__MAIN_TEXT__

Page 1

Revista

ISSN 1679-6659 – ANO 13 – NÚMERO 16 – MAIO DE 2013

Uma empresa do

estão 2007/13

Um legado para a ABCGIL e para o Gir LEiteiro Equipe da entidade e, no detalhe, Silvio Queiroz Pinheiro, presidente


2

| | | | Revista Gir Leiteiro 2010


Revista Gir Leiteiro 2010 ||||

3


Prezado leitor, Saudações girleiteiristas Nesta edição buscamos mostrar, através de uma pequena retrospectiva, as principais ações da ABCGIL nos últimos seis anos. É possível acompanhar pelos fatos relatados os avanços no melhoramento da raça e as conquistas da associação, sempre no sentido da alcançar os objetivos propostos de “fortalecimento do Gir Leiteiro e valorização do criador”. Mesmo com as restrições impostas pela elevação de custos operacionais e dificuldades com mão de obra capacitada, persistentes principalmente na pecuária leiteira, decorrentes, dentre outros fatores, de legislação trabalhista inadequada para o setor rural, o quantitativo de inscrições de Gir Leiteiro para a ExpoZebu é muito significativo, colocando-o novamente em destaque no Parque Fernando Costa. Zzn Peres

Os leilões programados indicam a oferta de produtos sempre mais qualificados, de mérito genético superior para a função produção de leite. É a mais evidente demonstração de fortalecimento e valorização da raça e dos seus criadores. A evolução do melhoramento genético da raça é possível de ser percebida pelos exemplos mostrados, indicando

4

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013


Palavra do PRESIDENTE

que o Gir Leiteiro já é uma realidade capaz de mudar o perfil da pecuária leiteira, seja em quantidade ou qualidade. Fato é que, apesar de possuirmos no Brasil um plantel ainda pequeno com foco de seleção muito recente em comparação a outras raças, a evolução alcançada nos últimos anos nos permite projetar o quanto ainda poderemos explorar do potencial da raça, mantendo as características desejáveis de conformação racial e de rusticidade aliada à produtividade. O conjunto de predicados produtivos da raça é muito amplo, permitindo uma exploração perfeitamente adaptada às condições de ambiente e manejo, ao desejo e necessidade do criador, seja enquanto raça pura ou através de seus cruzamentos. No tocante às conquistas da associação, destacamos não somente a construção do edifício sede, onde todo associado certamente encontrará uma equipe de colaboradores preparada para atendê-lo em suas necessidades, mas também o reconhecimento positivo da ABCGIL perante as demais instituições correlacionadas com as diversas atividades pecuárias, sempre em defesa dos interesses de seus associados, dos girleiteiristas e usuários em geral. Não sei quem escreveu a frase, mas quando a li achei muito pertinente à nossa causa, por isto a transcrevo: “Ainda não chegamos ao auge, temos muito a caminhar. Embora este momento seja bom, o momento pleno ainda virá.” Confiante no potencial ainda inexplorado da raça e na capacidade e competência dos seus criadores em explorá-la, deixo aqui os meus votos de boa leitura e os mais sinceros agradecimentos à todos os associados que muito contribuíram para o sucesso desta raça preciosa que é o nosso GIR LEITEIRO. Recebam todos o meu abraço.

Silvio Queiroz Pinheiro Presidente da ABCGIL

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

5


ANO 13 – NÚMERO 16 – MAIO DE 2013

Sumário C Um legado para a ABCGIL e o Gir Leiteiro apa

50

O apoio dos associados e a dedicação do quadro de funcionários contribuíram para tornar a administração de Silvio Queiroz Pinheiro uma referência em realizações. Zzn Peres

H

ora da Saúde

Leite A2, Um mercado promissor para o Gir Leiteiro

66

Diferencial na composição proteica do leite produzido por maioria dos animais da raça surge como grande oportunidade de conquista de um novo nicho de mercado e de impulso à sua exploração em maior escala.

Zzn Peres

E

18

ntrevista

P

24

erfil

Luiz Cláudio Paranhos

Maurício Antônio Lopes

Divulgação

6

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Pesquisador e presidente da Embrapa.

C

40

Rubio Marra

Zootecnista, pecuarista e próximo presidente da ABCZ.

ampo Técnico

O PNMGL Carlão da Publique

e suas provas zootécnicas.


12

CURTAS DA ABCGIL Confira as principais notícias do Gir Leiteiro. PÁGINAS BRANCAS

18

ENTREVISTA

Maurício Antônio Lopes, pesquisador e presidente da Embrapa. PERFIL

24

LUIZ CLÁUDIO PARANHOS

O papel do Gir Leiteiro é fundamental. GALERIA DE FOTOS

26

FEILEITE

Gente que marcou presença em uma das principais pistas do Brasil. LEITE AFORA

32

RAÇA É DESTAQUE NA FEILEITE, AVARÉ E FENAGRO

Acompanhe as notícias sobre os resultados das mostras realizadas de novembro de 2012 a março de 2013. ARTIGO TÉCNICO

36

EVOLUÇÃO DOS JULGAMENTOS DA RAÇA GIR LEITEIRO

Por André Rabelo Fernandes e Fausto Cerqueira Gomes. CAMPO TÉCNICO

40

O PNMGL E SUAS PROVAS ZOOTÉCNICAS

Por André Rabelo Fernandes e Ranielly da Silva Maciel GALERIA DE FOTOS

42

TÁ TODO MUNDO LENDO

Gente de destaque que aproveita a melhor informação da raça Gir Leiteiro. GALERIA DE FOTOS

44

FEILEITE

Gente que marcou presença em uma das principais pistas do Brasil. CAPA

50

UM LEGADO PARA A ABCGIL E PARA O GIR LEITEIRO

O apoio dos associados e a dedicação do quadro de funcionários contribuíram para tornar a administração de Silvio Queiroz Pinheiro uma referência em realizações. HORA DA GENÉTICA

60

A REGRESSÃO ALEATÓRIA

Seu impasto nas avaliações genéticas do Gir Leiteiro. HORA DA SAÚDE

66

LEITE A2, UM MERCADO PROMISSOR PARA O GIR LEITEIRO

Diferencial na composição proteica do leite surge como grande oportunidade. GALERIA DE FOTOS

72

EM AVARÉ E NAS FAZENDAS

Gente que marcou presença em uma das principais pistas do Brasil. HORA DA NUTRIÇÃO

74

SUPLEMENTAÇÃO MINERAL PARA GIR LEITEIRO A PASTO

A importância dos minerais na dieta total dos ruminantes. HORA DO MANEJO

76

XAPETUBA LEITE, O GIR LEITEIRO É O MOTOR DESTA ENGRENAGEM.

O fundador da Xapetuba Agropecuária e seu filho Thiago Silveira falam sobre o projeto Xapetuba Leite. NÚCLEOS

82

EXPANSÃO DO GIR LEITEIRO: O FOCO DAS REGIONAIS

Acompanhe as atividades das associações e núcleos para promover o Gir Leiteiro. BATE PAPO NA COCHEIRA

92

VOCAÇÃO PARA O LEITE

Carlos Jacob Wallauer, reconhecido selecionador de raças leiteiras, destaca-se no cenário nacional por criar Gir Leiteiro e Girolando no Sul e no Centro-Oeste. CRÔNICA DO LEITE

TARDEZINHA NA GENIPAPO

Crônica do Carlão da Publique. E AINDA: LISTA DE ASSOCIADOS DA ABCGIL AGENDA DE EXPOSIÇÕES 2013

94 97 102

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

7


Palavra do

EDITOR

Caros amigos GirLeiteristas, Estamos vivendo mais uma ExpoZebu e com ela a consagração do nosso Gir Leiteiro como protagonista da maior mostra da pecuária zebuína do mundo. É um orgulho para todos nós do Grupo Publique fazer chegar às suas mãos uma REVISTA GIR LEITEIRO de altíssimo nível. Você vai ler nesta edição uma entrevista exclusiva com o Presidente da Embrapa, Maurício Antônio Lopes. Poderá também saber o que pensa o futuro presidente da ABCZ, meu amigo Luiz Cláudio Paranhos e vai degustar uma excelente retrospectiva das duas gestões do criador Silvio Queiroz Pinheiro à frente da nossa entidade mãe, a ABCGIL, Associação Brasileira dos Criadores de Gir Leiteiro. Além disso tudo, o amigo leitor vai poder conhecer de perto vários casos de sucesso no uso do Gir Leiteiro em várias partes do Brasil. Boa leitura e até a próxima edição.

Zzn Peres

Carlos Alberto da Silva Editor e Presidente do Grupo Publique

10

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013


ISSN 1679-6659

Associação Brasileira Pç. Vicentino Rodrigues da Cunha, 110 – Pq. Fernando Costa dos Criadores de Gir Leiteiro CEP 38022-330 - Uberaba/MG - (34) 3331-8400 www.girleiteiro.org.br • girleiteiro@girleiteiro.org.br

CONTEÚDO

DIRETORIA EXECUTIVA Diretor Presidente: Silvio Queiroz Pinheiro

Diretor Vice-Presidente: Lúcio Rodrigues Gomes Diretor de Marketing: Rodrigo Martins Bragança Diretor Administrativo/Financeiro: José Afonso Bicalho Beltrão da Silva Diretor Técnico: Anibal Eugênio Vercesi Filho

CONSELHO DIRETIVO Presidente: Flávio Lisboa Peres

Béth Mélo EDITORA & COORDENADORA DE CONTEÚDO

Simone Rubim JORNALISTA

Nathã Silva de Carvalho CORRESPONDENTE RS

Membros: Silvio Queiroz Pinheiro, José João Salgado Rodrigues dos Reis, Rubens Resende Peres, José de Castro Rodrigues Neto, Eduardo Falcão de Carvalho, Ângelo Lucciola Neto, Léo Machado Ferreira e Joaquim José da Costa Noronha

Conselho Fiscal Ademir Lopes Cançado, Carlos Roberto Caldeira Brant e Luciano Luzes Borges

COMERCIAL

Membros Suplentes José Ricardo Fiuza Horta, Antônio Eustáquio Andrade Ferreira e Fernando Augusto Redher Quintela

Conselho Editorial Silvio Queiroz Pinheiro, Lúcio Rodrigues Gomes,

André Rabelo Fernandes, Ana Cristina Navarro Andrade, Carlos Alberto da Silva

Capa e Matéria de Capa Gutche Alborgheti Carlos Alberto da Silva Publisher

Renan Antonelli ATENDIMENTO

(11) 9.9105.2030 carlos@publique.com

Beatriz Scarpa ATENDIMENTO

Fotógrafo Oficial: Zzn Peres Fotógrafos Colaboradores: Fábio Fatori/Fato Rural

Carlão da Publique/Publique Banco de Imagens Renan Antonelli/Publique Banco de Imagens

Editor-Chefe Carlos Alberto da Silva - MTB 20.330

SUPORTE

Planejamento Carlos Alberto da Silva Jornalistas Béth Mélo - beth@publique.com

Simone Rubim - simone@publique.com Nathã Silva de Carvalho - nathars@publique.com

Departamento Comercial Carlos Alberto da Silva Marcia Miranda COORDENADORA DE SUPORTE, MÍDIA & PRODUÇÃO

CRIAÇÃO

Priscila Pontes FINACEIRO, ADMINISTRATIVO E RH

FOTOS

Beatriz Scarpa Renan Antonelli

Pesquisa de mídia, orçamento Marcia Miranda e administração financeira Priscila Pontes Produção Gutche Alborgheti Marcia Miranda

Diagramação e Edição Gutche Alborgheti de Imagens gutche@publique.com CTP, Impressão Saga Editora e Gráfica e Acabamento

Gutche Alborgheti COORDENADOR & DIRETOR DE CRIAÇÃO

Zzn Peres Fotógrafo Oficial

PRESIDENTE E FUNDADOR: Carlos Alberto da Silva

www.publique.com Twitter @GRUPOPUBLIQUE

Slideshare slideshare.net/grupopublique

Facebook facebook.com/gpublique

YouTube youtube.com/GrupoPublique

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

11


Destaque absoluto na República Dominicana Valter Campanato/ABr

3

Curtas da

ABCGIL 1

Ministro da Agricultura é associado da ABCGIL

Valter Campanato/ABr

O deputado Antônio Eustáquio Andrade Ferreira, natural de Patos de Minas, e associado da ABCGIL, é o novo ministro da Agricultura. “A ABCGIL parabeniza e deseja sucesso ao deputado Antônio Andrade por mais essa conquista. É uma honra ter no nosso quadro de associados uma personalidade tão ilustre”, destaca o presidente Silvio Queiroz Pinheiro. A posse ao cargo ocorreu dia 18 de março.

Deputado Antônio Eustáquio Andrade Ferreira, criador de Gir Leiteiro.

2

Planilha de cálculo de idade animal Com o objetivo de melhor atender os seus associados, a ABCGIL disponibiliza de uma planilha de cálculo de idade animal, para que o próprio criador/expositor possa fazer o cálculo e assim definir em qual categoria seu animal participará na exposição. A planilha será disponibilizada com a data base de cada exposição da ABCGIL, juntamente com as outras informações no site, às quais o criador terá acesso direto e que são de grande relevância para o mesmo montar seu time de animais participantes da exposição.

12

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Tatiane Tetzner com uma filha de Sansão, na Republica Dominicana, durante a Feira Nacional em Santo Domingo, capital do país.

A jurada Tatiane Tetzner foi uma das responsáveis pelo julgamento da raça Gir Leiteiro, durante a Feira Agropecuária Nacional Dominicana, na República Dominicana, em março de 2013. Na ocasião, ela também ministrou uma palestra sobre os números e os resultados da pecuária de leite brasileira, com ênfase na produção de leite a pasto, durante Simpósio realizado no evento. O julgamento de pista, para a escolha da Grande Campeã suprema, contou com trabalho conjunto dos jurados americanos Joe Sparrow, de Kentucky; Larry Tande, de Minnesota; e Tatiane Tetzner, representando o Brasil. Participaram das pistas as grandes campeãs das raças Holandesa, Jersey, Pardo Suíço, Gir Leiteiro e mestiças (de Holandesa, de Jersey e de Gir Leiteiro). Durante o simpósio, Tatiane enfatizou a importância do Gir Leiteiro e do Girolando para todos os países tropicais, tanto como raça pura, quanto em cruzamentos com raças europeias. Na ocasião, ela convidou todos os presentes para visitarem dois importanes eventos em Uberaba, MG: a ExpoZebu 2013, em maio, e a Nacional do Gir Leiteiro, durante a Megaleite, de 30 de junho a 7 de julho. A República Dominicana ocupa dois terços orientais da Ilha de São Domingos. O terço ocidental da ilha é ocupado pelo Haiti. Pelo tamanho da área e a quantidade populacional, a República Dominicana é o segundo maior país do Caribe (atrás de Cuba). Sua área é de 48.442 quilômetros quadrados e possui aproximadamente 10 milhões de habitantes. O clima é tropical úmido, com uma estação seca e outra muito quente e úmida, portanto, a pecuária de leite necessita de raças que possam suportar elevadas temperaturas e que sejam adaptadas aos trópicos, por isso a busca por genética Gir Leiteiro e Girolando. Segundo a Embrapa Gado de Leite, em 2010, a produção da República Dominicana foi de cerca de 701.196 toneladas de leite. O país é importador de produtos lácteos, já que consome mais do que produz. Além de genética, os criadores da República Dominicana estão interessados nas tecnologias adotadas pelos brasileiros para a seleção de Gado Leiteiro, bem como manejo, biotecnologias reprodutivas e controles sanitários.


6

Interesse boliviano O presidente da ABCGIL, Silvio Queiroz Pinheiro, recebeu, dia 8 de março, a visita do boliviano Erwin Rek López, diretor da Map El Potrero Ltda, que demonstrou interesse pelo Gir Leiteiro. Erwin estava acompanhado pelo presidente do Grupo Matsuda, Jorge Matsuda. Durante o encontro, o presidente da ABCGIL falou sobre a história da raça e sua evolução genética, o PNMGL, índices atuais e o trabalho da associação pela busca da sustentabilidade do Gir Leiteiro, dentre outros assuntos.

4

Gir Leiteiro supera 30 mil registros na ABCZ Em toda a história do SRGRZ – Serviço de Registro Genealógico das raças Zebuínas nunca se registrou tanto Gir Leiteiro como em 2012. A consolidação da raça foi confirmada pela divulgação dos números de RGN – Registros Genealógicos de Nascimentos de 2012, realizados pela ABCZ – Associação Brasileira dos Criadores de Zebu. No período, foram 30.031 Registros de Nascimento, superando o recorde de 2011 que contou com 29.827 registros. “Os números mostram que a raça mantém seu crescimento de forma sustentável, se consolidando como a segunda, entre os zebuínos, com maior número de nascimentos”, afirma o presidente da ABCGIL, Silvio Queiroz Pinheiro, que comemora a divulgação do recorde de registros do Gir Leiteiro na ABCZ.

5

Jorge Matsuda, Silvio Queiroz Pinheiro e Erwin Rek López, diretor da Map El Potrero.

7

Ponto de encontro de leilões virtuais Dentro da proposta de trabalhar em prol dos seus associados, a ABCGIL oferece mais um serviço. A diretoria aprovou a possibilidade de utilizar a sede da Associação como ponto de encontro para leilões virtuais. Os interessados podem entre em contato – através do e-mail ana@girleiteiro.org.br ou do telefone (34) 3331-8400 e se informar sobre o regulamento para utilizar mais esse serviço que a ABCGIL disponibiliza ao seu associado.

Visita importante ABCGIL recebeu, dia 18 de março, a visita de representantes do associado Getúlio Vilela, da região do Mato Grosso, para tratar de assuntos de homologação e ranqueamento da 48ª Expoagro, que será realizada de 5 a 15 de Julho de 2013, em Cuiabá, MT.

Representantes do Gir MT em visita a sede da ABCGIL em Uberaba, MG.

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

13


Avaliação de conformação Divulgação

10

Curtas da

ABCGIL

ABCGIL visita prefeito Paulo Piau Dia 27 de fevereiro, o prefeito de Uberaba, Paulo Piau, recebeu em seu gabinete o presidente da ABCGIL, Silvio Queiroz Pinheiro, e a secretária executiva, Ana Cristina Navarro. Durante a visita de cortesia, além de votos de sucesso e boa sorte na gestão, foram tratados diversos assuntos de interesse da cidade e do Gir Leiteiro, inclusive a criação de um Centro de Difusão e Treinamento de Gir Leiteiro. Divulgação

André Rabelo Fernandes, Lucyana Malossi Queiroz e Euclides Prata dos Santos Neto.

Silvio Queiroz, Ana Navarro e o prefeito Paulo Piau.

9

Dia 9 de abril, ocorreu a avaliação de conformação nos touros participantes da 4ª Prova de Pré-Seleção para o Teste de Progênie ABCGIL/EMBRAPA. As avaliações foram realizadas por uma comissão de três jurados indicados pelo Colégio de Jurados das Raças Zebuínas, composta pelos técnicos André Rabelo Fernandes, Euclides Prata dos Santos Neto e Lucyana Malossi Queiroz. Foram avaliados 74 touros participantes da 4ª Pré-Seleção para as características de conformação que compõem o índice de Classificação de Touros – ICT: Tipo Funcional, Estrutura, Aprumos, Umbigo e Pigmentação. Estas características serão incorporadas no respectivo índice, juntamente com Fertilidade (Congelabilidade do sêmen), Libido e Temperamento dos touros participantes. Os 34 touros mais bem colocados no ICT comporão o 28º Grupo do Teste de Progênie. O resultado foi divulgado juntamente com a 21ª Bateria de touros do Teste de Progênie, no dia 4 de maio, no salão Nobre da ABCZ em Uberaba, MG, durante a ExpoZebu.

Medalha do Mérito Agropecuário Durante a 62ª Expoapi – evento realizado no Piau e que reuniu o melhor em caprinos, ovinos, equinos e gado leiteiro e que foi prestigiado por várias autoridades, entre elas o governador do Estado, Wilson Martins –, ocorreu a entrega da medalha Estadual do Mérito Agropecuário João Mendes Olímpio de Melo. A ABCGIL – Associação Brasileira dos Criadores de Gir Leiteiro, representada por seu presidente, Silvio Queiroz Pinheiro, recebeu a medalha do governador, na Categoria Instituição, em reconhecimento ao trabalho desenvolvido para o engrandecimento das atividades rurais no Estado do Piauí. Essa homenagem foi iniciativa do deputado João Mádson Nogueira, grande incentivador da pecuária leiteira no Estado.

Francisco Gilásio

8

Silvio Queiroz Pinheiro, em nome da ABCGIL, recebe homenagem das mãos do deputado João Mádson Nogueira.


Equipe ABCGIL

Ana Cristina Navarro

André Rabelo Fernandes

ana@girleiteiro.org.br

andre@girleiteiro.org.br

Formada em administração pública, atua como secretária executiva da ABCGIL, trabalhando no gerenciamento da área administrativa/financeira da associação.

Gisele Oliveira

Formada em secretariado executivo bilíngue, atua como secretária da presidência, na comunicação interativa com os criadores e demais visitantes do site da ABCGIL.

Zootecnista, coordenador operacional do PNMGL. Responsável pelo acompanhamento dos rebanhos puros, tanto na execução do sistema linear de avaliação quanto na classificação para tipo.

Iraides Aparecida de Souza

Responsável pelo processamento de dados dos controles leiteiros do PNMGL.

iraides@girleiteiro.org.br

gisele@girleiteiro.org.br

Lidyane Guerra Miranda

Formada em administração de empresas, atua no Departamento de Melhoramento Genético na parte de digitação de dados.

lidyanefinanceiro@girleiteiro.org.br

Milton Borges Junior

Estudante de Administração de Empresas,atua no setor financeiro da ABCGIL e administra a parte contábil da associação.

milton@girleiteiro.org.br

Gustavo R. Andrade e Oliveira

Antônio Luiz de Andrade Filho

gustavo@girleiteiro.org.br

antonio@girleiteiro.org.br

Técnico agrícola, atua na distribuição de sêmen do Teste de Progênie e realiza o acompanhamento dos rebanhos colaboradores.

Carlos Matheus Arantes Pereira

Técnico agrícola, atua na distribuição de sêmen do Teste de Progênie e realiza o acompanhamento dos rebanhos colaboradores.

matheus@girleiteiro.org.br

Ranielly da Silva Maciel

José Geraldo Oliveira

rany@girleiteiro.org.br

jgeraldo@cnpgl.embrapa.br

Médica Veterinária, supervisora da base de dados de exposições e do controle leiteiro do PNMGL.

Suellen da Silva Pereira

Estudante de Sistemas de Informaçã, atua como no Departamento de Melhoramento Genético na parte de digitação e conferência de dados.

suellen@girleiteiro.org.br

Zootecnista, responsável pela logística de exposições. Trabalha na execução operacional das exposições homologadas e ranqueadas

Fausto Cerqueira Gomes

Zootecnista, responsável pela logística de exposições. Trabalha na execução operacional das exposições homologadas e ranqueadas da ABCGIL.

fausto@girleiteiro.org.br

Técnico agrícola, atua na distribuição de sêmen do Teste de Progênie e realiza o acompanhamento dos rebanhos colaboradores.

Juliana Duarte de Oliveira

Formada em Secretariado Executivo bilíngue, atua no marketing e comunicação, bem como na área internacional da ABCGIL, mantendo os associados e interessados da raça sempre informados sobre o que acontece no Gir Leiteiro no Brasil e no Mundo, através das redes sociais e do site da Associação.

juliana@girleiteiro.org.br

Fotos: Alysson de Oliveira

16

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013


Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

17


Divulgação

Páginas Brancas

Entrevista exclusiva: Maurício Antônio Lopes “O Gir Leiteiro é um milagre da zootecnia brasileira” O Brasil é para as raças zebuínas produtoras de leite o que Estados Unidos e o Canadá são para a raça holandesa. Este mérito se deve, principalmente, à raça Gir Leiteiro, que no futuro terá uma participação ainda mais sólida na composição do rebanho bovino nos países de clima tropical. Esse é o pensamento do presidente da Embrapa, o pesquisador Maurício Antônio Lopes. Segundo ele, a pesquisa em bovinocultura de leite está cumprindo com êxito seu papel para tornar o Brasil não 18

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

apenas um dos maiores produtores de leite do mundo, mas também um grande exportador de produtos lácteos. “A Embrapa busca na fronteira do conhecimento as respostas para uma pecuária leiteira cada vez mais produtiva e sustentável. Na pesquisa básica pode estar a resposta para muitas das questões que hoje preocupam a cadeia produtiva do leite”, afirma Lopes em sua entrevista exclusiva para a revista Gir Leiteiro.


|||| Gir Leiteiro - Em sua gestão, quais os trabalhos direcionados à pecuária leiteira? Maurício Antônio Lopes: Há diversos trabalhos conduzidos por várias Unidades da Embrapa voltados para a pecuária de leite. Gostaria de chamar a atenção para o programa de transferência de tecnologia Balde Cheio, desenvolvido pela Embrapa Pecuária Sudeste, direcionado para os pequenos produtores, e que trabalha com uma metodologia inovadora, que supera muitos dos problemas normalmente enfrentados pela transferência de tecnologia da pesquisa para o campo. Atuando em propriedades de meio hectare a 20 hectares, a tecnificação e o bom gerenciamento permitem que esses produtores familiares multipliquem sua renda, renda essa que, em alguns casos, era, antes de aderirem ao projeto, inferior a um salário mínimo. No que diz respeito às pesquisas desenvolvidas pela Embrapa Gado de Leite, gostaria de ressaltar as ações voltadas para a seleção por meio do estudo do genoma dos bovinos. Já estamos implementando a seleção genômica nas raças bovinas em teste de progênie ou avaliação genética conduzida pela Embrapa no Brasil. Esperamos com isto reduzir em até 75% o custo atual de avaliação de touros para leite por meio do teste de progênie. Outro importante trabalho conduzido pela Embrapa Gado de Leite é a criação do Complexo Experimental Multiusuário. Trata-se de um núcleo de excelência em pesquisa e inovação para estudos em bioenergética e impactos da pecuária no meio ambiente. O complexo realizará pesquisas na fronteira do conhecimento e proporcionará um salto tecnológico na mitigação de gases de efeito estufa de origem entérica, nos estudos de tratamentos de efluentes e de aproveitamento de resíduos da atividade produtiva, de forma a minimizar seus impactos sobre o meio ambiente. Os trabalhos realizados no complexo também terão como objetivo construir uma tabela de requerimentos nutricionais de animais ruminantes (bovinos de leite e carne, ovinos e caprinos) em condições tropicais. A criação desse núcleo tornará o Brasil referência internacional em condições tropicais na formulação de dietas, com o objetivo de aperfeiçoar o sistema agroindustrial do leite e carne de ruminantes, e preparar o País para atender à demanda crescente de produtos competitivos, com qualidade, respeitando o meio ambiente e mitigando os gases de efeito estufa. A Embrapa também avança no sentido de compreender o verdadeiro papel da nanotecnologia na bovinocultura. Temos estudos relacionados com a nanotecnologia e em breve disponibilizaremos um produto cuja finalidade será combater a mastite bovina. |||| GL - Como o senhor avalia a contribuição da raça Gir Leiteiro para o setor?

ML: O Brasil é para as raças zebuínas produtoras de leite o que Estados Unidos e o Canadá são para a raça holandesa. Este mérito se deve, principalmente, à raça Gir Leiteiro, que no futuro terá uma participação ainda mais sólida na composição do rebanho bovino nos países de clima tropical. Como os entusiastas da raça gostam de afirmar, “o Gir Leiteiro é um milagre da zootecnia brasileira”. A evolução da raça é parte significativa da revolução alcançada pela pecuária de leite no Brasil, estendida aos demais países de clima tropical. O melhoramento genético do Gir Leiteiro coincide com o sensível aumento da produção e da produtividade de leite no país, nos últimos anos. Esta revolução pode ser verificada no mercado de sêmen, na expansão do número de criadores de Gir Leiteiro e no aumento da produtividade do rebanho brasileiro. Quando foram publicados os resultados do teste do primeiro grupo de touros Gir Leiteiro, em 1993, a venda de sêmen de reprodutores da raça cresceu 35% em relação ao ano anterior. Hoje, o aumento na comercialização de sêmen do gado Gir Leiteiro é de

“O PNMGL É UMA DAS MAIS BEM-SUCEDIDAS AÇÕES DE MELHORAMENTO GENÉTICO DE BOVINOS NO MUNDO” mais de 700% se comparado ao final dos anos 80. Esta revolução está se expandindo para outras raças. A Embrapa Gado de Leite, em parceria com associações de criadores, empresas estaduais de pesquisa, extensão rural entre outras instituições do setor, além do Gir Leiteiro, possui programas de melhoramento genético para as raças Guzerá, Girolando, Holandês e Sindi. |||| GL - Qual a sua opinião sobre o PNMGL ABCGIL/Embrapa e a importância dessa iniciativa para a pecuária brasileira? ML: O Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro (PNMGL) é uma das mais bem-sucedidas ações de melhoramento genético de bovinos no mundo. O Programa foi criado para atender à crescente necessidade dos produtores e da indústria. No início, a seleção primava apenas para a produção de leite e gordura. Em 1994, passou a incluir as características lineares, ou seja, os aspectos funcionais dos animais ligados à conformação e ao manejo (altura da garupa, pernas, ângulo dos cascos, conformação do úbere

etc.). A partir de 1999, num momento em que ainda pouco se falava em pagamento por sólidos, a seleção incluiu a composição do leite (gordura, proteína e lactose e sólidos totais). Em 2004, a genética molecular passou a fazer parte dos trabalhos, identificando aspectos da proteína ligados à produção e rendimento do queijo. Em 2007 foi realizado o primeiro estudo de associação de marcadores moleculares de composição e produção do leite e, a partir de 2011, a seleção genômica passou a fazer parte dos trabalhos. Desde 2010, uma nova atividade foi incluída ao PNMGL: as provas preliminares para a identificação dos touros que irão compor as novas baterias dos testes de progênie (28 touros já foram qualificados). O objetivo é aperfeiçoar o processo de escolha dos touros. Aspectos como produção e qualidade do sêmen são avalizados. O objetivo é colocar o touro em prova o mais jovem possível para garantir o sucesso futuro do programa. A ABCGIL e a Embrapa Gado de Leite, parceiras na condução do programa, buscam esmerar-se em suas tarefas para proporcionar o máximo de confiança aos usuários da genética Gir Leiteiro. |||| GL - Como o senhor vê o futuro da pecuária leiteira no Brasil? E o futuro da raça Gir Leiteiro? ML: A biotecnologia já mostrou que, por meio de marcadores genéticos, clonagem e transgenia, é possível acelerar o processo de melhoramento dos bovinos, criando populações resistentes a endo e ectoparasitos, à mastite, ao estresse térmico, etc. A pesquisa básica, de ponta, trará resultados com mediana rapidez para os produtores e a população em geral. A infinidade de soluções que a biotecnologia apresenta é impressionante e vai do melhoramento genético ao desenvolvimento de produtos com qualidades nutracêuticas. A Embrapa está alinhada com as questões das ciências avançadas para garantir alimentos de qualidade e em quantidade suficiente para as futuras gerações. |||| GL - O avanço da agropecuária brasileira se deve, em grande parte, ao trabalho da Embrapa, que completa 40 anos em 2013. Faça um balanço desse período. ML: A Embrapa e suas instituições parceiras têm desempenhado um papel importante no desenvolvimento e expansão da agricultura brasileira nos últimos 40 anos. Ao longo desse período, tornou-se uma das instituições líderes em ciência e tecnologia (C&T) na agricultura de regiões tropicais, consolidando sua notoriedade de excelência na pesquisa junto às comunidades científicas, produtores,

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

19


consumidores, setor industrial e público em geral, no Brasil e no exterior. Seu modelo institucional inovador inclui centros de pesquisa em temas estratégicos, produtos especializados e regiões ecogeográficas. Os programas de melhoramento têm sido um dos marcos da contribuição da empresa para o desenvolvimento da agricultura brasileira ao longo das últimas quatro décadas. Algumas das cultivares lançadas nos anos 1980 e 1990, principalmente de soja, milho, arroz, algodão e pastagens, se constituíram em pilares para a incorporação do Cerrado como uma das mais importantes regiões produtivas do País. Podemos afirmar que tecnologias geradas pelo Sistema Nacional de Pesquisa Agropecuária mudaram a agricultura brasileira. No período entre 1976-2011 a área destinada a grãos e sementes oleaginosas aumentou 43,92%, enquanto a produção cresceu por volta de 249,56% e os rendimentos aumentaram 2,4 vezes. A produção de leite também merece ser destacada, aumentou significativamente de 11,16 bilhões de litros, em 1980, para 32,09 bilhões de litros em 2011. Como podemos ver, fizemos muitos avanços nesses últimos 40 anos, mas ainda há muitos desafios para serem superados daqui para o futuro. Há uma preocupação muito grande em relação à sustentabilidade para que a nossa agricultura cresça mais segura e possa ter uma integração cada vez maior dos conceitos de alimentos, nutrição e saúde, com as nossas pesquisas caminhando no sentido de atender à população brasileira e gerar alimentos mais nutritivos e com funcionalidades mais específicas. |||| GL - Considerando o trabalho da Embrapa e de outras instituições, como o senhor analisa a evolução da pecuária leiteira brasileira? ML: No ranking mundial, o Brasil é o sexto país com a maior produção de leite. Desde o início dos anos 70, quando a Embrapa foi criada, houve uma grande evolução nos índices de produção e produtividade. A produção brasileira de leite aumentou cerca de 400% nos últimos 40 anos. Há quatro décadas, o Brasil tinha 12 milhões de vacas produzindo 8 bilhões de litros de leite. Hoje, nossa produção já supera os 30 bilhões de litros por ano, com um rebanho de aproximadamente 15 milhões de vacas. Considerando as bacias leiteiras tradicionais e propriedades com rebanhos especializados, há registros de produtividade média anual de 3.600 litros vaca/lactação – índice semelhante à produção de países mais desenvolvidos. Isto prova que nos últimos 40 anos o produtor brasileiro tornou-se mais tecnificado, graças aos esforços da Embrapa, e de uma série de outras instituições. 20

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Divulgação

Páginas Brancas

|||| GL - Quais as contribuições da Embrapa para a pecuária leiteira? ML: As Unidades da Embrapa que trabalham com leite, como a Embrapa Gado de Leite, criada em 1976, ao lado das empresas estaduais de pesquisa e universidades, tiveram papel fundamental na melhoria do desempenho da atividade. Um exemplo é o processo de melhoramento genético do rebanho: o País é hoje referência mundial em genética zebuína, tanto para leite quanto para carne. Saímos dos programas clássicos de melhoramento, nos quais, medíamos a produção diária e por lactação, e trabalhamos, hoje, com genômica animal, identificando marcadores genéticos com importância econômica para a produção de leite. O melhoramento vegetal e as técnicas de alimentação dos animais também foram fatores importantes. Até o início dos anos 80, a base das forrageiras nacionais era o capim-gordura e o capim provisório. Atualmente, têm-se o pastejo rotacionado do capimelefante e de forrageiras de elevado valor nutritivo

“O PAÍS É HOJE REFERÊNCIA MUNDIAL EM GENÉTICA ZEBUÍNA, TANTO PARA LEITE QUANTO PARA CARNE”

como as gramíneas do gênero Cynodon, Brachiaria e Panicum, assim como leguminosas (alfafa), além do uso de alternativa para o período de escassez de forrageiras (cana-de-açúcar com ureia e silagens). Estas tecnologias divulgadas pela Embrapa garantiram resultados excelentes na produção e na produtividade de leite a pasto. Naturalmente, também ocorreu aumento nas áreas de pastagens cultivadas no Brasil, o que gerou incremento na produção, mas o crescimento da produtividade está plenamente relacionado às novas tecnologias desenvolvidas ou adaptadas pela pesquisa nacional. A pesquisa em bovinocultura de leite está cumprindo com êxito seu papel para tornar o Brasil não apenas um dos maiores produtores de leite do mundo, mas também um grande exportador de produtos lácteos. A Embrapa busca na fronteira do conhecimento as respostas para uma pecuária leiteira cada vez mais produtiva e sustentável. Na pesquisa básica pode estar a resposta para muitas das questões que hoje preocupam a cadeia produtiva do leite.


Publique


Publique


Rubio Marra

Perfil

uiz Cláudio Paranhos O papel do Gir Leiteiro é fundamental Filho e Neto de produtor rural, 44 anos, o zootecnista Luiz Cláudio Paranhos é diretor da Japaranduba Fazendas Reunidas Ltda., com propriedades em Uberaba (MG) e Muquém do São Francisco (BA), onde trabalha com pecuária de corte e seletiva, voltada para genética nas raças Nelore, Nelore Mocho e Brahman. Participou da diretoria da ABCZ (Associação Brasileira dos Criadores de Zebu), nas gestões de Orestes Prata Tibery Júnior (2004-2007), José Olavo Borges Mendes (2007-2010) e Eduardo Biagi (2010-2013). Agora, terá um novo desafio: assumir a presidência da ABCZ, a partir de agosto, em substituição a 24

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Eduardo Biagi. “O Gir Leiteiro tem papel fundamental na expansão e evolução da pecuária, pois traz para as matrizes produtoras de leite a rusticidade necessária ao nosso clima e às condições das nossas pastagens e manejo. É uma raça que produz predominantemente leite do tipo A2, com propriedades não alérgicas, e tem muito a contribuir com a humanidade. Tudo isso precisa ser mais difundido, mais explorado”, afirma Paranhos que pretende apoiar as associações das raças e incentivar a democratização da genética superior.


|||| GL - Como pretende estreitar as parcerias com a ABCGIL no sentido de fomentar o Gir Leiteiro? LCP: A ABCGIL, assim como as demais associações promocionais das raças zebuínas, possui um papel fundamental no fomento da raça. Cabe a ABCZ apoiar, no que for necessário, ações promocionais das associações voltadas para o fomento do Zebu. As parceiras podem evoluir em vários sentidos, como exposições, provas de ganho de peso, concurso leiteiro, etc., mas especificamente um dos pontos que podemos evoluir, sem dúvida, são os dias de campo. Pretendemos ampliar o número de dias de campo (corte e leite) em todo País e ainda criar um suporte maior a este tipo de evento, levando mais conteúdo e praticidade técnica aos produtores e, dessa forma, atrair um maior número de participantes em cada evento.

“NOS PRÓXIMOS ANOS, DAREMOS ÊNFASE AO MELHORAMENTO DA QUALIDADE DO LEITE, OU MELHOR, A QUALIDADE NUTRICIONAL DO LEITE” |||| GL - Qual a sua opinião sobre o PNMGL? LCP: O Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro (PNMGL) tem grande importância, principalmente no que se refere ao Teste de Progênie. Além do que é um grande fomentador da raça (ao identificar precocemente de maneira eficiente bons reprodutores) trazendo informações da evolução genética de muitos indivíduos SAI. Cabe à ABCZ auxiliar a ABCGIL na condução e evolução desse importante programa. |||| GL - Qual o papel do Gir Leiteiro no desenvolvimento e na expansão da pecuária leiteira brasileira e mundial? LCP: O papel do Gir Leiteiro é fundamental na expansão e evolução da atividade leiteira. Uma raça que traz para as matrizes produtoras de leite a rusticidade necessária ao nosso clima e às condições das nossas pastagens e manejo tem muito a contribuir com a pecuária brasileira. Uma raça capaz de se adaptar a diferentes sistemas de manejo, que pode

facilmente ser utilizada em cruzamentos, tem muito a ajudar na pecuária mundial. Uma raça que produz predominantemente leite do tipo A2, com propriedades não alérgicas, tem muito a contribuir com a humanidade. Tudo isso precisa ser mais difundido, mais explorado. |||| GL - Como você analisa o trabalho da ABCGIL para o fortalecimento do Gir Leiteiro? LCP: A ABCGIL tem conduzido com muita competência a promoção da raça Gir Leiteiro. A atual diretoria está de parabéns pelo excelente trabalho. Trabalho este que vem resultando na grande expansão da raça seja na evolução genética, em número de animais registrados, em exposições, em leilões, e até mesmo na valorização comercial. Para todos os indicadores que olhamos comprovamos uma evolução constante. |||| GL - Deixe o seu recado para os produtores de leite de zebuínos e, especificamente, de Gir Leiteiro. LCP: A própria missão da ABCZ reflete bem o recado que gostaria de deixar: “contribuir para o aumento sustentável da produção mundial de carne e leite, através do Registro, Melhoramento e Promoção das raças zebuínas”. A ABCZ será sempre parceira das ações para alcançar estes objetivos. É nossa missão, é nossa obrigação estar junto com as associações promocionais, e o Gir Leiteiro terá seu espaço respeitado.

“A ABCGIL TEM CONDUZIDO COM COMPETÊNCIA A PROMOÇÃO DO GIR LEITEIRO. A ATUAL DIRETORIA ESTÁ DE PARABÉNS PELO EXCELENTE TRABALHO”.

Maurício Farias

|||| Gir Leiteiro - Quais os seus planos para o Zebu leiteiro à frente da presidência da ABCZ? Luiz Cláudio Paranhos: As raças zebuínas com maior aptidão para produção de leite têm um potencial de crescimento imensurável. Os trabalhos realizados nos últimos anos, principalmente no Gir Leiteiro, demonstram com muita clareza isto. A produção a pasto nas condições de clima tropical que temos no Brasil são favoráveis para o Zebu leiteiro. Nos próximos anos, daremos ênfase ao melhoramento da qualidade do leite, ou melhor, à qualidade nutricional do leite (de gordura, proteína e sólidos totais) das raças zebuínas. Outro ponto importante é a democratização dessa genética superior e, para isso, a ABCZ tem o Pró-Genética, que auxilia o pequeno produtor na aquisição de touros melhoradores. Este programa, que já está implantado em alguns Estados, será prioridade na nossa gestão. Pretendemos que ele funcione de forma mais efetiva em todo o território nacional. Precisamos atingir os milhares de produtores do Brasil que ainda não possuem genética de qualidade, seja para produzir animais de corte ou para produzir animais de leite. E não só o Brasil, mas o mundo tropical busca alternativas de melhor custo benefício para produzir leite. E é exatamente aí que também podemos crescer muito, fornecendo material genético (sêmen e embriões) e até mesmo animais vivos para o mundo. A ABCZ já faz, através do Departamento de Relações Internacionais, um trabalho de promoção das raças zebuínas no exterior, entre elas, as com aptidão leiteira. Podemos e devemos ampliar este trabalho buscando parcerias, principalmente com o governo federal, para derrubar barreiras sanitárias e/ou econômicas que ainda dificultam bastante a expansão mundial. Todo esse trabalho deverá ser compartilhado com as associações promocionais das raças.

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

25


Galeria Galeria DE FOTOS DE FOTOS FEILEITE

João Machado Prata Jr., Lucienne Prata, Eliane Andrade e Paulo Roberto Andrade Cunha

Augusto Knoop e esposa e Bruno Knoop

Bruna e Rafael Barletta Ana Patrícia e Mariana Alencar

Equipe ABCGIL

Gutche Alborgheti, Rafaela Ferraz e Daivo Queiroz

Vanessa Masson e Luciana Dessotti

Eduardo Falcão e Camila Almeida

Carlão da Publique e Silvio Queiroz Pinheiro

Marcia Miranda e Rania

26

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

José Coelho Vítor, Tatiane Tetzner e Rodrigo Coelho Denipote

Gustavo, da Dow, Professor Rennó e profissionais do leite

Professor Francisco Rennó, da USP

Silvio Queiroz, José Afonso Bicalho, Rodrigo Bragança, Kinkão, José de Castro e Anibal Vercesi


Galeria Galeria

DE DE FOTOS FOTOS FEILEITE

Rosimar Silva à direita

José de Castro Rodrigues Netto

Denis, Carlo Wallauer, Luiz Ronaldo, Camila, Luiz Evandro Aguiar e Saul Borges

Eduardo Falcão, Luiz Fernando Taranto Neves e Kinkão

Aparecido Volpato e Cecília Volpato

Luiz Roberto Lima de Moraes, Paulo Yamamoto e amigos

Dalila Galdeano Lopes e Gustavo Scheibe

Mario Alvarez Vilalba, Paul Enrique Alvarez e Kinkão Sandro, Arruda e Rodrigo Miguel da Produquímica

Otaviano e Lucas Marques

Criadores presentes na Noite de GalAPCGIL durante a Feileite

Carlão e Gustavo Silva, da Dow

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

27


Galeria Galeria DE FOTOS DE FOTOS FEILEITE

Rodrigo Bragança, Silvio Quieroz e Luiz Fernando Ana, Geraldo Alckimin e Silvio Quieroz

Fernando e Caio Cunha Léo Machado e Geraldo Marques

Silvio Quieroz, Henrique Figueira e José Roberto Roland

José Arley L. Costa

Eduardo Falcão e equipe

Evandro Guimarães e Silvio Queiroz

Henrique Rocha e Rui Caetano

João Machado e Lucienne

28

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Silvio Quieroz, Meire, Léo Machado e Ana Navarro

Eduardo Falcão e Geraldo Marques

Saul Borges, Lucas Marques e Fábio Fatori


Galeria Galeria

DE DE FOTOS FOTOS FEILEITE

Da direita para esquerda: Pedro Avedis Seferian, Dalila Galdeano Lopes, Evandro Guimarães e amigos.

Kinkão

Luciana Resende, amigo, Saul Borges e André Vasconcelos Monteiro

Presentes no estande da APCGIL

Carlão, Rafaela Ferraz, Eduardo Falcão e Camila Almeida

Mila de Carvalho Laurindo e Campos e marido

Eliane e Paulo Roberto Andrade Cunha Presença ilustre no Estande da APCGIL

Camila, Meire e Tatiane Tetzner

Lucienne Prata, Renata Okano, Maria Tereza Lemos Costa Calil e Eliane Andrade

Eduardo e Camila ladeados por Paulo Yamamoto e esposa

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

29


Galeria Galeria DE FOTOS DE FOTOS FEILEITE

Mário e Caio Cunha

Anibal Vercesi, Lúcio Rodrigues Gomes, Kinkão e Adriano Okano

Mário Lúcio de Castro Costa

Osmar Santos e amigas

Flávio Peres Saul Borges e Luciana Rezende

Marcus

Rodrigo Coelho Denipote e Tatiane Tetzner

Sidney Macchio

Marcio Rodrigues de Oliveira e Gustavo Kraus

30

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Maria Tereza Lemos Costa Calil e Léo Machado

Boi


Leite Afora De 19 a 23 de novembro, durante a Feileite 6ª Feira Internacional da Cadeia Produtiva do Leite, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo, SP, ocorreu a 5ª Exposição Internacional do Gir Leiteiro, com a participação de 246 animais em pista e 16 no concurso leiteiro. A participação da raça na feira foi coordenada pela ABCBIL – Associação Brasileira dos Criadores de Gir Leiteiro. O julgamento dos animais, a cargo do trio de jurados composto por Fábio Miziara (Brasília), Marcelo Ricardo de Toledo (Brasília) e Nívio Bispo (Salvador), foi realizado de 20 a 22 de novembro. A Grande Campeã Fêmea foi Inercia FIV F. Mutum (Jaguar TE do Gavião x Endora TE F. Mutum), de Leo Machado Ferreira, que também levou a faixa de Reservada Grande Campeã, com Hirsuta F. Mutum (Modelo TE de Brasília x Palma F. Mutum). Entre os machos, o destaque entre os 45 exemplares que disputaram a prova foi Expoente TE de Brasília, (CA Everest x Luzíada de Brasília), 93 meses, da Fazenda Brasília Agropecuária, que conquistou o título de Grande Campeão Macho. Escol Silvania (Bem Feitor Raposo da Cal x Garbha dos Poções), 92 meses, de Eduardo Falcão de Carvalho, da Estância Silvania, foi o Reservado Grande Campeão.

Zzn Peres

Pista da Feileite reúne 246 animais Gir Leiteiro

Bezerras de destaque na pista da Feileite 2012. No Concurso Leiteiro, a revelação foi Celeste, com produção total de 162,090 kg de leite e média diária de 54,030 kg. A Grande Campeã Celeste e Melhor Úbere Adulto da mostra foi exposta por Joaquim José da Costa Noronha. A Reservada Grande Campeã, Dourada FIV AAFF, com o total de 142,060 kg de leite e média

Presença do governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin.

32

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

diária de 47,353, foi exposta por Henrique Ferreira Pinheiro. VISITANTES O estande da ABCGIL recebeu a visita de personalidades importantes, destaque para o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin. Também merece menção o exlocutor esportivo Osmar Santos; representantes da ARCGIL – Associação Rondoniense dos Criadores de Gir Leiteiro; José Amaral, presidente da ACGZ – Associação dos Criadores Gaúchos de Zebuínos e do Núcleo Gaúcho de Criadores de Gir Leiteiro; e José Luís Neves de Carvalho, presidente da AFCGIL – Associação Fluminense dos Criadores de Gir Leiteiro. Durante o evento, a ACRIGIL assinou um convênio de cooperação, incluindo a implantação do controle leiteiro oficial pela ABCZ (Associação Brasileira dos Criadores de Zebu), com o objetivo de estabelecer parceria com núcleos ou criadores de outras regiões e retomar a negociação para implantação do teste de progênie em Rondônia.


Evento promovido pela APCGIL – Associação Paulista dos Criadores de Gir Leiteiro, a 5ª Exposição Regional de Gir Leiteiro de Avaré, SP, realizada durante a Emapa 2013, de 1º a 10 de março, reuniu, no Parque de Exposições Fernando Cruz Pimentel, a melhor genética da raça, de expositores de Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. A mostra contou com participação de 76 animais em pista e 6 no concurso leiteiro. O julgamento ficou a cargo de Adriano Vaz de Lima. Carlos Alberto da Silva, presidente da APCGIL, mostrou-se satisfeito com a exposição. “Tivemos a participação de criadores de longe, que prestigiaram a nossa exposição, que este ano pela primeira vez foi a estadual paulista”, disse. A exposição faz parte do ranking nacional da ABCGIL – Associação Brasileira dos Criadores de Gir Leiteiro e consagrou a Agropecuária Corona como Melhor Expositor e Melhor Criador. Entre as fêmeas, o destaque foi Jaçanã FIV de Brasília, exposta por José Naves de Avila Neto, que levou a faixa de Grande

Zzn Peres

Raça se destaca na Emapa, em Avaré, SP

Gir Leiteiro é destaque em Avaré, SP. Campeã. Casuarina FIV Cal, propriedade da Lumiar Agropecuária Ltda., foi a Reservada Grande Campeã. Na disputa dos machos, o Grande Campeão foi Brasileiro FIV Suspiro, de Luiz Fernando Taranto Neves, e o Reservado Grande Campeão, Triunfo FIV Rio Vale, da Carlos Alberto da

Silva. No Torneio leiteiro, a Grande Campeã foi Sovela TE Cal, de José Naves de Avila Neto, com média diária de 33,187 kg de leite. A Reservada Grande Campeã foi Jaçanã FIV de Brasília, com produção de 28,493 kg de leite/dia.

A 9ª Exposição Estadual Baiana do Gir Leiteiro realizada de 24 de novembro a 2 de dezembro, no Parque de Exposições de Salvador (BA), durante a Fenagro, contou com 144 animais em pista e 7 no Concurso Leiteiro, provenientes de rebanho de 24 expositores, a maioria da Bahia. José Geraldo Vaz, da Fazenda Belo Horizonte, de Amargosa (BA), foi o grande destaque da mostra baiana. Além dos títulos de Melhor Criador e Expositor, ele faturou os títulos de Grande Campeã e Grande Campeão em pista e Grande Campeã do concurso leiteiro.

Na pista, Fantasia JGVA foi a Grande Campeã e Destaque FIV da JGVA, o Grande Campeão. No torneio leiteiro, Graciosa Kenyo (CA Sansão X Queimada dos Poções), com média diária de 48,933 quilos de leite, foi a Grande Campeã. A reservada foi Vanguarda FIV JFR (Sansão X Ministra TE), com média de 45,813 quilos de leite/dia. Todos os animais foram expostos por Geraldo Vaz.

Rosimar Silva

Criador baiano faz a festa a Fenagro

José Geraldo Vaz, da Fazenda Belo Horizonte.

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

33


Leite Afora Os campeões das pistas e dos torneios leiteiros Para 2013, estão programadas 50 exposições homologadas e ranqueadas. A cada ano, a ABCGIL - Associação Brasileira de Criadores de Gir Leiteiro confirma a qualidade dos animais em exposições e torneios leiteiros, traduzidos em recordes de produção. Confira, a seguir, os resultados das mostras realizadas de novembro de 2012 a março de 2013.

Feileite 2012, São Paulo/ SP

Status: Ranqueada Mês de realização: 11/2012 Número de animais em pista: 246 Número de animais no Concurso Leiteiro: 16 Grande Campeã: MUT 1350 - Inercia FIV F. Mutum Expositor: Leo Machado Ferreira Grande Campeão: RRP 5666 - Expoente TE de Brasília Expositor: Fazenda Brasília Agropecuária Melhor Novilha: HCFG 538 - Figo FIV Dhayala Expositor: Henrique Cajazeira Figueira Campeã do Torneio Leiteiro: BJAS 166 - Celeste Expositor: Joaquim J. C. Noronha e Outro Melhor Expositor: Leo Machado Ferreira Melhor Criador: Leo Machado Ferreira

4ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Cachoeiras de Macacu/RJ

Status: Ranqueada Mês de realização: 12/2012 Número de animais em pista: 93 Número de animais no Concurso Leiteiro: 16 Grande Campeã: JDRB 1724 - Rainha FIV da Palma Expositor: Marcilio Figueiredo Rodrigues Grande Campeão: MTAC 54 - Deputado do Marcão Expositor: Volmer Cerqueira dos Santos Melhor Novilha: ALAE 104 - Cassiana FIV Alambari Expositor: Herica Cristina F. Diniz Gonçalves Campeã do Torneio Leiteiro: JFR 2743 - Varzea FIV Expositor: José Luís Neves de Carvalho Melhor Expositor: Volmer Cerqueira dos Santos Melhor Criador: Herica Cristina F. Diniz Gonçalves

9ª Exposição Estadual Baiana do Gir Leiteiro – Fenagro 2012 (Salvador/BA)

Status: Ranqueada Mês de realização: 10 e 11/2012 Número de animais em pista: 144 Número de animais no Concurso Leiteiro: 7 Grande Campeã: JGVA 108 - Fantasia JGVA Expositor: José Geraldo Vaz Almeida Grande Campeão: JGVA 48 - Destaque FIV da JGVA Expositor: José Geraldo Vaz Almeida Melhor Novilha: JGVA 215 - Flor FIV Morena Expositor: Morena Agropecuária Ltda. Campeã do Torneio Leiteiro: KOK 180 - Graciosa Kenyo Expositor: José Geraldo Vaz Almeida Melhor Expositor: José Geraldo Vaz Almeida Melhor Criador: José Geraldo Vaz Almeida

34

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Aracaju/SE – Faese 2013

3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Araxá/MG

Status: Ranqueada Mês de realização: 2/2013 Número de animais em pista: 63 Número de animais no Concurso Leiteiro: 8 Grande Campeã: RSSO 41 - Dandara FIV do RSSO Expositor: Rubem Sergio Santos de Oliveira Grande Campeão: RSSO 89 - Gentil do RSSO Expositor: Rubem Sergio Santos de Oliveira Melhor Novilha: IFQ 64 - Fagulha da IFQ Expositor: Francisco Peltier Queiroz Filho Campeã do Torneio Leiteiro: RSSO 41 - Dandara FIV do RSSO Expositor: Rubem Sergio Santos de Oliveira Melhor Expositor: Rubem Sergio Santos de OliveiraMelhor Criador: Rubem Sergio Santos de Oliveira

Status: Ranqueada Mês de realização: 4/2013 Número de animais em pista: 123 Número de animais no Concurso Leiteiro: 6 Grande Campeã: ACFG 1571 - Audi I FIV Kubera Expositor: João Vitor de Melo e outros – Cond. Grande Campeão: RMM 273 - Elbano FIV Jacurutu Expositor: Demetrius Martins Mesquita Melhor Novilha: RMM 619 - Parla FIV Jacurutu Expositor: Demetrius Martins Mesquita Campeã do Torneio Leiteiro: MQV5 - Baritizza FIV da Quero VE Expositor: Marcilio Figueiredo Rodrigues Melhor Expositor: Henrique Cajazeira Figueira Melhor Criador: Henrique Cajazeira Figueira

5ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Avaré/SP – Emapa 2013

4ª Exp. do Gir Leiteiro de Campo Grande/MS

Status: Ranqueada Mês de realização: 3/2013 Número de animais em pista: 76 Número de animais no Concurso Leiteiro: 6 Grande Campeã: RRP 6815 - Jaçanã FIV de Brasília Expositor: José Naves de Avila Neto Grande Campeão: LFTN 133 - Brasileiro FIV Suspiro Expositor: Luiz Fernando Taranto Neves Melhor Novilha: ALAE 191 - Eudora FIV Alambari Expositor: Herica Cristina F. Diniz Gonçalves Campeã do Torneio Leiteiro: CAL 5676 - Sovela TE CAL Expositor: José Naves de Avila Neto Melhor Expositor: Amilcar Farid Yamin Melhor Criador: Amilcar Farid Yamin

Status: Ranqueada Mês de realização: 4/2013 Número de animais em pista: 61 Número de animais no Concurso Leiteiro: 6 Grande Campeã: PHY 214 - Flama da Parahy Expositor: Carlos Jacob Wallauer Grande Campeão: CAL 9535 - Darin FIV Cal Expositor: Eduardo Folley Coelho Melhor Novilha: RG: WALV 733 – e Nega FIV Expositor: Carlos Jacob Wallauer Campeã do Torneio Leiteiro: WALV 199 - Juma Expositor: Carlos Jacob Wallauer Melhor Expositor: Carlos Jacob Wallauer Melhor Criador: Carlos Jacob Wallauer

3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Passos/MG

4º Exp. Reg. do Gir Leiteiro de Pará de Minas

Status: Ranqueada Mês de realização: 3/2013 Número de animais em pista: 153 Número de animais no Concurso Leiteiro: 17 Grande Campeã: MUT 1350 - Inercia FIV F. Mutum Expositor: Leo Machado Ferreira Grande Campeão: MUT 1520 - Jaleco f. Mutum Expositor: Leo Machado Ferreira Melhor Novilha: MUT 1963 - Koda FIV F Mutum Expositor: Leo Machado Ferreira Campeã do Torneio Leiteiro: MUT 1167 - Heika FIV F. Mutum Expositor: Leo Machado Ferreira Melhor Expositor: Leo Machado Ferreira Melhor Criador: Leo Machado Ferreira

Status: Ranqueada Mês de realização: 4/2013 Número de animais em pista: 156 Número de animais no Concurso Leiteiro: 7 Grande Campeã: RG: SJTG 58 - Edesia FIV Albos Expositor: Enir Gomes Barbosa Grande Campeão: RG: SDNA 47 – Milan TE da Sadonan Expositor: João Vicente Alves de Avila Melhor Novilha: BPIC 44 - Cinema IC Pontal Expositor: Jose Afonso Bicalho B. da Silva Campeã do Torneio Leiteiro: GDF64 - Desejada TE do Tarin Expositor: João Vicente Alves de Avila Melhor Expositor: Enir Gomes Barbosa Melhor Criador: Agroville – Agric. e Empreend. Ltda.


Artigo Técnico

EVOLUÇÃO DOS JULGAMENTOS DA RAÇA GIR LEITEIRO ANDRÉ RABELO FERNANDES - COORDENADOR OPERACIONAL DO PNMGL FAUSTO CERQUEIRA GOMES - COORDENADOR TÉCNICO DE LOGÍSTICA DE EXPOSIÇÕES

D

esde sua fundação, a ABCGIL busca identificar dentro da raça Gir animais que sejam bons produtores de leite. A partir de 1997, portanto há aproximadamente 16 anos, a ABCGIL começou a promover a realização de exposições de Gir Leiteiro, buscando juntamente com técnicos especializados de outras raças bovinas leiteiras as formas ideais que caracterizam animais produtivos.

Com a crescente demanda do Gir Leiteiro nas exposições e com o aumento do número de criadores participantes, a ABCGIL instituiu em 2008 o Ranking Nacional da Raça com o objetivo de divulgar os trabalhos de seleção dos seus associados e promover o Gir Leiteiro com raça funcional produtora de leite. Esta iniciativa proporcionou um aumento muito rápido do número de exposições ranqueadas pela associação, como podemos observar no gráfico abaixo:

Esta história começou com a formação de um grupo de estudos para a elaboração de critérios de julgamento e a realização das primeiras mostras regionais com o Gir Leiteiro. O resultado culminou com a 1ª Exposição Nacional do Gir Leiteiro, em 1999, na cidade de Brasília, DF, com a participação maciça dos associados da ABCGIL. Em 2002 a ABCGIL realizou o 1º Curso de Julgamento para formação de jurados especializados em Gir Leiteiro, com o intuito de ampliar a gama de profissionais capacitados a julgar a raça. O ano de 2004 foi marcado pela estreia do Gir Leiteiro nos julgamentos da ExpoZebu, separando os dois biótipos, em pistas distintas, entre Leite e Dupla Aptidão. Desse momento em diante, foi dado o grande impulso na participação do Gir Leiteiro em várias exposições de todo o país. A implantação de julgamentos em pista pela ABCZ, separando a raça para as funções aptidão leiteira e dupla aptidão, é um reconhecimento das diferenças morfológicas quanto ao tipo, devido à mudanças ocorridas na conformação dos animais Gir Leiteiro em relação aos outros animais Gir, ambos enquadrados no padrão racial exigido para registro.

36

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Esposições Ranqueadas 43

42

31 20 10

2008/2009 2009/2010

2010/2011

2011/2012

2012/2013

Fonte: ABCGIL

O primeiro ranking ocorreu no período de julho de 2008 a julho de 2009, encerrando-se na Exposição Nacional do Gir Leiteiro – Megaleite, na cidade de Uberaba, MG. Neste ranking foram realizadas 10 exposições com a participação de 1910 animais. O movimento do primeiro ranking motivou os criadores a participarem mais das exposições ranqueadas pela ABCGIL e novos pedidos de homologação surgiram em várias regiões do País, impulsionando ainda mais o aumento de eventos ranqueados. No ranking de 2011/2012 a ABCGIL registrou número recorde de exposições ranqueadas, com a expressiva


Artigo Técnico marca de 43 eventos nos Estados de Minas Gerais, São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Sergipe e Distrito Federal. Neste mesmo período foi registrada a participação de 6959 animais de 108 expositores de todo Brasil. A evolução do número de animais e de expositores participantes do Ranking ABCGIL pode ser observada nos gráficos à abaixo:

do Gir Leiteiro, trazendo para discussão conceitos e diretrizes preconizadas palas ABCGIL. Em contrapartida, houve também o compromisso da ABCGIL e da ABCZ em dar oportunidade para novos profissionais atuarem como jurados nas exposições homologadas. O resultado deste trabalho foi a inclusão de novos jurados nas exposições, partindo de um número inicial de 5 jurados, no ranking 2008/2009, para 22, no ranking 2011/2012. Esta evolução pode ser observada no gráfico abaixo:

Animais Julgados

Jurados Atuantes 22

6959 18

5651 4246

11

1910

2008/2009

5

2009/2010

2010/2011

2011/2012

Fonte: ABCGIL

2009/2010

2010/2011

2011/2012

Fonte: ABCGIL

Expositores Participantes 106

108

79

Esses números mostram que o Gir Leiteiro vem crescendo de forma sustentável, se consolidando cada vez mais como uma raça produtora de leite com qualidades morfológicas constatadas nas principais pistas de julgamento. Mostra também que a criação do Ranking Nacional pela ABCGIL foi decisiva para fomentar o Gir Leiteiro por todo Brasil, proporcionando o crescimento da raça e a adesão de novos criadores e técnicos. Zzn Peres

80

2008/2009

2008/2009

2009/2010

2010/2011

2011/2012

Fonte: ABCGIL

Com o aumento do número de exposições ranqueadas e com a constante necessidade de incorporação de novos técnicos nos trabalhos de seleção do Gir Leiteiro a ABCGIL e ABCZ começaram o processo de treinamento e reciclagem dos técnicos interessados em trabalhar com a raça. Em 2011 e 2012 foram realizados cursos de capacitação em morfologia

38

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013


Carlão da Publique / Publique Banco de Imagens

C ampo Técnico

PNMGL e suas provas zootécnicas Por André Rabelo Fernandes, Coordenador operacional PNMGL Ranielly da Silva Maciel, Supervisora do Banco de Dados do PNMGL

O

Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro, PNMGL, iniciativa da ABCGIL e Embrapa Gado de Leite, foi implantado em 1985 com o objetivo principal de promover o melhoramento genético do Gir Leiteiro por meio da identificação e seleção de touros geneticamente superiores para as características de produção (leite, gordura, proteína e sólidos totais), de conformação e de manejo, bem como proceder à avaliação genética dos animais de todos os rebanhos participantes. O Teste de Progênie é a prova zootécnica mais segura para identificar os valores genéticos

40

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

dos touros e promover o melhoramento genético em rebanhos leiteiros. O Teste avalia a capacidade de um touro em passar para as suas filhas suas qualidades genéticas. O teste requer tempo considerável, 6 a 7 anos, e os reprodutores são avaliados a partir de informações e desempenho de suas filhas (puras e mestiças), através de controle leiteiro e avaliação linear. Em 2013 o PNMGL completa 28 anos de execução, e todos os anos é publicado pela ABCGIL/EMBRAPA o sumário brasileiro de touros com o resultado do Teste de Progênie. Os produtores cada vez mais acreditam no Teste e a demanda pela inclusão de novos touros tem aumentado.

Podemos dizer que o Teste de Progênie é hoje o maior responsável pelo sucesso do Gir Leiteiro, pois todas as informações geradas nestes 28 anos formaram as bases para um crescimento com sustentabilidade e responsabilidade. O aumento do número de touros em Teste pode ser observado no gráfico 1. Com o objetivo de melhoria dos reprodutores que entram em prova, a partir de 2009 a ABCGIL em parceria com a Embrapa Gado de Leite e FAZU, iniciaram uma nova etapa na evolução técnica do PNMGL, a Prova de Pré-Seleção de touros para o Teste de Progênie. Nesta prova, são avaliadas características reprodutivas


(congelabilidade, motilidade, defeitos maiores e menores, etc.) ligadas à produção comercial de sêmen nos tourinhos candidatos ao TP. Atualmente, além dessas características seminais, são estudadas características funcionais, como temperamento e libido, e de conformação. Com isso, pretende-se formar um banco de dados consistente na parte reprodutiva de machos, o que possibilitará posteriores estudos de associação genética com características produtivas e reprodutivas nas fêmeas, visando ao aumento da acurácia e funcionalidade na seleção do Gir Leiteiro. A Prova de Pré-Seleção de touros é uma importante ferramenta para o Teste de Progênie, pois aumenta a pressão de seleção em cima dos jovens reprodutores candidatos a participar do PNMGL. Assim, ao serem aprovados nesta Pré-Seleção, levam para o Teste de Progênie a garantia de transmitir para suas progênies a fertilidade demostrada nas avaliações, bem como as características ligadas à longevidade e à funcionalidade. Com o passar dos anos, a demanda para participação na Prova de Pré-Seleção foi aumentando de forma substancial, o que demonstra a importância e a assimilação dos criadores e usuários dessa genética nessa importante ferramenta.

de leite e sua composição, serão avaliadas várias características dos animais, como desenvolvimento corporal, comportamento, eficiência reprodutiva, consumo e conversão alimentar, na busca de subsídios para a construção do índice econômico de produção. A prova será realizada em Uberaba, MG, com a participação da ABCGIL, EPAMIG, FAZU e ABCZ, com o apoio da EMBRAPA Gado de Leite e UNIUBE, através do Hospital Veterinário de Uberaba (HVU). Seu início ocorrerá durante a Exposição Nacional do Gir

Leiteiro 2013 (Megaleite/2013) com a chegada das novilhas participantes. A incorporação de novas avaliações e o aumento de características mensuradas serão sempre as diretrizes que guiarão o PNMGL rumo à sustentabilidade do Gir Leiteiro para a produção de leite em ambiente tropical. As ações se iniciam com a pré-seleção dos futuros reprodutores, passam por todo o acompanhamento de suas progênies, validando os sistemas de produções, até chegar ao resultado final das provas.

Com o intuito de fomentar a evolução do Gir Leiteiro, foi criada outra Prova Zootécnica para subsidiar os dados utilizados no Teste de Progênie. O objetivo inicial da Prova é fomentar a evolução do Gir Leiteiro e avaliar as técnicas mais apropriadas para o manejo e a nutrição da raça. O projeto Gir Leiteiro Sustentável: Prova Nacional de Produção de Leite constitui na avaliação de produção e composição do leite de novilhas Gir Leiteiro manejadas em sistema de produção economicamente sustentável. Além de apurar a produção Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

41


Galeria Galeria DE FOTOS DE FOTOS

TÁ TODO MUNDO LENDO Kinkão, Flávio Peres e Antonio Lopes Batista

Roberto Gracco Selles e Carlão

Luiz Evandro Aguiar e Antonio Lopes Batista

Lucélia

Paulo Roberto Andrade Cunha e Eliane Andrade Renata, da CRV LAGOA

Carlos Henrique Cavallari e Silvio Queiroz

42

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Rodrigo Coelho Denipote e Maurício Silveira Coelho

Pedro Avedis Seferian e Carlão

Francisco JB Oliveira e Danário Almeida


Galeria Galeria

DE DE FOTOS FOTOS TÁ TODO MUNDO LENDO

Anibal Vercesi, Silvio Queiroz, Marcos Gonçalo de Magalhães, José Ramalho de Lima e Paulo Moreira

Elci, da Fazenda Fortaleza, José Mário Miranda Abdo e Evandro Guimarães com amigo criador de Presidente Prudente, SP

Mariana Alencar

Maria Tereza e Eliane Andrade

Dilson Cordeiro de Menezes, de chapéu

Lucas Marques

Ronaldo Fogaça, Carlão e Rinaldo Fogaça

Carlos Wallauer e Nathã Carvalho Paulo Yamamoto e Edurado Falcão

Dr. Wilson Marçal Vieira e Carlão Bolivar Filho e Carlão

Paulo Fornasaro e Carlão


Galeria Galeria DE FOTOS DE FOTOS FEILEITE

Luciana Rezende e amigo

Dilson Cordeiro de Menezes Flávio Peres e Maria do Carmo Luiz Evandro Aguiar e Janine Aguiar

Equipe ABS Pecplan Paulo Maximiliano, Ilze da Cunha Oliveira, Glasiela Maximiano e Marta Noronha Winston Drummond

Paulo Sylos e Alexandre Neves Silvio Queiroz, Rodrigo Bragança e José de Castro Netto

Gisele Oliveira, Silvio Queiroz, Juliana Duarte, Ana e Anibal

Mariana Andrade

44

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013


Galeria Galeria

DE DE FOTOS FOTOS FEILEITE

Mulheres do Gir Leiteiro

Dalila Galdeano Lopes e Janine Aguiar

Paul Enrique Alvarez, Marta Noronha, Mário Alvarez Vilalba e Kinkão

Rodrigo Miguel e Márcia Cobra

José Luiz Neves de Carvalho

Adonias Souza Santos Tatiane Tetzner, Rodrigo Coelho Denipote, José Coelho Vítor e Maurício Coelho Vítor

Pedro Otoniel e Clélia Maria Vieira

Juliana Duarte e Silvio Queiroz

Sérgio Luís Andrade, Rodrigo Camargo e ..................

Carlos Bruno

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

45


Galeria Galeria DEFOTOS FOTOS DE FEILEITE

Glasiela Maximiano e amigas

Paulo Maximiliano e Glasiela Maximiano

Mariana Alencar Alessandra Arnaud

Francisco Rennó

Ricardo V. Souza e Cláudio Severino Lara

José Amaral com seu filho Matheus

46

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Adonias Souza Santos e Eduardo Falcão

Léo Machado e Meire


Publique


Galeria Galeria DEFOTOS FOTOS DE

Mila Laurindo e Evandro Guimarães e Mônica Guimarães

FEILEITE

Alessandra Arnaud e amigo

Governador de São Paulo, Geraldo Alckimin e Décio Ribeiro Santos

Marcello Scielzo e amiga

Luiz Ronaldo de Paula, da Leite Gir e William da Programa Leilões

Equipe CRV Lagoa

Ilze da Cunha Oliveira

Maria Tereza Lemos Costa Calil

Tatiane Tetzner e Rodrigo Coelho

Dalila, Camila, Marta e Rosânia

José Coelho Vítor, Élcio Gobatti, Carla Gobatti e filha

Zzn Peres

Manuela

48

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Carla Gobatti

Agostinho, leiloeiro

Mariana Alencar

Marta Noronha, Vascão e Luciano


Publique


Zzn Peres

Capa

m legado para a ABCGIL e para o Gir Leiteiro O apoio dos associados e a dedicação do quadro de funcionários contribuíram para tornar a administração de Silvio Queiroz Pinheiro uma referência em realizações

O

slogan “Da ABCGIL que temos para a ABCGIL que queremos” foi o ponto de partida para as ações das gestões de Silvio Queiroz Pinheiro, que assumiu a presidência da entidade em duas gestões, no período

de 2007 a 2013. Quando entregar o cargo ao seu sucessor, além de ter cumprido o objetivo proposto, ele deixará um importante legado, traduzido em forma de realizações importantes em prol da

50

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013


O Gir Leiteiro se consolidou ao longo dos anos e pode contribuir para mudar o perfil da pecuåria leiteira, em quantidade ou qualidade� Silvio Queiroz Pinheiro, presidente da ABCGIL.

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

51


Capa entidade, dos seus associados e do Gir Leiteiro. A retrospectiva das principais ações da ABCGIL dos últimos seis anos mostra os avanços no melhoramento da raça e nas conquistas da associação, sempre com foco no fortalecimento do Gir Leiteiro e na valorização do criador. “A construção da sede própria, no Parque Fernando Costa, a evolução das inscrições de Gir Leiteiro na ExpoZebu e a oferta, nos leilões da mostra mineira, de amimais e material genético de alta

Os números indicam o crescimento sustentável, como raça produtora de leite com qualidades morfológicas provadas nas pistas de julgamento

qualidade na produção de leite são algumas conquistas”, cita Silvio Pinheiro. O número de associados da ABCGIL também evoluiu de forma considerável (veja gráfico). De 145, quando assumiu a presidência, para 373, um acréscimo de 228, em abril deste ano. A criação do Ranking Nacional pela ABCGIL, de julho de 2008 a julho de 2009, foi decisiva para fomentar o Gir Leiteiro por todo Brasil, com crescimento da raça e a adesão de novos criadores e técnicos. Para se ter uma ideia da evolução, enquanto o ranking 2008/2009 contou com 10 exposições e participação de 1910 animais, de 80 expositores, em 2012/2013 foram 42 mostras ranqueadas e 6959 animais em

-Seleção de touros para o Teste de Progênie, com o objetivo de avaliar características reprodutivas (congelabilidade, motilidade, defeitos maiores e menores, etc.) ligadas à produção comercial de sêmen nos tourinhos candidatos ao teste. Foi mais um avanço para a raça e para o seu crescimento. Anualmente, é publicado o sumário brasileiro de touros com o resultado do Teste de Progênie que é o grande responsável pelo sucesso do

pista, de 108 expositores. No período, o número de jurados atuantes também cresceu, de 5 para 22. “Todos os números indicam o crescimento do Gir Leiteiro, de forma sustentável, como raça produtora de leite com qualidades morfológicas provadas nas pistas de julgamento.”

PNMGL O presidente da ABCGIL ressalta a contribuição do Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro, PNMGL, implantado em 1985, iniciativa da ABCGIL e Embrapa Gado de Leite, e que completa 28 anos em 2013. Em 2009, a ABCGIL – em parceria com a Embrapa Gado de Leite e a Fazu –, introduziu a Prova de Pré-

Gir Leiteiro. (O aumento do número de touros em teste pode ser observado no gráfico da seção Campo Técnico). “Sem dúvida, a evolução do melhoramento genético do Gir Leiteiro mostra que a raça se consolidou ao longo dos anos e pode contribuir para mudar o perfil da pecuária leiteira, em quantidade ou qualidade”, destaca.

SUSTENTABILIDADE “Nosso trabalho em prol da evolução da ABCGIL foi alicerçado na estruturação administrativa da instituição, na conquista do espaço físico, em endereço próprio, definitivo, e no apoio da

Linha do Tempo 2007/2013 Período das duas gestões de Silvio Queiroz Pinheiro, sexto presidente da ABCGIL. 2007 • Consultoria especializada de Brasília, DF, realiza o planejamento estratégico para definir as ações da gestão, com base no slogan: “Da ABCGIL que temos para a ABCGIL que queremos”. • Inauguração da sala “Francisco Figueiredo Barretto”, na sede da ABCZ, no Parque Fernando Costa. • Certificado do Mérito Genético de Produção de Leite, conferido aos touros com as melhores avaliações em TP, recebe o nome do pesquisador Mario Luiz Martinez. 52

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013


Zzn Peres

equipe de colaboradores capacitada para atender os associados”, ressalta o presidente. Ele acrescenta que, esses três pilares, bem constituídos e fortalecidos com a motivação de todos os associados, garantem a sustentabilidade do Gir Leiteiro. “Aproveito esta oportunidade para prestar uma homenagem aos pioneiros que iniciaram o trabalho em prol do Gir Leiteiro, fruto da visão de futuro e persistência dos criadores e da competência dos pesquisadores e técnicos brasileiros, da diretoria, que sempre esteve presente apoiando as ideias e ajudando na sua execução, e da competente equipe de colaboradores, que vestiu a camisa da ABCGIL e teve papel fundamental no fortalecimento da raça”, elogia Silvio Queiroz. Os fatos e conquistas marcantes ao longo de seis anos podem ser conferidos na Linha do Tempo e na entrevista do presidente Silvio Queiroz Pinheiro e mostram que o Gir Leiteiro é resultado de trabalho, dedicação e persistência na seleção com objetivo funcional. Equipe ABCGIL a serviço do crescimento da raça.

2008 • Criação do ranking e das exposições homologadas do Gir Leiteiro, estimulando a participação dos criadores. • Mudança da Exposição Nacional do Gir Leiteiro para a Megaleite, em Uberaba. • Modernização do Estatuto, com adequação ao Código Civil Brasileiro.

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

53


Presidente da ABCGIL destaca o potencial do Gir Leiteiro, que tem muito espaço para crescer como raça leiteira tropical no Brasil e no mundo

P

ara Silvio Queiroz Pinheiro, presidente da ABCGIL, a capacidade do Gir Leiteiro de produzir de forma econômica e ambientalmente sustentável é ainda pouco conhecida. “A raça ainda tem muito a evoluir. Essa evolução depende

do trabalho daqueles que acreditarem no potencial do Gir Leiteiro e usarem a razão em seus processos de seleção”, afirma. Confira a entrevista do presidente da ABCGIL, que deixa o cargo para o seu sucessor depois de construir de três pilares que possibilitaram sustentar todo processo de evolução da entidade: Organização administrativa, Estrutura física, com a conquista da sede própria, e Equipe de Colaboradores capacitada e comprometida com os valores de associação.

2009 • Lançamento da Cartilha de Avaliação Genética e de Conformação de Rebanhos Gir Leiteiro, com informações sobre melhoramento, valor genético, endogamia, classificação para tipo, além da nova certificação genética para a raça. • Lançamento do Certificado de Qualificação Genética, CG, documento emitido pela ABCGIL e Embrapa Gado de Leite, durante a 75ª ExpoZebu, que avalia e identifica os melhores animais, com base em características produtivas, reprodutivas e de conformação. • Aumento do número de touros no Teste de Progênie e definição de novos critérios técnicos para a inclusão de touros no teste, com base a avaliação genética dos rebanhos participantes do PNMGL. • Assinatura de Termo de Cooperação Técnica com a Emater para captação de novos rebanhos colaboradores, ampliação da base de usuários e desenvolvimento de novos projetos. • Parceria da ABCGIL com a Fazu, Faculdades Associadas de Uberaba, para a realização de pesquisa, qualificação profissional e prestação de serviços. • Renovação da frota de carros da ABCGIL a serviço do PNMGL, com recursos financeiros da Secretaria de Ciência e Tecnologia, para o trabalho de campo dos técnicos durante visitas às fazendas para distribuição de sêmen para o Teste de Progênie do PNMGL. • Implantação da prova de pré-seleção de touros para o Teste de Progênie. • Com a disponibilização, pela Embrapa, de notebooks e de um software específico para o PNMGL, a ABCGIL passou a trabalhar com nas visitas às fazendas de forma totalmente informatizada. • Lançamento da nova revista Gir Leiteiro, com projeto gráfico diferenciado e periodicidade semestral. • Fundação do Núcleo Gaúcho de Criadores de Gir Leiteiro. • Nova parceria da ABCGIL com a Embrapa Gado de Leite sobre sistemas de produção de leite, além da estruturação de produção de leite do campo Experimental de Coronel Pacheco, MG, do Programa de Boas Práticas Agropecuárias. 54

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Divulgação

Capa Três pilares para a sustentabilidade


Capa |||| Gir Leiteiro: Como é chegar ao fim de dois mandatos com tantas realizações em prol da ABCGIL e do Gir Leiteiro? Silvio Queiroz Pinheiro: Com satisfação, alegria e esperança de poder contribuir para que alcancemos resultados ainda mais auspiciosos para o Gir Leiteiro. Gosto de afirmar que atrás do esforço vem a recompensa. Apesar de algumas pessoas desatentas para com nossas atividades cotidianas à frente da ABCGIL e incrédulas

|||| GL: Quais foram suas principais

“O Gir Leiteiro está presente em praticamente todos os Estados brasileiros. E continuará crescendo”.

quanto ao potencial da raça dizerem que o

SQP: Sem dúvida foi a construção de três pilares que possibilitaram sustentar todo processo de evolução da ABCGIL, que são: Estruturação administrativa da instituição, com todos os instrumentos regulamentares legalizados

e

atualizados.

regimentos,

regulamentos,

Estatuto, ferramentas

administrativas e orçamentárias, ou seja, a ABCGIL está absolutamente regular. Estrutura física – Agora a ABCGIL tem

que tivemos foi sorte, posso garantir que

oportunidade para manifestar publicamente

endereço próprio, definitivo. A nossa

a sorte acompanha quem trabalha com

os meus agradecimentos a todos que

sede está construída, paga e preparada

produto de qualidade superior, objetivos

contribuíram para o alcance dos resultados

para acolher todos os nossos associados e

bem definidos e muita determinação.

obtidos, em especial a nossa grande

interessados no Gir Leiteiro. É a nossa casa

Percebo que as ações da ABCGIL e do

equipe: os diretores, os conselheiros, os

pronta para receber todos os admiradores da

Gir Leiteiro são vistas com credibilidade

colaboradores e associados que acreditaram

raça. Equipe de Colaboradores capacitada

e respeito. É gratificante. Aproveito esta

em nossas propostas.

para bem atender a todos que buscam a

2010 • Fundação da Associação Paulista dos Criadores de Gir Leiteiro em São Paulo. • Criação da Associação da Associação Nordestina dos Criadores de Gir Leiteiro, com sede em Salvador, BA, para atender criadores da Bahia, Sergipe e Alagoas. • Fundação da Associação da Associação Tocantinense de Criadores de Gir Leiteiro, iniciativa do criador Napoleão Machado Prata Júnior, da Fazenda Prata do Norte, e do veterinário Juliano Franco de Souza. • Recorde de inscrições de Gir Leiteiro na ExpoZebu, com mais de 900 animais em pista e no concurso leiteiro. • Assinatura de contrato para construção da sede da ABCGIL, no Parque Fernando Costa, durante a ExpoGenética. • Assinatura de protocolo de intenções com o Banco do Brasil para agilizar as operações de compra e venda de Gir Leiteiro. • Criação do ranking estadual, com o objetivo de fortalecer e propiciar maior integração entre os associados dos núcleos e associações estaduais. • Apresentação, durante a ExpoGenética, do Programa Pecuária Sustentável – Excelência em Tecnologia Tropical, em parceria com a Fazenda Escola Fazu. • Comemoração dos 30 anos da ABCGIL, dia 6 de junho, com homenagem a pessoas que contribuíram para o sucesso do Gir Leiteiro. • Criação do manual com a Identidade Institucional, com a descrição do trabalho desenvolvido, os resultados aspirados pela entidade e a filosofia de atuação, como os princípios e valores essenciais, que definidos pelo grupo de associados presentes no desenvolvimento do trabalho são: Comprometimento, Credibilidade, Perseverança e Inovação. 56

realizações?

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013


Divulgação

associação e alinhada com nossos valores institucionais

de

Comprometimento,

Credibilidade, Persistência e Inovação. Com estes três pilares bem constituídos e fortalecidos com a motivação de todos nossos associados, a sustentabilidade do Gir Leiteiro fica assegurada. |||| GL: Quais os resultados para a raça e para os associados? SQP:

Credibilidade

e

confiança

no

fortalecimento da associação e da raça, gerando valorização do criador pela expansão do mercado de usuários. O Gir Leiteiro está presente em praticamente todos os Estados brasileiros. E continuará crescendo. O interesse de outros países nesta genética brasileira é crescente, certamente gerando receita para os criadores.

2011 • Transferência da Embrapa para a ABCGIL do banco de dados de controle leiteiro do PNMGL, para avaliação genética dos touros em teste. • Criação de dois selos oficiais: TOURO PROVADO e TOURO EM TESTE, a serem utilizados pelas centrais de comercialização de sêmen em seus materiais promocionais (catálogos, site, folders, etc.). • Fundação da Associação dos Criadores de Gir Leiteiro do Mato Grosso do Sul, ACRIGIL-MS, e da Associação Rondoniense dos Criadores da Raça Gir Leiteiro, ACRIGIL.

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

57


Capa |||| GL: Fale sobre a evolução do Gir Leiteiro e da ABCGIL. SQP: Olhando para o futuro, vislumbramos que a ABCGIL existe para promover soluções inovadoras que assegurem ao Gir Leiteiro ser a mais sustentável e adequada raça leiteira tropical do mundo. Esta postura garante crescimento sustentável para a associação e para a raça, em decorrência de

Os números indicam o crescimento sustentável, como raça produtora de leite com qualidades morfológicas provadas nas pistas de julgamento

ações objetivas e focadas no melhoramento constante e progressivo das características produtivas da raça. Tanto a ABCGIL quanto o Gir Leiteiro vivenciam na fronteira do conhecimento. É uma constante quebra de paradigmas e superação de limites. Ambas têm muito espaço para crescimento. |||| GL: Qual o papel do GL? SQP: Proporcionar qualidade de vida para o produtor rural e sua família, através do incremento de renda. A vaca Gir Leiteiro produz em quantidade e com qualidade, gerando receita também com suas crias. Gera satisfação pelo exercício da atividade de

tável é ainda pouco conhecida. O trabalho de seleção funcional ainda é recente em comparação com as raças taurinas especializadas. O Gir Leiteiro tem muito a evoluir. Essa evolução depende do trabalho daqueles que acreditarem no potencial da raça e usarem a razão em seus processos de sele-

produzir alimento saudável e fundamental

um exercício perfeito de persistência no

para a sobrevivência humana.

trabalho de observar e medir, multiplicando apenas o melhor através da utilização das

|||| GL: Como vislumbra o futuro da raça?

ferramentas tecnológicas disponíveis.

SQP: Ocupando cada vez mais espaço na pecuária leiteira, contribuindo para a sus-

|||| GL: Qual a mensagem para o seu

tentabilidade da atividade com produtivi-

sucessor?

dade e beleza.

SQP: Boa sorte e disposição para colocar em prática projetos em favor da raça. O

|||| GL: Qual o sua mensagem para os

José Afonso Bicalho é mestre nisto e está

criadores de Gir Leiteiro?

perfeitamente consciente da importância do

SQP: Que acreditem no potencial da raça

Gir Leiteiro para a pecuária leiteira mun-

que é possuidora de muitos predicativos. A

dial. Os criadores que compõem sua equi-

• Inauguração da sede própria da ABCGIL, a Casa do Gir Leiteiro, um prédio de dois andares, no Parque Fernando Costa. • Assinatura de Termo de Cooperação Técnica entre a ABCGIL e o Sebrae/MG, para ampliação e difusão dos rebanhos colaboradores para o PNMGL. • Realização do 1º Congresso Mundial do Gir Leiteiro, durante a ExpoGenética, com a presença de palestrantes brasileiros e internacionais. • Lançamento da 1ª Prova Nacional de Produção de Leite – Gir leiteiro Sustentável. • Assinatura de assinam Protocolo de Intenções entre a ABCGIL e a Associação Rondoniense dos Criadores de Gir Leiteiro, ARCGIL, durante a Feileite, para o desenvolvimento da raça em Rondônia, voltado para o melhoramento genético do rebanho através da implementação do PNMGL. • O Serviço de Registro Genealógico das raças Zebuínas, da Associação Brasileira dos Criadores Zebu, ABCZ, registrou o recorde histórico dos registros de nascimento da raça Gir: 30.031 registros, acima da marca de 2011, que contou com 29.827 registros. | | | | Revista Gir Leiteiro 2013

forma econômica e ambientalmente susten-

ção. Criar e selecionar constituem-se em

2012

58

capacidade do Gir Leiteiro de produzir de

pe, além de competentes em seus criatórios,


Zzn Peres

estão perfeitamente alinhados com os valores da instituição. |||| GL: As suas considerações, para fechar essa entrevista. SQP: Agradeço a Deus por ter me dado saúde e disposição para o trabalho. E a todos que participaram comigo desses momentos tão importantes para o desenvolvimento da Silvio em dois momentos: acima, com a equipe durante a Feileite e abaixo, com o governador de São Paulo Geraldo Alckimin. Zzn Peres

raça, principalmente aqueles que nos desafiaram. O Gir Leiteiro não é uma apenas a marca produto do trabalho de marketing e sim o resultado de muita dedicação e persistência na seleção com objetivo funcional. Aliás, não posso deixar de render aqui minhas homenagens àqueles que iniciaram tudo isso e dizer que o Gir Leiteiro é fruto da visão de futuro e persistência dos criadores e da competência dos pesquisadores e técnicos brasileiros. É apenas o reconhecimento ao serviço prestado à pecuária leiteira e uma singela homenagem a todos que contribuíram com esse trabalho de seleção afirmar que o Gir Leiteiro é brasileiro.

2013 • Fundação da ACGIL - MT.

Getúlio Vilela, presidente da Associação dos Criadores de Gir Leiteiro do Mato Grosso, Gir MT.

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

59


Zzn Peres

Hora da Genética

Regressão Aleatória: seu impacto nas avaliações genéticas do Gir Leiteiro RODRIGO JUNQUEIRA PEREIRA - PROFESSOR E PESQUISADOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO, UFMT GRUPO DE MELHORAMENTO ANIMAL DE MATO GROSSO - GMAT ANÍBAL EUGÊNIO VERCESI FILHO - PESQUISADOR DA AGÊNCIA PAULISTA DE TECNOLOGIA DOS AGRONEGÓCIOS / DIRETOR TÉCNICO DA ABCGIL RUI DA SILVA VERNEQUE - PESQUISADOR DA EMBRAPA GADO DE LEITE/ DIRETOR LEITE

1. INTRODUÇÃO O controle leiteiro é realizado nos plantéis de bovinos leiteiros ao redor de todo o mundo. Esta prova zootécnica consiste na mensuração e correspondente registro da produção individual da vaca em um período de 24 horas, voltados para seleção, manejo, pesquisa e promoção das raças. Os registros do controle leiteiro constituem-se então a principal fonte de informação para as avaliações genéticas de bovinos para a produção de leite. A grande maioria das vacas possui cerca de 7 a 10 registros de controle leiteiro por lactação. Este número depende basicamente da frequência com que os controles são realizados e também da duração da lactação. Atualmente existem propriedades que possuem um sistema de ordenha mecânica onde a produção da vaca é

60

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

mensurada a cada dia. No entanto, o esquema de controle leiteiro mais comum no mundo é aquele realizado em intervalos de 30 dias. Na primeira situação, a produção acumulada em até 305 dias de lactação (P305) é obtida pela simples soma das produções diárias. Quando os controles leiteiros não são realizados diariamente, mas sim em intervalos, é necessário que se estime a P305 a partir dos controles disponíveis. O método usual para a obtenção dessa estimativa consiste em calcular a média da produção entre dois controles consecutivos e multiplicá-la pelo número de dias entre estes dois controles. Isto é feito para cada par de controles da lactação. Posteriormente, somandose as quantidades obtidas tem-se uma estimativa da P305 naquela lactação. Naturalmente, essa estimativa será tanto melhor quanto menor for o intervalo entre os controles. Existem alguns

problemas relacionados ao primeiro e ao último controle, pois, do parto até o primeiro controle e do último controle até a secagem, não há um par de controles. Assim, devem ser utilizados alguns ajustes para a estimativa das quantidades de leite produzidas nesses períodos. As P305 estimadas são então utilizadas nas avaliações genéticas para a produção de leite. No momento da avaliação genética, se a vaca está com a lactação ainda em curso, a P305 é obtida por meio da projeção da lactação parcial baseada nos registros de produção já aferidos, com auxílio de fatores de correção. Estes assumem uma curva de lactação padrão, baseada na média do rebanho, ordem de parto, etc. Dessa forma, vacas com maior persistência geralmente têm suas produções subestimadas, ao passo que vacas com menor persistência têm suas produções superestimadas. Esta situação pode causar


Hora da Genética problemas na avaliação genética, uma vez que a variabilidade no formato da curva dos animais é desprezada acarretando grande oscilação nas avaliações genéticas, principalmente nas de touros jovens que possuem muitas filhas com lactação incompleta. Durante algum tempo, os melhoristas (pesquisadores que trabalham na área de Melhoramento Animal) conviveram com esses problemas, até então vistos como sem solução. Em 1975, durante reunião de um comitê técnico sobre bovinos leiteiros, no Canadá, o pesquisador John E. Moxley, da McGill University, disse que achava que as avaliações genéticas seriam mais simples se os melhoristas utilizassem os controles leiteiros ao invés de tentar encontrar métodos adequados para estimar a P305. A partir daquele momento, melhoristas de todo o mundo direcionaram suas pesquisas de modo a encontrar modelos/métodos de avaliação genética mais adequados ao uso da produção no dia do controle leiteiro. Diversos modelos foram propostos e colocados em prática nos programas de melhoramento. Como em todas as áreas da ciência, as pesquisas não pararam e continuam até os dias de hoje, sempre trazendo alguma melhoria ao processo de avaliação genética como um todo. Atualmente, no que diz respeito aos bovinos leiteiros, praticamente todos os países com programas de melhoramento consolidados utilizam as produções no dia do controle e não as estimativas da P305 nas avaliações genéticas. O tipo de modelo de avaliação genética mais utilizado é a Regressão Aleatória. No Canadá, por exemplo, este modelo é utilizado desde 1999 e, na Holanda, desde 2003. No Brasil, até o momento, todos os programas de melhoramento utilizam ainda a P305 nas avaliações genéticas para a produção de leite. Para a raça Gir Leiteiro, desde 2007 são realizadas pesquisas com base nos dados do Arquivo Zootécnico Nacional, gerenciado pela Embrapa Gado de Leite. Esta base de dados contém informações de animais puros, provenientes principalmente do Serviço de Controle Leiteiro oficial da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), e também de animais cruzados, provenientes do Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro (PNMGL). As pesquisas foram realizadas pelo pesquisador Rodrigo Junqueira Pereira, com a colaboração de pesquisadores das seguintes instituições: Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA); Embrapa Gado de Leite; Universidade Estadual Paulista (UNESP Jaboticabal); Universidade Federal de Viçosa 62

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

(UFV) e University of Guelph (Canadá).

2. BENEFÍCIOS Com base nos resultados das pesquisas realizadas até o momento no mundo e no Brasil, diversos benefícios poderiam ser obtidos com o uso da produção de leite no dia do controle e dos modelos de Regressão Aleatória nas avaliações genéticas do Gir Leiteiro, dentre os quais: 2.1. PRODUÇÃO ACUMULADA EM ATÉ 305 DIAS DE LACTAÇÃO Como são utilizadas as produções no dia do controle nas avaliações genéticas, não é necessário estimar as P305. Assim, os problemas decorrentes dessa estimativa não são levados para dentro das avaliações genéticas. É importante lembrar que as P305 estimadas continuarão a ser enviadas ao criador e este poderá continuar a utilizá-la para o conhecimento de suas matrizes, propaganda do rebanho, etc. Apenas nas avaliações genéticas é que estas não serão utilizadas.

2.2. PROJEÇÃO DA LACTAÇÃO Como se utilizam os controles leiteiros na avaliação genética, não há necessidade de projeção da lactação para a vaca cuja lactação ainda não tenha encerrado no momento da avaliação genética. Na Regressão Aleatória todo o processo é feito em nível genético, baseado no parentesco destes animais com seus familiares e, portanto, considera as diferenças genéticas entre os animais/famílias quanto à persistência da produção na lactação.

2.3. GRUPOS CONTEMPORÂNEOS O Grupo Contemporâneo (GC) tem a finalidade de descrever da melhor maneira possível as condições ambientais (clima, manejo, alimentação) disponíveis quando as vacas estavam em lactação. Assim, nas avaliações genéticas, vacas de um mesmo GC são comparadas entre si como se fosse assumido que elas produziram em um mesmo ambiente (manejo, alimentação). Quando se utiliza a P305, os GC são definidos pelo agrupamento das vacas paridas no mesmo rebanho, ano e estação do ano. Essa definição é relativamente vaga. Por exemplo: uma vaca que tem seu parto no início da estação das águas pertencerá ao mesmo GC de outra que pariu no final das águas. Claramente, a primeira vaca terá a maior parte de sua lactação durante a estação das águas, enquanto que a segunda produzirá a maior parte do tempo durante a estação da seca, ou seja, os animais estarão em ambientes bastante distintos, mas, para a avaliação genética, “o ambiente seria

o mesmo”. Já quando se utiliza a produção no dia do controle leiteiro, o GC é definido como as vacas cujo controle leiteiro foi realizado no mesmo rebanho, ano e dia, ou seja, o GC descreve a condição ambiental que as vacas tiveram em cada controle. Assim, as comparações entre elas são mais “justas” e os valores genéticos são preditos com maior acurácia.

2.4. REGIME ALIMENTAR E USO DE SOMATOTROPINA A somatotropina bovina (bST), em conjunto com o tratamento preferencial, vem sendo aplicada à parte dos animais em diversos rebanhos. Essas informações, juntamente com aquelas sobre o regime alimentar sob o qual os animais estão, têm sido coletadas a cada controle leiteiro realizado nos rebanhos pela ABCZ. A bST é administrada a partir de diferentes estádios da lactação e também durante variados períodos de tempo, de acordo com a decisão do criador. De forma semelhante, o regime alimentar é alterado ao longo da lactação ou das estações do ano e muitas vezes, em um rebanho, se tem vacas de mesmo estádio da lactação sob regimes alimentares diferentes. Isso causa diferenças, que não são de origem genética, nas produções dos animais e, portanto, deveriam ser levadas em conta nas avaliações genéticas. Com o uso da Regressão Aleatória e da produção no dia do controle é possível incluir estas informações nas avaliações genéticas e obter valores genéticos preditos com menor viés e maior acurácia.

2.5. MUDANÇA DE REBANHO DURANTE A LACTAÇÃO Quando se utiliza a P305, vacas que mudam de rebanho durante a lactação (por exemplo, quando são vendidas para outro criador) devem de ter sua produção eliminada das avaliações genéticas, pois a definição do GC é rebanhoano-estação do parto. Caso não fosse eliminada, essa vaca que produziu durante parte de sua lactação em condições diferentes (outro rebanho) seria comparada com outras que permaneceram no rebanho. Na Regressão Aleatória não há a necessidade de eliminação das mesmas, pois a definição do GC está associada ao controle leiteiro e então é possível utilizar todos os controles leiteiros da vaca. Assim, os valores genéticos desses animais e de seus parentes serão preditos com maior acurácia.

2.6. PERDA DE BEZERRO OU DOENÇA Vacas que perdem seu bezerro ou ficam doentes e, com isto, sua lactação é interrompida, têm suas produções eliminadas da avaliação genética atualmente. Na Regressão Aleatória, desde que


mundo leite você.

PUBLIQUE

Existe um de serviços do para

mundo se chama MilkService. Este

A

Estrutura

MilkService presta serviços em lactação (com manejo em três ordenhas a análise do leite para Gor/prot/lact/ST/ESD/ CCS e NU), Central de Doadoras, Hospedagem e preparo de vacas para torneio leiteiro.

• 14 piquetes rotacionados. • 12 baias amplas. • Galpão para equipamentos e ração. • Alojamento para tratadores. • Curral de manejo com brete de contenção e embarcadouro. • Redondel para mostras de animais. • Acompanhamento veterinário diário.

Experiência A MilkService já nasceu contabilizando 20 anos de experiência do seu fundador, o médico veterinário Bento José Ribeiro, em pecuária leiteira.

End.: BR 050 | KM 162 | Sentido Uberaba/Uberlândia | Zona rural a 15 km do Parque Fernando Costa. Tel.: (34) 9960.4649 / (34) 9161.0534 | bentovt@yahoo.com.br

Um mundo de serviços do leite.


Hora da Genética identificado o momento da ocorrência (perda do bezerro ou doença), estas vacas podem ter os controles leiteiros anteriores incluídos nas avaliações genéticas, proporcionando avaliações mais acuradas.

2.7. EFEITO DA GESTAÇÃO Estudos em todo o mundo e também no Brasil (com os dados do Gir Leiteiro) mostram que a gestação influencia a produção. Existem diferenças entre animais e entre lactações de um mesmo animal no que diz respeito ao período parto-concepção (ou período de serviço). Não considerar essa informação na avaliação genética faz com que os valores genéticos sejam superestimados para vacas de longo período de serviço e subestimados para aquelas com o período de serviço curto. O efeito da gestação sobre a produção de leite varia de acordo com o estádio de desenvolvimento do feto, sendo maior nos estádios finais. Em razão desta particularidade, a única maneira de considerar esta informação nas avaliações genéticas é utilizar as produções no dia do controle pois, caso contrário, não há como levar em conta esse efeito gradual da gestação sobre a produção.

todos os animais que participaram da avaliação terão valores genéticos preditos para cada dia da lactação. Assim, para se obter o valor genético predito para a produção acumulada na lactação (VG305), basta somar os valores genéticos preditos para cada dia. Cada animal também terá a sua avaliação para persistência. Como exemplo, são mostrados os valores genéticos de dois touros, A (linha azul) e B (linha vermelha), que possuem VG305 similares (853 kg e 884 kg, respectivamente). Por outro lado, o VG para persistência do touro A é positivo, enquanto que para o touro B este é negativo, o que resulta em diferentes padrões de VG ao longo da lactação.

4. PERSPECTIVAS

Apenas como um exemplo, considere uma curva de lactação padrão compatível com a média da raça Gir Leiteiro. Somando-se a cada produção diária as respectivas PTA (capacidade prevista de transmissão) de cada um dos touros, têm-se as curvas médias estimadas das progênies dos touros A e B. Nota-se claramente o incremento no nível de produção proporcionado pelo uso de ambos os touros. Por outro lado, as filhas do touro A (FA) serão mais persistentes (curvas de lactação com formato mais achatado) quando comparadas às do touro B (FB).

A perspectiva é que os resultados proporcionem embasamento para a alteração da metodologia de avaliação genética do PNMGL para o uso da Regressão Aleatória nas avaliações do ano de 2014.

Em 2013 serão realizadas pesquisas aplicadas à avaliação genética do Gir Leiteiro utilizando-se o modelo de Regressão Aleatória desenvolvido ao longo desses 6 anos de pesquisa (2007 a 2012). As pesquisas serão conduzidas pelo pesquisador Rodrigo Junqueira Pereira, professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e membro do Grupo de Melhoramento Animal de Mato Grosso (GMAT). Também participarão do processo pesquisadores da Embrapa Gado de Leite, da UFMT-GMAT e da APTA.

2.8. PERSISTÊNCIA DA PRODUÇÃO NA LACTAÇÃO Uma característica peculiar dos sistemas de produção de leite a pasto é o limite nutricional à produção de leite máxima dos animais. De acordo com estudos, tal limite se situa em aproximadamente 14 kg/dia para vacas mantidas em sistemas baseados exclusivamente em gramíneas tropicais ou 30 kg de leite/dia para aquelas sob suplementação concentrada em pastagens tropicais manejadas intensivamente. Dessa maneira, no melhoramento genético de bovinos leiteiros voltados para a produção em pastagens tropicais, caso do Gir Leiteiro, uma importante característica a ser melhorada simultaneamente à produção total é a persistência da produção de leite, pois permitiria o incremento na produção por modificação genética do formato da curva de lactação. Desta forma, vacas de maior persistência produzem uma maior quantidade de leite na lactação sem a necessidade de incremento no pico de produção, o qual é limitado nos sistemas de produção baseados em pastagens. A Regressão Aleatória permite que os animais sejam facilmente avaliados para persistência.

3. RESULTADO DAS AVALIAÇÕES GENÉTICAS POR REGRESSÃO ALEATÓRIA Com o uso do modelo de Regressão Aleatória, 64

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

É importante salientar que não são esperadas grandes mudanças na classificação dos animais com essa alteração, mas sim um refinamento no processo de avaliação genética e identificação dos touros, vacas e animais jovens geneticamente superiores.


Hora da Saúde

eite A2 Zzn Peres

é mais um diferencial competitivo do Gir Leiteiro Diferencial na composição proteica do leite produzido por maioria dos animais da raça surge como grande oportunidade de conquista de um novo nicho de mercado e de impulso à sua exploração em maior escala Por Nathã Carvalho

A

pesar de toda sua inegável relevância nutricional, mais recentemente o leite de vaca também tem sido relacionado com alguns problemas de saúde, tais como a intolerância a lactose e a alergia. A intolerância à lactose refere-se à incapacidade, total ou parcial, de o organismo de algumas pessoas em produzir a enzima lactase, responsável pela degradação e digestão 66

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

da lactose, dissacarídeo composto por uma galactose e uma glicose, o que pode acarretar desconforto após o consumo do produto, resultando em dores abdominais, diarreia, produção de gases, entre outros sintomas. Já a alergia, está relacionada a reações imunológicas causadas pela ingestão de alguma proteína do leite. Embora o leite possua diferentes


Zzn Peres

ORIGEM DA ALERGIA

Hoje, as Beta Caseínas podem ser divididas em A1 e A2, embora existam outras frações diferentes desta. Originariamente, todas as fêmeas, inclusive a mulher, produziam somente a proteína Beta Caseína A2, mas uma mutação (alteração genética) alterou a composição proteica do leite produzido por fêmeas bovinas de algumas raças taurinas (Bos Taurus Taurus). Na referida mutação, ocorrida há cerca de 10 mil anos, as vacas de algumas raças passaram a produzir a Beta Caseína A1, como resultado da substituição de um aminoácido na cadeia aminoacídica que a compõe. A troca se deu entre uma Prolina, aminoácido constituinte na Beta Caseína A2, por uma Histidina, constituindo a Beta Caseína A1. Esta, quando quebrada dá, origem a um peptídeo denominado “Beta Caso Morfina 7”, que quando ingerido, pode levar às tais reações alérgicas e até outros problemas de saúde, dependendo do organismo. De acordo com o cirurgião vascular, especialista em medicina ortomolecular e nutrologia, dr. Wilson Rondó, diversos autores afirmam que as Beta Caseínas A1 e seus peptídeos estariam relacionados a uma série de reações alérgicas e doenças como diabetes tipo 1 em crianças, autismo, problemas cardiovasculares, entre outros. “Reagimos de forma e intensidade diferentes em relação a

este peptídeo. Uma criança que possui mais facilidade de eliminar a Beta Caso Morfina 7 vai ter um crescimento muscular mais consistente, portanto, um desenvolvimento intelectual e físico melhor. Já as que possuem dificuldade de eliminá-la, terão um crescimento mais acanhado, além de possibilidade maior de manifestação de algumas doenças”, relata.

“O leite A2 será uma das linhas que a ABCGIL vai explorar na próxima gestão, além da busca de consolidar ainda mais a raça como produtora de leite”

PESQUISAS

Com o objetivo de identificar as vacas portadoras dos alelos associados à proteína relacionada com a ocorrência da alergia, diversas pesquisas por meio de testes de frequência alélica e genotípica foram realizadas em várias matrizes de diferentes raças pelo mundo. Porém, as raças zebuínas (como o Gir Leiteiro) historicamente não foram afetadas pela mutação. No estudo “Identificação de alelos A1 e A2 para o gene da betacaseína na raça Gir Leiteiro”, conduzido pela Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), em parceria com a Unesp Jaboticabal, para avaliar essas características, foram genotipadas 386 vacas Gir Leiteiro de oito rebanhos de São Paulo e Minas Gerais.

José Afonso Bicalho, próximo presidente da ABCGIL.

Os resultados mostraram que o alelo A1 (Beta Caseína A1) é encontrado em baixa frequência no rebanho Gir Leiteiro no Brasil. Esse trabalho revelou que 89% dos animais possuíam frequência do gene A2A2; 5% do A1A2 e 6% do A1A1. Os animais A2A2 produzem somente proteína da beta-caseína do tipo A2. Já os animais A1A1 produzem do tipo A1, e os animais A1A2, dos dois tipos. Tais índices revelaram uma importante oportunidade para o Gir Leiteiro quanto à Zzn Peres

padrões de proteínas, como por exemplo, a α Lactoalbumina, β Lactoglobulina e Imunoglobulina, presentes no soro, e caseínas como a α (alfa), β (beta) e a K (kappa), de acordo com várias publicações, as β (beta) caseínas na maioria das vezes estão frequentemente relacionadas às alergias à proteína do leite de vaca.

Anibal Vercesi, diretor técnico da ABCGIL.

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

67


Hora da Saúde

Zzn Peres

exploração em maior escala com animais puros para o suprimento expressivo de leite A2, o alimento indicado para as pessoas com alergia ao leite de vaca (proteína do leite). A raça se mostra como a principal opção genética para tal objetivo, já que a Guernsey, de origem britânica, considerada, até então, a única taurina com capacidade de produzir leite 100% A2, tem um rebanho muito pequeno em nosso país. “Em minha opinião, esse é o principal argumento de benefício da raça”, comenta o dr. Wilson Rondó. Para o girleiteirista Eduardo Falcão de Carvalho, titular da Estância Silvania, selecionadora de Gir Leiteiro há mais de 50 anos em São José dos Campos, SP, a raça é uma grande ferramenta disponível para lançar o Brasil como potencial produtor de leite A2. “O Gir Leiteiro tem todas as características desejáveis para isso: composição genética adequada

para produção do leite A2, capacidade de produzir leite em condições adequadas para o clima tropical, embasamento técnico que possibilita a seleção e o melhoramento em características desejáveis, longevidade e rusticidade”, diz.

“Somos soberanos na exportação de sêmen de Gir Leiteiro e podemos contribuir para melhorar a qualidade de vida das pessoas do planeta”

PROJETO PILOTO

Eduardo Falcão resolveu apostar em um projeto que busca oferecer um produto diferenciado ao mercado consumidor e, ao mesmo tempo, focar no Gir Leiteiro como raça especializada na produção de leite com valor agregado. O empresário está engajado na implantação da SilvaniA2 Laticínios, com produção de 1.000 litros/dia, a partir de 60 vacas em lactação, mas com perspectivas de aumento. “Também estamos pensando em construir parcerias com produtores de leite através do Gir Leiteiro, para fornecer leite ao nosso projeto, viabilizando ainda mais os custos de produção”, revela.

Eduardo Falcão de Carvalho, da Estância Silvania.

68

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Falcão realizou o teste de frequência alélica e gênica a partir do DNA de seus animais para confirmação dessa característica. “O estudo de viabilidade econômica também se mostrou como uma alternativa interessante para complementar nossa atividade, gerando uma

rentabilidade maior”, diz. No momento, a implantação do projeto está na fase de legalização junto aos órgãos públicos para a obtenção das licenças. Após esta etapa, o objetivo é a instalação do laticínio e o início da industrialização e comercialização dos produtos, que deverá atender à região de São José dos Campos. “Desejamos ter esse produto disponível para o consumo no próximo ano e sua comercialização deverá ser feita com entregas domiciliares e em pontos de venda como supermercados e padarias”, diz Falcão. Várias literaturas citam que em torno de 80% do leite produzido no Brasil é oriundo de animais resultantes do cruzamento de zebuínos, em especial o Gir Leiteiro, com o Holandês. Em virtude destes cruzamentos, inclusive aqueles de rebanhos produzidos por absorção, a frequência do alelo A1 (Beta Caseína A1) na população de Gir Leiteiro é baixa, mas existe, como explica o pesquisador da Agência Paulista de Tecnologia do Agronegócio (APTA) e diretor técnico da ABCGIL, Anibal Vercesi. “Portanto, é necessário genotipar os animais para se ter a certeza do genótipo A2A2 (Beta Caseína A2), o que irá garantir a produção do leite A2”, esclarece. Perguntado se a necessidade de realização do teste de identificação das matrizes produtoras poderia se tornar um entrave para uma possível futura certificação de propriedades produtoras, Anibal Vercesi não teme limitações. “Não creio que o teste seja um entrave. É simples, igual se faz paternidade. As matrizes do rebanho deveriam que ser todas genotipadas e terem o laudo disponível para inspeção. O que teria que garantir seria a honestidade de cada criador, pois uma fraude nesse


Zzn Peres

assunto pode colocar em risco a saúde de quem consumirá este produto”, ressalta, considerando a indispensável seriedade com a causa.

PERSPECTIVAS

Além de sua atuação na medicina, Dr. Rondó também se dedica à seleção de Nelore em sua propriedade localizada em Teodoro Sampaio, SP. Há poucos anos, iniciou seu plantel de Gir Leiteiro e destaca a oportunidade favorável para a raça. “O zebu, especialmente o Gir Leiteiro, está em uma posição privilegiada. Entrei na raça, em função disso. Eu vinha estudando muito esse assunto da alergia à proteína do leite e parti para buscar informações sobre o Gir Leiteiro, pois eu e meus filhos somos alérgicos ao leite. Contatei o Eduardo Falcão e, depois de algumas conversas, fui comprar alguns animais. Fiz um plantel para poder ter queijo e manteiga e passei a usar esse leite para nosso consumo”, conta. “Temos um horizonte a ser explorado. Precisamos enxergar este diferencial”, argumenta. Eduardo Falcão também tem expectativa positiva. “Acredito que o mercado para este tipo de produto é muito grande pelos benefícios que traz e ao crescimento de uma classe de consumidores que se preocupam e valorizam produtos que tragam benefícios à sua saúde. Estamos trabalhando por um produto diferente que vai poder atender a estas pessoas e incluí-las na cadeia de consumidores do mercado lácteo, fato este não possível até então, pois são consumidores de leite de soja ou leite de cabra”, diz. Humberto Tonhati, professor e titular da FCAV-Unesp-Jaboticabal, SP, e membro do departamento de Zootecnia,

Silvio Queiroz Pinheiro, presidente da ABCGIL.

compartilha a perspectiva positiva. “A oportunidade de mercado considerando a raça Gir Leiteiro é bastante favorável, pois a maioria das fêmeas que testamos em nosso laboratório apresenta o genótipo A2A2. A frequência do alelo A2 na raça é cerca de 0,8, portanto, facilita a formação de um rebanho com esta característica”, declara.

OTIMISMO

O atual presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Gir Leiteir, ABCGIL, e selecionador em Uberaba, MG, Silvio Queiroz Pinheiro, também enxerga com otimismo esse campo aberto a ser trabalhado. “Já está comprovado cientificamente que o leite de vacas zebuínas não provoca em nós humanos a reação alérgica. Isto é mais um predicado importante desta raça tão preciosa e abençoada que é o Gir Leiteiro, pois produz com quantidade e qualidade superior. Estes predicados são determinantes na definição da utilização futura das raças leiteiras e certamente

asseguram ao Gir Leiteiro espaço importante para produção de alimento saudável”, destaca. A mesma opinião é compartilhada e acrescentada pelo sucessor de Silvio à frente da ABCGIL, o pecuarista José Afonso Bicalho. “Os primeiros testes nos mostraram o potencial do Gir Leiteiro como produtor de leite A2 em cerca de 90%. É um mercado a ser explorado, pois a raça está bem posicionada nesse aspecto. Temos que pensar no futuro em produzir um leite com a marca Gir Leiteiro. Isso é um sonho. O leite A2 será uma das linhas que a ABCGIL vai explorar na próxima gestão, além da busca de consolidar ainda mais a raça como produtora de leite”, enfatiza.

PRÓXIMOS PASSOS

Para a consolidação do leite A2 no Brasil e dessa oportunidade de exploração para o Gir Leiteiro, algumas ações se fazem necessárias e é exatamente aí que surgem as dúvidas em relação ao foco

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

69


Hora da Saúde do trabalho a ser realizado. Na opinião de Humberto Tonhati, para que este produto seja disponibilizado em maior escala ao mercado é necessário organizar a cadeia produtiva, envolvendo todos os segmentos: os criadores, a indústria e a rede de distribuição. “E, principalmente, ações de marketing para tornar o produto e suas propriedades conhecidas”, acrescenta.

Zzn Peres

Anibal Vercesi também concorda com a realização de uma campanha de marketing junto ao consumidor. “É de fundamental importância este trabalho, ressaltando as qualidades do leite do Gir Leiteiro. Isso não beneficiará só o leite fluído, como também todos os derivados deste leite”, argumenta.

“No que se refere ao leite A2 é necessário, primeiro, uma preocupação com a produção, pois não adianta divulgar ao consumidor sem ter o produto comercialmente à disposição, analisa Falcão. “Precisamos incentivar os criadores de Gir Leiteiro a pensar nesta alternativa e acredito que a ABCGIL e a ABCZ devam participar ativamente deste processo, visando o crescimento do Gir Leiteiro e do Zebu leiteiro como um todo”, acrescenta. Para ele, o projeto pode ser o pontapé inicial para que o Brasil tornese um grande fornecedor deste tipo de produto, inclusive para exportação. “Em outros países a produção de leite advém quase que 100% de raças europeias, que possuem na composição do leite a Betacaseína A1. Portanto, podemos atuar em larga escala nesta produção, utilizando

nosso rebanho para este fim, inclusive como fornecedores de genética”, explica. E é exatamente em relação ao fornecimento desta genética “diferenciada” que se abrem mais novas oportunidades mercadológicas para o Gir Leiteiro brasileiro. “Somos soberanos na exportação de sêmen de Gir Leiteiro e podemos contribuir para melhorar a qualidade de vida das pessoas do planeta. Mas, antes do planeta, temos que pensar em nosso terreno”, explica dr. Rondó. “Acredito que devemos que ter dois trabalhos, um focado no pecuarista e outro, com peso muito maior, na dona de casa. É importante refletirmos que ninguém quer dar para o seu filho um leite que pode provocar alergia, diabetes, autismo e doença cardiovascular, entre outras”, detalha.

SERVIÇO

Wilson Rondó, cirurgião vascular, especialista em medicina ortomolecular e nutrologia. 70

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

De acordo com os pesquisadores Anibal Vercesi, Humberto Tonhati e Gregório Miguel Ferreira de Camargo (doutorando em Genética e Melhoramento Animal, FCAV-Unesp-Jaboticabal, SP, Departamento de Zootecnia), o teste para identificação de animais portadores do alelo A2 foi desenvolvido como um projeto de extensão universitária da Universidade Estadual de São Paulo, Unesp, que está disponível comercialmente. Se o produtor desejar genotipar seus animais, para identificar matrizes produtoras de leite A2, basta enviar, preferencialmente, pelos coletados da cauda do exemplar (com o cuidado de estarem secos e apresentarem o folículo piloso para extração do DNA). O material pode ser colocado em um envelope de papel (amostras individuais) e enviado pelo correio. O custo por amostra é de R$ 60,00. Mais informações, por e-mail: tonhati@fcav.unesp.br.


Galeria Galeria DEFOTOS FOTOS DE

EM AVARÉ E NAS FAZENDAS

Rodrigo, Eduardo e Paulo Yamamoto Flávio, gerente da Fazenda Santa Paula

Luiz Fernando Taranto Neves Carlão, José Naves Junior e Arruda

Na pista

José Mário Miranda Abdo, Evandro Guimarães e Carlão

Denis, da Corona e José Naves Junior

José Naves Junior

Lourdes Tonini

Antônio, da ABCGIL Alambari veio forte para este Expo Avaré

Nathã Carvalho Alex

72

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Carlão ao lado dos brilhantes tratadores da equipe Corona

Adriano Vaz de Lima


Galeria Galeria

DE DE FOTOS FOTOS

Luiz Alberto e Carlão

EM AVARÉ E NAS FAZENDAS

Paulo Yamamoto, Rodrigo Menezes, Carlão e Arruda

Carlão com Augusto Andrade e empresárias da região de Aracatuba, SP

Lilian, do AgroCentro

Carla Tuccilio, do AgroCentro

Antônio, da ABCGIL, Adriano Vaz de Lima, Arruda, Dalila Galdeano Lopes, Carlão da Publique, Pedro Avedis, Paulo Yamamoto e Rodrigo Menezes

Paulo Yamamoto e Dalila Galdeano Lopes

Foto oficial do encerramento da Exposição de Avaré, com a entrega dos troféus de melhor criador e melhor expositor

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

73


Hora da Nutrição

Carlão da Publique / Publique Banco de Imagens

uplementação mineral para Gir Leiteiro a pasto

74

Por Antônio Luiz de Andrade Filho Zootecnista, técnico de Apoio Pesquisa e Desenvolvimento da ABCGIL

Q

uando se fala em desempenho animal, devemos lembrar que os ruminantes necessitam de água de qualidade, proteína, energia, vitaminas e minerais, de forma que o produtor atingia o índice máximo de produtividade. Em relação ao gado a pasto, temos que ressaltar a importância dos minerais na dieta total, já que a maioria das pastagens brasileiras é de baixa qualidade e pobre em minerais e não atende às exigências nutricionais dos animais.

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

A composição mineral da forragem depende de vários fatores, tais como clima, solo, espécie forrageira, maturidade da planta e principalmente a manutenção da mesma. Por estes fatores, faz-se necessária a suplementação mineral. Mesmo nos dias de hoje, ainda encontramos muitas propriedades, principalmente de pequeno porte, que não adotam o manejo de suplementação mineral, principalmente por falta de informação, o que gera um desconhecimento da importância

do mesmo para o desempenho animal, o que afeta não somente as funções produtivas, mas também a reprodutiva. IMPORTÂNCIA DOS MINERAIS A mineralização do Gir Leiteiro tem como prioridade aumentar a produção e melhorar a qualidade do leite, reduzindo a contagem de células somáticas a partir da melhoria da sanidade animal, além da diminuição do intervalo entre partos. Os minerais são considerados essenciais


mesmos têm que obedecer uma relação de aproximadamente de duas partes de Cálcio para uma de Fósforo. Essa relação pode ser mais alta conforme orientação de um zootecnista. Os dois elementos representam 70% do total de minerais no corpo do animal e 90% estão presentes nos ossos e dentes. O Cálcio também participa em grande quantidade na composição do leite, regulagem dos batimentos cardíacos e coagulação sanguínea. Já o Fósforo, participa também na absorção dos carboidratos e na manutenção dos microrganismos do rúmen. DEFICIÊNCIA

para a vida do animal e são classificados em Macrominerais (Cálcio, Fósforo, Magnésio, Potássio, Cloro, Sódio e Enxofre) e Microminerais (Ferro, Zinco, Manganês, Iodo, Selênio, Cobre, Cobalto e Molibdênio) em função da quantidade. Cada elemento exerce uma função de vital importância para a vida do animal, porém um dos fatores de maior impacto na produção leiteira é a relação entre Cálcio e Fósforo, onde os

Um dos maiores problemas na produção de leite a pasto é a deficiência de Fósforo, uma vez que os altos níveis de Alumínio e Ferro acentuam a deficiência do mesmo por formarem complexos insolúveis. Os principais sintomas da deficiência são: redução de apetite, ocasionando perda de peso, fraqueza generalizada, queda na produção de leite, ganho de peso e conversão alimentar, baixos índices de fertilidade e depravação do apetite, o que leva o animal a mastigar pedras, madeiras, ossos, terra e outros. Assim, o animal pode ingerir ossos infectados com Clostridium butulinum e com formação de toxina durante o processo de putrefação, desencadeando um quadro clínico de botulismo e morte. A deficiência de Cálcio e Fósforo causa uma doença chamada raquitismo, ou seja, má formação dos ossos em animais jovens, apresentando inchaço nas juntas e engrossamento das extremidades dos ossos, arqueamento do dorso e enrijecimento das pernas, podendo, em casos mais agudos, apresentar joelhos curvados e pernas arqueadas. Já no caso de animais adultos, causa a osteomalácia: o Cálcio e o Fósforo são retirados dos ossos sem que ocorra reposição, tornando-os mais fracos

e quebradiços, facilitando então o aparecimento de fraturas. A exigência desses minerais é maior no final da gestação e durante a lactação. SUPLEMENTAÇÃO Atualmente existe uma gama de produtos comerciais para atender às exigências nutricionais do Gir Leiteiro, independente da fase produtiva em que o animal se encontra. Estão disponíveis na forma de núcleos, que podem ser inseridos na formulação do concentrado, e na forma de sal mineral, que será fornecido separadamente no cocho. A localização do cocho de sal deverá ser estratégica, facilitando o acesso, tanto para o animal, quanto para o vaqueiro, com fornecimento constante, de forma a evitar a chamada “síndrome do cocho vazio”. A melhor forma de obter bons resultados com a suplementação mineral é solicitar uma visita técnica para avaliação da propriedade, que indicará o produto que mais se adequa à realidade da atividade. CONSIDERAÇÕES FINAIS Diante da importância da mineralização e dos impactos causados pela não utilização da mesma na produção de leite, entende-se que a utilização dessa tecnologia simples e eficaz tornouse necessária para perpetuação da atividade leiteira, já que este manejo resulta em uma relação custo benefício muito favorável, aumentando os índices zootécnicos. Essa prática torna viável economicamente a atividade leiteira, desde que associada a uma boa disponibilidade de alimento sob a forma de pasto, tanto de gramíneas, quanto de leguminosas de boa qualidade, além da suplementação com concentrados energético-proteicos.

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

75


Hora do Manejo

apetuba Leite,

o Gir Leiteiro é o motor desta engrenagem.

Sr. José Antonio da Silveira, fundador da Xapetuba Agropecuária e seu filho Thiago da Silveira. 76

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013


Zzn Peres

O engenheiro civil José Antonio da Silveira nasceu em Uberaba, no Triângulo Mineiro, e desde jovem sempre esteve muito ligado às coisas do Zebu. Até 1998, tinha algumas vacas Gir, que se viu obrigado a passar adiante para dar conta de aumentar a área de sua atual propriedade. Mas, como se sabe, uma vez instalado no ser humano, o vírus da nobre raça de origem indiana jamais vai embora. Dez anos depois, em 2008, ele decidiu retomar a seleção da raça e a encontrou num estágio muito mais avançado de desenvolvimento, graças ao PNMGL, Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro.

S

ilveira trouxe de sua consagrada carreira profissional na EletroNorte, onde implantou, dentre outras obras, a Usina de Tucurui, uma larga experiência no planejamento e implantação de grandes projetos e, com certeza, usou e tem usado toda esta bagagem para criar a estrutura do que hoje o mercado conhece como Xapetuba Agropecuária.

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

77


Hora do Manejo muito capim. A Xapetuba é mais que uma fazenda. É uma unidade agroindustrial. Descubro isso antes de sair do carro. Ainda na entrada, o visitante encontra um portal sanitário, aonde todos os automóveis que entram tem que levar um banho para desinfecção total. Thiago vai falando, mostrando e explicando de maneira muito simples o porquê da escolha de cada uma das atividades. Na busca por negócios que

Jovem casal. Ambos trabalham no bezerreiro.

agregassem muito faturamento dentro de pouca área, chegaram a instalação da Granja de Suínos, dedicada à produção de 80 mil leitões por ano, a partir de 3000 matrizes parideiras, parceria Zzn Peres

Sua primeira providência foi a busca por um gestor que tocasse o dia-adia do negócio. O escolhido foi seu filho Thiago, um jovem talento. Você descobre isso logo de cara quando ele começa a falar sobre os projetos nos quais vem trabalhando nos últimos anos. Entre o caminho do nosso hotel em Uberlândia e a sede da Xapetuba Agropecuária não gastamos mais do que meia hora. Tempo suficiente para descobrir um mundo de coisas sobre os Silveira que explicam, em grande parte, o sucesso que eles têm alcançado em todas as atividades exercidas: na exploração altamente profissional dos 426 hectares da fazenda homônima desta pequena região do triângulo, que em tupi guarani quer dizer terra de

Bezerreiros: instalações simples e funcionais. 78

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013


estabelecida com a BRFoods. É o negócio principal da fazenda e ocupa uma equipe de 32 pessoas. Também se dedicam à avicultura, com capacidade instalada para 50 mil frangos, também entregues à mesma companhia. “Buscamos sempre parcerias sólidas, duradouras e que agreguem valor a todos os envolvidos”- diz entusiasmado Thiago. A Xapetuba construiu uma trajetória de muito sucesso na seleção do simental e com base neste rebanho também deu vida a outro negócio, gerador de receita e prestígio para a propriedade ao longo de muitos anos: o banco de receptoras para atender ao mercado crescente de TE e FIV. Reconhecida por suas receptoras de alta qualidade, quando este negócio começou a saturar e as margens ficaram apertadas, Seu José Antonio e Thiago perceberam que tinham em mãos ouro em pó para iniciar um projeto profissional de produção de leite em larga escala, que possibilitasse aumentar, no curto prazo, a sua receita por hectare. Nascia assim o projeto Xapetuba Leite, que em 2020 pretende chegar aos 20 000 litros a cada 24 horas. A experiência de José Antônio, acostumado a grandes obras, possibilitou a implantação, dentro da própria fazenda, de uma fábrica de Pré-Moldados, feita apenas para atender as necessidades de construções internas, primeiro os barracões voltados para a Suinocultura e Avicultura e em seguida para a estrutura do leite, que neste mês de abril de 2013, já está produzindo mais de 6.000 litros diários. Seu José Antonio é um homem atento a tudo. Caminha pela fazenda e observa cada movimento, cada passo dos trabalhadores das obras, dos tratadores, pergunta de maneira direta e objetiva

OS NÚMEROS DA XAPETUBA, em abril de 2013 426 hectares 25 doadoras Gir Leiteiro 200 fêmeas Gir Leiteiro 300 matrizes Girolando em produção 200 novilhas Girolando prenhas 500 bezerras Girolando 6.000 litros de leite por dia 3000 matrizes suínas 80.000 leitões/ano 400.000 frangos/ano 50 matrizes Simental 120 hectares de milho para silagem 45 hectares de cana para silagem 40 hectares de pastagens de tifton

INDÍCES ZOOTÉCNICOS, de março de 2012 a fevereiro de 2013 Duração média da Lactação: 343 dias Produção média da Lactação: 1ª cria: 6.551 kg (344 lactações avaliadas) 2ª cria: 7.615 kg (81 lactações avaliadas) Intervalo entre partos: 13,1 meses Idade ao 1º parto: 26,4 meses

META PARA 2020: 20.000 litros por dia

e gosta de ouvir respostas na mesma sintonia. É o olho do dono que faz a diferença. O visitante mais atento logo vai notar isso. Assim, os Silveira perceberam que para avançar no Leite de qualidade e com quantidade, a equação só fecharia fazendo uso intensivo, via FIV, da genética do moderno Gir Leiteiro. Iniciaram adquirindo um plantel de poucas e excelentes doadoras nos principais centros de seleção da raça, como a Fazenda Mutum, Calciolândia, Brasília,Vila Rica, JMMA, Kubera dentre outras e multiplicaram esta genética. Hoje, a família possui um rebanho

consagrado na seleção do Gir Leiteiro e no Girolando, a marca Xapetuba está em terceiro lugar no ranking nacional 2011/2012. Mas jamais se desviaram do foco principal: produção de leite e genética. “Nosso negócio é produzir leite com qualidade e quantidade. Entendemos desde o princípio que isso só seria possível com a utilização do melhor do Gir Leiteiro. A raça é a chave para produzir animais de diversos graus de sangue produtivos, longevos e totalmente adaptados às nossas condições de manejo”. Em pouco mais de 4 anos, os Silveira criaram um rebanho próprio de cerca Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

79


Zzn Peres

Hora do Manejo

Padrão das casas dos funcionários e Centro de Manejo ao fundo.

de 1.000 fêmeas Girolandas, todas elas oriundas das 25 melhores matrizes do rebanho Gir Leiteiro da fazenda. A média diária atual das matrizes em lactação supera os 23 kg de leite.

Chegar neste estágio de seleção só

foi possível porque a fazenda conta com uma equipe altamente eficiente, treinada e capacitada constantemente para fazer frente aos desafios impostos. Existe a consultoria permanente da empresa Applic, fundada e dirigida pelo conceituado Dr Cassimiro César de Castro, que responde por parte da área de reprodução, realizada na fazenda de 15 em 15 dias. O Dr. Cassimiro e sua equipe também trabalham na aferição e avaliação da dieta, produção e dos

Zzn Peres

Hoje, na Xapetuba, as vacas Gir leiteiro também estão totalmente adaptadas ao sistema de ordenha mecânica, pondo fim a um velho mito de que as matrizes puras não são adaptáveis a este sistema de manejo, inclusive sem bezerro. É

maravilhoso ver uma sala de ordenha tão colorida quanto à da Xapetuba. E mais importante ainda é ver a real contribuição que as matrizes Gir Leiteiro estão dando para o sistema de produção de leite no Brasil, seja em projetos de larga escala, como os da Xapetuba, seja em propriedades pequenas, onde a contribuição do Gir Leiteiro é ainda mais relevante.

Sr. José Antônio e Thiago da Silveira: meta de produção de 20 mil litros/dia em 2020. 80

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013


Zzn Peres

resultados, sempre observados de perto por Thiago e pelo seu José Antonio. É Thiago quem diz aonde precisa melhorar: “Eu acho que precisamos colocar metas de desempenho no sistema de produção a pasto. Precisamos melhorar o intervalo entre partos, melhorar a qualidade dos úberes, melhorar os índices reprodutivos. Aqui, fazemos isto sistematicamente.” E acrescenta: “a base de tudo isso é ter uma equipe bem formada, motivada,

aguerrida. Damos preferência por contratar colaboradores com a família toda e oferecemos a eles condições de trabalho, moradia e lazer para que desenvolvam ao máximo suas habilidades. Talvez o leitor se pergunte. Porque essa meta de 20 mil litros só em 2020 e não antes? A resposta é simples. O mercado é fortemente comprador para os produtos Xapetuba e os Silveira

não abrem mão de chegar lá apenas com um rebanho de marca própria. ”A procura por nossas bezerras, novilhas e matrizes de diversos graus de sangue Gir Leiteiro é intensa e não podemos abrir mão desta receita importante para custear todo o investimento que estamos fazendo”. Na Xapetuba, é do couro que se faz a correia. E o Gir Leiteiro é o coração dessa engrenagem.

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

81


Núcleos

Expansão do Gir Leiteiro: o foco das regionais Associações e núcleos potencializam atividades para difundir a raça Em diferentes regiões do Brasil, as entidades promocionais do Gir Leiteiro, cada uma com suas peculiaridades, desempenham importante função no desenvolvimento da raça. O que todas têm em comum é o mesmo objetivo: Impulsionar a expansão desses animais em seus territórios. São exposições, dias de campo, provas de desempenho, workshops, investimentos em mídia, alianças de fomento,

APCGIL - SP

- Gestão marcada por muitas conquistas e realizações

Zzn Peres

Durante o triênio desta primeira gestão, período de 2010 a 2013, aconteceu a 1ª PGLP – Prova de Gir Leiteiro a Pasto do Brasil, em parceria com a FMVZ/ USP e o apoio técnico da ABCZ e ABCGIL. Foi realizado o 1º Leilão Virtual Chave de Ouro APCGIL, o 1º Workshop APCGIL “Gir Leiteiro, Leite Sustentável”, durante a Feileite 2010. Durante os três anos foram realizadas diversas ações de marketing. Criada a licença de uso da logomarca da entidade nas campanhas de marketing das fazendas associadas, marca e identidade visual da marca; realizadas campanhas de propaganda nas mídias: Revista Gir Leiteiro, DBO Rural, AG, Agro Guia – Folha de São Paulo e revista AgroRevenda; além da criação do site da entidade (www.girleiteiropaulista. com.br) , perfil do facebook e twitter da Associação. Carlos Alberto da Silva, presidente da APCGIL em discurso na Noite de GalAPCGIL, realizado durante a Feileite 2012.

82

entre outras atividades realizadas com o afinco de disseminar a genética cada vez mais consolidada quando se fala em eficiente produção de leite a pasto. Com o apoio da ABCGIL, as associações parceiras promovem a cada dia as potencialidades do Gir Leiteiro, conquistando novos criadores e, como resultado, a conquista de novas fronteiras país afora.

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

As parcerias também foram marcadas

por grandes empresas, como Dow AgroSciences, C.R.I. Genética, Belgo Bekaert Arames, Tortuga e Grupo Publique. Os Dias de Campo e palestras técnicas em propriedades e instituições de pesquisas e associações regionais também contaram com parceiros importantes. Além de apoio técnico e comercial em parceria com empresa especializada, a APCGIL também contou com apoio na divulgação das exposições do Ranking Paulista do Gir Leiteiro. Além da realização e participação em grandes eventos: Exposição Regional do Gir Leiteiro de Avaré – EMAPA 2010/2011/2012; Noite de GALAPCGIL – Festa de Premiação do Ranking Paulista do Gir Leiteiro (Feileite 2012), Fórum Paulista do Gir Leiteiro, Ponto de Encontro do Leite – Feileite 2010 e 2011; participação e estande na Feileite 2012.


Publique


Publique


Núcleos A eleição do novo conselho de coordenação para o triênio 2012/2015 aconteceu durante o evento que aconteceu em Estrela (RS), para comemorar os três anos de existência do Núcleo Gaúcho de Criadores de Gir Leiteiro no dia 1º de dezembro do ano passado. Na ocasião houve também a divulgação e premiação dos vencedores da segunda edição do Ranking Gaúcho do Gir Leiteiro (RGGL) que contou com a participação de mais de 110 exemplares em cinco etapas. Por unanimidade o criador José Adalmir Ribeiro do Amaral foi reeleito coordenador. Já, o produtor Jairo Gorczevski, da Fazenda Lobo Guará de Muitos Capões/RS assume a vice coordenação. Na divulgação dos vencedores do RGGL, Na disputa individual de machos, o título de melhor macho da raça no estado foi para “Apolo das Nogueiras”, de José Adalmir Ribeiro do Amaral, da Fazenda das Nogueiras de Caxias do Sul, que acumulou 752 pontos. Entre as fêmeas jovens, a Fazenda das Nogueiras de José Amaral também obteve destaque com “Bela Fiv das Nogueiras”, a melhor fêmea jovem do ranking com 489 pontos. Da Agropecuária Fortaleza de Carlos Jacob Wallauer de Triunfo/RS, se origina a melhor fêmea adulta 2012. Trata-se de “Liliana”, que somou 752 pontos. Entre os expositores, Carlos Jacob Wallauer da Agropecuária Fortaleza somou 4774 pontos,

Nathã Carvalho / Publique Banco de Imagens

NGCGL - RS - Entidade elege conselho para o novo mandato 2012/2015 e anuncia vencedores do Ranking 2012

Vencedores do Ranking Gaúcho 2012.

ficando pela primeira vez em primeiro lugar como expositor. Em seguida, com 4721,2 pontos ficou José Adalmir Ribeiro do Amaral da Fazenda das Nogueiras de Caxias do Sul/ RS. Álvaro Bombonatto do Sítio Santo Antonio de Nova Alvorada/RS ficou em terceiro, acumulando 1945,2 pontos. Carlos Jacob Wallauer também venceu pela segunda vez, a disputa de criadores ao somar 4999 pontos. Em segundo lugar, com 3394 pontos, ficou José Amaral da Fazenda das Nogueiras. A 3ª edição do Ranking Gaúcho do Gir Leiteiro

2013 terá início dia 29 de abril, quando começa a 16ª edição da Fenamilho - Feira Internacional do Milho em Santo Angelo/ RS. Além da realização do RGGL, o Núcleo Gaúcho mantém seu foco em aprimorar a implantação do controle leiteiro entre os criadores gaúchos, bem como o fomento à utilização da raça em cruzamentos. Para a próxima Expointer, entre 24 de agosto e 01 de setembro em Esteio/RS, está prevista a 4ª Exposição Gaúcha de Gir Leiteiro e a 1ª Mostra Oficial de Girolando.

AMCGIL - MG - Metas para impulsionar a raça em 2013

86

A AMCGIL – Associação Mineira dos

continuidade ao convênio com a PUCMINAS.

em agosto, todas ranqueadas pela ABCGIL,

Criadores de Gir Leiteiro traçou importantes

Estão previstas 25 vagas para os criadores

também fazem parte do planejamento da

metas para potencializar o desenvolvimento

associados à AMCGIL. Os animais deverão

entidade, além ainda, da realização nas

da raça no Estado este ano. Entre elas,

ser encaminhados à Fazenda Experimental da

exposições que fomentam o Torneio Verde.

destaca-se a divulgação dos resultados da 1ª

PUC (Esmeraldas/MG) até 5 de junho deste

De acordo com o presidente Luciano Ferraz,

Prova de Primíparas Gir Leiteiro, realizada

ano, com parto previsto para o período entre

“a expectativa é a sustentabilidade da raça com

em convênio com a Pontifícia Universidade

15/6 e 15/9 deste ano. As exposições de Pará

aumento do número de exposições e criadores.

Católica de Minas Gerais (unidade Betim).

de Minas em abril, Curvelo em maio, Belo

Também o compartilhamento dos dados da

Também fazem parte dos planos, a realização

Horizonte em junho, Governador Valadares em

prova de leite e manejo com as associações

da 2ª Prova de Primíparas Gir Leiteiro, em

julho, Sete Lagoas em agosto, e Itabira também

parceiras e filiadas à ABCGIL no Brasil”.

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013


O Zebu é a nossa vida. É aqui que você acompanha essa genética de ponta a ponta. VENHA VISITAR A CASA DO TERRAVIVA NA 79ª EXPOZEBU

Acesse: www.tvterraviva.com.br


Núcleos ACRIGIL - MS - Realizada a 4ª edição da Exposição Estadual do Gir Leiteiro em Campo Grande/MS A Associação dos Criadores de Gir Leiteiro de Mato Grosso do Sul realizou entre os dias 14 e 17 de abril a 4ª Exposição Estadual do Gir Leiteiro. O evento aconteceu durante a 75ª ExpoGrande no Parque de Exposições Laucidio Coelho, em Campo Grande/MS. No julgamento, realizado pelo jurado baiano Nívio Bispo, a matriz “Flama Parahy” foi escolhida como a Grande Campeã. Ela pertence ao criador Carlos Jacob Wallauer, da Fazenda Belas Artes de Rio Brilhante/ MS. Do mesmo criador, veio a reservada, chamada Legítima FIV. Wallauer saiu da exposição como o melhor criador e melhor expositor. Denilson de Souza, do Gir e Girolando Pantanal ficou em segundo lugar e José Henrique Fugazzola de Barros ficou em terceiro lugar como o melhor criador e expositor da exposição de Gir Leiteiro de Campo Grande em 2013. Entre os machos, o Grande campeão foi o animal Darin Fiv Cal

( Radar dos Poções X Perfumada da Cal), do criador Eduardo Folley Coelho e o reservado foi Nítido (Vaidoso da Silvânia X Lívia Cal 6.702 kg), de Carlos Jacob Wallauer. No torneio leiteiro a campeã foi a vaca Juma (CA Sansão X Proteína de Brasília), que produziu a média de 35,460 quilos de leite nos três dias de torneio. A reservada campeã, Flama da Parahy (Jaguar TE do Gavião X Caprichosa Fiv Parahy), produziu 34,840 quilos de leite de média, ambas de Carlos Jacob Wallauer. O certame de produção em Campo Grande foi disputado por três criadores, Carlos Jacob Wallauer, Denilson Lima de Souza e Vitor Miotto Oliveira, que levaram para a disputa seis animais. A novilha Monumental Fiv (Vaidoso X Planta da Cal), de Carlos Jacob Wallauer, foi a campeã do torneio leiteiro categoria fêmea jovem com produção média de 27,647 quilos de leite.

Cartaz da Exposição Estadual do Gir Leiteiro, MS.

ATOCGIL - TO - Qualidades e evolução da raça impulsionam ações Neste ano de 2013, os membros da ATOCGIL estão cada vez mais convencidos da necessidade da raça Gir de aptidão leiteira, seja como raça pura, seja no cruzamento vitorioso com o Holandês. Segundo o presidente da ATOCGIL, Napoleão Machado Prata, “numa pecuária moderna, quase que estritamente tropical, não há como pensar em leite, sem pensar na rusticidade do Gir Leiteiro”. Na mesma linha, o diretor técnico Juliano Franco de Souza relembra rapidamente a história da raça e questiona: “Como Nelore assumiu desde a década de 60 seu papel de raça produtora de carne, é merecido e muito interessante que ele tenha tirado este mérito do Gir Leiteiro,

88

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

devolvendo à raça sua verdadeira e principal característica, a produção de leite. Graças ao Nelore na carne, hoje temos o Gir Leiteiro no leite, em franca expansão, com todos os méritos possíveis, longe de criar um substituto a altura e padrão leiteiro do Gir”, argumenta. Em 2013, o dr. Juliano Franco de Souza estará publicando alguns trabalhos científicos que comparam a raça Gir Leiteiro e correlacionando a quantidade de oócitos, embriões e prenhezes em outras raças zebuínas. Desta forma, teremos, com maior sapiência, um comparativo entre estas raças e quebraremos paradigmas que,

tempos atrás, configuravam a raça Gir como uma raça não muito fértil. Segundo o dr. Juliano Franco, o Gir é muito produtivo e muito precoce reprodutivamente, quando comparado a outras raças zebuínas. Nos seus ensaios científicos, já há indícios claros até de superioridade com relação a doadoras Gir e com as taxas de prenhez que se têm mostrado maiores que das outras raças zebuínas. Veremos os resultados ainda wm 2013. A ATOCGIL também espera, nas exposições circunvizinhas de Araguaína, reunir criadores e fazer com que o circuito de 2013 seja ainda melhor que o de 2012.


Núcleos ARCGIL - RO - Assina Protocolo de Intenções durante a Feileite Zzn Peres

Durante a Feileite – 5ª Exposição Internacional do Gir Leiteiro, a ARCGIL – Associação Rondoniense dos Criadores de Gir Leiteiro, assinou Protocolo de Intenções com a ABCGIL. O objetivo da iniciativa foi a conjugação de esforços na execução de ações e apoios mútuos para o desenvolvimento da raça Gir Leiteiro em Rondônia. O foco principal é o melhoramento genético do seu plantel do Estado, através da implementação do PNMGL – Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro, contribuindo para a produção de matrizes mestiças e o incremento da produção leiteira. Estiveram presentes na assinatura do Protocolo de Intenções o presidente da ARCGIL, Manoel Gonçalo de Magalhães; o diretor técnico da entidade, Paulo Moreira; o diretor financeiro e membro da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, Fecomércio Rondônia, José Ramalho de Lima; o assessor técnico do Senar – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, Administração Regional de Rondônia, Obedes Queiroz; o presidente da ACGZ – Associação dos Criadores Gaúchos de Zebu e presidente do Núcleo Gaúcho de Criadores de Gir Leiteiro, José Amaral; o diretor técnico da ABCGIL, Aníbal Vercesi; o Coordenador Operacional do Programa Nacional do Melhoramento do Gir Leiteiro, André Rabelo; e o presidente da ABCGIL, Silvio Queiroz Pinheiro.

Gir Bahia - Núcleo de Criadores de Gir da Bahia tem nova diretoria

90

Em novembro do ano passado, foi eleita a

Neto; o 2º secretário, Perivaldo Machado de

seguintes membros: Gustavo Adolfo

nova diretoria do Núcleo dos Criadores de

Vasconcelos; o 1º tesoureiro, Joaquim Souto

Teixeira

Gir da Bahia para o biênio 2012/2014, sob a

Neto; o 2º Tesoureiro, Adriano Tenório Diniz

Vandivaldo Gomes de Sousa, Evilásio

presidência de Edvaldo Brito Filho e a vice-

Gonçalves; e o diretor técnico, Luiz

Bastos Chaves e os suplentes, Alberto

presidência de Jaymilton Gusmão Cunha

Augusto Macedo Leal. Para integrar

Lopes Gusmão, Francisco Peltier Filho e

Filho. O 1º secretário é Lourenço Nascimento

o Conselho Fiscal, foram eleitos os

Davi Correia de Freitas.

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Tenório

de

Albuquerque,


ACGIL - MT - Mato Grosso ganha nova entidade do Gir Leiteiro Divulgação

Fundada em 2013, com sede no Parque de Exposição Jonas Pinheiro, em Cuiabá, MT, a ACGIL-MT - Associação dos Criadores de Gir Leiteiro do Estado de Mato Grosso é presidida pelo girleiteirista Getúlio Vilela de Figueiredo. O objetivo da mais nova entidade ligada à ABCGIL é promover e intensificar o desenvolvimento do Gir Leiteiro no Estado de Mato Grosso, realizar e fomentar cursos, treinamentos e outros eventos, bem como a pesquisa e assessoramento técnico sobre assuntos de interesse dos associados. A ACGIL-MT estará presente na 49ª Expoagro

(Exposição Agropecuária

de

Cuiabá), que acontecerá no período de 4 a 14 de junho, e promoverá exposição de animais, julgamento e torneio leiteiro.

mes • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Anima

Getúlio Vilela, presidente da ACGIL - MT.

adores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção P

• Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classis

ncos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Semen

stemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamen PUBLIQUE

NovaExpo

ontadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensi

colas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de ges

ames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Anima

adores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção P

• Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classis

ncos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Semen

9, 10 e 11 de Setembro 2013 Feira de produtos e serviços para Royal Palm Plaza | Campinas - SP revendas agropecuárias colas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de ges

stemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamen

ontadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensi

ames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Anima

adores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção P

O maior evento do setor de distribuição de produtos agroveterinários do Brasil

• Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classis

ncos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Semen

stemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamen

ontadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensi

colas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de ges

ames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Anima

adores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção P

• Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classis

ncos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Semen

stemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamen

ontadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensi

colas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de ges

ames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Anima Apoio:

Realização:

adores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção P Informações de Cotas e Patrocínio:

• Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classis

(11) 9.9542.2731 • francisco.oliveira@canalrural.com.br

ncos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamentos • Montadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Semen com Francisco Oliveira Revista Gir Leiteiro 2013 |||| 91 stemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensivos Agrícolas EPI - Equipamentos de Proteção Pessoal • Ferramentas • Implementos e Equipamen

ontadoras de veículos • Nutrição Animal • Operadores Logísticos • Saúde Animal • Sementes • Sistemas de pagamento • Sistemas de gestão • Arames • Associações e Entidades Classistas • Bancos e Instituições Financeiras • Defensi


Bate-papo na Cocheira

OCAÇÃO PARA O LEITE Carlos Jacob Wallauer, reconhecido selecionador de raças leiteiras, destaca-se no cenário nacional por criar Gir Leiteiro e Girolando no Sul e no Centro-Oeste

C

Nathã Carvalho / Publique Banco de Imagens

Por Nathã Carvalho

92

arlos Jacob Wallauer é natural de Salvador do Sul (RS), onde de reside até hoje. Aos 69 anos, casado com dona Norma e pai de quatro filhos, tem seu nome bastante conhecido entre os criadores de Gir Leiteiro. Sempre simpático e atencioso, ele nos recebeu em uma de suas propriedades, a Agropecuária Fortaleza, de Triunfo, município próximo à capital Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e contou sobre sua aproximação com o

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

agronegócio. “Meu pai e meus irmãos não eram do campo. Esse envolvimento se deu por ideia minha”, disse. A primeira propriedade adquirida foi a Agropecuária Fortaleza de Salvador do Sul, em 1996. Lá, iniciou a exploração da atividade leiteira, iniciando a sua criação de bovinos da raça Jersey. Posteriormente, a Fortaleza passou a ter outra unidade, localizada em Triunfo. Carlos Wallauer iniciou os trabalhos de seleção de bovinos de corte, com

o Limousin. Nesta raça, ele se tornou uma grande referência para a Região Sul. Investiu em genética de ponta, preconizou em sua seleção a busca por animais diferenciados e passou a ser um nome forte em exposições como a Expointer, em anos áureos da raça francesa por lá, de participação maciça na pista de julgamento e em leilões arrebatadores em Esteio. Paralelo ao Limousin, também participou e participa até hoje ativamente do evento com animais da raça Jersey, sempre com


até lá conversar com o proprietário da fazenda. Ele me indicou uma conversa com um técnico da ABCZ na região, que me informou sobre a existência de um plantel à venda”, lembra. Sem ter a ciência da diferença entre Gir e Gir Leiteiro, foi até o tal criatório, na cidade de Passo de Mina,s disposto a conversar com o criador e, quem sabe, comprar “uma carga” de animais. Motivado pela beleza e pela docilidade da raça, acabou comprando duas cargas, de Gir padrão. “Comprei todo o plantel, formado por 115 animais” conta.

excelentes resultados, como o grande campeonato de machos da raça na Expointer e na Feileite do ano passado. Em 1999 adquiriu, em Rio Brilhante (MS), a Fazenda Belas Artes. Vacas da raça Nelore e algumas mestiças usadas para o leite constituíam o rebanho bovino. Porém, a história de Carlos Wallauer no Gir Leiteiro começa a partir de um passeio feito por ele em Araxá (MG), em 2003, quando passou por perto de uma propriedade criadora de Gir. “Fui

Aos poucos foi percebendo que os animais adquiridos não eram “leiteiros”. “Como sempre tive a inspiração para o leite, comecei a buscar a genética Gir Leiteiro”. Em 2006 foi até a seleção da família Peres, a Fazenda Brasília, em São Pedro dos Ferros (MG), para a aquisição das primeiras matrizes. “Comprei outros animais de lá e passei a participar dos leilões, adquirindo animais da Fazenda Mutum, Calciolândia, entre outros”, recorda o pecuarista. A partir daí, o seu nome passou a se tornar marcante nos remates da raça, com constantes investimentos. Ele revela que das aquisições realizadas a mais significativa foi a compra da “Tieta de Brasília” e da “Charmosa de Brasília”, que continuam até hoje no plantel Belas Artes produzindo muitos descendentes de destaque. Sobre animais que considera especial, Carlos Jacob Wallauer cita o nome de “Planta TE da Cal”, doadora grande campeã nacional do torneio leiteiro da Megaleite, adquirida no 1º Leilão Pilares do Gir Leiteiro em 2009, em parceria com a Fazenda Calciolândia, por R$ 645.000,00, recordista do evento. Ele também destaca alguns criadores tradicionais da raça que se tornaram grandes amigos e incentivadores de sua seleção, como Gabriel Donato de

Andrade e Jordane Silva, Léo Machado Ferreira, Joaquim Noronha (Kinkão), Eduardo Falcão de Carvalho, Luiz Evandro Aguiar, Renato Caetano Borges, João Machado Prata Júnior, José Mário Miranda Abdo, entre outros. Na Fazenda Belas Artes, Wallauer também cria e seleciona Girolando. Participa fortemente de exposições como a ExpoGrande, em Campo Grande (MS), sempre conquistando grandes campeonatos nas pistas e nos torneios leiteiros com o propósito de fomentar a raça, que na sua opinião, vem evoluindo constantemente de forma muito satisfatória. “O Gir Leiteiro está no caminho certo, pois a sua evolução genética é a base para a formação do Girolando. O crescimento zootécnico da raça foi muito bom, pois o trabalho de entidades como a Embrapa e a Epamig tiveram importância relevante neste processo”, afirma.

FORÇA DO NÚCLEO GAÚCHO Com a fundação do Núcleo Gaúcho de Criadores de Gir Leiteiro (NGCGL), em dezembro de 2009, Carlos Wallauer se motivou a iniciar um trabalho de seleção com a raça no Estado. Diminuiu o plantel Limousin e deu lugar para a sua vocação de selecionar gado de leite trazendo matrizes de Rio Brilhante e,assim, dando os primeiros passos em busca da formação da seleção Fortaleza Gir Leiteiro. “O trabalho com o Gir Leiteiro nesta região foi impulsionado em função do Núcleo e de seus criadores, que desde o início demonstraram muito entusiasmo, comprometimento e união em prol da raça, o que fez e faz toda a diferença para a sua expansão”, salienta. Embora rebanhos de Gir existam há muitos anos em solos gaúchos, a história do Gir Leiteiro no Rio Grande

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

93


Bate-papo na Cocheira do Sul é bem mais recente. Mesmo assim, o Estado ocupa a segunda posição em comercialização de sêmen de Gir Leiteiro no País, por pelo menos quatro anos consecutivos (2009, 2010, 2011 e 2012), com mais de 50 mil doses vendidas a cadal, conforme os dados da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia), o que demonstra a disseminação da raça. Wallauer ainda figura como o pioneiro na realização do controle leiteiro oficial da ABCZ no Rio Grande do Sul, com a primeira pesagem realizada em abril de 2010, em sua propriedade.

Nathã Carvalho / Publique Banco de Imagens

A trajetória do Gir Leiteiro no Rio Grande é alicerçada basicamente a

94

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

partir do trabalho desenvolvido pelo NGCGL. A entidade, que já tem três anos de existência, já promoveu três grandes participações na Expointer. A edição de 2012 ultrapassou o número de 100 animais participantes, todos de expositores gaúchos. Otimista, Wallauer avalia o trabalho do núcleo como positivo e ressalta o alcance das expectativas. “Estamos vendendo bem, com bons resultados em quase quatro anos de trabalho. Quanto à atuação do NGCGL, podemos fazer as melhores referências, graças à diretoria e aos sócios, que são muito parceiros, companheiros e colaboradores, projetando a raça a crescer muito ainda”, destaca. Ele acrescenta o início do trabalho de

seleção também com a raça Girolando. A Agropecuária Fortaleza sediou, no último 9 de março, o 1º Encontro Técnico da Raça Girolando no Rio Grande do Sul, uma ação conjunta entre o NGCGL e a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando. Na oportunidade, foram registrados os exemplares de Carlos Wallauer, que deverão ser expostos na próxima Expointer, juntamente com animais Gir Leiteiro e Jersey. Apesar dessa recente trajetória do Gir Leiteiro gaúcho, a Fortaleza Gir Leiteiro iniciou suas participações na Expointer em 2010, durante a primeira exposição da raça, e já conquistou o grande campeonato de machos com “Maguari”.


Em 2011 e 2012 faturou os grandes campeonatos de fêmeas, com “Senadora TE da Cal” e “Liliana”, respectivamente. Além deste tri grande campeonato em Esteio, Carlos Wallauer já acumula o título de melhor criador do Ranking Gaúcho do Gir Leiteiro 2011 e de melhor criador e melhor expositor do Ranking Gaúcho do Gir Leiteiro 2012. “Essas conquistas são o resultado da nossa aposta no Gir Leiteiro gaúcho. Trabalhamos com os melhores touros, multiplicando as principais matrizes, focando sempre o leite. As conquistas com o ranking são motivos de muito orgulho, pois é muito gratificante chegar a esse resultado, pois nos incentivam e nos deixam compromissados a melhorar ainda mais”, conclui.

“COMO SEMPRE TIVE A INSPIRAÇÃO PARA O LEITE, COMECEI A BUSCA PELA GENÉTICA GIR LEITEIRO”

DE GOTA EM GOTA GIR LEITEIRO - Uma raça dócil e que tem muito a contribuir com o desenvolvimento leiteiro do país. CARLOS JACOB WALLAUER POR CARLOS JACOB WALLAUER: - Uma pessoa responsável e comprometida que tem prazer em estar com os amigos PAIXÃO - Minha família, as fazendas e o Grêmio. BRASIL - Um país de grandes oportunidades. LEITE - Alimento completo para combater a fome no mundo. UM DESAFIO - Contribuir para a evolução do rebanho leiteiro do Brasil. UM DESEJO - Ter saúde para seguir em frente. FAMÍLIA - O que me dá motivação para seguir adiante, são os pilares da minha vida. SER FELIZ É - Estar com a família e rodeado de amigos.

Carlos Jacob Wallauer

MOMENTO INESQUECÍVEL NO GIR LEITEIRO - A compra da Planta TE da Cal.

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

95


Crônica do Leite

ardezinha na Por Carlão da Publique

J

á era de tardezinha quando avistamos a placa da Fazenda Genipapo. O afável Paulo Roberto Andrade Cunha nos recebe com um largo sorriso, daqueles reservados aos bons amigos. “Estávamos te aguardando Carlão” e nos indica o caminho a seguir, passando pelos seus currais simples e funcionais como são todas as boas coisas da vida. “Estamos produzindo muito leite aqui com o Gir Leiteiro”, ele vai avisando. São aproximadamente 30 matrizes, que estão produzindo, sem nenhum stress, cerca de 500 kg de leite por dia. Logo, logo avisto a vacada Gir Leiteiro chegando calmamente ao curral de manejo e à sala de ordenha. Mesmo com o burburinho da nossa presença e das lentes do Zezinho Peres, que não cansam de clicar cada detalhe do movimento, as vacas entram tranquilamente e se mostram totalmente adaptadas a esta rotina diária. E lá vamos nós fosso abaixo para registrar os momentos que precedem a ordenha das matrizes Gir Leiteiro. Flashes, gestos, repetições de poses para as fotos, nada disso tira a calma e nem

96

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

Genipapo Paulo Roberto Andrade Cunha e sua ordenhadeira mecânica.

esconde o leite desse lote especial de vacas.

Um golaço para a raça Ordenha terminada, vamos do centro de manejo para a sede, lá na beira do riacho que marca a divisa da fazenda. No caminho, observo como as matrizes Gir Leiteiro são criadas soltas por aqui, como manda a sua natureza. Pastos no capricho e sal mineral de qualidade. É tudo que elas precisam para desempenhar com precisão seu destino principal de ser a principal raça de leite do mundo tropical, para ser a solução da equação de se produzir leite a pasto por estas bandas. Este texto não foi pensado para dizer que a Fazenda Genipapo é um dos principais centros de seleção do Gir Leiteiro do Brasil, nem para dizer que ela já produziu animais de exceção como a Grande Campeã Nacional Gemada da Genipapo, nem para falar que a fazenda já revelou genearcas da raça, como o touro Afetivo da Epamig, agora amplamente utilizado. Muito menos para dizer que por aqui se tem animais altamente promissores,

como é o caso de GPS da Genipapo, raçador com sêmen à venda na Alta Genetics. O que eu mais quero aqui é relatar minha amizade com Paulo Roberto Andrade Cunha, que foi presidente do sindicato rural de Uberlândia por 11 anos, e como sua experiência pode ser útil para todos nós que aprendemos a admirar e nos apaixonamos pelo Gir Leiteiro. Paulo é casado com Eliane, com quem tem um casal de filhos maravilhosos. “Minha filha se casou aqui na fazenda e o Caio vai se casar aqui também”, conta ele entusiasmado que só. O gosto pela seleção do Gir Leiteiro veio como herança do seu bisavô, Cel. Virgílio Rodrigues da Cunha, que já selecionava a raça muitas décadas antes, no século passado, nestas mesmas terras. Já é noite e não conseguimos demover o casal de que não precisávamos jantar por ali. Foi como se estivesse na minha casa. Podem perguntar ao Renan e ao Zezinho, que me acompanhavam. O Paulo e a Eliane sabem como receber bem seus amigos. Com a elegância suprema da simplicidade.


ALAGOAS – AL ALVARO JOSÉ DO MONTE VASCONCELOS Fazenda Val Paraíso CHÁ PRETO – AL Tel.: (82) 3344-5560 / (82) 3344-5557 / (82) 9321-3456

BAHIA – BA ALMIR MENDES DE CARVALHO NETO Fazenda Utinga II – CABACEIRAS – BA Fazenda Caracol – ITAPETININGA – BA Tel.: (71) 3245-5008 / (71) 3413-8422 / (71) 9982-5526 harascarvalho@uol.com.br almircarvalhoneto@hotmail.com www.condominiobahia.com.br ANGELO LUCCIOLA NETO Fazenda São George TERRA NOVA – BA Tel.: (71) 3674-1529 / (71) 9998-7941 / (71) 9223-3181 / (71) 3674-2173 augustolucciola@ig.com.br AUGUSTO ALBERTO DA SILVA ANDRADE Fazenda Morena de Santo Antonio CATU – BA Tel.: (11) 3023-6786 / (11) 5505-5404 / (11) 2133-0033 morena@consdon.com.br BEIRA RIO AGROPECUÁRIA LTDA. Fazenda Beira Rio RAFAEL JAMBEIRO – BA Tel.: (71) 2105-2500 / (71) 9167-3408 fazendabeirario@fazendabeirario.com.br arturpinho@atarde.com.br www.fazendabeirario.com.br BONANZA IND. E AGRÍCOLA LTDA. Fazenda Bonanza SALVADOR - BA Tel.: (75) 3414-3017 / (75) 3452-2851 / (75) 8845-9988 laticiniobonanza@gmail.com CONTABRÁS AGROPECUÁRIA LTDA Fazenda Taquipe SÃO SEBASTIÃO DO PASSÉ – BA Tel.: (71) 3241-1400 / (71) 9172-0610 / (71) 3245-2714 jsoutobr@yahoo.com.br EBDA EMPRESA BAIANA DE DESENVOLVIMENTO AGRÍCOLA S.A Estação Experimental de Itaberaba SALVADOR – BA Tel.: (71) 3375-1688 / (71) 3375-1693 / (71) 3116-1800 gerencia.itaberaba@ebda.ba.gov.br; ebda.ddp@ebda.ba.gov.br EDVALDO BRITO FILHO Fazenda Murundu SÃO GONÇALO DOS CAMPOS – BA Tel.: (71) 3281-4900 / (71) 3353-0910 / 71) 9132-6991 / (71) 9198-7142 efilho@uol.com.br edvaldobritoadvogados@edvaldobrito.com.br ELZA SILVA PEREIRA Fazenda Nova Estrela FEIRA DE SANTANA – BA Tel.: (75) 2102-9090 / (71) 9166-3397 / (75) 8107-2232 contatogirodogir@hotmail.com EVILÁSIO BASTOS CHAVES Fazenda Vila Rica IRECÊ - BA Tel.: (74) 3641-2059 / (74) 3641-7401 / (74) 9971-6020 evilarica@ig.com.br GILBERTO FRANCISCO RAMOS FILHO Fazenda Gama I VITÓRIA DA CONQUISTA – BA Tel.: (77) 2101-0555 / (77) 2101-0552 gilbertinhorf@msn.com JAYMILTON GUSMÃO CUNHA FILHO Fazenda Santa Helena VITÓRIA DA CONQUISTA – BA Tel.: (77) 9979-3369 / (77) 3421-3508 jaymiltonfilho@hotmail.com JORLANDO NASCIMENTO OLIVEIRA Fazenda Jatobá ITABERABA – BA Tel.: (11) 8199-5721 / (11) 2769-9757 / (11) 3081-2156 JOSÉ ERIVAN DE CARVALHO FEITOSA Fazenda Bom Viver ALAGOINHAS – BA Tel.: (71) 3341-1148 / (71) 3604-2552 / (71) 9613-9579 erivancarvalho@uol.com.br JOSÉ GERALDO VAZ ALMEIDA Fazenda Belo Horizonte AMARGOSA – BA Tel.: (75) 3634-1077 / (75) 9981-8877 geraldovaz@tellecom.com.br JOSÉ NUNES FILHO

Fazenda Reunidas JN CANDEIAS – BA Tel.: (71) 3367-1011 / (71) 9964-5274 jnfi@ig.com.br izamarnunes@hotmail.com www.jnagropecuaria.com.br LUTZ VIANA RODRIGUES Fazenda Cinelândia LAJEDÃO – BA Tel.: (33) 3621-4111 / (33) 3621-5376 / (33) 3621-5734 / (33) 9979-1621 cinell@superig.com.br MORENA AGROPECUÁRIA Fazenda Região do Mel CATU – BA Tel.: (11) 2133-0033 / cel.: (11) 9190-1431 morena@consdon.com.br PAULO EDUARDO GUIMARÃES DE FREITAS Agropecuária Santa Terezinha - Fazenda Laranjeiras ITANAGRA – BA Tel.: (71) 3336-5396 / (71) 3331-4246 / (71) 9978-0808 / (71) 9978-1085 davifreitas1@yahoo.com.br environmed@gmail.com PERIVALDO M. DE VASCONCELOS Fazenda Belo Horizonte IBICUÍ – BA Tel.: (73) 3272-6005 / (73) 3525-4344 / (73) 8106-3998 riobahia@veloxmail.com.br RAFAEL OLIVEIRA OSORIO Fazenda Santa Bárbara BELÉM DA CACHOEIRA – BA Tel.: (71) 3452-8551 / (71) 3354-4116 ROBERVALDO MARTINS PENA Fazenda Alegria ITARANTIM – BA Tel.: (73) 3266-2233 / (73) 8129-1529 rmitarantim@hotmail.com RUBEM SÉRGIO SANTOS DE OLIVEIRA Fazenda Morada dos Ventos I e II ALAGOINHAS – BA Tel.: (75) 3421 -1451 / (75) 9971-4747 / (75) 3423-6561 alunor@oi.com.br SÍLVIO ROBERTO TAVARES DE ARAÚJO Fazenda Santa Rosa ITAPÉ – BA Tel.: (73) 3211-2470 / (73) 3613-4127 / (73) 8105-3095 profetaaof@gmail.com

CEARÁ – CE DIETER ALIMENTOS E AGROINDÚSTRIAS LTDA. Sítio Rio Negro GUARAMIRANGA – CE Tel.: (85) 3321-1212 / (85) 8608-7505 FRANCISCO FEITOSA DE A. LIMA Fazenda Novo Horizonte FORTALEZA – CE Tel.: (85) 3342-3276 / (85) 3464-76-33 / (85) 3301-1306 FRANCISCO ROBERTO PINTO LEITE Fazenda Água Preta SURURU – CE Tel.: (85) 3248-2829 / (85) 3254-2464 / (85) 3253-7060 / (85) 9981-2285 rol_leite@hotmail.com

Distrito Federal – DF ESTÂNCIA VILLA VERDE PLANALTINA – DF Tel.: (61) 3547-1582 / (61) 9119-1581 villaverdeadvogados@gmail.com JOE CARLO VIANA VALLE Fazenda Malunga BRASÍLIA – DF Tel.: (61) 3500-0554 / (61) 3039-1030 / (61) 3275-2003 / (61) 9267-0042 joe.carlo@terra.com.br; faleconosco@malunga.com.br www.malunga.com.br LUMIAR AGROPECUÁRIA LTDA. Fazenda Lumiar PLANALTINA – DF Tel.: (61) 3468-4786 / (61) 9651-5151 MARCELO RICARDO DE TOLEDO Fazenda Três Poderes TAGUATINGA – DF Tel.: (61) 3253-7810 / (61) 8123-7810 marcelo@geneticazebuina.com.br PAULO HORTA BARBOZA DA SILVA Fazenda Hermínia PLANALTINA – DF Tel.: (61) 3501-4040 /( 61) 3366-1544 / (61) 3366-4769 / (61) 9244-5659 paulohorta@terra.com.br

RAIMUNDO MARTINS MESQUITA Haras Jacurutu BRASÍLIA – DF Tel.: (61) 3386 7555 / (61) 3386 7556 / (61) 9618-3556 / (61) 9649-9774 demetriusdf@uol.com.br RAUL HENDERSON AVILA JUNIOR Granja Londrina CEILÂNDIA – DF Tel.: (61) 3367-2476 / (61) 8177-2232 girlondrina@gmail.com

Associados

RICARDO ALVES DA CONCEIÇÃO Fazenda Santa Terezinha PLANALTINA – DF Tel.: (61) 3468-3443 / (61) 3202-6820 / (61) 8105-3000 / (61) 9146-0099 ra.conceicao@hotmail.com lucicom@globo.com www.girsantaterezinha.com.br

ABCGIL

até 15 de abril de 2013

Espírito Santo – ES ÉLCIO MARQUES BATISTA Fazenda Baixa Jardim BOM JESUS DO NORTE – ES Tel.: (21) 2714-7255 ÉLIO VIRGÍNIO PIMENTEL Fazenda Jabaquara ANCHIETA – ES Tel.: (27) 3329-7632 / (27) 3229-5300 / (27) 3339-5717 pimentel@mercofood.com.br FÁBIO FARAH LUCINDO LIMA E OUTRO Fazenda Barro Branco GUAÇUÍ – ES Tel.: (21) 2704-4263 / (21) 2605-8885 / (21)9987-9274 fabiofarahlucindo@hotmail.com MARCOS CORTELETTI Fazenda Santo Antônio SERRA – ES Tel.: (27) 3259-6138 fiore.suprimentos@terra.com.br PAULO CÉZAR GALLO Fazenda São Francisco COLATINA – ES Tel.: (27) 3722-3350 / (27) 3721-2288 / (27) 3743-3155

Goiás – GO

ADEMIR LOPES CANÇADO Faz. Santa Cruz da Trilha LUZIÂNIA – GO Tel.: (61) 3468-1926 (61) 3502-1118 / (61) 9984-1049 girdatrilha@gmail.com AGROPECUÁRIA PALMA LTDA. Fazenda Palma LUZIÂNIA – GO Tel.: (61) 3209-1940 / (61) 3362-0191 / (61) 9984-4311 lucia-de-sa@hotmail.com eraleles@hotmail.com ANDREIA MARIA PEREIRA NUNES DE CARVALHO SOUZA Estância São José TRINDADE – GO Tel.: (62) 3093-4015 / (62) 9971-5095 / (62) 9962-6141 estanciasaojese@gmail.com BRUNO ANDERSON TANNOUS PIRES Fazenda Tamburil BELA VISTA – GO Tel.: (62) 3255-6555 / (62) 9983-1687 brunoandersonpires@hotmail.com BRUNO DE SOUZA MACHADO FERREIRA Fazenda Mutum ALEXÂNIA – GO Tel.: (62) 3336-1228 fazendamutum@hotmail.com mut@fazendamutum.com.br www.fazendamutum.com.br CARLOS EDUARDO DE AZEVEDO BEZERRA Fazenda Positiva Ponte Alta CORUMBÁ – GO Tel.: (61) 3427-1096 / (61) 9984-3823 / (61) 3399-3941 / (61) 3399-3045 dudubezerra@uol.com.br DANIEL ANTONIO SILVANO Fazenda Santo Antônio BELA VISTA – GO Tel.: (62) 3376-9250 / (62) 9976-9250 danieldogir@gmail.com DEMÉTRIUS MARTINS MESQUITA Fazenda Jacurutu PADRE BERNARDO – GO Tel.: (61) 3386-7555 / (61) 3386-7556 / (61) 3344-1824 / (61) 8116-0718 demetriusdf@uol.com.br DILSON CORDEIRO MENEZES

Fazenda Vila Rica COCALZINHO – GO Tel.: (61) 3367-3465 / (61) 3363-8575 / (61) 9975-6709 / (61) 9951-3650 fazendavilarica@terra.com.br engeagro@terra.com.br DILSON OLIVEIRA MENEZES Fazenda Vila Rica COCALZINHO – GO Tel.: (61) 3363-8575 adriana.fazendavilarica@gmail.com ENI CABRAL Fazenda são João Bosco SILVÂNIA – GO Tel.: (62) 3215-1973 / (62) 9973-8254 / (62) 3215-5749 enicabral@terra.com.br EROTIDES ALVES DE CASTRO Fazenda Duas Marias LUZIÂNIA – GO Tel. (61) 81756265 / (61) 8412-5126 FÁBIO ANDRÉ Estância Royal HIDROLÂNDIA – GO Tel.: (62) 3215-1858 / (62) 3214-1444 / (62) 3057-1804 / (62) 9972-9870 girfan@estanciaroyal.com www.estanciaroyal.com FERNANDO RODRIGUES FERREIRA LEITE Fazenda São Pedro da Barra PADRE BERNARDO – GO Tel.: (61) 3368-8005 / (61) 3368-9278 / (61) 9655-8711 mfcleite@hotmail.com fernandoleite@caesb.df.gov.br contato@saopedrodabarra.com.br www.gabrielloureiro.com.br

LÉO MACHADO FERREIRA Fazenda Mutum ALEXÂNIA – GO Tel.: (62) 3336-1228 / (62) 9268-0787 / (62) 3336-1442 / (61) 7816-7792 fazendamutum@hotmail.com mut@fazendamutum.com.br www.fazendamutum.com.br LEONIDIO FERREIRA GOMES Fazenda Mutum ALEXÂNIA – GO Tel.: (62) 3336-1228 / (62) 9268-0787 / (62) 3336-1442 www.fazendamutum.com.br LÚCIO DIAS DE OLIVEIRA Chácara Oliveira ALEXANDRINA – GO Tel.: (61)3223-5713 / (61)3224-9631 MARIA DO CARMO OLIVEIRA MENEZES Fazenda Vila Rica COCALZINHO – GO Tel.: (61) 3367-3465 / (61) 3363-8575 MAURO BAFUTTO Fazenda Ariranha JATAÍ – GO Tel.: (62)3 281-0009 / (62) 3291-6860 MURILO DE OLIVEIRA ABDO Fazenda Barreiro ALEXÂNIA – GO Tel.: (61) 3225-5756 / (61) 9994-5756 murilo.abdo@uol.com.br

JOÃO DOMINGUES GOMES DOS SANTOS Fazenda São Domingos LUZIANIA – GO Tel. (61) 3443-8976 / (61) 7815-8822 / (61) 3321-0288

NAIM ASSEF NETO Fazenda Serra D’Água Quente RIO QUENTE – GO Tel.: (64) 9215-8920 OTÁVIO BATISTA O. VILAS BOAS Fazenda Santa Maria LEOPOLDO DE BULHÕES – GO Tel.: (34) 3311-5904 / (34) 9984-0111 / (34) 3074-9185

JOÀO DOS REIS DIAS Fazenda Santa Izabel LUZIÂNIA – GO Tel.: (61) 3346-5410 / (61) 8409-8113 joao.reisdias@hotmail.com

WAGNER LÚCIO JACINTO Fazenda Taquari Bela Vista de Goiás – GO Tel.: (64) 3413-3533 / (64) 9606-6419 luciogirdasdsedoria@hotmail.com

JOÃO NAVES NETO Fazenda Santa Paula BOM JESUS DE GOIÁS – GO Tel.: (34) 9976-3181 jnavesneto@hotmail.com

Minas Gerais – MG

JOAQUIM DOMINGOS RORIZ Fazenda Palma LUZIÂNIA – GO Tel.: (61) 3502-2222 / (61) 3209-1940 / (61) 3209-1941 / (61) 9984-1291 / agropecuariapalma@02.net.br laticio.palma@rudah.com.br JORGE AGOSTINHO CALIL Fazenda Colarinho Branco MARA ROSA – GO Tel.: (62) 3366-1260 / (62) 3366-1643 / (62) 3366-1304 marlycalil@yahoo.com.br calil_jorge@yahoo.com.br JOSÉ DONIZETE CAETANO Fazenda Olhos D’Água GOIÂNIA – GO Tel.: (62) 3255-3872 / (62) 3242-2490 JOSÉ MARIO MIRANDA ABDO Fazenda Coqueiro ALEXÂNIA – GO Tel.: (61) 3323-4199 / (61) 9994-5756 / (61) 9989-5854 / (61) 8124-2801 jmabdo@aeaconsultoriaer.com.br jose.abdo@uol.com.br

ABSS AGROPECUÁRIA LTDA. Fazenda Bom Sucesso PASSOS – MG Tel.: (35) 3521.4252 / (35) 8426-1579 / (35) 8426-2636 / (18) 9149-6859 adrianomaia@passosnet.com.br amsbonsucesso@gmail.com ADELMO CARNEIRO LEÃO Água da Pedra CONQUISTA – MG Tel.: (31) 3335-8335 / (31) 8855-8335 / (31) 8838-8335 / (31) 2108-5344 marcosoliveiravg@hotmail.com pedro@verdegir.com.br www.verdegir.com.br ADEMAR BARBOSA GUIMARÃES Sítio da Ponte Preta CORONEL PACHECO – MG Tel.: (32) 9975-4842 / (32) 9945-2188 phyade@uol.com.br www.girleiteiro.net AGROBILARA COMÉRCIO E PARTICIPAÇÕES LTDA. Fazenda Monte Verde UBERABA – MG

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

97


Tel.: (16) 3811-0498 / (16) 9176-9190 celsodiniz@netsite.com.br

Associados

ABCGIL

até 15 de abril de 2013

Tel.: (21) 7897-3857 / (34) 7811-3676 / (34) 7811-2188 / (34) 9904-3733 agrobilara@hotmail.com AGROEXPORT LTDA. Faz. São Sebastião CAMPO FLORIDO -– MG Tel.: (34) 3313-7100 agroexport@agroexport.agr.br www.agroexport.agr.br AGROPASTORIL DOS POÇÕES E PART. LTDA. Fazenda dos Poções JEQUITIBÁ – MG Tel.: (31) 3281-1800 / (31) 3717-6271 / (31) 3227-4868 / (31) 9631-2880 arthur.souto@uol.com.br radarpocoes@yahoo.com.br pocoes@fazendadospocoes.com.br AGROPECUÁRIA AGROOPEGEN CLARETS LTDA. Agroopegen POUSO ALEGRE – MG Tel.: (35) 3423-0042 agroopegen@agroopegen.com.br AGROPECUÁRIA BOM PASTOR LTDA. Fazenda Salobo VAZANTE – MG Tel.: (34) 3813-1052 / (34) 3813-1032 / (31) 9616-0057 / (61) 8185-1515 agrobompastor@yahoo.com.br andre@fazendasalobo.com.br www.fazendasalobo.com.br AGROPECUÁRIA SANTA BÁRBARA XINGUARA S/A Agropecuária Santa Bárbara Xinguara S/A UBERABA – MG Tel.: (11) 3167-3561 / (34) 2103-8600 / (34) 9144-7618 / (34) 8408-3306 sandra.barbosa@agrosb.com.br AGROVILLE AGRICULTURA E EMPREENDIMENTOS LTDA. Fazenda Curralinho MORADA NOVA DE MINAS – MG Tel.: (31) 2191-7889 / (31) 2191-7895 / (31) 2191-7868 leonardo@villefort.com.br financeiroagropecuaria@villefort.com.br ALBERICO DE SOUZA CRUZ Fazenda Alto Tangará ABAETÉ – MG Tel.: (37) 3541-2215 / (37) 9961-3905 dione.tangara@gmail.com condesp@abaetenet.psi.br ALENCAR CESAR MARTINS ZAMBANI Fazenda da Limeira ALÉM PARAÍBA – MG Tel.: (32) 3462-3688 alencar@zamboni.br fazendadamata@yahoo.com.br

ANDREIA DE FREITAS BRITO Fazenda Bela Fama SANTANA DO NANHUAÇU – MG Tel.: (21) 2711-3421 / (21) 8754-9217 meiry.vaz@hotmail.com / josy.olga@hotmail.com ANGELUS CRUZ FIGUEIRA Fazenda Terras de Kubera UBERABA – MG Tel.: (34) 3359-0660 / (34) 9113-4016 terrasdekubera@voiler.com.br ANIBAL EUGÊNIO VERCESI E FILHOS Fazenda Bela Vista e Morro D’Água IGUAPÉ – MG Tel.: (19) 3233-8606 / (35) 9953-5013 / (19) 9172-2223 joaopinheirobr@yahoo.com.br ANTÔNIO EUSTÁQUIO ANDRADE FERREIRA Fazenda Salobo / Lugar Lagoa Feia VAZANTE – MG Tel.: (34) 3813-1032 / (61) 8185-1515 fazendasalobo@yahoo.com.br ANTÔNIO GOMES LEMOS Fazenda Alcântara GOVERNADOR VALADARES – MG Tel.: (33) 3272-1260 / 3272-1238 / (33) 3271-3060 harasalcantara@harasalcantara.com.br; antoniolemos@harasalcantara.com.br; agrotara@trimeisp.com.br ANTÔNIO LUCIANO CATISTI Fazenda São José CAMPINAS – SP Tel. (19) 3253-2518 antonio@catisti.com.br ANTÔNIO PAULO ABATE Fazenda Santa Albertina CAMPO FLORIDO – MG Tel.: (11) 2905-3123 / (34) 3322 1437 / (34) 9634-5007 apangenetica@terra.com.br BRASILINO RIBEIRO DA SILVA Fazenda Olhos D’Água SACRAMENTO – MG Tel.: (34) 3312-5749 / (34) 9972-3577 brasilinor@terra.com.br BRAULIO JOSÉ DOS PASSOS CORREA Fazenda Abaeté SAGARANA – MG Tel.: (31) 9970-1302 / (37) 8409-7122 / (37) 9969-7070 brauliopassos@uol.com.br dione.tangara@gmail.com

ALFREDO DA MATA Fazenda Matinha FRUTAL – MG Tel.: (34) 3421-0296 / (34) 3421-8281 / (34) 9974-0595 fazendamatinha@bol.com.br

CARLOS FERNANDO FERRAREZI GUIMARÃES Fazenda Esperança GUANHÃES – MG Tel.: (33) 3421-1598 / (33) 3421-1527 / (33) 3421-1011 cf.ferra@bol.com.br

ALTA GENETICS DO BRASIL LTDA. Central – UBERABA – MG Tel.: (34) 3318-7777 / (34) 3318-7701 ksantos@altagenetics www.altagenetics.com.br

CARLOS ROBERTO CALDEIRA BRANT Fazenda Gavião SÃO PEDRO DO SUAÇUÍ -– MG Tel.: (31) 3221-9349 / (31) 3227-4707 / (31) 8669-5393 fazendagaviao@ig.com.br

ALVARO FURTADO DE ANDRADE Fazenda Calciolândia ARCOS – MG Tel.: (37) 3359-7400 girleiteiro@calciolandia.com.br jordane@calciolandia.com.br

CELIO TEODORO DA SILVA Fazenda Columbia UNAÍ – MG Tel.: (38) 3676-3631

ANDRE G. VASCONCELOS MONTEIRO

98

Fazenda Remanso SIMÃO PEREIRA – MG Tel.: (21) 9851-1043 / (21) 2156-6263 andre.monteiro@grupocrivel.com.br

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

CELSO LUÍS MIZIARA DINIZ Faz. Nossa Senhora Aparecida PERDIZES – MG

CÉSAR AUGUSTO GOMES GASPAR Sítio Nossa Senhora da Penha ANDRELÂNDIA – MG Tel.: (21) 7634-2616 / (21) 3337-3378 / (24) 8811-0371 girleiteironsp@ig.com.br girleiteironsp@hotmail.com CÉSAR HENRIQUE BASTOS KHOURY Fazenda São Geraldo POTÉ – MG Tel.: (33) 3522-3886 / (33) 3521-1767 / (33) 9985-1767 ckhoury@terra.com.br CHRISTINA DO VALLE TEIXEIRA LOTH Fazenda São Vicente MAR DE ESPANHA – MG Tel.: (32) 3276-1159 / (32) 3276-2381 / (32) 9972-5480 amandagribel@yahoo.com.br fazendaespanha@hotmail.com CLAÚDIO SEVERINO LARA Fazenda Pontal PEDRO LEOPOLDO – MG Tel.: (31) 3661-3124 / (31) 3661-1090 / (31) 9951-7410 / (32) 8421-8216 claudio@cenatte.com.br DARIO EMERSON RESENDE COUTO E SILVA Fazenda Pedreira BOM DESPACHO – MG Tel.: (37) 3521-2153 / (37) 9985-1827 darioemersoncouto@hotmail.com www.produzirgenentica.vet.br EDMAR ALVES DE CARVALHO Estância Lindóia ARCOS – MG Tel.: (37) 3351-0291 / (37) 3351-3245 / (37) 3351-1691 / (37) 8404-9820 edmar@estancialindoia.com.br EDUARDO COSTA SIMÕES Fazenda Lapa Vermelha PEDRO LEOPOLDO – MG Tel.: (31) 3660-3125 / (31) 3660-3110 fazenda@lapavermelha.com.br EDUARDO JORGE MILAGRE Estância Milagre UBERLÂNDIA – MG Tel.: (34) 3234-7323 / (34) 3236-4409 / (34) 9971-3168 eduardo@milagrefomentomercantil.com.br EDUARDO LUIZ DE OLIVEIRA Fazenda Calambau ITAÚNA – MG Tel.: (37)9119-1301 flavio.araujo@jgsareciclagem.com.br EDVALDO ANTÔNIO BUENO Fazenda Sítio Nossa Senhora de Fátima INCONFIDENTES – MG Tel.: (35) 3464-1020 / (35) 3464-1168 crocheveronez@hardonline.com.br ENIR GOMES BARBOSA Fazenda Estiva BRUMADINHO – MG Tel. res.: (31) 3394-1079 / Fax: (31) 3394-9728 animaisdaestiva@yahoo.com.br contato@qualisul.com.br EPAMIG EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA DE MINAS GERAIS Fazenda Experimental Getúlio Vargas UBERABA – MG Tel.: (34) 3317-7600 / (34) 9969-6442 / (34) 9142-5057 epamig@epamiguberaba.com.br cttp@epamig.br www.epamig.br

Fazenda Santo Antônio ARAGUARI – MG Tel.: (34) 3256-9630 / (34) 3256-9614 diagro@nacionalexpresso.com.br

UBERABA – MG Tel.: (34) 3332-4733 fazendabaixadinha@terra.com.br rcko@me.com

FAZENDA BRASÍLIA AGROPECUÁRIA LTDA. Fazenda Brasília SÃO PEDRO DOS FERROS -– MG Tel.: (33) 3352-1272 / (33) 3352-1376 / (33) 3352-1315 / (31) 9211-0018 girleite@uai.com.br flaper@uai.com.br www.fazendabrasilia.com.br

ISOMÉRIO FERREIRA DOS REIS Fazenda JJC PASSOS – MG Tel.: (35) 3522-8040 / (35) 3521-6484 fazendajjc@bol.com.br

FERNANDO B. DE C. FILHO E IRMÃOS Fazenda Alegria MIRADOURO – MG Tel.: (32) 3753-1016 / (32) 9929-6964 / (32) 9945-4513 FRANCISCO RAFAEL GONÇALVES Fazenda São Francisco POUSO ALEGRE – MG Tel.: (35) 3423-0042 / (35) 3423-8535 anaclaudia@agropegen.com.br natalia@agropegen.com.br GABRIEL D. DE ANDRADE E FILHOS / COND Fazenda Engenho Nogueira IGUATAMA – MG Tel.: (37) 3359-7400 / (37) 3359-7401 girleiteiro@calciolandia.com jordane@calciolandia.com GABRIEL DONATO DE ANDRADE Fazenda Calciolândia ARCOS – MG Tel.: (37) 3359-7400 / (37) 3359-7425 / (37) 9981-7481 girleiteiro@calciolandia.com jordane@calciolandia.com www.calciolandia.com GENÉTICA AVANCADA PART. ALC. LTDA. Fazenda Terras de Kubera UBERABA – MG Tel.: (34) 3359-0660 / (34) 9113-4016 GERALDO ANTONIO DE OLIVEIRA MARQUES Estância Bom Retiro – SÃO SEBASTIÃO DO RIO VERDE – MG Fazenda Três Barras – VIRGÍNIA – MG Tel.: (11) 3672-0417 / (11) 3933-7805 / (11) 3933-7801 / (11) 8136-0566 gmarques@jhg.com.br GERALDO DE CARVALHO BORGES Fazenda e Haras Paraíso PARACATU – MG Tel.: (61) 9831-1800 / (34) 9145-6254 harasparaiso@pop.com.br GETÚLIO VILELA DE FIGUEIREDO Fazenda Rio Dourados TURVOLÂNDIA – MG Tel.: (65) 3624-1136 / (65) 3623-1759 / (65) 3624-2573 / (11) 3758-9668 / maressa@grupocincoestrelas.com.br www.grupocincoestrelas.com.br GILSON CARLOS BARGIERI Fazenda São José UBERABA – MG Tel.: (13) 7803-0017 / (13) 3455-2795 / (13) 9712-6304 carlos_frederico2006@yahoo.com.br GUILHERME DE MELO MASCI Fazenda do Ipê – CURVELO – MG Fazenda Flores e Mangabeiras – CURVELO – MG Tel.: (31) 3225-3848 / Fax: (31) 3335-8835 / cel.: (31) 9972-498 gmmasci@hotmail.com HEDA BORGES MACHADO Fazenda Santa Bárbara UBERABA – MG Tel. res.: (34) 3312- 3226 / (34) 9979-1403 / (34) 3338-7419 lfmachador2@uol.com.br

ERICK CARBONARI Fazenda Terra Alegre BRASILÂNDIA DE MINAS – MG Tel.: (11) 4538-6436 / (11) 4538-6814 / (11) 8325-6934 fazendaterraalegre@hotmail.com

HELIO MACEDO DE QUEIROZ Sítio Vale Azul GOVERNADOR VALADARES – MG Tel.: (33) 9989-3022 hmdqueiroz@hotmail.com

EURIPEDES JOSÉ DA SILVA Fazenda Uberaba PARAOPEBA – MG Tel.: (31) 3454-7999 thaisuberaba@gmail.com

HENRIQUE CAJAZEIRA FIGUEIRA Fazenda Figueira UBERABA – MG Tel.: (16) 3911-7314 / (16) 7812-3231 hfigueira@hotmail,com

EVANDRO DO CARMO GUIMARÃES Fazenda do Basa e Fazenda das Boas Lembranças LEOPOLDINA – MG Tel.: (11) 3097-0545 / (11)9910-9575 / (61) 9975-2133 evandrog@tvglobo.com.br

HENRIQUE FERREIRA PINHEIRO Fazenda Arapoema UBERABA – MG Tel.: (34) 3321-6764 tecnico@leitegir.com.br

FABIANO SANTOS JUNQUEIRA Fazenda Califórnia FLORETAL – MG Tel. (37) 3232-2800 / (37) 9932-3459 fabianojunq@nwm.com.br

HUMBERTO ROCHA ARAUJO Estância Laura BOM DESPACHO – MG Tel.: (31) 3243-4906 / (31) 8422/4906

FÁBIO ANTÔNIO POZZI

ILZA HELENA KEFALASOLIVEIRA Fazenda Baixadinha

IVAGRO AGROPECUÁRIA LTDA. Fazenda Curralinho VEREDA – MG Tel.: (31) 2191-7895 / (31) 2191-7868 / (31) 2191-7889 leonardo@villefort.com.br JOÃO CRUZ REIS FILHO Fazenda Sumaúma MIRADOURO – MG Tel.: (61) 3264-1187 / (61) 8187-1187 / (61)9948-1187 sumauma@fazendasumauma.com.br www.fazendasumauma.com.br JOÃO GUILHERME MALDINI PITANGUY Fazenda Santo Antônio CURVELO – MG Tel.: (31) 9972-8705 / (31) 9949-7406 JOÃO MACHADO PRATA JUNIOR Fazenda Aprazível ÁGUA COMPRIDA – MG Tel.: (34) 3333-2349 / (34) 9972-7623 / (34) 9807-7177 fazendaaprazivel@hotmail.com JOÃO VICENTE ALVES DE AVILA Fazenda Bom Sucesso BELO HORIZONTE – MG Tel.: (31) 3223-0275 / (31) 3224-7984 / (31) 3222-6675 / (31) 9976-4942 João.vicente.avila@gmail.com JOÃO VITOR DE MELO Fazenda Mineirão UBERABA – MG Tel.: (34) 3318-8188 / (34) 3338-8760 flavio.tx@uol.com.br JOAQUIM BATISTA FILHO Fazenda Lapa PARACATU – MG Tel.: (38) 3671-5316 / (38) 3671-5363 / (38) 9962-5363 docjb@bol.com.br JOAQUIM ROSSI E FILHOS Fazenda São José COQUEIRAL – MG Tel.: (35) 9971-5174 / (34) 9984-0919 / (34) 9916-5174 carlonrossi@terra.com.br cassiofrossi@hotmail.com JORGE PAPAZOGLU E OUTRO / COND. Agropecuária JPZ INHAÚMA – MG Tel.: (31) 3774-5800 / (31) 3772-2504 / (31) 9621-5576 jorge@decopa.com.br JOSÉ AFONSO BICALHO BELTRÃO DA SILVA Fazenda Cachoeira FERROS – MG Tel.: (31) 3292-2415 / (31) 9694-3957 / (31) 9697-2957 / (31) 3277-4462 jabsilva@uol.com.br adrianofbicalho@uol.com.br JOSÉ ALBERTO OLIVEIRA MURTA Fazenda Nossa Senhora Aparecida UBERABA – MG Tel.: (34) 3075-5091 / (34) 8854-1407 girjaom@gmail.com albertooliveiramurta@gmail.com JOSÉ ANTÔNIO DA SILVEIRA Fazenda Esplanada UBERLÂNDIA – MG Tel.: (34) 3216-1287 xapetuba@xapetuba.com.br JOSÉ ANTÔNIO DE OLIVEIRA Fazenda Jaó FRUTAL – MG Tel.: (34) 3421-8179 / (34) 9155-8346 jorgefjao@bol.com.br JOSÉ ANTONIO SAUD OLIVEIRA Fazenda Oliveira UBERABA – MG Tel.: (34 )3313-8550 / (34) 3313-8404 zoonitro@uol.com.br JOSÉ AUGUSTO TEIXEIRA Retiro São Gabriel SÃO GONÇALO DO RIO ABAIXO – MG Tel.: (31) 3833-5168 / (31) 3833-5226 belleuslanches@yahoo.com.br JOSÉ AVILMAR LINO DA SILVA Fazenda Lagoa Grande


MARTINHO CAMPOS – MG Tel.: (31) 3225-5389 / (31) 3273-3888 javilmar@ig.com.br JOSÉ CARLOS FELIPE ABUD Fazenda Aleluia CAMPO FLORIDO – MG Tel.: (34) 3314-8823 / (34) 2103-6130 JOSÉ CARVALHO Faz. Alvorada UBERABA - MG Tel.: (34) 3315-6468 / (34) 3317-4555 / (34) 9904-6568 andrea_feijao@hotmail.com JOSÉ COELHO VITOR Fazenda São José do Can Can PASSOS -– MG Tel.: (35) 3529-0600 / (35) 9133-1825 / (35) 9133-1840 mauricio@josecaboverde.com.br passos@josecaboverde.com.br www.josecaboverde.com.br JOSÉ JOÃO SALGADO RODRIGUES DOS REIS Faz. Criciúma CARMO DO RIO CLARO – MG Tel.: (35) 3561-1399 / (35) 3561-1357 / (35) 9135- 0630 JOSÉ JAIRO DE MIRANDA Faz. Ponte Nova RIO VERMELHO – MG Tel.: (31) 3467-3107 / (31) 3349-8182 jjairo@emater.mg.gov.br JOSÉ LUCIO REZENDE Fazenda Santo Antônio MATOZINHOS – MG Tel.: (31) 3516-7922 / (31) 9304-7067 ecb@ecbsa.com.br fazendasantoantonio@ecbsa.com.br JOSÉ MÁRCIO CASARIN HENRIQUES Fazenda Agropecuária Novo Horizonte GUARANI – MG Tel.: (32) 3575-1708 / (32) 3575-1527 / (32) 9958-3369 fazendanovohorizontemg@gmail.com

JOVELINO CARVALHO MINEIRO FILHO Fazenda Sant’Anna UBERABA – MG Tel.: (34) 3319-0700 / (34) 3319-0707 delamar@fazendasantanna.com.br www.fazendasantanna.com.br JULIZAR DANTAS Fazenda Estrela do Sul NOVA MÓDICA – MG Tel.: (31) 3224-3228 / (31) 3222-2851 / (31) 9992-2851 julizardantas@taskmail.com.br julidantas@cardial.br http://sites.br.inter.net/fazendaestreladosul LEANDRO DE AGUIAR Fazenda Engenho IBIÁ – MG Tel.: (34) 3662-7774 / (34) 9155-7007 fazendaengenho@terra.com.br LEONARDO DE PAULA GASBARRO Fazenda Pontal da Uruguaia CORINTO – MG Tel.: (38) 9949-7406 / (38) 8727-6065 / (38) 3722-2928 LEONARDO LIMA BORGES Fazenda Badajós UBERABA – MG Tel.: (11)8132-8462 / (11) 2729-5155 LUCAS DE M. M. FERREIRA E OUTRO Fazenda João Dias PARÁ DE MINAS – MG Tel.: (37) 3231-4701 / (37) 9915-9912 lucasmmf@yahoo.com.br LUCIANA OCHUIUTO T. DE RESENDE Fazenda Labareda e Sítio Rio Branco UBERABA – MG Tel.: (34) 3315-5699 / (34) 9198-6431 LUCIANO BIASSUTTI DELECAVE / OUT Fazenda Barreirão IPIAÇU – MG Tel.: (34) 3269-0040 ldelecave@hotmail.com

JOSÉ MARCIO DE SIMONI SILVEIRA Fazenda Limeira e Fazenda Santa Rosa PASSOS – MG Tel.: (35) 3521-3159 / 9133-0919 josemarcio@intersur.com.br carlos@zbrlimeira.com.br www.zbrlimeira.com.br

LUCIANO DE ARAÚJO FERRAZ Fazenda Estiva ITAPECERICA – MG Tel.: (31) 3293-3536 / (31) 9981-1533 ferrazadv@terra.com.br

JOSÉ MARIA DE SOUZA Fazenda Santa Edwiges NAQUE – MG Tel.: (31) 3826-1651 / (31) 9109-1073 / (31) 3826-5001 souzatim@uol.com.br

LUCIANO LUZES BORGES / LEONARDO LIMA BORGES Fazenda Badajós UBERABA – MG Tel.: (34) 3312-1188 / (34) 3333-7181 / (34) 9145-0100 / (11) 8132-8462 leonardolborges@yahoo.com.br www.badajos.hpg.com.br

JOSÉ MAURICIO DE FIGUEIREDO Fazenda Indiana BELO HORIZONTE – MG Tel.: (31) 3261-2824 / (31) 3335-7799 / (34) 9241-9363 JOSÉ PATRÍCIO DA SILVEIRA NETO Fazenda Santa Isabel PIRAPORA – MG Faz: (38) 3741-2712 / (38) 3741-3011 / (38) 9982-0273 patriciopirapora@gmail.com JOSÉ RAMOS FERREIRA Sítio Nossa Senhora Aparecida CAMANDUCAIA – MG Tel.: (11) 5841-2895 / (11) 8845-5052 / (35) 8404-0227 girnsaj@hotmail.com JOSÉ RENATO DA SILVA Fazenda Rancho 900 PIRAPETINGA – MG Tel.: (32) 3465-1298 / (32) 3465-4005 / (32) 9986-0246 agrocenter@megazip.com.br JOSÉ RENATO FONSECA OLIVEIRA Agropecuária Mackllani SANTA BÁRBARA - MG Tel.: (31) 3832-1187 / (31) 8647-1060 melsb@melsantabarbara.com.br contato@mackllani.com.br JOSÉ RICARDO FIUZA HORTA Fazenda Fundão PAINS - MG Tel.: (31) 3335-9033 / (31) 3337-5993 / (31) 3335-8426 / (37) 9173-5186 j.horta@terra.com.br JOSÉ ROBERTO ROLAND DE OLIVEIRA Fazenda Oriente UBERABA – MG Tel.: (19) 9607-2615 tropicalnorte@uol.com.br JOSÉ SANTANA DE VASCONCELLOS MOREIRA Fazenda Santa Terezinha NOVA UNIÃO– MG Tel.: (31) 3297-5222 / (31) 3273-9780 / (31) 3273-3838 depjsv@deputadojosesantana.com.br

LUCIANO MARTINS ANDRADE Fazenda Cachoeira CONCEIÇÃO DO PARÁ – MG Tel.: (37) 3226-2732 / (37) 3226-7413 LÚCIO MENDES VALE Fazenda Lugo JUIZ DE FORA – MG Tel.: (32) 9199-9911 geovanefv@terra.com.br LUÍS EVANDRO AGUIAR Fazenda Boa Esperança VERISSÍMO – MG Tel.: (34) 3313-0058 / cel.: (34) 9122-9556 luizevandroaguiar@terra.com.br LUÍS FERNANDO RABELO BARROS Fazenda Lamarão UNAÍ – MG Tel.: (61) 3964-5549 / (61) 3245-5159 / (32) 9952-0886 / (61) 8117-8854 luisfrbarros@hotmail.com www.inbol.com.br LUÍS GUSTAVO RABELO XAVIER Fazenda Três Barras POMPÉU – MG Tel.: (31) 3372-7550 / cel.: (31) 8428-0870 rebeloxavier@bol.com.br LUIZ ANTÔNIO DE ALMEIDA NORONHA Fazenda Fabel Bonsucesso LAMBARI – MG Tel.: (35) 9989-1718 / (35) 9989-1419 / (35) 3235-1888 / (35) 3271-1419 ladanoronha@yahoo.com.br

3311-1674 leitegir@leitegir.com.br MARCELO AUGUSTO CARVALHO DE OLIVEIRA Fazenda Querência UBERABA – MG Tel.: (34) 3312-4041 / (34) 3312-2342 / (34) 3338-4041 / (34) 9972-5855 girmalo.leiteiro@hotmail.com

Associados

MÁRCIO DINIZ CRUZ Fazenda Campo Verde JABOTICATUBAS – MG Tel.: (31) 3227-7908 / (31) 3217-6920 marcio@frforte.com.br

ABCGIL

MARCO ANTONIO ANDRADE BARBOSA Fazenda Índia UBERABA – MG Tel.: (34) 3333-7788 / (34) 9972-1555 / (63) 3415-1606 maab1@terra.com.br maab@maab.com.br www.maab.com.br MARCO PAULO QUIRINO COSTA / COND. Fazenda Lagoa MARTINHO CAMPOS – MG Tel.: (37) 3522-5040 / (37) 9812-1900 mp.qc@hotmail.com MARCOS ANTONIO MARTINS Fazenda São Sebastião AUGUSTO DE LIMA – MG Tel.: (31) 9934-2951 MARCUS VINICIUS CANDIDO DOS REIS Fazenda Nossa Senhora da Aparecida UBERABA – MG Tel.: (34) 9918-1813 / (34) 9931-9902 mvcrgir@yahoo.com.br MARIA ISABEL V. OLIVEIRA VAZ Fazenda Santa Isabel PARAOPEBA – MG Tel.: (31) 3714-3191 / (31) 3273-1222 santaisabelreunidas@yahoo.com.br MARIANGELA MUNDIM TEIXEIRA Fazenda Cocho D’Água PEDRO LEOPOLDO – MG Tel.: (31) 3661-1033 / (31) 9984-5837 mariangelalmt@yahoo.com.br MATEUS GIANNINI SILVA Agropecuária Giannini SÃO JOÃO BATISTA DO GLÓRIA -– MG Tel.: (35) 9981-4075 / (35) 9802-9893 / (35) 3522-0879 / (35) 8805-3017 mateusgiannini@hotmail.com MILLER CRESTA DE MELO SILVA Faz. Ribeirão Grande SÃO JOÃO BATISTA DA GLÓRIA -– MG Tel.: (35) 3526-2626 / (35) 8827-2600 (35) 8819-2626 / (35) 8862-7400 contato@fazendaribeiraogrande.com.br MILTON DE ALMEIDA MAGALHÃES JÚNIOR e MILTON DE ALMEIDA MAGALHÃES NETO Fazenda Preciosa – UBERLÂNDIA -– MG Fazenda Prata – ITUIUTABA – MG Fazenda Santa Barbara – GURINHATÃ – MG Tel.: (34) 3235-7174 / (34) 9813-1990 / (34) 9812-1990 miltonmagalhaes@terra.com.br miltonneto@tropicalgenetica.com.br MOISÉS FERNANDES CAMPOS Fazenda Cerrado Velho MARTINHO CAMPOS – MG Tel.: (31) 3773-9926 / cel.: (31) 8857-1255 moises@querenca.com.br NELSON CLARET SOARES Fazenda Recanto do Aconchego GOVERNADOR VALADARES – MG Tel.: (38) 9989-7565 ONOFRE EUSTÁQUIO RIBEIRO Fazenda São Bento PARAOPEBA – MG Tel.: (31) 3714-7427 / (31) 9633-0049 onofreer@uai.com.br www.joaofeliciano.com.br ORLANDO DE OLIVEIRA VAZ FILHO Fazenda Santa Isabel PARAOPEBA -– MG Tel. com.: (31) 3714-3191 / (31) 3273-1234 / (31) 3714-4700 santaisabel@uai.com.br

LUIZ CARLOS ROCHA MACEDO Sítio Santa Cruz SANTA BÁRBARA DO MONTE – MG Tel.: (32) 8415-7464 / (22) 8126-2883

ORLANDO GIORDANI DE MOURA Fazenda Vitória e Fazenda SETE LAGOAS – MG Tel.: (31) 3773-1557 / (31) 9986-0046 / (31) 9986-0046 orlandogiordani@retificadieselsete.com.br

LUIZ RONALDO DE OLIVEIRA PAULA Sítio Jubahy UBERABA – MG Tel.: (34) 3322-3522 / (34) 9192-9291 / (34) 9976-0986 / (34)

OSMAR RODRIGUES DA SILVA Fazenda Castelo SÃO JOSÉ DA BARRA – MG Tel.: (35) 3526-8183 / (35) 9921-4261

até 15 de abril de 2013

summerbrazil@passosnet.com.br OSVALDO XAVIER GONÇALVES Fazenda Oxygênio COROACI – MG Tel.: (31) 3342-2775 / (31) 9991-2773 irsf@terra.com.br

Tel.: (34) 3314-8167 / (34) 3332-6880 / (34) 3313-6766 / (34) 9909-2922 epsilva1@terra.com.br fazenda_5r@yahoo.com.br

OSWALDO DE SOUZA JUNIOR Fazenda Prata PRATÁPOLIS – MG Tel: (35) 3536-1738 / (35) 8817-1368

RENATO DA CUNHA OLIVEIRA Fazenda Baixadinha CONCEIÇÃO DA ALAGOAS – MG Tel.: (34) 3332-4733 / (34) 3359-0202 / (34) 9979-5278 / (34) 9105-6566 rcko@terra.com.br fazendabaixadinha@terra.com.br

PAULO AFONSO FRIAS TRINDADE JR. E OUTRA Faz. Nova Trindade UBERABA – MG Tel.: (21) 2272-5000 / (34) 3359-0121 fazenda@novatrindade.com.br

RENATO ROCHA LAGE Fazenda Córrego Frio SANTA MARIA DO ITABIRA – MG Tel.: (31) 3241-1832 / (31) 3241-1832 renaatorochalage@hotmail.com

PAULO CÉSAR BARREIRA Fazenda Vista Alegre CARMO DA MATA – MG Tel.: (31) 3291-6773 / (31) 9953-6317 / (37) 9981-3290 pcbarreira@uol.com.br

RICARDO CORDEIRO DE TOLEDO Fazenda Barreiro Branco ABAETÉ – MG Tel.: (31) 3227-1202 / (31) 3303-9698

PAULO RICARDO MAXIMIANO Fazenda Cabanha e Córrego Branco CAPETINGA – MG Tel.: (35) 3543-1623 / (35) 9126-9070 / (35) 9126-9066 elenaide@carthoms.com.br www.dacabanha.com.br PAULO ROBERTO ANDRADE CUNHA Fazenda Genipapo UBERLÂNDIA – MG Tel.: (34) 3219-4801 / (34) 9971-1692 / (34) 9968-9736 fazenda.genipapo@hotmail.com PECPLAN ABS IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. Fazenda Santo Inácio UBERABA – MG Tel.: (34) 3319-5400 mnery@absnet.com.br www.abspecplan.com.br PEDRO ANANIAS AGUIAR Fazenda Congonhas ARAXÁ – MG Tel.: (34) 3661-2406 / (34) 9108-9988 / (34) 3661-1123 / (34) 9168-0723 PEDRO VENÂNCIO BARBOSA Fazendas Querência e Cristal ONÇA DE PITANGUI – MG Tel.: (31) 3394-7505 / (37) 3235-1216 / (37) 9911-1037 cristalagropec@terra.com.br RAFAEL BASTOS TEIXEIRA Fazenda Mato Dentro VIÇOSA – MG Tel.: (31) 3891-6746 / (31) 9812-3435 / (31) 8865-6746 rafaelzootecnia@yahoo.com.br www.fazendamatodentro.com.br RAFAEL CORRÊA FONTOURA Fazenda Água Santa CONQUISTA – MG Tel.: (34) 3313-9305 / cel.: (34) 9939-9309 RAMIZ MOREIRA E BRETAS Fazenda Estância 4 R’S RIO PIRACICABA – MG Tel.: (31) 3852-2140 / (34) 8647-4655 / (31) 9700-5588 ramizbretas@yahoo.com.br REGINALDO ANTONIO VILELA Fazenda Aurora GOVERNADOR VALADARES – MG Tel.: (33) 3276-8482 / (33) 3271-3530 / (33) 9989-7471 / (33) 3271-1585 REGINALDO JOSÉ DA SILVA Fazenda 5R UBERABA – MG

RICARDO MIZIARA JREIGE Fazenda Nossa Senhora de Lourdes UBERABA – MG Tel.: (34) 3321-7229 / (34) 3336-6707 melhorgen@netsite.com.br RICHARD HEBACH L’ABBATE Fazenda Texana CURVELO – MG Tel.: (31) 3286-8004 rosane@mercosider.com.br ROBERTO DIAS DE CARVALHO Fazenda Juá ARCOS – MG Tel.:(37) 3351-2857 / (37) 3359-7230 / (37) 3351-1443 / (37) 9983-4610 robertodias49@yahoo.com.br ROBERTO MARTINS VILLELA Fazenda São José CACHOEIRA DOURADA – MG Tel. (34) 3261-1453 / (34) 9965-6360 / (34) 3269-9075 / 9668-2042 escritório@fazendamonteazul.com.br ROBSON FIDALGO AMUI Rancho Kalapalu UBERABA – MG Tel.: (34) 3312-5384 / (3) 3312-8258 / (34) 9972-7364 amui@terra.com.br RODRIGO CESAR NEIVA BORGES Fazenda Tiririca PARACATU – MG Tel. (61) 3335-0444 RODRIGO COELHO DENIPOTE Fazenda São José do CanCan SÃO JOSÉ DA BARRA – MG Tel.: (35) 3529-0600 / (35) 9133-1836 rodrigodenipote@hotmail.com RODRIGO LAUAR LIGNANI Fazenda Querença POTE – MG Tel.: (33) 8803-1000 / (33) 9916-4265 rlignani@gmail.com RONALDO ALMEIDA DOS SANTOS Fazenda Fortaleza CARMO DO RIO CLARO – MG Tel.: (35) 9985-5461 ronaldoalmeidasantos@gmail.com RONEY MÁRCIO QUIRINO Fazendas Rayputana e Benfeitor DIVINOPÓLIS – MG Tel.: (37) 9987- 9927 / (37) 3229- 7604 / (37) 3229- 7784 roneyquirino@ig.com.br

Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

99


Tel.: (67) 3342-8742

Mato Grosso - MT

Associados

ABCGIL

até 15 de abril de 2013

SADONANA AGROPEC. LTDA. Fazenda Joaninha BELO HORIZONTE – MG Tel.: (31) 3492-8488 / (31) 3492-9344 sadonanaagropecuaria@hotmail.com

VIRGILIO VOLEFORT MARTINS JUNIOR Fazenda Curralinho MORADA NOVA DE MINAS – MG Tel.: (31) 2191-7800 / (31) 3627-1094 eleide@villefort.com.br

SENHORA DE FÁTIMA S/C LTDA. Fazenda Chácara e Retiro NOVA SERRANA – MG Tel.: (31) 3116-1666 / (31) 9991-6548 picolv@oi.com.br

VITOR CEZAR VELLOZO Fazenda Meu Sonho MERCÊS – MG Tel.: (32) 3212-7866 / (32) 9987-3994

SILVIO QUEIROZ PINHEIRO Fazenda Arapoema UBERABA – MG Tel.: (61) 3233-2848 / (61) 9989-4632 / (34) 9968-0596 silviop@solar.com.br SOCIEDADE EDUCACIONAL UBERABENSE Fazenda Escola Alexandre Barbosa UBERABA – MG Tel.: (34) 3319-8760 / 3319-8763 / 3319-8818 / 3319-8834 zebu@uniube.br zebu2@uniube.br fazenda.escola@uniube.br TRACELIO SANTIAGO DA SILVEIRA JUNIOR Fazenda Toca das Lontras ITAÚ DE MINAS – MG Tel.: (35) 3521-0117 / (35) 3522-6162 tarcelio@yahoo.com.br TARCISIO E. MORAES CASTRO JUNIOR Fazenda Santo Antonio UBERABA – MG Tel.: (34) 9914-9070 / (34) 3332-4398 / 7812566 TERRA MATA AGROPECUÁRIA LTDA. Fazenda Terramata UBERABA – MG Tel.: (34) 3312-0133 terramata@mednet.com.br TOMAZ DE AQUINO RESENDE Fazenda Rancho Fundo das Grotadas SANTO ANTÔNIO DO MONTE – MG Tel.: (31) 3426-8873 / (31) 3653-8873 / (31) 9982-1878 / (31) 9726-0997 tomaz@grotadas.com tomasar@uai.com.br TOMAZ GONZAGA OTONI Fazenda Boa Vista TEOFILO OTONI – MG Tel.: (33) 3521-6692 / (33) 9985-2185 TORRES LINCOLN PRATA CUNHA FILHO Estância Poty UBERABA – MG Tel.: (34) 3312-4977 / Fax: (34) 3312-4916 TROPICAL GENETICA Fazenda Curicaca UBERLÂNDIA – MG Tel.: (34) 3211-5259 / (34 )9178-3176 miltonmagalhaes@terra.com.br miltonneto@tropicalgenetica.com.br vicente@tropicalgenetica.com.br VANIR GARCIA LEÃO Fazenda Xanadu IGUATAMA – MG Tel. res.: (31) 3292-7673 / com. telefax: (31) 3337-4528 luciano.leao@yahoo.com.br adtec@gold.com.br VIRGILIO VILLEFORT MARTINS Fazenda Curralinho MORADA NOVA DE MINAS – MG Tel.: (31) 2191-7826 / (31) 3627-1094 eleide@villefort.com.br virgilio@villefort.com.br

100

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

VLADIMIR SENRA MOREIRA Fazenda Monte Verde FERRO – MG Tel.: (31) 3263-0686 / (31) 3516-7500 WAGNER DE PAULA TITONELI Fazenda Santa Helena PIRAPETINGA – MG Tel.: (32) 3465-2737 / (22) 8118-0000 WILSON CARNEIRO SILVA JUNIOR Fazenda Berço da Lua SANTA JULIANA – MG Tel.: (34) 3332-0101 WINSTON FREDERICO ALMEIDA DRUMON Fazenda Quilombo CANÁPOLIS – MG Tel.: (34) 3268-3359 / (34) 3262-1340 / (34) 3263-1340

Mato Grosso DO SUL - MS CARLOS JACOB WALLAUER Fazenda Belas Artes RIO BRILHANTE – MS Tel.: (51) 9981-5293 / (51) 3638-1164 / (51) 3452-7178 fortaleza@megaembalagens.com.br DENILSON LIMA DE SOUZA Fazenda Cachoeirinha - Gir Pantanal TERENOS – MS TELS: (67) 3341-7835 / (67) 9906-8098 dlsouza@uol.com.br EDUARDO FOLLEY COELHO Fazenda Cabeceira da Prata JARDIM – MS Tel.: (67) 3321-3351 GENÉTICA ADITIVA AGROPECUÁRIA Fazenda Remanso CAMPO GRANDE – MS Tel.: (67) 3321-5166 / (67) 9984-6958 genetica@geneticaaditiva.com.br HELBANIO BARBOSA DE SOUZA Fazenda Fortaleza LAGUNA CARAPÁ – MS Tel.: (17) 3227-3993 / (17) 9772-3255 / (67) 9905-4384 helbanio@gmail.com JOSÉ HENRIQUE FUGAZZOLA DE BARROS Fazenda Natureza NAVIRAÍ – MS Tel.: (16) 9996-0700 / (16) 3761-5588 luanacustodiobarros@hotmail.com ORESTES PRATA TIBERY JR. Fazenda São João TRÊS LAGOAS – MS Tel. (67) 3521-2200 / Contato Rose: (67) 3521-2002 ot.fazendasaojoao@terra.com.br RAVISIO ISRAEL DOS SANTOS Fazenda Los Angeles NOVA ANDRADINA – MS Tel.: (67) 3441-1237 / (67) 9961-1526 ravisiojr@terra.com.br RONAN RINALDI DE SOUZA SALGUEIRO Fazenda Fundão CAMPO GRANDE – MS

EVANDRO LOUREIRO BORDA Fazenda São José do Sapateiro CUIABÁ – MT Tel.: (65) 9981-1833 / (65) 3623-4888 / (65) 3321-4852 elborba@terra.com.br GETÚLIO VILELA DE FIGUEIREDO Estância Cinco Estrelas CUIABÁ – MT Tel.: (65)3624-1136 / (65)3623-1759 / (65)3624-2573 / (11)3758-9668 elsa@grupocincoestrelas.com.br www.grupocincoestrelas.com.br

Pará – PA ANTÔNIO ABÍLIO MARQUES CORDERO Fazenda Fiel Agropecuária Ltda. CASTANHAL – PA Tel.: (91) 4005-3445 / (91) 4005-3440 / (91) 8147-2323 abiliocordero@fiel.srv.br FRANCISCO EDVAN BEZERRA FEITOSA Fazenda Terra Boa de Mandacaru PARAGOMINAS – PA Tel.: (31) 3222-8594 HILTON DA CUNHA PEIXOTO Fazenda Joaíma e Uraím PARAGOMINAS – PA Tel.: (31) 3223-3942 / (31) 9605-0780 / (91) 3729-4388 / (91) 9996-3839 hiltonpeixoto@ig.com.br

Paraíba – PB EMEPA EMPRESA ESTADUAL DE PESQUISA AGROPECUÁRIA DA PARAÍBA S/A Estação Experimental “João Pessoa” UMBUZEIRO – PB Tel.: (83) 3395-1001 / (83) 3221-4504 eejp.@uol.com.br

Paraná – PR BEATRIZ C. GARCIA E FILHOS CONDOMÍNIO Fazenda Cachoeira 2C SERTANÓPOLIS – PR Tel.: (43) 3356-2988 / (43) 3326-9001 fazenda@cachoeira2c.com.br JOÃO SALA Fazenda Bom Pastor UMUARAMA – PR Tel. Res.: (44) 3622-5816 / Com.: (44) 3621-3700 / Fax: (44) 3621-3737 financeiro@autoramaautomoveis.com.br RANCHO SERRANO LTDA. Rancho Serrano LONDRINA – PR Tel.: (43) 3321-6082 / Cel.: (43) 9151-900

JOÃO MADISON NOGUEIRO Fazenda JM TERESINA ¬– PI Tel.: (86) 3232-2284 / (86) 3231-8785 / (86) 9988-1651 laticiniosantateresa@gmail.com

Rio de Janeiro AGROP. COPACABANA COM. E PART. LTDA. Fazenda Agropec. Copacabana RIO DE JANEIRO -– RJ Tel.: (21) 3736-7090 / (21) 8841-7090 andre.monteiro@grupocrivel.com.br ALESSANDRA CONFORT ARNAUD Fazenda Arnaud PINHEIRAL – RJ ALUISIO TELES FERREIRA FILHO Fazenda Tapera AREAL – RJ Tel.: (21) 2629-1629 / (21) 8847-1629 AMANDA SCHUAB SALOMÃO Fazenda Boa Vista – ARARUAMA – RJ Tel.: (21) 3553-7000 / (21) 3553-7002 ANA PAULA DE MARQUE Fazenda Santa Inês CACHOEIRA DE MACACU – RJ Tel.: (21) 2745-4096 / (21) 2745-4064 / (21) 2745-41 paulademarque@yahoo.com.br ARISTEU RAPHAEL LIMA DA SILVEIRA Sítio Gabriel - CACHOEIRAS DE MACACU – RJ Tel.: (21) 2713-5993 / (21) 9584-8524 CARLOS MAURICIO MEDINA GALEGO Fazenda Novo Paraíso – CACHOEIRAS DE MACACU – RJ Tel.: (21) 3150-1736 / (21) 2252-2131 CARMEN ROSA DE C. LINHARES ROIZ Fazenda Boa Esperança SANTO ANTONIO DE PÁDUA – RJ Tel.: (21) 2433-2122 / (21) 2270-2578 fdoces@uol.com.br CELESTINO DA SILVA JUNIOR Fazenda São João dos Coelhos DUAS BARRAS – RJ Tel.: (21) 2533-3378 / (21) 2551-0742 celestinoadv@bol.com.br CLOVIS TOSTES DE BARROS Fazenda São Marçal MIRACEMA – RJ Tel.: (22) 3852-0014 EMERSON TEIXEIRA DE OLIVEIRA Rancho Sagrada Família CACHOEIRA DE MACACU – RJ Tel.: (21) 2487-0912 / (21) 2401-6627 / (21) 2401-5942 / (21) 2419-4206 gir@ranchosagradafamilia.com elizabetholiveira@jpi.com.br www.ranchosagradafamilia.com

Pernambuco – PE

FERNANDO FIUZA DIZ Fazenda Santana CACHOEIRA DE MACACU – RJ Tel.: (22) 2793-1250 / (22) 2793-1268 / (21) 2745-3160 / (21) 9986-1173 fernando@seaflux.com.br

CRISTIANO DE B. MARCIO NOGUEIRA Fazenda Canadá POMBOS – PE Tel.: (81) 9968-6524 / (81) 3482-2566 yanaco.abcz@gmail.com

FILIPE ALVES GOMES Fazenda Volta Fria - Raposo ITAPERUNA – RJ Tel.: (22) 3847-2284 / (22) 3847-2133 / (22) 9963-2284 fazendavoltafria@hotmail.com

FERNANDO ANTÔNIO MAIA RODRIGUES DE ALMEIDA Fazenda Pensilvânia – LAGOA DO CARRO – PE Fazenda Santana – Vitória do Santo Antonio – PE Tel.: (81) 3445-1145 / (81) 8751-1620 / (81) 9133-9090 fazendapensilvania@gmail.com

FRANCINIR ANTÔNIO SANCHES Fazenda Ouro Branco GUAPIMIRIM – RJ Tel.: (21) 2221-1665 / (21) 9110-4900 / (21) 9983-1868 francinirsanches@uol.com.br

SUPRANOR - IND. E COM. LTDA. Fazenda Sanharó ARCOVERDE – PE Tel.: (81) 2122-1855 / (81) 2122-1844 / (81) 9972-0678 supranor@supranor.com.br carlos.alberico@supranor.com.br

GEISSE KERLY DE OLIVEIRA DA SILVA Fazenda Bom Jesus CANTAGALO – RJ Tel.: (22) 9982-7884 / (22) 8139-0101

Peru PEDRO HUAMAN QUISPE Fazenda Cabana Canete Monter Surco – PERU Tel.: (51) 14-2780580

PIauÍ ANDRÉ MAURICIO DE OLIVEIRA NOGUEIRA Fazenda Cajazeiras TERESINA – PI Tel.: (86) 3233-3910 andrenogueirapi@gmail.com

HÉRICA CRISTINA FERREIRA DINIZ GONÇALVES Agropecuária Alambari - RESENDE – RJ Tel.: (24) 3357-1310 / (24) 9996-3906 carmen@agropecuariaalambari.com.br JEAN VIC M.A.A.M.V. E OUT. COND. Fazenda Serra do Lua ITAPERUNA – RJ Tel.: (21) 9968-4282 / (21) 9859-4889 jean_vic@ig.com.br JOÃO BATISTA BATISTA MARINHO Fazenda Vilarejo CONSERVATÓRIO – RJ Tel. (24) 9825-9339 / (24) 2438-1266 / (24) 2438-2164 JOBSON DE ASSIS SALGADO

Rancho Cerro Azul CACHOEIRA DA MACACU – RJ Tel.: (21) 2745-0756 / (21) 9489-7014 salgadoassis@terra.com.br JOSÉ ANTÔNIO LOPES DE NORONHA Fazenda Rancho Paraty CACHOEIRA DE MACACU – RJ Tel.: (21) 9612-4131 JOSÉ ANTÔNIO SILVA LINO Fazenda Acalanto CAHOEIRAS DE MACACU – RJ Tel.: (21) 2548-8845 / (21) 9466-1800 jalagel@gmail.com zoejalzoe@gmail.com www.fazendaacalanto.com.br JOSÉ ARLEY LIMA COSTA Fazenda Parahy CACHOEIRAS DE MACACU – RJ Tel.:(21) 3974-3030 / (21) 2745-4063 / (21) 9140-7266 / (21) 9144-0321 arley@arcoly.com.br parahy@arcoly.com.br www.fazendaparahy.com.br JOSÉ AUGUSTO MACIEL JORDÃO Fazenda Campo dos Sonhos ARUAMA – RJ Tel.: (21) 2498-3745 a.jordao@globo.com luiscarvalho@globo.com JOSÉ CARLOS PIRES COUTINHO Fazenda Mãe D’Água CACHOEIRAS DE MACACU – RJ Tel.: (21)9525-3005 / (21)8196-4146 / (21) 2159-9200 JOSÉ LUÍS NEVES DE CARVALHO Fazenda Makabu SANTA MADALENA – RJ Tel: (21) 2634-2553 / (21) 2222-0553 rurturaresp@uol.com.br LUÍS MARIO MOREIRA SNOCK Fazenda Piedade Santa VALENÇA – RJ Tel.: (21) 2667-2530 LUIZ CARLOS BANDOLI GOMES Fazenda Morro Alto NATIVIDADE – RJ Tel.: (22) 2722-3211 / (22) 2733-1079 / (22) 9981-8707 micromedcom@terra.com.br LUIZ EUTÁLIO RODRIGUES DE ALMEIDA Fazenda Santa Luzia CACHOEIRAS DE MACACU – RJ Tel.: (21) 2745-4096 / (21) 2745-4102 / (21) 2745-4064 / (21) 9272-6562 / eutalio@yahoo.com.br paulademarque@yahoo.com.br LUIZ RONALDO DE OLIVEIRA PAULA Fazenda do Catete PLANALTINA – RJ Tel.: (34)3322-3522 / (34) 9192-9291 / (34) 9204-0007 / (34) 9976-0986 leitegir@leitegir.org.br MARCELO FERREIRA DE MENEZES Fazenda Recreio do Paraiso PIRAÍ – RJ Tel.: (21) 9967-4900 fazenda@fazendarecreiodoparaiso.com MARCÍLIO FIGUEIREDO RODRIGUES Fazenda Quero Vê SÃO JOSÉ DE UBÁ – RJ Tel.: (21) 2704-4304 / (21) 2717-8142 / (21) 9913-5025 / (22) 9896-8008 martamonteiro@predial.com.br MÁRCIO PALMA LEAL Fazenda São José TRAJANO DE MORAIS -– RJ Tel.: (22) 2551- 1573 / (22) 2551-1917 / (22) 8111-2457 / (22) 8124-5252 marcioleal.ratinho@gmail.com MARCO AURELIO GRILLO DE BRITO Fazenda Terra Nova RIO DE JANEIRO – RJ Tel.: (21) 3325-8872 / (21) 3251-7000 / (21) 9159-1616 denise.grillo@terra.com.br MARCUS SILVEIRA DE MORAES Sitio Macapá - SANTA MARIA DE MADALENA - RJ Tel.: (22) 2551-0085 / (22) 2551-9000 / (22) 8823-6169 marcusmarcao@ig.com.br MILA DE CARVALHO LAURINDO E CAMPOS Fazenda Recreio SÃO JOSÉ DE UBÁ – RJ Tel.: (32) 3722-3416 / cel.: (22) 8803-4690 OTTO SOUZA MARQUES JUNIOR Fazenda Babitonga CACHOEIRAS DE MACACU – RJ Tel.: (21) 2612-0031 / (21) 2745-4044 / (21) 2612-0859 / (21)


9478-5169 ciadoleitemarapora@ig.com.br

adonias@girveredas.com.br girveredas@girveredas.com.br

Tel.: (16) 9227-0079 fazbetel@terra.com.br

PAULO MARCIO G. CONANGIA Fazenda Mico-Leão-Dourado SILVA JARDIM – RJ Tel.: (21) 2266-3748 PLINIO BASTOS DE BARROS NETTO Fazenda Prosperidade MIRACEMA – RJ Tel.: (21) 8100-8912 pliniobastos@grupobertin.com.br

AGROPECUÁRIA E IMOBILIÁRIA MARIPÁ LTDA. Fazenda Castelo JAGUARIÚNA – SP Tel.: (11) 3156-0859 / (11) 3156-0853 / (11) 3120-4984 / (16) 9139-5853 agromaripa@protege.com.br www.harasmaripa.com.br

FERNANDO AUGUSTO REHDER QUINTELLA Fazenda Angolinha MOCOCA – SP Tel.: (11) 3034-3084 / (11) 3854-1774 / (11) 9660-2562 gquintella@uol.com.br

RENATO GUIMARÃES Fazenda Indaiá PIRAÍ – RJ Tel.: (21) 2502-7495 / (24) 2431-1274 / (24) 2431-1387 fazendaindaia@girdepirai.com.br www.girdepirai.com.br RIBAMAR MACEDO COELHO Fazenda Sítio Santa Luzia CORDEIRO – RJ Tel.: (21) 2611-2286 / (21) 3637-3131 / (21) 9987-3200 RODRIGO MARTINS BRAGANÇA Fazenda Novo Destino APERIBÉ – RJ Tel.: (22) 3864-1106 / (22) 9977-0001 rodrigobraganca@okinternet.com.br SERGIO LESSA Fazenda Las Horas VASSOURAS -– RJ Tel.: (21) 2492-5524 / (21) 2259-1245 / (21) 2259-0099 s.lessa@alternex.com.br VOLMER CERQUEIRA JACINTO Fazenda São Geraldo CORDEIRO – RJ Tel.: (21) 2222-1394 / (21) 9220-4930 / (22) 2551-1582

AMILCAR FARID YAMIN Fazenda São Judas Tadeu do Chapadão PORTO FELIZ – SP Tel.: (11) 2131-7755 / (11) 2131-7778 / (15) 3262-6050 nair@corona.com.br ANDERSON PONTES Estância Agro Pontes BIRIGUÍ – SP Tel.: (18) 3642-2288 / (18) 3643-3563 / (18) 8113-0672 anderson@andersoncomponentes.com.br ANTONIO LOPES BATISTA Fazenda Albalat ATIBAIA – SP Tel.: (11) 2423-2800 (11) 9330-9619 / (11) 2421-7902 / (11) 4402-9016 alopes@superlopes.com.br paula.renesto@superlopes.com.br BOM JARDIM DA SERRA AGROPECUÁRIA LTDA . Fazenda Quebra Cuia MOCOCA – SP Tel.: (19) 3665-3634 / (19) 3667-8446 / (19) 3665-5059 / (19) 3656-7618 bomjardim@terra.com.br fazendaquebracuia@uol.com.br gquintella@uol.com.br www.fazendabomjardim.com.br

Rio Grande do Norte – RN

BRÁULIO QUEIROZ PINHEIRO Fazenda Nova Estiva BURITIZAL – SP Tel.: (16) 3729-3870

ACÁCIO SANZIO DE BRITO Fazenda Riacho Fundo SERRA NEGRA DO NORTE – RN Tel.: (84) 3616-7900 / (84) 9962-3022 acacio@rn.sebrae.com.br

BRUNO KNOOP CARDOSO NOBRE DE CAMPOS Sítio Três Colinas APARECIDA – SP Tel.: (12) 3672-2783 bruno.knoop@gmail.com

EMPARN- EMPRESA DE PESQUISA AGROPEC. DO RIO GRANDE DO NORTE S/A Campo Experimental Felipe Camarão SÃO GONÇALO DO AMARANTE – RN Tel.: (84) 3232-5864 emparn@rn.gov.br www.emparn.rn.gov.br

CARLOS ALBERTO DA SILVA Rio Vale Agronegócios PORANGABA – SP Tel.: (11) 3063-1899 / (11) 3889-0507 / (11) 9105-2030 cliente@riovale.com carlos@publique.com www.riovale.com

Rio Grande do Sul – RS JOSÉ ADALMIR RIBEIRO DO AMARAL Fazenda das Nogueiras CAXIAS DO SUL – RS Tel.: (54) 3283-1491 / (54) 3283-1625 / (54) 9975-4906 comercial@fazendadasnogueiras.com.br amaral@ultrapoxi.com.br www.fazendadasnogueiras.com.br

Rondônia – RO GEOVANI NUNES BARROSO Fazenda Curralinho JARU – RO Tel.: (69) 3521-1661 / (69) 9221-5384 geovani.dogirleiteiro@hotmail.com geovani@barroso@hotmail.com JOSÉ ELIAS DOS SANTOS Fazenda Dalas COCAL – RO Tel.: (69) 3441-5222 / (69) 9224-0331 acearensekcoal@hotmail.com

Santa Catarina – SC SEMEX DO BRASIL IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. Central BLUMENAU – SC Tel.: (47) 3338-1400 / (47) 3231-0400

São Paulo – SP ACCELERATED GENETICS DO BRASIL LTDA - AXELGEN Faz. Santo Antônio da Alegria MOCOCA – SP Tel.: (16) 2137-7700 / (16) 9131-8719 / (16) 9128-2010 / (16) 9262-3018 jcastro@axelgen.com.br secretaria@axelgen.com.br vivacqua@axelgen.com.br www.axelgen.com.br ADONIAS SOUZA DOS SANTOS Estância Vale dos Veredas JUQUITIBA – SP Tel.: (11) 4667-2127 / (11) 5823-3017 / (11) 9114-0667

CENTRAL GENENTICA LIMOUSINI LTDA. Fazenda São Judas Tadeu do Chapadão PORTO FELIZ – SP Tel.: (11) 2131-7755 / (11) 2131-7778 / (15) 3262-6050 nair@corona.com.br CRISTIANO DE OLIVEIRA CANHA Fazenda Menina Paula SÃO JOSÉ DO BARREIRO – SP Tel.: (21) 9873-9914 / (21) 9999-4000 CRV LAGOA DA SERRA LTDA. Fazenda CRV Lagoa da Serra SERTÃOZINHO – SP Tel.: (16) 2105-2299 / (16) 2105-6677 adriana.zaia@crvlagoa.com.br www.crvlagoa.com.br DALILA GALDEANO LOPES Sítio São João MARÍLIA – SP Tel.: (14) 3425-2944 / (14) 2105-7777 / (14) 2105-7758 dalilagl@terra.com.br DANIEL COSTA MENDES Rancho Campo Alegre - SÃO JOÃO DA BOA VISTA - SP Tel.: (19) 3622-2959 / (19) 9100-7555 / (19) 8109-5551 / (19) 9144-3443 daniel@girleiteiroca.com.br www.girleiteiroca.com.br DUARTE QUEIROZ PINHEIRO Fazenda Santa Rita da Estiva - BURITIZAL -SP Tel.: (16) 9998-7842 duarteqpinheiro.girdaestiva@hotmail.com EDUARDO FALCÃO DE CARVALHO Estância Silvania CAÇAPAVA – SP Tel.: (12) 3302-3077 / (12) 9713-7144 / (12) 9761-2237 girleiteiro@estanciasilvania.com.br www.estanciasilvania.com.br EDUARDO NICOLAU AMBAR Estância Saint. Nicolas ÁGUAS DE LINDÓIA – SP Tel.: (19) 3824-2259 FÁBIO PINTO DA COSTA Fazenda Betel IBITINGA – SP

Associados

INSTITUTO DE ZOOTECNIA DO ESTADO DE SÃO PAULO Estação Experimental de Zootecnia de Ribeirão Preto Ribeirão Preto – SP Tel.: (19) 3656-0200, ramal 26 / (19) 3466-9400 polonordestinopaulista@apta.sp.gov.br

ABCGIL

JOAO ANTÔNIO GABRIEL Estância Santa Maria TAQUARITUBA – SP Tel.: (14) 3762-4349 / (14) 3672-1830 / (14) 3762-2164 / (14) 9148-6258 neloregabi@itelefonica.com.br

até 15 de abril de 2013

JOÃO CARLOS DE ANDRADE BARRETO Fazenda Adriana VALENTIM GENTIL – SP Tel.: (17) 3485-7451 / (17) 3485-1356 / (17) 9113-8433 / (17) 9136-8728 fazendaadriana@grupobarreto.com.br carlinhosbarreto@grupobarreto.com.br

valaodocedro@ig.com.br valaodocedro@uol.com.br www.valaodocedro.com.br

JOÃO CARRIJO DA CUNHA Fazenda Chaminé da Cachoeira RESTINGA – SP Tel. res.: (16) 3722-2922 / (16) 9967-5122 joao.carrijo@gmail.com

LUÍS ISIDORO FELIPE Fazenda Nova Avanhadava e Rancho LF ZACARIAS – SP Tel.: (11) 6755-8764 / (11) 9214-7674 / (11) 9742-2070 luisisidorofelipe@yahoo.com.br

JOAQUIM JOSÉ DA COSTA NORONHA E OUT. COND. Fazenda Terra Vermelha VARGEM GRANDE DO SUL – SP Tel. (19) 3643-7033 / (19) 9105-6660 / (19) 3631-6575 girleiteirocampoalegre@yahoo.com.br www.girleiteiro-ca.com

LUIZ FERNANDO TARANTO NEVES Fazenda Santa Maria da Barra Grande ITATINGA – SP Tel.: (11) 3287-8361 / (11) 3289-4122 / (11) 3289-5808 / (14) 3847-3678 lfernando@fcl.com.br

JORGE NUNES PEREIRA FILHO Chácara Santa Helena JACAREÍ – SP Tel.: (12) 3962-6264 / (12) 3951-2000 / cel.: (12) 9713-2296 JOSÉ CARLOS DE O. MACHADO JR. Mirante da Serra Hotel Fazenda PORTO FELIZ – SP Tel.: (11) 4026-1364 JOSÉ DE CASTRO RODRIGUES NETTO Fazenda Santana da Serra CAJURU – SP Tel.: (19) 3667-9404 / (16) 9128-2010 / (16) 2137-7700 jcastro@axelgen.com.br contato@girleiteirofb.com.br www.girleiteirofb.com.br JOSÉ EDUARDO OLIVEIRA CORREA MELO Sítio Paineiras – SÃO PAULO – SP Tel.: (11) 5523-9478 / (11) 3231-4589 zemello@uol.com.br JOSÉ FRANCISCO JUNQUEIRA REIS Fazenda Santa. Fausta e São Francisco de Assis LINS – SP Tel.: (14) 3522-2247 / (14) 3522-2948 / (14) 3523 6233 / (14) 9745-1470 / santafausta@uol.com.br

LUIZ ROBERTO LIMA DE MORAES Sítio Água da Mata PONGAÍ – SP Tel.: res. (11) 4521-5949 / com. (11) 4039-4070 / cel.: (11) 7205-8447 lrl.moraes@bol.com.br www.thermoprat.com.br MAMEDI MUSSI NETO E OUTRO COND. Estância 2M BARRETOS – SP Tel.: (17) 3322-5485 / (17) 3322-7900 / (17) 8141-5797 mamedimn@superig.com.br MANOEL IZIDORO DO CARMO Sítio Passagem da Servidão SANTO ANDRÉ – SP Tel.: (11) 4451 6803 / (11) 8515-8717 construtoraccs@ig.com.br vitalconstru@uol.com.br MARCELO COSTA CENSONI E OUTROS Fazenda Amazonas LEME – SP Tel.: (19) 3633-2680 / (19) 35727463 / cel.: (19) 9775-1640 MARCELO MIRANDA DE MEDEIROS Fazenda Boa Vista TAUBATÉ – SP Tel.: (12) 3621-3210 / (12) 8111-9918

JOSÉ LUIZ JUNQUEIRA BARROS Fazenda Café Velho CRAVINHOS – SP Tel.: (16) 3625-2323 / (16) 3625-2174 joseljbarros@terra.com.br

MARCOS RONALDO GASPAR Fazenda Rancho Tunin CONCHAS – SÃO PAULO Tel.: (15) 3283-3309 / (15) 3283-3283-3461 / (15) 9796-4646

JOSÉ MARIA DE OLIVEIRA Fazenda Retiro CAMPINAS – SP Tel.: (19) 3256-4979 jmoliveira1@terra.com.br

MARIA TEREZA LEMOS COSTA CALIL Fazenda Paraiso FRANCA – SP Tel.: (16) 3625-6253 / (16) 3977-2700 / (16) 8155-4444 / (16) 8155-5667 mariatereza@fazendaparaiso.com.br

JOSÉ ORLANDO BORDIN Fazenda Araquá CHARQUEADA – SP Tel.: (11) 3813-7187 / (11) 5571-5494 / (11) 9614-2644 / (19) 3486-4601 geneticagir@gmail.com www.geneticagir.com.br

MARIO ROBERTO EWBANK SEIXAS Fazenda Estância Mário Roberto PATROCÍNIO PAULISTA – SP Tel.: (16) 3145-1727 / (16) 3723-1515 / cel.: (16) 9999-9200 postomarioroberto@hotmail.com www.marioroberto.com.br

KENYTI OKANO Fazenda Santo Antônio ITUVERAVA – SP Tel.: (16) 3729-3391 / (16) 8118-0056 / (16) 3729-3646 / (16) 8118-0012 adrianookano@carol.com.br LEANDRO FORTUNATO Sítio Vô Dubeto PORTO FELIZ – SP Tel.: (11) 4393-6363 leandro@prodemol.com.br LÚCIO RODRIGUES GOMES Fazenda Valão do Cedro TAUBATÉ– SP Tel.: (12) 3631-6329 / (12) 3632-6575 / (12) 9719-7219 / (12) 9156-6330

MB AGRÍCOLA E PECUÁRIA LTDA . Fazenda Boa Esperança da Serra MOCOCA – SP Tel.: (19) 3666-5500 / (19) 3656-2850 / (16) 9791-1090 / (16) 9775-6949 sbsantos@dglnet.com.br MILTON OKANO Sitio Nossa Senhora Aparecida ITUVERAVA – SP Tel. 16-3839-3230 ou 16-8126-9584

boi.assessoria@terra.com.br NOÉ ARAÚJO Fazenda Santo Antônio da Bela Vista PARAIBUNA – SP Tel.: (11) 3549-4990 / (11) 3288-5458 noearaujo@neoaraujoadoadv.com OURO FINO GENÉTICA ANIMAL LTDA. Sítio Haras Vitória BRODOWSKI – SP Tel.: (16) 3512-2109 / (16) 3664-5008 osmar.junior@ourofino.com www.ourofino.com PAULO MASSANORI YAMAMOTO Fazenda Laranja Azeda PEREIRA BARRETO – SP Tel.: (18) 9180-7483 PAULO ROBERTO CURI E RODRIGO CURI Fazenda Clarão da Serra PARDINHO – SP Tel.: (14) 3882 2889 / (14) 9713 6841 rodcuri@lpnet.com.br PEDRO AVEDIS SEFERIAN Fazenda Danpris AVARÉ – SP Tel.: (11) 3022-9441 /(11) 3683-2666 / (11) 9932-2158 pedro@cobernit.com.br SÉRGIO LUIZ NEVES DE OLIVEIRA ANDRADE Fazenda São Francisco PARAIBUNA – SP Tel.: (12) 3941-6156 / (12) 3974-0434 / (12) 3941-6156 / (12) 9719-5266 sergiolona@bol.com.br URAPA PECUÁRIA E AGRÍCOLA LTDA. Fazenda Matão BOTUCATU – SP Tel.: (14) 3882-4880 VALENTIM PECOLLOTTO NETO Sítio Venez CAMPINAS – SP Tel.: (19) 3231- 2499 valntimpeccolotto@terra.com.br VALÉRIA RIBAS CAMARGO Estância Guatambu ATIBAIA – SP Tel.: (11) 6221-3247 / (11) 6203-9363 fazendaguatambu@fazendaguatambu.com.br WALDIR JUNQUEIRA DE ANDRADE Fazenda Iracema LINS – SP Tel.: (14) 3522-1196 / (14) 3522-1094 / (14) 3522-2705 / (14) 9118-5362 waldirja@linsnet.br andreandrade@linsnet.br YASMINE PIMENTA LOPES Fazenda Canoa ATIBAIA – SP Tel.: (11)2089-387 alopes@superlopres.com.br

Tocantins – TO NAPOLEÃO MACHADO PRATA E FILHOS Fazenda Prata do Norte ARAGUAINA – TO Tel.: (63) 3421-4336 / (63) 3411-1159 / (63) 9207-2729 fazendapratadonorte@hotmail.com

NELSON ARIZA Sítio Monte Alegre NOVA GRANA – SP Tel.: (17) 2136-9013 / (17) 3234-2086 / (17) 8122-2175 / (17) 8115-7651 nelsonariza@riopretopetroleo.com.br Revista Gir Leiteiro 2013 ||||

101


Agenda EXPOSIÇÕES Maio 79ª ExpoZebu – Uberaba – MG 3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Curvelo – MG 5ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Patos de Minas – MG 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Atibaia – SP 7ª Exposição Especializada do Gir Leiteiro de Franca – SP – Expoagro 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Jequié – BA 3ª Exposição Estadual do Gir Leiteiro de Goiás – Goiânia – GO

2013

4ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Cachoeiras de Macacu – RJ

5ª Expo. Estadual do Espírito Santo da Raça Gir Leiteiro – Vitória – ES 4ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Luziânia – GO 3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Ituverava – SP 4ª Exposição Gaúcha de Gir Leiteiro - Expointer 2013 - Esteio - RS

Setembro 6ª Exposição Especializada do Gir Leiteiro de Uberlândia – MG – Camaru 4ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Macuco – RJ

Junho 3ª Exposição Especializada do Gir Leiteiro de Belo Horizonte – MG 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro Ituiutaba – MG 3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro Ourinhos – SP 4ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Morrinhos – GO 3ª Exposição Especializada do Gir Leiteiro de Quissamã – RJ 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Jataí – GO

4ª Exposição Regional de Gir Leiteiro de Teófilo Otoni – MG 4ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Unaí – MG 4ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Bela Vista do Goiás – GO 5ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Alagoinhas – BA

Outubro 4ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de São José do São José do Rio Preto – SP 13ª Exposição Especializada do Gir Leiteiro de Brasília – DF – Expogil - Fest

Julho Megaleite - 15ª Exposição Nacional do Gir Leiteiro de Uberaba – MG 5ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Governador Valadares – MG 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Pompéu – MG 3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Araçatuba – SP 8ª Exposição Estadual Fluminense do Gir Leiteiro de Cordeiro – RJ

Agosto 4ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Itabira – MG 5ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Paracatu – MG 7ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Mococa – SP 7ª Exposição Estadual Mineira do Gir Leiteiro – Sete Lagoas – MG 4ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Salvador – BA

102

| | | | Revista Gir Leiteiro 2013

2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Tupã – SP

Novembro Feileite - 5ª Exposição Internacional do Gir Leiteiro – São Paulo – SP Fenagro - 9ª Exposição Estadual Baiana do Gir Leiteiro – Salvador – BA


Matrícula Associado

9 44 38 54 40 53 4 27 11 31 30 21 51 49 1 50 6 37 3 28 26 52 18 36 14 16 41 29 2

ADONIAS SOUZA DOS SANTOS ADRIANO MALUF AMUI ADRIANO VAZ DE LIMA AGRO SANTA BÁRBARA ALESSANDRA CONFORT ARNAUD ALEXANDRO GOMES RIBEIRO AMILCAR FARID YAMIM ANDRE LUIZ PONTES ANTONIO LOPES BATISTA ANTONIO PAULO ABATE APARECIDO VOLPATO AUGUSTINHO ANTONIO PEREIRA AIRES (IN MEMORIAN)

BOM JARDIM DA SERRA AGROPECUÁRIA CAMILA ALMEIDA ALVES CARLOS ALBERTO DA SILVA C.R.I. GENÉTICA DALILA GALDEANO LOPES DANIEL COSTA MENDES EDUARDO FALCÃO DE CARVALHO EDUARDO NICOLAU AMBAR ELZA MARLI SALATINO FAZENDA SANT’ANNA FLAVIO MANZATTO GEISSE KERLY DE OLIVEIRA SILVA GERALDO A. DE OLIVEIRA MARQUES GERALDO BENEDITO GENTILE STEFANO GILSON CARLOS BARGIERI JOÃO ANTONIO GABRIEL JOAQUIM J. DA C. NORONHA

Município

PIRAJUÍ - SP UBERABA - MG SÃO JOÃO DA BOA VISTA - SP UBERABA - MG PIRAÍ E PINHEIRAL - RJ SETE BARRAS - SP PORTO FELIZ - SP BIRIGUI - SP ATIBAIA - SP SÃO PAULO - SP PEREIRAS - SP ATIBAIA - SP MOCOCA - SP CAÇAPAVA - SP PORANGABA - SP SÃO CARLOS - SP MARÍLIA - SP SÃO JOÃO DA BOA VISTA - SP CAÇAPAVA - SP ÁGUAS DE LINDÓIA - SP BIRIGUI - SP RANCHARIA - SP / UBERABA - MG BIRIGUI - SP CABO FRIO - RJ SÃO SEBASTIÃO DO RIO VERDE - MG GARÇA - SP ITANHAÉM E CAÇAPAVA - SP / UBERABA - MG TAQUARITUBA - SP VARGEM GRANDE DO SUL - SP

Matrícula Associado

25 22 20 19 35 34 10 8 7 23 17 13 15 39 32 48 24 12 33 46 43 56 55 42 45 5 47 57 58

JOSÉ CARLOS DE OLIVEIRA M. JR. JOSÉ DE CASTRO RODRIGUES NETO JOSÉ LUIZ PIRES DE CAMPOS JOSÉ ORLANDO BORDIN JOSÉ ROBERTO ROLAND DE OLIVEIRA JULIO DOS SANTOS FILHO KENYTI, ADRIANO OKANO LEANDRO FORTUNATO LECY RIBAS CAMARGO FILHO LÚCIO RODRIGUES GOMES LUIZ ALBERTO MIORALI LUIZ FERNANDO TARANTO NEVES LUIZ ROBERTO LIMA DE MORAES MARCELO COSTA CENSONI MARCOS RONALDO GASPAR MARIA ROSANIA ALVES MARIA STELA BARRETO MARIA TEREZA LEMOS COSTA CALIL MARIO CESAR DE MORAES MARTA DE AZEVEDO BERNARDES NELSON ARIZA OURO FINO AGRONEGÓCIO LTDA. PAULO MASSANORI YAMAMOTO PAULO RICARDO MAXIMIANO PAULO SÉRGIO LEME GONÇALVES PEDRO AVEDIS SEFERIAN RENATA OKANO RODRIGO ABDALLAM CURI URAPA PECUÁRIA E AGRÍCOLA LTDA.

Município

PORTO FELIZ - SP CAJURU - SP PORANGABA - SP CHARQUEADA - SP UBERABA - MG UBERABA - MG ITUVERAVA - SP PORTO FELIZ - SP ATIBAIA - SP TAUBATÉ - SP OSCAR BRESSANE - SP ITATINGA - SP PONGAÍ - SP CASA BRANCA - SP CONCHAS - SP PIRAJUÍ - SP MOCOCA - SP FRANCA - SP PORANGABA- SP VARGEM GRANDE DO SUL – SP SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP RIBEIRÃO PRETO - SP PEREIRA BARRETO - SP CAPETINGA - MG PIRATININGA - SP AVARÉ - SP ITUVERAVA - SP BOTUCATU - SP BOTUCATU - SP


Revista Gir Leiteiro nº16 - Maio 2013  

Revista Gir Leiteiro nº16 - Maio 2013  

Profile for abcgil
Advertisement