Issuu on Google+


Os personagens e as situações desta obra, são reais apenas no universo da ficção; não se referem a pessoas e fatos concretos, e sobre eles não emitem opinião. Título Original: Voo Livre Produção Editorial: Editora Deuses Diretor Editorial: Sales Rodrigues Projeto gráfico e Diagramação: Editores de Arte: Danilo Lemos e Adão Alves Revisão Técnica: Cleber Bonfim Impressão e Acabamento: Prol Gráfica Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

Tinoco, Achel Voo Livre, Achel Tinoco, 1961. São Paulo - SP: Editora Deuses, 2013 1. ISBN:

Poesia brasileira

I. Título

978-85-66754-07-0

CDD – 869.1

Livro revisado conforme o novo acordo ortográfico da língua portuguesa, ratificado em 2008. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução no todo ou em parte do texto sem a autorização expressa da Editora Deuses.

Direitos desta edição contratados por: EDITORA DEUSES LTDA Rua das Tâmaras, 153, Vila Paulista CEP: 04361-130 - São Paulo - SP Fone: (11) 3257-6114 Fax: (11) 5021-7464 www.editoradeuses.com.br


Um dos melhores estados de estar vivendo ĂŠ escrever poesia. Ferreira Gullar


Para Taty, que anda a rabiscar uns versinhos.


VOO LIVRE

“Andanças” A vida é uma fábula um conto de dez léguas sobre pedras de ardósia e tempero de alecrim.

Vou e faço versos pela estrada da Vila: um dia sou poeta; noutros, “Passarim”.

11


ACHEL TINOCO

A vida é bela A vida é bela como uma gamela que se faz de xaxim pra germinar ao pé de si uma semente de berinjela;

a vida é bela como uma panela que expele água benta pra borrifar o jasmineiro e perfumar tua janela;

a vida é bela como uma donzela que ontem estava na rua mostrando os seios nus a um marchand de tarantela;

a vida é bela como uma mulher que à noite contempla a Lua e dar-se a Santo Antônio 12


VOO LIVRE

sob a chama de uma vela;

a vida é bela como o teto da Sistina e os afrescos do céu que o condenado vê de dentro da cela;

a vida é bela como marias-chiquinhas nos cabelos da filha que sonha com um príncipe escalando sua janela.

13


ACHEL TINOCO

O bibliófilo José Mindlin, hein, quem foi: um livro ou um homem? Ou teria sido um homem vestido de livro? Um livro com capa de homem, sem prefácio, sem palavras, sem epílogo. Muito mais: uma biblioteca de raro exemplar; ele próprio passeando por entre os seus 40, 50 mil títulos; um olhar sobre o conhecimento; o guardião apaixonado de uma galáxia literária; um homem que não se precisa exemplificar; um livro que não se acaba de ler. Ele é um livro: José! Uma biblioteca: Mindlin.

14


VOO LIVRE

Atentado De repente a escuridão não vi mais nada noite eterna. Explodiram o mundo o trem a casa; gritos silêncio minha vida acabou. “Apaguem a vela recolham as flores e a bomba”. Não há luz no túnel mas terror poeira choro.

De repente alguém volta a sorrir e ninguém mais nos vencerá. Vejo brilho nos teus olhos manhã seguinte reconstruíram o mundo 15


ACHEL TINOCO

o metr么 a rua; gritos alegria vida. A vida continua.

16


Voo livre