Page 110

110 | Projeto Bate-Bola Contábil

fontes de financiamentos consideradas como não espontâneas, são aquelas basicamente representadas por empréstimos tomados de instituições financeiras (CAVALCANTI e MISUMI, 2002, p. 148). Para Assaf Neto (2003, p. 438), os investimentos financeiros podem ser classificados em monetários, que são representados pelo dinheiro em circulação no país, acrescidos os recursos depositados em instituições financeiras, à vista; e os investimentos financeiros não monetários, que são representados pelos títulos e valores mobiliários negociados no mercado (debêntures, ações, letras de câmbio, certificados de depósito, etc.). Quando a fonte de financiamento é originada de capital próprio da empresa, duas são as formas: - dividendos originados na operação empresarial e não distribuídos; - novo aporte de recursos por parte dos acionistas atuais ou novos. Essas fontes podem também ser entendidas a partir da Figura 3 a seguir: Dependendo da operação empresarial, a necessidade de investimento deverá

Fontes

Internas

Externas

Lucros Retidos

Recursos de terceiros

Rotatividade de Créditos Ativos Maior que Passivos

Empréstimos, Debêntures, Fornecedores, etc.

Proteção Fiscal

Recursos Próprios

Outras

Capital Acionário

FIGURA 3 – FONTES DE RECURSOS PARA FINANCIAMENTO EMPRESARIAL Fonte: Elaborado pelos autores (2013), adaptado de Cavalcanti e Misumi (2002, p. 148)

Profile for Academia Brasileira de Ciências Contábeis

Livro Bate-Bola Contábil  

Lances do Mundo Corporativo no País do Futebol

Livro Bate-Bola Contábil  

Lances do Mundo Corporativo no País do Futebol

Profile for abracicon
Advertisement