Page 1


Copyright2009 por Josadak Lima. Todos os direitos em Língua Portuguesa reservados por: A. D. SANTOS EDITORA Al. Júlia da Costa, 215 80410-070 - Curitiba Paraná - Brasil +55(41)3207-8585 www.adsantos.com.br editora@adsantos.com.br

Capa: Igor Braga Diagramação: Manoel Menezes Impressão e acabamento: Gráfica Exklusiva

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) LIMA, Josadak ATITUDE PESSOAL – Aprenda a ter equilibrio diante dos desafios – Série Liderança Excelente/Josadak Lima – Curitiba: A.D. Santos Editora, 2009. 80 páginas. ISBN – 978.85.7459-194-0 1. Liderança Cristã

2. Discipulado CDD – 253-2

1ª Edição: Outubro / 2009: 2.000 exemplares. Proibida a reprodução total ou parcial, por quaisquer meios a não ser em citações breves, com indicação da fonte.

Edição e Distribuição:


A PRESENTAÇÃO ATITUDE PESSOAL – Aprenda a ter equilibrio diante dos desafios – foi elaborado visando o discipulado de líderes, no contexto da igreja local. Quando falamos de discipulado, não estamos pensando em um curso de semanas ou meses para novos convertidos, e, sim, em uma profunda formação da liderança da igreja para que se reproduzam nas vidas de outros, assim como Jesus fez no discipulado com os doze. Esta é uma ferramenta para ajudar neste processo. Ela terá mais impacto se for utilizada como parte de um treinamento dos líderes em sua igreja, e não como uma matéria ou curso avulso. Este é o segundo da série “Liderança Excelente”, reflete sobre a vida e ministério de Moisés, no livro do Êxodo, depois da passagem pelo Mar Vermelho, onde aprendemos sobre as atitudes deste líder diante de circunstâncias adversas. Atitude aqui implica no modo de proceder ou agir; comportamento, procedimento; é a maneira de se manifestar diante de algo, a maneira de ser em relação a determinada situação, pessoas ou objetos. A partir de oito estudos práticos, você aprenderá adotar atitudes positivas diante das pressões e situações esmagadoras. Depois deste, outros três módulos da série, dão sequência ao desenvolvimento de áreas na vida de um líder: Excelência Vocacional, Maturidade Emocional e Legado Espiritual. Que Deus nos abençoe e inspire nesta aventura, ajudando-nos a alcançar a excelência espiritual. Josadak Lima i.


ii.


Í NDICE Introdução – Uma questão de atitude! . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1 1. Atitude Diante dos Desafios da Liderança Êxodo 15.20-27. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5 2. Atitude Diante das Pressões Externas Êxodo 16.1-6. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .15 3. Atitude Diante da Espera de um Milagre Êxodo 17.1-7. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .23 4. Atitude para Expressar um Coração Ensinável Êxodo 18.1-11. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .29 5. Atitude diante do Mover Sobrenatural do Senhor Êxodo 19.1-14. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .39 6. Atitudes que Levam ao Aprofundamento Espiritual Êxodo 33.7-11. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .49 7. Atitude Face à Necessidade da Presença Êxodo 33.12-17. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .55 8. O Significado da Revelação da Glória de Deus Êxodo 33.18-23 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .61

iii.


iv.


I NTRODUÇÃO UMA QUESTÃO DE ATITUDE 1 Coríntios 10.1-11

Este texto nos ensina pelo menos quatro pontos chaves: 1. O Deus que se revela. 2. A revelação de Deus requer uma atitude. 3. Atitudes que levam ao fracasso. 4. Atitudes que levam ao sucesso.

O DEUS QUE SE REVELA Deus só pode ser conhecido porque Ele se revela! Como disse Francis Schaeffer1: “Deus não é uma ideia de nossa mente ou nossos desejos, projetada sobre a gigantesca tela do céu, uma espécie de super-homem criado para atender às nossas necessidades... Não, Deus existe de fato e falou conosco através da Bíblia para nos contar coisas sobre si mesmo, sobre nós mesmos e sobre o mundo”. Quando olhamos para o período dos quarenta anos de Israel no deserto podemos, enxergar claramente os “rastros” da presença de Deus no cotidiano desse povo. Quando reflito sobre estas coisas questiono por que razão, em alguns momentos, este povo ficou tão alienado de Deus? Mas, eu me contento com as possíveis respostas para esta questão, as quais por vezes encontro dentro de mim e ao meu redor. De fato, nossas atitudes hoje não diferem muito das do povo de Israel no deserto! 1 SCHAEFFER, Francis; O Deus que se Revela. São Paulo: Cultura Cristã, 2002.

1.


ATITUDE PESSOAL

O motivo pelo qual devemos nos debruçar em reflexão sobre este período histórico de Israel, está nas lições práticas que podemos tirar para nós hoje. Assim como Paulo, devemos nos utilizar desse período para trazer à nossa memória as verdades absolutas da Palavra de Deus, especialmente a que se refere a Sua fidelidade no cuidado para com Seus escolhidos. Observe que o método Paulino, portanto, foi trazer à memória dos coríntios a tragédia espiritual dos israelitas devido as suas más atitudes face ao caráter de Deus que sempre foi e é de santidade, bondade e justiça.

A REVELAÇÃO DE DEUS EXIGE UMA ATITUDE Paulo, de maneira muita clara e simples, procurou mostrar aos coríntios como os israelitas, que conviviam diariamente com as realidades palpáveis de Deus, não tiveram uma atitude correta diante da revelação divina. O apóstolo lança mão de três figuras que, apesar de físicas, expressam realidades espirituais que “escondem” lições profundas sobre a presença e provisão divina no meio de seu povo: – o “maná” – a “rocha” – a “nuvem” Estas três figuras expressam realidades de Deus. O cristão que vê estas realidades, não pode adotar outra atitude, senão a de tomar consciência delas e submeter-se ao Senhor.

2.


SÉRIE LIDERANÇA EXCELENTE

ATITUDES QUE LEVAM AO FRACASSO O versículo 5 diz que “Deus não se agradou da maioria deles”. Que não fiquemos meramente a nível de saber sobre as realidades de Deus, mas que sejamos orientados por Ele para experimentarmos esta revelação. Na verdade os israelitas eram inescusáveis! As verdades de Deus os cercavam de todos os lados. Paulo se propõe a identificar os problemas gerados pelas más atitudes dos israelitas, nos quarenta anos de deserto, para ajudar os coríntios a detectar seus comportamentos problemáticos. O apóstolo, diante da comunidade de Corinto, expressa que não gostaria que aquele mesmo conjunto de doenças e esquisitices se repetisse naquele contexto comunitário. Ele se propôs a dar um tratamento pastoral aos cristãos de Corinto para a saúde espiritual deles. Paulo sabia que um estilo de vida norteado por más atitudes traz desordens e desequilíbrio à pessoa e à comunidade em que está inserida. Nossas más atitudes afetam tremendamente nosso desempenho espiritual e relacional. Ed René Kivitz2 identifica o processo de decadência espiritual do povo de Israel em cinco passos: – Passou a cobiçar coisas más (v. 6). – Tornou-se idólatra, vendeu seu coração para outro senhor (v. 7). – Deu vazão às suas paixões e se prostituiu (v. 8). – Começou então a medir forças com Deus, que tentava trazê-lo de volta (v. 9). – Buscou justificativas por ter abandonado a Deus (v. 10).

2 KIVITZ, Ed René; Nasce uma Igreja; Editora SEPAL, 1992

3.


ATITUDE PESSOAL

ATITUDES QUE LEVAM AO SUCESSO O apóstolo Paulo está exortando a uma igreja muito difícil. O seu alvo é claro: encorajar os coríntios a trocar suas más atitudes por atitudes que glorificam a Deus. Atitudes que os levariam ao sucesso. Ele queria apenas que os coríntios reconhecessem o quanto as más atitudes poderiam afetar o desempenho espiritual deles. Portanto, investiu em mostrar àquela igreja o modelo ideal de uma vida cristã autêntica, norteada por realidades de Deus e um espírito de gratidão permanente. Tanto Moisés como Paulo lidaram com comunidades reais. Pessoas de carne e osso, que em nada diferem de nós hoje. Eram pessoas que, deixaram transparecer, abusivamente, suas fraquezas e vulnerabilidades a ponto de tornarem o seu tratamento algo insuportável. Portanto, agora, faz sentido a advertência bíblica, do versículo 12, que diz: “Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia”.

4.


1. 1. A TITUDE D IANTE DOS D ESAFIOS DA L IDERANÇA 20

Então Miriã, a profetisa, irmã de Arão, pegou um tamborim e todas as mulhe-

res a seguiram, tocando tamborins e dançando. 21 E Miriã lhes respondia, cantando: “Cantem ao SENHOR, pois triunfou gloriosamente. Lançou ao mar o cavalo e o seu cavaleiro”. 22 Depois Moisés conduziu Israel desde o Mar Vermelho até o deserto de Sur. Durante três dias caminharam no deserto sem encontrar água. 23 Então chegaram a Mara, mas não puderam beber das águas de lá porque eram amargas. Esta é a razão porque o lugar chama-se Mara. 24E o povo começou a reclamar a Moisés, dizendo: “Que beberemos?” 25 Moisés clamou ao SENHOR, e este lhe indicou um arbusto. Ele o lançou na água, e esta se tornou boa. Em Mara o SENHOR lhes deu leis e ordenanças, e os colocou à prova, 26

dizendo-lhes: “Se vocês derem atenção ao SENHOR, o seu Deus, e fizerem o

que ele aprova, se derem ouvidos aos seus mandamentos e obedecerem a todos os seus decretos, não trarei sobre vocês nenhuma das doenças que eu trouxe sobre os egípcios, pois eu sou o SENHOR que os cura”. 27Depois chegaram a Elim, onde havia doze fontes de água e setenta palmeiras; e acamparam junto àquelas águas. Êxodo 15.20-27

Desde o início da jornada, Israel enfrentou problemas. O texto acima mostra que o povo viajou três dias numa região desértica, com temperatura alta e pouca umidade. O ambiente de cânticos de triunfo às margens do Mar Vermelho, três dias antes, acabou (v. 28). Agora o que

5.


ATITUDE PESSOAL

há é uma situação confusa, de sofrimentos e muita frustração: não havia água! E quando a encontraram, era amarga, imprópria para beber. Mediante a tudo isso, o povo chega a um estado de desânimo físico e emocional profundo, e passa a indagar ao líder Moisés: “Que beberemos?” O povo é assim, sempre exterioriza o que sente, com muita facilidade. E o líder? Bem, o líder está numa encruzilhada. É uma situação que lhe obriga a tomar uma atitude. Ali está Moisés no meio de uma multidão que de certa forma, depende de sua decisão. O que ele fará? Veja que Moisés não tinha muitas opções. Ele estava no mesmo barco que o restante do povo. Mas Moisés tomou a atitude certa: Orou ao Senhor! E o Senhor respondeu. “A atitude de uma pessoa afeta seus relacionamentos, propicia uma nova maneira de encarar o fracasso e define sua abordagem em relação ao sucesso. Sua atitude é capaz de motivá-la ou arrasá-la”3. O Senhor respondeu o clamor de Moisés, mostrando-lhe uma árvore. Deus ordenou que ele jogasse na água um galho daquela árvore para que a água amarga se tornasse doce. Moisés fez o que o Senhor disse e o milagre aconteceu: as águas amargas se tornaram doces! O líder nunca deve abrir mão de Deus. O fato de a atitude ter a ver com o modo de ser da pessoa, a faz responsável pela sua própria vida. Uma das características mais importantes de um líder é a consciência de si mesmo, isto é determinante para ele crescer como pessoa. Portanto, uma atitude tomada com consciência, seriedade e discernimento, no momento da encruzilhada, há de marcar positivamente nossa existência. Quando as atitudes são boas, resultam em graça e motivação. Rick Warren4 indica cinco formas de planejamento, que servem de base para o líder tomar atitude: ➻ Os líderes pensam tudo detalhadamente. 3 MAXWELL, C. John; Segredos da Atitude. São Paulo: Mundo Cristão, 2003 4 WARREN, Rick. Liderança com propósito. São Paulo: Vida, 2005, PP. 45 a 55

6.


SÉRIE LIDERANÇA EXCELENTE

➻ Os líderes se preparam para a oportunidade. ➻ Os líderes fixam uma meta. ➻ Os líderes fixam datas limite. ➻ Os líderes preveem os problemas. ➻ Os líderes calculam o preço.

Líderes de atitude tentam resolver os problemas, ao invés de criticar. Como diz Jean Monet: “O mundo é dividido entre aqueles que querem ser alguém e aqueles que querem fazer alguma coisa”.

CICLO DOS ACONTECIMENTOS DA VIDA Só Deus pode transformar as águas de “Mara” de nossa existência em água doce. Ao tratar da hostilidade da nossa existência, das experiências amargas da caminhada e das contradições do nosso próprio ser, não são muitas as opções, mas entre elas está a mais misteriosa de todas as relações, que é obedecer a Deus. Portanto, não se iluda com as populares opções de vida. Só há possibilidade de vitória, de uma vida espiritual genuína, se soubermos tomar a atitude certa, e que esta atitude seja Deus. Segundo Êxodo 15.25-26, a vida bem sucedida dos israelitas dependia da obediência a mandamentos e decretos. Deus se compromete com o povo. Ele dá a Sua Palavra. Deus garante que não permitirá nenhuma doença, se eles andarem sob Suas instruções. Quando adotamos a atitude de colocar a Palavra em primeiro lugar, ela não volta vazia, mas torna-se útil para a educação na justiça. Agora leia novamente o texto de Êxodo 15.20-27. Ele é um retrato, em cinco perspectivas ou acontecimentos específicos, que se sucederam nos primeiros três dias de jornada de Israel pelo deserto. Este ciclo de acontecimentos também exemplifica os quarenta anos de jornada pelo deserto. É uma espécie de projeção do que iria acontecer durante todos aqueles anos de peregrinação. 7.


ATITUDE PESSOAL

O escritor Charles Swindoll diz ao refletir sobre o texto em foco, a respeito dos cinco momentos distintos na vida do povo de Israel, durante os primeiros três dias de caminhada no deserto: “Viver pode ser bem mais que acordar, tomar café e sair para trabalhar... A vida nos traz a cada momento um ponto a ser observado, aproveitado e refletido. Todos passamos por diferentes estágios, desde os repletos de alegria, cheios de vitórias, até os mais repletos de dor”5. Para facilitar nossa compreensão, fiz um quadro, que mostra também a condição do povo em cada situação. Veja: O ciclo dos acontecimentos na vida do povo de Israel

A condição do povo em cada acontecimento

vv. 20-21 – Triunfo

→ Olhando para o alto

v. 22 – Expectativa

→ Olhando para frente

vv. 22b-23 – Desilusão

→ Olhando para baixo

v. 24 – Queixas

→ Olhando para trás

v. 25 – Provisão

→ Olhando para o lado

Estas cinco situações nos trazem algumas lições práticas: ➻ Estes acontecimentos são cíclicos, simbolizam toda nossa histó-

ria, tanto individual como coletiva. ➻ Nenhuma estação da vida é definitiva. Na vida não é só o frio do

inverno, o sol do verão, a nostalgia do outono e a renovação da primavera. Nesta vida nada é permanente. Nem os momentos de triunfos, nem os momentos de dor. ➻ O líder precisa entender que ele não é Deus, não tem que se

estressar tentando atender a todas as expectativas românticas do povo. 5 SWINDOLL, Charles; Crescendo nas Estações da Vida. São Paulo: Atos, 2005

8.


SÉRIE LIDERANÇA EXCELENTE

São nessas circunstâncias adversas, quando a culpa toda cai para cima do líder, que o preço da liderança fica extremamente alto.

DO TRIUNFO À EXPECTATIVA Veja que, no quadro acima, tudo começa com um triunfo, o mover soberano de Deus e uma alegre celebração: “Então Miriã, a profetisa, irmã de Arão, pegou um tamborim e todas as mulheres a seguiram, tocando tamborins e dançando. E Miriã lhes respondia, cantando: Cantem ao SENHOR, pois triunfou gloriosamente. Lançou ao mar o cavalo e o seu cavaleiro”. (vv. 20-21). A dança de Miriã é a dança da vitória. Em seguida, segundo o versículo 22, “... Moisés conduziu Israel desde o Mar Vermelho até o deserto de Sur”. O “lugar” em que todos nós queremos “permanecer” é o lugar do triunfo. Mas temos que pôr o pé no caminho e caminhar em direção ao futuro que Deus planejou para nós. “A fé do povo precisa de mais provas. Uma grande vitória como a travessia do Mar Vermelho proporcionou uma visão maravilhosa da onipotência de Deus; mas não treinou a fé para problemas cotidianos. A necessidade diária de comida e bebida prova a fé do povo mais que os obstáculos maiores. Mas Deus estava treinando seu povo em todos os aspectos da vida, por isso os levou às águas de Mara”.6

DA EXPECTATIVA À DESILUSÃO Quando Moisés sai com o povo do Mar Vermelho até o deserto de Sur, seu coração, bem como de todos israelitas, estava cheio de esperança e expectativas. Eles tinham uma esperança fundada na garantia da promessa divina: possuir a terra que mana leite e mel. Mas eles não con7

6 COX, Leo G. Comentário Bíblico BEACON, vol. 1,2005, p. 174 7 O deserto de Sur ficava a noroeste da península do Sinai, entre o Egito e a Palestina (cf. 1 Sm 15.7; 27.8)

9.


ATITUDE PESSOAL

tavam com as águas de Mara: “... Durante três dias caminharam no deserto sem encontrar água. Então chegaram a Mara, mas não puderam beber das águas de lá porque eram amargas. Esta é a razão porque o lugar chama-se Mara”. (vv. 22b-23) “Mara” é o lugar da desilusão e da decepção. Agora o ânimo do povo muda radicalmente. Imediatamente eles vão da gratidão para a lamúria. O momento é crítico e solitário. Eles estão vivendo o momento não ideal, mas real. Esse é o lado escuro da jornada. A desilusão pode levar ao ceticismo, à intolerância, ao calabouço existencial e ao choro silencioso. Pare de idealizar, viva o real!

DA DESILUSÃO ÀS QUEIXAS Aquele que faz da desilusão sua parceira existencial, é quase inevitável que o próximo passo seja a murmuração. O termo “murmurar” (gr. goggudzo) é o mesmo que “queixar-se”. Um termo bem ligado à murmuração é o “cochicho” (Sl 41.7). Cochichar é o falar em voz baixa, para não ser ouvido pelas pessoas próximas. É o mesmo que falar ao pé do ouvido. Você já liderou uma equipe ou grupo assim? A experiência revela que o espírito murmurador produz uma qualidade de vida péssima! Pois os murmuradores fazem da reclamação o centro de suas conversas. Eles se queixam a Deus e a todo mundo. “A murmuração é um estado de espírito em que se crê que, nas dificuldades, Deus não é suficiente”.8 Na história de Israel vemos que nem mesmo as grandes experiências com Deus curaram os corações habituados à murmuração.

8 HAMILTON, Victor P. Manual do Pentateuco. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 205

10.


SÉRIE LIDERANÇA EXCELENTE

DAS QUEIXAS À PROVISÃO DIVINA Nem todas as experiências da vida são amargas. Nossa próxima estação pode ser Elim, um oásis com doze fontes de águas e setentas palmeiras (v. 27). A graça de Deus está presente em Mara. Não vemos ali nenhuma repreensão, nenhum castigo, nenhuma disciplina. Deus intervém e se revela contrastando com a murmuração do povo. Deus leva o povo a uma nova estação da vida: a provisão. As águas amargas tornam-se doces. A renovação entra. As dúvidas e reclamações saem e o ciclo recomeça com o triunfo. Tudo começa com um triunfo, o mover de Deus, passa pelos vales da sombra e da morte e termina, com o triunfo final. Certamente, você está em algum desses momentos no ciclo dos acontecimentos.

SEGUINDO AS REGRAS DO JOGO No versículo 25, o verbo “indicou” significa “instruiu”. Esta é a mesma palavra que gera a raiz TORAH (Lei). Aliás, os intérpretes judeus veem alusões à Lei no uso do verbo “indicou”. Moisés foi instruído acerca das propriedades de alguma árvore ou arbusto que poderia neutralizar o amargor da água.9 Na verdade o comportamento deles gerou a necessidade de se criar a Lei, que aqui tem a conotação de justiça divina. Observe que Deus não puniu o mais rebelde ato antes que houvesse padrões claros de certo e errado. “Quando Deus diz sim, continua sendo sim; quando diz não, permanece sendo não. Essa confiabilidade tem implicações negativas e positivas. Em termos negativos, não há como convencer a Deus a 9 BRUCE F. F. Comentário Bíblico NVI. São Paulo: Vida, 2009, p. 230

11.


ATITUDE PESSOAL

mudar de idéia com suborno ou chantagem emocional. Em termos positivos, quando Dez faz uma promessa, podemos estar certos de que ele cumprirá sua Palavra... Deus é integridade, ou seja, ele não apenas age com integridade: a integridade é seu caráter. Ninguém respeitará uma pessoa que não siga as próprias regras. A pessoa pode esquecer 90% do que o líder diz, porém jamais esquecerá como ele vive”.”10

10 BOA, Kenneth, O Líder perfeito. São Paulo: Vida: 2007, p. 17

12.


SÉRIE LIDERANÇA EXCELENTE

A PLICAÇÃO P ESSOAL 1. Em qual destas cinco situações você se encontra no momento? ( ) Triunfo - olhando para o alto. ( ) Expectativa - olhando para frente. ( ) Desilusão - olhando para baixo. ( ) Queixas - olhando para trás. ( ) Provisão - olhando para o lado. 2. Qual está sendo a sua maior dificuldade em relação a isto? 3. Como você está encarando este momento?

13.


ATITUDE PESSOAL

14.

Liderança Excelente – Atitude Pessoal  

Um material simplesmente instigante e desafiador. Começe agora mesmo e transforme a sua igreja e seu ministério. O líder precisa ser o ´´tip...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you