Issuu on Google+

São Bernardo do Campo, Abril / 2014 - Ano 3 – Edição Especial

Publicações do Projeto Editorial da UFABC

Justiça e Competição Eleitoral

O Núcleo de Ciência, Tecnologia e Sociedade (NCTS) publicou até o momento doze obras através do Projeto Editorial. As obras estão disponíveis para consulta e empréstimo no Sistema de Bibliotecas da UFABC e serão republicadas em breve com o selo da Editora da UFABC passando a compor o catálogo desta. Outras informações sobre o Projeto Editorial e sobre a Editora da UFABC podem ser obtidas através dos contatos: projetoseditorias@ufabc.edu.br ou editora@ufabc.edu.br

Vitor Marchetti (UFABC)

A seguir, encontra-se um breve resumo sobre cada um dos títulos.

A Dinâmica da Consciência: William James revisitado Renato Rodrigues Kinouchi (UFABC) O que um psicólogo falecido há mais de cem anos teria a oferecer à psicologia contemporânea? No caso de William James, muita coisa... Especialmente no que diz respeito ao estudo da consciência, James continua sendo leitura obrigatória. Ao menos é o que se verifica nas frequentes citações à sua obra nas últimas duas décadas. Com base na atualidade das obras e do pensamento de William James, esta publicação realiza um percurso que se inicia com a abordagem da Psicologia Jamesiana, passa pela presença do darwinismo ao falar da função da consciência na evolução, evidencia a lógica do fluxo do pensamento para, por fim, demonstrar como está construída a dinâmica da consciência, na visão de William James.

A obra faz uma minuciosa análise das polêmicas decisões tomadas pelo TSE (todas em consonância com decisões do Supremo Tribunal Federal) em quase uma década de atuação. Entre elas: a exigência de os partidos manterem coligações alinhadas no plano federal e estadual (a verticalização); a proibição de os políticos trocarem de legenda; a interpretação sobre um artigo da lei dos partidos, que restringia os recursos no legislativo apenas às legendas que obtivessem uma determinada votação nacional (a cláusula de desempenho). O livro de Vitor Marchetti mostra de maneira convincente como o conjunto de medidas aparentemente desconexas implementadas pelo Judiciário afetaram as eleições e os partidos brasileiros, processo que o autor denomina judicialização da competição política.

Companheiros Servidores: sindicalismo do setor público na CUT

o

Sidney Jard da Silva (UFABC)

Filosofia Latino-Americana a partir de Enrique Dussel Daniel Pansarelli (UFABC) Neste livro, o autor nos viabiliza a oportunidade não só de um enriquecedor diálogo com Enrique Dussel, mas também de um exercício práxico de reflexão sobre nossa condição específica de seres situados na realidade latinoamericana, que diferencia e especifica nossos modos de ser, de pensar e de agir. Sua hermenêutica põe em pauta a vivência do conhecimento como construção de um sentido emancipador, mediação imprescindível para o agir eticamente válido e um existir autêntico em nossas coordenadas históricas. Um mergulho profundo no pensamento dusseliano, desvelando os elementos intrínsecos que o constituem bem como aqueles apropriados e ressignificados, de forma crítica, da filosofia eurocêntrica, nos subsidia para a uma práxis filosófica gestada e desenvolvida a partir dessa nossa condição originária.

Nos anos 1990s, quando as reformas estruturais entraram na agenda política nacional, a oposição da CUT à mudança do regime previdenciário brasileiro foi explicada como resultado do poder dos sindicatos do setor público sobre as decisões da central que os abrigava. Assim, o “corporativismo” dos sindicatos de servidores públicos seria o principal responsável pela paralisação da reforma da previdência pública. Contrário a tal interpretação - e apoiado em cuidadosa pesquisa - Sidney Jard mostra uma realidade bem mais complexa. Ao manejar um conjunto expressivo de dados, identifica a importância das lideranças sindicais da área pública na CUT. Demonstra, também, que os companheiros servidores estavam bem mais divididos do que se supunha - e alguns se revelavam mais dispostos a discutir com o governo os termos da reforma do que a ela se opor frontalmente.


O Micróbio é o Inimigo: debates sobre a microbiologia no Brasil (1885-1904)

Entre Comas, Febres e Convulsões: os tratamentos de choque no Hospital do Juquery (1923 - 1937)

Jorge Augusto Carreta (FACAMP)

Gustavo Querodia Tarelow (MHFMUSP)

O livro pretende mostrar o conflituoso processo de aceitação do conhecimento da microbiologia no Brasil entre o final do século XIX e começo do século XX. O foco se concentra nas polêmicas e controvérsias em torno deste conhecimento entre os cientistas e médicos do Rio de Janeiro. Destaque especial foi dado à análise dos debates sobre doenças como a varíola, a febre amarela e o beribéri. A análise das controvérsias sobre o conhecimento microbiológico serviu para indicar o grau de experimentalismo e improvisação que ainda marcava a ciência médica no Brasil do último quartel do século XIX. Fica claro que mesmo após fundação do Instituto de Manguinhos, em 1899, tido por alguns como o marco inicial das atividades científicas no Brasil, a microbiologia ainda levou alguns bons anos para obter a aceitação por parte dos médicos e da população.

A publicação promove uma ampla e profunda discussão sobre a história dos tratamentos psiquiátricos utilizados nos manicômios brasileiros. Tendo como objeto central os “tratamentos de choque”, também conhecidos como “terapias biológicas”, esta obra promove a reflexão sobre as concepções terapêuticas e diagnósticas em voga no período analisado, bem como sobre os conceitos científicos (e os embates decorrentes) que culminaram com o desenvolvimento de tais técnicas terapêuticas. O recorte histórico corresponde ao período em que o psiquiatra Antonio Carlos Pacheco e Silva dirigiu o hospital do Juquery e implantou algumas terapias de choque. O livro analisa as posições políticas, científicas e ideológicas deste psiquiatra, mostrando como as suas concepções influenciaram diretamente na forma em que as terapias foram testadas e utilizadas nos pacientes internados no Juquery.

A Família Real no Brasil: política e cotidiano (1808-1821)

Bases Computacionais da Ciência

Juliana Gesuelli (UNICAMP)

Maria das Graças Bruno Marietto (UFABC), Mario Minami (UFABC), Pieter Westera (UFABC) (orgs.)

Meirelles

O livro trata das interfaces entre a política e o cotidiano no Rio de Janeiro no período joanino em meio a transformações políticas e aos muitos conflitos e desafios da nova sociedade que se formava nos trópicos, permeada por um projeto político de sustentação do Império Português nas duas margens do Atlântico. Os temas abordados perpassam a estruturação das novas instituições régias que surgiam na América Portuguesa e delineavam a governabilidade da monarquia portuguesa até o retorno de Dom João VI para Portugal, em 1821, quando as consequências da crise do Antigo Regime Português já apareciam de forma mais patente no universo público. A obra recebeu em 2007 o prêmio como 1º lugar no concurso luso-brasileiro D. João VI de Pesquisa concedido pela UNIRIO e UNIVERSIDADE DE COIMBRA.

Bases Computacionais da Ciência compõe um conjunto de seis disciplinas básicas e comuns do currículo dos bacharelados interdisciplinares da UFABC. O propósito desse grupo de disciplinas é criar uma base homogênea de conhecimento para os alunos de todas as áreas de graduação oferecidas pela Universidade e representa o primeiro contato do aluno com a interdisciplinaridade, ponto central do projeto pedagógico da Universidade. A obra contempla uma série de conteúdos matemáticos e computacionais como representação gráfica de funções, estatística, correlação, regressão, fundamentos da computação, lógica de programação, modelagem, simulação computacional, e utiliza uma abordagem que engloba teoria e prática de modo dinâmico e esclarecedor.


Novos Horizontes em Científica e Tecnológica

Política

Marko Synésio A. Monteiro (UNICAMP), Cristina de Campos (UNICAMP), Rafael de Brito Dias (UNICAMP) (orgs.) Ciência e Tecnologia, juntamente com a vertente Inovação, nunca foram tão discutidas e debatidas como atualmente. Diferentes instâncias e interessados se pautam nestas concepções para o desenvolvimento de trabalhos e atividades em muitas áreas do conhecimento e em diversas organizações . Os artigos reunidos nesta coletânea estão inseridos na grande linha de pesquisa de Políticas de Ciência, Tecnologia e Inovação e suas ramificações, em matérias como Estudos Sociais da Ciência e Tecnologia, Gestão e Planejamento da Ciência, Tecnologia e Inovação e História Social da Ciência e Tecnologia. A leitura desta obra permite ao leitor o contato com estes temas e seus variados enfoques teóricos e conceituais. A publicação comemora também, os 25 anos do Programa de Pós-Graduação em Política Científica e Tecnológica da UNICAMP.

Conhecimento, Cultura e Circulação de Ideias na América Colonial LusoHispânica Márcia Helena Alvim (UFABC) (org.) O período colonial luso-hispânico vem sido revisitado por diversas abordagens historiográficas ao longo dos últimos anos. Neste livro buscou-se apresentar novos olhares acerca de temáticas algumas consagradas, outras em construção – relacionadas à circulação de conhecimentos, cultura e ideias durante a dominação política ibérica sobre a América, privilegiando seu diálogo com a perspectiva multidisciplinar da História das Ciências. Os textos que compõem esta coletânea resultam de pesquisas apresentadas no 54ª International Congress of Americanists (Viena - Áustria) e no 13º Simpósio Nacional de História das Ciências e da Tecnologia (USP - SP), acrescidos das profícuas discussões ocorridas nestes eventos. Os capítulos articulam-se em torno das principais temáticas sobre as práticas, os saberes e as narrativas produzidos na América colonial, buscando propiciar um espaço de reflexão sobre o período colonial americano através de abordagens oriundas da História das Ciências.

Abordagens em Ciência, Tecnologia e Sociedade Maria Gabriela S. M. C. Marinho (UFABC), Sérgio Amadeu da Silveira (UFABC), Marko Synésio A. Monteiro (UNICAMP), Cristina de Campos (UNICAMP), Rafael de Brito Dias (UNICAMP) (orgs.) A coletânea é fruto do esforço coletivo de um conjunto variado de pesquisadoras e pesquisadores sediados em diferentes instituições, localizadas dentro e fora do estado de São Paulo, que revelam a densidade e abrangência que têm alcançado as pesquisas no chamado campo CTS – Ciência, Tecnologia e Sociedade – no Brasil. Buscouse reunir nomes consagrados e pesquisadores mais jovens, de maneira a explorar os contornos atuais desse campo, os temas de pesquisa em evidência, e os problemas teóricos que vêm mobilizando as pesquisas recentes na área. A obra pretende colaborar para o continuado crescimento e relevância dessa área de pesquisa. Os textos reunidos trazem contribuições para o entendimento dos processos de produção de conhecimento e artefatos, a formação de agendas de pesquisa, além de uma sofisticada reflexão sobre os desafios impostos à política científica e tecnológica recente, como a relação com o mercado e a internacionalização. Dessa forma, configura referência importante para entender o papel da ciência e da tecnologia nas sociedades contemporâneas.

Ensino e Profissão Médica na Corte de Pedro II Flávio Coelho Edler (FIOCRUZ) A obra estuda o processo pelo qual as disciplinas científicas e os modelos institucionais que revolucionaram os fundamentos práticos e teóricos da medicina acadêmica europeia, ao longo do século XIX, foram sendo apropriados e adaptados pelas elites médicas brasileiras, face às condições nacionais. Questiona dois argumentos encontrados na literatura recente sobre o desenvolvimento das práticas institucionais voltadas para a expansão e legitimação profissional dos médicos no Brasil. Um deles, aceita a ideia da existência de um vínculo funcional entre o projeto médico sanitário e a ordem social imposta pelo Estado Imperial. O outro se refere à postura revisionista e iconoclasta que muitos autores mantêm contra a literatura pioneira sobre a história da medicina brasileira, e que contraditoriamente estes próprios autores acabam reforçando, ao aceitar e reproduzir a demarcação positivista de periodização da história, como por exemplo, ao ver na criação do Instituto Oswaldo Cruz, o marco de ruptura com os valores e práticas anticientíficas da medicina do Império.


Boletim bc&h especial editora