Page 1

A ACERT É UMA ESTRUTURA FINANCIADA POR

ACERT Associação Cultural e Recreativa de Tondela Rua Dr. Ricardo Mota, 14; 3460-613 Tondela t: (+351) 232 814 400 / www.acert.pt


JANEIRO, FEVEREIRO E MARÇO 2019 PROGR AMAÇÃO CULTUR AL DO NOVO CICLO ACERT INFORMAÇÕES SOBRE AS ATIVIDADES DA ACERT

A ACERT É UMA ESTRUTURA FINANCIADA POR


Edição Acert Associação Cultural e Recreativa de Tondela R. Dr Ricardo Mota, 14; 3460-613 Tondela (+351) 232 814 400 www.acert.pt Dezembro de 2018


Mecenas ACERT

Apoios

Apoios media


É preciso estar atento e forte Não temos tempo de temer a morte

© MIGUEL VALLE DE FIGUEIREDO

Caetano Veloso (Divino Maravilhoso)


O sentimento de autossatisfação é, na ação cultural como na vida, um lamentável estado de vaidade e de obstinação. É assim que 2019 continuará a guardar para a ACERT imprevisíveis desafios na procura de caminhos que conduzam a uma mais substancial relação com os públicos e, consequentemente, na exploração de alternativas de criação e programação artística potenciadoras de novos conhecimentos e experiências. O percurso que o novo ano antevê — também celebração dos 45 anos do 25 de Abril — conduz-nos a reflexões profundas sobre o estado da humanidade: os conflitos beligerantes, o racismo, a xenofobia, a destruição do planeta, o populismo manipulador desconcertante, a desumanização crescente e a perda de momentos e espaços de convivialidade, debate e reflexão. É neste estado de coisas que alguns apelida-

rão como “foi sempre assim” que a cultura desempenha um papel social singular, na medida em que desenvolve a capacidade de nos interrogarmos sobre a vida e de nos congregar para uma forma de percepcionarmos coletivamente o nosso tempo. Um tempo que requer novos entendimentos sobre a função da arte, (des)elitizando-a, transportando-a para a rua, tornando-a acessível a mais vastos segmentos da população. É também para com esses públicos que a ACERT

A ACERT nunca teve a cultura como privilégio das “elites” culturais e muito menos sociais, deixando os “restantes” entregues aos hipermercados do gosto.

© MAURICIO ABREU

EDITORIAL


quer ter um compromisso de estabelecer a sua comunicação e proximidade com as formas culturais mais exigentes e, aparentemente, menos alcançáveis por fugirem aos cânones consumistas e popularuchos. Para a ACERT, pouco valeria uma intervenção artística que não se ativesse à diversificação da oferta cultural, a algum ecletismo devidamente pensado, capaz de proporcionar a interação de campos plurais de favorecimento do conhecimento, da

Um sonho que se edifica pela ousadia, mudança e inovação, sem perder a matriz associativa e artística fortemente implantada numa (gloca)localização sustentável. Cosmopolita. Inclusiva. Multicultural.


fruição e da convivialidade. No fundo, o estreitamento e destruição das “distâncias” que, muitas vezes, estratificam os espetadores em graus de entendimento ou de predisposição para a participação e fruição culturais. Esta forma de entendimento do processo de dinamização cultural é um património adquirido pela ACERT ao longo dos seus 43 anos. Um tesouro que contou com um amealhar de experiências de vida coletivas num território que, há algumas décadas, não dispunha de alternativas culturais e artísticas e onde a

Um ano onde serão realizadas mais de 100 apresentações nas várias disciplinas artísticas na programação do Novo Ciclo ACERT.


ACERT sempre investiu na partilha e não na hegemonização. Um percurso marcado pelas digressões por todo o país, tomando contacto com realidades que proporcionaram a elevação de conhecimento e de proximidade. Uma prática artística contemporânea assente na memória e numa estreita relação com as comunidades. É assim que a ACERT enfrentará mais um ano como mais uma alternativa de afirmação da sua capacidade de sonhar impossíveis, pelo marasmo que o naturalmente realizável oferece de bandeja.

© RUI COIMBRA

Um ano onde a formação continuará a revelar-se como uma alternativa de participação e conhecimento. Um ano onde o teatro e as músicas do mundo terão os seus Festivais como momentos especiais, também o Jazz com o seu espaço singular. Um ano que acolherá grupos e iniciativas em residência artística. Um ano que continuará a acolher deze-

nas de iniciativas comunitárias, fazendo do Novo Ciclo ACERT um centro de recursos e de serviço público de excelência. Um ano onde os estabelecimentos de ensino continuarão a ter a ACERT como sua casa. O Trigo Limpo teatro ACERT continuará a ter todo o país como palco, reforçando a sua natureza de irradiação teatral com os seus 7 espetáculos em repertório e com a estreia de 4 novas criações.

A Direção da ACERT e a equipa profissional prosseguirão a aventura, sempre com um desejo imenso de associar novos marinheiros a uma navegação coletiva participada.


A redução do apoio da DgArtes continuará a afetar alguma estabilidade desejada e merecida, obrigando a esforços redobrados para que a missão da ACERT se mantenha inalterada. O Município, as empresas, os associados, os grupos congéneres, os muitos e dedicados Acertinos representaram e continuarão a representar um forte elemento que, associado à resistência sonhadora, permitirão que 2019 seja mais desafiador para alcançar metas que fazem da ACERT e de Tondela um itinerário cultural nacional com identidade e inovação.

Vamos a isto que se faz tarde e o futuro começa a cada instante! Obrigado pela companhia afetuosa que faz de cada espetador um protagonista do sonho coletivo que a ACERT representa.

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

10


PROGRAMAÇÃO JANEIRO FEVEREIRO E MARÇO 2019

DATA TIPOLOGIA

DESCRIÇÃO

PÁGINA

12 JAN TEATRO BEMMARMEQUER - T. ART’IMAGEM 17 A 22 JAN TEATRO ESCOLAR PARA TI, SOPHIA - TLTA

P. 15 P. 17

19 JAN FORMAÇÃO 19 JAN EXPOSIÇÃO

DANÇA CRIATIVA PARA OS MAIS PEQ… ANTÓNIO FARIA “QUELOIDIANA”

P. 19 P. 21

19 JAN CONCERTO 19 JAN CAFÉ CONCERTO

SALVADOR SOBRAL MÔRUS

P. 23 P. 62

25 JAN CONCERTO 26 JAN SEMINÁRIO

FRANKIE CHAVEZ SEMINÁRIO DA EDUCAÇÃO 2019

P. 27 P. 66

2 FEV CAFÉ CONCERTO

BED LEGS

P. 63

4 FEV CICLO LUA NOVA

QUEM TEM MEDO DE VIRGÍNIA LOBO?

P. 29

8 FEV TEATRO ESCOLAR AUTO DA BARCA DO INFERNO - ACTUS 9 FEV TEATRO FAMÍLIAS A VELHA CASA… - T. MONTEMURO

P. 31 P. 33

15 FEV TEATRO J. INF. 16 FEV FORMAÇÃO

AFINAL… O GATO? - ANDANTE P. 35 OFICINA DANÇA CRIATIVA PAIS E FILHOS P. 37

16 FEV NU PALCO 16 FEV CAFÉ CONCERTO

CARLOS SANTIAGO CAYMAN KINGS

P. 39 P. 64

19 E 21 FEV FORMAÇÃO 23 FEV CONCERTO

A DANÇA E A FILOSOFIA MÁRCIA

P. 41 P. 43

9 MAR TEATRO 9 MAR FORMAÇÃO

CONVERSAS DE ESQUINA - FÉRTIL DANÇA CRIATIVA PARA OS MAIS PEQ…

P. 45 P. 19

16 MAR CAFÉ TEATRO 21 MAR CAFÉ TEATRO

CONTOPIAS - JORGE SERAFIM POESIA ORIGINAL - TLTA

P. 49 P. 50

2 A 24 MAR TEATRO 2 23 MAR CONVERSAS

O PRESENTE DE CÉSAR - TEATRO VIRIATO P. 53 PEPA P. 55

23 MAR CAFÉ CONCERTO PEDAÇO MAU 27 MAR FILME MUSICADO FIL’MUS 2 - ACERT ESTREIA

P. 65 P. 57

29 MAR FILME MUSICADO FIL’MUS 2 - ACERT PUB ESCOLAR 30 MAR FILME MUSICADO FIL’MUS 2 - ACERT

P. 57 P. 57


3 PERGUNTAS A

João Maria André Num dos seus vários livros, Jogo, Corpo e Teatro, uma das reflexões centrais é sobre o tempo, essa categoria que nos define, tanto como nos assusta. É a efemeridade da cena, da representação, que faz do teatro uma linguagem tão essencial para nos compreendermos?

Em Março celebra-se o Dia Mundial do Teatro, celebração criada em 1961 pelo Instituto Internacional do Teatro. Numa altura em que os écrans dominam a comunicação, que papel têm o palco e a cena, os atores e o público, na nossa existência?

O tempo é a marca da finitude humana. E o teatro é, fundamentalmente, um jogo com o tempo. O jogo do teatro cria um tempo próprio, que é o tempo da intensidade cénica e que se demarca profundamente do tempo do nosso quotidiano. Marcado por esse tempo, o jogo do teatro é profundamente efémero. Mas quanto maior é a consciência da sua efemeridade, tanto mais, paradoxalmente, ele é vivido com a intensidade de um acontecimento irrepetível. A efemeridade do jogo da existência humana representada no teatro é vivida através do jogo das nossas emoções e do corpo que também somos, dispositivos fundamentais para a compreensão humana.

Os ecrãs permitem apenas uma representação gráfica de imagens, e, quando muito, a expressão eletrónica de sons gravados ou transmitidos on line. Por isso, proporcionam-nos apenas imagens virtuais, visuais ou acústicas. Se se caracterizam pela rapidez, falta-lhes calor, peso, cheiro e sabor, ou seja, falta-lhes tudo aquilo que faz com que sejamos humanos e não apenas máquinas de ver, ouvir e pensar. Falta, em última análise, a presença e tudo o que ela modula e orquestra. É por isso que na copresença inerente a um espetáculo, o significado é o efeito de um processo em desenvolvimento e não algo previamente programado, ainda que com o mais sofisticado software.


Todos os governos falam, em algum momento, de descentralização cultural, como se não houvesse cultura fora das grandes cidades. O que é que tem falhado nesta ideia?

@RUU COIMBRA

O conceito de descentralização cultural parece arrastar consigo a ideia de um movimento de transferência do centro para a periferia. Sob esse ponto de vista, ele continua ainda prisioneiro de uma concepção centralista e colonizadora. Aquilo que se lhe opõe é o reconhecimento do carácter policêntrico das dinâmicas culturais: o todo tem infinitos centros culturais, devendo ser con-

cebido, parafraseando os místicos, como uma esfera infinita, cujo centro está em toda a parte e a circunferência em parte nenhuma. Mas esta visão, da qual se aproxima mais a noção de desconcentração cultural, só será possível a partir de uma humildade cultural que corresponde à capacidade de relativização de qualquer expressão cultural, à recusa de todas as hegemonias, sejam elas políticas, sociais, económicas, religiosas ou comunicativas.


O maravilhoso imaginårio das palavras de Mia Couto por uma companhia com um largo percurso e traços vincados no panorama do teatro português.


12 JANEIRO TEATRO

BEMMARMEQUER O CORAÇÃO É UMA PRAIA TEATRO ART’IMAGEM “Lançamos o barco, sonhamos a viagem: quem viaja é sempre o mar.” Uma adaptação dramatúrgica do texto de Mia Couto, mar me quer, numa encenação em que os protagonistas Luarmina e Zeca, num

exercício entre a oralidade, bem à maneira africana, e a interpretação atoral, vão reviver factos e vidas dos seus antepassados, trazendo à memória e convocando os seus sonhos numa viagem pelas águas do Fantástico Literário Miacoutiano.

SÁBADO, 12 JANEIRO / 21:45 AUDITÓRIO 2 · M/12 · 60 MIN

A partir da obra: mar me quer de Mia Couto / Dramaturgia e Encenação: Pedro Carvalho / Interpretação: Flávio Hamilton, Pedro Carvalho e Neusa Fangueiro / Ilustração, Cenografia, Figurinos e Adereços : Sandra Neves Desenho de Luz Wilma Moutinho / Sonoplastia e Desenho de Som Pedro Lima / Música Rui Lima e Sérgio Martins www.teatroartimagem.org

@LEONEL RANÇÃO

PREÇO: 7,50€ / ASSOCIADOS: 5€ VER DESCONTOS P. 79

15

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019


Um espetáculo baseado na obra de Sophia de Mello Breyner Andresen, que ficará em palco à espera do público escolar.


18, 19, 21 E 22 JANEIRO TEATRO PÚBLICO ESCOLAR TRIGO LIMPO TEATRO ACERT

PARA TI, SOPHIA TRIGO LIMPO TEATRO ACERT Sophia descreve o mundo, através do olhar dos mais “pequenos”, de uma forma sublime. O Trigo Limpo teatro ACERT cria parte desse mundo, neste espetáculo de teatro para todos, inspirando-se no livro A Floresta. Enquanto nos sentimos “pequenos” o mundo ainda nos fascina e os ciclos da vida ainda são diários, próximos da natureza e inscritos na memória coletiva… a água (toda ela: na fonte, no lago, no rio ou no mar) lembra-nos sempre, talvez inconscientemente, o ventre materno, esse lugar mágico onde voámos por

dentro do estado líquido… o sol, as flores, os animais, o dia e a noite nascem e morrem lembrando-nos que somos efémeros… Enquanto nos sentimos “pequenos” reinamos fazendo de conta e tudo tem a magia dos sonhos lembrando-nos que a realidade é também o que imaginamos…

17, 18, 21, 22 JANEIRO 2019 / 10:30 E 14:30 PÚBLICO ESCOLAR AUDITÓRIO 2 · M/6 · 60 MIN

Texto a partir de A floresta de Sophia de Mello Breyner Andresen / Dramaturgia e encenação: Pompeu José / Assist. de encenação: Raquel Costa / Interpretação: António Rebelo, Pedro Sousa e Sandra Santos 126ª prod. do Trigo Limpo teatro ACERT www.acert.pt/trigolimpo

@CARLOS TELES

PREÇO PÚBLICO ESCOLAR P. 79

17

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

No ano em que se comemora o nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen, queremos homenagear a autora com um espetáculo que parte da riqueza literária da sua obra.


Uma formação que envolve os 5 sentidos, desperta a criatividade e a imaginação e desenvolve a coordenação de movimentos, a consciência do espaço e do corpo, a expressividade e a linguagem.


19 JANEIRO FORMAÇÃO DANÇA 3/5 ANOS 6/9 ANOS

OFICINA DE DANÇA CRIATIVA PARA OS MAIS PEQUENOS

@RUI COIMBRA

JULIANA GAMAS A dança criativa é uma prática de dança que promove e desenvolve a capacidade criativa, o conhecimento do corpo, do movimento e das potencialidades da comunicação e da expressão. É uma experiência do movimento, do fazer brincando, do criar e do sentir através da dança, envolvendo as componentes da técnica, da expressão, da imaginação, da invenção e do ver. Estas primeiras sessões são dirigidas a crianças a partir dos 3 anos

e pretendem fortalecer não só as capacidades criativas, como também desenvolver a capacidade motora, o equilíbrio, a lateralidade e a coordenação de movimentos. Em vez de exercícios repetitivos e codificados, o trabalho desenvolvido nas aulas favorece os temas do movimento e das suas variações, orientando, de forma livre e descontraída, as capacidades, a consciência, a expressividade e a linguagem do corpo.

SÁBADO, 19 JANEIRO 2019 SÁBADO, 9 MARÇO DE 2019 SALA ORGÂNICA 3 - 5 ANOS: 10:00 - 11:00 6 - 9 ANOS: 11:30 - 12:30 Nº. PARTICIPANTES POR GRUPO: 6 A 12

PREÇO: 12,50 € / ASSOCIADOS: 10€

19

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019


19 JANEIRO A 31 MARÇO EXPOSIÇÃO DESENHO

ANTÓNIO FARIA QUELOIDIANA Queloidiana pode definir-se como uma desordem, antes de mais. Uma proliferação. A cicatrização como causa direta. Uma lesão que afeta os tecidos. Benigna, não contagiosa e indolor, segundo consta. E contudo, aspeto não despiciendo, pode tornar-se um real problema estético. António Faria nasceu em 1966, em Lisboa. Formou-se em Design de Comunicação no Iade (Instituto de Design) e detém o curso completo e projeto do Ar.Co (Centro de Arte e Comunicação Visual). Tem trabalhado na disciplina do desenho desde os anos 90, participando INAUGURAÇÃO: SÁBADO, 19 JANEIRO 2019 / 21:00 ATÉ 31 MARÇO 2019 GALERIA ACERT ENTRADA GRATUITA

21

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

em várias exposições coletivas e individuais em Portugal, França, Itália, Hungria e Japão. Em 2015, conquistou o segundo lugar do Prémio Bienal Art Olympia, no Japão. Nesta exposição, o autor revisita recorrentemente a floresta em procura alquímica e simbólica. O seu trabalho é muitas vezes referido como seiva, sangue, pele, papel, cicatriz ou tatuagem tribal. Na galeria da ACERT releva-nos os seus desenhos mais recentes e que certamente deixarão o visitante embrenhado nesta intrincada coleção de cicatrizes.


Um músico que cruza referências e experimentações a partir do território do Jazz.


19 JANEIRO CONCERTO

SALVADOR SOBRAL Antes de “Amar pelos Dois”, canção que levou à vitória de Portugal no Festival Eurovisão da Canção de 2017, Salvador Sobral já espalhava a sua música em alguns palcos nacionais e internacionais. Após um longo período longe dos palcos, Salvador Sobral retoma a digressão que não terminou, a partir de Excuse Me – o seu disco de estreia. O novo regresso traz também novas canções. “Mano a Mano” é o

novo single, lançado recentemente, contando com letra de Maria do Rosário Pedreira e música de Júlio Resende. Numa viagem que principia no jazz, Salvador Sobral revela, ao longo deste concerto em que promete explorar também algumas canções do próximo disco, influências da bossa-nova, das doces sonoridades da América Latina e uma capacidade de interpretação inesperada, única e arrebatadora.

SÁBADO, 19 JANEIRO 2019 / 21:45 AUDITÓRIO 1 · M/6 · 90 MIN

Voz: Salvador Sobral Piano e Teclados: Júlio Resende Percussões e Bateria: Bruno Pedroso Contrabaixo: André Rosinha

@DR

PREÇO: 12€ / ASSOCIADOS: 10€ BILHETEIRA ONLINE: HTTP://ACERT.BOL.PT SEM RESERVAS

23

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019


3 PERGUNTAS A

Salvador Sobral Há muitas referências neste disco, cuja digressão agora continua, cruzando sons da América Latina e outras influências com o jazz. Essa á uma característica do jazz, a possibilidade de criar diálogos férteis com outras sonoridades? Sim, o jazz é uma música inclusiva, que abarca bastantes sonoridades. É uma conversa constante. O seu poder comunicativo é a sua principal característica.

O palco é o melhor lugar para a música, ou a segurança do estúdio é mais acolhedora? O palco, sem dúvida, especialmente na música que fazemos. É uma música que vive do momento, ao vivo. Por vezes, não é fácil recrear isso no estúdio.

Entre os concertos a solo, as parcerias e outras formações, como a de Alexander Search, para onde vão os seus próximos projetos? Estará também para sair, à parte do meu disco a solo, o disco de Alma Nuestra, uma banda minha de música da América Latina, maioritariamente boleros, com arranjos próprios a puxar para o jazz.


@DR


Frankie Chavez a solo “a tentar manter sempre o lado orgânico de um gajo no palco a tocar canções”.


25 JANEIRO CONCERTO

FRANKIE CHAVEZ I DONT BELONG TOUR “A tour I Dont Belong é uma maneira de eu voltar às raízes daquilo que foi o meu começo. Eu e a guitarra, uma loop station e poder tocar os temas como me der na cabeça na altura. Claro que as estruturas das canções estão lá, mas se me apetecer prolongar um solo ou mudar uma introdução quero ter liberdade para o fazer”.

Frankie Chavez confessa que aprecia a liberdade que a solidão em palco lhe confere, a possibilidade de se sentir solto, de ceder ao impulso do momento em improvisos que transformam cada uma das apresentações em momentos únicos e irrepetíveis.

SEXTA-FEIRA, 25 JANEIRO 2019 / 21:45 AUDITÓRIO 1

Frankie Chavez a solo

PREÇO ÚNICO: 10€ BILHETEIRA ONLINE: HTTP://ACERT.BOL.PT

@RITA CARMO

SEM RESERVAS

27

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019


Espetรกculo coletivo, criado por todos quantos se quiserem aventurar no palco.


4 FEVEREIRO CAFÉ TEATRO TRIGO LIMPO TEATRO ACERT CICLO DA LUA NOVA

QUEM TEM MEDO DE VIRGÍNIA LOBO?

@RUI COIMBRA / ZETAVARES

TRIGO LIMPO TEATRO ACERT CICLO DA LUA NOVA Um café teatro onde cabem todos, atores ou não, desde que queiram deitar as mãos – e a cabeça e o corpo todo – à obra para, juntos, construírem um espetáculo único. Com a lua nova recomeçamos um novo ciclo que já faz parte do nosso Adn. Queremos reunir, uma vez por trimestre, dez, quinze amigos, companheiros de todas as via-

gens, desde A Viagem do Elefante a O Pequeno Grande Polegar, aqueles que connosco queimaram o Judas, amigos novos, espectadores que se queiram juntar agora para, juntos, durante uma dúzia de horas, construirmos um pequeno espetáculo que será mostrado numa única sessão, na noite de lua nova.

DATAS DE ENSAIOS: SEG, 28 JAN: 20:30 - 23:00 QUA, 30 JAN: 20:30 - 23:00 SEX, 1 FEV: 20:30 - 23:00 SÁB, 2 FEV: 15:00 - 18:00

SEGUNDA, 4 FEVEREIRO 2019 / 22:00 BAR ACERT · ENTRADA GRATUITA

29

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

INSCREVE-TE E ASSEGURA A TUA PARTICIPAÇÃO: FICHA DE INSCRIÇÃO NA SECRETARIA DA ACERT OU NO SITE DA ACERT


Um espetáculo de Gil Vicente com um forte pendor crítico que atravessa várias épocas.


8 FEVEREIRO TEATRO PÚBLICO ESCOLAR

AUTO DA BARCA DO INFERNO TEATRO ACTUS As personagens são apresentadas com trajes atuais, de forma a diminuir o distanciamento provocado pelo linguajar vicentino e a facilitar a identificação com o espetador. Os adereços de cada personagem farão parte de jogos cénicos que visam proporcionar uma melhor compreensão do sentido do texto. O exagero nas dimensões de alguns

adereços, a deturpação da função que lhes é atribuída, tudo servirá para elucidar as intenções do autor e sublinhar as suas críticas sociais. O Parvo veste uma roupa demasiado grande, quase uma camisa de forças; o Onzeneiro carrega um bolsão gigante; a corda do Enforcado é do tamanho do palco.

8 FEVEREIRO 2019 / 10:30 AUDITÓRIO 1 · M/12 · 60 MIN

Encenação: Tomé Vieira / Elenco: Ana Dionísio, Ana Rita Santos, Carolina Bettencourt, Gonçalo Melo, Jorge Sequeira, Luís Gomes e Tomé Vieira / Sonoplastia e iluminação: António Pedro Costa / Produção: Isabel Matos e Cristina Alexandre

@DR

PREÇO: 4€

31

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019


Um espetáculo escrito e dirigido pela mão mágica do mestre José Caldas.


9 FEVEREIRO TEATRO PARA FAMÍLIAS

A VELHA CASA DE MADEIRA

@LIONEL BALTEIRO / LAMOUSSE

TEATRO DE MONTEMURO Certo dia, aparecendo do nada, um velho veio relembrar-nos a sua infância e o seu grande desejo: encontrar a “máquina do tempo”. Desfaz-se da sua pele poeirenta e revive a primavera da sua vida, quando encontrou, escondida na sua casota, uma velha rabugenta. A velha fica surpreendida com tal acontecimento, pois chegava-lhe a vida tranquila com os animais que a cercavam. Ignora a criança, pois a curiosidade do menino invade sua vida quotidiana tranquila e isolada, entregue ao fazer e refazer os fios no seu fuso. A criança começa também a res-

mungar nhem-nhem-nhem… e cada dia que volta, a velhinha atira-lhe algo para afastá-la – um nabo, uma maçã, um rolo de fios – está feita a ligação. O rapaz e um amigo seguem o fio do caminho que lhes abre, enfim, a porta da velha casa de madeira… começa então uma longa conversa com a velhinha. Seria a velhinha resmungona capaz de começar a conviver com o ser humano? Estaria ela também a relembrar a sua infância? Um dia as crianças chegam e encontram apenas a melodia dos animais... Que teria acontecido?

SÁBADO, 9 FEVEREIRO 2019 / 16:30 AUDITÓRIO 2 · M/3

Texto e Encenação: José Caldas / Cenografia, Adereços e Figurinos: Andrew Purvin e Ruby Gibbens / Direção Musical: Mary Keith / Desenho de Luz: Paulo Duarte / Interpretação: Abel Duarte, Paulo Duarte e Rebeca Cunha www.teatromontemuro.com

PREÇO: 7,50€ / ASSOCIADOS: 5€ VER DESCONTOS P. 79

33

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019


Um espetรกculo para os mais pequenos com a marca de qualidade a que a companhia jรก nos habituou.


15 FEVEREIRO TEATRO PÚBLICO ESCOLAR JARDINS DE INFÂNCIA

AFINAL… O GATO? ANDANTE – ASSOCIAÇÃO ARTÍSTICA Espetáculo de promoção da leitura para bebés, com poesia de Fernando Pessoa, música de Joaquim Coelho e imagem de Mafalda Milhões. “Gato que brincas na rua como se fosse na cama...” É a partir daqui que tudo começa. Mas afinal, onde está o gato? Dentro do sapato? Dentro do poema? Dentro do livro? Dentro de nós?

Vamos jogar com ele às escondidas? Vamos? Vamos brincar com os sons, com as palavras, com as sensações, com o impossível, com o que não há? Será que, no final, vamos saber onde está e quem é o gato? “A nossa imaginação do impossível não é porventura própria, pois já vi gatos olhar para a lua, e não sei se não a quereriam.” Fernando Pessoa (Livro do Desassossego)

15 FEVEREIRO 2019 / 10:00, 11:30 E 14:30 JARDINS DE INFÂNCIA AUDITÓRIO 2 · 30 MIN

Encenação: Fernando Ladeira/ Poemas: Fernando Pessoa / Interpretação: Cristina Paiva / Ilustrações: Mafalda Milhões / Música: Joaquim Coelho / Voz: Lia Vohlgemuth Parceiro: O Bichinho de Conto http://www.andante.com.pt/ espectaculos/afinal-o-gato

@FERNANDO LADEIRA

PREÇO PUBLICO ESCOLAR P. 79 BEBÉS DOS 6 MESES AOS 3 ANOS E CRIANÇAS DOS 3 AOS 5 ANOS

35

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019


Um momento especial de movimento, criatividade e imaginação para partilhar entre pais e filhos.


16 FEVEREIRO FORMAÇÃO DANÇA 18 MESES AOS 4 ANOS

OFICINA DE DANÇA PARA PAIS E FILHOS

@RUI COIMBRA

JULIANA GAMAS A dança criativa é uma prática de dança que promove e desenvolve a capacidade criativa, o conhecimento do corpo, do movimento e das potencialidades da comunicação e da expressão. É uma experiência do movimento, do fazer brincando, do criar e do sentir através da dança, envolvendo as componentes da técnica, da expressão, da imaginação, da invenção e do ver. Esta sessão é dirigida aos filhos e aos pais, num ambiente de liberdade criativa, onde se poderão experimentar novas formas de relacionamento e de expressão, onde se promove, de forma descontraída, a consciência e a linguagem do corpo, a imaginação e sobretudo a cumplicidade e a interacção entre pares que se conhecem bem, numa linguagem que, entre os dois, é já comum mas

que adquire aqui um novo sentido.

SÁBADO, 16 FEVEREIRO / 16:30 SALA ORGÂNICA

PREÇO ADULTO + CRIANÇA: 12,50 € / ASSOCIADOS: 10€ (DOS 18 MESES AOS 4 ANOS) N.º PARTICIPANTES: 5 A 8

37

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

Juliana Gamas é um nome já bem conhecido dos mais pequenos por estar ligada às nossas oficinas de Verão. Licenciada em Dança pela Faculdade de Motricidade Humana, em Lisboa, desenvolveu a sua formação também na área do teatro, tendo trabalhado com vários nomes reconhecidos nacional e internacionalmente. Recentemente leccionou na Escola de Dança do Conservatório de Música da Covilhã. Esteve, também, na direção coreográfica dos musicais O Homem de La Mancha e Da Pedra Lascada à Broadway, no CMAD. Actualmente, leciona na Escola de Dança Lugar Presente e integra diferentes projetos na área da inclusão, ensino e formação em Dança.


Neste NU PALCO tudo poder acontecer, pela imprevisibilidade do habitante que tem, entre as suas mĂşltiplas moradas, a ACERT.


16 FEVEREIRO NU PALCO

@ZETAVARES

CARLOS SANTIAGO Carlos Santiago é um escritor, dramaturgo e artista galego que, desde 1990, desenvolve uma prolífica atividade em diversos campos, da crítica da cultura e do ativismo cultural à criação literária e artística, muito marcada por um estilo satírico que desafia os limites entre a realidade e a ficção. Monologuista, guionista de cinema e ativista cultural, o seu principal interesse centra-se nas artes cénicas, sendo autor e encenador de mais de vinte peças. Trabalha habitualmente com grupos e artistas tanto da Galiza como de Portugal. Carlos Santiago tem 26 anos de Acertinidade, sendo um agitador cultural com patente registada no universo cultural emotivo de Tondela. Um distinto apreciador de cozido à portuguesa que apenas difere do “cozido galego” pela boca que o saboreia. Um saltimbanco que

não deixa o humor sarcástico por mão alheia, soltando nos textos teatrais que criou para espetáculos da ACERT um código de conduta “santiagueiro”. Irreverente, mas terno. Sarcástico, mas elegante. Galego, mas cidadão do mundo. A ACERT, sem ele, seria só mais um Carlos. Com ele, adquiriu um Santiago que a contagiou com mais galeguidade. (...) Transbordante de inteligência e frescura, o humor (às vezes ácido e vernáculo) do espetáculo conduz os espectadores através desta península de galhardias toureiras e épicas aljubarrotas (pelo menos do seu artesanato panificador), numa viagem imperdível que cruza solenidades e quotidianos, mitos sagrados e prosaicas realidades, cantábricos, atlânticos e mediterrânicos vícios, virtudes de ventos e casamentos.(...) João Luís Oliva in Rua Direita

SÁBADO, 16 FEVEREIRO 2019 / 21:45 PALCO DO AUDITÓRIO 1

PREÇO: 5€ / ASSOCIADOS: 3€ VER DESCONTOS P. 79

39

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019


Partir da dança para chegar à filosofia ou partir da filosofia para chegar à dança?


19 E 21 FEVEREIRO FORMAÇÃO DANÇA PÚBLICO ESCOLAR

A DANÇA E A FILOSOFIA CIA. PAULO RIBEIRO - COM LEONOR BAR ATA

@MIGUEL EÇA

“A mim não me interessa ginasticar o corpo mas antes ginasticar a alma”. A Dança como expressão dos sentimentos e emoções individuais há muito que se cruza com o pensamento filosófico, na medida em que ambos tentam uma organização do real que nos sirva como pessoas e como cidadãos e que nos force a sair do senso comum na análise dos problemas e promova um espaço verdadeiramente reflexivo. Assim, a dança pode também ela ser vista como um exercício ativo do pensamento. Apresentamos o corpo dançante como um corpo que pensa e, nessa medida, encerra em si as grandes questões filosóficas que, acreditamos, são transversais a todos nós e 19 E 21 FEVEREIRO 2019 / 9:30, 11:30 E 14:30 PALCO DO AUDITÓRIO 1 90 MIN · MAX. 30 ALUNOS 41

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

a todos os tempos. Recuperando a matriz comum, partiremos da Grécia para colocar de novo em nós e na nossa circunstância a premissa da união total entre corpo e pensamento. Com este projeto, pretendemos desenvolver os pontos de contacto entre Dança e Filosofia, apostando na primeira para facilitar a compreensão da segunda e desenvolvendo esta como motor da primeira. Assim, o espaço da Dança será o espaço do laboratório que nos permitirá refletir e discutir sobre o nosso percurso, os nossos desejos, a nossa posição no mundo e face ao outro. Tudo isto em movimento e com leveza, numa verdadeira ginástica da alma. Leonor Barata


Uma das mais surpreendentes compositoras da nova geração da música portuguesa, para ver e ouvir ao vivo.


23 FEVEREIRO CONCERTO

MÁRCIA Foi em 2009 que Márcia se estreou em nome próprio, com um EP de cinco temas chamado apenas Márcia, publicado pela Optimus Discos. Algum público mais atento já a reconheceria como uma das vozes do Real Combo Lisbonense, do qual fez parte. Desde a edição do primeiro EP, as coisas têm vindo a crescer, com a paciência e a segurança de quem sabe o que quer e como o quer. Dá, o primeiro álbum, lançado em 2010, tornou- se um pequeno fenómeno de popularidade, levando à contratação de Márcia pela Warner e ao relançamento do disco em 2011, com uma nova versão de um tema

do EP, “A Pele Que Há em Mim”, em dueto com J. P. Simões. Entre Dá e o segundo álbum, Casulo (2013), a cantora foi mãe e a experiência moldou necessariamente o novo trabalho, produzido por Filipe C. Monteiro e que contou com a colaboração de Samuel Úria no tema “Menina”. O passo seguinte leva Márcia ao Rio de Janeiro, a gravar o álbum Quarto Crescente com Dadi Carvalho, cúmplice regular de Marisa Monte e presença de peso no êxito dos Tribalistas. A nova aventura chama-se Vai e Vem e promete a mesma paixão e intensidade, com música tocante e letras honestas e profundas.

SÁBADO, 23 FEVEREIRO 2019 / 21:45 AUDITÓRIO 1

Voz e Guitarra: Márcia Guitarra, Teclados: Filipe Cunha Monteiro Guitarra: Manuel Dordio Baixo: David Santos Bateria: Rui Freire

@DR

PREÇO ÚNICO: 12€ BILHETEIRA ONLINE: HTTP://ACERT.BOL.PT SEM RESERVAS

43

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019


Um espaço - metåfora onde as conversas , aparentemente banais, nos fazem refletir sobre as questþes primordiais do nosso quotidiano.


9 MARÇO TEATRO

CONVERSAS DE ESQUINA

© MARGARIDA RIBEIRO

FÉRTIL CULTUR AL Conversas de esquina é um exercício de diálogo entre duas personagens que vão discutindo factos das suas vidas aliadas a fatores sociais, políticos e até filosóficos. Esta conversa pretende suscitar uma reflexão sobre a atual condição humana, com o objetivo de provocar no público questões primordiais do seu dia-a-dia. Em suma, uma conversa que apesar da sua simplicidade de circunstância, toca em assuntos de extrema relevância nas nossas vidas. “Num espaço e num tempo

comum, duas mulheres encontram-se e conversam. Que conversas são essas? Quantas vezes se encontram? E têm sempre conversa? No ponto onde duas vias se intersectam, estas duas mulheres intersectam as suas vidas tendo sempre uma conversa pronta na ponta da língua. Diálogos em catadupa sem propósito premeditado, mas com o propósito de se esclarecerem sobre o que as rodeia.” A esquina serve de metáfora ao espaço onde tantas conversas acontecem.

SÁBADO, 9 MARÇO 2019 / 21:45 PALCO DO AUDITÓRIO 1

Texto e encenação: Rui Alves Leitão / Interpretação: Neusa Fangueiro e Tanya Ruivo / Cenografia e figurinos: Carlos Neves / Desenho de luz: Paulo Neto / Produção executiva: Cristiana Morais / Coprodução: Fértil Cultural, Casa das Artes de V. N. de Famalicão e Teatro Diogo Bernardes www.fertilcultural.org

PREÇO: 7,50€ / ASSOCIADOS: 5€ VER DESCONTOS P. 79

45

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019


A magia envolvente de uma orquestra de jovens mĂşsicos.


10 MARÇO CONCERTO MATINÉ

SWING, SWING, SWING… ORQUESTR A DE SOPROS DO CONSERVATÓRIO DE MÚSICA E ARTES DO DÃO

@LUIS MATOS / CMAD

Sendo uma das formações mais antigas desta escola, a Orquestra de Sopros desde muito cedo ocupou um lugar de destaque, não só pela prática musical, essencial na formação dos alunos de sopro e percussão, como também na singularidade dos concertos que ao longo dos anos vem realizando. Formada por mais de 80 elementos e com uma média de idades que ronda os 13 anos, esta jovem orquestra tem desenvolvido a sua atividade com concertos variados, desde a prática de um repertório especíDOMINGO, 10 MARÇO 2019 / 16:30 AUDITÓRIO 1 PREÇO ÚNICO: 3,50€ 47

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

fico de compositores de referência nacionais e internacionais, até projetos temáticos que passam por diversos géneros musicais e que normalmente são realizados com a participação de cantores a solo e coro. Sob a direção da Prof.ª Ana Matos e o Prof. Diogo Tavares, “Swing, Swing, Swing...”, o concerto deste ano, será um novo desafio para estes talentosos alunos e contará com convidados especiais, pelo que promete mais uma vez surpreender o público presente.


Uma noite fria ao calor das palavras e das histórias de Jorge Serafim, um contador de histórias, escritor, humorista, bem conhecido do público pela sua participação no programa Levanta-te e ri.


16 MARÇO CAFÉ TEATRO

JORGE SERAFIM CONTOPIAS Contar é o ato de apagar fronteiras. De separar o que importa do que não. Contopias são contos ao redor do mundo que têm na palavra a forma de reencontrar as pessoas em tudo o que as une e separa. Em tudo o que as assemelha e diferencia. São histórias índias, africanas, europeias, orientais, árabes, narradas numa única sessão. Talvez o contador de histórias seja o último reduto da utopia. O homem que, pela palavra, encontra semelhanças que diluem as ignorâncias invasivas. Esta viagem condensada numa única sessão pretende atravessar o mundo e os seus ouvintes, reaproximando-os em toda a geografia do afeto. Essa é a força maior da memória e da palavra partilhada sem preconceito.

@DR

SÁBADO, 16 MARÇO 2019 / 22:00 BAR ACERT · ENTRADA GRATUITA

49

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

Saber quem somos para saber que os outros também o são. Jorge Serafim Iniciou-se na narração oral e na promoção do livro e da leitura há cerca de 20 anos, na Biblioteca Municipal de Beja. Dali saído, dedicou-se à escrita (tem oito livros publicados), sem nunca abandonar a arte da narração oral e da mediação da leitura. Da itinerância que vai construindo guarda na memória sessões de contos pelo país inteiro, mas também em Espanha, Argentina, Canadá, Cabo Verde, Estados Unidos ou Macau. Como humorista/Stand Up Comediant tornou-se conhecido do grande público em programas de televisão na SIC, RTP1 e RTP2.


21 MARÇO CAFÉ TEATRO DIA MUNDIAL DA POESIA

POESIA ORIGINAL À semelhança do que fizemos em 2016, vamos celebrar o Dia Mundial da Poesia com um espetáculo feito com os melhores “Poemas Originais”. São tão originais que nunca foram ditos em público! Mas quem são os seus autores, afinal? Todos aqueles que o desejarem, qualquer um de nós. Nessa noite, todos podem ser “Poetas originais” desse espetáculo. Sim, porque todos nós, um dia, já escrevemos um poema, ou porque tivemos um desgosto de amor, ou porque achámos que tínhamos uma revolução por fazer, ou simplesmente porque quisemos experimentar escrever um “Poema Original” como expressão da nossa intimidade e, como tal, foram todos para a gaveta… Acontece a todos.

@RICARDO CHAVES

TRIGO LIMPO TEATRO ACERT

Chegou a altura de esses “poemas escondidos” voarem da folha de papel e ganharem a voz de quem os declama. Depois de selecionados, serão declamados pelos atores do Trigo Limpo teatro ACERT, devidamente protegidos por pseudónimo. E só após a sua leitura será revelado o nome do autor, para receber os aplausos pelo brilhantismo poético da sua escrita e das emoções que as suas palavras causaram em quem as acolheu. Ali estará o “Poeta Original” em carne e osso, para sentir as palmas provocadas pela sedução do que escreveu. E agora mãos à obra. QUINTA, 21 MARÇO 2019 / 22:00 Bar ACERT · ENTRADA GRATUITA

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

50


E se, numa noite, todos fôssemos poetas num espetáculo de Poesia Original?

18 A 21 MARÇO Como Participar? Envie os seus poemas por correio, em envelope sem remetente. Dentro do envelope, deverá colocar outro envelope fechado, com o pseudónimo escrito por fora e, no interior, uma folha com o nome verdadeiro, o nome do “Poeta Original”. Poderá enviar 5 poemas no máximo.

ENVIE-NOS OS SEUS POEMAS ATÉ O DIA 1 DE MARÇO. MORADA PARA ENVIO ACERT A/C DE “POESIA ORIGINAL” RUA DR. RICARDO MOTA, Nº 14 3460-613 TONDELA

51

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

A POESIA É PARA COMER Sou uma impudência a mesa posta de um verso onde o possa escrever ó subalimentados do sonho! a poesia é para comer. (Natália Correia) De 18 a 21 de março, a poesia habitará o espaço público de Tondela. Os poetas sairão à rua para oferecerem aos habitantes as suas palavras. Estejam atentos às novidades surpreendentes e à viagem com os poetas.


Um espetáculo de teatro com jantar, com sabor a mar, a bacalhau e a ficção.


22 A 24 MARÇO TEATRO COM JANTAR

O PRESENTE DE CÉSAR QUEM VAI PARA O MAR NÃO VOLTA À TERRA TEATRO VIRIATO Um espetáculo de teatro. Um jantar com sobremesa de bacalhau com sabor a ficção. Os dramas vividos em família daqueles que partem do território Dão Lafões para pescar um peixe que se pesca longe. E os

©ENRIC VIVES-RUBIO

22, 23 E 24 MARÇO 2019 / 19:30 NOVO CICLO ACERT

53

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

dramas daqueles que ficam. A terra é larga. O mar é muito. A espera é grande. A vida no mar e a vida num prato. Tudo e todos unidos por um peixe: o Bacalhau.

Encenação Giacomo Scalisi / Texto original Sandro William Junqueira / Assistência de encenação Graeme Pulleyn / Interpretação Graeme Pulleyn, Gabriel Gomes e Sofia Moura / Gastronomia Rosário Pinheiro / Desenho de luz Joaquim Madaíl / Produção executiva Hugo Gonzalez / Uma encomenda e produção do Teatro Viriato / Promotor Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões, Rede Cultural Viseu Dão Lafões


O resultado deste encontro amigåvel? Só no fim do jogo‌


23 MARÇO CONVERSAS ACERT

PEPA O FUTEBOL COMO ESPETÁCULO DE UMA VIDA Pedro Miguel Marques da Costa Filipe, nascido em Torres Novas, há 39 anos, 28 dos quais de carreira futebolística. Treinador do Clube Desportivo de Tondela a partir de 2016. Uma personalidade com um percurso desportivo em que se cruzam experiências de vida que normalmente se encontram encerradas nos camarins do balneário, longe do palco onde os artistas contracenam entre quatro linhas, numa narrativa física com um argumento sempre renovado onde o improviso suplanta a rigidez interpretativa e o

DR

SÁBADO, 23 MARÇO 2019 / 21:45 AUDITÓRIO 1 ENTRADA GRATUITA

55

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

público aguarda por finais românticos. Uma ocasião onde os apreciadores do futebol (e não só) podem sentar-se no banco de suplentes e esperar pelo momento em que Pepa os mande fazer exercícios de aquecimento para escutarem o seu percurso de vida. A tática será dada pelo “mister Pepa”, cabendo ao público entender o alcance dos dribles que a vida lhe fez e os desafios de um percurso desportivo e humano em que nunca quis estar fora de jogo.


Estreia do filme e não só… musicado teatralmente ao vivo no Dia Mundial do Teatro.


27, 29 E 30 MARÇO ESTREIA / CRIAÇÃO ACERT FILMES CONCERTO DIA MUNDIAL DO TEATRO

FIL’MUS2 Se uma imagem vale mais que mil palavras, quanto valerá uma imagem musicada? Só vendo e ouvindo.

@DR

A fusão de uma sessão de cinema com o universo televisivo permitirá reavivar memórias, reviver momentos que estavam no baú do esquecimento. Associada à imagem, a música (interpretada ao vivo com componente teatral) terá um papel essencial na viagem ao encontro dessas memórias. A mistura do filme com a realidade permitirá criar uma visão nar-

rativa que só quem assistir poderá levar consigo. No seguimento do sucesso do espetáculo estreado em 2010, Fil’Mus2 mantém o mesmo conceito de fusão da imagem gravada, em muitos momentos realizada especificamente para o espetáculo, com todos os sons executados ao vivo e ainda com mais interação teatral com as imagens e inovações que tornarão o espetáculo inesquecível. “A imagem é tanto mais bela quanto ela for auditiva, evocando sonoridades do momento.” Mia Couto in Pensatempos

AUDITÓRIO 2 · 60 MIN ESTREIA: QUARTA, 27 MARÇO 2019 / 21:45 ENTRADA GRATUITA MEDIANTE LEVANTAMENTO ANTECIPADO

Acordeão: Nuno Silva / Contrabaixo: Miguel Cardoso / Guitarra: André Cardoso / Percussão: Rui Lúcio / Saxofones: Rodrigo Neves

29 DE MARÇO / PÚB. ESCOLAR 10:30 E 14:30

Conceção e direção artísticas: Miguel Cardoso / Coordenação teatral: Pompeu José e José Rui Martins www.acert.pt/trigolimpo

SÁBADO, 30 MARÇO 2019 / 21:45 VER DESCONTOS E PREÇOS NA P. 79 57

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019


3 PERGUNTAS A

Miguel Cardoso

O conceito Fil’mus (filme e não só musicado ao vivo) surgiu em 2010, na idealização de um espetáculo para comemorar o aniversário da sala de cinema da ACERT. Para lá de musicar um filme, musicou-se toda uma sessão de cinema, desde que se entra até que se sai da sala. O sucesso da primeira versão criou a vontade de irmos mais além. No Fil’mus2, mantendo o conceito “tudo o que se ouve é realizado ao vivo”, a componente teatral e a interação com a imagem estarão mais presentes.

A música sempre fez parte da linguagem do cinema, mesmo antes de os filmes serem falados. Como é que seleccionaste as peças musicais? Deste primazia aos filmes e ao seu reconhecimento público ou à música propriamente dita? A escolha das obras para o Fil’mus2 partiu da visualização de uma grande quantidade de filmes. A animação, uma das primeiras musicadas a surgir, segue um tema que tem todo o sentido neste espetáculo. Para o filme queríamos um clássico mudo em que pudéssemos criar a música. Procurámos dentro do universo de Buster Keaton, Charlie Chaplin, Harold Lloyd, Laurel and Hardy... O filme escolhido, além da dinâmica, apresenta uma mensagem que, apesar de quase centenário, se mantém atual nos dias de hoje. @CARLOS TELES

Como é que surgiu a ideia para este Fil’mus, que apresenta agora a sua segunda versão?


Vivemos num mundo de écrãs mais pequenos e portáteis, onde o cinema se vê muito fora das salas, na televisão, talvez nos computadores... Este diminuir do écrã roubou alguma magia ao cinema? Quem gosta de cinema, continua a ir ao cinema. Neste espetáculo queremos tentar unir as novas tecnologias e as novas formas de imagem com os primórdios das obras cinematográficas. Este é um bom espetáculo tanto para quem vai ao cinema como para quem vê os filmes nos pequenos ecrãs... e ainda para os que preferem o teatro e a música ao vivo.


BAR ACERT

cafés concerto Em noite de café concerto ou café teatro, as novidades brindam os frequentadores do bar ACERT com o ecletismo da oferta musical e teatral. O espaço Bar Acert é o espaço de excelência para o convívio e o encontro de associados e público. Aberto diariamente, oferece condições singulares para encontros de trabalho, de ócio, de estudo e para sentir o movimento dos criadores que habitam os espaços de preparação e apresentação dos espetáculos. A decoração do espaço tem a sua matriz visual assente nos registos dos espetáculos do Trigo Limpo teatro ACERT, abrindo portas para a fruição de um serviço de bar e um ambiente adequados à dinâmica da programação do Novo Ciclo.


@CARLOS TELES


@DIOGO NUNES

MÔRUS 19 JANEIRO

CAFÉ CONCERTO ENTRADA GRATUITA

O som inconfundível das guitarras de uma banda jovem em rápida ascensão no panorama musical lisboeta. “Guitarras que gritam, vozes que declamam! Convido-vos a fechar os olhos porque o duo Môrus enche a pista de timbalões tribais e loops agressivos” , diz Iguana Garcia. Têm vindo a nascer, mais ou menos, desde o Verão de 2017. São, antes de mais nada, uma banda que navegou e navega paralela à amizade que une os seus elementos, ou não se tivessem conhecido no Miradouro da Graça, em Lisboa, com uma guitarra a girar por toda a

população. Este projeto, tal como o Ep de estreia, tem contado com braços irmãos, ajudas, empurrões amigos. Como dizem os próprios, “somos uma empresa de amor.” O Ep Môrus foi lançado em Setembro de 2018. Criado por Alexandre Moniz e Jorge Barata, à excepção da faixa “Porque não me vês”, que foi criada pelo Fausto, com o arranjo de Alexandre Moniz e Jorge Barata. Produzido, gravado, misturado e masterizado por Pedro Ferreira, no Haus.

SÁBADO, 19 JANEIRO 2019 / 23:30

Alexandre Moniz e Jorge Barata

NO BAR ACERT

62


@MARIA SALGADO

BED LEGS 2 FEVEREIRO

CAFÉ CONCERTO ENTRADA GRATUITA

As sonoridades quentes e densas do rock e do blues aliadas, por vezes, à dureza e à assertividade das palavras. Um autêntico diário. Música embebida, entornada e enrolada em melodias que despertam a maior das emoções e sensações, numa roda-viva que brota vivências por todos os lados. É assim com Bed Legs. Na verdade, não há meio-termo. Sempre no limite da navalha, do rasganço. Assim se cozem algumas das linhas do diário musical da banda. O intenso cheiro a rock n’roll, deveras vivido e desejado, viaja de braço dado com essências sonoras

de outras épocas, tudo majestosamente pincelado e abençoado pela orla do rhythm and blues. Gravado na Mobydick Records, por Budda Guedes, com o apoio do gnration, e masterizado por Frederico Cristiano “Fred”, neste registo espontâneo abundam a soltura dos teclados e do baixo, a riqueza dos ecos das guitarras e da bateria multi-ritualista. A revelação fica totalmente completa através da letra e voz, num delicioso frenesim que inebria o mais puro dos seres.

SÁBADO, 2 FEVEREIRO 2019 / 23:30

Voz: Fernando Fernandes Guitarra: Tiago Calçada Baixo: Helder Azevedo Bateria: David Costa Teclado: Leandro Araújo

63

NO BAR ACERT


@ADÈLE DANANAI

CAYMAN KINGS 16 FEVEREIRO

CAFÉ CONCERTO ENTRADA GRATUITA

As influências refinadas do Rock “Old Scholl” aliadas ao som mais ácido do rock de garagem, é o novo som que nos traz a banda de Lille. Os Cayman Kings são uma das bandas mais emocionantes a surgir na recente cena francesa de garage. Dos passeios encharcados e ácidos de Los Angeles às ruas chuvosas da Londres swingada, a banda agarrou no mais refinado som dos anos 60 e

misturou-o no melhor rock garage para o novo milénio. O melhor é rendermo-nos aos ataques de um teclado sedutor e ao som que bem podia ser tocado por um qualquer fidalgo espanhol enfurecido.

SÁBADO, 16 FEVEREIRO 2019 / 23:30

Voz: Timoté Iglesias Teclado: Guillermo Pacheco Megias Guitarra: Maxime Bressel Baixo: Pierre Martinelli Bateria: Marvin Morelle

NO BAR ACERT

64


@DR

PEDAÇO MAU 23 MARÇO

CAFÉ CONCERTO ENTRADA GRATUITA

A vibração metálica das guitarras eléctricas suavizadas pela voz doce de Katie Sousa.

São músicos vianenses, já com uma grande experiência musical , e com trajetória por vários grupos da década de 90, que se juntaram muito recentemente com uma nova identidade – Pedaço Mau. A banda é composta por Katie Sousa (voz), Paulo Escaleira (bateria), Pedro Bessa (gui-

tarra), Ricardo Lima (guitarra), Nuno Teles (voz, sampling e teclados) e Ricardo Sá (voz e guitarra). Os Pedaço Mau, têm vindo a apresentar, com sucesso, vídeo clips das suas primeiras músicas, todas originais, nas redes sociais, estando concluído o seu primeiro EP demo.

SÁBADO, 23 MARÇO 2019 / 23:30

Voz: Katie Sousa Bateria: Paulo Escaleira Guitarra: Pedro Bessa e Ricardo Lima Voz, sampling e teclados: Nuno Teles Voz e Guitarra: Ricardo Sá

65

NO BAR ACERT


A COMUNIDADE NO TEATRO* | 26 JAN

SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO 2019 ORG. CÂMAR A MUNICIPAL DE TONDELA “Desafios para uma Educação de Futuro” é o mote para o seminário de educação que o Gabinete de Educação do Município de Tondela irá realizar dia 26 de janeiro. Reconhecendo que a educação contribui de forma preponderante para a melhoria das condições de vida da

população, motivo pelo qual deve ser um vetor essencial no desenvolvimento e progresso da sociedade, a Câmara Municipal de Tondela está empenhada em trazer a Tondela um leque de oradores de referência Ibérica.

Programa do seminário

SÁBADO, 26 JANEIRO 2019 / 9:00 AUDITÓRIO 1 · NOVO CICLO ACERT

9:00 - sessão de abertura 9:30 - painel 1 – o futuro da escola: as (des)orientações para a inclusão! 11:00 - painel 2 – iagora? Liberte o seu filho da dependência dos ecrãs 14:00 - painel 3 – educação parental 15:15 - painel 4 – o segredo para alcançar o sucesso na escola: ensina o teu filho a estudar 16:15 - assinatura protocolar do plano local de leitura entre município e pnl2027 16:30 - encerramento da sessão de trabalhos

*Do programa de Acolhimento e Parcerias com Estabelecimentos de Ensino, Associações, Instituições, etc. para a realização de apresentações públicas, seminários, debates em que a ACERT é enquadradora de atividades dos Estabelecimentos de Ensino (a Escola no teatro) e da Comunidade em geral (a Comunidade no teatro).


trigo limpo teatro acert

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019


ESPETÁCULO DE RUA | 3 MAR

TODOS OS GALOS SÃO IGUAIS MAS UNS MAIS DO QUE OS OUTROS JULGAMENTO E MORTE DO GALO 2019 O Trigo Limpo teatro ACERT, a convite da Câmara Municipal da Guarda, será responsável pela direção artística do espetáculo de teatro comunitário, associando-se a uma equipa de outros criadores nas distintas áreas da construção desta produção, principalmente na construção de engenho cénico de grandes dimensões. O conceito continua a basear-se no Julgamento do Galo (o culpado de todos os males) e na sua queima e morte, que exorcizará o mal e representará o renascer da esperança. Na edição de 2019, a dramaturgia

explorará o universo simbólico do livro de George Orwell, O Triunfo dos Porcos, sublinhando um olhar crítico sobre acontecimentos mundiais contemporâneos.

Dramaturgia e encenação: José Rui Martins / Assistência de encenação: Pedro Sousa e Tiago Sami Pereira / Orquestra e cantores líricos: Conservat. de Música e Artes do Dão / Engenho Cénico: Nico Nubiola, Pompeu José e Zétavares / Adereços: Cláudia Ribeiro e Sofia Silva

Produção artística: Trigo Limpo teatro ACERT / Promotor: Município da Guarda

A conceção teatral incidirá numa partitura musical centrada num registo operístico das interpretações, com a participação da orquestra do CMAD e de cantores/atores líricos. A narrativa assentará numa visão metafórica resultante de uma investigação sobre situações políticas onde o populismo será objeto de crítica incisiva.


DIGRESSÃO DO TRIGO LIMPO TEATRO ACERT Para ti, Sophia 2 fevereiro às 21:30 Quinta da Caverneira – Maia 21 março às 10:30 e 14:30 Centro de Animação Cultural de Mortágua Fogo! 12 janeiro às 22:00 Café Teatro - Cine Teatro Estarreja 30 março às 21:30 Oliveira de Frades Julgamento e Morte do Galo 2019 3 de março Largo da Sé da Guarda 20 Dizer 17 fevereiro 16:00 Casa Museu Guerra Junqueiro Porto

Outras atividades: Sessões de Trabalho “Às Voltas com a Poesia” 17, 18, 24 e 25 janeiro às 10:30 Escola Sec. Sátão “Se calhar esperavas que eu te dissesse agora aqui o que é a poesia. Que eu te arranjasse uma definição daquelas cheias de palavras complicadas que deixam as pessoas de boca aberta e a pensar ‘Meu Deus! Tanto que ela sabe!’ Mas eu não sei definir o que é a poesia. E se alguém te disser que sabe… desconfia!” Alice Vieira in “O meu primeiro álbum de Poesia”


UM DISCO DEBAIXO D’OLHO

AO LONGE JÁ SE OUVIA SOPA DE PEDR A

Editora Turbina

Não se trata de uma novidade, daquelas acabadas de chegar às prateleiras das lojas de discos ou aos escaparates da internet, mas mal estaremos quando só dermos atenção demorada àquilo que é novo. Ao Longe Já Se Ouvia é um disco para saborear com calma, como um bom vinho ou um queijo de cura cuidada. O sabor começa na embalagem, uma caixa de madeira, com tampa deslizante e o nome do grupo gravado. Lá dentro, o disco propriamente dito e um conjunto de reproduções fotográficas que têm, no verso, as letras das canções. Esta descrição não é desnecessária, porque com as harmonias vocais da primeira faixa, percebe-se imediatamente que estamos num domínio onde o saber fazer é pedra de toque, o gesto mais importante do que a aparência, a entrega um movimento essencial. Sopa de Pedra são dez mulheres que cruzam as vozes num percurso pelo

cancioneiro tradicional português, com uma ou outra passagem por composições mais recentes (como “Ró da Graça”, de Capagrilos, “Serra da Lapa”, de José Afonso, ou “Bate Bate”, de Amélia Muge). A polifonia vocal define o disco, com as vozes a fazerem o grosso do trabalho. O resultado, pode apelidar-se de belíssimo, sem medo de abusar do superlativo. Aquilo que chamamos de tradição surge, aqui, numa actualidade que confirma a permanente relação dos nossos gestos com a respiração imparável do mundo. Nem os versos das velhas cantigas se perderam na bruma do tempo, nem a nossa acelerada modernidade pode prescindir de saber de onde vem. E nesse respirar que não é anacrónico, e que tem no presente a consciência do tempo, dos lugares e das pessoas, a polifonia desta Sopa de Pedra é um oxigénio precioso. SFC


UM LIVRO DEBAIXO D’OLHO

PLASTICUS MARITIMUS

UMA ESPÉCIE INVASOR A

ANA PÊGO, ISABEL MINHÓS MARTINS E BERNARDO P. CARVALHO Editora Planeta Tangerina

Ponto prévio: esqueça-se, de uma vez por todas, a conversa de que há “livros infantis”. Sim, há livros que os mais novos não conseguem ler, ou que decidimos não serem adequados para a sua idade, mas não há nada nos livros pensados para os mais novos que impeça os mais velhos de os lerem. Plasticus Maritimus começa por ser um livro essencial. O seu tema é a presença crescente, e cada vez mais ameaçadora, de plásticos nos mares. Esse tema poderia ter sido apresentado de muitos modos – alguns deles enfadonhos – , mas o Planeta Tangerina construiu um livro inteligente, rigoroso no seu conteúdo científico e didáctico, ilustrado de modo a que as imagens dialoguem com o texto e, sobretudo, cruzando informação e dados com o vínculo pessoal, talvez o grande impulso a explicar como é que um livro sobre um tema destes se torna, logo nas primeiras páginas, um objecto que

também é afectivo e carregado de outros sentidos. Ana Pêgo é bióloga marítima e desde pequena que visita regularmente a sua praia, agora, a praia da sua infância, guardada nesse lugar a que chamamos memória. Já o interesse pelo mar estava consolidado quando a bióloga juntou as aparições de lixo às suas observações da praia. Da intromissão de um elemento estranho na paisagem da infância terá nascido a vontade de perceber de onde vem o plástico que polui as águas, que consequências tem, o que podemos fazer para o travar. Tudo isso se conta neste volume, que há-de estar guardado na secção infanto-juvenil das livrarias, mas que todos deviam poder descobrir (com alguma urgência, que o relógio não pára e a chegada de mais plástico aos mares também não). SFC


ACERT

Núcleos da ACERT


NÚCLEO DE BASQUETEBOL ACERT O NBA tem por objetivo proporcionar a prática da modalidade de Basquetebol a todos os jovens do Concelho de Tondela como fora dele. Missão Promover o crescimento e o desenvolvimento das competências de formação desportiva e cívica dos atletas, em particular nos escalões de formação, tem o objetivo secundário de consolidar na última etapa o binómio de transição da formação versus competição. Tem ainda o papel supletivo de agente desportivo de despertar a consciência dos atores institucionais, da importância da implementação da modalidade do basquetebol no seu território de influência, o concelho de Tondela e fora dele. Visão Ser reconhecido pelos seus pares de todo o trabalho feito na formação, que sejam validadas e reconhecidas as competências e métodos de trabalho, um projeto que contribua para o desenvolvimento da modalidade no Concelho de Tondela, na Região de Viseu e a nível Nacional. Os princípios que orientam a formação do basquetebol é, o desenvolvimento de uma educação cívica e desportiva. Na convicção dos valores e prosse73

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

cução dos objetivos do NBA, procurando equacionar e compreender os fatores condicionantes, mas tomar as decisões, que em cada caso, se revelem aconselháveis e adequadas. Estratégia Consolidar as diferentes fases de implementação das Propostas de Trabalho em diferentes níveis de atuação. Inicialmente dever-se criar as condições de atuação do NBA, na organização da sua capacidade de intervenção, cumprindo-nos para tal afirmar que, verdadeiramente, devemos primeiro conhecer a efetiva capacidade de intervenção da estrutura e a realidade do NBA, só depois preparar implementar as diversas propostas de trabalho. TREINOS À 2ª, 4ª E 6ª PAVILHÃO MUNICIPAL TONDELA 18:30 ÀS 19:30 > NASC. 2013 A 2007 19:00 ÀS 20:30 > NASC. 2006 E 2005 19:30 ÀS 21:00 > NASC. 2004 A 2001 CONTATO: LINO DIAS (966 643 045) BASQUETEBOL@ACERT.PT


NÚCLEOS DA ACERT

NÚCLEO DE KARATÉ DA ACERT Pretendemos promover a prática do Karaté de forma individualizada, gerindo a natureza lúdica, agonista e de solicitação das qualidades físicas das tarefas que prescrevemos. Traga inicialmente um fato de treino, venha conhecer-nos e decida depois se entra na nossa família de karatecas.

TREINOS 3ª E 5ª NO PAVILHÃO M. DE TONDELA MENORES DE 14 ANOS: 19:00 ÀS 20:00 MAIORES DE 14 ANOS: 20:00 ÀS 21:00 TREINADORES: SENSEI RICARDO CHAVES E SENSEI ANTÓNIO GOUVEIA

NÚCLEO DE ESCALADA DA ACERT Se gostas de adrenalina, de enfrentar os teus medos, se gostas de escalada, junta-te ao NEA. Vem manter-te em forma, tornar-te mais ativo… “Venga ai” como dizem os escaladores. Para pertencer ao NEA é necessário: “Ter vontade de escalar e inscrever-se na secretaria da ACERT. Terá de ser sócio e requerer seguro e licença desportiva.”

HORÁRIO JOVENS: 3ª E 5ª: 17:45 ÀS 19:00 ADULTOS: 3ª E 5ª: 21:00 ÀS 22:00 PAVILHÃO MUN. TONDELA RESPONSÁVEIS CLÁUDIO LIMA E NÉLSON CUNHA CONTATO ESCALADA@ACERT.PT

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

74


FORMAÇÃO CONTÍNUA NA ACERT

CURSOS DE INGLÊS PARA CRIANÇAS E JOVENS INTERNATIONAL HOUSE NA ACERT Os cursos de inglês na Acert são organizados pela International House de Viseu, que faz parte da International House World Organization, mundialmente reconhecida pela qualidade do ensino. Os professores são ‘native speakers’ e possuem formação específica no ensino

do inglês como língua estrangeira. Os alunos frequentam duas aulas de 90 minutos por semana, integrados em turmas de acordo com o seu nível de conhecimentos, completando dois níveis durante o ano letivo (outubro a junho).

SESSÕES DE IMPROVISAÇÃO VOCAL E PERFORMANCE INTERDISCIPLINAR Estas sessões têm como base a improvisação e promovem a libertação da criatividade vocal e da expressão musical e dramática, explorando as potencialidades do instrumento primordial que é a voz. Através de jogos interativos a cappella inspirados nos métodos de Bobby Mcferrin (Circle Songs) e Rhiannon (Vocal River), serão aprofundados elementos técnicos como o ritmo, a melodia e a harmonia, manipulando a forma, o som, o movimento e o espaço.

75

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

A quem é dirigido: estas sessões são destinadas a cantores profissionais, amadores, instrumentistas, atores, bailarinos, performers ou qualquer pessoa com o desejo de explorar a sua voz livremente, num ambiente multifacetado e interdisciplinar.

COORDENADORA: LUÍSA VIEIRA 16 JAN / 13 FEV / 13 MAR QUARTAS 21:00 - 23:00 AUDITÓRIO 2


RESTAURANTE ACERT SABORES E CULTURA

HORÁRIO: 12:00 ÀS 15:00 E DAS 19:00 ÀS 22:00. ENCERRA AO DOMINGO E TERÇA-FEIRA AO JANTAR. TEL: 232 089 503

@FERNANDO FIGUEIREDO

Um espaço que constitui uma sala de visitas da ACERT com ambiente e serviço acolhedor, onde o visitante pode disfrutar de refeições com um sabor apurado, tendo algumas delas “marca registada” numa ementa criativa e tradicional. A refeição económica ao almoço, à exceção do fim de semana, constitui uma agradável alternativa. A programação cultural do Novo Ciclo ACERT estabelece aqui uma ponte de encontro, onde o sabor é também aperitivo para o espetáculo a que se vai assistir.


ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA DE TONDELA

CORPOS SOCIAIS ASSEMBLEIA GERAL Presidente: Luís Henrique P. Bráz Marques 1º Secretário: Carlos Alberto Teles de Figueiredo 2º Secretário: Margarida Amélia G. Roboredo e Melo

CONSELHO FISCAL Presidente: Predro Emanuel M. Gonçalves 1º. Secretário: António Elísio Miranda Lindo

TRIGO LIMPO TEATRO ACERT DIREÇÃO ARTÍSTICA José Rui Martins Pompeu José

ELENCO PERMANENTE António Rebelo Ilda Teixeira José Rui Martins Pedro Sousa Pompeu José Raquel Costa Sandra Santos

2º. Secretário: Maria Lizete C. Lemos

DIREÇÃO

COORDENADORES

Presidente: Luís Gonzaga Tenreiro da Cruz

NÚCLEO DE BASQUETEBOL ACERT

Vice-Presidente: José Manuel M. S. Tavares 1º. Tesoureiro: Pompeu José O. Cortez 2º. Tesoureiro: Carlos Alberto Antunes Silva 1º. Secretario: Maria Irene Henriques Pais 2º. Secretário: Carlos Gustavo Dinis Figueiredo 1º. Vogal: Paulo Fernando F. Santos Neto 2º. Vogal: Miguel Agostinho Beco P. Cardoso 3º. Vogal: Ricardo Miguel T. Chaves Ferreira

Lino Dias

NÚCLEO DE ESCALADA ACERT Cláudio Lima Nélson Cunha

NÚCLEO DE KARATÉ DA ACERT Ricardo Chaves


PROGR AMAÇÃO NOVO CICLO ACERT Equipa de Coordenação: Ilda Teixeira José Rui Martins Marta Costa Equipa Técnica: Luís Viegas Paulo Neto Produção: Marta Costa Rui Coimbra

AGENDA Contribuíram para esta agenda os elementos da equipa da ACERT coordenados por Ilda Teixeira, José Rui Martins e Marta Costa Edição Sara Figueiredo Costa Paginação Zétavares Rui Coimbra Produção gráfica e acabamento Rainho & Neves, L.da

Gestão e Tesouraria: Pompeu José Rui Vale Secretariado: Paula Pereira Comunicação: Zétavares Rui Coimbra Limpeza Efigénia Arede

CORRESPONDÊNCIA / APARTADO POSTAL Por suspenção do serviço de apartado postal, a partir de janeiro de 2019 toda a correspondência postal dirigida à Associação Cultural e Recreativa de Tondela e aos respetivos núcleos deverá ser endereçada à morada postal da ACERT. Associação Cultural e Recreativa de Tondela Rua Dr. Ricardo Mota, 14; 3460-613 Tondela

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019

78


INFORMAÇÃO E HORÁRIOS

PREÇOS ADMISSÃO DE ASSOCIADOS ACERT

PREÇO DE FAMÍLIA

Pagamento de uma joia de 0,50 € e uma quota semestral de 7,50 €

Num agregado familiar com 3 ou mais pessoas, um dos filhos, desde que menor de 18 anos, não paga.

ASSOCIADOS (E EQUIPARADOS) Preço de Associado da Acert e/ou sócio das entidades seguintes: Cine Clube de Viseu; d’Orfeu Associação Cultural; Viriato Teatro Municipal; Teatro Aveirense; Sindicato dos Trabalhadores das Empresas do Grupo da Caixa Geral de Depósitos;

DESCONTOS Estudantes, Reformados, Portadores de Cartão Jovem e Cartão Jovem Municipal.

AUDITÓRIOS * Bilhete: 7,5 € / Associados: 5€ Descontos: 6€ / Desempregado: 2,5€ Espetáculos público escolar: 2€.

NU PALCO Bilhete: 5 € / Associados: 3€ Descontos: 4€ / Desempregado: 2,5€

CRIANÇAS Espetáculos de Sala: grátis 3 a 5 anos. Espetáculos Infantis: Pagamento a partir dos 3 anos, inclusive.

HOR ÁRIOS BILHETEIRA/LOJA

BAR ACERT

(Dias com programação) Das 15:00 às 17:00 e das 20:30 às 22:00

Seg a sexta: 14:00 às 02:00 Sábado: 16:00 às 02:00 Encerra ao domingo

Secretaria e Tesouraria 09:30 às 13:00 e das 14:00 às 18:00

RESERVAS* Deverá levantar as suas reservas durante o horário de funcionamento da bilheteira e até 24h antes da hora de início do espetáculo, ou ficarão sem efeito.

*  Excepto quando devidamente assinalados

79

AGENDA ACERT · 1º TRIMESTRE 2019


Ante\visões © RUI COIMBRA (NA XINA LUA 2018)

5 ABR ESTREIA

LOBO À PORTA NA XINA LUA - GRUPO DE TEATRO ESC. SEC. TONDEL A Em Residência artística no Novo Ciclo ACERT de outubro de 2018 a maio de 2019 O Na Xina Lua participa de novo no Projecto PANOS – palcos novos, palavras novas, no Teatro Nacional D. Maria II.

“LOBO À PORTA” pretende refletir sobre a forma como uma cultura é um molde que varia conforme o lugar do mundo onde nos formámos. E pretende questionar o mundo em que vivemos através da forma como escolhemos alimentar-nos.

QUEIMA E REBENTAMENTO DO JUDAS 2019 20 ABRIL 2019 · JUNTO AO PAV. MUNICIPAL TONDEL A


A ACERT É UMA ESTRUTURA FINANCIADA POR

ACERT Associação Cultural e Recreativa de Tondela Rua Dr. Ricardo Mota, 14; 3460-613 Tondela t: (+351) 232 814 400 / www.acert.pt

Profile for ACERT Tondela

AGENDA ACERT 1º trimestre de 2019  

AGENDA CULTURAL ACERT Programação Cultural. Janeiro, Fevereiro e Março de 2019. No Novo Ciclo ACERT, Tondela

AGENDA ACERT 1º trimestre de 2019  

AGENDA CULTURAL ACERT Programação Cultural. Janeiro, Fevereiro e Março de 2019. No Novo Ciclo ACERT, Tondela

Profile for acert
Advertisement