Issuu on Google+

IZUNOME


IZUNOME


ÍNDICE

Ensinamento do mês A respeito do espírito da palavra

6

Culto Mensal de Agradecimento Todos os messiânicos devem se tornar divulgadores do bem

10

Experiência na prática da fé Rumo ao Japão através da atuação do Plano Divino

12

Trono de Kyoshu Cinquentenário da ascensão de Nidai-Sama - parte 2

14

Expansão Secretaria Jovem realiza 8ª Conferência Nacional

18

Expansão Hortas caseiras ajudam a expandir a Obra Divina

20

Fundação Mokiti Okada Faculdade Messiânica diploma primeiras turmas

21

Fundação Mokiti Okada Degase - RJ visita Guarapiranga

22

Korin Carne suína sem antibióticos

IZ IZUNOME ZUN UNOME OME

5

Capa: Paisagem em Inhotim (MG) Foto: Ramos Filho MAIO / 2012 –

3


IZUNOME

EDITORIAL

O melhor lugar do mundo deve ser

onde você está!

C

erto dia, um rapaz perguntou a um dos grandes orientadores da nossa Igreja: - Sensei, como devo agir para ganhar merecimento de viver no Paraíso a que Meishu-Sama se refere? - Pergunta difícil... disse o orientador. Quanto tempo você ainda tem de vida? Surpreso, o rapaz falou: “Não sei... nem imagino... é possível saber? - Não... acho que não... então, se você tivesse só mais cinco anos para viver, o que faria? - Procuraria modificar algumas coisas no meu jeito de ser... como sou muito egoísta, tentaria desenvolver sentimento de gratidão em qualquer circunstância, de hoje em diante... - Ótimo. Mas tenho uma notícia para você. Só lhe restam três anos. O que vai fazer? - Puxa... só três anos? Bom... acho que faria uma lista de todas as pessoas que de alguma forma ajudaram na minha caminhada e diria a elas, de coração: “Muito obrigado.” - Certo... parece que é só quando sentimos que nos resta pouco tempo que conseguimos perceber o quanto temos para agradecer, não é? Mas o tempo está correndo... na verdade, você só vai viver mais um ano. E agora? - Ah... além do que já falei eu prepararia uma lista de todas as pessoas a quem magoei, a quem deixei de levar uma palavra amiga, a quem não socorri quando precisaram de mim, e iria pessoalmente pedir perdão a cada uma delas. - Parabéns. Bom... vamos nos despedir agora, porque você só vai viver mais uma semana e não vamos nos encontrar de novo. A propósito, o que pretende fazer nesses últimos dias que lhe restam? - Ser útil! Pelo menos quero tentar fazer com que minha existência seja de alguma utilidade para alguém. Não sei bem como concretizar isso, mas quero aproveitar todas as oportunidades que Meishu-Sama colocar no meu caminho para que, fazendo alguém feliz, minha própria vida tenha sentido e eu tenha cumprido pelo menos um pouquinho da missão que ele me deu, como seu discípulo. Se eu conseguir isso, já estarei vivendo no Paraíso, mesmo que seja só por uma semana - concluiu o jovem. Temos um encontro marcado dia 10 de junho, às 10 horas, no Solo Sagrado de Guarapiranga. Vamos comemorar uma das datas magnas do calendário messiânico - o Culto do Paraíso Terrestre. Que tal apresentarmos a Meishu-Sama o pedacinho de Paraíso que já conseguimos conquistar por meio da prática dos seus Ensinamentos e do cumprimento das orientações e tarefas que temos recebido de Kyoshu-Sama, do Revmo. Tetsuo Watanabe e dos nossos orientadores mais próximos? Vamos mostrar que, para nós, o Paraíso não é um dia isolado encravado no meio de um ano qualquer. Se ele é uma questão de tempo, então, é agora! Se é uma questão de sentimento, de postura na fé, então, ele é sempre! Acesse nossos sites:

Publicação mensal da Igreja Messiânica Mundial do Brasil Ano IV - nº 53 - ISSN 2177-7462 Elaboração: Divisão de Comunicação da Igreja Messiânica Mundial do Brasil Diretor da Divisão: Rev. Mitsuaki Manabe Jornalista responsável: Antonio Ramos de Queiroz Filho (MTb 21898) E-mail: ascom@messianica.org.br Edição de Arte: Kioshi Hashimoto Redação: Marcelo Falsarella e Lúcia Martuscelli Revisão: Ivna Fuchigami Fotografia: Ricardo Fuchigami Colaboradores: Rosana Cavalcanti, Kelly Mello, Fernanda Silvestre (redação); Tony Tajima, Alecssandro Lima, Camila Rossetti, Rodrigo Cardoso e Daniela da Silva (fotografia); Juhi Lee (ilustração) Produção: Fundação Mokiti Okada - M.O.A. Redação e Administração: Rua Morgado de Mateus, 77 – 1º andar – CEP 04015-050

4 – MAIO / 2012

www.messianica.org.br

www.fmo.org.br

www.korin.com.br

www.kmambiente.com.br

www.planetaazul.com.br

www.faculdademessianica.edu.br

Vila Mariana – São Paulo – SP – Tel. 11 5087-5078 Tiragem: 82.180 exemplares Impressão: Editora Abril

Coordenação de produção e impressão:

www.fmo.org.br

Rua Morgado de Matheus, 77 – 4º andar CEP 04015-050 – Vila Mariana – São Paulo – SP Tel. 11 5087-5030

SEKAI KYUSEI KYO IZUNOME

www.solosagrado.org.br

www.johvem.com.br

www.izunome.jp


IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL DO BRASIL

IIZUNOME IZ ZU UN NO OM ME

ENSINAMENTO DO MÊS

A respeito do espírito da

PALAVRA

N

a Bíblia está escrito: “No princípio era o Verbo. Todas as coisas foram feitas por ele”. Isso se refere à ação do espírito da palavra. Começare explicando o significado fundamental desrei s expressão. sa A palavra, naturalmente, é constituída e emitida pela ação da voz, da língua, dos lábios e do maxilar inferior, mas a origem dessa emissão, não resta dúvida, é o pensamento, que se manifesta em forma de palavras. O pensamento é a manifestação da vontade. Suponhamos que surja no homem alguma vo vontade. Para manifestá-la através de palavras, o pensamento t entra em ação. Naturalmente, na ação do pensamento ocorre o discernimento do correto e do incorreto, do bem e do mal, do sucesso e do insucesso etc. O conjunto disso é a inteligência, e sua manifestação é o espírito da palavra; a materialização do espírito da palavra é a ação. Baseados nesse princípio, não estaremos equivocados se dissermos que existem três níveis: pensamento, espírito da palavra e ação. Assim, o pensamento está ligado ao mundo espiritual; o espírito da palavra, ao mundo do espírito da palavra; a ação, ao mundo material. Isto é, o espírito da palavra fica entre o oculto e o manifesto. Pode-se dizer que ele é mediador entre o pensamento e a ação. Através disso, poderão compreender quão importante é o seu papel. O espírito da palavra é semelhante a uma marionete: a manifestação da alma ou do espírito fica à sua mercê. Irritar as pessoas ou fazêlas rir, preocupá-las ou tranquilizá-las, entristecê-las ou alegrá-las, provocar conflitos ou paz, obter sucesso ou insucesso, tudo depende do espírito da palavra. Usá-lo de forma leviana é muito perigoso. Por outro lado, apenas manejar habilmente o espírito da palavra não passaria de uma simples técnica. A pessoa se assemelharia a um humorista, comediante ou comentarista. Se na base do espírito da palavra não houver força para a manifestação de um grande poder, não há qualquer sentido. Mas, tratando-se de força, existe a benigna e a maligna. Ou seja, o espírito das palavras malignas constitui pecado, e o espírito das palavras benignas constitui virtude. Assim, o homem deve se esforçar para usar o espírito das palavras benignas. Nestas, evidentemente, o fundamental é o “makoto”, que se origina de Deus. Portanto, não há outro recurso senão reconhecer a existência de Deus. Se a pessoa não for religiosa, não conseguirá manifestar o verdadeiro makoto, e por isso não se manifestará a força benigna no espírito da palavra. Meishu-Sama em 1950 Extraído do Livro “Alicerce do Paraíso”, vol. 4 MAIO / 2012 –

5


IZUNOME

CULTO MENSAL DE AGRADECIMENTO

Todos os messiânicos devem se tornar

divulgadores Saudação do Revmo. Tetsuo Watanabe, presidente mundial da IMM Solo Sagrado de Guarapiranga 1º de maio de 2012 Reverendíssimo Tetsuo Watanabe.

Reverendo Hidenari Hayashi.

Na saudação que dirigiu aos participantes do Culto Mensal de Agradecimento de maio, realizado no dia 1º no Solo Sagrado de Guarapiranga, o presidente da Igreja Messiânica Mundial do Brasil, Rev. Hidenari Hayashi, felicitou os 93 novos ministros assistentes brasileiros que foram outorgados na ocasião, juntamente com uma missionária do Chile e outra da Bolívia. O presidente da IMMB também apresentou os 41 caravanistas do exterior, representantes de 12 países: Angola, Portugal, Inglaterra, Argentina, Bolívia, Chile, Costa Rica, Colômbia, Peru, Uruguai, Venezuela e Japão, além de comunicar a realização, no dia 27, da primeira cerimônia de formatura da Faculdade Messiânica, e da Conferência Johvem 2012, evento realizado no dia 30, que contou com a participação de cerca de 1.300 pessoas. Em seguida, convidou o presidente mundial da Igreja, Revmo. Tetsuo Watanabe, a dirigir sua saudação e orientação aos messiânicos. Eis a íntegra das palavras do Revmo. Watanabe.

6 – MAIO / 2012

B

om-dia a todos! Estão passando bem? Hoje, é a primeira vez neste ano que estou me encontrando com os senhores. Estava com tanta saudade... Em fevereiro não pude vir ao Brasil, porque estive acompanhando Kyoshu-Sama em sua primeira viagem missionária à Tailândia. Lá no Solo Sagrado de Saraburi, reuniram-se mais de 30 mil messiânicos, que ouviram a orientação de Kyoshu-Sama num ambiente de muita fé e alegria. Kyoshu-Sama mandou um grande abraço a todos os senhores! Bem, cheguei na semana passada no Brasil e já participei de dois eventos: a cerimônia de colação de grau dos formandos da Faculdade Messiânica e a Conferência Nacional Johvem. Ouvi, também, muitos relatórios sobre as atividades que os senhores estão desenvolvendo. Soube que todos estão se empenhando para se tornar o número um da felicidade de uma pessoa, não é? Com isso, está aumentando cada vez mais o número de pioneiros da salvação em todo o Brasil. Meus parabéns!


CULTO MENSAL DE AGRADECIMENTO

IIZUNOME IZ ZUN UNO OM ME

do bem Hoje, eu queria falar sobre um ponto muito interessante. Quando comecei a trabalhar na difusão pioneira, sofri muito com as fofocas... Como existe fofoqueiro! Há pessoas que gostam de ouvir uma fofoquinha, não acham? É lógico que não é o caso dos senhores. Porém, existe fofoqueiro de plantão... até rede de fofocas... um esperando o outro falar de alguém, para depois repassar para o outro... Fofoca é assim: se uma pessoa fala mal da outra, quem ouve sempre acrescenta alguma coisa... Esse peixinho da fofoca vai nadando, nadando... e cada vez que anda na boca dos outros, vai crescendo, crescendo... até ficar do tamanho de uma baleia. Não é assim? Então, para purificar essas fofocas que andam por aí, hoje eu gostaria de pedir que todos os messiânicos Rev. Hidenari Hayashi outorgou novos também se tornassem granministros assistentes logo após o Culto. des fofoqueiros! Mas não podem ser fofoconfiança do fofoqueiro. É assim que queiros comuns, não... Prefunciona a fofoca do bem: encontrar cisam tornar-se fofoqueiros pontos positivos em alguém e contar do bem, que espalham só às outras pessoas. Esta prática até vai coisas boas de outras pesse tornar uma virtude oculta. soas. Por exemplo, o pai pode comentar Pensem um pouco: se alcom o filho, depois do almoço: “Viu guém vem falar mal de outra pessoa, a gente não se como a comida que a mamãe fez estava gostosa? Ela sente bem, não é? Podemos pensar: “Se esta pessoa cozinha muito bem, não acha?” A mãe, ouvindo isso, fala mal de todo mundo, acho que vai falar mal de vai ficar feliz e motivada. mim também pelas minhas costas… Não posso conOu então, contar a um funcionário: “Olha, o seu fiar numa pessoa assim...” chefe me disse que está gostando muito do seu traO que precisamos fazer é deixá-la falar... Ouça balho...” Ouvindo isso, as críticas que ele tem em bastante e depois fale: “Olha, pode ser que essa pes- relação ao chefe vão diminuir, e ele também vai passoa seja assim, mas também existe outro lado, posi- sar a se dedicar mais ao trabalho, para ganhar mais tivo... Por exemplo, ele é confiança... é assim que chato, mas tem um corao ambiente espiritual do ção muito bom...” lar ou do trabalho vai Aí o fofoqueiro vai fimelhorar. Isso é a fofoca car desarmado. E ainda: do bem. você pode virar o jogo Para descobrir um e ele começar a pensar: ponto positivo de al“Puxa, se ele consegue guém, eu tenho uma encontrar pontos positiexperiência que vivi 40 vos em outras pessoas, anos atrás que gostaria deve também achar alde relatar aos senhores. gum ponto positivo em Um missionário veio mim... quero ser amigo me falar: “Sensei, tem dele!” um membro que estou Assim, ganhamos a acompanhando que só Johrei: prática diária e constante dos messiânicos. MAIO / 2012 –

7


IZUNOME

CULTO MENSAL DE AGRADECIMENTO

tem ponto negativo... Eu digo a ele: “Você tem que melhorar isso, tem que melhorar aquilo...”, mas ele nunca melhora... o que vou fazer com ele?” Então, eu peguei um oshibori e respondi: “Está vendo este oshibori? Essa parte maior que você está vendo é a parte negativa dele. Você está preso só nesta parte maior... Essa parte menor é a parte positiva dele, que você quase não vê, não repara. Mas, se puxar essa parte menor, ela vai ficando maior, e a outra parte que estava maior vai ficando menor... Ou seja, quando puxa a parte positiva ela fica maior, e a parte negativa, ao mesmo tempo, vai ficando menor, não é? Então, é isso que tem que fazer: puxar a parte positiva e, automaticamente, a negativa vai sumir...” Ele perguntou: “Mas como eu faço para puxar a parte positiva?” Respondi: “Simples! Primeiro tem que descobrir e reconhecer algum ponto positivo nele. Depois, faça um elogio, mesmo que esse ponto seja pequeno. É assim que se puxa a parte positiva.” Um mês depois, esse missionário veio falar comigo de novo: “Sensei, aconteceu uma coisa inacreditável! Sabe aquela pessoa que só tinha defeitos e não prestava para nada? Então, eu procurei praticar o que o senhor me ensinou… olhei, observei e consegui descobrir um pontinho positivo nele. Reconheci isso e, depois, elogiei esse ponto dele... Nossa! Ele mudou da água para o vinho! Em um mês, mudou completamente.” Quando ouvi isso, fiquei muito feliz! Na verdade, ninguém muda da água para o vinho em apenas um mês... é muito difícil! O que aconteceu? Não foi aquele membro que mudou: foi o ponto de vista do missionário, quando começou a procurar um ponto positivo naquele membro. Assim, para puxar o positivo, precisa primeiro descobrir, depois reconhecer e, então, elogiar. Sem descobrir o ponto positivo e sem reconhecê-lo, não vai dar certo... porque se só elogiamos da boca

8 – MAIO / 2012

Messiânicos de 12 países participaram do Culto de Agradecimento de maio.

para fora, vira puxa-saquismo ou deboche. Quem consegue descobrir um

ponto positivo em alguém e reconhece isso, encontra as palavras certas para elogiar. Não pode elogiar de qualquer jeito. É importante saber que, quando puxamos um ponto negativo de alguém, estamos puxando também nosso próprio ponto negativo. Por outro lado, quando puxamos o ponto positivo, estamos puxando nosso próprio ponto positivo. É a mesma coisa: Meishu-Sama ensina que gratidão gera gratidão e lamúria gera lamúria. Ou seja, positivo gera positivo e negativo gera negativo... tudo depende do seu sonen! Se todos os dias cada um dos senhores descobrir um ponto positivo de uma pessoa, reconhecer isso e depois elogiar, em um mês vai mudar todo o ambiente espiritual de onde você estiver... vai transformar o seu lar, o seu Johrei Center, o seu local de trabalho, tudo à sua volta! Esta é a melhor maneira de educar os filhos, por exemplo. Se pegar só o ponto negativo da criança, não vai melhorar nada... Pense: “Ele também tem algum ponto positivo...” É preciso descobrir esse ponto, reconhecê-lo e começar a elogiar. Aí, com certeza, o filho vai melhorar! Isso também é um dos treinamentos para ganhar condição para se tornar um pioneiro da salvação, o número um da felicidade de uma pessoa! Então, vamos fazer essa prática? Muito obrigado. Boa missão a todos!


CULTO DO PRESIDÊNCIA PARAÍSO TERRESTRE MUNDIAL

IZUNOME

SIGNIFICADO DO CULTO DO PARAÍSO TERRESTRE

O dia do nascimento do

Paraíso na Terra

N

a madrugada do dia 15 de junho de 1931, Meishu-Sama escalou o Monte Nokoguiri, localizado na província de Chiba, Japão. Ao nascer do sol, junto com a comitiva de trinta pessoas que o acompanhavam, entoou a oração Amatsu Norito e percebeu a revelação sobre a grande mudança que se iniciava, a partir daquele momento, no Mundo Espiritual. A esta mudança denominou Transição da Noite para o Dia. O nome “Culto do Paraíso Terrestre”, entretanto, remonta ao Culto Comemorativo da Conclusão do Paraíso Terrestre de Hakone, a Terra Divina, realizado por Meishu-Sama, em 15 de junho de 1953. Sobre o significado da conclusão dessa obra, ele nos deixou as seguintes palavras: “O fato da Terra Divina ter ficado pronta significa que ficou pronto também o primeiro modelo do Paraíso Terrestre. Este modelo se ampliará gradualmente e, quando alcançar o âmbito mundial, o Paraíso Terrestre se concretizará” e ainda, “[...]como a conclusão do Paraíso Terrestre da Terra Divina simboliza o próprio nascimento do paraíso na Terra, creio que, por se tratar de um dos eventos mais auspiciosos ocorridos desde o início dos tempos, este dia será comemorado mundialmente por toda a eternidade. Por isso, é provável que, futuramente, o dia 15 de junho venha a se tornar o dia do Culto de Nascimento do Paraíso Terrestre.[...]”. Portanto, esta é a origem do nome do Culto do Paraíso Terrestre. Neste dia, além da revelação

Divina sobre a transição da Noite para o Dia, podemos comemorar o nascimento do Paraíso na Terra, que, apesar de pequenino, traz em si a missão de servir como o modelo a partir do qual o Paraíso se estenderá ao mundo todo. Neste dia, agradecemos, ainda, a permissão de participar da Divina obra de construção do Paraíso Terrestre, buscando tornar-nos um modelo de ser humano paradisíaco e empenhando-nos na concretização e na ampliação dos modelos do Paraíso Terrestre. Fatos importantes para a Obra Divina ocorridos no dia 15 de junho 1931 – Revelação sobre a transição da Era da Noite para a era do Dia no mundo espiritual; 1950 – Meishu-Sama alcança o estado de união com Deus; 1951 – Durante a cerimônia de inauguração das ampliações do Nikkoden, em Hakone, MeishuSama comemorou, pela primeira vez, o 15 de junho, pois, da parte de Deus, havia uma razão especial para isso: daquele data em diante, o “dia” estava começando a raiar no mundo material também; 1952 – Abertura do Museu de Arte de Hakone, que representou a conclusão da 1ª etapa do Protótipo do Paraíso Terrestre da Terra Divina; 1953 – Culto Comemorativo da Conclusão do Paraíso Terrestre de Hakone, a Terra Divina; 1954 – Cerimônia de Comemoração Provisória da Vinda do Messias, em Atami. Fonte: Livro Luz do Oriente - biografia de Meishu-Sama. MAIO / 2012 –

9


IZUNOME

EXPERIÊNCIA NA PRÁTICA DA FÉ

Rumo ao Japão através da atuação do

Plano Divino

M

eu nome é Janda Thibes e sou messiânica há sete anos. Ouvi falar sobre o Johrei pela primeira vez em abril de 2004, quando estava em uma das clínicas que frequentava devido aos tratamentos para as fortes dores de cabeça que sentia. Uma paciente me perguntou se eu conhecia o Johrei e pediu meu telefone para me informar posteriormente qual seria o local mais próximo de minha residência. Três meses depois, quando saía de mais uma clínica, desta vez no bairro de Santana, resolvi voltar por um caminho diferente. Ao parar em uma esquina, avistei uma placa do Johrei e, em tom de surpresa, disse à minha filha: “Vamos lá! É isso que estou procurando”. Na frente da casa, havia um senhor de cabelos branquinhos que, gentilmente, nos perguntou se conhecíamos o Johrei e nos convidou a entrar. Entrei e ele já nos conduziu ao altar; abriu as cortinas e apresentou o Messias Meishu-Sama. Em seguida, nos chamou para recebermos Johrei. Durante meu primeiro Johrei, em julho de 2004, senti uma vontade imensa de estar no lugar dos ministrantes e fiquei ansiosa pelo término da ministração. Em seguida, fui de imediato perguntar ao plantonista o que eu teria de fazer para ser um deles. Enquanto aguardava as explicações, vi um quadro com a foto do Solo Sagrado de Guarapiranga e pedi orientações sobre como chegar àquele local tão maravilhoso. Na época, meus filhos estavam morando com o pai, no interior de São Paulo, em razão do meu trabalho ser itinerante e eu necessitar me deslocar por várias cidades do Estado. Ao chegar em casa, liguei para eles e pedi que viessem a São Paulo para fazermos um lindo passeio. Meus filhos estenderam o convite à minha mãe, que também mora no interior e, para minha surpresa, ela veio com eles. Então, em julho de 2004, fomos todos para o Solo Sagrado, ficando maravilhados com o local. Em agosto, iniciei as aulas de princípios messiânicos e tive a permissão de ser outorgada no dia 18 dezembro de 2004. No ano seguinte, em março, as purificações começaram a se manifestar e acabei me separando do meu marido, devido a conflitos que foram se intensificando. Foi uma fase muito difícil para os meus filhos. No trabalho, o ambiente era muito tenso, em razão da privatização da empresa. Assim, devido às demissões serem feitas sem nenhum critério, acabei, por todas as situações que estava vivendo, entrando

10 – MAIO / 2012

Janda Thibes.

em depressão profunda. Isso ocasionou síndrome do pânico e a necessidade de eu ser submetida a tratamento psiquiátrico. No final de 2006, fui demitida, sem receber qualquer indenização. Com todas essas purificações, fui buscar explicações com a ministra responsável. Ela me disse que tudo isso tinha uma razão de ser, para que, por meio dessa limpeza, eu conseguisse evoluir e encontrar a verdadeira felicidade. Então, recebi orientações para priorizar a dedicação, com dia e horário determinados. Eu deveria priorizar os compromissos com a parte espiritual, fortalecer minha prática do Johrei e do sonen e me empenhar na leitura dos Ensinamentos. Também deveria me esforçar para oferecer um donativo de gratidão pela indenização que não tinha recebido. Colocando em prática todas as orientações, assumi uma vez por semana um plantão no Johrei Center. Quatro meses depois, assumi uma dedicação na liturgia. Comecei a fazer reunião de Johrei em meu lar e acompanhamento de pessoas que estavam purificando. Uma vez por semana, passei a confeccionar e distribuir minibana no Juizado Especial em que atuava como conciliadora voluntária, pois sou advogada. Além de organizar meu Sorei-Saishi, fiz correções na grafia do sobrenome da linhagem de minha mãe, respeitando a Lei da Ordem, isto é, iniciando pelo meu avô materno, falecido há mais de 40 anos. A referida correção deu-se em razão de meus antepassados serem de ascendência alemã e, devido à grafia incorreta, estava cultuando a outra linhagem. Fui ao Solo Sagrado de Guarapiranga e, no altar, agradeci a permissão de ter cultuado esses antepas-


EXPERIÊNCIA NA PRÁTICA DA FÉ

MAIO / 2012 –

11

IZUNOME

sados até aquele momento e pedi perdão aos de na- go, que é frequentador e que por ter acompanhado cionalidade alemã, agradecendo pela compreensão. minha transformação, ficou motivado e decidiu Pedi permissão a Deus e a Meishu-Sama para con- peregrinar conosco. Assim, no dia 20 de março de cluir todos os acertos. 2012, tivemos a permissão de partir para o Japão. Assim, os milagres começaram a acontecer a partir A sensação de pisar ali foi realmente indescritível. do momento em que coloquei Deus em primeiro lugar. O primeiro Solo que visitamos foi o de Kyoto. Assim Minha depressão e a síndrome do pânico foram que entramos na nave, algumas pessoas da caravana superadas totalmente com as práticas messiânicas. se emocionaram bastante, até às lágrimas. A força e a Meus filhos, que acompanharam todas minhas pu- beleza do local são indescritíveis. Quando fizemos a rificações e superações, por intermédio das reuniões oração, aquilo nos envolveu de tal forma que eu não de Johrei realizadas em meu lar, despertaram para saberia descrever! ingressar na fé em outubro de 2008. Depois fomos para Atami, onde senti que a beleza Em outubro de 2010, mês do meu aniversário, re- era ainda maior: o Museu de Arte, o culto, tudo era cebi minha indenização do trabalho e, como agrade- belo. Todavia, o Solo Sagrado que mais me tocou recimento, ofereci o donativo de gratidão especial no almente foi Hakone! Ali senti Meishu-Sama de uma Natalício de Meishu-Sama. Nesse momento, desper- forma tão forte, que quase pensei que poderia vê-lo tou em mim o desejo de peregrinar aos Solos Sagrados a qualquer momento! Lá, conhecemos o reverendo do Japão em marHayashi Nakai, ço de 2011, para que conviveu agradecer por com Meishu-Satodas as bênçãos ma e preparava que estavam ocoras tintas para ele rendo em minha fazer as caligravida. Contudo, fias e os ohikari. devido ao tsunami Ele nos contou que ocorreu em toda sua vida janeiro, a viagem perto do Mesnão foi possível. sias, e esse moAssim, partimento foi muito cipei das aulas de forte. aprimoramento O templo, as para caravanistas montanhas, o Seno Johrei Center pulcro Sagrado, Tucuruvi, enreceber Johrei quanto aguardado reverendo va o reinício das Nakai no mesinscrições para mo ambiente a peregrinação. em que MeishuRealmente, pude Janda, a mãe, sra. Maria Maier, e Hidero Tadashi, frequentador. Ele decidiu peregrinar Sama ministrava aos Solos Sagrados do Japão por testemunhar as mudanças na vida de Janda. perceber que não e orientava os ter ido foi impormembros, tudo tante para poder me preparar espiritualmente, pois foi extremamente emocionante. indo aos encontros semanais, fui aprendendo o verAssim, pude agradecer de todo meu coração a perdadeiro significado dos Solos Sagrados e fortalecen- missão de estar lá vivendo essa emoção, pois tive a do ainda mais esse desejo. Isso me despertou para certeza que minha ida ao Japão foi atuação do plano convidar também minha mãe, que sempre esteve do divino. meu lado, acompanhando todas as purificações que Refleti mais profundamente sobre a minha miseu havia enfrentado e as transformações ocorridas. são como messiânica, pois senti que a força da Luz Assim, conversei com ela, para expor meu desejo. do Japão é tão imensa que faz com que nossa alma Como ela já vinha lendo a revista IZUNOME e seja purificada a ponto de sentirmos realmente a imtambém algumas apostilas sobre os Solos Sagrados portância de levarmos o Paraíso a todas as pessoas. e o resumo da biografia de Meishu-Sama, ficou en- Assim, retornei com o firme propósito de me empetusiasmada e bastante curiosa, mesmo com seus 82 nhar ainda mais, colocando em prática as orientações anos de vivência. Ela, que já tinha feito peregrina- e todos os Ensinamentos vivenciados. ção à Terra Santa de Jerusalém, conhecendo os loSei que assumi uma grande responsabilidade e cais por onde passou Jesus Cristo, disse que queria diariamente agradeço a Deus, a Meishu-Sama e aos conhecer quem era de verdade Meishu-Sama, para meus antepassados. Estes me elegeram para represaber qual era a fonte de onde emanava a Luz desta sentá-los, tornando-me, assim, cada vez mais útil à religião que tanto me transformara. Além de mi- Obra Divina. nha mãe, tive a permissão de levar um grande amiMuito obrigada.


IZUNOME

TRONO DE KYOSHU

Cinquentenário da ascensão de

Nid

Uma das primeiras iniciativas de Nidai-Sama, ao assumir o Trono de Kyoshu, foi estabelecer uma nova visão acerca do Johrei, que, na época, era visto com restrições.

Estabelecimento da visão sobre o Johrei

D

evido à disseminação da visão tradicional sobre o Johrei, a Igreja Messiânica foi muito mal interpretada pelas autoridades e pelas pessoas de fora da Igreja, sendo considerada uma religião que recusa o tratamento médico, chegando a ponto de ser impedida de realizar suas atividades principais. Isso levou Nidai-Sama a apresentar a todos os messiânicos uma nova visão acerca do Johrei, para que não se gerassem mais transtornos para o mundo das religiões. Ela definiu o Johrei como o ato da materialização do sentimento mais nobre de MeishuSama de querer salvar a humanidade. O Johrei não tinha como objetivo somente a cura das doenças, mas também visava revelar a existência de Deus e ser a principal ferramenta que promoverá a construção do Paraíso Terrestre. Além disso, Nidai-Sama institucionalizou que a fé começa e termina com oração e que o ponto

12 – MAIO / 2012

Nidai-Sama (Yoshi Okada). Abaixo, cortejo da cerimônia de entronização do novo altar no Santuário do Templo Messiânico, em Atami.

principal é que a oração deve ser praticada com ordem e disciplina. Ela enfatizou que orar com fervor e voltar seu coração com sinceri-

dade para Deus são atos maravilhosos e corretos. A fim de que o Johrei fosse compreendido a fundo, Nidai-Sama realizou aprimoramentos para os ministros, aos quais ela mesma deu inúmeras orientações. Também convidou cientistas da religião para palestrar, a fim de desenvolver o senso comum desses missionários perante a sociedade. E mais: esclareceu o verdadeiro significado dos cultos e definiu a forma de realizar o cerimonial litúrgico e o registro dos ancestrais e antepassados. Em 1958, no Solo Sagrado de Hakone, foi realizado o Culto aos Antepassados, por ocasião da conclusão da construção do Santuário dos Antepassados. Além disso, para fortalecer o vínculo de cooperação entre as Igrejas Regionais, que, na época, possuíam personalidade jurídica independen-


TRONO DE KYOSHU

IZUNOME

ai-Sama parte 2

Viagens missionárias: contato direto com os membros.

A oração deve ser praticada com ordem e disciplina.

te, foi criado o setor de ensino em cada Igreja Regional para funcionar como extensão do departamento de ensino da Sede Geral. Com essa implantação, ampliou-se o intercâmbio entre os jovens das várias Igrejas. Em 1959, formou-se a Associação de Jovens da Igreja Messiânica. Construir é ordem suprema de Deus A construção do Santuário Messiânico* no Solo Sagrado de Atami é a obra sublime realizada em vida por Nidai-Sama. Em 1956, ela assim se expressou: “O altar existente hoje no Templo Messiânico é um altar provisório. Sendo um altar provisório, significa que a força de Deus também é provisória. Somente quando o altar definitivo for construído é que Deus manifestará toda Sua força original. A mis-

Nidai-Sama em confraternização com líderes de outras religiões.

são atribuída à Igreja Messiânica terá seu nível elevado e as bênçãos divinas aumentarão.” Quando Nida-Sama proferiu essas palavras, não havia passado muito tempo desde a ascensão de Meishu-Sama, período em que as atividades de expansão estavam paradas e a vontade de dedicar dos fiéis havia diminuído. Mas NidaiSama estimulou os executivos e diretores da Igreja dizendo: “Independentemente do que aconteça, até que o desejo de Meishu-Sama esteja concretizado, precisamos ter a coragem de executá-lo, mesmo que passemos por dificuldades. [...] A construção do Santuário é uma ordem suprema de Deus. Se nos empenharmos com harmonia e orações, conseguiremos cumprila. Só não o conseguiremos, se não começarmos a agir!” Enfim, as obras de construção

começaram, mas o capital era insuficiente. As minas Minakami e Guero, que Meishu-Sama administrava nas províncias de Gunma e Guifu, respectivamente, foram vendidas, assim como o terreno do Zuisenkyo, localizado na cidade de Atami. Mesmo assim, no final do ano de 1956, o capital estava com um déficit de um milhão e quinhentos mil ienes. Os diretores colocaram dinheiro do próprio bolso para cobrir esse déficit e implantaram o plano de corte de despesas, simplificando ao máximo os serviços administrativos e repensando a contratação de novos funcionários para o ano seguinte. * O Santuário é o prédio contíguo ao Templo Messiânico, onde está entronizado o Altar.

Continua no próximo número... MAIO / 2012 –

13


IZUNOME

EXPANSÃO

A 8ª Conferência Nacional Johvem foi realizada no Hotel Transamérica no dia 30 de abril e contou com a presença de aproximadamente 1.400 pessoas entre reverendos, ministros e líderes jovens de todo o Brasil. A Banda da Polícia Militar do Estado de São Paulo, regida pe pel p ello ssegundo-tenente Jássen Feliciano, pelo an a antes do início oficial do evento, rrecebeu os jovens, tocando músicas da banda Roupa Nova. Em seguida, às 9 horas, horário oficial do início do evento, eexecutou o Hino Nacional.

Secretaria Johvem realiza

8… Conferência Nacional

A

8ª Conferência Nacional Johvem foi realizada no Hotel Transamérica no dia 30 de abril e contou com a presença de aproximadamente 1.400 pessoas entre reverendos, ministros e líderes jovens de todo o Brasil. A Banda da Polícia Militar do Estado de São Paulo, regida pelo segundo-tenente Jássen Feliciano, antes do início oficial do evento, recebeu os jovens, tocando músicas da banda Roupa Nova. Em seguida, às 9 horas, horário oficial do início do evento, executou o Hino Nacional. Após a apresentação das caravanas, o responsável pela Secretaria Johvem, ministro Edson Matsui, saudou os participantes. Em nome do diretor de expansão da Igreja Messiânica do Brasil, reverendo Mitsuaki Manabe, ele agradeceu a presença de todos e apresentou as caravanas do exterior, os ministros responsáveis pelas áreas e pelos Johrei Centers bem como os coordenadores de jovens e os Banda da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

14 – MAIO / 2012

assistentes de formação que atuam por meio das ações da Secretaria Johvem da IMMB. “Desejo um ótimo dia e aprendizado a todos”, finalizou ele. Seguindo a programação, o evento apresentou um canal de comunicação da Secretaria Johvem com os jovens na rede social: o Facebook. A página da 8ª Conferência no Facebook foi lançada no início de abril com o objetivo de preparar os jovens para o lançamento oficial da fanpage Johvem no dia do evento e motivá-los a participar do hotsite sobre a conferência deste ano. Os jovens, durante o encontro, puderam entrar na página do facebook, twitter e no hotsite da Conferência para publicar mensagens e curtir as atrações e palestras que aconteceriam no dia. O presidente da Igreja Messiânica Mundial do Brasil, reverendo Hidenari Hayashi, fez uma breve


EXPANSÃO

IZUNOME

Min. Henrique de Castro Silva.

Elizabeth Savalla e Revmo. Watanabe.

saudação, relatando que, por intermédio dos relatórios recebidos, identificou que os jovens vêm praticando as orientações de Kyoshu-Sama (líder espiritual) e do reverendíssimo Tetsuo Watanabe de se tornarem o número um na vida de uma pessoa. O jovem ministro Henrique de Castro Silva, da Região São Paulo Litoral, relatou sua experiência de fé. Henrique contou sua trajetória, desde as graves purificações provocadas pela depressão e síndrome do pânico até sua chegada à Igreja Messiânica, encaminhado pela amiga de sua mãe. Identificando-se com a religião, recebendo Johrei todos os dias e sendo acompanhado por um missionário, Henrique recebeu o Ohikari em 2003 e, desde então, veio se empenhando em sua dedicação, inicialmente cuidando de um setor com 60 pessoas. Recém-outorgado ministro, seu desejo em servir a Meishu-Sama é ainda maior: “Aprendi com tudo o que vivi, que, sendo útil, qualquer pessoa pode ser salva”, afirmou. O presidente mundial da Igreja Messiânica, reverendíssimo Tetsuo Watanabe, falou sobre sua felicidade de estar presente à conferência. Ele contou como conheceu a atriz messiânica Elizabeth Savalla, parabenizou o jovem Henrique de Castro Silva pelo relato de sua experiência de fé e comentou o processo de difusão no Rio de Janeiro. As diferenças entre a habilitação e a qualificação de pessoas com relação ao estudo religioso e outros assuntos foram abordados por ele. “Qualificação só se adquire com a prática”, relatou. O presidente mundial manifestou sua preocupação com a extinção da raça humana, com a monocultura, com a destruição do meio ambiente e com o aquecimento global. Para a preservação da saúde e a aplicação da coluna de salvação, o reverendíssimo pediu para que todos se empenhassem em consumir produtos naturais, pois são nutritivos e ricos em minerais. Ele citou a expansão da empresa Korin, que comercializa produtos orgânicos, e também fez um apelo para que as pessoas praticassem a agricultura natural por meio da horta caseira. Para alegrar e esquentar ainda mais o ambiente, a banda cover dos garotos de Liverpool, Beatles 4ever, tocou sucessos como: “I Wanna Hold your hand”, “She loves you”, “Mr. Postman” “Twist and Shout” e “Help”, contagiando todos os presentes. Outro momento marcante foi o relato da atriz Elizabeth Savalla sobre como conheceu a Igreja Messiânica, sua experiência de fé por meio do Johrei e sua

Mami Asano: difusão de ações altruístas.

convivência com os membros e ministros pioneiros da Obra Divina no Brasil. Além desses pontos, ela enfatizou a importância de os jovens se empenharem pela felicidade de outras pessoas. A Secretaria Johvem realizou uma pesquisa no início deste ano sobre as preferências dos jovens em quesitos como emprego, vida afetiva, hábitos de leitura e cultura, objetivos de vida, religiosidade e o uso de redes sociais. A enquete teve o objetivo de servir como material de estudo para mostrar as necessidades dos jovens messiânicos, tanto dentro dos programas de formação, quanto no dia a dia desses missionários nas unidades religiosas, permitindo à Secretaria Johvem desenvolver e aprimorar suas atividades. O vice-presidente da Igreja Messiânica Mundial do Brasil, reverendo Mitsuaki Manabe, agradeceu os responsáveis de Johrei Center de todo o Brasil pelo desenvolvimento das atividades em sintonia com a Secretaria de Expansão da IMMB. A importância da qualificação dos jovens para atuação na sociedade foi uma das observações feita pelo vice-presidente. Ele ainda deixou algumas dicas para colocar em prática o sonho de Meishu-Sama, que é a salvação da humanidade por meio das três colunas: Johrei, Agricultura Natural e Belo. “Tudo começa com a vontade. Em seguida, precisamos ter coragem para apostar neste caminho”, ressaltou ele. Com o princípio de que tudo na vida começa pelas pequenas coisas, o reverendo Manabe apresentou a jovem japonesa, Mami Asano, que contou como consergani guiu fundar uma organiutras zação para ajudar outras médio pessoas por intermédio ltrude pequenas ações altrunstiístas aplicadas na instituição de ensino em que estudava. ceAo término, o vicera presidente pediu para sque os jovens refletism sem sobre o que podem colocar em prática,, dentro do alcance de cada um, para contribuir para a felicidade do próximo. Página da Secretaria Johvem no Facebook. MAIO / 2012 –

15


IZUNOME

EXPANSÃO

IMMB divulgará programação de “Estou construindo o protótipo do Paraíso para que as pessoas exaustas deste mundo nele possam descansar serenamente.”

carav

Meishu-Sama

Colunatas do Templo Messiânico, no Solo Sagrado de Atami. Ao fundo, a Baía de Sagami.

A

IMMB divulgará, em julho próximo, a programação das caravanas missionárias aos Solos Sagrados do Japão de 2013. Devido ao grande empenho de inúmeros messiânicos, foram preenchidas todas as vagas disponíveis para as doze caravanas de 2012. No total, serão, aproximadamente, 579 participantes. As peregrinações têm como objetivos apresentar às pessoas os Solos Sagrados de Hakone, de Atami e de Kyoto e proporcionar-lhes uma compreensão mais ampla dos Ensinamentos de Meishu-Sama e, consequentemente, melhor dedicação na Obra Divina. Tratase, portanto, de uma permissão muito especial. Nos Solos Sagrados, os caravanistas participam dos cultos, recebem orientações, assistem aos aprimoramentos com reverendos que conviveram com MeishuSama, veem os objetos pessoais do Mestre, conhecem os museus, dedicam, entre outras ativida-

16 – MAIO / 2012

des. Eles visitam ainda os locais sagrados (o monumento erguido no topo do Monte Nokoguiri e o construído no lugar em que Meishu-Sama nasceu) e outros pontos turísticos. Cada caravana conta com até 50 pessoas. Em virtude das várias atividades, a boa saúde física e a facilidade de andar por diversos locais também são muito importantes. Para integrar a caravana, os interessados devem cumprir, entre outras, as seguintes etapas:  Conversar com o responsável do Johrei Center;  Preencher a ficha de inscrição, passada por ele;  Estar com o passaporte, cujo prazo de validade tem que ser, no mínimo, seis meses maior do que a data do início da viagem;  Apresentar os documentos necessários à obtenção do visto obrigatório para a entrada no Japão;  Entregar o atestado médico emitido no mês da viagem. O engenheiro João Carlos Antunes e a professora Leila Alves

João Carlos Antunes e Leila Alves Netto Antunes: gratidão pela peregrinação.

Netto Antunes, ligados ao Johrei Center Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, participaram da caravana do Culto da Primavera, em 2012. Após o retorno ao Brasil, eles parabenizaram a organização das atividades e manifestaram profunda gratidão pela permissão recebida. “A forma pela qual fomos tratados em toda nossa estada no Japão, com absoluta dedicação, cuidado e amor, refletiu, com todas as nuances, o espírito e o verdadeiro sentimento altruísta de Meishu-Sama”, completaram. Como parte da preparação espiritual, recomenda-se aos caravanistas o estudo do capítulo O Solo Sagrado (livro O Pão Nosso de Cada Dia) e dos seguintes Ensinamentos do volume 5 do livro Alicerce do Paraíso: Considerações sobre o Paraíso Terrestre; A respeito do Paraíso Terrestre; A respeito do Jardim da Terra Divina; Significado da construção do Museu de Belas-Artes e Por que as obrasprimas chegaram às minhas mãos.


EXPANSÃO

Kyoshu-Sama saúda caravanistas brasileiros, em Atami.

Grupo de brasileiros caminha pelos jardins de Atami, tendo o Templo Messiânico como pano de fundo para a foto.

No capítulo Primeiras Noções Messiânicas (livro Os Novos Tempos), os trechos a seguir nos ajudam a compreender mais profundamente a enorme importância dos Solos Sagrados: “Meishu-Sama, num determinado momento, expressou o desejo de construir um local para expandir suas Verdades. Para isso, foram escolhidas três cidades do Japão: Hakone, Atami e Kyoto, cidades com as quais Meishu-Sama tinha grande afinidade, visitando-

as diversas vezes. [...] Foi em Hakone e Atami que Meishu-Sama construiu os protótipos do Paraíso Terrestre, impregnados da Luz de Deus, que se irradia por todo o mundo. Tanto os jardins como os edifícios, com exceção de uma parte, foram projetados por Meishu-Sama. Ao apreciar a beleza desses protótipos, a pessoa purifica seu espírito, que é conduzido ao seu estado de pureza original.” MAIO / 2012 –

17

IIZUNOME IZ ZU UN NOM OME

anas para 2013


IZUNOME

EXPANSÃO

Hortas caseiras

E

m trechos do Ensinamento “A prática da horta caseira” (livro Prática da Fé – Coletânea A Fonte da Sabedoria), NidaiSama nos orienta desse modo: “Se tiverem algum espaço vazio no quintal ou jardim de casa, não importando o tamanho, gostaria que o utilizassem na prática do nosso método agrícola, pois assim, teriam a todo instante produtos frescos e puros. [...] Quem mora em apartamento e não tem nenhum espaço vazio, poderá, mesmo assim, cultivar cheiro-verde ou pequenas plantas em vasos. [...] Meu desejo é que, tão cedo quanto possível, possa haver uma horta caseira na casa de todos os membros da nossa Igreja, sejam eles produtores ou consumidores.” Para concretizar orientações como esta, a Divisão de Expansão da IMMB, com o apoio da Secretaria de Agricultura Natural, da Fundação Mokiti Okada, reformulou, no início de 2012, o projeto Horta em Casa & Vida Saudável. Um dos novos objetivos é difundir a Agricultura Natural como coluna da salvação por meio da implantação de hortas em domicílios urbanos e rurais de todo o Brasil. Os multiplicadores são peças-chave na realização do projeto. Indicados pelos responsáveis das áreas ou dos Johrei Centers, a eles são atribuídas as seguintes funções:

18 – MAIO / 2012

Multiplicadores cariocas, no Centro Educacional Messiânico do Rio de Janeiro. No recorte, exercício de preparação de mudas.

 Participar de um curso, com aulas teóricas e práticas sobre horta, ecologia, reciclagem e meio ambiente;  Em oficinas, transmitir aos alunos os conhecimentos adquiridos;  Motivar esses alunos a montar as hortas e a mantê-las; visitar seus lares; relatar os êxitos e as dificuldades;  Coletar as experiências de fé originadas dessas atividades e passá-las ao responsável do projeto, no Johrei Center. Desenvolvidos, até o momento, em algumas áreas do País, os cursos e as oficinas têm como objetivos proporcionar o contato dos participantes com o solo, a água, as plantas e a Grande Natureza; oferecer ações voltadas à sustentabilidade social e ecológica; incenti-


EXPANSÃO

Obra Divina

Aula teórica no Centro de Aprimoramento Rio Claro (SP).

Participantes no Johrei Center Menino Deus (Porto Alegre, RS).

Atividade no Centro de Aprimoramento Campo Grande (MS).

Grupo de guias no Solo Sagrado de Guarapiranga (SP).

var a prática do altruísmo e da sensibilidade individual; encaminhar novos membros, entre outros. O coordenador da Secretaria, ministro Hiroshi Ota, afirmou que, ao contrário do que às vezes se imagina, a horta pode ser cultivada não apenas em quintais. “Áreas reduzidas, como cozinhas e salas, podem dispor de pequenos vasos. Elas precisam ser arejadas e protegidas de ventos fortes e contar com a luz solar direta por, pelo menos, quatro horas diárias”, completou. Produtos como alface, cebolinha, coentro, rabanete, rúcula, salsa e tomate podem ser consumidos pelos moradores da casa e doados a entidades assistenciais, parentes, vizinhos, colegas de trabalho e de escola, entre outros. A horta propicia, ainda, alimentação com energia vital, convívio familiar harmonioso, manifestação de gratidão a agricultores e a antepassados, saúde verdadeira e maior compreensão do importante papel da Agricultura Natural como uma das colunas da salvação. MAIO / 2012 –

19

IZUNOME

ajudam a expandir a


IZUNOME

FUNDAÇÃO MOKITI OKADA

Faculdade Messiânica diploma primeiras turmas

O

sonho acalentado há 40 anos pelo presidente mundial da Igreja Messiânica, Revmo. Tetsuo Watanabe – de criar uma Faculdade com a missão de formar cidadãos que façam da Verdade sua razão de viver – foi concretizado no dia 27 de abril, em São Paulo (SP). O reverendíssimo participou da solenidade de Colação de Grau e da entrega de diplomas aos formandos dos Cursos de Graduação em Teologia e aos de Pós-Graduação Lato Sensu, da Faculdade Messiânica. O evento contou com a preEsq/dir: Rev. Hidenari Hayashi; Rev. Rogério Hetmanek; Revmo. Tetsuo Watanabe; sença de várias autoridades civis, Min. Andréa Tomita e Prof. Jorge Schütz. Cerca de 450 pessoas prestigiaram a cerimônia. Acima, os formandos do período matutino do curso de Teologia. religiosas e um público estimado em 450 pessoas, entre familiares e outra graduação significam a conquista da “habiliconvidados dos formandos. Como representante dos graduados em Teologia, tação” para o exercício da profissão escolhida. Cono novo teólogo Guilherme Andrade Moraes Santana tudo, a conquista da “qualificação” é uma tarefa destacou a satisfação de todos em receber das mãos do pessoal que só pode ser obtida com a prática. Neste Revmo. Watanabe os diplomas de conclusão do curso. sentido, sinalizou para os formandos, principalmenEm nome dos pós-graduados em Estudos da Re- te para os novos teólogos, a necessidade de se colocar ligião e suas interfaces com a Educação, Maria de Fá- em prática o amor altruísta, a fim de conquistarem a tima Guimarães Alves agradeceu a todos os profes- autêntica qualificação de teólogos. O Revmo. Watanabe encerrou sua saudação agrasores por transmitirem amplos conhecimentos, nos decendo a todos que apoiaram a Faculdade Messiâcampos da Religião e da Educação. O coordenador do curso de Teologia, professor nica, declarando-se feliz por ter amigos que colaboraJorge Schütz, destacou: “Há um longo caminho a ser ram para a concretização de um sonho que há muito percorrido pela Teologia. E todos aguardam, com tempo ele queria realizar: formar pessoas compromeimpaciência e ansiedade, teólogos e uma teologia tidas com o ideal de Meishu-Sama. O graduado em teologia, Celso Araujo Machado, humilde. Só os humildes contribuirão para essa socomentou: “Este momento está sendo emocionante, ciedade em construção.” Em seguida, o diretor da Faculdade Messiânica, porque foi um sonho do Revmo. Watanabe que está se Rogério Hetmanek, após agradecer a colaboração de concretizando para o benefício de todos nós. Ele nos fez todos, destacou a missão ultrarreligiosa da obra mes- sonhar juntos. Sem dúvida, o curso de teologia ampliou siânica que, baseada no modelo da Verdade da natu- bastante a minha visão sobre as diversas religiões.” Mariza Aparecida Serra Borsato, pós-graduada reza, se desenvolve por meio da Igreja, da Fundação, da Korin e da Faculdade com a mesma missão, em- em Teologia e Prática da Espiritualidade, comentou: “Após o curso, ganhei mais segurança para transmibora com formas diferentes. O presidente da Igreja Messiânica Mundial des- tir meus conhecimentos e, com isso, desenvolver metacou que os diplomas de teólogos ou de qualquer lhor o meu trabalho na sociedade.”

20 – MAIO / 2012


FUNDAÇÃO MOKITI OKADA

visita Guarapiranga

A

Fundação Mokiti Okada - FMO, por intermédio do setor Programas Socioambientais, reuniu funcionários e professores do Departamento Geral de Ações Socioeducativas do Rio de Janeiro – Novo Degase, entre os dias 2 e 4 de abril, no Solo Sagrado de Guarapiranga, em Parelheiros, São Paulo (SP). O encontro ocorreu devido à parceria entre as duas instituições (concretizada por meio da implantação do projeto Educando para Sustentabilidade em 2010) e objetivou aprofundar a cooperação e aumentar a sinergia das equipes que desenvolvem a iniciativa. No primeiro dia, os participantes foram recebidos pelo coordenador do setor, Fernando Augusto de Souza, e puderam conhecer o projeto paisagístico do Solo Sagrado. Logo após, o integrante do projeto, Salvador Lopes de Souza, contou suas experiências com os alunos do Novo Degase após a aplicação do Educando para Sustentabilidade. A professora de Ikebana Sanguetsu, Edelweiss de Souza, encerrou as atividades com uma oficina de arranjos florais. A pedagoga Cleusa Cardoso esteve presente ao encontro, no dia 3 de abril, e salientou a importância do comprometimento, do espírito de equipe no desenvolvimento dos trabalhos e retransmitiu sua experiência como educadora. Em seguida, a professora da Escola Estadual Paulino Nunes Esposo, da região de Parelheiros e participante do projeto Educando para a Sustentabilidade desde 2006, Edilene Luchesi, apresentou os resultados alcançados com o projeto, a mudança de valores dos alunos por meio do cultivo de alimentos naturais e inserção dos produtos na merenda escolar. O engenheiro agrônomo do setor Programas Socioambientais, Leandro Amado, falou sobre as técnicas utilizadas na agricultura natural, as propriedades do solo, a qualidade nutricional das plantas, entre outros tópicos. A educadora Paulete Sparapan realizou algumas dinâmicas motivacionais para o grupo com o objetivo de integrar os participantes. O coordenador Fernando Augusto de Souza palestrou sobre o tema “Cooperação versus competição: qual delas vence?”. Segundo ele, “hoje, diante da gestão do conhecimento, inovação, inteligência coletiva, sustentabilidade e responsabilidade social, a cooperação é uma condição essencial para o desenvolvimento corporativo.” No dia 4, o presidente da Fundação Mokiti Okada, Rogério Hetmanek, em sua palestra para os funcionários do Degase, destacou a importância de se priorizar a natureza divina do ser humano em con-

O presidente da FMO, Rev. Rogério Hetmanek, falou sobre a importância de se priorizar a natureza divina do ser humano.

traponto com sua natureza animal. “Deste modo, é possível acreditar na recuperação dos que, vítimas do materialismo e do egoísmo, perdem a esperança de conquistar a felicidade”, pontuou. “O Educando para Sustentabilidade é direcionado à socioeducação, e a horta trabalha valores, motiva as crianças a fazerem novos projetos de vida e, ainda, a entenderem suas posições como cidadãos autônomos e livres. Para isso, o corpo funcional precisa estar alinhado com os princípios do programa”, declarou o diretor-geral do Novo Degase, Alexandre Azevedo de Jesus. Para ele, a ideia do encontro foi alinhar coração e mente para que os formadores de opinião e os educadores possam dar continuidade ao trabalho. A ouvidora do Departamento Geral de Ações Socioeducativas, Carmem Maria Amarante, disse que, apesar de o adolescente permanecer 40 dias dentro da instituição, ou seja, um tempo pequeno para mensurar grandes resultados, as ações do projeto vêm plantando uma semente que renderá bons frutos. Interagindo com os alunos, o professor do Instituto Padre Severino (IPS) do Novo Degase, Renato Cardoso Filho, afirmou: “Na oficina, tenho a oportunidade de trabalhar o lado lúdico da matemática. Nos canteiros, é possível ensinar comprimento, largura, metro cúbico, entre outros conceitos. O programa Educando para Sustentabilidade almeja, de forma sistêmica, preparar as crianças para um convívio harmônico tanto no Degase quanto fora, desenvolvendo qualidades pessoais, sociais e emocionais, essenciais à sua saúde física, mental e espiritual, que lhes permitam viver como cidadãos responsáveis na sociedade. MAIO / 2012 –

21

IZUNOME

Degase - RJ


IZUNOME

KORIN

Carne suína sem antibióticos

M

uitos mitos rondam o senso comum quando o assunto é o consumo de carne suína. Ideias ultrapassadas como o perigo que a carne de porco oferece à saúde humana, o excesso de gordura do animal e o risco de doenças, fazem com que o consumo dessa carne no Brasil ainda seja muito pequeno. Um fator preocupante, contudo, que alerta para os riscos da criação convencional é o total desrespeito às normas de bem-estar animal, em que os porcos são criados em cativeiro sem as mínimas condições de espaço para manifestarem os comportamentos naturais à espécie. Além disso, esses animais recebem doses agressivas de hormônios e antibióticos. A Korin, sabendo da importância nutricional desta carne e consciente da falta de alternativas no mercado, lançou, em abril, em parceria com a empresa JD, a carne suína na sua tradicional linha livre de antibióticos e promotores artificiais de crescimento, produzida com rigorosos padrões de qualidade dentro de um sistema tecnológico avançado. Os suínos da Korin são criados, em sistema de parceria, pelo Grupo JD, referência na criação de bovinos dentro das normas de bem-estar animal e, por essa razão, a primeira a receber o selo Certified Human emitido pela ECOCERT. A criação está localizada na Fazenda São Marcelo, em Tangará da Serra, no Estado do Mato Grosso. “Esses animais são muito mais vigorosos, já que são criados livres. Além de muito saborosa, é importante ressaltar que o teor de colesterol da carne suína varia, e o suíno da Korin é naturalmente uma carne mais magra”, explica o gerente industrial da Korin, min. Luiz Carlos Demattê. Neste método de criação diferenciado, assim como ocorre com os frangos, os suínos são criados livres do confinamento, alimentam-se com ração ba-

lanceada acrescida de folhas verdes e ervas e não são submetidos à ingestão de antibióticos e hormônios. Ao invés disso, consomem produtos fitoterápicos e homeopáticos, o que resulta em uma carne muito mais saudável, macia e saborosa. Com todo esse diferencial na alimentação, os suínos da Korin ainda vivem em liberdade, o que lhes permite expressar seus comportamentos naturais. Para saber o que o consumidor prefere quando o assunto é carne suína, o grupo JD realizou uma pesquisa com o intuito de traçar um comparativo entre a carne de porco convencional e a livre de antibióticos. Com melhores resultados nos quesitos coloração, sabor e textura, a carne suína da Korin terminou o teste com 75% de aprovação dos consumidores consultados, que declararam sua preferência pelo produto da Korin na hora da compra. De acordo com a pesquisa, o primeiro aspecto levado em consideração pelo consumidor é a criação livre de antibióticos. O segundo, o teor de ômega 3 e, em seguida, o sabor e a maciez. “Produzir a carne suína sempre foi um dos objetivos da Korin. A criação convencional desses animais carrega uma grande quantidade de quimioterápicos diversos, antibióticos e até hormônios para estimular o crescimento, além de serem confinados, o que impede seu desenvolvimento e comportamentos naturais”, explica o gerente comercial da Korin, Edson Shiguemoto. “Analisando esse quadro atual, a Korin decidiu aumentar seu leque de opções, para oferecer aos consumidores carne suína produzida dentro de rigorosos processos que respeitam as normas internacionais de bem-estar animal, com sustentabilidade ecossocial e garantir o consumo de uma carne segura, muito saudável, macia e com sabor incomparável”, completa. Inicialmente, a carne suína da Korin estará disponível em vinte lojas do Supermercado Pão de Açúcar em São Paulo, no Empório Santa Luzia, Casa de Carnes Especiais Santa Bárbara e na Loja modelo da Korin na Vila Mariana, também na capital paulista. “Graças à filosofia de Mokiti Okada, desenvolvemos uma relação transparente, de empatia e confiança com nossos consumidores. Todo esse processo diferenciado dos suínos da Korin, certamente contribui para a produção de uma carne livre de resíduos de antibióticos e hormônios, o que, em relação à convencional, só traz vantagens para quem a consome”, enfatiza Reginaldo Morikawa, gerente-geral da empresa. Os suínos da Korin são criados livres de confinamento.

22 – MAIO / 2012


IZUNOME


IZUNOME

CULTO DO

PARAÍSO TERRESTRE 2012

Solo Sagrado de Guarapiranga 10 de junho - 10 horas


2012/05