__MAIN_TEXT__

Page 1

Revista

ISSN 1679-6659 – ANO 11 – NÚMERO 12 – MAIO DE 2011

Uma empresa do

ontrole Leiteiro SÓ SELECIONA QUEM FAZ


2

| | | | Revista Gir Leiteiro 2010

Revista Gir Leiteiro 2010 ||||

3


A expressiva participação do Gir Leiteiro na 77ª ExpoZebu

O

Zzn Peres

4

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

s registros que agora encontrei apontam para o final da década de 60 como sendo o último período de supremacia numérica da raça Gir na ExpoZebu. Naquela época eu estudava em Franca e tive a oportunidade de, a convite de um colega, acompanhá-lo em uma viagem a Uberaba onde seu pai, criador de Gir, atuaria como jurado da raça na ExpoZebu. Na viagem, ainda na poeira, os comentários do experiente criador e jurado eram de que o Gir de Franca – identificado como leiteiro, era um gado muito pequeno, descarnado e que, portanto, não tinha futuro em comparação com o Gir que estava sendo apresentado no parque Fernando Costa. Acompanhei o julgamento e, confesso, fiquei impressionado com o desenvolvimento dos animais, o peso e a beleza. Aqueles comentários, instalados em minha memória, insistem em vir à tona para desafiar o pensamento e a razão. O tempo passou e muita coisa aconteceu. Hoje, ao buscar os números do desenvolvimento da raça Gir, mostrados em gráficos aqui na revista, deparamos com dados que realmente explicam a importância da seleção focada em objetivos funcionais, fundamentada em bases tecnológicas e científicas. Nesta edição da Revista Gir Leiteiro encontraremos algumas motivações que justificam a expressiva participação do Gir Leiteiro nos principais eventos da pecuária brasileira e, em especial, na 77ª ExpoZebu, na qual a raça – apenas os identificados como leiteiros, é responsável pelo recorde de participação com mais de 1000 animais. São quase 100 vacas somente no concurso leiteiro. Creio que seja recorde mundial. Pergunto-me: o que meus companheiros daquela viagem podem estar pensando diante deste fato inédito? Depois de quase meio século pelo cerne perene e confiável do trabalho de seleção leiteira alicerçado em bases científicas, a raça resgata sua supremacia.

Palavra do PRESIDENTE

Histórias à parte, o calendário comercial de Uberaba é outra sólida constatação do interesse do mundo na genética provada que apenas o rebanho brasileiro tem condições de oferecer. De um total de 46 remates as linhagens do Gir Leiteiro serão ofertadas em 14 leilões específicos, além de protagonizar as ordens de entrada de dois eventos beneficentes, viabilizados com lotes doados por selecionadores de várias raças. Os números do Gir Leiteiro na ExpoZebu resultam da soma de conceitos de credibilidade de um projeto sério focado na seleção com base em dados zootécnicos. Nosso gado zebuíno é detentor do maior e mais eficiente potencial produtivo e reprodutivo para a sustentabilidade da cadeia leiteira global. E não há nada que contradiga minha afirmação. A diferenciação de linhagens com a nomenclatura vocacional e funcional já foi aprovada no Conselho Técnico da raça e aceita pela ABCZ que passa a usar o termo ‘Gir Leiteiro’ em publicações e informativos. A ExpoZebu 2011 certamente ficará como um marco para a raça. Nossos associados, os produtores de leite de todas as regiões e todos os profissionais interessados na cadeia produtiva do leite, são convidados, especiais, para testemunharem este evento histórico. A ABCGIL indica a feira como oportunidade inédita para conhecer, conferir as informações, negociar em grandes leilões e passar a integrar o mundo do Gir Leiteiro. Aproveito este momento para agradecer, com alegria legítima, a confiança dos criadores que compreenderam a importância da raça, investiram na multiplicação da genética e, ao se associar à ABCGIL, não só se firmaram como genuínos e apaixonados selecionadores do Gir Leiteiro, mas passaram a integrar o maior movimento de consolidação de uma raça. Jamais será redundante ou suficiente repetir aos quatro ventos que os pioneiros do Gir Leiteiro são heróis, porém, a determinação individual e a competência de cada criador foram definitivas nesta conquista. Não há disputa entre raças até porque são complementares. Existe, sim, incentivo para que todos trabalhemos unidos pela nobre causa de melhorar a qualidade de vida do produtor rural. Todos nós, criadores de Gir Leiteiro e associados da ABCGIL, podemos nos orgulhar deste momento e manter a certeza de que nossa Associação existe para “promover soluções inovadoras que assegurem ao Gir Leiteiro ser a mais sustentável e adequada raça leiteira tropical do mundo”. As portas da ABCGIL estão abertas a todos os interessados e em nosso site há muito mais informações. O endereço é www.girleiteiro.org.br Boa leitura! Recebam o meu abraço.

Silvio Queiroz Pinheiro Presidente da ABCGIL

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

5


16

CURTAS DA ABCGIL Fique por dentro das notícias mais importantes do Gir Leiteiro. ANO 11 – NÚMERO 12 – MAIO DE 2011

PÁGINAS BRANCAS

Sumário

Tá todo mundo lendo a nova revista Gir Leiteiro. CAMPO TÉCNICO

O PNMGL NA PRÁTICA

ABCGIL ABRE ESPAÇO EM NOVAS FRENTES

LEITE AFORA GIR LEITEIRO FAZ BONITO NA FEILEITE E NA EMAPA Raça foi o destaque dessas exposições, com forte participação, recorde de animais, qualidade e inovação.

64

Ferramenta de seleção zootécnica, baseada em grandezas mensuráveis, mostra o valor real do animal.

Zzn Peres

44

GALERIA DE FOTOS Confira os melhores momentos das exposições

CAPA

CONTROLE LEITEIRO, PASSAPORTE PARA O GIR LEITEIRO

48 54 64

Ao apostarem nessa ferramenta de seleção, os pioneiros lançaram as bases para o reconhecimento e o valor da raça. HORA DA SAÚDE

DÊ “OUVIDOS” AO SEU ANIMAL

70

Otite parasitária: um mal que acomete o Gir Leiteiro e age em silêncio.

special

HORA DO MANEJO

MASSA VERDE BEM MAIS APROVEITADA

74

O pastejo rotacionado integra o animal à planta, ao solo e a outros componentes do ambiente, melhorando a produtividade.

78

Zzn Peres

Um giro

ESPECIAL

E

ntrevistas

L

48

pelas associações Conheça as novas parcerias e saiba o que as entidades estão realizando para fomentar a raça pelo Brasil afora.

A

94

Zzn Peres

de qualidade e quantidade do Gir Leiteiro na Feileite e na Emapa.

Zzn Peres

78

GALERIA DE FOTOS EXPOSIÇÕES Quem acontece no Gir Leiteiro.

BATE-PAPO NA COCHEIRA GIR VEREDAS Um rebanho de tirar o chapéu.

OBJETIVOS DE SELEÇÃO: COMO E O QUE SELECIONAR

84 90 94

Equipe do PNMGL realiza estudo para se chegar a um índice econômico de seleção para seus reprodutores e matrizes.

rtigo Técnico

Equipe do PNMGL

Confira o show

Wagner Rossi,

ministro da Agricultura, destaca o Gir Leiteiro e suas qualidades.

eite Afora

ABCGIL AVANÇA EM NOVAS FRONTEIRAS

Bom trabalho gera confiança e atrai novos parceiros. Agora, são nove associações pelo Brasil afora.

ARTIGO TÉCNICO

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

40

Para aumentar o efetivo de rebanhos colaboradores, associação aposta na realização de palestras.

passaporte para a raça

8

TESTE DE PROGÊNIE

2ª Prova de Pré-Seleção de Touros da ABCGIL/Embrapa.

Controle leiteiro,

Zzn Peres

30

GALERIA DE FOTOS

apa

24

24

Wagner Rossi, ministro da Agricultura, destaca a raça e seus valores para a pecuária nacional, em especial o PNMGL.

C

e

ENTREVISTA

estuda índice econômico de seleção para reprodutores e matrizes.

CRÔNICA

CALCIOLÂNDIA, A TERRA DO LEITE PROFISSIONAL

97

Templo maior do Gir Leiteiro, criatório detém em seu rebanho as principais doadoras da raça da atualidade. ENCHENDO O BALDE

NA BRASÍLIA, O LEITE É TUDO

101

A crônica de Carlos Alberto da Silva tem como pano de fundo o reduto dos Peres, onde o controle leiteiro data dos anos 60. E AINDA: LISTA DE ASSOCIADOS DA ABCGIL

104

AGENDA DE EXPOSIÇÕES 2011

114 Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

9


Zzn Peres

ISSN 1679-6659

Palavra do

Uma empresa do

EDITOR

Grupo Publique - (11) 3063.1899 . Al. Itu. 1063 - 2º andar CEP 01421-001 - Jardins - São Paulo/SP www.publique.com . girleiteiro@publique.com

Béth Mélo

JORNALISTA

Gutche Alborgheti

REDATOR, DIRETOR DE ARTE E DIAGRAMAÇÃO

Caros Companheiros GirLeiteristas,

Associação Brasileira Sede: Pç. Vicentino Rodrigues da Cunha, 110 – Pq. Fernando Costa dos Criadores de Gir Leiteiro CEP 38022-330 - Uberaba/MG

Escritório Técnico: Av. Edilson Lamartine Mendes, 215 – Pq. das Américas CEP 38045-000 – Uberaba/MG – Brasil . (34) 3331-8400 www.girleiteiro.org.br • girleiteiro@girleiteiro.org.br

É

com sensação de dever cumprido que mais uma vez chego a uma ExpoZebu, desta vez , pelo 25º ano consecutivo, comemorando portanto minhas Bodas de Prata nessa que é a maior mostra zebuína do mundo. O que nem eu e talvez, nem você, pudesse prever é que nosso Gir Leiteiro seria a raça com maior número de animais do certame. Um golaço que todos nós criadores de Gir só temos que nos orgulhar. Outro privilégio que me cabe comemorar é o fato de poder fazer chegar às suas mãos mais uma edição desta Revista Gir Leiteiro, que tanto sucesso tem feito no nosso mundo do agronegócio, pela beleza de suas páginas e pelo seu conteúdo de primeira linha. Esse reconhecimento de todos quanto à qualidade da revista eu credito a muitas mãos: à equipe afinada e atenciosa da ABCGIL, à competente e aguerrida equipe da Publique, aos nossos anunciantes, que confiam no padrão de qualidade e ao público altamente selecionado que lê a revista. Queria finalizar essas linhas destacando a belíssima capa desta edição, um trabalho brilhante de Gutche Alborgheti, nosso diretor de Arte sobre uma foto do talentoso fotógrafo e amigo Zezinho Peres.

Carlos Alberto da Silva

Diretor Vice-Presidente: Lúcio Rodrigues Gomes Diretor de Marketing: Rodrigo Martins Bragança Diretor Administrativo/Financeiro: Anibal Eugênio Vercesi Filho Diretor Técnico: Anibal Eugênio Vercesi Filho

JORNALISTA

Gustavo Pires

Planner criativo e redator

CONSELHO DIRETIVO Presidente: Flávio Lisboa Peres

Membros: Silvio Queiroz Pinheiro, José João Salgado Rodrigues dos Reis, Rubens Resende Peres, José de Castro Rodrigues Neto, Eduardo Falcão de Carvalho, Ângelo Lucciola Neto, Léo Machado Ferreira e Joaquim José da Costa Noronha

Conselho Fiscal Ademir Lopes Cançado, Carlos Roberto Caldeira Brant e Luciano Luzes Borges

Membros Suplentes José Ricardo Fiuza Horta, Antônio Eustáquio Andrade Ferreira e Fernando Augusto Redher Quintela

Paulo Roque

JORNALISTA

Juliana Talala Gustavo Antunes

Boa leitura a todos. Carlos Alberto da Silva

DIRETORIA EXECUTIVA Diretor Presidente: Silvio Queiroz Pinheiro

André Casagrande

ESTAGIÁRIO

Conselho Editorial Silvio Queiroz Pinheiro, Lúcio Rodrigues Gomes,

André Rabelo Fernandes, Ana Cristina Navarro Andrade, Carlos Alberto da Silva

Social media e arquiteta de informação

Capa e Matéria de Capa Arte: Gutche Alborgheti Fotos: Zzn Peres

Editor e Presidente do Grupo Publique

Fábio Fatori/Fato Rural Publique Banco de Imagens

Tiragem 7.000 exemplares Editor-Chefe Carlos Alberto da Silva - MTB 20.330 Planejamento Francisco JB Oliveira

Márcia Miranda

PRODUÇÃO GRÁFICA

Andréia Barro

ADMINISTRATIVO

Rafaela Ferraz

Jornalistas Béth Mélo - beth@publique.com

Francisco JB Oliveira Diógenes Cruz

ADMINISTRATIVO

André Casagrande - andre@publique.com Paulo Roque - pauloroque@publique.com

PLANEJAMENTO

Thais Ramalho

ESTAGIÁRIA

Departamento Comercial Sônia Maciel Fabiana Gama Rafaela Ferraz

ATENDIMENTO

Pesquisa de mídia, orçamento Andréia Barro e administração financeira Diógenes Cruz Marcia Miranda

Produção Gutche Alborgheti

Priscila Pontes

TrÁfego de informações e gestora do banco de imagens

Sônia Maciel

Fabiana Gama

Zzn Peres

ATENDIMENTO

ATENDIMENTO

FOTOS

Juliana Mortari

DIRETORA DE ARTE

Gustavo Pires Juliana Mortari Thais Ramalho Gustavo Antunes Priscila Pontes

Revisão Paulo Rogério Diagramação e Edição Gutche Alborgheti de Imagens gutche@publique.com CTP, Impressão Gráfica Mundo e Acabamento

12

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

13


3

A ABCGIL vive uma fase de expansão, impulsionada pela demanda de sêmen de reprodutores Gir Leiteiro, destacando-se como a primeira raça leiteira nacional em doses comercializadas, segundo relatório divulgado pela Asbia – Associação Brasileira de Inseminação Artificial, em março. De acordo com a Asbia, em 2010, a venda de sêmen de Gir Leiteiro totalizou 691.679 doses, um crescimento de 19,10% em relação a 2009, com participação de 47.92% do sêmen comercializado das raças de leite nacionais e 15.75% do total (nacionais e importadas).

Curtas da

ABCGIL 1

Cresce a venda de sêmen

Banco de dados do controle leiteiro está na sede da ABCGIL

A partir deste ano, a avaliação genética dos touros em teste será feita com base no banco de dados da ABCGIL. Desde novembro do ano passado, a estrutura do Controle Leiteiro do PNMGL – Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro foi transferida da Embrapa para a sede da ABCGIL, em Uberaba, MG. “Vamos ganhar em agilidade, em otimização de recursos e de pessoal, além de implantar rotinas para aperfeiçoar ainda mais a qualidade dos dados”, afirma André Rabelo Fernandes, coordenador operacional do PNMGL. Ranielly da Silva Maciel é supervisora do banco de dados e Iraídes Aparecida de Souza é responsável pela digitação e processamento das informações recebidas dos 30 técnicos credenciados que fazem o controle leiteiro em rebanhos colaboradores.

4

Vem aí a TV Gir Leiteiro

Para ficar em dia com as notícias da raça, vem aí a TV Gir Leiteiro, um programa semanal, com meia hora de duração, veiculado pelo Canal do Boi, com lançamento previsto para a ExpoZebu. 2011. Durante o evento, um profissional fará a comercialização de espaços na TV Gir Leiteiro para criadores e interessados, no estande da ABCGIL. TV Gir Leiteiro será apresentado pelos técnicos da ABCGIL e terá como âncora Alcir Costa Leite, da Horse Brasil, responsável pela produção do programa que será disponibilizado no site da ABCGIL.

16

Y

MY

5

Nova sede da ABCGIL

O planejamento para a construção da nova sede da ABCGIL, no Parque Fernando Costa, em Uberaba, MG, está a pleno vapor. A planta já foi aprovada pela diretoria que está aguardando o projeto estrutural para realizar três orçamentos com engenheiros e dar início à construção. A expectativa, segundo Ana Cristina Navarro, secretária executiva da entidade, é de que até a ExpoZebu de 2012 a ABCGIL esteja na casa nova.

ABCGIL cria selos oficiais para touros participantes do PNMGL

Para informar aos usuários de genética de sêmen Gir Leiteiro sobre o status dos touros participantes do PNMGL, a ABCGIL criou dois selos oficiais: TOURO PROVADO e TOURO EM TESTE. Os selos serão utilizados pelas centrais de comercialização de sêmen em seus materiais promocionais (catálogos, site, folders etc.). O objetivo é oficializar e padronizar a informação de que os touros em catálogo são Provados ou estão em Teste de Progênie pela ABCGIL/EMBRAPA. “Os selos são a garantia de que, ao comprar material genético de touros Gir Leiteiro, você estará levando para seu rebanho animais participantes do Teste de Progênie ABCGIL/EMBRAPA”, afirma o presidente da ABCGIL, Silvio Queiroz Pinheiro.

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

M

CM

ABCGIL

2

C

CY

CMY

K


8

Em dezembro do ano passado, durante visita do gerente de Produtos Leite da ABS Pecplan, Klaus Hanser de Freitas, à ABCGIL de Coronel Pacheco, MG, foi firmada parceria entre as duas entidades. Pelo acordo, a central passou a fornecer sêmen de sua bateria de touros da raça Holandesa para o sistema de produção de Gado Mestiço, com objetivo de formar um plantel de 1/2 sangue 3/4 e 5/8 na da unidade de Coronel Pacheco.

Curtas da

ABCGIL 6

Ações para divulgar a raça

No mês de abril, o presidente da ABCGIL, Silvio Queiroz Pinheiro, esteve em Mato Grosso com o objetivo de divulgar a raça. Na ocasião, encontrouse com o presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Riva. Na opinião de Silvio, o Estado está numa posição estratégica para o incentivo da pecuária leiteira. “Já há uma proposta de parceria com núcleos de fazendas colaboradoras para a entrega gratuita de sêmen de Gir Leiteiro melhorado”, informou. Participaram do encontro o prefeito de Cuiabá, Chico Galindo; o presidente da Câmara da Capital, Júlio Pinheiro; o presidente da Associação Mato-Grossense dos Municípios, Meraldo Sá; e o primeiro associado da ABCGIL em Mato Grosso, Getúlio Vilela.

7

IBS patrocina fitas de pesagem para a ABCGIL

Desde janeiro, bezerras e vacas oriundas do Teste de Progênie ABCGIL / EMBRAPA passaram a ter aferido o peso corporal. O objetivo é formar um banco de dados para futuras avaliações de escore das matrizes ao parto, dificuldade de parto em novilhas, dentre outras avaliações. Para viabilizar essas mensurações, a ABCGIL contou com o patrocínio do IBS – Instituto Biosistêmico, na doação de 70 fitas de pesagens de bovinos.

18

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Parceria ABCGIL - Coronel Pacheco e ABS Pecplan

9

Raça bate recorde de inscrições na ExpoZebu Com 983 exemplares inscritos, o Gir Leiteiro é o destaque entre as raças participantes da 77ª ExpoZebu 2011 em número de animais, recorde também em relação ao ano passado, que contabilizou 896 inscrições (814 em pista e 82 fêmeas no torneio leiteiro). A ABCZ – Associação Brasileira dos Criadores de Zebu recebeu 2.980 inscrições no total e a segunda raça, em números de animais inscritos, foi a Nelore (716 animais).

10

Exposição de Aracaju entra no ranking da ABCGIL A 1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Aracaju, homologada pela ABCGIL, reuniu 61 animais em pista e 6 em Concurso Leiteiro. O julgamento da raça foi realizado pelo Dr. Euclides Prata e o torneio leiteiro supervisionado por Saul Borges. O evento foi realizado de 21 a 25 de fevereiro, durante a 1ª Feira Agropecuária de Sergipe, organizada pela Federação de Agricultura e Pecuária do Estado. “O Silvio Queiroz ficou muito satisfeito e disse que o ranqueamento do Gir Leiteiro, em 2012, começará por Aracaju”, conta a criadora baiana Izamar Nunes. Ela atribui a conquista ao esforço de Eduardo Silveira Sobral, presidente da Federação, que colocou 67 animais Gir Leiteiro no evento.

ABCGIL


Curtas da

11

Com 309 animais em pista e 21 no torneio leiteiro, o Gir Leiteiro foi uma das principais atrações da 23ª Feira Internacional da Agropecuária, a Fenagro, realizada de 27 de novembro a 5 de dezembro de 2010, em Salvador, BA. A 7ª Exposição Estadual Baiana do Gir Leiteiro contou com as presença de criadores de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás e Distrito Federal. O evento também teve como destaque três leilões: 7º Gir Bahia, o 2º Excelência Baby Gir e o 3º Essência do Gir Leiteiro.

ABCGIL

12

13

Raça mostra força na ExpoConquista

A participação do Gir Leiteiro na 3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Vitória da Conquista, BA, foi um sucesso. Foram 260 animais da raça no parque, dos quais 164 para pista de julgamento, 11 para concurso leiteiro e 85 para exposição e leilões. Apenas para se ter uma ideia do crescimento, a primeira edição do evento contou com 65 animais em pista e 6 no concurso leiteiro.

20

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Gir Leiteiro é atração da Fenagro

Recorde de animais na Expobahia

O Gir Leiteiro quebrou o recorde de participação na 2ª Exposição Baiana do Gir Leiteiro realizada na Expobahia 2011, em Salvador, de 10 a 17 de abril. Foram 131 animais inscritos, dos quais 119 em pista e 11 no torneio leiteiro. “Saímos de 40 argolas em 2009 para quebrar a barreira dos 131 animais em 2011, um aumento de 400%”, comemora Edvaldo Brito, acrescentando: “É raça Gir Leiteiro mostrando sua força e o caminho da sustentabilidade da produção de leite nos trópicos.”


Páginas Brancas Entrevista Exclusiva: Ministro Wagner Rossi Crescimento com qualidade e eficiência

Em entrevista exclusiva à revista Gir Leiteiro, o ministro Wagner Rossi, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, destaca a raça e os seus valores no cenário da pecuária nacional, além do PNMGL, Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro, que “desde 1985 vem proporcionando grandes evoluções genéticas dentro Divulgação da raça e auxiliando inúmeros criadores na seleção de animais superiores para características de produção (leite, proteína, gordura e sólidos totais), de conformação e manejo”. Fala, também, sobre a cadeia produtiva do leite e chama a atenção para as “disparidades que ainda existem entre os produtores em termos de tecnologia, escala de produção, genética do rebanho e manejo sanitário”. Acentua a participação dos produtos agropecuários no mercado externo, as barreiras impostas ao Brasil e os principais desafios como, por exemplo, a questão da infraestrutura, sobretudo no transporte, que ainda representa uma dificuldade para a melhoria das condições de comercialização.

|||| Gir Leiteiro - Qual é o maior desafio da agropecuária brasileira, atualmente? Wagner Rossi: A agricultura brasileira vem crescendo com qualidade, produtividade e eficiência. O setor representa 26% do Produto Interno Bruto (PIB) e é responsável por quase 40% das exportações brasileiras. Nosso agronegócio é hoje um dos mais eficientes do mundo e tem grande potencial de crescimento, mas ainda temos alguns desafios pela frente. Um dos principais é a questão da infraestrutura, sobretudo no transporte, que representa uma dificuldade para a melhoria das condições de comercialização. São necessários grandes investimentos em estradas, 24

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

portos, ferrovias, hidroelétricas, etc. Nesse sentido, o Programa de Aceleração do Crescimento representa um forte estímulo para a continuidade do crescimento sustentado do agronegócio brasileiro. Outro desafio são as recorrentes barreiras à importação dos produtos brasileiros, na maioria das vezes, manobras impróprias dos concorrentes. O produtor brasileiro também tem desafios. Deve buscar a eficiência na produção, diminuindo custos, melhorando a gestão da propriedade rural e permanecendo atento às sinalizações do mercado. |||| GL: Como o governo tem enfrentado a pressão externa das barreiras protecionistas e da propaganda negativa contra

o País? A visita do presidente Obama, dos Estados Unidos, ao Brasil trouxe pontos positivos para mercado de produtos agropecuários brasileiros no exterior? WR: O Brasil assumiu posição de destaque no comércio internacional, principalmente, em decorrência de sua grande competitividade em diferentes produtos agropecuários. Na tentativa de frear essa competitividade, nossos concorrentes vêm adotando barreiras comerciais (tarifas, quotas), sanitárias e fitossanitárias. A remoção das barreiras sanitárias é uma preocupação permanente do nosso ministério. Estamos fazendo o “dever de casa”, cuidamos da sanidade dos rebanhos e

da qualidade e inocuidade dos alimentos, e precisamos convencer os países compradores de que a exportação de produtos brasileiros não representará risco para seus rebanhos e sua população. Esta é uma tarefa que tem requerido grande esforço dos ministérios da Agricultura e das Relações Exteriores. É um processo que requer persistência e habilidade nas negociações. A nomeação de adidos agrícolas junto a oito missões diplomáticas brasileiras no exterior tem ajudado no avanço dessas negociações. Quanto às barreiras tarifárias, devem ser removidas mediante acordos bilaterais ou multilaterais de liberalização do comércio, que resultariam na redução de tarifas e na abertura de cotas para produtos brasileiros noutros países. Nossa meta é melhorar qualidade, sanidade e sustentabilidade da produção, ao mesmo tempo em que fortalecemos nossa capacidade negociadora externa. A organização de missões comerciais ao exterior para a promoção de nossos produtos e para a prospecção de mercados em países estratégicos é outra frente de ação para ampliarmos a participação do agronegócio brasileiro no mercado externo. Num regime de livre comércio, de competição verdadeira, o produtor brasileiro vence nove entre dez concorrências por sua capacidade de oferecer um produto de qualidade a um preço adequado. Quanto à visita do presidente Barack Obama ao Brasil, certamente fortaleceu ainda mais as já sólidas relações entre os dois países. Não

foi o momento para negociações na área agrícola, mas a presidente Dilma aproveitou a ocasião para pedir o fim das barreiras aplicadas pelos Estados Unidos aos produtos brasileiros. Vale lembrar que foram assinados acordos bilaterais importantes que beneficiarão o agronegócio brasileiro: um para o desenvolvimento de bicombustíveis sustentáveis para a aviação e outro de comércio e cooperação

“O PNMGL auxilia inúmeros criadores na seleção de animais superiores para características de produção (leite, proteína, gordura e sólidos totais), de conformação e manejo.” econômica. |||| GL: A cadeia produtiva do leite tem defendido a ideia de um grupo permanente para tratar da política e planejamento do setor para aumentar a competitividade da pecuária leiteira nacional. Como o senhor vê essa questão? WR: O setor como um todo vem evoluindo nos últimos anos, o que tem se refletido em sucessivos aumentos da produção de leite no País. No entanto, existem grandes disparidades entre os produtores

em termos de tecnologia, escala de produção, genética do rebanho e manejo sanitário. Tais disparidades mantêm a produção média brasileira abaixo dos níveis alcançados por nossos concorrentes. Qualquer iniciativa no sentido de diminuirmos essas diferenças são bem-vindas e devem ser apoiadas. |||| GL: O que falta para o Brasil se tornar uma referência no setor leiteiro? WR: Eu diria que o baixo índice de produtividade do nosso rebanho leiteiro e aspectos relacionados à qualidade do nosso produto talvez sejam os principais desafios a ser enfrentados pelo setor. |||| GL: Muito tem sido falado do potencial do Brasil como fornecedor de alimentos para o mundo, especialmente de proteína animal. Como o senhor enxerga o leite nesse contexto? WR: Há vários anos, o Brasil vem ampliando sua produção acima do crescimento de sua população e ainda temos espaço para aumentar a produtividade do nosso rebanho. Temos plenas condições de retomar nossa condição de exportador de lácteos alcançada em 2004 e perdida em 2009, em função da crise financeira internacional. Contribui para essa expectativa o fato de que algumas de nossas empresas e cooperativas são fortes e têm grande presença no mercado externo de proteína animal. Reitero que a qualidade do nosso produto será determinante nessa busca por mercados internacionais cada vez mais exigentes. |||| GL: Qual a importância do Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

25


Páginas Brancas “O produtor também tem desafios. Deve buscar a eficiência na produção, diminuindo custos, melhorando a gestão da propriedade rural e permanecendo atento às sinalizações do mercado.” Gir Leiteiro para a pecuária leiteira nacional, considerando que a raça tem um Programa de Melhoramento Genético consolidado? WR: A raça Gir Leiteiro se destaca no cenário da pecuária leiteira nacional por ser extremamente adaptada às condições tropicais e possuir linhagens com alta produção de leite, mesmo em condições de criação a pasto, o que retrata grande parte das propriedades de leite brasileiras. A raça é bastante utilizada nos cruzamentos com animais de origem europeia, por aliar ela própria rusticidade e ótima produção de leite. Tudo isso é resultado do Programa de Melhoramento Genético do Gir Leiteiro, que desde 1985 vem proporcionando grandes evoluções genéticas dentro da raça. O PNMGL auxilia inúmeros criadores na seleção de animais superiores para características de produção (leite, proteína, gordura e sólidos totais), de conformação e manejo. Divulgação

26

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011


Galeria Galeria DEFOTOS FOTOS DE

TÁ TODO MUNDO LENDO

Galeria DE FOTOS Daniel Costa Mendes

Cícero Pitombo e José Arley

TÁ TODO MUNDO LENDO

Lecy Ribas Camargo

Kinkão

Nathã Coelho

Carlos Alberto e Geraldo Alckimin Carlos Jacob Wallauer

Rainner Knoop

José Luiz Pires de Campos

Maurício Coelho

Rodrigo Bragança Henrique Gandara

Flávio Peres

Niltinho Cândido

Luciana Queiroz Otaviano Angelo

Ricardo

Pedro Costa

José Aldamir Ribeiro do Amaral

Gisele Oliveira

Jaime Conceição e Lourdes Tonini

Naira Bareli

Guilermina Guinle e Murilo Benício Fotos: Divulgação

30

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

31


Galeria Galeria DEFOTOS FOTOS DE

TÁ TODO MUNDO LENDO Rosania Alves e Renata Okano

Adriano Okano

José Eduardo Costa Mancini

Fernando Censoni

Silvio Queiroz e Alessandra Arnaud

Lúcio Rodrugues Gomes

Totó Porto

Beatriz Costa

Tonico Porto e Henrique da InVitro

32

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Amarildo Pires e Marcelo Censoni

Rosimar do Gir


Galeria Galeria

Alberico de Souza Cruz

DE FOTOS DE FOTOS

TÁ TODO MUNDO LENDO

Frederico Barbosa de Mello

Fiuza Horta

O homem da Terramata

Dr. Lima Horta

Felipe Picciani e Valter Bonifácio André Monteiro

Gabriel da Villa Verde e amigo

34

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Marco Antônio Alegria Simões

Carla da Leite Gir

Villa Verde e esposa

Wander Azevedo e José Coelho Vítor


Galeria Galeria

Galeria

DEFOTOS FOTOS DE

DE FOTOS

TÁ TODO MUNDO LENDO Silvio Queiroz e Carlos Alberto da Silva

TÁ TODO MUNDO LENDO

Thiago da EAO

Felipe e Jorge Picciani

Murilo Benício e Tico Cardoso Amândio Salomão

Amândio e Paulo Trindade festejam resultado do leilão

Nilson Francisco Genovesi

Dr. Marcílio Figueiredo e amigo

José Antônio Silva Lino e Luiz Evando Aguiar

Geisse Kerly

Élio Virgílio Pimentel

Christino Áureo e esposa Cláudia

Dona Laura Trindade

Guilhermina Guinle Janine Aguiar

Paulo Horto Amigos do Gir

Maurício Odebrecht e Danilo Gamba

Jaime Carvalho de Oliveira

Paulo Trindade e esposa

João Antônio Gabriel Zzn Peres

36

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

37


Campo Técnico 2ª rova de Pré-Seleção de Touros para o Teste de Progênie

Zzn Peres

O

Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro – PNMGL, parceria entre a Associação Brasileira dos Criadores de Gir Leiteiro – ABCGIL e Embrapa Gado de Leite, teve o início em 1985 com o objetivo de promover o melhoramento genético da raça para produção de leite. Além da avaliação genética para volume de leite, o programa disponibiliza

40

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Por Aníbal Eugênio Vercesi Filho - Médico Veterinário, D. SC - APTA/ABCGIL, André Rabelo Fernandes - Zootecnista, B. SC. - ABCGIL, Eduardo Soares de Souza - Zootecnista, B. SC. - ABCGIL e Ranielly da Silva Maciel - Médico Veterinária, B. SC. - ABCGIL informações para características de composição do leite, conformação e manejo e genotipagem dos touros para os alelos da kapa-caseína e beta-lactoglobulina, fornecendo assim, aos usuários dessa genética, ferramentas importantes para sua utilização tanto na raça pura quanto em cruzamentos com outras raças leiteiras. Desde o princípio até os dias atuais, o PNMGL vem passando

por constante aprimoramento, incorporando sempre novas provas e aumentando o número de características avaliadas nas matrizes e reprodutores. A partir de 2009, critérios técnicos mais rígidos foram incorporados para a entrada de jovens reprodutores no Teste de Progênie. Também foram disponibilizadas vagas para tourinhos com pedigree “mais aberto” com o objetivo de realizar o

controle da endogamia na população pura. A seleção de touros para participação no teste de progênie, sem prévio conhecimento das características de ordem reprodutiva, pode acarretar em prejuízos para o criador, para o PNMGL e, principalmente, para o Gir Leiteiro, que terá disseminado em sua população uma genética de animais de baixa fertilidade. A partir de 2009, a ABCGIL em parceria com a EMBRAPA/CNPGL e FAZU iniciaram uma nova etapa na evolução técnica do PNMGL; a Prova de Pré-Seleção de touros para o Teste de Progênie. Nesta prova, são avaliadas características reprodutivas (congelabilidade, motilidade, defeitos maiores e menores, etc.), ligadas à produção comercial de sêmen nos tourinhos candidatos ao Teste de Progênie. Atualmente, além destas características seminais, estão sendo estudadas características funcionais como temperamento, libido e conformação. Com isso, pretendese formar um banco de dados consistente na parte reprodutiva de machos, o que possibilitará posteriores estudos de associação genética com características produtivas e reprodutivas nas fêmeas, visando o aumento da acurácia e funcionalidade na seleção do Gir Leiteiro. O resultado da 1ª Prova de PréSeleção foi apresentado ao público durante a ExpoZebu 2010 com a divulgação dos resultados, em que 14 jovens touros foram aprovados para as características de fertilidade e libido e com isso ingressaram no 25º Grupo de Touros de Teste de

Progênie. Os touros aprovados na 1ª Prova tiveram resultados excepcionais nas centrais de coleta e processamento de sêmen, coletando rapidamente as 550 doses do Teste de Progênie e retornando posteriormente para seus rebanhos de origem. O bom desempenho destes touros nas centrais confirmou a importância da Prova de Pré-Seleção, validando todo o processo de coleta de dados reprodutivos aos quais os touros foram submetidos. Com o intuito de sempre evoluir na pré-seleção de touros, foram incorporadas este ano para a 2ª Prova avaliações fenotípicas de características funcionais. Portanto, para entrar em Teste de Progênie, o touro além de ser classificado pelas avaliações de fertilidade e libido, deverá também ser aprovado para funcionalidade. Para isso, foi criado o Índice de Classificação de Touros – ICT, o qual irá pontuar os touros em uma escala de 1 a 100 pontos, tendo cada característica um peso específico dentro deste índice. Com

o ICT será possível disponibilizar para o Teste de Progênie touros mais férteis, equilibrados e longevos o que garantirá melhores resultados na vida produtiva das matrizes Gir Leiteiro. Vale ressaltar que os ponderadores do índice são “empíricos”, ou seja, foram determinados baseados na opinião de um grupo de técnicos e pesquisadores ligados à prova. Para a 2ª Prova de Pré-Seleção de Touros para o Teste de Progênie, a ABCGIL e EMBRAPA pretendem identificar precocemente animais de grande fertilidade e funcionalidade, aumentando a chance de sucesso na escolha dos jovens reprodutores que entrarão em processo de avaliação. A constante evolução técnica é o principal objetivo do PNMGL que caminha em direção ao futuro buscando a sustentabilidade do Gir Leiteiro para a produção de leite em ambiente tropical, efetuando ações que se iniciam desde a pré-seleção dos futuros reprodutores, passando por todo o acompanhamento de suas progênies até chegar ao resultado final das provas.

Zzn Peres

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

41


PUBLIQUE

Como Vila Rica, que hoje é Ouro Preto, o Gir Leiteiro Vila Rica também vale ouro.

Vila Rica, famosa no passado por suas riquezas, carrega hoje o nome de Ouro Preto. O Gir Leiteiro Vila Rica, com seus números excepcionais, sua consistência genética e sua produtividade, valem ouro. É este conceito e esta genética que serão ofertados no nosso próximo Leilão.

LACA FIV VILA RICA

VAIDOSA III FIV APAG

(TEATRO DA SILVANIA x SECRETARIA CAL) Lactação Real: 8.159,30 Kg/ 312 dias 1ª Lactação (em andamento) Ajustada: 12.677,0 Kg/ 305 dias

(C.A. SANSÃO x VAIDOSA DO CARMO) Lactação Real: 8.998,8 Kg/ 365 dias 1ª Lactação Ajustada: 14.218,00 Kg/ 365 dias

HONDA TE VILA RICA (C.A. PALADINO IN x POSTURA DA CAL) Lactação Real: 11.009,0 Kg/ 365 dias 1ª Lactação Ajustada: 17.396,0 Kg/ 365 dias

FACULDADE VILA RICA

FALADA TE SILVANIA

GARPA FIV F. MUTUM

(IMPRESSOR DE BRAS. x ALÍADA VILA RICA) Lactação Real: 6.603,00 Kg/ 338 dias Ajustada: 7461,00 Kg/ 365 dias

(C.A. SANSÃO x EFALC NATA LAGEADO) Lactação Real: 7.074,70 Kg/332 dias 1ª Lactação Ajustada: 8.702,00 Kg/ 365 dias

(C.A. SANSÃO x SAIA TE CAL) Lactação Real: 8.416,20 Kg/ 273 dias 1ª Lactação (em andamento) Ajustada: 12.456,0 Kg/ 305 dias

Mãe da Verona FIV JMMA (Grande Campeã Feileite/2010)

Campeã Fêmea Jovem do Torneio Leiteiro Megaleite 2007 Uberaba/MG com média de 30,23 Kg/ dia. Melhor Úbere Torneio Leiteiro Megaleite 2007, Campeã Fêmea Jovem e Reservada Campeã Torneio Leiteiro da 2ª Expo Brasileira 2007 Brasília/DF com média de 32,32 Kg/ dia. Melhor Úbere Jovem da 2ª Expo Brasileira 2007 Brasília/DF.

KIMONE FIV VILA RICA (TEATRO DA SILVA x CAJARANA DA PALMA) Lactação Real: 8.716,30 Kg/ 270 dias 1ª Lactação (em andamento) Ajustada: 12.290,00 Kg/ 305 dias Reservada Campeã Vaca Jovem da 10ª Exposição Especializada Gir Leiteiro Brasília/DF com produção média de 36,0 kg (set/2010).

JASMIM FIV VILA RICA (BEM FEITOR RAPOSO x SECRETARIA DA CAL) Lactação Real: 7.602,7 Kg/ 365 dias 1ª Lactação Ajustada: 11.252,0 Kg/ 365 dias Res. Campeã Vaca Jovem do Torneio Leiteiro Expozebu 2009 com média de 34,04 Kg/ dia.

21 de Junho 2011 | Terça | 21h Virtual pelo Canal Rural Informações: (61) 3363.8575 | (61) 9975.6709 | (43) 3373.7077

Leiloeira

JOYCE FIV VILA RICA

KESIA FIV VILA RICA

(C.A. SANSÃO x SOLUÇÃO DE BRAS.) Lactação Real: 7.397,7 Kg/238 dias 1ª Lactação (em andamento) Ajustada: 8.803,0 Kg/ 305 dias

(RADAR DOS POÇÕES x FADA VILA RICA) Lactação Real: 5.889,50 Kg/ 332 dias 1ª Lactação Ajustada: 9.306,00 Kg/ 365 dias

ITAÚBA TE VILA RICA (BEM FEITOR RAPOSO CAL x FOFURA VILA RICA) Lactação Real: 8.246,80 Kg/ 365 dias 1ª Lactação Ajustada: 10.144,0 Kg/ 365 dias

Assessoria

Transmissão

Realização

Dilson Cordeiro de Menezes BR 070, Km 46 - Cocalzinho - GO (61) 3363.8575 - (61) 9975.6709 fazendavilarica@terra.com.br


o PNMGL na Prática

de participar da palestra e conhecer outros sitiantes para trocarmos experiências. Fui o primeiro a me inscrever”, disse. Os outros produtores que se associaram ao programa da ABCGIL foram Genival Terto Alves; Mário César de Moraes; Paulo César Alves de Barros; e Antonio Martins Alegre. Após a palestra, foi oferecido um almoço caseiro, preparado pela comunidade da ASSERRA, em Porangaba, no bairro dos Mirandas. Em seguida, os participantes visitaram a sede da Rio Vale Agronegócios, projeto de Gir Leiteiro conduzido por Carlão da Publique.

BCGIL abre espaço em novas frentes

D

e outubro a dezembro de 2010, o PNMGL, Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro, distribuiu sêmen do 25º do grupo de reprodutores. A próxima bateria será formada em maio deste ano com os touros aprovados na segunda Prova de Pré-seleção e com as vagas restantes dos animais que não participaram da prova. Dentro da proposta de expansão do PNMGL, a ABCGIL – Associação Brasileira de Criadores de Gir Leiteiro está trabalhando a todo vapor para aumentar o efetivo de rebanhos colaboradores do PNMGL, principalmente por meio de palestras e eventos em associações e sindicatos. Nesse sentido, André Rabelo Fernandes, o coordenador operacional do programa, destaca o dia de campo realizado em Porangaba, dia 9 de abril, na sede da ASSERRA, Associação dos Produtores Rurais dos Bairros Serrinha, Rio da Serra, Mirandas e Ribeirão das Conchas. “Somente no primeiro contato, conseguimos a adesão de oito criadores na região de Porangaba e a expectativa é de aumentar muito esse número, em razão do interesse”, afirma André, acrescentando que a entrega do sêmen

44

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

foi agendada para este mês de maio. André, que é responsável pelo acompanhamento dos rebanhos puros, tanto na execução do sistema linear de avaliação quanto na classificação para o tipo, da ABCGIL, participou do evento a convite de seu presidente, Carlos Alberto da Silva. A sede da ASSERRA, em Porangaba, SP, ficou lotada. Cerca de 50 produtores da região acompanharam a palestra do zootecnista, que fez uma apresentação sobre o Gir Leiteiro e explicou para os produtores os objetivos do PNMGL. “Nosso foco é o melhoramento genético da raça Gir Leiteiro por meio da identificação e seleção de touros geneticamente superiores para as características de produção (leite, gordura, proteína e sólidos totais), de conformação e de manejo.” Segundo André Rabelo, é muito importante divulgar o Gir Leiteiro, falar sobre os benefícios e qualidades da raça. “Nosso grande objetivo é conscientizar e trazer novos produtores para participar do programa”, observou Rabelo. Além dos produtores rurais e do presidente da ASSERRA, Carlos Alberto da Silva, também estiveram presentes ao evento Saul Borges Carnavali, Gestor de Agronegócios da

ABCGIL, responsável pela logística de exposições; o secretário de Agricultura e Meio-Ambiente de Porangaba, Wudson Cássio Domingues Vaz; o ex-prefeito da cidade, João Batista de Barros, o “João da Caixa”. Animado com o que ouviu e pode aprender durante a palestra, João Batista de Barros, o João da Caixa, ex-prefeito da cidade, aprovou a iniciativa do presidente da ASSERRA. “O Carlão realmente nos surpreende a cada dia. Sem o esforço e o interesse dele na região, nós dificilmente teríamos acesso as estas informações que têm uma importância fundamental para os produtores”, elogiou Barros. O secretário Wudson Vaz destacou o potencial que a região tem para progredir e também acredita que o apoio da Associação seja fundamental neste sentido. “Com a conscientização dos produtores da região, por intermédio de palestras como esta e de outras ações que a ASSERRA vem desenvolvendo juntamente com a Secretaria de Agricultura, tenho certeza que em um curto espaço de tempo já estaremos obtendo resultados positivos”. André Rabelo destacou a colaboração da ASSERRA, aliada ao prestígio e ao interesse do seu presidente, Carlos

Tema da palestra de André Rabelo Fernandes, da ABCGIL, atrai o interesses dos produtores de leite da região, muitos dos quais aderiram ao programa de imediato. Alberto da Silva, como decisivos no sucesso do projeto. “Com o apoio do Carlão, acreditamos que o número de adesões ao Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro na região pode superar nossas expectativas.” “Nosso objetivo era apresentar aos produtores rurais os benefícios do programa da ABCGIL e também conscientizá-los sobre a importância de se fazer o controle leiteiro. A palestra e o evento foram um sucesso. Cumprimos nossos objetivos”, comemorou Carlão. Depois do término da palestra, oito produtores rurais presentes associaram-se ao PNMGL. Um deles, Paulo Bonanni, de Porangaba, que tira cerca de 200 litros de leite por dia, aprovou a iniciativa. “Com este programa, tenho certeza de que em pouquíssimo tempo irei dobrar a minha produção”, festejou. Já Sérgio Antonio Arruda, da Associação Água Branca, de Cesário Lange, que também aderiu ao PNMGL, não só aprovou o programa como também observou a necessidade

da expansão para outras cidades. “Iniciativas e eventos como estes, explicando e orientando os produtores no sentido de melhorar seu rebanho, deveriam acontecer com mais frequência e abranger outras regiões”, disse. Para Benedito Dante, outro produtor rural da região, que em breve será um associado do PNMGL, a palestra serviu como incentivo para o início de suas atividades. “Já estou com o pasto pronto e, agora, com o apoio da ASSERRA e da ABCGIL, pretendo começar a produzir leite ainda este ano.” O produtor de leite Claudinei Miranda ficou muito satisfeito com o que pode aprender e também se associou ao programa. “Minha produção é de 80 l de leite por dia e, com o apoio que a ASSERRA e a ABCGIL irão nos proporcionar acredito que até o final deste ano vou atingir a marca dos 100l.” José Rubens Fratta ficou tão empolgado que foi um dos que mais perguntou e tirou dúvidas sobre o programa. “Agradeço ao Carlos e ao André pelo convite, pela oportunidade

No local, todos puderam acompanhar o trabalho desenvolvido na propriedade, o cuidado nos acasalamentos da melhor genética do Gir Leiteiro e o time de doadoras de ponta do criatório, entre as melhores da raça. O reflexo do trabalho realizado por Carlão à frente da Rio Vale e seu esforço no sentido de fomentar a raça o levou a vodosos mais altos: à criação da Associação Paulista dos Criadores de Gir Leiteiro, a APCGIL, em janeiro do ano passado, atualmente sob a sua presidência.

Carlos Alberto, da ASSERRA: Evento cumpriu objetivo de mostrar os benefícios do programa da ABCGIL e conscientizar os produtores sobre a importância do controle leiteiro.

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

45


Publique Fotos: Zzn Peres

Gir Leiteiro Veredas

(11) 9114.0667 adonias@girveredas.com.br Presidente Alves - SP

Algumas imagens valem por 1000 palavras.


Leite Afora

Gir Leiteiro brilha em Campo Grande

Consagração do Gir Leiteiro na Feileite

A

3ª Exposição Internacional do Gir Leiteiro, realizada durante a Feileite 2010 – Feira Internacional da Cadeia Produtiva do Leite, reuniu no Centro de Exposições Imigrantes, na capital paulista, nada menos que 469 animais nas pistas, além 20 no concurso Leiteiro, isso sem contabilizar os lotes ofertados nos três leilões: 2º Mulheres do Gir Leiteiro, 4º Estância Silvania e 1º Made in Brazil. Além da presença marcante dos animais, em qualidade e quantidade, várias ações realizadas durante o evento merecem destaque. Uma dessas ações foi o Workshop Gir Leiteiro - Leite Sustentável, promovido pela APCGIL – Associação Paulista de Criadores de Gir Leiteiro e apoiado

pela ABCGIL – Associação Brasileira de Criadores de Gir Leiteiro e Agrocentro. O primeiro painel, com o tema Proteína A2, sua importância na saúde e a relação com as raças zebuínas leiteiras, foi apresentado pelo nutrólogo dr. Wilson Rondó, especialista em medicina Preventiva Molecular. O médico compilou dados de pesquisas científicas de vários países sobre os diversos tipos de nutrientes e suplementos com formulação química usados na dieta dos animais criados em confinamento como bovinos, pequenos ruminantes, suínos, aves e peixes de cativeiro; como as substâncias são transferidas para o ser humano por meio da ingestão das proteínas animais e as consequências do manejo não natural na saúde das

pessoas. O técnico Marcelo Cunha da Dow AgroSciences alertou sobre a importância de se formar pastagens de qualidade para garantir a eficiência produtiva e reprodutiva dos rebanhos. No encerramento o presidente da ABCGIL, Silvio Queiroz, reforçou os objetivos de trabalho e os conceitos da entidade criada há 30 anos para fomentar e consolidar o plantel nacional do Gir Leiteiro, raça que é considerada hoje uma ferramenta estratégica para garantir a produção de leite a baixo custo nas regiões tropicais, onde está a maior parte das nações em desenvolvimento. Segundo ele, a genética do Gir Leiteiro selecionada pelos criadores brasileiros é a mais eficiente do mundo, superando até mesmo o rebanho indiano.

Geraldo Alckmin é homenageado pela APCGL

Lançamento da Gir Leiteiro 11

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, visitou a Feileite 2010 e, de maneira informal, reuniu-se em alguns estandes de expositores. Parou para um café no estande da Rio Vale Agronegócios, do publicitário Carlos Alberto da Silva, o Carlão da Publique, que também é presidente da Associação Paulista de Criadores de Gir Leiteiro. No estande da ABCGIL, o governador entregou ao presidente do Agrocentro, Décio Ribeiro dos Santos, uma placa de prata, oferecida pela APCGIL, em agradecimento ao apoio irrestrito no ato do estabelecimento da representação paulista da raça.

O estande da ABCGIL foi palco do lançamento da 11ª edição da Revista Gir Leiteiro, dia 10 de novembro. Depois de receberem seus exemplares e conferir as galerias de fotos e as matérias, vários criadores, colaboradores, expositores e convidados dirigiram-se ao estande da Publique – empresa responsável pela edição da revista –, onde escutaram o som de uma dupla sertaneja, com direito a chope gelado.

Eduardo Falção e Rodrigo Bragança durante a FEILEITE 2010

Henrique Figueira Cajazeira e Wolmer Cerqueira

Geraldo Marques e Léo Machado

Léo Machado e Lúcio Rodrigues Gomes Zzn Peres

A Expogrande principal evento agropecuário do Mato Grosso do Sul, 2011, realizado em Campo Grande, MS, recebeu a 2ª Exposição Estadual Sul Matogrossense do Gir Leiteiro. A mostra faz parte do ranking nacional da ABCGIL – Associação Brasileira dos Criadores de Gir Leiteiro e contou com a participação de 62 animais em pista e seis no concurso leiteiro. O julgamento foi realizado dia 17 de abril e os animais passaram pelo crivo de André Rabelo Fernandes, jurado efetivo da ABCZ e da ABCGIL. Já o Torneio Leiteiro aconteceu no período de 17 a 20/04/2011, com ordenhas supervisionadas pela médica veterinária Ranielly da Silva Maciel, também da ABCGIL. Quem fez a festa na pista foi Carlos Jacob Wallauer que ficou com os títulos de Melhor Criador e Melhor Expositor, e de Grande Campeã, com Fábula FIV Mutum, de propriedade de Carlos Jacob Wallauer. Quem levou a faixa de Grande Campeão foi Marquês da Natureza, de José Henrique Fugazzoli de Barros.

Gir Leiteiro faz a festa em Avaré

A

3ª Exposição Regional de Gir Leiteiro de Avaré, evento organizado sob a chancela da APCGIL, Associação Paulista dos Criadores de Gir Leiteiro, durante a Emapa 2011, consagrou a Calciolândia com Melhor Expositor e Melhor Criador. Carlos Alberto da Silva, o Carlão da Publique, presidente da APCGIL, destaca o recorde de animais da raça Gir Leiteiro na 46ª Exposição Municipal Agropecuária de Avaré, de 36 expositores, vindos de cinco Estados – São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro e Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal. “Registramos a marca recorde de mais de 320 animais inscritos, dos

quais, 270 em pista (214 fêmeas e 56 machos), além de 9 matrizes que disputaram o Torneio Leiteiro e 30 lotes ofertados no 3º Leilão Tipo A, promovido pela Rio Vale Agronegócios e da Agro Santa Bárbara”, festejou. A qualidade e o valor dos animais para o desenvolvimento da pecuária leiteira nacional foram enfatizados pela juíza Dra.Tatiane A. Drummond Tetzner, que escolheu os melhores da exposição: “Parabéns pela organização, tudo nota 1.000! E parabéns à Associação pelo grandioso evento. Contamos com uma pista de julgamento excelente, com animais muito competitivos durante os três dias”, destacou.

Expositores e criadores também elogiaram a organização do evento e a qualidade dos animais. “É uma experiência muito boa participar da Emapa, o nível dos animais melhora a cada ano. A pista foi muito disputada, com a presença de alguns dos melhores criatórios do Brasil”, ressaltou o expositor Bruno de Souza Machado Ferreira, da Fazenda Mutum.

Zzn Peres

48

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

49


Leite Afora Ranking 2010/2011

Aumento de exposições fortalece o Gir Leiteiro

D

50

e Norte a Sul, o Gir Leiteiro é a grande estrela das exposições, com presença forte, destacando-se em qualidade e quantidade nas pistas do Brasil afora. Para se ter uma ideia, o Ranking da ABCGIL 2010/2011 começou em agosto, depois da Megaleite e, até o momento, a associação já contabiliza 49 exposições ranqueadas e homologadas para o período, ante 41 no ranking anterior. E a

tendência é aumentar esse número. Como principal fator que impulsionou o crescimento vale destacar o trabalho da ABCGIL com núcleos e associações. Segundo Saul Borges, responsável pela logística de exposições na ABCGIL, a participação em exposições e feiras agropecuárias, bem como nas pistas de julgamento, valoriza os animais e rebanhos de seleção. “É uma vitrine para demonstração de produtividade, funcionalidade

e também para mostrar o avanço no melhoramento genético da raça. Estamos satisfeitos com o trabalho que vem sendo feito pelos núcleos e associações regionais, incentivando a realização de novas exposições para promover o Gir Leiteiro”, ressalta Saul. De julho a dezembro de 2010, foram realizadas 24 exposições. Já neste ano, até o fim do ranking, são mais 25 exposições. Confira a ficha técnica de cada uma dessas exposições.

1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Bela Vista de Goiás

3ª Exposição Internacional do Gir Leiteiro – Feileite 2010

7ª Exposição Estadual Baiana do Gir Leiteiro – Fenagro 2010

Status: Homologada Mês de realização: 10/2011 Número de animais: 100 Concurso Leiteiro: 17

Status: Ranqueada Mês de realização: 11/2011 Número de animais: 469 Concurso Leiteiro: 20

Status: Ranqueada Mês de realização: 11/2011 Número de animais: 309 Concurso Leiteiro: 21

Grande Campeão: JMMA 858 - Xsansão FIV JMMA Expositor: José Mario Miranda Abdo Grande Campeã: JMMA 731 - Verona FIV JMMA Expositor: José Mario Miranda Abdo Melhor Novilha: JMMA 1072 - Zuzuca JMMA Expositor: José Mario Miranda Abdo Grande Campeã do Torneio Leiteiro: LAF 371 Madrugada da Olhos D’água Expositor: Daniel Antonio Silvano Melhor Criador: Daniel Antonio Silvano Melhor Expositor: José Mario Miranda Abdo

Grande Campeão: EFC 686 - Dom TE da Silvania Expositor: Eduardo Falcão de Carvalho Grande Campeã: JMMA 731 - Verona FIV JMMA Expositor: José Mario Miranda Abdo Melhor Novilha: CAL 8613 - Chandani FIV CAL Expositor: Marilia Furtado de Andrade Grande Campeã do Torneio Leiteiro: CAL 5341 – Raypur TE CAL Expositor: Gabriel Donato de Andrade Melhor Criador: Gabriel Donato de Andrade Melhor Expositor: Gabriel Donato de Andrade

Grande Campeão: CAL 7755 - Apollo CAL Expositor: Gabriel Donato de Andrade Grande Campeã: BJAS 1111 - Insistência TE BJAS Expositor: José Geraldo Vaz Almeida Melhor Novilha: JGVA 70 - Esmeralda FIV JGVA Expositor: José Geraldo Vaz Almeida Grande Campeã do Torneio Leiteiro: CAL 5855 Sapiência TE CAL Expositor: Gabriel Donato de Andrade Melhor Criador: Gabriel Donato de Andrade Melhor Expositor: José Geraldo Vaz de Almeida

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011


Leite Afora 1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Aracaju - SE Status: Homologada Mês de realização: 2/2011 Número de animais: 61 Concurso Leiteiro: 7 Grande Campeão: JRIM 40 - Moag Fahir Rosarinho Expositor: Rubem Sergio Santos de Oliveira Grande Campeã: RSSO 41 - Dandara Expositor: Rubem Sergio Santos de Oliveira Melhor Novilha: LANF 176 - 176 San Giorgio Expositor: Angelo Lucciola Neto Grande Campeã do Torneio Leiteiro CAL 7773 Abela CAL Expositor: Rubem Sergio Santos de Oliveira Melhor Criador: Angelo Lucciola Neto Melhor Expositor: Rubem Sergio Santos de Oliveira

3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Avaré - SP Status: Ranqueada Mês de realização: 3/2011 Número de animais: 270 Concurso Leiteiro: 9 Grande Campeão: EFC 946 - Gabinete Silvania Expositor: Geraldo Antonio de O. Marques Grande Campeã: EFC 684 - Dona TE Silvania Expositor: Eduardo Falcão Carvalho Melhor Novilha: CAL 8613 - Chandani FIV CAL Expositor: Marília Furtado de Andrade Grande Campeã do Torneio Leiteiro: CYF 3 Açucena Expositor: Amilcar Farid Yamin Melhor Criador: Gabriel Donato de Andrade Melhor Expositor: Marília Furtado de Andrade

3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Vitória da Conquista - BA Status: Ranqueada Mês de realização: 3/2011 Número de animais: 165 Concurso Leiteiro: 11 Grande Campeão: J GVA 48 - Destaque FIV do JGVA Expositor: José Geraldo Vaz de Almeida Grande Campeã: BJAS 1111 - Insistência TE BJAS Expositor: José Geraldo Vaz de Almeida

52

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Melhor Novilha TZN 39 - Devoção STZA Expositor: Paulo Eduardo Guimarães Freitas Grande Campeã do Torneio Leiteiro: BJAS 1111 Insistência TE BJAS Expositor: José Geraldo Vaz de Almeida Melhor Criador: José Geraldo Vaz de Almeida Melhor Expositor: José Geraldo Vaz de Almeida

9ª Exposição Especializada do Gir Leiteiro de Passos - MG Status: Ranqueada Mês de realização: 3/2011 Número de animais: 246 Concurso Leiteiro: 35 Grande Campeão: EFC 946 - Gabinete Silvania Expositor: Geraldo Antonio de O. Marques Grande Campeã: CAL 7968 - Afrodite CAL Expositor: Marilia Furtado de Andrade Melhor Novilha: BERH 51 - Vaidosa TE Comapi Expositor: ABSS Agropecuária Ltda. Grande Campeã do Torneio Leiteiro: CAL 6414 Tona TE CAL Expositor: Marilia Furtado de Andrade Melhor Criador: Gabriel Donato de Andrade Melhor Expositor: Gabriel Donato de Andrade

2ª Exposição Baiana do Gir Leiteiro – Salvador - BA Status: Ranqueada Mês de realização: 4/2011 Número de animais: 119 Concurso Leiteiro: 11 Grande Campeão: MOAG 36 - Aliado FIV Morena Expositor: Augusto Alberto da Silva Andrade Grande Campeã: MOAG 38 - Absoluta FIV Morena Expositor: Morena Agropecuária Ltda. Melhor Novilha: JFR 3191 - Cinderela FIV da Jasdan Expositor: Elza Silva Pereira Grande Campeã do Torneio Leiteiro: MOAG 40 Ambiciosa FIV Morena Expositor: Augusto Alberto da Silva Andrade Melhor Criador: Morena Agropecuária Ltda. Melhor Expositor: Morena Agropecuária Ltda.

3ª Exposição Interestadual Fluminense do Gir Leiteiro – Itaipava - RJ Status: Ranqueada Mês de realização: 4/2011 Número de animais: 130

Concurso Leiteiro: 20 Grande Campeão: MTAC 54 - Deputado do Marcão Expositor: Volmer Cerqueira dos Santos Grande Campeã: DAB 123 - EKTA DAB Expositor: José Antonio Silva Lino Melhor Novilha: MPL 39 - Noruega FIV do Leal Expositor: Marcio Palma Leal Melhor Criador: José Antonio Silva Lino Melhor Expositor: Volmer Cerqueira dos Santos Grande Campeã do Torneio Leiteiro: JFR 2743 Várzea FIV Expositor: José Luís Neves de Carvalho

2ª Exposição Estadual Sul Matogrossense do Gir Leiteiro – Campo Grande - MS Status: Ranqueada Mês de realização: 4/2011 Número de animais: 62 Concurso Leiteiro: 6 Grande Campeão: NVFG 28 - Marquês da Natureza Expositor: José Henrique Fugazzoli de Barros Grande Campeã: MUT 635 - Fábula FIV Mutum Expositor: Carlos Jacob Wallauer Melhor Novilha: JWLJ 130 - Iara FIV Sabedoria Expositor: Fabio Taveira Sandim Melhor Criador: Hugo Belchior da Cunha Melhor Expositor: Hugo Belchior da Cunha Grande Campeã do Torneio Leiteiro: HGCH 14 – Hyana da Andorinha

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K


Galeria Galeria DEFOTOS FOTOS DE

Adonias Souza Santos e Luiz Ronaldo

EXPOSIÇÕES

Antônio Lopes Batista

Bruno Machado e Geraldo Marques Dalila Galdeano Lopes

Adriano Okano Silvio Luiz E. Monteiro e esposa

Paulo Curi e esposa

Camila Almeida

Fabiana Gama e Francisco JB Oliveira

Luciana Ochuiuto e Rafael Morinaka Arthur Souto Maior Filizolla

Amilcar Farid Yamin

Beth, Cícero, Rodrigo, Haline e Rafel Aparecido Volpato

54

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Eduardo Falcão, Adriano Okano e Adonias Souza Santos


Galeria Galeria DEFOTOS FOTOS DE

Marta e amiga

Amilcar e João Machado Prata Jr.

EXPOSIÇÕES

Dalila, Maria Tereza e Carlão

Antônio Resende, Luciana Ochuiuto e Edna Resende

Giovani Paes Martins Pisteiro

Graziela Barreto de Almeida

Bruno, Ricardo e amigos

Virgílio Villefort e amigo Luciana Ochuiuto

Monalisa e Dalila

Mulheres do Gir

Maria Tereza L. C. Calil

56

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Edna e Antônio Resende

Lúcio Cornachini e esposa

Rafaela Ferraz entrega prêmio para Calciolândia


Galeria Galeria DEFOTOS FOTOS DE

Francisco JB Oliviera e Rafaela Ferraz

Luiz Ronaldo de Paula

Lúcio Cornachini e esposa

EXPOSIÇÕES

Rosania e Camila

João Machado e família Saul e amigo

Virgílio Villefort

Rosimar do Gir Adriano

Tatiane Tetzner

Maria Tereza e Geraldo Marques

Kinkão

58

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Amarelinho

Marta e Kinkão José Orlando Bordin e Maria Tereza

André Rabelo

Alberto Junqueira

Ana Navarro

Antônio Lopes Batista

Cantores no estande da Publique

Andréia, Marli, Dalila, Geraldo Alckimin, Renata e Izamar

André Marques

Alessandra Arnaud

Rosania e Adonias

Adriano Okano


Galeria Galeria DEFOTOS FOTOS DE

Carla Tuccilio

Geraldo Marques e Dilson Cordeiro

Promotora da Embral

Davi Roberto Francinir e José Arley

Getúlio Vilela Figueiredo

Galeria

DE FOTOS EXPOSIÇÕES

EXPOSIÇÕES

José Francisco Junqueira Reis

Luiz Fernando, Geraldo Marques, Flávio Peres, João Magalhães e Kinkão

Criadores do Estado do Rio de Janeiro

Luiz Evandro Aguiar e Alessandra

Roberto Vilhena

Ilza Helena

Élio Virgílo Pimentel e Augustinho

Carlão e Núcleo Gaúcho dos Criadores de Gir Leiteiro

José Papazoglo Hideraldo Crozzara e Rodrigo Bragança Graziela

Celso Menezes

Dania

Flávio Peres Daniela Ortolan Pecerini

José Otávio Lemos

Eduardo Soares de Camargo e Décio Ribeiro dos Santos

Gabriel Villa Verde e Leonídio Machado

Geraldo Alckimin Casal Menecucci e o casal Gilson Bargieri

Gisele Oliveira

Débora

Henrique Cajazeira e esposa Gustavo Scheibe

Eduardo Ambar

Recepcionista da APCGIL

José Donato Dias Filho, Geraldo Marques e João Magalhães

Karla de Paula

Fausto Gomes

Eduardo Falcão, Camila, Luciene e João Machado

Henrique Queiroz

Renata, Henrique Cajazeira e Adriano Okano

Luciene e Maria do Carmo

José Reanto Bóia Rocha

Marcio Palma Leal Luiz Roberto Lima de Moraes

José Mário Miranda Abdo e equipe ABCGIL

Leeo Machado e Ana Navarro

José

Dalila Galdeano Lopes

Ricardo da Estâncioa Bom Retiro

José Mário Miranda Abdo

Delegação do Núcleo Gaúcho de Gir Leiteiro

José Arley

Luiz Evandro Aguiar e Zzn Peres

Dirigentes da APCGIL, ABCGIL e Geraldo Alckimin

Evandro do Carmo Guimaraães e José Mário Miranda Abdo Zzn Peres

60

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

61


Galeria Galeria DEFOTOS FOTOS DE

Izamar e José Coelho Vítor

José Bon

Mila, Wagner e Rodrigo

EXPOSIÇÕES

Melissa e Márcia Benevenuto

Dalila e Geisse Kerly Juízes

Dirigentes da APCGIL, ABCGIL e Geraldo Alckimin Peões em ação

Pista de Julgamento FEILEITE

Marcelo Censoni Jordane Silva e Geraldo Marques

Janine Aguiar

Grande Campeã Gir Leiteiro FEILEITE 2010 Mário César de Moraes

Paulo, Tomaz de Aquino e esposa

José Arley, Getúlio Vilela, Francinir e José Mário

Promotora da C.R.I.

Maria Cristina Tupinambá Berteli

José de Castro

Kinkão

62

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Promotora da Embral

Paulo Menicucci, Gilson Bargieri e Fernando Alonso

Vista geral da pista de julgamento

José Coelho Vítor

Miller Cresta e Getúlio Vilela

Paulo Maximiliano


Capa

F

erramenta básica da pecuária leiteira moderna, o Controle Leiteiro ajuda o produtor na tomada de decisão para o aumento da eficiência econômica dos rebanhos leiteiros e permite a identificação de indivíduos, famílias e linhagens de aptidão leiteira, no rebanho e dentro das raças zebuínas. Também orienta o manejo alimentar e sanitário das fêmeas (controle e prevenção de mastite) e fornece parâmetros para o descarte e o melhoramento genético no sentido de se obter o máximo do rebanho comercial. Segundo Rui da Silva Verneque, pesquisador da Embrapa Gado de Leite, o controle leiteiro fornece informações importantes para o melhoramento genético, facilitando o acasalamento dos melhores indivíduos, com base na avaliação da produção. “Conhecendose a produção dos animais e o seu valor genético, pode-se, então, selecionar os melhores indivíduos e utilizá-los de forma intensiva ou, então, descartar aqueles que não são de interesse”, diz. Verneque lembra outra finalidade do controle leiteiro: o fornecimento racional de alimentos, principalmente concentrados, no cocho, de acordo com a produção de leite, ou seja, vaca que produz mais leite deve comer mais. “Isso significa maior produção a um menor custo.”

ontrole Leiteiro passaporte para o Gir Leiteiro Ao apostarem nessa importante ferramenta de seleção, os pioneiros lançaram as bases para o reconhecimento e o valor da raça.

INICIATIVA PIONEIRA “Hoje o Gir Leiteiro é uma realidade. Uma seleção zootécnica, baseada em grandezas mensuráveis. A vaca vale pelo leite que produz”, afirma o diretor do Museu do Zebu, Hugo Prata, lembrando que o controle leiteiro no Brasil passa, necessariamente, pela origem do Gir leiteiro, cujo primeiro rebanho foi formado em Umbuzeiro, na Paraíba, em 1938. Mexendo no baú da memória, ele conta que Epitácio Pessoa Sobrinho comprou no sul de Minas e no interior de São Paulo o touro Tietê, as vacas Bonina e Ubarana e mais um lote de 70 animais. Tietê acasalado com Ubarana originou Negus que, cruzado

com Guaíra, deu origem a Hazan. Guaíra, em condições precárias, chegou a produzir 13,9 litros de leite por dia. Em 1948, por recomendação do professor Octávio Domingues, deu-se início ao rebanho da Fazenda Experimental de Criação Getúlio Vargas, em Uberaba. Foram adquiridas 51 vacas nos municípios de Uberaba, Curvelo, Franca, Jardinópolis e Ribeirão Preto. Para padrear estas vacas vieram de Umbuzeiro os touros Faizão, Cupido e Real. Cupido era filho de Tietê e Bonins. Em agosto de 1949 iniciou-se o controle leiteiro diário. Prata, que testemunhou a iniciação do Gir no Controle Leiteiro, afirma que se destacaram no rebanho

“Hoje o Gir Leiteiro é uma realidade. Uma seleção zootécnica, baseada em grandezas mensuráveis. A vaca vale pelo leite que produz”, observa Hugo Prata. as vacas Montanhosa (3.213,0 quilos de leite em 300 dias com o teor de 6,57% de gordura) e Soberana (filha do famoso Soberano e irmã paterna de Bombaim que produziu em 305 dias 3.867,4 quilos de leite). Esta vaca acasalada com Hazan deu origem a Uberabense. Em 1952 foi comprado novo lote de 96 vacas e para padreá-las veio de Umbuzeiro o touro Hazan, filho de Negus e Guaíra. Hazan foi o primeiro touro testado como melhorador leiteiro no Brasil. “Em 1961, por iniciativa da Fazenda Experimental, começou o controle leiteiro em fazendas particulares, sendo inscritos os rebanhos de Continentino Jacintho da Silva, em Franca, de Randolfo Rezende, João Guido, Dorival Cicci, Waldo Cruvinel Borges e Lincoln Carvalho, em Uberaba”, lembra Hugo Prata. Em 1964 a Associação Paulista de Criadores de Bovinos começou o seu controle leiteiro com os criadores Rubens Resende Peres de São Pedro dos

“O Espaço Pioneiros do Gir Leiteiro no Museu do Zebu é uma forma de homenagear as pessoas que, lá atrás, acreditaram na produção de leite do zebu. Os pioneiros que criaram o Gir voltado para a seleção leiteira foram o dr. Francisco Figueiredo Barreto, dr. João Batista Figueiredo Costa, Rubens Rezende Peres e dr. Gabriel Donato de Andrade. Esses quatro têm uma característica comum: seus descendentes ou eles mesmos continuam a seleção para leite com a mesma intensidade e o mesmo entusiasmo de sempre.”

Hugo Prata, coordenador do Museu do Zebu

Ferros, João Batista de Figueiredo Costa de Casa Branca, José Carlos Lyra Fleury de Dois Córregos, João Sampaio Leite Ferraz de Reginópolis e João Francisco Sociedade Ltda. de Mococa. Mais tarde, juntou-se a este grupo, o rebanho de Gabriel Donato de Andrade da Fazenda Calciolândia de Arcos-MG. “Os resultados animaram outros criadores que também aderiram à seleção”, diz Hugo Prata que em 1961 foi trabalhar com a Fazenda Brasília. Quatro anos depois, assumiu a gerência da APCB (Associação Paulista de Criadores de Bovinos), fundada em 1926 com o nome de Federação Paulista de Criadores de Bovinos. A entidade, que teve o nome mudado para APCB, em 1945, e tornou-se ABC (Associação Brasileira de Criadores), em 1969, começou a fazer o serviço de controle leiteiro em 1962, inclusive dos animais da Fazenda Getúlio Vargas. Em 1976, a ABCZ – Associação Brasileira de Criadores de Zebu assumiu o controle Leiteiro das raças zebuínas e, desde então, muitos criadores passaram a utilizar o serviço da associação que atualmente realiza o controle de lactação em vacas Gir Leiteiro, na sua maioria, além de Sindi Leiteiro e Guzerá Leiteiro. Pelos cálculos de Hugo Prata, são mais de 330 propriedades e um número superior a 10 mil fêmeas em avaliação. No Brasil, além da ABCZ, o Controle Leiteiro é realizado também pela Esalq – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, ambas entidades reconhecidas pelo Mapa – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Zzn Peres

64

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

65


1000 500 0

Fonte: Embrapa Gado de Leite

regime alimentar dentro de um grupo contemporâneo de matrizes e o repasse desses dados para a estruturação da estimativa dos valores genéticos dos animais.

relatório da Asbia – Associação Brasileira de Inseminação Artificial. De pouco mais de 50 mil doses, em 1980, chegou ao pico de 800 mil doses, em 1998, porém, caiu para pouco mais de 550 mil, em 2009, em razão da crise econômica mundial. Em 2010, retomou o ritmo de crescimento, com 691.679 doses, 19,10% acima do ano anterior. O quadro de sócios evoluiu bastante em 30 anos. De 18, na década de 90, chegou a 166, em 2007, e bateu a marca de 333 sócios em 2010, ou seja, duplicou em 3 anos, o que coincide com a primeira gestão do Silvio Queiroz à frente da ABCGIL. Vale quanto pesa O leite é formado por água, gordura, proteína, lactose e sais minerais. Em média, o leite brasileiro tem na sua composição 87,5% de água e 12,5% de sólidos. Quanto maior o teor de sólidos (gordura e proteína), maior é a valorização do produto no mercado,

Distribuição dos Associados da ABCGIL pelo Brasil

2010

1º Grupo de Touros Provados

2009

Início da produção das primeiras filhas destes touros

1500

2008

2000

2007

2500

2006

no relatório de Desempenho geral ou individual. Para ser considerado de aptidão leiteira, o animal deve cumprir alguns requisitos: fêmeas com idade até 48 meses – que ela própria ou sua mãe apresente uma lactação oficial com produção de leite maior que 2.500 kg em até 305 dias. A produção própria sobrepõe a da mãe; fêmeas com idade

3000

2005

Trocando em miúdos O Controle Leiteiro é uma das provas zootécnicas do PMGZ - Programa de Melhoramento Genético de Zebuínos da ABCZ cujo objetivo é comprovar a lactação da vaca por meio da emissão do Certificado de Produção, denominado Relatório Individual de Lactação Oficial, emitido apenas para fêmeas cuja lactação tenha mais de quatro pesagens oficiais. O criador pode acompanhar o desempenho de um animal ou de todo o seu rebanho

“A ideia da Associação aconteceu quando meu irmão e eu estávamos na Fazenda Tabarana, com o seu Lúcio, uma pessoa extraordinária. Ele me disse ‘olha, Zé, nós precisamos fazer um teste de progênie, mas, para isso, temos que fundar uma associação, e quem tem que tocar isso pra frente é você’. Fico muito orgulhoso de ter sido um dos fundadores da ABCGIL. Fizemos o primeiro teste de progênie de zebuínos do mundo. O dia que saiu o resultado do primeiro grupo do teste de progênie foi um dos mais importantes da minha vida.”

Evolução da produção de leite 3500

PNMGL é o motor do crescimento dos registros da raça Gir Ao avaliar os gráficos desta matéria, percebe-se que o Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro teve forte contribuição na evolução dos registros a raça. Para se ter uma ideia, a divulgação do resultado da 1ª bateria de touros provados do PNMGL (1993) e da lactação da 1º geração de filhas do Teste de Progênie (1996) contribui significativamente para o aumento dos registros do Gir Leiteiro. Em 1996, eram pouco mais de 5.000 animais registrados, e, em 2009, alcançou 20.893, segundo a ABCZ. O crescimento da produção do rebanho Gir Leiteiro também foi impulsionado pelo PNMGL. De 1980 para 2008, a produção do rebanho desta raça passou de 1.800 quilos para 3.300 quilos, enquanto a do rebanho nacional evoluiu de 650 quilos para 1.200 quilos. Gir Leiteiro Hoje, o maior volume de animais em controle leiteiro da ABCZ é da Rebanho Nacional raça Gir Leiteiro, um crescimento sustentado desde 2005, quando passou de 1.000 fêmeas para mais de 4.000, em 2009. A raça representa 85% do total de fêmeas com produção e lactação conferidas e certificadas. A venda de sêmen de Gir Leiteiro também cresceu, conforme

2004

Fonte: Embrapa Gado de Leite

2003

Fonte: Emater/RS

Evolução da produção de leite do rebanho Gir Leiteiro e do rebanho Nacional.

2002

Se possível, coletar amostra individual de leite para o laboratório analisar o teor de gordura, proteína ou a contagem de células somáticas.

2001

10

2000

Produções de leite em cada ordenha (em kg), sistema de alimentação e ocorrências observadas no intervalo dos controles (assim como parto, secagem, venda, doença, aborto, etc.) devem ser anotadas;

1999

9

O que é lactação ajustada? A Associação Brasileira de Criadores de Zebu - ABCZ regulamenta lactações de 305 e 365 dias com produções reais e ajustadas à idade adulta. O ajuste à idade adulta serve para fazer comparações igualitárias de produção entre as matrizes, já que a idade ao parto fisiologicamente implica em diferenças de produções. Segundo Mariana Alencar, gerente do PMGZ/

1998

Permite cadastrar informações de desempenho produtivo no registro genealógico e dá o direito de o animal participar de teste de progênie.

8

As ordenhas devem ser completas, para esgotar o leite, não deixando nada para bezerro no caso de ordenhas com bezerros ao pé;

1997

10

O ideal é que, tanto na esgota como nas ordenhas do controle, as vacas sejam ordenhadas aleatoriamente, sem uma ordem;

1996

9

É pré-requisito para transformar animais Puros por Cruza (PC) em Puros de Origem (PO);

7

1995

Possibilita armazenar informações de classificação para tipo, objetivando a tomada de decisões no acasalamento de suas vacas;

Como a produção é medida em 24 horas, recomenda-se um intervalo próximo a 12 horas entre as duas ordenhas e oito horas entre as três ordenhas, para padronização dos dados;

1994

8

6

1993

Possibilita a maior divulgação e promoção do rebanho, conseguindo maior valorização na comercialização dos animais;

As vacas devem ser bem identificadas, com tatuagens, brinco na orelha ou outra marcação, para que as anotações sejam precisas;

1992

7

Possibilita a identificação dos animais “elite” da propriedade, tornando-se um instrumento de trabalho para a tomada de decisões na seleção e descarte, no manejo reprodutivo (identificando no mês, animais a parir, inseminar, diagnóstico de gestação e para secar) e no manejo nutricional das vacas leiteiras;

5

1991

6

Obter relatórios de desempenho mensal e anual dos animais;

Ao iniciar o controle no rebanho, recomenda-se começar com vacas recém-paridas, com mais de 5 e menos de 45 dias pós-parto. Mensalmente, novas vacas recém-paridas entrarão em controle até que todas estejam no controle;

1990

5

4

1989

Controlar e registrar a produção (cobertura, período de serviço, número de serviço por concepção, idade ao primeiro parto, período de gestação e intervalo de parto), além de controlar e registrar eventos clássicos (partos, peso, fatores que afetam a lactação, condição do bezerro ao nascer, facilidade de parto, condição corporal, etc.);

O controle é realizado em todas as vacas em lactação, por controladores credenciados ou por responsáveis pelo Serviço de Controle Leiteiro, para oficialização, ou pelo próprio criador, para uso próprio ou em pesquisa;

1988

4

3

Leite da ABCZ, devido ao ajuste à idade adulta, espera-se que uma matriz de 3 anos, em pleno potencial produtivo, possa ser comparada com uma matriz de 12 anos, a qual já pode apresentar decréscimo de produção ocasionada pela senilidade. Mariana lembra que no momento da comercialização dos animais é sugerido ao criador o repasse das duas produções, a real e a ajustada, assim como o regime alimentar ao qual a vaca foi submetida. “Essas informações podem ajudar o novo proprietário a definir o critério de seleção a ser seguido, além de fornecer uma estimativa fenotípica do potencial produtivo”, explica. Vale ressaltar que os animais devem ser avaliados no ambiente em que serão utilizados, por isso, é importante a correta identificação do

1987

Com base nas informações, possibilita estabelecer programa de pagamento do leite, por qualidade, pela indústria;

O controle é realizado em duas ou três ordenhas diárias, sendo necessário fazer a esgota total do leite, na tarde anterior ao dia do controle;

1986

3

2

Gabriel Donato de Andrade

1985

Controlar e registrar a contagem de células somáticas (x1000/ ml) do leite, objetivando monitorar a saúde da glândula mamária e, especificamente, a mamite subclínica;

O leite de cada vaca é pesado mensalmente, com o uso de balanças precisas, com intervalo entre os controles de 15 a 45 dias;

1984

2

1

1983

O Controle leiteiro permite controlar e registrar as produções de leite (kg/ dia) de animais e saber a qualidade do leite produzido na propriedade (% de gordura);

1982

1

acima de 48 meses devem apresentar uma lactação oficial com produção de leite maior que 2.500 kg em até 305 dias; e machos de qualquer idade devem ter mãe com lactação superior a 3.500 kg em até 305 dias. O serviço consiste na pesagem de amostras do total de leite produzido por uma matriz, em 24 horas, coletadas em intervalo máximo de 45 dias entre os controles, durante toda a lactação. Os dados geram relatórios individuais com informações sobre genealogia, produção real e ajustada à idade adulta naquela lactação, além de gráfico sobre a produção mensal da lactação. Esses dados também podem ser utilizados, por exemplo, na elaboração do Sumário de Touros, o que permite a disseminação de genótipos superiores.

1981

Como fazer?

Por que fazer?

1980

OS Dez passos DO CONTROLE LEITEIRO

“O Gir Leiteiro é uma raça maravilhosa que, no início, nós contávamos com produtora de material genético e agora, com muita vitalidade e com muita economia, ela mostra que pode ser essencialmente produtora de leite e não só para cruzamentos. Tem alta fertilidade aliada a muita saúde, produtividade e longevidade e, com isso, tem toda a possibilidade de competir com os outras raças. Por tudo isto, vamos criar Gir Leiteiro, que nos dá prazer e também nos dá lucro.”

Produção de Leite (kg)

Capa

José João Salgado Rodrigues dos Reis 66

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

67


60.000

1942 1943

100,00 3,70

1944 1945

68,63 49,63

1946 1947

26,44 21,72

25.000

1948 1949

25,45 32,27

20.000

1950

46,09

15.000

1951 1952

48,53 60,61

50.000 45.000 40.000 35.000

50.000

30.000

40.000

10.000

%

Geral

Geral Gir

5.000 1970

1969

1968

1967

1966

1965

1964

1963

1962

1961

1960

1959

1958

1957

1956

1955

1954

1953

1952

1951

1950

1949

1948

1947

1946

1945

1944

1943

1942

0

30.000 20.000

1970

10.000

Gir 2010

2009

2008

2006

2005

2002

1999

1996

1993

1990

1987

1984

1981

1978

1975

1972

1966

1963

1960

1957

1954

1951

0 1948

Eduardo Falcão de Carvalho

Evolução Registros ABCZ | Geral e Gir

1945

“Meu saudoso pai, José Fernandes Carvalho, sempre trabalhou com controle leiteiro oficial e melhoramento para produzir tourinhos. A fundação da ABCGIL, para congregar os criadores num projeto maior e transformar os objetivos da raça de forma criteriosa e consistente, contribuiu para concretizar o que todos queriam: um Gir Leiteiro. Meu pai era um empresário e visionário e sabia que o Gir chegaria onde está hoje. Em cada exposição, em cada evento os recordes de produção se acumulam. É a certeza do melhoramento e a segurança de utilização da raça como melhoradora em planteis puros e em rebanhos cruzados, para a produção de leite.”

1942

Capa

“A história do Gir Leiteiro começou pelo interesse de alguns criadores em montar um projeto. Eles buscaram a Embrapa para saber como poderiam materializá-lo. O Martinez foi indicado pela diretoria do Centro de Gado de Leite para dirigi-lo. Os desafios foram imensos, pois ninguém acreditava no Gir Leiteiro naqueles anos. O teste dependia de vontade do governo, que daria os recursos para tirar do papel o projeto. Mas os criadores pioneiros decidiram bancálo por conta própria. Isso foi definitivo para que o teste pudesse virar realidade. O Martinez sempre acreditou no Gir Leiteiro, sempre achou que era o gado perfeito para os trópicos”.

Ivete Martinez

Fonte: ABCZ

a correta alimentação dos animais para maximizar o teor de sólidos. Além disso, indica a necessidade de pesquisas para se conhecer melhor os fatores que interferem no teor de sólidos do leite no Brasil, avaliar o papel das raças que são criadas pelos produtores e, até mesmo, verificar

e gordura, para se beneficiarem de pagamento que valoriza o aumento desses dois elementos. De acordo com a pesquisadora, o conhecimento

68

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Referência Segundo Carvalho, entre os países produtores de leite, a principal referência é a Nova Zelândia, com quase 15% de sólidos,

60.000

1942 1943

100,00 3,70

1944 1945

68,63 49,63

1946 1947

26,44 21,72

25.000

1948 1949

25,45 32,27

20.000

1950

46,09

15.000

1951 1952

48,53 60,61

50.000 45.000 40.000 35.000

50.000

30.000

40.000

10.000

%

Geral

Geral Gir

5.000 1970

1969

1968

1967

1966

1965

1964

1963

1962

1961

1960

1959

1958

1957

1956

1955

1954

1953

1952

1951

1950

1949

1948

1947

1946

1945

1944

1943

0

30.000 20.000

1970

10.000

Gir 2010

2009

2008

2006

2005

2002

1999

1996

1993

1990

1987

1984

1981

1978

1975

1972

1966

1963

1960

1957

1954

0 1951

Fonte: ABCZ

Joaquim Noronha, Kinkão Evolução de venda de sêmen de Gir Leiteiro

Fonte: ASBIA

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

2000

1999

1998

1997

1996

1995

1994

1993

1992

1991

1990

1989

1988

1987

1986

Sanidade em primeiro lugar Para conseguir maior bonificação, que é praticada somente pelas indústrias que produzem derivados de leite e pelas exportadoras, o produtor precisa investir em genética, nutrição e sanidade do rebanho. Maria Aparecida destaca alguns fatores que afetam a composição do leite: genética, estágio da lactação, quantidade do leite produzido, idade da vaca, ambiente, doenças (mastite) e nutrição. “A mastite interfere diretamente na concentração de sólidos, reduzindo os teores de gordura, lactose e caseína”, aponta.

de melhorar a qualidade do leite em geral (não somente dos sólidos). “Para o leite brasileiro ser competitivo, há necessidade de se obter um produto com baixa contagem total de bactérias, baixa contagem de células somáticas e também com o nível concentração de sólidos semelhante ao obtido fora do Brasil”, analisa. Mas, o que “Meu pai começou a seleção do Gir Leiteiro a partir de 700 vacas Gir fazer para registradas. Todas passaram pelo balde e sobraram apenas 80 que aumentar produziam mais do que o bezerro mamava. O parâmetro mínimo o teor de era 1500 quilos de leite. Hoje, nossa média é de 9.000 quilos de s ó l i d o s leite, com o mínimo de 6.000 kg de leite para a idade adulta. A no leite? grande virada da raça foi o resultado do teste, com a credibilidade e a confiabilidade que trouxe para a raça, dando direção ao trabalho De acordo que antes era feito de forma particular em cada fazenda. O teste nos com Maria assegura o progresso genético, inclusive com o avanço para outras Aparecida, a características de seleção além dos valores de PTA leite.” mastite, que Flávio Peres 1985

se ocorrem variações regionais, ou o papel de outros fatores diferentes do manejo nutricional.

800.000 750.000 700.000 650.000 600.000 550.000 500.000 450.000 400.000 350.000 300.000 250.000 200.000 150.000 100.000 50.000 0

1984

quase 20% a mais quando comparado ao Brasil. “Essa diferença é resultado de melhoramento genético de décadas, com o objetivo de obter maior teor de sólidos, e reflete a eficiência do sistema de produção, de um pacote tecnológico.” Conforme explica, se considerarmos que o leite é transportado em pó para o mercado internacional, na prática, o produto já sai da vaca valendo 20% a menos. Mas o País tem um grande consumo de leite fluido e o teor de sólidos não é tão importante, em sua opinião. Mas quando se pensa em processamento, quanto maior o teor de sólidos, maior o rendimento industrial. Em decorrência da maior quantidade de proteína, com a mesma quantidade de leite, se consegue elevar a produtividade. “Estamos longe de alcançar os teores da Nova Zelândia e temos um longo caminho a percorrer para elevar o conteúdo de sólidos do leite produzido no Brasil”, acrescenta a pesquisadora, que aponta algumas ações a serem tomadas. Por exemplo, a orientação de cruzamentos que favoreçam o aumento dos sólidos e

Evolução Registros ABCZ | Geral e Gir

“Meu avô era um apaixonado pelo gado e, em 1938, começou a aferir o leite das vacas do plantel da Campo Alegre, o que mostra o foco da seleção voltada para leite. Em 1962, já com vários criadores com plantéis bem estruturados, os pioneiros instituíram oficialmente o controle leiteiro. Na década de 70 começaram a pensar no teste de progênie. No final de década, o grupo procurou a Embrapa para fazer o teste e, por sugestão do dr. Mário Luiz Martinez, que encabeçou o teste durante toda a sua vida, surgiu a ABCGIL. Sem ela não poderia haver o teste de progênie que é a alavanca principal da raça”.

1942

Fonte: ABCZ

1948

1996

1993

1990

1987

1984

1981

1978

1975

1972

1966

1963

1960

1957

1954

1951

1948

1945

1942

1939

0

1945

Lactacão da 1ª Geração de Filhas TP

1983

5.000

1982

Divulgação 1º Resultado TP

PNMGL Fundação ABCGIL

1942

20893 25678

1981

18143

2009 2010

1980

13152 15980

2008

2010

8692 11336

2006 2007

2009

2004 2005

28.570 em 1973

2008

10.000

7618 8607

2006

15.000

6009 6392

2002 2003

2005

20.000

2000 2001

2002

25.000

1999

30.000

resulta em alta contagem de células somáticas, tem uma relação direta com o conteúdo de sólidos do leite. “Portanto, o controle de mastite, ou baixa contagem de células somáticas é importante para aumento do teor de sólidos”, diz.

Doses

Evolução Registros ABCZ | Raça Gir

dos valores desses elementos também fornece informações sobre a eficiência da utilização dos nutrientes pelos animais. A tendência de as empresas remunerarem pela qualidade reflete no quando o assunto é pagamento pela aumento da produção de qualidade. Os valores normais para queijo, iogurtes e até o leite a gordura variam de 3,7% a 4,9% em pó para exportação. e a proteína oscila de 3,1% a 3,8%, A introdução do pagamento pelo dependendo da raça. Os valores de teor de sólidos sinaliza a importância lactose estão geralmente entre 4,6 % a desses elementos para os produtores, 4,8% para todas as raças e o conteúdo mas a maioria não sabe como atingir de minerais em torno de 0,74%, os benefícios do programa, na opinião segundo Maria Aparecida Vasconcelos da Maria Aparecida. Paiva e Brito, pesquisadora da “O pagamento pela qualidade, Embrapa Gado de Leite. Em geral referenciada pelo maior teor de os produtores de leite procuram sólidos totais, valorizou a produção do maximizar o conteúdo de proteína leite, foi um estímulo para o produtor, mas é um processo “O meu avô sempre teve a preocupação com os aspectos técnicos l e n t o ” , da seleção. Queria fazer um gado que desse uma resposta real e argumenta objetiva de produção. Com esse princípio, ele os companheiros da época idealizaram a fundação da ABCGIL com um objetivo principal: Marcelo trabalhar a seleção para leite, por meio das provas zootécnicas, para Pereira de trazer o melhoramento necessário ao Gir Leiteiro. O mais importante Carvalho, que isso é o Teste de Progênie. Hoje, a grande quantidade de sêmen d i r e t o r comercializada é de touros provados pelo teste, o que significa executivo da trabalhar sabendo o que vai ter na resposta.” Agripoint Consultoria. José de Castro Rodrigues Neto

E acrescenta que, de maneira geral, 55% da variação da composição do leite é decorrência da hereditariedade, enquanto 45% referem-se a fatores do ambiente, como o manejo alimentar do animal. Na opinião da pesquisadora, a maior participação no mercado externo aponta a necessidade

Ano

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

69


Hora da Saúde

ê “ouvidos” ao seu animal

Fique de olho na otite parasitária: um mal que acomete o Gir Leiteiro e age em silêncio.

70

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

C

onhecida por sua capacidade de produção leiteira, eficiência e custos reduzidos em diversas regiões de clima tropical e subtropical, o Gir Leiteiro vem ganhando destaque no cenário nacional. Exatamente por ser uma raça em plena expansão, alguns cuidados devem ser tomados para garantir a saúde do rebanho. Nesse aspecto, um problema que tem causado preocupação entre os criadores é a otite parasitária, infecção que acomete principalmente animais que possuem orelhas longas e vivem em regiões de clima quente e úmido. Patrícia Vieira Bossi Leite, médica veterinária e doutoranda em Ciência Animal pela Escola Veterinária da UFMG Universidade Federal de Minas Gerais, fala sobre a infecção, suas causas e métodos de tratamento. Conforme explica, a otite parasitária em bovinos pode ser causada tanto por ácaros do gênero Raillietia quanto por pequenos vermes rhabditiformes (Rhabditis spp.), estes últimos parasitas específicos de bovinos de orelhas longas como os da raça Gir Leiteiro. Por sua vez o ácaro, que é encontrado parasitando todas as espécies de bovinos, é considerado por alguns pesquisadores como o precursor das otites causadas por Rhabditis por desencadear reações inflamatórias com o consequente aumento da umidade e temperatura do local afetado, tornando o microambiente dentro do ouvido extremamente favorável à sobrevivência do nematóide. “Essa infecção produz alguns sintomas que, por muitas vezes, são ignorados por serem considerados sem importância, porém podem, em pouco tempo, comprometer a saúde e a vida do animal”, alerta Patrícia. Conforme explica, o crescimento peculiar dos chifres e o formato


das orelhas dos animais da raça Gir dificultam a aeração e causam o acúmulo de cerúmen e secreções dentro do conduto auditivo externo, propiciando um ambiente favorável ao desenvolvimento de parasitas, fungos e bactérias. Essas características fenotípicas, mais evidentes nos animais adultos, tornam esta categoria mais predisponente à doença. Sintomas Os sintomas clínicos da otite variam de acordo com a gravidade da doença. De acordo com a veterinária, alguns animais apresentam apenas pequena quantidade de secreção purulenta na porção inicial do canal auditivo que pode passar despercebida nos exames rotineiros. Nos casos graves, essa secreção, repleta de parasitas, associada a infecções bacterianas ou fúngicas secundárias, fica mais intensa, com odor extremamente desagradável. “O animal pode apresentar um quadro de apatia e perda de apetite com movimentos repetidos da cabeça”, explica e acrescenta que a ausência de tratamento pode agravar ainda mais o quadro causando obstrução do conduto auditivo, perda da audição e ruptura do tímpano. Nestes casos já há comprometimento das porções internas do ouvido e até do sistema nervoso central, diagnosticáveis pela postura inclinada da cabeça, além da flacidez da orelha e boca. “Os animais que chegam a esse estágio geralmente apresentam problemas de coordenação motora, convulsões e não raras vezes morrem”, alerta. Os animais tornamse portadores da doença a partir dos 16 18 meses. Alguns convivem com o problema durante muito tempo sem apresentar sintomas clínicos evidentes, porém, a ausência de tratamento leva à cronicidade da infestação com contaminação bacteriana secundária e agravamento do quadro clínico. “Quando o animal chega a apresentar sintomas de otite grave, inclusive com comprometimento nervoso, os prejuízos econômicos – decorrentes de gastos com medicamentos, da necessidade de manejo diferenciado

72

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

“Essa infecção produz alguns sintomas que, por muitas vezes, são ignorados por serem considerados sem importância, porém podem, em pouco tempo, comprometer a saúde e a vida do animal.” dos animais afetados, da diminuição da produção de leite e do ganho de peso, e da infertilidade, inclusive com baixos índices nas Transferências de Embrião e FIV, além da desvalorização comercial – passam a ser evidentes”, alerta. Contágio O nematóide causador da doença é habitante normal de solos úmidos e alimenta-se de matéria orgânica, porém, ainda não se sabe muito a respeito de como ele passa a parasitar o ouvido dos animais. Algumas hipóteses sugerem que ele seria conduzido mecanicamente pelo próprio bovino ao coçar as orelhas com as patas traseiras sujas de esterco, outras de que ele seria transportado aderido ao corpo de moscas – comuns em currais e estábulos, principalmente nos meses úmidos e quentes do ano –, que os carrearia de um hospedeiro contaminado a outro. Segundo Patrícia, a prevenção da infestação pelo nematóide auricular ainda é considerado um ponto de interrogação no meio científico, pois são necessários conhecimentos mais aprofundados, principalmente sobre a época de maior ocorrência da doença, o ciclo biológico do parasita e, em especial, como e quando ele inicia a infestação ou é transmitida de um hospedeiro a outros. Estudos sugerem a necessidade de tratamentos diferenciados, de acordo com a gravidade da otite. Para os animais em que a doença pode ser classificada como leve ou moderada, a indicação é de lavagens do conduto auricular com uma solução de álcool boricado a 3% (produto com ação bactericida e desidratante), seguidas da aplicação tópica de um parasiticida e repelente no pavilhão auricular. Patrícia ressalta a necessidade de, pelo menos, quatro tratamentos com intervalos de uma semana, de forma a tornar o ambiente do conduto auditivo desfavorável à sobrevivência do parasita.

“Nos animais com otite grave, é necessário, além da sequência de lavagens para eliminar os parasitas, identificar, também, através de cultura e antibiograma, as bactérias presentes e combatê-las utilizando-se de antibióticos sistêmicos específicos, por pelo menos três semanas, em conjunto a anti-inflamatórios não esteróides”, ensina a veterinária. Tratamento De acordo com Patrícia, é consistente a hipótese de que a otite parasitária ocorra na totalidade dos rebanhos da raça, na maioria dos casos, sem confirmação diagnóstica. Em alguns casos, os animais positivos só são identificados quando a doença já se encontra em estágio avançado. Mas os casos não aparentes ou subclínicos permanecem sem diagnóstico e, portanto, tendem à cronicidade. A partir do diagnóstico, a veterinária afirma que é necessário monitorar a doença, principalmente nos animais mais velhos, e tratar os animais com diagnóstico positivo para a otite. “É importante que os criadores se preocupem sempre em não permitir a introdução em suas propriedades de animais positivos, que seriam a fonte de contaminação do rebanho livre.” Em função da gravidade e dos prejuízos ocasionados por essa doença, Patrícia afirma que a mesma deve ser motivo de preocupação particular dos criadores de Gir Leiteiro e de atenção específica dos veterinários assistentes. Deve-se salientar a importância de controlar os fatores, os quais, acredita-se, sejam os responsáveis pela transmissão do parasita, evitando-se, assim, sucessivas reinfestações. “Para tanto, deve-se manter as instalações onde permanecem os animais, sempre limpas e secas, assim como manejar o esterco produzido na propriedade, com o objetivo de diminuir a população de moscas e dos parasitas”, finaliza.

Publique

Hora da Saúde


Hora do Manejo

A

O sistema de pastejo rotacionado integra o animal à planta, ao solo e a outros componentes do ambiente. Resultado, melhores índices de produtividade

assa verde

bem mais aproveitada Zzn Peres

o contrário dos países de clima temperado, que dependem de técnicas como confinamento na exploração e produção animal, a pecuária nas regiões tropicais está sujeita totalmente às pastagens. No Brasil, quando se fala no potencial de produção de gado a pasto, vêm à mente os 180 milhões de hectares de áreas de pastagens existentes no teritório nacional. Porém, o desenvolvimento da atividade exige, cada vez mais, a adoção de pastagens cultivadas – o Estado de São Paulo é um exemplo, cerca de 80% das suas áreas de pastagens são cultivadas. Adilson Almeida Aguiar, professor da Fazu – Faculdades Associadas de Uberaba e consultor da Consultec, esclarece que “o Brasil é um país de grande extensão territorial e conta com um clima privilegiado para o crescimento de plantas herbáceas e excelentes condições para um bom desenvolvimento da pecuária. Em vista disso, a formação de boas pastagens assume real importância, tornandose a melhor opção para a alimentação do rebanho nacional, já que, além de se constituir o alimento mais barato disponível, oferece os nutrientes necessários para um bom desempenho dos animais.” Ele explica que a formação de pastos deve partir de um princípio básico que considera cada propriedade como uma unidade de produção particularizada, ou seja, necessário, antes de iniciar os trabalhos, realizar um diagnóstico do local e

dos recursos naturais disponíveis. “Sabe-se que a produtividade do pasto está intimamente relacionada a aspectos como escolha do local para implantação da pastagem, seleção das espécies forrageiras; época de plantio e preparo do solo; calagem, adubação e controle de plantas invasoras; cuidados no plantio e utilização da pastagem”, enumera. Um dos principais objetivos na pecuária leiteira é a redução de custos de produção e o aumento

bem. Um dos fatores que poderia impactar o aumento da produtividade de leite a pasto seria uma melhor utilização das pastagens.” E o professor Adilson lembra que “um sistema de pastejo ideal é aquele que permite maximizar a produção animal sem afetar a persistência das plantas forrageiras. Nesse sentido, o manejo correto das pastagens é fundamental para qualquer sistema de criação de bovinos a pasto. Assim, o pastejo rotacionado constitui uma combinação definida e integrada do animal, da planta, do solo e de outros componentes do ambiente, atingindo melhores índices de produtividade”. Marcello Cunha complementa, afirmando que o pastoreio rotacionado se configura como uma ferramenta de manejo que pode contribuir na melhor utilização e qualidade da forragem ofertada.

O SISTEMA

da produtividade animal para se conseguir melhores margens de lucro. Segundo Marcello Cunha, gerente de marketing para a Linha Pastagem da Dow AgroSciences, mesmo com todo o potencial de produção a pasto existente no Brasil, há também a baixa eficiência na média de produtividade/ ano. “É um País de muita diversidade, há produtores que produzem muito e também aqueles que não produzem

O pastejo rotacionado, esclarece o professor, é um sistema no qual a pastagem é subdividida em piquetes, que são pastejados em sequência, por um ou mais lotes de animais, respeitando-se os períodos de descanso e repondo aquilo que foi retirado pelos animais. Isso, explica, permite à planta recuperar sua reserva, promovendo rebrota mais vigorosa e persistência da pastagem. Porém, com relação ao planejamento da implantação do pastejo rotacionado, ele orienta que deve ser feito, preferencialmente, por um especialista. “Vários fatores devem ser analisados, tais como capacidade de suporte de pastagem, categoria

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

75


Hora do Manejo

Zzn Peres

76

animal, tamanho do rebanho, espécie forrageira, tempo de ocupação, período de descanso, número e dimensionamento dos piquetes, dentre outros de modo a assegurar a eficiência do sistema”, explica o professor da Fazu, lembrando que, nessa etapa, é importante a orientação de um profissional. Os especialistas observam que o sistema rotacionado pode otimizar o pastejo quando o pecuarista consegue adequar a carga animal ao tamanho da forrageira na entrada e na saída dos piquetes. Segundo Marcello Cunha, se o criador não fizer o pastejo rotacionado respeitando a altura de entrada e de saída dos animais, ele não terá um aproveitamento adequado do potencial de massa da pastagem como, também, não usufruirá o melhor período nutricional do material. O gado, diz, pasta onde a forrageira estiver mais palatável, mais perto das aguadas e de onde está o sal. Esta área, devido ao excesso, vai se deteriorar rapidamente e, a outra área, onde os

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Em São Paulo, as informações e os negócios ficarão à altura do agronegócio.

animais não chegaram, também será perdida, pois a pastagem passa do ponto ideal nutricional. O professor Adilson exemplifica bem essa situação. Segundo ele, os bovinos preferem pastejar em áreas distantes

“Um sistema de pastejo ideal é aquele que permite maximizar a produção animal sem afetar a persistência das plantas forrageiras.” até 200 metros da fonte de água e evitam áreas a mais de 600 metros e só passam a consumir forragem a maiores distâncias quando 40% a 50% das forragens mais próximas são consumidas. Entretanto, quando as plantas nas áreas mais próximas às fontes de água rebrotam, o gado volta

a pastejá-las porque estão mais novas, mais tenras, mais folhosas e sem hastes, comparadas àquelas que estão mais distantes, normalmente no fundo do piquete. “Com o passar do tempo, o pastejo vai ficando desuniforme, com superpastejo próximo às fontes de água e subpastejo em áreas distantes desse recurso.” O pastejo rotacionado, esclarece Marcello Cunha, possibilita ao criador dimensionar bem o tamanho do pasto, a sua repartição e a quantidade de animais. Porém, o criador deverá saber calibrar ou ajustar este sistema coordenando bem a entrada e a saída de animais de acordo com a altura da forrageira. Para várias espécies de forrageiras utilizadas no Brasil, ele acrescenta que já há parâmetros de metas referentes à altura do pasto na entrada dos animais e à altura do pasto desejável à saída, tanto para pastos adubados quanto nos não adubados (ver tabela), o que já ajuda muito no manejo dos animais nas áreas de pastagens.

Local | Transamérica Expo Center Data | 26 a 28 de Julho 2011 - São Paulo-SP A mais completa feira de Insumos, Serviços e Logística para o agronegócio.

Feira Internacional da Indústria de Nutrição e Saúde Animal

www.agrinsumosexpo.com.br

www.induspescexpo.com.br

Eventos paralelos

I Congresso ANDAV Fórum da Distribuição de Insumos Agropecuários

O único evento focado em insumos, saúde e nutrição animal que reúne 80% dos canais de distribuição do agronegócio.

8º Congresso Brasileiro de Marketing Rural e Agronegócios Enc Encontro de Negócios da OCB Ne

Organização e Realização:

Patrocínio Master:


e special

BCGIL avança em novas fronteiras

A

o assumir o compromisso de oferecer uma alternativa para produção de leite ecologicamente correta, com melhor desempenho econômico, com animais de valor genético comprovado, adaptados às condições brasileiras, a ABCGIL – Associação Brasileira dos Criadores de Gir Leiteiro ganhou apoio e adesão dos associados e das associações parceiras. Como a própria raça, que cresce e conta cada vez com mais adeptos e espaço em todas as regiões do País, também novos 78

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

núcleos de criadores se organizam e formam associações que, em consonância com a ABCGIL, passam a integrar o trabalho de divulgação e fortalecimento do Gir Leiteiro pelo Brasil afora. No primeiro semestre deste ano, mais duas associações foram criadas e já colocam em ação seus planos de trabalho. São elas, ACRGIL-MS - Associação dos Criadores de Gir Leiteiro de Mato Grosso do Sul e a ARCGIL - Associação Rondoniense dos Criadores da Raça Gir Leiteiro.

Zzn Peres

Com as duas associações recémcriadas, agora a ABCGIL conta com oito entidades parceiras, entre elas, APCGIL – Associação Paulista dos Criadores de Gir Leiteiro; ATOCGIL – Associação Tocantinense dos Criadores de Gir Leiteiro; AMCGIL – Associação Mineira dos Criadores de Gir Leiteiro; NGCGL – Núcleo Gaúcho dos Criadores de Gir Leiteiro; Gir Bahia – Associação dos Criadores de Gir Leiteiro da Bahia e de Sergipe; AFCGIL – Associação Fluminense dos Criadores de Gir Leiteiro.


e special ARCGIL - Associação Rondoniense dos Criadores da Raça Gir Leiteiro

Zzn Peres

A constituição da ARCGIL contou com o integral apoio da Embrapa de Rondônia e foi prestigiada por dezenas de criadores.

Dia cinco de fevereiro deste ano Rondônia ganhou a Associação Rondoniense dos Criadores da Raça Gir Leiteiro – ARCGIL. O acontecimento foi resultado de esforço coletivo dos criadores, capitaneado pelo pesquisador da Embrapa Gado de Leite, Paulo Moreira, e forte contribuição do criador Luiz Carlos Oliveira, da Fazenda BTV, e de José de Paula Campos - o Juca, que trabalhou por mais de 20 anos para o sucesso do PNMGL (Teste de Progênie) como técnico da Embrapa Gado de Leite. A constituição da ARCGIL contou com o integral apoio da Embrapa de Rondônia e foi prestigiada com as presenças de Antônio Deusemínio e Francisco M. de Sá Barreto respectivamente, secretário

adjunto da Agricultura e chefe de Gabinete da Presidência da Emater de Rondônia. No próximo dia 21 de maio será realizada uma assembléia geral para aprovação do estatuto e eleição da primeira diretoria. Geovani Barroso, da Fazenda Curralinho, e José Elias dos Santos, da Fazenda Dallas, os dois únicos associados da ABCGIL em Rondônia, e participantes do controle leiteiro oficial da ABCZ, ficaram entusiasmados com a tão desejada associação. Tão logo aconteça a próxima assembleia geral a diretoria se reunirá para traçar e apresentar aos associados seu plano de gestão que, segundo o diretor técnico, terá inclusa uma proposta de parceria público-privada com a Embrapa e o governo do Estado.

ACRGIL-MS - Associação dos Criadores de Gir Leiteiro de Mato Grosso do Sul Dia 18 de abril deste ano foi criada a ACRGIL-MS - Associação dos Criadores de Gir Leiteiro de Mato Grosso do Sul e eleita, por aclamação, sua primeira diretoria, tendo como presidente Simone Souza, esposa de Denilson Souza, do Gir Pantanal. A ACRGIL-MS nasce com a principal finalidade representar e unir seus associados em assuntos estratégicos de interesses comuns para a melhoria da produção do gado Gir Leiteiro, atuar em consonância com a Associação Brasileira dos Criadores de Gir Leiteiro – ABCGIL, além de preservar e defender

a raça, através do fomento, expansão e intensificação da sua exploração para a melhoria de suas aptidões econômicas. Na ocasião, o zootecnista André Rabelo Fernandes, que também é coordenador operacional do Programa Nacional do Melhoramento do Gir Leiteiro/ABCGIL, expôs para os criadores, além do trabalho a ser feito para a divulgação do Gir Leiteiro no Estado, a importância dos objetivos da nova entidade. A ACRGIL-MS foi criada durante a Expogrande/2011, em Campo Grande, principal evento agropecuário do Mato Grosso do Sul, onde também

aconteceu a 2ª Exposição de Gir Leiteiro, que faz parte do ranking nacional da ABCGIL. Vários criadores membros da nova Associação participaram, com animais, da Expogrande: Carlos Jacob Wallauer, Denilson Lima de Souza, Fábio Taveira Sandim, Fernando Augusto Taveira Sandim, Genética Aditiva Ltda., Helbânio Barbosa de Souza, Hugo Belchior da Cunha, José Henrique Gugazolli de Barros, Luiz Roberto Rodrigues, Ravisio Israel dos Santos e Ronan Rinaldi de Souza Salgueiro.

APCGIL - Associação Paulista dos Criadores de Gir Leiteiro Dinamismo é uma das principais alavancas que impulsionam a APCGIL – Associação Paulista dos Criadores de Gir Leiteiro. Com apenas um ano de fundação, a entidade mostra a sua força e importância na divulgação do Gir Leiteiro e ganha cada vez mais destaque na pecuária leiteira nacional. Presidida pelo empresário e criador Carlos Alberto da Silva, o Carlão da Publique, a APCGIL tem como objetivo fomentar e unir os criadores em prol do desenvolvimento da raça em São Paulo. Carlão destaca que, em apenas um ano “a Associação já está fortalecida pela união e pelo trabalho de sua diretoria executiva, que proporcionou um crescimento significativo de todos os nossos números.” Várias ações foram fundamentais para o reconhecimento e a consolidação da entidade no decorrer desse primeiro ano. O presidente da APCGIL cita a participação na Feileite 2010 quando realizou, com

80

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

de exposições ranqueadas, como já aconteceu em Pará de Minas e Itabira. Uma grande conquista da AMCGIL foi a parceria firmada com a Itambé para fornecimento de tourinhos junto aos seus cooperados. A idéia está dando certo e os associados estão aproveitando a oportunidade de comercializar seus produtos, o que tem favorecido a

disseminação da genética superior de tourinhos Gir Leiteiro em Minas Gerais. A AMCGIL está se organizando para participar da Superagro 2011, que será realizada no período de 25 de maio a 5 de junho, no Parque de Exposições da Gameleira/Expominas, em Belo Horizonte, MG. A expectativa é que na edição deste ano seja disponibilizado um número recorde de argolas para o Gir Leiteiro.

que estão iniciando na raça, mas que já possuem genética para oferecer ao mercado. “Iniciamos 2011 com o pé direito, promovendo uma extraordinária apresentação em Avaré, no interior paulista, na 46ª Emapa, com presença recorde da raça. Nada menos que 270 animais pertencentes a 36 expositores passaram na pista vindos de cinco Estados brasileiros – São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal, Rio de Janeiro e Mato Grosso do Sul”, comemora Carlão. Segundo o presidente da APCGIL, a participação do Gir Leiteiro na Emapa cresceu mais de 20% em relação a 2010: “Tivemos 320 animais no parque de exposição, incluindo os que foram a leilão.” Colocar no ar o site da APCGIL, produzido pelo Grupo Publique, também foi uma das ações importantes da atual diretoria, a partir do dia 30 de março.

ATOCGIL - Associação Tocantinense dos Criadores de Gir Leiteiro

AMCGIL - Associação Mineira dos Criadores de Gir Leiteiro A Associação Mineira dos Criadores de Gir Leiteiro – AMCGIL foi reestruturada no final de 2009 com o propósito de fortalecer e divulgar a raça em todas as regiões do Estado de Minas Gerais. Com um número expressivo de associados, mais de 50, a AMCGIL tem trabalhado para criar infraestrutura nas cidades pólos, que permita a realização

sucesso, o Primeiro Workshop Gir Leiteiro – Leite Sustentável, que reuniu um seleto grupo de participantes entre criadores, zootecnistas, técnicos e vários profissionais ligados às mais diversas cadeias que integram a pecuária leiteira. Na mesma Feileite, a APCGIL criou um espaço chamado Lounge Paulista, em parceria com a ABCGIL. O local, inclusive, recebeu a ilustre visita do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que foi entrevistado pela mídia presente no evento, com a marca da Associação Paulista de pano de fundo e o boné da ABCGIL em sua cabeça. Outro evento que também mereceu destaque foi a promoção pela entidade do Leilão Virtual Chave de Ouro Paulista, realizado em dezembro do ano. O evento é um espaço democrático aberto a todos os criadores associados e tem como objetivo oferecer um canal de comercialização, especialmente àqueles

Zzn Peres

Sr. Napoleão Machado Prata; Juliano Franco de Souza; Napoleão Junior em visita a Fazenda Prata do Norte, em Tocantins.

Fundada com o objetivo principal de fomentar a raça e, principalmente, dar assistência aos seus associados, a ATOCGIL – Associação Tocantinense dos Criadores de Gir Leiteiro também pretende mostrar rumos e traçar diretrizes para que se possam vislumbrar horizontes mais promissores aos pecuaristas do Tocantins que estão se envolvendo com o Gir leiteiro. As metas para este primeiro semestre já estão sendo colocadas em prática. Entre elas a preparação do gado para a Expoara 2011 - Exposição Agropecuária de Araguaína, de 2 a 12 de junho. Já temos confirmados 40 animais, número, segundo o presidente da ATOCGIL, Napoleão Machado Prata, muito superior ao já apresentado em outras exposições anteriores. “A Expoara será o marco para o Gir leiteiro no Tocantins e passará a ser a principal para

a raça no Norte do País. Isso demonstra o espaço imenso que temos a crescer, afinal somos quase 50% do território brasileiro”, enfatiza Prata. A ATOCGIL está realizando visitas técnicas nas fazendas dos associados, com o objetivo de registrar o trabalho de melhoramento e os rebanhos nas fazendas e, através de um telão montado na Expoara, mostrar a raça presente nas diversas propriedades. “Afinal esta será uma Expoara onde nunca se falou tanto em Gir Leiteiro, a responsabilidade de cada criador é grande, mas temos que dividi-la com todos que ingressaram na ATOCGIL”, explica o presidente da associação. Mensalmente são realizadas reuniões, nas quais a ATOCGIL leva informações importantes aos seus associados. Um dos principais trabalhos da associação, agora, é conquistar mais associados.

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

81


e special

CORDEIRO: A “CIDADE EXPOSIÇÃO”

Raça Gir é um dos destaques da feira mais charmosa do Estado do Rio de Janeiro, que chega à sua 69ª versão

NGCGL - Núcleo Gaúcho de Criadores de Gir Leiteiro

Zzn Peres

Criadores comemoram o 1º aniversário do Núcleo Gaúcho, no mesmo local de fundação, no Sítio Sonho de Menino, de Iliseu Pressler , em Estrela, RS.

Dia 4 de maio o NGCGL - Núcleo Gaúcho dos Criadores de Gir Leiteiro completou dois anos. Nesse período, foram realizadas várias ações para divulgação da raça no Rio Grande do Sul, captação de captação de criadores para o controle leiteiro oficial da ABCZ e fortalecimento da imagem dos criatórios e dos criadores gaúchos no Brasil. Segundo Nathã Carvalho, secretário executivo do Núcleo, dia 26 de fevereiro deste ano os sócios do NGCGL reuniramse no município gaúcho de Lagoa Vermelha, no Sítio Pedra D´Agua, de Claudir Guadagnim, para traçar metas e objetivos para 2011. Uma dos assuntos em pauta foi a organização da participação do Gir Leiteiro na Expointer

2012, que acontecerá entre os dias 27 de agosto a 4 de setembro. “Também aproveitamos para definir um circuito de exposições agropecuárias gaúchas para a participação da raça e do Núcleo com o objetivo de fomentar o Gir Leiteiro no Estado”, conta. Entre as ações realizadas em 2010, Nathã destaca a presença da comitiva de criadores de Gir Leiteiro na ExpoZebu, em Uberaba, MG, o que se repete esse ano, e na Feileite, em São Paulo. A raça também estreou na Expointer, em Esteio, RS, na 1ª Exposição Gaúcha de Gir Leiteiro, ocasião em que o Núcleo realizou o II Workshop da raça Gir Leiteiro, com a presença do presidente da ABCGIL, Silvio Queiroz Pinheiro.

Gir Bahia - Associação dos Criadores de Gir da Bahia e Sergipe Edvaldo Brito está à frente da Associação dos Criadores de Gir da Bahia e Sergipe. Em sua gestão, estabeleceu dois objetivos prioritários: a ampliação da criação de Gir nesses Estados, principalmente nos municípios do interior, e o melhoramento genético da raça.

“Queremos dar apoio aos associados, fundamentalmente aos pequenos e médios criadores, para que eles possam ter acesso ao conhecimento e às novas tecnologias de melhoramento genético”, enfatiza o sócio-fundador. Atualmente são mais de 50 associados entre giristas baianos e sergipanos. O fortalecimento

do Gir no estado baiano, segundo Edivaldo, ainda é comprovado pela “participação marcante” da raça em eventos rurais oficiais da Bahia. São eles: a Feira Nacional da Agropecuária (Fenagro), a Exporural, a ExpoBahia, a ExpoConquista, a ExpoAlagoinha e a ExpoFeira (de Feira de Santana).

Zzn Peres

AFCGIL - Associação Fluminense dos Criadores de Gir Leiteiro Presidida por José Atônio da Silva Lino, a AFCGIL continua seu trabalho de divulgação da raça e captação de novos associados. Um dos pontos altos é a realização da do Leilão Oficial da Associação Fluminense de Gir Leiteiro que está na sua 5ª edição e atrai criadores 82

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

de todo Estado do Rio de Janeiro. As exposições agropecuárias têm servido de grandes instrumentos de agregação e expansão do Gir Leiteiro em todas as regiões do Estado. Merecem destaque a ExpoCordeiro; a Exposição Fluminense; e as Exposições de

Cachoeira de Macacu, a de Macuco, de Três Rios e de Resende. A Associação tem se empenhado em unir cada vez mais os criadores através de um incansável trabalho de informação, no qual, além de divulgar o valor da raça, mostra as principais vantagens em criá-la.

N

a década de 20, impulsionados pelo crescimento da pecuária no interior do Estado do Rio de Janeiro, as autoridades estaduais e federais projetaram um acontecimento para marcar época e servir de vitrine para todo o país, já que se aproximava o centenário da Independência do Brasil, em 1922. A Vila de Cordeiro, que integrava o território de Cantagalo e era tida como o maior polo comercial da região, foi escolhida para sediar o evento. Com a presença do presidente da República, Epitácio Pessoa, e do então presidente do Estado, Raul Veiga, foi inaugurada, no dia 04 de maio de 1921, a Primeira Exposição Regional de Gado e Produtos Derivados. Mais de 60 expositores participaram da feira que daria a Cordeiro o título de ‘Cidade Exposição’. A predominância foi de bovinos, a maioria das raças zebuínas Guzerá e Nelore. Entre os cavalos, destaque para as raças estrangeiras, como a Anglo-Árabe, a Inglesa para corridas e a Clyndesdale.

Getúlio Vargas inaugurou a segunda Exposição No dia 30 de maio de 1943, decorridos 22 anos da realização da primeira exposição, Cordeiro sediou a segunda versão da feira. A cidade teve a honra de receber, para a inauguração do evento, ninguém menos do que o maior estadista brasileiro de todos os tempos: o presidente Getúlio Vargas, que veio acompanhado do Comandante Ernani do Amaral Peixoto e de sua esposa, a primeiradama do Estado Alzira Vargas do Amaral Peixoto. As presenças ilustres projetaram nacionalmente a Expo Cordeiro. Foi naquele 30 de maio que o povo selou um pacto com o interventor Amaral Peixoto, garantindo a criação do Município de Cordeiro. O sorriso estampado no rosto de Getúlio Vargas, em agradecimento à hospitalidade dos cordeirenses,

parecia anunciar o futuro glorioso, que culminou com a emancipação, no dia 31 de dezembro daquele mesmo ano.

Gir Leiteiro: uma das marcas da evolução da feira A Exposição de Cordeiro foi acompanhando as mudanças culturais, sociais e econômicas, até se transformar num megaevento, abrilhantado por shows de artistas famosos, rodeios, parque de diversões, leilões, feira de moda e muitos outros atrativos. Mas até hoje o povo aguarda ansioso pela chegada dos animais, oriundos de todo o país, que são as grandes estrelas da feira. Cerca de 1.300 são inscritos anualmente. Quando se iniciam os preparativos, os cordeirenses dizem sentir um tal ‘cheirinho de exposição’. Entre os equinos, brilham principalmente os imponentes exemplares da raça Campolina e os marchadores da raça Manga-larga. No que se refere aos bovinos, destaque maior para as raças zebuínas Nelore, Guzerá e Gir, sendo que esta última ganhou grande notoriedade nas versões recentes da feira, confirmando uma tendência nacional. O tradicional concurso leiteiro tem sido abrilhantado, há alguns anos, pela presença de vacas Gir de alta produtividade. No ano de 2009, foi quebrado o recorde mundial de produção leiteira pela novilha Vasta da Cal. Em 2010, o torneio teve a participação de 23 animais e só ficou atrás dos nacionais Expo Zebu e Mega Leite. Este ano, paralelamente à 69ª Expo Cordeiro, acontecem a 6ª Expo Estadual Fluminense do Gir Leiteiro e o 3º Leilão Sete Maravilhas do Gir. O ‘cheirinho de exposição’ continua existindo e a expectativa é a mesma. O povo cordeirense aguarda ansioso pelo evento que é o cartão postal da cidade. Os tempos mudaram, mas a Expo Cordeiro continua sendo a festa mais charmosa do interior do Estado do Rio de Janeiro.

23 • Julho • 2011 • Sábado • 20h Parque de Exposições Raul Veiga - Cordeiro - RJ Durante a 69ª ExpoCordeiro Bezerras, Novilhas, Doadoras e Prenhezes

Transmissão ao vivo pelo Canal Rural


Zzn Peres

Equipe ABCGIL

Galeria Galeria DE DEFOTOS FOTOS

Suzana Figueira e Camila Almeida

Silvio Queiroz Pinheiro

Ana Cristina Navarro

André Rabelo Fernandes

Gisele Oliveira

Iraides Aparecida de Souza

Formada em administração pública, atua como secretária executiva da ABCGIL, trabalhando no gerenciamento da área administrativa/ financeira da associação. ana@girleiteiro.org.br

Eduardo Soares Souza

Fausto Cerqueira Gomes

Saul Borges Carnavali

José Geraldo Oliveira

Zootecnista, atua no Certificado de Qualificação Genética (CQG) e nas diversas ações do Teste de Progênie, fazendo a pré-seleção de touros e o acompanhamento de rebanhos colaboradores. eduardo@girleiteiro.org.br

Zootecnista, responsável pela logística de exposições. Trabalha na execução operacional das exposições homologadas e ranqueadas da ABCGIL. fausto@girleiteiro.org.br

Zzn Peres

Vera

Zootecnista, coordenador operacional do Programa Nacional do Melhoramento do Gir Leiteiro. Responsável pelo acompanhamento dos rebanhos puros, tanto na execução do sistema linear de avaliação quanto na classificação para tipo. andre@girleiteiro.org.br

Dalila e Adir do Carmo Leonel

Zzn Peres

Wander Azevedo

Jorge Matsuda e amigos

Formada em secretariado executivo bilíngue, atua como secretária da presidência, na comunicação interativa com os criadores e demais visitantes do site da ABCGIL. gisele@girleiteiro.org.br

Responsável pelo processamento de dados dos controles leiteiros do Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro. financeiro@girleiteiro.org.br

Gestor de Agronegócios, com especialização em Zootecnia, responsável pela logística de exposições. Trabalha na execução operacional das exposições homologadas e ranqueadas da ABCGIL. saul@girleiteiro.org.br

Técnico agrícola, atua na distribuição de sêmen do Teste de Progênie e realiza o acompanhamento dos rebanhos colaboradores jgeraldo@cnpgl.embrapa.br

Roberto Vilhena Renan e Sebastião Salgado Wolmer Cerqueira

Lidyane Guerra Miranda

Formada em administração de empresas, atua no setor financeiro da ABCGIL e administra a parte contábil da associação. lidyanefinanceiro@girleiteiro.org.br

Casal Luiz Evandro Aguiar e amigos

Rosania Alves

Márcio Ramos

Zootecnista, atua no Certificado de Qualificação Genética (CQG) e nas diversas ações do Teste de Progênie, fazendo a pré-seleção de touros e o acompanhamento de rebanhos colaboradores. marcio@girleiteiro.org.br

Ranielly da Silva Maciel

Médica Veterinária, supervisora da base de dados de exposições e do controle leiteiro do Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro. rany@girleiteiro.org.br

Walter Luiz Ferreira Dornelas Técnico agrícola, atua na distribuição de sêmen do Teste de Progênie e realiza o acompanhamento dos rebanhos colaboradores. walterld@cnpgl.embrapa.br

Izamar e amigos durante a FENAGRO

Fotos: Alysson Oliveira

84

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

85


Galeria DE FOTOS Jorge Matsuda e amigos

Casal Luiz Evandro e Janine Aguiar com os Lima Horta

Miriam e Renan Salgado

Família Nelore Brilhant

Arlinda e Luiz Carlos Marino

Cícero Pitombo, José Arley, Marco Antônio Alegria Simões e Amândio Salomão

Os patrocinadores do Leilão Gir em Angra da indústria do Conhaque de Alcatrão São João da Barra Felipe Picciani e família Trindade

Luiz Ronaldo de Paula e Karla Zzn Peres

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

87


Galeria Galeria DE DEFOTOS FOTOS

Leilão Campo Alegre

Eduardo Biagi e Carlos proprietário do Hotel Porto Bello

Paulo Sérgio Leme Gonçalves e esposa

Luciana Queiroz

Amigos no Leilão Campo Alegre

Luiz Fernado Taranto Neves

88

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Kinkão

Marcelo Censoni e Daniel Costa Mendes

Niltinho Cândido


Bate-papo na Cocheira

ir

Veredas

Um rebanho de tirar o chapéu

O

selecionador Adonias Souza Santos começou no Gir Leiteiro de forma inusitada. Ele e sua esposa Rosania decidiram visitar a Feileite 2008 com um propósito: comprar uma ordenhadeira para tirar leite de duas vacas sem raça definida que tinham acabado de dar cria a duas bezerrinhas. O funcionário da fazenda não sabia fazer a ordenha manual das vacas. No Centro de Exposições Imigrantes, o casal visitou os pavilhões e viu um shopping de Gir Leiteiro. Adonias conhecia a raça e já havia lido bastante sobre alguns touros importantes e

90

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Zzn Peres

também sobre os animais da Estância Silvania. Resultado: ao invés da ordenhadeira, comprou quatro animais da raça. Adonias e Rosania entraram no Gir Leiteiro pela prateleira de cima. Para começar, o rebanho da Estância Vale das Veredas, em Presidente Alves, SP, adquiriu a vaca Baderna da Silvania, uma filha de Impressor na Paródia, prenhe do touro Sansão; um filho do Benfeitor; uma filha da Joaninha da Cal, além da Belistica, uma vaca Santo Humberto. Continuaram os investimentos com a compra de prenhezes e doadoras. Dentre os lotes, nada menos que

Indyra Caué (parceria com Luiz Evandro Aguiar), já fazendo pista, e que logo deu alguns títulos para o Gir Veredas. Engrossam a lista de aquisições Amêndoa TE Silvania, Elite Silvania, Austrália da Silvania e Dom TE da Silvania – Grande Campeão de Uberaba e da Feileite 2010, além de outros títulos, e atualmente em coleta na Alta Genetics. Todos em parceria com a Estância Silvania. Na sequência, começou a participar de julgamentos e torneios. Para se ter uma ideia, na Fapija 2009, ganhou o título de Campeã Vaca Jovem do torneio leiteiro com Flor TE da

Silvania. Na mesma exposição Hisa TE Kubera foi Campeã Fêmea Jovem e Melhor Úbere do Torneio Leiteiro. Ainda em 2009, o casal de criadores incorporou ao plantel um dos maiores destaques do Gir Leiteiro: a matriz Gemada da Genipapo, Grande Campeã Nacional na ExpoZebu. O interesse pela genética de ponta falou mais alto e o selecionador fez novas aquisições de prenhezes e doadoras consagradas: Alteza TE Silvania, Campeã Vaca Sênior na Feileite 2010, além de prenhezes ou filhas das grandes vacas da raça: Profana, Oferenda, União, Amazonas, Rara da Alta Estiva, Sema Cal, Moda

Zzn Peres

TE F. Mutum, Paineira, Planta, Alfa, Fauna e Zeta, dentre tantas outras. O casal ressalta ainda a aquisição de 50% da doadora Aurora Tol, crioula do criatório de Maria Tereza Lemos Costa Calil, campeã com mais de 15 títulos em pista e torneio leiteiro, dentre eles Megaleite 2010. “Muitas das prenhezes que nasceram já estão pontuando nas pistas”, lembra Rosania, que cita também da aquisição de uma filha da Unidade – doadora duas vezes recordista de preço em leilão. “Adquirimos a doadora Restinga, que é mãe da Couraça, recordista mundial novilha com mais de 13.000 quilos de

leite e mãe de touro em Central; uma prenhez de Imperatriz TE F. Mutum em parceria com o amigo Geraldo Marques; uma filha da Escócia, uma da Lenda. Temos filhas da Balsa, da Nefrita, da Profana, da Ametista TE Silvania, da Avenida Silvania, da Duquesa TE Silvania, da Águia TE Silvania, da Amela TE Kubera, da Bienal TE Kubera, da Atraente de Kubera, além de filhas de Araruna TE Kubera, além de vários animais da Monte Verde”, conta Adonias, que tem uma admiração particular pelo trabalho realizado por Filipe Picciani. Também investiu em sêmen dos

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

91


Bate-papo na Cocheira

Zzn Peres

Rosania, Adonias e o filho com a excepcional novilha Nobre x Profana.

principais reprodutores da atualidade do Gir Leiteiro. O próximo passo, segundo o criador, é aumentar a presença nas grandes exposições, nas pistas e em torneio leiteiro. Os filhos do Dom, por exemplo, estream em pista nesta ExpoZebu. Em 2009, o Gir Veredas promoveu seu primeiro leilão, o Estrelas da Raça, na Feileite, e já programou novo leilão para a feira deste ano. Em três anos, o rebanho já está se consolidando. “O segredo do sucesso é genética, trato, manejo e o suporte de especialistas”, afirma Adonias. Atualmente, conta com a assessoria do professor Cardoso, no manejo das doadoras em lactação; do Luiz Ronaldo de Paula, da Leite Gir, na parte de acasalamentos. Em relação ao manejo do dia a dia, tem os trabalhos

da Boi Assessoria e o suporte da Socil e da Fri Ribe, na alimentação. O casal mora em São Paulo e vai à fazenda apenas nos fins de semana. Mas tem uma equipe de nove funcionários, incluindo um administrador. “Escolhi o Gir Leiteiro pela docilidade dos animais. Além disso, para nosso

País, de clima tropical, é a raça leiteira que mais se encaixa”, afirma o criador. Quem pensa que ele parou de investir na raça está enganado. Sempre que vai a um leilão acaba comprando alguma coisa. “Hoje, tenho gado de grandes e pequenos criadores. O que mais pesa na escolha é o pedigree e a morfologia”, finaliza.

Zzn Peres

92

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Zzn Peres Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

93


Artigo Técnico

Como e o que selecionar: a importância do peso econômico

ANIBAL EUGÊNIO VERCESI FILHO, APTA - MOCOCA-SP, DIRETOR TÉCNICO ABCGIL MARCO AURÉLIO PRATA, ESTUDANTE DE MESTRADO INSTITUTO DE ZOOTECNIA - APTA - RIBEIRÃO PRETO-SP LENIRA EL FARO, APTA - RIBEIRÃO PRETO-SP MARIA GABRIELA C. D. PEIXOTO, EMBRAPA GADO DE LEITE - JUÍZ DE FORA-MG RUI DA SILVA VERNEQUE, EMBRAPA GADO DE LEITE - JUÍZ DE FORA-MG, COORDENADOR DO PNMGL VERA LÚCIA CARDOSO, APTA - RIBEIRÃO PRETO-SP

O objetivo de todo programa de melhoramento animal é maximizar o lucro tornando a atividade mais lucrativa e eficiente. Para alcançar essa meta, a seleção deve incluir as variáveis econômicas tradicionais, tais como as quantidades produzidas de leite, gordura e proteína. Mas também podese acrescentar outros aspectos funcionais (ligados a saúde da glândula mamária, facilidade de ordenha, aprumos, úbere e etc.) que, embora não aumentem diretamente as quantidades de produtos, seu melhoramento pode resultar na diminuição dos custos de produção.

uma delas. O peso econômico de cada característica é um ponderador utilizado para expressar o quanto se aumenta no lucro por unidade de melhoramento de uma característica específica, mantendo-se as demais nos seus valores médios. Por este motivo, a importação de material genético selecionado em outros ambientes de produção, em outras circunstâncias econômicas, com diferentes sistemas de pagamento pelos produtos e custos de produção, levam à perda de eficiência econômica no processo de seleção.

Em países como Estados Unidos, Canadá e Holanda, grandes Alguns autores consideram que um programa de melhoramento exportadores de genética selecionada de raças taurinas, a genético tem como objetivo modificar o mérito genético dos remuneração considera três itens: o volume produzido (água, animais, de maneira que as gerações futuras produzam mais lactose e minerais), a produção de gordura e a produção de eficientemente sob as condições sociais, ambientais e de proteína. Cada componente recebe remuneração diferenciada. mercado futuras em relação à geração presente. Assim, para O volume (água com açúcar) chega a ter penalização, a se avaliar quais seriam essas condições, o conhecimento pleno produção de gordura recebe remuneração intermediária e a do sistema de produção onde vai ser conduzido o programa de produção de proteína é o componente de maior remuneração. melhoramento deve ser exaustivamente estudado e conhecido. No Brasil, o sistema de pagamento é bastante diferente. Então, o primeiro passo para a elaboração de um programa de melhoramento genético é conhecer o sistema de produção e, a partir daí, estabelecer os objetivos econômicos ou objetivos de seleção que é a combinação das características de importância econômica naquele sistema de produção específico, as quais serão alvo do processo seletivo. Uma vez conhecidas essas características, calcula-se o peso ou valor econômico de cada

94

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Ainda há laticínios que remuneram apenas o volume de leite com um teor mínimo de gordura, o que está totalmente em desacordo com a política de pagamento adotada nos países exportadores de leite. Assim, um produtor que vende seu leite para um laticínio que não remunera gordura e proteína e utiliza material genético importado de países que remuneram esses constituintes tem prejuízo.

Segundo estudo, uma vaca precisa ingerir 56 vezes mais energia para produzir 1 kg de gordura do que 1 kg de água com lactose, sendo o requerimento para 1 kg de proteína metade da exigência para 1 kg de gordura. Como o peso econômico de uma característica é função da sua remuneração menos o seu custo de produção, na situação de pagamento descrita acima, a seleção teria que enfatizar o aumento do volume de leite produzido e a redução da produção de gordura e proteína, o que vai na contramão do mercado internacional.

em consideração as condições de produção de um rebanho comercial de leite, incluindo características de produção, reprodução e saúde.

Vale ressaltar que a estrutura de seleção em uma população bovina obedece ao que chamamos de estrutura piramidal. No caso do Gir Leiteiro, a seleção se faz no núcleo elite onde os reprodutores puros são selecionados. Os genes dos animais superiores são passados através de inseminação artificial ou de tourinhos para os rebanhos multiplicadores e para os No Brasil, alguns autores estudaram os objetivos de seleção rebanhos comerciais formados, em sua grande maioria, por para gado de leite em sistemas de produção com gado mestiço animais mestiços. e os resultados foram bastante semelhantes e apontam para Nesse primeiro momento, o índice teria a aplicação alguns aspectos primordiais para esses sistemas: prática de selecionar um reprodutor por meio de um índice 1- na condição de pagamento que prevalece no País, em que se remunera pouco os constituintes do leite, seus pesos econômicos são negativos, o que indica que, aumentar as suas quantidades traz prejuízo econômico. Por outro lado, para que o Brasil se torne competitivo no mercado internacional, com um leite de alta qualidade, temos que direcionar a seleção para aumentar os teores de gordura e proteína no leite, que já vêm sendo remunerados em alguns laticínios no país.

econômico em que as características que o compõe seriam combinadas e selecionadas conjuntamente, ponderadas por seus respectivos valores econômicos calculados com base na realidade zootécnica e econômica dos rebanhos comerciais mestiços. Essa possibilidade representa um grande avanço no processo de seleção atual em que os reprodutores e matrizes são selecionados basicamente por seu valor genético para produção de leite.

2- o peso da vaca adulta apresentou peso econômico negativo, o que significa que a seleção tem que ser no sentido de diminuir o peso adulto das vacas. Isso significa que o maior valor de corte de uma vaca mais pesada não é compensado pelo maior custo de manutenção destes animais no rebanho durante sua vida produtiva. 3- características como idade ao primeiro parto, fluxo lácteo, resistência à mastite e vida útil, apresentam grande importância econômica e devem ser levados em consideração na seleção. A equipe responsável pela condução do PNMGL – Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro, preocupada com o constante aprimoramento técnico do mesmo, está realizando um estudo econômico para se chegar a um índice econômico de seleção para seus reprodutores e matrizes. Esse estudo é conduzido pelo estudante de mestrado Marco Aurélio Prata, no Instituto de Zootecnia do Estado de São Paulo. Pretendese, em um primeiro momento, desenvolver um índice que leve

Zzn Peres

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

95


Crônica

alciolândia A terra do leite profissional Templo maior do Gir Leiteiro, criatório detém em seu rebanho as principais doadoras da raça da atualidade.

Zzn Peres

Por Carlos Alberto da Silva

L

ogo na entrada, você já vai sentindo o cheiro da simplicidade, o último estágio, a derradeira aula de quem estuda o assunto leite há mais de 48 anos, desde a aquisição das terras de Calciolândia. Se o leitor adicionar que a família Donato de Andrade está no negócio desde 1912, a conta beira um século de dedicação às lides rurais. Somos recebidos pelo Jordane, que há 20 anos dá as cartas na propriedade, controlando de perto todas as ações que fazem da Calciolândia o templo

maior do Gir Leiteiro, marca que, nos últimos dois anos consecutivos, conquistou o título de Melhor Criador Nacional do Ranking da ABCGIL. Antes, o sorridente e atencioso Jordane labutou por quatro anos na Andrade Gutierrez, responsável que era pelo controle de custos, uma obsessão do patrão. Depois de um rápido cafezinho, saímos em caminhada pelos piquetes em volta do Núcleo da Administração. Bezerrada sadia, que na seca brava é suplementada com cana ou silagem e que nas águas recebe pastagens

com arraçoamento econômico, na expressão preferida pelo dr. Gabriel Andrade. O time de pista e as vacas de três ordenhas, claro, recebem tratamento preferencial. Mas tudo feito de maneira muito simples e sem fórmulas mágicas. O primeiro mandamento da Calciolândia é que o negócio deve ser lucrativo, tanto para a empresa quanto para seus clientes. Mais alguns passos e já estamos naquilo que posso chamar de Templo da Raça, um piquete muito simples, onde ruminam uma dúzia das Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

97


Crônica

principais doadoras do Gir Leiteiro atual. Deu para alisar a Lenda, a Prateada, a Planta, a Nigéria, a Nagy, a Polina, a Paineira, a Loteria e até a Juliana. Agora, já posso dizer que conheço bastante de Gir Leiteiro. É assim, com muita simplicidade, que o Jordane vai desfilando o que a raça tem de melhor. Mais adiante, encontramos um lote que deveria ter uma centena de novilhas. Não seria exagero nenhum dizer que jamais tinha visto tamanha qualidade em quantidade. O gado CAL chama nossa atenção pela harmonia de conjunto,

Zzn Peres

leiteiro, raçudo, de ótimos aprumos, estruturado, que seguramente aguenta o tranco em qualquer sistema de manejo em qualquer canto do País. Os números são de arrepiar. Aliás, logo depois do almoço com uma carninha de porco excepcional, o Jordane me mostra seu livro de cabeceira. Num documento de 80 páginas está o que jamais vi em outra fazenda brasileira. Um planejamento estratégico feito com extremo profissionalismo. E melhor, seguido e acompanhado à risca. Tudo está ali. Na primeira parte um diagnóstico minucioso do desempenho econômico financeiro do rebanho, além do desempenho zootécnico, o planejamento de produção de forragens, as condições de clima e ambiente, a infraestrutura, a administração, a comercialização, o marketing. Na segunda Zzn Peres

98

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

etapa, o quadro completo contendo todas as diretrizes e metas do conjunto do negócio. Caminhando pelos currais, é possível mirar quadros com todas essas metas e diretrizes bem à vista dos funcionários. Cada um sabe o que tem que ser feito. Um show de administração, que nos faz entender porque a CAL é a CAL. No dia de nossa visita, eram 2.800 cabeças de gado numa área de 1464 hectares, cuidadas por 49 pessoas. Dali saem todos os dias 1700 kg de leite Gir de 150 vacas em lactação. Olha só que detalhe econômico importante: essa litragem vale 9% a mais de reais por litro do que os 3.300 litros sacados das 270 receptoras girolandas. Sim, você leu certo, aqui, na Calciolândia, o leite do Gir Leiteiro puro está dando mais dinheiro, mas até as receptoras têm que contribuir dando sobras de leite para o negócio. Pena que meu voo já está marcado, tenho compromisso em São Paulo, no dia seguinte, mas deixo Calciolândia para trás com a inspiração em alta e a certeza da volta.


Enchendo o Balde

Na Brasília,

C

hegar à Fazenda Brasília não foi fácil. A estrada que sai de Belo Horizonte e serpenteia as montanhas da Serra do Cipó são perigosas de um tanto. Na terça-feira à noitinha, quando a encaramos, ainda demos com um acidente grave que nos causou um desvio de asfalto ruim e terra idem, ali pelos lados de Caeté. Depois desses desafios estruturais, por volta das 11 da noite, vencemos os 220 km que separam a capital mineira da Meca do leite tropical no Brasil: a Fazenda Brasília, distante 40 km de terra da pacata São Pedro dos Ferros. O talentoso fotógrafo e engenheiro agrônomo Zezinho Peres, que me acompanhava nessa viagem, também estava ansioso, já que 15 anos depois voltava para a terra onde geriu fazenda da família dos 23 aos 38 anos. Você já percebeu quantos componentes interessantes vamos encontrando nesta pequena visita de menos de 24 horas? Flávio Peres, primo do Zezinho, não aceitou nossa ponderação de que, pelo avançado da hora, poderia cancelar a calorosa recepção com o carneiro assado, macarrão alho e óleo e direito a aperitivo. Foi assim

Por Carlos Alberto da Silva Foto: Zzn Peres

Zzn Peres

que ainda encontramos tempo para um ótimo bate-papo, antes, durante e depois do saboroso jantar. O sol acorda cedo no vale do Rio Doce. Do alto da colina, dá para começar a entender os números e as lactações da fazenda, com seus vales de pastos verdes irrigados contrastando com a palidez dos morros. Vaca de leite precisa de ambiente favorável para produzir em alta performance, conta-me Flávio, o filho mais velho do seu Rubens Peres, fundador do empreendimento, em 1958. Por ambiente favorável, o leitor deve entender tudo de bom e do melhor e à vontade. Sem stress. “Vaca de leite gosta de rotina, não tolera mudança. Quando aprendemos isso, nossa média de produção disparou”, conta. Não por acaso, a Brasília tem um gerente de Alimentação, responsável por produzir toda comida necessária para que as doadoras do rebanho retornem e revelem o máximo de seu potencial genético no balde. A cena que vislumbro no curral ao lado do escritório é de perder o fôlego. Nove vacas maravilhosas, com produção acima dos 40 kg de leite/ dia. Elas são escovadas, preparadas, enquanto aguardam pelo clique do

Zezinho. Depois, a comprovação. Lá no curral de leite, que está ali há mais de 40 anos, derramam na primeira ordenha mais de 20 kg. Se os olhos não fossem os meus, não acreditaria. Medir o leite sempre foi uma obsessão nestes currais. O controle leiteiro oficial de zebuínos nasceu de uma solicitação do seu Rubens e de outros pioneiros (dr. Gabriel e o seu Lúcio) junto à Associação Paulista dos Criadores de Bovinos, em 1962, que mais tarde se transformaria na ABC, Associação Brasileira dos Criadores, responsável pelo Controle Oficial por mais de quatro décadas. Hoje, essa tarefa está nas mãos da Esalq e da ABCZ. No dia de nossa visita, degustavam os pastos irrigados da fazenda 476 fêmeas. Vacas em lactação eram 102, com média anual de mais de 9.000 kg de leite. Some nessa conta mais 26 prenhas e 12 solteiras no lote em cio. A novilhada estava apartada por idade, com 61 entre 24 e 36 meses, 108 de 13 a 24 e 167 bezerras abaixo de 12 meses. São números que impressionam o visitante e o mundo do Gir Leiteiro. Nove gerações de animais com Controle Leiteiro Oficial e a certeza de foco total no leite. Foram 18 horas para não esquecer. Às cinco da tarde, saímos em direção a São Pedro dos Ferros. Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

101


Associados

ABCGIL ALAGOAS ALVARO JOSÉ DO MONTE VASCONCELOS Fazenda Santa Luzia MACEIÓ – AL Tel.: (82) 3344-5560 / (82) 3344-5557 / (82) 9321-3456

BAHIA ALMIR MENDES DE CARVALHO NETO Fazenda Utinga II CABACEIRAS - BA Fazenda Caracol ITAPETININGA - BA Tel.: (71) 3245-5008 / (71) 3413-8422 / (71) 9982-5526 harascarvalho@uol.com.br; almircarvalhoneto@hotmail.com; www.condominiobahia.com.br ANGELO LUCCIOLA NETO Fazenda São George TERRA NOVA - BA Tel.: (71) 3674-1529 / (71) 9998-7941 / (71) 9223-3181 / (71) 3674-2173 augustolucciola@ig.com.br AUGUSTO ALBERTO DA SILVA ANDRADE Fazenda Morena de Santo Antônio CATÚ – BA Tel. (11) 2133-0033 / (11) 3023-6786 / (11)-8330-1234 morena@consdon.com.br BEIRA RIO AGROPECUÁRIA LTDA Fazenda Beira Rio RAFAEL JAMBEIRO - BA Tel.: (71) 2105-2500 / (71) 9167-3408 fazendabeirario@fazendabeirario.com.br arturpinho@atarde.com.br www.fazendabeirario.com.br BONANZA IND. E AGROCOLA LTDA Fazenda Bonanza SALVADOR - BA Tel.: (75)3414-3017 / (75)3452-2851 / (75)8845-9988 laticiniobonanza@gmail.com CONTABRÁS AGROPECUÁRIA LTDA Fazenda Taquipe SÃO SEBASTIÃO DO PASSÉ - BA Tel.:(71) 3241-1400 / (71) 9172-0610 / (71) 3245-2714 jsoutobr@yahoo.com.br EBDA - EMPRESA BAIANA DE DESENVOLVIMENTO AGRÍCOLA S.A Estação Experimental de Itaberaba SALVADOR - BA Tel.: (71) 3375-1688 / (71) 3375-1693 / (71) 3116-1800 gerencia.itaberaba@ebda.ba.gov.br ebda.ddp@ebda.ba.gov.br EDVALDO BRITO FILHO Fazenda Murundu SÃO GONÇALO DOS CAMPOS - BA Tel.: (71) 3281-4900 / (71) 3353-0910 / (71) 9132-6991 / (71) 9198-7142 efilho@uol.com.br edvaldobritoadvogados@edvaldobrito.com.br EVILÁSIO BASTOS CHAVES Fazenda Vila Rica IRECÊ - BA Tel.:(74) 3641-2059 / (74) 3641-7401 / (74) 9971-6020 evilarica@ig.com.br GILBERTO FRANCISCO RAMOS FILHO Fazenda Gama I VITÓRIA DA CONQUISTA – BA Tel.: (77) 2101-0555 / (77) 2101-0552 gilbertinhorf@msn.com JAYMILTON GUSMÃO CUNHA FILHO Fazenda Santa Helena VITÓRIA DA CONQUISTA - BA Tel.: (77) 9979-3369 / (77) 3421-3508 jaymiltonfilho@hotmail.com

104

2011 | | | | Revista Gir Leiteiro 2010

JOSÉ ERIVAN DE CARVALHO FEITOSA Fazenda Bom Viver ALAGOINHAS - BA Tel.: (71) 3341-1148 / (71) 3604-2552 / (71) 9613-9579 erivancarvalho@uol.com.br JOSÉ GERALDO VAZ ALMEIDA Fazenda Belo Horizonte AMARGOSA - BA Tel.: (75) 3634-1077 / (75) 9981-8877 geraldovaz@tellecom.com.br JOSÉ NUNES FILHO Fazenda Reunidas JN CANDEIAS - BA Te.l: (71) 3367-1011 / (71) 9964-5274 jnfi@ig.com.br izamarnunes@hotmail.com www.jnagropecuaria.com.br LOURENÇO NASCIMENTO NETO Fazenda Malhadinha INHAMBUQUE - BA Tel.: (71) 3389-3465 / (71) 9934-5775 LUIZ HENRIQUE BASANEL T. DA SILVA Fazenda Água Boa SÃO SEBASTIÃO DO PASSE – BA Tel. (71) 3379-9415 / (71)9986-4535 / (71) 3651-1188 LUTZ VIANA RODRIGUES Fazenda Cinelândia LAJEDÃO - BA Tel.: (33) 3621-4111 / (33) 3621-5376 / (33) 3621-5734 / (33) 9979-1621 cinell@superig.com.br MORENA AGROPECUÁRIA Fazenda Região do Mel CATÚ - BA Tel.: (11) 2133-0033 / (11) 9190-1431 morena@consdon.com.br PAULO EDUARDO GUIMARÃES DE FREITAS E DAVI CORREIA DE FREITAS Agropecuária Santa Terezinha - Fazenda Laranjeiras ITANAGRA - BA Tel.: (71) 3336-5396 / (71) 3331-4246 / (71) 9978-0808 / (71) 9978-1085 davifreitas1@yahoo.com.br environmed@gmail.com PERISVALDO M. DE VASCONCELOS Fazenda Belo Horizonte IBICUÍ- BA Tel.: (73)3525-3156 / (73)3525-4344 RAFAEL OLIVEIRA OSORIO Fazenda Santa Bárbara BELÉM DA CACHOEIRA – BA Tel.: (71)3452-8551 / (71) 3354-4116 RUBÉM SÉRGIO SANTOS DE OLIVEIRA Fazenda Morada dos Ventos I e II ALAGOINHAS - BA TEL.:(75) 3421 -1451 / (75) 9971-4747 / (75) 3423-6561 alunor@oi.com.br SANDRA MARIA DEITOS Fazenda Saquinho CAMAÇARI - BA Tel.: (71) 3379-3024 / (71) 3674-7529 SÍLVIO ROBERTO TAVARES DE ARAÚJO Fazenda Santa Rosa ITAPÉ - BA Tel.: (73) 3211-2470 / (73) 3613-4127 / (73) 8105-3095 profetaaof@gmail.com

CEARÁ

www.fazendamutum.com.br JOE CARLO VIANA VALLE Fazenda Malunga BRASÍLIA - DF Tel.: (61) 3500-0554 / (61) 3039-1030 / (61) 3275-2003 / (61) 9267-0042 joe.carlo@terra.com.br faleconosco@malunga.com.br www.malunga.com.br LUMIAR AGROPECUÁRIA LTDA Fazenda Lumiar PLANALTINA – DF Tel.: (61)3468-4786 / (61)9651-5151

CARLOS EDUARDO DE AZEVEDO BEZERRA Fazenda Positiva Ponte Alta CORUMBÁ - GO Tel.: (61) 3427-1096 / (61) 9984-3823 / (61) 3399-3941 / (61) 3399-3045 dudubezerra@uol.com.br

MARCELO RICARDO DE TOLEDO Fazenda Três Poderes TAGUATINGA – DF Tel.: (61) 3253-7810 / (61) 8123-7810 marcelo@geneticazebuina.com.br

DANIEL ANTONIO SILVANO Fazenda Santo Antônio BELA VISTA - GO Te.l: (62) 3376-9250 / (62) 9976-9250 danieldogir@gmail.com

PAULO HORTA BARBOZA DA SILVA Fazenda Hermínia PLANALTINA - DF Tel.: (61) 3501-4040 /( 61) 3366-1544 / (61) 3366-4769 / (61) 9244-5659 paulohorta@terra.com.br

DEMÉTRIUS MARTINS MESQUITA Fazenda Jacurutu PADRE BERNARDO - GO Tel.: (61) 3386-7555 / (61) 3386-7556 / (61) 3344-1824 / (61) 8116-0718 demetriusdf@uol.com.br

RAIMUNDO MARTINS MESQUITA Haras Jacurutu BRASÍLIA - DF Tel.:(61) 3386 7555 / (61) 3386 7556 / (61) 9618-3556 / (61) 9649-9774 / (61) 8405-0810 demetriusdf@uol.com.br

DILSON CORDEIRO MENEZES Fazenda Vila Rica COCALZINHO - GO Tel.: ( 61) 3367-3465 / (61) 3363-8575 / (61) 9975-6709 / (61) 9951-3650 fazendavilarica@terra.com.br engeagro@terra.com.br

RICARDO ALVES DA CONCEIÇÃO Fazenda Santa Terezinha PLANALTINA - DF Tel.: (61) 3468-3443 / (61) 3202-6820 / (61) 8105-3000 / (61) 9146-0099 ra.conceicao@hotmail.com lucicom@globo.com www.girsantaterezinha.com.br SÉRGIO MOREIRA CAMPOS Fazenda Tangará BRASÍLIA - DF Tel.: (61) 3244-0602 / (61) 3501-2257 / (61) 9974-8967 sergiomcampos@uol.com.br www.fazendatangara.com.br

ESPÍRITO SANTO ELIO VIRGINIO PIMENTEL Fazenda Jabaquara ANCHIETA - ES Tel.: (27) 3329-7632 / (27) 3229-5300 / (27) 3339-5717 elio@mercofood.com.br FÁBIO FARAH LUCINDO LIMA Fazenda Barro Branco GUAÇUI - ES Tel.: (21) 2704-4263 / (21) 2605-8885 / (21)9987-9274 fabiofarahlucindo@hotmail.com

FÁBIO ANDRÉ Estância Royal HIDROLÂNDIA - GO Tel.: (62) 3215-1858 / (62) 3214-1444 / (62) 3057-1804 / (62) 9972-9870 girfan@estanciaroyal.com www.estanciaroyal.com FERNANDO RODRIGUES FERREIRA LEITE Fazenda São Pedro da Barra PADRE BERNARDO - GO Tel.:(61) 3368-8005 / (61) 3368-9278 / (61) 9655-8711 mfcleite@hotmail.com fernandoleite@caesb.df.gov.br contato@saopedrodabarra.com.br www.gabrielloureiro.com.br/saopedrodabarra/index.html

PAULO CÉZAR GALLO Fazenda São Francisco COLATINA - ES Tel.: (27) 3722-3350 / (27) 3721-2288 / (27) 3743-3155

JOAO DOMINGUES GOMES DOS SANTOS Fazenda São Domingos LUZIÂNIA – GO Tel. (61)3443-8976 / (61) 7815-8822 / (61)3321-0288

GOIÁS

FRANCISCO ROBERTO PINTO LEITE Fazenda Água Preta SURURU - CE Tel.: (85) 3248-2829 / (85) 3254-2464 / (85) 3253-7060 / (85) 9981-2285 / (85) 9149-4774 rol_leite@hotmail.com

AGROPECUÁRIA PALMA LTDA. Fazenda Palma LUZIÂNIA - GO Tel.:(61) 3209-1940 / (61) 3362-0191 / (61) 9984-4311 lucia-de-sa@hotmail.com;eraleles@hotmail.com www.fazendapalma.com.br

ESTÂNDIA VILLA VERDE Estância Villa Verde PLANALTINA – DF Tel.: (61) 9119-1581

ENI CABRAL Fazenda são João Bosco SILVÂNIA - GO Tel.: (62) 3215-1973 / (62) 9973-8254 / (62) 3215-5749 enicabral@terra.com.br

JANSSEN PEDROSA Fazenda Serra Azul ÁGUA FRIA - GO Tel.:(61) 3366-3175 / (61) 9981 1576 janssen@senado.gov.br fazendaserraazul.go@gmail.com

ADEMIR LOPES CANÇADO Faz. Santa Cruz da Trilha LUZIÂNIA - GO Tel.: (61) 3468-1926 (61) 3502-1118 / (61) 9984-1049 girdatrilha@gmail.com

EROTIDES ALVES DE CASTRO Fazenda Duas Marias BRASÍLIA – DF Tel. (61) 81756265 / (61) 8412-5126

EMÍLIO DA MAIA DE CASTRO Fazenda Fantasia URUANA - GO Tel.: (62) 3241-4248 / (62) 9972-4246 emiliomaia@yahoo.com.br

MARCOS CORTELETTI Fazenda Santo Antônio SERRA - ES Tel.: (27) 3259-6138 fiore.suprimentos@terra.com.br

FRANCISCO FEITOSA DE A. LIMA Fazenda Novo Horizonte FORTALEZA – CE Tel.: (85)3342-3276 / (85)3464-76-33 / (85) 3301-1306

DISTRITO FEDERAL

CAIO SANDRO DE ARAÚJO Fazenda Arca CALDAS NOVAS -GO Tel.: (64) 3453-6669 / (64) 8415-1018 caiogir@gmail.com

ANDREIA MARIA PEREIRA NUNES DE CARVALHO SOUZA Estância São José TRINDADE - GO Tel.: (62) 3093-4015 / (62) 9971-5095 / (62) 9962-6141 estanciasaojese@gmail.com BRUNO DE SOUZA MACHADO FERREIRA Fazenda Mutum ALEXÂNIA - GO Tel.: (62) 3336-1228 fazendamutum@hotmail.com mut@fazendamutum.com.br

JOÃO DOS REIS DIAS Fazenda Santa Izabel LUZIÂNIA - GO Tel.: (61) 3346-5410 / (61) 8409-8113 joao.reisdias@hotmail.com JOAQUIM DOMINGOS RORIZ - AGROPECUÁRIA PALMA Fazenda Palma LUZIÂNIA - GO Tel.:(61) 3502-2222 / (61) 3209 1940 / (61) 3209-1941 / (61) 9984 1291 / (61) 3362-9497 agropecuariapalma@02.net.br laticio.palma@rudah.com.br JORGE AGOSTINHO CALIL Fazenda Colarinho Branco MARA ROSA - GO Tel.: (62) 3366-1260 / (62) 3366-1643 / (62) 3366-1304 marlycalil@yahoo.com.br calil_jorge@yahoo.com.br JOSÉ MARIO MIRANDA ABDO Fazenda Coqueiro ALEXÂNIA - GO Tel.: (61) 3323-4199 / (61) 9994-5756 / (61) 9989-5854 / (61) 8124-2801 jmabdo@aeaconsultoriaer.com.br jose.abdo@uol.com.br

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K


LÉO MACHADO FERREIRA Fazenda Mutum ALEXÂNIA - GO Tel.: (62) 3336-1228 / (62) 9268-0787 / (62) 3336-1442 / (61) 7816-7792 fazendamutum@hotmail.com mut@fazendamutum.com.br www.fazendamutum.com.br LEONICIO FERREIRA GOMES Fazenda Mutum ALEXÂNIA - GO Tel.: (62) 3336-1228 / (62) 9268-0787 / (62) 3336-1442 www.fazendamutum.com.br LÚCIO DIAS DE OLIVEIRA Chácara Oliveira ALEXANDRINA – GO Tel.: (61)3223-5713 / (61)3224-9631 MARIA DO CARMO OLIVEIRA MENEZES Fazenda Vila Rica COCALZINHO – GO Tel.: (61) 3367-3465 / (61) 3363-8575 MAURO RUFATO Fazenda Ariranha JATAÍ - GO Tel.: (62)3281-0009 / (62)3233-7286 MURILO DE OLIVEIRA ABDO Fazenda Barreiro ALEXÂNIA - GO Tel.:(61) 3225-5756 / (61) 9994-5756 murilo.abdo@uol.com.br THIAGO COSTA FERREIRA LEITE Fazenda São Pedro Da Barra PADRE BERNARDO – GO Tel.: (61) 3503-3232 / (61) 3368-9278 zootec@gmail.com

RAVISIO ISRAEL DOS SANTOS Fazenda Los Angeles NOVA ANDRADINA - MS Tel.: (67) 3441-1237 / (67) 9961-1526 ravisiojr@terra.com.br RONAN RINALDI DE SOUZA SALGADO Fazenda Fazendão CAMPO GRANDE – MS Tel.: (67) 3342-8742 fzd@leitebrasil.com.br

MINAS GERAIS ABSS AGROPECUÁRIA LTDA. Fazenda Bom Sucesso PASSOS - MG Tel.: (35) 3521-4252 / (35) 8426-1579 / (35) 8426-2636 / (18) 9149-6859 adrianomaia@passosnet.com.br amsbonsucesso@gmail.com ADELMO CARNEIRO LEÃO Água da Pedra CONQUISTA - MG Tel.: (31) 3335-8335 / (31) 8855-8335 / (31) 8838-8335 / (31) 2108-5344 paulofleao@ig.com.br contato@verdegir.com.br pedrovocl@yahoo.com.br www.verdegir.com.br ADEMAR BARBOSA GUIMARÃES Sítio da Ponte Preta CORONEL PACHECO - MG Tel.: (32) 9975-4842 / (32) 9945-2188 phyade@uol.com.br www.girleiteiro.net

WAGNER LÚCIO JACINTO Fazenda Sabedoria MORRINHOS - GO Tel.: (64) 3413-3533 / (64)9606-6419 luciogirdasdsedoria@hotmail.com

AGROBILARA COMERCIO E PARTICIPAÇÕES LTDA. Fazenda Monte Verde UBERABA - MG Tel.: (21) 7897-3857 / (34) 7811-3676 / (34) 7811-2188 / (34) 9904-3733 agrobilara@hotmail.com

MARANHÃO

AGROEXPORT LTDA. Faz. São Sebastião CAMPO FLORIDO - MG Tel.: (34) 3313-7100 agroexport@agroexport.agr.br www.agroexport.agr.br

JULIO RODRIGUES DOS SANTOS Fazenda Pequizeiro SANTA RITA - MA Tel.: (98) 3235-1217 / (98) 3227-4383 / (98) 3235-4905 lithografsl@ig.com.br lithografsl@gmail.com fazendapequizeiro@gmail.com; www.fazendapequizeiro.com.br

MATO GROSSO

AGROPECUÁRIA SANTA BARBARA XINGUARA S/A Agropecuária Santa Bárbara Xinguara S/A UBERABA - MG Tel.: (11) 3167-3561 / (34) 2103-8600 / (34) 9144-7618 / (34) 8408-3306 sandra.barbosa@agrosb.com.br

GETÚLIO VILELA DE FIGUEIREDO Estância Cinco Estrelas CUIABÁ - MT Tel.: (65)3624-1136 / (65)3623-1759 / (65)3624-2573 / (11)3758-9668 / (11) 8181-3479 gv@grupocincoestrelas.com.br maressa@grupocincoestrelas.com.br www.grupocincoestrelas.com.br

AGRO PASTORIL DOS POÇÕES E PART. LTDA. Fazenda dos Poções JEQUITIBÁ - MG Tel.:(31) 3281-1800 / (31) 3717-6271 / (31) 3281-2121 / (31) 3227-4868 / (31) 9631-2880 arthur.souto@uol.com.br ; radarpocoes@yahoo.com.br; pocoes@fazendadospocoes.com.br

MATO GROSSO DO SUL ANTÔNIO CARLOS ALVES Fazenda Santa Inês APARECIDA DO TABOADO - MS Tel.: (17) 3231-9839 / (17) 3231-2743 / (17) 3234-3926 ortopediageral@superig.com.br DENILSON LIMA DE SOUZA Fazenda Cachoeirinha - Gir Pantanal TERENOS – MS Sítio Bela Vista TERENOS - MS Tel.: (67) 3341-7835 / (67) 9906-8098 dlsouza@uol.com.br

106

Tel.: (67) 3521-2200 / (67) 3521-2002 ot.fazendasaojoao@terra.com.br

AGROPECUÁRIA BOM PASTOR LTDA. Fazenda Salobo VAZANTE - MG Tel.: (34) 3813-1052 / (34) 3813-1032 / (31) 9616-0057 / (61) 8185-1515 agrobompastor@yahoo.com.br ; andre@fazendasalobo.com.br www.fazendasalobo.com.br AGROVILLE AGRICULTURA E EMPREENDIMENTOS LTDA. Fazenda Curralinho MORADA NOVA DE MINAS - MG Tel.: (31) 2191-7889 / (31) 2191-7895 / (31) 2191-7868 leonardo@villefort.com.br financeiroagropecuaria@villefort.com.br

GENÉTICA ADITIVA AGROPECUÁRIA Fazenda Remanso CAMPO GRANDE – MS Tel.: (67) 3321-5166 / (67) 9984-6958 genetica@geneticaaditiva.com.br

ALBERICO DE SOUZA CRUZ Fazenda Alto Tangará ABAETÉ - MG Tel.: (37) 3541-2215 / (37) 9961-3905 dione.tangara@gmail.com condesp@abaetenet.psi.br

HELBÂNIO BARBOSA DE SOUZA Fazenda Fortaleza LAGUNA CARAPÁ - MS Tel.: (17) 3227-3993 / (17) 9772-3255 / (67) 9905-4384 helbanio@gmail.com

ALESSANDRO DE OLIVEIRA GUERRA AOG Agropecuária AIMORÉS - MG Tel.: (33) 3267-1442 / (33)8407-1449 aogpecuaria@yahoo.com.br

ORESTES PRATA TIBERY JR. Fazenda São João TRÊS LAGOAS - MS

ALFREDO DA MATA Fazenda Matinha FRUTAL - MG

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Tel.: Sogro: (34) 3421-0296 / Faz: (34) 3421-8281 / Alfredo (34) 9974-0595 fazendamatinha@bol.com.br ALTA GENETICS DO BRASIL LTDA Central UBERABA - MG Tel.: (34) 3318-7777 / (34) 3318-7701 ksantos@altagenetics www.altagenetics.com.br ANGELUS CRUZ FIGUEIRA Fazenda Terras de Kubera UBERABA - MG Tel.: (34) 3359-0660 terrasdekubera@voiler.com.br ANIBAL EUGÊNIO VERCESI E FILHOS Fazenda Bela Vista e Morro D’Água GUAPÉ - MG Tel.:(19) 3233-8606 / Faz (35) 9953-5013 / Cel. Aníbal Filho (19) 9172-2223 joaopinheirobr@yahoo.com.br ANTOMAR ARAÚJO FERREIRA Faz. Nossa Senhora da Abadia ARAPORÃ - MG Tel.: (34) 3281-4592 / (34) 3218-2905 / (34) 9666-2017 antomar@netsite.com.br; antomar@eseba.ufu.br ANTÔNIO EUSTÁQUIO ANDRADE FERREIRA Fazenda Salobo / Lugar Lagoa Feia VAZANTE - MG Tel.: (34) 3813-1032 / (61) 8185-1515 fazendasalobo@yahoo.com.br ANTONIO GOMES LEMOS Fazenda Alcântara GOVERNADOR VALADARES - MG Tel.: (33) 3272-1260 / (33) 3272-1238 / (33) 3271-3060 harasalcantara@harasalcantara.com.br; antoniolemos@harasalcantara.com.br; agrotara@trimeisp.com.br ANTÔNIO PAULO ABATE Fazenda Santa Albertina CAMPO FLORIDO - MG Tel.: (11) 2905-3123 / (34) 3322 1437 / (34) 9634-5007 apangenetica@terra.com.br BRENO BARBOSA COSTA Fazenda São João SERRINHA – MG Tel.: (35) 3284-1136 saojoaoagro@yahoo.com.br CARLOS FERNANDO FERRAREZI GUIMARÃES Fazenda Esperança GUANHÃES - MG Tel.: (33) 3421-1598 / (33) 3421-1527 / (33) 3421-1011 cf.ferra@bol.com.br C ARLOS ROBERTO CALDEIRA BRANT Fazenda Gavião SÃO PEDRO DO SUAÇUÍ - MG Tel.: (31) 3221-9349 / (31) 3227-4707 / (31) 8669-5393 fazendagaviao@ig.com.br CÉLIO TEODORO DA SILVA Fazenda Columbia UNAI – MG Tel.: (38) 3676-3631 CELSO AUGUSTO RIBEIRO DE CARVALHO Fazenda Nossa Senhora Aparecida PARAISÓPOLIS - MG Tel.: (35) 3651-1054 / (35) 8431-4347 drcelso@sbs-net.com.br CELSO LUIS MIZIARA DINIZ Faz. Nossa Senhora Aparecida PERDIZES - MG Tel.: (16) 3811-0498 / (16) 9176-9190 celsodiniz@netsite.com.br CÉSAR AUGUSTO GOMES GASPAR Sítio Nossa Senhora da Penha ANDRELÂNDIA - MG Tel.: (21) 7634-2616 / (21) 3337-3378 / (24) 8811-0371 girleiteironsp@ig.com.br ; girleiteironsp@hotmail.com CÉSAR HENRIQUE BASTOS KHOURY Fazenda São Geraldo POTÉ - MG Tel.: (33) 3522-3886 / (33) 3521-1767 / (33) 9985-1767 ckhoury@terra.com.br CHRISTINA DO VALLE TEIXEIRA LOTH Fazenda São Vicente MAR DE ESPANHA - MG Tel.: (32) 3276-1159 / (32) 3276-2381 / (32) 9972-5480 amandagribel@yahoo.com.br

Associados

ABCGIL fazendaespanha@hotmail.com CLAÚDIO SEVERINO LARA Fazenda Pontal PEDRO LEOPOLDO - MG Tel.: (31) 3661-3124 / (31) 3661-1090 / (31) 9951-7410 / (32) 8421-8216 claudio@cenatte.com.br DARIO EMERSON RESENDE COUTO E SILVA Fazenda Pedreira BOM DESPACHO – MG Tel.: (37)3521-2153 / (37)9985-1827 darioemersoncouto@hotmail.com www.produzirgenentica.vet.br DIRCEU AZEVEDO BORGES Fazenda Milenium e Nova Índia Genética S/A UBERABA - MG Tel.: (34) 3319-1144 / (34) 9972-1250 novaindia@novaindia.com.br www.novaindia.com.br EDMAR ALVES DE CARVALHO Estância Lindóia ARCOS - MG Tel.: (37) 3351-0291 / (37) 3351-3245 / (37) 3351-1691 / (37) 8404-9820 edmar@estancialindoia.com.br EDUARDO COSTA SIMÕES Fazenda Lapa Vermelha PEDRO LEOPOLDO – MG Tel.: (31) 3660-3125 / (31) 36603110 fazenda@lapavermelha.com.br EDUARDO JORGE MILAGRE Estância Milagre UBERLÂNDIA - MG Tel.: (34) 3234-7323 / (34) 3236-4409 / ((34) 9971-3168 eduardo@milagrefomentomercantil.com.br EDVALDO ANTÔNIO BUENO Fazenda Sítio Nossa Senhora de Fátima INCONFIDENTES - MG Tel.: (35) 3464-1020 / (35) 3464-1168 crocheveronez@hardonline.com.br ELIANE CARVALHO FREITAS SIGILIÃO Chácara das Flores MURUAE – MG Tel.: (32) 3721-3793 / (32) 3721-3629 ssigiliao@uol.com.br ENIR GOMES BARBOSA Fazenda Estiva BRUMADINHO - MG Tel.: (31) 3394-1079 / (31) 3394-9728 animaisdaestiva@yahoo.com.br contato@qualisul.com.br EPAMIG - EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA DE MINAS GERAIS Fazenda Experimental Getúlio Vargas UBERABA - MG Tel.:(34) 3317-7600 / (34) 9969-6442 / (34) 9142-5057 epamig@epamiguberaba.com.br ; cttp@epamig.br www.epamig.br ERICK CARBONARI Fazenda Terra Alegre BRASILÂNDIA DE MINAS - MG Tel.:(11) 4538-6436 / (11) 4538-6814 / (11) 8325-6934 fazendaterraalegre@hotmail.com EVANDRO DO CARMO GUIMARÃES Fazenda do Basa LEOPOLDINA - MG Fazenda das Boas Lembranças - LEOPOLDINA - MG Te.l:(11) 3097-0545 / (11)9910-9575 / (61) 9975-2133 evandrog@tvglobo.com.br FABIANO SANTOS JUNQUEIRA Fazenda Califórnia FLORETAL - MG Tel. (37) 3232-2800 / (37) 9932-3459 fabianojunq@nwm.com.br


Associados

ABCGIL FÁBIO ANTÔNIO POZZI Fazenda Santo Antônio ARAGUARI - MG Tel.: (34) 3256-9630 / (34) 3256-9614 diagro@nacionalexpresso.com.br

FAZENDA BRASÍLIA AGROPECUÁRIA LTDA Fazenda Brasília SÃO PEDRO DOS FERROS - MG Tel.: (33) 3352-1272 / (33) 3352-1376 / (33) 3352-1315 / (31) 9211-0018 girleite@uai.com.br flaper@uai.com.br www.fazendabrasilia.com.br FLAVIO AUGUSTO SALIM NOGUEIRA Fazenda Egito CRUCILÂNDIA - MG Fazenda São José - CRUCILÂNDIA - MG Tel. (31) 3531-4929 / Cel.: (31) 9828-6789 salim@pucminas.br FLAVIO FURTADO DE ANDRADE Fazenda Calciolândia ARCOS – MG Tel.: (37) 3359-7400 atendimento@calciolandia.com.br GABRIEL DONATO DE ANDRADE Fazenda Calciolândia ARCOS - MG Tel.:(37) 3359-7400 / (37) 3359-7425 / (37) 9981-7481 girleiteiro@calciolandia.com jordane@calciolandia.com www.calciolandia.com GARÇA DO OURO FINO EMPREENDIMENTOS Fazenda Rancho Santo Antônio SERRO- MG Tel.: (38) 3541-1253 / (31) 8488-1214 / (38) 9131-4943 / (31) 8479-7203 fabricio@gofe.com.br tulio@gofe.com.br www.gofe.com.br GERALDO ANTONIO DE OLIVEIRA MARQUES Estância Bom Retiro SÃO SEBASTIÃO DO RIO VERDE - MG Fazenda Três Barras - VIRGÍNIA - MG Tel.: (11) 3672-0417 / (11) 3933-7805 / (11) 3933-7801 / (11) 8136-0566 gmarques@jhg.com.br

HEDA BORGES MACHADO Fazenda Santa Bárbara UBERABA - MG Tel. Res.: (34) 3312- 3226 / (34) 9979-1403 / (34) 3338-7419 HÉLIO MACEDO DE QUEIROZ Sítio Vale Azul GOVERNADOR VALADARES - MG Tel.: (33) 9989-3022 hmdqueiroz@hotmail.com HENRIQUE CAJAZEIRA FIGUEIRA Fazenda Figueira UBERABA - MG Tel.: (16) 3911-7314 / (16) 7812-3231 hfigueira@hotmail,com HENRIQUE FERREIRA PINHEIRO Fazenda Arapoema UBERABA – MG Tel.: (34) 3321-6764 tecnico@leitegir.com.br HUMBERTO ROCHA ARAUJO Estância Laura BOM DESPACHO – MG Tel.: (31) 3243-4906 / (31) 8422/4906 ISOMÉRIO FERREIRA DOS REIS Fazenda JJC PASSOS - MG Tel.: (35) 3522-8040 / (35) 3521-6484 fazendajjc@bol.com.br IVAGRO AGROPECUARIA LTDA Fazenda Curralinho VEREDA – MG Tel.: (31) 2191-7895 / (31) 2191-7868 / (31)2191-7889 leonardo@villefort.com.br IVAN SCALON CORDEIRO Fazenda Ouro Branco SACRAMENTO/MG Tel.: (34) 3351-1406 / (34) 3351-2706 / (34) 8403-1434 is@onda.net.br ; girgasjan@gmail.com JOÃO CORRÊA PINHEIRO FILHO Fazenda Paraíso CARMO DE MINAS - MG Tel.: (11) 3228-3577 / (11) 3313-2933 / (35) 3274-1373 / (35) 3271-2341 JOÃO CRUZ REIS FILHO Fazenda Sumaúma MIRADOURO - MG Tel.: (61) 3264-1187 / (61) 8187-1187 / (61)9948-1187 sumauma@fazendasumauma.com.br www.fazendasumauma.com.br JOÃO FRANCISCO DE FREITAS COSTA Fazenda Arantes Brejauba CAMPINA VERDE - MG Tel.: (34) 9962-0500 / (34) 9944-5557 fjoaofrancisco@gmail.com JOÃO MACHADO PRATA JÚNIOR Fazenda Aprazível ÁGUA COMPRIDA - MG Tel.: (34) 3333-2349 / (34) 9972-7623 / (34) 9807-7177 fazendaaprazivel@hotmail.com

GERALDO DE CARVALHO BORGES Fazenda e Haras Paraíso PARACATU - MG Tel.: (61) 9831-1800 / (34) 9145-6254 harasparaiso@pop.com.br

JOAO VICENTE ALVES DE AVILA Fazenda Bom Sucesso BELO HORIZONTE – MG Tel.: (31)3223-0275 / (31)3224-7984 / (31) 3222-6675 / (31) 9976-4942 João.vicente.avila@gmail.com

GERSON DIAS FILHO Fazenda Vereda do Tarin PRUDENTE DE MORAIS - MG Tel.: (31) 3291-0064 / (31) 9983-1519 / (31) 9614-5371 fazendavereda.tarin@terra.com.br

JOÃO VITOR DE MELO Fazenda Mineirão UBERABA-MG Tel.: (34) 3318-8188 / (34) 3338-8760 flavio.tx@uol.com.br

GETÚLIO VILELA DE FIGUEIREDO Fazenda Rio Dourados TURVOLÂNDIA – MG Tel.: (65)3624-1136 / (65) 3623-1759 / (65) 3624-2573 / (11) 3758-9668 / (11) 8181-3479 maressa@grupocincoestrelas.com.br www.grupocincoestrelas.com.br

JOAQUIM BATISTA FILHO Fazenda Lapa PARACATU - MG Tel.: (38) 3671-5316 / (38) 3671-5363 / (38) 9962-5363 docjb@bol.com.br

GUILHERME DE MELO MASCI Fazenda do Ipê CURVELO – MG Fazenda Flores e Mangabeiras CURVELO – MG Tel.: (31) 3225-3848 / (31) 3335-8835 / (31) 9972-498 gmmasci@hotmail.com GILSON CARLOS BARGIERI

108

Fazenda São José UBERBA – MG Tel.: (13) 7803-0017 / (13)3455-2795 / (13) 9712-6304

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

JOAQUIM ROSSI Fazenda São José COQUEIRAL - MG Tel.: (35) 9971-5174 / (34) 9984-0919 / (34) 9916-5174 carlonrossi@terra.com.br ; cassiofrossi@hotmail.com JORGE PAPAZOGLU E OUTRO Agropecuária JPZ INHAÚMA - MG Tel.: (31) 3774-5800 / (31) 3772-2504 / (31) 9621-5576 jorge@decopa.com.br

JOSÉ AFONSO BICALHO BELTRÃO DA SILVA Fazenda Cachoeira FERROS - MG Tel.: (31) 3292-2415 / (31) 8888-3452 / (31) 9697-2957 / (31) 3277-4462 jabsilva@uol.com.br adrianofbicalho@uol.com.br JOSÉ ANTÔNIO DA SILVEIRA Fazenda Esplanada UBERLÂNDIA – MG Tel.: (34)3216-1287 xapetuba@xapetuba.com.br JOSÉ ANTÔNIO DE OLIVEIRA Fazenda Jaó FRUTAL - MG Tel.: (34) 3421-8179 / (34) 9155-8346 jorgefjao@bol.com.br JOSÉ ANTÔNIO SAUD OLIVEIRA Fazenda Oliveira UBERABA – MG Tel.: (34)3313-8550 / (34)3313-8404 zoonitro@uol.com.br JOSÉ AUGUSTO TEIXEIRA Retiro São Gabriel SÃO GONÇALO DO RIO ABAIXO – MG Tel.: (31) 3833-5168 / (31) 3833-5226 belleuslanches@yahoo.com.br JOSÉ CARVALHO Faz. Alvorada UBERABA - MG Tel.: (34) 3315-6468 / (34) 3317-4555 / (34) 9904-6568 andrea_feijao@hotmail.com JOSÉ COELHO VITOR Fazenda São José do Can Can PASSOS - MG Tel.:(35) 3529-0600 / (35) 9133-1825 / (35) 9133-1840 mauricio@josecaboverde.com.br passos@josecaboverde.com.br www.josecaboverde.com.br JOSÉ JOÃO SALGADO RODRIGUES DOS REIS Faz. Criciúma CARMO DO RIO CLARO - MG Tel.: (35) 3561-1399 / (35) 3561-1357 / (35) 9135-0630 JOSÉ LÚCIO REZENDE Fazenda Santo Antônio MATOZINHOS - MG Tel.: (31) 3516-7922 / (31) 9304-7067 ecb@ecbsa.com.br fazendasantoantonio@ecbsa.com.br JOSÉ LUIZ SOARES Fazenda Nossa Senhora Aparecida PASSOS - MG Tel.: (35) 3521-4782 / (35) 9981-0456 / (35) 9162-7995 clinicaortopedicajls@bol.com.br JOSÉ MÁRCIO CASARIN HENRIQUES Fazenda Agropecuária Novo Horizonte GUARANI - MG Tel.: (32) 3575-1708 / (32) 3575-1527 / (32) 9958-3369 fazendanovohorizontemg@gmail.com JOSÉ MARCIO E CARLOS DE SIMONI SILVEIRA Fazenda Limeira e Fazenda Santa Rosa PASSOS - MG Tel.: (35) 3521-3159 / 9133-0919 josemarcio@intersur.com.br carlos@zbrlimeira.com.br www.zbrlimeira.com.br JOSÉ MARIA DE SOUZA Fazenda Santa Edwiges NAQUE - MG Tel.: (31) 3826 1651 / (31) 9988 1653 / (31) 9109-1073 / (31) 3826-5001 / (31) 8872-2965 souzatim@uol.com.br JOSÉ PATRÍCIO DA SILVEIRA NETO Fazenda Santa Isabel PIRAPORA – MG Faz: (38) 3741-2712 / (38) 3741-3011 / (38) 9982-0273 patriciopirapora@gmail.com JOSÉ RAMOS FERREIRA Sítio Nossa Senhora Aparecida CAMANDUCAIA - MG Tel.: (11) 5841-2895 / (11)8845-5052 / (35)8404-0227 girnsaj@hotmail.com JOSÉ RENATO DA SILVA Fazenda Rancho 900 PIRAPETINGA – MG Tel.: (32) 3465-1298 / (32) 3465-4005 / (32) 9986-0246 agrocenter@megazip.com.br

JOSÉ RENATO FONSECA OLIVEIRA Agropecuária Mackllani SANTA BÁRBARA - MG TEL: (31) 3832-1187 / (31) 8647-1060 melsb@melsantabarbara.com.br contato@mackllani.com.br JOSÉ RICARDO FIUZA HORTA Fazenda Fundão PAINS - MG Tel.:(31) 3335-9033 / (31) 3337-5993 / (31) 3335-8426 / (37) 9173-5186 j.horta@terra.com.br JOSÉ SANTANA DE VASCONCELLOS MOREIRA Fazenda Santa Terezinha NOVA UNIÃO - MG Tel.: (31) 3297-5222 / (31) 3273-9780 / (31) 3273-3838 depjsv@deputadojosesantana.com.br JOVELINO CARVALHO MINEIRO FILHO Fazenda Sant’Anna UBERABA-MG Tel.: (34) 3319-0700 / (34) 3319-0707 delamar@fazendasantanna.com.br www.fazendasantanna.com.br JULIZAR DANTAS Fazenda Estrela do Sul NOVA MÓDICA - MG Tel.: (31) 3224-3228 / (31) 3222-2851 / (31) 9992-2851 julizardantas@taskmail.com.br julidantas@cardial.br http://sites.br.inter.net/fazendaestreladosul/ LEANDRO DE AGUIAR Fazenda Engenho IBIÁ-MG Tel.: (34) 3662-7774 / (34) 9155-7007 fazendaengenho@terra.com.br LUCIANO BIASSUTTI DELECAVE Fazenda Barreirão IPIAÇU – MG Tel.: (34) 3269-0040 ldelecave@hotmail.com LUCIANO DE ARAÚJO FERRAZ Fazenda Estiva ITAPECERICA - MG Tel.: (31) 3293-3536 / (31) 9981-1533 ferrazadv@terra.com.br LUCIANO LUZES BORGES / LEONARDO LIMA BORGES Fazenda Badajós UBERABA - MG Tel.:(34) 3312-1188 / (34) 3333-7181 / (34) 9145-0100 / (11) 8132-8462 leonardolborges@yahoo.com.br www.badajos.hpg.com.br LÚCIO MENDES VALE Fazenda Lugo JUIZ DE FORA – MG Tel.: (32) 9199-9911 geovanefv@terra.com.br LUIS EVANDRO AGUIAR Fazenda Boa Esperança VERISSÍMO - MG Tel.: (34) 3313-0058 / (34) 9122-9556 luizevandroaguiar@terra.com.br LUIS FERNANDO RABELO BARROS Fazenda Lamarão UNAÍ - MG Tel.:(61) 3964-5549 / (61) 3245-5159 / (32) 9952-0886 / (61) 8117-8854 luisfrbarros@hotmail.com www.inbol.com.br LUÍS GUSTAVO RABELO XAVIER Fazenda Três Barras POMPEÚ - MG Tel.: (31) 3372-7550 / (31) 8428-0870 rebeloxavier@bol.com.br LUIZ ANTÔNIO DE ALMEIDA NORONHA Fazenda Fabel Bonsucesso LAMBARI - MG Tel.: (35) 9989-1718 / (35) 9989-1419 / (35) 3235-1888 / (35) 3271-1419 ladanoronha@yahoo.com.br LUIZ CARLOS ROCHA MACEDO Sitio Santa Cruz SANTA BARBARA DO MONTE – MG Tel.: (32) 8415-7464 / (22) 8126-2883 LUIZ RONALDO DE OLIVEIRA PAULA Sítio Jubahy UBERABA – MG Fazenda do Catete – UBERABA – MG Tel.:(34) 3322-3522 / (34) 9192-9291 / (34) 9976-0986 / (34) 3311-1674


Associados

ABCGIL

MOISÉS FERNANDES CAMPOS Fazenda Cerrado Velho MARTINHO CAMPOS - MG Tel.: (31) 3773-9926 / (31) 8857-1255 moises@querenca.com.br ONOFRE EUSTÁQUIO RIBEIRO Fazenda São Bento PARAOPEBA - MG Tel.: (31) 3714-7427 / (31) 9633-0049 onofreer@uai.com.br www.joaofeliciano.com.br

leitegir@leitegir.com.br

ORLANDO DE OLIVEIRA VAZ FILHO Fazenda Santa Isabel PARAOPEBA - MG Tel.:(31) 3714-3191 / (31) 3273-1234 / (31) 3714-4700 santaisabel@uai.com.br

MARCELO AUGUSTO CARVALHO DE OLIVEIRA Fazenda Querência UBERABA - MG Tel.: (34) 3312-4041 / (34) 3338-4041 / (34) 9972-5855 girmalo.leiteiro@hotmail.com MARCELO DA SILVA Fazenda São José CHIADOR - MG Tel.: (21) 2438-8123 / (21) 3861-7300 MÁRCIO DINIZ CRUZ Fazenda Campo Verde JABOTICATUBAS- MG Tel.: (31) 3227-7908 / (31) 3217-6920 marcio@frforte.com.br MARCO ANTONIO ANDRADE BARBOSA Fazenda Índia UBERABA - MG Tel.: (34) 3333-7788 / (34) 9972-1555 / (63) 3415-1606 maab1@terra.com.br maab@maab.com.br www.maab.com.br

ORLANDO GIORDANI DE MOURA Fazenda Vitória SETE LAGOAS – MG Tel.: (31) 3773-1557 / (31) 9986-0046 / (31) 9986-0046 orlandogiordani@retificadieselsete.com.br OSMAR RODRIGUES DA SILVA Fazenda Castelo SÃO JOSÉ DA BARRA - MG Tel.: (35) 3526-8183 / (35) 9921-4261 summerbrazil@passosnet.com.br OSVALDO XAVIER GONÇALVES Fazenda Oxygênio COROACI - MG Tel.:( 31) 3342-2775 / (31) 9991-2773 irsf@terra.com.br

www.fazendamatodentro.com.br RAFAEL CORRÊA FONTOURA Fazenda Água Santa CONQUISTA - MG Tel.: (34) 3313-9305 / (34) 9939-9309

TARCISIO E. MORAES CASTRO JUNIOR Fazenda Santo Antonio UBERABA – MG Tel.: (34) 9914-9070 / (34) 3332-4398 / 7812566

REGINALDO JOSÉ DA SILVA Fazenda 5R UBERABA - MG Tel.:(34) 3314-8167 / (34) 3332-6880 / (34) 3313-6766 / (34) 9909-2922 epsilva1@terra.com.br fazenda_5r@yahoo.com.br

TOMAZ DE AQUINO RESENDE Fazenda Rancho Fundo das Grotadas SANTO ANTÔNIO DO MONTE - MG Tel.: (31) 3426-8873 / (31) 3653-8873 / (31) 9982-1878 / (31) 9726-0997 / (31) 3295-7720 tomaz@grotadas.com tomasar@uai.com.br

RENATO DA CUNHA OLIVEIRA Fazenda Baixadinha CONCEIÇÃO DA ALAGOAS - MG Tel.: (34) 3332-4733 / (34) 3359-0202 / (34) 9979-5278 / (34) 9105-6566 rcko@terra.com.br fazendabaixadinha@terra.com.br

TOMAZ GONZAGA OTONI Fazenda Boa Vista TEÓFILO OTONI – MG Tel.: (33) 3521-6692 / (33) 9985-2185 TORRES LINCOLN PRATA CUNHA FILHO Estância Poty UBERABA - MG Tel.: (34) 3312-4977 / Fax: (34) 3312-4916

RENATO ROCHA LAGE Fazenda Córrego Frio SANTA MARIA DO ITABIRA - MG Tel.: (31) 3241-1832 / (31) 3241-1832 renaatorochalage@hotmail.com RICARDO MIZIARA JREIGE Fazenda Nossa Senhora de Lourdes UBERABA - MG Tel.: (34) 3321-7229 / (34) 3336-6707 melhorgen@netsite.com.br ROBERTO DIAS DE CARVALHO Fazenda Juá ARCOS - MG Tel.:(37) 3351-2857 / (37) 3359-7230 / (37) 3351-1443 / (37) 9983-4610 robertodias49@yahoo.com.br

PATRICIA VIEIRA BOSSI LEITE Fazenda Ariranha TEÓFILO OTONI – MG Tel.: (33) 3522-2590 aleitejr@gmail.com

ROBSON FIDALGO AMUI Rancho Kalapalu UBERABA – MG Tel.: (34) 3312-5384 / (34)3312-8258 / (34)9972-7364 amui@terra.com.br

PAULO AFONSO FRIAS TRINDADE JR. E OUTRA Faz. Nova Trindade UBERABA - MG Tel.: (21) 2272-5000 / (34) 3359-0121 fazenda@novatrindade.com.br

RODRIGO LAUAR LIGNANI Fazenda Querença POTE – MG Tel.: (33) 8803-1000 / (33) 9916-4265 rlignani@gmail.com

PAULO CÉSAR BARREIRA Fazenda Vista Alegre CARMO DA MATA - MG Tel.: (31) 3291-6773 / (31) 9953-6317 / (37) 9981-3290 pcbarreira@uol.com.br

RONALDO ALMEIDA DOS SANTOS Fazenda Fortaleza CARMO DO RIO CLARO – MG Tel.: (35) 9985-5461 ronaldoalmeidasantos@gmail.com

PAULO RICARDO DE CASTRO MIOTTO Estância Triângulo UBERABA - MG Tel.:(34) 3311-5054 / (34) 9135-8763 / (11) 4016-5567 / (11) 7890-0131 estanciatriangulo.girpo@yahoo.com.br

RONALDO COSTA DA SILVA Fazenda Recanto do Sol PARACATU – MG Tel.: (38) 3672-3200 / (38) 3671-3990 / (38) 9960-2370 girleiteirorcsol@uol.com.br

MATEUS GIANNINI SILVA Agropecuária Giannini SÃO JOÃO BATISTA DO GLÓRIA - MG Tel.: (35) 9981-4075 / (35) 9802-9893 / (35) 3522-0879 / (35) 8805-3017 mateusgiannini@hotmail.com

PAULO RICARDO MAXIMIANO Cabanha Corrego Branco CAPETINGA - MG Tel.: (35) 3543-1623 / (35) 9126-9070 / (35) 9126-9066 elenaide@carthoms.com.br www.dacabanha.com.br

RONEY MÁRCIO QUIRINO Fazenda Rayputana DIVINOPÓLIS – MG Fazenda Benfeitor DIVINOPÓLIS - MG Tel.:(37) 9987- 9927 / (37) 3229- 7604 / (37) 3229- 7784 roneyquirino@ig.com.br

MICHEL SILVA KORKMAZ (Falecido) Fazenda Vivenda Mariana MARIPA DE MINAS - MG Tel.: (32) 3213-1442 / (32) 3224-3547 / (32) 9122-0989 / (32) 3234-1153 michelk@acesso.com.br

PAULO ROBERTO ANDRADE CUNHA Fazenda Genipapo UBERLÂNDIA - MG Tel.: (34) 3219-4801 / (34) 9971-1692 / (34) 9968-9736 fazenda.genipapo@hotmail.com

SADONANA AGROPEC. LTDA Fazenda Joaninha BELO HORIZONTE – MG Tel.: (31) 3492-8488 / (31) 3492-9344 sadonanaagropecuaria@hotmail.com

MILLER CRESTA DE MELO SILVA Faz. Ribeirão Grande SÃO JOÃO BATISTA DA GLÓRIA - MG Tel.:(35) 3526-2626 / (35)8827-2600 (35) 8819-2626 / (35) 88627400 contato@fazendaribeiraogrande.com.br

PECPLAN ABS IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA Fazenda Santo Inácio UBERABA - MG Tel.:(34) 3319-5400 mnery@absnet.com.br www.abspecplan.com.br

SALVADOR MARKOWICZ NETO Fazenda São Paulo PATOS DE MINAS - MG Tel.: (11) 3875-3207 / (11) 8160-8883 / (34) 9167-0818 smarkz@uol.com.br

MARCOS ANTONIO MARTINS Fazenda São Sebastião AUGUSTO DE LIMA – MG Tel.: (31)9934-2951 MARIANGELA MUNDIM TEIXEIRA Fazenda Cocho D’Água PEDRO LEOPOLDO - MG Tel.: (31) 3661-1033 / (31) 9984-5837 mariangelalmt@yahoo.com.br MARILIA FURTADO DE ANDRADE Fazenda Engenho Nogueira IGUATAMA - MG Tel. (37) 3359-7400 / (37) 3359-7401 girleiteiro@calciolandia.com

MILTON DE ALMEIDA MAGALHÃES JÚNIOR e MILTON DE ALMEIDA MAGALHÃES NETO Fazenda Preciosa UBERLÂNDIA - MG Fazenda Prata ITUIUTABA – MG Fazenda Santa Barbara GURINHATÃ – MG Tel.:( 34) 3235-7174 / (34) 9813-1990 / (34) 9812-1990 miltonamneto@terra.com.br miltonmagalhaes@terra.com.br

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

PEDRO VENÂNCIO BARBOSA Fazenda Querência ONÇA DE PITANGUI – MG Fazenda Cristal ONÇA DE PITANGUI - MG Tel.: (31) 3394-7505 / (37) 3235-1216 / (37) 9911-1037 cristalagropec@terra.com.br RAFAEL BASTOS TEIXEIRA Fazenda Mato Dentro VIÇOSA - MG Tel.: (31) 3891-6746 / (31) 9812-3435 / (31) 8865-6746 rafaelzootecnia@yahoo.com.br

SOCIEDADE EDUCACIONAL UBERABENSE Fazenda Escola Alexandre Barbosa UBERABA-MG Tel.: (34) 3319-8760 / 3319-8763 / 3319-8818 / 3319-8834 zebu@uniube.br zebu2@uniube.br fazenda.escola@uniube.br

REGINALDO ANTONIO VILELA Fazenda Aurora GOVERNADOR VALADARES – MG Tel.: (33) 3276-8482 / (33) 3271-3530 / (33) 9989-7471 / (33) 3271-1585

OTÁVIO GUIMARÃES NOGUEIRA Granjas Nogueira RIO NOVO – MG Tel.: (32) 3274-1482 / (32) 9965-4800 otaviogn76@yahoo.com.br

MARCOS ANTÔNIO DO NASCIMENTO e AUGUSTO CÉSAR DO NASCIMENTO Fazenda São Francisco da Chave SÃO JOÃO DEL REI - MG Tel.: (32) 3371-2490 / (32) 3371-7633 / (32) 3373-5525 / (32) 8839-5883 labchrom@mgconecta.com.br girleiteirosfc@bol.com.br

110

MINORO HELIO MAURICIO YAMAMOTO Fazenda Cachoeira UBERABA – MG Tel.: (34) 3332-1191 riograndeconsultoria@terra.com.br

SENHORA DE FÁTIMA S/C LTDA. Fazenda Chácara e Retiro NOVA SERRANA - MG Tel.: (31) 3116-1666 / (31) 9991-6548 picolv@oi.com.br SÍLVIO QUEIROZ PINHEIRO Fazenda Arapoema UBERABA - MG Tel.: (61) 3233-2848 / (61) 9989-4632 / (34) 9665-6030 / (34) 9978 4470 silviop@solar.com.br

TROPICAL GENÉTICA Fazenda Curicaca UBERLÂNDIA – MG Tel.: (34)3211-5259 / (34)9178-3176 miltonamneto@terra.com.br VANIR GARCIA LEÃO Fazenda Xanadú IGUATAMA - MG Tel.Res.: (31) 3292-7673 / Com.Telefax: (31) 3337-4528 luciano.leao@yahoo.com.br adtec@gold.com.br VIRGILIO VOLEFORT MARTINS Fazenda Curralinho MORADA NOVA DE MINAS – MG Tel.: (31) 2191-7826 / (31) 3627-1094 VIRGILIO VOLEFORT MARTINS JUNIOR Fazenda Curralinho MORADA NOVA DE MINAS – MG Tel.: (31) 2191-7800 / (31) 3627-1094 VITOR CÉSAR CALDAS MACHADO Fazenda Santana 2 UBERABA - MG Tel.: (34) 3315-4670 / (34) 9166-9545 zebuleite@hotmail.com www.zebuleite.com.br WILSON CARNEIRO SILVA JUNIOR Fazenda Berço da Lua SANTA JULIANA - MG Tel.: (34) 3332-0101 WINSTON FREDERICO ALMEIDA DRUMON Fazenda Quilombo CANAPOLIS – MG Tel.: (34) 3268-3359 / (34) 3262-1340 / (34) 3263-1340

PARÁ ANTÔNIO ABÍLIO MARQUES CORDERO Fazenda Fiel Agropecuária Ltda. CASTANHAL - PA Tel.: (91) 4005-3445 / (91) 4005-3440 / (91) 8147-2323 abiliocordero@fiel.srv.br FRANCISCO EDVAN BEZERRA FEITOSA Fazenda Terra Boa de Mandacaru PARAGOMINAS – PA Tel.: (31) 3222-8594 francisco.edvan@agropecterraboa.com.br HILTON DA CUNHA PEIXOTO Fazenda Uraím PARAGOMINAS – PA Fazenda Joaíma PARAGOMINAS – PA Tel.: (31) 3223-3942 / (31) 9605-0780 / (91) 3729-4388 / (91) 9996-3839 hiltonpeixoto@ig.com.br

PARAÍBA EMEPA-EMPRESA ESTADUAL DE PESQUISA AGROPECUÁRIA DA PARAÍBA S/A Estação Experimental “João Pessoa” UMBUZEIRO - PB Tel.:(83) 3395-1001 / (83) 3221-4504 eejp.@uol.com.br

PARANÁ


BEATRIZ C. GARCIA E FILHOS CONDOMÍNIO Fazenda Cachoeira 2C SERTANÓPOLIS - PR Tel.: (43) 3356-2988 / (43) 3326-9001 fazenda@cachoeira2c.com.br OÃO SALA Fazenda Bom Pastor UMUARAMA - PR Tel.: (44) 3622-5816 / (44) 3621-3700 / (44) 3621-3737 financeiro@autoramaautomoveis.com.br VALDO HENRIQUE MANDEGAN FAVORETO Rancho Serrano LONDRINA - PR Tel.: (43) 3321-6082 / (43) 9151-9000

PERNAMBUCO FERNANDO ANTÔNIO MAIA RODRIGUES DE ALMEIDA Fazenda Pensilvania LAGOA DO CARRO – PE Fazenda Santana VITORIA DO SANTO ANTONIO Tel.: (81) 3445-1145 / (81) 8751-1620 / (81) 9133-9090 fazendapensilvania@gmail.com SUPRANOR - IND. E COM. LTDA Fazenda Sanharó ARCOVERDE - PE Tel.:(81) 2122-1855 / (81) 2122-1844 / (81) 9972-0678 supranor@supranor.com.br ; carlos.alberico@supranor.com.br

RIO DE JANEIRO ANDRE GUSTAVO VASCONCELOS MONTEIRO Sitio Barro Preto BIRIGUI – RJ Tel.: (21) 9851-1043 / (21) 3643-3563 andre.monteiro@grupocrivel.com.br ARISTEU RAPHAEL LIMA DA SILVEIRA Sítio Gabriel CACHOEIRAS DE MACACU - RJ Tel.: (21) 2713-5993 / (21) 9584-8524 CARLOS MAURICIO MEDINA GALEGO Fazenda Novo Paraíso CACHOEIRAS DE MACACU – RJ Tel.: (21)3150-1736 / (21)2252-2131 CLOVIS TOSTES DE BARROS Fazenda São Marçal MIRACEMA – RJ Tel.: (22) 3852-0014 EMERSON TEIXEIRA DE OLIVEIRA Rancho Sagrada Família CACHOEIRA DE MACACU - RJ Tel.:(21) 2487-0912 / (21) 2401-6627 / (21) 2401-5942 / (21) 2419-4206 / (21) 9626-4465 gir@ranchosagradafamilia.com elizabetholiveira@jpi.com.br www.ranchosagradafamilia.com FAZENDA CALF LTDA Fazenda Calf RIO DE JANEIRO- RJ Tel.: (21) 3385-4753 / (21) 3385-4753 christianofonseca@ig.com.br FERNANDO FIUZA DIZ Fazenda Santana CACHOEIRA DE MACACU - RJ Tel.: (22) 2793-1250 / (22) 2793-1268 / (21) 2745-3160 / (21) 9986-1173 fernando@seaflux.com.br FILIPE ALVES GOMES Fazenda Volta Fria – Raposo ITAPERUNA - RJ Tel.: (22) 3847-2284 / ( 22) 3847-2133 / (22) 9963-2284 fazendavoltafria@hotmail.com FRANCINIR ANTÔNIO SANCHES Fazenda Ouro Branco GUAPIMIRIM - RJ Tel.: (21) 2221-1665 / (21) 9110-4900 / (21) 9983-1868 francinirsanches@uol.com.br GEISSE KERLY DE OLIVEIRA DA SILVA Fazenda Bom Jesus CANTAGALO – RJ Tel.: (22) 9982-7884 / (22) 8139-0101 HÉRICA CRISTINA FERREIRA DINIZ GONÇALVES Agropecuária Alambari RESENDE - RJ Tel.: (24) 3357-1310 /(24) 9996-3906 carmen@agropecuariaalambari.com.br JOÃO BATISTA BATISTA MARINHO

112

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

Fazenda Vilarejo CONSERVATORIO – RJ Tel. (24) 9825-9339 / (24) 2438-1266 / (24) 2438-2164 JOBSON DE ASSIS SALGADO Rancho Cerro Azul CACHOEIRAS DE MACACU - RJ Tel.: (21) 2745-0756 / Cel.: (21) 9489-7014 salgadoassis@terra.com.br

MARCOS SERRA SEPEDA Fazenda dos Arcos CACHOEIRAS DE MACACÚ - RJ Tel.: (21) 3553-3830 / (21) 2745-0187 / (21) 9857-2916 / (21) 7552-9856 contato@fazendadosarcos.com.br marcos@cclsengenharia.com.br www.fazendadosarcos.com.br

JOSÉ ANTÔNIO LOPES DE NORONHA Fazenda Rancho Paraty CACHOEIRAS DE MACACU - RJ Tel.: (21) 9612-4131z

MARCUS SILVEIRA DE MORAES Sitio Macapá SANTA MARIA DE MADALENA - RJ Tel.:(22) 2551-0085 / (22) 2551-9000 / (22) 8823-6169 marcusmarcao@ig.com.br

JOSÉ ANTÔNIO SILVA LINO Fazenda Acalanto CACHOEIRAS DE MACACU - RJ Tel.: (21) 2548-8845 / (21) 9466-1800 jalagel@gmail.com zoejalzoe@gmail.com www.fazendaacalanto.com.br JOSÉ ARLEY LIMA COSTA Fazenda Parahy CACHOEIRAS DE MACACU - RJ Tel.:(21) 3974-3030 / (21) 2745-4063 / (21) 9140-7266 / (21) 9144-0321 / (21) 9619-8555 arley@arcoly.com.br parahy@arcoly.com.br www.fazendaparahy.com.br JOSE CARLOS PIRES COUTINHO Fazenda Mãe D’agua CACHOEIRAS DE MACACU – RJ Tel.: (21)9525-3005 / (21)8196-4146 / (21) 2159-9200 JOSÉ LUÍS NEVES DE CARVALHO Fazenda Macabú MARICÁ-RJ Te.:(21) 2634-2553 / (21) 2222-0553 rurturaresp@uol.com.br JOSÉ MOACIR SILVEIRA DE SOUZA Fazenda Caieira BARRA DO PIRAÍ - RJ Tel.: (24) 8117-6261 moacirfazenda@yahoo.com.br JOSE AUGUSTO MACIEL JORDÃO Fazenda Campo dos Sonhos ARUAMA – RJ Tel.: (21) 2498-3745 a.jordao@globo.com luiscarvalho@globo.com LERENO NUNES NETO Sítio do Holandês CACHOEIRAS DE MACACU - RJ Tel.: ( 21) 2745-7114 / (21) 2745-4064 / (21) 2745-4102 / (21) 8881-4318 LUIS MARIO MOREIRA SNOCK Fazenda Piedade Santa Ltda NOVA IGUAÇU – RJ Tel. (21)7869-1410 / (21)2667-2530 LUIZ CARLOS BANDOLI GOMES Fazenda Morro Alto NATIVIDADE - RJ Tel.: (22) 2722-3211 / (22) 2733-1079 / (22) 9981-8707 micromedcom@terra.com.br LUIZ EUTÁLIO RODRIGUES DE ALMEIDA Fazenda Santa Luzia CACHOEIRAS DE MACACU - RJ Tel.: (21) 2745-4096 / (21) 2745-4102 / (21) 2745-4064 / (21) 9272-6562 / (21) 9217-5529 eutalio@yahoo.com.br ; paulademarque@yahoo.com.br MANUEL SALGADO RODRIGUES DOS REIS Fazenda da Derrubada RIO DAS FLORES - RJ Tel.: (24) 2458-1188 / (24) 8807-8243 Manoel.rodriguesreis@hotmail.com MARCÍLIO FIGUEIREDO RODRIGUES Fazenda Quero Vê SÃO JOSÉ DE UBÁ - RJ Tel.: (21) 2704-4304 / (21) 2717-8142 / (21) 9913-5025 / (22) 9896-8008 martamonteiro@predial.com.br MÁRCIO PALMA LEAL Fazenda São José TRAJANO DE MORAIS - RJ Tel.:(22) 2551- 1573 / (22) 2551-1917 / (22) 8111-2457 / (22) 8124-5252 marcioleal.ratinho@gmail.com MARCO AURÉLIO GRILLO DE BRITO Fazenda Terra Nova RIO DE JANEIRO - RJ Tel.:(21) 3325-8872 / (21) 3251-7000 / (21) 9159-1616 denise.grillo@terra.com.br

MILA DE CARVALHO LAURINDO E CAMPOS Fazenda Recreio SÃO JOSÉ DE UBÁ - RJ Tel.: (32) 3722-3416 / (22) 8803-4690 OTTO SOUZA MARQUES JÚNIOR Fazenda Babitonga CACHOEIRAS DE MACACU - RJ Tel.: (21) 2612-0031 / (21) 2745-4044 / (21) 2612-0859 / (21) 9478-5169 ciadoleitemarapora@ig.com.br PAULO MARCIO CONANGIA Fazenda Mico-Leão-Dourado SILVA JARDIM - RJ Tel.: (21) 2266-3748

Associados

ABCGIL JOSÉ ELÍAS DOS SANTOS Fazenda Dalas COCAL – RO Tel. (69) 3441-5222 / (69) 9224-0331 acearensekcoal@hotmail.com

SÃO PAULO

PLINIO BASTOS DE BARROS NETTO Fazenda Prosperidade MIRACEMA – RJ Tel.: (21) 2619-412 / (21) 8100-8912 pliniobastos@grupobertin.com.br

ACCELERATED GENETICS DO BRASIL LTDA - AXELGEN Faz. Santo Antônio da Alegria MOCOCA - SP Tel.: (16) 2137-7700 / (16) 9131-8719 / (16) 9128-2010 / (16) 9262-3018 jcastro@axelgen.com.br secretaria@axelgen.com.br vivacqua@axelgen.com.br www.axelgen.com.br

RENATO GUIMARÃES Fazenda Indaiá PIRAÍ - RJ Tel.:(21)2502-7495 / (24) 2431-1274 / (24) 2431-1387 fazendaindaia@girdepirai.com.br www.girdepirai.com.br

ADONIAS SOUZA DOS SANTOS Estância Vale dos Veredas JUQUITIBA - SP Tel.: (11) 4667-2127 / (11) 5823-3017 / (11) 9114-0667 adonias@girveredas.com.br girveredas@girveredas.com.br

RIBAMAR MACEDO COELHO Fazenda Sítio Santa Luzia CORDEIRO - RJ Tel.: (21) 2611-2286 / (21) 3637-3131 / (21) 9987-3200

AGROPECUÁRIA E IMOBILIÁRIA MARIPÁ LTDA Fazenda Castelo JAGUARIÚNA - SP Tel.: (11) 3156-0859 / (11) 3156-0853 / (11) 3120-4984 / (16) 9139-5853 agromaripa@protege.com.br www.harasmaripa.com.br

RODRIGO MARTINS BRAGANÇA Fazenda Novo Destino APERIBÉ -RJ Tel.:(22) 3864-1106 / (22) 9977-0001 rodrigobraganca@okinternet.com.br SÉRGIO LESSA Fazenda Las Horas VASSOURAS - RJ Tel.: (21) 2492-5524 / (21) 2259-1245 / (21) 2259-0099 s.lessa@alternex.com.br VOLMER CERQUEIRA JACINTO Fazenda São Geraldo CORDEIRO – RJ Tel.: (21) 2222-1394 / (21) 9220-4930 / (22) 2551-1582

RIO GRANDE DO NORTE EMPARN- EMPRESA DE PESQUISA AGROPEC. DO RIO GRANDE DO NORTE S/A Campo Experimental Felipe Camarão SÃO GONÇALO DO AMARANTE - RN Tel.: (84) 3232-5864 emparn@rn.gov.br www.emparn.rn.gov.br ACÁCIO SANZIO DE BRITO Fazenda Riacho Fundo SERRA NEGRA DO NORTE - RN Tel.: (84) 3616-7900 / (84) 9962-3022 Acácio@rn.sebrae.com.br

RIO GRANDE DO SUL JOSÉ ADALMIR RIBEIRO DO AMARAL Faz. Das Nogueiras CAXIAS DO SUL - RS Tel.:(54) 3283-1491 / (54) 3283-1625 / (54) 9975-4906 comercial@fazendadasnogueiras.com.br amaral@ultrapoxi.com.br www.fazendadasnogueiras.com.br

RONDÔNIA GEOVANI NUNES BARROSO Fazenda Curralinho JARÚ - RO Tel. (69) 3521-1661 / (69) 9221-5384 geovani.dogirleiteiro@hotmail.com geovani@barroso@hotmail.com

ALESSANDRA CONFORT ARNAUD Fazenda Arnaud SÃO PAULO - SP AMILCAR FARID YAMIN Fazenda São Judas Tadeu do Chapadão PORTO FELIZ - SP Tel.: (11) 2131-7755 / (11) 2131-7778 / (15) 3262-6050 nair@corona.com.br ANDERSON PONTES Estância Agropontes BIRIGUI – SP Tel.: (18) 3642-2288 / (18) 3643-3563 / (18) 8113-0672 anderson@andersoncomponentes.com.br ANTÔNIO CESAR FERREIRA Agropecuária H2O PALESTINA - SP Tel.: (17) 3563-1705 / (17) 3281-1154 / (17) 8112-1076 acaesarf@gmail.com ANTÔNIO JOSÉ LÚCIO DE OLIVEIRA COSTA Fazenda Tabarana STA. CRUZ DAS PALMEIRAS - SP Tel.: (19) 3672-1295 / (19) 3672-2538 / (19) 36335827 / (19) 9268-1868 dcmendes@terra.com.br julio.marangon@uol.com.br ANTÔNIO LOPES BATISTA Fazenda Albalat ATIBAIA - SP Tel.: (11) 2423-2800 (11) 9330-9619 / (11) 2421-7902 / (11) 4402-9016 / (11) 2452-7615 alopes@superlopes.com.br paula.renesto@superlopes.com.br

Associados

ABCGIL www.fazendabomjardim.com.br BRÁULIO QUEIROZ PINHEIRO Fazenda Nova Estiva BURITIZAL - SP Tel.: (16) 3729-3870

CARLOS ALBERTO DA SILVA Rio Vale Agronegócios PORANGABA - SP Tel.: (11) 3063-1899 / (11) 3889-0507 / (11) 9105-2030 cliente@riovale.com carlos@publique.com www.riovale.com CENTRAL GENÉTICA LIMOUSINI LTDA Fazenda São Judas Tadeu do Chapadão PORTO FELIZ – SP Tel.: (11) 2131-7755 / (11) 2131-7778 / (15) 3262-6050 nair@corona.com.br CRISTIANO DE OLIVEIRA CANHA Fazenda Menina Paula SÃO JOSÉ DO BARREIRO – SP Tel.: (21) 9873-9914 / (21) 9999-4000 CRV LAGOA DA SERRA LTDA Fazenda CRV Lagoa da Serra SERTÃOZINHO - SP Tel.: (16) 2105-2299 / (16) 2105-6677 adriana.zaia@crvlagoa.com.br www.crvlagoa.com.br DALILA GALDEANO LOPES Sítio São João MARÍLIA - SP Tel.: (14) 3425-2944 / (14) 2105-7777 / (14) 2105-7758 dalilagl@terra.com.br DANIEL COSTA MENDES Rancho Campo Alegre SÃO JOÃO DA BOA VISTA - SP Tel.: (19) 3622-2959 / (19) 9100-7555 / (19) 8109-5551 / (19) 9144-3443 daniel@girleiteiroca.com.br www.girleiteiroca.com.br DUARTE QUEIROZ PINHEIRO Fazenda Santa Rita da Estiva BURITIZAL -SP Tel.: (16) 9998-7842 EDUARDO FALCÃO DE CARVALHO Estância Silvania CAÇAPAVA - SP Tel.:(12) 3302-3077 / ( 12) 9713-7144 / (12) 9761-2237 girleiteiro@estanciasilvania.com.br www.estanciasilvania.com.br EDUARDO NICOLAU AMBAR Estância Saint. Nicolas ÀGUAS DE LINDÓIA – SP Tel.: (19) 3824-2259 FÁBIO PINTO DA COSTA Fazenda Betel IBITINGA - SP Tel.: (16) 9227-0079 fazbetel@terra.com.br

ANTONIO LUCIANO CATISTI Fazenda São José CAMPINAS – SP Tel. (19) 3253-2518 antonio@catisti.com.br

FERNANDO AUGUSTO REHDER QUINTELLA Fazenda Angolinha MOCÓCA - SP Tel.: (11) 3034-3084 / (11) 3854-1774 / (11) 9660-2562 gquintella@uol.com.br

BOM JARDIM DA SERRA AGROPECUÁRIA LTDA Fazenda Quebra Cuia MOCOCA - SP Tel.:(19) 3665-3634 / (19) 3667-8446 / (19) 36655059 / (19) 3656-7618 bomjardim@terra.com.br fazendaquebracuia@uol.com.br gquintella@uol.com.br

GERALDO LEMOS COSTA BITTAR E OUTRA Fazenda Aliança FRANCA - SP Tel. (16) 3722-2583 / (16) 9221-4552 / (16) 9237-7243 soniameleti@terra.com.br INSTITUTO DE ZOOTECNIA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Estação Experimental de Zootecnia de Ribeirão Preto RIBEIRÃO PRETO - SP Tel.: (19) 3656-0200 Ramal 26 / (19) 3466-9400 polonordestinopaulista@apta.sp.gov.br JOÃO ANTÔNIO GABRIEL Estância Santa Maria TAQUARITUBA - SP Tel.: (14) 3762-4349 / (14) 3672-1830 / (14) 3762-2164 / (14) 9148-6258 neloregabi@itelefonica.com.br JOÃO CARLOS DE ANDRADE BARRETO Fazenda Adriana VALENTIM GENTIL - SP Tel.: (17) 3485-7451 / (17) 3485-1356 / (17) 9113-8433 / (17) 9136-8728 fazendaadriana@grupobarreto.com.br carlinhosbarreto@grupobarreto.com.br JOÃO CARRIJO DA CUNHA Fazenda Chaminé da Cachoeira RESTINGA - SP Tel.: (16) 3722-2922 / (16) 9967-5122 joao.carrijo@gmail.com JOAQUIM JOSÉ DA COSTA NORONHA Fazenda Terra Vermelha VARGEM GRANDE DO SUL - SP Tel.(19) 3643-7033 / (19) 9105-6660 / (19) 3631-6575 girleiteirocampoalegre@yahoo.com.br www.girleiteiro-ca.com JORGE NUNES PEREIRA FILHO Chácara Santa Helena JACAREÍ - SP Tel.: (12) 3962-6264 / (12) 3951-2000 / (12) 9713-2296 JOSÉ CARLOS DE O. MACHADO JR. Mirante da Serra Hotel Fazenda PORTO FELIZ – SP Tel.: (11) 4026-1364 JOSÉ DE CASTRO RODRIGUES NETTO Fazenda Santana da Serra CAJURU - SP Tel.:(19) 3667-9404 / (16) 9128-2010 / (16) 2137-7700 jcastro@axelgen.com.br contato@girleiteirofb.com.br www.girleiteirofb.com.br JOSÉ EDUARDO OLIVEIRA CORREA MELO Sítio Paineiras SÃO PAULO – SP Tel.: (11)5523-9478 / (11)3231-4589 zemello@uol.com.br JOSÉ FRANCISCO JUNQUEIRA REIS Fazenda Santa. Fausta LINS - SP Fazenda São Francisco de Assis LINS - SP Tel.: (14) 3522-2247 / (14) 3522-2948 / (14) 3523 6233 / (14) 9745-1470 santafausta@uol.com.br JOSÉ LUIZ JUNQUEIRA BARROS Fazenda Café Velho CRAVINHOS - SP Tel.: (16) 3625-2323 / (16) 3625-2174 joseljbarros@terra.com.br JOSÉ MARIA DE OLIVEIRA Fazenda Retiro CAMPINAS – SP Tel.: (19) 3256-4979 jmoliveira1@terra.com.br JOSÉ ORLANDO BORDIN Fazenda Araquá CHARQUEADA - SP Tel.: (11) 3813-7187 / (11) 5571-5494 / (11) 9614-2644 / (19) 3486-4601 geneticagir@gmail.com www.geneticagir.com.br KENYTI OKANO Fazenda Santo Antônio ITUVERAVA - SP Tel.:(16) 3729-3391 / (16) 8118-0056 / (16) 3729-3646 / (16) 8118-0012 adrianookano@carol.com.br LEANDRO FORTUNATO Sítio Vô Dubeto PORTO FELIZ - SP Tel.: (11) 4393-6363 leandro@prodemol.com.br LEANDRO MARINHO DE ANDRADE Sitio São Judas Tadeu GUARAREMA/SP Tel.: (11) 6749-6521 / (11) 4695-1924 leandro.marinho.girleiteiro@bol.com.br

LÚCIO RODRIGUES GOMES Fazenda Valão do Cedro TAUBATÉ - SP Tel.:(12) 3631-6329 / (12) 3632-6575 / (12) 3653-2037 / (12) 9719-7219 / (12) 9156-6330 valaodocedro@ig.com.br valaodocedro@uol.com.br www.valaodocedro.com.br LUIS ISIDORO FELIPE Fazenda Nova Avanhadava ZACARIAS – SP Rancho LF ZACARIAS – SP Tel.: (11) 6755-8764 / (11) 9214-7674 / (11) 9742-2070 luisisidorofelipe@yahoo.com.br LUIZ FERNANDO TARANTO NEVES Fazenda Santa Maria da Barra Grande ITATINGA - SP Tel.: (11) 3287-8361 / (11) 3289-4122 / (11) 3289-5808 / (14) 3847-3678 / (14) 8128-9990 lfernando@fcl.com.br LUIZ ROBERTO LIMA DE MORAES Sítio Água da Mata PONGAÍ - SP Tel.: (11) 4521-5949 / (11) 4039-4070 / (11) 7205-8447 lrl.moraes@bol.com.br www.thermoprat.com.br MAMEDI MUSSI NETO E OUTRO COND. Estância 2M BARRETOS - SP Tel.: (17) 3322-5485 / (17) 3322-7900 / (17) 8141-5797 mamedimn@superig.com.br MANOEL IZIDORO DO CARMO Sítio Passagem da Servidão SANTO ANDRÉ - SP Tel.:(11) 4451 6803 / (11) 8515-8717 construtoraccs@ig.com.br vitalconstru@uol.com.br MARCELO COSTA CENSONI E OUTROS Fazenda Amazonas LEME - SP Tel.:(19) 3633-2680 / (19) 35727463 / (19) 9775-1640 MARCOS RONALDO GASPAR Rancho Tunin CONCHAS – SÃO PAULO Tel.: (15) 3283-3309 / (15) 3283-3461 MARIA TEREZA LEMOS COSTA CALIL Fazenda Paraíso FRANCA – SP Tel.: (16) 3625-6253 / (16) 3977-2700 / (16) 8155-4444 / (16) 8155-5667 mariatereza@fazendaparaiso.com.br

PARDINHO - SP Tel.:(14) 3882 2889 / (14) 9713 6841 rodcuri@lpnet.com.br PEDRO AVEDIS SEFERIAN Fazenda Danpris AVARÉ - SP Tel.: (11) 3022-9441 /(11) 3683-2666 / (11) 9932-2158 pedro@cobernit.com.br PEDRO NELSON LEMOS DE OLIVEIRA Fazenda Santa Clara TAUBATÉ - SP Tel.:(12) 3626-1138 / (12) 9113-7593 / (12) 3626-1138 girleiteiropl@hotmail.com SÉRGIO LUIZ NEVES DE OLIVEIRA ANDRADE Fazenda São Francisco PARAIBUNA - SP Tel.: (12) 3941-6156 / (12) 3974-0434 / (12) 3941-6156 / (12) 9719-5266 sergiolona@bol.com.br VALENTIM PECOLLTTO NETO Sitio Veneza CAMPINAS – SP Tel.: (19) 3231- 2499 valntimpeccolotto@terra.com.br VALÉRIA RIBAS CAMARGO Estância Guatambu ATIBAIA – SP Tel.: (11) 6221-3247 / (11) 6203-9363 fazendaguatambu@fazendaguatambu.com.br WALDIR JUNQUEIRA DE ANDRADE Fazenda Iracema LINS - SP Tel.: (14) 3522-1196 / (14) 3522-1094 / (14) 3522-2705 / (14) 9118-5362 waldirja@linsnet.br andreandrade@linsnet.br

TOCANTINS NAPOLEÃO MACHADO PRATA E FILHOS Fazenda Prata do Norte ARAGUAINA – TO Tel.: (63) 3421-4336 / (63) 3411-1159 fazendapratadonorte@hotmail.com

PERU PEDRO HUAMAN QUISPE Fazenda Cabana Canete MONTER SURCO – PERU Tel.: (51) 14-2780580

MÁRIO ROBERTO EWBANK SEIXAS Fazenda Estância Mário Roberto PATROCÍNIO PAULISTA - SP Tel.:(16) 3145-1727 / (16) 3723-1515 / Cel.: (16) 9999-9200 postomarioroberto@hotmail.com www.marioroberto.com.br MB AGRÍCOLA E PECUÁRIA LTDA Fazenda Boa Esperança da Serra MOCOCA - SP Tel.: (19) 3666-5500 / (19) 3656-2850 / (16) 9791-1090 / (16) 9775-6949 sbsantos@dglnet.com.br MILTON OKANO Sitio Nossa Senhora Aparecida ITUVERAVA – SP Tel. 16-3839-3230 / 16-8126-9584 NELSON ARIZA Sítio Monte Alegre NOVA GRANADA - SP Tel.:(17) 2136-9013 / (17) 3234-2086 / (17) 8122-2175 / (17) 8115-7651 nelsonariza@riopretopetroleo.com.br boi.assessoria@terra.com.br NOÉ ARAÚJO Fazenda Santo Antônio da Bela Vista PARAIBUNA - SP Tel.: (11) 3549-4990 / (11) 3288-5458 noearaujo@neoaraujoadoadv.com OURO FINO GENÉTICA ANIMAL LTDA. Sítio Haras Vitória BRODOWSKI - SP Tel.: (16) 3512-2109 / (16) 3664-5008 osmar.junior@ourofino.com www.ourofino.com PAULO ROBERTO CURI E RODRIGO CURI Fazenda Clarão da Serra

Revista Gir Leiteiro 2011 ||||

113


Agenda EXPOSIÇÕES Maio Exposição Regional do Gir Leiteiro de Maringá - PR (Homologada) 10 A 15/05/11 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Pará de Minas - MG (Ranqueada) 11 a 15/05/2011 1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Atibaia - SP (Homologada) 17 a 22/05/2011 3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Patos de Minas - MG – 53ª Fenamilho (Ranqueada) 06 a 12/06/2011) 5ª Exposição Especializada do Gir Leiteiro de Franca - SP - Expoagro (Ranqueada) 24 a 29/05/2011 1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Jequié - BA (Homologada) 25 a 29/5/11 2ª Exposição Estadual do Gir Leiteiro de Goiás – Goiânia - GO (Ranqueada) 1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Burutis - MG (Homologada) 30/05/11 a 05/06/11 2ª Exposição Especializada do Gir Leiteiro de Belo Horizonte - MG (Ranqueada) 01/ 05/06/2011

Junho 3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Morrinhos - GO (Ranqueada) 1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Nanuque - MG (Homologada) 08 a 13/06/11 1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Quissamã - RJ (Homologada) 08 a 12/06/11 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Mococa - SP (Ranqueada) 09 a 12/06/2011 3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Santa Helena do Goiás - GO (Ranqueada) 1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Cachoeiro de Itapemirim - ES (Homologada) 24 a 29/06/11 MegaLeite - 13ª Exposição Nacional do Gir Leiteiro de Uberaba - MG (Ranqueada) 28/06 a 05/07/2011 1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de São João da Boa Vista - SP (Homologada) 06 a 11/07/11

Julho 10ª Exposição Estadual Paulista do Gir Leiteiro de Jacareí - SP (Ranqueada) 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Bambuí - MG (Ranqueada) 3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Governador Valadares - MG (Ranqueada) 1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Pompéu - MG (Homologada) 13 a 16/07/11

114

| | | | Revista Gir Leiteiro 2011

2011

2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Araçatuba - SP (Ranqueada) 12 a 17/07/11 6ª Exposição Estadual Fluminense do Gir Leiteiro de Cordeiro - RJ (Ranqueada)

Agosto 3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Paracatu - MG (Ranqueada) 5ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Sete Lagoas - MG (Ranqueada) 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Itabira - MG (Ranqueada) 07 a 14/08/11 3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Salvador - BA (Ranqueada) 3ª Exposição Estadual do Espírito Santo da Raça Gir Leiteiro – Vitória - ES (Ranqueada) 1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Ituverava - SP (Homologada) 22 a 28/08/11 1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Juiz de Fora - MG (Homologada) 22 a 28/08/11 Ranking 2012 4ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Uberlândia - MG – Camaru (Ranqueada) 28/08/11 a 07/09/11

Setembro 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Macuco - RJ (Ranqueada) 29ª Espoabra Expoabra? – 11ª Exposição Especializada do Gir Leiteiro de Brasília - GO (Ranqueada) 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Feira de Santana - BA (Ranqueada) 3ª Exposição Especializada do Gir Leiteiro de Cachoeiras de Macacu - RJ (Ranqueada) 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Unaí - MG (Ranqueada) 3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Teófilo Otoni - MG (Ranqueada) 3ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Alagoinhas - BA (Ranqueada) 4ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Resende - RJ (Ranqueada) 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Luziânia - GO (Ranqueada)

Outubro 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de São José do Rio Preto -SP (Ranqueada) 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Barretos - SP (Ranqueada) 2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Bela Vista do Goiás - GO (Ranqueada)

Novembro 4ª Estadual Internacional do Gir Leiteiro – Feileite 2011 – São Paulo - SP (Ranqueada) 9ª Exposição Estadual Baiana do Gir Leiteiro – Fenagro 2011 – Salvador - BA (Ranqueada)


Revista Gir Leiteiro nº12 - Maio 2011  

Revista Gir Leiteiro nº12 - Maio 2011  

Profile for abcgil
Advertisement