Page 1


ÍNDICE 04

DIRETORIA

06

MISSÃO E VISÃO

07

PALAVRA DOS PRESIDENTES

08

A ABIGRAF NACIONAL

09

CARTA DA INDÚSTRIA GRÁFICA À NAÇÃO

10

REGIONAIS ABIGRAF NACIONAL

12

AÇÕES DESENVOLVIDAS

14 50ª ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA 16 DIRETORIA EMPOSSADA 18 3ª SEMANA DA INDÚSTRIA GRÁFICA - 7 O CICLO DE SUSTENTABILIDADE 20 DIRETORIA EXECUTIVA SE REÚNE EM SÃO PAULO 22 GRUPO DE LÍDERES DA INDÚSTRIA GRÁFICA 24 INAUGURAÇÃO DA SALA DO GRÁFICO E DO ESCRITÓRIO DE BRASÍLIA 25 REUNIÕES POLÍTICAS 26 GRAPHIA AGORA É IMPRINT BRASIL

28

FEIRAS E EVENTOS SETORIAIS

30 EXPOPRINT LATIN AMERICA 32 FEIRA OFFICE BRASIL ESCOLAR

34

PREMIAÇÕES

36 21º PRÊMIO THEOBALDO DE NIGRIS 38 24º PRÊMIO PINI

40

PREMIAÇÃO DAS REGIONAIS

43 AÇÕES DAS REGIONAIS

48

RESULTADOS 2014

54

MEIOS DE COMUNICAÇÃO

58

DADOS ECONÔMICOS

3


DIRETORIA ABIGRAF NACIONAL

CONSELHO DIRETIVO

DIRETORIA EXECUTIVA

Julião Flaves Gaúna - (MS) Presidente

Levi Ceregato (SP) Presidente

José Fernando da Silva Rocha (SC)

Carlos Augusto Di Giorgio Sobrinho (RJ) 1º Vice-Presidente

Vice-Presidente

Fabio Arruda Mortara (SP) 2º Vice-Presidente

MEMBROS

Mário César M. de Camargo (SP) Diretor de Relações Internacionais

Floriano Alves da Silva Junior - (AL) Roberto de Lima Caminha Filho - (AM)

Jair Leite (PR) Diretor de Relações Políticas

Josair Santos Bastos - (BA)

João Baptista Depizzol Neto (ES) Diretor Técnico

João Batista Alves dos Santos - (DF) Vivian Nicolle Barbosa de Alcântara - (CE)

Odmilson Alves Pereira (PI) Diretor de Pequenas Empresas

João Baptista Depizzol Neto - (ES) Antônio de Sousa Almeida - (GO)

Carlos Roberto J. da Silva (SP) Diretor de Relações com Mercado

Roberto Carlos Moreira - (MA) Vicente de Paula Aleixo Dias - (MG)

Ricardo Marques Coube (SP) Diretor de Sustentabilidade

José Conrado Azevedo Santos - (PA) Marcone Tarradt Rocha - (PB)

Marcone Tarradt Rocha (PB) Vice-Presidente Região Nordeste

Jair Leite - (PR) Valdézio Bezerra de Figueiredo - (PE)

Vicente de Paula Aleixo Dias (MG) Vice-Presidente Região Sudeste

Carlos Augusto Di Giorgio Sobrinho - (RJ) Carlos Vinicius Aragão Costa Lima - (RN)

Angelo Garbarski (RS) Vice-Presidente Região Sul

Angelo Garbarski - (RS) Cidnei Luiz Barozzi - (SC)

Altair da Graça Cruz (MS) Vice-Presidente Região Centro-Oeste

Sidney Anversa Victor - (SP) Walter Castro dos Santos - (SE)

Cidnei Luiz Barozzi (SC) Diretor Administrativo

Sergio Carlos Ferreira Tavares - (TO)

Rodrigo Velloso de Almeida (MG) Diretor Administrativo Adjunto Luiz Gornstein (SP) Diretor Financeiro Osni Tadeu dos Santos (RS) Diretor Financeiro Adjunto

4


DIRETORES PLENÁRIOS

CONSELHO FISCAL - Titulares

Sidney Anversa Victor (SP)

Sidney Paciornik (PR)

Tullio Samorini (ES)

Tales Vinicius Ximenes Carvalho (CE)

Osvaldo Luciani (SC)

Maria Ângela Demoner Colnaghi (ES)

Marcus Antônio Cosme Lopes (RJ)

DIRETORES PLENÁRIOS Charles José Postali (SC)

Abílio de Oliveira Santana (PR)

Maria Mitico Honda (MS)

David da Silva Júnior (MG) Arthur Adalberto Schabbach (RS)

PARCEIROS HONORÁRIOS Osmar D’Almeida Santos Filho (RJ)

Sidney Fernandes - (SP)

Francisco Gomes de Oliveira (PI)

Pery Bomeisel - (SP)

José Toaldo Filho (PR)

Carlos Alberto Rangel Proença - (MG)

Luiz Carlos Dias Oliveira (MG)

Oscar Schrappe Sobrinho - (PR)

Roque Noschang (RS)

Henry V. Saatkamp - (RS)

José Arimatea de Melo Rodrigues (PI)

Werner Klatt - (RJ)

Severino Rodrigues Chaves Filho (PB)

Max Heinz Günther Schrappe - (SP)

José Alves de Brito (PI)

José Toaldo Filho - (PR)

Flávio Marques Ferreira (SP)

Rui Klatt - (RJ)

José Jonas de Farias Cabral (PB)

José Cândido Cordeiro - (PE)

Antonio Ivo Daflon dos Santos (RJ)

5


M I SS Ã O LIDERAR, O

SETOR

INTEGRAR GRÁFICO,

E

R E P R E S E N TA R

VA L O R I Z A N D O

A

CO M U N I CA Ç Ã O I M P R ESSA E P RO M OV E N D O O D E S E N V O LV I M E N T O D E S E U S A S S O C I A D O S E D E M A I S PA R T E S I N T E R E S S A D A S .

V I S Ã O UNIR,

F O R TA L E C E R

GRÁFICO

E

BRASILEIRO,

E X PA N D I R

O

SETOR

INTERAGINDO

DE

FORMA SUSTENTÁVEL COM OUTROS SETORES D A C A D E I A P R O D U T I VA .

6


P A L AV R A D O S P R E S I D E N T E S Fortalecimento regional expressão nacional

para

maior

No esforço para ampliar a competitividade e melhorar o ambiente de negócios, merece destaque ainda a criação do Grupo de Líderes de Indústria Gráfica, que, já em sua criação, no mês de setembro, reuniu 90 representantes das principais companhias de máquinas, equipamentos insumos e impressão, unidos pelo objetivo de aproveitar a sinergia para desenvolver estratégias mercadológicas benéficas a toda a cadeia.

Ao longo de 2014, a Associação Brasileira da Indústria Gráfica (ABIGRAF Nacional) passou por uma mudança de diretoria, a qual, no entanto, não trouxe rupturas em relação às grandes demandas setoriais que têm mobilizado a entidade em nome da conquista de um ambiente de negócios propício à ampliação da competitividade da indústria gráfica nacional.

A revitalização do projeto de apoio à exportação Graphia Alliance – que a partir deste ano passa a chamar Imprint Brasil – é outra das realizações que queremos destacar pelo benefício direto às empresas do setor. Promovido conjuntamente pela ABIGRAF Nacional e Apex-Brasil, nosso projeto aumentou a presença em feiras nacionais e internacionais, oferecendo novas e promissoras vitrines para o produto gráfico nacional.

Nas várias reuniões políticas de que participou, inclusive com a presidente Dilma Roussef, o novo presidente executivo da entidade, Levi Ceregato, protagonizou a defesa de interesses históricos do setor, como o estímulo à impressão local dos livros didáticos. Anunciadamente, a nova gestão busca o fortalecimento regional para aumentar a expressividade da Associação. Dentre os progressos feitos nessa direção, estão a inauguração de um escritório político da ABIGRAF em Brasília e a criação do Espaço do Gráfico, uma estação de trabalho situada na capital paulista e à disposição dos associados de todos os estados.

Quando se fala em feiras, vale chamar a atenção para a Office Brasil Escolar 2014, cuja programação paralela mereceu nossa atenção especial, com iniciativas como a promoção de palestra sobre Cartão Material Escolar e a organização de um seminário dirigido a educadores, contrapondo o uso de recursos digitais aos benefícios de materiais tradicionais, como cadernos e livros, na educação infantil.

O fortalecimento e a disseminação das premiações regionais – estratégicas para impulsionar o desenvolvimento tecnológico do setor – traduziramse em 2014 em participação expressiva dos estados no Prêmio Fernando Pini – 1.365 produtos de 18 estados. A excelência da indústria gráfica nacional foi refletida também em mais uma performance campeã no 21º Concurso Latino-Americano Theobaldo De Nigris, apoiado pela ABIGRAF Nacional. Neste ano, 21 gráficas de diferentes estados conquistaram 11 troféus Ouro e 10 Prata, sagrando o Brasil como campeão no continente.

É com sentimento de uma lição de casa realizada da melhor maneira que fazemos este Relatório de Atividades chegar às suas mãos, renovando o compromisso da ABIGRAF Nacional de mais um ano pleno de realizações e iniciativas em favor da indústria gráfica brasileira.

Julião Flaves Gaúna

Levi Ceregato

Presidente do Conselho Diretivo da Associação Brasileira da Indústria Gráfica (ABIGRAF Nacional)

Presidente da Diretoria Executiva da Associação Brasileira da Indústria Gráfica (ABIGRAF Nacional)

7


A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA GRÁFICA – ABIGRAF NACIONAL Fundada em 1965, a Associação Brasileira da Indústria Gráfica (ABIGRAF Nacional) representa um universo de mais de 20 mil empresas do setor gráfico, que participam com cerca de 0,3% do PIB nacional e 3% do PIB da indústria de transformação. A ABIGRAF Nacional é a entidade que representa os empresários do setor gráfico perante a sociedade e o poder público. A entidade implementa suas ações com o apoio de 22 Regionais, instaladas nas principais capitais do País. Na América Latina, atua em parceria com a Conlatingraf (Confederação Latino-Americana da Indústria Gráfica), organismo que congrega associações de 15 países do continente.

As atividades da ABIGRAF Nacional são direcionadas à defesa dos interesses do segmento, elaboração de propostas de melhoria na competitividade das indústrias, otimização das relações trabalhistas e mercadológicas sempre promovendo a qualidade do produto impresso gráfico.

Principais metas da ABIGRAF Nacional › Incentivo às exportações; › A luta pela definição de tributos justos e coerentes; › Concorrência saudável entre as empresas do setor; › Envolvimento em ações relacionadas à responsabilidade social e ambiental; › Apoio à formação gerencial do empresário e do executivo gráfico nacional.

8


C A R TA D A I N D Ú S T R I A G R Á F I C A À N A Ç Ã O Eleições 2014 Gráfi ca à Nação

Car ta

da

Indústria

A indústria gráfica brasileira, constituída por 20 mil empresas e empregadora de 219 mil trabalhadores, encaminha à Nação e aos candidatos à Presidência da República e demais cargos eletivos nas eleições gerais de 2014, o seguinte manifesto, com dez sugestões para a retomada de níveis mais consistentes de crescimento econômico e solução dos problemas nacionais e setoriais: 1) É premente perseverar na busca de um ambiente menos hostil aos negócios, por mais segurança jurídica e políticas públicas, inclusive a econômica, mais horizontais e menos voltadas ao varejo das emergências e ao ritmo dos improvisos. A Nação, além das sempre postergadas reformas estruturais (política, tributária, previdenciária e tralhista), precisa avançar para uma nova cultura de Estado, multiplicar sua produtividade e reconquistar a competitividade de sua indústria. O parque impressor brasileiro, parte viva desse processo, alinha-se à sociedade e a numerosas entidades de classe na defesa dessas medidas cruciais para o País. 2) O setor aplaude a aprovação final na Câmara dos Deputados, dia 3 de junho de 2014, do Plano Nacional da Educação (PNE). Item relevante do projeto é o que prevê investimento gradativo de 10% do PIB na rede pública nos próximos dez anos. Dentre as entidades de classe, a Associação Brasileira da Indústria Gráfica (ABIGRAF Nacional) foi pioneira em propor tal medida, em congresso que realizou em outubro de 2011, em Foz do Iguaçu, no Paraná. 3) Os gráficos entendem, ainda, que a prioridade da educação justifique a desoneração tributária de cadernos, agendas e materiais escolares em geral. Trata-se de medida pertinente para o País e seu povo! 4) Nesse sentido, o setor apoia o Projeto de Lei 6705/2009, que estabelece a isenção do IPI dos produtos escolares de fabricação nacional (cadernos e agendas, dentre outros itens).

5) Em complemento, deve ser estabelecida a concessão de alíquota zero de PIS / COFINS incidentes sobre as receitas decorrentes da venda dos artigos escolares. 6) Com o mesmo propósito de estimular o ensino e fomentar a leitura e a disseminação do conhecimento, os gráficos brasileiros preconizam alíquota “zero” de PIS/COFINS na impressão de livros. Somente assim será atendido de modo pleno o princípio constitucional da isenção tributária para os livros no Brasil. 7) A ABIGRAF também espera do presidente da República, governadores e parlamentares eleitos em 2014 o desfecho favorável, depois de muitos anos, do histórico conflito tributário entre ICMS e ISS no setor gráfico. O Projeto de lei 366/2013 que extingue o problema já foi aprovado no Senado e tramita na Câmara dos Deputados. O setor não pode ser uma exceção legal e jurídica no regime tributário brasileiro, arcando com os ônus da dupla tributação. 8) Também se aguarda o deferimento do pedido encaminhado à Comissão Interministerial de Compras Públicas, da concessão de margem de preferência aos livros e cadernos impressos em nosso país, nas aquisições realizadas por órgãos públicos. 9) A ABIGRAF reivindica, ainda, a desoneração da folha de pagamento de 38 NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul) do setor gráfico. Até agora, a medida contemplou apenas o segmento de embalagens. 10) Outra medida de elevado interesse da população, em especial a parcela de menor renda, é a redução da carga tributária das embalagens de alimentos da cesta básica. A indústria gráfica acredita no potencial brasileiro, nas instituições e na democracia! Por isso, entende que as eleiçoes de 2014 são uma grande oportunidade para o debate e a solução dos problemas e o avanço do Brasil a um novo patamar de desenvolvimento.

9


REGIONAIS ABIGRAF NACIONAL A força de uma entidade é diretamente proporcional ao número de empresas a ela associadas. É por este motivo que as 22 regionais da ABIGRAF Nacional atuam de forma coordenada em busca de resultados concretos e de melhorias para a indústria gráfica brasileira.

M A PA D A S R E G I O N A I S Regionais ABIGRAF

10


P R E S E N Ç A G A R A N T I D A E M T O D O PA Í S REGIONAL ALAGOAS Rua França Morel, 141 Maceió-AL - CEP 57020-560 Fone (82) 9971-3921 | Fax (82) 3231-8138

REGIONAL MATO GROSSO DO SUL Rua Cel. Camisão, 65 - Amambaí Campo Grande-MS - CEP 79005-380 Fone (67) 3325-6161 | Fax (67) 3384-1830

REGIONAL AMAZONAS Av. Joaquim Nabuco, 1919 - 4º andar - sala 402 Manaus-AM – CEP 69020-031 Fone (92) 3186-6523 | Fax (92) 3233-8320

REGIONAL MINAS GERAIS Rua Maranhão, 1642 - Bairro Funcionários Belo Horizonte-MG - CEP 30150-331 Fone (31) 3232-6316 | Fax (31) 3232-6321

REGIONAL BAHIA Av. Tancredo Neves, 939 - S/501/2 Salvador-BA - CEP 41810-021 Fone (71) 3341-4240 | Fax (71) 3341-4283

REGIONAL PARÁ Travessa Quintino Bocaiúva, 1588 – 8º andar Nazaré | Belém-PA - CEP 66035-190 Fone (91) 3241-5744 | 3242-0540 | Fax (91) 3241-5744

REGIONAL CEARÁ Av. Barão de Studart, 1980 - 3º andar - sala 301 Fortaleza-CE - CEP 60120-001 Fone (85) 3261-4825 | Fax (85) 3421-5478

REGIONAL PARAÍBA Rua Manoel Guimarães, 195 – 5º Andar Edifício Agostinho Veloso do Silveira Campina Grande – Paraíba – CEP 58100-440 Fone | Fax (83) 2101-5371

REGIONAL DISTRITO FEDERAL SIG/Sul - Quadra 03 - Bloco C - Lote 87 Brasília-DF - CEP 70610-400 Fone (61) 3344-2163/3733 | Fax (61) 3344-1475 REGIONAL ESPÍRITO SANTO Av. Nsa. Sra. da Penha, 2053 - 3º andar Edif FINDES | Vitória-ES - CEP 29056-913 Fone (27) 3227-9970 | Fax (27) 3225-1833 REGIONAL GOIÁS Av. Anhanguera, 5440 – 5º andar - sala 510 Ed. José Aquino Porto | Goiânia-GO - CEP 74043-010 Fone (62) 3223-6515 | Fax (62) 3223-1062 REGIONAL MARANHÃO Av. Jerônimo de Albuquerque, s/n - 3º andar Edifício Casa da Indústria – FIEMA São Luis-MA - CEP 65060-645 Fone (98) 3246-5312 | Fax (98) 3248-8002

REGIONAL PARANÁ Rua Augusto Severo, 1050 – Centro Cívico Curitiba-PR - CEP 80030-240 Fone (41) 3253-7172 | Fax (41) 3253-3718 REGIONAL PERNAMBUCO Rua Capitão Lima, 116 - Santo Amaro Recife-PE - CEP 50040-080 Fone (81) 3081-1100/1108 | Fax (81) 3081-1102 REGIONAL PIAUÍ Av. Indl. Gil Martins, 1810 - 7º andar Ed. Albano Franco - Redenção Teresina-PI - CEP 64017-650 Fone (86) 3218-1369 | Fax (86) 3218-2100 REGIONAL RIO DE JANEIRO Rua Sá Freire, 33 Rio de Janeiro-RJ - CEP 20930-430 Fone | Fax (21) 2580-8045

11

REGIONAL RIO GRANDE DO NORTE Av. Senador Salgado Filho, 2860 - 1º andar Sala 14 – Bairro Lagoa Nova Natal-RN - CEP 59075-900 Fone | Fax (84) 3204-6317 REGIONAL RIO GRANDE DO SUL Av. Pernambuco, 2623 - 5º andar Porto Alegre-RS - CEP 90240-005 Fone (51) 3323-0303 | Fax (51) 3346-1920 REGIONAL SANTA CATARINA Rua Thiago da Fonseca, 44 – Capoeiras Florianópolis-SC - CEP 88085-100 Fone (48) 3244-8863 | Fax (48) 3244-8863 REGIONAL SÃO PAULO Rua do Paraíso, 529 - Paraíso São Paulo-SP - CEP 04103-000 Fone (11) 3232-4500 | Fax (11) 3232-4507 REGIONA SERGIPE Av. Dr. Carlos Rodrigues da Cruz, s/n, Ed. Albano Franco – Centro Adm. Gov. A. Franco, Bairro Capucho | Aracaju-SE - CEP 49080-190 Fone (79) 3042-4506 REGIONAL TOCANTINS 108 Sul, Alameda 03 - Lote 06, Sala 05 Palmas-TO - CEP 77020-105 Fone (63) 3215-3899


12

DESENVOLVIDAS

AÇÕES


13


14


50ª ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A s s e m b l e i a e e l e i ç õ e s : p r o g r a m a ç ã o i n t e n s a e m Fo r t a l e z a Realizada em Fortaleza (CE), a 50 a Assembleia

ABIGRAF REGIONAL SANTA CATARINA: Nova Diretoria

Geral Ordinária da ABIGRAF Nacional aconteceu

ABTG: Agenda 2014

no dia 25 de abril e teve como ponto alto a eleição

PAUTA

da diretoria que irá conduzir a entidade máxima

DA

PRESIDÊNCIA

DA

DIRETORIA

EXECUTIVA: Relatório de Atividades da Presidência

da indústria gráfica no triênio 2014/2017. Na

Executiva, Correios Digital.

mesma data, o Conselho Diretivo tomou posse, já a

a) Audiência com a Ministra da Cultura – Sra.

Diretoria Executiva assumiu o comando da entidade em

Marta Suplicy

1º de junho.

- COPAGREM b) TWO SIDES: Lançamento no Brasil e Coletiva de

O encontro, que reuniu 32 representantes de

Imprensa

14 regionais, contou ainda com a presença da

- II Encontro Nacional de Sindicatos da Indústria

secretária executiva do Ministério da Cultura, Ana

Gráfica

Cristina Wanzeler, que fez apresentação sobre o

- CONGRAF: 2015

Vale Cultura, que beneficiou a indústria gráfica ao

- Apoios Institucionais

incluir no escopo de aquisições permitidas a compra

- Conflito Tributário, PLP – 366/2013

de livros e revistas.

- Desoneração de Material Escolar, PL – 6705/2009 - NR12

Na sequência, foram apresentados relatos de

- Proibição da aquisição pelos órgãos públicos de

atividades da ABTG e das regionais de Rio Grande

publicações gráficas de empresas instaladas em

do Sul, Santa Catarina e São Paulo. A atualização

território nacional, cujo processo de impressão

sobre os pleitos e eventos em andamento fechou a

tenha sido realizado no exterior, PL – 7299/2014.

pauta, juntamente com a prestação de contas e a

- Margem de Preferência

apresentação de balanço do último exercício.

- Cartão BNDES

Na parte da tarde, aconteceu a 22 a Assembleia Geral

ELEIÇÕES ABIGRAF NACIONAL

Extraordinária, que aprovou a alteração de alguns

- DESIGNAÇÃO DO SECRETÁRIO “AD HOC” E

artigos do Estatuto Social da entidade.

AFERIÇÃO DE QUORUM PARA INSTALAÇÃO DA A.G.E.

Pauta da Assembleia Geral Ordinária

- Alteração do Estatuto Social da Associação

ABIGRAF REGIONAL RIO GRANDE DO SUL:

Brasileira Indústria Gráfica – ABIGRAF NACIONAL

Campanha nacional de valorização do impresso

15


16


DIRETORIA EMPOSSADA ABIGRAF NACIONAL A ABIGRAF Nacional é a entidade que representa os empresários do setor gráfico perante a sociedade e o poder público. Fundada em 1965, a Associação Brasileira da Indústria Gráfica – ABIGRAF Nacional – representa um universo de mais de 20 mil empresas do setor gráfico, que participam com cerca de 0,4% do PIB nacional e 2,2% do PIB da indústria de transformação. A posse da nova diretoria da entidade aconteceu em 5 de junho de 2014, das 11h30 às 14h30, na sede da CNI – Confederação Nacional da Indústria, Brasília - DF.

17


18


3ª SEMANA DA INDÚSTRIA GRÁFICA 7 o C I C L O D E S U S T E N TA B I L I D A D E A ênfase em temas e atividades determinantes para a evolução da atividade gráfica caracterizou a programação da 3ª Semana da Indústria Gráfica - Sigra 2014. Nesse espírito, o evento teve a sustentabilidade no centro das suas pautas. Nos três primeiros dias, o 7º Ciclo de Sustentabilidade, organizado pela ABTG, reuniu participantes e empresas, trazendo especialistas para falar sobre legislação e requisitos para que uma gráfica seja sustentável. O evento contemplou temas como política reversa, atendimento à Política Nacional de Resíduos Sólidos com exemplos de gráficas e fornecedores. O 7º Ciclo aconteceu no auditório da ABTG.

7º CICLO DE SUSTENTABILIDADE LEGISLAÇÃO E REQUISITOS PARA TORNAR A SUA GRÁFICA SUSTENTÁVEL

19


20


Diretoria Executiva da Nacional reúne-se em São Paulo

Em 15 de setembro, 16 dirigentes e executivos

A realização do 27º Congresso da Conlatingraf,

de 11 regionais da ABIGRAF e da ABTG marcaram

no mês de outubro, em Cartagena, na Colômbia,

presença na reunião do Conselho Diretivo da

a organização do Congraf 2015 no Rio de Janeiro,

ABIGRAF Nacional.

as resoluções Camex 58 e 59, que definiram

Os

presentes

foram

recepcionados

isenção de impostos de importação para inúmeras

com

máquinas e equipamentos gráficos, e a presença

pronunciamento dos presidentes do Conselho,

do setor, por meio da campanha Two Sides e do

Julião Flaves Gaúna, do Executivo, Levi Ceregato,

Projeto Imagem do Graphia, na Bienal do Livro,

e da ABIGRAF-SP, entidade anfitriã, Sidney Anversa Victor.

foram outros temas abordados.

A pauta incluiu pontos como as gestões para

Relatos das regionais fecharam a programação

enquadramento no setor dos CNAEs relativos à

do dia, que incluiu ainda uma revisão do status

reprografia; o entendimento da Cetesb de que

de iniciativas em andamento, como a extensão

a IG está livre de responsabilidades sobre a

da

logística reversa de embalagens pós-consumo e

desoneração

da

folha

de

pagamentos,

a

concessão de margem de preferência nas compras

a NR 12. Os dois últimos itens foram abordados

de cadernos e livros pelos programas públicos,

pelo presidente da ABTG, Cláudio Baronni, que

a apresentação dos resultados da Office Brasil

frisou a necessidade de alertar as empresas

Escolar e a participação da entidade como parte

associadas para providenciarem laudo técnico dos

interessada no processo antidumping de chapas

seus equipamentos.

pré-sensibilizadas para impressão off-set.

Ao comentar o assunto, Ceregato chamou atenção para o fato de que muitas máquinas importadas não cumprem os requisitos da Norma: “Nem por isso sua importação sofre restrições e, assim que são instaladas, essas máquinas tornam-se responsabilidade exclusiva da indústria gráfica”, disse ele.

21


22


Grupo de Líderes da Indústria Gráfica já é realidade Ampliar

a

competitividade

do

setor,

da entidade, Reinaldo Espinosa, também

e

presidente do Conselho da ABTG, explicou

fomentar condições para que a indústria

que o Grupo tem a missão de fortalecer

gráfica

o

o pensamento e o relacionamento das

crescimento projetado para o setor são

empresas da cadeia. Na sequência, o

os principais objetivos do recém-criado

gerente geral da entidade, Wagner J.

Grupo de Líderes da Indústria Gráfica.

Silva apresentou vitórias, demandas e

melhorar

o

ambiente

prepare-se

de

para

negócios suportar

pontos de atenção para o setor. O

lançamento

aconteceu

em

19

de

setembro, na sede da ABIGRAF Nacional,

O então candidato a senador, José Serra,

capital paulista, e contou com a presença

esteve presente, expondo o potencial

de 90 representantes das mais expressivas

de influência do Senado na proposição

empresas de impressão, equipamentos e insumos.

de

políticas

para

o

desenvolvimento

industrial e setorial. Na abertura do evento, o presidente da

Associação,

Levi

Ceregato,

citou

Em dezembro, foi realizado o segundo

projeções da Unidade de Inteligência da

encontro

do

Grupo.

Mais

de

80

revista inglesa The Economist, segundo as

representantes de grandes empresas e

quais, até 2017, o Brasil terá alcançado a

entidades representativas da cadeia de

posição de oitavo maior mercado mundial

impressão estiveram na sede da Fiesp,

de produtos gráficos, com expansão de

em São Paulo com o objetivo de promover

demanda duas vezes superior à média

o networking entre as gráficas e seus

mundial.”, afirmou Ceregato.

fornecedores, além de elaborar iniciativas que ampliem a competitividade do setor.

O diretor de Relacionamento Institucional

23


INAUGURAÇÃO DA SALA DO GRÁFICO Agora, empresários gráficos do Brasil inteiro contam com um escritório na capital paulista. Foi inaugurada a Sala do Gráfico, um conjunto de escritório – equipado com telefone, computador, acesso à internet e arcondicionado – e de sala de reunião. O uso é livre para todos os associados e não implica custos.

I N AU G U R A Ç Ã O D O E S C R I T Ó R I O POLÍTICO EM BRASÍLIA A indústria gráfica brasileira, por iniciativa da ABIGRAF Nacional, conta agora com um escritório político em Brasília. A inauguração aconteceu no dia 30 de outubro e contou com a participação do deputado federal Guilherme Campos, relator da MP 366/2013 (Conflito Tributário ISS x ICMS). Também marcaram presença João Batista Alves dos Santos, presidente da ABIGRAF Regional Distrito Federal, e Pedro Henrique A. Verano, presidente do Sindigraf-DF.

24


REUNIÕES POLÍTICAS > 20 de março > Audiência com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. > 01 de abril > Audiência com a então ministra da cultura, Marta Suplicy. > 28 de abril > Reunião com o deputado Guilherme Campos. > 28 de abril a 02 de maio > Encontro com Aécio Neves (senador), Duarte Nogueira (deputado federal) e Miguel Mauad (ex presidente do PSDB). > 22 de maio | Fórum Nacional da Indústria Reunião com a presidente Dilma Roussef. > 26 de maio > Reunião entre empresários, imprensa e com Eduardo Campos (ex governador de Pernambuco). > 28 de maio > Reunião com Joice Leal e o senador Fausto Longo. > 09 de julho | Exclusividade no fornecimento de livros e cadernos > Reunião com os ministros Mauro Borges (MDIC), José Henrique Paim (MEC) e Romeu Welinton Caputo (presidente do FNDE). > 10 de julho > Reunião com Álvaro Luiz Fleury e Eduardo Barbosa. > 21 de julho | II Encontro Nacional de Sindicatos da Indústria Gráfica > Reunião com o senador Eduardo Suplicy. > 02 de dezembro > Reunião com Fernando Capez.

25


26


GRAPHIA ALLIANCE AGORA É IMPRINT BRASIL Depois de 11 anos exportando do Brasil para o

Durante a Bienal do Livro, além de participar

mundo, o Graphia Alliance muda de nome e passa a

como expositores, realizamos o projeto imagem.

se chamar Imprint Brasil.

Convidamos o CEO da IPIA – Independent Print

A Imprint Brasil é uma aliança estratégica de

Assossication e o Chief Reporter da Print Monthly,

exportação e negócios internacionais, formada

ambos da Inglaterra. Os convidados visitaram

por indústrias gráficas brasileiras e fornecedores

cinco gráficas, além da feira, e fizeram uma

de materiais escolares e de escritório, gerida pela

reportagem em revista impressa com circulação

ABIGRAF Nacional e apoiada pela APEX-Brasil -

para aproximadamente 4.000 influenciadores na

Agência Brasileira de Promoção de Exportações

decisão de compra além de diversos mini vídeos

e Investimentos com o objetivo de promover a

no site da Print Montly divulgando intensamente a

promoção comercial da indústria gráfica Brasileira

indústria gráfica nacional naquele país.

internacionalmente e oferecer apoio em todas as

Um dos serviços que prestamos constantemente

etapas do processo de exportação.

é a participação no PEIEX, um convênio entre a

Em 2014, renovamos o contrato com a Apex-

Apex-Brasil e instituições de consultoria/pesquisa/

Brasil até maio de 2016 para aplicar capacitação

ensino/tecnologia

e

internacionais,

prioridade é o incremento em competitividade (seja

contratação de pesquisas, publicidade, propaganda

para mercado interno ou externo). O programa

e

projeto

consiste em consultoria e diagnóstico customizado

imagem, projetos especiais e projetos compradores.

com visitas regulares de técnicos especializados,

Em junho e julho, realizamos o projeto comprador e

capacitação das empresas com foco no aumento da

convidamos sete clientes internacionais para visitar

competitividade, introdução de melhorias técnicas

empresas e gráficas associadas ao projeto além de

e gerenciais e promoção da capacitação para

participar de um jogo na Copa do Mundo no camarote

inovação. A consultoria é 100% custeada pela Apex-

da Apex-Brasil. Essa ação teve foco em estreitar

Brasil sem custo financeiro para os participantes.

relacionamento e encaminhar negociações com

Participamos como expositores na feira MARKET

compradores internacionais, além de homologar

PLACE BTS realizada em Miami em formato de macht

gráficas brasileiras como fornecedoras.

making. Foram 2 dias de trabalho e reuniões de 25

Em uma das iniciativas que melhor traduzem a

minutos com 30 potenciais clientes internacionais.

missão da Imprint Brasil, promovendo a facilitação

Esse ano ganhamos em segundo lugar, o prêmio

do acesso ao mercado externo, convidamos 9

de Melhores Práticas Sindicais na categoria Defesa

compradores internacionais para visitar a feira

Setorial promovido pela Fiesp.

OFFICE PAPER ESCOLAR 2014 e fazer rodadas de

Imprint Brasil – promoção e apoio da indústria

negócios com os membros do projeto. Nos últimos

gráfica internacionalmente de forma inovadora.

treinamento, comunicação,

realizar missões

feiras no

exterior,

cinco anos, o projeto comprador trouxe mais de 60

a

nível

nacional,

NOVA MARCA DO PROJETO

visitantes internacionais.

27

onde

a


28

SETORIAIS

FEIRAS E EVENTOS


29


30


E X P O P R I N T L AT I N A M E R I C A 2 0 1 4 U M M A R C O PA R A O M E R C A D O D E I M P R E S S Ã O A ExpoPrint Latin America 2014 foi um marco para Indústria Gráfica. Foram quatro anos de muito planejamento e trabalho entre Afeigraf (Associação dos Agentes de Fornecedores de Equipamentos e Insumos para a Indústria Gráfica), a realizadora do evento, e a APS Feiras & Eventos, a organizadora, para que a feira pudesse se transformar no maior evento de impressão das Américas e oferecesse a melhor qualidade possível a visitantes e expositores.

Foi possível também conhecer a alta tecnologia para futuros projetos e investimentos. A feira foi um momento especial para animar e impulsionar este mercado fundamental para a indústria brasileira e mundial, aumentando a confiança do empresário gráfico e de todos que fazem parte desta cadeia. Agora, os olhares estão voltados para a ExpoPrint Latin America 2018, que já é um grande sucesso de procura. Ela irá acontecer no Expo Center Norte, em cinco dias. Em breve, mais detalhes serão divulgados da quarta edição da ExpoPrint Latin America.

Durante os últimos sete dias, profissionais de impressão do Brasil, da América Latina e do mundo todo lotaram os corredores e pavilhões da ExpoPrint Latin America 2014. Um público positivo não apenas em quantidade, como também em qualidade, formado por profissionais tomadores de decisão. Nos belos estandes montados pelos expositores de marcas reconhecidas mundialmente, foram vistos lançamentos mundiais, soluções inovadoras, tendências que vão ditar o rumo do mercado nos próximos anos. A ExpoPrint 2014 reforçou sua posição de ser o grande encontro para a indústria gráfica da América Latina. Empresários tiveram a chance de conhecer equipamentos, fazer testes, perguntar aos profissionais especializados, negociar e fechar negócios. Foi também a comprovação da preocupação com a sustentabilidade e com a educação do mercado, com diversos estandes promovendo palestras durante os sete dias de ExpoPrint.

31


FEIRA OFFICE BRASIL ESCOLAR E 1º SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO OFFICE BRASIL ESCOLAR

não tenha indicações oficiais sobre o assunto, a Academia Americana de Pediatria e a Sociedade Canadense de Pediatria recomendam que crianças de até 2 anos não sejam expostas a tablets, celulares ou outros eletrônicos e que, dos 3 aos 5 anos, essas diversões não ocupem mais do que uma hora diária da rotina infantil. Dessa idade em diante, o limite pode ser ampliado a, no máximo, duas horas por dia. Pouco entusiasmada com a febre de aplicativos para os pequenos, Aline diz que, neles, a criança encontra tudo pronto e pré-ordenado, o que contraria a liberdade intrínseca às brincadeiras, aumenta a passividade e prejudica a capacidade de interagir socialmente: “Ao brincar, a criança conversa, aprende a criar e a seguir regras, a ser mais tolerante a respeitar o colega, o que não acontece só por estar com o dedinho no aplicativo.”

Cerca de 200 educadores das redes pública e privada de ensino participaram do “1º Seminário de Educação Office Brasil Escolar – A convivência do tradicional e do digital na educação infantil”, que aconteceu no dia 13 de agosto no Anhembi, em São Paulo. O evento foi uma iniciativa da regional paulista da Associação Brasileira da Indústria Gráfica (ABIGRAF-SP), com patrocínio da Francal Feiras e idealização da Ricardo Viveiros & Associados, e fez parte da programação paralela da Office Brasil Escolar 2014, a segunda maior feira mundial de artigos para papelaria, escolas e escritórios. Na abertura, o porta-voz da ABIGRAF-SP, Reinaldo Espinosa, declarou que a indústria gráfica vem sendo impactada pelo crescimento da comunicação eletrônica e quer entender melhor esse fenômeno. “Mas não fomos movidos apenas por questões de mercado. As evidências de que o contato precoce com as mídias eletrônicas é prejudicial para crianças pequenas têm se avolumado e quisemos contribuir para a reflexão sobre um tema tão importante para o futuro. Afinal, uma infância saudável, lúdica e afetivamente equilibrada é a base sobre a qual se constroem pessoas mais criativas, produtivas e engenhosas — o capital humano de qualidade que irá assegurar o desenvolvimento contínuo do país e das próximas gerações”, disse ele.

Ana A.C. Osório, professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, falou sobre “A importância das atividades estruturadas e não estruturadas para o desenvolvimento sociocognitivo na primeira infância”. Embora reconheça que as novas tecnologias dinamizam a rotina familiar, ela recomenda comedimento e diz que vários estudos mostram não haver benefícios no contato de crianças até 2 anos com as tecnologias ditas educacionais e que, pelo contrário, a exposição prolongada à tecnologia impacta negativamente a capacidade de concentração dos pequenos: “Bebês aprendem mais com pessoas do que com a tecnologia”,

Aline M. Richetto, professora de didática aplicada ao cuidado na Faculdade Santa Marcelina, em São Paulo, abordou o tema “Brincadeiras e desenvolvimento psicomotor e social e a tecnologia na educação infantil”. Ela lembrou que, embora o Brasil ainda

32


afirmou. Para Ana, após o segundo aniversário, o uso de tablets é válido, mas por períodos máximos de 15 minutos ao dia.” Marcelo Sando, filósofo, educador e autor do livro Notas e reflexões sobre educação (Ed. Melo), realizou a palestra “Projeto Scholé – liberdade para descobrir o conhecimento”, na qual questionou o processo de educação tradicional e propôs uma nova pedagogia, na qual o aluno seja orientado a construir seu conhecimento a partir dos próprios interesses e ritmo. Sando comentou ainda que a criança pequena aprende pela convivência e ilustrou com histórias, como a de crianças ainda muito novas que já desbloqueiam celular ou acionam sozinhas o DVD. Sobre os excessos, ele diz: “O fato é que as crianças nem sempre estão vivendo com adultos equilibrados.” Viviane Flores, gerente educacional e coordenadora da equipe de assessoria pedagógica da Editora FTD, em São Paulo, na palestra “O livro infantil e a ampliação do repertório da criança”, elencou quatro qualidades imprescindíveis a um bom livro infantil: o caráter imaginoso (pela presença de mitos, monstros e personagens fantásticos); o dramatismo (determinado por uma trama que envolva e desperte reflexão); linguagem simples (sem ser medíocre); e enredo construído de modo a respeitar a inteligência da criança (sem soluções simplistas). “A leitura para a criança não pode (nem deve) estar vinculada apenas a uma atividade educacional específica”, disse.

Ricardo Viveiros, jornalista e escritor, compartilhou sua experiência como criador de histórias infantis na palestra “Quem conta um conto aumenta pontos… na criatividade, na compreensão e na imaginação”. Para incentivar o hábito da leitura, ele recomenda estimular as intersecções entre a literatura e a vida e avisa que os leitores (mesmo mirins) são coautores dos livros que leem e reinventam as histórias nas suas cabecinhas. Ressaltou o poder das palavras na formação infantil e fez várias sugestões de como aproximar as crianças dos livros – por exemplo, criando um “cantinho da leitura”, interpretando os personagens enquanto lê e, acima de tudo, transformando essas ocasiões em momentos de compartilhamento: “Até hoje, leio para meu filho de 21 anos quando quero fazê-lo ver algo que me inspirou e que pode inspirá-lo também”, afirma.

33


34

PREMIAÇÕES


35


21º PRÊMIO THEOBALDO DE NIGRIS Brasil representado por 116 produtos no Theobaldo de Nigris

Veja quem são nossos campeões:

Na edição deste ano do 21º Concurso LatinoAmericano de Produtos Gráficos Theobaldo De Nigris, a excelência gráfica brasileira foi representada por 116 produtos de 21 empresas de diferentes segmentos. O prêmio, promovido pela Confederação Latino-Americana da Indústria Gráfica (Conlatingraf), destaca itens que se diferenciam pela qualidade e inovação em 28 categorias, contribuindo para impulsionar o desenvolvimento do setor no continente. A entrega dos troféus aconteceu em 23 de outubro, em Cartagena das Índias, na Colômbia, onde também teve lugar o 23º Congresso Latino-Americano da Indústria Gráfica, no período de 22 a 24. Ainda em paralelo, houve a 78ª Assembleia Conlatingraf, na qual o bastão da presidência da entidade foi passado a Fabio Arruda Mortara, segundo vice-presidente da ABIGRAF Nacional. Com isso, em 2015, o Brasil sediará os eventos da entidade.

36

Congraf

Escala 7

Facform

Ipsis

Log & Print

Ótima Gráfica

Plural

Stilgraf


37


38


O 24º Prêmio Brasileiro de Excelência Gráfica

e criativa para produzir impressos que são

Fernando Pini deixou a sua marca para a

referência nacional e internacionalmente.

história com um número de 1.365 produtos inscritos. Foram 185 gráficas, espalhadas

Os números de peças, empresas e estados

por 18 Estados, que incluíram seus trabalhos

representados nesta 24ª edição mostram que

para concorrer ao mais prestigiado prêmio

o Fernando Pini é a grande vitrine nacional

gráfico da América Latina.

para quem atingiu a excelência em seus trabalhos”, opina o presidente.

Para o presidente da Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica (ABTG), Claudio Baronni,

A

o resultado reflete o reconhecimento da

Gráfica (ABIGRAF Nacional) e a Associação

importância do Fernando Pini pelas gráficas

Brasileira de Tecnologia Gráfica (ABTG) são

brasileiras: “A indústria gráfica brasileira tem

as entidades responsáveis por coordenar e

por tradição utilizar sua capacidade técnica

organizar o prêmio.

39

Associação

Brasileira

da

Indústria


PREMIAÇÃO DAS REGIONAIS O produto gráfico nacional teve a sua qualidade realçada nas festas de entrega dos prêmios de excelência gráfica realizadas em seis capitais, do Nordeste ao Sul do País. Mais de 2.300 peças, produzidas por 213 gráficas de 13 estados, disputaram os 244 troféus distribuídos.

A B I G RAF R EGIO NAL ES P Í RITO SANTO As empresas que atuam no setor gráfico capixaba

presença de mais de 200 pessoas. Sete empresas

estiveram reunidas no dia 7 de agosto para entrega

vencedoras receberam o troféu, novamente a

do 6º Prêmio Padre José de Anchieta de Excelência

Grafitusa encabeçou a relação dos ganhadores com

Gráfica. A cerimônia de premiação foi realizada

11 prêmios.

na sede da Federação Santo (Findes), com a

A B I G RAF R EGIO NAL M I N AS GERAIS A 10ª edição do Prêmio Mineiro de Excelência

Gerais, em Belo Horizonte. Neste ano, concorreram

Gráfica Cícero, festa de celebração da qualidade

331 trabalhos, inscritos por 34 empresas. O maior

da indústria gráfica mineira, ocorreu no dia 08 de

número de troféus ficou com a Rona (11) e a Tamóios (8).

agosto, no Clube Oficial da Polícia Militar de Minas

40


A B I G RAF R EGIO NAL PA RANÁ O Sigep/Abigraf-PR realizaram em 6 de junho, no

querem superar a estagnação pelo qual passa o

Santa Mônica Clube de Campo, em Colombo, região

setor gráfico em geral. As indústrias que ganharam

de Curitiba, o 12º Prêmio Paranaense de Excelência

mais troféus têm em comum preocupação intensa

Gráfica Oscar Schrappe Sobrinho. O prêmio revelou

com a qualidade, inovação e, principalmente, com a

um caminho a ser seguido por empresas que

valorização de seus colaboradores.

A B I GRAF REGIONAL R I O DE JANEIR O Com a presença de cerca de 200 convidados, a festa

ano, 377 trabalhos concorreram, inscritos por 30

de entrega do 11º Prêmio Werner Klatt foi realizada

empresas, sendo entregues 38 troféus para 12

no dia 12 de setembro no Centro de Convenções do

gráficas vencedoras. O destaque foi a Holográfica,

Sistema Firjan, Federação das Indústrias do Estado

que recebeu 11 prêmios.

do Rio de Janeiro, no dia 12 de setembro. Neste

41


ABIGRAF REG IONAL R IO GRAN D E D O SUL Na noite do dia 1º de agosto, com 450 convidados,

Gráfica. Concorreram à premiação 34 empresas,

durante

Sociedade

com 353 produtos inscritos. A disputa foi acirrada

Ginástica Porto Alegre (Sogipa), realizou-se a

e o primeiro lugar ficou com a Grafdil, com sete

entrega do 10º Prêmio Gaúcho de Excelência

troféus, e a Palotti que recebeu seis prêmios.

a

solenidade

ocorrida

na

AB IG RAF REG I ONAIS D O NORD ESTE: ALAG OAS, BAHIA CEARÁ, PARAÍ BA , P ERNAMB UCO, PIAUÍ, RIO G RAND E DO NORTE E SERG I PE

Foi realizada no dia 15 de agosto a solenidade

Tivemos

de entrega do 6° Prêmio Nordeste de Excelência

produtos inscritos, avaliados por 20 profissionais

Gráfica

auditório

de diversas áreas relacionadas ao trabalho gráfico

Antônio José Botelho da Federação das Indústrias

– Designers, técnicos, especialistas e publicitários.

José

Cândido

Cordeiro,

no

43

empresas

participantes

com

533

de Pernambuco. Este ano contamos com

mais uma categoria que

Contamos com o apoio e participação de Alagoas,

foi a de Design Gráfico, a principal novidade da

Bahia, Ceará, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

premiação deste ano.

42


43

REGIONAIS

AÇÕES DAS


AÇÕES DAS REGIONAIS A B I GRAF REGIONAL D I STRITO FEDERAL Inovação Programa Design Capital: tem por objetivo integrar o design gráfico nas empresas gráficas. Desenvolvido em parceria com a ADEGRAF - Associação dos Designers Gráficos do DF e o SEBRAE-DF.

Negociação coletiva, visando redução de custo de retirada de resíduos.

Implantação do Programa de Redução de Consumo de Energia desenvolvido pela CNI.

Relações Institucionais 

Por ação direta na Câmara Distrital a inclusão na LDO/2015 da desoneração na arrecadação do ISS e discussão em andamento de Projeto de Lei que reduz o ISS para a IG para 2%.

Em parceria com a CNI, acompanhamento da nova lei de licitações em discussão no Senado Federal.

Elaboração de parecer, em discussão, com nosso jurídico, Conselho Regional de Contabilidade e SEFAZ-DF para esclarecimento às nossas empresas do regime fiscal no DF.

Gestão e Tecnologia 

Palestra sobre Coaching.

Continuidade de edições do Curso de Formação Básica da Indústria Gráfica, em parceria com o SENAI-DF, possibilitando também utilizá-lo para o cumprimento legal do Menor Aprendiz.

Envio de 50 empresários, a custo zero, para a Expoprint.

Envio de 10 empresário para a All in Print Shangai - China.

Comunicação Sustentabilidade 

Simplificação da licença ambiental: trabalho desenvolvido junto à Secretaria e Meio Ambiente e o IBRAM que resultou na isenção da licença para gráfica que utilizam CTP e possuem até 5.000 m 2 .

Desenvolvimento e aplicação de orientações às empresas do descarte correto de resíduos.

44

Envio de 840 edições do Informativo Empresarial e Informativo Econômico - Via Web.

Quatro edições da Revista Refile.


A B I G RAF R EGIO NAL PA RANÁ Eventos no Sigep/ABIGRAF-PR Seccional Londrina

-

Amarildo Henning

O Sigep/ABIGRAF-PR Seccional Londrina vem realizando vários eventos para ajudar no desenvolvimento da indústria gráfica no interior do Paraná. Em parceria com a Quimagraf, realizou em 14 de maio a palestra “Tecnologia e Sustentabilidade na Indústria Gráfica”. Em 3 e 4 e junho, foi a vez da parceria com a Zênite Sistemas na palestra “Formação de Preço de Venda” e no dias 29 e 30 de julho com a ABTG – Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica no curso “Como Melhorar a Produtividade da Sua Gráfica na Prática”.

13º InformAÇÃO – Fórum Paranaense de Tendências para a Indústria Gráfica

Caravanas para a ExpoPrint

Quem compareceu aos três dias de palestras do 13º InformAÇÃO – Fórum Paranaense de Tendências para a Indústria Gráfica, realizado de 2 a 4 de junho no auditório do Sigep/ABIGRAF-PR, saiu mais preparado para enfrentar os desafios do dia a dia no setor gráfico. Os palestrantes se valeram de bom humor, motivação e dicas para enriquecer os conhecimentos das mais de 300 pessoas que compareceram ao evento.

O Sigep/ABIGRAF-PR organizaram caravanas para levar seus associados à ExpoPrint Latin America 2014, realizada em julho, em São Paulo. As caravanas saíram de Curitiba e da Seccional Londrina do Sigep/ABIGRAF-PR, reativada recentemente. O diretor da seccional Londrina do Sigep/ABIGRAF-PR, Edson Benvenho, disse que foi importante a organização das caravanas porque deu oportunidade aos gráficos da região entrarem em contato direto com o que há de mais moderno em equipamentos. “Às vezes é oneroso e difícil ir sozinho a um evento deste porte. A caravana facilitou neste sentido e todos gostaram”.

Foram tratados temas como “Eficiência Energética”, com o consultor e especialista em gente, Guto Zafalon; “Formação de Líderes da Produção”, com Cristina Simões, sócia-diretora da Team RH e da ID Consulting, e “Venda Eficiente: Preparando a sua Empresa para a Nova Realidade da Indústria Gráfica”, com o especialista em gestão de negócios e vendas, Marcos BIaggio.

Amarildo Henning

Convênio para readequação à NR-12 Preocupado com a revisão da Norma Regulamentadora NR-12, que aumentou as exigência de segurança dos trabalhadores na operação de máquinas e equipamentos, o Sigep/ABIGRAF-PR firmaram convênio inédito com o Senai-PR (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). O Senai vai fazer um diagnóstico nas empresas para avaliar o grau de falhas e sugerir as adequações necessárias. Trinta e uma gráficas foram beneficiadas.

45


ABIGRAF REGIONAL PERNAMBUCO Graforró – Festa Junina do Setor A programação direcionada para os empresários gráficos

constou

de

rodadas

de

negócios

e

palestras técnicas com temas de grande interesse às empresas de todos os perfis e portes. Os palestrantes destacaram a importância da capacitação dos empresários para aproveitar o momento promissor que o Nordeste vive e que garante oportunidades de mercado.

Aconteceu no dia 30 de maio, no salão de festas da FIEPE – Federação das Indústrias Gráficas de PE, a tradicional festa junina da indústria gráfica de Pernambuco. Seguimos a risca a tradição junina com pratos das culinária regional, forró e muito arrasta pé. Animada pela Banda Chinelo Velho, uma das atrações da noite foi a quadrilha junina que envolveu boa parte dos empresários.

AB IG RAF REG I ONAL RIO D E JANEIRO

Semana do Conhecimento Gráfico 2014 O imenso pavilhão de exposições do Centro de Convenções

de

Pernambuco

iluminou-se

mais

uma vez para receber, no período de 12 a 15 de

Coquetel de Lançamento da Semana GRAFRIO 2014 realizada em 12/02/2014;

Reuniões para Elaboração e Entrega dos Relatórios do Plano de Adequação das Máquinas à NR-12 realizado de janeiro até março de 2014 para 20 empresas tendo 80% do valor custeado pelo SEBRAETEC;

Encontro Pacificador realizado no dia 11/02/2014 com representantes das ABIGRAF’s;

Seminário de Custos para a Indústria Gráfica

agosto, mais uma edição da Embala Nordeste, feira internacional de embalagens e processos, e também do Graphium Show / Semana do Conhecimento Gráfico, promovido pelo SINDUSGRAF e ABIGRAF-PE.

46


ministrada pelo Professor realizado no dia 19/03/2014;

Sílvio

Araújo

Palestra – A Indústria Gráfica é Indústria ou é Prestadora de Serviço? ministrada pelo Consultor Rodolfo de Castro realizada no dia 10/04/2014;

Reunião sobre o RECOPI NACIONAL com o Subsecretário da Receita de Fazenda, Dr. George Santoro em 30/04/2014;

Ciclo de Palestras – Jornada Tecnológica realizada no dia 28/08/2014;

Participação no Prêmio Melhores Práticas Sindicais realizado pelo Sistema FIRJAN;

7ª Rodada de Negócios do Setor Gráfico realizada no dia 12/09/2014;

Palestra Um Empreendedor de Sucesso ministrada pelo Consultor Daniel Godri Jr, durante a Semana GRAFRIO 2014 realizada no dia 12/09/2014;

Cerimônia de Premiação do 11º Prêmio de Excelência Gráfica Werner Klatt 2014 realizada no dia 12/09/2014;

Participação nos Cursos de Gestão de Procedimentos Sindicais, voltados para a potencialização dos gestores do Sindicato em parceria com o Sistema FIRJAN;

Realização da Caravana à ExpoPrint 2014, incluindo sindicatos do interior do Estado com a participação de empresários, colaboradores e técnicos do SENAI Maracanã em parceria com o Sistema FIRJAN;

Participação do Projeto SEBRAE no Pódio para viabilização das certificações FSC garantindo a participação das empresas gráficas nas Olimpíadas 2016;

Impressão e distribuição da Cartilha da Comunicação Impressa e o Papel: Mitos e Fatos.

AB IG RAF REG I ONAL SANTA CATARI NA

1º Seminário Catarinense da Indústria Gráfica reúne mais de 250 pessoas em Florianópolis Realizado no dia 16 de agosto, o 1º Seminário Catarinense da Indústria Gráfica, promovido pela Associação Brasileira da Indústria Gráfica – Regional Santa Catarina, reuniu cerca de 250 pessoas, no auditório da FIESC, em Florianópolis.

Mais de 200 gráficos participam da Expoprint

catarinenses

Realizada de 16 a 22 de Julho, a ExpoPrint Latin America 2014 contou com a participação de 219 gráficos catarinenses. A caravana aérea, promovida pela Associação Brasileira da Indústria Gráfica Regional Santa Catarina, levou 100 empresários de todo o Estado, que precisaram desembolsar apenas R$ 190,00, para desfrutar de uma diária com café da manhã, em um ótimo hotel, passagens aéreas de ida e volta e o credenciamento na feira.

47


48

RESULTADOS 2014


49


O S R E S U LTA D O S D E 2 0 1 4

Os cálculos são do Departamento Econômico da ABIGRAF, com base na Pesquisa Industrial Mensal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “O bom desempenho de julho a setembro compensou o impacto negativo da Copa no segundo trimestre e parece ter tido como motor a produção de materiais para as campanhas eleitorais”, afirma Ceregato. Para ele, esses fatores pontuais não autorizam otimismos diante do quadro econômico geral, com retomada do ciclo de alta de juros pelo Banco Central, enfraquecimento do consumo e aumento da inadimplência nas empresas. “No curto prazo, a alta do dólar também exerce efeito negativo, embora possa tornar nossos preços mais competitivos adiante, desde que o controle dos gastos públicos não exerça pressões inflacionárias sobre o câmbio”, diz ele.

No terceiro trimestre do ano, descontado o padrão sazonal, a indústria gráfica cresceu 7,5% frente aos três meses anteriores. Foi um desempenho surpreendente, considerando que, no período, a indústria de transformação, na qual o setor se insere, recuou 5,1%. A performance superou também (em 6,9%) a produção gráfica de julho a setembro de 2013. O salto, porém, não reverteu a expectativa de fechar o ano com queda de 1,7% frente a 2013. De fato, no acumulado do ano, há queda de 1,6% na produção até setembro, e o setor não espera reversão dessa tendência nem mesmo em 2015, para quando prevê recuo de 1,1%. Segundo o boletim Focus, do Banco Central, a indústria de transformação deve cair 2,3% em 2014, porém, crescer 1,3% em 2015. O descolamento explica-se pelas projeções de aumento da massa salarial, variável extremamente sensível para a indústria gráfica e que, segundo o boletim, deverá crescer menos no próximo ano (apenas 2%, contra 3,7%, em 2014).

50


AS VITÓRIAS DO ANO

Algumas demandas históricas da indústria gráfica tiveram avanços significativos em 2014 e prometem impactar positivamente a competitividade do setor. Um exemplo foi a redução de 14% para 2% do imposto de importação de 91 máquinas e equipamentos gráficos sem similar nacional. A medida – oficializada pelas Resoluções Camex 58, 59, 79, 80 e 91 – tem caráter ex-tarifário e vai vigorar até o final de 2015. Mesmo com prazo limitado, dará às gráficas nacionais um fôlego para modernizar seus parques ao longo do próximo ano.

Ainda em nome do resgate da competitividade, o setor acredita no fortalecimento da indústria e no desenvolvimento do diálogo em defesa dos interesses comuns na cadeia produtiva da impressão. Por isso, participa ativamente de fóruns como a Rede Setorial da Indústria e o Fórum Nacional da Indústria – ambos no âmbito da Confederação Nacional da Indústria (CNI) – e criou o Grupo de Líderes da Indústria Gráfica, que visa facilitar o estabelecimento de networking e o diálogo direto entre fabricantes de maquinários e insumos gráficos com seus clientes.

“O Brasil é um dos mercados mundiais mais promissores para a indústria gráfica e deve se tornar o oitavo maior do mundo até 2017, de acordo com estudo da Unidade de Inteligência da revista inglesa The Economist. É uma oportunidade de consolidação para as empresas do setor, mas precisamos criar condições para aproveitar esse bônus, o que depende da integração virtuosa de toda a cadeia em favor da competitividade”, afirma o presidente nacional da ABIGRAF, Levi Ceregato. Segundo essa projeção, os segmentos com melhores oportunidades de crescimento são embalagens, rótulos, etiquetas e revistas.

A redução na importação de impressão de livros foi outro campo que registrou avanços. No acumulado de janeiro a novembro, essas importações somaram US$ 6,1 FOB, correspondentes a 2,3 mil toneladas de produtos. Esses resultados são 4% menores em valor e 10% menores em produção do que os registrados no mesmo período de 2013. Recortando apenas China e Hong Kong, a queda na produção de livros brasileiros nesses países recuou 12%. Negociações com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, com o Ministério da Educação e Cultura e com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação resultaram no estabelecimento de prioridade para produtos impressos em gráficas brasileiras nas compras para o Programa Nacional do Livro Didático, assim como inclusão, nas licitações públicas para compra de livros didáticos e cadernos, da exigência de declaração que os mesmos foram impressos em papel com certificação Cerflor ou FSC.

Com o mesmo objetivo, há ainda em tramitação no Congresso o projeto de lei PL 7867/14, que prevê a obrigatoriedade de impressão no Brasil de livros didáticos adquiridos no âmbito do Programa Nacional do Livro Didático ou similares e de obras beneficiadas pela Lei Rouanet. “Não podemos permitir que o dinheiro público seja utilizado para gerar empregos no exterior, enquanto o segmento editorial brasileiro, que paga impostos e gera empregos, atravessa uma crise severa”, defende Ceregato.

51


52


MAIS DE 200 EMPRESÁRIOS SE DESPEDEM DE 2014 EM GRANDE ESTILO CONFRATERNIZAÇÃO E OTIMISMO MARCARAM O EVENTO DE ENCERRAMENTO DA INDÚSTRIA GRÁFICA PAULISTA

publicidade, como Washington Olivetto, Nizan Guanaes e tantos outros, realizou a palestra “Quem falou de sociedade sem papel?”.

No dia 16 de dezembro, na sede da Fiesp, a ABIGRAF Nacional, a ABTG, a ABIGRAF-SP e o SINDIGRAF-SP ofereceram almoço de confraternização para empresários do setor e representantes de instituições de relacionamento da indústria gráfica. A abertura coube ao presidente do Conselho da ABTG, Reinaldo Espinosa, que chamou a atenção para que a indústria gráfica participe do dia a dia das pessoas, trazendo benefícios intangíveis para suas vidas.

Na apresentação, Duailibi fez um painel de previsões que pareciam certeiras, mas nunca se realizaram. De Bill Gates, que anteviu o rápido fim da prática de spam em 2004, a um certo Pai Jerônimo, apresentado em um cartaz prometendo amor e fortuna, o publicitário passeou por inúmeros exemplos de que profecias, como a do fim do papel e do impresso, devem ser pensadas com uma saudável dose de ceticismo. Dentre os presentes, além de membros das diretorias das entidades gráficas, estiveram ainda Dirceu Fumach, CEO da Bobst; Eduardo Chede, presidente da Abiea; Klaus Tiedemann, presidente da Afeigraf; Luiz Nei Arias, presidente da IBF; e Sílvio Maemura, presidente da Pitney Bowes Semco.

O empresário Mário César de Camargo representou o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, e falou sobre a responsabilidade da indústria como geradora de emprego, serviços, renda e tecnologia, ressaltando que, nesses quesitos, a indústria gráfica tem se comportado de forma exemplar.

COLETIVA DE IMPRENSA REÚNE JORNALISTAS DE TODO PAÍS

O presidente da ABIGRAF Nacional, Levi Ceregato, pronunciou-se, dando ênfase ao empenho da entidade, que congrega regionais em 22 estados, de trabalhar de modo próximo às autoridades, conciliando interesses comuns a todos com as pe cu l i a r i da d es e a s necess i d a d es das dife re ntes re gi õ es.

Como parte da programação de final de ano, os presidentes da ABIGRAF Nacional, ABIGRAF-SP e SINDIGRAF-SP – respectivamente, Levi Ceregato, Sidney Anversa Victor e Fabio Arruda Mortara – reuniram a imprensa para anunciar as prévias de resultados do setor, as vitórias do ano e as bandeiras para 2015, expressas na Carta à Nação, dentre outros temas. Agência Estado, rádio Jovem Pan, jornais Brasil Econômico e Propaganda & Marketing, além de publicações setoriais, como Revista ABIGRAF, Publish, Desktop e os boletins da RISI e da ANL, estiveram presentes. Simultaneamente, veículos de comunicação de todo o Brasil receberam o conteúdo da coletiva.

Em nome da ABIGRAF-SP, o presidente Sidney Anversa Victor destacou a necessidade da indústria se manter mobilizada para cobrar do governo a efetivação de medidas que revertam a atual situação do País, sem perder de vista o desejo de mudança legitimado por quase 50% do eleitorado nas urnas. Fabio Arruda Mortara, presidente do SINDIGRAF-SP, fechou o ciclo de pronunciamentos expondo os esforços do Sindicato paulista em torno da união da cadeia produtiva, indispensável à criação de condições para o crescimento sustentável do setor, da promoção de um associativismo de qualidade e da defesa da sustentabilidade da comunicação impressa. Durante o almoço, o publicitário Roberto Duailibi, sócio fundador da agência DPZ, considerada por muitos a “mãe” das agências brasileiras, pela qual passaram alguns dos maiores nomes da

53


54

COMUNICAÇÃO

MEIOS DE


55


R E V I S TA A B I G R A F Circulando desde dezembro de 1975, a Revista Abigraf ocupa a liderança na mídia especializada do setor gráfico brasileiro. Detentora de vários prêmios nacionais e internacionais (entre eles, o Prêmio Benny, maior concurso mundial do setor), tem periodicidade bimestral e tiragem de 10.000 exemplares, distribuídos gratuitamente em todo o Brasil. Uma pesquisa junto aos leitores revela elevados índices de aprovação em relação à sua qualidade gráfica e editorial: diagramação (94%), credibilidade (93%), qualidade do texto (90%), nível de informação (89%), conteúdo (89%). A pesquisa aponta também que cada exemplar é lido, em média, por 5,5 pessoas, o que projeta, na tiragem total, um universo superior a 50.000 leitores. Seu públicoleitor é constituído por empresários e executivos das indústrias gráficas (comerciais, promocionais, editoriais, de embalagens, de etiquetas adesivas e de conversão), agências de publicidade/ promoções, diretores e gerentes de marketing e produtos das maiores empresas do Brasil, designers e artistas gráficos, fotógrafos, fornecedores de

matérias-primas,

insumos,

processos,

sistemas

e

equipamentos gráficos. É editada e comercializada pela Clemente e Gramani Editora.

ANUÁRIO BRASILEIRO DA INDÚSTRIA GRÁFICA É o único diretório da indústria gráfica brasileira e circula desde 1996. Fonte indispensável de consulta para clientes e profissionais do setor, apresentou na sua 18ª edição (2014) um banco de dados das 2.112 principais gráficas de todo o País, com um verdadeiro “raio-x” de cada uma, incluindo endereçamento completo, número de funcionários, área instalada, formato máximo de impressão, certificações, processos gráficos disponíveis e especializações. Além dos dados das gráficas, inclui o Guia de Fornecedores, com 80 páginas que trazem um banco de dados com informações sobre 550 fornecedores de matérias-primas, insumos, processos, sistemas, equipamentos gráficos e prestadores de serviços. Respeitado no mercado pela qualidade de conteúdo e confiabilidade de informações, o Anuário é conhecido como a “bíblia” da indústria gráfica brasileira. É editado e comercializado pela Clemente e Gramani Editora.

56


BOLETIM DE AT I V I D A D E I N D U S T R I A L

Publicado trimestralmente, o Boletim de Atividade Industrial foi criado para manter a Indústria Gráfica Brasileira atualizada com os últimos dados econômicos relevantes para o setor. Com gráficos e indicadores explicativos, verificamos o andamento da produção da Indústria Gráfica, bem como informações sobre a balança comercial. Cada segmento (embalagens, editorial, promocional, envelopes,

cadernos,

cuidadosamente

e

entre discutido

outros) pelo

é

avaliado

Departamento

Econômico da ABIGRAF Nacional, sendo posteriormente publicado no boletim. A publicação é distribuida à diretoria e está disponível para download em nosso site.

ABIGRAF EM AÇÃO E SITE ABIGRAF NACIONAL ABIGRAF em Ação é um informativo online divulgado mensalmente a toda base de associados, profissionais, diretoria, presidência e demais interessados pelas ações desenvolvidas pelas entidades como eventos, reuniões políticas, informações jurídicas, entre outros. O site da ABIGRAF Nacional também é um dos nossos veículos

de

comunicação

direto

com

os

nossos

associados. As regionais têm um espaço especial para publicarem suas notícias, eventos, galerias de fotos e outras inciativas. Além disso, apresentamos uma área com produtos e serviços, atendimento

do

jurídico

notícias sobre o setor.

57

e


58

ECONÔMICOS

DADOS


59


NÚMEROS DA INDÚSTRIA GRÁFICA BRASILEIRA Indústria Gráfica Brasileira em 2014 Exportação Importação Saldo Comercial (Déficit)

Versus 2013 3,8%

FOB - US$ 289,6 milhões

-10%

FOB – US$ 493,8 milhões

-24,3%

FOB – US$ 204,2 milhões

Importação de máquinas e equipamentos FOB – US$ 975 milhões Emprego¹

-17% -2,4%

213.034

Empresas Gráficas¹

0%

20.630

Participação da Indústria Gráfica no PIB Indústria de Transformação

S/ PIB = 0,3% S/ Ind. Trans = 3%

Fonte: IBGE/PIA, SECEX e MTE/(RAIS/CAGED). Elaboração: DECON/ABIGRAF. 1

Este dado é uma estimativa, a previsão para divulgação do dado oficial é set/2014.

PARTICIPAÇÃO DOS SEGMENTOS NA INDÚSTRIA GRÁFICA EM 2014 Em R$ Milhões

Participação na Produção %

Embalagens

R$ 18.333

40,0%

Editorial (livros,revistas,manuais e guias)

R$ 13.367

29,2%

Impressos Promocionais

R$ 4.469

9,8%

Imp. de segurança/Fiscais/Formulários

R$ 3.069

6,7%

Etiquetas

R$ 1.997

4,4%

Cadernos

R$ 1.288

2,8%

Pré-impressão

R$ 1.553

3,4%

Cartões

R$ 1.425

3,1%

R$ 324

0,7%

R$ 45.824

100%

Segmentos da Indústria Gráfica Brasileira

Envelopes INDÚSTRIA GRÁFICA

Fonte: IBGE /PIA/PIM-PF, FGV - Preparado por:ABIGRAF.

60


PERFIL DAS EMPRESAS GRÁFICAS DA INDÚSTRIA GRÁFICA BRASILEIRA

Micro 79,7%

Pequeno 17,1%

Grande 0,4%

Médio 2,7%

Micro de 0 a 9 empregados Pequeno de 10 a 49 empregados Médio de 50 a 249 empregados Grande de 250 a 1000 ou mais vínculos diretos ativos Fonte: MTE/RAIS 2013. Elaboração: ABIGRAF.

ABRANGÊNCIA DO SETOR

Região Norte Nº de Gráficas: 768 Nº de Funcionários: 5.372

Região Nordeste Nº de Gráficas: 3.361 Nº de Funcionários: 24.650

Região Centro-Oeste Nº de Gráficas: 1.736 Nº de Funcionários: 11.105

Região Sudeste Nº de Gráficas: 10.033 Nº de Funcionários: 132.458

Região Sul Nº de Gráficas: 4.732 Nº de Funcionários: 44.613

Fonte: MTE/RAIS 2013. Elaboração: ABIGRAF.

61


BALANÇA COMERCIAL DA INDÚSTRIA GRÁFICA BRASILEIRA US$ MILHÕE FOB (2007 - 2014)

Balança Comercial Total US$ Milhões Período

Exportações

Var em rel. ano anterior %

Importação

Var em rel. ano anterior %

Saldo comercial

2007

279,1

1%

319,8

50%

-40,7

2008

255,7

-8%

370,1

16%

-114,4

2009

220,3

-14%

298,2

-19%

-77,9

2010

249,0

13%

409,6

37%

-160,6

2011

269,3

8%

563,8

38%

-294,5

2012

298,2

11%

536,8

-5%

-238,7

2013

279,1

-6%

548,7

2%

-269,6

2014

289,6

4%

493,8

-10%

-204,2

Fonte: MDIC.Elaboração: DECON/ABIGRAF

BALANÇA COMERCIAL DA INDÚSTRIA GRÁFICA BRASILEIRA US$ MILHÕE FOB (2007 - 2014) 650

2,50

550 450

2,00

1,50

250 150 50

1,00

-50 0,50

-150 -250 -350

0,00 Exportação

Importação

Saldo

Fonte: MDIC.Elaboração: DECON/ABIGRAF

62

Taxa de câmbio

R$/US$

US$ Milhões (FOB)

350


E X P O RTA Ç Õ E S P O R S EG M E N TO GRÁFICO FOB US$ MILHÕES

Segmento

2013

2014

Variação

Participação 2014

Embalagens

108,13

111,58

3,2%

38,5%

Cartões impressos

95,87

95,36

-0,5%

32,9%

Cadernos

30,67

30,30

-1,2%

10,5%

Editoriais

20,33

20,57

1,2%

7,1%

Promocionais

15,07

20,36

35,1%

7,0%

Etiquetas

5,65

7,39

30,9%

2,6%

Fiscais

1,98

2,54

28,4%

0,9%

Formulários

0,90

0,95

4,7%

0,3%

Envelopes

0,51

0,56

10,0%

0,2%

279,10

289,61

3,8%

100,0%

INDÚSTRIA GRÁFICA

Cartões Impressos 32,9%

Cadernos 10,5%

Editoriais 7,1% Embalagens 38,5% Embalagens

Promocionais 7,0% Etiquetas 2,6%

Envelopes 0,2% Formulários Formulários 0,3%

Fiscais 0,9%

Fonte: MDIC. Elaboração: DECON/ABIGRAF.

63


I M P O RTA Ç Õ E S P O R S EG M E N TO GRÁFICO FOB US$ MILHÕES

Segmento

2013

2014

Variação

Participação 2014

Embalagens

136,55

107,31

-21,4%

21,7%

Cartões impressos

107,67

102,02

-5,2%

20,7%

Cadernos

9,54

7,30

-23,4%

1,5%

Editoriais

186,08

180,42

-3,0%

36,5%

Promocionais

56,50

49,94

-11,6%

10,1%

Etiquetas

40,34

33,89

-16,0%

6,9%

Fiscais

8,60

8,71

1,3%

1,8%

Formulários

3,02

3,79

25,4%

0,8%

Envelopes

0,43

0,44

2,9%

0,1%

548,73

493,82

-10,0%

100,0%

INDÚSTRIA GRÁFICA

Cadernos 1,5% Editoriais 36,5% Cartões Impressos 20,7%

Promocionais 10,1% Embalagens 21,7% Etiquetas 6,9% Envelopes 0,1% Formulários 0,8% Fonte: MDIC. Elaboração: DECON/ABIGRAF.

64

Fiscais 1,8%


INVESTIMENTOS REALIZADOS PELA INDÚSTRIA GRÁFICA BRASILEIRA INVESTIMENTOS REALIZADOS 2007 a 2014

2.000

2.000 US$ Milhões

1.500 1.430 1.500 1.000

500 0

1.813 1.430

1.000

1.813

1.004

1.394 1.004

1.394 1.384

1.384 1.214 -12%

500

1.214 1.173 -12% -3%

1.173 975

-3%

975 -17%

0 2007

2007 2008

2008 2009

2009 2010 2011 2012 2013 2010 2011 2013 2014 2012 Importações de Máquinas e… Importações de Máquinas e Equipamentos

2014

Fonte: MDIC Elaboração: DECON/ABIGRAF. Fonte: MDIC Elaboração: DECON/ABIGRAF.

O Departamento de Estudos Econômicos da ABIGRAF, Decon, disponibiliza aos associados uma série de dados referentes ao setor como análises, negociações, política industrial e boletins sobre a Indústria Gráfica Brasileira.

Acesse: www.abigraf.org.br/dados-economicos

65


66


67


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA GRÁFICA - ABIGRAF NACIONAL RUA DO PARAÍSO, 529 – PARAÍSO – SÃO PAULO - SP – CEP: 04103-000 TELEFONE: +55 11 3232 4500 – FAX: +55 11 3232 4507 E-MAIL: ABIGRAF@ABIGRAF.ORG.BR WWW.ABIGRAF.ORG.BR 68

Relatório de Atividades 2014  
Advertisement