Issuu on Google+

IMPRESSO

Jornal da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos

Janeiro de 2011 | Ano 22 | Nº 203 | abccc.com.br

ABCCC premia os melhores no Super Stakes da AGCR

Foto Felipe Ulbrich

Milonga do Trinta e Oito, com o cavaleiro Gabriel Diano, ficou em primeiro lugar na categoria Aberto Foto Douglas Saraiva

Equinolatina

Vaquejada

PÁGINA 22 Foto Marcelo Mastrobuono

Fortaleza e Tabuleiro do Norte sediam prova exclusiva da raça Crioula Páginas 26 e 27

Final do Laço ocorrerá de 13 a 16/01 Páginas 16 a 18

De volta às origens

Núcleo do Vale do Paraíba e Sul de Minas reativa prova funcional e movimenta crioulistas em Jacareí/SP Página 19


2

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Opinião

Editorial

Uma grande disputa para começar bem o ano Começamos 2011 já com a expectativa de grandes emoções. São as armadas e as laçadas do Campeonato Nacional do Laço que abrem a rodada das grandes finais do ciclo 2011 da raça Crioula. Ao todo são esperadas mais de 300 duplas no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS, entre os dias 13 e 16 de

Durante o ano, as disputas do Crioulaço

envolveram 6,5

mil participantes” janeiro. Durante o ano, as disputas do Crioulaço envolveram cerca de 6,5 mil participantes em 90 eventos e agora chegou o momento de conhecer os campeões dessa modalidade. Uma nova parceria firmada entre a ABCCC e o Canal Rural vai possibilitar àqueles que não possam ir a Esteio condições de acompanhar todas as emoções da disputa. A final será transmitida via internet pelo C2 Rural. Os internautas poderão acessar a prova através da TV ABCCC (www.abccc. com.br) ou, ainda, via C2 Rural (www.c2rural.com. br). Leia mais a respeito nas páginas 16 a 18 e 36 desta edição.

É também no mês de janeiro que começa a implantação do Planejamento Estratégico da ABCCC. O plano, que guiará as ações da entidade ao longo de todo este ano, foi desenvolvido pela diretoria da Associação e está baseado nas diretrizes apontadas pelo Comitê de Planejamento Estratégico da entidade, criado recentemente. Neste projeto está desenhada a linha de ação e as formas de conduta da Associação até 2012. A coluna dorsal desta ferramenta está alicerçada no tripé – promoção de eventos e fomento à raça, qualidade da prestação de serviços e credibilidade dos processos de avaliação. Mais detalhes podem ser conhecidos na matéria da página 4. Leia também nesta edição como foi o desempenho dos cavalos Crioulos em duas provas de Vaquejada no Nordeste brasileiro (páginas 26 e 27) e, ainda, a retomada da tradicional disputa de Equinolatina, organizada pelo Núcleo do Vale do Paraíba e Sul de Minas, em Jacareí/SP (página 19). Confira também a matéria de capa, na página 22, sobre os melhores cavalos Crioulos no Super Stakes da AGCR e a reportagem sobre a morte de Santa Elba Señuelo na página 29. Boa leitura!

Foto do criador

Este espaço é dedicado para divulgar imagens de criadores em momentos representativos de sua trajetória dentro da raça Crioula. As fotos, devidamente identificadas, devem ser enviadas para o e-mail: jornalcavalocrioulo@abccc.com.br – assunto: Foto do Criador.

Este mês a Foto do Criador foi enviada por Paola Reis, de Arroio do Sal/RS. A imagem mostra sua sobrinha Alana, que desde os 25 dias de vida já anda em um cavalo Crioulo - Gaudério do Iruí, da Cabanha Quatro P. O animal, com 16 anos de idade, já ensinou Paola a montar e agora carrega a pequena Alana

Índice

Frase da edição

Ele morreu como um verdadeiro chefe de cabanha, imponente, em frente à porta da fazenda.” João Manoel Cordeiro Costa, ao comentar sobre a morte de Santa Elba Señuelo, página 29

Opinião

2

Por dentro da ABCCC

4

Freio de Ouro

8

Morfologia

14

Eventos

16

Entrevista

20

Eventos

22

Geral

28

Gente

38

Sugestões de matérias a serem abordadas e comentários a respeito do Jornal Cavalo Crioulo podem ser enviados para o e-mail: jornalcavalocrioulo@abccc.com.br

Expediente

O Jornal Cavalo Crioulo é a publicação oficial da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), produzido pelo setor de Comunicação e Marketing da Associação. Tem periodicidade mensal e tiragem de quatro mil exemplares. Correspondências para o Jornal devem ser encaminhadas para o e-mail jornalcavalocrioulo@abccc.com.br ou remetidas à ABCCC, avenida Fernando Osório, 1.754-A, CEP 96055-000, Caixa Postal 571, Pelotas/RS. O fechamento de cada edição ocorre no último dia do mês. DIRETORIA ABCCC 2010/2012 Presidente: Manuel Luís Benevenga Sarmento

Vice-presidentes: Frederico Wolf, Alfredo Lisboa Ribeiro Tellechea, Mauro Raimundi Ferreira e Mário Móglia Suñe Primeiro-secretário: Elisabeth Amaral Lemos Segundo-secretário: Luis Augusto Weber Primeiro-tesoureiro: César Augusto Rabassa Hax Segundo-tesoureiro: Milton Martins Moraes Filho Conselho Fiscal: Daniel Anzanello, Eduardo Macedo Linhares, Luiz Antônio Martins Bastos Suplentes do Conselho Fiscal: Antônio Augusto Marques de Fernandes, Fernando Fabrício de Faria Corrêa Presidente Conselho Deliberativo Técnico: Ricardo Vieira Borges Membros: Antonio Carlos Albuquerque Py, Francisco Kessler Fleck, Luiz Martins Bastos Neto, Ciro Manoel Canto de Freitas, Eduardo Móglia Suñe, Luiz Alberto Martins Bastos Diretor de Marcha Resistência: Paulo Gomes Móglia Diretoria de Provas Funcionais

Membros: Cássio Souza Bonotto, Francisco Carlos Habowsky, José Francisco Pereira de Moura, Lauro Varela Martins, Leandro Amaral, Luis Rodolfo da Costa Machado Jornalista responsável: Débora Borba (MTB/RS 11.619) Textos: Créditos nas matérias Fotos: Créditos nas imagens Projeto Gráfico: Thiago Garcia Rocha – thiagorochadg@gmail.com Diagramação: Tadeo Pérez Davyt e Thiago Garcia Rocha Revisão: Rose Pedroni Weege Impressão: Grupo Editorial Sinos AS, Novo Hamburgo/RS Publicidade: anuncios@abccc.com.br ou através do telefone (53) 3223-2122. Envio de arte sempre até o dia 25 de cada mês. Atenção anunciante: A ABCCC não se responsabiliza pelas informações prestadas nas páginas de publicidade, bem como pelas fotos cedidas para a publicação. Elas são de inteira responsabilidade dos anunciantes.


4

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Por dentro da ABCCC

Rumo ao planejamento Em sintonia com as premissas da Associação “preservar e difundir a raça”, a ABCCC se projeta para 2011 embasada em um plano estratégico de gestão. O projeto foi desenvolvido pela diretoria junto com o comitê estratégico e norteará as ações da instituição neste ano.

O projeto irá alicerçar a gestão do sistema em um trinômio, que tem como bases a atuação da ABCCC como promotora e fomentadora da raça e de seu calendário de eventos, a qualidade da prestação de serviços e a credibilidade das ações de avaliação. Segundo Tellechea, o processo foi iniciado na gestão passada com a criação de uma Comissão Estra-

Atenção na hora de declarar padreações No final de novembro o Setor de Registro Genealógico da ABCCC emitiu aos criadores a “Declaração Individual de Padreação”. O documento, como o próprio nome diz,

tégica, composta pelos ex-presidentes Roberto Davis, Henrique José Queiróz Marim Teixeira e Paulo Gomes Móglia, além de Sandoval Caramori e Afonso Motta. “Este comitê alinha as diretrizes a serem seguidas, visando ao crescimento da instituição na prestação de serviços e na consolidação da raça em todo o Brasil”, explica Tellechea. A consolidação dos serviços referentes à raça está sendo construída há anos, utilizando como ferramenta principalmente o grande respeito atribuído aos regulamentos da instituição. “A revisão periódica das regras continuará a ter uma importância ímpar para a nossa política, junta-

mente com o corpo funcional, que também passa por um processo de aperfeiçoamento para melhor atender nossos públicos”, aponta o vice-presidente. O planejamento tem como meta ampliar o número de criadores, registros e expandir a criação de cavalos Crioulos fora da região Sul do Brasil, bem como ampliar a participação da raça em feiras, congressos e seminários. O aperfeiçoamento da gestão dos eventos da ABCCC e o investimento nos serviços prestados também estão contemplados no programa. “A credibilidade e o aperfeiçoamento da Associação são fundamentais para a raça alcançar sua sustentabilidade”, completa.

visa certificar o nome do pai do futuro potro. O formulário deve ser preenchido e assinado pelo proprietário do garanhão sempre que este ceder ou vender serviços do seu reprodutor para éguas de outra propriedade ou quando vender a égua prenhe. O envio desta declaração à ABCCC é de responsabilidade do proprietário da égua prenhe, que deverá anexar o formulário no comunicado de padreação. Para enviar mais de uma De-

claração Individual de Padreação o proprietário poderá fazer cópias ou ainda, imprimir do site da ABCCC. Na web o documento pode ser acessado pelo menu - Setor de Registro/Formulário da ABCCC.

Erro Na Declaração emitida via Correios há um erro. Abaixo das palavras “Reprodutor” e posteriormente “RP”, onde diz “Proprietário” leia-se “Nome da égua”.

Tabela de emolumentos e encargos (1) A - Serviço de Registro Genealógico

Não Sócio

Sócio (2)

Registro Definitivo Fêmea Macho Castrado

R$ 216,00 R$ 324,00 R$ 80,00

R$ 108,00 R$ 162,00 R$ 40,00

Transferência comercial Transferência especial (4)

R$ 162,00 R$ 54,00

R$ 81,00 R$ 27,00

Importação temporária Nacionalização animal importado (5)

R$ 216,00 R$ 3.634,00

R$ 108,00 R$ 1.817,00

Registro de afixo

R$ 216,00

R$ 108,00

Comunicado de padreação atrasado Segunda via de certificado definitivo Segunda via de certificado provisório Declaração para fins de seguro Substituição de certificado Reativação de registro cancelado Registro de mérito (11) Visita técnica (6) valor sugestão para visita técnica

R$ 54,00 R$ 216,00 R$ 108,00 R$ 54,00 R$ 108,00 R$ 534,00 Sem Custo R$ 510,00

R$ 27,00 R$ 108,00 R$ 54,00 R$ 27,00 R$ 54,00 R$ 267,00 Sem Custo R$ 510,00

Registro Provisório até 9 meses do nascimento (3) Registro Provisório de 9 meses a 1 ano do nascimento Registro Provisório de 1 a 1,5 anos do nascimento Registro Provisório de 1,5 a 2 anos do nascimento Registro Provisório de 2 a 2,5 anos do nascimento Registro Provisório de 2,5 a 3 anos do nascimento Registro Provisório de 3 a 3,5 anos do nascimento Registro Provisório de 3,5 a 4 anos do nascimento

B - Encargos Associativos Jóia de Admissão (10) Anuidade 2010 (7) (8) (9) Remissão

R$ 54,00 R$ 108,00 R$ 216,00 R$ 432,00 R$ 864,00 R$ 1.728,00 R$ 3.564,00 R$ 7.128,00

R$ 27,00 R$ 54,00 R$ 108,00 R$ 216,00 R$ 432,00 R$ 864,00 R$ 1.782,00 R$ 3.564,00

R$ 710,00 R$ 710,00 R$ 35.500,00

Papo Técnico

Rouget Gigena Wrege – Médico Veterinário – CMRV/RS 08345

Técnicas e sistemas de reprodução equina - (Parte 2) A monta dirigida com controle de folículo pode ser administrada de acordo com o número de visitas do veterinário destinadas a este sistema, cabendo a este organizar e orientar o sistema de acordo com sua possibilidade de atenção às condições do garanhão e número de éguas a ser servidas. Nes-

O método requer mão de obra especializada e materiais específicos”

tes casos, o veterinário deverá manter um controle das éguas por meio de palpação retal e ou ultrassonografia, orientando assim o momento adequado em que a égua deve ser exposta ao garanhão, otimizando e racionalizando o uso deste. Obviamente, quanto maior a atenção destinada a uma temporada reprodutiva, tanto por parte de proprietários quanto funcionários e veterinários, em um sistema de monta controlada, mais potencializado será o uso do garanhão e melhores serão os resultados desta temporada. No entanto, existem alguns fatores neste processo que não podem ser esquecidos e descuidados. É de fundamental importância uma boa condição de instalações de mangueiras, bretes ou troncos bem-feitos, piquetes e potreiros adequados. Nestes sistemas de monta controlada também aconselha-se que as éguas sempre sejam expostas ao garanhão devidamente maneadas e contidas, minimizando assim o risco de acidentes. Outro fator que deve ser observado, nestes casos, é o excesso de concentração das éguas, ou seja, evitar na medida do possível ter estas éguas muito tempo encerradas. O sistema de Inseminação Artificial com sêmen fresco (permitido pela ABCCC somente em casos específicos e com a devida autorização), sem dúvida, é o que possibilita a maior otimização do uso do garanhão, no entanto, é um processo com um

custo de aplicação. O método requer uma mão de obra especializada, materiais específicos e um controle bem próximo por parte do médico veterinário visto que além dos cuidados normais já citados é fundamental a higiene para evitar contaminações tanto na coleta como na inseminação, bem como a devida atenção na manipulação do sêmen e um cuidado muito especial para não causar qualquer tipo de trauma ao garanhão no momento da coleta de sêmen. Até o momento, falamos nas possibilidades de maximizar ou não o uso de um determinado garanhão, no entanto, não podemos esquecer que a fêmea é também parte fundamental no processo de produção e podemos da mesma forma maximizar o uso desta (mediante a devida autorização por parte da ABCCC e com receptoras crioulas registradas), pela técnica de transferência de embriões. Este processo, se comparado com os procedimentos usados para maximizar o uso dos garanhões, tem um custo mais elevado, pois requer uma mão de obra especializada e um controle de folículo bem apurado por parte do veterinário responsável, visando uma sincronização da ovulação entre a doadora (mãe biológica do produto) e receptora (égua que vai gestar o produto), com o intuito de que estas estejam no mesmo estágio hormonal no momento da transferência. Cabe também salientar que o processo de transferência propriamente dito deve ser conduzido com todo o cuidado, higiene e materiais estéreis. De outra forma pode acarretar em algum tipo de lesão ou contaminação em doadora ou receptora destinadas ao processo. Concluindo, toda e qualquer técnica reprodutiva implantada, deve ser bem-feita, caso contrário, melhor não fazer. Sempre que pensarmos em aplicar algum sistema reprodutivo temos que revisar bem as variáveis para podermos nos adequar a elas. É fundamental, para um sistema bem-sucedido, conhecer garanhão, éguas, funcionários, saber o número de éguas a serem servidas, instalações, condições de alimentação dos animais, tempo de que dispomos etc.

Legenda

(1) Vigência a partir de 05 de janeiro de 2011, (2) De acordo com a letra “g”do Art. 25 dos Estatutos, (3) Conforme Resolução 01/95 do CDT/ABCCC após 9 meses o valor é cobrado em dobro, (4) Sucessão, mudança razão social (dissolução de condomínio) pai/filho ou entre cônjuges, (5) Conforme Portaria nº 5, de 13/01/93 da DDA/M.A., (6) Valor sugerido devido e pago diretamente ao profissional credenciado, (7) Sócio Aspirante paga 50%, conforme Art. 21 dos Estatutos, (8) Novo Sócio: proporcional ao mês de admissão, (9) Valor corrigido monetariamente, (10) Cobrança suspensa até segunda ordem, (11) Cobrança suspensa, conforme decisão da diretoria em 03/12/2001

Dúvidas? Envie sua pergunta para

jornalcavalocrioulo@abccc.com.br


6

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Por dentro da ABCCC

ABCCC tem dois novos técnicos Cláudio Neto de Azevedo e Felipe Caccia Maciel receberam no dia 21/12 a marca da ABCCC. O instrumento, que servirá para confirmar animais puros de pedigree, foi entregue pelo superintendente do Registro Genealógico da Associação, Gilberto Loureiro de Souza, e simboliza o ingresso dos profissionais no quadro de técnicos autônomos credenciados da ABCCC. Com Azevedo e Maciel passa para 19 o número de técnicos que prestam serviços à ABCCC.

Para fazer parte do corpo técnico os dois tiveram que enfrentar um processo seletivo que envolveu a participação de 109 inscritos. A seleção pública teve início em junho e compreendeu análise curricular, prova escrita, prova prática e entrevista. Antes de assumir a função eles ainda tiveram que cumprir um roteiro junto aos demais técnicos da casa, com dez visitas técnicas a diferentes propriedades, quatro concentrações, duas Credenciadoras ao Freio de Ouro, duas Exposições Morfológicas, dois Crioulaços e duas Paleteadas.

Saiba quem são os novos técnicos

Cláudio Neto de Azevedo – 35 anos, mora em Pelotas/RS. É médico veterinário, formado pela Universidade da Região da Campanha (Urcamp), Bagé/RS, em 2000. Nos primeiros seis anos de

Disponível acesso ao Livro de Marcas Está disponível para consulta on-line o Livro de Marcas dos criadores registrados na Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). O livro, em formato PDF, pode ser acessado no site da Associação na internet, no menu Setor de Registro. Constituído de cerca de 7.500 marcas Crioulas, o livro recebeu a sua última atualização pouco antes da Expointer 2010. Além da marca, o livro informa ainda os nomes do proprietário e da respectiva cabanha, da cidade de origem e o afixo.

Foto Débora Borba

Profissionais receberam a marca da raça das mãos de Gilberto Loureiro de Souza

profissão atuou no Mato Grosso com clínica e reprodução de animais. Também trabalhou na supervisão de uma empresa de nutrição. Há cinco anos voltou para o Rio Grande do Sul onde, até assumir a função junto à ABCCC, também atuava na supervisão técnica e comercial de uma empresa de nutrição. Felipe Caccia Maciel – 26 anos, mora em Porto Alegre/ RS. É médico veterinário, formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), na capital gaúcha, em 2008. Um ano depois de formado Maciel foi para os Estados Unidos onde trabalhou com clínica e reprodução de equinos. Atualmente faz mestrado na área de melhoramento genético sobre a raça Crioula.

Busca pela qualidade

Em paralelo ao crescimento e expansão da raça, tanto em número de animais registrados quanto

de criadores, novas demandas e necessidades surgem e estabelecem parâmetros mais elevados na atuação das frentes de trabalho. E é justamente na busca da qualificação permanente do serviço oferecido ao criador, que a ABCCC atua para desenvolver mecanismos capazes de aprimorar, cada vez mais, o corpo técnico da entidade. Em conformidade com o crescente nível de exigência dos criadores, a nova gestão da entidade concentra esforços no alinhamento de critérios junto aos profissionais à frente da raça Crioula. Entre as ferramentas utilizadas para uniformizar conceitos está a recente realização de concurso seletivo com a contratação de empresa especializada, os encontros com treinamento e reciclagem, além de palestras motivacionais para os profissionais já credenciados. Entre os quais se destaca o encontro que ocorreu de 11 a 13 de outubro de 2010, em Bagé/RS. Lá os técnicos puderam trocar ideias e discu-

Inscrições abertas para o 2º Congresso da Raça Depois de reunir cerca de 800 pessoas, entre veterinários, estudantes, criadores, treinadores e profissionais da área, o Congresso da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos chega a sua 2ª edição. O evento ocorrerá entre os dias 18 e 20 de março de 2011, no município gaúcho de Gramado, promovido em parceria por Associação Brasileira dos Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) e Associação Brasileira dos Médicos Veterinários de Equídeos (Abraveq). As inscrições para o Congresso, que será realizado no Serrano Convenções Resort e Spa, estão abertas no valor promocional de R$ 150,00 até o dia 20 de fevereiro e podem ser feitas no site Abraveq, na seção Eventos (http://www. abraveq.com.br).

Durante o encontro serão discutidos temas como a realidade econômica atual do cavalo Crioulo e sua inserção no mercado estrangeiro, bem como treinamento, doma e presença do Crioulo em diversas modalidades. Além disso, ocorrerão palestras e debates sobre os desafios e os rumos da raça e palestras técnicas. Simultaneamente ao Congresso da ABCCC, será realizado o 2º Simpósio Abraveq Sul, que tratará de temas específicos da área, como Reprodução e Clínica e Cirurgia, com o público de interesse. A iniciativa pretende mobilizar os crioulistas da mesma forma que em sua primeira edição, onde houve interação entre representantes de diversos países e ampliou o reconhecimento do cavalo Crioulo. (Yéssica Lopes)

tir temas com representantes do Conselho Delibertivo Técnico, a diretoria, a presidência da Associação e uma psicóloga. Para este ano o planejamento ainda prevê a realização de dois Dias de Campo para os profissionais e a conclusão de uma pesquisa de satisfação junto aos criadores sobre a atuação desses técnicos. O estudo compreende a aplicação de cerca de 200 entrevistas com criadores de diversas regiões do país e é desenvolvido por um funcionário da ABCCC. A ABCCC também dispõe, na configuração da nova diretoria, de um vice-presidente e de uma gerência técnica. A da novidade da atual gestão visa garantir a manutenção dos padrões de excelência da raça, a evolução conjunta de ideias e a satisfação no atendimento e serviços prestados, pelos profissionais aos criadores, além de manter a credibilidade do sistema de avaliação dos eventos. O atual corpo técnico conta com 19 profissionais autônomos credenciados. Eles são os representantes da ABCCC nos eventos ou na propriedade do criador – o porta-voz direto da Associação. Confira quem são e se necessário, agende uma visita. Adolfo José Martins Neto (Balneário Camboriú/SC, contatos: (47) 9981-2018 e adolfomartinsnetto@terra.com.br) Alexandre Pons Suñe (Bagé/RS, contatos: (53) 9963-4648 e asune@uol.com. br) Christina Bandeira de Mello (Alegrete/ RS, contatos: (55) 9977-0771 e ccanto-

freitas@hotmail.com) Claudio Neto de Azevedo (Pelotas/RS, contatos: (53) 9957-2929 e netodeazevedo@hotmail.com) Fernando A. Drummond Mello (Pelotas/RS, contatos: (53) 9981-1870 e fernando.drummond@hotmail.com) Gilberto Domingues Rieth (São Gabriel/RS, contatos: (55) 3232-1601 / (55) 9945-8897 e gilbertorieth@gmail.com) Heitor Cheuiche Coelho (Brasília/DF, contatos: (61) 3468 8003 - (61) 92120859 e heitorcoelho@brturbo.com.br) Jorge Aginelo do Nascimento (Ibirubá/ RS, contatos: (54) 9115-2940 e marcaonze@hotmail.com) Luiz Francisco Quadros Leite (Lavras do Sul/RS, contatos: (53) 9972-3625) Marcelo Montano Coelho (Viamão/RS, contatos: (51) 9982-4743 e setembrina@terra.com.br) Marcos Gomes Antunes (Castro/PR, contatos: (42) 3232-1128 e 8816-8721 e dudaantunes@oi.com.br) Olmiro Andrade Filho (São Sepé/RS, contatos: (55) 3233-1757 e 9971-5211 e olmiroa@terra.com.br) Paulo Armando Rebello Solheid (Uruguaiana/RS, contatos: (55) 3412-2280 e 9973-1015 e dongars@brturbo.com.br) Rafael Fagundes Sant‘Anna (Campo Grande/MS, (67) 9961-8411e rafaelfsantanna@hotmail.com) Ricardo Guazzelli Martins (Vacaria/RS, contatos:(54) 3231-2340 e 9113-9906 e rgm2@brturbo.com.br) Rodrigo Albuquerque Py (Barra do Ribeiro/RS, contatos: (51) 3482-1141 e 9995-9658 e rodrigo-py@hotmail.com) Rodrigo Rodrigues Teixeira (Santa Vitória do Palmar/RS, contatos: (53) 99620713 e 9115-9047 e cabanhaharmonia@yahoo.com.br) Romeu Koch (Colinas do Tocantins/TO, contatos: (63) 8406-3995 - (63) 99947707 e romeukoch@yahoo.com.br)

Galeria de Novos Associados Alessandro Viana de Freitas – Curitiba/PR Antonino Almeida Filho - Cachoeira do Sul/RS Cláudio Neto de Azevedo – Pelotas/ RS Dário Caldas Serpa – Guarapuava/ PR Emanuelle Rieper – Curitiba/PR Ernesto Solon Cadore Pradebon - Itaquí/RS Everton da Silva Recus – Gravataí/ RS Fabrício José Camargo - Porto Belo/ SC Gonzalo Rafael Pintos – Osório/RS Ivair Bolivel da Silva – Açailândia/ MA Jean Carlos Capelli – Galvão/SC João Alberto Woltmann - Santa Maria/RS Joaquim José Barcelos Felizardo Júnior - Porto Alegre/RS José Raul Azambuja Di Primio – Jaguarão/RS Karla Médici Saraiva – Bagé/RS Luciano Pinto Loguercio e Filhos

– Pelotas/RS Luiz Alberto Sastre Bender - Dom Pedrito/RS Marcelo Farias da Silva – Itaboraí/ RJ Nelson e Luciana Saab – Pelotas/RS Neuro Stefanello Mário da Rosa Nova Palma/RS Paulo, Jorge e Cândido Nunes – Taquari/RS Ricardo Raugust Machado - São Paulo/SP Roberto Dal Vesco – Duartina/SP Rodrigo Bonemann Silveira – Pelotas/RS Rosana Weigert Saldanha e Filhos – Curitiba/PR Samuel Driemeir – Teutônia/RS Sérgio Augusto Amaral - Frederico Westphalen/RS Sílvio L. de Lima e Thalita G. de Lima – Pelotas/RS Thiago dos Reis Wallau - Cruz Alta/ RS Vanderlei Mônaco da Silva - Novo Hamburgo/RS Wilson Colombelli - Porto Alegre/RS


Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Por dentro da ABCCC

Calendário de Eventos Janeiro 12 - Concentração - Cidade: Quarai/RS Apoio: Núcleo Quaraiense de Criadores de Cavalos Crioulos - Responsável: Claudino Farias Murillo Júnior - Fone: (55) 3423-1012/9984-1345/9964-5163 13 a 16 - Final Nacional do Tiro de Laço - Cidade: Esteio/RS - Apoio: Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos - Responsável: Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos - Fone: (53) 3223-2122/3223-4774 14 a 16 - Movimiento La Rienda, Paleteada Argentina, Paleteada, Provas Jovens - Cidade: Bagé/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Bagé Responsável: Roberta Móglia – Fone: (53) 9948-4404 18 - Palestra Técnica, Dia de Campo - Cidade: São Lourenço do Sul/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de São Lourenço - Responsável: João Alberto Cunha da Rocha Filho - Fone: (53) 3227-7980/3251-1608/9107-0555 21 a 23 - Provas Jovens, Credenciadora - Cidade: Camaquã/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos José Júlio Coutinho - Responsável: Luiz Mário Azambuja - Fone: (51) 3692-3173/ 99840682/ 9984-0606 21 a 23 - Credenciadora, Provas Jovens - Cidade: Lavras do Sul/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Lavras do Sul - Responsável: Gustavo Loureiro de Souza Delabary – Fone: (55) 9646-8550 22 - Dia de Campo - Cidade: Santiago/ RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Santiago/RS - Responsável: Cristiano Weber da Silva - Fone: (55) 3251-1863/(51) 9817-0999 23 - Paleteada - Cidade: Camaquã/RS Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos José Júlio Coutinho - Responsável: Luiz Mário Azambuja - Fone: (51) 3692 3173/9984-0682/9984-0606 23 - Dia de Campo - Cidade: Santiago/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Santiago - Responsável: Cristiano Weber da Silva - Fone: (55) 32511863/(51) 9817-0999 27 a 29 - Provas Jovens, Credenciadora - Cidade: Santa Vitoria do Palmar/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Pedro Arício Souza - Responsável: Rafael Rodrigues Machado - Fone: (53) 3263 1932 27 a 30 - Concentração, Provas Jovens, Morfologia, Credenciadora de Inéditos - Cidade: Canela/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da Encosta da Serra - Responsável: Antônio Flávio da Costa - Fone: (51) 3565-2414/35652701/9159-7258/ 3565-2701 29 - Paleteada - Cidade: Uruguaiana/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Flávio Bastos Tellechea - Responsável: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Flávio Bastos Tellechea - Fone: (55) 3413-3567/ 3412-4259/9935-4224 29 - Prova de 21 Dias, Palestra Técnica, Resenha Coletiva - Cidade: Ponta Grossa/ PR - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Caminho das Tropas - Responsável: Igor de Miranda Ribas – Fone: (42) 8805-1332 29 a 30 - Prova de 21 Dias, Paleteada, Tiro de Laco - Cidade: Capão do Leão/ RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Pedro Osório - Responsável: Paulo Antônio Petersen Ve-

lho - Fone: (53) 3255-2187/9128-1821

Fevereiro 4 - Tiro de Laço - Cidade: Júlio de Castilhos/RS - Apoio: Núcleo Criadores de Cavalos Crioulos de Júlio de Castilhos - Responsável: Thiago Mascarenhas Jobim Van Hoogstraten - Fone(s): (55) 9973-6728 | Galeno Puente de Barros Filho - Fone(s): (55) 3271-8122/(55) 3271-1068/(55) 9978- 9043 4 a 6 - Evento: Tiro de Laço - Cidade: Lavras do Sul/RS - Apoio: Núcleo Criadores Cavalos Crioulos Lavras do Sul - Responsável: Ramiro Teixeira: (55) 3282-1256 Ou 9997-5049 4 a 6 - Evento: Campereada, Paleteada, Prova de 21 Dias, Palestra Técnica - Cidade: Pelotas/RS - Apoio: Núcleo Sudeste de Criadores de Cavalos Crioulos - Responsável: Núcleo Sudeste de Criadores de Cavalos Crioulos - Fone(s): (53) 3273-3414 / 3223-4433 / 3273-3414 / 9981-2383 5 a 6 - Enduro - Cidade: Dom Pedrito/ RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Dom Pedrito - Responsável: Marco Antonio Gomes e Filipe Fialho Gomes - Fone: (53) 3243 3622/3243-1273/9975-5341 5 a 6 - Tiro de Laço - Cidade: Lavras do Sul/ RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Lavras do Sul - Responsável: Muça Esquirio El Hatal - Fone: (53) 3247-7070/3247-7070/(55) 9972-4871 6 - Prova de 21 Dias - Cidade: Dom Pedrito/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Dom Pedrito - Responsável: Marco Antonio Gomes e Filipe Fialho Gomes - Fone: (53) 32433622/3243 -1273/9975-5341 10 - Campereada, Tiro de Laço, Concentração - Cidade: Passo Fundo/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos José Ronald Bertagnolli - Responsável: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos José Ronald Bertagnolli - Fone: (54) 33111191/3313-2287/9104-2179/9971-3228 11 a 13 - Prova de 21 Dias, Prova de 1 Ano de Doma, Concentração, Tiro de Laco, Campereada, Paleteada, Provas Jovens Cidade: São Borja/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de São Borja - Responsável: Rita Dorneles - Fones: (55) 3431-5195 11 a 13 - Concentração, Morfologia, Credenciadora Inéditos, Paleteada - Cidade: Herval do Sul/RS - Apoio: Núcleo Sudeste de Criadores de Cavalos Crioulos - Responsável: Gisliane Puccineli - Fones: (53) 3267-1256 11 - Concentração, Tiro de Laço - Cidade: Gramado/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da Encosta da Serra Responsável: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da Encosta da Serra - Fone: (51) 3504-2979/9157-4121 18 - Concentração - Cidade: Igrejinha/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da Encosta da Serra - Responsável: (51) 9741-3499 / 9315-6412/ 9988 3310 19 a 20 - Movimiento La Rienda, Rédeas - Cidade: Rosário do Sul/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Rosário do Sul - Responsável: Miguel Angelo Prates Schossler - Fone: (55) 32312006/3231-1233/3231-1233/9974-4932

20 - Campereada - Cidade: Palmeira das Missões/RS - Apoio: Núcleo Palmeirense de Criadores de Cavalos Crioulos - Responsável: Luíz Carlos Ardenghy Sobrinho e Filhos - Fone: (55) 3742-2265/37423089/3742-2265/9964-1122/9657-3823 24 a 27 - Provas Jovens, Morfologia - Cidade: Guarapuava/PR - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Guarapuava - Responsável: Dario Caldas Serpa - Fone: (42) 3624-7275/3622-8563/9916-8217 25 a 27 - Copa do Proprietário - Cidade: Ponta Grossa/PR - Apoio: Núcleo Caminho Das Tropas C.p.c.crioulos - Responsável: Núcleo Caminho Das Tropas de Criadores e Proprietários de Cavalos Crioulos - Fone: (42) 3232-2893/8805-1332 25 a 27 - Credenciadora de Inéditos, Provas Jovens - Cidade: São Lourenço do Sul/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de São Lourenço - Responsável: João Alberto Cunha da Rocha - Fone: (53) 3251-1198/3251-1608/99593638/9971-2607/3503-2526 26 - Tiro de Laço - Cidade: Santa Maria/ RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Santa Maria - Responsável: 27 - Dia de Campo - Cidade: Palmeira das Missões/RS - Apoio: Núcleo Palmeirense de Criadores de Cavalos Crioulos - Responsável: Luíz Carlos Ardenghy Sobrinho e Filhos - Fone: (55) 3742-2265/37423089/3742-2265/ 9964-1122/9657-3823 27 - Campereada - Cidade: São Lourenço do Sul/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de São Lourenço - Responsável: João Alberto Cunha da Rocha - Fone: (53) 3251-1198/3251-1608/99593638/9971-2607/3503-2526

Março 1 - Resenha Coletiva - Cidade: Vacaria/ RS - Apoio: Núcleo Serrano de Criadores de Cavalos Crioulos - Responsável: Fábio Muricy Camargo - Fone: (54) 9974-8324 5 a 6 - Dia de Campo - Cidade: Santo Ângelo/RS - Apoio: Núcleo Missioneiro de Criadores de Cavalos Crioulos - Respons��vel: Pedro Paulo Bottom Moro - Fone: (55) 3312-5370/9961-2615 5 - Resenha Coletiva - Cidade: Carazinho/ RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Carazinho - Responsável: Bruno Berwig Tombini - Fone: (54) 33302206/3331-3522/3330-2206/9933-0837 5 - Dia de Campo - Cidade: Arroio Grande/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Arroio Grande - Responsável: Marcelo Silveira da Silveira - Fone: (53) 3262-1272/3262-2885/9975-0015 5 a 8 – Concentração, Tiro de Laço, Campereada, Provas Jovens, Credenciadora, Paleteada, Morfologia - Cidade: Caxias do Sul/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos dos Vinhedos - Responsável: Valdecir Souza de Lima - Fone: (54) 3214-6277/3222-4747/3025-6951/99727707 6 - Resenha Coletiva - Cidade: Pedras Altas/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Pedras Altas - Responsável: Carlos Santos Silveira de Ávila - Fone: (53) 3261-1580/3261-4326/99761168/9976-1168

19 - Prova de 21 Dias, Tiro de Laço, Concentração, Morfologia - Cidade: Ponta Grossa/PR - Apoio: Núcleo Caminho das Tropas de Criadores e Proprietários de Cavalos Crioulos – Responsável: Igor de Miranda Ribas – Fone: (42) 8805-1332

9 - Concentração, Paleteada, Credenciadora, Provas Jovens, Morfologia, Prova de 1 Ano de Doma, Prova de 21 Dias Cidade: Alegrete/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Alegrete - Responsável: Ciro Manoel Canto de Freitas - Fone: (55) 3422-4236/3422823/9974-2024/9626-8729

19 - Tiro de Laço - Cidade: Igrejinha/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da Encosta da Serra - Responsável: Ângelo – Fone: (51) 9741-3499

11 a 13 - Paleteada, Provas Jovens, Credenciadora Inéditos, Morfologia - Cidade: Arroio Grande/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Criou-

los de Arroio Grande - Responsável: Marcelo Silveira da Silveira - Fone: (53) 3262-1272/3262-2885/9975-0015 11 a 13 - Credenciadora - Cidade: Ponta Grossa/PR - Apoio: Núcleo Caminho das Tropas de Criadores e Proprietários de Cavalos Crioulos - Responsável: Núcleo Caminho das Tropas de Criadores e Proprietários de Cavalos Crioulos - Fone: (42) 3232-2893/8805-1332 11 a 13 - Provas Jovens, Credenciadora Cidade: Nonoai/RS - Apoio: Núcleo Alto Uruguai de Criadores de Cavalos Crioulos - Responsável: Fábio Vaccaro - Fone: (54) 3522-3813/3522-2267/9982-2988 / 91922111 / 9609-2664 12 - Palestra Técnica - Cidade: Cruz Alta/ RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Cruz Alta - Responsável: Jorge Alberto Machado da Costa - Fone: (55) 3322-1460 12 - Dia de Campo, Resenha Coletiva Cidade: Rio Pardo/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Rio Pardo - Responsável: Dilon Gustavo da Silva - Fone: (51) 3731-2111 12 - Palestra Técnica - Cidade: Soledade/ RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Soledade - Responsável: Josiano Garcia – Fone: (54) 8118-2820 12 - Dia de Campo - Cidade: Piratini/ RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Piratini - Responsável: Frutuoso Luiz de Araújo - Fone: (53) 9948-2800/9975-4150 18 a 20 – Credenciadora de Inéditos - Cidade: Uruguaiana/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Flávio Bastos Tellechea - Responsável: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Flávio Bastos Tellechea - Fone: (55) 3413-3567/3412-4259/9935-4224 18 a 20 - Credenciadora - Cidade: Jaguarão/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Jaguarão - Responsável: Rodrigo Gonçalves e Carlos Gonçalves Neto - Fone: (53) 3261-2134/32611703/3261-2134/9818-4649 18 a 20 - Palestra Técnica, Resenha Coletiva, Paleteada, Campereada - Cidade: Rio Grande/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Rio Grande - Responsável: Manoel Vanderlei Braz Gonçalves - Fone: (53) 3230-1317/32302154/9971-1415/9931-1415 18 a 20 - Tiro de Laço, Concentração - Cidade: Ponta Grossa/PR - Apoio: Núcleo Caminho das Tropas de Criadores e Proprietários de Cavalos Crioulos - Responsável: Núcleo Caminho das Tropas de Criadores e Proprietários de Cavalos Crioulos - Fone: (42) 3232-2893/8805-1332 18 - Concentração - Cidade: Lajeado/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos dos Vales Taquari e Rio Pardo Responsável: Roberto Müller - Fone: (51) 3710-2714/9933-1113/9996-5354 18 - Dia de Campo - Cidade: Eldorado do Sul/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da Região Carbonífera - Responsável: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da Região Carbonífera Fone: (51) 9282-1977 19 - Resenha Coletiva, Palestra Técnica Cidade: Cruz Alta/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Cruz Alta - Responsável: Jorge Alberto Machado da Costa - Fone: (55) 3322-1460 19 - Dia de Campo - Cidade: Santa Rosa/ RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos do Noroeste Gaúcho - Responsável: Orlando - Diretor de Eventos – Fone: (55) 9977-7337 19 - Morfologia - Cidade: Lajeado/RS Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos doa Vales Taquari e Rio Pardo Responsável: Roberto Müller - Fone: (51) 3710-2714/9933-1113/9996-5354

7

19 - Evento: Resenha Coletiva - Cidade: Esteio/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da 6ª Região - Responsável: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da 6ª Região - Fone(s): (51) 3458-2666 / 3252-2065 / 9982-3249 / 3232-2065 20 - Dia de Campo - Cidade: Santa Maria/ RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Santa Maria - Responsável: 20 - Tiro de Laço - Cidade: Lajeado/RS Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos dos Vales do Taquari e Rio Pardo - Responsável: Roberto Müller - Fone: (51) 3710-2714/9933-1113/9996-5354 23 - Morfologia Passaporte - Cidade: Pelotas/RS - Apoio: Núcleo Sudeste de Criadores de Cavalos Crioulos - Responsável: Rouget Wrege – Fone: (53)8117-9146 24 a 26 - Morfologia, Credenciadora de Inéditos - Cidade: Balsa Nova/PR - Apoio: Associação Paranaense de Criadores de Cavalos Crioulos - Responsável: Mariano Lemanski - Fone: (41) 3264-6292/32643314/3254-1237/9973-9187/9232-0667 24 a 25 - Concentração, Morfologia - Cidade: Esteio/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da 6ª Região - Responsável: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da 6ª Região - Fone: (51) 3458-2666/3252-2065/9982-3249/32322065 25 - Concentração, Concentração para Marcha - Cidade: Jaguarão/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Jaguarão - Responsável: Rodrigo Gonçalves - Fone: (53) 3261-2134/ 3261-1703/ 3261-2134/ 9818-4649 25 a 27 - Concentração, Paleteada, Provas Jovens, Credenciadora - Cidade: Santana do Livramento/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Livramento - Responsável: Elton José Barreto Enick - Fone: (55) 9961-1179/8124-0000 25 a 26 - Palestra Técnica - Cidade: Santa Maria/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Santa Maria - Responsável: 25 a 27 - Provas Jovens, Credenciadora de Inéditos, Credenciadora - Cidade: Pelotas/RS - Apoio: Núcleo Sudeste de Criadores de Cavalos Crioulos - Responsável: Rouget Wrege - (53) 8117-9146 25 - Paleteada, Credenciadora - Cidade: Esteio/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da 6ª Região - Responsável: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da 6ª Região - Fone(s): (51) 34582666/3252-2065/9982-3249/3232-2065 25 - Resenha Coletiva, Concentração Cidade: Santiago/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Santiago - Responsável: Cristiano Weber da Silva - Fone: (55) 3251-1863/9817-0999 26 - Resenha Coletiva - Cidade: Santa Cruz do Sul/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Santa Cruz do Sul Responsável: Tibicuera Menna Barreto de Almeida - Fone: (51) 3713-2280/37192532/3713 2280/9884-9339 26 - Tiro de Laço - Cidade: Santiago/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Santiago - Responsável: Cristiano Weber da Silva - Fone: (55) 32511863/(51) 9817-0999 31 a 3 - Credenciadora de Inéditos, Provas Jovens - Cidade: Guaíba/RS - Apoio: Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da Costa Doce - Responsável: Rafael Rech - Fone: (51) 8101-0536 31 - Morfologia, Credenciadora, Concentração - Cidade: Tibagi/PR - Apoio: Núcleo Caminho das Tropas de Criadores e Proprietários de Cavalos Crioulos - Responsável: Núcleo Caminho das Tropas de Criadores e Proprietários de Cavalos Crioulos - Fone: (42) 3232-2893/8805-1332/9927-8905


8

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Freio de Ouro

Chuva dificulta prova em Carazinho André Amaral

Para selecionar animais ao Bocal de Ouro, que será realizado no mês de abril em Esteio, no Rio Grande do Sul, o Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Carazinho/ RS realizou uma Credenciadora de Inéditos entre os dias 3 e 5 de dezembro. Em pista molhada, 12 fêmeas e dez machos foram julgados por Luiz Martins Bastos Neto, Marcelo Cairoli e José Francisco Moura. (Leia sobre este evento na página 14)

Na avaliação de Luiz Martins Bastos Neto o nível da competição estava médio, com poucos animais e destaque para o melhor macho e a primeira fêmea. “Os dois tiraram zero em uma das paleteadas, mas ganharam mesmo assim”, informou Neto.

Conforme Neto, um dos quesitos responsáveis pela redução da qualidade da prova foi o tempo chuvoso, que deixou a pista de provas bastante molhada e escorregadia. O restante, segundo Neto, estava de primeira qualidade. “Gado muito bom, pista de provas e receptividade do núcleo excelentes”, opinou.

2º lugar

Resultados

Conquista da Cabanha Xavier, filha de Âncora Floreio e Tcha Tcha Tcha de Los Alamos, criador Elon Loures Xavier e expositor Cabanha Rincão Monarca, Cabanha Rincão Monarca, Chapecó/SC. Ginete: Cledir Odilon. Nota: 16,636

Fêmeas 1º lugar Chilenita Gravatá, filha de San Baldomero Puestero e Urcamis do Sinuelo, criador Condomínio Rural J. C. Fleck e expositor Francisco Kessler Fleck, Cabanha Gravatá, Gravataí/RS. Ginete: Cézar Augusto Freire. Nota: 17,206

Tropilha do Purunã, filha de Dom Carrasco do Purunã e Lichiguana do Purunã, criador e expositor Mariano Lemanski, Estância São Rafael, Balsa Nova/PR. Ginete: Vagner Neumeister. Nota: 16,709

da São Leopoldo, criador Arapan Agropastoril Ltda e expositor Cabanha La Explosión, Cabanha La Explosión, Carazinho/RS. Ginete: Eduardo Quadros. Nota: 16,629

3º lugar Machos

3º lugar

1º lugar Hermosso do Topo da Serra, filho de Gago de Santa Angélica e Alma Perdida do Strass, criador Júlio Cesar Pissetti e expositor Cabanha Kle, Cabanha Kle, São José dos Pinhais/PR. Ginete: Fernando Rodrigues. Nota: 18,111

4º lugar

2º lugar

Querência da Baraúna, filha de BT Mano a Mano do Junco e Querência

RJD Andarilho, filho de Las Missiones Couro Cru e Canela Kiko, criador

Fêmeas

Machos

Chilenita Gravatá ficou com o primeiro lugar entre as fêmeas, sob o comando do ginete Cezar Augusto Freire

A quarta fêmea credenciada na seletiva foi Querência da Baraúna

Jalisco dos Três Pinhais, filho de BT Harmônico e Delicada de Santa Angélica, criador Vilson Aozane Bilibio, expositor Cabanha Três Pinhais, Cabanha Três Pinhais, Ijuí/RS. Ginete Cézar Augusto Freire. Nota: 17,817 4º lugar Três Pontas Riscado, filho de Campana Farrapo e Roleta da Palmeira, criador Luiz Mierczynski Neto e expositor Eduardo Rodrigues da Silva, Cabanha Oito Soco, Carazinho/ RS. Ginete: Eduardo Quadros. Nota: 17,331

Fotos Alexandre Freitas

Hermosso do Topo da Serra, montado pelo ginete Fernando Rodrigues, foi o primeiro macho credenciado

A segunda melhor fêmea foi Tropilha do Purunã com nota 16,709

Conquista da Cabanha Xavier, terceira fêmea credenciada

Renato Júnior Donadel e expositor Sônia Saldanha Martins, Novo Hamburgo/RS. Ginete: Renato Júnior Donadel. Nota: 18,090

RJD Andarilho foi o segundo melhor macho, com nota 18,090

A terceira vaga dos machos ficou com Jalisco dos Três Pinhais

Três Pontas Riscado foi o quarto macho credenciado em Carazinho


10

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Freio de Ouro

Livramento credencia oito inéditos Maysa Maciel

A primeira Credenciadora do município gaúcho de Sant’Ana do Livramento no ciclo 2011, foi realizada nos dias 5 e 6 de novembro, e garantiu a presença de mais oito cavalos Crioulos inéditos na Classificatória da região três do Freio de Ouro. (Leia mais sobre este evento na página 28)

O evento contou com 23 animais inscritos, avaliados pelos jurados Alexandre Suñe, José Francisco Moura e Lauro Varela Martins, e foi promovido pelo Núcleo Santanense de Criadores de Cavalos Crioulos. Sob a supervisão técnica de Ricardo Torres, a prova foi considerada de bom nível e apresentou o desenvolvimento e potencial

da Raça na região, embora com a participação de animais ainda inexperientes em competições. “O grau de exigência de provas Credenciadoras de Inéditos não é muito grande já que a prova tem como participantes animais ainda jovens”, diz Lauro Martins. Segundo Lauro, os vencedores da prova se destacaram por serem animais muito fortes funcionalmente. “A égua vencedora é muito boa, estava bem na mão do ginete e fez uma ótima prova, acredito que vá se destacar muito na disputa do Bocal. O macho também era um animal muito funcional, e não teve falhas. Estes animais vão ter grande futuro nas próximas disputas”, completa. O gado e a qualidade da pista também colaboraram com o sucesso da prova, que se realizou

com tempo ensolarado e numeroso público.

Resultados Fêmeas 1º lugar Tinideira do Purunã, filha de Muchacho de Santa Angélica e Lenda do Turunã; criador Mariano Lemanski, Cabanha Cola Crioula, Pantano Grande/RS. Ginete: Antonieto Rosa. Nota: 20,057 2º lugar Maquena Queñita, filha de Santa Elba Bellaco e Santa Rosário Noponona; criador Italo Zunino Mura, expositor Estância Santa Marta, São Borja/RS. Ginete: Reinaldo Silveira. Nota: 19,433 3º lugar Jotace Ramada, filha de Jotace João

Fêmeas

Balaio e Jotace Maragata; criador e expositor Daniela Cantarelli, Estância Santa Celuta, Barra do Quaraí/RS. Ginete: Éberson Pinheiro Domingues. Nota: 19,026 4º lugar AV Uva Preta, filha de Piá Forasteiro e AV Quirera; criador Adriana Veríssimo, expositor Alceu Zimermann Filho, Cabanha Caledônia, Santa Catarina. Ginete: Éder Cunha. Nota: 17,445 Machos 1º lugar PO Villa Real, filho de Água de Los Campos e Maquena Guailon; criador e expositor Gonçalo Porto Silva, Cabanha Dom Marcelino, Lavras do Sul/RS. Ginete: Onildo Nunes. Nota: 19,086 2º lugar

3º lugar Piraí 1511 do Candidato, filho de Candidato Simpatia e Firmeza 125 de Papito; Criador e Expositor Paulo Tavares Moglia, Estância Firmeza, Bagé/RS. Ginete: Sérgio Augusto Ferraz. Nota: 17,231 4º lugar Cojar Chico, filho de Campana Guasqueiro e Cocarda Chico; criador Manuel Rossel Sarmento, expositor Zerbino Solis Echeverria, Cabanha Águas Claras, Taquarembó/ROU. Ginete: Berruti. Nota: 16,535

Machos

Tinideira do Purunã, de Pantano Grande/RS, a primeira inédita credenciada, com nota final 20,057

AV Uva Preta, de Santa Catarina, a quarta fêmea credenciada, com nota final 17,445

Fotos Paulo Rauber

PO Villa Real, de Lavras do Sul/RS, o primeiro cavalo inédito credenciado, com nota final 19,086

Maquena Queñita obteve nota final 19,433 e foi a segunda égua credenciada

Jotace Ramada, de Barra do Quaraí/RS, a terceira inédita credenciada

Feito Carreto da Fronteira, filho de Nobre Tupambaé e Inquieta de Santa Edwiges; criador Marcelo Linhares, expositor Denis Silveira, Cabanha Sabiedas, Viamão/RS. Ginete: Pedro Silva. Nota: 17,351

Feito Carreto da Fronteira, segundo macho credenciado com nota final 17,351

Piraí 1511 do Candidato, o terceiro credenciado, com nota final 17,231

Cojar Chico, o quarto cavalo inédito credenciado, com nota final 16,535


12

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Freio de Ouro

Credenciados de futuro em Piratini Fotos Fabiane Michelon

André Amaral

O Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Piratini realizou, entre os dias 2 e 5 de dezembro, uma Credenciadora que contou com a participação de 29 animais, sendo destes 15 fêmeas e 14 machos. A prova foi julgada por Rodrigo Teixeira, Rouget Gigena Wrege e Bernardo Falson que ficaram satisfeitos com o nível dos competidores. Paralelas à Credenciadora também foram realizadas uma Paleteada, uma Exposição Morfológica, uma Concentração de Machos e uma Prova de 21 dias. (Leia mais sobre a Morfologia na página 14)

Na avaliação de Falson, os animais credenciados podem entrar bem em uma prova classificatória. “Tinham muito bom nível funcional”, afirmou. Apesar de ter elogiado todos os animais de modo geral, o jurado salientou sua preferência pelas fêmeas. “Todas as quatro credenciadas estavam realmente muito boas.” Ao ser questionado sobre a primeira credenciada, Falson disse ser uma égua muito funcional, de boa morfologia e altura. “E isso que se trata de um exemplar jovem, recém entrando no ciclo. Acredito que ela classifica tranquilamente”, aposta. A organização da prova, a qualidade da pista e a receptividade do núcleo também foram muito elogiadas por Falson. A única crítica ficou por conta do gado que, segundo ele, era muito zebu. “Estava bom, mas poderia ser melhor. Prejudicou um pouco a prova, principalmente, na mangueira.”

Resultados Fêmeas 1º lugar Unha 295 Maufer, filha de Mananero Jalisco e BT Hasta La Vista, criador e

No total, 29 animais disputaram uma das vagas da credenciadora promovida em Piratini, na qual foi destacado pelos jurados o desempenho morfológico e funcional dos exemplares

expositor Maurício e Fernando Lampert Weiand, Cabanha Maufer, Cruzeiro do Sul/RS. Ginete: Nei Eduardo Rodrigues Lima. Nota: 20,492 2º lugar Favorita Del Rey, filha de BT Apache e Nutria 67 do Maufer, criador Márcio Scherer e expositor Tibicuera Menna Barreto de Almeida, Cabanha Rancho de Gaudérios, Santa Cruz do Sul/RS. Ginete: Carla Josiane Flores. Nota: 19,371

4º lugar Cambona Marupá, filha de Buenacho 04 do HV e Coronilha de São Chico, criador e expositor Roberto Augusto Scheid, Cabanha Marupá, São Francisco de Paula/RS. Ginete: Alexandre Oliveira. Nota: 18,181 Machos 1º lugar Sendero Talento, filho de Comunista da Boa Vista e Estrela dos Três Pas-

tores, criador Jader Luís Piccin e expositor Marcelo Bonfiglio de Barros, Cabanha Reculuta, Sananduva/RS. Ginete: Fábio Salles. Nota: 19,480 2º lugar SJ Utrillo, filho de BT Mouro e Valsa do Retiro, criador e expositor Lugajo Agricultura e Pecuária Ltda, Fazenda São João, São Lourenço do Sul/RS. Ginete: Maurício Idiart. Nota: 18,984 3º lugar

BT Trevo, filho de BT Jade e As Malke Honesta, criador e expositor Flávio Bastos Tellechea, Cabanha Paineiras, Uruguaiana/RS. Ginete: Alexandre Pedroso Grabher. Nota: 18,125 4º lugar Butiá Tucano, filho de Santa Elba Comediante e Idahue Oportuna, criador Sementes e Cabanha Butiá Ltda e expositor Eduardo Kessler Fleck e Filhos, Cabanha Az de Ouros, Gravataí/RS. Ginete: Tiago Goulart. Nota: 17,525

3º lugar Ibiza de São Manoel, filha de BT Johnnie Walker do Junco e Carpeta de Pai Passo, criador e expositor, Fazenda São Manoel, Massambará/RS. Ginete: Gabriel Marty. Nota: 18,482

Seletiva foi julgada por Rodrigo Teixeira, Rouget Gigena Wrege e Bernardo Falson que salientaram a performance das fêmeas


14

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Morfologia

Destaque às fêmeas em Carazinho

Fotos Alexandre Freitas

André Amaral

No dia 4 de dezembro, o Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Carazinho/RS realizou sua 27ª Exposição Morfológica, com a participação de 90 animais e julgada por Luiz Martins Bastos Neto. Além da mostra morfológica, no mesmo final de semana, o núcleo realizou Paleteada, Campereada, Provas Jovens, Concentração de Machos e uma Credenciadora de Inéditos, realizados no Parque de Exposições Vali Albercht. (Leia mais sobre a Credenciadora na página 14)

Segundo o jurado, o nível da competição estava muito bom, com destaque às fêmeas. “Grande qualidade de exemplares, desde os Mini-Incentivos até os animais adultos. Com certeza terão muito destaque em exposições da raça”, aposta. O Melhor Exemplar da Raça, a Campeã Égua Menor, Emocion do Ribeirão Bonito-TE, foi considerada excelente e de grande potencial. “Linhas muito boas, bem aprumada e apresentada. Já o cavalo Grande Campeão foi Barão Liberal, maduro, de grande qualidade e bem classificado na Expointer do ano passado. “É um macho ótimo, mas que já está

Emocion do Ribeirão Bonito foi o Melhor Exemplar da Raça

A Reservada Grande Campeã foi TL Décima Rima

Barão Liberal venceu o Grande Campeonato entre os machos

O Reservado Grande Campeão foi Olho Branco do Purunã

pronto e não irá evoluir. Por isso optei pela fêmea, que tem maior potencial de evolução”, explica. Entre os Incentivos, apesar de muito elogiados pela excelente qualidade, uma observação. “Muito sobrepeso. E isso em animais jovens causará problemas futuros ao se pensar em Freio de Ouro e outras provas funcionais”, alerta. Veja mais fotos acessando o portal da ABCCC, no site da Morfologia.

Augusto Ormazabal de Faria Corrêa, Uruguaiana/RS e expositor Pedro Afonso Bohn de Andrade e Filhos, Cabanha Três Aporriados, Carazinho/RS

4º Melhor Macho - Campeão Potranco Menor

tã do Itapororó e Trigueira de São Pedro, criador e expositor Bruno Berwig Tombini, Sementes e Cabanha Tombini, Carazinho/RS

Resultados Machos

Grande Campeão - Campeão Cavalo Adulto

Barão Liberal, filho de Tan Tan Cimarron e Sanfona Liberal, criador

Reservado Grande Campeão - Reservado Campeão Cavalo Adulto

Olho Branco do Purunã, filho de Hércules do Purunã e Atacama de Santa Angélica, criador Mariano Lemanski, expositor Condomínio Olho Branco, Santa Bárbara do Sul/RS 3º Melhor Macho - Terceiro Melhor Campeão Cavalo Adulto

Urano do Purunã, filho de BT Butiá e Lichiguana do Purunã, criador Mariano Lemanski, expositor Adolfo Neto, Flaviano Jr e Pedro Bier, Nonoai/RS

TL El Sureño, filho de CRT Guapo e Nicotina do Itapororó, criador e expositor Bruno Berwig Tombini, Sementes e Cabanha Tombini, Carazinho/RS Fêmeas

Grande Campeã e Melhor Exemplar da Raça - Campeã Potranca Menor

Emocion do Ribeirão Bonito-TE, filha de Viragro Rio Tinto e Delta de Rosazul, criador e expositor Arison Jung, Cabanha Ribeirão Bonito, Guarapuava/PR Reservada Grande Campeã - Campeã Potranca Maior

TL Décima Rima, filha de Ibirapui-

3ª Melhor Fêmea - Campeã Égua Adulta

Taberna do Purunã, filha de Hércules do Purunã e Despojada 656 do Itapororó, criador e expositor Mariano Lemanski, Curitiba/PR, Estância São Rafael, Balsa Nova/PR 4ª Melhor Fêmea - Campeã Égua Menor Figueira do Capão da Ronda, filha de Basco Jacarandá e DC Galopera de Mi Flor, criador e expositor Jorge e Júlio Costa, Cabanha Capão da Ronda, Cruz Alta/RS

Fêmeas homogêneas, macho vencedor e cautela nos incentivos Entre os dias 2 e 5 de dezembro, o Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Piratini/RS realizou uma Exposição Morfológica, julgada por Rodrigo Teixeira. A mostra, que contou com a participação de mais de 50 exemplares, culminou com a inauguração da sede própria do núcleo, batizada Air de Oliveira Gonzales. A boa receptividade, a grande quantidade de público presente e a expressiva qualidade dos exemplares foram pontos de destaque na avaliação do jurado, que disse ter sido esta a primeira vez que julgou no município e afirmou ter ficado com uma ótima impressão do local e dos animais. Com relação ao nível dos participantes, Teixeira demonstrou preferência pelas fêmeas que, segundo ele, estavam mais parelhas. “Gostei especialmente das categorias Égua Menor e Égua Adulta. Já os machos eram mais heterogêneos, com destaque para o Grande Campeão e Melhor da Raça, um cavalo baio, e para o Reservado Grande Campeão.” Sobre o Melhor Exemplar da Raça, o cavalo Domínio 857 Maufer, Teixeira qualificou como

Foto Fabiane Michelon

Resultados Machos Grande Campeão e Melhor Exemplar da Raça Domínio 857 Maufer, filho de BT Delantero e Turca 266 Maufer, criador e expositor Maurício e Fernando Lampert Weiand, Cabanha Maufer, Cruzeiro do Sul/RS

Julgamento Morfológico reuniu mais de 50 exemplares bastante elogiados pelos jurados

um animal expressivo e de linhas muito bonitas e disse ter feito sua escolha baseado no maior preparo físico do cavalo. “Superou a égua. Ela era muito estruturada e de bons ângulos, mas ele estava mais musculado e definido”, disse. Nos Incentivos o jurado demonstra certo receio. Segundo ele, esta é uma categoria bastante difícil de ser julgada por envolver quesitos como habilidade materna, genética e manejo. “Tenho

muito cuidado. Acho que os animais estão sendo encocheirados muito cedo. Acabam com sobrecarga de peso e, consequentemente, problemas motores”, opinou Teixeira, que afirma ter observado este tipo de problemas em animais bastante jovens. “As pessoas estão confundindo preparo com excesso de peso”, completou. (Leia nas páginas 34 e 35 matéria especial sobre excesso de peso na categoria incentivo) (André Amaral)

Reservado Grande Campeão Mackenzie do Canguçu, filho de Chicão de Santa Odessa e Parafina Tupambaé, criador Mauro Duarte Mabilde Silveira, expositor Heber e Danili da Rosa Farias, Fazenda Perau da Águia, Pinheiro Machado/RS 3º Melhor Macho Inquérito de Santa Cinilda, filho de Destaque dos Três Pinhais e Estraviada de Santa Cinilda, criador Márcia Regina Gonsalves de Castro e Expositor Renato Schor e Bettina Schor, Cabanha Sino Missioneiro Ltda, Santa Rosa/RS 4º Melhor Macho Monarca da Sia’Dona, filho de BT Lado a Lado e Campana do Strass, criador Deolinda Helena Coelho Dourado, expositor Deolinda Helena

Dourado, Cabanha Sia’Dona e Estância Nativa, Canguçu e São Bento do Sul/SC Fêmeas Grande Campeã Alteza 517 Maufer, filha de Mananero Jalisco e Lúcia de Santa Angélica, criador e expositor Maurício e Fernando Lampert Weiand, Cabanha Maufer, Cruzeiro do Sul/RS Reservada Grande Campeã Guanabara Habanera, filha de Santa Elba Señuelo e BT Vassoura, criador e expositor Luís Carlos da Silva Carvalho Jr., Estância Guanabara, Rio Grande/RS 3ª Melhor Fêmea Guanabara Harpa, filha de JA Anarquista e Última Cimarron, criador e expositor Luís Carlos da Silva Carvalho Jr., Estância Guanabara, Rio Grande/RS 4ª Melhor Fêmea TDO Amistad, filha de AS Malke Juramento e Lua Cheia Quebracho, criador José Luiz Garcia Kosby e filhos, expositor Kerlon de Ávila Farias, Cabanha Imaguaré, Pinheiro Machado/ RS


Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Morfologia

15

Mostra marca inauguração de Núcleo no interior paulista Marcelo Mastrobuono/Revista Horse

São Paulo, que sempre teve um papel importante no processo de expansão da raça Crioula pelo Brasil, está com sangue novo. Uma mostra disso ocorreu nos dias 11 e 12 de dezembro, quando o recém inaugurado Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos do Vale do Paraíba e Sul de Minas organizou sua 1ª Exposição Morfológica. O evento foi realizado na Fajipa, na cidade paulista de Jacareí, com a participação de antigos criadores e admiradores da raça.

Ao todo, a prova contou com a participação de 43 exemplares da raça. O julgamento foi realizado pelo veterinário Rodrigo Teixeira, jurado e membro do corpo Técnico da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), que se deslocou do extremo sul do país para acompanhar a prova. “Vimos aqui não apenas quantidade, mas muita qualidade dos animais, o que mostra que São Paulo pode evoluir muito como polo da criação da raça”, afirmou. O presidente do Núcleo do Vale do Paraíba e Sul de Minas, Alexandre Pupo Ferreira, também comemorou o fato de, logo nessa primeira exposição, contar

com mais de 40 animais inscritos, o que garantiu a homologação da ABCCC. “O melhor é que eram todos de nossa região”, comemorou. Segundo ele, a proposta é dar prosseguimento aos eventos no sudeste de São Paulo, com provas itinerantes pela região do Núcleo. A próxima deverá ocorrer por volta de março, em Campos do Jordão ou Itajubá, no sul de Minas. “Há inclusive a possibilidade de realizar uma etapa durante a Fajipa, um dos mais tradicionais eventos agropecuários do estado”, diz. Quem também estava muito animado com o sucesso do evento é o criador e vice-presidente do Núcleo, Eduardo Valassi. “Conseguimos compor uma pista pesada”, disse, referindo-se à qualidade dos animais. Para ele, essa reorganização do núcleo foi muito importante para dar um novo ânimo aos criadores da região, entre eles nomes de peso como o próprio presidente, Alexandre Pupo, Jeremias dos Santos, Júlio Antenfelder, Júlio Fleury e Carlos Piegas, entre outros. “São pessoas que têm muito a contribuir para a evolução da raça.” “Dentro em breve esperamos voltar a realizar uma classificatória do Freio de Ouro”, planeja.

Fotos Marcelo Mastrobuono

Resultados Fêmeas

Grande Campeã e Campeã Égua Adulta PO Yatay, filha de BT Faceiro do Junco e BT Gorra Basca, criador Gonçalo Porto Silva, expositor Jeremias Eli dos Santos Reservada Grande Campeã e Reservada Campeã Égua Adulta Fleurycidade Rédea Solta, filha de Fleurycidade Nombre Feo e Jararaca de Santa Edwiges, criador e expositor José Carlos Vendramini Fleury 3ª Melhor Fêmea e Campeã Potranca Maior Azulcena de São Pedro, filha de Truco de São Pedro e Tâmara de São Pedro, criador Eduardo Macedo Linhares, expositor Jeremias Eli dos Santos 4ª Melhor Fêmea e Campeã Égua Prenhe Roseta Torgelo, filha de Bico Branco Torgelo e Fada da Picada do Salso, criador José Ignacio Gonçalves dos Santos, expositor Júlio Costa Altenfelder Silva

Machos

Melhor Exemplar, Grande Campeão e Campeão Cavalo Adulto Alambique de Outros Pagos, filho

O Melhor Exemplar da raça foi Alambique de Outros Pagos

Quilero Seu Moço foi escolhido o Reservado Grande Campeão

PO Yatay levou a escarapela de Grande Campeã

A Reservada Grande Campeã foi Fleurycidade Rédea Solta

Las Missiones de Ja Hoje e Esperança da Tipuana, criador e expositor Alexandre Pupo Ferreira

tranco Maior Couro Cru da Analina, filho de Las Missiones de JA Hoje e Balena 04 da Base, criador e expositor Bento Guilherme de Moura Borges

Reservado de Grande Campeão e Campeão Cavalo Menor Quilero Seu Moço, filho Campana Naco e Quilero Nina Linda, criador Eduardo Móglia Suñe, expositor José Carlos Vendramine Fleury 3º Melhor Macho e Reservado Campeão Cavalo Menor Bueno do Franz, filho de Las Missiones de JA Hoje e Salamera da 3J, criador Adalberto Franz, expositor Karla Daniela dos Santos Saram 4º Melhor Macho e Campeão Po-

Tempranito abre Festa da Família Crioulista em Bagé O Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Bagé/RS realizou, no dia 9 de dezembro, o 2º Tempranito - Exposição Morfológica promovida somente com animais da categoria Incentivo. O Tempranito abriu a Festa da Família Crioulista. Há mais de 30 anos, o Núcleo organiza o encontro que reúne as famílias de criadores da região. Mas, este é o segundo ano da mostra de animais jovens, que desta vez contou com a participação de 130 competidores, sendo julgados pelos criadores brasileiros Cássio Bonotto e Álvaro Dumoncel e pelo uruguaio Carlos Pariett. Os grandes campeões do julgamento foram Marreca 555 de Nazareth, da Estância Parayso, de Uruguaiana/RS, escolhida o Melhor Exemplar da Raça, e Bem Criado Cala Bassa da Cabanha Cala Bassa, de Bagé/RS, considerado o Grande Campeão entre os machos. (Nívea Bilhalva Oliveira)

Resultados

(Fornecido pelo Núcleo)

Machos Grande campeão

Bem Criado Cala Bassa, filho de Piraí 1569 do Brazão e Pintura da Lagoa, criador e expositor Marcelo Rezende Móglia, Cabanha Cala Bassa, Bagé/ RS Reservado Grande Campeão

Honrado da Tradição, filho de Charque Justo Jose e Saia Curta 2692 da Tradição, criador e expositor Paulo Martins Bastos, Estância Nazareth, Uruguaiana/RS 3°Melhor

Bien Venido do Mandiyu, filho de Jotace Quero Quero e Jotace Q-Boa, criador e expositor Flávio Virgílio Martini Piegas e Filhos, Estância do Boeiro, Uruguaiana/RS

4°Melhor

Diabo da São Crispim, filho de LS Balaqueiro e Lolita do Infinito, criador e expositor Boris Soares Delabary, Cabanha São Crispim, Lavras do Sul/RS

Fêmeas

Campeã Incentivo Vitória do Rancho Grande, filha de BT Furacão e Relíquia do Grande, criador e expositor Isabel Sampaio Moreira Piegas Campeão Incentivo Era Uma Vez de Outros Pagos, filho de Alambique de Outros Pagos e Jordana Tupambaé, criador Alexandre Pupo Ferreira, expositor Alexandre Pupo Ferreira, Eduardo Valassi e Rodrigo Dall’gnol

Foto Divulgação

Julgamento morfológico Incentivo teve 130 animais inscritos, em Bagé

Grande Campeã e Melhor Exemplar Marreca 555 de Nazareth, filha de Charque Lindo Nene e Marreca 2867 da Tradição, criador e expositor Luiz Antônio Martins Bastos, Estância Parayso, Uruguaiana/RS Reservada Grande Campeã

Batalha Cala Bassa, filha de Piraí 1569 do Brazão e BT Niágara, criador e expositor Marcelo Rezende Móglia, Cabanha Cala Bassa, Bagé/RS 3ª Melhor

Campana Vicuña, filha de Triunfo do Purunã e Campana Quincha, criador e expositor Mário Moglia Suñe, Cabanha Campana, Bagé/RS

4ª Melhor Chasque Santa Ana, filha de Campana Reservado e Chasque Espora de Ferro, criador e expositor Manuel Luís Benevenga Sarmento, Estância São Francisco, Bagé/RS

Trios

Campeão Campana Villa Maria - Campana Virgem Santa - Campana Vuelta de Honor - expositor Mário Móglia Suñe, Cabanha Campana, Bagé/RS Reservado Campeão Coisa Linda do Mako - Crioula Char-

mosa do Mako - Carta Marcada do Mako, expositor Cabanha do Mako, São Lourenço do Sul/RS 3°Melhor e Melhor Casal Bem Criado Cala Bassa e Batalha Cala Bassa, criador e expositor Marcelo Rezende Móglia, Cabanha Cala Bassa, Bagé/RS Melhor Progênie - (Piraí 1569 do Brazão) Bem Criado Cala Bassa e Batalha Cala Bassa, criador e expositor Marcelo Rezende Móglia, Cabanha Cala Bassa, Bagé/RS


16

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Eventos

Ciclo 2011 do Tiro de Laço chega à fase final Foto Mário Tissot

Mais um ciclo se acaba e as últimas voltas estão sendo dadas rumo à grande Final Nacional do Crioulaço 2011. Com apenas 15 dias para garantir vaga na disputa, laçadores da região sul se reuniram no mês de dezembro em 14 municípios diferentes, de onde saíram mais 280 classificados para Esteio/RS.

No Rio Grande do Sul, foram realizadas provas em Camaquã, Cacequi, Antônio Prado, Quaraí, Itaqui, Bom Retiro do Sul e Garibaldi. Já os catarinenses puderam garantir sua vaga pelas disputas em Santo Amaro da Imperatriz, Tijucas, São José, Ilhota, São Martinho, Campos Novos e Painel. A finalíssima do laço será realizada entre os dias 13 e 16 de janeiro no Parque de Exposições Assis Brasil, no município gaúcho de Esteio e dará mais de R$ 70 mil em prêmios aos melhores da modalidade durante o ciclo. (Confira a programação completa na página 36) Os classificados devem fazer as inscrições para a final no site da ABCCC na internet até o dia 7 de janeiro no valor de R$ 200,00 a dupla, ou no escritório da ABCCC junto à pista de provas no dia 13/01 pelo mesmo valor. A taxa no dia 14/1 sobe para R$ 300,00 e as inscrições deverão ser efetuadas até as 20h. Abaixo você pode ver como foram as disputas de dezembro:

Bom nível em Campos Novos/SC No sábado e domingo, 4 e 5 de dezembro, 25 duplas participaram do Tiro de Laço promovido pelo Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos do Meio Oeste Catarinense, em Campos Novos, Santa Catarina. A prova, disputada no Parque de Exposições Leônidas Rupp, foi julgada por José Arlindo Di Domenico, Fernando Sérgio Rosar e João Batista Ramos de Almeida. O trio de jurados considerou

Crioulaço em Campos Novos, Santa Catarina, contou com a participação de 25 duplas

a prova de bom nível e classificou oito duplas à final do Crioulaço, que será realizada entre os dias 13 e 15 de janeiro em Esteio, no Rio Grande do Sul. Integrou ainda a programação do evento, leilão com a oferta de 24 animais, e Concentração de Machos, a cargo do técnico Adolfo José Martins Neto, com a presença de 10 potros.

Resultado Marcelo Celeri montando Lady Di do Pé de Cedro e Alan Bogoni com DP Lua Nova. Ricardo Granzotto montando Herbário do Itapororó e João Roni da Silva com Farroupilha do Morro Verde. Leonardo Chavala montando Balaquero da S. Rita e Renan Chavala com Nativa da Macena. Emanuel Bergosa montando Nunca Mais do Purunã e Cristiano Shilager com Morena da Alma Crioula Alcides Pereira montando Jotace Orgulhoso e Leopoldo Pereira com Fofoqueiro da Camila. Fernando Di Domenico montando Pinguancha do Aipo e José Cirano Noriler com Dinamarca da Sucuri. Evandro Galiato montando SHS Desconfiado e Leandro de Sousa Correa montando Modelo Aragana. Foto Sérgio Perdomo

48 duplas participaram do Tiro de Laço realizado em Cacequi, Rio Grande do Sul

José Cirano Noriler montando BT Salvador do Junco e Jorge Felipe Manfroi com Lua Cheia da Hulha Negra.

Laço Beneficente em Camaquã/RS O Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos José Julio Coutinho, em parceria com a comunidade de Camaquã/RS, promoveu um Crioulaço no dia 4 de dezembro, cuja renda foi revertida à APAE do município. Mais de mil pessoas visitaram o Parque do Sindicato Rural de Camaquã para conferir o evento, que além do campeonato de Laço contou com remate e show de Walter Moraes. A prova, além de colaborar com a entidade, classificou dez das 33 duplas participantes para a Final do Tiro de Laço, disputada em Esteio/RS. Segundo Marcelo Montano Coelho, técnico responsável pelo evento, além da causa nobre a prova ofereceu infra-estrutura de alto nível aos seus participantes. “A qualidade da pista era impressionante e todo evento cresce quando é realizado em um local com este nível”, disse. O presidente do Núcleo, Luís Mario Azambuja também avaliou a prova como um sucesso total, principalmente por ter arrecadado um valor considerável para a instituição “O Núcleo sempre trabalhou por si próprio, e então surgiu a idéia de fazer um Crioulaço em prol de uma entidade, assim escolhemos a APAE. Tinha mais de 200 participantes na prova e a comunidade se mobilizou pela causa, isso foi muito gratificante”

afirmou Azambuja, contente pelos R$ 6,5 mil doados para a instituição.

Resultado Paulo Cesar Pereira montando Regente do Itapororó e Marcelo Couto Guterres montando Dito e Feito da Salla Leomar Armestro montando Conhaque Bertolini e Leandro Lopes montando Lampião da Biboca Alexandre Backaus montando JPR Berja e Italor Garcia montando Encantado das Águas Claras II Diego Longaray montando Carmen Alma Xucra e Marcio Viegas montando AVR Cambona Ademar Silva montando Esiteralda das Águas Claras II e Paulo Cesar Pereira montando Madrugada da Kênia Beto Pitana montando Mestre do Maneador e Lisandro Medeiros montando Noche Escura da Sanguinha Marcos Cadeleira montando Ventania de São Caetano e Edilson Ferraz montando JCL Líder Eduardo Ferraz montando Bolacha da Figueira e Matheus Silva montando Entonada do Pesqueiro Marcelo Silva montando Impulso da Ouro Branco e Roger Silveira montando Itu Comanche Marcos Cabeleira montando Bossoroca da Insita e Edilson Ferraz montando Delícia da Figueira

Cacequi classifica 48 duplas

No dia 5 de dezembro, sob clima agradável, 48 duplas participaram do Crioulaço organizado pelo Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos

de Cacequi, no Rio Grande do Sul. A prova, julgada pelo técnico da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Olmiro Andrade Filho, foi considerada de excelente qualidade e chamou a atenção do público, que prestigiou o evento em quantidade significativa. Em uma pista qualificada, o desempenho dos conjuntos foi avaliado pelo jurado, que classificou 16 duplas à final do Tiro de Laço, a ser realizado em Esteio, entre os dias 13 e 15 de janeiro. “O evento foi um sucesso, todos estavam elogiando a qualidade da disputa”, disse o responsável pela organização, Sérgio Perdomo.

Resultado Juliano Rossi montando Escudeiro da São Calistro e Vinícius Flores montando Aluado da Cadena Fabio Pedroso montando Antares de Santa Balbina e Evandro Bonetti montando Payador Bagual Claudio dos Santos com Meia Lua da Guajuvira e Cleo Valente montando Promessa do Sá Brito Iran Bueno Luiz montando Predileta da Tuna e Fábio Pedroso montando Hortência do Belo Retiro Zulmar Furtado da Silva com Bonifácio da Três Passos e Alexandrino de Menezes montando Santa Zeli 77 Vitor Antonio Just montando Embrulho da Escondida e Alexandre Silva com Bagre da São Calistro Celmar Mesquita com Horneirinho do Guassupi e Cristaldo Mesquita montando El Pibe Bagual Matheus Azevedo montando Bombom da São Calistro e Taiser Moreira montando SA Garrafa Telmo Felden com Saladino 124 do Jarau e Luiz Fabiano Minuzi Leal com Tranca da Convenção Anderson Vicente da Silva com Mulata do Belo Retiro e Luis Felipe da Silva Soares montando Morocha do Belo Retiro Arlan Soares com BRM Cabo e Regis Monteiro com Bara Gelú 47 do Rincão do Américo Onei Paz Pereira montando Surungo da Sanga da Saudade e Cassiano Freitas com Garça do Pinhal Andre Leal com FR Vaqueano e Márcio Pujol com FR Vagalume Everton Brum com La Passion Americana e Gibrã Posser com Loira da Três Marcas Fabio Minussi com Badana II da Santa Izabel e Enilton Lichtenecker com Tormenta da Santa Izabel Marcio Pujol montando FR Veludo e André Leal com Olho de Fogo do Aipo


Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Eventos

Duplas consagradas competem em Antônio Prado

No dia 10 de dezembro, 61 duplas participaram do Crioulaço organizado pelo Núcleo Serrano de Criadores de Cavalos Crioulos, no município de Antônio Prado, no Rio Grande do Sul. A prova foi julgada por Reni Soares e contou com a supervisão técnica de Ricardo Guazzelli Martins. Sob clima quente e ensolarado, 20 duplas, de excelente nível, conseguiram obter a classificação à final de Esteio. “Tinham duplas muito importantes, como as vencedoras da final do ano passado e retrasado”, informa o técnico da ABCCC. Depois de 25 armadas, as duplas repartiram o prêmio de R$ 500,00 oferecido pelo CTG Cancela do Imigrante, nesta promoção feita em parceria com o Núcleo Serrano da ABCCC. O selo de raça foi concedido a Gandaia da Reconquista.

Resultado Anor Marcon montando Julgador Aja e Giovani Mussato com Sorra Bailonga Branco Augero Amarante montando Picaço da Esmeralda e Ademir Borges com Garrucha do Papagaio Fabio Pedroso montando Que Linda do Sá Brito e Fabiano Dornelles com Ousadia do Sá Brito Beto Soares montando Remendona do Rincão do Barreto e Gabriel Lopes com Fortacho Tupambaé Airton Borges montando Napoleão do Taquarembozinho e Guilherme Figueredo com Impac Noiva Junior Scopel montando Batuta da Flor de Ipê e Mauricio Zamboni com Hermosa de Matos Vieira Marcelo Marques montando CCA Afrodite e Jorge Zamboni com Arapuca 01 do Van Alan Soares montando ARC Alma Negra e Taian de Ávila com Berberia Inteiro Douglas Monteiro montando Pampeana do Gateado e Cleber Couto com Berega 625 Maufer Ivo Neto montando Irmão da Boa Vista e André Guazzeli com Bolero do Portal Gaúcho Ronaldo Gil montando Recatada da Limeira e Leonardo Luz com Castelhana do Negrinho Cuca Faccioli montando Granfina do Faccioli e Luis Antonio Zaballa com Xuxa do Faccioli Alberto Vizentin montando Pioneiro II da Zona Silvina e Luis Henrique Galvani com Amada da Água Doce Max Gabrielli montando Tirana II Mattos e Luciano Sartori com Lugano da Sessenta e Seis Deives Reis montando Ferreiro do Portal Gaúcho e Bruno Vizentin com Princesa do Cerro do Ouro Gilbraz Veloso montando Queimada da Rampa e Gustavo Rivarolla com Punhalada do Aguay

Foto Divulgação

os animais e dificultou o trabalho dos ginetes. “O nível dos animais estava alto, mesmo assim, a pista foi o grande algoz da prova, pois a areia pesada dificultou a corrida dos cavalos”, coloca Simon. A competição classificou seis duplas para a Final do Laço e premiou com o selo de raça Elegância Caliente.

Resultado Quatro das 13 duplas participantes em São Martinho/SC atingiram a classificação

Edivaldo Olibonni montando Julieta da Esperança e Tobias de Lima com RE Bill Bar Vanderlei Vaz montando Ana Julia do Capão Alto e Eder Barboza com Santa Alice Calhandra Cleber Crija montando Itapitocaí Falta Envido e Vanderlei Vaz com Simpatia do Campo Seco Cleber Crija montando RG Huana e Eder Barboza com Trança do Campo Seco

Disputa em Painel classifica seis duplas

No dia 10 de dezembro, 40 animais participaram do Crioulaço promovido pela Associação Catarinense de Criadores de Cavalos Crioulos Adolfo Luiz Nunes Martins, no município de Painel/SC. Das 20 duplas que participaram, seis classificaram-se para a Final do Tiro de Laço, julgadas por Cléber Machado, César Nazareno Vieira e Acácio Lemos Neto, sob a supervisão de Adolfo José Martins Neto. A prova ocorreu no Parque de Exposição do município e durou cerca de duas horas. Segundo César, a competição ocorreu tranquilamente, pois “o clima estava excelente, o gado bom e não houve punições”. O selo de Raça ficou com Bela Dona do Espigão.

Resultado Ronaldo Vieira Junior montando CAC-F-206 e Alcione Vieira com Odessa Gugelmin. Valdecir Vieira montando Impac Rodopio e Leandro Rafaelli com Alma da Santa Clara do Cajuru. Valdecir Vieira montando Jubiloso Del Suerte e Leandro Rafaelli com Uirapuru Gravatá. Roger Varella montando Impac Místico e Diogo Bronco com Cobiçada do Tamanduá Fernando João Hayze montando Carrasco do Espigão e Jucélio Roza com Chinoca da Villa Verde. Celso Luís Rafaelli montando Brisa da Invernada do Tanque e José Alceu Werner com EP Jambo.

Tiro de Laço em São Martinho

tem 13 duplas participantes

No dia 11 de dezembro, a Associação Catarinense de Criadores de Cavalos Crioulos Adolfo Luiz Nunes Martins promoveu o 2º Tiro de Laço, na Cabanha Destak, em São Martinho/SC. A prova reuniu 13 duplas, julgadas por Samuel da Silva, Djalma Darela e Vilmar Effting, sob a supervisão de Adolfo José Martins Neto. Segundo Samuel, a disputa foi boa e o nível dos animais está melhorando. “A região vem crescendo devagarzinho, pois pouca gente cria, mas estamos tentando fazer dar certo com a assistência dos técnicos”. Devido à aceitação dessa prova pelos participantes, já há a projeção de realizar uma Exposição Morfológica em 2011. O selo de raça foi concedido a Herdeiro da Terra Nativa.

Resultado Jucélio Nazário montando Tropeiro do Pesqueiro e Jardel Schlickmann com Puro do Rincão dos Xucros Sérgio Batista montando Hobby da Oca e Marciel Alves com Jupara da Várzea Marcos Pinheiro Martins montando São João do Juncal 158 e Tiago Antunes Koch com Sereno da Parada Bonita Israel Ricardo montando Belíssima do ERB e Marciel Alves com RZ Sempre Alegre da Carapuça

Areia pesada na disputa de laço em Quaraí

A chuva que caiu na véspera do dia 11 de dezembro na região sudeste do Rio Grande do Sul foi a grande adversária dos laçadores no Crioulaço promovido pelo Clube do Cavalo com o apoio do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos do município de Quaraí/RS. Sob supervisão de Christina Bandeira de Mello e tendo como jurados Omir Fernando Ferreira Martins e Paulo Roberto Simon, a prova foi considerada de bom nível pelas 23 duplas participantes, que encontraram na areia molhada e pesada sua grande dificuldade. Segundo o jurado Paulo Roberto Simon, a pista molhada cansou

Martin Gadret montando BT Zerosilha do Junco e Tarso Padilha montando Nazarena Dom Marcos Gilmar Castro montando Bibiana do Recanto do Boqueirão e Eduardo Souza montando Polpaico do Infinito Romoaldo Menezes montando Escondida Guerra e Diego Lima com Mazurca do Jacaraí Elizandro Migliorin com Valquiria da Tuna e Alaerte Alfonso montando Astuta da Tuna Eduardo Souza com Linda Prenda de Fontouras e Gilmar Castro montando Capanegra Pulana Leonardo Borges montando KB Anastra e João Olmiro com Galpão da São Januário

Bom Retiro do Sul bate recorde de inscritos A chuva do domingo, 12 de dezembro, não foi suficiente para reduzir o número de participantes do Crioulaço organizado pelo Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Santa Cruz do Sul, na Cabanha Santa Fé, em Bom Retiro do Sul, Rio Grande do Sul. Na ocasião, 93 duplas foram avaliadas pelos jurados Volnei Luis Pessi e Roberto Barreto, que contaram com a supervisão técnica de Luís Francisco Quadros Leite e consideraram a disputa, uma das maiores já realizadas no Estado, um verdadeiro sucesso. Paralela ao Laço também foi realizada Concentração de Machos com a participação de 22 animais, sendo 12 deles confirmados. O evento atraiu o público que compareceu em peso, sendo contabilizados entre cinco e seis mil visitantes. Na avaliação do jurado Volnei Luis Pessi, o nível dos competidores estava excelente, assim como a organização da competição, realizada em uma pista de provas de primeira qualidade e com um gado

17

selecionado. “Não tenho nenhuma crítica a fazer. Estava tudo muito bom”, afirma.

Resultado Luis Roberto de Paula montando De Bagé da Reservada e Alexandro de Paula montando Donzela da Reservada Eleandro Souza com Hospedeiro do Angoera e João Paulo Dias com Indiana do Angoera Alexandre Eli montando Delegado da Marca SD e Ederson Edrnez com Feitiço 41 de Santo Isidoro Paulo Campos montando Desatino da Ouro Branco e Nicolau Bueno com Festa do LG Ricardo Lopes com Comendeiro da Manto Azul e Diogo Medeiros com Jango das Três Estâncias Beto Lucas montando Rambo Cala Bassa e Márcio Santos com Varreforno Jacuí Igor Martins com Baronesa Serrano e João Pedro Appel montando Vento Negro da Ronda Maleva Robson Fleck montando Escudo do Carapuça e Guilherme Souza com VV Tropilha Eliezer Lima montando Índio do Taquari e Márcio Santos montando Dom Napoleão da Cola Crioula Vinicius Reginato montando Bejuco Cala Bassa e Douglas Santeira com Ricota da Ronda Maleva Marcos Nunes montando Santa Leodora A Mi Manera e João Adan com Serigote da Fé Luis Carlos montando Saia Curta do Espinilho e Douglas Cardoso com Sinuelo da Fé Pablo Duarte montando Salamanca 242 do Painel e João Adan com Um Ratito da Fé Edson Rosa com Corujão 699 Maufer e Cassino Castro montando Pretto 457 Ingrata Fabricio Pretto montando Maroleta Tupambaé e Rodrigo de Souza montando Clementina Alfombra Edilson Reis montando Entonado da Cabanha Santa Izabel e André Kern com Entonado da Santa Paz Anderson Kuhm montando Carimbo 749 Maufer e Marco Leandro montando Milonga da Brigadeira Bruno Hirth com HF Lindaço e Tiago Adan montando Desafio do Monte Bello Pablo Duarte com Deusa do Esplendor e Marco Nunes montando Eçaí de Santo Isidoro Paulo Cardoso montando Trovão de São Pedro e Henrique Cardoso montando Fenômeno 51 do Cerro Velho Aldemir Santos com Andarilho da Tafiá e Antonio Vargas montando Feitiço do Morro Verde Foto Mega Produtora

Disputa em Bom Retiro do Sul/RS teve 93 duplas inscritas; 32 delas se classificaram à final


18

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Eventos Foto Divulgação

Cassio Castro com Astor do Bugre e Gilmar Silveira montando Jambo Tambaé Anderson Kuhm montando SE Ronda Crioula e Marco Leandro com CRP Campeira Lucas Leandro montando Bailarina da Marca SD e Claudio Leandro com Revolta do HB Itamar Silveira montando Centauro 649 Maufer e João Crestari montando Indiana do San Diego Gustavo Marnet com BT Ordenado e Marlon Werner montando JV Bela Dona Francisco Silva montando Quietarrão da Fé e Enio Silveira montando Temporal da Fé Francisco Silva com Firmeza 1085 do Candidato e Enio Silveira montando Algazarra AAM Itamar Silveira com Fúria Negra do Pinhal e João Crestani montando Guapa 55 de Santo Isidoro Jonas Jatobá montando Nero da Linha Sete e Gilson dos Santos com Hércules 85 de Santo Isidoro

Chuva reduz quantidade, mas participantes laçam bastante O clima estava ruim e a chuva não deu trégua, mas, apesar da dificuldade, as 18 duplas participantes do Tiro de Laço realizado pelo Núcleo Itaquiense de Criadores de Cavalos Crioulos conseguiram laçar bastante, na prova realizada na Fazenda Santa Rita, em Itaqui/RS. Os participantes tiveram seu desempenho avaliado pelos jurados Amaril Becker e Joner Silveira, que contaram com a supervisão da técnica credenciada pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) Christina Bandeira de Mello. Segundo Joner, o nível dos concorrentes estava muito bom e eles, mesmo prejudicados pela ocorrência da chuva, conseguiram dar boas laçadas. “A chuva também reduziu a quantidade de inscritos”, lamenta. O selo de raça foi concedido à Olimpo do Piauí.

Resultado Valdecir Costa da Silva montando Embaixador da Invernada das Bonitas e Valmir Costa da Silva montando ST Faísca Gustavo da Silva montando OEA Trovão e Vinícius da Silva montando VBB Ululante Evandro Bonetti Escovar montando Santa Zilda Urtiga e Edimar Dorneles montando ST Erva Doce Márcio Costa montando Patacoada do Carmo e Rafael Pinto montando ST Lorota Valdecir Costa da Silva montando Nuvem Negra da Fama e Valmir Costa da Silva montando Encantada da Santa Rita Cláudio Silva montando Ditador da Ponta Negra e Cláudio Pinto montando Balconeiro da Ponta Negra

Ilhota reúne 30

Em Itaqui/RS, chuva reduziu quantidade, mas não a qualidade dos competidores

duplas em prova de laço

Os jurados José da Silva Neto, Vilson dos Santos e Antonio Sérgio Almeida foram os responsáveis por avaliar mais 10 duplas de laçadores classificadas para a Final do Laço 2011, disputada em Esteio/RS. A prova foi realizada no dia 15 de dezembro, na Cabanha Paulo Afonso, em Ilhota/SC e contou com a presença de 60 animais. Além de contar com infra-estrutura de qualidade, o evento também teve destaque pela qualidade do gado, que elevou consideravelmente a dificuldade da competição, “O número de armadas foi considerável, pois o gado era excelente. Os cavalos tiveram que correr bem mais para conseguir alcançar o objetivo”, afirmou Robson Schneider, organizador do evento. O público compareceu em massa à Cabanha Paulo Afonso, destacando a boa organização da Associação Catarinense dos Criadores de Cavalos Crioulos. “Tinha muita gente no evento, e a organização estava muito boa”, disse José da Silva Neto, um dos jurados do evento.

Resultado Robson Jardel Schnaider montando Mulata das Caieiras e Luiz Muniz de Souza montando Amapola da Rio Bonito Hélio João Cardoso da Silva com Ramon 98 Luna Lunera e Vanderlei Paulo montando Tranquera Bolcada André Willrich montando Estrela da Quitauna e Altair Schmit Júnior montando Santa Alice Vianda José Ademir Pereira com Beladona do Espigão e Antonio Augusto Pereira montando Brida do Espigão Braulio Wanzuit Neto montando Notícia do Puruña e Evandro Carlos Mendes montando Ciranda do Vô Bráulio João Guilherme Rocha Quadros montando Recruta do Tronco da Figueira e Aureni Silveira da Rocha montando Canastra do Barreiro André Willrich montando Cascavel 020 Favorita e Altair Schmit Júnior com Armada do Pinhal Robson Jardel Schinaider montando Paulo Afonso Cambona e Luíz Muniz de Souza montando Macumba do Rapador João Guilherme Quadros com Atrevido do Papagaio e Aureni Silveira da Rosa com Maragato Meu Pai José Ademir Pereira montando Cambona do Espigão e Antonio Augusto Pereira com Conquista do Espigão

El Cimarron promove primeiro Crioulaço em Tijucas

Pela primeira vez, o Centro de Treinamento El Cimarron, em parceria com o Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da Grande Florianópolis e Vale do Rio Tijucas, promoveu Tiro de Laço, no dia 19 de dezembro, com a presença de 24 amimais. O evento ocorreu no Centro de Treinamento El Cimarron, no município de Tijucas/SC, sob a supervisão do técnico da ABCCC Ricardo Guazzelli Martins, que ficou satisfeito com o Crioulaço. “Mesmo com poucas duplas, tivemos que dar várias voltas para desempatá-las. A disputa foi bem acirrada e o dia estava lindo”. O jurado do Crioulaço, Ronaldo José da Silva, disse que a prova teve um nível muito bom, pois “a competição foi bem equilibrada, com gado de qualidade e bons laçadores”.

Resultado Volnei Velho montando Jango da Macena e Neverton Velho com Zapatero do Capão Redondo José Luis Barreto montando General da Dois J e Ricardo Viana com Índia da Rota 5 Pablo Oliveira montando Comunista da Onicron e João Gabriel Silva com Saguá Conhaque Andrei de Souza montando Lampião das Três Divisas e Adolfo San Martin com Laço da Palha

Clima quente intensifica disputa em São José

Quem foi prestigiar a classificatória para a Final do Laço realizada na Cabanha Belino, em São José/SC, no dia 20 de dezembro teve de enfrentar o clima catarinense de todo final de ano: sol de rachar, temperatura acima dos trinta graus e areia quente. Mesmo com o calor, a disputa reuniu 12 duplas, bem preparadas, que competiram para garantir lugar entre as quatro classificadas para a final. Segundo Mário Pires, que julgou a prova juntamente com Alex Bervian e Anderson Lazaro Reis, os

animais estavam muito competitivos e a prova se estendeu até o início da noite. “Participaram da prova ginetes muito parelhos e o nível dos animais estava bem alto. Tivemos que dar um número grande de voltas para definir os classificados”, disse Pires. O gado também foi bastante elogiado pelos participantes e jurados da prova. “O gado em geral era bom, parelho. Em toda competição tem um animal que não está bem na prova, mas isso ocorre dentro da normalidade”, completou o jurado. O técnico responsável pela prova foi Adolfo José Martins Netto, e o selo de raça ficou com Peregrino do Itaó.

Resultado Maurílio da Silva montando Itaperajú Amargo e Rui Valério João de Souza com Amora da Mercedita Marlon da Silva com Malevo do Recanto e Priscila Goidert com TJ Veterana Maurílio da Silva com Sol Caliente da Nova Era e Adriano Cardoso montando Moreno Teimoso da Nova Era José Adriano Schaffer com TJ Alambique e Diomedes Junior montando Patrão de São Manoel

Tiro de Laço em Garibaldi tem 12 duplas classificadas O domingo após os festejos de Natal, 26 de dezembro, foi o dia escolhido pelos laçadores da serra gaúcha para celebrar o encerramento do ano Crioulo. Em evento promovido pelo CTG Sentinela da Serra com o apoio do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos dos Vinhedos foi realizada mais uma seletiva de Tiro de Laço, na cidade de Garibaldi, no Rio Grande do Sul. A prova foi bastante disputada e teve a participação de 38 duplas inscritas. Após seis corridas, 12 duplas restaram classificadas sendo que as três primeiras dividiram o prêmio de mil reais, após empatarem em primeiro lugar com 18 armadas. A disputa foi julgada por Luiz Gabana, sob supervisão técnica de Ricardo Guazzelli Martins. Em primeiro lugar ficaram Luan Zatt com Recoluta do Rincão dos Xucros e Felipe Dallosbel com Pretto 283 Montoya; Diego Lombardi com Glamour da Estância Velha Guarda e Valtair Sozo com Guerreira da Estância da Velha Guarda; Márcio Orso com Ametista do Trinta e Oito SC e Marcos Orso com Gladiador do Cinco Sete.

Resultado Luan Zatt com Recoluta do Rincão dos Xucros e Felipe Dallosbel com Pretto 283 Montoya Diego Lombardi com Glamour da Estância Guarda Velha e Valtair Sozo com Guerreira da Estância da Guarda Velha Márcio Orso com Ametista do Trinta e Oito SC e Marcos Orso com Gladiador do Cinco Sete Marcos Barreto com FSA Geada e Jucenei da Silva com Pórtico do Manantial Lucas Gomes com Dama do Arambaré do Sul e Leonel Gomes com Osvaldo Aranha da Tradição Ademir de Lima com Bandolero do Xike-xike e Ademar de Lima com Chamamé da Invernia Márcio Orso com Estrela da Invernia e Marcos Orso com Arisca de Santa Carmen Diego Lombardi com Macota Campeiro e Valtair Sozo com Urca do Campo Seco Luan Zatt com Pretto 461 Patacoada e Felipe Dallosbel com Esmeralda da Invernia Lucas Gomes com Proton do QCG e Leonel Gomes Com Ramada de Santa Clara Antônio Ferreira com Vitória Caetano e Diego Souza com Charrua da Figueira Ademir de Lima com OEA Taura e Ademar de Lima com Berbéria Avaré

Santo Amaro da Imperatriz habilita quatro duplas Julgadas por Humberto José da Cunha, Osmar Herculano Pereira e Mário Pires, 12 duplas participaram do Crioulaço promovido pela Associação Catarinense de Criadores de Cavalos Crioulos, no dia 28 de dezembro. O evento ocorreu na cabanha Jóia Rara, no município de Santo Amaro da Imperatriz/SC, sob a supervisão do técnico da ABCCC Adolfo José Martins Netto e classificou oito animais para a final do Tiro de Laço. Segundo Mário Pires, a estrutura do local era ótima, a prova foi disputada e a supervisão técnica foi excelente. “O gado era muito bom e havia laçadores conceituados na prova, o que fez com que a competição fosse acirrada e alguns voltassem para desempate das duplas”.

Resultado

(Ainda não homologado pela ABCCC) Diego Madeira Neves montando Mão nos Cobre da Escondida e Rafael Caligare com Aconchego de Santa Edwiges

Rafael Godinho montando Esperta Cimarron e Benício Warneling com OEA Rincão

Rafael Godinho montando Infinito do Monte Bello e Benício Warneling com Caraguatá do Rincão do Barreto Jardel Schurhaus montando Aurora da Dinastia e Gracílio Montebeller com Naipe da Oca


Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Eventos

19

Quem não tem um boi, pode correr contra o relógio Marcelo Mastrobuono

Marcelo Mastrobuono/Revista Horse

Uma prova tipicamente crioula, que andava um tanto esquecida, voltou a movimentar criadores e ginetes no interior de São Paulo. No segundo domingo de dezembro, dia 12, em Jacareí/SP, nove conjuntos entraram em pista para participar da Equinolatina, uma modalidade criada há cerca de 20 anos com o objetivo de simular tarefas do campo. O campeão foi Las Missiones Guaicuru com o ginete André Silva, de Caçapava/ SP; o segundo lugar ficou com Kandal Canário do Lisca, montado por Alexandre, de São José dos Campos/SP.

A competição, organizada pelo Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos do Vale do Paraíba e Sul de Minas, consiste em disputas de duplas de conjuntos, que correm simultaneamente

André Silva, montando Las Missiones Guaicuru, venceu a competição que simulou tarefas de campo como a abertura de porteiras

passando por obstáculos que simulam tarefas do campo, como contornar tambores e balizas, abrir porteiras, saltar traves e girar fenos. Ganha quem fizer o

melhor tempo e com o menor número de faltas. Depois das tomadas de tempo, as duplas são formadas pelo conjunto que conseguir a melhor

colocação contra a pior. Dessa forma, o primeiro enfrenta o último, o segundo o penúltimo e, assim, sucessivamente. As demais etapas classificatórias vão ocor-

rendo da mesma forma, até as quartas de final, semifinal e final. “É uma prova muito similar à Equitação de Trabalho, realizada pelos cavalos Lusitanos”, explica o presidente do Núcleo, Alexandre Pupo Ferreira. Segundo ele, a prova foi criada pelos próprios criadores paulistas de cavalos Crioulos, que na época não dispunham de gado para realizar as tradicionais competições da raça, como paleteada. Segundo o veterinário e diretor de Exposição do Núcleo, José Antônio Santos Cardoso, a Equinolatina surgiu no final da década de 80 e início da de 90 e só parou de ser realizada porque o núcleo também ficou parado. “É uma prova tipicamente realizada aqui em São Paulo, agora estamos retomando as atividades e o pessoal está muito animado”, considera ele, que fez o acompanhamento técnico da prova.


20

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Entrevista

Tradição, uma marca que se renova na família Bastos

Foto Ceni Adriano Alves

Renato Dalto

Tradição é uma marca e uma palavra de peso para Luiz Martins Bastos Neto. Tradição é o primeiro afixo onde registrou suas éguas junto com o avô e o pai, Luiz Antônio Martins Bastos. Tradição é o que herda de uma história e de um nome que traz do avô, o legendário Luiz Martins Bastos. Mas, ao lado dessa marca, afixo e trajetória que a palavra tradição simboliza, se juntam outras como seriedade, respeito, orgulho de uma história familiar que agora se traduz numa nova marca. Luiz Neto escolheu o afixo Cachimbo, como símbolo de confiança e seriedade. “Essa é uma palavra importante na minha vida”, afirma. Suas éguas antes estavam cunhadas com os afixos Tradição, Itapitocaí e Guapitangui. Luiz Neto administra a estância Princípio, de uma tia, Maria Cristina Bastos Fernandes, e trabalha com o pai, Luiz Antônio. “Tenho dois patrões”, costuma dizer. “Tenho em torno de 20 éguas na cria, sou sensato, não tenho mas administro campo.” O neto mais velho de Luiz Martins Bastos já carrega um orgulho com marca própria. Um potro de sua criação, Cachimbo Justo, foi o terceiro melhor potranco maior na Expointer 2009. “Quem é jurado sabe o quanto é difícil chegar à Expointer e receber duas escarapelas entre animais de uma qualidade maravilhosa. O nível dos potrancos era impressionante”, observa Luiz Neto. Quando olha o passado, recorda a geografia que lhe marcou a infância nos campos de Uruguaiana. “A Nazareth é uma sede, em torno a dois, três quilômetros dali existia uma sede da Tradição. Meu bisavô morava na Nazareth. Meu pai recebeu a Tradição, uma casa e uma mangueira de pedra. A minha vida foi feita ali na Nazareth e na Tradição.” A vida que segue, agora com nova geração, tem o irmão Chico, os primos Felipe, Luiz Alberto e Ângelo Antônio e uma bagagem de conhecimento e história a ser vivida e reprocessada. A família Bastos é responsável pela vinda de La Invernada Aniversário, um dos primeiros reprodutores chilenos

Luiz Martins Bastos Neto mantém, nos costumes de manejo e trato dos seus animais, a tradição de uma família que seleciona cavalos Crioulos com seriedade e respeito

a chegar no Brasil. Mas hoje, Luiz Neto entende que o momento é outro. Continuam usando os mesmos reprodutores na família, com destaque para dois cavalos, Índio da Escondida e Camb Toncho. Na convicção pessoal de criador, Luiz Neto fala de um pai que vem produzindo animais de muita função: Jurado da Tradição. “Ele é o pai de Seresteiro, Freio de Prata 2004, de Joana, Reservada de Grande Campeã da Expo FICC, de Lamarca e Ventania - as duas primeiras éguas que o meu irmão Chico classificou ao Freio”, avalia. Fala com saudade em Destaque da Tradição, Grande Campeão da FICC que a família produziu e que foi vendido ainda muito novo para um condomínio de criadores do Paraná. Remete também à doma de 21 dias, um concurso que faz questão de levar animais para participar. Lembra de um outro grande cavalo, Imigrante da Tradição, Freio de Prata em 1994. “Eu acompanhava muito esse cavalo. Ele disputou a final do Freio com apenas uma mão sadia. Assisti a uma cena, o Afonso tirar ele encilhado da cocheira e ele encolhido, quase sem poder andar. Pra montar, tinha que esquentar antes, trabalhar na guia. E depois ele en-

trava em pista e fazia chover. Era um cavalo de um coração fora do normal.” Enfim, se tradição é uma palavra forte, existem outras como respeito e humildade, traduzidas na arte de ouvir, de aprender e de experimentar. E isso, talvez seja a maneira mais respeitosa e digna de manter viva e presente a marca da Tradição. Qual o critério acasalamentos?

usado

nos

Vejo os reprodutores, faço uma lista e vou pra mangueira e olho égua por égua. Sou contra acasalamento em escritório. Isso não funciona. Genética não é uma ciência exata. Preferes trabalhar com um leque maior de reprodutores ou trabalhar com menos cavalos?

Sempre procurei usar cavalos que tinham coisas que me agradavam: função, temperamento, morfologia. Acho que, hoje, 90% dos criadores estão precisando de um pai, um cavalo padronizador, um raçador. Estou também à procura desse cavalo. Talvez de todos os pais que a família hoje usa, o cavalo que mais dê essa padronização e qualidade racial seja o Índio da

Escondida. Nós que fomos os primeiros a trazer cavalos chilenos, mas hoje o cavalo trazido do Chile não tem muito a acrescentar à criação brasileira. Os cavalos que fizeram um grande trabalho como o Hornero, o Aniversário, o Pilpilco, o Señuelo, trabalharam em cima de uma base de éguas muito sólidas, muito raçudas e estruturadas. Hoje, na raça crioula, não temos mais esses produtos sólidos. São animais mais polidos - éguas mais delicadas, mais retangulares mas com menos osso, e acho que se usar com elas cavalos chilenos vai se perder muito em qualidade racial, beleza e estrutura. Como é o manejo das éguas na cria e na parição?

As éguas de cria e os potros estão sempre nos melhores campos. Temos uma área de pastagem de inverno com azevém, trevo e cornichão. As éguas prenhes passam o inverno em pastagem sem qualquer tipo de suplementação. A parição delas é em resteva de azevém. Como é feito o desmame dos potros?

Aproximadamente aos sete meses de idade, eu já procuro ama-

nunsiar junto com as mães (hoje em torno de 80 éguas de cria). Posteriormente, separamos machos e fêmeas, deixo de um a dois dias na mangueira com água e depois vão cada grupo em uma pastagem com azevém. Ficam até o sobreano. E sempre que tem pastagem, os machos que vão ficar inteiros e todas as fêmeas vão para pastagem. E como segue o manejo no primeiro e no segundo anos de vida?

É esse mesmo. Faço de três a quatro dosagens de vermífugo por ano. Tem outro manejo que muita gente não conhece. Os reprodutores ficam todos juntos no inverno. Pais, filhos, netos, todos os inteiros ficam na invernada.

E qual o critério para levar um animal pra cabanha?

É uma avaliação de mangueira. Os que considero superiores de morfologia levo pra cabanha. São selecionados por morfologia, por qualidade, pelos pais. Em nível familiar há uma nova geração - Luiz Neto, Luís Alberto, Ângelo Antônio, o Chico - como vocês trocam ideias e conduzem a criação?

Temos um hábito que vem desde o meu avô: quando o técni-


Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Entrevista

21

Foto Almirante Neves/Arquivo ABCCC

co vai fazer as resenhas nas propriedades, todos são convidados. Meu pai, meus tios, primos, todos vão para onde o técnico está fazendo a resenha e se vai, se escolhe, se discute, se bate-boca, se escolhe um ou outro, os melhores. Isso é feito naturalmente, em toda a família. Pesa muito para essa nova geração a tradição, essa obra que vem do passado e ter que continuar e melhorar isso?

A nossa base, a estrutura familiar é tudo. Meu avô e meu pai nos deixaram isso muito claro. O respeito acima de tudo e a amizade. Eu carrego um peso muito grande que é o nome do meu avô e tenho muito orgulho disso. Mas a raça mudou muito. Existem muitos criadores competentes e muitos criadores fazem manadas rápido com valores importantes. Pessoas que, bem assessoradas, atalham caminhos e procuram resultados acima de qualquer coisa. Eu tenho um perfil mais criador. Gosto de cavalo, de montar, de testar meus animais. Como é se movimentar nesse outro momento, onde há um outro universo de animais e criatórios?

Acima de tudo, tem que ter humildade e senso crítico. Avaliar os criadores de sucesso e aproveitar coisas que eles ensinam. Há criadores exemplares, que formaram a raça e que seguem evoluindo. O passado é extremamente importante, mas uma cabanha não pode viver só do passado. Tem que provar a competência e ter resultados. Em relação aos jurados, eu acho que o melhor jurado da raça é o que é extremamente correto e competente também como criador - é muito importante ter resultado na própria cabanha.

O Freio de Prata conquistado por Seresteiro da Tradição em 2004 foi uma das maiores emoções do criador que, mais tarde, em 2007, atuou como jurado na principal seletiva da raça Crioula

Como é escolhido o macho que se tornará reprodutor?

Primeiro critério é a morfologia. A raça crioula evoluiu graças a esse peso da morfologia no Freio de Ouro. Temos um cavalo maravilhoso e muito bom de função em nível de Cone Sul. Minha seleção segue esses critérios: bons aprumos, boa estrutura óssea e linha superior. Meu avô usava uma expressão que eu uso muito: um reprodutor tem que se distinguir no meio da manada. Um cavalo com volume, com estrutura correta, com expressão de macho. Como é iniciada a doma e qual o sistema utilizado?

Começa ao pé da mãe com a amanunsiada dos potrilhos, é passado o maneador e o potro é solto.

Depois é pego pra domar com três anos de idade, porque na natureza as coisas não são tão imediatas. A doma usada é a tradicional misturada com a racional. Hoje o cavalo é bem amanunsiado, trabalhado antes de montar, coloca-se o bocal, esse animal por etapas de um aprendizado. É feita uma doma de bocal, depois colocado um bridão com 21 dias de doma. Após isso, o cavalo é solto e retorna de um tempo de descanso. É encilhado com mais um pouco de bridão e, gradativamente, ele começa a trabalhar com freio duro. Abre-se a exceção para animais de distinção morfológica que eu tenho que levar a Esteio. Em todas as categorias, os animais têm que serem domados. Então os que vão como potranco menor ou maior em Esteio tem Foto Ceni Adriano Alves

Trabalho criterioso desenvolvido na Estância Nazareth garante a produção de exemplares de exceção dentro da raça

que ser domados com dois anos. Esses têm uma condição nutricional diferenciada mas fazemos uma doma mais leve. Como é feita a preparação dos animais para competições morfológicas e funcionais?

Temos aqui em Uruguaiana uma exposição muito forte que se chama mini-incentivo e incentivo. Animais até um ano e até dois anos. Chegam a competir em cada uma dessas categorias 70 animais. Então alguns animais bonitos já novos são cuidados para essa exposição, depois são soltos, pegos em fevereiro ou março, começa a se suplementar de novo para levar na exposição até dois anos. Durante algum tempo recebem um tipo de exercício. Faço a opção ou natação por não forçar qualquer tipo de articulação ou trabalhos de tiro, com o cabanheiro montado num cavalo manso e dois potrancos acolherados troteando, só trote, em linha reta, pra não forçar articulações e muscular. Posteriormente, esses animais são domados e têm um trabalho específico se vão para Esteio. Na questão funcional, a gente doma as éguas e boto um ano no serviço de campo. É assim com todos os animais. Laço, campereada, curar terneiro, até mesmo pra selecionar por qualidade funcional e aptidão vaqueira. Depois se coloca essas éguas na reprodução, se tira um potro e depois dessa primeira cria se direciona para algum tipo de treinador. A doma é como a base de uma casa. Se não é bem-feita, lá adiante vai apresentar uma rachadura. Como são selecionados os animais que vão para venda em remate?

Optamos por não participar de leilão em 2010 pois vamos participar de um leilão nosso. Mas a opção de animais pra venda. Primeiro, por ter avaliado ele no trabalho de campo. Segundo, por ter deixado descendência importante, duas, três filhas dentro da cabanha e animais que dentro dos reprodutores que eu tenho não consegui acertar acasalamento. Dou como exemplo a mãe do São João do Juncal Pandemônio, que é uma égua nossa. Temos filhas dela que são éguas normais, mas com a utilização de um outro reprodutor (BT Jurado) tirou o Pandemônio, bigrande campeão de Esteio e que é um animal de exceção dentro da raça. Qual a sua maior emoção como criador?

O Freio de Prata do Seresteiro (2004). Porque eu acompanhei de perto, indiquei ele para o Collares, meu avô me deu liberdade de administrar essa parte. Quando se consegue chegar entre tantos cavalos bons a um Freio de Prata com uma diferença insignificante ao que levou o ouro (perdemos por 0,01 ponto). Foi uma grande emoção. E em 2009, pra mim, como criador, uma cabanha, eu tirar o terceiro maior potranco em Esteio foi uma grande satisfação. Também fui escolhido em 2007 para julgar no mesmo ano o Freio de Ouro e a morfologia em Esteio. Eu tinha que falar ao microfone. É perigoso porque se não conseguisse expressar o que avaliou complica o julgamento. Tem que falar pouco e comentar até o momento em que está elogiando. Quando começa a ressaltar defeitos, tem que parar. O jurado tem que julgar e não criticar.


22

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Eventos

Super Stakes gaúcho estreia com prêmio exclusivo da ABCCC Dois dias dedicado às rédeas e recheados de novidades. Assim foi o segundo final de semana de dezembro no Centro de Treinamentos e Eventos Querência, em Porto Alegre/RS. Lá a ABCCC premiou os melhores cavalos Crioulos confirmados que participaram do 1º Super Stakes da Associação Gaúcha de Cavalos de Rédeas (AGCR). Ao todo foram R$ 5 mil.

Na categoria Aberto, disputada no sábado (11/12), Milonga do Trinta e Oito, montada por Gabriel Diano ficou com o primeiro lugar. Ao entrar na pista o conjunto arrancou aplausos e levou a plateia ao delírio com a nota de 73,5 pontos. No bolso, o cheque no valor de R$ 2,5 mil, além de prêmios da Associação Gaúcha de Cavalos de Rédeas (AGCR). Já BT Urbanita, montada por

Brandt Veppo fez 69,5 pontos e ficou com o cheque de R$ 1 mil destinado à categoria Aberto Light. Além da primeira edição do Super Stakes, o Centro de Treinamentos e Eventos Querência também foi palco da segunda etapa do 8º Campeonato Gaúcho de Rédeas. Nas disputas do Aberto e do Aberto Light os competidores enfrentaram o circuito nove, uma outra novidade naquela pista. Na avaliação do juiz, Nelson Rodrigues, de Avaré/SP, o que fez com que Milonga do Trinta e Oito conquistasse o Super Stakes e também o Campeonato Gaúcho foi a estabilidade. “A égua começou com um grau de dificuldades alto e se manteve até o final da prova, o que não ocorreu com os demais.” Para Rodrigues a inserção do cavalo Crioulo em provas de rédeas, embora recente, já demonstra um futuro promissor. “Eles

têm apresentado grandes habilidades. Alguns têm sido bem direcionado à modalidade, o que só tem aumentado o nível técnico.”

Divulgando o Super Stakes da ABCCC

Conforme o coordenador da subcomissão de Rédeas da ABCCC, Eduardo Matas, a ideia de premiar os melhores cavalos Crioulos confirmados, além de estimular a participação de animais da raça Crioula na modalidade teve a intenção de divulgar o 1º Super Stakes da ABCCC, previsto para ocorrer em 2011. Segundo Matas a data do evento deve ser definida nos próximos meses, mas a premiação de R$ 10 mil já está garantida. O Super Stakes é uma prova de rédeas destinada a animais com quatro e cinco anos hípicos.

Fotos Felipe Ulbrich

Milonga do Trinta e Oito, com Gabriel Diano, conquistou o primeiro lugar na categoria Aberto

BT Urbanita, com Brandt Veppo, foi o vencedor na categoria Aberto Light

Santo Izidro Costanera, com Mariana Salvador, venceu na Amador e na Amador Light

Santo Izidro Costanera vence duas categorias

Com 71 pontos o conjunto Santo Izidro Costanera, montado por sua proprietária, Mariana Macedo Salvador, garantiu no domingo (12/12) as duas premiações oferecidas pela ABCCC no 1º Super Stakes da Associação Gaúcha de Cavalos de Rédeas (AGCR). Além do cheque de R$ 500,00 destinado ao melhor desempenho de Crioulos na categoria Amador Light, a dupla também foi a melhor na categoria Amador e com isso recebeu mais um cheque no valor de R$ 1,5 mil. A etapa Amador do Super Stakes da AGCR contou com a participação de seis animais, quatro da raça Crioula.

Confira os premiados pela ABCCC Aberto

1º lugar - Milonga do Trinta e Oito, filha de Diamante do Trinta e Oito e Loreada da Carovy, criador Cabanha do 38 Agropecuária Ltda e expositor João Carlos Brasil Feijó, ginete Gabriel Diano. Nota: 73,5 Aberto Light

1º lugar - BT Urbanita, filha de BT Lucero e BT Alteza, criador Flávio Bastos Tellechea e expositor Fazenda Santa Bárbara das Guaritas, Belo Horizonte, ginete Brandt Veppo. Nota: 69,5 Amador e Amador Light

Santo Izidro Costanera, filho de Mañanero Terere e Quentura do Azul, criador Reynaldo Titoff Salvador e expositor Mariana Macedo Salvador, Estância Santo Izidro, Uruguaiana/ RS, ginete Mariana Macedo Salvador. Nota: 71


Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Eventos

23

Categoria Infantil é destaque em Carazinho Fotos Alexandre Freitas

André Amaral

Entre os dias 3 e 5 de dezembro, o Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Carazinho/RS realizou uma série de provas, incluindo Credenciadora de Inéditos (página 8), Campereada e Provas Jovens, além de Morfologia (página 14) e Concentração de Machos. A Prova Jovem foi julgada por Luiz Martins Bastos Neto, que considerou o nível dos concorrentes excelente.

Cerca de 15 competidores participaram da seletiva, que chamou a atenção do jurado principalmente na Categoria Infantil. “O patrocinador do evento ofereceu duas selas que foram entregues para um ginete de macho e um de fêmea, incluindo os da Credenciadora. A escolha foi unanimidade entre os jurados, ambos ficaram com os das provas infantis”, informou Neto.

Confira os resultados das Provas Jovens Infantil Masculina

1º lugar CRC Bravo, filho de Fandango de Santa Cinilda e Aleluia CV, ginete Caetano Wever de Quadros. Nota 10,306 Caetano Quadros montando CRC Bravo

Felipe Weber com Guerreiro do Ouriço

2º lugar Caapi Mirin Capincho, filho de Impulso do Itapororó e São Leopoldo Urtigal, ginete Arthur Oliveira. Nota 9,932 3º lugar TL Campana, filha de Impulso do Itapororó e Fuzarca Tambaé, ginete Arthur Oliveira. Nota 9,900

Bruna Britta com Nativista dos Três Pastores

Sebastião Haeffner montando CRC Fandango

Na Concentração de Machos, realizada pelo técnico Jorge Aginelo do Nascimento, dos 13 cavalos presentes, 11 foram confirmados. Em uma campereada não oficial julgada por Jorge Aginelo do

Nascimento, apenas sete trios competiram, mas muita gente participou. “Um evento extraoficial, mas de grande valor. Serviu para reunir a família e os criadores em uma ótima confraternização”, disse Nascimento.

Juvenil Masculino

1º lugar Guerreiro do Ouriço, filho de Campana Guasquero e Nara da Guarida, ginete Felipe Weber. Nota 8,910 2º lugar Yguero Pala Gasto, filho de BT Harmônico e Like Racista, ginete Diogo Wollmeister. Nota 8,674

3º lugar Marco da Guarida, filho de Dele Boca do Orelhano e Dalua da Guarida, ginete Diogo Wollmeister. Nota 8,217

Aspirante Feminina

1º lugar Nativista dos Três Pastores, filha de Campana Farrapo e Galopeira de Santa Angélica, ginete Bruna Britta. Nota 6,133

Aspirante Masculino

1º lugar CRC Fandango, filho de Fandango de Santa Cinilda e Percanta do Pelo Duro, ginete Sebastião Haeffner. Nota 11,001 2º lugar Três Cerros Recomeço, filho de CRT Guapo e Revolta da Magnólia, ginete Diego Pereira. Nota 7,483 3º lugar Olho de Bugre de São Bibiano, filho de BT Olimpo do Junco e Taleira 1178 de São Bibiano, ginete Anderson de Oliveira. Nota 6,742


Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Eventos

Paleteada em Tijucas movimenta 13 duplas Fotos Ana Márcia Kayser

Evento realizado em Tijucas/SC, no dia 19 de dezembro, foi disputado de maneira acirrada e sob clima muito agradável

Yéssica Lopes

Promovida pelo Centro de Treinamento El Cimarron, com o apoio do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos da Grande Florianópolis e Vale do Rio Tijucas, a 2ª Classificatória de Paleteada Centro de Treinamento El Cimarron credenciou oito animais.

O evento ocorreu no dia 19 de dezembro, paralelamente à 1ª Concentração de Machos, Castrados e Fêmeas, no Centro de Treinamento El Cimarron, em Tijucas/SC, sob a supervisão técnica de Ricardo Guazzelli Martins. Segundo Guazzelli, a competição foi acirrada e o clima estava agradável. “Embora poucos participantes, a prova foi bem disputa-

Quaraí credencia oito duplas O Núcleo Quaraiense de Criadores de Cavalos Crioulos promoveu no dia 11 de dezembro mais uma etapa de Paleteada. Realizada no município de Quaraí/RS, a prova reuniu 36 duplas. Segundo Pedro Bastos, que julgou esta etapa credenciadora ao lado de Carlos Félix, o nível dos animais foi razoável, “a paleteada foi boa, mas o gado estava um pouco fraco. Mesmo assim a disputa foi acirrada”. As oito duplas credenciadas participarão da classificatória de Paleteada das regiões dois e três,

da e a chuva deu lugar ao sol.” A Paleteada foi julgada por Marcelo Alexandre e César Adil Souto e contou com a presença do presidente da Associação Catarinense de Criadores de Cavalos Crioulos, André Rosa. O selo de raça ficou com Baioneta do Morro Chato e, como as duplas que ficaram em 1º e 3º lugares já estavam classificadas para a semifinal, outras duas duplas conquistaram vaga na disputa. Segundo César o evento foi muito bem organizado e todas as pessoas estavam engajadas no processo de divulgação da raça. “Surpreendeu-me a absoluta harmonia da prova, pois Santa Catarina não possui essa tradição e assim o cavalo Crioulo ganha força fora do Rio Grande do Sul.”

que ocorrerá em maio, no município gaúcho de Alegrete. Das classificatórias, que também contarão com provas em Pelotas e Lages, sairão os competidores ao prêmio máximo da modalidade, que é disputado durante a Expointer 2011, em Esteio/RS. (Yéssica Lopes)

Resultado Michele Machado montando Veneno da SM e José Carlos Silveira montando Retiro de Pai Passo Válter Marques com Qual Um Doce da Quinta e Válter Souza montando Posteiro da Rama Negra Adão Lopes montando AV Vinho Tinto 254 e Alfeu Guerra com Es-

Resultado (Fornecido pelo técnico, ainda não homologado pela ABCCC) Adolfo San Martin montando Morocha da Biguaçú e Diego Orguissa com Baioneta do Morro Chato Adolfo San Martin com Ipê da Tapera do Mariano e Hélio Laureano Júnior com BT Lindaço Adolfo San Martin montando Bagé da Bela Aliança e Diego Orguissa com Relance do Puranã Adolfo San Martin com Laço da Palha e Andrei Souza montando Lampião das Três Divisas

condida Guerra Cândido Jacó com Milongueiro Tupambaé e Gabriel Mota com Marcela II da Guajuvira Adão Lopes montando Dádiva do Cerro do Dinheiro e Carlito Giudice com Tertúlia da Rama Negra Dário Camargo dos Santos com DS Raio de Sol e Torquato Petrarca montando Espada de Santa Odessa Jalmir dos Santos montando Chasque Waco e Claudino Murillo com AM Posteiro Márcio Maciel com Aroma do Itaquatiá e Ângelo Maciel montando Bochinchero do Itaquatiá

25

Concorrentes mostram habilidade em Piratini Com gado qualificado e em uma pista de primeira, a Paleteada realizada pelo Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Piratini/RS, entre os dias 2 e 5 de dezembro, reuniu bom nível de competidores e demonstrou grande receptividade por parte dos organizadores. Paralela à Paleteada também foi realizada Concentração de Machos. Julgadas por Carlos Sá Azambuja Neto e Eduardo Souza, as 13 duplas demonstraram habilidade, mas em um nível um tanto desparelho. “Diria que, das ganhadoras, quatro têm chances de ir bem em Esteio. Já as outras precisam de um pouco mais de prática”, aposta Azambuja Neto, que acredita em uma excelente classificação da dupla vencedora na final do ciclo. Na Concentração de Machos realizada paralelamente à Paleteada, seis exemplares foram avaliados e quatro animais fo-

ram marcados. Paralela à Paleteada, o Núcleo de Piratini organizou uma prova de potros domados há um ano. A disputa movimentou o evento e chamou a atenção do público presente. (André Amaral)

Resultado Rafael Suñe com Consuelo da Camila e Solimar Munhoz montando Írio Tupambaé José Maria Araújo montando Bochincho do Canto do Mato Grande e Gustavo Silveira com Guerreiro da 27 de Maio João Alberto Cunha da Rocha Filho com Donzela do Gaiteiro e Vanderson Antunes montando SJ Xucra Tiago Ávila montando CP Estopim e Rafael Suñe com Honesto de Santa Margarida

Primeiro lugar fica em mãos femininas

Livramento. O núcleo já projeta a 2ª edição da prova, aprimorando a sua realização e ampliando a premiação. (Yéssica Lopes)

No dia 5 de dezembro, o Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Bagé/RS realizou sua primeira Paleteada do ciclo 2011, reunindo 62 animais, na Estância São José, localizada entre os municípios gaúchos de Bagé e Dom Pedrito. Sob julgamento de João Carlos Silveira e Pedro Bastos oito duplas garantiram vaga na classificatória de Paleteada da primeira e sexta região, que ocorrerá em Pelotas no mês de abril. Além de estar mais perto da final da modalidade, o primeiro lugar recebeu a quantia de R$ 1 mil oferecida pela Estância São José. Pela primeira vez nesta Primavera o lugar mais alto do pódio foi para uma dupla de mulheres: Vanessa Castilho e Mariana Silveira. Na prova outras quatro mulheres se classificaram. Segundo o técnico que supervisionou a prova, Alexandre Suñe, o evento ocorreu de forma organizada e foi muito produtivo. “O lugar era lindo e o nível dos animais era bem elevado”, comenta Suñe, que premiou com o selo de raça o garanhão Santa Brígida Acuelo, exemplar da Cabanha Santa Brígida, de Sant’Ana do

Vanessa Castilho montando El Gringo do Boeiro e Mariana Silveira com Oriente 704 do Barulho

Resultado

Mário Saldanha com Isqueiro de São Bibiano e Francisco Feltrin montando Prateada da Lima Negra Sílvia Loro com Capanegra Flaminga e Michele Machado com Entonado do Recomeço Luciano Noal montando Kavaju do Capão Bonito e Lazaro Martinez com Meridiano Tupambaé Thiago Teixeira com Serenata do Macanudo e Rudi Penso montando Santa Alice Otário Aluísio Perez montando Laçador Taquari e Anderson Perez com Viragro Simpatia Eduardo Souza com Campana Muy Amigo e Lucas Garcia montando Indice Tupambaé Laura Pando montando Capanegra Estampilla e Vanessa Castilho com Yvituhatã El Rancho Las Taleras


26

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Eventos

Pouca experiência, mas ótimo nível no Nordeste Foto Léo Nogueira

Maysa Maciel

Depois de apenas seis meses de treinamento, o cavalo Crioulo pôde demonstrar sua versatilidade e força em solo diferente do que está acostumado. Inseridos no projeto Vaquejadas da ABCCC desde abril, os Crioulos entraram em pista do Clube do Vaqueiro no dia 4 de dezembro para concorrer ao circuito local de Vaquejadas, com premiação de R$ 10 mil oferecida pela ABCCC.

Já com planos para o próximo ano, estiveram presentes na prova o presidente da ABCCC, Manoel Luís Benevenga Sarmento; os vice-presidentes Administrativo, Frederico Wolf; e de Eventos, Mário Móglia Suñe. Em um cenário diferente do acompanhado no Freio de Ouro, a funcionalidade e coragem do cavalo Crioulo foram qualidades muito observadas na competição, mesmo com o pouco tempo de treinamento. A prova, exclusiva para a raça, teve início às 14h de sábado e reuniu grande público em Fortaleza/CE. Participaram da competição 16 exemplares. Cada cavalo correu quatro bois por senha e, no somatório final, sagraram-se campeões Choroy do Coqueiro e Suprema Ala Noche, ambos do proprietário Leôncio Barreto. Segundo o técnico que acompanha o projeto, Romeu Koch, mesmo com pouca experiência,

Choroy do Coqueiro e Suprema Ala Noche, ambos de Loêncio Barreto, sagraram-se campeões da Vaquejada disputada em Fortaleza no dia 4 de dezembro, no Clube do Vaqueiro

os cavalos apresentaram um bom nível na prova e o treinamento se mostra ainda mais importante nesta fase do projeto. “Dos quatro cavalos que começaram a treinar no início do ano, dois ficaram nas primeiras colocações nesta prova,

o que demonstra que a raça pode crescer na modalidade”, diz. A adaptação dos cavalos ao clima nordestino foi uma grande surpresa para os integrantes do projeto. Mesmo com o costume do clima quente no verão e frio no Foto Maysa Maciel

Vencedores foram contemplados com R$ 5 mil de um total de R$10 mil em prêmios, também distribuídos ao segundo e terceiro colocados

inverno do sul do Brasil, o calor da região pareceu não afetar os exemplares, que são avaliados periodicamente por veterinários da região. Porém, toda mudança apresenta dificuldades a serem superada e, segundo um dos proprietários, Leôncio Barreto, o nível de stress dos animais durante a prova prejudicou o desempenho dos Crioulos, que ainda não estavam acostumados às condições atípicas da competição. “O grande movimento de público e o som alto elevaram o stress dos cavalos que ainda não tinham participado de provas deste porte, assim,

a participação em mais eventos vai contribuir para o amadurecimento dos exemplares”, afirma Barreto, que também garantiu o primeiro lugar na prova realizada em Tabuleiro do Norte/CE, entre os dias 9 e 12 de dezembro. Leia mais sobre este evento na página 27. Implementado em abril deste ano, o projeto, que tem como objetivo a maior inserção de cavalos Crioulos nas Vaquejadas selecionou 25 animais para serem encaminhados a 18 propriedades no nordeste brasileiro, onde passaram a ser treinados para a modalidade.


Eventos

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

27

Suprema Aca Estoy e Suprema Ala Noche vencem Vaquejada no Ceará Fotos Douglas Saraiva

Douglas Saraiva

A cola é passada de mão em mão até que, em um misto de força e técnica, a rês é sujeitada e rola com as quatro patas para o ar, entre as marcas de cal. A confirmação positiva do jurado era o que bastava para a vibração do público atento a cada corrida marcada sobre a pista de areia fofa do Parque Martins. Os olhos acostumados a ver o boi virar pelo impulso de alguns corredores, desta vez, assistiram ao potencial de um legítimo vaqueiro.

Sob chuva, apesar da temperatura na casa dos 30 graus, o cavalo Crioulo deu mais uma demonstração de versatilidade na Vaquejada promovida no sábado, 11 de dezembro, em Tabuleiro do Norte/CE. Disputando premiação especial de R$ 10 mil no evento, a raça mobilizou a inscrição de 11 duplas de competidores que fizeram valer o boi na prova disputada na cidade interiorana, distante cerca de 220 quilômetros da capital cearense, Fortaleza. Ao som do forró, cada dupla correu quatro bois por senha. No somatório de pontos, o primeiro lugar ficou com Renato Tobias, que montou Suprema Aca Estoy, e Carlinhos Timóteo, com Suprema Ala Noche, da Avace, de Fortaleza/CE. Na segunda colocação ficaram Baxinho, com Que Sorte do Itapevy, e Antônio da Tieta, com Suprema Bonanza, do Parque Martins, de Tabuleiro do Norte/CE. Jô Bacalhau, montando Bom Retiro Johnnie Walker, e Jaquelino, com Kentucky Tupambaé, competindo pelo Parque José Bacalhau, de Ingá/PB, ficaram com a terceira colocação. O zaino Suprema Ala Noche, inclusive, já havia vencido a etapa do Crioulo da vaquejada disputada há uma semana no Clube do Vaqueiro, em Fortaleza. Ele e Suprema Aca Estoy pertencem ao criador Leôncio Barreto, do Rancho Ypsolon Ou. O valor total oferecido foi dividido em R$ 5 mil ao primeiro colocado, R$ 3 mil ao segundo e R$ 2 mil ao terceiro. Além da quantia, a melhor dupla ainda levou um troféu especialmente confeccionado para a modalidade. Apesar da premiação especial, os animais da raça Crioula

A dupla formada pelo vaqueiro Renato Tobias, com Suprema Aca Estoy, e o esteira Carlinhos Timóteo, com Suprema Ala Noche, ficou com a primeira colocação da prova e levou o prêmio de R$ 5 mil

disputavam, na mesma corrida, a premiação total do evento. Na disputa aberta foram registradas no total cerca de 900 inscrições de cavalos de variadas raças. A premiação geral incluiu três automóveis zero quilômetro e uma motocicleta.

Projeto Vaquejada

Em segundo lugar ficaram Baxinho, montando Que Sorte do Itapevy, e Antônio da Tieta, na cela de Suprema Bonanza

A terceira melhor dupla foi Jô Bacalhau, com Bom Retiro Johnnie Walker, e Jaquelino, montando Kentucky Tupambaé

A premiação aos melhores cavalos Crioulos da vaquejada faz parte de projeto de fomento à consolidação da raça nas regiões norte e nordeste do país desenvolvido pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). A proposta busca oportunizar a abertura de um nicho à raça no mercado consumidor da modalidade. O projeto vaquejada da ABCCC promoveu, em abril deste ano, o envio de 25 animais a 18 criadores selecionados de estados como o Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco, que desde então vem sendo adequados e treinados para a prova. Esta foi a segunda vez que a Associação ofereceu premiação específica aos animais da raça na vaquejada. A competição teve a supervisão do técnico Romeu Koch, além da presença do gerente do Setor de Eventos da ABCCC, Ibsen Votto.


28

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Geral

Saúde bucal reflete em desempenho funcional Fotos Jorge Patella

Osiris Reis

Engana-se quem pensa que a saúde de um equino é somente relacionada à prevenção e ao tratamento de doenças e à qualidade do desempenho em provas, por exemplo. Mesmo passando despercebido por uma considerável parcela dos criadores, o bem-estar bucal do animal não se refere somente à aparência, mas tem importante ligação com diversas outras áreas da vida, como por exemplo, a nutrição e a, consequente, valorização da raça.

Segundo a Comissão Nacional do Cavalo, o país possui um rebanho de cerca de 5,7 mil animais, um dos maiores do mundo, no entanto, menos de 1% recebe cuidados odontológicos. O veterinário e clínico de equinos, Rodrigo Michelon, afirma que o ideal para a manutenção da saúde bucal do animal seria que ele fosse levado pelo menos uma vez ao ano à assistência odontológica. O desgaste dentário atualmente é um dos principais problemas identificados. Ele agravou-se no momento em que a criação de equinos em baias, por exemplo, intensificou-se. Naturalmente, os dentes dos animais crescem cerca de 2 mm por ano, o que requer um desgaste natural proveniente de uma alimentação constante. Ela é naturalmente estimada em 18 horas por dia, quando o animal é criado em campo. Com o consumo de rações e concentrados, o equino come menos e não usa seus dentes para o corte do pasto. “Quando muda a alimentação, o desgaste também é alterado”, explica o veterinário referindo-se à troca das pastagens por rações, por exemplo. O comportamento

Rodrigo Michelon afirma que o ideal para a manutenção da saúde bucal do animal seria que este fosse levado pelo menos uma vez ao ano à assistência odontológica

pode proporcionar o aparecimento de pontas nos dentes que ferem a boca do cavalo, causando-lhe dor.

Como notar O primeiro passo que deve ser dado pelo criador é a análise constante do animal, que deve ser feita principalmente no momento em que ele está se alimentando. Geralmente quando estão com os dentes desgastados, os equinos sentem dor e derrubam a ração da boca, que se espalha ao redor do

cocho. Como a mastigação não é feita da maneira natural, o alimento fica depositado na bochecha, o que também pode gerar mau hálito. “Além de levar o animal à revisão, o responsável também deve sempre fornecer-lhe pastagem”, explica Michelon. Manter-se informado sobre o que acontece com os equinos é o principal passo para evitar prejuízos futuros. Confira outros sintomas que podem auxiliar no diagnóstico do problema, a seguir. - Dificuldade de mastigar ou engolir e salivação excessiva.

equipamentos especializados, simulamos o desgaste que deveria ser natural e tentamos equilibrar a boca do animal com a mesma ondulação”, descreve Michelon. Todos os pré-molares e molares podem ser afetados, mas os principais dentes danificados são os segundos pré-molares. O criador deve ter cuidado na hora em que for procurar um profissional especializado em fazer o serviço. O veterinário explica que se o tratamento for malfeito, os prejuízos podem ser ainda maiores, como morte da raiz e perda

do dente.

Funcionalidade Caso o problema não seja tratado a tempo, a tendência é que ele cresça com o decorrer dos anos, reduzindo significativamente o desempenho dos animais em provas funcionais. Além da perda de peso decorrente da redução da alimentação, o animal pode resistir ao comando pela embocadura para virar ou parar ou até mesmo rejeitar o freio.

- Fragmentos de forragem presentes nas fezes. - Movimentos com cabeça e língua durante a ingestão de alimentos. - Queda de performance em provas ou treinamentos. - Cortes e úlceras na gengiva e na língua.

Tratamento ideal, retorno garantido Veterinário orienta análise constante do animal, principalmente na hora da alimentação

As medidas de tratamento são simples e consistem no desgaste em clínica veterinária dos dentes do animal, que é sedado. “Com

Desgaste dentário é um dos problemas mais identificados atualmente


Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Geral

29

Raça perde Santa Elba Señuelo Foto JG Martini

Maysa Maciel

“Ele morreu como um verdadeiro chefe de cabanha, imponente, em frente à porta da fazenda”, conta João Manoel Cordeiro Costa (Maneca), passada uma semana da morte de um dos maiores expoentes da raça Crioula, o garanhão Santa Elba Señuelo. Filho de Las Mercedes Taco e Santa Elba Presumida, o cavalo morreu aos 33 anos, no dia 13 de dezembro de 2010.

Nascido no dia 30 de agosto de 1977, na cidade chilena de Curicó, o garanhão despertou a atenção de Maneca Costa em sua visita ao Criadero La Amanecida, de Alberto Schwalm. Naquela época, mesmo ainda muito jovem, o cavalo já tinha corrido dois rodeios chilenos e se consagrado campeão em ambos. “Ele tinha duas características marcantes que logo me chamaram a atenção: o temperamento dócil e a funcionalidade. Vi inúmeros cavalos, mas ele era

O chefe da cabanha de Maneca Costa detém1.443,25 pontos no registro de mérito da ABCCC

o único que eu realmente queria levar comigo”, diz Maneca em entrevista à equipe do JCC. Com a vinda de Santa Elba Señuelo para o Brasil, em 1981, a Cabanha Santa Angélica marca o início de uma nova fase, com uma linha caracterizada por animais de temperamento funcional, potência muscular, bom tórax e

a capacidade de transmitir suas virtudes às demais gerações.

Uma sucessão de vencedores Nacionalizado em maio de 1982 e pai de mais de mil exem-

plares, Señuelo produziu 152 filhos que lhe renderam 1.443,25 pontos no registro de mérito da ABCCC. Só no Freio de Ouro 2010, quatro finalistas carregam a linhagem do garanhão: Desgarrado do Pontal Gaúcho, Fagulha do Espigão, Posteiro II de Santa Angélica e Sendero Tumulto. Além

disso, se consagraram campeões da prova seus filhos Escarapela de Santa Angélica (1995), Consuelo do Infinito (1999) e LS Balaqueiro (2004). Os grandes cavalos, em qualquer raça, são aqueles que conseguem transmitir suas qualidades para além da terceira e quarta gerações e Señuelo é um deles. Além dos filhos, tem netos também campeões do Freio de Ouro: Devassa de Santa Angélica, Candidato Simpatia, Ganadero da Harmonia e Alcalina 441 Maufer. Seus netos Viragro Rio Tinto e Oraca do Itapororó conquistaram o grande campeonato da Expointer. Entre os bisnetos Señuelo assinou o Freio de Ouro com Butiá Jurerê e Pampa de São Pedro, além de conquistar o prêmio máximo da morfologia com Viragro Rio Bravo, Siciliana de São Pedro e duas vezes através de LA Hornada RCP. Señuelo, por isso, é um "chefe de raça" e garantirá à raça, por muito tempo, animais de temperamento, força, aprumos e estruturas.


30

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Geral

Copa Querência dará R$ 150 mil em prêmios Maysa Maciel

A 7ª Edição da Copa Querência, promovida pela Associação Gaúcha do Cavalo de Rédeas com apoio do Querência Centro de Eventos, será realizada entre os dias 7 e 13 de março e oferecerá R$ 150 mil em prêmios nas categorias Aberto e Amador, além de premiações especiais para os melhores potro e égua da Aberta.

Além de ser exclusiva para a raça Crioula, só podem participar da Copa Querência 2011 animais de cabanhas habilitadas. A habilitação pode ser feita pelo site do evento, no

valor de R$ 1,5 mil, valor que torna hábil todos os animais do afixo sem restrição de idade. O evento também contará com prova especial para potros, que premiará com R$ 15 mil os animais com no mínimo quatro anos hípicos. Porém, potros de três anos hípicos, que só poderiam participar da Querência 2012, poderão competir 2011, pelo 1º Snaffle Bit da Copa Querência. Na última edição da competição, o grande campeão da categoria Geral foi Jango Salgado com Nipas do Infinito, que garantiu a primeira colocação após o desempate com Wellington Teixeira, que montava

Murici da Quinta. A categoria aberta, por sua vez, consagrou com o 1º lugar Jonathan Marca dos Santos montando Bragada Gravatá. Está programado também para a Copa Querência o leilão Butiá, onde serão vendidas cotas de Butiá Olodum e Santa Elba Comediante, além de mães de ganhadores de Freio de Ouro. Mais informações sobre o evento podem ser obtidas pelo site www. copaquerencia.com.br, pelos e-mails agcrsecretaria@redeas-rs.com.br e secretara@copaquerencia.com.br ou pelos telefones (51) 3277-8896 e (51) 8217-607.

Jovens Crioulistas em preparação para 2011 Com equipe consolidada desde 2006, os Jovens Crioulistas do Paraná estão se preparando para mais um ano de trabalho. Presididos por Rosana Colléct e com o apoio das comissões jovens dos núcleos paranaenses, a Associação participou em 2010 de vários eventos divulgando a raça crioula, nos mais diversos estados. “Já cumprimos com a primeira etapa de nosso projeto, divulgação em redes sociais e em todos os veículos que nos concederam a oportunidade de divulgar a criação da nossa Associação”, afirma Rosana, que relata os planos do grupo para 2011. “Vamos realizar atividades que envolvam o jovem e a famí-

lia em torno do cavalo Crioulo, como cursos, palestras e Dias de Campo”, aponta. Ainda de acordo com a presidente, a intenção para 2011 é incentivar crianças e jovens a participarem de provas. Para isso, os jovens crioulistas realizarão o Primeiro Encontro dos Jovens Crioulistas do Paraná. A Associação de Jovens Crioulistas do Paraná possui, atualmente, o serviço de informações onde todos podem ficar por dentro da agenda de cursos e provas do Paraná, basta enviar um e-mail para jovenscrioulistaspr@yahoo.com.br ou jovenscrioulistaspr@hotmail.com. Maysa Maciel)


Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Geral

31

Bagé reúne a família crioulista Foto Nívea Oliveira

Nívea Bilhalva Oliveira

Nem mesmo o céu nublado de sábado, dia 11 de dezembro, e a tão esperada chuva que trouxe muita felicidade aos criadores, no final da manhã de domingo, 12, tiraram o brilho e o entusiasmo dos participantes da 6ª Festa da Família Crioulista e 8ª Prova Jurados em Pista, que aconteceu em Bagé/RS.

Na prova de jurados fizeram parte da competição 39 criadores de diversos municípios gaúchos e de Santa Catarina que tiveram de desembalar seus palas de chuva para enfrentar as intempéries durante as etapas de Bayard e Campo. A prova, realizada nas mesmas modalidades do Freio de Ouro, contou com duas categorias diferentes, a de proprietários, subdividida em três, e a categoria de jurados, subdividida em quatro. Trocando de posições, os ginetes Zeca Macedo, Lindor Collares Luiz e Raul Lima, levantaram as placas para dar as notas aos competidores. Na opinião dos jurados, além do clima de descontração, a troca de posições é bastante válida para analisar os dois lados da prova. Atuando pela primeira vez como jurado, Raul Lima conta que foi uma experiência muito boa. “Agradeço a diretoria do Núcleo de Bagé pelo convite. A oportunidade só veio a acrescentar ao meu trabalho, pois pude perceber a dificuldade que os jurados enfrentam para avaliar uma prova, principalmente como esta, com um grande número de participantes”.

Famílias crioulistas também festejam em Pelotas O Parque Ildefonso Simões Lopes foi o cenário da movimentada programação da Festa Campeira da Família Crioulista do município, realizada nos dias 18 e 19 de dezembro no município gaúcho de Pelotas/RS. Promovida pelo Núcleo Sudeste de Criadores de Cavalos Crioulos, o evento reuniu mais de 120 pessoas em um clima familiar e agradável, com direito a churrasqueada e até uma simulação das provas do Freio de Ouro. Julgadas por Manoel Gon-

tando Mascavo do Puruña

Tradicional confraternização entre os criadores da raça reuniu as famílias crioulistas no dia 11 de dezembro, em Bagé/RS

O presidente da ABCCC, Manuel Luís Benevenga Sarmento, também foi um dos jurados em pista. Sarmento ressaltou que o mais importante da prova foi a confraternização entre os criadores. “Passamos de jurados a julgados, o que é bastante interessante, pois nos ajuda a rever conceitos e conhecer as dificuldades das provas”, disse o presidente ao acrescentar que sua intenção é aumentar o número de participantes na prova para ampliar o conceito de julgamento.

Desafio também entre os jovens

Fez parte da programação da Festa da Família Crioulista uma Prova Jovem. Os cinco pequenos competidores eram da categoria Infantil Masculina e também foram avaliados pelos ginetes Zeca

çalves, Héber Pereira de Ávila e Maurício Idiart, a competição reuniu 30 criadores, que pelo clima de confraternização se dispuseram a passar para o outro lado da pista e tomar o lugar dos ginetes. “O objetivo da prova era a descontração. O clima entre os concorrentes estava muito bom e a brincadeira foi um grande estímulo para todos”, coloca José Laitano, Presidente do Núcleo Sudeste. Apesar de tudo não passar de uma brincadeira, o nível das provas estava muito bom, superando a primeira edição da prova, no ano passado. “Os animais estavam bem preparados na prova e a vivência de campo do criador foi um fator que os ajudou nas provas funcionais”, destaca Ibsen Votto, gerente do Setor Técnico e de Eventos, que foi narrador do “mini Freio de Ouro”. Além de reunir as famílias em torno do Cavalo Crioulo, o evento

Macedo, Lindor Colares Luis e Raul Lima.

Ceia Natalina e Concurso de Dança

Jurados em Pista Categoria Proprietários até 45 anos - Cavalos Inéditos 1º lugar - Mário dos Santos Suñe, montando Campana Sello

A noite de 11 de dezembro foi o ponto alto da confraternização da festa. A diretoria do Núcleo ofereceu aos participantes uma bonita Ceia de Natal Campeira, onde criadores, familiares e amigos se reuniram para festejar o final de mais um ciclo de eventos. Para animar e descontrair os crioulista foi promovido um concurso de dança em frente à sede do Núcleo. Os jurados que avaliaram as performances dos dançarinos foram Eduardo Móglia Suñe e Luis Martins Bastos Neto. Acesse o site Outras Provas, no portal da ABCCC e veja a cobertura fotográfica completa do evento.

2º lugar - Henrique Gonsales, montando Pañuelo Cala Bassa 3º lugar - Caronila Persici, montando Basca Oliveira

também foi um grande estímulo aos jovens crioulistas, que acompanharam suas famílias e puderam vivenciar os moldes da mais importante prova da raça. (Maysa

Rebuliço

Maciel)

Resultados Até 40 anos

1º lugar - Junior Guanabara montando Guanabara Festeiro 2º Lugar - Juliano Bolzoni montando Sombra 169 Maufer

3º Lugar - Rodrigo Mello montando Aguatero do Pasto da Olaria 4º Lugar - Rouget Wrege com Santa Eulalia 266 5º Lugar - Tiago Ribeiro com Espanto de Santa Angelica

6º Lugar - Felipe Moraes montando Certeza do Retiro

7º Lugar - Julio Hax com Canhada do

Categoria Proprietários até 45 anos - Cavalos Não Inéditos 1º lugar - Fernando Gonzales, montando Tarudo 3449 Maufer 2º lugar - Julio Cesar Hax, montando Guaite Tupambaé 3º lugar - Otávio Aragão, montando Tubi-Chá Media Luna Categoria Proprietários de 46 até 55 anos - Cavalos Não Inéditos 1º lugar - Luis Augusto Weber, montando Faceiro do Ouriço 2º lugar - Sandoval Caramori, mon-

8º Lugar - Dieque Campelo com Balaqueira do Boca Braba

9º Lugar - Silvio Lima montando Tupauhe Acanhada

10º Lugar - Glauco Xavier com Olimpio do Infinito 11º Lugar - João Souza montando Jaguarila das Três Argolas 12º Lugar - Regison Lemos com Cristal da Carruira

13º Lugar - Érico Russo com SJ Valiosa 14º Lugar - Rafael Mello montando Posteiro do Pasto da Olaria

15º Lugar - Roberto Knorr com Olimpo do Rincao da Feitoria 16º Lugar - Marcelo Bolzoni montando Luna Negra do Potreiro Grande

17º Lugar - Felipe Ávila com SÃO Leopoldo Invernada

18º Lugar - Felipe Vieira com Osorno da Recalada 19º Lugar - Jean Carlo Silva montan-

Categoria Jurados até 45 anos - Cavalos Inéditos 1º lugar - Carlos Souza, montando Maquena Guindo Santo 2º lugar - Luiz Alberto Martins Bastos, montando Floreiro Kaygua 3º lugar - Sandro Fonceca do Amaral, montando Aparecida La Pacion Categoria Jurados até 45 anos - Cavalos Não Inéditos 1º lugar - Alvaro Dumoncel, montando RJ de Andarilho 2º lugar - Luiz Martins Bastos Neto, montando Maniador II de Nazareth 3º lugar - Alexandre Pons Suñe, montando Karta Vieja Tupambaé Categoria Jurados de 46 a 55 Anos Cavalos Inéditos 1º lugar - Mario Móglia Suñe, montando Campana Relíquia Categoria Jurados acima de 56 Anos - Cavalos Não Inéditos 1º lugar - Vicente Matas, montando Quebracho do Itapevi 2º lugar - Paulo Moglia, montando Piraí 1511 do Candidato 3º lugar - Paulo Armando Solheid, montando Carqueja Valenciana Prova Infantil Masculina 1º lugar - Ramiro Moura, montando Junco da Guajuvira 2º lugar - Martins Suñe, montando Zapateado do Acegua 3º lugar - Lucas Gonçalves, montando Lontra do Kavajuporã 4º lugar - Inácio Suñe, montando Irio Tupambaé 5º Lugar - Carlos A. Falcão Filho, montando Camélia da Camila

do Andarilho do Rincao dos Xucros Acima de 40 anos

1º Lugar - José Laitano montando Xamixuga da 3J

2º Lugar - Cesar Hax montando Divina do Rebuliço 3º Lugar - Leonardo Weimar montando Sorvete do Rincao da Feitoria 4º Lugar - Fernando Soares com Joalheiro

TT

5º Lugar - Claudio Pimentel montando Guitarra Sam

6º Lugar - Milton Martins Moraes Filho com TE do Retiro 7º Lugar - Marcio Correa com Sonho do Retiro Amadores

1º Lugar - Renato Farias montando Xispa da 3J

2º Lugar - Luciano Rodrigues com Evidencia da Cascata


Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Geral

33

Expansão Crioula do Sul ao Norte Fotos Alexandre Teixeira

André Amaral

A qualidade e o desempenho em provas funcionais têm feito o cavalo Crioulo ganhar cada vez mais admiradores. Prova disto é o fato de, apesar de a raça ter como berço brasileiro os pampas gaúchos, os cavalos estarem conquistando cada vez mais novos territórios mesmo em climas e pastagens que exigem muita capacidade de adaptação.

Um estado que comprova a expansão da raça é Rondônia, que atualmente abriga 0,27% da manada de Crioulos registrados na Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) no Brasil com um total de 734 exemplares em solo rondonense. Outro estado que acaba de receber exemplares da raça é Roraima, que recentemente adquiriu 15 animais oriundos de cabanhas de Camaquã. A realidade já é promissora, mas, ao que tudo indica, só tende a melhorar. No dia 10 de dezembro, ocorreu em Bagé, no Rio Grande do Sul, o já tradicional remate Legenda Crioula. Na ocasião, 43 animais foram comercializados. Destes, cinco foram vendidos para compradores de Rondônia, o que representa R$ 43 mil e cerca de 20% do total das vendas.

Raça conquista novos adeptos Um dos incentivadores da raça Crioula no estado de Rondônia é o zootecnista Ricardo Flores Bagolim. Ele trocou o Sul pelo Norte e levou consigo a paixão pelos Crioulos, raça esta com a qual ele está envolvido há cerca de 15 anos. “São animais de grandes vantagens, que demonstram muita capacidade de trabalho, rusticidade e excelente adaptação ao ambiente”, explica. Em 2007, quando participou de uma edição anterior do remate

Remate realizado em Bagé/RS, no dia 10 de dezembro, contou com a presença de compradores de Rondônia, que vieram até o Rio Grande do Sul em busca da funcionalidade Crioula

realizado em Bagé, Bagolim levou 32 animais, todos adquiridos para serem utilizados na lida funcional. Atualmente, estes exemplares participam de rodeios de laço e representam 40% dos cavalos que correm em provas. “Nas finais do Tiro de Laço, 80% dos finalistas são Crioulos, o que mostra que a raça aguenta a pressão de grandes provas”. Segundo o zootecnista, a raça já ganhou novos adeptos, inclusive alguns que nem sabiam o que era um Crioulo. “Trouxe um cavalo de laço para um amigo que só tinha montado Quarto de Milha e Manga Larga a vida inteira. Hoje ele entrou nos Crioulos e está muito contente, não volta à outra raça por nada”, afirma.

Também sou um crioulista Outro admirador da região Norte é Dênis Rafael Ferreira

Zurra da Forquilha foi a égua de maior valor adquirida pela comitiva rondoniense

Santos. Ele adquiriu sua segunda égua no último remate Bagé-Rondônia. Criador de Quarto de Milha, Santos é treinador e teve seu primeiro contato com a raça Crioula ao montar um cavalo que conquistou o terceiro lugar no primeiro concurso de rédeas em que participou. “Gostei tanto que fiz questão de comprar uma para mim”, conta.

Superando expectativas Josué Libânio conheceu o Crioulo na década de 70, quando morava no interior do Paraná. Segundo ele, os animais não tinham genética apurada, mas demonstravam excelência funcional. Libânio conta que o trabalho era puxado e que outras raças não apresentavam o mesmo desempenho. “Não via o Crioulo negar trabalho”, afirma. Depois de viver em São Paulo por duas décadas, Libânio foi para Rondônia, onde mora há seis anos. Lá ele teve acesso a matérias que abordavam os Crioulos e começou a frequentar rodeios e provas que, segundo ele, sempre conferiam destaque aos animais da raça. “Via o Crioulo aguentar mesmo no clima quente e seco daqui. Diria que de cem participantes, apenas cinco eram Crioulos. Mas, ainda assim, sempre classificavam na final”. Apaixonado pela raça, Libânio adquiriu seu primeiro exemplar há dois anos e atualmente é proprietário de quatro animais. No último remate de que par-

ticipou, em Bagé, no dia 10 de dezembro, o criador adquiriu mais uma égua e reconheceu a evolução da qualidade dos cavalos ofertados. Convicto de sua escolha, ele diz estar satisfeito com seus exemplares. “Ter Crioulos superou as minhas expectativas. E é por isso que estou investindo, cada vez mais, na minha criação”.

Fronteiras abertas Em um projeto que busca abrir novas fronteiras à raça, Edison Alfredo Campos Corleta, criador de Camaquã/RS, que atualmente reside em Boa Vista, Roraima, enviou 15 animais Crioulos, dentre eles um reprodutor, sete potrancos, quatro éguas de cria e três castrados para Roraima. A viagem programada de 20 dias atravessou o Brasil, partindo na manhã do dia 17 de dezembro, da fazenda Limoeiro, em Camaquã, com data de chegada prevista para o dia 6 de janeiro em Boa Vista. O intuito é expandir o mercado para os Crioulos e colher novos frutos plantados pela ABCCC.

Agenda de Remates Janeiro - 2011 Dia 15 – Remate Laçador - Esteio/ RS, às 21h (Trajano Silva Remates, transmissão online) Dia 17 e 18 – Leilão de Potros e Potrancas, Estância Carapuça - Esteio/ RS, às 21h (Crioulo Remates, transmissão Canal Rural) Dia 19 – Leilão Virtual sem Fronteiras, 21h (Crioulo Remates, transmissão Canal Rural)

Dia 20 – Leilão Virtual Crioulos do Serrado, 21h (Crioulo Remates, transmissão Canal Rural) Dia 24 – Mancha Crioula Virtual, às 21h (Trajano Silva Remates, transmissão Canal Rural) Dia 26 – Leilão Supremo da Raça Esteio/RS, às 21h (Crioulo Remates, transmissão Canal Rural) Dia 27 – Linhagens Consagradas – Virtual, às 21h (Trajano Silva Remates, transmissão Canal Rural) Dia 29 - 1°Leilão Linhagens de Ouro – Rio Grande/RS (Cassino), às 20h30min (M&D Leilões e PH Negócios Rurais, transmissão Canal Rural) Dia 31 – Mancha Crioula – Virtual, às 21h (Trajano Silva Remates, transmissão Canal Rural) Fevereiro Dia 10 – Remate Crie Crioulos, Várias Cabanhas – Pelotas/RS, às 20h (Casarão Remates, transmissão online pelo C2 Rural) Dia 19 – 1°Remate Laço Missioneiro, Cabanhas Sanga do Abaeté, Tabuleiro e Paraíso – Santo Ângelo/ RS, às 20h (Cambará Remates) Março Dia 6 – Criollos de Punta, Punta Del Este (Uruguai) às 19h (Trajano Silva Remates) Dia 10 – Butiá – Terraville, Porto Alegre/RS, às 21h (Trajano Silva Remates, transmissão Canal Rural) Dia 18 - 4°Leilão Um mar de função, Cabanhas Mainá, Mouro Velho, La Sensacion e convidados – Rio Grande/RS, 20h30min (M&D Leilões, transmissão online) Dia 30 - Crioulos do Pampa, Várias Cabanhas – Pelotas/RS, às 20h (Casarão Remates, transmissão online pelo C2 Rural) Abril Dia 27 - Especial de Ventres – Pelotas/RS, às 20h (Casarão Remates, transmissão online pelo C2 Rural) Maio Dia 26 - Remate Especial Crioulo Cinchador e Amigos – Bagé/RS, às 20h (Cambará Remates)


34

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Geral

Quando a balança dá o sinal de alerta Foto Débora Borba

André Amaral

A categoria é Incentivo. Nela, animais jovens, de até dois anos, são avaliados pelos olhares criteriosos dos jurados. Em inúmeras ocasiões, os responsáveis pelos julgamentos ficam muito satisfeitos e apostam no futuro promissor de alguns exemplares. No entanto, apesar da visível qualidade, um quesito importante vem sendo observado por alguns avaliadores, preocupados com a saúde e a funcionalidade da raça Crioula mesmo em cavalos de tenra idade: o excesso de peso. O preparo dos animais costuma incluir alimentação balanceada e um programa de exercícios altamente direcionado, tudo para proporcionar o máximo de subsídios para que o exemplar consiga atingir o ápice de sua forma física. A intenção pode ser das melhores, mas, ao que tudo indica, alguns criadores têm “errado a mão” ao produzir e apresentar Incentivos com nítido sobrepeso e possíveis problemas articulares. Na avaliação do jurado e técnico da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Rodrigo Teixeira, um dos fatores causadores desta realidade é o encocheiramento precoce. Segundo ele, alguns criadores têm confundindo preparo com excesso de peso, e as consequên-

A orientação é de que seja privilegiada uma alimentação volumosa, com farta quantidade de alfafa, campim cortado e apenas 1% do peso do animal em uma ração de boa qualidade

cias deste equívoco já podem ser vistas dentro das mostras morfológicas. “Vejo cavalos bastante jovens com problemas motores, o que é muito preocupante”, afirma Teixeira. O também jurado, Luiz Martins Bastos Neto, diz que, apesar de encontrar muitos exemplares de excelente qualidade, o sobre-

peso apresentado por inúmeros destes animais será, certamente, um futuro problema à raça. “É reconhecido nas mostras morfológicas, mas mostrará seus prejuízos em provas como o Freio de Ouro e em outras disputas funcionais”, prevê. Na avaliação de Bastos Neto, o excesso de peso pode ser obFoto Divulgação

servado em várias exposições, de diferentes regiões e em animais de ambos os sexos. Uma equação bastante simples, mas de resultado preocupante. “Idade pequena e peso muito grande combinados com superconfinamento. Problemas na certa”, simplifica. De acordo com o jurado, o confinamento e a decorrente falta de movimento resultam no crescimento de equinos com futuros problemas de estrutura óssea e de tendões, o que compromete de maneira significativa a vida funcional dos mesmos. “Diria que isso pode acontecer em um futuro próximo, dentro de um ano e meio ou dois anos”, estima. Uma das alternativas propostas por Bastos Neto é rever a forma de preparo destes animais novos que, segundo ele, não deveriam ser montados até mesmo em categorias como Potranco Menor e Maior. “Isso exige que estejam domados, mas isso é inadequado. Assim não se consegue nem fazer um preparo correto à morfologia nem à doma. Se forçar a doma o cavalo vai sentir. Se não forçar, a doma não será boa”.

Questão de saúde Abel Dourado Filho, da Cabanha Sia’Dona, cria há 25 anos, mas desistiu dos Incentivos devido aos comuns problemas ósseos apresentados

Muito mais do que um problema funcional, o excesso de peso

pode representar riscos à saúde do animal. De acordo com o médico veterinário Ricardo Larrossa, o sobrepeso é sinônimo de excesso de massa corporal apoiado em uma estrutura de sustentação ainda muito jovem e despreparada. “Como uma mesa de mármore apoiada em pernas de cano de PVC. Elas entortam”, compara o profissional ao fazer referência aos comuns problemas de aprumos encontrados em animais mais roliços. Para controlar a situação, Larrossa apresenta uma lista de prioridades que devem ser levadas em conta no momento de planejar a criação. Segundo ele, está comprovado que o amido e os açúcares, como fontes de energia, se utilizados em demasia na dieta de potros, podem favorecer o aparecimento de problemas particulares, principalmente falhas no desenvolvimento do osso que se situa logo abaixo da cartilagem articular, especialmente nas articulações dos boletos e do tarso (jarrete), podendo aparecer também em articulações mais altas, como do ombro e da rótula (joelho real). “Se o criador abusar para deixar os potros gordos excedendo na quantidade de ração, que é a fonte de carboidratos solúveis, poderá causar problemas nas articulações”, alerta.


Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Geral

35

Foto Débora Borba

Trabalhar o animal no redondel até pode ser adequado, mas não substitui o exercício natural feito no campo; quando utilizado, o indicado é que sua estrutura tenha raio superior a 20 metros para não gerar prejuízos às articulações

Como sugestão, Larrossa orienta que ao se colocar um potro na cocheira lhe seja privilegiada alimentação volumosa, composta por fartas quantidades de alfafa, capim cortado e que lhe seja ofertado apenas 1% de seu peso em uma ração de boa qualidade. “Em um potro de 250 quilos, por exemplo, indico que sejam disponibilizados dois quilos de alfafa, três ou quatro de pasto verde e dois quilos e meio de ração”. Além disso, o médico veterinário afirma que o criador deve escolher uma ração própria para potros, de boa qualidade protéica, e que tenha adequado aporte de minerais e vitaminas. “Não adianta escolher a ração errada. Deve ser dado de acordo com a necessidade daquele animal”.

Artificialização, não Segundo Larrossa, o alerta já foi dado em algumas palestras mas alguns criadores ainda persistem no erro. Na opinião do médico veterinário, aqueles que buscam acelerar o desenvolvimento do exemplar podem exagerar no preparo dos mesmos, artificializando o processo natural de criação.

Exercício neles Durante a fase de crescimen-

to, a qualidade dos ossos, mais especificamente da deposição de minerais, principalmente cálcio, magnésio e fósforo, depende em parte da estimulação do tecido ósseo. Assim sendo, o movimento e a vida em liberdade estimulam a melhor calcificação e deposição dos ossos, o que não combina com a criação de animais em áreas restritas, uma vez que ao confinar potros para prepará-los, privando-os do exercício natural, os animais tendem a apresentar problemas ósseos. “Sugiro que seja priorizada a preparação com períodos de soltura em potreiros próximos da cocheira de modo a permitir, mesmo em semanas que antecedem a exposição, exercícios voluntários por pelo menos um turno”.

Alerta no redondel É comum que os criadores trabalhem seus animais no redondel, uma mangueira de formato arredondado. A atitude até pode ser adequada, mas não equivale ao movimento natural e requer uma boa dose de atenção. A também médica veterinária Marta Manina orienta nos artigos de sua autoria que os animais não sejam exercitados em redondéis de raio inferior a 20 metros, uma vez que o movimento circular feito em locais de tamanho reduzido forçam a articulação e causam danos à saúde. “Trabalhar no redondel não é a mesma coi-

sa por ser um trabalho dirigido, direcionado. O animal solto anda em todos os sentidos e direções”, complementa Larrossa.

Luz solar faz bem Fundamental ao bom desenvolvimento, a luz solar estimula a ativação da vitamina D, indispensável à capacitação do cálcio. Por isso, o veterinário orienta que os cavalos fiquem soltos por, no mínimo, duas horas por dia, período este ideal para a correta ativação desta vitamina. “Potros mantidos muito fechados têm pouco acesso a luz solar direta, o que pode enfraquecer os ossos e tornar as articulações incapazes de suportar peso. Um animal nestas condições não consegue produzir trabalho”. Caso, após seguir todas estas orientações fornecidas pelo médico veterinário, os animais continuem com sobrepeso, a indicação é reduzir a quantidade de alimento concentrado e aumentar os momentos de soltura. “Alguns criadores podem achar ruim, mas aí entra uma questão de escolha. Privilegiar a qualidade do esqueleto ou a beleza em uma apresentação de exposição de incentivos?”, questiona.

Adeus, incentivos Pietro Zanetti, proprietário da Fazenda Liscano, já dedicou alguns anos de sua criação aos

Incentivos. As dificuldades vivenciadas logo no começo o desestimularam e fizeram com que o criador parasse de expor na categoria. “Alguns animais meus já enfrentaram problemas de articulação bastante sérios. Atualmente prefiro manter o animal a campo e ter um exemplar saudável e funcional do que um que seja bonito apenas enquanto é novo”, opina. Outro criador que enfrentou o mesmo problema e que adotou o posicionamento foi Abel Dourado Filho, da cabanha Sia’Dona, com sedes em Canguçu e Jaguarão/ RS. Dedicado aos Crioulos há 25 anos, Dourado Filho conta que foram os animais jovens os grandes incentivadores do seu trabalho na raça, mas que os problemas apresentados o fizeram desistir da categoria. “Tinha grande expectativa nos acasalamentos e preparava os potros muito cedo. Eles acabavam tendo excesso de tamanho e de peso e a estrutura óssea não aguentava”, lembra. Segundo Dourado Filho, os potrancos começavam a competir com menos de dois anos, sendo preparados assim que eram desmamados. “Pegava numa primavera e na outra apresentava. Tive muitas alegrias com os Incentivos, mas depois analisei minha cavalhada e vi que eles tinham lesões ao entrar em processo de doma e treinamento. Não valia a pena”. Dourado Filho percebeu até mesmo prejuízos relacionados à

longevidade de seus animais que, segundo ele, não conseguiam acabar a temporada de provas. “Entravam em treinamento, mas quando chegava o momento de competir estavam lesionados. Eram incentivos bem criados e potrancos que iam bem nas exposições, mas já estavam comprometidos quando se tornavam éguas e cavalos adultos”.

Incentivos, sim Envolvido com cavalos Crioulos desde a década de 90, Joner Frederico Kern, titular da cabanha Duas Meninas, reconhece a importância do cuidado com o sobrepeso de seus animais jovens. Para evitar os problemas e poder dar continuidade ao seu trabalho na categoria, ele investe tempo e dinheiro em sua criação. “Trato três vezes ao dia e eles passam a noite soltos em piquetes de 500 metros quadrados. Prefiro ter um animal enxuto, não tão preparado, mas com mais futuro”, opina. A alimentação também é bastante controlada, sendo rica em pasto verde, alfafa e em uma ração de boa qualidade. Com relação aos exercícios, Kern diz que seus exemplares são trabalhados na guia, em um redondel de no mínimo 15 metros, e que só os ferra após eles completarem um ano e meio de vida. “Se o círculo é muito pequeno eles têm que se curvar demais e isso faz mal às articulações e aos cascos”, salienta.


36

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Geral

Mural

Curso de rédeas

Animais chilenos

Laço e Paleteada

Nos dias 14, 15 e 16 de janeiro, o Parque de Rodeios Albino Manjabosco, em Horizontina/ RS, sediará um curso avançado de rédeas com o número um do ranking da modalidade: Bertolani Franco. O custo para cavaleiros montados é de R$ 800 e a pé R$ 250. O curso é promovido pelo Centro de Treinamento de Odinei de Paula, com o apoio da Cabanha Novo Horizonte.

No dia 31 de dezembro de 2010 encerrou o prazo para protocolar o registro de animais provenientes do Chile. A decisão da diretoria da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) foi tomada após reunião com os demais dirigentes, integrantes da Federação Internacional de Criadores de Cavalos Crioulos (FICCC). Mais informações com o Setor de Registro Genealógico pelo telefone (53) 3223-2122.

Com o apoio do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Pedro Osório/RS, serão promovidas diversas provas entre os dias 29 e 30 de janeiro, no Centro de Treinamento Queixo Duro, em Capão do Leão/RS. O evento, organizado por Alex Maciel, contará com prova de potros de 21 dias, tiro de laço e paleteada, além de um baile que será realizado para os participantes.

Curso em Guaíba O pioneiro em cursos de rédeas, Carlinhos Cruz irá ministrar um curso básico de rédeas e provas funcionais entre os dias 20 a 24 de janeiro. O evento será realizado na Cabanha Silêncio na Estrada João S. Jardim, 14.115 - em Guaíba/RS. As inscrições custam R$ 350 para participantes e R$ 200 para ouvintes. Mais informações pelo (51) 7815-7905 com Genaro, (55) 9971-5484, (55) 9362-3754 com Carlinhos Cruz ou (51)30240330 com a Personalle Eventos.

Gira técnica Desde o dia 1º de janeiro o técnico da ABCCC Heitor Cheuiche Coelho realiza atendimento aos crioulistas nas regiões de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. A gira visa atender os criadores das regiões que não contam com a presença de uma pessoa credenciada para fazer o atendimento. Nas giras são realizadas resenhas, marcações e exames de DNA, entre outras rotinas. O contato para o agendamento de visita com o profissional deve ser feito através do telefone (61)92120859 ou pelo e-mail heitorcoelho@brturbo.com.br.

Capa da revista Na capa da primeira edição da revista Tchê Campeiro, o cavalo Crioulo, montado pelo cantor Joca Martins, aparece na foto em destaque. A matéria central do periódico é com o músico, que descreve sua paixão pela raça e sua trajetória musical ao lado do cavalo Crioulo. Na entrevista Martins conta que, em 2004, em parceria com Rodrigo Bauer, lançou o CD “Cavalo Crioulo”, com 18 músicas inspiradas na raça. Em 2009, foi lançado o seu segundo CD temático, além do DVD, em 2010.

Final do Laço terá transmissão ao vivo O C2 Rural, ferramenta de transmissão pela internet do Canal Rural, transmitirá a Final Nacional do Tiro de Laço 2011. A transmissão, ao vivo, do parque de exposições Assis Brasil, no dia 16 de janeiro, poderá ser acessada através da TV ABCCC (www. abccc.com.br) ou no site do C2 Rural (www.c2rural.com.br), das 8h às 16h. A final do crioulaço será o primeiro evento transmitido em 2011 pelo C2 Rural, que já cobriu em 2010 as finais que ocorreram na Expointer. Com encerramento no domingo, a programação da final, porém, começa no dia 13 de janeiro, quinta-feira, com as inscrições, das 14h às 20h. Na sexta, dia 14, estão agendados o acampamento e chegada dos animais para o período entre as 8h e às 12h e a identificação e entrega de coletes que vai até as 18h. Às 14 e às 18h estão programadas as raspadinhas, ainda sujeitas a confirmação. No sábado, às 8h, terão início a primeira e a segunda rodadas

da Final. As provas do Laço Individual Feminino, Guri até 12 anos e Veterano acima de 65 anos começam as 12h. Já a terceira, a quarta e a quinta rodadas da final ocorrem a partir das 14h. O dia encerra com remate, às 21h, na pista G. Domingo, dia 16, acontece a Grande Final às 8h. Leia mais na páginas 16, 17 e 18.

Reprise No mês de janeiro o Programa Cavalos Crioulos reprisará as principais matérias do ano de 2010. O programa é transmitido pelo Canal Rural sábado às 9h, com reprise no domingo, também às 9h, ou através do site www.programacavaloscrioulos.com.br.

Luto Faleceu no dia 16 de dezembro, em Paysandu, no Uruguai, o criador Enrique Pereira Henderson, proprietário da Estância Cerro de La Bandera. Henderson foi enterrado no cemintério Jardín de Paz e deixa sua mulher Marta, filhos e netos. Em seu legado, fica o tradicional criatório dos afixos Onza e Jaguar.


38

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

Gente


Gente

Cavalo Crioulo Janeiro de 2011

39

Fotos Alexandre Freitas, Ana Márcia Kayser, Fabiane Michelon, Felipe Ulbrich, Mário Tissot, Marcelo Mastrobuono, Maysa Maciel e Nívea Oliveira



Jornal Cavalo Crioulo - Janeiro 2011