Issuu on Google+

Ano 03

130/2012 1848 pessoas receberam este informativo

A Cultura não é feita de momentos. É preciso investimentos, dedicação e renovação.

Limeira, 16/09/2012

Artistas Limeirenses Aniversariantes

Marcos Lima Se você tem uma iniciativa cultural mande pra gente.. Estaremos divulgando !

A CULTURA SÓ SE MOVIMENTA NA BASE DAS AÇÕES. CRIE

MOBILIZE

18/09 Robson Trento Artes Cênicas

FAÇA PROJETOS

rEiNvEnTe SONHE

DIVULGUE SEU TRABALHO

Estamos no Twitter ►►►

19/09 Farid Zaine Produtor Cultural

http://www.twitter.com/acarte_limeira

20/09 Benedito Izidro Artesão

ACARTE NO FACEBOOK

COLABORE Não imprima este Jornal

http://www.facebook.com/profile.php?id=100002670408260

Os aniversariantes postados aqui fazem parte da comunidade da ACARTE no FACEBOOK. FAÇA PARTE DA NOSSA COMUNIDADE TAMBÉM


CANDIDATO PAULO HADICH ASSINA CARTA COMPROMISSO COM A CULTURA DE LIMEIRA Eliseu Daniel

Nesta sexta-feira 31/08/2012, foi realizado o Encontro Cultural com o Candidato a Prefeito Sr. Paulo Hadich, promovido pela ACARTE – Associação Cultural dos Artistas e Técnicos de Limeira e realizado no Espaço Cultural “Cirurgiões da Alegria”. Neste encontro foram discutidos assuntos diversos voltados para o desenvolvimento e manutenção da cultura na cidade de Limeira. Entre os assuntos discutidos se destacam: O aumento no orçamento anual para a Cultura para 2% do Orçamento anual da cidade de Limeira, criação e um centro de formação para produtores culturais, funcionamento da lei de incentivo cultural municipal, transformação do Conselho Municipal de Políticas Culturais de Limeira, de consultivo para deliberativo, entre outras solicitações contidas na “Carta compromisso com a Cultura Limeirense” elaborada pelos artistas e produtores culturais de Limeira, a qual está disponível no Blog da ACARTE: www.acartelimeira.blogspot.com . Carta esta que foi assinada pelo candidato, cuja mesma será também apresentada aos demais candidatos a Prefeitura de Limeira em outras datas. Este encontro foi também a oportunidade de artistas e produtores culturais exporem suas necessidades nas suas diversas áreas ali representadas. Entre os presentes destacamos o Maestro Rodrigo Muller e Fernanda Moreira: representando a Orquestra Sinfônica de Limeira, Magma Toro e Rafael Florindo: representando a Comissão do Rock de Limeira, Julio Zanini: representando a área dos músicos independentes, Eliseu Pereira e Vladimir Vaz: representando os artistas circenses, Suelen Zacharias e Manoel Andrade: representando as Artes Cênicas e Dança, Otacílio Monteiro: representando os profissionais de Literatura, Alexandre Martins e Lucas Barel: representando os artistas regionalistas e de tradições folclóricas, Robson Barboza: Vice Presidente da ACARTE e representante das artes Visuais e Musicais, Nicinha Siqueira: Representando a cultura Afro Brasileira, tivemos também a presença de apoiadores da sociedade civil que vivem a cultura no seu dia a dia. O encontro foi conduzido pelo Presidente da ACARTE Sr. Marcos Lima, que apresentou ao candidato quais são as necessidades atuais da cultura Limeirense e apontou os caminhos que os artistas e produtores culturais de Limeira têm necessidade de trilhar e posteriormente foi aberto espaço para perguntas, indagações dos presentes ao candidato. Diz Marcos Lima: Como resultado desta reunião tivemos a assinatura do candidato Paulo Hadich em nossa “Carta Compromisso com a Cultura Limeirense”, o que nos deixa uma certa garantia de que poderemos dar continuidade às nossas conquistas e sabermos que poderemos progredir em nossas necessidades culturais, contando com o apoio deste candidato, caso ele venha a ser eleito.

Kleber Leite

Paulo Hadich

Lusenrique Quintal

FOTOS DOS CANDIDATOS A PREFEITURA DE LIMEIRA


X Festival de Apartamento (Campinas/SP) Arte da Performance

DIVISÃO DE DESENVOLVIMENTO CULTURAL Sábado - 02/07/2011 a partir das 20:30h SELEÇÃO DE PROJETOS CULTURAIS EDITAL DE CHAMAMENTO 2013 Entrada Franca, mas uma garrafa de vinho será muito apreciada. A seleção identificará propostas e projetos artísticos que se alinhem a proposta Organização: da entidade de democratizar o acesso à cultura e formar plateias para as artes cênicas, Thaíse Nardim música e literatura. Os projetos selecionados farão parte da programação cultural do Ludmila Castanheira Sesi-SP no ano de 2013. Objetivo

Rodrigo Emanoel Fernandes fitrião: Flávio Rabelo

O presente edital de chamamento visa identificar propostas e projetos artísticos que se coadunem com os objetivos do SESI-SP, voltados à formação de plateias para as linguagens de Artes Cênicas, Música Saudável e Literatura. Casa Subversiva - Campinas

Rua Nair Pimenta da Silva, 905 Bairro: Residencial Terra Nova Locais de Realização Os projetos serão selecionados para atividades noBarão decorrer do ano de 2013, podendo Distrito de Geraldo - Campinas/SP ser este prazo prorrogado por mais um ano. As atividades serão desenvolvidas em unidades do SESI-SP localizados na Capital, Grande São Paulo e interior do Estado, distribuídas nos circuitos apontados abaixo ou em espaços parceiros/conveniados a serem agendados de acordo com os critérios da Entidade: Circuito - SESI-SP de Teatros Circuito - Centros de Atividades do SESI-SP Circuito - Centros Educacionais da Rede SESI-SP

Prazos, Inscrições Os prazos estabelecidos para recebimento dos projetos previstos neste edital de chamamento são: PROJETOS INSCRIÇÕES Artes Cênicas 05/09/2012 à 11/10/2012 Música 05/09/2012 à 11/10/2012 Literatura 05/09/2012 à 11/10/2012

FORMULÁRIOS E DEMAIS INFORMAÇÕES http://www.sesisp.org.br/cultura/editais.html

VOCÊ ESTA PENSADO EM REGISTRAR SUAS MÚSICAS ? ACESSE:

EDITAL: http://www.sesisp.org.br/Cultura/hArquivo.ashx?Url=4327

http://www.musica.ufrj. br/index.php?option=c om_content&view=arti cle&id=97&Itemid=129 E SAIBA MAIS..


CANÇÕES À L’ACARTE 2012 Você

VEM AÍ...

Banda Peladonna

MANDIKA

Estrela do Oriente


EDITAL PROAC Nº 32/2012 - SARAUS LITERÁRIOS A SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA torna público o CONCURSO que fará realizar visando à seleção de projetos de SARAUS LITERÁRIOS para apoio cultural, com observância na Lei Federal nº 8.666 de 21 de junho de 1993, Lei Federal nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998 (Lei de Direitos Autorais), no que couber, na Lei Estadual nº 6.544, de 22 de novembro de 1989, e alterações posteriores, Lei Estadual nº 12.268, de 20 de fevereiro de 2006, bem como toda a legislação complementar relacionada ao ProAC, e em conformidade com as condições e exigências estabelecidas neste Edital e seus anexos. para apoio cultural, com observância na Lei Federal nº 8.666 de 21 de junho de 1993, Lei Federal nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998 (Lei de Direitos Autorais), no que couber, na Lei Estadual nº 6.544, de 22 de novembro de 1989, e alterações posteriores, Lei Estadual nº 12.268, de 20 de fevereiro de 2006, bem como toda a legislação complementar relacionada ao ProAC, e em conformidade com as condições e exigências estabelecidas neste Edital e seus anexos. Data Inicial: 13/08/2012

Data Final: 01/10/2012n

DO OBJETO 1. Seleção de 3 (três) projetos que contemplem a realização de saraus literários, de forma a estimular o interesse pela leitura no Estado de São Paulo, com prêmio de R$ 40.000,00 (quarenta mil reais) cada. Os projetos devem contemplar uma ou mais das atividades descritas abaixo: Leituras públicas dirigidas (obras, autores, movimentos literários, etc.); Atividades que favoreçam o diálogo da Literatura com outros segmentos culturais, tais como: Teatro, Dança, Cinema, Música, Artes Visuais e outras; Encontros de discussão e/ou debates temáticos (movimentos literários, autores, obras, etc.); Outros formatos. 2. O valor máximo de apoio aos projetos selecionados neste Concurso será de R$ 120.000,00 (cento e vinte mil reais). 3. Pelo menos 1 (um) projeto selecionado será de proponente sediado fora da capital do Estado de São Paulo.

Baixar Edital: http://www.cultura.sp.gov.br/StaticFiles/SEC/edital/site_32.doc

a


SE VOCÊ TEM ALGO A FALAR SOBRE CULTURA COM OS CANDIDATOS, VENHA PARTICIPAR CONOSCO.. SERÁ A OPORTUNIDADE DE VOCÊ FALAR SOBRE NOSSAS NECESSIDADES CULTURAIS


ALGUNS POLÍTICOS DIZEM QUE IRÃO FAZER DIREITO, MAS ROUBAM OS NOSSOS “DIREITOS”.E AÍ ECAD, CADÊ O MEU?

Beto Santos

Por favor, meus nobres, ilustres e preclaros leitores, peço aqui solenemente que botem “arreparo” nestas minhas “trepidantes e dinamitosas” palavras, como diria Odorico Paraguaçu... Eis que também vos digo e declaro, “nesta hora exorbitante, neste momento extrapolante”, que até no momento de conquistar e buscar o voto aqui em nosso país, muita gente acaba sendo roubada. Não estou, pois a testemunhar e declarar acintosamente que todos os candidatos possuam o mesmo “mau-caratismo” itinerante deste infame personagem do nosso grande dramaturgo Dias Gomes . Mas como pode um candidato, nesses tempos modernos, postulante a um cargo de governador, senador, deputado, vereador ou prefeito, PROMETER que irá fazer tudo certo e, já começar lamentavelmente fazendo tudo errado no instante da campanha? E vejo isso, além de um desditoso erro e delito gravíssimo, também se configura como um ultraje, um roubo, um assalto... Como pode o tal cidadão, postulante a um cargo público se apropriar de uma música, uma obra, uma canção para alocar e agregar em sua campanha política, sem que se faça o recolhimento dos direitos autorais devido? Não seria isto um caso flagrante de apropriação indébita? Isso não pode ser chamado de roubo? E para comprovar essa minha tese com relação aos milhares de oportunistas pediria aos amigos internautas, que possam informar e passar em meu facebook, quantas músicas conhecidas ele viu sendo utilizada em sua cidade nesta campanha política... Já pensaram se todo mundo, que puder ver e ler esta minha matéria, enviar uma mensagem sobre o número de músicas que estão sendo ilegalmente utilizadas por candidatos espertalhões? Vai ser uma festa mesmo. E ninguém faz nada pra que se possa evitar o abuso com estas obras. E aí ECAD, cadê o meu? E as Associações de Compositores, que deveriam defender e cuidar da obra do compositor, o que estão fazendo para combater essa pilhagem abusiva e audaciosa? Quem realmente vai querer comprar essa briga absurda e abusiva, de oportunistas que lesam a Lei do Direito Autoral aqui neste país? Quem é que vai realmente colocar ordem nesta balbúrdia? Se o ECAD não faz nada, alguém deverá tomar frente para que se faça... E averiguem bem, que tem candidato que acha que pode se utilizar de músicas conhecidas em suas campanhas políticas, sem que se faça o recolhimento dos direitos autorais. Inclusive existem aqueles ilustres candidatos, que pensam e acreditam estar fazendo também um favor ao artista, ao compositor, quando incluem e inserem a música na trilha sonora de sua campanha. Lamentável! Cada ano é uma obra que os candidatos miram e pegam para massacrar. É um projeto de desconstrução da obra artística. Mas quem disse que pode? Quem deu esse direito a eles? E de que nos serve realmente a existência de uma Legislação de Proteção a Criação Intelectual, se vivemos diante de saqueadores de toda sorte que não são combatidos? E você compositor, diante de seus traumas inefáveis e indivisíveis dentro do cotidiano artístico, perde o seu tempo, se divide em crises existenciais, cria a sua canção, sua obra musical com a integração dos sonhos que você acredita, e um malfadado cidadão, todo comprometido com a esperteza, candidato a um cargo eletivo, “sem ideologias”, sem reais interesses com as causas do povo, lança mão de uma canção sem pedir sua autorização. O sujeito e sua equipe de assessores mal informados, vão lá se assenhorear de uma obra ou canção bastante conhecida e, sem qualquer pudor ou consentimento dos autores e detentores do direito, destroem, mudam aquela música, colocando uma letra de campanha pedante, sem nexo e quase ininteligível. É um processo de desconstrução da obra artística, e ninguém faz absolutamente nada contra esses aproveitadores.

Lembro-me que acerca de algumas eleições atrás, resolvi fazer parte de um grupo político da cidade, em função de que naquele momento as propostas apresentadas por aquele partido, iam de acordo com os nossos anseios relacionados às causas da cultura e do desenvolvimento das artes na cidade. Lá dei por encontrar muitos, tantos, diversos candidatos sonhadores, que não tinham o poder aquisitivo para investir na campanha deles, mas que tinham o sonho da vereança, haja vista, que sonhar não custa nada... Outro dado importante é que, aqueles candidatos não tinham nenhum seguimento do poder econômico para lhes auxiliar, patrocinar e alavancar a campanha, nem mesmo o partido lhes oferecia uma estrutura digna para a candidatura. E, fazer campanha política sem ter aliados do poder econômico é sempre uma dureza. Porém, todos eles queriam ter um jingle, queriam ter pelo menos uma “musiquinha” para sair rodando por aí e colocar o nome na boca do povo. Todos queriam, mas não tinham verbas... Diante da visão instigante dos sonhos daqueles candidatos pobres e sem estrutura e, assistindo a emoção trepidando e pairando nos olhares de muitos deles, resolvi me juntar a um companheiro de festivais para oferecer jingles para aqueles candidatos que estivessem interessados. Este amigo possuía um Home Studio, e assim começamos a oferecer jingles a preços populares. Com isso o meu amigo aperfeiçoava o seu aprendizado com relação às gravações e produções artísticas, enquanto que eu exercitava a minha capacidade em produzir e criar jingles políticos autênticos, originais e inéditos. Normalmente nós cobrávamos em torno de R$ 200,00 por cada jingle finalizado, inclusive com a locução. Se o sujeito fosse um pouco mais exigente ou quisesse ESTA ou AQUELA letra e não nos permitisse a liberdade de criação, nós cobrávamos mais caro. Mas ninguém exigia nada e todos acabavam gostando muito do resultado final. Chegamos a fazer mais de 50 jingles, inclusive para dois candidatos a prefeito. Sei que não é ético dizer e relatar aqui, mas mesmo cobrando valores e preços simbólicos, nós tivemos sérios problemas com muitos candidatos para receber. Assim acabamos desistimos de dar continuidade ao projeto de criação de jingles para campanhas políticas com valores simbólicos. Mas nunca e em momento algum nos utilizamos de quaisquer obras do cancioneiro brasileiro ou internacional para criar ou montar os nossos jingles políticos. Dessa forma conseguimos provar que é possível idealizar, criar e montar músicas e jingles para campanhas políticas, sem se apoderar de obras e trabalhos que já estão na mídia. E, se quiser usar as obras que aí estão pelo menos que paguem os direitos do autor. Confesso a vocês que estou com meus ouvidos cansados, os tímpanos estourando e, já perdi as contas de quantas versões ridículas e inócuas eu ouvi de EU QUERO TCHU, EU QUERO TCHA, para campanhas de vereadores oportunistas... E você ainda perde o seu tempo em acreditar nesse candidato? Alguém que se apropria de uma obra já existente no mercado como deve ser chamado? Alguém que se utiliza de uma obra que NÃO É DE DOMÍNIO PÚBLICO para fomentar e alavancar a sua campanha, como é que deve ser chamado? Quem se utiliza da criação e obra de outrem, como é que deve ser avaliado nas urnas? E aí ECAD, quem rouba a criação e não paga o direito do cidadão que a criou ainda tem sem anos de perdão? E Aí ECAD, cadê o meu?


PLENÁRIO DO SENADO APROVA PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO QUE CRIA O SNC A criação do Sistema Nacional de Cultura (SNC) foi aprovada nesta quarta-feira (12), pelo plenário do Senado Federal em primeiro e segundo turno. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 34/2012, que cria o SNC, obteve votação unânime e quebra regulamentar de interstício. A PEC é de autoria do deputado Paulo Pimenta (PTRS) e insere o SNC na Constituição de 1988, ao acrescentar o artigo 216-A. A aprovação da PEC no Senado contou com esforços conjuntos da ex-ministra Ana de Hollanda – que nos últimos meses visitou o Congresso Nacional para pedir a votação da Proposta – e da ministra Marta Suplicy, que enquanto senadora foi a relatora do texto na Casa. A aprovação da PEC aconteceu um dia antes de Marta Suplicy assumir o Ministério da Cultura. O secretário de Articulação Institucional do Ministerio da Cultura, João Roberto Peixe, explicou que a institucionalização do SNC na Constituição Federal do país representa a estabilidade das políticas culturais como políticas de Estado, incentivando a cooperação dos entes federados na execução das políticas de cultura e assegura a participação democrática na formulação e acompanhamento dessas políticas. “Esta é, sem dúvida, a mais importante vitória da cultura brasileira dos últimos anos”, comemora Peixe. Na votação de ontem no Senado foi possível que a PEC fosse aprovada nos dois turnos no mesmo dia, por meio da quebra do interstício – mecanismo do Regimento Interno da Casa que permite que, a partir do consenso das lideranças, os prazos previstos para a tramitação de uma PEC possam ser reduzidos, uma vez aprovado requerimento nesse sentido. SNC O Sistema Nacional de Cultura tem como objetivo propor uma estrutura que integre, articule e organize a gestão cultural, aproximando as administrações federal, estaduais e municipais e a sociedade civil, no intuito de criar uma política de Estado, ou seja, que não seja afetada nas trocas de governo. A PEC nº 34 também assegura a transparência e o controle social do setor cultural, a partir da implementação de conselhos de cultura, fundos de cultura e outras formas de participação nas políticas públicas de produtores culturais e da comunidade em geral. Em 29 de agosto, a proposta de criação do SNC foi aprovada na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado. Já na Câmara dos Deputados, a PEC que cria o SNC foi aprovada em maio deste ano, como PEC nº 416/2005.

(Texto: Lara Aliano, Ascom/MinC)

http://www.cultura.gov.br/site/2012/09/13/sistema-nacional-de-cultura-41/

a


a

A NOVA MINISTRA DA CULTURA Marta Suplicy assumiu na manhã desta quinta-feira (13/9) o comando do Ministério da Cultura, durante cerimônia de posse realizada no Palácio do Planalto, com presença da presidente da República, Dilma Roussef, do vice-presidente Michel Temer, da ministrachefe da Casa Cilvil, Gleisi Hoffmann, do presidente do Senado, José Sarney, e da exministra da Cultura, Ana de Hollanda. Em seu discurso, a nova ministra agradeceu o convite e destacou o papel da cultura como identidade do povo brasileiro. “Existe também a realização de trabalhar numa área que aprecio e sei de sua relevância. Mas, mais que tudo, é trabalhar sob o comando de uma mulher forte, arretada e competente, a quem admiro e com quem dialogo muito bem”, disse Marta. Ela elogiou seus antecessores Gilberto Gil, Juca Ferreira e Ana de Hollanda – “Coragem e determinação eu também vou precisar ter”, disse – e fez um breve balanço dos avanços da pasta desde o governo Lula. Em seu discurso, a presidente Dilma afirmou ter certeza de que Marta Suplicy reúne as qualidades necessárias para conduzir o ministério. “Tenho certeza de que a ex-senadora e ex-prefeita, minha amiga e companheira Marta Suplicy está à altura de levar à frente o Ministério da Cultura, transformando, a cada momento, a cultura numa prioridade central do meu governo”, disse a presidenta. A ex-ministra Ana de Hollanda fez um balanço de sua gestão, destacando ações como a Economia Criativa, Pontos de Cultura e outras atividades que segundo ela, têm feito a diferença na gestão da cultura no Brasil. Disse que a Cultura chegou a um orçamento “nunca antes alcançado”, com R$ 3 bilhões, e que acredita que Marta Suplicy vai conseguir distribuir bem esse dinheiro. “Falar de Cultura e falar da vida de todos nós. A responsabilidade que recebi, presidenta, foi enorme e eu agradeço muito a confiança. Dei muito de mim e tive apoio de muita gente. Tenho certeza que nova ministra vai conseguir também. Tenho confiança que ela tem sensibilidade, capacidade e todas as condições para exercer este cargo”, afirmou Ana. Em entrevista coletiva, a ministra Marta Suplicy recusou-se a comentar temas polêmicos da gestão anterior. “Sobre todos os temas polêmicos que foram da gestão da Ana, eu não vou me posicionar hoje. Eu vou estudar o ministério, mergulhar no ministério e, quando tiver uma ideia clara e formada sobre o assunto aí vou me pronunciar. Seria absolutamente leviano fazer nesse momento”, disse a nova ministra. Ela antecipou que vai se dedicar, inicialmente, para a aprovação do Vale Cultura, que prevê R$ 50 para trabalhadores, servidores públicos federais e estagiários que recebem até cinco salários mínimos, e R$ 30 a aposentados. “Vou me debruçar sobre o Vale Cultura e vamos ver se a gente consegue aprovação na Câmara, porque, junto com a aprovação, ontem, do Sistema Nacional de Cultura, estaremos dando um passo gigante”. Marta Suplicy ressaltou que não está preocupada com grupos de artistas antagônicos entre si e com sua pressão sobre o ministério. “Como eu não pertenço a nenhum grupo, eu vou ouvir todos, não estou preocupada com isso. Eu estou é vendo o extenso trabalho que eu vou ter para ouvir todo mundo e tomar minhas posições. É a isso que eu me proponho no momento. Hoje eu já ouvi uma diversidade de propostas, pedidos, colocações que eu vi que o ministério é uma coisa extremamente rica, diversa, profícua. A minha posição é de humildade”, explicou. http://www.culturaemercado.com.br/politica/marta-suplicy-toma-posse-e-diz-que-vai-sededicar-ao-vale-cultura/


CULTURA LIMEIRA A CANTATA O compositor alemão Carl Orff musicou alguns dos Carmina Burana, compondo uma cantata homônima. Com o subtítulo “Cantiones profanae cantoribus et choris cantandae”, a obra, por suas características, pode ser definida também como uma “cantata cênica”. Estreou em junho de 1937, em Frankfurt e faz parte da trilogia “Trionfi” que Orff compôs em diferentes períodos, e que compreende os “Catulli carmina” (1943) e o “Trionfo di Afrodite” (1952). A cantata é emoldurada por um símbolo da Antiguidade — a roda da fortuna, eternamente girando, trazendo alternadamente boa e má sorte. É uma parábola da vida humana exposta a constante mudança, mas não apresenta uma trama precisa.

http://sinfonicadelimeira.com/2012/09/12/dias-20-e-21-de-setembro-carmina-burana-decarl-orff/

a


Fone: [19] 3451.5164 www.inflaveis.com.br

SENAC Limeira (19) 2114-9199

Instrumentos Musicais Limeira – SP Av. Piracicaba, 450 Vila São João Fone: (19) 3704-7200

http://www.musicalbrasil.com.br/ Caso você queira contribuir com algum tema, ou tenha alguma dúvida, entre em contato conosco! Faremos o possível para auxiliá-lo. Loja Sintonia Rock

ACARTE Associação Cultural dos Artistas e Técnicos de Limeira CONTATOS: e-mail: acartelimeira@gmail.com BLOG ACARTE: http://acartelimeira.blogspot.com/


JORNAL CULTURAL ACARTE - 130