Page 1

Figura1

Da Nau Catrineta Portuguesa

agora - II

[I- WSI: https://wsimag.com/pt/economia-e-politica/32208-da-nau-catrineta-portuguesa-agora ] [II- WSI: https://wsimag.com/pt/economia-e-politica/34708-portugal-en-chamas] [III- WSI: em breve https://wsimag.com/pt/authors/134-annabela-rita ] Com Links: Da Nau Catrineta Agora - I https://www.academia.edu/35834534/Da_Nau_Catrineta_Portuguesa_agora_-_I Da Nau Catrineta Agora - II https://www.academia.edu/35834581/Da_Nau_Catrineta_Portuguesa_agora_-_II Da Nau Catrineta Agora – III (a seguir: https://flul.academia.edu/AnnabelaRita)

Annabela Rita

1

https://bibliobeiriz.files.wordpress.com/2012/01/a_nau_catrineta-almada-negreiros.jpg.


2

Do alto destas pirâmides, 40 séculos vos contemplam. Napoleão Bonaparte

Lá vem a Nau Catrineta, que tem muito que contar! Ouvide, agora, senhores, Uma história de pasmar. Tradição popular

Ó nau Catarineta Em que andei no mar Por caminhos de ir, Nunca de voltar! Veio a tempestade Perder-se do mundo, Fez-se o céu infindo, Fez-se o mar sem fundo Branquinho da Fonseca. “O Arquipélago das Sereias” (1961)

No texto anterior, falei de uma das 3 vias que os especialistas indicam para destruir um país: I. II. III.

DE PORTUGAL A SAQUE: “Uma história de pasmar”… … A PORTUGAL EM CHAMAS: “Por caminhos de ir,/ Nunca de voltar” Quando a bússola se desmagnetiza: “leva muito que contar”…

Tratada a primeira delas, a das Finanças, vamos à segunda, das Catástrofes “naturais”.

II


3

… A PORTUGAL EM CHAMAS: “Por caminhos de ir, Nunca de voltar” Generalidades & representações.

Comecemos com alguns dados: 1. De acordo com algumas fontes, o total de floresta em Portugal é de c. 3.200.000 ha. 2. Fogos & área ardida 2.1 Em 16/8/2017, segundo os dados provisórios do Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICN), até 31 de Julho tinham ardido em Portugal mais 485% de área do que a média dos 10 anos anteriores2. 2.2 No 8º relatório provisório (1/1-30/9/2017)3, a base de dados nacional de incêndios florestais regista 14.097 ocorrências (2.951 incêndios florestais e 11.146 fogachos) que resultaram em 215.988 ha de área ardida de espaços florestais (entre povoamentos (117.302 ha) e matos (98.686 ha)). Ora, em 1/Set/2017, já a área ardida ultrapassava 223.275 ha4. Se somarmos todas as áreas ardidas ao longo destes anos, verificamos que só em 10 anos, tempo de recuperação necessário à reconformação da zona verde, arderam c. 2/3 da área florestal do país. E, num só dia, ardeu metade do que tinha ardido em 9 meses5.

2

Anos

Incêndios

1980 1990 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011

2.349 10.745 34.107 26.947 26.576 26.219 22.165 35.824 20.444 20.316 14.930 26.136 22.027 25.222

Total/Área Ardida 44.251 137.252 159.605 112.312 124.619 425.839 130.108 339.089 76.058 32.595 17.565 87.421 133.091 73.829

Povoamentos florestais 29.215 79.549 68.646 45.617 65.164 286.055 56.271 213.921 36.320 9.829 5.461 24.097 46.079 20.044

Matos 15.036 57.703 90.958 66.695 59.455 139.784 73.836 125.168 39.738 22.766 12.103 63.323 87.011 53.785

http://rr.sapo.pt/noticia/91236/mais_incendios_mais_area_ardida_e_mais_bombeiros_2017_e_o_pior_ano_da_decada. http://www.icnf.pt/portal/florestas/dfci/Resource/doc/rel/2017/8-rel-prov-1jan-30set-2017.pdf. Cf., também http://www.icnf.pt/portal/florestas/dfci/inc/estat-sgif#tot; https://www.pordata.pt/DB/Portugal/Ambiente+de+Consulta/Tabela; http://www.icnf.pt/portal/florestas/dfci/Resource/doc/rel/2016/9-rel-prov-1jan-15out-2016.pdf ; http://naturlink.pt/article.aspx?menuid=3&cid=690&bl=1&viewall=true. 4 Cf. jornal Público (https://www.publico.pt/2017/09/01/sociedade/noticia/area-ardida-ja-ultrapassa-os-223-mil-hectares-1784012), com base no EFFIS. 5 http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-10-17-Num-so-dia-ardeu-metade-do-que-ardeu-em-9-meses. 3


4

1/1-14/10 1/1-30/9

2012 2013 2014 2015 2016 2017 totais

21.176 19.291 7.067 15.851 13 079 14.097 364.542

110.232 152.756 19.930 64.444 160 490 350.522* 2.479.006 Figura6

48.067 55.673 8.727 23.747 85 785 117.302

62.165 97.083 11.203 40.697 74 705 98.686

2.3 O panorama de 16/Set-16/Out/2017 é assim assinalado no mapa do Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios Florestais (EFFIS, na sigla em inglês) no seu site na Internet (estimativas com base em apenas 80% da área total ardida, dados depois confirmados pelas autoridades nacionais):

Figura7 O Público apresenta o cenário nacional assim com base nesses dados aquém da realidade de um país ainda em chamas, que o sistema da Comissão Europeia

6

https://drive.google.com/file/d/0B7p7wNgId1JgRktCbGxLd21TYXM/view?usp=sharing https://drive.google.com/file/d/0B7p7wNgId1JgdjRQalJpQjRIRkE/view?usp=sharing. Geral: http://effis.jrc.ec.europa.eu/static/effis_current_situation/public/index.html . 7


5

Figura8

2.3.1 Destaque-se um caso: 90% do Pinhal de Leiria, com 7 sécs. de existência, estão em cinzas9. 7 séculos contemplam-nos com a total desolação. 2.4 Acresce que aumentou exponencialmente para quase metade o número de fogos que deflagram à noite10. 3. Os recursos de prevenção dos fogos foram diminuídos nos efectivos e na eficácia11. 4. Os fogos de Outubro parecem repetir a catástrofe de Pedrógão Grande (64 mortos e 254 feridos)12: 41 mortos, 71 feridos e milhares de animais mortos já confirmados em 17/10/2017 nos noticiários13. Portugal de negro e de luto. 5. O relatório da CTI sobre Pedrógão14 afirma que 5.3 “O próprio registo da fita do tempo, do qual devem constar todos os acontecimentos que têm lugar nas operações de emergência e de socorro, sofreu interrupções decididas pelo comando” (p. 15); 5.4 “A partir do momento em que foi comunicado o alerta do incêndio, não houve a perceção da gravidade potencial do fogo, não se mobilizaram totalmente os meios que estavam disponíveis e os fenómenos meteorológicos extremos acabaram por conduzir o fogo, até às 03h00 do dia 18 de junho, a uma situação perfeitamente incontrolável.” (p. 15); 5.5 “Se houvesse um sistema de informação e sensibilização do comando, na altura apropriada, no sentido de sensibilizar a população, no sentido de que fosse retirada, ou dando indicações para se meterem nas casas e não saírem das casas, provavelmente o drama não teria acontecido”15 8

https://drive.google.com/file/d/0B7p7wNgId1Jgc1VsRlE5M3l3d0U/view?usp=sharing. Cf.: https://www.publico.pt/2017/09/01/sociedade/noticia/areaardida-ja-ultrapassa-os-223-mil-hectares-1784012#&gid=1&pid=2. 9 https://www.dn.pt/lusa/interior/incendios-chamas-destruiram-17250-hectares-em-alcobaca-leiria-e-marinha-grande-8848651.html. Horas antes da escrita deste texto, já se avançava com o cálculo de 80%: http://observador.pt/2017/10/16/video-o-que-resta-do-pinhal-de-leiria-depois-do-incendio/. 10 http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/incendios/quase-40-dos-fogos-voltaram-a-deflagrar-durante-a-noite. 11 https://www.publico.pt/2017/10/12/sociedade/noticia/tecnicos-pedem-revolucao-na-prevencao-e-combate-aos-fogos-eis-as-38-medidas-1788653/amp 12 Também: http://rr.sapo.pt/noticia/86498/incendio_de_pedrogao_grande_ha_19_vitimas_mortais_confirmadas. 13 http://www.mediotejo.net/incendios-fogos-do-ultimo-fim-de-semana-provocam-36-mortos/. 14 https://www.parlamento.pt/Paginas/2017/outubro/CT-Independente-analise-incendios.aspx. 15 http://observador.pt/2017/10/12/pedrogao-grande-comissao-independente-aponta-responsabilidades-ao-comando-da-protecao-civil/.


6

6. Em plena catástrofe de Pedrógão, num quadro de falta de meios16, o governo impediu a colaboração em regime de voluntariado de 60 bombeiros galegos com meios técnicos17. 7. Estradas atingidas pelo fogo mantêm-se abertas à circulação18 e chegam a ser recomendadas, tornando-se cemitérios de carros e de seres carbonizados (v. caso da “estrada da morte” de Pedrógão). 8. As populações queixaram-se da falta de resposta do 112, número de emergência, ou de resposta declarando falta de meios de socorro. Responsáveis governamentais recomendaram-lhes que fossem “proactivos” e se “autoprotegecem”19 . 9. Circula a informação de avistamentos de viaturas a alta velocidade na estrada a lançar fogo para o mato. 10. Os bombeiros queixam-se de serem impedidos de actuar em função da realidade do terreno20 devido à centralização do processo de combate aos fogos, de terem um sistema de comunicações (SIRESP) ineficiente, mas, apesar de ilegalidades assinaladas pelo Tribunal de Contas, contratado , de não poderem usar a técnica do contra-fogo21, “a medida mais eficaz para quebrar as chamas e até para salvar as casas”22. 11. Os relatórios assinalam erros e problemas técnicos e estratégicos e uma florestação desordenada23. Os técnicos reclamam “revolução na prevenção e combate aos fogos”24. Multiplicam-se as “propostas para Portugal não arder”.25 Há Planos de Ordenamento do Território26, projectos que a televisão deixou mostrar e incentivos para essa reordenação27. Há ‘avisos à navegação’, até, de responsáveis pelos serviços de combate aos incêndios. Fala-se de deficiências antes (prevenção), durante (ataque) e depois (assistência às vítimas). 12. Alguns perguntam-se “como é possível tanta incúria, desorganização e incompetência?”28 Assinalam-se algumas constatações: 1. Se o fogo se gerasse espontaneamente ou se expandisse a partir de uma pequena chama, África seria um deserto de cinza. Ora, em África, apesar da extensão e desordenamento florestal, há as queimadas: sempre por acção humana, limitadas e controladas. Houve quem fizesse deliberadamente a experiência em áreas em que ovos fritam na carroçaria de um carro, tão elevada é a temperatura: tentativas multiplicadas sempre com o fogo a extinguir-se… 2. Se se experimentar deitar um cigarro aceso para o mato seco ou deixar uma fogueira acesa sem cuidado de afastar as ervas secas, em geral, não se desencadeia um incêndio florestal. Ao contrário do que tanto se proclama. Remeto para a alínea anterior. 3. Quase metade dos fogos tem-se, reconhecidamente, desencadeado à noite e com frentes de extensão óbvia de kms, muitas vezes, com intervalos entre os focos ao longo desses mesmos kms, formando linhas a tracejado ou

16

http://observador.pt/2017/08/09/doze-pedidos-sem-resposta-por-falta-de-meios-e-25-por-falha-de-comunicacao-em-pedrogao-grande/. https://www.jornaldeleiria.pt/noticia/sessenta-bombeiros-galegos-impedidos-na-fronteira-de-ajudar-6674, http://sicnoticias.sapo.pt/especiais/tragediaem-pedrogao-grande/2017-06-20-Portugal-recusou-bombeiros-galegos, etc. 18 http://observador.pt/2017/10/16/chamas-na-estrada-e-portagens-a-arder-o-video-do-terror-na-a17-aberta-ao-transito/. 17

19 20

http://observador.pt/opiniao/minha-senhora-nao-me-faca-rir-a-esta-hora/.

Recomendação principal nas técnicas de planos de ataque dos bombeiros do Brasil: http://www.floresta.ufpr.br/firelab/tecnicas-de-combate/. 21 https://www.dn.pt/portugal/interior/bombeiros-preocupados-com-novas-regras-de-combate-1284807.html. 22 https://sol.sapo.pt/artigo/577003/joao-soares-especialista-em-assuntos-florestais-atacar-uma-frente-de-fogo-com-uma-mangueira-e-ridiculo; http://prevfogofloresta.blogspot.pt/2013/07/formas-de-combate-aos-incendios.html. 23 Relatório em http://www.parlamento.pt/Paginas/2017/outubro/CT-Independente-analise-incendios.aspx. Comentário, p. ex., em http://rr.sapo.pt/noticia/95560/comissao_tecnica_mortes_de_pedrogao_resultaram_de_erros_tacticos_e_estrategicos_da_proteccao_civil. 24 https://www.publico.pt/2017/10/12/sociedade/noticia/tecnicos-pedem-revolucao-na-prevencao-e-combate-aos-fogos-eis-as-38-medidas-1788653. 25 http://observador.pt/opiniao/dez-propostas-para-portugal-nao-arder/, 26 http://www.geoatributo.com/areasdeatuacao/planeamentoeordenamentodoterritorio/planosmunicipaisdeordenamentodoterritorio/. 27 http://www.portaldosincentivos.pt/index.php/sustentabilidade-rural/23-gestao-do-espaco-florestal-e-agro-florestal. 28 http://www.jornaldenegocios.pt/opiniao/detalhe/os-deuses-do-fogo.


7

focos diversos. Seriam eles como a tal bala da anedota do caçador que andava à procura das rolas aos ziguezagues, abatendo umas atrás das outras?… 4. Considerando as premissas anteriores, trata-se de uma esmagadora maioria de fogos postos. Como já se vai reconhecendo publicamente. 5. Considerando as premissas anteriores, também se tornam despiciendas campanhas massivas de sensibilização da população à hipótese de fogos casuais provocados por cigarros ou fósforos mal apagados… alertas, sim, mas campanhas… 6. Segundo alguns comentadores, a Galiza avisou Portugal sobre “terrorismo incendiário” que afectaria ambos e as Astúrias29. 7. Contrastivamente, verifica-se uma relutância imensa em reconhecer essa dominante de fogos postos: invoca-se a falta de cuidado de quem ateia um fogo (cigarro, fogueira), fazem-se campanhas de sensibilização, lembra-se o desordenamento florestal, alegam-se descargas eléctricas, fenómenos de ordem diversa… tudo para evitar dizer o que está à vista: fogo posto quase sempre, em 98% dos casos30. 8. Face aos dados, a periódica e sazonal catástrofe “natural” dos incêndios parece ser a nossa indústria mais produtiva, para além da burocracia de que falo em crónica anterior: 8.1. aumenta exponencialmente a nossa visibilidade na imprensa estrangeira31; 8.2. subimos nos rankings (inter)nacionais: Pedrógão foi o fogo com mais vítimas mortais do país e o 11.º mais mortal no mundo desde 190032; 8.3. aumenta exponencialmente a colocação de fogos (1671 em 17/10/2017, mais do dobro da média dos últimos 8 anos, segundo o EFFIS, por vezes, com quase 90% da criminalidade da área33), com autênticos records (400 num dia) e a área ardida do país e diminui na mesma proporção a capacidade de os combater e de recomposição das zonas verdes. Começa a ser encarado como “terrorismo” pelos técnicos34 e como “guerra” por todos35; 8.4. aumenta exponencialmente o efeito da acção de colocação de fogos: 8.4.1. P. ex., em 2016, 1 só incendiário36 com 1 fogo ateado causou c. 1.000.000 de EUR de prejuízos, ocupou 3 dias, 123 bombeiros, 26 viaturas e 520 há de floresta e mato. Ora, se as muitas dezenas de suspeitos corresponderem a efectivos incendiários… 8.4.2. Só em 15/Outubro, arderam 54.000 ha, 5.000 bombeiros no terreno, corte de estradas e de linhas de comboio, evacuação de povoações inteiras, 30 ou 41 pessoas mortas (das quais, 20 bombeiros), 63 feridas… Ministério Público abre inquérito, decretam-se 3 dias de luto nacional37, exigem-se “consequências políticas”38 e “pedido de desculpas” do Governo ao povo… 8.4.3. A “avaliação de danos vai levar semanas”…

29

https://www.elimparcial.es/noticia/182591/sociedad/el-terrorismo-incendiario-arrasa-galicia.html, https://www.publico.pt/2017/10/16/sociedade/noticia/em-espanha-chamalhe-terrorismo-incendiario1789082?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+PublicoRSS+%28Publico.pt%29, http://www.lavanguardia.com/sucesos/20171017/432131458349/incendios-galicia-asturias-portugal-en-directo.html. 30 https://www.publico.pt/2016/08/08/sociedade/noticia/jaime-soares-estamos-preparados-para-250-incendios-por-dia-imaginese-500-1740638. 31 https://www.publico.pt/2017/10/16/sociedade/noticia/portugal-volta-a-ser-falado-devido-as-chamas-1789128. 32 http://rr.sapo.pt/noticia/86498/incendio_de_pedrogao_grande_ha_19_vitimas_mortais_confirmadas. 33 http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/fogo-posto-causa-aumento-de-876-da-criminalidade-no-alto-minho. 34 https://www.publico.pt/2016/08/08/sociedade/noticia/incendios-uma-dolorosa-tradicao-que-e-um-problema-politico-1740715. 35

https://www.publico.pt/2017/10/21/fotogaleria/5-dias-depois-378422, http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/incendios-comocombater-esta-guerra. 36 http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/incendiario-provoca-1-milhao-em-prejuizo. 37 http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-10-15-Ministerio-Publico-abre-inqueritos-a-incendios-1#undefined. 38 http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-10-15-Ministerio-Publico-abre-inqueritos-a-incendios-1#undefined.


8

8.5. aumenta, na razão directa da anterior, a acção de ataque aos fogos e de responsabilização mútua de todas as instâncias; 8.6. também na mesma proporção directa, aumentam as perdas, em vidas e em valores (de c. 22.400.000 EUR, em 2008, para a média de c. 170.300.000 EUR, em 2014 e 15). 8.7. fazem-se sucessivos estudos (inclusivamente dos 4 perfis-tipo de incendiários39 e da aplicação da pena mais adequada40), formam-se comissões ad hoc, surgem propostas, dá-se matéria à comunicação social (rostos, ideias, mesas redondas, noticiários), elaboram-se mapas interactivos sintetizando a informação sobre os fogos41 e os danos42; 8.8. apela-se à ajuda das vítimas, com consequentes serviços mediadores (de recolha, levantamento dos problemas, distribuição, etc.) e, até, com a denúncia de que esses apoios não chegam ou chegam parcial e tardiamente43; 8.9. obtém-se financiamento para “catástrofe natural” (Pedrógão Grande) no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural 202044: 10.000.000 EUR; 8.10. elaboram-se programas de apoio às vítimas45 e cronologias multimédia do processo46, criam-se associações de apoio47, contas bancárias para donativos48, linhas solidárias49 e de informação sobre as vítimas50, equipas51… e pontos da situação sobre a gestão desses fundos de apoio em gráficos interactivos52. 8.11.

legisla-se em Outubro sobre o apoio às vítimas da catástrofe de Junho/2017 ;

8.12. repensa-se e redimensiona-se o sistema de ataque aos fogos (recursos humanos e técnicos), ou estuda-se e projecta-se fazê-lo. 9. Como resultado disto, observa-se 9.1. nas áreas afectadas53, a progressiva miserabilização do Portugal interior, a ceifa de vidas humanas e animais, com destruição de famílias, edifícios (às vezes, aldeias) reduzidos a vestígios, viaturas carbonizadas, a ruína do tecido empresarial de base familiar, a fuga para os centros urbanos e o despovoamento das zonas rurais onde o dantesco cedeu ao espectral; …sinto-me como se o meu pai fosse o António Costa e o Marcelo o meu avô e que ambos me abandonaram...sinto-me com medo e não confio neles...

39 40

41

https://www.bombeiros.pt/cronica-semanal/incendiarios-quem-sao.html/. http://www.sabado.pt/opiniao/convidados/antonio-ventinhas/detalhe/investigar-incendios-e-causas-de-morte.

https://fogos.pt/, Também: https://uploads.knightlab.com/storymapjs/d73a1c94ccbaad243d00f97c5a878f9a/incendios-ativos-emportugal/index.html 42 https://www.thinglink.com/scene/952605374429528065 . 43

http://observador.pt/especiais/milhoes-para-pedrogao-como-chega-o-dinheiro-ao-terreno/. http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/10-milhoes-a-caminho-de-pedrogao-apos-classificacao-como-catastrofe-natural. 45 https://www.publico.pt/2017/06/26/sociedade/noticia/arquitectos-criam-programa-de-auxilio-para-zonas-afectadas-por-catastrofes-1776995. 46 http://rr.sapo.pt/especial/86673/cronologia_multimedia_pedrogao_grande_hora_apos_hora_como_tudo_aconteceu. Mais abrangente: http://rr.sapo.pt/el/86653/cronologia-multimedia-os-piores-desastres-em-portugal-das-ultimas-decadas. 47 http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/associacao-de-apoio-as-vitimas-de-pedrogao-quer-preparar-populacoes-para-catastrofes. 48 https://www.dinheirovivo.pt/economia/pedrogao-grande-caixa-arrecada-meio-milhao-em-24-horas-para-ajudar-vitimas/. 49 http://caras.sapo.pt/atualidade/2017-06-18-Pedrogao-Grande-Linha-solidaria-da-SIC-de-apoio-as-vitimas-do-incendio. 50 V. linha para informações sobre vítimas e desaparecidos: 800 246 246. http://rr.sapo.pt/noticia/86498/incendio_de_pedrogao_grande_ha_19_vitimas_mortais_confirmadas 51 https://www.distribuicaohoje.com/retalho/colaboradores-da-sonae-apoiam-vitimas-dos-incendios/. 52 http://observador.pt/2017/09/08/pedrogao-grande-9-respostas-para-explicar-o-que-e-feito-dos-126-milhoes-de-euros-de-ajuda-as-vitimas/. 53 Interactive Map | Global Forest Watch. Cf. http://www.globalforestwatch.org/map/8/39.17/-5.56/ALL/grayscale/terrailoss?tab=analysistab&begin=2004-01-01&end=2017-08-13&dont_analyze=true. 44


9 …é preciso é agarrar incendiários e metê-los dentro do fogo, assim talvez faça pensar duas vezes os futuros incendiários, e parar com esse Circo que todos os anos é o mesmo em Portugal. posts54

9.2. no que toca aos outros (sejam eles quais forem), a possibilidade de aquisição a baixo custo das madeiras queimadas e dos terrenos ardidos (“autêntico crime organizado”, expressão usada no comentário António Vitorino - Santana Lopes de17/10/2017, na SIC Notícias), de venda de materiais e serviços para reconstrução dos que teimarem em ficar, etc..

Formulam-se perguntas, sugestões e leituras: A literatura policial habituou-nos a uma questão para resolver os casos enigmáticos: “a quem aproveita o crime”, “quem lucra com ele”? Certeira e eficaz, de acordo com as leis da simplicidade. Alguns, como o economista Mattos Chaves, desdobram esta pergunta em 10 outras, concluindo com mais 255. Outros, sugerem que se comparem as áreas consideradas rurais e de construção urbana e a propriedade de ambas antes e depois dos fogos e se tirem ilações. Outros, como António Vitorino (na SIC Notícias, em 17/10/2017), lembram que se deve controlar/seguir a circulação das madeiras queimadas (através de registo que chegou a fazer-se)… Outros, ainda, como Clemente Pedro Nunes, declaram “crime organizado de referido como “verdadeiro crime organizado de destruição massiva”, “ terrorismo organizado”56. Responsáveis governamentais declaram “É a vontade de fazer arder que continua a imperar e a criar esta instabilidade no País e nas pessoas” (Jorge Gomes)57 Outros falam em crime contra a humanidade, barbárie… Outros, ainda… “O Presidente da República é, antes de mais, uma pessoa. Uma pessoa que reterá para sempre na sua memória imagens como as de Pedrógão. (…) Mais de 100 pessoas mortas em menos de quatro meses em fogos em Portugal. Por muito que a frieza destes tempos cheios de números e chavões políticos, económicos e financeiros nos convidem a minimizar ou banalizar, estes mais de 100 mortos não mais sairão do meu pensamento, como um peso enorme na minha consciência, tal como no meu mandato presidencial.” Marcelo Rebelo de Sousa

Concluamos… 54

https://www.rtp.pt/noticias/pais/incendios-em-portugal-a-situacao-ao-minuto_e1034010.

55

https://mattoschaves.blogspot.pt/2017/10/os-incendios-10-perguntas-ao-poder.html. 56 https://portugalglorioso.blogspot.pt/2017/08/portugal-arder-isto-e-intoleravel.html. 57

http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/secretario-de-estado-nao-consegue-provar-mas-diz-que-fogos-tem-origem-criminosa217877.


10

... como recomendam as leis do pensamento que a Lógica regula58 após este itinerário de informações, constatações consequentes, representações e perguntas. A cada um o seu juízo. E tenhamos em conta que só muitos meses após o caso de Pedrógão (em Junho/2017), o Governo aceita divulgar parcialmente o VI capítulo do Relatório encomendado a Francisco Xavier Viegas e a 13 técnicos da Universidade de Coimbra, apenas 3 subcapítulos que referem 2 sobreviventes e actos heroicos, sendo certo que as famílias das vítimas terem autorizado a sua divulgação. Eis-nos reflectidos no primeiro painel do tríptico da Nau Catrineta, de Almada Negreiros, onde a tripulação rodeia uma mesa vazia e espera o sacrifício de um (“qual se havia de matar”) designado pelas “sortes” para sobrevivência, horror que fantasmizava a aventura marítima e os seus naufrágios (mais recente, em 1847, a tragédia de Dooner Party continua a ocupar os antropólogos)… A verdade é que…

…Do alto de 2017, 9 séculos contemplam… … a Nau Catrineta Por caminhos de ir, Nunca de voltar!…

Incorporar video: <iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/ RUE4v1rUpSM?rel=0&amp;start=70" frameborder="0" allowfullscreen></iframe> Aceder directamente: https://www.youtube.com/embed/RUE4 v1rUpSM?rel=0&amp;start=70

58

https://pt.wikipedia.org/wiki/Leis_do_pensamento.

You hold this boy's future in your hands, committee. It's a valuable future. Believe me. Don't destroy it! Protect it. Embrace it. It's gonna make ya proud one day -- I promise you. Frank Slade Scent of a Woman (1992) “Quero a Nau Catrineta, para nela navegar.”

Annabela Rita - ENSAIO BREVE – Da Nau Catrineta AGORA - “Por caminhos de ir,/ Nunca de voltar” (II)  

About Portugal NOW. (II) before: Annabela Rita - ENSAIO BREVE – Da Nau Catrineta AGORA - “…Uma história de pasmar…” (I) http://pt.calameo.co...

Annabela Rita - ENSAIO BREVE – Da Nau Catrineta AGORA - “Por caminhos de ir,/ Nunca de voltar” (II)  

About Portugal NOW. (II) before: Annabela Rita - ENSAIO BREVE – Da Nau Catrineta AGORA - “…Uma história de pasmar…” (I) http://pt.calameo.co...

Advertisement