Page 70

MEMÓRIA

Adeus a um líder

E

70

Setor gráfico se despede de um de seus mais íntegros e competentes profissionais: Karl Klökler, um dos fundadores da Afeigraf.

ra 29 de junho de 2014 e faltavam poucos dias para a ExpoPrint ser aberta ofi­cial­men­te para receber o público da edição 2014. Naquele mesmo dia, porém, a indústria gráfica lamentou a perda de um dos principais articuladores do evento que é hoje a principal feira do setor no Brasil: Karl Klökler. Não apenas isso, ele também foi um dos fundadores da entidade que rea­l i­za o exposição, a As­so­cia­ção dos Agentes de Fornecedores de Equipamentos e Insumos para a Indústria Gráfica (Afeigraf). Foi em torno da entidade que nasceu a amizade entre Karl e Die­ter ­Brandt, ex-​ ­presidente da Afeigraf. Aconteceu durante a participação da Heidelberg do Brasil, da qual Brandt era o principal executivo, como expositora em uma feira do setor, em 2001. Pode-​­se dizer que a “tragédia” os uniu: o teto do pavilhão de exposições caiu sobre o estande da fabricante alemã. “Depois disso, procurei saber com outros colegas se tinham ideias para, de alguma forma, dar início a um projeto comum, que acabou se transformando na Afeigraf. Enxerguei no Karl uma pessoa com quem podia contar para construir algo em comum. Naquele dia conheci uma pessoa transparente e, sobretudo, um pro­f is­sio­nal respeitado no mercado por sua postura”. O amigo e companheiro de Afeigraf também destaca a personalidade de Karl Klökler. “Foi uma pessoa de prin­cí­pios, de valores e de palavra, gostava muito de seu trabalho e o fazia com prazer. Ele tinha o pulso firma da liderança, portanto, era fácil implementar de maneira

REVISTA ABIGR AF  julho /agosto 2014

firme as decisões”. Die­ter também men­ cio­na as marcas que o executivo deixou na indústria gráfica, como uma pessoa justa, que im­pres­sio­na­va por sua postura e conhecimento técnico. “Os prin­cí­pios e valores definidos para consolidar a Afeigraf como uma entidade aberta à participação de qualquer tipo de empresa,

Karl Klökler

nossos estatutos, os eventos, tudo isso envolveu uma grande luta para concretizarmos. Mas conseguimos juntos definir e implementar prin­cí­pios que, depois de dez anos, seguem válidos como no dia da fundação da Afeigraf. E isso em muito se deve à colaboração de Karl Klökler”, declara. LUTA PELO SETOR

Diretor da Kalmaq, empresa es­pe­c ia­li­ za­d a em soluções para o segmento de

rotativas offset, Karl Klökler era um pro­ fis­sio­nal extremamente respeitado no setor gráfico. Em pro­nun­cia­men­to ofi­cial, a entidade por ele fundada registrou que “sempre lutou pelos avanços da indústria gráfica brasileira, apostando na Afeigraf como o símbolo das conquistas para este setor fundamental da indústria na­cio­nal. Empresário de visão, atuou como diretor da Kalmaq, levando a empresa à conquista de grandes objetivos no meio gráfico”. Essa liderança e, em particular, a dedicação à entidade ficaram eternizadas nas palavras do próprio Klökler, em depoimento dado para o livro “Afeigraf: 10 anos de tecnologia em impressão gráfica”, lançado em 16 de julho, em celebração a uma década de atividades da entidade. “A Afeigraf teve papel fundamental dentro da indústria gráfica nos últimos dez anos. Seus as­so­cia­dos promoveram o lançamento de produtos que re­vo­lu­cio­ na­ram o mercado de impressão; as ini­ cia­ti­vas sociais pro­por­cio­na­ram melhor qualidade de vida às pes­soas atingidas direta e indiretamente pelos projetos; os eventos transformaram os ne­gó­cios da indústria gráfica brasileira e latino-​ ­americana. Foram inúmeras as conquistas, muitas delas reconhecidas in­ter­ na­c io­n al­men­te, e um saldo altamente positivo dos projetos rea­l i­za­dos. Porém, há um longo caminho a ser trilhado e muito a conquistar. A  Afeigraf continua com seus objetivos de seguir lutando pelos interesses dos fabricantes e por me­l ho­r ias no setor gráfico na­cio­nal”. Sim, continua. Mas sem uma de suas mais iluminadas lideranças!

Revista Abigraf 272  
Revista Abigraf 272  
Advertisement