Page 1

Publicação trimestral fevereiro 2019 número III


Ficha Técnica

Índice

Revisão de textos: Ana Castro Silva Capa: Branca Mesquita Paginação e Maquetagem: Castro Silva e Branca Mesquita

Ana

Fotografia: Ana Castro Silva e Branca Mesquita Equipa redatorial: Professores, Alexandra Machado, Ana Castro Silva, Antónia Lagarto, Branca Mesquita, Carla Almeida, Carlos Graciano, Dora Gouveia, Helena Matos, Jorge Costa, Manuela Melo, Manuela Lopes, Maria José Estrela, Maria José Morais, Paula Batista Alunos, Beatriz Dias (5ºA), Mariana Costa (5ºA), Mariana Silva (5ºA), Clara Cruz (5ºD), Alexandre Pina (5ºD), Morgana Soares (5ºD), Rui Monteiro (5ºD), Sofia Pinto (5ºD), Verónica Silva (5ºD), Agostinho Cruz (6ºA), Fábio Irineu (6ºA), Joana Silva (6ºC), Érica Leitão (6ºD), Gustavo Oliveira (6ºD), Gonçalo Gomes (6ºD), Guilherme Soares (6ºD), Mafalda Ribeiro (6ºD), Margarida Teixeira (6ºD), Maria João Neves (6ºD), Rúben Lopes (6ºD), Tomás Gonçalves (6ºD), Tomé Barros (6ºD) Outros colaboradores: Carlos Pinto, Direção da APEEAG, Inês Brigas, Manuela de Castro, Margarida Frias Rocha, Miguel Silva, Núcleo de estágio de Biologia e Geologia da EBAG Financiamento: Adão oculista /Ótica Adega VISEU no PORTO APEEEAG / Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Augusto Gil

Brun´s / Pão Quente Supermercado dos Navegantes Mutante / Loja de Autor Northspirit / Centro de impressão Paula Teixeira / Cabeleireiros Quiosque Madeira VIGEMAC / Viagens e Turismo

3. Editorial 4. Augusto Gil premiada 5. Alimentação e saúde À descoberta da Biblioteca 6. Objetos com história Desafios na BEAG 7. “A ordem do Poço do Inferno” Uma viagem pelas descobertas 8. Igreja de santa Clara - verdadeira jóia do Barroco Olimpíadas de Matemática 9. Coração verde 10. Pequenos gestos, grandes corações 11. Há música no ar! Concurso Nacional de Leitura 12. VI Corta-mato do Agrupamento de Escolas Aurélia de Sousa 13. “É um produto português com certeza!” 14. Não aos oceanos de plástico! Poluição antrópica 15. 20 de novembro - Dia da Convenção dos Direitos das Crianças Open schools for open societies 16. Feira do Livro 17. 70º aniversário da Declaração dos Direitos Humanos 18. Uma entrada com Arte 19. Uma entrada com Arte 20. “Quem disse que tinhas de ser um adulto para dar o exemplo?” Da sala dos professores já se vê o mar 21. Intervenção em Saúde escolar - Promoção da Saúde Oral 22. Natal melodioso 23. Presépios em família Como gosto do Natal! 24. Conhecer Amadeo 25. “Geometrias natalícias” 26. “Um Novo Olhar - Uma Nova Obra” 27. “Um Novo Olhar - Uma Nova Obra” 28. APEEEAG - Uma nova equipa, a mesma ambição 29. Natal solidário 30. B.O.A. Mãos à obra? 31. Visitar para aprender 32. Ser voluntária é um desafio 33. No clube dos Cientistas… Queres ser um campeão? 34. Li e gostei 35. Passatempos

Os textos do A.GIL foram redigidos segundo as normas do acordo ortográfico.

2 A.GIL l fevereiro 2019

Coordenadoras: Ana Castro Silva e Branca Mesquita


Editorial

O

Nós abrimos “portas”

edifício da Escola Básica Augusto Gil existe desde o século XIX. Neste edifício funcionaram dois estabelecimentos de ensino. Em 1840, foi criado o Colégio Nossa Senhora da Estrela, colégio feminino que funcionava em regime de internato, semi-internato e externato. Possuía duas entradas, uma pela Rua de Santa Catarina e outra pela Rua da Alegria. Em 1928, este Colégio deu lugar ao Colégio masculino João de Deus. Tanto o Colégio Nossa Senhora da Estrela como o Colégio João de Deus foram muito bem frequentados, sendo considerados estabelecimentos de ensino de grande prestígio. Mais tarde, em 1973, passou a funcionar a Escola Preparatória Augusto Gil, depois Escola E.B.2.3 Augusto Gil e, por fim, Escola Básica Augusto Gil. Com cerca de 45 anos de existência, esta escola pública tem procurado honrar o seu passado, ministrando um ensino de qualidade pautado pelo rigor e exigência. Na década de 90, a entrada da escola passa a fazer-se exclusivamente pela Rua da Alegria. A entrada pela Rua de Santa Catarina é encerrada, devido ao seu crescente estado de degradação. Neste ano letivo, 2018/2019, foi reaberta a entrada pela Rua de Santa Catarina, que era a entrada nobre do colégio, cujo objetivo foi facilitar o dia a dia de alunos, pais, encarregados de educação, professores e assistentes operacionais. É com muito orgulho e satisfação que diariamente mostramos um edifício com história . Em tempos em que se constroem muros e fonteiras, nós abrimos “portas”. Todos os dias abrimos portas para acolher os nossos alunos. Somos uma Escola aberta ao mundo, porque sabemos que assim ficamos mais ricos. A Escola tem também aberto portas à sociedade e à comunidade educativa, estabelecendo pontes de comunicação. Somos uma Escola inclusiva e integradora que tem como objetivo instruir, educar e formar cidadãos responsáveis, solidários e perseverantes. Queremos capacitar os nossos alunos de forma a terem pensamentos críticos relativamente aos problemas do mundo. Desejamos que os nossos alunos se sintam bem no espaço escolar e tudo fazemos e faremos para lhes proporcionar contextos favoráveis à aprendizagem. Queremos fazer parte da sua felicidade! Maria Helena Matos

3 A.GIL l fevereiro 2019

Coordenadora da Escola Básica Augusto Gil


Augusto Gil premiada

Professora Antónia Lagarto

Entrega dos prémios pela Diretora do departamento municipal da Cultura da C.M.P., Drª Sofia Alves, ao aluno David Gonçalves (9ºC2) e às professoras Branca Mesquita e Antónia Lagarto

4 A.GIL l fevereiro 2019

P

orque de sonhos é o imaginário dos alunos do Centro de apoio à aprendizagem, decidimos que a sua espontânea criatividade poderia dar forma a uma “Cascata de São João”, diferente, que vivesse dos seus imaginários ingénuos, leves como a brisa que paira nos seus olhares! Nasceu assim a “Cascata… em sonho suspensa”, porque é de sonho e no sonho… o dia-a-dia da Ana, do Afonso, do David, da Francisca Barbosa, da Francisca Sousa, do Filipe, do Hélder, do João… tantas vezes suspenso em olhares de terna incredulidade pela descoberta… gargalhadas em cascata límpida e em espantos de Luz… de prantos… de vida… Todos trabalharam com o entusiasmo próprio de cada um, com os grafismos que foram tomando

formas de casas…de manjericos… de sardinhas… e o São João… O encanto dos sorrisos ao verem os seus trabalhos quase que a “voarem”… Os alunos foram orientados em “Oficina de Artes” pelas professoras Antónia Lagarto e Manuela Nogal, com a colaboração das professoras Branca Mesquita e Maria João Silva, na montagem da estrutura final. Foi gratificante e motivador o reconhecimento que tivemos ao sermos premiados com o 2º lugar, da categoria em que nos inscrevemos, no “Concurso de Cascatas de São João – 2018”, promovido pela Câmara Municipal do Porto. A cerimónia de entrega dos prémios decorreu no dia vinte e sete de setembro, no Palacete dos Viscondes de Balsemão.


O

Alimentação e saúde

Dia Mundial da Alimentação teve início em 1981 e atualmente é comemorado em mais de 150 países, a 16 de outubro. É uma data importante para a sensibilização da opinião pública sobre a nutrição e alimentação nos dias de hoje. Pela importância que reveste o tema, distinguimos e elencamos alguns objetivos como, a sensibilização para uma alimentação saudável; o alerta para certo tipo de alimentação que pode afetar a saúde; a importância das frutas e legumes na alimentação; os cuidados a ter com o sal, o açúcar e os refrigerantes;,

5 A.GIL l fevereiro 2019

D

e a ter presente as indicações da roda dos alimentos. Na Biblioteca, para além de uma exposição de livros alusivos à alimentação, houve um workshop de marcadores com receitas saudáveis e desenhos alusivos. Os alunos tiveram a oportunidade de responder a desafios e levar consigo as ofertas disponíveis, marcadores, roda dos alimentos, bolachas saudáveis e fruta. Este dia foi comemorado com a adesão de muitos alunos, motivados e interessados. Manuela Melo Coordenadora da Biblioteca escolar da EBAG

À descoberta da Biblioteca

ecorreu, no mês de outubro de 2018, a Formação de Utilizadores da Biblioteca Escolar, para todas as turmas do 5º Ano. Sendo o mês de outubro, o “Mês Internacional das Bibliotecas Escolares”, proporcionamos aos nossos alunos, um conhecimento mais profundo sobre a Biblioteca, bem como tornar-se um utilizador autónomo e responsável. Assim, os alunos, adquiriram conhecimento sobre o espaço e as diferentes zonas, os diferentes meios e suportes de pesquisa de informação, as regras de acesso à Biblioteca, como aceder e utilizar o serviço de requisições, como encontrar um livro através do conhecimento da Classe Decimal Universal, CDU, que é um sistema que possibilita a uniformização dos critérios de classificação dos documentos.

Baseia-se no conceito de que o conhecimento pode ser dividido em 10 classes principais. É o sistema de classificação utilizado na nossa biblioteca. Esta formação integrou uma parte prática para consolidação dos conhecimentos adquiridos, com a realização de uma ficha. A Biblioteca disponibilizou também o desdobrável com toda a informação necessária ao utilizador. Dotamos assim os novos utilizadores de conhecimentos, para que o espaço da Biblioteca seja um meio e um recurso de desenvolvimento das aprendizagens e aquisição de competências em literacia da informação. Manuela Melo Coordenadora da Biblioteca escolar da EBAG


A

Objetos com história

o longo do 1º período, em articulação com o grupo de História e Geografia de Portugal, a Biblioteca dinamizou a atividade: “Objetos com História”, assinalando datas e acontecimentos de relevo como o 5 de Outubro de 1910 – Implantação da República; 1 de Dezembro de 1640 – dia da Restauração da Independência; 11 de Novembro de 1918 – Centenário do Armistício da Iª Guerra Mundial e Fernão de Magalhães

e a Viagem de Circum-navegação, através da exposição de cartazes e imagens ilustrativas, objetos de época, livros relacionados com o tema, passagem de excertos de filmes e dinamização de desafios lançados aos alunos frequentadores da BE. Foi, igualmente, feita “ponte” com o placard “O Lugar da História” sendo afixados aqui, também, imagens e textos. Professora Maria José Morais

Desafios na BEAG Biblioteca desafiou os alunos a responderem a pequenos questionários relacionados com a atividade “Objetos com História”. Agradecemos a todos os alunos intervenientes e aos respetivos professores pela divulgação desta atividade. Foram vencedoras, as alunas: Clara Cruz (5ºD); Clementina Carvalho (5ºD); Renata Nogueira (5ºD); Marta Martins (8ºD). A entrega dos respetivos prémios, decorreu no dia 21 de janeiro. Professora Maria José Morais Manuela Melo Coordenadora da Biblioteca escolar da EBAG

Clementina Carvalho, Clara Cruz e Renata Nogueira Marta Martins

6 A.GIL l fevereiro 2019

A


“A Ordem do Poço do Inferno”

N

uno Matos Valente, escritor português de livros juvenis e autor da Trilogia “A Ordem do Poço do Inferno”, obra recomendada pelo Plano Nacional de Leitura, esteve com os alunos do 5ºD e do Centro de apoio à aprendizagem, no dia 25 de outubro, na Biblioteca Escolar. Esta Trilogia é formulada para cativar o público -alvo, e agradou, desde o primeiro momento, os nossos alunos. Através da abordagem de temas como, geocoaching, QR codes, drones, impressoras 3D, e onde o mistério atrai a curiosidade, o escritor motivou para a leitura.

Durante a sessão o escritor interagiu com os alunos e estes reagiram com entusiasmo, tornando a sessão interessante e motivadora. Além desta Trilogia consta da sua obra o “Bestiário Tradicional Português”, e é também coautor de manuais para o primeiro ciclo. Através destes encontros de autores, levamos os nossos alunos à descoberta do mundo da escrita e dos escritores, sendo uma motivação para o seu próprio crescimento cultural. Manuela Melo Coordenadora da Biblioteca escolar da EBAG

Uma viagem pelas descobertas

7 A.GIL l fevereiro 2019

N

o dia 18 de outubro, realizou-se uma visita de estudo, de caráter multidisciplinar, ao museu interativo e parque temático “World of Discoveries” com os alunos de 9ºano da Escola Básica Augusto Gil. O percurso foi feito a pé, pelas ruas do Porto, tendo permitido admirar a beleza arquitetónica de muitos edifícios e apreciar o ritmo cosmopolita que se instalou na cidade. No museu, após a calorosa receção pelo Infante D.Henrique, foram dadas a conhecer questões inerentes à evolução científico-tecnológica da época e a muitos dos problemas de saúde que os marinheiros tiveram de enfrentar ao longo das duras viagens empreendidas. Já no mar, a viagem decorreu com alguns percalços, desde a praia do Restelo até Calecut. Ultrapassaram-se momentos difíceis como um ataque em Ceuta, a fúria do Adamastor e uma assustadora tempesta-

de no mar, mas também houve muitas situações agradáveis de descoberta e de êxtase perante a paisagem e os ambientes desconhecidos. Os alunos revelaram, na sua maioria, um comportamento responsável e empenhado pelo que a visita de estudo foi coroada de sucesso. Núcleo de Estágio de Biologia e Geologia da EBAG


Igreja de Santa Clara – Verdadeira jóia do Barroco

N

o dia 19 de outubro, a turma C, do 6º ano, realizou uma visita de estudo à igreja de Santa Clara no Porto, no âmbito da disciplina de História e Geografia de Portugal. A visita teve como objetivos aprofundar conhecimentos adquiridos nas aulas sobre Arte Barroca e, ainda, valorizar elementos do Património histórico português. A igreja de Santa Clara é um edifício de origem gótica, cujo interior foi revestido a talha dourada, na primeira metade do século XVIII. A construção data da primeira metade do séc. XV. No entanto, sofreu alterações na época moderna, altura em que foi edificado um belo portal renascentista. Este edifí-

Professora Ana Castro Silva

Olimpíadas de Matemática

o dia 7 de novembro, realizou-se a primeira eliminatória das Olimpíadas Portuguesas da Matemática (OPM), promovidas pela Sociedade Portuguesa de Matemática, um concurso com problemas matemáticos, que tem como objetivo incentivar e desenvolver o gosto por esta ciência. No dia 9 de janeiro, os alunos vencedores das categorias Júnior e A, respetivamente Rúben Lopes, do 6°D e Maio Afonso, do 9°A, representaram a escola na segunda eliminatória, no Colégio Nossa Senhora do Rosário. Professora Dora Gouveia

8 A.GIL l fevereiro 2019

N

cio é uma verdadeira jóia do Barroco, que impressionou os alunos pela sua exuberância decorativa. A visita foi orientada por um guia que nos forneceu informações pertinentes sobre o monumento em estudo. Por outro lado os alunos mostraram curiosidade, interesse e colocaram várias questões sobre a origem da i g r e j a e a s u a h i s t ó r i a . Nesta visita os alunos foram acompanhados pelas professoras de H.G.P., Ana Silva e Maria José Morais e pela professora de EV e ET, Branca Mesquita. No final, todos demonstraram grande satisfação e este revelou-se um bom momento de sociabilidade entre alunos e professoras.


Coração Verde

N

9 A.GIL l fevereiro 2019

o âmbito do Projeto “Lipor Geração+”, foi entregue o Certificado “Coração Verde” à Escola Básica Augusto Gil no passado dia 25 de outubro. A cerimónia contou com a presença dos representantes dos alunos de todas as turmas, dos professores responsáveis pelo projeto, do corpo docente, do coordenador dos assistentes operacionais, da direção do agrupamento, da Câmara Municipal do Porto e da Lipor. Este reconhecimento é fruto do trabalho árduo da instituição, inscrita nesse projeto a nível de agrupamento em 2014, tendo a mesma ao longo do tempo suprimido algumas dificuldades em relação à deposição de resíduos nos espaços comuns (registadas em sede de auditoria inicial). Melhorou substancialmente a correta separação dos resíduos, reduzindo em 50 por cento a quantidade de resíduos indiferenciados produ-

Entrega do Certificado às professoras Anabela Martins, Carla Almeida e Paula Batista e ao Coordenador dos Assistentes Operacionais, José Garrido

zidos. Refere-se que tudo isto só é/foi possível, graças ao envolvimento de todos no processo, nomeadamente a colaboração por parte dos assistentes operacionais da instituição, e de uma maior preocupação por parte de alunos e professores em dar um correto fim aos resíduos produzidos. Este não é o fim!… É, sim, uma etapa importante dentro de um projeto de continuidade (que se pretende de longa duração) na relação entre a Lipor, a escola e a Câmara Municipal do Porto. Seguir-se-ão algumas atividades de gestão da certificação, com o objetivo de manter e/ou melhorar algumas das boas práticas já “instaladas” na escola, que irão (após 2 anos civis) dar origem a um processo de renovação da certificação. Miguel Silva (elemento da Lipor) Professoras Carla Almeida e Paula Batista


Pequenos gestos, grandes corações

Professora Branca Mesquita

Alguns dos jovens autores (6ºD e 7ºB2), acompanhados pela professora Branca Mesquita e pela Presidente da Ajudaris, Drª Rosa Mendes

10 A.GIL l fevereiro 2019

D

ecorreu no dia 5 de novembro, na Biblioteca Escolar, a apresentação dos livros "Histórias da Ajudaris'18". Esta sessão contou com a presença da Presidente desta Associação, Drª Rosa Mendes, assim como de alguns dos jovens autores, pertencentes às turmas do 6ºD e 7ºB2. O Agrupamento de Escolas Aurélia de Sousa está representado no volume I, através da história escrita pelos alunos do 6ºD (2017/2018), da Escola Básica Augusto Gil. O trabalho foi desenvolvido nas

aulas de Português. O tema aglutinante desta edição era a Natureza. A história “Pena Mágica”, foi lida aos alunos do 6ºD e do Centro de Apoio à Aprendizagem. Este projeto visa fomentar o gosto pela escrita, leitura, arte e solidariedade. É um projeto solidário, criativo e repleto de afetos. Citando Rosa Mendes: “Sem Amor, não podemos ser felizes.” Cada livro custa cinco euros. A venda solidária dos livros permite auxiliar crianças e famílias carenciadas.


Há música no ar!

N

o passado dia nove de novembro de 2018 foi realizada uma pequena apresentação musical. Na apresentação participaram alguns alunos do 5ºD, que juntamente com o seu professor de Educação Musical e respetivos Estagiários, interpretaram

T

Professor Carlos Graciano

Concurso Nacional de Leitura

al como em anos anteriores, realizouse a 1ª fase de escola da 13ª edição do Concurso Nacional de Leitura. Este concurso, de iniciativa e do âmbito do Plano Nacional de Leitura, integra quatro fases consecutivas e, tal como em edições anteriores, com o propósito de dar a esta celebração da leitura e da escrita um caráter mais universal e significativo, articula-se com a Rede de Bibliotecas Escolares, com a DireçãoGeral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, com o Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, entre outras instituições. Na nossa escola, foi selecionada a obra de Manuel António Pina, “Histórias que me contaste tu”,

11 A.GIL l fevereiro 2019

a canção “O Magusto” de José Carlos Godinho, com ritmos e instrumentos tradicionais portugueses. A música serviu de mote para um momento de grande alegria, na sala dos professores e Centro de Apoio à Aprendizagem. Uma boa experiência para repetir.

Drª Helena Matos com os alunos premiados do 2ºciclo: Rui Monteiro (5ºD), Léo Fuchs (5ºD), Maria João Neves (6ºD), Rodrigo Gomes (6ºD)

para o 2º ciclo e a obra de Ondjaki, ”Meninos da Rua”, para o 3º ciclo. Dos alunos participantes, foram selecionados os representantes do 2º e 3º ciclos, sendo os alunos, Léo Fuchs (5ºD) e Ana Moreira (8ºA2) a obter melhor pontuação. Estarão presentes na 2º fase concelhia do concurso, a realizar no dia 19 de fevereiro, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett. Aos alunos envolvidos e que tão bem participaram nesta atividade, foi feita uma celebração com a presença dos pais e entrega de prémios. Este momento contou com a presença da escritora Margarida Frias Rocha e da Dra. Helena Matos, altura em que foi lido um conto da referida escritora. Manuela Melo Coordenadora da Biblioteca escolar da EBAG

Drª Helena Matos com a aluna vencedora do 3ºciclo: Ana Moreira (8ºA2)


VI Corta-mato do Agrupamento de Escolas Aurélia de Sousa

o passado dia 9 de novembro, e na impossibilidade de utilização do Jardim Paulo Valada, teve lugar na Escola Secundária Aurélia de Sousa a VI edição do Corta-mato do Agrupamento de Escolas Aurélia de Sousa que, apesar das condições atmosféricas não terem sido as mais favoráveis, contou com a participação de 304 alunos dos diversos níveis de ensino. Para além dos professores de Educação Física, esta atividade contou com o apoio/colaboração do núcleo de estágio de Educação Física, docentes de outras áreas, assistentes operacionais, Junta de Freguesia de Bonfim e ainda alunos da ESAS e EBAG que se voluntariaram para o efeito. Esta prova serve ainda para apuramento dos INFANTIS A FEMININO

INFANTIS A MASCULINO

INFANTIS B FEMININO

INFANTIS B MASCULINO

INICIADOS FEMININOS

INICIADOS MASCULINOS

JUVENIS FEMININO

JUVENIS MASCULINO

JUNIORES MASCULINO

1º 2º 3º 1º 2º 3º 1º 2º 3º 1º 2º 3º 1º 2º 3º 1º 2º 3º 1º 2º 3º 1º 2º 3º 1º

Constância Stratan Inês Machado Mariana Costa Nuno Armindo Filipe Bastos Daniel Lara Beatriz Hermosa Mª Luís Ferreira Nádia Silva Tiago Lopes Afonso Barros Harley Rosário Beatriz Sá Clara Ferreira Mª Eduarda Dias Diogo Soares Pedro Vidal Pedro Borda Jéssica Ferreira Inês Ferreira Jéssica Soares Nuno Martins Nuno Silva Jorge Silva Afonso Moutinho

Professora Maria José Estrela 4ºA1 – EB1 Fernão de Magalhães 5ºA - EBAG 5ºA – EBAG 4ºA1- EB1 Fernão de Magalhães 4ºA1-EB1 Florinhas 4ºA1 - EB1 Fernão de Magalhães 7ºB1 – ESAS 7ºA1- ESAS 7ºC1 - ESAS 7ºC1- ESAS 7ºB2 – EBAG 6ºA - EBAG 7ºB1 - ESAS 9ºA1 - ESAS 8ºC2 - ESAS 8ºD1- ESAS 8ºC1 - ESAS 8ºB1- ESAS 12ºH - ESAS 10ºD - ESAS 9ºC2 – EBAG 11ºG - ESAS 11ºF- ESAS 10ºC - ESAS 11ºF - ESAS

12 A.GIL l fevereiro 2019

N

representantes do Agrupamento de Escolas Aurélia de Sousa ao Corta-mato Distrital que se realizará a 1 de fevereiro no Parque da Cidade, no Porto. Algumas curiosidades: Os 304 alunos participantes contaram com: »95 raparigas e 209 rapazes; »64 do 1º ciclo; »81 do 2º ciclo; »117 do 3º ciclo; »42 do secundário. As turmas que apresentaram maior número de participantes foram: »1º ciclo – 4ºD2 – EB1 das Florinhas; 2º ciclo – 5ºA; 3º ciclo – 7ºB1 e secundário-10ºG. Estão de parabéns todos os participantes em mais uma jornada de promoção da atividade física!


“É um produto português com certeza!“

C

13 A.GIL l fevereiro 2019

atarina Rodrigues e Thiago Marcial, artistas de arte urbana, foram os vencedores do concurso “Street Art Porto – Caixas EDP”, para o projeto "É um produto português com certeza!" Estiveram na Biblioteca Augusto Gil, no dia 29 de outubro, com os alunos do 6ºD e 9ºC2. Foi com todo o interesse e gosto, que os alunos e professoras presentes puderam contactar com estes artistas que trouxeram originalidade e qualidade para a nossa cidade. Para além do concurso, as suas

obras encontram-se espalhadas por outros locais da cidade e do país. Tivemos oportunidade de ouvir e ver como se realizam as suas obras, as técnicas utilizadas, os materiais e como têm desenvolvido os seus projetos. Foi motivante para todos os alunos, principalmente para os que pretendem seguir a via artística. A criatividade e simpatia dos artistas contagiaram-nos, e esperamos ter mais momentos em que a Arte e Cultura estejam presentes.

Os artistas plásticos com os alunos do 6ºD

Manuela Melo Coordenadora da Biblioteca escolar da EBAG


Não aos oceanos de plástico!

N

o âmbito da sensibilização para uma melhor gestão dos plásticos pelo ser humano, realizou -se na Biblioteca da Escola Básica Augusto Gil um workshop para elaboração de prendas de Natal com recurso a resíduos plásticos, numa simbólica tentativa de defender o mar de todos os resíduos antrópicos que para ele são conduzidos ou nele são depositados, sem consciência dos perigos ambientais ineren-

tes. O workshop revelou-se uma atividade interessante e pedagógica, tendo os alunos participantes demonstrado empenho e criatividade. Esperamos conseguir desenvolver mais atividades semelhantes, ao longo do ano, no sentido de fazer despertar em todos a vontade de agir para defender a biodiversidade dos Oceanos… Professora Manuela Lopes

Alice Alves (6ºB), Rúben Dias (5ºD), Alexandre Pina (5ºD), Sofia Pinto (5ºD)

ue poderemos fazer para reduzir a poluição antrópica nos oceanos? 70% dos resíduos plásticos produzidos na Europa poluem a Natureza. De acordo com uma notícia do jornal “Público” de 22/04/2018, são produzidos na Europa cerca de 25 milhões de toneladas de resíduos plásticos por ano e apenas 30% dos mesmos seguem para reciclagem. Uma garrafa de plástico pode durar cerca de 450 anos, fragmentando-se lentamente e, eventualmente, transformando-se em partículas microscópicas -os microplásticos - que invadem as cadeias alimentares, não sendo biodegradadas. A título de exemplo, um saco de plástico pode levar entre 100 e 300 anos a decompor-se e a maioria das palhinhas, usadas nas bebidas, é demasiado leve para passar por separadores de reciclagem mecânica, pelo que acabam, geralmente, nos nossos oceanos. Segundo as Nações Unidas, se as taxas de poluição atuais se mantiverem, em 2050 haverá no mar mais plástico do que peixes… De referir que cinco grandes correntes oceânicas – os giros – transportam os resíduos e acumulam-

nos em algumas zonas dos oceanos, formando grandes ilhas de lixo. A Grande Mancha de Lixo do Pacífico constitui a maior lixeira de plástico do mundo e continua a aumentar exponencialmente, segundo um estudo publicado pela Nature em março 2018. Este aumento da produção de resíduos não degradáveis testemunha a falta de consciência ambiental dos cidadãos que continuam a sobrevalorizar as suas comodidades e a “febre” do consumo, no processo de conquista de uma frágil e efémera qualidade de vida. Fonte da informação: “Público”, 04/2018

Professora Manuela Lopes

14 A.GIL l fevereiro 2019

Q

Poluição antrópica


20 de Novembro – Dia da Convenção dos Direitos das Crianças

P

ara assinalar este dia foi montada, na Biblioteca Escolar, uma pequena exposição elucidativa, com cartazes e livros temáticos e elaborado pelos alunos, Bernardo Fernandes (7ºA2) e Marta Martins (8ºD2), um Estendal dos Direitos das Crianças com os principais direitos: nacionalidade, igualdade, habitação, educação, alimentação, saúde, família, afeto, respeito e … sobretudo, o direito de ser criança. Desta forma, procurou-se divulgar e afirmar a necessidade de relembrar que estes direitos devem ser reconhecidos e defendidos por todos. Professora Maria José Morais

Open schools for open societies (OSOS)

N

-um projeto desenvolvido por 100 escolas, a nível nacional-

15 A.GIL l fevereiro 2019

o âmbito do OSOS, o Núcleo de Biologia e Geologia da EBAG está a dinamizar o projeto “Infraestruturas de inclusão social na cidade”, com a Ciência Viva e na turma B do 9º ano de escolaridade, tendo como objetivos principais identificar problemas de autonomia de pessoas com deficiência e propor soluções. Numa fase inicial, os alunos do 9ºB visitaram a sala do Centro de apoio à aprendizagem e procuraram identificar, na escola, obstáculos enfrentados por colegas com dificuldades de mobilidade, tendo sido salientados a impossibilidade de acesso dos mesmos à Biblioteca, ao Ginásio e às salas de Ciências. Com o apoio da professora Manuela Nogal foram discutidas algumas hipóteses para melhorar a autonomia de por-

tadores de diferentes tipos de deficiência, no espaço escolar, e os alunos da turma registaram as conclusões de forma empenhada, tendo manifestado preocupação e interesse pelos problemas enfrentados pelos colegas. A médio prazo, pretende-se alargar essa visão ao espaço exterior, de forma a avaliar as potencialidades da cidade se tornar mais verdadeiramente inclusiva. Espera-se que, no futuro, a sociedade desenvolva um efetivo sentimento de solidariedade colaborativa, permitindo que os portadores de deficiência descubram potencialidades de trabalho eficiente nas áreas da sua preferência e as desenvolvam com vista a uma vida autónoma onde a empregabilidade surja por mérito, com vantagens para todos. Professora Manuela Lopes


Feira do Livro

Manuela Melo Coordenadora da Biblioteca escolar da EBAG

16 A.GIL l fevereiro 2019

T

endo presente a vantagem de incentivar os alunos e famílias a adquirirem livros para criar hábitos de leitura, a Biblioteca Escolar tem aberto as portas à “Feira do Livro”, em parceria com o grupo Leya. A Feira do Livro foi realizada de 3 a 14 de dezembro. A “Feira do Livro” abriu com a apresentação do conto “Simão”, da Escritora Margarida Frias Rocha, lido pela Dra. Helena Matos, Coordenadora da Escola. Foram momentos do agrado de todos os presentes e a leitura do conto despertou, nos alunos, uma identificação nata com as suas vivências e realidades. A realização de feiras do livro nas escolas e

bibliotecas, tem vários tipos de vantagens porque proporciona um contacto vivo e direto com grande número de títulos adequados às diferentes idades, assegura a presença de novidades, incita o manuseamento e a apreciação dos livros expostos, por parte dos alunos, para se habituarem a fazer escolhas fundamentadas, beneficia do aconselhamento dos professores, no caso de serem solicitados. Durante a permanência da Feira, os alunos visitaram o espaço, tiveram oportunidade de ver e manusear os livros expostos, sempre com muito interesse.


70º aniversário da Declaração dos Direitos Humanos

N

o dia 10 de dezembro de 2018 comemorou-se o 70º aniversário da Declaração dos Direitos Humanos (DUDH). A BEAG, em articulação com o grupo de História/História e Geografia de Portugal teve patente, durante a semana de 10 a 14 de dezembro, a exposição de cartazes, relativa aos 30 artigos da Declaração, cedida pelo Grupo Local Porto 6, da Secção Portuguesa, da Amnistia Internacional. Paralelamente a esta atividade decorreu, no dia 13 de dezembro pelas 14h30m, uma ação de sensibilização dinami-

zada por dois membros desta organização nãogovernamental, o coordenador do grupo, Manuel Cunha e Joaquim Henriques. Estiveram presentes as turmas do 6º D e 9º A, acompanhadas dos respetivos docentes. Esta atividade teve como objetivo sensibilizar os alunos para a temática dos Direitos Humanos e do papel da Amnistia Internacional, na luta pela defesa destes direitos. Os alunos mostraram-se recetivos, ao longo da sessão, participando vivamente com a formulação de questões pertinentes. Professora Maria José Morais

17 A.GIL l fevereiro 2019

Coordenador do grupo local Porto 6, Manuel Cunha

Exposição de cartazes, relativa aos 30 artigos da Declaração dos Direitos Humanos

Cartaz elaborado por alunos, frequentadores da BE: “ Eu assino para que os Direitos Humanos sejam respeitados…”


Uma entrada com Arte

E

ste ano letivo a Escola Augusto Gil proporciona aos seus alunos e a todo o corpo docente e não docente duas portas de entrada na escola. A já habitual, pela rua da Alegria e a outra pela rua de Santa Catarina. Aquando da sua fundação o então designado Colégio Nossa Senhora da Estrela tinha a sua entrada exclusiva pela rua de Santa Catarina, nº788. Quando, em 1928 surgiu, no mesmo edifício, o Colégio João de Deus, funcionavam as duas entradas. Este colégio funcionou até 1973 altura em que foi vendido ao estado e, por decisão do ministro Veiga Simão, passou a designarse Escola Preparatória Augusto Gil. Segundo informações retiradas do livro “ Escola Augusto Gil, percursos e pontes, “A entrada da escola passa a fazer-se pela rua da Alegria, 351. A entrada de Santa Catarina é encerrada devido ao seu estado de degradação, que lamentavelmente aumenta ano após ano, fazendo esquecer que essa era a entrada nobre do colégio, por cuja escadaria saltitaram quando crianças, tantas pessoas ilustres do nosso país”. No entanto, em 2010 foi objeto de obras e este ano pôde, finalmente ser aberto à comunidade educativa. Se a porta de entrada é a primeira impressão do design que pode ser encontrado dentro de um ambiente, então quem entra pela rua de Santa Catarina pode observar os vitrais das altas janelas e das portas, tipicamente Art Deco, com detalhes decorativos estilizados, simétricos e formas geométricas característicos desta arte. Atualmente os vitrais não têm cor, no entanto, os originais eram coloridos. Quem sobe a alta escadaria não pode deixar de reconhecer que se trata de uma entrada com Arte!

18 A.GIL l fevereiro 2019

Professora Ana Castro Silva


19 A.GIL l fevereiro 2019

Uma entrada com Arte


"Quem disse que tinhas de ser um adulto para dar o exemplo?"

E

ste ano letivo, está a ser dinamizado um projeto de mentoria na Escola Básica Augusto Gil. Neste projeto, sete alunos do 9º ano assumiram o compromisso de se tornarem Mentores de alguns alunos do 5º ano. E o que é um Mentor? Nas palavras deles: "Não somos professores, estamos aqui para vos ajudar."; "Somos alguém em quem podem confiar."; "Para vos apoiar no que precisarem". Estes jovens passaram por seis semanas de formação para se prepararem para a responsabilidade de conhecer, apoiar e dinamizar sessões para os mais novos, sempre com uma perspetiva de crescimento próprio e dos outros. Este projeto foi acolhido com grande recetividade e abertura por toda a comunidade educativa, o que muito tem contribuído para o seu sucesso. Inês Brigas Mestrado em Intervenção Psicológica, Educação e Desenvolvimento Humano na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto

Da sala dos professores já se vê o mar

sala dos professores tem agora uma janela com vista para o mar… uma paisagem que nos lembra que existem horizontes a preservar, riquezas naturais a proteger para o bem de todos. O mar e a sua biodiversidade constituem um valor imenso, uma enorme fonte de recursos e um pilar mestre para o equilíbrio ambiental necessário à vida na Terra. Dependemos dos oceanos mas estes também dependem das nossas atitudes. Que a vista de mar nos lembre efetivamente a responsabilidade da sua preservação e nos leve a melhorar a gestão dos resíduos que produzimos, nomeadamente dos materiais plásticos! Professora Manuela Lopes

Manuela Lopes

20 A.GIL l fevereiro 2019

A


Intervenção em Saúde Escolar – Promoção da Saúde Oral

N

21 A.GIL l fevereiro 2019

o âmbito do Programa Nacional de Saúde Escolar, resultante da parceria entre o Ministério da Saúde e o Ministério da Educação, e procurando dar resposta ao Programa Nacional de Promoção da Saúde Oral com a atribuição dos cheques-dentista aos alunos nascidos nos anos de 2005 e 2008, foram ministradas ações de sensibilização sobre higiene oral nas turmas dos 5º e 8º anos, sob a responsabilidade da Equipa de Saúde Escolar da Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC) Baixa do Porto do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Porto Ocidental. Os cheques-dentista são guias que dão acesso a um conjunto de cuidados de medicina dentária nas áreas de prevenção, diagnóstico e tratamento. Através da atribuição dos cheques-dentista, a grupos específicos, procura-se avaliar e diminuir a incidência e a prevalência das doenças orais em Portugal. Estes cheques-dentista permitem o acesso a diferentes tipos de tratamentos preventivos, restaurações, desvitalizações, extrações, destartarizações e alisamentos radiculares. Sendo muito importante esta iniciativa, mais do que garantir a atribuição dos cheques-dentista aos seus beneficiários, importa promover que os alunos adotem, no seu quotidiano, hábitos que lhes permitam ter uma boa saúde oral. As ações de sensibilização sobre higiene oral que decorreram nas duas primeiras semanas de dezembro contaram com a colaboração preciosa dos estudantes da licenciatura em enfermagem da Escola Superior de Enfermagem do Porto.

Garantir aos alunos conhecimento é o primeiro passo para que adotem estilos de vida saudáveis. Naturalmente que o conhecimento per si não determina o comportamento adequado, mas é um pilar fundamental para que os processos de tomada de decisão sejam responsáveis e conscientes, baseados na evidência. Nestas sessões de educação para a saúde foram abordados aspetos vários, tais como: a importância e o impacto que a saúde oral tem na imagem pessoal e nas suas relações sociais, as estruturas anatómicas que constituem a cavidade oral com particular enfase na dentição e suas funções, demonstração e instrução do uso do fio dentário e da escovagem dos dentes e da língua e, por último, foi feita uma breve referência a alguns problemas que afetam a saúde oral quando há falta de higiene ou esta é inadequada. No final das sessões, para sintetizar e avaliar a aprendizagem dos conteúdos abordados, procurando uma dinâmica mais interativa com os alunos , foi realizado um jogo. Consideramos esta experiência muito positiva e uma mais valia no sentido da continuidade da intervenção por parte da Equipa da Saúde Escolar, ao longo do ano letivo, abordando outras temáticas, com vista a alcançar o grande objetivo que nos envolve a todos, profissionais da saúde e da educação, que é

promover estilos de vida saudável e elevar o nível de literacia para a saúde da comunidade educativa. Carlos Pinto Enfermeiro da Equipa de Saúde Escolar da UCC Baixa do Porto/ACeS Porto Ocidental

Ação de sensibilização com a turma do 5ºD


o dia 12 de dezembro, realizou-se na sala Museu a audição de Natal com a nossa turma, o 6ºA e o 6ºD. Tocamos várias músicas, como por exemplo, “White Christmas”, “Dezembro em Portugal” e “Comboio de Belém”. Houve muitos aplausos e risos pelas músicas serem tão bonitas! No final, palmas, palmas e mais palmas! Agra-

N

o dia 13 de dezembro realizou-se um concerto de Natal com as turmas de 5º ano e os solistas do clube de canto na sala Museu da Escola EB 2/3 Augusto Gil. Organizado pelos mestrandos de Educação Musical da Escola Superior de Educação com a supervisão do Professor Carlos Graciano os alunos apresentaram peças musicais vocais e instrumentais,

decimentos também houve, principalmente à nossa professora de Educação Musical, a professora Paula Dias e aos professores de Inglês Luís Todo Bom e Graça Peixoto que nos ajudaram a decorar a letra em inglês. Quando a audição terminou regressamos às aulas mas, este foi, sem dúvida um dia que nunca esqueceremos!! Agostinho Cruz e Fábio Irineu, 6ºA

alusivas à época natalícia. Estiveram presentes os encarregados de educação e familiares, a direção do agrupamento Aurélia de Sousa e alguns professores das turmas. Este concerto, além de um bom momento musical também proporcionou um momento de partilha, aprendizagem e crescimento, sendo notória a animação, o entusiasmo e a alegria de todos os participantes. Professor Carlos Graciano

22 A.GIL l fevereiro 2019

N

Natal melodioso


N

Presépios em família

o âmbito do Plano Anual de Atividades, a professora de História e Geografia de Portugal, organizou uma exposição de Presépios, com o objetivo de propiciar um trabalho colaborativo com os Encarregados de Educação, estimular a autoconfiança e partilhar o ambiente festivo do Natal. Os trabalhos

foram realizados em casa com a ajuda dos Encarregados de Educação e daí resultaram trabalhos criativos e em diversos materiais. A adesão por parte das famílias foi excelente, e sem elas nunca seria possível este evento, que contou com a participação dos alunos do 5º ano. Professora Alexandra Machado

Como gosto do Natal! Gosto da Árvore de Natal Com mil luzes a piscar E das ruas igualmente Que estão sempre a brilhar E gosto do Pai Natal, A bordo do seu trenó, Que, sem piadade nem dó, Numa correria tal Despeja pelas chaminés Carrinhos, bonecas, bonés… E também gosto do Rodolfo Com seu nariz encarnado, Que nunca perde o folgo Pra chegar a todo o lado!!!

23 A.GIL l fevereiro 2019

E gosto da família unida, Com os de sempre e os de fora Que nunca faltam nessa hora, Numa mesa bem servida Com bacalhau, filhós, aletria E muita, muita alegria! E gosto do Deus-menino Tão bonito e pequenino… E não paro de pensar Que veio cá p´ra nos dizer Que o mais importante a fazer É: Amar e querer amar! Sofia Pinto, 5ºD

Trabalho realizado pelos alunos do 6ºB e 6ºD, nas aulas de Educação Tecnológica, sob a orientação da professora Branca Mesquita


madeo de Souza Cardoso foi um pintor português famoso, que pertenceu à primeira geração de pintores modernistas portugueses. Nasceu no dia 14 de novembro de 1887 em Amarante, e faleceu 30 anos depois em Espinho. Deixou-nos muitas obras. Na nossa cidade, há uma obra dele, exposta no Museu Nacional Soares dos Reis.

Em novembro, na disciplina de Educação Visual, sob a orientação da professora Branca Mesquita, analisamos as obras deste pintor. Iniciamos o desenho de um presépio, inspirados pelas pinturas de Amadeo. Fazer o trabalho não foi fácil, mas valeu a pena… ficaram incríveis. Os trabalhos realizados foram expostos em dezembro, na biblioteca da nossa escola. Maria João Neves e Gonçalo Gomes, 6ºD

Trabalhos realizados pelos alunos do 5ºD, 6ºB, 6ºD, nas aulas de Educação Visual,

24 A.GIL l fevereiro 2019

A

Conhecer Amadeo


“Geometrias natalícias”

Trabalhos realizados pelos alunos do 5ºD, 6ºB, 6ºD, nas aulas de Educação Tecnológica, sob a orientação da professora Branca Mesquita

Árvores de Natal geométricas “coloriram” a nossa Biblioteca. Tomé Barros, 6ºD

Para realizar os elementos decorativos, aliamos os traçados geométricos à dobragem e à pintura.

25 A.GIL l fevereiro 2019

Guilherme Soares, 6ºD

Criamos os “azulejos” de Natal, através da aplicação dos conhecimentos relacionados com os módulos e padrões. Rúben Lopes, 6ºD

A árvore de Natal ficou muito original com elementos decorativos geométricos, que realizamos na disciplina de Educação Tecnológica. Érica Leitão, 6ºD


“Um Novo Olhar - Uma Nova Obra” meu trabalho consiste em levar as crianças a ver e a agir, utilizando uma linguagem ajustada ao seu universo, a partir das imagens da pintura, abrindo, assim, portas para a criatividade. Partindo de estímulos sensoriais convido-as a imaginar, ou melhor, a "entrar" em cada obra, no que ela pode refletir da realidade do pintor, não impondo nenhuma visão pré-definida, permito-lhes espaço para instalarem o seu "atelier" no sótão da fantasia, pintando, construindo em atelier - Uma Nova Obra. Visitar Museus é importante. Para todos. Sobretudo, e, neste caso em particular, convidar os mais pequenos ao culto pela Arte. Leva-los aos Museus de Arte, é um tributo à sensibilidade. É convida-los ao gosto pelo Belo. É falar-lhes da História da Beleza. O grande objetivo desta visita+atelier é desenvolver a Observação/Concentração/Sensibilidade

Manuela de Castro Artista Plástica

26 A.GIL l fevereiro 2019

O

- Educação do olhar, convidando os mais pequenos à arte de ver, que os ajudará a desenvolver (sentido estético) assim como outras competências. No seguimento do centenário da Exposição de Amadeo de Souza Cardozo, recebida no final do 2016, no Museu Soares dos Reis, seria importante desenvolvermos trabalhos estudando obras de Artistas Portugueses. Nesta visita, cada criança, tem a oportunidade de "Entrar" (através da construção de uma história) na obra do Artista escolhido, sentindo a cor, a forma, o movimento. Estudos de cor e composição, abraçando uma pequena grande partilha, percorrendo a ponte entre a emoção e a expressão. Finaliza com a entrada no atelier, para pintar - Uma nova Obra. No final de cada projeto, será feita uma exposição dos trabalhos.


“Um Novo Olhar - Uma Nova Obra”

S

ensibilizadas pela importância deste projeto, assim como pela fulcralidade da Educação Artística no currículo escolar, as professoras Alexandra Machado e Branca Mesquita, “entraram na visão” de Manuela de Castro, dinamizando visitas de estudo com as suas direções de turma (5ºA e 5ºD, respetivamente) ao Museu Nacional Soares dos Reis. Os alunos destas turmas iniciaram a visita ao Museu Nacional Soares dos Reis pela sala da Escultu-

A Arte é uma inspiração para tudo. 27 A.GIL l fevereiro 2019

Mariana Costa, 5ºA

A “Flor Agreste” é especial para mim, porque me faz lembrar quem eu sou. Mariana Silva, 5ºA

A Arte era uma paixão para Amadeo de Souza Cardoso. Beatriz Dias, 5ºA

ra, sendo de destacar a atenção, a admiração, o olhar terno, perante a magnificência das obras de António Soares dos Reis. De seguida tiveram a oportunidade de visitar uma das salas de Pintura, finalizando este percurso em frente à obra de Amadeo de Souza Cardoso. “Novos Olhares” deram lugar a “Novas Obras”, que serão expostas no final do ano letivo. Professora Branca Mesquita

As rendas e os pormenores da escultura “Menina,

filha dos condes de Almedina, neta da duquesa de Palmela”, são maravilhosas. Clara Cruz, 5ºD

Gostei muito de “entrar” na obra de Amadeo. Morgana Soares, 5ºD

A Arte ajuda-me a ser mais expressiva e “artística”. Verónica Silva, 5ºD


APEEEAG - Uma nova equipa, a mesma ambição

A direção da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Augusto Gil

28 A.GIL l fevereiro 2019

D

eterminados, alguns encarregados de educação não deixaram cair a sua associação, criando uma nova equipa para o atual ano letivo. Novos rostos, a mesma ambição em ajudar toda a comunidade escolar da “Augusto Gil” nas suas múltiplas tarefas. A Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Augusto Gil (APEEEAG) existe como parceiro fundamental na interligação entre a escola e as famílias. Precisa, por isso, da colaboração de todos. Juntos conseguire-

mos levar por diante uma educação de excelência que queremos que exista na nossa escola. Aos encarregados de educação deixamos um apelo: colabore, faça-se sócio da APEEEAG. E já agora, torne-se amigo da nossa (sua) página no facebook: apeeag augusto gil.


Natal solidário

L

29 A.GIL l fevereiro 2019

ogo após a eleição, a nova direção da APEEEAG começou a preparar aquilo que já se tornou uma (boa) tradição na nossa escola: a distribuição de cabazes de Natal por algumas famílias mais carenciadas. Como também já é habitual, foi um período de grande azáfama. Escolha de produtos, cartas para algumas empresas na esperança de uma ajuda monetária ou em produtos, distribuição de tarefas pelos vários membros da associação, etc. Stress que chegue mas que não desmotivou a equipa na prossecução da sua principal iniciativa durante o primeiro período do ano letivo. E lá chegou o dia e lá chegaram 13 famílias a quem foram distribuídas outros tantos cabazes. A escolha das famílias contempladas recaiu na coordenação da escola. Mas para a APEEEAG, para além da

iniciativa importa perceber também que os cabazes são oferecidos realmente a quem mais necessita. Poderiam ser muitos mais face às necessidades de muitas famílias, mas para a associação de pais importa, no futuro, clarificar a situação e definir algumas regras. A distribuição dos cabazes deixa todos de “alma cheia”: a quem recebe e, sobretudo, aos elementos da APEEEAG por poder ajudar o próximo. Mas esta iniciativa, mais uma vez, só foi possível realizar, em tempo recorde, com a ajuda de algumas empresas, o que muito agradecemos, esperando em futuras iniciativas contar com idêntico apoio. Sem dúvida, uma contribuição decisiva para constituir cabazes bem recheados e que deixou, de certeza, as 13 famílias mais felizes neste Natal. A direção da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Augusto Gil


B.O.A. - Mãos à obra? o dia 24 de Janeiro, os alunos do 6ºD, no âmbito da disciplina de Educação Tecnológica, lecionada pela professora Branca Mesquita, partiram numa aventura para melhor conhecer a azulejaria da cidade do Porto. Partiram da escola rumo ao Jardim do Lago José Moreira da Silva, onde conheceram a equipa do BOA. Daí os alunos desceram pela Rua da Escola Normal em direção à Capela de Fradelos. Essa capela que quase passa despercebida no meio da correria da cidade mostra-nos painéis de azulejos fantásticos da autoria de Jorge Colaço – o mesmo que fez os azulejos da Estação de S. Bento! Tal como a maioria dos azulejos desta época, são azuis e brancos por influência da loiça Chinesa, que parece ter sido uma moda da época. Os alunos continuaram a aventura acerca da azulejaria na cidade e chegaram à mercearia centenária, “A Pérola do Bolhão”! Aí, o grupo deliciou-se com a beleza dos seus azulejos (de 1930) que, embora gastos pela grande movimentação da loja e da própria cidade, continuam a deliciar os olhos dos habitantes da

Gustavo Oliveira, Margarida Teixeira, Mafalda Ribeiro, Tomás Gonçalves, 6ºD

30 A.GIL l fevereiro 2019

N

cidade, bem como os dos turistas que a visitam. Depois da visita guiada ao centro do Porto, foram até ao BOA, fabricar e pintar o seu próprio azulejo. O local está decorado em tons de amarelo limão e branco, com uma parede destacada com azulejos azuis. Depois da ceramista Cristina Camargo (uma das nossas formadoras) nos contar como os portugueses faziam e como descobriram a técnica majólica (consiste na pintura direta no azulejo), pusemos mãos à obra! A proposta lançada pelas artistas consistia em que os alunos fizessem um azulejo com base nos que viram. Para isso, começaram por contornar para uma folha o azulejo e depois disso cada um começou a fazer o seu desenho, quando todos acabaram, começaram, a aplicar o vidrado. À medida que os alunos foram acabando, os seus trabalhos foram sendo colocados na mufla. Os nossos colegas do 6ºB realizaram esta atividade no dia 28 de janeiro.


N

Visitar para aprender

31 A.GIL l fevereiro 2019

o dia 7 de fevereiro, os alunos das quatro turmas do 8.º ano realizaram uma visita de estudo a Aveiro e Ílhavo, no âmbito dos conteúdos programáticos das disciplinas de Ciências Naturais, Físico-Química e Geografia. Os principais objetivos a atingir com as atividades programadas para este dia foram: envolver os alunos na abordagem de temas e problemáticas relevantes para a sua educação científica; sensibilizar para a preservação do património natural e desenvolver capacidades em contexto exterior à escola. Os alunos chegaram à Fábrica – Centro de Ciência Viva, em Aveiro, e foram divididos em três grupos, distribuídos por outras tantas atividades: “Brinquedos óticos”, “Cozinha é um laboratório” e “Mãos na Massa”. Na primeira, os alunos ficaram a conhecer um pouco sobre a história dos filmes de animação e construíram brinquedos óticos, como o folioscópio. Durante a segunda, puderam confecionar bombons de chocolate. Com a “Mãos na Massa”, tiveram a oportunidade de interagir com módulos interativos, envolvendo várias áreas da ciência. Brincar com o mapa hipsométrico, escrever mensagens em código morse, lançar um foguetão, entre outros, foram alguns desafios que encontraram. Seguiu-se o “Show da Química – Química por

tabela 2.0”, a que assistiram todas as turmas. Um espetáculo que procura fazer a ligação constante com a química que nos rodeia no quotidiano. O almoço, um convívio entre pares no parque da cidade, foi completado com um passeio pelas ruas da cidade, onde puderam ver os edifícios de estilo “Art Nouveau” e onde não faltaram os ovos moles. Da parte da tarde, a viagem continuou no Museu Marítimo de Ílhavo – um espaço da Câmara Municipal de Ílhavo, que nasceu em 1937, foi renovado e ampliado várias vezes. Este espaço reúne Museu, Aquário e Investigação. A sua missão é a preservação da memória do trabalho no mar e promover a cultura e a identidade marítima dos portugueses. Os alunos gostaram da visita, principalmente do Aquário dos bacalhaus. Um polo deste museu é o Navio-Museu Santo André, um navio de pesca do bacalhau português, de arrasto lateral, de 1948, ancorado no Jardim Oudinout. A visita a este barco permitiu um contacto mais próximo com a realidade de uma profissão muito dura, desde a pesca, ao tratamento e conserva do bacalhau, passando pelos pormenores da vida no barco, durante meses, através de vídeos, com testemunhos de pescadores a relatar a vida no mar. Um dia pleno de aprendizagens, registos, convívio e boa disposição! Professora Carla Almeida


Ser voluntária é um desafio poio tutorial por estudantes universitários na EBAG, um projeto que continua de vento em popa e com cada vez mais frutos! Este é mais um ano em que podemos contar com a parceria entre a nossa escola, a Universidade do Porto e a Câmara Municipal do Porto. E… com a presença semanal de estudantes universitários a apoiarem alunos da nossa escola. Recentemente, o projeto teve muita visibilidade, com a entrevista que a TSF realizou em outubro, na biblioteca da nossa escola e cuja reportagem final está publicada na Página do Agrupamento. Ouvindo-a, podemos apreciar o envolvimento dos nossos alunos: Bárbara Pereira (8B2), Daniel Carvalho (8A2), Fenda Sané (8B2), Sara Cunha (8A2) e Vítor Dias (7C2). O Apoio Voluntariado Estudantil é um projeto que se tem revelado muito positivo e gratificante, como revela o testemunho da estudante da Faculdade de Farmácia, Ana Maia. “Ser voluntário neste projeto é muito mais do

que ir à escola uma vez por semana ajudar o aluno a estudar. É ver nele um pequeno irmão, orgulharmonos dos seus sucessos, sofrer com as suas derrotas, incentivá-lo a continuar a lutar, ouvir os seus problemas e tentar transmitir-lhes competências que o possam fazer crescer não só na vida académica, mas também como pessoas no seu quotidiano. Não é só falar da matéria escolar, é tentar fazê-lo olhar o mundo de uma forma diferente, sendo capaz de discutir temas para além dos abordados na sala de aula. Este novo ano como voluntária trouxe-me novos desafios. Um aluno diferente exigiu que fosse desenvolvida uma base sólida de empatia, confiança e respeito ao longo das primeiras tutorias, que contribuíram para que a convivência ao longo do ano fosse mais familiar do que aquela que o aluno está habituado na escola. Essa base construída no início e desenvolvida a cada semana foi crucial para que as tutorias fossem mais do que simples explicações da matéria das diferentes disciplinas. Permitiu que tivessem sido partilhadas experiências de parte a parte, de maneira a que ambos tivéssemos aprendido e crescido com as vivências um do outro. Assim que o gelo está partido parece que temos tudo para que corra bem, contudo todos os dias são diferentes e cada um traz as suas surpresas e contrariedades. Ser tutor exige de nós uma entrega máxima, uma capacidade de superação, criatividade, saber ouvir e perceber o que o aluno precisa de nós. Nem sempre é fácil, ou porque o aluno está menos concentrado ou com menos vontade, ou porque nós tutores estamos afogados nos exames e trabalhos e estamos mais cansados que o habitual. Nestas alturas coloca-

Margarida Frias Rocha Coordenadora do Voluntariado Estudantil no Agrupamento de Escolas Aurélia de Sousa

32 A.GIL l fevereiro 2019

A

mo-nos à prova, com muita perseverança lutamos contra as adversidades e tentamos fazer daquela hora um dos melhores momentos da semana do aluno. Chega o final do ano e percebemos como todo o esforço (quer nosso, quer do aluno) compensam. É gratificante recuar atrás no tempo e perceber o quanto este projeto nos muda aos dois. Mesmo que na pauta final essa diferença não seja expressiva, sentimos que o nosso aluno adquiriu algumas competências novas, como a gestão do seu tempo, a capacidade de organização, entre outras. Nós, enquanto tutores, aprendemos muito, muitas vezes sobre assuntos que nem estávamos à espera que fossem abordados numa tutoria, crescemos porque tivemos de nos desafiar todas as semanas. Este contacto com pessoas de uma faixa etária inferior revela-se muito importante para que nas nossas faculdades não nos esqueçamos do mundo que existe fora da nossa “bolha”. Gostava de agradecer a todos os que tornam este projeto possível, por terem de uma certa forma mudado a minha vida e a do Victor. Queria deixar um agradecimento especial aos docentes e não docentes da Escola Augusto Gil, com um destaque para a Doutora Margarida Rocha pela dedicação a esta iniciativa e pelo apoio incansável ao longo de todo o ano letivo.”


No Clube dos Cientistas ...

N

o clube dos cientistas fazemos variadas coisas, mas o melhor é que às vezes podemos desenvolver atividades que somos nós a escolher. Gostamos muito das atividades que experienciamos no clube, como por exemplo:

E no dia 17 de Janeiro observámos a Lua através do telescópio… Conseguimos mesmo ver o relevo lunar, tiramos esta foto… e foi… Espetacular!!

Descobrir como funcionam os tendões da pata de uma galinha… O clube dos Cientistas da Augusto Gil é muito divertido. Se também te quiseres divertir… aparece! Ver como é que os pulmões aumentam de volume quando estão cheios de ar…

Sofia Pinto e Alexandre Pina, 5ºD

Queres ser um campeão?

33 A.GIL l fevereiro 2019

E

sta modalidade foi inventada no Reino Unido, mais precisamente na Inglaterra no século XIX onde era conhecido como ping-pong, até se tornar uma marca registada e por isso mudou-se o nome na Europa para Ténis de mesa, sendo o nome pingpong atualmente usado apenas para fins recreativos. É um dos desportos mais populares do mundo em termos de número de jogadores. O Ténis de mesa é conhecido como sendo o desporto com o tipo de bola mais rápida do mundo, sendo o desporto de raqueta que mais produz efeito (rotação) na bola. A nossa escola tem um grupo/ equipa de desporto escolar de Ténis de mesa. Este funciona todas as quartas feiras das 14.30h às 16.00h. O nosso grupo de alunos compete na categoria de Juvenis masculinos. Já fomos a uma competição à escola José Régio, em Vila do Conde e temos mais três durante o

2.º período. Todos podem experimentar e participar no nosso grupo/equipa. Professor Jorge Costa


Li e gostei “A vida mágica da Sementinha” Descobri este livro numa aula de Português, e revelou-me interesse! Um dia, fui para a nossa biblioteca e comecei-o a ler. Foi escrito por Alves Redol e é formado por vários capítulos. Para ficarem a conhecer melhor a história vou vos contar uma parte! Vários grãos de trigo metidos numa velha arca, passado muitos meses, lá acordaram com o barulho da sineta que tinha o Boi Doirado, quando ele estava a lavrar a terra. Quando viram a Maria Rita com o crivo na mão, ficaram logo contentes, como se soubessem o destino maroto que lhes pretendia. Ela levou-os para um casebre onde os ia escolher. Enquanto os outros grãos de trigo falavam com o sol, a Sementinha estava a fazer uma disputa de quem era a mais bonita, ela e a Despedida-De-Verão (outra flor). Após uma guerra de palavras, a Despedida-De-Verão, ofendeu a Sementinha. Quando a viu, o Amarelo De Barba Preto foi logo consola-la, dizendo as palavras que ela lhe disse. Mas de repente apareceu um rouxinol, que levou a Sementinha, sem ninguém dar conta! Este bocado que li, é um dos capítulos que tem o livro. Espero que gostem, e façam boa leitura! Rui Monteiro, 5ºD

“O sexto ano no Colégio das Quatro Torres”

O

último livro que li foi «O sexto ano no colégio das Quatro Torres» da escritora inglesa Enid Blyton, uma das minhas autoras preferidas. A personagem principal é a Diana que nesta história vai ter de enfrentar muitos desafios, muitas traquinices das suas colegas, uma fuga do colégio e até um salvamento heróico! Gostei muito de ler esta obra por várias razões a mais engraçada é que algumas das personagens fazem-me lembrar os meus colegas da escola e os professores. Joana Silva, 6ºC

ostei muito de ler o livro “Gosto de ti, R” que, por acaso, foi o último que li. Este livro da escritora Graça Gonçalves, fala de uma menina que recebe muitos “bilhetinhos”, e todos dizem a mesma coisa, “gosto de ti, R”. Mais tarde ela vem a descobrir que, o “R” não é o primeiro nome, como ela pensava, mas sim o apelido de alguém. Essa pessoa era o seu amigo Miguel! É um livro interessante, misterioso e com muitas histórias para além da história principal. Ricardo Jorge Costa – 8ºD2

34 A.GIL l fevereiro 2019

G

“ Gosto de ti, R”


Passatempos Descobre na horizontal, na vertical e na oblíqua as palavras apresentadas . P

G

F

H

J

U

O

P

Ç

M

K

H

E

Q

I

X

P

C

A

T

E

D

R

A

I

S

S

C

N

B

R

H

Ç

A

T

E

T

A

T

VITRAIS

P

V

I

Á

T

A

B

N

L

O

F

Ç

Á

ABÓBADA

Ó

I

W

M

C

I

P

J

T

U

W

X

T

PINÁCULOS

R

T

J

Y

F

U

C

P

Y

F

M

B

U

CATEDRAIS

T

R

I

R

O

L

L

Ç

E

L

N

A

A

PÓRTICO

I

A

N

T

X

R

E

O

T

A

U

R

Ó

ESTÁTUA

C

I

I

Â

Q

E

R

F

S

N

B

R

K

O

S

O

P

Ç

A

B

Ó

B

A

D

A

S

Anedotas Portas redondas Dois amigos conversam: - Sabes porque é que os alentejanos redondas?

têm

portas

- Não. – responde o amigo. E diz o primeiro: - É para não entrarem bestas quadradas.

"O que é que vai e vem sem nunca sair do seu lugar?

“ Quando é que se abre a porta à Berta? “

Soluções das adivinhas: ( a porta) ( quando a Berta bate à porta)

35 A.GIL l fevereiro 2019

Adivinhas


ESCOLA BĂ SICA AUGUSTO GIL Rua da Alegria - 4000-099 Porto Telefone: 225021773 jornalaugustogil@gmail.com

Fevereiro . 2019 http:// www.issuu.com (pesquisa: a.gil)

Profile for jornalaugustogil

A.GIL 3ª edição  

Jornal Escolar da escola Básica Augusto Gil fevereiro de 2019

A.GIL 3ª edição  

Jornal Escolar da escola Básica Augusto Gil fevereiro de 2019

Profile for a.gil
Advertisement