Francisco (pai do Zezé di Camargo e Luciano) e todos eles tiveram dois pontos em comum que lhes garantiu o sucesso: foco e determinação. Em sua experiência com várias empresas a insatisfação dos colaboradores com a própria carreira é constante? Fiz uma pesquisa recente e o resultado que obtive confirmou a pesquisa realizada pela Global Workforce Survey com 90 mil trabalhadores em 18 países e o resultado de ambas foi o seguinte: 79% das pessoas estão descontentes ou desmotivadas com o trabalho. E como evitar que isso aconteça? Como encontrar essa realização pessoal e profissional? Para você ser feliz é necessário responder 3 perguntas: Onde quer viver? Com quem quer viver? O que quer fazer?(no âmbito profissional). Se você conseguir responder e colocar em prática poderá se sentir plenamente realizado. Para responder a isso, porém, é necessário descobrir seu propósito de vida. Você não nasceu por engano. Deus tem um propósito para a sua existência. Pergunte-se qual é a missão que você precisa cumprir antes de partir, qual é o legado que quer deixar para as próximas gerações, e faça de sua escolha profissional um caminho para isso. Sei que não é uma tarefa fácil, mas é necessário se você quer dar sentido à sua vida e ser feliz. A boa notícia é que posso te ajudar nessa caminhada. Como? Cadastre-se em meu blog: www.marcialuz.com. br/blog e receba toda terça-feira, gratuitamente, vídeos com conteúdos que produzo para colaborar com seu sucesso e felicidade.

Abril de 2014 15


capa

16 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33


Um gestor inspirador

Relembrando os passos de uma trajetória empreendedora, o diretor da ACICG João Carlos Polidoro expõe sua atuação em conquistas que favorecem a classe empresarial Por Cidiana Pellegrin | Fotos: Priscila Mota

P

Pregões, licitações, contatos com os fornecedores

Tantas conquistas guardam uma relação antiga com

e estratégias na conquista de novos mercados tomam

o empreendedorismo. “Acredito que começou com 8 ou

a concentração do empresário João Carlos Polidoro

10 anos. Sempre procurei ser independente e buscava

semanalmente, em seu escritório. A frente da Método

trabalhar para ganhar o meu próprio dinheiro”, relembra

Informática - destaque regional no segmento de

sobre a infância em Carazinho, cidade gaúcha onde nasceu.

tecnologia da informação - sua rotina não inclui

Seus pais chegaram a Mato Grosso do Sul motivados

apenas decisões que envolvem o sucesso do próprio

de oportunidades de um estado que acabava de nascer.

negócio. Mais que melhorar os resultados corporativos,

Mais tarde, com a família já prosperando na empresa de

seu trabalho tem valores e motivações coletivas que

implementos agrícolas, escolheu um caminho diferente

beneficiam todos os empresários da Capital.

do que parecia estar destinado e abraçou a graduação de

Dos 88 anos de existência da Associação Comercial

Análise de Sistemas, na Universidade Federal de Mato Grosso

e Industrial de Campo Grande - completados em março

do Sul. “Eu sempre fui um curioso, lia muito sobre tecnologia.

- uma década conta com a participação ativa de Polidoro,

Na adolescência comprei um computador chamado MSX e a

atual primeiro-tesoureiro na entidade. Seu envolvimento

partir daí comecei a me interessar mais ainda por sistemas e

ultrapassa a área estratégica, abraçando também o

equipamentos relacionados à tecnologia da informação. Mas

diálogo com o poder público. Na esfera municipal, por

não abandonei o meu DNA vindo do campo, meus estudos

exemplo, trabalhou pela reinclusão de mais de 17.000

foram custeados por uma lavoura de soja de 50 hectares,

empresas no cadastro econômico do municipio. No

que eu mesmo cuidava do plantio a colheita”, recorda-se.

âmbito estadual, a atuação foi para conseguir diminuir

Das experiências com o universo rural já se

MVA de alguns setores e também o aumento do teto

foram mais de 20 anos, período em que construiu

do Simples. A defesa extrapola fronteiras locais. Em

uma trajetória empreendedora de credibilidade no

nome da classe, juntamente com outros diretores da

mercado local. A seguir conhecemos mais sobre esse

entidade, esteve várias vezes em Brasília articulando

gestor de 46 anos que é adepto ao lema: o desafio

questões importantes com nossa bancada de políticos.

de liderar é muito maior que o de comandar.

Abril de 2014 17


capa

Como define seu perfil empreendedor? Como alguém que quer fazer tudo dentro da ética,

No mundo corporativo, é preciso comandar ou liderar? Líder é aquele que dá exemplos, mostra o caminho,

com transparência e valores como lealdade, honestidade,

acredito que só assim você consegue construir algo

responsabilidade social, fiscal e moral. É tudo mais difícil

sustentável e duradouro. Eu me vejo como líder,

e trabalhoso, mas me mantém íntegro e atrai pessoas

comandar é fácil, dar exemplo é mais difícil. É preciso

de bem para o círculo de amizades. Essas dificuldades

estar cercado de pessoas com mais conhecimentos que

não me impedem de realizar as coisas em que acredito.

você e exercitar a troca de saberes, isso nos torna pessoas

Se não concordo com alguma regra ou lei, não passo

melhores, mais produtivas e precisas no dia a dia.

por cima, luto para mudar na esfera adequada. Com formações em Análise de Sistemas, Gestão em Marketing e Administração de Empresas, você acredita que a qualificação é a principal chave para um empreendedor ter sucesso? É a chave para o sucesso, abre portas e horizontes

Você tem um filho jovem. Deseja que ele se envolva em seu negócio? Acredito que a sucessão é desafio comum entre a classe. Em uma empresa familiar, a sucessão é um grande desafio, pois temos que ser profissionais e nem sempre isso é aceito pelos membros que atuam no negócio,

na vida de qualquer pessoa que busca concretizar seus

mas é isso ou é o fim do empreendimento. Eu vejo como

sonhos para melhorar a sua vida e a da comunidade em

business, sigo regras e exijo que sejam seguidas.

que está inserido O aprendizado não tem fim. Todos os dias, dedico um tempo para ler e aprender algo novo. Para manter sua empresa tanto tempo no mercado, o que foi preciso? Ser dono do próprio negócio na década de 1990, sem os mecanismos e entidades de apoio, como temos hoje, foi um desafio enorme. Tudo precisava

No caso do meu filho de 16 anos, ele já participa desde os 12, mas não forcei essa situação, foi por interesse dele mesmo. Ele acaba de passar no curso de Engenharia de Computação da UFMS, mesmo estando no segundo ano do Ensino Médio. Essa escolha já sinaliza que tem interesse em continuar. Você, assim como todos os diretores da ACICG,

ser descoberto na prática e nem sempre as coisas

trabalha voluntariamente na entidade. O que

davam certo, mas a persistência foi o que fez estarmos

te motiva a desenvolver essa missão?

no mercado há 23 anos com o mesmo CNPJ e com clientes que nos acompanham desde aquela época. Qual o maior desafio no seu ramo de atuação? Sem dúvida, é ter uma equipe profissionalizada para atender bem e ser assertiva com o cliente. A falta de pessoal na área de TI (tecnologia da informação) aumenta o nível de dificuldade das empresas deste setor.

O que mais me motiva a trabalhar pela Associação Comercial é a possibilidade de unir empresários para defender causas comuns que, sozinhos, não conseguem. Juntos, fica tudo mais fácil, mostramos a nossa força. É uma mudança cultural trabalhar de forma colaborativa para os mesmos objetivos. Outro motivo é o aumento na rede de contatos. Sempre falo que, quando comecei a participar da ACICG, tinha 200 contatos no meu telefone e, hoje, tenho mais de 4.000. Isso possibilita e facilita prospectar e fechar negócios duradouros.

18 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33


“O que mais me motiva a trabalhar pela ACICG é a possibilidade de unir empresários para defender causas comuns. Juntos, fica tudo mais fácil, mostramos a nossa força”, Abril de 2014 19


capa

20 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33


Dirigir a própria empresa e a ACICG são trabalhos muito distintos? Diferentemente do que muitos pensam, os diretores não dão expediente na entidade, cada um trabalha em sua empresa e em determinado dia da semana nos reunimos para tratar dos assuntos que precisam de definição estratégica. Mas em algumas áreas os desafios são os mesmos, pois buscamos administrar a entidade como uma empresa privada, trazendo profissionais capacitados para desenvolver os projetos definidos no planejamento. Os diretores estão atuando em demandas vindas dos associados e isso praticamente acontece todos os dias. Qual o maior desafio da entidade hoje? Unir a classe é um dos grandes desafios que enfrentamos, mas nossa atuação em demandas junto ao setor público, neste momento, é o maior deles, pois estamos em período de letargia e a cidade vai deteriorando seus serviços e estruturas, o desenvolvimento para e a população e as empresas sofrem com isso. Uma luz no fim do túnel apareceu, vamos continuar cobrando até que tudo esteja no lugar e funcionando, pois em alguns casos nada temos, mas queremos mesmo é o "Padrão FIFA" no setor público, cada cidadão paga por isso. Seu envolvimento com a ACICG já contabiliza uma década, incluindo até mesmo a vice-presidência por duas gestões, 2005 a 2010. Quais foram as principais conquistas da classe empresarial comandadas por você até então? Primeiro, é preciso dizer que o trabalho sempre foi a várias mãos. Faço parte de um grupo de pessoas de bem, que querem e fazem ações para melhorar a vida em nossa sociedade. Consideramos como a principal conquista o resgate da credibilidade da própria entidade, pois quando o nosso grupo se assumiu, tínhamos menos de 400 associados e, hoje, temos mais de 4.200. Profissionalizamos a gestão da entidade e saneamos as contas, o que nos possibilitou fazer investimentos na Colônia de Férias (clube da entidade) e na sede. Também dialogamos muito com os governos municipal, estadual e federal; tivemos avanços, mas precisamos de muito mais para que a classe empresarial seja respeitada, competitiva e próspera, gerando mais empregos e renda para nossa comunidade.

Abril de 2014 21


capa

Você integra uma cadeira do Codecom. Como é sua

E para 2014, quais são os projetos que

atuação dentro desse conselho que aprova os projetos

contarão com sua atuação na entidade?

de implantação ou expansão dos empreendimentos? Sempre atuei para que empresas locais tivessem

Com o fortalecimento do comércio nos bairros, precisamos atender o empresário mais próximo de

o mesmo tratamento e possibilidades das que

sua empresa. Assim, vamos implantar o projeto ACICG

vêm de fora, pois as que aqui nascem e crescem

Itinerante, em que uma van vai levar os principais

reaplicam seus ganhos na economia local, isso cria

serviços da entidade aos bairros de Campo Grande. Os

um ciclo virtuoso constante. As empresas externas

lojistas do centro também continuam recebendo nossa

são importantes para o desenvolvimento da cidade,

atenção. Estamos na luta conjunta pela implantação do

porém mandam os ganhos para suas matrizes e nas

videomonitoramento, na resolução de pendências sobre

crises vão embora, deixando um legado negativo

o Reviva Centro, realizando capacitações exclusivas

em nossa economia. Por isso nosso trabalho é para

em parceria com o Sebrae e também dando apoio aos

que as empresas que aqui se instalem, prosperem,

conselhos da região. Outro projeto que vai ajudar os

gerando riqueza e renda para nossa população.

empresários de toda a Capital, diminuindo os seus custos

Já defendeu alguma empresa local para evitar a entrada de uma concorrente externa? Já defendemos o setor da indústria de vidro, pois temos poucas nesse setor e as que existiam estavam com dificuldades com a alta carga tributária interna, que não permitia seu crescimento. Embasado com um estudo do

financeiros, é a implantação da cooperativa de crédito nas dependências da ACICG. As negociações estão avançadas. Também estamos na luta pela inclusão de outras atividades para redução da carga tributária nas MPEs, entre outros projetos e ações que vão tornar 2014 um grande ano de produtividade para a entidade.

setor, fizemos um voto contrário à instalação da indústria de fora, que foi aprovado por unanimidade pelos conselheiros. Falando sobre a relação com o poder público, como está o diálogo em âmbito estadual? Avançamos, mas temos muito a conquistar. O que é acordado sempre é cumprido, nossas lutas são para acabar com o ICMS Garantido, Substituição Tributária e aumentar o teto do SIMPLES, estes itens são fatores que prejudicam o desenvolvimento das micro e pequenas empresas de nosso estado. E municipal, com o novo prefeito Olarte? Ao que tudo indica, haverá diálogo com a classe política, algo que faltou desde o começo. A entidade sempre atuou para que todas as demandas sejam atendidas, somos parceiros e estamos prontos para ajudar, mas precisamos de ação imediatamente.

22 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33

“nosso trabalho é para que as empresas que aqui se instalem, prosperem, gerando riqueza e renda para a população.”


Abril de 2014 23


nossas vantagens

Serviço garante facilidade na declaração de IRPF

A

Uma das novidades na Declaração do Imposto de Renda

foto shutterstock

Contribuintes contratantes do certificado digital disponibilizado pela ACICG terão pré-preenchimento automático da declaração

inúmeras as vantagens. Entre elas está a possibilidade de

Pessoa Física em 2014 é o pré-preenchimento automático para

assinar digitalmente documentos eletrônicos. É rápido,

quem possui o certificado digital e-CPF, uma versão digital do

prático e dispensa o uso do papel, a necessidade de

documento disponível aos interessados em fazer transações

deslocamentos para o envio do documento e custos

no ambiente virtual com segurança. Com o serviço, o

com autenticações. Você resolve todo o processo com

contribuinte que detenha uma procuração eletrônica

apenas alguns cliques no meio eletrônico", explicou

registrada na Receita consegue acelerar o preenchimento

Julio Cosentino, vice-presidente da Certisign.

e, ainda, fazer o acompanhamento do processamento

O pré-preenchimento contempla todo tipo de

da declaração. Segundo a Receita Federal um milhão de

declaração. Não será possível obter o preenchimento

pessoas possuíam certificação digital no ano passado.

facilitado se o contribuinte não tenha declarado no ano

Na capital, os contribuintes encontram o serviço

anterior; esteja em malha fina ou sofrido alteração pela

no site da Associação Comercial e Industrial de Campo

malha; caso alguma fonte pagadora do usuário esteja

Grande (www.acicg.com.br), que possui a representação

em lista suspeita, entre outras especificidades.

da Certisign, Autoridade Certificadora líder do segmento. Associados da entidade ainda contam com

Conforme publicado no Diário Oficial da União, as declarações do IRPF 2014 devem ser entregues até 30 de abril.

valores reduzidos em comparação ao mercado. Além da entrega do IRPF, o documento eletrônico também pode ser considerado um investimento, já que tem diversas aplicações. "O Certificado Digital é um facilitador na rotina de pessoas físicas e jurídicas. São

24 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33

Serviços: No site www.acicg.com.br você encontra um link para aquisição de seu certificado digital. Mais informações pelo telefone 67 3312-5016.


eventos

ACICG inova ao apresentar evento exclusivo para gestores de RH Palestrante Victor Mirshawka Junior, de São Paulo, apresentou sugestões, para inovar no ambiente corporativo Dia 22 de fevereiro a Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG)realizou o III Work Café “Inovação para resultados em RH”, no espaço Yotedy Lounge. Voltado a gestores de RH, o objetivo foi demonstrar a importância da inovação e correlacionar seus conceitos com as práticas deste segmento. O evento teve apoio do Yotedy. O palestrante Victor Mirshawka Junior, de São Paulo, apresentou sugestões, táticas e estratégias para que os profissionais participantes possam inovar no ambiente corporativo. “Ampliamos a ideia de gestão de pessoas e gestão de talentos no mundo atual, falando de como os processos de inovação impactam no segmento e como podemos melhorar essa área na empresa”, disse o convidado sobre o balanço do evento. Com a casa cheia, os participantes também conheceram cases de gestão de pessoas das empresas locais Copagaz e Tv Morena. Na visão de Sara Casado, RH do Grupo Pereira, criar um evento específico para o setor vai de encontro da proposta da ACICG de capacitar empresas tornando o mercado local mais qualificado. “Para nós é muito importante trocar experiências com outras empresas e saber o que está sendo desenvolvidos em outros estados. Com certeza queremos que a entidade continue apostando nesses eventos”, afirmou.

foto: priscila mota

Sobre o palestrante - Victor é professor na FAAP, sócio-diretor da Pense Melhor Treinamento e consultor com vasta experiência no treinamento de executivos em todo o Brasil, no que concerne ao desenvolvimento do potencial humano e à gestão da inovação, bem como palestrante em diversos eventos nacionais e internacionais. Além disso, é autor de diversos livros.

28 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33


Abril de 2014 29


eventos

Palestra apresenta tendências do varejo Associação Comercial trouxe à Capital o consultor especialista de marketing, varejo e inovação Gustavo Carrer Azevedos. palestra na sede da entidade e se atualizaram sobre as novidades da conferência anual da NRF. O evento contou com o apoio do Sebrae/MS e Escola de Vendedores. Azevedo possui experiência de mais de 20 anos em cargos de gestão e na coordenação consultoria em empresas como Brahma, Senac, Ceterp e Sebrae. É consultor especialista de marketing, varejo e inovação do Sebrae-SP e Coordenador do Programa Comércio Varejista de São Paulo do Sebrae, composto de consultorias e ações de orientação empresarial em diversas plataformas: Retail Lab da ESPM, Loja Modelo da Feira do Empreendedor e da BrasilShop ABF Franchising Expo, Loja Modelo Itinerante (carreta) e do portal Inova Loja.

foto ASSESSORIA DE IMPRENSA

Há mais de um século, os Estados Unidos sedia a maior feira de varejo do mundo promovida pela NRF – National Retail Federation, a federação de associações comerciais americanas. Nos últimos anos, brasileiros têm invadido o evento um busca de informações sobre a evolução do setor e possíveis reproduções no país. Para divulgar aos empresários campo-grandenses as tendências e desafios apresentados, a Associação Comercial e Industrial de Campo Grande trouxe à Capital, no dia 11 de março, o consultor especialista de marketing, varejo e inovação do Sebrae-SP, Gustavo Carrer Azevedo. Cerca de 100 pessoas participaram da

30 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33


Abril de 2014 31


eventos

No mês das mulheres, Associação Comercial promove evento exclusivo à classe

foto: priscila mota e Miguel PalÁcios

Em alusão ao Dia Internacional da Mulher, a Associação Comercial e Industrial promoveu uma palestra coquetel no dia 13 de março, no Buffet Yotedy, com o tema 'A Arte de Viver Melhor'. A conferencista Márcia Luz mostrou às participantes como melhorar sua qualidade de vida aprendendo a realizar escolhas inteligentes e adotando princípios básicos de Life Coaching. A iniciativa reuniu 230 mulheres e contou com o a parceria da Imobiliária Casa X, Escola Mace, Sicoob, Supergasbras, Morena Mulher, Flytour, Buffet Yotedy e apoio da BPW, Grand Park Hotel e Faems. A superintendente da ACICG, Fernanda Barbeta, ressalta que a iniciativa teve por objetivo promover um encontro diferenciado entre as mulheres empreendedoras da Capital. É uma ação em que procuramos proporcionar um momento de conhecimento aliado a descontração, pois a vida da mulher muitas vezes, não lhe permite ter um tempo disponível somente para si, diz. Para a diretora da Suprimac, Leila Kemp, o evento traz uma oportunidade para ouvir ensinamentos que valem para a vida toda. "Nossa rotina já é tão corrida e difícil, que momentos como esse são imperdíveis, saímos mais leves e mais certas do que precisamos fazer para sermos mais felizes", garante. Já a empresária Nadir Rech que participa ano a ano do evento, ressalta a importância para as mulheres de negócio. "A cada ano é uma emoção diferente e a Associação sempre inovando. É uma forma de entendermos o quão importante é nosso papel na sociedade e de que devemos nos valorizar", salienta. Além de transmitir conhecimento, o evento reuniu mulheres em clima de descontração. Com coquetel, muita música e dança, as participantes se divertiram e comemoraram o Dia Internacional da Mulher em grande estilo.

32 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33


Abril de 2014 33


atuação Associação Comercial recebe prefeito para tratar do Reviva Centro

A

O andamento de ações sobre o Reviva Centro e a implantação de videomonitoramento voltaram à discussão entre empresários e o poder público. Uma reunião entre diretores da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), lojistas e lideranças do Conselho Comunitário de Segurança da Região Central e do Conselho do Comércio Central com o prefeito Gilmar Olarte, realizada no dia 27 de março, na sede da entidade empresarial, resultou na apresentação de reivindicações do setor para alteração do projeto. A pauta começou a ser desenvolvida em fevereiro de 2013 e foi aperfeiçoada pelo Conselho do Comércio Central da ACICG com base nos problemas enfrentados pelos

34 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33

FOTO ASSESSORIA DE IMPRENSA

Encontro resultou na entrega de reivindicações feitas por empresários da região central

empresários no centro. “Acreditamos que essas reinvidicações vão melhorar o projeto Reviva Centro. Entregá-las ao novo prefeito é uma forma de dar um norte, de comprovar que é um problema comum entre os lojistas do centro”, disse o presidente do Conselho, André Eduardo Moretto. Um dos pontos apresentados foi a retirada das vagas de estacionamento. Como sugestão, a ACICG propôs a utilização do estacionamento da Feira Central para que empresários e trabalhadores do comércio desafoguem a área do centro, assim a prefeitura criaria um transporte coletivo para levar ao centro quem fizesse uso da nova área. O sistema contemplaria também consumidores da região.

Outros temas apresentados no documento entregue ao prefeito foram: rebaixamento da fiação elétrica da região central; viabilidade do calçadão; circulação dos ônibus; agilidade na emissão de documentos por parte da Semadur; exploração das fachadas nos estabelecimentos; redução do número de postes; reconfiguração dos sinais de trânsito nas ruas 14 de Julho e 13 de Maio; medidas paliativas para resolver o problema de alagamento em alguns pontos; definição do uso do prédio da antiga rodoviária; colocação de lixeiras na área central e mais a segurança. Um comitê misto de trabalho, envolvendo as secretarias municipais e segmento do comércio, além da Câmara Municipal será


definido e deverá se reunir nos próximos dias para fechar as prioridades do projeto executivo em conjunto com a prefeitura. Em meio há 30 empresários, Olarte assegurou que todas as decisões serão tomadas juntamente com lojistas do centro, o que vai auxiliar no atendimento aos anseios de todos os envolvidos. “Ficou claro que o atual prefeito não só deu abertura, mas deu importância ao assunto, se comprometendo que vai ouvir a classe para tomar decisões sobre o projeto Reviva Centro. Existia um desconforto dos empresários que perderam suas fachadas, tiveram gastos e mais uma vez o poder público não havia executado sua parte. Essa reunião sinalizou uma expectativa ao lojista de ver seu comércio mais atrativo e

"Essa reunião sinalizou uma expectativa ao lojista de ver seu comércio mais atrativo e produtivo." avaliou Omar Aukar

contratação do projeto executivo que, em comum acordo com o comércio e demais segmentos envolvidos na questão, dará a direção para o início das obras. Na última semana, representantes do BID estiveram reunidos com o prefeito e deixaram evidente que a Capital sul-mato-grossense possui todos os requisitos para a obtenção do recurso, já que executou com responsabilidade e excelência o contrato do programa Viva Campo Grande, que viabilizou junto à instituição financeira recursos na ordem de U$ 19 milhões, para obras que envolveram os projetos Via Morena, Orla Morena, Orla Ferroviária e Júlio de Castilho, em fase de conclusão. Mais segurança Durante a reunião, o presidente do Conselho Comunitário de Segurança da Região Central, Adelaido Luiz Spinosa Vila, pediu que sejam incorporados pontos de segurança, como guarnições

para policiais e corpo de bombeiro, servindo como referencial para a população. Além disso, repercutiu a luta do conselho sobre a instalação de câmeras de monitoramento. “Estamos há três anos buscando o videomonitoramento, e desde o dia 11 de janeiro de 2013 o recurso para a compra dos equipamentos está parado. Não gostaríamos que fossemos excluídos dessa discussão”, disse. O prefeito informou que na última semana se reuniu com gestores de segurança, onde fizeram um planejamento de ações para andamento da instalação. Além disso, anunciou que teve a garantia do governo federal, durante audiência no dia 26, em Brasília, de que o projeto do videomonitoramento está assegurado. “A sociedade correu um sério risco de perder esse benefício, já que o processo ficou parado um ano e três meses, quase perdendo o prazo de garantir o recurso já aprovado. O projeto será colocado em andamento o mais breve possível”, garantiu Olarte.

produtivo”, avaliou Omar Aukar. Recursos para obras A primeira etapa de obras do Reviva Centro é a revitalização da Rua 14 de Julho - entre a Rua 26 de Agosto e a Avenida Mato Grosso – prevista para o in��cio de 2015, caso o financiamento de US$ 56 milhões do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) seja aprovado. De acordo com a coordenadora da Unidade de Programas e Projetos Especiais, Catiana Sabadin, a prefeitura já deu andamento ao processo burocrático e está finalizando a

Abril de 2014 35


atuação Associação Comercial comemora 88 anos em defesa aos empresários

A

A Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG) comemorou no dia 14 de março 88 anos de existência e atuação na comunidade, trabalhando para fomentar o comércio, indústria e serviço da Capital e representar os empresários como entidade de classe. Em 2013, a instituição ultrapassou o número de 4 mil associados, um marco na história do associativismo sul-mato-grossense. “O empresário, principalmente o micro e pequeno, é o pilar de nossa entidade. Ele está enxergando a necessidade de sua participação para unir a classe para juntos resolvermos de forma mais democrática os problemas que o rodeiam. Defendendo as causas de interesse comum, o empresário melhora a qualidade de vida pessoal

36 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33

FOTO ASSESSORIA DE IMPRENSA

Confira um balanço dos principais trabalhos realizados no último ano

e a saúde do seu negócio”, afirma o presidente da ACICG, Omar Aukar. O último ano foi marcado por várias iniciativas, entre elas a de fortalecer o comércio em toda a Cidade. Campanhas promocionais cooperadas para Dias das Mães, Namorados e Natal encabeçadas pela entidade também colaboram para alavancar o varejo de Campo Grande. A união da classe em conselhos foi outro avanço no setor empresarial conquistado pela Associação. Com suporte da entidade e de seus parceiros, empresários se organizam para gerenciar ações mercadológicas, impulsionando o fortalecimento do negócio, criando oportunidades de emprego e desenvolvendo suas regiões. O mesmo sentimento de associativismo visto na Capital abraçou

o interior do Estado. Com projeto em parceria com a Federação das Associações Comerciais e Empresariais (Faems), a entidade está estimulando a criação de conselhos de jovens empreendedores em outras cidades. A chegada de 2014 trouxe também novos planos. “Vamos implantar o projeto ACICG Itinerante, em que uma van vai levar os principais serviços da entidade para os bairros. Outra iniciativa que vai ajudar os empresários, diminuindo os seus custos financeiros, é a implantação da cooperativa de crédito nas dependências da ACICG. As negociações estão bem avançadas. Também estamos na luta, juntamente a outras entidades empresariais, para o aumento do teto do Simples Estadual e a inclusão de outras atividades


"Defendendo as causas de interesse comum, o empresário melhora a qualidade de vida pessoal e a saúde do seu negócio." diz Omar Aukar para redução da carga tributária nas MPEs”, revela o diretor da Associação Comercial, João Carlos Polidoro. Também no campo de benefícios aos associados, destaque para a qualificação. São cursos, palestras, treinamentos e eventos corporativos realizados semanalmente pela Escola de Varejo. No Centro de Convenções e Lazer – Colônia de Férias várias melhorias foram conquistadas com as reformas das hospedagens e da estrutura de diversão para agregar mais qualidade de vida ao empresário e seus colaboradores. Apostando na defesa dos direitos da classe, na oferta de novos serviços, de parcerias e qualificação, a Associação Comercial e Industrial de Campo Grande também vem

se consolidando como a “Casa do Empresário” em Campo Grande. Ações Em nome da classe, vários diretores da ACICG e Faems foram à Brasília articular politicamente a derrubada do veto ao fim do excedente da multa de 10% sobre o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), lutar pela conquista de aumento do teto do Simples, pela criação da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, e outras questões que representam avanço e desenvolvimento para o setor empresarial regional e nacional. Localmente, a entidade defendeu amplamente empresários prejudicados com as obras da avenida Júlio de Castilho, que acarretaram na interdição total da via levando vários empresários a fecharem as portas. Dialogando com o poder público, a entidade conseguiu alterar o cronograma de obras e atender solicitações dos comerciantes sobre o plano de tráfego da região. A força e representatividade da Associação Comercial também é vista em órgãos municipais importantes. A entidade atua na defesa do direito dos empresários com cadeira fixa no Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico de Campo Grande (Codecon) e na Junta de Recursos Fiscais (Jurfis).

Além do amparo aos direitos empresariais, a Associação Comercial é responsável também por evoluções também no campo da conciliação. Por meio da Câmara de Mediação e Arbitragem (CBMAE) mantida pela Associação Comercial busca-se incentivar a utilização de métodos extrajudiciais de soluções de conflitos, de maneira rápida, segura e econômica. Realizando acordos de forma amigável, as empresas e cidadãos evitam demorados e custosos processos na justiça comum, seguindo uma tendência incentivada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Uma das ações de maior importância para a economia de Campo Grande também é desenvolvida pela ACICG. A Campanha de Recuperação de Crédito Nome Limpo, que este ano entra na 9ª edição, devolve anualmente ao mercado milhões de reais que estavam perdidos em dívidas. Ainda Apoiando o Conselho Comunitário de Segurança da Região Central, a ACICG também está ativa em ações que garantem mais proteção aos estabelecimentos, como a luta pela implantação do vídeomonitoramento e a capacitação de comerciários para lidar contra incêndios, além de outros projetos para beneficiar a classe empresarial e toda a comunidade.

Associação Comercial lança programa de TV

C

“ACICG em Ação” é exibido semanalmente no SBT/MS

Com o intuito de divulgar os serviços e ações promovidas pela Associação Comercial e Industrial de Campo Grande, a entidade lançou em fevereiro seu programa de TV “ACICG em Ação”. A exibição acontece todas as segundas-feiras e quartasfeiras às 13h15, no canal SBT/MS. “O programa vem para melhorar a comunicação da entidade com os empresários, abrindo um novo

canal para discussão de causas importantes do setor de comércio e serviços em um veículo de massa”, afirmou o presidente da ACICG, Omar Aukar, que apresenta algumas edições do programa. Na visão do diretor João Carlos Polidoro, o “ACICG em Ação” é considerado um marco na história da entidade, pois as ações institucionais tornam-se públicas para toda

sociedade sul-mato-grossense. “Vários trabalhos desenvolvidos pela Associação Comercial beneficiam não só o empresário, mas também o colaborador da empresa e a comunidade”. Além do canal SBT/MS, os programas estão disponíveis no canal de Youtube da entidade para assistir a qualquer momento. Mais informações 3312-5000.

Abril de 2014 37


atuação Empresários da Capital visitam a maior feira de varejo do mundo

A

Arquivo PESSOAL

Missão técnica foi realizada pela Faems e ACICG

Na foto: Mário e Katia Shiraishi, Paulino e Nadir Matsubara, João Carlos Polidoro, Nair e Roberto Rech.

A Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG) e a Federação das Associações Empresariais de Mato Grosso do Sul (Faems) reuniram dezenas de empresários de Campo Grande para uma visita a Retail's Big Show 2014, a maior feira do varejo, que acontece há 103 anos na cidade de Nova York, nos EUA, entre os dias 12 e 15 de janeiro. A missão empresarial faz parte do calendário de ações das entidades do setor, e tem a finalidade de abrir novas oportunidades de negócios, além da troca de experiências e a vivência durante o evento. De acordo com o diretor da ACICG, João Carlos Polidoro, a iniciativa é fundamental para que os empreendedores possam estar em contato com esse universo do varejo, além de poderem aplicar em seus empreendimentos as tendências vistas

38 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33

durante a Feira. "Conhecemos novos produtos, serviços e valores voltados ao varejo e seu público", frisa. As novidades e tendências apresentadas durante o evento são muitas, mas Polidoro destaca duas: "A primeira que nos chamou muita a atenção são os novos formatos de shopping centers, onde esses espaços estão sendo pensados e preparadas para, não só ser um local de compras, um ambiente para convivência e interação das pessoas, as compras são vistas como uma consequência da presença do cliente neste ambiente acolhedor", explica. A outra tendência são as lojas que nasceram somente no ambiente virtual, estarem com projetos de abrir lojas físicas, em ruas ou espaços aconchegantes para atender um público que está carente de contato , em rota contrária dos showroomings,

que são os clientes que pesquisam os produtos em lojas físicas e depois efetuam a compra em lojas virtuais. Feira Internacional de Varejo A Feira NRF é o maior e mais importante evento de varejo do mundo, organizado pela NRF (National Retail Federation) e ocorre anualmente no mês de janeiro na cidade de Nova Iorque, EUA, reunindo os principais executivos atuantes no mercado de varejo online e offline. O evento principal é o congresso mundial de varejo com duração de quatro dias (domingo a quarta-feira) com intensos debates e apresentações dos principais atuantes do segmento. Em paralelo, com duração de dois dias (segunda a terça-feira) ocorre a NRF Expo, uma exposição com fabricantes e demais provedores de soluções para o varejo (Automação Comercial).


atuação - conselhos Entidades se unem e realizam evento em prol de ações sociais Homenagens do Conselho Comunitário de Segurança da Região Central marcam almoço beneficente Comunitário de Segurança da Região Central também homenageou parceiros que colaboram para a atuação, crescimento e fortalecimento da entidade. Foram eles: o radialista Joel Silva, delegado Miguel Said, delegado Wellington Oliveira, os empresários e rotarianos Anita Burille e Gelásio Lani, o coronel Carlos Santana Carneiro, também ex-coordenador estadual da polícia comunitária e atual Chefe do Estado Maior da PM/MS. O evento ainda contou com o apoio da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), Conselho do Comércio Central da ACICG e as lojas Via 14, Regina, Primordial Embalagens, Wash Lave,ótica Itamarati e Molssen Zeta Consultoria. Sorteio de brindes Para unir forças e tornar

o churrasco beneficente ainda mais dinâmico, o Conselho do Comércio Central foi parceiro das entidades realizadoras e ofertou cinco vales- compras de R$ 100,00 para serem sorteados ao longo do almoço. Os ganhadores puderam utilizá-los entre as mais de 30 lojas participantes da organização. “Além de somar a essa nobre iniciativa social, a ideia do sorteio vai ao encontro da missão do nosso conselho, que é de criar ações mercadológicas para divulgar as lojas da região. Conseguimos fazer isso com as quase 500 pessoas presentes, informando nosso potencial e relembrando que ainda carregamos o status de tradição em compras, seja para o campograndense ou visitantes de nossa cidade”, explicou o presidente do Conselho, André Eduardo Moretto.

foto Augusto CUSSEN

H

Há alguns anos, o Conselho Comunitário de Segurança da Região Central busca, juntamente com outras entidades, desenvolver ações sociais que beneficiem a sociedade da Capital. Uma delas é a entrega de brinquedos no período do Natal, uma iniciativa que favorece crianças de baixa renda, mas também abre a data festiva para o comércio da Capital. Dia 16 de março foi marcado por um evento beneficente para arrecadar recursos em prol destas iniciativas. Promovido pelo Conselho Comunitário de Segurança da Região Central, Moto Clube Jacaré, Rotary e Motoclube Feras do Pantanal, o churrasco realizado na Paróquia São Judas Tadeu foi um sucesso. Cerca de 450 pessoas prestigiaram o almoço como forma de colaborar com a missão. No encontro, o Conselho

Abril de 2014 39


atuação - conselho de jovens empresários Jovens empresários da Capital auxiliam na criação de Conselho Empresarial em Corumbá

E

Em 2014, Corumbá poderá contar com o Conselho de Jovens Empresários, organização com missão de fortalecer a nova geração de empreendedores por meio da capacitação, relacionamento comercial e representatividade. Os trabalhos iniciais foram pauta do encontro do Secretário de Indústria e Comércio de Corumbá, Pedro Paulo Marinho de Barros, com os diretores do Conselho de Jovens Empresários (ACICG) da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), Alex Machado, Rodrigo Bogamil e Marcos Silva, na sede da entidade empresarial em janeiro. “Fomos procurados pelo secretário para explicar sobre o funcionamento e os trabalhos que são desenvolvidos por nosso Conselho, em Campo Grande. Estamos à disposição para dar o suporte de necessário para a criação. Entendemos que o engajamento e a união dos jovens empresários vão possibilitar as reformas necessárias para viabilizar melhorias para o setor”, disse o presidente do CJE, Alex Machado. O encontro com o

40 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33

foto ASSESSORIA DE IMPRENSA

Encontro aconteceu com Secretário de Indústria e Comércio de Corumbá, Pedro Paulo Marinho de Barros.

gestor municipal também demonstra a credibilidade do Conselho frente ao poder público de Mato Grosso do Sul. O Secretário de Indústria e Comércio de Corumbá, Pedro Paulo Marinho de Barros, avaliou a reunião como positiva e esclarecedora, e revelou que sua intenção é ampliar a atuação do CJE promovendo maior interação com o poder público. “Já vislumbrei um possível grupo de empresários para a formação inicial do conselho. Minha ideia é que ele possa trabalha a favor do desenvolvimento da cidade, mostrando problemas e encontrando possíveis soluções para os gargalos da Cidade”, afirmou. A diretoria do CJE da ACICG também se colocou à disposição para orientar a formação do Conselho realizando uma reunião com os interessados em Corumbá, além de abrir as portas do grupo para que participem também das reuniões semanais que acontecem em Campo Grande, na sede da ACICG.

CJE em outras cidades O suporte ao gestor corumbaense também vai ao encontro do projeto ‘Faems Jovem’, uma iniciativa desenvolvida pelo CJE da Capital e a Federação das Associações Empresariais de Mato Grosso do Sul (Faems), que busca a multiplicação de conselhos em associações comerciais e empresariais no interior do Estado. A ideia é beneficiar os profissionais que estão começando seus negócios, ou herdando empresas já constituídas, ajudando a construir uma visão empresarial mais completa, levando conhecimento necessário para uma melhor atuação no mercado e, principalmente, fomentar o associativismo. O projeto já favoreceu as cidades de Aquidauana, Ribas do Rio Pardo e São Gabriel do Oeste, onde grupos de jovens empresários já se reúnem em CJEs dentro das associações empresariais de suas cidades. Serviço - Mais informações sobre o projeto podem ser adquiridas pelo telefone 3312-5000.


atuação - conselho de segurança Rolezinho Contra a Dengue atrai centenas de pessoas

O

O 1° Rolezinho Contra a Dengue realizado no dia 22 de fevereiro atraiu a atenção não só dos comerciantes de Campo Grande, mas de toda a população que conferiu de perto a mobilização de centenas de pessoas na região central da Capital. A ação foi promovida pela Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), Conselho Comunitário de Segurança da Área Central, Conselho do Comércio Central, Rotary, Secretaria de Saúde do Município (Sesau) e Jacaré Moto Clube. A primeira etapa da operação começou às 4 horas com o serviço de fumacê. Mais tarde, representantes das entidades, empresários e mais 600 agentes de saúde saíram da sede da ACICG em direção ao centro para orientar lojistas sobre como evitar criadouros do Aedes Aegypti – transmissor da dengue. Também foram feitas panfletagem e distribuição de sacos de lixo aos estabelecimentos comerciais. O triciclo Brucutu – que tradicionalmente dá suporte às ações do Conselho de Segurança – desfilou no centro com

foto CONSELHO DE SEGuRANÇA

Empresários, gestores públicos e agentes de saúde se reúnem para reverter focos da dengue no comércio

mascotes gigantes do mosquito em cenas lúdicas de teatro. As atividades foram encerradas na rua Barão do Rio Branco. O presidente do Conselho Comunitário de Segurança da Região Central, Adelaido Luiz Spinosa Vila, explica que a ideia nasceu em 2013 durante uma reunião com o Secretário de Saúde realizada na ACICG. “Campo Grande já passou por uma epidemia de dengue, sabemos que um intenso trabalho de conscientização já vem sendo feito, mas um novo alerta pelos empresários é importante. O comprometimento deve partir de todos os lados”, afirmou. Para o presidente da ACICG, Omar Aukar, a iniciativa é uma forma de reverter a situação diagnosticada em 2013, quando os estabelecimentos comerciais foram apontados como responsáveis por 12,2% dos focos da dengue em Campo Grande, segundo levantamento da Sesau. “Nosso papel é orientar a classe da

melhor forma possível, conscientizando todos da importância em cuidarmos bem no nosso ponto comercial em todos os sentidos”, ressalta. O secretário de saúde Ivandro Corrêa Fonseca agradeceu a todo o comércio pelo empenho em colaborar para que as estatísticas sejam mais positivas em 2014. “Nosso Rolezinho é um ato moral, do bem, de combate a um mal que deixou em alerta toda a população”, disse.

Abril de 2014 41


42 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33


Abril de 2014 43


mural Formalização de empresas

Avanço da economia

Em março se tornou obrigatória a apresentação da FCN eletrônica, do RE eletrônico, do Documento Básico de Entrada do CNPJ DBE, bem como o check list dos documentos referentes ao respectivo processo protocolado na Junta Comercial de Mato Grosso do Sul - Jucems. A FCN e o RE eletrônico estão disponíveis na versão web no endereço http://portalservicos. jucems.ms.gov.br/Portal. Basta efetuar o cadastramento para fazer uso das novas ferramentas web. Mais informações na Jucems - Rua Dr. Arthur Jorge, 1376. Atendimento ao público das 07h30 às 13h15.

Considerado como um sinalizador de desempenho do PIB, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) registou em fevereiro alta de 0,24% frente a janeiro na série livre de influências sazonais. Este resultado foi beneficiado pela evolução positiva da indústria (+ 0,38%) e das vendas no varejo (+ 0,17%) no referido mês. Na série sem ajuste sazonal, o índice registrou alta de 4,04% frente a fevereiro de 2013, acumulando alta de 2,46% no primeiro bimestre do ano. Já o crescimento acumulado em 12 meses encerrados em fevereiro alcançou 2,57%.

Procura por crédito

Comércio internacional

A demanda do consumidor por crédito, em todo o país, aumentou 1,2% na comparação mensal (janeiro de 2014 contra dezembro de 2013), descontados os efeitos sazonais, de acordo com análise da Boa Vista Serviços, administradora do SCPC. Apesar do resultado positivo na aferição mensal, houve queda de 0,8% na comparação com o mesmo mês do ano anterior, intensificando a tendência de queda na variação acumulada em 12 meses (fev/13 até jan/14, contra fev/12 até jan/13), registrando -0,5%, contra -0,3% observado no mês anterior, mantida base de comparação.

44 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33

O Brasil sofreu em 2013 um novo recuo da sua participação no comércio mundial de mercadorias, de acordo com a Agência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (Unctad), tendo sua participação reduzida de 1,6% para meros 1,4% do total das exportações mundiais, que atingiram no ano passado o patamar de US$ 16,7 trilhões. Segundo outro levantamento, da Organização Mundial do Comércio (OMC), em 2013 o comércio mundial teve alta de 2%, enquanto as exportações brasileiras registraram queda de 1% em relação ao ano anterior.

Emprego O setor industrial de Mato Grosso do Sul, composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, construção civil e serviços de utilidade pública, foi responsável pela segunda maior geração de postos de trabalho no Estado, conforme levantamento da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul). Em apenas dois meses, janeiro e fevereiro, foram criadas 1.922 vagas de emprego. Na mesma avaliação, o setor de serviços gerais foi o primeiro maior gerador de postos de trabalho. De janeiro a fevereiro o setor criou 2.596 novas vagas de emprego no Estado.

Energia mais cara Além do reajuste anual que já é aplicado anualmente, a conta de luz será ainda mais cara em 2015. A medida faz parte do “plano de socorro” do governo federal às distribuidoras de energia, anunciado em março pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, e pelo secretário executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann. O aumento será aplicado nas tarifas para bancar as despesas com o uso das usinas térmicas. O restante será bancado pelo Tesouro Nacional.


Abril de 2014 45


agenda Maio dia 21 às 19h com Marcelo Ortega/SP Dia 21 de maio, às 19h, a Associação Comercial e Industrial de Campo Grande realiza um grande evento no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo. Indicada para empresários e profissionais dos setores do comércio, a palestra ‘Atreva-se a Mudar e Venda Mais’, traz o conferencista internacional Marcelo Ortega falando sobre como ter sucesso em vendas com atitudes simples, comprometimento com o resultado, autoliderança, motivação, superação, visão de oportunidades e táticas para o sucesso do maior vendedor do mundo. Marcelo Ortega está entre os 5 palestrantes mais bem avaliados pelo público. Foi assistido por mais de 600.000 pessoas nos últimos 12 anos e treinou milhares de pessoas em empresas como Petrobrás, Citroen, Vivo, Pfizer, Amil, Porto Seguro, Itaú, Volkswagen, Drogasil, Daimler Chrysler, Porto Seguro, Atento, Venbrás, Honda, Nossa Caixa, Unidas, Wyeth Brookfield, VodaFone , Grupo Sonae, muito mais. • Especializado em Marketing e Gestão em Vendas, possui certificações internacionais como Solution Selling, Proactive Selling, Dale Carnegie Trainer e PNL em Vendas. Para participar de seu evento em Campo Grande, a ACICG oferece descontos para pacotes com mais de três convites. Informações: 3312-5026 / 3312-5003, ou pelo email comercial3@acicg.com.br.

ABRIL Dias 28 e 29

HORA DO CONHECIMENTO ‘EXCELENCIA E ALTA PERFORMANCE NO ATENDIMENTO A CLIENTES.‘ Evento gratuito às 7h30. Com Moacir Pereira Jr.

MAIO Dia 4

FESTA DA LINGUIÇA às 11h30 na Colônia de Férias Convites: R$ 25 associados e R$ 30 não conveniados. Aquisições na sede da ACICG – Rua 15 de Novembro, 390, Centro.

Dias 5 e 6

HORA DO CONHECIMENTO ‘COMUNICAÇÃO EFICAZ‘ Evento gratuito às 7h30. Com Gledre Paula.

Dias 5 a 8

CURSO DE ORATÓRIA ‘A ARTE DE EXPRESSAR-SE BEM

46 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33

PARA QUALQUER PÚBLICO.‘ Das 19 às 22h. Com Guto Dobes. Investimento: associados pagam R$ 120,00 e não conveniados R$ 150,00.

Dia 12

SCPC - TREINAMENTO PARA CREDIARISTAS Evento gratuito às 8h30. Com Bacel Omari.

Dias 12 e 13

às 19h

Dias 12 e 13

HORA DO CONHECIMENTO ‘EDUCAÇÃO FINANCEIRA PARA SEU SUCESSO PESSOAL E PROFISSIONAL‘ Evento gratuito - às 7h30 Com João B. Nunes Rondon

Dia 20

HORA DO CONHECIMENTO ‘RELAÇÕES INTERPESSOAIS NO TRABALHO‘ Evento gratuito - às 7h30 Com Luciana Rondon.

PALESTRA GRATUITA ‘NEGOCIAÇÃO E VENDAS UTILIZANDO PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUISTÍCA‘ Às 19h. com Alexandre Henrique Souza – São Paulo

Dia 14

Dia 21

CAFÉ EMPRESARIAL ‘RELAÇÕES INTERPESSOAIS NO TRABALHO‘ às 7h30. Edgar da Silva.

Dia 15

ACICG E SEBRAE NOS BAIRROS Encontro do projeto nas Moreninhas. às 19h

Dia 16

ACICG E SEBRAE NOS BAIRROS Encontro do projeto no Coophavila.

PALESTRA ‘ATREVA-SE A MUDAR E VENDA MAIS‘ ÀS 19h, no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo. com Marcelo Ortega.

Dias 26 e 27

HORA DO CONHECIMENTO ‘MOTIVACÃO E SEGURANÇA NO TRABALHO.‘ Evento gratuito - às 7h30 Com Thiago Pereira.


JUNHO Dias 2 e 3

HORA DO CONHECIMENTO ‘OS TRÊS PILARES PARA UMA CARREIRA DE SUCESSO.‘ Evento gratuito às 7h30. Com Paulo Roberto Andreotti.

Dias 2 a 5

CURSO DE 12 HORAS ‘O PODER DAS RELAÇOES INTERPESSOAIS NO TRABALHO.‘ Às 19h. Com Luciana Rondon.

Dias 9 e 10

Dias 16 e 17

Dia 10

Dias 23 e 24

Dia 11

Dia 30

HORA DO CONHECIMENTO ‘O PODER DO ENTUSIASMO NO AMBIENTE DE TRABALHO.‘ Evento gratuito às 7h30. Com Suzete Mrozinsk.

SCPC ‘TREINAMENTO PARA CREDIARISTAS.‘ Evento gratuito às 8h30. Com Bacel Omari.

PALESTRA ‘QUALIDADE NO ATENDIMENTO COM EXCELÊNCIA.‘ Evento gratuito às 19h. Com Nelson G. Lopes.

HORA DO CONHECIMENTO ‘SUPERANDO OBSTÁCULOS.‘ Evento gratuito às 7h30. Com Everton Garcez.

HORA DO CONHECIMENTO ‘A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DO TEMPO .‘ Evento gratuito às 7h30. Com Giedre Paula.

HORA DO CONHECIMENTO ‘DIVERSIDADE COMO ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL.‘ Evento gratuito às 7h30. Com Moacir Pereira Jr.

Para mais informações acesse www.ACICG.com.br ou ligue 3312-5058 ou 3312-5003.

Abril de 2014 47


expediente

Diretoria da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande Gestão 2011/2014 Presidente – Omar Pedro Andrade Aukar 1º Vice-Presidente – Luiz Fernando Buainain 2º Vice-Presidente – Pedro Chaves dos Santos Filho 3º Vice-Presidente – Roberto Bigolin 1º Secretário – Roberto Tarashigue Oshiro Jr. 2º Secretário – Maicon Thomé Marins 3º Secretário – Roberto Rech 1º Tesoureiro – João Carlos Polidoro da Silva 2º Tesoureiro – Rodrigo Bogamil 3º Tesoureiro – Milton Silvino S. de Oliveira

Diretores Publicação da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG) www.acicg.com.br Rua XV de Novembro, 390 Centro – CEP 79002-140 Campo Grande / MS (67) 3312-5000

Editora

Cidiana Pellegrin acicg1@dinizacao.com.br

Conselho Editorial

Moacir Pereira Junior, Tais Lenzi de Luca, Fernanda Barbeta

Colaboradores

Clarissa De Faria, Victor Mirshawka Junior, Rosângela Barcellos

Projeto Gráfico e Diagramação Diniz Ação em Marketing

Gerente Comercial / Marketing Tais Lenzi de Luca

Superintendente

Fernanda Barbeta dos Rios Pinto

Sugestões

(67) 3312-5003 comercial@acicg.com.br

Anagildes Caetano de Oliveira Guildo Kieling Leni Fernandes Luís Fernando A. Gonçalves Luis Afonso Ribeiro Assumpção Maria Vilma Ribeiro Rotta Maurício Abrão Dias Campos Nilson Carvalho Vieira Renato Paniago da Silva Rodrigo Possari Simone Oshiro Thomas Malby Croffen Horton Wilson Berton

Conselho Deliberativo

Antoine Chidyac Antônio João Hugo Rodrigues Carlos Roberto Bellin Cláudia Pinedo Zottos Volpini Cristiano Gionco Feres Soubhia Filho Jaime Valler João Garcia José Pereira de Santana Luiz Carlos Feitosa Luiz Carlos Mossin Luiz Humberto Pereira Madalena Gomes Mário Neves Paulo Antunes de Siqueira Paulo Ribeiro Júnior Ricardo Kuninari Salvador Rosa Sandim Sidney Maria Volpe Valzumiro Ceolim

Conselho Fiscal

Relator do Conselho Fiscal – Paulo Roberto Hans 1º Secretária do Conselho Fiscal – Rosane Maia 2º Secretário do Conselho Fiscal – Fábio Angelo Bigolin Amadeu Cláudio Zillioto Augusto Raimundo Alessio Fernando Pontalti Amorim José Marques Rei Davi Batista Barbosa Ueze Elias Zahan

48 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33


Abril de 2014 49


50 Revista Ação Comercial | Ano 7 | nº 33


Ação Comercial Edição 33 Abril/2014