abolsamia 127 (jul/set 21)

Scroll for more

Page 113

Na Quinta da Lagoalva de Cima, em Alpiarça, um dos reboques ao serviço da casa ostenta as cores e o logotipo da VM. Preparado para transportar 10 toneladas de carga, foi o modelo de maior dimensão produzido pela marca portuguesa.

A

VM produziu reboques agrícolas com diferentes dimensões, de um ou dois eixos, e preparados para distintos limites de carga. O exemplar que continua ao serviço na Quinta da Lagoalva de Cima foi um dos últimos comercializados pela marca de Samora Correia, à entrada dos anos 90. Na aparência parece conservar a sua arquitetura original, mas, na verdade, ao longo dos tempos este VM foi recebendo alterações para se adaptar às necessidades de trabalho da exploração, nomeadamente no transporte de milho. Começou por ser tribasculante mas perdeu essa característica a favor de uma báscula unicamente traseira. O objetivo foi garantir um maior ângulo de elevação ao bascular para trás. E uma outra intervenção, esta mais exigente em termos técnicos, mas que passa despercebida a um olhar mais desatento, foi a instalação de um comando hidráulico para abrir o taipal traseiro durante a descarga. Esta funcionalidade foi conseguida recorrendo a um cilindro hidráulico, colocado

A VM EM 20 SEGUNDOS A VM (Veículos Motorizados SARL) foi uma empresa portuguesa que esteve em atividade durante cinquenta anos, entre 1940 e 1990. Com sede em Samora Correia, dedicou-se ao fabrico de equipamentos rebocados e automotrizes. Os dumpers propulsionados por motores Lister e Petter, muito utilizados em trabalhos municipais por todo o país, foram o produto central do seu portfólio. Mas a VM fabricou também outros equipamentos, entre os quais reboques agrícolas de diferentes dimensões e capacidade de carga.

horizontalmente ao nível do chassis, que através de tirantes destranca a ‘porta’ traseira. Como o VM está para durar, uma outra alteração que está em estudo é a substituição das jantes e respetivos pneus. Embora o conjunto original seja bom para estrada, apresenta uma desvantagem para campo. Devido aos pneus serem estreitos, tem tendência a deixar rodeiras fundas ao sair das parcelas com carga. Assim, é de esperar que a próxima modificação seja feita a esse nível, com a instalação de pneus mais largos.

julho/setembro 2021

O transporte de milho do campo para o secador é a tarefa principal a que está destinado este VM.

abolsamia

113