Issuu on Google+

uma hist贸ria de compromisso com o cooperativismo mineiro


uma hist贸ria de compromisso com o cooperativismo mineiro


PAlavra do presidente

6


Felizes os cidadãos que podem contar com cooperativas! O cooperativismo é um movimento forte que associa mais de um bilhão de pessoas no mundo inteiro e é um modelo capaz de unir desenvolvimento econômico e bem-estar social. No cooperativismo, o trabalho é voltado para o alcance de bons resultados, garantindo crescimento integrado e rentabilidade, sem nunca abrir mão do social, ou seja, das pessoas. Nós, cooperativas de crédito, cumprimos o importante papel de humanizar o sistema financeiro mundial e representamos uma alternativa para os que acreditam na oferta de soluções financeiras eficientes, com justiça social e distribuição de riqueza. Além disso, o cooperativismo oferece produtos e serviços em melhores condições, pois elimina da cadeia produtiva os atravessadores. Sem intermediação, é possível diminuir os custos do nosso trabalho. A proximidade com o associado nos faz entender mais rapidamente suas necessidades e prestar pronto atendimento. Estamos sempre de plantão para buscar mais benefícios, a favor de quem faz parte da Cooperativa. É assim que trabalhamos. É assim que conquistamos a confiança de todos e nos tornamos o suporte financeiro de nossos cooperados. É assim que transformamos necessidades em satisfação. Na Cooperativa o associado, além de cliente, é dono! Os resultados são distribuídos entre os cooperados proporcionalmente às suas operações financeiras, sendo esse o grande diferencial. Essa forma transparente e democrática de atuação é o que justifica nosso bom desempenho ao longo da história, conforme apresentamos nas próximas páginas. Optar pelo cooperativismo é escolher uma forma diferente de buscar a prosperidade, o bem-estar e a solidariedade. É agir pensando no bem de todos. É unir esforços para a construção de um mundo melhor, mais justo e democrático. É somar para compartilhar resultados. É assim que somos.

Cristiano Felix dos Santos Silva Diretor-Presidente do Sicoob Cofal 7


Razão de ser Em 19 de junho de 1980, um grupo de funcionários da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, movido por um espírito comum de solidariedade e ajuda mútua, reuniu-se em assembleia e decidiu pela constituição de uma entidade de apoio financeiro para auxiliar os servidores da Casa quanto ao uso adequado do crédito e à administração de seus gastos, promovendo o desenvolvimento econômico e a melhoria da qualidade de vida. E foi no cooperativismo de crédito que essas pessoas encontraram o modelo socioeconômico ideal, que fomenta a inclusão financeira com a prestação de serviços de proveito comum, sem objetivo de lucro. Por meio da união de pessoas, sendo esse o seu maior capital, o cooperativismo de crédito é baseado na participação democrática e na autonomia para a busca da prosperidade coletiva. Por sua natureza e particularidades, o cooperativismo de crédito é economicamente viável e socialmente justo. E com base nesses princípios foi criada a Cofal, que em 2013 começou a expandir o seu quadro social e passou a se chamar Cooperativa de Crédito dos Servidores dos Poderes Legislativos do Estado de Minas Gerais e do seu Órgão Auxiliar Ltda. – Sicoob Cofal. Ao longo do tempo, o Sicoob Cofal soube aproveitar de forma positiva as mudanças na economia brasileira, sem deixar de, em cada ação, cultivar o sentimento de pertencimento, presente na essência do cooperativismo. Afinal, cooperativas são organizações democráticas, controladas por seus associados, que participam ativamente na tomada de decisões. Elas são mantidas por seus associados, que são, ao mesmo tempo, donos e usuários dos produtos e serviços oferecidos. 8


contribuição

DTVM serviços

Operacionalizar

empresas de apoio

cooperativas centrais DONO

supervisão

DONO

controle acionário e capitalização

cooperativas singulares serviços

Fundo Garantidor

regulação e supervisão

cobertura

DONO

Previ

serviços

associados

sicoob confederação

entidades cooperativas

O Sicoob Cofal faz parte do Sicoob, um sistema de cooperativas de crédito forte e solidário que integra mais de dois milhões e meio de brasileiros. Para atender aos associados do Sicoob, existem mais de quinhentas cooperativas de crédito, instituições sólidas e seguras, regulamentadas pelo Banco Central do Brasil, que contam com mais de dois mil pontos de atendimento, distribuídos por 23 Estados brasileiros e o Distrito Federal. Tudo isso faz do Sicoob o maior sistema de cooperativas de crédito do Brasil e o sexto maior em pontos de atendimento entre as instituições financeiras que atuam no país. Para viabilizar e complementar a atuação das cooperativas do Sicoob, fazem parte ainda desse Sistema: as cooperativas centrais, que oferecem suporte às cooperativas regionalmente; o Sicoob Confederação, que tem a finalidade de defender os interesses das cooperativas e promover a integração nacional; o Bancoob, um banco especializado no atendimento às cooperativas de crédito e cujo controle acionário pertence às cooperativas do Sicoob; o Bancoob DTVM, distribuidora de títulos e valores; o Sicoob Previ, fundação que oferece plano de previdência complementar; a Cabal Brasil, bandeira e processadora de cartões; e a Ponta Administradora de Consórcios. 9


Por fazer parte desse sistema forte, o Sicoob Cofal é uma instituição que oferece soluções em serviços e produtos financeiros de maneira completa. Os cooperados têm acesso a conta-corrente; cartões de crédito e débito; linhas de crédito; formas de investimentos diversos como poupança, previdência privada e aplicações financeiras; consórcios; seguros; financiamentos; internet banking e uma série de serviços tipicamente bancários para facilitar o dia a dia. O diferencial é que a Cooperativa sempre oferece as melhores condições em seus produtos e compartilha os resultados com os associados, por meio do rateio de suas sobras no final de cada ano, porque são eles os verdadeiros donos do negócio. As muitas vantagens apresentadas pela Cooperativa fazem dela uma instituição financeira diferenciada, destacando-a das demais. Ao mesmo tempo em que oferece um atendimento personalizado aos seus associados, a instituição atua como reguladora do mercado: como oferece crédito em condições mais justas, induz a concorrência a reduzir suas taxas. Com espírito coletivo para crescer, integrar e contribuir para o bem-estar de seus cooperados, o Sicoob Cofal investe sempre no seu patrimônio mais importante: as pessoas. E, ao longo de suas três décadas de história, a Cooperativa concentrou esforços para oferecer as melhores soluções para a vida financeira, sempre com atendimento humanizado e eficiente. Nas próximas páginas é apresentada a trajetória do Sicoob Cofal, com destaque para os principais avanços e conquistas, tanto da Cooperativa quanto do cooperativismo como um todo. O objetivo é mostrar a história e a força desse movimento, além de reiterar o compromisso desse setor que humaniza as relações financeiras em todo o mundo. Conheça um pouco mais da causa cooperativista, encante-se e faça parte dela. 10


Missão Oferecer assistência financeira e serviços aos associados, por meio da ajuda mútua, da economia sistemática e do uso adequado do crédito.

Visão Ser um referencial de excelência, solucionar as demandas financeiras do cooperado e fomentar a expansão do cooperativismo de crédito.

11


SICOOB COFAL, QUE BOM, É NOSSO!

12


Quando, há mais de 20 anos, as cooperativas mineiras iniciaram o processo de constituição de sua Central (a Cecremge), junto a elas, as 15 primeiras fundadoras, estava a Cofal. Suas lideranças de então já percebiam que seríamos grandes e fortes se nos uníssemos em objetivos comuns: tinham a visão do futuro, não se apegando somente ao sucesso da Cooperativa – grande, diga-se de passagem –, mas cooperativamente procuraram levá-lo, também, às suas coirmãs. Desde então o Sicoob Cofal vem participando ativamente de todos os momentos importantes do Sistema Brasileiro de Cooperativas de Crédito e é reconhecido por todos pelo papel preponderante quando da constituição do Bancoob, o nosso banco. Abriu recentemente o seu Estatuto Social a outros servidores na certeza de que as experiências adquiridas com o passar dos anos, aliadas às altas tecnologias que o Sistema Sicoob oferece, vai, como sempre, levar a esses novos cooperados uma instituição forte administrativa e financeiramente, sem se distanciar dos nossos ideais, que são a igualdade e a solidariedade, encontradas somente no cooperativismo.

Luiz Gonzaga Viana Lage Diretor-Presidente do Sicoob Central Cecremge 13


EXEMPLO NO SEGMENTO DE CRÉDITO MINEIRO

14


O cooperativismo é feito de pessoas e para pessoas, com o objetivo, sempre comum, de proporcionar vitórias coletivas e benefícios para todos. Assim atua o Sicoob Cofal, uma cooperativa de crédito mineira que não abre mão do profissionalismo e dos bons resultados para seus associados. O Sistema Ocemg se orgulha de ter em seu quadro social cooperativas como o Sicoob Cofal, plenamente alinhado com os valores e princípios do cooperativismo, e por isso mesmo merecedor das vitórias acumuladas ao longo de uma trajetória exemplar. O Sicoob Cofal tem um número expressivo de cooperados, o que revela qualidade e confiança nos serviços prestados pela instituição. Manter a fidelidade em seu quadro, com um crescimento permanente, demonstra solidez e gestão eficiente em prol não apenas da Cooperativa, mas do desenvolvimento do setor e da sociedade. Para o Sistema Ocemg, o Sicoob Cofal representa uma história de sucesso, de participação e engajamento à filosofia cooperativista. Está sempre presente em nossas atividades de treinamento e capacitação, focando o aperfeiçoamento dos associados. Temos satisfação em fazer parte das conquistas do Sicoob Cofal. Desejamos que as próximas décadas consolidem outros grandes resultados para a instituição.

Ronaldo Scucato Presidente do Sistema Ocemg

15


SOLIDEZ, ÉTICA E FOCO NO COOPERADO

16


O cooperativismo de crédito brasileiro vive um momento único de consolidação do trabalho pioneiro realizado pelas lideranças do setor e da expansão de seu universo de atuação, a partir da ampliação do número de cooperados e das soluções financeiras disponíveis. Em um contexto de superação de adversidades, o segmento encontrou na organização sistêmica conquistas importantíssimas para as cooperativas e seus associados, que passaram a contar com o apoio de estruturas cada vez mais fortes e organizadas. Desde 1996, ano de sua constituição, o Bancoob vem exercendo um trabalho sério e comprometido no sentido de atender às necessidades das cooperativas no desenvolvimento e aprimoramento de soluções de negócios, contribuindo para o crescimento do cooperativismo de crédito nacional. A grandeza desse desafio nos enobrece pela certeza de estarmos contribuindo para o sucesso de cooperativas como o Sicoob Cofal; cooperativas essas que são as principais componentes de um Sistema que hoje já reúne mais de 2,5 milhões de associados em todo o Brasil. Integrante de um sistema regional forte e pioneiro, o Sicoob Cofal se destaca por sua solidez, excelência e foco no associado. Cada vez mais, tem se posicionado como um empreendimento completo, disponibilizando soluções financeiras amplas e integradas para estreitar o relacionamento com os cooperados, que passam a encontrar em sua instituição todos os produtos e serviços financeiros de que necessitam. Com mais de 30 anos de história, a trajetória que trouxe o Sicoob Cofal até suas conquistas atuais fundamenta um futuro promissor, de muito sucesso e realizações. E, a cada novo desafio, estaremos juntos, somando esforços por um cooperativismo de crédito ainda mais inclusivo e propulsor do desenvolvimento socioeconômico de nosso país.

Marco Aurélio Almada Diretor-Presidente do Bancoob 17


Trabalho exemplar em Minas Gerais

18


O Sicoob, maior sistema brasileiro de crédito cooperativo, tem cumprido o seu papel, sendo uma importante ferramenta de inclusão financeira. Seja em tempos de crise ou bonança, nossas cooperativas de crédito têm promovido o desenvolvimento econômico com justiça social. Fomentando o crédito e ofertando produtos e serviços financeiros com taxas de juros mais justas, o Sicoob promove a interação social e a redução das desigualdades no país, e trabalha muito por um cooperativismo de crédito mais competitivo, sólido e solidário. O Sicoob Confederação, juntamente com suas Centrais, tem um papel fundamental na integração e padronização do Sistema. Contudo, o crescimento do cooperativismo de crédito no país é alavancado pelo excelente trabalho desenvolvido pelas cooperativas singulares. Acompanho com entusiasmo a evolução do segmento no Brasil. Em Minas Gerais, o Sicoob Cofal tem contribuído para os excelentes números do cooperativismo mineiro. Acredito que o Sicoob Cofal experimentará um novo ritmo de crescimento com a mudança de seu Estatuto Social, que ampliou sua atuação, permitindo o atendimento e associação dos servidores dos poderes legislativos do Estado de Minas Gerais e do seu órgão auxiliar. Quero registrar minha mensagem de fé e esperança no engrandecimento do Sicoob Cofal, que vem desenvolvendo um trabalho exemplar, sem se esquecer de seu importante papel de responsabilidade social.

José Salvino de Menezes Presidente do Sicoob Confederação 19


Quem somos Diretoria Executiva Cristiano Felix dos Santos Silva Diretor-Presidente Maria de Fátima Alves de Abreu e Silva Diretora Administrativa José Ramos dos Santos Diretor Financeiro

Conselho de Administração Conselheiros efetivos: Anderson Moratori Nunes Coelho Cristiano Felix dos Santos Silva Geraldo Magela da Silva Neto José Ramos dos Santos Lúcio Antônio de Souza Luiz Antônio Dias Maria de Fátima Alves de Abreu e Silva Paulo Acorroni Terezinha de Jesus Moura Brito Conselheiros suplentes: Decio Luiz Defeo Joana D’arc do Nascimento Juliana Jeha Daura

20


Conselho Fiscal Conselheiros efetivos: Adelmo Gabriel Marques Geraldo Magela Magalhães Silva Maria Aparecida Barbosa Conselheiros suplentes: Ana Clarice dos Santos Martins Carlos Antônio de Souza Jussara de Melo Ferreira

Comitê Consultivo Adair Ribeiro Vidal Alexandre Franklin de Souza Nascimento Cristiano Felix dos Santos Silva José Ramos dos Santos Maria de Fátima Alves de Abreu e Silva Paulo Acorroni Terezinha de Jesus Moura Brito Comitê de Ética Geraldo Ediberto Fernandes José Jurani Garcia de Araújo Wagner Dias da Silva

21


Princípios do Cooperativismo Além da missão e da visão estabelecidas pelo Sicoob Cofal, norteiam as ações da Cooperativa os sete princípios do cooperativismo. Estes foram aprovados em 1844, ocasião em que foi fundada a primeira cooperativa do mundo, na Inglaterra. São eles: o

1 ADESÃO VOLUNTÁRIA E LIVRE - As cooperativas são organizações voluntárias e abertas a todas as pessoas aptas a utilizar os seus serviços e a assumir as responsabilidades como cooperadas, sem discriminações de sexo, sociais, raciais, políticas e religiosas. 2o GESTÃO DEMOCRÁTICA - As cooperativas são organizações democráticas, controladas por seus membros, que participam ativamente na formulação das suas políticas e na tomada de decisões. Nas cooperativas de primeiro grau (singulares), os membros têm igual direito de voto (um membro, um voto). As cooperativas de grau superior (centrais, federações e confederações) são também organizadas de forma democrática. o 3 PARTICIPAÇÃO ECONÔMICA DOS MEMBROS - Os cooperados contribuem equitativamente para o capital das suas cooperativas e controlam-no democraticamente. Parte desse capital é, normalmente, propriedade comum da cooperativa. Os cooperados recebem, habitualmente, se houver, uma remuneração limitada ao capital integralizado, como condição de sua adesão, e destinam os excedentes a um ou mais dos seguintes objetivos: desenvolvimento de suas

22


cooperativas, eventualmente através da criação de reservas, parte das quais, pelo menos, será indivisível; benefícios aos membros na proporção das suas transações com a cooperativa; apoio a outras atividades aprovadas pelos cooperados. o 4 AUTONOMIA E INDEPENDÊNCIA - As cooperativas são organizações autônomas, de ajuda mútua, controladas por seus cooperados. Se firmarem acordo com outras organizações, incluindo instituições públicas, ou recorrerem a capital externo, devem fazê-lo em condições que assegurem o controle democrático por seus cooperados, mantendo a autonomia das cooperativas.

5o EDUCAÇÃO, FORMAÇÃO E INFORMAÇÃO - As cooperativas promovem a educação e a formação dos seus membros e colaboradores. Informam o público em geral, sobretudo os jovens e os líderes de opinião, sobre a natureza e as vantagens da cooperação. 6o INTERCOOPERAÇÃO - As cooperativas servem de forma mais eficaz aos seus cooperados e dão mais força ao movimento cooperativo, ao trabalho em conjunto, através das estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais. 7o INTERESSE PELA COMUNIDADE - As cooperativas trabalham para o desenvolvimento sustentado das suas comunidades, por meio de políticas aprovadas pelos cooperados. 23


SISTEMA DE REPRESENTAÇÃO DO COOPERATIVISMO NO MUNDO A representação do cooperativismo é organizada da seguinte forma: Aliança Cooperativa Internacional (ACI) O cooperativismo é representado mundialmente pela ACI, fundada em 1895, com sede atual em Genebra, na Suíça. A ACI é uma organização não governamental que congrega cooperativas dos cinco continentes. Entre os seus objetivos, estão a divulgação dos princípios e valores cooperativistas em todo o mundo e o incentivo à propagação da doutrina, filosofia e educação cooperativistas. COOPERATIVA DAS AMÉRICAS Foi constituída em 1963 e tem sede atual na Costa Rica. Representa as organizações cooperativistas dos países da América Latina e tem como objetivos difundir, desenvolver e defender os princípios do cooperativismo nas Américas. Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) Foi criada em 1970, com sede em Brasília, no Distrito Federal, para atuar como representante legal do Sistema Cooperativista nacional e como órgão técnico-consultivo do governo, congregando as organizações estaduais constituídas com a mesma natureza. 24


Organização das Cooperativas Estaduais (Sistema Ocemg) É formado pela junção de duas importantes instituições: o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg), órgão de representação política, sindical-patronal e de defesa do cooperativismo no Estado; e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo de Minas Gerais (Sescoop-MG), responsável pelas atividades de formação profissional, monitoramento e promoção social das diversas cooperativas de Minas. O Sistema Ocemg ainda integra a Federação dos Sindicatos das Cooperativas dos Estados de Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais e Santa Catarina (Fecoop-Sulene). Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob (Sicoob Confederação) Uma cooperativa de terceiro grau, segundo a legislação cooperativista, constituída pelas cooperativas centrais do Sistema – Centrais Sicoob, com a finalidade de defender seus interesses, promovendo a padronização, supervisão e integração operacional, financeira, normativa e tecnológica. Define ainda políticas e estratégias de comunicação e marketing, principalmente em relação à marca Sicoob. 25


Cooperativa Central (Sicoob Central Cecremge) Com o intuito de incrementar a qualidade dos serviços prestados aos associados, as cooperativas singulares do Sicoob se organizaram e constituíram as cooperativas centrais de crédito – Centrais Sicoob –, como forma de ampliar ainda mais a capacidade de atendimento. As centrais são instituições independentes, promotoras da integração regional e estadual das cooperativas do Sistema. O Sicoob possui 15 cooperativas centrais, sendo que o Sicoob Cofal é filiado ao Sicoob Central Cecremge (Central das Cooperativas de Economia e Crédito de Minas Gerais Ltda.). Cooperativa Singular (Sicoob Cofal) As cooperativas de crédito singulares do Sicoob são instituições financeiras resultantes da união de pessoas integrantes de segmentos econômicos específicos, que buscam a melhor maneira de atendimento às suas necessidades financeiras. O Sistema é composto por seis segmentos de cooperativas de crédito: Empregados Públicos e Privados; Profissionais Liberais; Rural; Pequenos Empresários, Microempresários ou Microempreendedores; Empréstimos; e de Livre Admissão. 26


Aliança Cooperativa Internacional - ACI

Cooperativa das Américas

Organização das Cooperativas Brasileiras - OCB

Organização das Cooperativas Estaduais

Cooperativas Centrais

Federações de Cooperativas

Cooperativas Singulares

27


Nossa História

Foi instalada em Ouro Preto, então capital do Estado, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Naquele tempo, a forma de governo no país era a monarquia. Como Dom Pedro I havia abdicado do trono e seu sucessor, Dom Pedro II, não tinha idade suficiente para assumir o posto, o Brasil era governado por regentes.

Fonte: uk.coop - The Co-operative Union Photograph Collection, 1865

1835

28

Fonte: jornalvozativa.com Luiz Fontana, 1930

Os primórdios do Legislativo mineiro

1844 Os pioneiros do cooperativismo no mundo Na pequena cidade de Rochdale, na Inglaterra, tecelões se uniram para fundar a “Rochdale Society of Equitable Pioneers”. Essa sociedade tinha como objetivo encontrar uma alternativa econômica aos preços abusivos do mercado de consumo e é considerada a origem do movimento cooperativista moderno.


A primeira cooperativa brasileira

1889

Fonte: flickr.com/photos/filipe_dilly Filipe Dilly, 2009

O berço da Inconfidência Mineira foi onde também surgiu a primeira cooperativa brasileira. A Sociedade Cooperativa Econômica dos Funcionários Públicos de Ouro Preto é a primeira cooperativa de que se tem registro no Brasil. Essa organização era voltada para suprir, de maneira solidária, as necessidades de consumo de seus membros.

1897

Fonte: siaapm.cultura.mg.gov.br

Uma nova casa para o parlamento estadual Com a transferência da capital do Estado para Belo Horizonte, símbolo do progresso republicano, que na época ainda se chamava Cidade de Minas, o parlamento mineiro deixou Ouro Preto e mudou-se para a nova capital.

29


Fonte: Arquivo Sicoob Cofal, 2013

A fundação do Sicoob Cofal Um grupo de 34 funcionários da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, movido pelo espírito comum de solidariedade e ajuda mútua, se reuniu com o sonho de criar uma entidade que pudesse ajudar e apoiar financeiramente os servidores da Casa. Surgia assim o Sicoob Cofal. À época, predominava a prática da agiotagem, e os servidores da ALMG se viam muitas vezes buscando dinheiro fora do mercado de crédito legítimo, a taxas

de juros elevadas e sem as devidas autorizações legais para isso. Com o objetivo de proporcionar crédito justo por meio da mutualidade, esse grupo teve a iniciativa de fundar o Sicoob Cofal, que até hoje, por meio dos mesmos princípios cooperativistas que basearam a sua construção, oferece soluções financeiras à comunidade da ALMG. Foram eles:

1980 Fundadores do Sicoob Cofal Antônio Geraldo Pinto Antônio Santana de Souza Benito Romano Fantoni Bruno Leonardo Pirani Cândido Batista de Azevedo Carlos Alberto Mazuch Novaes Carlos Roberto Paulino de Castro Cristina Hatem Edmundo de Carvalho Albuquerque Élio Sobreiro Gamaliel Herval Geraldo Raymond Álvares da Silva Gerson Veriano Hortensia Cottini Ivan Marques João Gilberto Bonfim José dos Anjos Campos Lúcio Antônio de Souza Magda Valadares Lembi Magalhães Marco Aurélio Gomes Lobo Marcos Magalhães Maria Helena da Silva Moreira Maria Horta de Oliveira Teixeira Maria Sylvia Macedo Cabral Maria Walderez Taves Sobreiro Maritza de Pinho Alvarenga Maurício Meireles Mucio Labarrère Nascimento Nelson Ferreira Prado Roberto Cardoso Gonçalves Ronan Álvares Soares Sérgio Augusto Brandão Walter de Araujo Zazá Filho Zilah Alves de Carvalho. 30


O Plano Real

Fonte: Arquivo

Com a instituição da Unidade Real de Valor (URV), iniciou-se oficialmente a mais ampla reforma econômica já realizada no Brasil. O Plano Real tinha como objetivo principal controlar a hiperinflação que assolava o país. A inflação até então esgotava o poder aquisitivo da população brasileira. A conquista memorável do Plano Real foi a extinção da máquinasímbolo daquela época: a “remarcadora de preços dos supermercados”. Durante esse período de transição, a Cooperativa nunca deixou de dar suporte às necessidades financeiras dos servidores da Assembleia.

1994 A criação da Central mineira O Sicoob Cofal teve participação efetiva na criação da Central das Cooperativas de Economia e Crédito de Minas Gerais – Sicoob Central Cecremge, instituição fundamental na consolidação do setor no Estado. A Cooperativa Central desempenha importante papel de representação dos interesses de suas filiadas, orientando-as em suas operações e serviços e promovendo a integração das mesmas com o cooperativismo e com o sistema financeiro nacional.

Central Cecremge Desde a criação do Sicoob Central Cecremge, o Sicoob Cofal esteve envolvido nos bons trabalhos desempenhados pela Central mineira, participando, inclusive, dos seus órgãos de gestão, entre eles Diretoria e Conselhos.

31


Em uma época em que computadores eram menos comuns nos ambientes de trabalho, não desempenhavam tantas funções, nem acessavam facilmente a internet, a Cooperativa adquiriu o seu primeiro PC, equipamento que permitiu maior agilidade nos processos.

1996

É lançado o jornal do Sicoob Cofal

Fonte

32

: Arq

uivo

om A2 C

unica

ção,

2013

A Cooperativa lançou o seu principal veículo de comunicação impresso, que desde então leva informações aos cooperados, entidades parceiras e demais públicos.

Fonte: Arquivo Sicoob Cofal, 1996

Aquisição do primeiro computador da Cooperativa


Fonte: Arquivo Sicoob Cofal, 1996

Sicoob Cofal registra sua milésima associação A Cooperativa atinge a marca histórica de mil cooperados, com a filiação de José Drumond de Camargo Júnior, reafirmando o constante crescimento e conquista de credibilidade.

1996

1997

Fonte: Arquivo Bancoob, 1996

Bancoob: consolidação e autonomia O Bancoob foi constituído, trazendo ganho de escala e escopo para as cooperativas que o compunham. Além de possibilitar o acesso ao mercado interfinanceiro e autonomia operacional, o Bancoob passou a oferecer às cooperativas de crédito um portfólio de produtos e serviços diversificado, em condições bastante competitivas. O banco permitiu, ainda, tornar mais rentável a liquidez dos recursos das cooperativas e proporcionar melhores taxas de remuneração às aplicações, o que impulsionou o crescimento do Sicoob Cofal.

33


Para defender os interesses das cooperativas no Poder Legislativo de Minas Gerais, foi criada a Frente Parlamentar do Cooperativismo, a Frencoop-MG, um braço da Frencoop Nacional. Inicialmente, a Frente mineira era integrada por 47 dos 77 deputados estaduais, todos relacionados de alguma forma com o movimento cooperativista. Ela é aberta à participação de todos os partidos políticos que aceitam os princípios cooperativistas e desejam transformar em realidade seus objetivos.

Fonte: Arquivo Sicoob Cofal, 1997

A Frencoop no parlamento mineiro

O trabalho desenvolvido pelo Conselho de Administração e Diretoria do Sicoob Cofal foi fundamental para subsidiar a criação e a implantação da Frencoop-MG, em 1997. Tal apoio faz da Cooperativa uma entidade de referência para a Frente Parlamentar.

1997

1998

Fonte: mediaserver.almg.gov.br/acervo Jefferson Veloso, 2013

Incentivo à cultura

34

O Sicoob Cofal se tornou instituição patrocinadora da Assembleia Cultural, iniciativa da ALMG para promover manifestações socioculturais por meio de três projetos: o Programa Segunda Musical, que oferece recitais de música erudita no Teatro da Assembleia; o Projeto Zás, que oferece espetáculos de música, teatro, dança, humor e poesia, entre outras manifestações artísticas; e o Coral da Assembleia.


A conta-corrente e a expansão dos serviços

1999

Fonte: Arquivo A2 Comunicação, 2013

O Sicoob Cofal foi uma das cooperativas participantes do projeto do Sistema Sicoob para implantação do serviço de conta-corrente. A partir daí, a Cooperativa passou a funcionar como instituição financeira plena, com todos os serviços permitidos pela operacionalização da conta-corrente, como saques, depósitos, débito automático, consulta de saldos e extratos, emissão de talões de cheques, oferta de cheque especial e emissão de cartões de débito e crédito. Essa evolução proporcionou ao cooperado acesso a serviços completos, só que de maneira justa.

2000

Fonte: Arquivo

Sicoob Cofal é apresentado como case de sucesso O Sicoob Cofal foi destaque no II Congresso Brasileiro de Cooperativismo de Crédito – Concred, um dos eventos de maior relevância do setor no país. O trabalho desenvolvido pela Cooperativa foi apresentado, dando-se destaque às boas práticas e aos grandes desafios já superados.

35


Na data em que é comemorado o Dia Internacional do Cooperativismo, o diretor-presidente do Sicoob Cofal, Cristiano Felix, foi homenageado como “Destaque no Ramo de Crédito Mútuo”, em solenidade realizada pela Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais – Ocemg.

2000

Fonte: Arquivo

Servidores conquistam o direito de receber pela Cooperativa

36

A Lei Estadual 13.722/00 foi aprovada, garantindo aos servidores públicos o direito de escolher a instituição bancária pela qual recebem seus pagamentos mensais, o que tornou possível a assinatura de um convênio entre a ALMG e o Sicoob Cofal/ Bancoob. Isso permitiu aos servidores da Casa optar pela Cooperativa para receber seus vencimentos.

Fonte: Arquivo Sicoob Cofal, 2000

Homenagem ao líder do Sicoob Cofal


A Cooperativa iniciou o século XX com patrimônio consolidado e preparada para novos desafios, contabilizando R$ 13,658 milhões em seu Ativo.

2000

Fonte: Arquivo

Evolução do Ativo

2001

Fonte: Arquivo A2 Comunicação, 2013

Marca histórica: mais de dois mil associados O Sicoob Cofal continuou apresentando crescimento e, no início do ano 2001, ultrapassou a marca de dois mil cooperados.

37


Foi inaugurada a sede própria do Sicoob Cofal. Uma conquista que abriu novas possibilidades à instituição, dando impulso à busca de outras vitórias e de um novo patamar de desenvolvimento. A sede veio proporcionar um ambiente diferenciado para o gerenciamento da Cooperativa, o que permitiu a expansão da equipe e o aprimoramento das atividades administrativas.

2001

Fonte: bancoob.com.br - Bancoob, 2011

A organização do Sistema

38

Foi fundada em Brasília, como resultado do empreendedorismo e da perseverança de administradores de quase 700 cooperativas de crédito, entre elas o Sicoob Cofal, a Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob – Sicoob Confederação, com objetivo de promover o crescimento, a padronização e a integração de suas filiadas.

Fonte: Arquivo Sicoob Cofal, 2001

A conquista da sede própria da Cooperativa


Horário especial

2002

Fonte: Arquivo Sicoob Cofal, 2013

Entendendo as necessidades dos associados, o Sicoob Cofal começa a operar seus caixas em um horário de atendimento diferenciado, com início às 9 horas, em vez das 10 horas.

2003

Fonte: Arqu

ivo A2 Com

unicação, 20

13

Educação financeira É criado o Programa de Educação Financeira do Sicoob Cofal, com o lançamento da Cartilha de Planejamento do Orçamento Doméstico. Este foi o resultado de um grande trabalho de pesquisa realizado pela Cooperativa. A cartilha traz orientações sobre elaboração do orçamento doméstico, dicas de economia e uma planilha para auxiliar no controle financeiro.

39


Foi iniciado o projeto de fortalecimento do capital social do Sicoob Cofal, com o qual os cooperados passaram a capitalizar voluntariamente valores predeterminados. Ao aderir, o associado recebeu cupons para participar de sorteios de diversos prêmios. A campanha teve ampla adesão do quadro social e, devido ao grande sucesso, foi prorrogada até 2006. Como resultado, dobrou o capital do Sicoob Cofal e contou com a adesão de 50% do quadro social.

2004

Fonte: Arquivo

É decretada a lei estadual do cooperativismo

40

Por meio da Lei 15.075, foi instituída a política estadual de apoio ao cooperativismo, que consiste no conjunto de diretrizes e regras voltadas para o incentivo à atividade cooperativista e ao seu desenvolvimento no Estado. Essa grande conquista para o setor teve participação direta da Frencoop-MG, do Sistema Ocemg e do Sicoob Cofal.

Fonte: Arquivo Sicoob Cofal, 2004

Campanha de capitalização voluntária


Representatividade na web

2004

Fonte: Arquivo A2 Comunicação, 2013

Na busca constante pela inovação e interação com o cooperado, o Sicoob Cofal lançou seu website. O site trouxe informações mais atuais da Cooperativa, tornando-se um importante aliado no dia a dia do associado, além de apresentar um leque de soluções financeiras, a história do Sicoob Cofal, do cooperativismo, entre outras informações.

2005

Fonte: Arquivo Sicoob Cofal, 2005

ALMG homenageia a Cooperativa pelos seus 25 anos Como confirmação de sua importância para os associados, o Sicoob Cofal foi homenageado pela ALMG por seus 25 anos, em solenidade que aconteceu em reunião especial no Plenário Juscelino Kubitschek. Na ocasião, a Cooperativa recebeu uma placa com a seguinte mensagem: “Acreditando no cooperativismo como o melhor caminho para o desenvolvimento responsável, a Cofal tem cumprido com excelência sua função de proporcionar assistência financeira e prestação de serviços aos seus cooperados, além de apoiar projetos culturais de interesse de seus cooperados”. 41


Fundação do Sicoob Previ O Sicoob Previ é uma entidade de previdência complementar fechada, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa, patrimonial e financeira, cujos participantes são funcionários, membros, dirigentes e associados de entidades do Sicoob, pessoas que desejam melhorar ou manter o nível salarial na aposentadoria. Com o plano de benefícios previdenciários, o Sicoob Cofal oferece ótimas maneiras de complementação da renda da aposentadoria e tranquilidade para o futuro dos associados.

Previ

2006

Fonte: Arquivo

Evolução tecnólogica

42

Implantação no Sicoob Cofal do Sistema de Informática do Sicoob – Sisbr, software que possibilitou a interligação das cooperativas de crédito pertencentes ao Sicoob em todo o país. O Sisbr facilitou o controle administrativo e financeiro da Cooperativa, padronizou procedimentos e garantiu que as transações financeiras ficassem mais eficazes e seguras, sempre em conformidade com a base legal que regula o cooperativismo de crédito brasileiro. Outra vantagem é que o cooperado passou a acessar o internet banking e a fazer movimentações financeiras online.


Registro histórico do Ativo

Fonte: Arquivo

O Sicoob Cofal atinge R$ 30,535 milhões em Ativos, mais que o dobro do valor apresentado seis anos antes, reafirmando a segurança e solidez da Cooperativa.

2006

2008

Fonte: Arquivo

Na contramão da crise 2008 foi um ano de grande aprendizado, com alta volatilidade no mercado financeiro, em decorrência da crise do crédito imobiliário americano, conhecido como subprime. Enquanto os bancos reduziam a oferta de crédito e aumentavam os juros, a Cooperativa trabalhava na administração do patrimônio e dos recursos dos associados para continuar oferecendo as condições mais atrativas.

43


Adesão à marca única do Sicoob Mudar para evoluir e integrar. Foi com esse objetivo que o Sicoob Cofal passou a utilizar a marca do maior sistema de cooperativas de crédito do Brasil. A mudança estava alinhada ao novo posicionamento estratégico e buscou refletir o momento de grande avanço e consolidação da Cooperativa.

2009

O colapso do mercado financeiro americano provocou uma crise de crédito mundial e a contração do Produto Interno Bruto brasileiro, refletindo em muitos setores econômicos. Nesse cenário de incertezas, o Conselho de Administração investiu em ações que minimizassem os riscos operacionais, preservando a rentabilidade da Cooperativa. O Sicoob Cofal também reduziu suas taxas de juros e passou pela crise com segurança, demonstrando capacidade técnica de gestão. 44

Fonte: Arquivo

Solidez em mais um ano de crise econômica mundial


Sicoob Cofal realiza seu primeiro Dia C O Dia C é uma iniciativa do Sistema Ocemg que, com o apoio e a participação efetiva das cooperativas de Minas Gerais, tem o objetivo de promover e estimular a integração das ações voluntárias de todas as cooperativas, cooperados, colaboradores e familiares, em um grande movimento de solidariedade. Devido à eficiência da iniciativa, o evento já se estendeu para diversos Estados do país. O Sicoob Cofal participa anualmente da iniciativa e já ajudou milhares de pessoas carentes em Belo Horizonte e Região Metropolitana.

2010

2012

2012 foi escolhido como o Ano Internacional das Cooperativas, pela Organização das Nações Unidas (ONU). Nada mais justo, já que o cooperativismo é um movimento que gera qualidade de vida para cerca de 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo. O Ano Internacional das Cooperativas é fruto da estreita relação entre as cooperativas e a ONU, que têm como objetivo comum buscar o desenvolvimento econômico sustentado, a mitigação da pobreza e a intercooperação.

Fonte: Arquivo

Cooperativismo é tema anual da ONU

O slogan escolhido para nortear as ações de 2012 foi “Cooperativas constroem um mundo melhor”. A temática reflete não apenas o espírito cooperativista, mas também o compromisso do segmento com o desenvolvimento global. 45


O Assembleia Solidária é uma parceria da ALMG com as entidades da Casa que representam os seus servidores, como o Sicoob Cofal, para promover ações de responsabilidade social e de ajuda ao próximo na comunidade. Desde a sua criação, o Assembleia Solidária já abarcou importantes projetos, como a Marcha contra o Crack e Outras Drogas, a Caminhada pela Paz nas Escolas, Doações para Vítimas das Chuvas e o próprio Dia C.

2012

Fonte: Arquivo

Criação do Dia Nacional do Cooperativismo de Crédito

46

Por meio da Lei 12.620, foi criado o Dia Nacional do Cooperativismo de Crédito. A data eleita para celebrarmos o que há muito já reconhecemos como o modelo ideal de intermediação financeira foi o dia 28 de dezembro. Também integra essas conquistas a moeda comemorativa do Ano Internacional das Cooperativas, criada pelo Banco Central do Brasil. Cunhada em prata, a moeda traz no seu reverso o slogan estabelecido pela ONU “Cooperativas Constroem um Mundo Melhor”.

Fonte: Arquivo Sicoob Cofal, 2011

Unidos pelo Assembleia Solidária


Para marcar em Minas Gerais o Ano Internacional das Cooperativas, do calendário da ONU, a ALMG promoveu o Ciclo de Debates Cooperar 2012, que contou com a participação efetiva do Sicoob Cofal. Para divulgar o cooperativismo e suas possibilidades, identificar os desafios enfrentados e os sucessos obtidos pelos diversos ramos do cooperativismo e apresentar sugestões para o fortalecimento do setor, foram realizadas diversas palestras com personalidades de destaque no ramo.

Fonte: Arquivo Sicoob Cofal, 2012

Ciclo de Debates Cooperar

2012

Fonte: Arquivo Sicoob Cofal, 2011

Criação do Centro de Documentação do Sicoob Cofal Para garantir ainda mais segurança e controle da informação de documentos e dados dos associados, o Sicoob Cofal investiu na criação do Centro de Documentação – Cedoc. O espaço garante eficiência na gestão de dados em todas as fases do ciclo de vida dos documentos da Cooperativa. Ele conta com um sistema digital de catalogação, que permite localizar rapidamente os documentos arquivados. O Cedoc está instalado na sede da Cooperativa e serve ainda como fonte de pesquisa, tanto administrativa quanto histórica e cultural do Sicoob Cofal.

47


A criação do FGCoop Atendendo aos pleitos do setor cooperativista nacional, foi publicada a Resolução n 4.150, que viabilizou a criação do Fundo Garantidor de Créditos das Cooperativas de Crédito. Com o FGCoop, todas as cooperativas do país estão reunidas em um único sistema de proteção, que assegura os depósitos no valor de até R$ 250 mil por associado, mesmo valor de proteção oferecido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) dos bancos.

2012

Fonte: Arquivo Sicoob Cofal, 2013

0

2013

Fonte: Arquivo A2 Comunicação, 2013

Expansão do Espaço Cooperativo

48

Obras para expansão do Espaço Cooperativo, localizado no Edifício Tiradentes, foram realizadas para oferecer um ambiente mais confortável, seguro e bem equipado, o que permitiu proporcionar um atendimento de qualidade e personalizado a cada cooperado.


Entre as principais mudanças apresentadas pela reforma estatutária, destacase a ampliação do quadro social, que permitirá à Cooperativa atender aos servidores ativos e inativos dos Poderes legislativos e do seu Órgão Auxiliar, localizados em Belo Horizonte, no Estado de Minas Gerais. Com a expansão, o Sicoob Cofal teve sua razão social alterada para “Cooperativa de Crédito dos Servidores dos Poderes Legislativos do Estado de Minas Gerais e do seu Órgão Auxiliar Ltda.”. O objetivo é obter ganho de escala, melhorias no portfólio de produtos e serviços e novas alternativas de negócio, além de oferecer para um maior número de pessoas acesso a serviços financeiros éticos, voltados para o desenvolvimento humano.

Fonte: Arquivo A2 Comunicação, 2013

Reforma estatutária – ampliação da área de atuação

2013

Fonte: Arquivo Sicoob Cofal, 2013

Cooperativa referência no Brasil O Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), em parceria com a Organização das Cooperativas do Brasil (OCB) e a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), lançou em 2013 o I Prêmio Sescoop Excelência de Gestão, com o objetivo de incentivar e reconhecer o esforço das cooperativas com as melhores práticas de gestão e governança. Mais de 600 cooperativas se inscreveram em todo o país e foram criteriosamente avaliadas, por meio de questionários e auditorias. As 28 cooperativas de maior destaque participaram de um evento realizado em Brasília, onde foram premiadas nas categorias bronze, prata e ouro. O Sicoob Cofal recebeu o troféu prata, classificando-se entre as dez melhores cooperativas do país em gestão e governança. Se já era destaque em Minas Gerais, alcança agora projeção nacional e passa a ser referência no Brasil. 49


GALERIA DE PRESIDENTES

50

1980 a 1984 Marco Aurélio Gomes

1984 a 1986 Bruno Leonardo Pirani

Ainda que o movimento cooperativista não estivesse amplamente estabelecido no país, foi visionário e esteve à frente da criação do Sicoob Cofal. Seu espírito empreendedor fundamentou a perenidade da Cooperativa.

Sua gestão teve como foco principal a divulgação da Cooperativa dentro da Assembleia Legislativa de Minas. Dedicou esforços para o reconhecimento do Sicoob Cofal como alternativa às instituições financeiras tradicionais, com soluções mais personalizadas para os servidores da Casa.


1986 a 1988 Paulo Daniel Godoy

1988 a 1994 Wagner Dias da Silva

1994 até a data atual Cristiano Felix dos Santos Silva

Intensificou o trabalho de estruturação da política de empréstimos da Cooperativa. Percebeu que, somente por meio da busca de melhores regulamentações para o fornecimento de crédito, seria possível garantir o desenvolvimento do Sicoob Cofal.

Teve atuação marcante, voltada para a profissionalização dos funcionários da Cooperativa, um trabalho que mudou a estrutura do Sicoob Cofal e lhe deu condições de se desenvolver e se sustentar. Para possibilitar o crescimento do Sicoob Cofal, dedicou-se ao cooperativismo de crédito mineiro como um todo, com participação ativa na criação da Central das Cooperativas de Economia e Crédito de Minas Gerais.

Planejamento, resultado e crescimento, sempre com foco na satisfação dos associados. Essas são as principais preocupações de sua gestão. Consolidou vários projetos da Cooperativa, como a estruturação dos serviços de contacorrente, a conquista da sede e a ampliação do quadro social. O profissionalismo e a coerência entre o planejado e o executado permitem ao Sicoob Cofal ser uma instituição distinta por sua segurança, credibilidade e constante evolução. 51


GALERIA DE CONSELHEIROS, DIRETORES E MEMBROS DE COMITÊS

52


Adair Ribeiro Vidal Adalberto Alves Parreira Adelmo Gabriel Marques Adriano Pinto Veloso Aldo José de Alexandro Franklin de Souza Nascimento Abreu Alexandre Werneck de Oliveira Ana Clarice dos Santos Martins Anderson Moratori Nunes Coelho Angélica Testa Saab Antônio Augusto Salles e Salles Antônio Carlos Mazzilli Antônio Pinto da Silva Antônio SantAna de Souza Antuer Barbosa Arlete das Mercês Ramirez Righi Ary de Santana Bruno Leonardo Pirani Cândido Batista de Azevedo Carlos Alberto Mazuch Novaes Carlos Antônio de Souza Carlos Roberto Paulino de Castro Cleber Moreira Cristiano Felix dos Santos Silva Custódio Xavier da Cunha Neto DALMIR DE JESUS DEcio Luiz Defeo Eder Pacelli de Paiva Edmundo de Carvalho Albuquerque Eduardo Henrique de Oliveira Eduardo Vieira Moreira Élio Sobreiro Elizabeth Alves Fenner Guimarães Ernani Maia Eugênia Ferreira Kelles Euler Fernando Cleto Eustáquio Antônio Rodrigues Evamar José dos Santos Fabiano Fernandes Teixeira Felintho Santos Nascimento Frederick Franklin Lincoln Queiroz Barbosa 53


Georges Laviola Vagliano Geraldo Ediberto Fernandes Geraldo Garcia Filho Geraldo Magela da Silva Neto Geraldo Raymond Geraldo Magela Magalhães Silva Álvares da Silva Gerson Veriano Gilberto Luiz Cesário Helena de Almeida Rosele Heny Alves Herculano Lamounier Fernandes Israel dos Santos Naziazeno Itália Fausta Machado Grisólia Jadir Pereira Lima Jairo Gomes Moreira Joana D’arc do Nascimento João Nunes de Oliveira Filho John Santos José Jurani Garcia de Araújo José Modesto Sobrinho José Pedro de Morais José Ramos dos Santos José de Sales Peixoto Juliana Jeha Daura Júlio César Couto Moreira Juraci Alves de Almeida Jussara de Melo Ferreira Lenilson Vieira de Souza Lenir Cassetti Bignoto Luciane Cassetti Ornellas Franklin Lúcio Antônio De Souza Luiz Antônio Dias Luiz Baltazar de Souza Luiz Roberto Candiotto Castro Leite Marcelo Silveira Junior Marcelo Rodrigo Barbosa Márcia Dayrell Camargos QUINTELA Marcia Lucia de Oliveira Marco Antônio Campos Pinto Marco Aurélio Gomes Lobo Marcos Magalhães Maria Angélica 54


Santana Cunha Maria Aparecida Barbosa Maria APAMaria de Fátima Alves de Abreu e RECIDA de Paula Maria Helena Coelho Maria Walderez Taves Silva Sobreiro Maurício Meireles Miguel Arcanjo Marques Miriam Lene da Conceição Saraiva de Oliveira Nelson Ferreira Prado Neuza Eloi Salvador Azevedo Osvaldo Nonato Pinheiro Paulo Acorroni Paulo Daniel Godoy Pedro Aurélio Conde Baeta da Costa Raimundo Sérgio Campos Ramon Lotti Garcia Raquel Ferreira Drosghic Renan Ferreira Campos Renato Sérgio Rossi Ricardo Moreira Martins Roberto Cardoso Gonçalves Roberto Victor Foureaux Rodrigo Azevedo Sanches Rodrigo Conde Baeta da Costa Rômulo de Oliveira Ronan Álvares Roque Rubens Rolla Rosane Campos Vieira Soares Rosilene Fernandes da Silva Salazar Rodrigues Júnior Seila Aparecida Rocha Rezende Sérgio Augusto Brandão Silênio Limonge Garcia Silvanio Viana Gomes Tarcízio de Podestá Terezinha de Jesus Moura Brito Vander Neves Ferreira Wagner Dias da Silva Yara Soares Moreira dos Santos Zélio Batista Barbosa Zélio José Campos. 55


Sede Rua Matias Cardoso, 155, 3 andar Santo Agostinho - Belo Horizonte - MG Cep: 30.170-050 0

Espaço Cooperativo Rua Rodrigues Caldas, 79, Loja 12 - Edifício Tiradentes Santo Agostinho - Belo Horizonte - MG Tel.: (31) 3516-4800 / 3516-4848 Fax: 3291-7737 / www.sicoobcofal.com.br E-mail: cofal@cofalmg.com.br Ouvidoria: 0800 725 0996 www.ouvidoriasicoob.com.br



Publicação Histórica - Sicoob Cofal