__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

EDIÇÃO 21 ANO 6 DEZ/2019

RDC 305/2019 Celeridade à Liberação de Dispositivos Médicos Personalizados BRAZILIAN HEALTH DEVICES Convênio renovado; investimento será de R$ 14,5 milhões A INDÚSTRIA DO FUTURO Aplicar inteligência artificial estrategicamente é o caminho inclusive para adequação à LGPD

VA M O S FA L A R S O B R E SAÚDE BUCAL? D oenças bucais causam dor, desconfor to, desfiguração e at é m e s mo m o r te . Pa r a va l o r i z a r a odont ol ogi a na c i ona l e re f o r ç a r o c o n c e i to d e s a ú d e s i s t ê m i c a a A B IM O de u o p o n ta p é i n i c i a l n a c a mp a n ha S o r r ir Mu d a Tu d o


SUMÁRIO

EXPEDIENTE ABIMO EM REVISTA Publicação ABIMO direcionada a parceiros e profissionais da indústria de saúde. Única publicação do setor focada nas indústrias de equipamentos e nos artigos médicos, hospitalares, odontológicos e de laboratórios, a ABIMO em Revista é uma produção da ABIMO (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios) direcionada a associados, fornecedores, parceiros, órgãos governamentais e profissionais da área de saúde. Após 17 edições no formato impresso, a ABIMO em Revista adere à plataforma virtual, ampliando consideravelmente sua distribuição a fim de atingir um maior número de atuantes na cadeia produtiva de saúde do país. Com conteúdo editorial que abrange assuntos de ampla relevância no cenário brasileiro, promove a disseminação de informações sobre o desenvolvimento do setor. Traz, a cada edição, uma ampla cobertura dos principais acontecimentos do segmento para divulgar a indústria nacional e seus pleitos. A ABIMO não se responsabiliza pelas informações contidas nos anúncios, qualidade dos produtos anunciados e outros detalhes de eventuais negociações, sendo essas de responsabilidade exclusiva das empresas anunciantes. GESTÃO MARÇO 2015 – MARÇO 2019 ABIMO Presidente: Franco Pallamolla (Lifemed) Vice-Presidente: Jamir Dagir Junior (Dorja) Diretor Tesoureiro: Luís Calistro Balestrassi (Neurotec) Conselheiros Titulares: Djalma Rodrigues (Fanem), Eliane Lustosa (Labtest), Andre Ali Mere (Olidef), José Roberto Pengo (Biomecânica), Walban Damasceno de Souza (BD), Jafte Carneiro Fagundes da Silva (Neodent) Conselheiros Suplentes: Maria Cecilia Patricia Braga Braile Verdi (Braile Biomedica), Patrícia Bella Costa (Colgate), Caetano Barros Biagi (Alliage), Andre Augusto Spicciati Pacheco (Cremer), Thiago Medeiros de Abreu (Phillips), Otavio Viegas (Alfa Med), Felipe Leonard (SIN Implante), Guarany Alves Seccadio Guimarães (Confiance Medical), Antonio Leme Junior (Maquira) Conselheiros Fiscais: Regiane Marton Heraeus (Kulzer), Rodolfo Alba Candia Jr (Conexão), José Ricardo de Souza (Ibramed) Conselheiros Fiscais Suplentes: Paulo Jéferes Wincheski (IOL Implantes), Gino Muenzer Salvador (Freedom), Elisa Freitas Olsen (Olsen) SINAEMO Presidente: Ruy Salvari Baumer (Baumer) Secretário: Paulo Henrique Fraccaro (Implus) Tesoureiro: William Pesinato (Fami) Diretores Suplentes: Tatiane Galindo Vieira (Ortosintese), Orlando de Carvalho (Carci), Mario Kajuhico Tanigawa (Nipro) Conselheiros Fiscais: José Tadeu Leme (Engimplan), Fabio Colhado Embacher (Emfils), Anselmo Ariza Quinelato (Quinelato) Conselheiros Fiscais Suplentes: Paulo Cesar Rigolo (Hexagon), Tommy Takaoka (Medical Cirúrgica), Harry Peter Grandberg (Vincula)

04 05 18 20 40 42

EDITORIAL FRANCO PALLAMOLLA EDITORIAL RUY BAUMER BHD – RENOVAÇÃO APEX NEGÓCIOS SINAEMO FALANDO NISSO

HOSPITALMED

06 0

Edição e Arte: Agência Elemento Publicidade: Márcio Bertoni (marcio.bertoni@abimo.org.br)

Prontos para 2020 Na Alemanha, Brazilian Health Devices encerra calendário 2019 de feiras internacionais

MERCADOS ALVO

Egito e Marrocos sim! Por que essas nações do norte da África despertam tanto o interesse da indústria de saúde?

CAPA Vamos falar sobre saúde bucal? Para valorizar a odontologia nacional e reforçar junto à sociedade a importância da ida frequente ao cirurgião-dentista, a ABIMO deu o pontapé inicial na campanha Sorrir Muda Tudo

REGULAÇÃO

0 PING PONG

Resolução traz celeridade à liberação de dispositivos médicos personalizados Com a RDC 305/2019, fabricantes e importadores podem solicitar anuência à Anvisa e, depois, apenas notificar a agência a cada dispositivo fabricado

Saúde sistêmica – boca e corpo atuando pelo bem-estar Cirurgiã-dentista, Regiane Marton preside a Kulzer Brasil e é conselheira da ABIMO; a executiva fala sobre a importância da compreensão do conceito da saúde sistêmica

CONTEÚDO

Fotografia: Cleber de Paula, Giseli Bueno e Leo de Paula

Com nove estados e 53,5 milhões de habitantes, região desperta o interesse da indústria de saúde

FEIRAS BHD

CONSELHO EDITORIAL ABIMO EM REVISTA: Claudio Fernandes (Consultor do setor de odontologia) Donizetti Louro (Coordenador do GT Indústria 4.0) Joffre Moraes (Gerente de Estratégia Regulatória) Larissa Gomes (Gerente de Projetos e Marketing Internacional) Márcio Bósio (Diretor Institucional) Rejane Dias (Gerente de Marketing)

Dehlicom Soluções em Comunicação Jornalista responsável: Deborah Rezende (MTB 46691) Redação: Marcela Marques Revisão: Carolina Machado

Oxe! – Nordeste e suas oportunidades

INOVAÇÃO

A indústria do futuro que chegou para ficar Tecnologias e inteligência artificial invadem o setor industrial criando receios e confusões; aplicá-las estrategicamente é o caminho inclusive para adequação à LGPD


EDITORIAL ABIMO

FRANCO PALLAMOLLA é presidente da ABIMO.

O ano de 2019, para não fugir à regra, foi umperíodo bastante movimentado para todos nós. Entre dúvidas, receios e expectativas, entre erros e acertos esperados para um início de governo, vivemos 12 meses de muito esforço para nos tornarmos protagonistas, e não apenas espectadores, das sensíveis mudanças na nossa realidade. Conquistamos algumas vitórias e não desistimos de tantas outras batalhas. Na imensa pauta de ações que entendemos indispensáveis, nos surpreendemos com algumas vozes que atribuíam apenas à Reforma Trabalhista, aprovada em 2017, o condão de recuperar os milhões de empregos perdidos nos últimos anos. No nosso ponto de vista, somente o conjunto das demais reformas (Previdência, Tributária e Administrativa) poderá nos fazer ser vistos como país produtivo, confiável e destinatário de investimentos internacionais. No tripé que compõe os fatores de produção – terra, trabalho e capital – este último pé é que nos faz mais falta e mais depende da nossa estabilidade tanto institucional quanto econômica, da credibilidade para atrair recursos que impulsionem o Brasil para a sua vocação de país do presente e não do futuro, como é conhecido há décadas. Enquanto nos colocamos à disposição para colaborar na efetivação dessas medidas tão necessárias, vamos nos dedicando a fazer a nossa parte, assumindo esse importante papel na imensa obra de reconstrução do nosso país. Paralelamente aos nossos esforços de garantir uma aproximação com os líderes do governo a fim de manter nossas demandas sob o holofote dos decisores, seguimos em contato próspero com parceiros estratégicos que nos transformam em grandes players do setor. Continuamos com determinação em busca de cenário mais justo para os empresários que se dedicam à fabricação de artigos e equipamentos. 4 ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019

Clamamos por uma legislação que ofereça as mesmas condições de competição para produtos brasileiros e estrangeiros. Tamanho é o nosso interesse em manter uma excelente abertura com o mercado externo que conseguimos, novamente, renovar o convênio com a Apex-Brasil para mais um biênio do projeto setorial Brazilian Health Devices. É o trabalho pela internacionalização da indústria da saúde nacional fortalecendo a nossa presença nos mercados estrangeiros. Falando em feiras, materializamos o projeto de apoio à vinda da maior feira de saúde do globo para o nosso país. Em maio de 2020 teremos a primeira edição da Feira MEDICA Brasil, evento que será realizado no tradicional endereço do Expo Center Norte e que promete revolucionar o mercado. Criamos, ainda, uma ação que valorizará a odontologia nacional estimulando os brasileiros a manterem em dia a saúde bucal. A campanha “Sorrir Muda Tudo” acaba de ser lançada com o inestimável suporte de grandes entidades e indústrias do segmento, já vislumbrando seu sucesso. Também mantivemos outros parceiros importantíssimos por perto. Temos proximidade relevante com a Anvisa, entidade que garante ambiente regulatório adequado e alinhado com as estratégias internacionais; desenvolvemos projetos em parceria com entidades que prezam pela inovação, como a Embrapii, para que nossas empresas possam investir em pesquisa e desenvolvimento; e marcamos presença em grandes encontros do calendário de saúde do Brasil. Para 2020, esse nosso dinamismo – que tem o otimismo como combustível – certamente se somará aos reflexos de um novo e promissor cenário econômico e de negócios, proporcionando mais confiança que receio, mais conquistas que sobressaltos e mais realidade que simples promessas.


EDITORIAL SINAEMO

RUY BAUMER é presidente do SINAEMO.

Vivemos um momento importante para o setor de saúde brasileiro. Isso porque ainda passamos por reformas que podem nos prejudicar e, em alguns casos, até inviabilizar nosso mercado, além da queda na relevância nas discussões políticas, já que a área do governo que nos representa perde protagonismo e não participa das principais discussões em andamento. Estamos a reboque dos interesses de outros setores, embora tenhamos um cenário nacional que nos mostra sinais de recuperação e desenvolvimento, projetando um 2020 melhor e mais saudável. Esse é o lado bom. Mas a saúde está, de fato, envolvida nesse prospecto positivo? Enquanto os governos das principais nações que nos servem de exemplo estão investindo cerca de 8% do PIB na saúde, o Brasil engana-se ao anunciar que investe 9%: desse montante, apenas 4% são providos pelo setor público. O restante vem do setor privado. Isso nos leva ao fato de que o Ministério da Saúde bem como as secretarias estaduais e municipais perdem a visibilidade que sempre tiveram. Vivemos, por décadas, observando a saúde como um dos principais assuntos da pauta brasileira, mas essa não é mais uma realidade. E podemos atrelar a esse movimento duas possibilidades: ou a saúde melhorou consideravelmente, ou deixou de ser relevante.

Com o Ministério da Saúde assumindo uma posição não tão forte na parceria para a melhoria do ambiente de negócios no país – salvo raras exceções –, o empresariado nacional que luta por vitórias no setor se aproxima cada vez mais do Ministério da Economia a fim de negociar riscos e conseguir melhorias que contribuam para o desenvolvimento setorial. Estamos diariamente trabalhando para que nossa posição junto às reformas traçadas pelo governo seja reforçada. Acompanhamos, de perto, o impacto dessas reformas que são propostas para evitarmos surpresas desagradáveis. Temos, em nossa pauta atual, que persistirá pelos próximos meses, abordagens relacionadas à Reforma Tributária – conseguimos incluir na relatoria algumas alterações que poderiam nos afetar fazendo da saúde uma exceção nas isenções –; decisões sobre impostos de importação de produtos finais que priorizam o acesso da produção externa dificultando a competitividade da fabricação interna; e a falta de atualização nos valores de procedimentos realizados pelo SUS. Nada disso nos direciona a um pensamento de que a guerra está ganha, mas sim de que temos muitas batalhas pela frente se quisermos seguir em busca de melhorias efetivas à competitividade da saúde brasileira.

DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA 5


COBERTURA HOSPITALMED

OXE! NORDESTE E SUAS OPORTUNIDADES Com nove estados e 53,5 milhões de habitantes, região desper ta o interesse da indústria de saúde

A

saúde, no Brasil, é um dos segmentos com maior impacto econômico e social no desenvolvimento país. E a ABIMO representa um setor que emprega mais de 60 mil pessoas, atingindo, em 2017, uma produção industrial de R$ 9,12 bilhões. Atentos às ameaças e às oportunidades encontradas em uma nação continental, onde cada região tem suas particularidades, os executivos dessa cadeia produtiva enxergaram no Nordeste a chance de ampliar os negócios de suas companhias. Estar presente na HospitalMed 2019, reconhecida como a maior feira de saúde das regiões Norte e Nordeste do país, foi uma estratégia adotada pela ABIMO para proporcionar às suas associadas a chance de se aproximarem de potenciais clientes e distribuidores locais. Montado pela primeira vez no evento, o Pavilhão ABIMO conquistou resultados interessantes ao longo dos três dias de feira. Entre 23 e 25 de outubro, com seus produtos e soluções expostos no Centro de Convenções de Pernambuco, as seis marcas que compuseram o espaço organizado pela Associação fizeram 311 contatos estratégicos e geraram R$ 1,1 milhão em expectativa de negócios para os próximos 12 meses. “Superamos todas as expectativas deste ano. Tivemos grandes expositores, parceiros e uma vasta programação de conteúdo, além de visitantes superengajados durante todos os dias da feira”, afirmou Rodrigo da Fonte, presidente do evento, que este ano recebeu 22,6 mil visitantes. 6 ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019


COBERTURA HOSPITALMED

ODONTOLOGIA Saúde bucal também foi um dos temas da edição 2019 da HospitalMed, que recebeu a ICONNE – Feira de Inovação em Odontologia no Norte e Nordeste. Presente na abertura do evento, a ABIMO, representada pela gerente de marketing Rejane Dias, esteve em contato com executivos de entidades parceiras como CRO-PE (Conselho Regional de

Odontologia de Pernambuco), ABO-PE (Associação Brasileira de Odontologia – Seção de Pernambuco) e CFO (Conselho Federal de Odontologia). Além disso, a Associação aproveitou a oportunidade de conceder uma entrevista ao vivo para a rádio Transamérica a fim de divulgar a campanha Sorrir Muda Tudo (confira mais sobre a campanha na página 22 desta edição da ABIMO em Revista).

CONFIRA O QUE OS ASSOCIADOS ACHARAM DA EDIÇÃO 2019 DA HOSPITALMED “Foi muito positivo poder receber nossos clientes e parceiros do Norte e do Nordeste.” Eder Santos, da Carci “A feira nos surpreendeu tanto em questão de público quanto do ponto de vista comercial. Por isso já confirmamos nossa participação no próximo ano.” Marcela Dagir, da Dorja “A feira este ano superou as expectativas, principalmente de público. Participamos pela divulgação e foi excelente. Recife tem uma classe médica e profissional exemplar.” Herculano Junior, da Hexagon “A feira cumpriu o que esperávamos, sendo bastante positiva para divulgarmos nossa marca e nossos produtos.” Tamires da Costa, da iNeck Technology “Foi um evento muito positivo. A feira segue ganhando corpo, e é muito importante contar com esse espaço que agrega outros estados do Nordeste.” Angela Berti, da Labtest “O evento foi inquestionável para a divulgação da nossa marca. Tivemos também a possibilidade de conceder entrevistas que ajudaram a reforçar nossos negócios.” Marcello Cherfen, da Sincron

HOSPITALMED 2019

CONFIRA M AIS FOTOS

DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA 7


COBERTURA HOSPITALMED

ABIMO HOMENAGEADA A ABIMO foi uma das entidades citadas na edição 2019 da HospitalMed. Reconhecida pela realização do II Fórum Norte-Nordeste de Regulação em Dispositivos Médicos, a Associação recebeu a homenagem das mãos de Rodrigo da Fonte, Carol Baía e Tatiana Menezes, respectivamente presidente e diretoras comercial e de marketing da feira. Rejane Dias e Márcio Bertoni, gerente e coordenador de marketing da ABIMO, representaram a entidade.

II Fórum Norte-Nordeste de Regulação em Dispositivos Médicos A ABIMO, em parceria com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), promoveu, no dia de abertura da HospitalMed, 23 de outubro, um fórum com especialistas dos ambientes normativo e regulatório da cadeia produtiva de saúde. “Foi um encontro bastante enriquecedor, repleto de informações relevantes”, pontuou Joffre Moraes, gerente de estratégia regulatória da ABIMO. Segundo Márcia Ribeiro, da Coordenação de Materiais Implantáveis em Ortopedia da GGTPS/ Anvisa, a segunda edição do fórum promoveu um diálogo capaz de reduzir os erros na apresentação das informações junto à Agência. “Isso agiliza os processos”, disse. Além de Márcia, o evento recebeu Anderson de Almeida Pereira, da Gerência de Tecnologia em Equipamentos da GGTPS/Anvisa, e Katia Shimabukuro Donath, da Getec/Anvisa. Encerrando o encontro, Joffre Moraes, que também atua como superintendente do ABNT/CB-026, Comitê Brasileiro Odonto-Médico-Hospitalar, explicou o processo de internalização das normas no país.

Quer participar das comissões do ABNT/CB-026? Clique AQUI ou acesse o QR code para verificar o calendário com todas as próximas reuniões, incluindo o escopo de cada uma delas. Caso haja interesse em atuar de forma mais ativa, entre em contato pelo e-mail cb-026@abnt.org.br.

8 ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019


INOVAÇÃO

DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA  39


FEIRAS BHD

PRONTOS PARA 2020 NA ALEMANHA, BRAZILIAN HEALTH DEVICES ENCERRA CALENDÁRIO 2019 DE FEIRAS INTERNACIONAIS Pavilhão brasileiro organizado pelo projeto setorial gerou mais de 1,6 mil contatos durante a Feira MEDICA de Düsseldor f; foram firmados US$ 2,5 milhões em negócios, valor 51% superior ao negociado em 2018

D

epois de percorrer o mundo apresentando a indústria brasileira de produtos para a saúde, o Brazilian Health Devices, projeto setorial realizado pela ABIMO em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), aterrissou na Alemanha para encerrar o calendário de feiras internacionais. Entre 18 e 21 de novembro, as 35 marcas que integraram o pavilhão brasileiro garantiram resultados surpreendentes: além de firmar US$ 2,5 milhões em contratos durante os quatro dias de feira – valor 51% superior ao conquistado na edição passada –, elas entraram em

10 ABIMO EM REVISTA  DEZEMBRO/2019


FEIRAS BHD

contato com 1,6 mil potenciais clientes, gerando uma expectativa de negócios de mais de US$ 15,7 milhões para os próximos 12 meses. De volta à feira após um período de ausência, a DK Diagnostics encerrou sua participação satisfeita. “Estivemos na Alemanha para buscar novos negócios e consolidar contatos que já fizemos no passado”, pontua Emerson Ferrareto, gerente comercial. “Agora é continuar o trabalho no Brasil, falando com essas pessoas que visitaram nosso estande para colher os frutos da exposição na Alemanha”, complementa. Para José Humberto Moromizato, da Duan, ter a marca exposta antes mesmo do evento no site oficial da feira é excelente. “Essa divulgação é um investimento necessário. Tivemos contato com mais de 30 potenciais clientes vindos

Essa divulgação é um investimento necessário. Tivemos contato com mais de 30 potenciais clientes vindos de 21 países e percebemos que os visitantes já chegam à feira com uma lista das empresas que pretendem conhecer José Humberto Moromizato

DEZEMBRO/2019  ABIMO EM REVISTA 11


FEIRAS BHD

de 21 países e percebemos que os visitantes já chegam à feira com uma lista das empresas que pretendem conhecer”, declara. A vitrine proporcionada pela MEDICA também é um dos pontos de interesse da Agaplastic. Para Gustavo Reis, a presença na maior feira de saúde do mundo alavanca o portfólio da companhia. “Estar na Alemanha é uma grande oportunidade de tornar nossos produtos conhecidos no mercado global”, diz elogiando a parceria entre a ABIMO e a Apex-Brasil que possibilita o acesso das indústrias ao evento. Segundo divulgado pela organização da feira, um dos pontos fortes da edição

MEDICA 2019

CONFIRA M AIS FOTOS

12 ABIMO EM REVISTA  DEZEMBRO/2019

2019 foi a qualidade do público presente: mais de 90% dos 121 mil visitantes tinham autonomia para tomar decisões. A próxima edição já está marcada e acontecerá entre 16 e 19 de novembro de 2020. Além de toda a exposição proporcionada às marcas, a ABIMO também reforçou seu relacionamento com líderes do setor de saúde como, por exemplo, Leandro Rodrigues Pereira, gerente-geral de Tecnologia de Produtos para Saúde da GGTPS/ Anvisa, e Francisco de Assis Figueiredo, secretário de Atenção à Saúde (SAS) do Ministério da Saúde.


FEIRAS BHD

NOVA PARADA: FEIRA MEDICA BRASIL Em maio de 2020 a grandiosidade da Feira MEDICA chegará ao Brasil. A parceria firmada entre a ABIMO e a Messe Düsseldorf – organizadora da exposição – foi assinada no dia 19 de novembro, na Alemanha, entre executivos das duas instituições. Na ocasião, Franco Pallamolla, Jamir Dajir Junior e Paulo Henrique Fraccaro, respectivamente presidente, vice-presidente superintendente da ABIMO, estiveram com Malu Sevieri, diretora da feira no Brasil; e representantes da Messe Düsseldorf: Werner M. Dornscheidt, CEO; Wolfram Diener, diretor-geral; e Horst Giesen, diretor do portfólio global de saúde e tecnologias médicas.

Entre 5 e 8 de maio, o Expo Center Norte, em São Paulo, receberá pela primeira vez uma edição do principal evento de saúde do mundo. Para a Messe Düsseldorf, essa é uma ótima oportunidade de aumentar a atuação na América Latina enquanto, para a ABIMO, representa a chance de alavancar a representatividade da indústria brasileira ampliando o relacionamento entre fabricantes e compradores bem como mostrando o potencial do mercado de saúde do país. Clique (ou acesse o QR code ao lado) para conferir os expositores já confirmados no evento e, caso ainda não tenha garantido seu estande, para reservar seu espaço. DEZEMBRO/2019  ABIMO EM REVISTA 13


MERCADOS-ALVO

EGITO E MARROCOS SIM! Por que essas nações do nor te da África desper tam tanto o interesse da indústria de saúde?

A

diversidade do norte da África é curiosa. Reunidos em uma mesma região do continente, países se destacam com culturas diferentes, sistemas de governo antagônicos e necessidades distintas. Isso faz desse território um mar de oportunidades para uma ampla gama de setores da economia. Para a indústria brasileira de saúde, dois países se destacam: Egito e Marrocos, nações que serão trabalhadas pelo Brazilian Health Devices, projeto setorial desenvolvido pela ABIMO em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), durante o convênio que se prolonga até 2021. Com uma população de grandes dimensões – 98 milhões de pessoas, segundo o Banco Mundial – o Egito se posiciona como líder do Norte da África, sendo, ainda, uma importante ponte com o Oriente Médio. Sob escassez de divisas internacionais, o país busca substituir importações, mas tem sérias carências em sua estrutura produtiva. “Por isso os egípcios se interessam pela atração de investimentos que possam suprir o mercado interno ao mesmo tempo que gerem produção com condições de exportação para mercados próximos”, comenta Rafael Cavalcante, coordenador de acesso a mercados da ABIMO, lembrando que o ALC (Acordo de Livre Comércio) Mercosul-Egito – primeiro acordo desse modelo a ser celebrado entre o bloco sul-americano e um país do continente africano – segue vigorando desde 2017 permitindo mais oportunidades comerciais entre os países. 14  ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019


MERCADOS-ALVO

Mais a oeste, fazendo fronteira com Argélia e com acesso ainda mais direto à Europa, está o Marrocos. Menor e menos populoso do que o Egito, o país se destaca pelo poder aquisitivo de razoável porte. “Marrocos passou a integrar o rol de mercados-alvo do projeto BHD como reflexo do interesse das empresas apoiadas em explorar novas fronteiras e regiões com potencial de forte sinergia com os negócios brasileiros”, esclarece Cavalcante.

Egito › Mercado prioritário para as verticais médico-hospitalar, de laboratório e reabilitação | Mercado secundário para odontologia Marrocos › Mercado secundário para a vertical odontologia

COM A PALAVRA, A INDÚSTRIA Atuando em 135 países, a Fanem mantém uma relação de confiança com o Egito desde 2003. “O Egito é um mercado potencial para nossa companhia, representando 2% do nosso faturamento nos últimos anos”, comenta José Osvaldo Flosi, gerente geral de exportação da marca, reforçando que

existem, no país, outros faturamentos decorrentes de projetos com a ONU (Organização das Nações Unidas) e órgãos financiadores que não estão computados nesse percentual. Um dos cases de sucesso da Fanem junto ao Egito ocorreu há dois anos e envolveu o fornecimento de 1,2 mil equipamentos, entre eles berços aquecidos, incubadoras para UTIs e de transporte, CPAP neonatal e fototerapia. “Em 2017 ganhamos essa licitação junto às Forças Armadas do Egito, que estava incumbida de fazer todas as compras governamentais, inclusive as que não atendiam aos hospitais militares”, explica o gerente. Na ocasião, a companhia brasileira venceu a concorrência com marcas alemãs, norte-americanas e japonesas. Já no Marrocos, quem compartilha detalhes de boas relações comerciais é a Alliage. Com parcerias sólidas há mais de 20 anos, a empresa acredita no potencial do país africano. “Membro da Liga Árabe, o Marrocos é um país muito aberto aos estrangeiros”, comenta Rafael Barichello Ferrassini, gerente de exportação. Para o executivo, um dos segredos para um bom relacionamento com compradores marroquinos está em compreender a cultura árabe. “A negociação com os árabes carece de uma tratativa diferenciada, pois eles têm uma forma bastante peculiar de negociar. Diferente do europeu e do norte-americano, o árabe tem, em seu DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA  15


MERCADOS-ALVO

DNA, a vontade de negociar preço. Eles sempre partem do princípio de que você tem uma boa margem para trabalhar os valores, buscando sempre até o último centavo de economia”, esclarece. Para Ferrassini, Marrocos tem uma vantagem sobre outros países da região. Enquanto algumas nações se limitam ao idioma árabe, por lá o francês é bastante falado e compreendido. Para os brasileiros, esse é um facilitador. “Ter um idioma mais acessível facilita tanto a venda quanto o pós-venda, que envolve treinamentos”, comenta enfatizando que esse é um dos pontos que contribuem para a construção de uma boa parceria. “Sabemos que fazer a primeira venda não é a maior dificuldade. O difícil é manter 20 anos de boas relações. E, nesse caso, a questão da língua tem grande peso”, pontua. Comprovação em números – Palestrando recentemente em São Paulo pelo Brazil Africa Forum 2019, o economista Hippolyte Fofack estimulou o Brasil a investir na África. Em entrevista à Sputnik News, o especialista mencionou que a indústria brasileira tem uma base sólida e diversificada, mas que deve aproveitar melhor as relações com os africanos. “A liderança brasileira precisa continuar com a política de tentar aprofundar o comércio do Brasil com a África, porque é do interesse dele conseguir isso”, declarou. E, de fato, a indústria já percebeu que é preciso dar atenção a esses países. A análise de crescimento de exportações do projeto setorial que compara os períodos de janeiro a setembro de 2018 com a mesma seleção de 2019 16  ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019

confirma que Egito e Marrocos estão em ascensão. No período, as exportações para o Egito cresceram 69,2% enquanto as vendas para o Marrocos cresceram incríveis 116,5%. As empresas apoiadas pelo Brazilian Health Devices exportam produtos similares para Egito e Marrocos, sendo possível destacar itens para o setor odontológico (como cimentos e outros produtos para obturação dentária, instrumentos e aparelhos para odontologia) e da vertical médico-hospitalar (como aparelhos de eletrodiagnóstico, incubadoras e respiratórios de reanimação). Em 2018, essas fabricantes venderam US$ 1,9 milhão para esses países, sendo US$ 1,2 milhão para o Marrocos e US$ 694 mil para o Egito. PONTOS QUE EXIGEM ATENÇÃO Exportar é sempre um trabalho estratégico. Para garantir espaço nos mercados egípcio e marroquino, a indústria brasileira precisa estar atenta às questões financeira e regulatória de ambos os países. A Marcação CE é muito bem aceita e, com negociação e construção de parcerias sólidas, é possível inclusive minimizar essas burocracias. Segundo Rafael Ferrassini, com 20 anos de atuação no Marrocos a Alliage já conseguiu que os compradores locais aceitassem a certificação da Anvisa como garantia de qualidade. “Os japoneses não apresentavam a Marcação CE,


MERCADOS-ALVO

e sim as certificações de seu país. Questionamos por que não aceitar a Anvisa, que é um órgão bastante reconhecido, e com o auxílio do nosso representante local conseguimos ultrapassar essa barreira”, comenta. Em termos de competitividade, ao acessar o mercado de saúde do Egito a indústria brasileira enfrenta, como barreira, certa preferência por produtos vindos da Europa, dos EUA e do Japão. “Esse envie-

samento de algumas compras públicas a dispositivos fabricados por esses players mundiais é um desafio a ser tratado. Para minimizar esse entrave, precisamos reforçar ainda mais a marca Brasil”, pontua Rafael Cavalcante, da ABIMO. Em ambas as nações podem surgir, também, questões financeiras, o que torna necessário avaliar as opções de cada país que melhor se encaixam dentro do escopo brasileiro de exportações.

População total

98.423.595

População total

36.029.138

Língua oficial

Árabe

Língua oficial

Árabe (francês bem aceito)

Religião

Islamismo

Religião

Islamismo

Sistema de república semipresidencialista governo

Importações 29% do PIB

Sistema de Monarquia constitucional governo

Território

1.001.450 km²

Território

446.550 km²

PIB

US$ 250.895 bilhões

PIB

US$ 118.495 bilhões

Expectativa 71,6 anos de vida

19% do PIB

Exportações

Fonte: Dados de 2017/2018 do Banco Mundial

MARROCOS

EGITO

Expectativa 76,2 anos de vida Importações

38% do PIB

49% do PIB

Exportações

DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA  17


BHD - RENOVAÇÃO APEX

BRAZILIAN HEALTH DEVICES CONVÊNIO RENOVADO ABIMO e Apex-Brasil seguem com projeto que estimula a internacionalização da indústri a de saúde brasileira; entre 2019 e 2021 serão investidos R$ 14,5 milhões

A

ABIMO e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) acabam de renovar o convênio responsável pelo Brazilian Health Devices, projeto setorial realizado pelas duas entidades para estimular a internacionalização da indústria de saúde brasileira. Serão aportados, entre novembro de 2019 e abril de 2021, R$ 14,5 milhões em ações que promovem as fabricantes brasileiras no cenário externo, contribuindo de forma direta para o desenvolvimento econômico do país. Considerando que esse convênio foi firmado para 18 meses e o anterior foi válido por 24 meses, o investimento aumentou 14,20%. Responsável pela negociação junto à Apex-Brasil, Larissa Gomes, gerente de projetos e marketing internacional da ABIMO, está satisfeita com a conquista. “Mesmo em uma fase delicada da nossa economia, conseguimos renovar o projeto com mais investimento”, pontua. André Limp, gestor de Projetos Setoriais da Apex-Brasil, reconhece a importância do Brazilian Health Devices na estruturação de uma indústria mais robusta e no desenvolvimento da competitividade internacional. “Quando as empresas começam a visualizar a internacionalização 18 ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019


BHD - RENOVAÇÃO APEX

como estratégia, indo além da pura e simples expansão comercial, elas desenvolvem competências internas perenes”, pontua. A ideia, segundo Limp, é que essas empresas abracem a cultura da internacionalização. “A companhia começa a entender esse movimento estratégico e de longo prazo visualizando, no projeto, uma de suas plataformas, mas não mais a única”, esclarece. Outro ponto que reforça a importância de mais uma renovação está na continuidade dos esforços. “A internacionalização é um processo contínuo, uma agenda permanente. E a renovação da parceria da Apex-Brasil com a ABIMO é fundamental para fortalecer e dar sequência a esse processo que leva anos para se formar”, comenta Limp ao mencionar que, tendo um projeto consolidado, as empresas podem, de fato, investir em suas estratégias de expansão internacional com mais segurança. Para Larissa, esse é um dos pontos cruciais. “Temos o compromisso de contribuir diretamente para as estratégias de internacionalização das nossas empresas, por isso é excelente poder garantir a elas mais um período de empenho e batalha pelo reconhecimento do Brasil no cenário externo”, finaliza.

Novidades – O Brazilian Health Devices abraçará novas iniciativas na saúde, entre elas o desenvolvimento do setor de equipamentos e dispositivos para uso veterinário. A vertical – que já está sendo trabalhada pela ABIMO no território brasileiro – contará com missões prospectivas e comerciais nos mesmos moldes de sucesso que já vêm sendo desenhados pelo projeto. A novidade está de acordo com a expectativa da Apex-Brasil de aumentar as pautas de exportação, como comenta Limp. “A diversificação de segmentos dentro de um setor tão amplo como o de equipamentos médicos é importante. Visualizamos, na saúde animal, uma boa possibilidade de crescimento”, pontua. Além disso, o projeto também ampliará os esforços nos setores de logística hospitalar e de soluções de conectividade para tratamentos de saúde, o que está diretamente atrelado à telemedicina. E, pensando estrategicamente em como alavancar a imagem do Brasil perante os principais compradores mundiais, o Brazilian Health Devices atuará de forma incisiva. “Queremos mostrar que somos confiáveis e atrativos bem como temos produtos de alta qualidade e bom custo efetivo para oferecer”, finaliza Larissa.

Resultados positivos! Entre janeiro e setembro de 2019, as exportações do projeto Brazilian Health Devices cresceram 9% em relação ao mesmo período do ano passado. Destaque para a vertical médico-hospitalar, que apresentou um desempenho bastante significativo: cresceu 35% no período considerado.

DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA  19


NEGÓCIOS

PONTE DE NEGÓCIOS – CONEXÃO EFICIENTE ENTRE COMPRA E VENDA Plataforma amplia acesso da indústria de saúde nacional às licitações públicas

N

o Brasil, cerca de 10% do PIB é investido no setor de saúde, e o governo é o principal comprador de todos os produtos e soluções fabricados no segmento. Para tornar a comunicação entre compradores e vendedores mais eficiente, há o aplicativo “Ponte de Negócios”, que, desenvolvido pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), disponibiliza as demandas para que os interessados as visualizem de forma direta e transparente. Para o, superintendente da ABIMO, esse mecanismo é bastante útil para o setor. “Nossos associados são responsáveis por quase 85% de todas as compras públicas da saúde, já considerando as aquisições das Santas Casas de Misericórdia”, relata. Doutor Sylvio Alves de Barros Filho, diretor adjunto do Depar (Departamento de Ação Regional da Fiesp), enfatiza que antes do lançamento do aplicativo as licitações tinham, em média, cinco empresas concorrendo e agora esse número subiu para nove. “O app traz um resumo das licitações por setor e, depois de encerrado o processo, ainda aponta o valor final daquele projeto. Funciona como uma pesquisa de mercado para as participantes”, diz. A ideia do “Ponte de Negócios” é organizar essas oportunidades de forma prática. “Nós captamos as demandas locais para trazer

20  ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019

pautas e direcionamentos estratégicos, fortalecendo a cadeia produtiva, a aproximação entre compradores e fornecedores, a ampliação da transparência e o foco em melhores condições de negócios para a indústria”, relata Cristiane Medina, da Federação. Dentro do sistema estão todas as oportunidades listadas na BEC (Bolsa Eletrônica de Compras/SP) e, segundo Rita Joyanovic, há excelentes projetos para o setor de saúde. De acordo com a executiva, em 2018 foram negociados R$ 11 bilhões pela BEC. “Hoje temos um catálogo de materiais e serviços com quase 130 mil itens – aproximadamente 33% desse catálogo correspondendo ao setor de saúde”, finaliza.

COMO ACESSAR? Interessado em verificar se há alguma oportunidade para a sua empresa dentro do Ponte de Negócios? 1. Acesse www.pontedenegocios.fiesp.com.br. 2. Após aceitar o termo de adesão, preencha o formulário com seus dados pessoais. 3. Escolha se quer receber os alertas via SMS ou e-mail. 4. Defina as áreas de interesse da sua empresa. Importante: a plataforma também está disponível para os smartphones Android e iOS.


PONTE DE NEGÓCIO

CALENDÁRIO DE EVENTOS ABIMO 2020

E V E N TO Arab Health

Dubai/Emirados Árabes Unidos

38º CIOSP

São Paulo/SP/Brasil

3 a 6/fev

Medlab

Dubai/Emirados Árabes Unidos

4 a 6/fev

AEEDC

Dubai/Emirados Árabes Unidos

9 a 12/abr

IDEX

Istambul/Turquia

24 a 26/abr

IDEM

Singapura

Feira MEDICA Brasil

São Paulo/SP/Brasil

26 a 28/mai

Africa Health

Joanesburgo/África do Sul

10 a 12/jun

EFORT

Viena/Áustria

23 a 25/jun

FIME

Miami/Estados Unidos

28 a 30/jul

AACC

Chicago/Estados Unidos

19 a 21/ago

PetVet

São Paulo/SP/Brasil

23 a 26/set

Dental Expo

Moscou/Rússia

23 a 26/set

Rehacare

Düsseldorf/Alemanha

8 a 10/out

EAO Berlim

Berlim/Alemanha

21 a 23/out

HospitalMed

Recife/PE/Brasil

16 a 19/nov

MEDICA Düsseldorf

Düsseldorf/Alemanha

27 a 30/jan 29/jan a 1º/fev

5 a 8/mai

PUBLICIDADE

DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA  21


CAPA – SORRIR MUDA TUDO

VAMOS FALAR SOBRE SAÚDE BUCAL? Doenças orais são as DCNT (doenças crônicas não transmissíveis) mais comuns no mundo. Causam dor, desconfor to, desfiguração e até mesmo mor te. Para valorizar a odontologia nacional e reforçar junto à sociedade a impor tância da ida frequente ao cirurgião-dentista, a ABIMO deu o pontapé inicial na campanha Sorrir Muda Tudo

A

OMS estima que metade da população do mundo sofre com doenças bucais. Isso representa mais de 3,5 bilhões de pessoas nos quatro cantos do globo. A doença periodontal grave, que pode levar à perda total dos dentes, é apontada pela organização como a 11ª mais prevalente do mundo. Com dados alarmantes como esses, chegamos à conclusão de que é preciso falar sobre saúde bucal. Para tratar desse assunto envolvendo todos os elos dessa complexa cadeia, a ABIMO assumiu uma posição de vanguarda e, ao longo deste ano, trabalhou para unir entidades e indústrias em uma campanha nunca antes criada. A Sorrir Muda Tudo, que foi iniciada em outubro, visa conscientizar a população sobre a importância de dar atenção à saúde bucal. A multidisciplinaridade, tão em voga no setor da saúde, também se faz presente na área da odontologia, visto que nas últimas décadas cirurgiões-dentistas, em parceria com outras especialidades clínicas, têm se dedicado a compreender como a saúde bucal – ou a falta dela – afeta a saúde sistêmica. “Vamos fazer jus a essa campanha e tornar o Brasil um país mais sorridente e saudável. Sabemos que 60% das pessoas não vão ao dentista, mas podemos mudar esse cenário”, afirma , superintendente da ABIMO. 22  ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019


CAPA – SORRIR MUDA TUDO

Para construir esse grandioso projeto, a Associação contou com o aval e a parceria das principais entidades do setor, além de uma ampla gama de indústrias que contribuem para a cadeia produtiva da odontologia no país e no mundo. Responsável por estruturar a ação, Rejane Dias, gerente de marketing da ABIMO, reuniu-se com líderes do segmento a fim de apresentar a ação e angariar apoiadores. “Juntos iniciamos uma campanha que seguirá impactando toda a população do país. A primeira fase do projeto segue até maio de 2020”, pontuou. Mas por qual motivo a ABIMO se prontificou a elaborar uma campanha desse porte? O próprio Fraccaro

responde: “Percebemos que era necessário levar a informação da importância da saúde bucal a toda a população, enfatizando que frequentar o cirurgião-dentista periodicamente para manter em dia a saúde da boca e dos dentes traz reflexos diretos na saúde do corpo”, explica. Essa mesma percepção, compartilhada por grandes nomes da odontologia no país, levou a essa união de forças. Para o presidente da APCD (Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas), Wilson Chediek, a campanha de valorização da odontologia no Brasil é esclarecedora e educativa. “O cirurgião-dentista será estimulado a falar com os seus pacientes. A parceria DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA  23


CAPA – SORRIR MUDA TUDO

com a ABIMO é perfeita e de fundamental importância”, disse. O presidente da ABCD, Silvio Cecchetto, tem essa mesma percepção. Para o executivo, o momento é o mais apropriado para a união do setor de saúde. “A odontologia necessita de um movimento que venha incentivar esses profissionais”, afirmou. Lançada durante o jantar em comemoração ao Dia do Cirurgião-Dentista promovido pela APCD em meados de outubro, a campanha foi apresentada em primeira mão para um seleto grupo de atuantes na área. Na ocasião, Mario Cappellette Jr., presidente da ABO (Associação Brasileira de Odontologia) no estado de São Paulo, enfatizou: “A integração das associações para o bem comum, que é a saúde bucal, por muitos anos abandonada, tem grande relevância. E faz a população pensar que vai muito além de um dente bonito”. Marcos Capez, presidente do Crosp (Conselho Regional de Odontologia), também presente no jantar, acredita que a campanha valoriza a odontologia como parte da saúde geral da população. “Esse empenho da ABIMO com os conselhos é primordial. Hoje 70% das endocardites 24  ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019

bacterianas diagnosticadas pelo Incor são advindas de infecções bucais. Não tem como dissociar: a saúde começa pela boca”, destacou Capez. Indústria envolvida – A consolidação da campanha só foi possível pelo apoio direto da indústria do setor de odontologia à ABIMO. Com produtos de alta qualidade reconhecidos e comercializados no Brasil e no mundo, a cadeia do setor tem potencial e total interesse em enfatizar a importância dos cuidados bucais. Para Fábio Embacher, presidente da Emfils e diretor da ABIMO, a campanha Sorrir Muda Tudo ainda pretende mostrar à população a diferença que uma consulta ao dentista pode fazer na saúde. “A odontologia trabalha com o melhor produto do mundo, que é o sorriso. Muitas pessoas associam o cirurgião-dentista à dor. Queremos que o paciente perceba o quanto esse profissional pode impactar a vida das pessoas”, explicou. Lembrando que a OMS define saúde como “o estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças”, Regiane Marton, presidente da Kulzer Brasil e conselheira da ABIMO, reflete que o momento é de valorização profissional de maneira integrada. “Falar, sorrir, alimentar e socializar: tudo faz parte da boca.”


CAPA – SORRIR MUDA TUDO

T R Ê S P I L A R E S P R I N C I PA I S S U S T E NTA M A C A M PA N H A S O R R I R M U DA T U D O. E NT E N DA!

01 E N GA JA M E N TO

É o pilar que ajudará a mostrar a importância de uma boca saudável na vida de qualquer pessoa, enfatizando que é preciso visitar o cirurgião-dentista com frequência para manutenção da saúde bucal.

02 H I STÓ R I A S REAIS

A campanha compartilha em seu perfil no Instagram (@sorrirmudatudo) histórias reais de como a odontologia mudou a vida das pessoas para melhor. Cidadãos que tiveram suas vidas transformadas pela atenção à saúde bucal; pessoas que recuperaram a autoestima após tratamentos dentários; e gente que descobriu problemas de saúde bastante sérios graças ao cirurgião-dentista.

03 S A Ú D E B U CA L E SAÚDE S I ST Ê M I CA O terceiro pilar da campanha Sorrir Muda Tudo mostra que a saúde da boca está ligada à saúde geral, bem como que doenças cardíacas, diabetes, doenças crônicas, câncer e depressão podem ter vínculo total com problemas orais.

DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA  25


CAPA – SORRIR MUDA TUDO

C O N F I R A O S D E S TA Q U E S M Ê S A M Ê S: OUTUBRO

FEVEREIRO

Lançada em um jantar promovido pela APCD no dia 26 de outubro, a campanha Sorrir Muda Tudo ganhou um perfil no Instagram para compartilhar histórias reais e informações sobre como a saúde bucal está diretamente atrelada à saúde do corpo.

Dia 4 de fevereiro se comemora o Dia Mundial de Luta Contra o Câncer e esse será o assunto abordado pela campanha Sorrir Muda Tudo nesse mês. Focada no câncer bucal, que, segundo o Ministério da Saúde, atingiu cerca de 14,7 mil pessoas somente em 2018, a ação reforçará a prevenção trazendo oncologistas e pacientes para compartilhar conhecimentos e histórias de vida.

NOVEMBRO vídeo

Em novembro, diabetes foi o tema da campanha. Para apresentar a relação entre uma boca sadia e um controle adequado da diabetes – que afeta, segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, mais de 12 milhões de pessoas no Brasil –, a Sorrir Muda Tudo contou com a colaboração de Fred Prado, do perfil Vida de Diabético. Com 27,8 mil seguidores no Instagram, Fred compartilhou a campanha que também contou com vídeos apresentados por Monica Dualibi e Silvio Dualibi, cirurgiões-dentistas especialistas em pacientes com necessidades especiais.

MARÇO Em março a campanha chega ao seu ápice. Intitulado Março Brilhante, o mês focará a saúde bucal atrelada à saúde geral. Nesse mês haverá um movimento ainda mais amplo, com médicos de grande reconhecimento dando seus depoimentos e influenciadores digitais que ajudarão a levar a campanha adiante.

ABRIL DEZEMBRO Mês de férias, dezembro terá foco no público infantil e na família, abordando informações relacionadas à fala, deglutição e ortodontia. Trará, por exemplo, informações relevantes sobre o uso adequado de aparelhos ortodônticos e o combate à pirataria.

A relação entre doenças cardíacas e uma saúde bucal deficiente será o tema abordado pela campanha em abril, dado que diversos estudos públicos pelo mundo apontam essa relação, principalmente por conta da disseminação de bactérias.

MAIO JANEIRO A saúde bucal está diretamente atrelada à autoestima e ao bem-estar social. Para falar sobre esse assunto, a Sorrir Muda Tudo em janeiro abordará a relação entre a perda de dentes e a depressão.

26  ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019

Com um paralelo com o Dia das Mães, em maio a campanha Sorrir Muda Tudo abordará a saúde bucal da gestante com o nascimento de bebês prematuros, visto que a associação entre a doença periodontal e os recémnascidos com baixo peso vem sendo relatada em diversos estudos pelo mundo.


CAPA – SORRIR MUDA TUDO

Quer participar? Ainda dá tempo!

Para patrocinar a campanha Sorrir Muda tudo e contribuir para a valorização da odontologia no Brasil, as empresas devem entrar em contato pelo e-mail marketing@abimo.org.br. Acesse abaixo para conferir as opções de cotas ou o QR code ao lado

CONHEÇA AS OPÇÕES DE COTAS

CONFIRA QUAIS SÃO AS INDÚSTRIAS JÁ ENVOLVIDAS NA CAMPANHA SORRIR MUDA TUDO: Patrocinador Diamante

Patrocinador Ouro

Patrocinador Prata

Patrocinador Bronze

Conexão

Digital Implant

Apoio

Realização

DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA  27


REGULAÇÃO

RESOLUÇÃO TRAZ CELERIDADE À LIBERAÇÃO DE DISPOSITIVOS MÉDICOS PERSONALIZADOS Com a RDC 305/2019, fabricantes e impor tadores podem solicitar anuência à Anvisa e, depois, apenas notificar a agência a cada dispositi vo fabricado

A

ausência de regulamento específico sobre dispositivos médicos personalizados era uma das questões que geravam demandas intensas dentro das rotinas administrativas dos fabricantes nacionais, visto que a avaliação de materiais de uso sob medida era realizada caso a caso. Isso até ser publicada, em 24 de setembro de 2019, a RDC 305/2019. Trazendo melhorias aos processos de fabricação, comercialização, importação e exposição desses dispositivos personalizados, a resolução também ampliou a transparência do cenário bem como tornou os procedimentos mais ágeis e vem atuando, inclusive, para uma evolução tecnológica desses produtos. Tendo construído um excelente relacionamento junto à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a ABIMO acompanha todas as movimentações que impactam o dia a dia de suas associadas, o que inclui o debate em torno da RDC 305/2019. “Como entidade, acompanhamos junto ao grupo de trabalho a elaboração da minuta da resolução. Participamos, também, da consulta pública inclusive retornando o texto com comentários”, pontua , gerente de estratégia regulatória da Associação. Hoje, com essa resolução vigorando, os fabricantes de dispositivos personalizados devem solicitar anuên30  ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019


REGULAÇÃO

PONTOS IMPORTANTES: A RDC 305/2019 não se aplica aos dispositivos médicos ativos, destinados à pesquisa clínica, aos produtos para diagnóstico in vitro, confeccionados sob medida em empresas de ortopedia técnica ou de confecção de calçados ortopédicos, e aos serviços de prótese dentária prestados por profissional habilitado. Dispositivos médicos adaptáveis e dispositivos médicos paciente-específicos

cia à Anvisa e depois apenas notificar a Agência a cada produto fabricado. Antes da legislação, todo novo produto passava pelo órgão regulador a fim de poder ser utilizado. Para tal, as empresas precisam atender aos requisitos de segurança e eficácia estabelecidos na RDC 56/2001, bem como a padrões e normas técnicas aplicáveis. Além disso, fabricantes que se enquadram nas classes III e IV têm de possuir Certificado de Boas Práticas de Fabricação emitido pela Anvisa e válido para a classe de risco do dispositivo. Os formulários de cadastro ou notificação estão disponíveis no portal da Anvisa (clique AQUI), bem como o termo de responsabilidade e a declaração de responsabilidade do detentor.

são sujeitos à regularização da Anvisa conforme critérios estabelecidos na RDC 185/2001 e na RDC 40/2015. Para esclarecer as principais dúvidas sobre a RDC 305/2019, a Anvisa publicou um documento que compila os principais questionamentos sobre dispositivos médicos personalizados. Clique AQUI para visualizar ou acesse o QR code ao lado.

DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA  31


PING-PONG

SAÚDE SISTÊMICA: BOCA E CORPO ATUANDO PELO BEM-ESTAR Cirurgiã-dentista, Regiane Mar ton preside a Kulzer Brasil e é consel heira da ABIMO; a executiva fala sobre a impor tância da compreensão do conceito da saúde sistêmica

O

Brasil precisa de um empurrão para mudar a percepção de que saúde bucal e saúde do corpo podem ser buscadas isoladamente. O conceito de saúde sistêmica vem ganhando força e é sobre esse tema que a doutora Regiane Marton, presidente da Kulzer Brasil e conselheira da ABIMO, fala nesta entrevista à ABIMO em Revista. Uma das grandes motivadoras da campanha Sorrir Muda Tudo, a executiva também explica como o projeto contribuirá para esse novo cenário que está sendo desenhado. – O conceito de saúde é amplo, mas muitas vezes vemos a

Regiane Marton – A OMS (Organização Mundial da Saúde) adota a máxima de que “saúde é o estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença”. Pensando nesse bem-estar, o corpo deve ser considerado como um todo, um sistema que funciona integralmente, engrenado e em harmonia interna e externa. A saúde bucal é parte não só integrante, mas também inseparável da saúde geral de uma pessoa, e tudo isso nos leva ao conceito da saúde sistêmica. – Há muita falta de conhecimento a respeito de saúde sistêmica Regiane Marton – Há mais de 100 anos trabalhamos a associação entre doença bucal e doença sistêmica. Ao longo do tempo, muitos estudos foram realizados demonstrando uma relação significativa entre enfermidades da boca e do corpo. Mas é preciso investir em uma formação acadêmica que oriente os estudantes das faculdades de odontologia sobre a importância da atenção integral para atender às necessidades dos pacientes, sempre priorizando a saúde bucal para o equilíbrio da saúde geral. Da mesma forma, 32  ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019


PING-PONG

é preciso orientar os estudantes de medicina sobre a relevância dos cuidados bucais. – Então o currículo educacional poderia contribuir, de forma mais efetiva, para disseminar o Regiane Marton – No contexto da saúde existem inúmeras especialidades médicas e odontológicas que atendem a diferentes necessidades, mas encontrar um profissional adequado nem sempre é fácil. O atual modelo de ensino pode, inclusive, causar incerteza, deixando de fornecer o conhecimento necessário para a busca da saúde plena. Os cursos de medicina e odontologia são ministrados de formas diferentes mundo afora. Em alguns países estão integrados em um mesmo curso de graduação. Em outros – como no Brasil – são faculdades totalmente separadas que levam, ainda, a uma “disputa” profissional no mercado de trabalho. E essa realidade afeta o paciente de forma importante. – A campanha

Regiane Marton – O corpo tem algumas estruturas principais de contato com o mundo: boca, olhos, pele, nariz e ouvidos. Entretanto, a boca se expande para além dos sentidos, tornando-se responsável por muito mais. Primeiro choro, amamentação, nutrição, respiração, criação de vínculos sociais e afetivos, fala, comunicação, primeiro beijo, autoestima, sorrisos… Uma

quantidade considerável de estruturas corporais depende da boca, como o coração, o estômago, o intestino e os pulmões. E esse cenário de dicotomia entre saúde bucal e saúde do corpo foi o que inspirou essa que é a maior campanha de valorização da odontologia já realizada no Brasil.

Regiane Marton – Criar uma campanha de prevenção que abranja todo o ciclo de cuidados: indústria da saúde, cirurgiões-dentistas, associações e pacientes. Ao longo dos meses, a campanha atuará de forma randômica afim de atingir o maior número possível de pessoas. Devido a essa relação direta entre saúde bucal e saúde sistêmica, a ação – que é bastante abrangente – promete se desdobrar inclusive em benefícios para todo o sistema de saúde brasileiro. -

Regiane Marton – Saúde não é uma condição estável que uma vez alcançada não precisa de manutenção. Ela carece de ação contínua e depende não somente do indivíduo, mas também de um contexto externo, muitas vezes incontrolável, composto por questões culturais e conhecimento dos limites tanto do corpo quanto da mente. A campanha surge a fim de contribuir para fixar essa nova percepção e, assim, mudar o mindset da população de modo que todos passem a dar a atenção devida aos cuidados bucais. É uma campanha com o poder de redesenhar o conceito de saúde. DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA  33


INOVAÇÃO

A INDÚSTRIA DO FUTURO QUE CHEGOU PARA FICAR Tecnologias e inteligência ar tificial invadem o setor industrial criando receios e confusões; aplicá-las estrategicamente é o caminho inclusive para adequação à LGPD

A

vançando a passos largos, sistemas cognitivos artificiais vêm transformando o planejamento, a produção e a operação das empresas no Brasil. Mas, com tantas novidades tecnológicas a caminho, muitas companhias têm estado confusas com o que pode ser feito em relação às inovações no campo da inteligência. Quanto mais a tecnologia avança, mais as empresas lutam para compreender como tirar proveito dela. “Isso ocorre, em grande parte, pois os profissionais não entendem como implementar a inovação de forma estratégica para alcançar suas metas neste mercado emergente”, comenta Donizetti Louro, consultor executivo da ABIMO e CEO da Lauris Co. Boutique de Inteligência Consultiva e Estratégica. 34  ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019


INOVAÇÃO

A inteligência artificial deve ser considerada como uma ferramenta que apoiará as decisões das pessoas no trabalho, e não substituí-las Donizetti Louro consultor executivo da ABIMO e CEO da Lauris Co. Boutique de Inteligência Consultiva e Estratégica

Nesse sentido, a grande quantidade de informação disponível na rede pode, em vez de contribuir para esclarecimentos, trazer ainda mais questionamentos e dúvidas. O que é toda essa tecnologia? Para que ela serve? Como pode ser implementada na rotina empresarial? O que se ganha e o que se perde? Muitos mitos ainda persistem quando o assunto é inteligência artificial. E um deles – se não o maior – está na suposição de que o trabalho humano se tornará

irrelevante. “A inteligência artificial deve ser considerada como uma ferramenta que apoiará as decisões das pessoas no trabalho, e não substituí-las”, elucida Louro, que também atua como professor pesquisador em inteligência artificial, automação humana e interação homem-máquina no GAESI/POLI/USP. Mas onde está o grande erro? Para Louro, uma das razões para falhas em projetos de inteligência artificial está na falta de conhecimento básico sobre DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA  35


INOVAÇÃO

Devemos lembrar que a inteligência artificial pressupõe a inteligência humana, pois – grosso modo – 80% do trabalho de desenvolvimento de um sistema cognitivo artificial é humano, enquanto apenas 20% é código

a tecnologia. “Devemos lembrar que a inteligência artificial pressupõe a inteligência humana, pois – grosso modo – 80% do trabalho de desenvolvimento de um sistema cognitivo artificial é humano, enquanto apenas 20% é código”, esclarece. A fim de detectar as melhores aplicações dessa tecnologia no dia a dia das empresas, os executivos devem questionar quais são as prioridades da companhia, quais problemas precisam ser resolvidos e de que modo a inteligência artificial e suas metodologias podem contribuir com análises preditivas e prescritivas. Como tudo

36  ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019

o que é desconhecido, os receios sobre as benesses dessas inovações ainda pairam na cadeia produtiva nacional. Porém, com as implementações e a disseminação de conhecimentos, todo o contexto vai sendo transformado e adaptado. INFRAESTRUTURA E CORPO DE TRABALHO É preciso investir em uma ampla renovação de infraestrutura tecnológica para abraçar sistemas de inteligência artificial?


INOVAÇÃO

Com as novas tecnologias remotas (nuvem), computação cognitiva e big data, é possível criar uma infraestrutura totalmente independente para a implementação da inteligência artificial e suas metodologias aplicadas, eliminando a necessidade de alterar qualquer sistema existente

Segundo Louro, esse não é o ponto mais importante. “Com as novas tecnologias remotas (nuvem), computação cognitiva e big data, é possível criar uma infraestrutura totalmente independente para a implementação da inteligência artificial e suas metodologias aplicadas, eliminando a necessidade de alterar qualquer sistema existente”, explica. Se a infraestrutura está adequada, é hora de pensar em quem vai operar essas inovações. Para o especialista, não é necessário ter uma equipe dedicada. “Em um primeiro momento é mais importante

alinhar o escopo da inteligência artificial à estratégia dos negócios e, posteriormente, readaptar os recursos humanos para as operações. Caso essa tecnologia surja como um diferencial competitivo, aí pode valer a pena investir em uma equipe interna”, diz. Para ele, todo início de projeto flui melhor com parceiros e sem investimento em capital humano interno. “Qualquer projeto de inteligência artificial carece de uma equipe multidisciplinar que dê suporte a cada ação.” Inteligência artificial x LGPD – Líderes da saúde estão debatendo como a

DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA  37


INOVAÇÃO

LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), que entrará em vigor em agosto de 2020, impactará os negócios e quais as chances de se automatizar as empresas com ferramentas de inteligência artificial para maximizar resultados. “Preparar-se para estar em conformidade com a legislação é uma responsabilidade necessária. E a inteligência artificial é um diferencial competitivo de apoio à decisão estratégica”, pontua Louro. Segundo o especialista, não se pode encarar a mudança como uma nova barreira. “Muitas pessoas acham que a LGPD restringirá os negócios, mas é preciso pensar a norma como uma grande oportunidade para que sejam iniciadas estratégias corretas de implementação da

38  ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019

inteligência artificial”, explica o consultor enfatizando que o primeiro passo a ser dado pelas companhias é conhecer o tipo de dados e a qualidade de informação que estão sendo tratadas e como elas estão sendo utilizadas. Com esses dados organizados, a inteligência artificial e seus algoritmos matemáticos e estatísticos serão capazes de extrair decisões estratégicas a serem tomadas, efetivamente. “Assim, entender quais são os dados e as informações bem como organizá-las dentro das empresas é uma via de mão dupla: contribui para a conformidade com a LGPD e, ao mesmo tempo, para a implementação das metodologias de inteligência artificial”, finaliza Louro.


COBERTURA HOSPITALMED

DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA 9


SINAEMO

SEM CONVENÇÕES COLETIVAS Empresas optam por não firmar convenções coletivas de trabalho; posição visa evitar riscos jurídicos e pesados desembolsos exigidos para custeio das representações dos empregados

A

s empresas paulistas representadas pelo SINAEMO que se relacionam com sindicatos filiados à CUT, à Força Sindical e à Intersindical decidiram, em votação, não firmar convenções coletivas de trabalho nas condições exigidas, visto que, para assinatura do compromisso, era solicitada uma série de concessões cuja obrigatoriedade gerou reflexão mais cuidadosa. “O resultado da votação revelou que a grande maioria das empresas presentes optou por não correr riscos, rejeitando firmar compromissos nas condições inflexíveis formuladas pelas representações laborais”, explica José Augusto Queiroz, diretor administrativo do SINAEMO. Para Elaine Cristina Barbosa Silva, gerente de Recursos Humanos da Baumer, aceitar as imposições colocaria a empresa em situação de fragilidade, em uma economia já abalada pelos efeitos do atual panorama econômico. “Essas reivindicações nos prejudicariam muito, pois aumentariam ainda mais o custo total da folha de pagamento”, comenta. A decisão foi tomada levando em consideração a delicada conjuntura que tem afetado a indústria de artigos e equipamentos para a saúde e, como consequência, as empresas representadas devem enfrentar assédio individual dos sindicatos laborais em suas sedes, o que exigirá ações mais estratégicas, como reforça Elaine. “As empresas devem conceder o que cada uma pode, dentro das suas possibilidades, não fechando acordos que firam a Reforma Trabalhista. Depois, devem manter uma relação bastante transparente 40  ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019


SINAEMO

com os funcionários, de maneira que eles sejam informados sobre o caminhar das negociações”, afirma. As reivindicações que, recusadas, levaram ao travamento das negociações constituíam-se de reajustes salariais

com ganhos reais, obrigatoriedade de custeio dos sindicatos laborais pelas empresas e concordância com mudanças no entendimento de assuntos já tratados e definidos na reforma trabalhista de 2017.

SINAEMO é premiado por integração virtual das empresas associadas O SINAEMO comemora mais uma conquista: com o case “Comunidades de RH Ativas no WhatsApp”, garantiu o terceiro lugar da categoria “Comunicação, produtos e serviços, relacionamento com o associado e programas de associativismo” da quinta edição do Prêmio Melhores Práticas Sindicais, criado para reconhecer ações adotadas pelos sindicatos patronais filiados à Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). “Esse tipo de reconhecimento nos motiva a fazer mais e a compartilhar, com nossos colegas, nossas ações para melhorar o relacionamento com os associados”, comenta José Augusto Queiroz, diretor administrativo do Sindicato. Para Ruth Khairallah, diretora administrativa da VK Driller e responsável pela ideia do grupo, a plataforma tornou-se indispensável. “Hoje em dia a maior divulgação acontece pelo WhatsApp, com certeza. Até por ser uma ferramenta, de fato, social. Enquanto o e-mail é individual, esse caminho é grupal”, diz. O SINAEMO RH WhatsApp integra, virtualmente, as comunidades de Recursos Humanos das empresas associadas e hoje conta com mais de 50 participantes que trocam informações, esclarecem dúvidas e recebem detalhes sobre pautas de interesse do segmento. Para integrar essa comunidade, profissionais dos times de Recursos Humanos das empresas associadas devem clicar AQUI (ou acessar o QR code ao lado) para preencher o formulário de inscrição.

DEZEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA  41


FALANDO NISSO

FA L A N D O N I S S O... por Paulo Henrique Fraccaro

C

hegado o mês de dezembro, todos já estão cientes do grande projeto que está sendo apoiado pela ABIMO e que promete revolucionar o setor de saúde no nosso país: a Feira MEDICA Brasil. Estamos ansiosos e motivados em contribuir com a Messe Düsseldorf a fim de trazer para perto de nós a principal feira de saúde do mundo. Em maio de 2020, mais precisamente entre os dias 5 e 8, estaremos todos reunidos no Expo Center Norte para a primeira edição desse evento que com certeza será um sucesso. Com visibilidade global, já que existem mais de 77 representantes internacionais promovendo o evento em cerca de 130 países, a Feira MEDICA Brasil nasce com o intuito de se transformar na principal plataforma de eventos para o setor médico-hospitalar da nação. Quem participar desse encontro terá a oportunidade de se conectar com cerca de 30 mil profissionais.

42  ABIMO EM REVISTA DEZEMBRO/2019

O pavilhão de exposições está sendo formado por um consolidado de empresas nacionais e internacionais que trabalharão para expor seus portfólios de produtos e soluções a um público qualificado repleto de tomadores de decisão. Além disso, está sendo preparada uma vasta grade de conteúdo proposta por parceiros estratégicos, entidades de classe e instituições de peso. Somos o oitavo maior mercado de saúde do mundo e precisávamos de um evento do porte da Feira MEDICA para que pudéssemos nos desenvolver acompanhando o ritmo acelerado dos principais players mundiais da saúde. Realizada em 13 países, a Feira MEDICA agora virá para o Brasil com apoio da ABIMO e com a certeza de que o nosso mercado tem muito a ganhar com essa conquista. PAULO HENRIQUE FRACCARO É SUPERINTENDENTE DA ABIMO


NISSO 8ª FEIRA DE PRODUTOS, EQUIPAMENTOS, SERVIÇOS EFALANDO TECNOLOGIAS PARA HOSPITAIS, LABORATÓRIOS, FARMÁCIAS, CLÍNICAS E CONSULTÓRIOS.

VENHA FAZER NEGÓCIOS NO SEGUNDO MAIOR POLO MÉDICO DO PAÍS

Entre em contato agora mesmo com nossa equipe comercial:

EMAIL: CONTATO@HOSPITALMED.COM.BR TELEFONE: (81) 3049-2449 | 3049-2549

Apoio Institucional

Realização, Promoção e Organização NOVEMBRO/2019 ABIMO EM REVISTA  43

FEIRAS E EVENTOS


QUER EXPORTAR? CO N H E ÇA A S AÇÕ E S D O B R A Z I L I A N H E A LT H D E V I CE S PREVISTAS PARA 2020/2021 E ENTRE EM CONTATO PARA SABER COMO PARTICIPAR

IDS 2021 Colônia, Alemanha

EAO Berlim 2020 Berlim, Alemanha

Dental Expo 2020 Moscou, Rússia

Rehacare 2020 Düsseldorf, Alemanha Medica 2019/2020 Düsseldorf, Alemanha

Efort 2020 Viena, Áustria

AACC 2020 Chicago, EUA

Medlab 2020/2021 Dubai, EAU

Fime 2020/2021 Miami, EUA

Arab Health 2020/2021 Dubai, EAU

Idex 2020 Istambul, Turquia

AEEDC 2020/2021 Dubai, EAU

Idem 2020 Singapura

Africa Health 2020 Johanesburgo, África do Sul

MÉDICO-HOSPITALAR REABILITAÇÃO

ACESSE A AGENDA COMPLETA: http://bit.ly/bhd-acoes-20-21

LABORATÓRIO ODONTOLOGIA

ORGANIZADO POR

PROMOVIDO POR

BRAZILIANHEALTHDEVICES.ORG.BR

Profile for ABIMO

ABIMO em revista edição 21  

ABIMO em revista edição 21  

Profile for abimo
Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded