Issuu on Google+

Concepção de Projetos de Pesquisa & Desenvolvimento Científico, em Cooperação

Título da Palestra/Oficina

Nome do Palestrante DD/MM/YYYY

Jose ângelo Pinto, PMP, OPM3 CT 13 Novembro de 2013


José Ângelo Pinto, PMP, OPM3 CT • • • • • •

Vice-Presidente Ambithus Presidente PMI Portugal Chapter Consultor, empresário e académico PMP desde 2005. OPM3 Certified Professional e Trainer Lic. Gestão de Empresas, Mestre em Sistemas de Informação e Mestre (DEA) em Economia e Gestão • PhD Student em Eng. Industrial


• Grupos especializados de R&D • 25,4 Bilhões de USD em 1969 – Perto de 200 Bilhões aos preços de hoje…. • Laboratórios do conhecimento suportam a inovação • O conhecimento é guardado e utilizado a favor da organização ou do país. • São os governos (especialmente nos EU’s) que financiam as grandes inovações do século XX • E no mundo DIGITAL?


Ambiente Estratégico Estamos vivendo num periodo de tempo que vai produzir mais MUDANÇAS para a humanidade do que qualquer outro periodo da história. È um tempo de extraordinária importãncia que vai fundamentalmente reestabelecer quase todos os aspectos da nossa vida nas proximas duas décadas. A mudança está a tomar lugar em quase todos os segmentos da nossa realidade e esta cadência vai AUMENTAR nos próximos anos. John Peterson in “The Road to 2015” 1993


Avaliação Estratégica: Plano • Análise da situação: tanto interna como externa, tanto micro-ambiental como macroambientais. • Definição de objectivos: Declarações de visão iniciais, declarações de missão, objetivos gerais, objetivos SBU e objetivos táticos. • Estes objectivos devem, à luz da análise da situação, induzir o plano estratégico. O plano fornece os detalhes de como alcançar os objetivos.


Implementação Estratégica • • • •

Alocação de recursos Estabelecer uma cadeia de comando Atribuir responsabilidades Gerenciar o processo: – obter os recursos necessários – Desenvolvendo os processos – Treinamento – Teste aos processos – Documentando – Integração com os processos


Inovação??? • Inovação é a aplicação de melhores soluções, que resolvam novas exigências ou necessidades ainda não articuladas ou a resolver necessidades do mercado já existentes. • São produtos mais eficazes, processos, serviços, tecnologias ou idéias que são desenvolvidas e estão disponíveis para serem aplicadas. • Uma inovação é algo original, novo, e importante, que quebra a situação anterior.


Inovação??? • Copiar, Transformar e Combinar (!!!!) • Henry Ford “Não inventei nada de novo. Apenas assemblei as descobertas de outras pessoas, resultantes de centenas de anos de trabalho. O progresso acontece quando todos os fatores necessários estão prontos e no lugar…” • Tudo é RECONDICIONADO…


Pesquisa & Desenvolvimento • È um grupo específico de atividades dentro de uma organização. • Modelos principais: – função é desenvolver novos produtos – descobrir e criar novos conhecimentos sobre temas científicos e tecnológicos

• Lucro e ROI • O primeiro modelo é geralmente composto por engenheiros, enquanto o segundo modelo é composto por cientistas industriais.


Ciencia • Do latim scientia , significa "conhecimento" é um esforço sistemático que constrói e organiza o conhecimento em forma de explicações testáveis ​e constrói previsões sobre o universo • Também se refere a um corpo de conhecimento • Refere-se a uma forma de buscar conhecimento, não só o conhecimento em si. • Conhecimento ensinável e confiável sobre um assunto, "ciências sociais " ou "ciência política"


Cooperação? O quê!!!?? • Essencial para desenvolver inovação….. • Só pode ter êxito se as partes envolvidas estão ganhando alguma coisa para si próprias. Se não há nada para oferecer aos parceiros, e eles não têm nada para dar de volta, então não há motivo algum para cooperação. • É evidente que desprezar o alinhamento dos objetivos do projeto entre os cooperantes ou parceiros vai garantir o insucesso…. E POR ISSO: • Project Charter, Project Charter and Project Charter again… (Documento de Iniciação do Projeto)


Cooperação? O quê!!!?? • A motivação para o projeto… Cooperação num ambiente competitivo? • Ao iniciar uma relação de colaboração é preciso saber o que os todos querem do resultado. • Conhecer as pessoas para lá das organizações. • Adaptação a hábitos de trabalho dos parceiros.


Cooperação? O quê!!!?? • Coordenar essencial para colaborar com sucesso. • Lidar bem com os parceiros e criar ambiente de confiança e respeito • Escolher pessoas com boas habilidades para gerir pessoas!! • Se há uma boa idéia, deixe os parceiros saberem. • Assuma que ninguém sabe tudo sobre o projecto. • Colaboração é uma ótima oportunidade para aprender.


Cooperação? O quê!!!??

•Comunicação….


A base para a conceção do projeto em cooperação: O Project Charter “Project Charter” é o processo de desenvolvimento de um documento que autoriza formalmente o projeto ou uma fase e a documentação dos requisitos iniciais que satisfaçam as necessidades e expectativas das partes interessadas. A aprovação deste documento dá ao gerente de projetos a autoridade para aplicar recursos para as atividades do projeto. (Guia PMBOK ®).


O “Business Case” • Os projetos cooperativos muitas vezes são concebidos porque existe um financiamento especifico (publico ou privado). • Razões politicas são a principal razão para se criar um sistema de financiamento público. • O "Business Case" de um projeto colaborativo é o acordo de parceria dos participantes. • O "Business Case" e "Project Charter“ complementam-se mutuamente


Project Charter • Objetivo do projeto ou sua justificação • Objetivos mensuráveis ​e critérios de sucesso • Requisitos de alto nível, descrição do projeto e riscos • Resumo do cronograma de marcos • Resumo do orçamento • Requisitos de aprovação de projeto • Gerente de projeto atribuído • Nome e autoridade do patrocinador do projeto


Charter do Programa ou Portfolio? • A carta do programa fornece autorização para a equipe de gestão do programa usar recursos organizacionais para executar o programa e liga o programa para o caso de negócio ou para as prioridades estratégicas da organização. • O caso de negócio desenvolvido para cada um dos projetos que aborda o investimento é uma responsabilidade da fase de configuração do programa.


Gestão de Programas • Muitos projetos cooperativos são na verdade programas. • A gestão de recursos e a partilha de objetivos – e de resultados ou mesmo de lucros, pelos diferentes parceiros são alguns dos principais items de divergência.


Instrumentos de alinhamento • • • • • • • • •

Estudos de Validação Gestor Financeiro Análise de Sensibilidade Provisões Testes ao Plano Sistemas de custos do projeto Auditorias internas e externas Reportes financeiros Sistemas de Contabilidade (projeto e central)


Financiamento • Financiamento é um termo geral que abrange o processo necessário para obter a quantidade necessária de dinheiro para fazer as atividades do projeto. • Expressão usada especialmente em projectos de investigação e no financiamento da investigação científica. O termo muitas vezes conota o financiamento obtido através de um processo competitivo, no qual os potenciais projetos de pesquisa são avaliados e apenas os mais promissores recebem financiamento.


Financiamento da Investigação • Estes processos que, normalmente, são executados pelo governo, empresas ou fundações, alocam recursos escassos. • O financiamento total de investigação na maioria dos países desenvolvidos é entre 1,5% e 3% do PIB, a Suécia é o único país a ultrapassar 4% » In wikipedia


Projetos de Investigação • A maior parte do financiamento da pesquisa vem de duas fontes principais: empresas e governos (principalmente realizado através de universidades e agências governamentais especializadas). • Algumas pequenas quantidades de pesquisas científicas são realizadas (ou financiadas) por fundações de caridade, especialmente em relação ao desenvolvimento de curas para doenças.


Projetos na União Europeia (UE) A União Europeia possui três instrumentos de financiamento fundamentais para apoiar a investigação e inovação: • A política de coesão que é financiada através dos chamados “Fundos Estruturais” e do “Fundo de Coesão”; • O Programa-Quadro de Investigação • O Programa-Quadro Competitividade e Inovação


O Programa-Quadro Investigação • FP7 CE tem um orçamento total de mais de € 50 bilhões de Euros (160 Bilhões de Reais) para o período 2007-2013 • É o instrumento da UE especificamente orientado para o apoio à investigação e desenvolvimento. • É baseado no lançamento de concursos e revisão por pares independentes por propostas de projetos. • O suporte está disponível para projetos de pesquisa colaborativa e individual, bem como para o desenvolvimento de competências de investigação e de capacidade.


O Programa-Quadro Investigação • Euratom FP7 (2007-2011) tem um orçamento de € 2,75 Bilhões de Euros para atividades de pesquisa e treinamento aplicados em energia de fusão e fissão nuclear e protecção contra radiações.


FP7 Exemplos de “Chamadas” • • • • • •

Saúde Alimentos, agricultura e pescas 'Internet do Futuro' ‘oceano de amanhã' ERA-Net Tecnologias da informação e comunicação (TIC) • Tópicos relacionados com a indústria automóvel, incluindo as TIC, tecnologia verde e tecnologias de armazenamento de energia


FP7 Exemplos de “Chamadas” • iniciativas conjuntas com países terceiros, como a Rússia e Japão, • reforço da cooperação com a ciência em países vizinhos e centros de tecnologia em países terceiros • nanociências, nanotecnologias, materiais e novas tecnologias de produção • edifícios e eficiência energética


FP7 Exemplos de “Chamadas” • • • • • •

Energia Espaço O sistema de satélites Galileo Inovação ecológica Intercâmbio internacional de pessoas Rede de Formação Inicial Marie Curie, a indústria e a academia, • Bolsas para investigadores independentes


FP7 Exemplos de “Chamadas” • Iniciativas Tecnológicas Conjuntas (JTI’s) • pesquisa de segurança • construção potencial de investigação regional • pesquisas beneficiando pequenas e médias empresas, a ciência e a sociedade, • transporte • ciências socioeconómicas e ciências humanas • tecnologias futuras e emergentes


• IDENTIFICAÇÃO - criação da idéia preliminar, planejamento de alto nível, estudos de pré-viabilidade. • DELIBERAÇÃO: formalização do grupo, realização de estudos de viabilidade, decisão de proceder. • APLICAÇÃO: obtenção de capital, construção, obtenção de licenças, contratação de gestão. • EXECUÇÃO: mobilização de recursos humanos, equipamentos e materiais para a realização do plano. • AVALIAÇÃO: determinar o que está a funcionar e o que não está a funcionar.


• Grupo de Gerenciamento - Para um projeto ter chances de sucesso quando envolve um grupo que é grande o suficiente para procurar uma "massa crítica“, devem ser envolvidas pessoas chave, pois o seu apoio é fundamental para o desenvolvimento de um verdadeiro projeto cooperativo. • Verdadeiro empenho ao projecto por parte dos cooperantes induz a uma muito maior chance de sucesso. • Antes de se continuar com o projeto é essencial ter apoio do grupo cooperativo. • Participação em reuniões, expressando apoio, demonstrando vontade de trabalhar, todos são meios para demonstrar apoio, mas o apoio financeiro é fundamental e deve ser uma preocupação do grupo.


• Uma das tarefas mais importantes do estudo de viabilidade é determinar os membros e o volume de investimentos que são necessários para o projeto ter sucesso. • Assessores e consultores são auxiliares úteis, eles podem ajudar muito por serem independentes de cada participante do grupo e podem ajudar o grupo a concentrar suas idéias. Também podem ajudar a garantir que as idéias de todos os membros são ouvidas e consideradas. Outro papel importante pode ser a de aconselhar o grupo com a sua organização e planejamento. • Enquanto consultores externos podem ser úteis para o grupo, eles não devem conduzir o processo.


Restrições de decisão em grupo • A não unanimidade de opinião não impede que se prossiga em frente. • Algumas pessoas fiáveis ​são sempre superiores a muitas pessoas cuja fiabilidade é duvidosa. • Deve ser evitado promover promessas extravagantes do que se pode vir a fazer. • As expectativas devem ser sempre com base nas realidades economicas e sociais. • Uma decisão uma única vez.


Questões a serem respondidas muito cedo: Qual é a necessidade do projeto? Qual é o produto ou o serviço? Qual é a essência do projeto? Qual é a vantagem comparativa do grupo? O que é que o mercado exige? O que cada participante faz bem? Como o projeto beneficiará os membros?


Como é que o projeto que está sendo promovido por outros fora do grupo? Qual é a base de membros em potencial e volume de produto para o projeto? Qual é o apoio de: produtores, comunidade e potenciais credores? Qual é o número e o tamanho dos produtores que estão dispostos a participar? Qual o volume de produtos que será incluído no projeto? O futuro de expansão de ambos membros e volume é possível?


Qual é o volume potencial de vendas e o que são os potenciais concorrentes? Qual é o tamanho da área de mercado de entradas, saídas, e uma área de fornecimento? Quem são os principais concorrentes? Quais são as suas quotas de mercado, as suas instalações, sua estrutura, etc? Quais são as possíveis respostas competitivas? Existem maneiras que o grupo possa trabalhar com qualquer um destes potenciais concorrentes para atingir seus objetivos? Quais são as necessidades organizativas para o projeto?


Quais são as necessidades de capital e possíveis fontes desse capital? Quanto dinheiro é necessário? Quais são as necessidades de orçamento e financeiras do projeto? Quais são as possíveis fontes de financiamento? Quais são os requisitos legais do projeto? Que documentos são necessários ou acordos? Que licenças e inspeções que o projecto exige? Que recursos são necessários?


Será que o grupo vai comprar, construir ou arrendar as instalações? Quais são os requisitos de gestão? Quais as habilidades que o grupo exige de uma equipe de gestão? Qual será este custo de gestão? Os promotores podem pagar o suficiente para atrair bons funcionários?


Sumário Executivo • deve ser: – curto, – direto ao ponto – Ser conclusivo


Sumário Executivo • Se quem lê o Sumario Executivo entende os pontos principais e básicos do projeto, isso aumenta muito as chances de que o projeto seja financiado – Objetivo do projeto - O que é o projeto e quem está envolvido? – Possibilidade de retorno - Será que o estudo mostra a capacidade do investimento a ser recuperado ao longo de um período de tempo específico? Será que ela dá parâmetros de investimento (custo)? – Os retornos financeiros projetados são uma boa representação da projeção financeira, das receitas e dos custos operacionais? Qual é o lucro líquido?


Pessimismo é um luxo dos bons tempos….Em tempos díficeis, pessimismo é uma sentença de MORTE auto induzida. Tradução de “Evelin Lindner”


Muito Obrigado!!!

QuestĂľes?

Contatos: Jose Angelo Pinto, MIS, PMP, OPM3ÂŽ CT jose.pinto@ambithus.com @joseangelopinto (Twitter) Skype: joseangelopinto


II Congresso de Gerenciamento de Projetos de SC - José Ângelo Pinto