Page 1

Especial Itaú Unibanco

SINDICATO DOS BANCÁRIOS E FINANCIÁRIOS DE CURITIBA E REGIÃO

ANO XV - 15 de abril de 2009

Itaú Unibanco

Segue batalha pelo emprego Os dias 3, 7 e 8 de abril foram de negociação para os representantes dos trabalhadores do banco Itaú Unibanco. Como tem ocorrido nas últimas reuniões, o principal assunto debatido entre a direção do banco e os bancários é a garantia dos empregos e direitos trabalhistas no processo de fusão. O banco mantém sua postura inconcebível, negando firmar um compromisso de não realizar demissões. Desde que a aquisição foi anunciada, os trabalhadores estão lutando pela manutenção do nível de emprego na nova instituição bancária. As mobilizações já trouxeram alguns avanços, mas o movimento sindical lamenta que o banco não tenha emitido um posicionamento oficial favorável aos seus trabalhadores, assegurando estabilidade. Nas últimas negociações, a partir da pressão do movimento sindical, o banco reafirmou a suspensão de contratações externas, com intuito de que os trabalhadores que já estão na empresa tenham prioridade nas vagas disponíveis e reiterou que não haverá fechamento de agências. O centro de realocação (quadro no verso) também foi apresentado pela empresa para conter demissões. “Os representantes do Sindicato ainda questionaram o banco em relação à demissão de trabalhadores que apresentavam excelentes avaliações”, explica Maeve Vicari, dirigente sindical, que participou da reunião. O Itaú Unibanco alegou que não tem conhecimento desse fato. Outros assuntos debatidos: Agências – De acordo com o banco, as novas agências seguirão o modelo do Itaú e terão mais funcionários para atendimento. O programa Faça Sua Carreira na Rede irá preparar os trabalhadores das áreas administrativas para a migração. O movimento sindical

Reunião entre os representantes dos trabalhadores e do Itaú Unibanco no dia 03 .

sugeriu a criação de dois novos cargos para reduzir as contas sob responsabilidade de cada gerente, o que diminuiria a pressão e evitaria demissões. Também exigiu que os programas de avaliação levem em conta um período de adaptação. Ações judiciais – Ao contrário de diversas denúncias que estão sendo recebidas pelos sindicatos de todo o país, o Itaú Unibanco afirmou que desconhece que bancários estão sendo demitidos por moveram ações civis ou trabalhistas contra uma das empresas. Os relatos também dão conta de que gerentes estariam “aconselhando” seus subordinados a retirar os processos. De acordo com o banco, estima-se que 2,7 mil funcionários tenham demandas judiciais relacionadas ao Itaú ou Unibanco, destes, 16 trabalhadores foram desligados, o que segundo o banco não significa uma orientação formal da empresa. Durante as negociações, os sindicatos também reinvindicaram a criação de um programa de incentivo às aposentadorias e apresentaram uma proposta para o Programa Complementar de Remuneração (PCR), que estão sendo analisados pelo banco.

Persistência garante bolsas O Itaú reabriu as inscrições para as 1,4 mil bolsas de estudos. O banco demonstrou resistência em manter o auxílio, mas os representantes dos bancários foram firmes na negociação e conseguiram a continuidade deste direito e a confirmação de que o pagamento será retroativo ao primeiro trimestre de 2009. As 1,2 mil bolsas do Unibanco estão mantidas. Orgão de divulgação do Sindicato dos Bancários e Financiários de Curitiba e Região Av. Vicente Machado, 18 - 8º andar Fone: (41) 3015-0523 Fax: (41) 3322-9867 Presidente: Otávio Dias Sec. de Imprensa: Sônia Boz Jornalista: Patrícia Meyer (5291/PR) Colaboração: Renata Ortega Diagramação e Arte final: Fabio Souza Impressão e Fotolitos: Topgraf Tiragem: 2.000 exemplares sindicato@bancariosdecuritiba.org.br www.bancariosdecuritiba.org.br


Previdência

PCR e PLR

Luta traz ganhos Trabalhadores elegem conselheiros para trabalhadores Entre os dias 16 e 20 de março, ocorreu Gabriel (titular) e Darci Borges Saldanha Os bancários no Itaú receberam, em 26 de março, o valor de R$ 1.259, referente a complementação de PLR e PCR (R$ 1.110 do adicional da PLR e R$ 149 que faltaram no PCR). A pressão dos trabalhadores na greve de 2008 e na mesa de negociação, salientando que foi o empenho dos bancários que gerou os lucros apresentados pelo Itaú, foram os diferenciais para esta conquista.

a eleição para o novo mandato de conselheiros deliberativo e fiscal no Funbep. O mandato inicia agora e irá até março de 2013. Esta é a segunda vez que os trabalhadores originários do Banestado escolhem pelo voto direto seus representantes. Foram eleitos José Altair Monteiro Sampaio (titular) e Ana Maria Fideli Marques (suplente) para representar os trabalhadores na ativa no Conselho Deliberativo. No Conselho Fiscal, os eleitos foram Edilson José

(suplente). Esta composição recebeu apoio de 94% dos trabalhadores. Fundação Itaubanco – De 13 a 17 de abril são realizadas as eleições da Fundação Itaubanco, que administra uma série de planos de benefícios dos funcionários. As votações envolvem 35 mil trabalhadores, que irão escolher os representantes de ativos e de assistidos. O movimento sindical pede o voto dos trabalhadores bancários para a CHAPA 1.

Unibanco

Porta de segurança já! É antiga a briga do movimento sindical por mais segurança nas agências do Unibanco. Além de não existir porta com detectores de metal, não há vigilantes em quantidade suficiente para garantir a segurança de trabalhadores e clientes. O padrão de (in)segurança do Unibanco é insustentável. “Ao menos nesta situação a

aquisição do Unibanco pelo Itaú precisa urgentemente ser útil para os trabalhadores”, afirma Junior César Dias, trabalhador do Unibanco e dirigente sindical. “Seria interessante a adoção de itens do padrão de segurança adotado pelo Itaú, que não é o ideal, mas traz um pouco mais de tranqüilidade para o trabalhador”, complementa.

Sindicalize-se www.bancariosdecuritiba.org.br

Folha Bancaria - 15.04.09  
Folha Bancaria - 15.04.09  

Folha Bancária do Sindicato dos Bancários de Curitiba e região.