Page 1

“Levar flores aonde quer que haja pessoas” Meishu-Sama


Use a praticidade da Internet e resolva tudo em segundos

Loja virtual da FMO  Livros  Ensinamentos  Materiais para ikebana  Liturgia  Souvenirs Adquira tudo que você precisa e receba em sua casa.

www.fmo.org.br/loja virtual


ÍNDICE Editorial As três práticas do sonen junto com as pequenas ações altruístas

5

Ensinamento do mês Aura

6

Culto Mensal de Agradecimento Vamos continuar nos empenhando nas três práticas do sonen, junto com a prática constante das pequenas ações altruístas

8

Experiências na prática da fé Finalmente, o paraíso se estabeleceu em minha família e em meu coração

IZUNOME

4

O empenho em assistir os outros nos transforma em pessoas mais altruístas

12

Fundação Mokiti Okada Ikebana Sanguetsu no lar e nas empresas, duas iniciativas para 2010

18

Fundação Mokiti Okada Comida da “mamma”

20

Korin Agricultura Natural Renomado chef japonês vem ao Brasil e destaca alimentos da Korin

Foto da capa: Tony Tajima ABRIL / 2010 –

3


IZUNOME

EDITORIAL

As três práticas do sonen junto com as

pequenas ações altruístas

N

o Culto Mensal do mês de março, o reverendíssimo Tetsuo Watanabe, presidente mundial da Igreja Messiânica, deixou a tarefa de fazermos as três práticas do sonen – encaminhamento, gratidão e altruísmo, junto com as pequenas ações altruístas, pois são elas que abrem o caminho da felicidade. No Culto Mensal deste mês, a jovem Cristina de Souza apresentou sua emocionante experiência de fé, mostrando, na prática, que essa orientação pode, sim, mudar a vida de uma pessoa. Nesta revista, você encontrará esta experiência de fé e também a experiência vivida pela senhora Marilda Estela Carvalho Gomes Rodrigues, que fez a prática do sonen junto com o Johrei e a prática de ações altruístas e conseguiu levar a felicidade à prima, que sofria com hepatite e depressão profunda. Como neste início de mês o presidente da Igreja Messiânica Mundial do Brasil, reverendo Hidenari Hayashi, esteve no Solo Sagrado do Japão, participando do Culto da Primavera, o Culto Mensal do Solo Sagrado de Guarapiranga seria oficiado pelo presidente em exercício, reverendo Francisco Jésus Fernandes. Entretanto, devido a um problema de saúde, este não pôde participar, e o reverendo Mikio Takase, diretor da divisão de editorial da Sede Central, realizou o Culto em seu lugar, transmitindo, depois, a mensagem do presidente em exercício aos participantes. Leia a mensagem na íntegra na página 6. O Seminário Nacional dos Coordenadores Regionais da Academia Sanguetsu e o projeto Cine Guará na cidade de Guaraqueçaba são duas matérias sobre a Fundação Mokiti Okada. Neste número, vocês encontrarão igualmente um artigo sobre arte e outro sobre alimentação, elaborados pelos setores de Pesquisa e Produção Cultural e de Saúde/Alimentação Natural da FMO, respectivamente. Neste mês, a Korin recebeu uma visita ilustre em seu polo produtivo de Atibaia - SP: o renomado chef japonês Toshio Tanahashi, que esteve apenas uma semana no Brasil, mas fez questão de reservar um espaço de tempo em sua apertada programação para conhecer o sistema de produção pelo método da agricultura natural, preconizado por Meishu-Sama. Saiba mais sobre essa visita na página 20. Boa leitura a todos! Acesse nossos sites:

Elaboração: Divisão Editorial da Igreja Messiânica Mundial do Brasil Diretor da Divisão: Rev. Mikio Takase Produção: Fundação Mokiti Okada - M.O.A. Redação e Administração: Rua Morgado de Matheus, 77 – 1º andar CEP 04015-050 – Vila Mariana – São Paulo – SP – Tel. 11 5087-5145 Jornalista responsável: Antonio Ramos de Queiroz Filho (MTb 21898) E-mail: ascom@messianica.org.br Edição de Arte: Kioshi Hashimoto Redação: Marcelo Falsarella Revisão: Ivna Fuchigami Fotografia: Ricardo Fuchigami Colaboradores: Rosana Cavalcanti, Kelly Mello, Fernanda Silvestre e Daniel Arnelas (redação); Paulo Schlick, Tony Tajima, Daniela da Silva e Celina Watanabe (fotografia) Tiragem para o Brasil: 77000 exemplares Impressão: Editora Abril

4 – ABRIL / 2010

www.messianica.org.br

www.fmo.org.br

www.korin.com.br

www.kmambiente.com.br

www.planetaazul.com.br

www.faculdademessianica.edu.br

SEKAI KYUSEI KYO IZUNOME

www.solosagrado.org.br

www.johvem.com.br

www.izunome.jp


IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL DO BRASIL

IZUNOME

ENSINAMENTO DO M¯S

Aura (...) A largura da aura tem relação direta com o destino do homem. Quanto mais larga ela for, mais feliz ele será. Os que têm aura larga são mais calorosos, causam uma boa impressão e atraem muitas pessoas, porque as envolvem com sua aura. Ao contrário, aqueles cuja aura é fina, causam uma impressão de frieza, desagrado e tristeza, e temos pouca vontade de permanecer em sua companhia. (...) Já sabemos que todos os pensamentos e atos humanos se subordinam ao bem ou ao mal. A largura da aura também é proporcional à soma do bem ou do mal. Isto significa que, na ocasião em que a pessoa pensa ou pratica o bem, surge-lhe o sentimento de satisfação na consciência, o qual se transforma em luz e soma-se ao seu corpo espiritual, aumentando-lhe, assim, a luminosidade; ao contrário, o mal transforma-se em máculas, que também se acrescentam às já existentes no corpo espiritual da pessoa. Ao mesmo tempo, quando se faz o bem, a gratidão do beneficiado torna-se luz, e esta, através do elo espiritual, é transmitida para o praticante do bem, aumentando-lhe, consequentemente, a luz; em contraposição, pensamentos de vingança, ódio, inveja, etc., transformam-se em máculas, que são transmitidas à outra pessoa pelo elo espiritual, somando-se às que ela já possui. Sendo assim, é importante que o homem pratique o bem, alegre o próximo e dele jamais receba pensamentos como os que mencionamos. (...) 5 de fevereiro de 1947 Extraído do Livro Alicerce do Paraíso, vol. 4

ABRIL / 2010 –

5


CULTO MENSAL DE AGRADECIMENTO

Vamos continuar nos empenhando nas

IZUNOME

IZUNOME

CULTO MENSAL DE AGRADECIMENTO

três prá ticas do sonen, junto com a prática constante das pequenas ações altruístas

Aproximadamente 9.000 pessoas participaram do Culto Mensal.

No dia 4 de abril de 2010, às 9 horas, foi realizado no Solo Sagrado de Guarapiranga o Culto Mensal de Agradecimento. Desta vez, o culto foi oficiado pelo reverendo Mikio Takase, devido às ausências do presidente da IMMB, reverendo Hidenari Hayashi, que está no Japão cumprindo programação missionária no Solo Sagrado de Atami, e do presidente em exercício na ocasião, reverendo Francisco Jésus Fernandes, que não pôde estar presente. Ao lado, a mensagem preparada pelo reverendo Francisco e lida pelo reverendo Takase.

6 – ABRIL / 2010

B

om-dia a todos os senhores! Como o presidente da nossa Igreja, reverendo Hidenari Hayashi, está no Japão, onde participou do Culto da Primavera no dia primeiro de abril, no Solo Sagrado de Atami, fui designado a realizar o culto mensal deste mês como seu representante. Graças ao Messias Meishu-Sama, desde o início desta semana, tive a permissão de receber o amor de Deus em forma de purificação. Meu joelho ficou muito inchado, o que está me impedindo de andar e de ficar em pé por muito tempo. Assim, infelizmente, não poderei estar com os senhores neste culto, mas solicitei ao reverendo Takase que me representasse e transmitisse minhas palavras. Agora há pouco, os senhores devem ter ouvido a bela experiência de fé da jovem Cristina, que conseguiu superar os conflitos em seu lar e alcançou a tão almejada harmonia em família. O que eu gostaria de ressaltar, foi a forma como ela conseguiu tamanha graça. Depois de receber orientação do ministro e refletir

sobre sua postura, ela se empenhou em fazer a prática do sonen de encaminhamento. Ao mesmo tempo, procurou agradecer aquela situação como uma oportunidade para obter a paz no lar. Ela também se dedicou aos afazeres da casa, pensando sempre na felicidade do companheiro e da filha, que é o princípio do amor altruísta. Relembrando o que o nosso presidente mundial reverendíssimo Tetsuo Watanabe nos ensinou no culto do mês passado, a Cristina fez as três práticas do sonen: encaminhamento, gratidão e altruísmo, juntamente com as ações altruístas. E ela mesma conclui dizendo: “Finalmente, o paraíso se estabeleceu em minha família e em meu coração”. Essas palavras mostram o caminho da felicidade que ela encontrou. Por isso, ao longo deste mês, vamos continuar nos empenhando nas três práticas do sonen e na prática constante das pequenas ações altruístas, como a jovem Cristina fez. Muito obrigado pela presença de todos e boa missão! ABRIL / 2010 –

7


EXPERIÊNCIA NA PRÁTICA DA FÉ

EXPERIÊNCIA NA PRÁTICA DA FÉ

IZUNOME

IZUNOME

Finalmente, o paraíso se estabeleceu em minha família e em meu coração

“O paraíso se estabeleceu em minha família.”

B

om-dia a todos! Meu nome é Cristina de Souza Jorge Leite, sou do Johrei Center Guanabara, Campinas, interior de São Paulo. Conheci a Igreja Messiânica Mundial por intermédio de um amigo. Tornei-me membro em 2002. Contudo, nessa época, ainda não entendia direito como as dedicações poderiam me ajudar. Apesar de ter passado por várias purificações, principalmente com relação à saúde, pois tinha depressão e síndrome do pânico, minha maior dificuldade era o relacionamento com meu namorado João, com quem eu morava há três anos. Ele já era messiânico, porém as brigas eram constantes, acompanhadas de gritos, de palavras de baixo calão e até mesmo de agressão física. Nosso convívio sempre fora difícil e inconstante. Os conflitos eram amenizados, mas não de fato resolvidos. Meu companheiro e eu passávamos dias sem nos falar para não gerar mais desavenças. Separamo-nos três vezes e sempre reatávamos. Em 2005, tivemos uma filha, que passou por vários problemas de saúde. Nessas horas, eu e o João uníamos nossas forças e fé, e conseguíamos superar todas as purificações apenas com Johrei e oração, criando um ambiente de harmonia. Era como se as purificações viessem para nos unir. Porém, depois que a purificação cessava, parecia

8 – ABRIL / 2010

que o encanto desaparecia, e os conflitos sempre retornavam ao nosso lar. Em fevereiro de 2009, engravidei novamente. Contudo, sofri um aborto espontâneo e, mais uma vez, estávamos à beira de uma separação. Foi quando o ministro, após ouvir minhas lamentações por horas, me disse: – Você realmente tem obediência em relação às dedicações, porém não consegue praticá-las com amor! Você precisa aprender a expandir seu amor. Essas palavras nunca saíram de minha cabeça. Por outro lado, eu não sabia de fato o que aquilo queria dizer, pois achava que já fazia muito por mim e pelo João e já dedicava tanto! O ministro me dizia isso embasado na orientação do Quarto Líder Espiritual, Kyoshu-Sama, sobre as práticas altruístas. João também recebeu orientação do ministro sobre a prática do amor altruísta e começou a fazer meu chá todos os dias, embora eu achasse isso muito bom. Pensava: “Ele não faz mais do que a obrigação, pois eu trabalho muito mais do que ele e ainda cuido da casa e da nossa filha... Tenho jornada dupla, ele tem mesmo é que me agradar!” Eu gostava de receber o chá todos os dias, porém nem agradecia. Até que um dia, lendo as experiências de fé sobre práticas altruístas da revista Izunome, fiquei muito emocionada e decidi mudar: só não sabia o quê exatamente. Contei ao meu companheiro que iria aproveitar o

pedido de nossa empregada doméstica de ir embora por motivos pessoais e assumir todas as tarefas domésticas diariamente. Mudei meus horários, diminuí minha jornada de trabalho e mudei nossa filha de período escolar para poder ficar mais tempo com ela. Sempre acreditei que era boa dona de casa. Afinal, sempre que possível, cozinhava para a família e deixava tudo arrumado. Entretanto, aos poucos, percebi que era meu sentimento que deveria mudar; meu amor deveria realmente se expandir. Eu não podia mais encarar os afazeres domésticos como um fardo, uma obrigação, uma perda de tempo, mas vê-los como uma oportunidade para harmonizar meu lar e minha família. E lá fui eu, orientada para, enquanto limpava a casa, agradecer a purificação de conflito e fazer, diariamente, a prática do sonen de encaminhamento dos nossos antepassados ao Messias Meishu-Sama a fim de que fossem purificados e salvos, e que meu companheiro e nossa filha se sentissem felizes no nosso lar. Mesmo muito cansada do trabalho, comecei a cozinhar diariamente, a lavar e a passar roupa, sem lamuriar. Sentia-me bem e estava feliz. Às vezes, até chorava emocionada, agradecida.

Percebi que João começou a me ajudar mais, como a dobrar carinhosamente a roupa lavada por mim, a guardar a louça da pia, a levar todos os dias nossa filha à escola. Antes, brigávamos para definir quem a levaria porque queríamos ficar descansando um pouco mais antes de irmos trabalhar. Ele também passou a me ministrar Johrei todos os dias, pois normalmente eu é que lhe ministrava. Nesses momentos, ele sempre dormia, o que me deixava chateada. Com a constância das práticas altruístas e com a mudança de sentimento, parei de vez com as cobranças e ele foi também se modificando. Além de vir de uma família em que meus pais não eram casados oficialmente, nunca tive vontade de adotar o sobrenome de meu companheiro, mesmo com 11 anos de casamento não formalizado. Dois meses atrás, João me pediu em casamento, e foi aí que percebi que eu tinha realmente mudado meu sentimento, pois aceitei na hora formalizar nossa relação no civil e no religioso e me senti honrada em acrescentar seu sobrenome. Não só honrada, mas também muito feliz e realizada. A cerimônia será no próximo mês de maio, mês das noivas. Acredito que todas essas mudanças geraram a permissão de, no próximo mês de junho, entronizarmos o Altar de Luz em meu lar. Finalmente, o paraíso se estabeleceu em minha família e em meu coração. Uma felicidade completa embasada na saúde, na prosperidade e na harmonia, nunca experimentada antes por mim. Hoje, estou realmente emocionada por estar neste Altar do Solo Sagrado e poder dizer a todos que, graças ao Messias Meishu-Sama, aos seus ensinamentos da verdade e às orientações recebidas sobre a prática do sonen, que se completa com as pequenas ações altruístas, é possível, sim, ser muito feliz e mudar o destino de nossas vidas e da humanidade. Agradeço a Deus, ao Messias Meishu Sama, aos meus antepassados, aos meus orientadores e a meu futuro marido a paciência e o amor. Muito obrigada.

ABRIL / 2010 –

9


EXPERIÊNCIA NA PRÁTICA DA FÉ

O empenho

em assistir os outros nos transforma em pessoas

mais altruístas

M

eu nome é Marilda Estela Carvalho Gomes Rodrigues. Sou ligada ao Johrei Center Guarujá (SP) e membro há 25 anos. Durante todo esse tempo, confiei na vontade de Deus e de Meishu-Sama em relação à minha vida. Passei por muitas purificações, mas também tive a permissão de receber inúmeras graças. Por natureza, sou uma pessoa muito impaciente e tenho um “ga” muito forte, o que se torna meu maior aprimoramento. No mês de junho de 2009, começou minha preparação espiritual para receber o Altar de Luz em meu lar. Nesse mesmo mês, minha prima que residia em Santos, voltou a morar no Guarujá. Nossas mães eram gêmeas e nos criaram como se fôssemos irmãs. Havia um laço muito forte entre nós, e nos apoiávamos mutuamente. Anos atrás, ela tornou-se membro da Igreja Messiânica, encaminhou-me e se afastou posteriormente. Agora, havia contraído hepatite C e, como já sofria de depressão profunda devido ao tratamento da doença, sua saúde piorou. Ela não queria receber visita e muito menos atender o telefone. Vendo-a naquele estado deplorável, sem poder cuidar de si própria e da família, fiquei muito angustiada. Orei a Deus e a Meishu-Sama para que me dessem a permissão de conseguir ajudá-la de alguma forma, pois temia que ela não aceitasse receber a luz do Johrei por ser hoje uma missionária da Igreja Católica. Como forma de gratidão e retribuição, resolvi cuidar dela, de sua família e de sua casa. Levantava-me às cinco horas da manhã, cuidava de minha família e, depois, da casa dela. Quando saía de lá, ia dar assistência de Johrei a uma amiga que também passava por sérias dificuldades. Durante 45 dias, enquanto eu cuidava de minha prima, fazia a prática do sonen pedindo para MeishuSama purificar, perdoar e salvar aquele antepassado que estava se manifestando daquela forma.

10 – ABRIL / 2010

Marilda Estela Carvalho Gomes Rodrigues.

Certo dia, falei-lhe sobre o reflexo do sofrimento dos nossos antepassados em nós e suas consequências, e ela me respondeu com uma pergunta: “Você esqueceu que eu já fui messiânica?”. Diante dessa situação, fui percebendo que eu também estava vivenciando grandes desafios. Talvez, o maior deles era ministrar-lhe Johrei já que minha prima estava bastante desinteressada. Comecei, então, a pedir a Meishu-Sama a permissão de criar coragem e oferecer-lhe Johrei, pois aprendi nesses anos todos que não basta querer ou impor nossa vontade, porque o que conta, na realidade, é a vontade de Deus e de Meishu-Sama. Um dia, ao chegar à casa de minha prima, ela estava no auge da depressão, não queria ver ninguém, irritada com tudo e com todos e agasalhada da cabeça aos pés num calor de 30 graus. Rapidamente arranquei-lhe todas as cobertas, abri a janela do quarto e comecei a ministrar-lhe Johrei. Quando terminei o Johrei, ela estava bem-disposta e com uma fisionomia melhor. Afirmou estar tão feliz, que sentiu o forte desejo de ultrapassar a depressão.

Voltei meus pensamentos para Deus e Meishu-Sama e criei o objetivo de ministrar-lhe Johrei durante 30 dias para que aquele antepassado sofredor fosse salvo e ela pudesse voltar a cuidar da família. Nesse período, minha prima começou a sonhar com nossos antepassados e dizia que eles estavam em uma festa. Além disso, todos os dias, ela contava algo sobre nossas mães. Como minha mãe sofreu também de depressão, senti que tinha que resgatar essa mácula por meio dessa purificação. Ciente de que minha missão era salvar nossos antepassados, continuei com a ministração de Johrei e a prática do sonen de encaminhamento. Vinte dias depois, ela já estava se levantando por vontade própria. Comentou que só confiava em mim para cuidar dela e de sua família. Senti que, por trás daquelas palavras, havia um sentimento de gratidão muito forte e fiquei feliz. No 27° dia, eu já estava pronta para ir à sua casa, quando ela me ligou dizendo que estava tão disposta, que se levantara cedo, cuidara da casa e que estava preparando o almoço. Portanto, não era mais preciso que eu fosse até lá. Eu quase não acreditei no que estava ouvindo. Fiquei tão feliz que enviei a Deus todos meus sentimentos de alegria e de gratidão por aquela imensa graça recebida. Dias depois, ela pediu que eu fosse fazer suas unhas. Assim que terminei, ela colocou em minhas mãos, além do valor relativo ao trabalho, outro muito maior. Perguntei o que aquilo significava. Ela me disse que queria colaborar com a entronização do Altar de Luz em meu lar. Novamente, senti, por meio dessa atitude, sua gratidão a Deus, desta vez materializada em forma de donativo. Não sabia o que pensar nem o que dizer, a não ser agradecer por Deus e Meishu-Sama terem atendido meu pedido, purificando, perdoando e salvando nossos antepassados por meio do Johrei e da prática do altruísmo.

Essa experiência também permitiu que eu eliminasse muitas máculas e ganhasse muita força, pois, como tentava ter paciência e reprimir o “ga”, eu chorava muito, uma vez que achava que não conseguiria ultrapassar essa purificação em família e preparar o meu lar dentro do prazo para receber o Altar de Luz. Tive que me manter forte, porque tanto a família dela como a minha e a amiga a quem dava assistência diariamente, precisavam de mim. Nessas horas de desespero, pedia a Deus e a Meishu-Sama que não me abandonassem, pois sem Eles eu não iria a lugar nenhum. Hoje, tenho certeza que estavam a meu lado constantemente. Com isso, minha fé ficou mais forte, e aprendi a ter mais paciência e a aguardar o tempo certo. Sem contar que, durante esse tempo, tive a permissão de ser utilizada por Deus e Meishu-Sama no encaminhamento de mais uma alma de ouro. Minha amiga, a quem dera assistência diária, tornou-se membro. Chorei de emoção e felicidade por acompanhá-la em sua outorga e recordar as muitas barreiras que ela teve que ultrapassar para chegar até lá. Recebi também muitas graças antes da entronização do meu Altar de Luz e tive grande ajuda e colaboração das minhas filhas, genros, amigos e familiares, que não são membros. A postura e o empenho de meu marido diante de todos os acontecimentos me deram ânimo e convicção de que tudo iria dar certo. No dia 18 de dezembro de 2009, com muita gratidão, recebemos o Altar de Luz em nosso lar conforme estava previsto. Minha prima voltou à sua vida normal e está curada da hepatite. Mais do que nunca, tenho a certeza de que a prática do Johrei e a do amor altruísta podem gerar grandes milagres e nos levar ao fortalecimento de nossa fé. Depois de tudo isso, só me resta agradecer e continuar sendo um instrumento útil para a concretização do Paraíso Terrestre. Agradeço profundamente a Deus, ao meu Messias e Salvador Meishu-Sama e aos meus antepassados.

ABRIL / 2010 –

11

IZUNOME

IZUNOME

EXPERIÊNCIA NA PRÁTICA NA FÉ


FUNDAÇÃO MOKITI OKADA

Ikebana Sangu etsu

IZUNOME

IZUNOME

FUNDAÇÃO MOKITI OKADA

Hatsuikê

no lar e nas empresas, duas iniciativas para 2010

P

ara levar flores aonde quer que haja pessoas, objetivo pretendido por Mokiti Okada, a Academia Sanguetsu da Fundação Mokiti Okada – FMO realizou, de 6 a 11 de março, o Seminário Nacional dos Coordenadores Regionais. Sanguetsu empresarial, Sanguetsu no lar, cursos de aprimoraPresidente da Fundação ministra Johrei aos participantes. mento e vivências foram algumas das atividades discutidas entre os 30 instrutores representando todas as regiões do país na sede central da Igreja Messiânica Mundial do Brasil, em São Paulo. A finalidade do encontro foi fazer os instrutores conhecerem o planejamento de 2010, receberem orientações da diretoria e aprimorarem seus conhecimentos Ministro Luiz Reis faz apresentação sobre Palestra sobre alimentação natural, por meio de estudos téco novo sistema de vivências. com o ministro Luis Fernando Buck. nicos e palestras. Para o instrutor da Região mudanças apresentadas no enO seminário teve início no sábado, dia 6, com a palestra do Nordeste, Sidney Gomes Sposi- contro. Gostei muito das palavras presidente da FMO, reverendo to, “este evento foi especialmente do presidente da FMO, o qual esRogério Hetmanek. Em seguida, interessante devido ao foco nos clareceu a importância da prática o diretor financeiro da Fundação, assuntos abordados. Sairemos da- do sonen e das pequenas ações ministro Luiz Reis, apresentou o qui mais fortalecidos para desem- altruístas, e também da palestra novo sistema de vivências refe- penhar as atividades em nossas do ministro Humberto Matsumurente à solicitação de vasos. No regiões. Na palestra ministrada ra, que contou um pouco sobre a domingo, o grupo visitou uma pelo ministro Alexandre Guedes, simplicidade na vida de Meishufábrica de cerâmica. Nos demais da Faculdade Messiânica, ficou Sama”, declara Claudia Borba dias, os participantes assistiram a claro que precisamos assumir o Dias, instrutora representante da palestras sobre Meishu-Sama, ali- compromisso de levar o espírito Academia Sanguetsu em Santa mentação natural, arte cerâmica, de Meishu-Sama a toda sociedade Catarina e Rio Grande do Sul. Entre as novidades, foi basnovos projetos do Sanguetsu, en- por meio da flor.” “Fiquei satisfeita com todas as tante enfatizado o Sanguetsu no tre outros assuntos.

12 – ABRIL / 2010

Reverendo Rogério Hetmanek durante a abertura do Hatsuikê.

D Práticas de culinária, arte cerâmica e arte de oshibana integraram a programação.

urante o Hatsuikê, cerimônia em comemoração da primeira flor do ano realizada em fevereiro na sede central da Igreja Messiânica Mundial do Brasil, o presidente da Fundação, reverendo Rogério Hetmanek, reforçou a orientação do reverendíssimo Tetsuo Watanabe, presidente da Igreja Messiânica Mundial, sobre as pequenas práticas altruístas. “A Ikebana Sanguetsu está entre as atividades mais condizentes para promover, por meio da flor, ações altruístas de levar alegria à sociedade”, declara o reverendo Rogério Hetmanek. A cerimônia reuniu cerca de 300 pessoas, entre instrutores e alunos da Academia. Em todo o Brasil, a atividade também foi realizada tendo a participação de mais de 10 mil pessoas. Números Em 2009, a Academia Sanguetsu realizou:  21.136 vivências com vasos;  274.400 vivências com display. Teve:  7.439 alunos novos;  2.201 turmas;  250 mil pessoas participaram de exposições, palestras, seminários e hatsuikê.

lar, que permite levar a Ikebana Sanguetsu às casas de pessoas que não podem ir até os Johrei Centers. Desde setembro de 2009, essa iniciativa já realizou 250 encontros nas casas. Para 2010, o objetivo é aumentar ainda mais essa atividade e, com isso, levar felicidade a um maior número de pessoas. O Sanguetsu empresarial também foi outro tópico abordado no Seminário. “Vamos expandir esse projeto e, para tal, cada região buscará pelo menos uma empresa para implantar a atividade”, explica a professora Édelweiss Souza. “Antes disso, cada responsável pela região indicará alguns instrutores que serão capacitados para ministrarem o curso nas empresas. Os nomes serão enviados à sede central em São Paulo”, finalizou.

Montagem do arranjo pelas instrutoras do Sanguetsu.

ABRIL / 2010 –

13


Grupo de Estudo do Setor de Pesquisa e Produção Cultural

Obra: Sibila Libica, de Michelangelo.

14 – ABRIL / 2010

FUNDAÇÃO MOKITI OKADA

Torna-se necessário, portanto, elevar o caráter do homem por meio da Arte. Naturalmente, esse objetivo será alcançado através da literatura, da pintura, da música, do teatro, do cinema e de outras artes” (Meishu-Sama – fonte: Alicerce do Paraíso, volume 5). Apreciar uma obra de arte, ouvir uma bela música, assistir a um espetáculo de dança, ler um poema... Práticas como estas podem melhorar o seu dia, proporcionando sensações de alegria, bom humor e felicidade. E a ciência já comprovou: a criação e a apreciação da Arte estimulam a produção de serotonina, substância neurotransmissora responsável pela sensação de bem-estar. Ainda sob o aspecto científico, ressaltamos a neuroestética, ciência recente que estuda os mistérios da Arte em relação ao cérebro. O neurobiólogo Semir Zeki* afirma: “O prazer que adquirimos pela experiência do Belo, está ligado à aquisição de conhecimento”. E ainda: “O conhecimento não é apenas o que se adquire ou se expressa pela linguagem. Há um conhecimento visual.” Ele cita o exemplo de que alguns minutos diante de uma grandiosa obra de arte de Michelângelo terão impacto maior do que a leitura de vários volumes sobre essa mesma obra de arte. Experiência semelhante é vivenciada com frequência por um psicanalista brasileiro, Sérgio Gabler Pen. Ele conta que, diaria-

IZUNOME

IZUNOME

FUNDAÇÃO MOKITI OKADA

mente, após um exaustivo dia de trabalho em seu consultório, ao chegar em casa, primeiramente senta-se em uma poltrona e observa, por alguns minutos, uma das obras de arte que ele guarda em uma sala, situada antes da entrada principal da casa. O psicanalista observa a obra por alguns minutos, até sentir um bem-estar, uma calmaria interior. Então, somente depois de livrar-se da sensação inicial de estresse, entra em casa. No entanto, é preciso escolher bem a obra de arte, a música, o livro que você vai apreciar. MeishuSama ensina: “Haverá uma sólida ligação entre o espírito do artista e o espírito de quem apreciar suas obras. Se o caráter daquele for baixo, o das pessoas também se degradará; obviamente, se for um caráter elevado, terá o efeito contrário” (Fonte: Alicerce do Paraíso, volume 5). Não é difícil a Arte entrar em sua vida: procure fazer visitas a museus nos finais de semana, assistir a concertos, a peças de teatro ou simplesmente passar algumas horas em uma livraria, onde se podem conhecer livros de História da Arte, por exemplo. Há eventos gratuitos e de boa qualidade que você pode frequentar com a família. Dê esse presente a você mesmo e tenha certeza de como irá se surpreender. Sinta-se feliz!

Obra: Tondo Doni, de Michelangelo.

* professor e pesquisador de Neurobiologia da University College London.

ABRIL / 2010 –

15


FUNDAÇÃO MOKITI OKADA

FUNDAÇÃO MOKTI OKADA

IZUNOME

IZUNOME

Projeto Cine Guará insere exibições de filmes em escolas

Ministro Gustavo Pereira, representante da FMO na região Sul; prefeito de Guaraqueçaba, Riad Said Zahaui, e o presidente da Fundação, reverendo Rogério Hetmanek.

O

ensinamento de Mokiti Okada sobre religião e arte diz: “Enobrecer os sentimentos do homem é enriquecer-lhe a vida, proporcionando alegria e sentido, é a missão da Arte” (Alicerce do Paraíso, Volume 5). Seguindo essas orientações, o Projeto Cine Guará da Fundação Mokiti Okada – FMO, considerado um dos cem pontos do Programa Mais Cultura, iniciativa do Ministério da Cultura, amplia as atividades na cidade de Guaraqueçaba, no litoral do Paraná. Representando a FMO, a coordenadoadora do setor de projetos, Helen Psaros, esteve na cidade no dia 24 de fevereiro e participou de um encontro pedagógico da Secretaria Municipal de Educação para implantação de um novo programa – “Cine Guará vai à escola”. Neste projeto, as crian-ças da Escola Municipal Antonio Barrbosa Pinto e os jovens da Escola Estaadual Marcilio Dias assistirão, no pátio io das instituições, a uma série de exibibições de filmes durante todo o ano. Os professores foram responsáveis veis os e pela seleção de conteúdos educativos ntrididáticos para que estes possam contribuir para a reflexão e interpretação dos

16 – ABRIL / 2010

alunos. Os temas também farão parte de atividades extras nas salas de aula. Segundo a professora da escola municipal, Marinez Lopes da Silva, com essa iniciativa será possível melhorar a educação dos alunos. “Quero agradecer, em nome dos educadores da nossa instituição, a implantação do projeto; com certeza, será de muita valia”, disse ela. Para a coordenadora pedagógica da Secretaria Municipal de Educação, Vania Regina Luiz, o projeto é maravilhoso: “Antes do Cine Guará, não tính tínhamos cinemas ou casas para exibições. Existia uma reivindicação forte por parte Exis dos moradores da cidade, principalmente dos jovens”, relatou Vania. Além do “Cine Guará vai à escola”, no mês de fevereiro, a Fundação Mokiti Okam da implantou nas instituições de ensino o Projeto Planeta Azul. O objetivo da iniP cciativa é, por meio da educação, formar h homens altruístas e espiritualistas colaborando para o desenvolvimento de cidadãos comprometidos com a sociedade. Serão atendidos aproximadamente 240 alunos dos ensinos fundamental e médio; grande parte deles mora em comunidades rurais de Guaraqueçaba.

“Esse projeto é importante Na oportunidade, a Secretaporque procura resgatar os varia Municipal de Esporte, Cullores e as boas maneiras para tura e Lazer organizou uma com o próximo incentivando partida de futebol disputada o uso de ‘palavrinhas mágicas’ pelos times Guaraqueçaba e para tratamentos entre eles. Eu Stark Sport de Curitiba. O Rev. acredito que o respeito mútuo Rogério Hetmanek foi conviirá melhorar”, conta a profesdado para prestigiar a premiasora da escola Antonio Barbosa ção dos melhores jogadores. Pinto, Fatima dos Reis ApareDesde 2007, o projeto Cine cido. De acordo com ela, outro Guará realiza exibições graaspecto positivo do Planeta tuitas de filmes, geralmente Azul são os pontos de apoio, nacionais, em praças públicas, que trazem sugestões de atisalões e clubes, para toda a covidades diferentes que podem munidade local. Para atender ser colocadas em prática nas a diversos públicos, a Fundasalas de aulas bem como o tração Mokiti Okada criou tamEntrega do prêmio aos jogadores. balho de acompanhamento no bém o Cine Clube Cult, com desenvolvimento das classes. a parceria do restaurante Café Devido à preocupação de contribuir para o de- Flora, em que são apresentados gratuitamente filmes senvolvimento social e cultural da população, o pre- franceses, italianos, alemães, entre outros. sidente da Fundação Mokiti Okada, reverendo RoO Cine Guará foi idealizado a partir de uma pesgério Hetmanek, visitou Guaraqueçaba no dia 12 de quisa que indicou que 89% da população nunca havia março e se reuniu com o prefeito, Riad Said Zahaui, ido ao cinema. O projeto tem o intuito de criar para os para apresentar propostas de iniciativas para os pró- moradores novas oportunidades de acesso à cultura e ximos dois anos, elaboradas pela FMO para a cidade. recebe o apoio e a parceria da Prefeitura Municipal de Um dos temas abordados foi a possibilidade da im- Guaraqueçaba e da Secretaria Municipal de Turismo, plantação de um centro cultural. Cultura, Esporte e Lazer do Ministério da Cultura.

Detalhe da região de Guaraqueçaba, um dos três últimos biomas naturais da humanidade. ABRIL / 2010 –

17


FUNDAÇÃO MOKITI OKADA

Comida da „mamma‰ Luis Fernando Buck e Maria Tereza Casulli

Outono (20 de março a 20 de junho)

Nhoque de cará

Sazonalidade dos produtos: maior oferta em maio

Rendimento total: 1.140 g (sem molho) Cará cozido e espremido Farinha de trigo orgânico Amido de milho (maisena) Gema de ovo Korin Sal marinho Óleo de canola Queijo ralado

870 g ½ xícara de chá 180 g 3 unidades 1 colher de chá 1 colher de sopa 50 g

Misturar o cará, a farinha, o amido de milho, a gema de ovo, o sal e o óleo e amassar com as mãos. Verificar se precisa de um pouco mais de farinha para dar o ponto. Fazer rolinhos de aproximadamente 1,5 cm e cortar. Cozinhar em água fervente com sal. Servir com o molho de sua preferência. Recomendamos o molho à bolonhesa com P.T.S. (proteíj ) Finalizar,, polvilhando p queij q ijo na texturizada de soja). parmesão o ralado ral alad ado o e enfeitar e feit enfe en f it fe itar tar a com com m ffolhas olha ol hass dee manjericão. ão. ão

O

ito de março é o Dia Internacional da Mulher, mas é em maio que o feminino enche o ar com o seu perfume, pois é o mês das noivas e, ainda, temos, no segundo domingo do mês, o Dia das Mães. A figura da mulher protetora cuidando dos seus entes queridos é um símbolo de doação amorosa que nos remete a várias memórias, inclusive às lembranças de mesa posta com pratos deliciosos, que só a mãe da gente sabe fazer. Quem não tem um cheiro, um sabor, uma comida guardados com carinho no coração? O alimento faz uma ponte interessante entre estômago e coração. Não é à toa que temos um “céu” na boca, porque saborear o prato da “mamma” é sublime. Dizem até que devemos comer ajoelhados. Um simples arroz com salada de tomate se torna um verdadeiro manjar dos deuses, se preparado por ela. Neste mês especial, para comemorar o domingo da “mamma”, damos de presente uma receita de nhoque de cará. Uma delícia! Você já foi às famosas colônias italianas no sul do

SUGESTÕES SAUDÁVEIS

Frutas: Abacate, atemoia, banana-maçã, caqui, jaca, kiwi nacional, maçã nacional, mação nacional gala, quincan, tangerina poncã. Legumes: Abóbora, abóbora japonesa, abóbora seca, abobrinha brasileira, batata-doce amarela, batata-doce rosada, berinjela comum, beterraba, cará, cenoura, chuchu, feijão corado, inhame, mandioca, mandioquinha, pimenta vermelha. Verduras: Alho-poró, almeirão, erva-doce, louro, moyashi, nabo, rabanete. Diversos: Pinhão. Peixes: Abrótea, barbado, berbigão, camorim, carapau, cônglio, garoupa, lambari, linguado, mandi, olho-de-cão, parati, polvo, tainha, tambica, traíra. (Fonte: ( Ministério da Agricultura, g , Pecuária e Abastecimento. cime ci ment ento. ntoo w www www.ceagesp.gov.br) ww.c .cea cea e gesp eage geespp.ggov ov.b .bbr))

país? Ou às cantinas do bairro do Bexiga, em São Paulo? Se já os conhece, sempre é bom recordar sua gastronomia, tão típica da Itália. E para quem ainda não os conhece, vale a pena usar a imaginação. Prepare nossa sugestão de receita, que tem inspiração nesses lugares e, depois de pronta, respire fundo, feche os olhos e coma, “rezando”, este maravilhoso nhoque que mistura sabores brasileiros. Bom apetite!

Cará (maior disponibilidade entre março e setembro) Nome científico: Dioscorea sp. Tubérculo do mesmo grupo da mandioca e do inhame, o cará apresenta várias espécies. Tem casca marrom-escura, coberta com fibras e polpa fibrosa branca ou amarelada. Pesa cerca de 1 a 3 kg. Para o consumo, sua casca não deve apresentar manchas, machucados ou fendas. Não deve ser guardado na geladeira, pois absorve umidade e amolece. Coloque-o em lugar abrigado, seco e escuro. Assim como a batata, o cará pode brotar se ficar exposto à luz do sol. Ele se conserva bem por mais de 15 dias.

O cará foi introduzido no Brasil pelos escravos e, embora não se saiba com certeza, acredita-se que seja originário do oeste da África. Na cozinha, seu emprego é muito variado e pode ser preparado da mesma forma que a batata em vários pratos como sopas, caldos, purês e refogados. Também pode ser usado na forma de pão, bolo, creme, biscoito, pirão, panquecas e tortas. Os temperos que combinam com ele são o alho, a cebola, o açafrão, o sal, o louro, a pimenta, o limão e o orégano.

Análise química em g/100g Energia (kcal)

Ptn (g)

Lip (g)

Carb (g)

Fibra (g)

Cálcio (mg)

Fósforo (mg)

Ferro (mg)

Retinol (mcg)

VitB1 (mg)

VitB2 (mg)

Niacina (mg)

VitC (mg)

120

2,00

0,10

28,40

1,10

22,00

39,00

1,00

2,00

0,10

0,04

0,70

8,00

Fonte: ENDERF – Tabela de composição de alimentos. 2ª edição. 1981.

18 – ABRIL / 2010

Comida a de festa Em maio m temos:  Dia das d Mães  Festaa do Divino Espírito Santo  Mês d das Noivas Qual é o prato típico e tradicional dessas festas na sua região? Você tem alguma sugestão de receita? Aguardamos sua resposta pelo e-mail alimentacaonatural@fmo.org.br

ABRIL / 2010 –

19

IZUNOME

IZUNOME

FUNDAÇÃO MOKITI OKADA


KORIN AGRICULTURA NATURAL

Renomado chef japonês vem ao Brasil e

IZUNOME

IZUNOME

KORIN AGRICULTURA NATURAL

destaca alim entos da Korin presa e puderam experimentar tomates colhidos diretamente do pé. “Buscamos demonstrar as formas pragmáticas em que a filosofia de Mokiti Okada promove a Agricultura Natural e a elevação espiritual das pessoas por meio da prática conjunta das três Colunas de Salvação”, relata o gerente geral da Korin, ministro Reginaldo Morikawa. Segundo o gerente comercial da empresa, ministro Edson ShigueNa plantação, chef Tanahashi degustou tomates moto, foi muito impororgânicos colhidos diretamente do pé. tante a visita do chef Tanahashi, já que ele pratica uma culinária que preza pelo espírito dos alimentos, o respeito aos vegetais e o sentimento no preparo das refeições. “Esse método praculinária budista ticado pelo chef se relaciona diShojin é uma práretamente aos Ensinamentos de tica religiosa que Meishu-Sama. Acredito que esse prega o desenvolvimento encontro e a participação da Koespiritual que envolva a rin nesse processo não foram por ação cotidiana, o controacaso”, diz. De acordo com o mile de si, a quietude do nistro, a energia do chef contagiou espírito, o sentimento de a todos, alegrando ainda mais o gratidão, a dedicação e a ambiente. “Percebi que Tanahashi crença para seguir seu caé uma pessoa muito iluminada e minho como ser humano. essa energia nos motivou a auO chef Tanahashi nasmentar o espírito de dedicação em ceu na cidade de Kumacada ação que realizarmos pela moto no Japão. Estudou Korin”, afirma. Economia Agrícola na Para o ministro Shiguemoto, o Universidade de Tsukuba encontro também foi muito proe, em 1987, ingressou no missor no aspecto comercial da templo zen-budista GesKorin. A empresária Chieko Aoki shinji da província de Shificou muito impressionada com os ga, onde permaneceu por produtos da Korin e seu método dois anos, aprimorando produtivo baseado na Agricultuseus conhecimentos culira Natural. “Gostei muito do que nários em uma cozinha que posvi e fiquei fã dos produtos da Kosui todo um ritual de preparo. rin, que não só comprarei como De grande nome no Japão e no divulgarei aos meus amigos”, diz mundo, teve sua vida dramatiChieko.

Entre o gerente de negócios agrícolas da Korin, Min. Jarbas Cordeiro de Souza e a engenheira de alimentos, Min. Cecília Ifuki.

A gratidão na arte de cozinhar

A

Chef Tanahashi conheceu o cultivo pelo método da Agricultura Natural praticada A pela Korin em Atibaia.

O

renomado chef japonês Toshio Tanahashi, especializado na culinária budista “Shojin Ryori” (“desenvolvimento espiritual”), de prática vegetariana e conhecida como “culinária de devoção”, em que se busca o estado perfeito do alimento e a purificação após o preparo, esteve em visita ao Brasil a convite da Comissão para Divulgação da Gastronomia Japonesa, composta pelo chef Shinya Koike, referência em culinária japonesa no Brasil, do ex-dirigente do Banco Central e do Incra, o economista Paulo Yokota, e pelo grande nome da hotelaria no Brasil que preside a

20 – ABRIL / 2010

Blue Tree Hotels e diretora executiva da Noah Gastronomia, a empresária Chieko Aoki. No roteiro do chef, destacou-se a visita à Korin, à qual seus anfitriões fizeram questão de levá-lo, devido à conceituada imagem da empresa como produtora de alimentos orgânicos.

No dia 25 de março, no restaurante Kinoshita, em São Paulo, o chef preparou um almoço para os patrocinadores de sua estadia no Brasil, entre eles a Korin, que forneceu parte dos alimentos orgânicos utilizados nas receitas preparadas por Tanahashi. Tanahashi esteve acompanhado por Chieko Aoki, Paulo Yokota e Shinya Koike, no dia 27 de março, no polo produtivo da Korin em Atibaia. Os visitantes iniciaram o dia, participando da oração Amatsu Norito, juntamente com membros e funcionários do polo, e receberam Johrei. Em seguida, desfrutaram de um delicioso brunch natural, conheceram toda a produção agrícola da em-

zada em um seriado da TV NHK chamado “Honmamon” (“A coisa verdadeira”), que foi um grande sucesso no país.

ABRIL / 2010 –

21


IZUNOME

DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA

Fazer o bem faz bem

M

eishu-Sama orienta, em diversas partes dos Ensinamentos, sobre a grande importância do altruísmo. Numa delas, no volume 3 do livro Alicerce do Paraíso, ele diz: “Como venho afirmando há muito tempo, nossa felicidade depende de fazermos os outros felizes. Esse é o meio mais seguro para alcançá-la, e eu o venho aplicando há muitos anos com resultados maravilhosos.” Segundo pesquisa publicada, em outubro de 2006, na revista norteamericana Proceedings of the National Academy of Sciences, a tegmental ventral, uma das áreas do cérebro, é A entrega de minibana também é uma forma de prática altruísta. estimulada quando um indivíduo doa dinheiro a uma entidade filantrópica. Essa área também é acionada no momento em sa, demonstrando que o praticante da ação altruísta que alguém pratica ações voltadas a seu prazer, como também é beneficiado. Para Jorge Moll, neurocientista e um dos autores apreciar um almoço saboroso ou ver um bom filme. Numa das fases da pesquisa, durante uma espécie da pesquisa, “apesar de as pessoas, em geral, terem de jogo, cada um dos voluntários recebeu 128 dóla- hoje um comportamento, de certa forma, egoísta, res. Num telão, de modo sequencial, foram apresen- todas elas têm a capacidade de fazer o bem e de se tados a eles nomes de várias instituições. Cada um sentirem bem com isso. Se dermos a elas condições respondeu, por exemplo, se doaria ou não 2 dólares e instrumentos apropriados, poderemos gerar uma a um fundo social das Nações Unidas. Ao final do sociedade cada vez mais altruísta.” Já o presidente mundial da IMM, Revmo. Tetsuo jogo, se o voluntário não tivesse feito nenhuma doação, levaria para casa os 128 dólares. Se houvesse Watanabe, transmitiu a seguinte orientação aos participantes do Culto às Almas dos Antepassados de saldo, embolsaria o valor restante. Durante o jogo, os voluntários foram submetidos 2009, realizado no Solo Sagrado: “Se todos os mesà ressonância magnética, exame que produz imagens siânicos se unirem para fazer a prática constante das de acordo com as atividades cerebrais. Em cada um pequenas ações altruístas, será criada uma sequência deles, foram detectadas, então, quais partes específi- de felicidade que alcançará a maioria da população cas do cérebro foram estimuladas no instante em que brasileira.” Dessa forma, pode-se dizer que a prática das eles registraram a resposta (“sim” ou “não”) às perpequenas ações altruístas é um dos “instrumentos guntas do jogo. Os cientistas ficaram impressionados com a rea- apropriados” sugeridos por Moll, pois qualquer pesção gerada na tegmental ventral no momento em que soa pode fazê-la em todos os momentos e lugares, os voluntários ajudavam financeiramente uma cau- sempre pensando na felicidade de seu semelhante. Com redação da revista IZUNOME, a matéria foi baseada nas seguintes fontes de informação:  Trecho do Ensinamento “Segredo da felicidade”, disponível no volume 3 do livro Alicerce do Paraíso  Edição Especial (número 23 – dezembro de 2009) da revista IZUNOME  http://www.istoe.com.br/reportagens/detalhePrint.htm?idReportagem=1406&txPrint=completo  http://www.pnas.org/content/103/42/15623.full

22 – ABRIL / 2010


2010/04  

Levar flores aonde quer que haja pessoas

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you