Page 1


18 e 19 de agosto de 2009 PALESTRAS E MESAS-REDONDAS ❑ Sustentabilidade planetária: propostas no campo das religiões ❑ Sustentabilidade e a sobrevivência da humanidade ❑ Religiões e a criação de uma ética global para salvar o meio ambiente ❑ O papel vital das antigas e novas religiões na conservação do meio ambiente Local: R. Morgado de Mateus, 77 - V. Mariana - São Paulo - SP Informações: (11) 5081-5888 ou 5087-5134 cursos@faculdademessianica.edu.br Inscrições pelo site: www.faculdademessianica.edu.br/simposio CICLO DE ESTUDOS - RELIGIÃO E MEIO AMBIENTE 20 a 25 de agosto - a programação está disponível no site: www.faculdademessianica.edu.br/simposio REALIZAÇÃO

APOIO

29 de agosto de 2009 Assuntos em pauta (entre outros): - A evolução das leis ambientais nos últimos anos e sua contribuição para a formação da cidadania. - Horta na escola - educando para a sustentabilidade na Bacia do Guarapiranga. - A importância da educação na formação das gerações futuras: questões humanas e ambientais.

Local: Rua Morgado de Mateus, 77 - Vila Mariana - São Paulo - SP Informações: tel.: 11 5087-5004 com Patrícia ou cpesq@fmo.org.br


ÍNDICE

Editorial Transição para a Era do Dia Que relação ela tem com você?

6

Trono de Kyoshu A transição para a Era do Dia já está concluída em você?

10

Experiências na prática da fé “Ganhei verdadeira convicção no Johrei” “Se nós não mudamos, nada muda”

16

Núcleo Arte Em busca da verdadeira arte e do Belo

18

Alimentação Carne vermelha é um alimento indicado para o ser humano?

FOTO: BIANCA HASSIB

IZUNOME

4

Foto da capa: Salão Nobre do Templo do Solo Sagrado de Guarapiranga.

JULHO / 2009 –

3


EDITORIAL

IZUNOME

Transição para a Era do Dia Que relação ela tem

com você? uando nos tornamos membros da Igreja, uma das primeiras informações básicas que recebemos é que em 15 de junho de 1931, no topo do monte Nokoguiri, Meishu-Sama teve a permissão de intuir que, naquele momento, começava a se processar, no mundo espiritual, uma mudança que iria afetar toda a humanidade - a transição da Era da Noite para a Era do Dia. Essa é uma informação importante, mas quantas vezes nos questionamos sobre a relação que ela tem com a nossa vida, com o nosso dia a dia? Será que não nos acostumamos a pensar que essa transição está acontecendo num mundo distante, como se o mundo espiritual não estivesse aqui, presente no nosso cotidiano, e essa mudança não afetasse diretamente a nossa vida? No momento em que nos preparamos para receber, em novembro, a presença viva de Meishu-Sama através de nosso Líder Espiritual, que privilegia nosso país com sua primeira viagem missionária fora do Japão, é tempo de meditar sobre o assunto. A orientação que Kyoshu-Sama dirigiu aos messiânicos de todo o mundo, no Culto do Paraíso Terrestre, realizado no Solo Sagrado de Atami, aborda esse assunto com profundidade. IZUNOME traz a íntegra dessa orientação, de modo que possamos estudar e aprofundar a nossa preparação para que, além da conscientização de que a transição da Treva para a Luz se processa, a cada dia, de acordo como nosso esforço, dentro de cada um de nós, mas também para que possamos receber, com espírito renovado, as palavras que ele irá proferir como sendo o desejo e o sentimento do Messias, Meishu-Sama. Duas experiências na prática da fé, de uma jovem do Rio de Janeiro, cujos pais e avós foram pioneiros da difusão da fé no Rio de Janeiro, e de um ministro pioneiro na difusão na região Sul também compõem essa edição, Atividades culturais da Fundação Mokiti Okada, como as do Núcleo Arte, sociais, como a assistência a familiares de dependentes químicos e do grupo de Saúde, que se empenha em apresentar para você um caminho para uma alimentação mais saudável, além de um desafio vencido pela Korin Agropecuária - que merece elogio e gratidão - a primeira colheita de milho orgânico e a relação entre os cuidados com a nossa saúde e a consequência que pode penalizar nossos descendentes, tudo isso é tema desta edição de IZUNOME. Esperamos ter preparado uma edição que contruibua para o seu estudo e aprimoramento evolutivo, para podermos receber Kyoshu-Sama. Bom estudo, boa missão.

Q

REVISTA IZUNOME Elaboração: Divisão Editorial da Igreja Messiânica Mundial do Brasil Diretor da Divisão: Rev. Mikio Takase Produção: Fundação Mokiti Okada - M.O.A. Redação e Administração: Rua Morgado de Matheus, 77 – 1º andar – CEP 04015-050 – Vila Mariana – São Paulo – SP – Tel. (0xx11) 5087-5145 Jornalista responsável: Antonio Ramos de Queiroz Filho (MTb 21898) – E-mail: toni.ramos@messianica.org.br Edição de Arte: Kioshi Hashimoto Redação: Marcelo Falsarella Revisão: Ivna Fuchigami Fotografia: Ricardo Fuchigami Ilustrações: Juhi Lee Foto da capa: Paulo Schlick Tiragem para o Brasil: 80 mil exemplares Impressão: Editora Abril Edição internacional especial para Japão, Europa, Estados Unidos e América Latina Coordenação de impressão e distribuição: Departamento Internacional da Sede Geral da IMM, Atami, Japão Tiragem: 3 mil exemplares Acesse nossos sites:

SEKAI KYUSEI KYO IZUNOME

www.messianica.org.br

4

www.fmo.org.br

– JULHO / 2009

www.solosagrado.org.br

www.johvem.com.br

www.korin.com.br

www.planetaazul.com.br

www.izunome.jp


IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL DO BRASIL

Mokiti Okada “Ao longo de três mil anos, a humanidade veio se afastando cada vez mais da Lei da Natureza, que é a Lei do Universo, a Vontade de Deus, a Verdade. Movido pelo materialismo, que o faz acreditar apenas naquilo que vê, e pelo egoísmo, que o leva agir de acordo com a sua própria conveniência, o homem tornou-se prisioneiro de uma ambição desmedida e inconseqüente e vem destruindo o equilíbrio do planeta, criando para si e seu semelhante, desarmonia e infelicidade. As graves conseqüências do desrespeito às Leis Naturais podem ser verificadas na agricultura, na medicina, na saúde, na educação, na arte, no meio ambiente, na política, na economia e em todos os demais campos da atividade humana. Essa situação jáchegou ao seu limite. Se continuar agindo assim, é certo que o homem acabará destruindo o planeta e a si mesmo. O propósito da Filosofia de Mokiti Okada é despertar a humanidade, alertando-a para essa triste realidade. Ela cultiva o espiritualismo e o altruísmo, faz o homem crer no invisível e ensina que existem espírito e sentimento não só no ser humano, mas também nos animais, nos vegetais e nos demais seres. O Johrei, a Agricultura Natural e o Belo são práticas básicas dessa filosofia, capazes de transformar as pessoas materialistas em espiritualistas e as egoístas em altruístas, restituindo ao planeta seu equilíbrio original. Seu objetivo final é reconduzir a humanidade a uma vida concorde com a Lei da Natureza e construir uma nova civilização, alicerçada na verdadeira saúde, na prosperidade e na paz.” JULHO / 2009 –

5

IZUNOME

Filosofia de


IZUNOME

TRONO DE KYOSHU

A transição para a Era do Dia já está concluída

em você?

elicitações a todos pelo Culto do Paraíso Terrestre realizado no dia de hoje. Com imenso e profundo respeito, eu acredito que o único Supremo Deus, que está vivo por toda a eternidade, tem como objetivo da criação fazer todos os seres humanos se tornarem Seus verdadeiros filhos. Para isso, Ele preparou a humanidade como inúmeras partículas do Seu espírito e está realizando Sua Obra incessantemente, neste instante também. Sendo assim, todos os seres humanos carregam consigo, desde o princípio, a missão de Messias, ou seja, de nascer novamente como filhos do Deus Supremo. Meishu-Sama utilizou as expressões “vinda do Messias” e “nascer novamente”. Eu acredito que a Obra realizada pelo Supremo Deus dentro de Meishu-Sama é um “modelo” da Obra que precisa ser realizada dentro de todos os seres humanos. O Supremo Deus está vivo dentro de cada um de nós, tentando fazer com que renasçamos como Seus filhos. Não consigo deixar de pensar que Meishu-Sama nos ensinou isso através da Sua postura. Como, originariamente, somos filhos do Supremo Deus e partículas do Seu espírito, será que Sua vida e a nossa vida não estão unidas numa só? Será que a consciência original do Supremo Deus e a nossa autoconsciência, chamada “eu” do presente, não estão unidas numa só? Como, desde o princípio, nós também recebemos o sopro da vida do Supremo Deus e continuamos her-

F

6 – JULHO / 2009

Yoiti Okada, Líder Espiritual da Igreja Messiânica Mundial. No alto, durante orientação aos messiânicos, no Templo do Solo Sagrado de Atami (Japão).

dando-o agora também, devo pensar que o espírito e o corpo, ou seja o Céu e a Terra, não são existências completamente distintas e que, apesar das diferenças entre uma dimensão e outra, eles são unos. Por não ter essa consciência, eu considerava que tudo o que está ligado à minha autoconsicência me pertence, ou seja, considerava como meu tudo o que vejo, escuto, sinto ou acredito ser bom ou ruim. Por isso, preciso que o Messias Meishu-Sama receba tudo que eu sinto no meu coração e no meu corpo físico, entregando ao Supremo Deus tudo aquilo que vim considerando até hoje como meu, e orar para ser vivificado, juntamente com todas as coisas, por uma atuação de grande harmonia. Apesar de pensar que somos nós que estamos fazendo esta oração, como na verdade Meishu-Sama está dentro de nós orando ao Supremo Deus, precisamos rezar com o Sonen de estar orando junto com MeishuSama, retornar ao princípio da vida e ter uma relação mais íntima com o Supremo Deus – o Pai da vida.


TRONO DE KYOSHU

IZUNOME

Agradeço de todo coração pelo empenho de todos “A grandiosa força de salvação do Messias, os messiânicos em cultivar a fé que liga ao Messias tão esperada por toda humanidade, irá se manifestar” Meishu-Sama, e em querer participar da Divina Obra Dessa maneira, Meishu-Sama percebeu que a força de salvação da humanidade e construção do Paraíso de salvação do Messias, tão ansiada por toda a humaTerrestre, não medindo esforços para aperfeiçoarem- nidade, tomava todo o Seu interior. Nós somos seres se individualmente, e para transformar seu redor em que servem à “salvação realizada pelo Messias” na Paraíso através do estudo e prática dos Ensinamentos. condição de instrumentos de Meishu-Sama, como se Por meio, especialmente, da “Prática do Sonen” os fôssemos parte do Seu corpo. Sendo assim, apesar de senhores estão se empenhando para se tornarem pes- sermos seres individualizados, sem sombra de dúvida soas capazes de agradecer em qualquer circunstância formamos um só corpo com Meishu-Sama. Por isso, e, desejando a felicidade do outro, estão se dedicando será que não deveríamos entender que este poema esà prática do amor altruísta, revelando assim, imenso crito por Ele está se referindo a cada um de nós tamrespeito pelo sentimento de Meishu-Sama expresso bém, já que estamos unidos em um só corpo? nas palavras: Na condição de pessoas que servem a Meishu-Sama “Se não fizermos a felicidade do próximo, como Seus instrumentos, a nossa maior e mais imnão poderemos ser felizes”. portante tarefa é saber onde devemos centralizar o Para mim, essa postura dos senhores é muito nobre. nosso Sonen. Se o centralizamos neste mundo da forBem, de onde surge o sentimento do amor altruísta ma, um mundo que tem como sujeito principal a autoque os senhores estão praticando? Será que ele não consciência, acabamos nos colocando em primeiro surge do Supremo Deus, que é a plano. Dessa forma, nosso sentiorigem de todas as coisas? Ele ama mento de querer receber graças, todos os seres humanos e o Seu de querer ser abençoado, acaba amor está presente em todos os sendo predominante. seres, em toda a Natureza, enfim, Meishu-Sama escreveu o seem toda a Criação. guinte poema: Penso que a Divina obra de sal“Com o desejo de salvar vação da humanidade e de consa humanidade, conduzindo-a trução do Paraíso Terrestre, bem ao Paraíso, primeiramente como todos os Ensinamentos de tornei-me, eu próprio, Meishu-Sama são, ao mesmo temhabitante do Paraíso” po, a concretização da Verdade e a Este poema mostra que, para expressão do amor do Supremo salvar pessoas, em primeiro luDeus. Sendo assim, qual será o obgar nós precisamos nos tornar MEISHU-SAMA jetivo, o propósito desse amor? um habitante do Paraíso. Tenho Acredito que é fazer do ser hua impressão de que Meishu-Sama mano Seu verdadeiro filho. Será que não foi para rea- está nos ensinando: “Olha, mesmo que se diga que a lizar este objetivo que o Supremo Deus preparou inú- humanidade está esperando ansiosamente a salvação meras partículas do Seu próprio espírito? Por isso, do Messias, somos nós os responsáveis pela nossa próacredito que Seu amor foi vertido sobre todas as pes- pria salvação, pois, no final das contas, tudo está ligasoas, de maneira imparcial. Creio que a “Prática do do a nós mesmos.” É por causa disso que, reconhecendo Amor Altruísta”, que vem sendo realizada por todos que o Paraíso – princípio da minha vida – existe até os senhores corresponde ao propósito do amor do Su- hoje no âmago da minha consciência, desejo ser utipremo Deus e é uma prática extremamente nobre, atra- lizado, junto com todos os senhores, na salvação que vés da qual podemos servi-Lo. nos permite retornar ao Paraíso junto com um grande Será que os senhores não estão sendo utilizados na número de pessoas. Divina Obra que fará com que as pessoas que ainda Tenho a impressão de que o fato de conseguirmos não despertaram para o amor e o propósito do Supre- reconhecer, de coração, Meishu-Sama como o Messias, mo Deus, bem como os antepassados que desconhe- bem como o fato de estarmos nos empenhando em agraciam este propósito, possam todos retornar ao Paraí- decer e também em oferecer nosso servir por meio da so? Acredito que, desde o princípio da criação, o Su- “Prática do Sonen” e da “Prática do Amor Altruísta”, premo Deus deixou preparado o caminho para retor- enfim, o fato de estarmos conseguindo sentir todas essas narmos a esse princípio. E eu acredito que este caminho coisas não seria porque o Supremo Deus nos agraciou não é outro senão o propósito divino de fazer todos os com o grandioso perdão que é o Seu amor, e estamos seres humanos serem contemplados com uma nova recebendo a permissão de nos lembrarmos de como vida. Sendo assim, o mais importante é praticar o são as coisas no Paraíso? Por meio do Seu grandioso amor altruísta com o sentimento de que todos os nos- perdão, o Supremo Deus se apercebe da humanidade, sos antepassados, todas as pessoas que vêem à nossa que ignorava o propósito do Seu amor, e concretiza a mente e todas as pessoas que se relacionam conosco “transição da Era da Noite para a Era do Dia”, ou seja, estão ligadas a este caminho. salva a humanidade do mundo coberto pelas trevas da O primeiro salmo de Meishu-Sama entoado no ignorância e a guia ao mundo de Luz. Ou seja, Ele Culto de hoje foi: realizou uma grande transição no mundo espiritual.

Se não fizermos a felicidade do próximo, não poderemos ser felizes

JULHO / 2009 –

7


IZUNOME

TRONO DE KYOSHU Meishu-Sama percebeu a revelação da transição da Era da Noite para a Era do Dia ao subir o Monte Nokogiri, na província de Chiba, em 15 de junho de 1931. Tenho a forte sensação de que, neste exato instante, Ele está me perguntando: “Em você, a transição da Era da Noite para a Era do Dia já está concluída?”. Eu nunca havia pensado na relação que esta transição poderia ter comigo. Até então, minha compreensão sobre ela se limitava à revelação divina recebida por Meishu-Sama, 78 anos atrás. No entanto, como somos partes do seu “corpo” e formamos uma existência una com Ele, será que, na verdade, cada um de nós não está recebendo a permissão de recebe, por Seu intermédio, a força do Supremo Deus que concretizou a “transição da Era da Noite para a Era do Dia”? A força que realizou esta transição é o “poder de salvação do Messias”, a força que impulsiona a Divina Obra de salvação da humanidade e de construção do Paraíso Terrestre. É o poder que perdoa, purifica, salva, ressuscita e faz com que os seres humanos nasçam renovados. Hoje, quando já ocorreu a “transição da Era da Noite para a Era do Dia”, será que, no mundo espiritual, todos os seres vivos e todos os seres humanos já não

teriam entrado em uma fase completamente nova? Se conseguirmos compreender que, neste exato momento, nós estamos sendo criados e educados dentro de uma fase completamente nova, na qual a “transição da Era da Noite para a Era do Dia” já se realizou, e conseguirmos servir com esta consciência, certamente Meishu-Sama se alegrará e encaminhará cada um de nós para que, pouco a pouco, nosso interior também seja totalmente tomado pela força do Supremo Deus. Meishu-Sama mostrou-nos, com Sua vida, o modelo do habitante do Paraíso. Da mesma forma, gostaria que contiMEISHU-SAMA nuássemos nos empenhando em nos aprimorar para que tenhamos, cada um de nós, a permissão de sermos utilizados como “modelos” unidos a Ele. Por fim, estarei orando para que a graça Divina e a paz estejam sempre com os senhores. Junto ao Messias Meishu-Sama, manifesto minha mais profunda gratidão ao Supremo Deus pela força que realizou a “transição da Era da Noite para a Era do Dia” e perpassa todas as coisas, perdoando e vivificando a todos. Que os dias de todos os senhores sejam repletos de prosperidade. Muito obrigado.

Com o desejo de salvar a humanidade, conduzindo-a ao Paraíso, primeiramente tornei-me, eu próprio, habitante do Paraíso

8 – JULHO / 2009


CULTO MENSAL DE AGRADECIMENTO

sólida na fé FOTO: TONY TAJIMA

om dia a todos! Os senhores estão passando bem? Com muita alegria e gratidão, quero me congratular com os senhores pela sincera dedicação oferecida à expansão da Obra Divina no Brasil. Graças ao empenho de todos, há poucos dias, o Culto do Paraíso Terrestre foi realizado aqui no Solo Sagrado e em todas as regiões do Brasil com a presença de 80 mil pessoas que, com o coração cheio de gratidão e esperança, comemoraram a chegada da época do nascimento do Paraíso Terrestre. Também, graças ao empenho de todos, hoje posso dar uma boa notícia que muitos membros de São Paulo estavam aguardando: no próximo sábado, dia 11, será inaugurada mais uma grande edificação da nossa Igreja no Brasil, a sede própria do Centro de Aprimoramento da cidade de São José dos Campos, no interior do estado. Meus parabéns a todos os membros da região! Aproveito também para confirmar que o novo álbum de fotos do Solo Sagrado de Guarapiranga já está disponível aqui, nas lojas da Fundação Mokiti Okada e no site de compras pela Internet. Agora fica mais fácil para convidar os amigos a visitarem o Solo Sagrado. É só abrir o álbum, mostrar as maravilhosas fotos e quem ainda não conhece, vai querer conhecer, com certeza! Hoje, vamos ouvir duas emocionantes experiências de fé. Cada uma delas vai mostrar como a Luz do Johrei e da Prática do Sonen direcionada ao Messias Meishu-Sama podem dar resultados que nos deixam tão maravilhados. Porém, não são experiências de messiânicos principiantes, mas de quem possui uma longa história de fé que passa de pai para filho. A primeira é de uma jovem carioca de 21 anos, 3ª geração de messiânicos pioneiros do Rio de Janeiro. A segunda é de um ministro dedicante, que há mais de 30 anos vem se empenhando na Obra Divina no Estado do Paraná. Seus relatos mostram que o enfrentamento de graves processos de purificação só é possível se houver uma base sólida de fé, acumulada em anos de dedicação a Deus, ou então, por mérito dos antepassados. Por favor, peço a todos que ouçam com bastante atenção. Muito obrigado e boa missão a todos!

B

Reverendo Hidenari Hayashi, presidente da IMMB, apresentou o novo álbum de fotos do Solo Sagrado aos participantes do Culto. FOTO: HÉLCIO RENATO

Cerca de 11 mil pessoas participaram do Culto, em julho. FOTO: CELINA WATANABE

Exposição do Instituto de Arte e Cerâmica, no Centro Cultural.

FOTO: CELINA WATANABE

Membros e frequentadores participam de oficina de Ikebana.

JULHO / 2009 –

9

IZUNOME

Superar purificações exige uma base


Ganhei verdadeira convicção

no Johrei! eu nome é Fernanda Seabra Garrão Barbosa. Meu bisavô foi ministro pioneiro na difusão do Rio de Janeiro, e minha avó e mãe são messiânicas há mais de

M

quarenta anos. Tornei-me membro em 2001, tenho 21 anos, sou casada e tenho uma filha de 4 anos. Em abril de 2008, fiz um exame de sangue que confirmou uma nova gravidez. A felicidade foi geral, choramos de alegria e meu avô paterno fez um brinde especial. Porém, no exame pré-natal, foi constatado algo anormal. Tratava-se de uma doença chamada mola hidatiforme, também chamada de gravidez molar. Nessa patologia, não há a formação de um feto: somente a placenta surge e se desenvolve e é possível que ela se transforme em um tipo de câncer. Os sintomas eram os mesmos de uma gestação, com aumento da barriga devido à alta taxa do hormônio â-HCG. No início de maio, fiz uma curetagem para retirada da gravidez molar e o normal seria o hormônio baixar ao nível de uma mulher não grávida. Se isso não acontecesse, significaria que ocorrera uma invasão de outros órgãos, ou seja, uma metástase, e o primeiro a ser atingido seria o pulmão. No dia seguinte à curetagem, fui para casa com uma lista de remédios. Contudo, devido à minha formação familiar, optei por não tomá-los. Alguns dias depois, comecei a eliminar muito sangue e coágulos e, sob orientação médica, acompanhei a taxa do hormônio semanalmente. Notei que a taxa estava baixando e, durante todo o processo, recebia Johrei de toda a família e de meus amigos do Johrei Center. Cheguei a receber até duas horas de Johrei diariamente, além de autoministrá-lo. Como essa doença estava ligada à gestação, lembrei-me de ante-

FOTO: PAULO SCHLICK

IZUNOME

EXPERIÊNCIA NA PRÁTICA DA FÉ

10

– JULHO / 2009

Fernanda Seabra Garrão Barbosa.

passados que através de abortos foram impedidos de reencarnar. Passei a fazer a Prática do Sonen, encaminhando para o Messias Meishu-Sama purificar e salvar, os espíritos presos àquele sofrimento. A eliminação de sangue continuava. Ainda em maio, uma radiografia detectou um nódulo no pulmão. Em junho, um novo exame de sangue mostrou que a taxa do hormônio estacionara. Então, o médico pediu uma tomografia de tórax e o laudo confirmou uma metástase no pulmão, sendo indicadas quimioterapia e radioterapia. Segundo ele, o tumor teria rápida evolução, e eu poderia morrer em pouco tempo.


EXPERIÊNCIA NA PRÁTICA DA FÉ

IZUNOME

Fiquei desesperada e confusa. Conversei com meus familiares, que me apoiaram e decidi não fazer o tratamento indicado. Entretanto, uma parte da família não aceitou minha decisão e achava tudo um absurdo. Confiante, passei a fazer a Prática do Sonen também para os antepassados que se manifestavam não aceitando a salvação através do Messias Meishu-Sama. Preocupada com as críticas pensei em desistir, mas através da Prática do Sonen também encaminhava para Meishu-Sama o medo do risco iminente de morte e o apego que sentia pela vida e pela minha filha. Diante de minha decisão, o ministro me orientou a ministrar 10 Johrei todos os dias e acompanhar a Prática do Sonen com o donativo de gratidão. Isso foi possível graças à mesada que meu avô paterno, com muito carinho, oferece a mim e à sua bisneta. Após a orientação, fui diante do altar e entreguei minha vida nas mãos de Meishu-Sama e pedi que Ele me ajudasse a cumprir as orientações recebidas. Sabendo que Deus está no comando de tudo, compreendi que, mesmo sem permissão de continuar vivendo no mundo material, deveria salvar nossos antepassados. Comuniquei minha decisão aos familiares e pedi a eles um mês de preparação. Depois, repetiria os exames e, caso não melhorasse, iniciaria a quimioterapia. Durante o mês de julho, as eliminações de sangue continuaram. Com o apoio da família passei a ir todos os dias ao Johrei Center cumprindo, além da minha missão de esposa e mãe, a de messiânica. Ministrava 10 Johrei diariamente, realizando a Prática do Sonen, acompanhada do donativo de gratidão. Em agosto, as hemorragias cessaram e repeti os exames. Na tomografia, o tumor havia diminuído pela metade. No exame de sangue a dosagem do hormônio, apesar de ainda alta, estava muito menor do que a inicial. Pela ultrassonografia, havia apenas um cisto bem pequeno no ovário. Minha fé se renovou para continuar praticando as orientações e agradecer a purificação que recebia. O ministro me deu seu incentivo e meus familiares reconheceram o poder do Johrei. Em janeiro de 2009, refiz todos os exames. A tomografia mostrou que não havia mais tumor no pulmão, deixando os médicos surpresos. A ultrassonografia apresentou o útero e os ovários normais, indicando

Fernanda deu seu testemunho no Culto Mensal de julho.

inclusive a possibilidade de voltar a engravidar. No exame de sangue, a dosagem do hormônio foi negativa, comprovando a eliminação do tumor. Ganhei verdadeira convicção no Johrei, na Prática do Sonen e na atuação de Meishu-Sama como o Messias. Hoje sou outra pessoa! Compreendi que o processo de purificação faz parte da totalidade do amor de Deus. Deixei de lamuriar por qualquer motivo, como fazia antes. Uma simples enxaqueca me deixava irritada e, com isso, a harmonia do lar se quebrava. Hoje sou mais paciente, procuro agradecer a Deus em qualquer circunstância, fazendo a Prática do Sonen de Gratidão. Em agradecimento por esses milagres, entrego minha vida a Meishu-Sama! Intensifiquei minha dedicação como monitora de jovens, apoiando meu marido na sua missão de responsável por essa atividade, e já conduzi um casal de amigos que estou acompanhando. Nesta semana, meu marido foi promovido no trabalho, aumentando nossa felicidade! Quero continuar me empenhando para conduzir mais pessoas à Igreja Messiânica, como gratidão por ter tido a minha vida salva, e reencontrar o paraíso, junto com meus familiares. Muito obrigada, Messias Meishu-Sama!

JULHO / 2009 –

11


IZUNOME

EXPERIÊNCIA NA PRÁTICA DA FÉ

Se nós não mudamos,

nada muda!

om dia a todos! Meu nome é Gustavo Roberto de Sá Pereira, tenho 67 anos e sou advogado. Venho professando a fé messiânica há 31 anos e dedico como ministro da Igreja desde 1989. Durante todos esses anos, vivenciei e testemunhei um incontável número de milagres por meio do Johrei e da atuação do Messias Meishu-Sama na vida de muitas pessoas. Minha família sempre foi abençoada com a proteção de Meishu-Sama. Acredito que foi graças ao empenho na dedicação e ao cumprimento de minha missão que muitas bênçãos nos foram concedidas por Deus. No final de 2005, no lado direito da testa, mais ou menos dois dedos acima do olho, surgiu uma verruga de cor preta que, com o tempo, cresceu e ficou bem visível aos olhos das pessoas. Ela consistia em um tipo de “carne esponjosa” de quase 1 cm que ora diminuía, ora aumentava. No final de 2007 e ao longo de 2008, por vezes sangrava e ficava com uma aparência nada agradável, chegando a doer e a arder algumas vezes. Em novembro de 2008, por insistência da família,

B

12

– JULHO / 2009

O ministro Gustavo relatou aos participantes do Culto a experiência que viveu com a Prática do Sonen e a autoministração do Johrei.

consultei um dermatologista. Ele colheu material para uma biópsia e explicou que, após o resultado, analisaria a necessidade de uma cirurgia em data a ser marcada. Uns vinte dias depois, o resultado dos exames apontou a existência de células cancerígenas. Fiquei bastante preocupado, bem como todos os meus familiares, que sempre me apoiaram em minha missão. Comuniquei o fato ao reverendo coordenador de expansão e fiquei aguardando a definição da data da cirurgia que, segundo o médico, deveria ocorrer dali a algumas semanas. Foi quando nasceu na minha mente o pensamento: “Puxa vida! Como messiânico há 31 anos e ministro da Igreja há 20, ensinando as pessoas a fazer a Prática do Sonen, como estou encarando esta


EXPERIÊNCIA NA PRÁTICA DA FÉ

IZUNOME

purificação? Onde está o meu nível de fé em Meishu-Sama como o Messias?” Decidi, então, intensificar a Prática do Sonen que já vinha fazendo e refleti: se a causa está no espírito, precisamos eliminá-la. A partir dessa decisão, encaminhei os antepassados que manifestavam seu sofrimento através da verruga preta com células cancerígenas, na verdade um câncer, para que Meishu-Sama os purificasse e salvasse. Aliada à Prática do Sonen, iniciei também a autoministração do Johrei e desenvolvi estas práticas diariamente. Sempre orava a Meishu-Sama e pedia permissão de receber a Luz do Johrei e de transmiti-la a mim mesmo como Seu instrumento. Quando fazia alguma leitura, assistia à televisão ou mesmo ao me deitar, ministrava-me Johrei. Após o primeiro mês, percebi que a verruga estava diminuindo e secando. Até a família e os amigos observaram que ela ficara menor e assim decidi adiar mais um pouco a cirurgia. No início de fevereiro, ao completar um mês que fazia a Prática do Sonen e a autoministração do Johrei, um colega ministro observou minha testa e comentou: “Essa verruga parece que está diminuindo. O que você está fazendo?” Respondi que estava recebendo Johrei com mais frequência, fazendo a Prática do Sonen e também autoministrando Johrei e acreditava que logo ela seria eliminada. Cerca de 60 dias após o início dessas práticas diárias, em março de 2009, a verruga sumiu inteiramente, sem deixar qualquer vestígio. Durante uma reunião, uma professora de Ikebana observou: “O senhor operou aquela verruga que tinha na testa?” Respondi que não e que com a autoministração do Johrei e a Prática do Sonen, ela fora eliminada, deixando a professora muito admirada. Dedico também como coordenador da Fundação Mokiti Okada na Região Sul e a funcionária administrativa também fez a seguinte observação: “Ministro, o senhor sabe que, com essa prática, não só eliminou a verruga, como também seu rosto desinchou e sua aparência ficou mais clara?” Decorridos 90 dias, voltei ao médico em 29 de junho passado e, ao me atender, perguntou: “O senhor passou alguma pomada ou medicamento naquela verruga?” Respondi que não havia passado nada. Ele perguntou, admirado: “Houve algum sangramento durante esse período?” Novamente respondi que não e ele voltou a perguntar: “O que o senhor fez?” Esclareci que havia recebido uma oração chamada “Johrei” e, olhando novamente minha testa, ele disse: “Inacreditável! Não sou cético e acredito que exista uma força acima da nossa capacidade humana e científica.” Após esse diálogo, ele fez o exame clínico, confirmando que aquele câncer de pele havia cicatrizado e atestou esse milagre através de um laudo. Essa purificação que ganhei me mostrou, de forma clara e incontestável, a força de salvação de Meishu-Sama por meio do Johrei e da Prática do Sonen. Aprendi também que se nós não mudarmos, nada muda. Desde que ocorreu esse milagre em minha vida, o sentimento com que passei a ministrar Johrei mudou. Passei a praticá-lo com o pensamento e o sentimento de poder contribuir para a felicidade de um maior número de pessoas. Também recomecei o estudo de todos os Ensinamentos de Meishu-Sama, agora com atenção redobrada. Passei a lê-los com o meu coração e espírito, buscando neles as respostas para as dúvidas e a orientação para cumprir minha missão. Meu sentimento de gratidão e minha fé em Meishu-Sama também se ampliaram e percebi, literalmente, “na própria pele”, a importância de procurar agradecer em qualquer circunstância. Deus e Meishu-Sama sempre concedem, por trás do problema, a solução, de acordo com o que a pessoa precisa. Quero agradecer a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos reverendos e ministros, as orientações firmes e claras que sempre recebo, renovando meu compromisso de continuar servindo nesta maravilhosa Obra de Salvação. Muito obrigado, Meishu-Sama!

FOTO: PAULO SCHLICK

JULHO / 2009 –

13


ENSINAMENTO DO MÊS

IZUNOME

Sermão, Johrei e Felicidade (...) Os sermões são processos purificadores que agem através do sentido da audição. Os livros sagrados, como a Bíblia, a sutra budista, e os ensinamentos de várias religiões, agem mediante o sentido da visão e o espírito das palavras. A Igreja Messiânica Mundial também se utiliza desses meios, mas possui ainda o processo purificador denominado Johrei. O Johrei não visa curar doenças; é, antes, um método de criar felicidade. Ele não pode ter como objetivo a cura das doenças, porque estas são formas de purificação; sua finalidade é eliminar as máculas do espírito. O resultado da erradicação dessas máculas é a extinção dos sofrimentos humanos. Costumo ensinar que a doença, a pobreza e o conflito são processos purificadores. A doença é o principal, porque afeta a própria base da vida. Quando conseguirmos vencê-la, também solucionaremos o problema da pobreza e do conflito. Portanto, a base da felicidade é a eliminação das máculas espirituais. O Johrei é o método mais simples e infalível para erradicá-las. É, pois, evidente que ele não visa a própria doença, e sim as suas causas. Como já escrevi em outras oportunidades, o

14

– JULHO / 2009

corpo material do homem vive no Mundo Material, e o espírito, no Mundo Espiritual. Sendo assim, a situação do Mundo Espiritual influi sobre o espírito e se reflete sobre o corpo, de modo que o destino do homem se origina no Mundo Espiritual. (...) Por isso, devemos esforçar-nos para elevar o nosso nível espiritual, o que significa reduzir os nossos sofrimentos e, proporcionalmente, aumentar a nossa felicidade. Assim, não mais serão necessários os sofrimentos purificadores. É inútil apelar para a inteligência e envidar esforços enquanto o espírito estiver no Plano Inferior, porque esta é a Lei de Deus. E a Lei do Espírito Precede a Matéria também é inviolável. Concluímos, portanto que, para ser feliz, é necessário crer em Deus Absoluto, adorá-Lo, compreender e praticar a Sua Vontade, somar méritos e purificar o espírito de modo que o seu habitat espiritual se eleve ao Céu. Não há outro processo para alcançarmos a felicidade, e nisso reside o profundo significado do Johrei. Meishu-Sama, em 25 de março de 1952 Trechos extraídos do livro Alicerce do Paraíso – Vol. 1.


KORIN AGROPECUÁRIA

milho orgânico pós seis meses do plantio foi realiza da, no dia 12 de maio, a colheita da primeira safra do grão produzido no Pólo de Agricultura Natural da Korin em Ipeúna. “Para lançarmos o frango orgânico da Korin, que é inédito no mercado, tivemos de analisar todo o processo de produção, desde a cadeia de suprimentos até a certificação do produto final. Detectamos que um dos pontos de maior risco estava concentrado na dificuldade operacional de termos à disposição, de forma cadenciada ao uso, o milho orgânico certificado. Sem este insumo, o produto não pode receber o selo de certificação”, declarou Luiz Carlos Demattê Filho, gerente industrial da Korin. Como até hoje não existiam empresas que utilizavam este insumo no Brasil, toda a produção é exportada, o que encarece e o torna muito escasso no mercado interno. Outra dificuldade se deve ao fato de ele não poder ser estocado por muito tempo, em função de não receber o tratamento com agroquímicos que garantem sua conservação. A Korin decidiu então plantar o insumo para reduzir seu custo de compra e garantir a oferta desse importante produto, que representa cerca de 70% da composição da ração do frango orgânico da empresa. Foram utilizados 12 hectares do Pólo de Ipeúna, preparados para o plantio com os produtos da linha “Bokashi”, pelo engenheiro agrônomo e coordenador de Produção Agrícola da Korin, Eduardo Prochnou. Com o uso de uma colheitadeira automática, foram colhidas aproximadamente 58 toneladas da ”commoditie orgânica”, certificada pela CMO – Certificadora Mokiti Okada. O preço de cada saca de 60 kg, produzida pela Korin, teve um custo

A

Quase cinco toneladas de milho orgânico foram colhidas no primeiro plantio, em Ipeúna.

final de R$19,50 contra R$34,00 da saca orgânica encontrada no mercado. Com isso, a Korin obteve uma economia de cerca de R$14,50 por saca, além de agregar benefícios ecológicos para nosso Pólo de produção, uma vez que a plantação seguiu as normas orgânicas que estabelecem a não utilização de adubos químicos e agrotóxicos. “Foi a primeira vez que cultivamos este produto nesta área do Pólo, que anteriormente era utilizada como pasto de animais. Como o resultado foi muito bom, já que colhemos cerca de 4.900 kg de milho orgânico por hectare, podere-

Luiz Carlos Demattê Filho, gerente industrial da Korin.

mos expandir com segurança este plantio para 120 toneladas, já neste ano, para a colheita de maio de 2010”, declarou Prochnou.

Agachado, o coordenador de Produção Agrícola da Korin, Eduardo Prochnou.

JULHO / 2009 –

15

IZUNOME

Colhida a nossa primeira safra de


IZUNOME

FUNDAÇÃO MOKITI OKADA - NÚCLEO ARTE

Em busca da verdadeira

Arte e do Belo ultivar o belo em busca de um mundo melhor. Criar harmonia, evolução e arte na vida do ser humano através do Belo é a missão do Núcleo Arte da Fundação Mokiti Okada, que pelas mais diversas manifestações vêm resgatar a arte, de mero objetivo de deleite para transformá-lo em um instrumento de conhecimento, educação, contemplação e elevação da espiritualidade. Para isso, um grupo de profissionais e apreciadores vem reunindo-se semanalmente com o intuito de estudar os Ensinamentos de Mokiti Okada sobre arte, as orientações de Kyoshu–Sama e do presidente mundial da O Igreja Messiânica, reverendíssimo Tetsuo Watanabe, sistematizando assim o pensamento de Mokiti Okada sobre o Belo. Com base nesses estudos foi desenvolvida uma ação chamada “Encontro Cultural – Desperte para o Belo”, que há três anos estimula os participantes a terem contato com diferentes manifestações artísticas, além de iniciar ou ampliar os seus conhecimentos sobre arte. Segundo a aposentada Creuza Pinto Souza “antes de ingressar no grupo de estudos do Núcleo Arte, eu achava que a arte era para ricos e que os artistas já nasciam com o dom. Hoje, acredito que a arte vem da alma, que é a essência do Belo. Com o que venho aprendendo sinto que renasci para Deus, Meishu-Sama e para mim mesma”. Como parte do programa de aprimoramento o Núcleo Arte coordenou, em setembro de 2008, uma viagem ao Japão, para aprofundar e vivenciar os Ensinamentos deixados por Mokiti Okada. Vinte e oito pessoas, integrantes do grupo, visitaram os Solos Sagrados de Atami, Hakone, Kyoto, o local do nascimento do patrono da Fundação, museus e templos que serviram para fundamentar o estudo que vem sendo desenvolvido. Para Elias Muradi, artista plástico e diretor da ABRA - Academia Brasileira de Arte - unidade Vila Mariana, depois dessa viagem a sua visão sobre a arte mudou. “Na verdade, havia uma falha de entendimento a respeito do que Meishu–Sama fala sobre os museus que criou. Quando estive nos dois locais, fiquei muito impressionado e sem palavras para expressar o que lá senti. Visitando o Museu de Atami, muitos e muitos trechos dos Ensinamentos e do livro “Luz do Oriente” me vinham à mente, pois a sensação de alegria e encantamento era incomparável e cada palavra de Meishu–

C

16

– JULHO / 2009

“Desperte para o Belo” 2008 contou com 150 participantes.

Reunião de estudos na sede da Fundação Mokiti Okada.

Sama ecoou dentro de mim. Senti o quanto meu espírito era pequenininho diante daquilo tudo, e o quanto teria que compreender sobre salvação”. Em 2008, cinco exposições foram realizadas viabilizando o contato com a arte para 9.500 pessoas que visitaram as mostras de vários artistas com diferentes linguagens. Em 2009, o Núcleo Arte continua com uma programação intensa de exposições e cursos de aperfeiçoamento. No início do ano, 17 integrantes participaram do curso “Estética e Arte” que teve o objetivo de contextualizar a história e o caráter da estética e da arte como elementos fundamentais para o desenvolvimento das civilizações. Em março, foi organizado o curso “Museologia, uma ciência aplicada”, que serviu para aprofundar os conhecimentos dos 30 participantes sobre a base teórica que alicerça as atividades técnicas museológicas. No mesmo mês também foi promovido um encontro com o artista plástico Kazuo Wakabayashi, em Guarapiranga, em São Paulo, levando os participantes a aprofundar sua relação en-


FUNDAÇÃO MOKITI OKADA - NÚCLEO ARTE

a obra-prima da criação o Culto Mensal de Gratidão de setembro, no Solo Sagrado de Guarapiranga, celebramos também o Culto do Belo. Mas o que Mokiti Okada nos fala sobre o tema? Mokiti Okada sempre afirmava que a apreciação de obras-primas de arte era um caminho para propiciar ao ser humano a elevação de seu senso estético e artístico e, principalmente, de sua espiritualidade. Ele enfatizava a importância de o artista estar consciente de que seu estado de espírito, impregnado na obra que ele iria produzir, exerceria forte influência em todas as pessoas que a contemplassem. Mas estaria Ele restringindo o conceito de arte a uma pintura, uma escultura, ou algo que alguém pudesse produzir? Especialistas recuperam telas, esculturas danificadas, restituindo-lhes a beleza das cores, a integridade física das peças, etc. Através desse trabalho uma obra de arte pode se perenizar, continuar sendo apreciada por várias gerações. Não teremos nós, discípulos de Mokiti Okada, a missão de “restaurar”, espiritualmente, a maior obra de arte jamais criada, que é o próprio ser humano? Quando estão diante de uma tela, por exemplo, as pessoas experimentam sensações diferentes. Algumas se sentem enlevadas; outras, certo desconforto e rejeição. E nós? Que sensação passamos para as pessoas que têm contato conosco? Quando nos encontram, o que elas sentem? Vontade de estreitar o convívio ou um desejo incontrolável de se afastarem de nós? Somos a obra-prima do Criador. Pelo livre-arbítrio, podemos optar por nos tornamos alguém cuja presença, em qualquer lugar, signifique Luz ou treva. Amor ou ódio. Alegria ou tristeza. Altruísmo ou egoísmo. Depende de nós. E no dia em que muitas pessoas considerarem que terem nos conhecido foi um fator determinante de uma mudança positiva em suas vidas, teremos começado a corresponder à expectativa de Mokiti Okada – que cada um de nós, nossas palavras, nossos atos, nossos pensamentos, nossos sonhos e objetivos estejam sempre sintonizados com a felicidade do nosso próximo. O Belo exterior é apenas a manifestação da beleza que cultivamos no nosso espírito. E nós nascemos para brilhar, para ser Luz, para ser Belo.

N

Voluntárias do Núcleo Arte fazem a limpeza das obras de Sandai Sama (Terceira Líder Espiritual da IMM) na sala de Meishu-Sama, no Solo Sagrado.

O artista plástico Kazuo Wakabayashi, em palestra para integrantes do Núcleo Arte.

tre a arte e o cotidiano. Participaram 65 pessoas, entre professores e alunos da Academia Brasileira de Arte, do curso técnico em Museu do Centro Paulo Souza, e integrantes do Núcleo Arte. “Ter a oportunidade de ouvir Kazuo Wakabayashi foi uma grata surpresa. Confesso que não conhecia sua obra, muito menos sua história. Impressionei-me pela autenticidade de seu depoimento e com suas idéias, com as quais concordo tanto!”, declarou a diretora da ABRA – unidade Vila Mariana, Mila Thile, ao final do encontro. As inscrições para o “Desperte FOTO: DANIELA SILVA para o Belo 2009”, que vai acontecer em 26 e 27 de setembro, na sede da Fundação Mokiti Okada, na Vila Mariana (SP), já estão abertas e podem ser feitas pelo site http:// www.fmo.org.br/desperteparaobelo até 5 de setembro. Os temas das palestras e mais informações também estão disponíveis no site. Mais informações através do email nucleoarte@fmo.org.br ou pelo telefone: (11) 5087-5086.

Mostra do pintor Kazuo Wakabayshi, no Centro Cultural do Solo Sagrado.

-JULHO / 2009 –

17

IZUNOME

Você,


IZUNOME

FUNDAÇÃO MOKITI OKADA - ALIMENTAÇÃO

Carne vermelha: é um alimento indicado para

o ser humano? LUIS FERNANDO BUCK E MARIA TEREZA CASULLI

omo você já percebeu, desde março nossas matérias mostraram alguns aspectos da produção ou do consumo da carne vermelha, tendo como objetivo auxiliar as suas escolhas alimentares e de alguma forma contribuir para sua conquista de uma boa saúde. Afinal, é recomendável para o ser humano comer carne? Trata-se de um tema complexo e polêmico onde diversas variáveis entram em questão. Para se responder esta pergunta é preciso avaliar bem cada aspecto abordado nos diversos textos científicos publicados. E ainda, avaliar as condições individuais. Alguns antropólogos afirmam que a alimentação dos povos primitivos consistia, principalmente, de frutos silvestres, nozes e vegetais, e que eles comiam carne em menor quantidade. O “consumo excessivo” de carne ocorreu com o advento da pecuária e da industrialização, passando a ser visto como símbolo de status. Em contrapartida, alguns cientistas argumentam que o organismo está geneticamente mais adaptado a digerir a carne, alimento usado desde a remota antiguidade, do que o trigo e os laticínios, que surgiram bem mais tarde na alimentação humana. O fato é que o consumo de carne variou no decorrer da história da humanidade de acordo com as épocas, em que ora o homem era mais caçador, ora mais coletor de frutos e vegetais silvestres. Isso aconteceu também em várias culturas e religiões, sendo que em algumas predominou o consumo de carne e, em outras, a sua exclusão, como os indianos, adventistas etc. Tanto a qualidade como a quantidade da carne consumida pelo homem antigo era diferente. Outro fator a considerar é que as condições biológicas e ambientais em que viviam os nossos ancestrais, eram bem diferentes das do homem contemporâneo. Em Nutrição não existem regras fixas, sendo que a principal razão para não se comer carne deve vir, naturalmente, quando o organismo passa a rejeitá-la. Por outro lado, pode ocorrer que um vegetariano em certas ocasiões possa necessitar comer carne, conforme o momento e as condições em que se encontra, o que é diferente de fazer disto um hábito ou até mesmo dependência. A partir de certos conhecimentos, o ser

C

18

– JULHO / 2009

Carne vermelha: controvérsias sobre se seu consumo é ou não saudável para o ser humano.

humano pode desenvolver o discernimento para saber o tipo de alimentação a seguir e o momento certo de mudá-la, respeitando as suas condições individuais. Um fato curioso que está ocorrendo é que muitos médicos e nutricionistas convencionais estão recomendando evitar o excesso de carnes, enquanto que alguns profissionais, depois de muitos anos com experiência em vegetarianismo radical, recomendam atualmente comer um pouco de carne. Isto aparentemente parece controverso mas tem uma certa coerência, uma vez que todo exagero leva a enfermidades e, consequentemente, à busca do polo oposto. Entre outras coisas Mokiti Okada diz, no Ensinamento “Sobre a Nutrição” (*): “... os nutrientes que desenvolvem as ambições e a inteligência são os peixes e as aves. Entre os alimentos, temos os de natureza animal e os de natureza vegetal... Quem precisa comer carne de animais quadrúpedes, não terá problema se o fizer uma vez por semana...” Esperamos, sinceramente, ter despertado em você, a vontade de se aprofundar ainda mais no pensamento de Mokiti Okada sobre a alimentação natural. Fonte bibliográfica: “Nutrição vital : uma abordagem holística da alimentação e saúde”. / Soraya Terra Coury. – Brasília: LGE Editora, 2004.) (*) Julho de 1936, ainda não publicado em português.


FUNDAÇÃO MOKITI OKADA - ALIMENTAÇÃO

SORVETE DE MORANGO Rendimento total: 725 g - 10 porções Claras Morango orgânico amassado com garfo Açúcar orgânico Creme de leite de soja

2 unidades 1 caixa pequena 300 g 1 ¼ xícara de chá 200 g 1 caixa 200 g

Levar o açúcar ao fogo com 1 xícara de água até

deixar em ponto de fio. Bater as claras em neve e acrescentar a calda quente e continuar batendo até esfriar. Após, ir adicionando os morangos e bater bem até aumentar de volume. Acrescentar o creme de leite de soja e continuar batendo (15 minutos no total). Colocar em um pote e levar para congelar. Se desejar, colocar pedaços de morango no final.

Sazonalidade dos produtos - m aior oferta em agosto maior FRUTAS: Abiu, atemoia, banana, banana nanica, caju, carambola, kiwi nacional, laranja, laranja-pera, laranja-lima, lima-da-pérsia, maçã nacional, mamão formosa, mexerica, MORANGO, quincan, tangerina murcote, tangerina poncã. LEGUMES: Abóbora, abóbora japonesa, abobrinha italiana, cará, ervilha comum, ervilha torta, fava, inhame, mandioca, mandioquinha, pimentão vermelho. VERDURAS: Agrião, alho-porró, brócolis, cenoura com folhas, chicória, coentro, couve, couve-flor, erva-doce, escarola, espinafre, mostarda, nabo, rabanete, rúcula.

DIVERSOS: Alho nacional, cebola nacional. PEIXES: Anequim, atum, batata, cação, cará, castanha, cherne, chiova, chora-chora, conglio, corvina, dourada, espada, galo, garoupa, jundiá, lambari, mandi, mangona, mexilhão, namorado, olhete, ostra, palombeta, pampo, peroa, piau, piranha, porco, sardinha Lages, savelha, serra, tilápia, traíra, trilha, tucunaré, xaréu, xixarro. (FONTE: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. www.ceagesp.gov.br)

JULHO / 2009 –

19

IZUNOME

SUGESTÕES SAUDÁVEIS


IZUNOME

FUNDAÇÃO MOKITI OKADA - AÇÃO SOCIAL

Programa da Fundação ajuda familiare s d

depen d

Segundo o Relatório Mundial sobre Drogas 2009 emitido pela ONU, o Brasil tem a maior população de dependentes de opiáceos (ópio, heroína e morfina) na América do Sul, além do alto consumo da cocaína, crack e álcool. O Escritório das Nações Unidas para Drogas e Crime (UNODC) estima uma população de aproximadamente 635.000 toxicodependentes de opiáceos no Brasil.

20

– JULHO / 2009

psiquiatria considera “dependência” todas as vezes que houver uma “necessidade imperiosa” do uso de um ou diversos produtos chamado Drogas, fora do processo médico de tratamento. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) “dependência” é um estado onde drogas autoadministradas produzem dano ao indivíduo e à sociedade. Antevendo essa realidade a Fundação Mokiti Okada desenvolve, desde 1994, o projeto S.O.S. Pais e Familiares de Dependentes Químicos, integrado por uma equipe operante de profissionais de saúde, os quais realizam um trabalho social, educativo e terapêutico, com pais, esposas e demais familiares de dependentes químicos, incluindo o álcool. De acordo com a coordenadora do S.O.S Pais, Maria Genoveva Armelin, terapeuta de família e casal,

A

com especialização em dependência química e transtornos dos impulsos, o programa baseia-se nas orientações de Mokiti Okada e está em consonância com o conceito da Organização Mundial de Saúde (O.M.S.), que entende a saúde como um completo bem-estar físico, mental, social e espiritual. Com base nesses aspectos, são trabalhadas as seguintes questões nos encontros: - acolhimento aos familiares, propiciando um espaço de alívio e compreensão de seus problemas; - ajuda aos participantes para que percebam o que é necessário para a criação de filhos saudáveis; - facilitação para trocas de informações e experiências que fortalecem os esforços educativos e contribuem para a evolução espiritual; - criação de uma atmosfera em que os participantes possam questionar, integralmente, os princípios que sustentam seus valores.


FUNDAÇÃO MOKITI OKADA - AÇÃO SOCIAL

n dentes químicos “O programa baseia-se nas orientações de Mokiti Okada e está em consonância com o conceito da Organização Mundial de Saúde (O.M.S.), que entende a saúde como um completo bem-estar físico, mental, social e espiritual”. Coordenadora do S.O.S. Pais, Maria Genoveva Armelin.

Para Armelin, algumas das causas do consumo de drogas, relatadas pelos adolescentes em entrevistas realizadas por terapeutas em consultórios, são a falta de diálogo com os pais e a falência da estrutura familiar acrescida da problemática social na atualidade: incentivo ao consumo de álcool, dificuldades de lidar com frustrações e limites, consumismo e violência. A coordenadora conta como iniciou esse projeto: “Eu era frequentadora da Igreja Messiânica Mundial do Brasil em 1983, quando fui convidada pelo Rotary Clube, para traduzir as conferências e algumas apostilas do psiquiatra francês Claude Olievenstein, renomado profissional na área de dependência química e um dos iniciadores de projetos de prevenção e tratamento da dependência química no Brasil. No ano seguinte, eu já me havia tornado membro e, observando atitudes inadequadas de meu terceiro filho, de 13 anos, percebi que ele estava se envolvendo com maconha. Na época, sabia-se pouco sobre o tratamento especializado para os adolescentes, no Brasil. Durante esse período, recebi apoio do meu Johrei Center e foi um período de grande experiência com o problema, o que me trouxe oportunidade de vivenciar os Ensinamentos de Meishu-Sama, que, aliados ao tratamento psicológico, propiciaram a felicidade de ver uma rápida recuperação do meu filho. Em março de 1987, ele veio a falecer num acidente e o laudo médico comprovou que ele estava sem nenhum comprometimento com drogas. Logo em seguida, o psiquiatra Claude Olievenstein veio ao Brasil e fui sua tradutora novamente. Nessa ocasião, ele me convidou para fazer um curso de especialização em Prevenção e Tratamento da Dependência Química em Paris, na França, onde ele seria meu orientador. Iniciava uma nova missão: aprender mais e mais para ajudar jovens e pais na mesma situação.

Em 1988, especializei-me na França, estagiei no Hospital Marmottan, maior referência no assunto nesse país. Fui para outras instituições para adolescentes com dependência química, entidades que ofereciam atendimento aos pais de dependentes e escolas com programas de prevenção. Em 1990, estive no Japão e, durante o Culto da Primavera, no Solo Sagrado de Atami, recebi a resposta que esperava de Meishu-Sama, pois o Ensinamento lido foi “O mal social é ou não é causado pelo meio ambiente”, cuja conclusão era: “Na realidade, a causa de quase todos os males estão no próprio indivíduo (...), ou seja, deve-se considerar que o homem é o ponto principal e a organização social é o ponto secundário”. Esse Ensinamento estava sendo a minha base para elaborar o projeto no Brasil com o apoio da IMMB e com intuito de ajudar os pais. A partir daí, esse trabalho se desenvolveu com muita rapidez, espalhando-se por muitas cidades brasileiras. Ele foi de grande utilidade para a sociedade, pois nasceram, nos nossos cursos, projetos importantes para escolas. No mesmo ano, aconteceu o primeiro curso de prevenção às drogas para a formação de multiplicadores, na Sede da Igreja, em São Paulo, que contou com a participação de 120 pessoas. Daí em diante, muitos outros trabalhos foram desenvolvidos no mesmo gênero. Em 1994, teve início o S.O.S. Pais e Familiares de Dependentes Químicos e, durante todo esse período, até hoje, vários pais tiveram seus filhos recuperados, outros passaram a ser auxiliares no projeto e vários se tornaram membros da Igreja”. O projeto S.O.S. Pais e Familiares de Dependentes Químicos promove reuniões semanais, às segundasfeiras, das 18h30 às 21 horas. Os interessados em obter mais informações podem entrar em contato com Thais: (11)5087-5045 ou pelo e-mail: tkogachi@fmo.org.br. JULHO / 2009 –

21

IZUNOME

are s de


IZUNOME

DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA

Alterações genéticas permanecem por

várias gerações ILUSTRAÇÃO: JUHI LEE

s danos causados ao sêmen pela exposição a toxinas presentes no meio ambiente permanecem na linha reprodutiva da família, podendo ser passados a gerações futuras. A constatação é de uma pesquisa realizada na Universidade de Idaho, nos Estados Unidos, e apresentada no encontro da Sociedade Americana para o Avanço da Ciência, em Boston, também nos Estados Unidos. Os cientistas injetaram em ratos o pesticida vinclozolin, conhecido por prejudicar os hormônios. A substância química provocou mudanças genéticas no esperma dos machos, incluindo diversas alterações relacionadas à forma humana de câncer de próstata. Os ratos demonstraram infertilidade, problemas renais, crescimento exagerado da próstata, entre outras consequências. Os efeitos afetaram até quatro gerações seguidas. Segundo o líder da pesquisa, Matthew Anway, a quantidade de pesticida utilizada foi maior do que qualquer humano poderia receber. A importância da pesquisa, para Anway, é salientar que um filho homem pode herdar os problemas dos genes do pai, pois os genes modificados permanecem na linha reprodutiva. A pesquisa sugere que, mais do que se pensava, a saúde do pai exerce papel importante na saúde das gerações futuras. Os pais fumantes ou consumidores de bebidas alcoólicas em excesso devem estar cientes de que estão, potencialmente, prejudicando a si próprios e aos filhos. A especialista em reprodução humana, Cynthia Daniels, da Universidade Rutgers, em Nova Jersey, nos Estados Unidos, ressaltou que os homens consumidores de grande quantidade de álcool apresentam taxas mais elevadas de defeitos no sêmen. Além disso, a nicotina do tabaco afeta o sangue e o esperma. “As substâncias com impacto na reprodução geralmente também são cancerígenas. Se eu fosse homem, não beberia nem fumaria caso estivesse interessado em ter um filho”, completou Cynthia.

O

* Mais informações em: http://www.estadao.com.br/vidae/not_vid126959,0.htm http://alimentacaoviva.blogspot.com/2008_03_17_archive.html

22

– JULHO / 2009


2009/07  

A Transição para Era do Dia já está concluída em você?

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you