Page 1


Apresentação Sistema Abigraf Com sede em São Paulo, abrange a Abigraf Nacional, a Abigraf Regional São Paulo, o Sindigraf-SP e a ABTG. Na América Latina atua em parceria com a Confederação Latino-americana da Indústria Gráfica (Conlatingraf), entidade que congrega associações de 15 países do continente. Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf Nacional) Sua missão é buscar o fortalecimento e expansão mundial do setor gráfico brasileiro. Fundada em 1965, reúne associados em todo o Brasil, por meio de representantes localizadas em 18 estados.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA GRÁFICA RELATÓRIO ANUAL 2007 Projeto Editorial Ricardo Viveiros & Associados – Oficina de Comunicação

Projeto Gráfico WF Propaganda

Editor Responsável Associação Brasileira da Indústria Gráfica Regional de São Paulo (Abigraf-SP) Fundada em 1968, representa um universo de cerca de 6 mil empresas gráficas instaladas no Estado. Dentre suas prioridades estão estratégias para promover e desenvolver o setor, especialmente com maior participação dos municípios do interior paulista.

Ricardo Viveiros (MTb. 18.141/SP)

Pesquisa e redação: Ada Caperuto e Márcia Vilas Boas

Revisão Marco Antonio Eid

Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica (ABTG) Fundada em 1959, com o objetivo de pesquisar, discutir e divulgar assuntos técnicos em âmbito nacional, é referência na transmissão de conhecimentos técnicos da comunicação gráfica em todo o País.

Arte e diagramação WF Propaganda

Pré-impressão SR Gráfica Ltda.

Impressão Sindicato das Indústrias Gráficas no Estado de São Paulo (Sindigraf-SP) Fundado em 1923, representa e defende os interesses da categoria. Está à frente de ações cujos benefícios refletem não apenas nas empresas instaladas no Estado de São Paulo, mas em todo o mercado gráfico nacional.

SR Gráfica Ltda.

Acabamento SR Gráfica Ltda.

Tiragem 17.000 exemplares


Realização Por um país melhor

Trabalho e resultados Missão fundamental

Em meio a indicadores conjunturais positivos e às suas velhas e novas mazelas, o Brasil apresenta uma indelével virtude: tem enfrentando seus problemas com as melhores ferramentas da democracia, em especial a liberdade de reivindicar, criticar, sugerir, fiscalizar e exigir mudanças. E a grande mídiado civismo continua sendo a comunicação impressa! Aliás, não só do civismo, como das relações de consumo, da interação social, do registro das leis, dos contratos e de tudo o que exige a troca de informação. Assim, além da participação política de cidadãos, empresas e entidades de classe no exercício legítimo das prerrogativas inerentes à democracia participativa, a indústria gráfica pode contribuir muito para a criação de um ambiente mais favorável à economia. Este relatório mostra como o Sistema Abigraf está sintonizado nas metas do desenvolvimento brasileiro, engajando-se nas causas justas da sociedade, na defesa de menor carga tributária, menos juros, estratégia cambial inteligente, gestão econômica progressista e mais probidade e ética na política. E, claro, também buscando contribuir para que as gráficas sejam mais competitivas e os impressos sejam cada vez melhores e mais bonitos. Em 2007, a entidade trabalhou muito pelo fortalecimento do setor, porque sabe o quanto ele pode fazer pela Nação!

A Abigraf Regional São Paulo deu grande impulso, em 2007, à interiorização de suas ações, uma das prioridades. Houve, por exemplo, sensível ampliação da Semana de Artes Gráficas. Em 2006, já a havia promovido em Bauru, Ribeirão Preto, São José dos Campos, São José do Rio Preto e Campinas. Em 2007, realizou-se em Sorocaba, Araçatuba e, pela segunda vez, em Bauru, Ribeirão Preto, São José dos Campos, São José do Rio Preto e Campinas. A Regional São Paulo também deu prosseguimento ao programa de bibliotecas públicas no interior paulista, em parceria com prefeituras e Governo do Estado. A iniciativa mostra que o exercício da responsabilidade social, imprescindível à inclusão de mais brasileiros nas prerrogativas da cidadania, não é apenas um compromisso das empresas, mas também das entidades de classe. Teve, ainda, produtiva continuidade o trabalho dos grupos empresariais. Em sua gestão, criou-se o Grupo de Jovens Gráficos, com o intuito de contribuir para a formação de lideranças e tornar mais eficaz o processo sucessório nas empresas, e o Grupo da Pequena e Microempresa. Não há dúvida de que 2007 foi um ano de muito esforço e bons resultados. Tudo isto pode ser constatado neste relatório, que evidencia o significado do trabalho da entidade de classe para o setor que representa, a economia e a comunidade.

Mário César de Camargo

Presidente da Abigraf Nacional

5

Em 2007, a Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica (ABTG) realizou grande empenho no sentido de ampliar suas ações. De modo sinérgico e democrático, promoveu a sucessão de sua diretoria, dando continuidade às atividades implementadas no dinâmico mandato do presidente Fabio Arruda Mortara. Conforme é possível observar neste relatório, registrou-se significativo avanço nos cursos técnicos, Escola de Vendas Mário César de Camargo, Grade Regular, “Bate-papo com a Tecnologia”, Núcleo de Consultoria e o Check-up Técnico e de Gestão. Além disso, o atendimento tornou-se ainda mais abrangente. Em 2007, alcançou 13 estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás, Distrito Federal, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Bahia. O trabalho da ABTG, que neste ano foi reconhecida oficialmente como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), evidencia o quanto é decisivo o suporte técnico a um setor de atividade. Nesse sentido, também é muito importante o Prêmio de Excelência Gráfica Fernando Pini, referencial de qualidade do mercado, mais uma vez coroado de pleno êxito, em sua 17ª edição. A atuação da entidade, em todas as frentes, a posiciona na linha de frente do conhecimento, valor imprescindível à qualidade e competitividade da indústria gráfica.

Presidente da Abigraf Regional São Paulo

Às vésperas de registrar o expressivo marco de 200 anos no País, a indústria gráfica consolida-se como a grande depositária da rica e instigante história brasileira. Neste 2007 que precede tão significativa comemoração para o setor e a memória nacional, é pertinente destacar o significado da impressão. Nenhum povo será próspero se não democratizar o acesso à informação, cultura e conhecimento. E nenhuma mídia cumpre tal missão com tanta eficiência quanto a gráfica. Com certeza, nosso setor será um dos pilares da solução dos problemas nacionais, contribuindo para que tenhamos uma sociedade mais harmoniosa, melhor preparada e mais justa. A Abigraf Nacional, consciente da responsabilidade do segmento industrial que representa, tem avançado a cada ano, como se pode constatar neste relatório, no sentido de promover seu fortalecimento e crescente participação nos grandes debates e temas nacionais. Em cada ação, a entidade luta para que os impressos do futuro, próximo e distante, contem a história de um novo e desenvolvido Brasil.

Jacks Ubiratan de Faria

Presidente do Conselho Diretivo da Abigraf Nacional

Sociedade do conhecimento Não há mais empresas vencedoras sem o valor agregado da tecnologia e do talento humano. Sua somatória define o grau de competitividade e a capacidade de uma organização de atender de modo eficaz às exigências de mercados cada vez mais seletivos e sofisticados. A indústria gráfica é um dos segmentos nos quais é mais presente o impacto desses diferenciais, pois seus produtos influenciam os sentidos e sensações. A qualidade de impressão da embalagem interfere no desejo da compra; o verniz na capa torna o livro mais lúdico; o caderno bem impresso estimula o aluno; o registro de tinta é determinante para a manchete do jornal... Sim, a comunicação gráfica interage com as emoções, e são cada vez menos sutis as diferenças de qualidade entre os impressos, pois o avanço tecnológico e a capacitação profissional agigantam-se como vantagens competitivas no chão de fábrica. A leitura deste relatório do ano de 2007 elucida como um sistema associativo é capaz de contribuir para que um setor de atividade agregue tais valores. No caso da ABTG, é visível sua capacidade de prover informação tecnológica e conteúdo profissional, binômio decisivo das gráficas na chamada sociedade do conhecimento.

Silvio Roberto Isola Reinaldo Espinosa

Alfried Karl Plöger

Atuação histórica

Presidente executivo da ABTG

Presidente do Conselho Diretor da ABTG

6


integração

COMPROMISSO Às vésperas do bicentenário As entidades do Sistema Abigraf encerram 2007 com grandes expectativas para o próximo ano, quando serão comemorados os 200 anos da indústria gráfica no Brasil. Ciente da importância socioeconômica do setor de impressão para o país, no último ano a Abigraf Nacional esteve à frente de iniciativas empreendidas para defender os interesses da indústria gráfica, buscando promover um ambiente de livre concorrência e condições justas de produtividade. As propostas são discutidas conjuntamente em reuniões como a 43ª Assembléia Geral Ordinária, realizada em 28 e 29 de abril, em Teresina (PI), com a participação de presidentes e diretores de dez Regionais da Abigraf. A principal iniciativa nesse sentido ocorreu em 14 de março, quando empresários e lideranças do setor reuniramse com parlamentares no Distrito Federal para apresentar um documento de 15 páginas, elaborado em parceria com as representações regionais da entidade, que abrange os principais pleitos do setor. Os temas incluem questões relativas ao setor público, dentre elas assuntos tributários e trabalhistas, além de programas de estímulo à leitura, de desenvolvimento ambiental sustentável, de ampliação do acesso à tecnologia e financiamentos e defesa dos interesses do setor nos acordos internacionais de comércio. Na oportunidade, empresários e trabalhadores do setor representados pela Abigraf colocaram-se à disposição para, ao lado governo, persistirem no esforço conjunto pelo desenvolvimento econômico e social do Brasil. No início de 2007, a Receita Federal iniciou uma forte investigação do uso indevido do papel livre

7

de imposto, conhecido como papel imune, em conjunto com a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo. Empresas que não apresentam a Declaração Especial de Informações Relativas ao Controle do Papel Imune (DIF – Papel Imune) passaram a ser autuadas. Esta ação recebeu apoio da Abigraf que, desde 1994, vem alertando para o problema do uso irregular do papel imune. Além de representar a perda de mais de R$ 29 milhões em ICMS, somente entre janeiro e setembro de 2006, a operação tem causado prejuízo às empresas gráficas, que chega a R$ 500 milhões ao ano. Em março, a Abigraf contestou judicialmente, com um pedido de prorrogação da data fixada para adaptação, a Lei Municipal 14.223/06, conhecida como projeto Cidade Limpa, instituída pela Prefeitura Municipal de São Paulo. A entidade também tornou públicos os reflexos negativos dessa iniciativa no segmento de impressão de mídia exterior, que, segundo estimativas do Departamento de Estudos Econômicos (Decon/Abigraf), poderia trazer prejuízo direto de aproximadamente R$ 220 milhões ao ano, provocando cerca de 700 demissões somente em 2007. A Abigraf e o Sindigraf-SP são duas das 300 entidades em todo o Brasil que integram o movimento da sociedade civil contra a CPMF. A iniciativa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) fez circular um abaixo-assinado que declarava a contrariedade de diversos setores produtivos em relação à prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF) até 2011. O documento com 1,2 milhão de assinaturas foi apresentado pelo presidente da FIESP, Paulo Skaf, em 11 de setembro, em Brasília-DF, diretamente ao relator da emenda constitucional, deputado Antonio Palocci (PTSP), durante audiência pública na Comissão Especial da Câmara dos Deputados.

Homenagens e responsabilidade Em 8 de março, a Abigraf promoveu uma palestra em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, atenta à cada vez maior participação feminina no setor gráfico, que, em seu quadro de colaboradores conta hoje com 76% de mulheres. Em 9 de maio, cerca de 20 empresários do setor O essencial apoio gráfico, a maioria do segmento de impressão das Regionais digital, participaram de um almoço oferecido Abigraf pela Abigraf a Hervé Tessler, novo presidente da As representações da entidade em todo o Xerox do Brasil, uma das importantes parceiras país desempenham importante papel no da entidade. levantamento de demandas e propostas 8 de março, a Abigraf proEm continuidade ao em patrocínio ao programa estaduais para promover a indústria umalançado palestra “São Paulo: um Estadomoveu de Leitores”, em em homegráfica. Internacional da 2003 pela Secretaria nagem de EstadoaodaDia Cultura, a Mulher, atenta à cada vez maior Abigraf-SP inaugurou em 2007 três bibliotecas participação feminina no setor Em 2007, a Abigraf Nacional realizou um das públicas, nas cidades de Santo Antonio do gráfico, que, em seu quadrometas de Jardim (março), Monteiro Lobato (junho) e hoje com da atual gestão no sentido de ampliar a colaboradores conta do setor em todo o país ao Sagres (outubro). Em fevereiro fez nova doação Em 9 representatividade 76% de mulheres. de inaugurar três novas regionais. Em 6 de julho foi à biblioteca pública Angelina Vieira, localizada maio, cerca de 20 empresários a Abigraf Regional Sergipe; em 21 dentro da creche de mesmo nome,gráfico, mantida pelo do setor a maioria instalada do de setembro, inaugurada a Abigraf Regional Comando Militar do Sudeste – esta biblioteca, Amazonas; e, em 19 de outubro, criada a inaugurada em dezembro de 2006, recebeu Abigraf Regional Paraíba. 600 livros, metade deles ficou à disposição dos Dentre as 18 regionais da Abigraf Nacional, usuários do Centro de Preparação de Oficiais da em 2007 destaca-se o trabalho realizado pela Reserva, em Santana, enquanto que as obras Abigraf Regional Paraná ao lado do Sindicato infantis integram acervo da creche, localizada das Indústrias Gráficas no Estado do Paraná no quartel do IV Batalhão de Infantaria Leve, em (Sigep). Para melhor atender os associados, a Quitaúna, Osasco, Grande São Paulo. sede recebeu investimentos em manutenção A entidade também promove concursos e infra-estrutura, com a aquisição de sistemas literários para estudantes que residem nesses de informática que facilitam os processos. municípios, como forma de despertar nos jovens Também foram empregados recursos no o prazer pela leitura. desenvolvimento do capital humano e melhoria do relacionamento com os associados, parceiros e fornecedores. Dentre os pontos altos deste período está a intensa programação de palestras técnicas e de atualização em assuntos como gestão, exportação, tecnologia, meio ambiente,

marketing e qualidade, bem como o lançamento da Academia de Estratégia e Tecnologia Gráfica. Ao completar dez anos de atividades, a Abigraf Regional Ceará, representada pela Unigrafica (Sindicato da Indústria Editorial, de Formulários Contínuos e de Embalagens Gráficas no Estado do Ceará), ampliou sua representatividade ao praticamente duplicar o quadro de empresas afiliadas. Outro fator relevante foi a consolidação de seu papel como órgão de defesa da classe empresarial gráfica, por meio de ampla negociação com o poder público local, o que resultou em conquistas significativas para o setor. Comprometida com o desenvolvimento da indústria gráfica do Estado, a entidade promoveu uma série de eventos de qualificação e capacitação para todos os segmentos da linha de produção. Em quase 40 anos de história, a Abigraf Regional São Paulo registrou avanços significativos em sua proposta de apoiar o desenvolvimento do setor gráfico. Neste aspecto, destaca-se o empenho para obtenção de linhas de crédito para empresas associadas e a ampliação da representatividade, por meio do Projeto de Interiorização. Em 2007, a diretoria da Abigraf-SP, ao lado das lideranças da ABTG, apresentou palestras em diferentes cidades do interior, simultaneamente às Semanas de Artes Gráficas: Sorocaba (março), Bauru (maio), São José dos Campos (junho), Ribeirão Preto (julho), São José do Rio Preto (agosto) e Campinas (setembro). Nesse sentido é também preponderante o trabalho das seccionais de Ribeirão Preto, Bauru e Vale do Paraíba. Esta última ocupa, desde 12 de setembro, nova sede no prédio da Associação Comercial e Industrial (ACI) de São José dos Campos. Uma das principais lutas da Abigraf Regional Rio Grande do Sul refere-se à busca de soluções para o conflito tributário, que representa um dos maiores entraves ao crescimento do

setor. Além disso, em parceria com o Sebrae e Senai locais, a entidade investe em capacitação de profissionais. Com essa proposta, em 2007 foi estruturada a Escola de Vendas Mário César de Camargo no Estado e realizados 18 cursos, 32 palestras, dentre outros eventos para associados. Na Abigraf Regional Piauí, associativismo unificado, integração do setor gráfico com o restante do país e aproximação dos órgãos governamentais foram algumas das conquistas mais importantes no último ano. No âmbito da capacitação, foram oferecidos cursos e orientações nas áreas gerencial e tecnológica. Também em 2007, por conta do crescimento no número de empresas gráficas fora da capital, a entidade deu início à implementação de seu programa de interiorização. A Abigraf Regional Rio de Janeiro, que atua em parceria Sindicato das Indústrias Gráficas do Município do Rio de Janeiro, formando o Sistema Sigraf/Abigraf-RJ, vem dando prioridade a três áreas estratégicas: gestão empresarial, desenvolvimento de recursos humanos e tecnologia. Para isso, em 2007, foi desenvolvido um calendário que incluiu a realização de eventos, cursos e palestras, e a organização do Prêmio de Excelência Gráfica Werner Klatt. Dentre os projetos realizados no último ano destaca-se o Arranjo Produtivo Local (APL) para a Indústria Gráfica do Rio de Janeiro, em parceria com o Sebrae e o Senai, que deverá dar novo impulso aos negócios do setor.

8


A Abigraf Regional Minas Gerais reforçou o programa de consultorias de atendimento implantadas na gestão 2004-2007, com destaque para a Consultoria de Fomento e de Informática. No período, a entidade continuou disponibilizando aos seus associados o serviço de consultoria jurídica, trabalhista e tributária, além de um serviço especializado de consultoria em gestão para as gráficas do interior. Foi promovida uma série de workshops, treinamentos e palestras para os associados interessados, e todos os conteúdos foram disponibilizados no site da associação. Criado em 2005, o Projeto Indústria Gráfica (GEOR), em parceria com o Sebrae e Senai/Fiemg, recebeu quase R$ 2 milhões em investimentos, e teve sua finalização em 2007. A ação foi implementada nas empresas gráficas das cidades de Barbacena, Belo Horizonte, Contagem, Juiz de Fora, Montes Claros, Pouso Alegre, Sete Lagoas, Uberaba, Uberlândia e Varginha. Até dezembro, a meta do projeto era aumentar o volume físico de vendas em 5% e os postos de trabalho em 10%. Além disso, como co-gestora do Cecoteg (Centro de Comunicação, Design e Tecnologia Gráfica do Senai-MG), a entidade promoveu diversos cursos de qualificação profissional. Durante o ano de 2007, os fornecedores da indústria gráfica estiveram presentes nos eventos e ações desenvolvidas pela entidade, em palestras, confraternizações, encontros, caravanas, a revista “O Cícero”, a feira Embala Minas, a 6ª Semana de Artes Gráficas e 3º Fórum Empresarial da Indústria Gráfica, a 3ª edição do Prêmio Mineiro de Excelência Gráfica Cícero, dentre outros. Além das atividades associativas e educacionais, algumas Regionais Abigraf vêm promovendo concursos locais como forma de prestar reconhecimento à excelência gráfica das empresas gráficas de seus respectivos Estados,

9

como é o caso do Prêmio Mineiro de Excelência Gráfica Cícero (Regional Minas Gerais), Prêmio Jorge Salim de Excelência Gráfica (Regional Distrito Federal), Prêmio Paranaense de Excelência Gráfica Oscar Schrappe Sobrinho (Regional Paraná), Prêmio de Excelência Gráfica Werner Klatt (Regional Rio de Janeiro) e Prêmio Gaúcho de Excelência Gráfica (Regional Rio Grande do Sul).

Desempenho Um ano de calmaria O setor gráfico enfrentou em 2007, um período de relativo equilíbrio em suas atividades, liderado pelo dinamismo do mercado interno, já que o câmbio foi o responsável por uma reversão no saldo comercial do setor. No encerramento de 2007, a indústria gráfica nacional registrou crescimento de 2,7% em relação ao ano anterior, de acordo com o Departamento de Estudos Econômicos (Decon/ Abigraf). O setor acumulou receita de vendas da ordem de R$ 16,70 bilhões (US$ 9,54 bi) encerrando o período com a criação de 7.056 novos postos de trabalho. Assim, de janeiro a outubro de 2007, o setor totalizou o contingente de 197.424 pessoas empregadas em 19.550 empresas. Em relação ao mesmo período do ano anterior, o crescimento do emprego foi de 3,2%. Depois de atingir excelente resultado da balança comercial em 2006, com saldo positivo de US$ 64,46 milhões (contra US$ 4,23 milhões negativos em 2005), o setor gráfico registrou no período de janeiro a outubro de 2007, déficit de US$ 10,21 milhões. Este déficit foi causado pelo aumento de 47% nas importações, em relação

ao mesmo período de 2006 e de pequeno acréscimo (apenas 1%) nas exportações do setor no período em questão, devido à contínua valorização da moeda nacional frente ao dólar norte-americano. Um ponto positivo foi a grande venda de embalagens US$ 72,93 milhões no acumulado janeiro a outubro de 2007 ao mercado externo, superando as vendas de cadernos que totalizaram US$ 62,00 milhões no período em questão. Diante desses resultados, as perspectivas para 2008 apostam em crescimento aproximado entre de 4% e 5%. Contudo, as lideranças do setor estão cientes de alguns dos principais desafios para atingir, ou ultrapassar, essa meta. Dentre eles estão: conter a migração de empresas para o mercado informal; adequar os mecanismos de compras governamentais dos produtos gráficos; estimular a leitura no Brasil; desenvolver programas de desenvolvimento ambiental sustentável para as empresas do setor; ampliar o acesso à tecnologia gráfica; melhorar o acesso das empresas a financiamentos; e promover a defesa dos interesses da indústria gráfica nos acordos internacionais de comércio. As perspectivas para 2008 são as seguintes: no mercado interno, a aumento da renda da população e a queda da taxa de juros ampliarão a demanda por produtos gráficos, via efeito multiplicador, principalmente fora dos grandes centros urbanos. No mercado externo, as exportações dos cadernos brasileiros não se sustentarão, em 2008, no mesmo patamar de 2006, mesmo com o embargo norte-americano aos chineses. Há entrada de outros concorrentes naquele mercado e os nossos produtos perdem competitividade, em função do câmbio. Portanto, a balança comercial do setor gráfico deverá se tornar ainda mais negativa, em 2008, devido ao câmbio.

Graphia – em vista dos excelentes resultados obtidos, o grupo de exportação do setor gráfico, denominado Graphia (Graphic Arts Industry Alliance), recebeu novo aporte de recursos financeiros. O valor de aproximadamente R$ 600 mil foi conseqüência da prorrogação, até 31 de janeiro de 2008, do convênio firmado com a APEX-Brasil (Agência de Promoção de Exportações e Investimentos do Governo Federal). Em maio de 2006, a Agência já havia feito investimentos no grupo de cerca de R$ 1 milhão. O Graphia, que iniciou suas atividades no segundo semestre de 2003, visa à prospecção, promoção, comercialização e divulgação do setor gráfico brasileiro no exterior. Desde então totalizou cerca de R$ 18 milhões em negócios fechados com diversos países das Américas, Caribe e Europa. Desse montante, aproximadamente R$ 7 milhões foram realizados nos últimos 12 meses, apesar da significativa depreciação do Real frente ao dólar americano. Neste ano de 2007, o Graphia, que realiza exportações para 18 países, iniciou vendas para nações como Inglaterra, Portugal, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela. Abraform – Em 2007, a entidade apresentou a mais recente pesquisa do Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEMI), que mostras os resultados da indústria brasileira de formulários, documentos e gerenciamento da informação em 2006. Este foi o segmento que mais cresceu dentre todos do setor gráfico. Em 2005, seu faturamento representava 11,4% desse universo e, em 2006, esse índice subiu para 12%. As vendas do setor como um todo aumentaram cerca de 7,4% em valores nominais, chegando a US$ 1 bilhão em 2006, o que se refletiu na expansão do volume de produção. Isso fez com que o

faturamento desse segmento registrasse crescimento de 13,7% em relação ao ano anterior, alcançando o valor de R$ 2,2 bilhões. As importações realizadas em 2006 cresceram 17,5% em relação a 2005, enquanto as exportações aumentaram 36,1%, apesar das dificuldades de todos os setores da economia nacional quanto à sobrevalorização da moeda nacional. Impressão Digital – em 10 de abril, o Grupo Empresarial de Impressão Digital (GEDIGI), da Abigraf-SP, apresentou os resultados de uma pesquisa encomendada ao Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEMI), que revelam que o mercado de impressão digital no país está em franco crescimento. O estudo foi realizado com 916 gráficas – sendo 204 digitais e 712 convencionais. Dentre estas últimas, 37% estão realizando ou planejam realizar investimentos em seu parque fabril até o final de 2008. O montante deverá atingir R$ 931 milhões, sendo que 13% (R$ 104 milhões) direcionados a equipamentos com tecnologia digital. Este valor, se somado aos investimentos que as gráficas digitais declararam para o mesmo período (R$ 70 milhões), poderá superar a casa dos R$ 174 milhões. O interesse em investir nesta nova tecnologia se justifica pelos resultados que o setor vem apresentando nos últimos anos. Entre eles, a forte expansão do volume de papel convertido a partir deste tipo de impressão, com 22% de crescimento somente no último ano. Estima-se em 246 o número de gráficas digitais em atividade no país, que geram 27 mil postos de trabalho e converteram, em 2006, 79 mil toneladas de papel para a produção de impressos digitais. Nesse mesmo período, essas empresas geraram aproximadamente R$ 2,5 bilhões em vendas, 23% deste valor

obtido com os serviços de impressão digital. Segundo o Decon/Abigraf, a receita de vendas das empresas consultadas do GEDIGI cresceu 10,6% em 2006, ante ao ano anterior. Para 2007, a expectativa era de incremento na receita estimado em 15,3%. Em 23 de agosto, o GEDIGI apresentou seu planejamento estratégico para o triênio 2008-2010. Dentre as ações programadas está a nova edição da pesquisa “Mercado Brasileiro de Serviços de Impressão Digital”, a atualização do livro “Impressão Digital: a tecnologia a serviço da comunicação”, o lançamento de uma coleção de livros sobre o tema, e a criação do Índice de Custos de Impressão Digital e da Apuração de Indicadores da Conjuntura do Mercado de Impressão.

10


RELACIONAMENTO o respeito à liberdade de associação, a não-utilização de mão-de-obra infantil e a nãoprática de trabalho forçoso ou em condições precárias.

Intercâmbio de experiências com as lideranças mundiais A Abigraf Nacional foi a organizadora do Prêmio Theobaldo De Nigris pela primeira vez desde a criação do concurso, em 1991. A Abigraf Nacional foi a organizadora XIV Concurso Latino-americano de Produtos Gráficos Theobaldo De Nigris, promovido pela Confederação Latino-americana da Indústria Gráfica (Conlatingraf). Realizada no Brasil pela primeira vez em toda a sua história, a cerimônia ocorreu em 31 de agosto, no Guarujá, em São Paulo, com a participação de cerca de 250 pessoas, de diversos países. Recorde absoluto, a edição teve 1.341 produtos inscritos por 11 nações. A participação brasileira – a maior, com 445 peças – rendeu ao país o primeiro lugar no ranking de premiados, com 26 ouros, 25 pratas e 61 certificados de qualidade. No mesmo período, teve lugar a 71ª Assembléia Geral Ordinária da Conlatingraf, com a presença de sete países. Na ocasião foi editada a Ata do Guarujá, documento pelo qual as entidades comprometeram-se a exigir dos governos da região que as empresas que participem de licitações públicas tenham como requisito

11

Neste ano, a Abigraf e a ABTG assumiram a responsabilidade de transformar a entrega dos troféus do 17º Prêmio Brasileiro de Excelência Gráfica Fernando Pini – que teve 1.374 peças inscritas por 167 empresas de 13 Estados – em uma cerimônia digna do Oscar, a maior celebração do cinema norteamericano. Realizada em 27 de novembro, a festa teve recorde de público, superando os 2.500 convidados presentes no Expo Barra Funda, em São Paulo. A cerimônia, que teve requintes hollywoodianos, foi comandada pelo crítico de cinema Rubens Ewald Filho, responsável pela entrega dos 77 troféus desta edição, e show de encerramento com a banda Titãs, que apresentou hits dos anos 80 e 90, além de sucessos atuais. A grande vencedora da noite foi a Facform, de Recife, com 10 troféus; seguida pela Burti, com 7 e Globo Cochrane e IBEP, ambas com 3. Entre os fornecedores, os mais premiados foram Heidelberg, com 4 láureas, Suzano Papel e Celulose, com 3, e HP, com 2. Os prêmios principais da noite – O Grand Prix Atributos Técnicos do Processo – foram conquistados pela Burti, na categoria melhor impressão; Pancrom, em Melhor Acabamento Editorial; e Magistral, em Acabamento Cartotécnico. Dando continuidade a um projeto adotado na edição de 2006 do Prêmio Pini, o Sindigraf-SP fez uma doação de R$ 20 mil à ONG Sociedade Amigos de Taiaçupeba (SAT), que tem como

membro o jornalista Heródoto Barbeiro. O dinheiro será destinado à manutenção de uma biblioteca pública. Profissionais da Gráfica Bandeirante e dirigentes do Sistema Abigraf subiram ao palco para prestar uma homenagem ao empresário Mário César de Camargo, presidente da Abigraf Nacional e um dos idealizadores do certame, criado em 1991. Em 2008, Camargo despedese da presidência da entidade, permanecendo à frente apenas do Sindigraf-SP. Outra inovação introduzida com a 17ª edição do Prêmio Fernando Pini foi a criação do Ciclo de Debates Fernando Pini que contribuiu para ampliar a divulgação do concurso. Unindo-se para lançar um novo evento de negócios, a Abigraf-SP, por meio de seu Grupo Empresarial de Impressão Digital (GEDIGI), e a ABTG foram as patrocinadoras oficiais do DigiShow’07 – Congresso e Exposição Internacional da Documentação Eletrônica, Impressão Digital e Marketing Direto. O evento, ocorrido de 29 a 31 de maio, reuniu especialistas para um extenso programa de palestras e uma exposição de equipamentos, serviços e soluções. Também patrocinaram o evento a Associação Brasileira de Marketing Direto (Abemd), a Associação Brasileira da Indústria de Formulários, Documentos e Gerenciamento de Informações (Abraform) e a Xplor Brasil – Associação Brasileira de Usuários de Sistemas de Documentação Eletrônica. Patrocinadora oficial da Feira Internacional de Produtos, Serviços & Tecnologia para Escolas, Escritórios e Papelaria Escolar Paper Brasil, a Abigraf-SP cumpriu seu papel também na 21ª edição do evento de 28 a 31 de agosto, em São Paulo.

Para a entidade, a feira é uma excelente oportunidade para ampliar a interação entre os integrantes de uma das mais importantes cadeias de suprimentos do setor de ensino, a de produtos gráficos. Realizada em 15 de agosto, em São Paulo, a 1ª Conferência Anual da ABRO teve como tema “O futuro da mídia impressa”. O evento reuniu cerca de 300 pessoas, entre líderes, profissionais e fornecedores do mercado gráfico, e deu seqüência ao encontro promovido desde 1997 pelo Grupo de Impressores com Rotativa Offset (GIRO), que deu origem a ABRO. Além dos fóruns de discussão, a conferência marcou a criação de um comitê de meio ambiente e o anúncio das intenções do grupo de intensificar pesquisas de mercado e a divulgação dos índices setoriais de preço. Também naquele mês, a AbigrafPE e o Sindicato das Indústrias Gráficas no Estado de Pernambuco (Sindusgraf-PE) estiveram presentes na segunda edição do Graphium Show – Salão de Fornecedores para Indústria Gráfica. O evento integrou a Embala Nordeste 2007, IV Feira Internacional de Embalagens e Eventos Integrados, em Recife.

desses segmentos em 13 países. O encontro aconteceu durante a 13ª Istanbul Stationery, Paper, School & Office Products Exhibition, promovido pela Tükid, sede atual da federação. No início de outubro, a diretora executiva da Abigraf esteve em Buenos Aires, Argentina, para visitar a Expo Papelería 2007 – 5ª Feira de Artigos para Livrarias, Papelarias e Suprimentos de Informática, também a convite da FOSPA. Nessa última reunião foi formalizado um acordo de cooperação para estreitar as relações e o intercâmbio entre as feiras de papelaria realizadas pela Argentina, Brasil e México.

Em âmbito internacional, em março, a Abigraf foi uma das entidades brasileiras a participar do segundo maior evento internacional de comunicações gráficas dos Estados Unidos, a Graphics of The Americas e Conferência Xplor 2007, em Miami (EUA), com promoção da Printing Association of Florida (PAF). Em abril, o presidente da Abigraf-SP e a diretora executiva do Sistema Abigraf participaram da terceira reunião da FOSPA (Federation of Office and School Products Association), que reúne os presidentes das associações

Contudo, as expectativas do Sistema Abigraf se concentram na próxima Drupa, a maior mostra de produtos e serviços gráficos do mundo, que deverá reunir cerca de 400 mil pessoas em Düsseldorf, na Alemanha, de 29 de maio a 11 de junho de 2008. Para facilitar a visita de empresários brasileiros ao evento, a ABTG lançou, em novembro de 2007, na Conferência Pré-Drupa, um abrangente programa de apoio, além de antecipar as tendências de mercado que serão destaques na feira. Para viabilizar a viagem, e também a

título de pré-análise de crédito para aquisição de máquinas e equipamentos gráficos, a Abigraf-SP e o Sindigraf-SP firmaram convênio com a Caixa Econômica Federal para obtenção de linhas de crédito.

12


DESENVOLVIMENTO Iniciativas educacionais fortalecem o setor gráfico Semanas de Artes Gráficas, palestras e cursos ampliam oportunidades de capacitação para os profissionais do setor. Em 2007, o programa Semana de Artes Gráficas, desenvolvido pela Abigraf-SP, Sindigraf-SP e ABTG, abrangeu sete cidades do interior paulista. A iniciativa visa à reciclagem de conhecimentos nas áreas administrativa, produtiva e comercial das indústrias gráficas. Em Sorocaba, as atividades aconteceram de 12 a 16 de março; em Araçatuba de 16 a 20 de abril; em Bauru, de 14 a 18 de maio; em Ribeirão Preto, de 16 a 20 de julho; em Campinas, de 17 a 21 de setembro; e São José dos Campos, de 18 a 22 de junho; e em São José do Rio Preto, de 13 a 17 de agosto. Essa ampliação de oportunidades no âmbito educacional também conta com os recursos de ensino à distância da Academia de Estratégia e Tecnologia da Indústria Gráfica – criada pelo Sindigraf-SP e desenvolvida pela ABTG, com apoio da América Brazil. Em 2007, a Academia lançou nove conteúdos programáticos de treinamentos on-line, a exemplo da Escola de Vendas Mário César de Camargo. Além disso, o portal recebeu o apoio das Regionais Abigraf instaladas no Espírito Santo, Paraná, Pernambuco, Ceará, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás, Rio Grande do Sul e no Distrito Federal.

A Escola de Vendas Mário César de Camargo, criada pela ABTG, com apoio do Sindigraf-SP, ocorreu de 26 a 30 de março, na capital paulista. Porém, no período, o programa foi estendido aos profissionais gráficos do interior do Estado, por meio do projeto Semana de Artes Gráficas, formando turmas em Bauru, São José dos Campos, Ribeirão Preto, Campinas, Araçatuba, Sorocaba e São José do Rio Preto. Também atingiu os Estados do Paraná (março), Rio Grande do Sul (abril e julho), Espírito Santo (abril) e Rio Grande do Norte (maio), além do Distrito Federal (maio).

Ainda em 2007, atendendo a uma demanda do mercado, foi adicionado o módulo Escola de Vendas II – Novas Estratégias e Técnicas para Mercados Muito Competitivos. Com o intuito de levar conhecimento aos profissionais do setor gráfico, as entidades do Sistema Abigraf promoveram em 2007 diversas palestras com especialistas de destaque em diversas áreas, como o publicitário Ricardo Guimarães e o jornalista econômico Joelmir Betting, além de autoridades como Eduardo Refinetti Guardia, secretário de Estado da Fazenda do Governo de São Paulo. Outras palestras que merecem destaque são as apresentadas em maio:

“Segurança e Saúde no Trabalho na Indústria Gráfica” e “Diagnóstico Empresarial”; em junho: “Super Simples Nacional – A nova realidade para os pequenos negócios” e “Cala a Boca e Ouça”; em agosto: “Planejamento Estratégico”; e em novembro: “Sucessão Familiar”. Vale destacar os cursos “EPC e a Identificação por radiofreqüência – RFID” e “Alta Qualidade na Impressão do Código de Barras”, realizados em setembro, em parceria com a GS1 Brasil. Também o Grupo de Trabalho de Pequenas e Médias Gráficas GT-PEME), coordenado pela Abigraf-SP, realizou cursos, reuniões e palestras com o objetivo de buscar a profissionalização das empresas com este perfil. Finalmente, o programa Batepapo com a Tecnologia, criado pela ABTG, aconteceu em duas ocasiões, a primeira delas em 24 de julho, com o empresário Marcus Hadade, da Gráfica Arizona; e a segunda em 6 de dezembro, com o tema “O Meio Ambiente e a Indústria Gráfica”, um painel sobre gestão ambiental e cases de sucesso. Neste ano, o Prêmio Brasileiro de Excelência Gráfica Fernando Pini agregou o Ciclo de Debates Fernando Pini, que contribuiu para ampliar a divulgação do concurso e representou uma oportunidade para profissionais de setor e de áreas correlatas discutirem tópicos de relevância para o desenvolvimento da indústria gráfica. Promovido em três semanas consecutivas, no mesmo período e local de exibição dos trabalhos finalistas da 17º edição do concurso, o espaço sócio-cultural Design & Graphic, Center, na capital paulista, teve público de aproximadamente 300 pessoas nos três dias.

A excelente repercussão obtida contribui para consolidar a proposta de agregar à próxima edição do Prêmio Fernando Pini um programa educacional dirigido a esses profissionais . Com apoio da Abigraf-SP, a Escola Senai Engenheiro Octávio Marcondes Ferraz de Ribeirão Preto inaugurou em 12 de fevereiro o curso de Operador de Impressora Offset. A iniciativa é fruto de um convênio com a Fundação Educandário Coronel Quito Junqueira, direcionada à profissionalização de menores em situação de risco. Em julho, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Paulo Skaf e o superintendente do Sesi/Senai, Luis Carlos de Souza Vieira, visitaram a Escola Senai Theobaldo De Nigris, em São Paulo. Dias depois, um encontro realizado na sede da federação, com a presença do prefeito de Barueri, Rubens Furlan, formalizou a doação oficial de um terreno de dez mil metros quadrados para a construção, com recursos municipais, de uma unidade da Escola Senai. O encontro teve a participação de representantes das diretorias da Abigraf Nacional, da Abigraf-SP e da ABTG,

que apóiam a iniciativa. ABTG comemora expansão – em 28 de junho, a ABTG apresentou o balanço da gestão de três anos (2004 – 2007) de Fabio Arruda Mortara como presidente. O empresário e líder setorial expôs os projetos desenvolvidos, destacando que os objetivos da entidade tiveram grande avanço no período, no sentido de prover conhecimento, estimular aporte tecnológico e melhorar processos e produtividade. Essa gestão possibilitou ampliação do Conselho Diretivo, com a criação das unidades de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia. A próxima gestão, que se estende até 2010, inclui os estados do Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná. A entidade promoveu e participou, em todo o país, de cursos, palestras, encontros técnicos e consultorias e desenvolveu a interação com organismos internacionais, disponibilizando informações ao mercado. Houve, ainda, a renovação da superintendência do ONS 27 (Organismo de Normalização Setorial) e reativação de grupos de trabalho. Dessa forma, foram publicadas 19 Normas Técnicas nesse período.

No período, a entidade promoveu e participou, em todo o país, de cursos, palestras, encontros técnicos e consultorias e desenvolveu a interação com organismos internacionais Em 2007, após um processo junto ao Ministério da Justiça, a ABTG foi reconhecida oficialmente como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip). Assim qualificada, a entidade poderá expandir sua atuação por todo o país, a partir do momento em que tem facilitado o acesso a parcerias e convênios com todos os níveis de governo e órgãos públicos (federal, estadual e municipal) e pode abater no imposto de renda as doações realizadas pela iniciativa privada. Ao apresentar os números relacionados aos cursos promovidos, a ABTG demonstrou que, dentre todas as conquistas destes três anos, a mais marcante foi o aumento da abrangência do atendimento, que hoje totaliza 13 Estados

Cursos 2004 – 2007 1.269 alunos

Técnicos

Escola de Vendas Mário César de Camargo 150 alunos Grade Regular

Mais de 50 cursos

Bate-papo com a Tecnologia

Seis eventos / mais de 400 participantes

Núcleo de consultoria 2004 – 2007 Consultoria e Atendimentos

4.318 colaboradores em atendimento

Check-up Técnico e de Gestão (2005)

2.525 colaboradores

Abrangência de atendimento

13 estados (SP, RJ, MG, ES, PR, SC, RS, GO, PE, PB, RN e BA, mais o Distrito Federal)

13

14


COMUNICAÇÃO 200 anos de comunicação impressa Em 2007, a Abigraf deu início a uma grande campanha publicitária em comemoração ao bicentenário da indústria gráfica nacional. Com objetivo de divulgar para toda a sociedade brasileira a importância do setor gráfico em nosso cotidiano, bem como sua evolução, conquistas e presença no futuro, a Abigraf deu início à campanha de divulgação das comemorações dos 200 anos da indústria gráfica brasileira, que se completam em 2008. O primeiro passo foi organizar, em 3 de outubro, um almoço reunindo empresários, personalidades e presidentes de entidades conexas a fim de propor a formação de um conselho responsável pelas decisões e propostas conjuntas que definirão o programa comemorativo. Participaram lideranças de entidades representativas dos setores de livros, embalagens, formulários e gerenciamento de informação, etiquetas adesivas, equipamentos e insumos para impressão, celulose, papel e papelão ondulado, tintas, publicidade, propaganda, marketing direto e anunciantes, material fotográfico e imagem, e técnicos gráficos, além das diretorias do Sistema Abigraf, representantes de instituições públicas e privadas: Ministério da Educação e Cultura (MEC), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Instituto Cultural da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Escola Senai Theobaldo De Nigris e Escola de Comunicação e Arte da Universidade de São Paulo (ECA/USP) e outras personalidades de destaque. Em novembro, em um segundo momento da campanha, foi aprovado pela Empresa Brasileira de

15

Regionais

Correios e Telégrafos (ECT) o selo oficial para a comemoração, desenvolvido pela WF Propaganda. Estão previstas também ações institucionais em feiras (Fiepag, EscolarPaper Brasil, Bienal do Livro e DRUPA) e no Prêmio Brasileiro de Excelência Gráfica Fernando Pini; em datas comemorativas, como a Semana do Meio Ambiente, Dia do Publicitário e Dia da Indústria Gráfica, com a realização de eventos comemorativos, atividades recreativas e concursos. A campanha, que envolve as 18 Regionais da Abigraf em todo o Brasil, será encerrada em 17 de outubro de 2008, com uma cerimônia que marcará também o final do 14º Congresso Brasileiro da Indústria Gráfica (Congraf), o lançamento do livro “200 anos – História da Indústria Gráfica no Brasil” e a premiação dos vencedores de todos os concursos. O lançamento oficial da campanha ocorreu em 11 de dezembro, data que marcou o almoço de final de ano do Sistema Abigraf, com a participação dos colaboradores, parceiros e fornecedores. O evento incluiu também, a cerimônia de posse dos novos presidentes e diretorias das entidades do Sistema, o lançamento do hot site alusivo à data e a entrega dos troféus aos vencedores do 2º Prêmio Vendedor para a Indústria

Gráfica, concurso criado com a proposta de promover o fortalecimento da relação entre as indústrias gráficas e seus fornecedores e que, em 2006, teve como vencedora Solange Prado, então funcionária da Xerox do Brasil, e quatro finalistas homenageados com uma placa: Mauricio Agostinho Ferreira (Xerox), Renata Castanha (Fabripel), Thiago Ataídes Cordeiro (SPP Nemo) e Vânia Ávila (VSP). A comunicação do Sistema Abigraf com o mercado soma também a publicação de livros técnicos, manuais e guias editados com o intuito de disseminar informações para toda a cadeia produtiva do setor gráfico. Nesse grupo incluem-se as revistas Abigraf, Tecnologia Gráfica e o Anuário Brasileiro da Indústria Gráfica, bem como a newsletter eletrônica Abigraf On Line e o Boletim Impressões, portavozes oficiais do setor. As ações apóiam-se, ainda, no trabalho da assessoria de imprensa do Sistema Abigraf, a Ricardo Viveiros & Associados – Oficina de Comunicação. Em todos os dias do ano, o setor gráfico é notícia nos principais veículos de comunicação de todo o país. O quadro abaixo relaciona o número de inserções – matérias, notas, artigos e entrevistas – na mídia nacional no período de janeiro a outubro de 2007.

Jornal

TV

Rádio

Revista

Webmídia

Janeiro

51

05

08

31

91

Fevereiro

32

03

03

24

74

Março

41

01

03

51

101

Abril

19

--

01

15

67

Maio

28

01

05

08

123

Junho

20

--

01

20

87

Julho

27

01

--

21

82

Agosto

22

04

186

22

81

Setembro

27

--

03

15

120

Outubro

27

04

07

31

88

Total

294

19

217

238

914

Presidentes das Regionais Abigraf • Abigraf Regional Amazonas – Roberto de Lima Caminha Filho • Abigraf Regional Pernambuco – Sebastião Figuerôa de Siqueira • Abigraf Regional Bahia – Josair Santos Bastos • Abigraf Regional Piauí – James Hermes dos Santos • Abigraf Regional Ceará – Luiz Francisco Juaçaba Esteves • Abigraf Regional Distrito Federal – João Batista Alves dos Santos • Abigraf Regional Espírito Santo – Tullio Samorini

• Abigraf Regional Rio de Janeiro – Carlos Augusto Di Giorgio Sobrinho (Ruy Klatt, a partir de dezembro de 2007) • Abigraf Regional Rio Grande do Norte – Alexandre Firmino Melo Filho

• Abigraf Regional Goiás – Antonio de Sousa Almeida • Abigraf Regional Mato Grosso do Sul – Julião Flaves Gaúna • Abigraf Regional Minas Gerais – Jacks Ubiratan Bernardes de Faria (Rodrigo Velloso de Almeida, a partir de novembro de 2007)

• Abigraf Regional Rio Grande do Sul – Carlos Evandro Alves da Silva • Abigraf Regional Santa Catarina – Vítor Mário Zanetti • Abigraf Regional São Paulo – Alfried Karl Plöger

• Abigraf Regional Paraíba – Marcone Tarradt Rocha • Abigraf Regional Sergipe – Paulo Roberto Garcez Vieira • Abigraf Regional Paraná – Giem Raduy Guimarães (Sidney Paciornik, a partir de novembro de 2007)

16


Relatório de Atividades 2007  
Advertisement