Page 1

IZUNOME

CULTO MENSAL DE AGRADECIMENTO

Por que nos tornamos

MESSIÂNICOS?


IZUNOME IZUNOME


ÍNDICE

Ensinamento do mês Sermão, Johrei e Felicidade

6

Trono de Kyoshu Palavras de Kyoshu-Sama Culto de Início da Primavera Solo Sagrado de Atami - Japão

IZUNOME IIZ ZU UN NO OM ME

5

10

Culto Mensal de Agradecimento Por que nos tornamos messiânicos?

12

Experiência na prática da fé Felicidade plena graças ao Johrei

14

Centro de Pesquisa Mokiti Okada Transgênicos: um caminho de incertezas

16

Secretaria de Agricultura Natural - Aroma da Horta Devemos apreciar os alimentos da época e da região

18

Faculdade Messiânica Oriente e Ocidente no caminho do Belo

20

Korin Existem hormônios em frangos?

22

Korin Meio Ambiente KMA realiza teste-piloto para tratamento de resíduo sólido urbano

Foto da capa: Samantha Barbosa MARÇO/ 2014 –

3


IZUNOME

EDITORIAL

Q

De volta ao começo

uando iniciou a difusão da fé messiânica no Rio de Janeiro, no final da década de 1960, o então ministro “Ricardo” Watanabe pedia a todos os novos membros que assumissem com Deus e Meishu-Sama, no momento em que recebiam o Ohikari, o compromisso de ministrar pelo menos um Johrei por dia, sem falhar, até o fim de suas vidas. Vamos fazer as contas? Uma pessoa que tenha sido outorgada em 1974 e que, até hoje, não tenha quebrado esse compromisso, terá ministrado mais de 15 mil Johrei! Sem dúvida, um número bastante expressivo. E hoje? Aquele ímpeto inicial continua presente no nosso cotidiano? Ainda nos emocionamos com a oportunidade de transmitir Johrei a alguém? Dar assistência a alguém que está passando por algum

tipo de purificação ainda significa, para nós, uma oportunidade de ouro para fortalecermos nossa própria fé e colaborar para que uma nova pessoa desperte para o servir à Obra Divina, junto com seus antepassados e transformando-nos em pioneiros da sua salvação? No Culto Mensal de Agradecimento de março, no Solo Sagrado de Guarapiranga, o presidente da IMMB, reverendo Hidenari Hayashi, nos lembrou que “o Supremo Deus nos outorgou o Johrei para auxiliar a humanidade na construção do Paraíso Terrestre e que viemos a este mundo para cumprir essa missão.” Ele também nos propôs uma profunda reflexão, ao lançar a pergunta: “Por que nos tornamos messiânicos?” Vamos pensar nisso? Bom aprimoramento, boa missão.

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA Ficam convidados os senhores delegados representantes dos membros e ministros da Igreja Messiânica Mundial do Brasil, natos e eleitos, nos termos do Estatuto CNPJ/MF Nº 62.647.383/0001-41 Social, a se reunirem no dia 30 de abril de 2014, às 10 horas, na Sede Central da instituição, situada à Rua Morgado de Mateus, n.º 77, bairro de Vila Mariana, nesta capital do Estado de São Paulo, em Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária, a fim de discutirem e votarem os assuntos constantes da seguinte Ordem do Dia: Ordinária: a) Tomar as contas do Presidente da Igreja e deliberar sobre o relatório de atividades, balanço geral e inventário de bens referentes ao exercício social de janeiro a dezembro de 2013; b) Eleição dos membros do Conselho Fiscal para o mandato de 2014 a 2016; c) Outros assuntos de interesse da Igreja. Extrordinária: Autorização para alienação de bens imóveis. São Paulo, 10 de março de 2014. Hidenari Hayashi Presidente

Acesse nossos sites:

Publicação mensal da Igreja Messiânica Mundial do Brasil Ano V - nº 74 - ISSN 2177-7462 Elaboração: Igreja Messiânica Mundial do Brasil Divisão de Comunicação Diretor da Divisão: Rev. Mitsuaki Manabe Jornalista responsável: Antonio Ramos de Queiroz Filho (MTb 21898) Edição de Arte: Kioshi Hashimoto Redação: Rosana Cavalcanti, Aline Pagliarini e Fernanda Silvestre Fotografia: Ricardo Fuchigami, Cinara Troina, Celina Watanabe, Débora Guimarães, Camila Rossetti, Tony Tajima, Michel Rossetti e Samantha Barbosa Redação e Administração: Rua Morgado de Mateus, 77 – 1º andar – CEP 04015-050 – Vila Mariana São Paulo – SP – Tel. 11 5087-5078 E-mail: ascom@messianica.org.br Tiragem: 88.000 exemplares Impressão: Editora Abril

4 – MARÇO / 2014

www.messianica.org.br

www.fmo.org.br

www.korin.com.br

www.kmambiente.com.br

www.planetaazul.com.br

www.faculdademessianica.edu.br

Produção e coordenação de impressão

www.fmo.org.br

Setor Comercial: Rua Joaquim Távora, 1030 CEP 04015-013 – Vila Mariana – São Paulo – SP Tel. 11 5087-5185

SEKAI KYUSEI KYO IZUNOME

www.solosagrado.org.br

www.johvem.com.br

www.izunome.jp


IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL DO BRASIL

IZUNOME ME E

ENSINAMENTO DO MÊS

Sermão, Johrei e Felicidade

A

finalidade da Religião é eliminar erros e incentivar a prática das virtudes. Contudo, essa prática só é realmente possível quando as máculas espirituais são eliminadas. Uma vez que o espírito esteja purificado, cessarão os atos condenáveis e a pessoa se tornará honrada, útil ao seu meio social e a toda a humanidade. Os sermões são processos purificadores que agem através do sentido da audição. Os livros sagrados, como a Bíblia, a sutra budista, e os ensinamentos de várias religiões, agem mediante o sentido da visão e o espírito das palavras. A Igreja Messiânica Mundial também se utiliza desses meios, mas possui ainda o processo purificador denominado Johrei. O Johrei não visa curar doenças; é, antes, um método de criar felicidade. Ele não pode ter como objetivo a cura das doenças, porque estas são formas de

purificação; sua finalidade é eliminar as máculas do espírito. O resultado da erradicação dessas máculas é a extinção dos sofrimentos humanos. Costumo ensinar que a doença, a pobreza e o conflito são processos purificadores. A doença é o principal, porque afeta a própria base da vida. Quando conseguirmos vencê-la, também solucionaremos o problema da pobreza e do conflito. Portanto, a base da felicidade é a eliminação das máculas espirituais. O Johrei é o método mais simples e infalível para erradicá-las. (...) Meishu-Sama em 25 de março de 1952 Extraído do livro Alicerce do Paraiso volume 1 (trechos)

MARÇO / 2014 –

5


IZUNOME IIZ ZUN UNO OM ME IZUNOME

TRONO DE KYOSHU

Palavras P ala de

Kyoshu-Sama Yoichi Okada, Líder Espiritual da IMM.

P

arabéns a todos neste Culto do Início da Primavera. É com profunda reverência a Deus que digo que a Vontade do Deus Criador é fazer com que todos os seres humanos se tornem Seus filhos. Nesse sentido, Meishu-Sama é o nosso modelo e um exemplo de alguém que se tornou um filho de Deus através do seu renascimento como um Messias.

6 – MARÇO / 2014

Culto do Início da Primavera Templo Messiânico, Solo Sagrado de Atami 4 de fevereiro de 2014 Hoje, neste dia do início da primavera, eu gostaria de louvar a Deus, que é uno a Meishu- Sama, e expressar-Lhe a minha gratidão por estar, juntamente com cada um dos senhores, toda a humanidade e todos os ancestrais, sendo preparado por Ele para renascer como Seu filho. Fiquei sabendo que os senhores, membros da Izunome Kyodan, definiram como objetivo para este ano “ter o desejo de nascer de

novo como filho de Deus e almejar se tornar um pioneiro da salvação”. Sei que, para alcançar esse objetivo, os senhores estão se esforçando em praticar Johrei, Agricultura Natural, horta caseira e artes, além da prática de compartilhar o amor altruísta de Meishu-Sama com o próximo. É com sincera humildade que tomei conhecimento do esforço contínuo que cada um dos senhores tem dedicado à obra divina de Meishu-Sama.


TRONO DE KYOSHU

hoje os primeiros, dentre toda a humanidade, a retornar ao nosso paraíso interior e trazer conosco toda a humanidade e todos os nossos ancestrais como aqueles que já foram perdoados, purificados e salvos. E acredito que é dessa forma que Deus deseja que os senhores sirvam como verdadeiros pioneiros da Sua obra de salvação. E não podemos esquecer: apesar de não termos recordações disso, a partícula divina que cada um de nós possui estava originalmente no paraíso servindo a Deus juntamente com MeishuSama. Por isso, o fato de se torna-

Vamos nos tornar hoje os primeiros, dentre toda a humanidade, a retornar ao nosso paraíso interior e trazer conosco toda a humanidade e todos os nossos ancestrais como aqueles que já foram perdoados, purificados e salvos. E acredito que é dessa forma que Deus deseja que os senhores sirvam como verdadeiros pioneiros da Sua obra de salvação.

rem verdadeiros “pioneiros da salvação” na Terra significa também que os senhores estão relembrando como costumavam servir a Deus no paraíso e como foram constantemente usados na Sua obra de salvação muito antes de nascerem neste mundo. Eu gostaria de sugerir uma prática que todos os senhores podem fazer como verdadeiros “pioneiros da salvação”. Quando forem visitar ou encontrar al-

IZUNOME

Hoje eu gostaria de lhes dizer que o verdadeiro “pioneiro da salvação” é, na realidade, Meishu-Sama. Meishu-Sama veio à Terra e, assim como todos nós, tomou forma humana e viveu entre nós. Ele nos transmitiu a palavra de Deus e também nos mostrou o poder de Deus de várias maneiras. E não foi só isso. Apesar de termos a tendência de esquecer desse ponto, Meishu-Sama foi a primeira pessoa entre nós, ou seja, o pioneiro, a realmente acreditar no paraíso interior, retornar a esse paraíso e demonstrar que o ato de retornar ao paraíso interior é a única forma de salvar as pessoas trazendo-as ao paraíso. Meishu-Sama escreveu o seguinte em um poema: “Eu me tornarei, antes de qualquer outra pessoa, um habitante do paraíso com o desejo de trazer os outros ao paraíso”. O que Meishu-Sama quer que compreendamos através desse poema é que a nossa verdadeira residência, o nosso verdadeiro endereço residencial, é esse paraíso existente no centro da consciência de cada um de nós e que a missão de todos os seres humanos é servir a Deus nesse paraíso. Ciente dessa missão, Meishu-Sama retornou ao seu paraíso interior, sendo o nosso pioneiro. Porém, ele não retornou sozinho. Ele retornou ao paraíso juntamente com toda a humanidade e todos os ancestrais e abriu o caminho para que também pudéssemos retornar ao paraíso e entrar no caminho da salvação ou, em outras palavras, no caminho do renascimento como um filho de Deus. É por isso que precisamos reconhecer Meishu-Sama como o verdadeiro “pioneiro da salvação”. Eu estou certo de que, agora, Meishu-Sama está nos incentivando a compreender qual é a verdadeira missão do ser humano e a seguir os seus passos para nos tornarmos verdadeiros “pioneiros da salvação”. Portanto, vamos corresponder a esse desejo de Meishu-Sama com grande alegria. Vamos nos tornar

Kyoshu-Sama e Rev. Masayoshi Kobayashi, presidente da Igreja Izunome.

guém, sempre que pensarem ou estiverem ministrando Johrei em alguém, falem mentalmente para essa pessoa: “Juntos, vamos retornar ao nosso paraíso interior como pessoas ligadas a Meishu-Sama”. Os senhores podem achar que nada mudará com essas palavras proferidas mentalmente. Sim, é verdade que talvez não consigam perceber qualquer diferença no mundo físico. Mas os senhores precisam saber: o poder dessas palavras gerará uma força de salvação muito além do que podem imaginar e, tenho certeza, a sua partícula divina brilhará mais intensamente do que nunca dentro dos senhores. Gostaria de dizer também que o ato de retornar ao paraíso como um “pioneiro da salvação” não está desvinculado do outro objetivo que os senhores firmaram para este ano, isto é, ter o desejo de nascer de novo como um filho de Deus. Isto é porque Deus está no paraíso e os senhores jamais poderão ser Seus filhos se não forem habitantes do paraíso, a casa de Deus. É por essa razão que eu gostaria que os senhores soubessem que os seus dois objetivos: servir a Meishu-Sama como um “pioneiro da salvação” e ter o desejo de “nascer de novo como um filho de Deus”, não são duas coisas distintas. Eles são uma só coisa. Eu tenho que dizer que o nosso verdadeiro Pai da vida é Deus. MARÇO/ 2014 –

7


IZUNOME

TRONO DE KYOSHU

E foi Meishu-Sama quem nos ensinou essa verdade compartilhando sua própria experiência conosco. Há 60 anos atrás, em 19 de abril de 1954, menos de um ano antes de seu falecimento, Meishu-Sama sofreu um colapso repentino com sintomas de derrame cerebral. Enquanto lutava para se recuperar do derrame, no dia 5 de junho daquele mesmo ano Meishu-Sama convocou seus discípulos mais devotados ao Hekiunso, sua residência em Atami na época, e disse-lhes o quão surpreso e feliz estava por ter renascido como um Messias, como um santo filho de Deus. Dez dias depois, no dia 15 de junho de 1954, foi realizada em Atami a “Cerimônia Provisória da Comemoração do Nascimento do Messias” na qual Meishu-Sama comunicou esse fato surpreendente aos seus fiéis.

8 – MARÇO / 2014

Quando pensamos sobre esses eventos, há um ponto que jamais podemos ignorar: Meishu-Sama não disse que havia renascido como um Messias depois de recuperar suas forças e se convalescer do derrame. Ele declarou que havia renascido como um Messias em meio à dificuldade com sua doença, sem ter apresentado qualquer sinal aparente de melhora. Lembrem-se: na realidade, a doença de Meishu-Sama piorou após ele anunciar ter renascido como um filho de Deus e, eventualmente, sem superá-la, Meishu-Sama deixou a Terra no dia 10 de fevereiro do ano seguinte. Eu preciso ressaltar mais uma vez: Meishu-Sama encontrava-se em meio à doença quando percebeu ter se tornado um filho de Deus e sentiu uma enorme alegria nisso. Por quê? Acredito firmemente que, ao enfrentar uma doença da qual

não se recuperava como desejava e se deparar com a morte física, Meishu-Sama, com a ajuda de Deus, percebeu que havia uma outra vida que todos nós, seres humanos, possuímos além da vida que herdamos dos nossos pais físicos. Em outras palavras, acredito que Meishu-Sama sentiu, verdadeira e concretamente, a limitação da sua vida física e a eternidade da vida de Deus dentro de si. Talvez Meishu-Sama já soubesse desse fato em teoria. Porém, sinto que, através do derrame, Deus perguntou com severidade a Meishu-Sama em qual vida ele realmente acreditava: a vida recebida dos seus pais físicos ou a vida eterna a ele concedida por Deus? Surpreso com esse questionamento feito por Deus, imagino que Meishu-Sama tenha respondido a Deus dizendo: “Por favor, perdoe o meu pecado mais grave de não ter acreditado que a vida que eu tenho é, na realidade, Sua. Eu entrego a minha alma ao Senhor, Deus, meu verdadeiro Pai. Se for a Sua vontade, por favor aceite a minha alma, a mais preciosa de todas as Suas criações”, e entregou sua vida, sua alma, a Deus. Sendo Ele o verdadeiro Pai de


TRONO DE KYOSHU

IZUNOME

Meishu-Sama, acredito que Deus tenha aceitado a sua alma com grande alegria e decidido conceder-lhe uma vez mais a Sua vida eterna, reconhecendo Meishu-Sama como Seu verdadeiro filho. Tenho certeza que Meishu-Sama teve a permissão de sentir essa grande alegria de Deus dentro de si, e é por isso que ele nos disse ter renascido como um filho de Deus e compartilhou sua alegria conosco através da cerimonia do dia 15 de junho de 1954. Por muito tempo viemos caminhando na escuridão sem reconhecer o verdadeiro Pai da nossa vida. Devido à sua grande misericórdia, e tendo renascido como filho de Deus, Meishu-Sama nos fez reconhecer quem é o nosso verdadeiro Pai. É claro que nós recebemos essa vida física dos nossos pais físicos. Mas não podemos esquecer jamais da outra vida, a verdadeira vida que nos foi concedida por Deus. Quando penso no extraordinário fato de Deus, o nosso verdadeiro Pai, e Meishu-Sama, que renasceu como filho de Deus, estarem

Kyoshu-Sama durante a palestra que proferiu no Culto do Início da Primavera.

ambos brilhando intensamente em meu interior, devo dizer que fico sem palavras e sinto um profundo respeito e admiração pelo Criador por essa Sua maravilhosa benção. Fala-se frequentemente que precisamos honrar os nossos pais. Agora, através de Meishu- Sama, viemos conhecer e encontrar o nosso verdadeiro Pai. E é esse nosso verdadeiro Pai, Deus, quem deseja que todos nós nos tornemos realmente Seus filhos. Acreditando que viemos à Terra para nos tornarmos filhos de Deus vamos, em nome de Meishu-Sama, falar ao nosso Pai: “Eu ignorei isto até hoje, mas agora sei que o meu verdadeiro Pai é o Senhor, meu

Deus”. É assim que poderemos verdadeiramente honrar o nosso Pai. Este será um enorme, mas invisível passo para o renascimento como filho de Deus. Para encerrar, neste dia do início da primavera, eu gostaria de expressar minha mais sincera gratidão a Deus por eu ter podido me ligar a Meishu-Sama e por ter, finalmente, despertado do longo sono no qual acreditava no conceito de morte. Agora, como pessoas que foram abençoadas por conhecer o Pai da nossa vida eterna, vamos receber o novo, revigorante sopro de Deus e orar para que esse sopro da vida seja compartilhado através de nós com toda a humanidade, todos os ancestrais e toda a natureza. Muito obrigado.

MARÇO/ 2014 –

9


IZUNOME IIZ ZUN UNO OM ME IZUNOME

CULTO MENSAL DE AGRADECIMENTO

Reverendo Hidenari Hayashi Presidente da Igreja Messiânica Mundial do Brasil.

Por que nos tornamos messiânicos?

B

om-dia a todos! Estão passando bem? Vivemos o mês de fevereiro sob a proteção de Meishu-Sama e envolvidos pelas orações do nosso líder espiritual, Kyoshu-Sama. Quero expressar minha gratidão pelo constante empenho de todos os senhores no dia a dia, cumprindo as tarefas divinas que nos foram atribuídas por Meishu-Sama. O mês de fevereiro foi marcado por temperaturas bastante elevadas, não foi? As mudanças climáticas e

10 – MARÇO / 2014

todos os acontecimentos sociais pelos quais temos passado, me levaram a uma reflexão sobre a nossa missão como messiânicos: “Por que nos tornamos messiânicos?” Lembro-me do dia em que recebi meu Ohikari. O ministro responsável de minha unidade religiosa me orientou: “De hoje em diante, você precisa erguer a mão e ministrar a Luz Divina. O Johrei é a grande manifestação do amor do Supremo Deus, auxiliando o ser


CULTO MENSAL DE AGRADECIMENTO

IZUNOME

humano a redimir as máculas espirituais, que causam todos os sofrimentos. Fique atento às oportunidades que surgirem no lar, na escola, com os amigos e, principalmente, com todas as pessoas que estão sofrendo. Não existe método mais eficaz. O Johrei é uma ação espiritual que, além de purificar, desperta as almas adormecidas para sua verdadeira missão. O Johrei é realmente um método para criar felicidade.” Dessa forma, fiz do Johrei o ponto central da minha prática da fé. Reconheço também que, ao me tornar messiânico, ampliou-se meu elo espiritual com Meishu-Sama, -Sama, com sua grandiosa missão de salvar a humanianidade e de estabelecer o Paraíso Terrestre. Assim, eu gostaria de relembrar aos se-nhores que nós recebemos o Ohikari com m a missão de salvar pessoas, tornando-nos verdadeiramente úteis a Deus. Meishu-Sama nos escolheu para cumprirmos essa nobre tarefa. Só aos messiânicos foi dada a permissão de ministrar a Luz de Deus, pro-as. movendo a elevação do espírito das pessoas. Creio que, como pioneiros da salvação,, todos já perceberam que, quando iniciamos a mier grandes nistração do Johrei, logo começam a ocorrer transformações: a sensação de bem-estar, o sono mais tranquilo, a queda do estresse diário e a ocorrência dos maravilhosos milagres que muito nos emocionam. Contudo, percebo que ainda ministramos pouco Johrei. Se ele é um método para criar felicidade, deveríamos praticá-lo no dia a dia, em todos os momentos. Se o ampliarmos no lar, no trabalho, aos nossos amigos e a todas as pessoas com quem convivemos, certamente, aumentaremos o índice de felicidade no mundo. São muito importantes o amor, a determinação e o desejo sincero de levar a Luz de Deus a muitas pessoas. Devemos reconhecer que o Supremo Deus nos outorgou o Johrei para auxiliar a humanidade na construção do Paraíso Terrestre e que viemos a este mundo para cumprir essa missão. Agora há pouco, Rubiana nos contou que vinha sofrendo há muitos anos e precisava de ajuda para voltar a viver dignamente...Um dia, ela conheceu o Johrei... recebeu-o, ultrapassou sua grande purificação, foi agraciada... e, desse modo, se tornou messiânica, passou a ministrar Johrei a outras pessoas. Hoje, sua vida mudou 180 graus. Ela saiu do lado do sofrimento e passou para o lado de estender a mão para transmitir a Luz da salvação a outras pessoas, através do Johrei. Este é o verdadeiro caminho da felicidade! A força do Johrei que recebemos é maravilhosa! É esse poder que libertou Rubiana de tantos sofrimentos. Vamos, até o Culto do Paraíso Terrestre, ampliar a prática do Johrei e o acompanhamento de pessoas, tornando-nos verdadeiros pioneiros da salvação, e sendo o número um na felicidade de alguém! Assim sendo, pratiquemos o Johrei, buscando re-nascer como verdadeiros filhos de Deus. Muito obrigado! Boa missão a todos!

C Cerca de 8.300 pessoas participarram do Culto de março. Elas se deleitaram com E a apresentação do Coral Mokiti Okada e com a exposição das obras da artista plástica Silvia Mharques. MARÇO / 2014 –

11


IIZUNOME IZ ZU UN NO OM ME IZUNOME

EXPERIÊNCIA NA PRÁTICA DA FÉ

Felicidade plena

graças ao Johrei

B

om-dia a todos! Meu nome é Rubiana Pilatti Trentin, n, sou messiânica há dois anos e dedico no Johrei Center Centro Cívico,, Área Curitiba. Gostaria de compartilhar com todos a transformação ocorrida em minha vida, quando conheci a Igreja Messiânica e o sagrado Johrei. Desde criança, com aproximadamente seis anos de idade, após a separação de meus pais, comecei a apresentar sintomas de depressão. Uma tristeza profunda tomava conta do meu coração e, aos 14 anos, comecei a ingerir bebida alcoólica. A depressão se tornou mais intensa e passei a apresentar crises de pânico, fobias e várias doenças como: enxaqueca, sinusite, insônia, dores de estômago e dores no pescoço, que se irradiavam pelos braços e parali-

12 – MARÇO / 2014

Rubiana Pilatti Trentin.

savam meus dedos, além de lapso de memória e déficit de atenção, o que me impedia de desenvolver com qualidade meus estudos. Aos 16 anos, fui procurar um psiquiatra. Iniciei um tratamento que resultou na ingestão diária de seis a oito tipos de antidepressivos e, pelo menos duas vezes por semana, nas crises mais fortes, acabava indo para o hospital a fim

de tom tomar medicamentos intravenosos à base de calmantes fortíssimos. A Aos 18 anos, deparei-me co uma gravidez não placom n nejada; porém, foi graças ao nascimento da Eduarda que passei a buscar um caminho para superar os sofrimentos pelos quais passava. Frequentei várias religiões, filosofias e seitas, mas em nenhuma eu obtive o conforto e a força de que precisava. Minha mãe, não sabendo mais o que fazer diante das crises que eu tinha, contou a uma amiga meu sofrimento e esta a orientou que me levasse para receber Johrei. Assim sendo, em setembro de 2011, fomos ao Johrei Center. Já no primeiro Johrei, senti esperança de ser curada e de ter encontrado finalmente o caminho que tanto procurava. Conversei com bastante com


EXPERIÊNCIA NA PRÁTICA DA FÉ

Hoje, vivo com muita alegria e tenho perspectivas. Sou advogada e minha vontade de viver e de servir é muito grande. Por essa razão, através da minha experiência de fé, comprometi-me a levar esperança às pessoas que hoje não enxergam uma luz no fim do túnel, com o desejo de que encontrem a verdadeira felicidade. Desde o último Culto do Paraíso, em junho de 2013, tive a permissão de encaminhar 14 pessoas que estão frequentando a Igreja Messiânica e já tiveram mudanças em suas vidas. Quatro delas já tiveram a permissão de se tornarem membros da Igreja. Neste sagrado altar, quero dizer a todos que aquela tristeza infinita que tomava conta do meu coração, deu lugar a uma felicidade intensa e constante. Essa felicidade representa o sentimento de imensa gratidão aos meus pais, que me deram a vida, à minha mãe–pioneira da salvação e a número um na minha felicidade –, à minha querida filha Eduarda, que me despertou para lutar pela vida, e a todos que contribuíram para o fortalecimento de minha fé. Agradeço a Deus, a Meishu-Sama e aos meus antepassados a transição vivida e a permissão de servir à Obra Divina por intermédio do Johrei. Muito obrigada.

MARÇO / 2014 –

13

IZUNOME

ministro responsável olhou-me fixamente e disse: “Não se preocupe, fique calma, agradeça e confie, porque você está passando por um processo de limpeza.” Após me sentir melhor, refleti e tive a compreensão de que me libertaria dos sintomas da depressão. Naquele momento, realmente percebi que as impurezas Rubiana recebeu cumprimentos do Rev. Hidenari Hayashi. ingeridas estavam sendo eliminadas a missionária que me atendeu e, e, com o coração agradecido, disse seguindo a orientação inicial de ao ministro que iria enfrentar esse receber 30 Johrei, passei a fazê-lo processo com o Johrei e servindo à diariamente. Mesmo com mui- Obra Divina como instrumento de ta dificuldade devido às crises, Meishu-Sama. Dois anos após ter recebido esforçava-me para ir à Igreja. Minha mãe, vendo meu empenho, meu primeiro Johrei, afirmo que despertou para ministrar Johrei e, estou curada da depressão. Não em novembro de 2011, recebeu o uso mais nenhuma medicação e Ohikari (medalha da Luz Divina). não tenho vestígios de qualquer Com muito amor, ministrou-me dor e sofrimento que, um dia, eu seu primeiro Johrei e, depois, pas- senti. E isso só foi possível, graças ao Johrei e à permissão de receber sou a praticá-lo diariamente. Durante este período, graças a o Ohikari para também ministrar Meishu-Sama e ao Johrei, minha Johrei às pessoas. Desse modo, vida começou a mudar. Passei a passei para o lado daqueles que entender os propósitos de Deus, a são úteis a Deus e ao próximo. ler os ensinamentos e a compreender as causas de tudo o que estava vivendo. Com isso, despertei para dedicar nas atividades da Igreja, pois o Johrei me fez perceber que eu tinha a missão de servir a Deus. Este sentimento me motivou a receber o Ohikari e, em março de 2012, tornei-me membro da Igreja Messiânica. A partir daí, intensifiquei minhas dedicações e entendi que somos instrumentos de Deus para a concretização do Paraíso Terrestre. Apesar de me sentir mais forte e confiante, ainda não conseguia libertar-me totalmente das dificuldades e dos remédios. Certo dia, tive uma crise de pânico e fui atendida pela missionária que me acompanhava e por dois ministros que me transmitiram Johrei. O


IZ IZUNOME IZUN ZUN UNOM OME IZUNOME

CENTRO DE PESQUISA MOKITI OKADA

Transgênicos: um caminho de incertezas

Luiz Carlos Demattê Filho Centro de Pesquisa Mokiti Okada Coordenador-Geral

É

cada vez mais frethurigiensis). Esta é mais quente ouvir nocomum no milho, em que a tícias e assistir a planta sintetiza uma proteídocumentários sona que atua como inseticida bre agricultura e para matar uma praga poalimentação nos dias atuais. pularmente conhecida como Segundo explica a Agência lagarta-do-cartucho. Uma Nacional de Vigilância Sasegunda geração de transnitária (ANVISA), além das gênicos permitiu a produção graves contaminações por de sementes com estas duas agrotóxicos presentes nos tecnologias juntas. alimentos e da questão das Os principais transgênirotinas alimentares causacos plantados no mundo são: doras de doenças crônicas, milho, soja, algodão, papaya, o debate se acalora pela disbeterraba, canola, abóbora, seminação dos transgênicos. alfafa, tomate e pimentão. Em razão de sua complexiHá também um salmão para Luiz Carlos: a tecnologia dos transgênicos é fruto do materialismo, que negligencia o poder da natureza. dade, o tema gera frequentes ser liberado nos EUA e Caconfusões, motivo pelo qual nadá, que recebe o gene de escrevemos este artigo a fim de contribuir no esclare- uma enguia, aumentando a secreção de hormônios cimento de um tema tão importante. e fazendo com que ele cresça duas vezes mais que o Primeiramente, o que é o transgênico? Trata-se salmão criado em cativeiro. do processo de transferência genética de um ou mais Outra técnica associada aos transgênicos, muito genes de uma espécie, seja ela microrganismo, ani- mais polêmica, é a utilização do gene popularmenmal ou vegetal, no código genético de outra espécie. te chamado Terminator. Com base nessa técnica o Ou seja, são produtos de cruzamentos que não ocor- grão, após ser colhido, dispara um gatilho genético, rem desta forma na natureza. tornando-o estéril. Em outras palavras, esta semente Desde a década de 1980, o ambiente de produ- não germina, garantindo a inevitabilidade de uma ção agrícola vem sendo inundado, ano a ano, com nova compra toda vez que o agricultor for fazer um sementes provenientes destas tecnologias. No Bra- novo plantio. Isto é particularmente importante na sil, referentemente à soja, milho e algodão, 80% das soja, pois a semente da soja, sendo uma variedade[1] áreas são de produção transgênica, sendo as mais co- e não um híbrido[2] permitiria ao produtor utilizámuns as que fazem com que a planta seja resistente -la em safras subsequentes, sem grandes prejuízos aos herbicidas aplicados nas lavouras para o contro- à produtividade, caso não tenha o gene Terminator le do mato e as que usam a tecnologia BT (Bacillus inserido. Assim, a cada nova safra, os agricultores [1] Variedade: plantas obtidas pelo cruzamento natural entre plantas de mesma linhagem. São plantas mais heterogêneas entre si, mas as sementes colhidas expressam características semelhantes às dos pais possibilitando o plantio das sementes produzidas, para obtenção da próxima geração. [2] Híbridas: plantas obtidas por cruzamento de pais de linhagens puras diferentes, resultando em plantas que possuem características homogêneas entre si, mas diferentes dos pais. Sementes colhidas de híbridos não possuem as mesmas características desejáveis dos pais.

14 – MARÇO / 2014


CENTRO DE PESQUISA MOKITI OKADA

culturas que detêm 95% e 90% de toda a produção nacional embasada em sementes transgênicas. Quanto à segurança nutricional, sabemos que é um problema de contornos políticos na distribuição equitativa das riquezas mundiais mais que outros aspectos. Ao mesmo tempo, quanto à saúde humana, animal e da natureza, podemos inferir os malefícios causados pela ingestão das “novas” proteínas resultantes da ativação dos genes transplantados. Pelo lado da natureza, já temos nos deparado frequentemente com pragas resistentes aos transgênicos causando diversos problemas às lavouras. Pelas questões expostas e por todas as incertezas quanto aos transgênicos é que somos francamente contrários a este modelo de agricultura, pois trabalhamos para concretizar o desejo de Mokiti Okada. Conforme ele nos ensina, o solo e a planta cultivados com respeito à natureza podem alcançar elevados níveis de produtividade e, acima de tudo, ser dotados de elevada qualidade nutricional e espiritual, ou seja, com elevado nível de energia vital. Em seus escritos, claramente notamos que, do ponto de vista da grande natureza, este tipo de manipulação não compreende e não respeita a verdadeira missão da agricultura, que é a produção de alimentos puros para nutrir o homem em sua plenitude. Os transgênicos continuam na linha de atacar os sintomas; assim sendo, se o problema é mato, eles tornam uma planta resistente ao herbicida de forma que ele possa ser usado livremente sem danos à cultura. Caso haja insetos que comem a planta, produzem um inseticida que os mata. Com isso, o resultado é a ampliação de uma visão materialista, que negligencia o poder da natureza.

[3] CTNBio – Comissão Técnica Nacional de Biossegurança, órgão colegiado ligado ao MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação).

MARÇO/ 2014 –

15

IZUNOME

necessitariam adquirir novas sementes, aumentando sua dependência e garantido ao detentor da patente que as sementes não serão usadas sem pagamento dos royalties. Esta tecnologia foi banida, pelo risco de contaminar os habitats naturais e espalhar o gene Terminator na natureza, com consequências imprevisíveis. Não obstante, sua aprovação tramita novamente na CTNBio[3] e na Câmara dos Deputados. Observem que, com exceção do Terminator, as demais sementes híbridas e/ou transgênicas não são estéreis. Desta forma, é possível perceber o tremendo impacto negativo destes organismos geneticamente modificados na natureza, à medida que tais genes “escapassem” e passassem a fazer parte do código genético de outras plantas. Além disso, e não menos impactante, é a drástica redução da biodiversidade, a qual é um fator absolutamente importante para a vida das futuras gerações em nosso planeta Terra, e que é causada por este tipo de agricultura. Os defensores desta abordagem dizem que os transgênicos são seguros à saúde humana e animal, benéficos à natureza pela redução do uso de agrotóxicos e imprescindíveis à segurança alimentar, sobretudo no que se refere às populações pobres e nutricionalmente inseguras. Para os opositores – incluem-se aqui todos os movimentos de agricultura orgânica – tais alegações não se sustentam, senão vejamos: Nos últimos cinco anos, o Brasil transformou-se num território de expansão substancial para o uso dos transgênicos e, paradoxalmente, neste mesmo período, galgamos o primeiro posto no mundo na quantidade de agrotóxicos utilizados. A soja é a campeã de uso seguida pelo milho, exatamente as


IZUNOME

SECRETARIA DE AGRICULTURA NATURAL - AROMA DE HORTA

Devemos apreciar os

alimentos da época HORTELÃ

U

(Mentha sp. Lamiaceae)

m dos sabores mais populares do mundo, a hortelã é, ao mesmo tempo, quente e refrescante, com uma fragrância adocicada. Na cozinha, ela se divide de modo geral em dois grupos: hortelã (spearmint) e menta (peppermint). As mentas verdadeiras têm grande variedade de sabores e fragrâncias. Embora todos conheçam a hortelã comum ou hortelã-das-hortas, há outras com aromas de maçã, chocolate, lima azeda, toranja, limão e gengibre. As folhas podem ser apanhadas ao longo do período vegetativo, mas o melhor é colher pouco antes da florada, quando os óleos essenciais estão no ponto mais forte. O aroma da hortelã vem do mentol, que também deixa uma sensação ensação refrescante e de leve entorpecimento na boca. ca. Culinária Por mais adorável que seja o seu sabor, a hortelã fresca pode encobrir sabores mais suaves e é melhor usá-la a com parcimônia. A hortelã seca eca é menos invasiva e é a prefee-

rida nos países árabes e do Mediterrâneo Oriental. Os chefs ocidentais usam a hortelã para temperar berinjelas, cenouras, abobrinhas, ervilhas, batatas e tomates. Ela vai bem ainda com frango e carne de cordeiro, seja como marinada, geleia, molho de hortelã ou salsa. Temos, ainda, na cozinha do Oriente Médio, a hortelã como essencial no tabule e na tigela de ervas frescas e verduras. Combina com manjericão, cardamomo, cravo-da-índia, cominho, endro, feno-grego, gengibre, manjerona e orégano, páprica, salsa, pimenta-do-reino e tomilho. Harmoniza-se bem com iogurte, batata, ervilha e salada. Notas de sabor hortelã é suave e refrescante, A h com um sabor agradavelmente pungente, doce e intenso, com pu to toques de limão. A menta tem no notas acentuadas de mentol e um toque picante, embora tamb bém seja levemente doce, penetrante e condimentada, com um sabor residual fresco.

Como plantar hortelã A hortelã é uma planta herbácea rário da manhã ou no final do dia. A e vivaz, com porte ereto. É típica de hortelã tem preferência por solos férclima temperado ou ameno e suporteis e ricos em matéria orgânica. ta bem as baixas temperaturas, mas O plantio é geralmente realizado não o congelamento total do solo. Alde setembro a novembro, através de tas temperaturas associadas a baixas rizomas, retirados, durante os meses precipitações diminuem seu teor de de julho e agosto, de plantas bem deóleo essencial. senvolvidas, saudáveis e de boas caRecomenda-se que o local do racterísticas, com duas ou três gemas Rizoma: ramo com raiz e broto. plantio seja bem protegido do vento, (com dois ou três brotos) em cada pepois este pode prejudicar daço de rizoma. Eles pomuito as plantas. Ela pode dem ser plantados diretaser cultivada em lugares mente no local definitivo ensolarados ou em som- ou em canteiros, sendo bra parcial. É ideal que o as mudas transplantadas solo nunca seque duran- quando atingem de 10 a te o ciclo de crescimento, 15 cm de altura. sendo importante fazer a O espaçamento recoHortelã comum adulta no vaso. irrigação no primeiro homendado varia de acordo Muda pronta para transplante.

16 – MARÇO / 2014


SECRETARIA DE AGRICULTURA NATURAL - AROMA DE HORTA

IZUNOME

e da região GELEIA DE HORTELÃ Maçã descascada e picada Folhas frescas de hortelã picadas Vinagre de vinho branco Açúcar Folhas de hortelã frescas (a mais) Água potável

4 unidades 1 maço ¾ xícara de chá 1 xícara de chá 15 g 1 xícara de chá

Colocar as maçãs, a hortelã e o vinagre numa panela; cozinhar sem tampa até as maçãs ficarem macias. Amassar em purê. Devolver o purê à panela e acrescentar o açúcar e a água. Deixar ferver por aproximadamente dez minutos. Retirar do fogo e misturar a hortelã a mais. Despejar num recipiente limpo. Deixar na geladeira até firmar.

BOLO DE HORTELÃ Folhas de hortelã para o chá ½ xícara de chá Água potável 1 xícara de chá Couve-manteiga 1 folha grande Açúcar claro 1 xícara de chá Óleo ½ xícara de chá Maçã 3 unidades Ovos inteiros 3 unidades Farinha de trigo especial 2 xícaras de chá Farinha de trigo integral 1 xícara de chá Folhas de hortelã picada 2 colheres de sopa Fermento em pó 1 colher de sopa Bater no liquidificador a água com a couve. Fazer um chá bem forte dessa água verde com a hortelã. Bater no liquidificador o chá com as folhas de infusão, o açúcar, o óleo, as maçãs sem a casca e os ovos. Despejar essa mistura em uma tigela e juntar as farinhas, as cascas das maçãs picadas, a hortelã fresca e o fermento. Misturar bem. Despejar essa massa em assadeira untada e enfarinhada. Assar em forno médio preaquecido.

com a espécie e o cultivar. Para serem Entretanto, geralmente comercializadas uma distância de 30 a 40 as folhas podem cm entre as plantas é con- ser secas à somsiderada adequada. bra ou em secaA colheita pode ser dor à temperafeita, na maioria das ve- tura máxima de zes, dentro de aproxima- 35°C. Muda de hortelã-pimenta. damente 80 ou 90 dias após o plantio, a partir do momento em que as plantas se encontram bem desenvolvidas. Corte as hastes acima do primeiro ou segundo par de folhas ou colha apenas as folhas necessárias. É possível fazer a colheita de todas as hastes três vezes por ano, por quatro a seis anos, sem necessidade Hortelã nova no vaso. de replantio.

Colheita de hortelã.

Após a colheita, altura para rebrota. MARÇO/ 2014 –

17


IZUNOME

FUNDAÇÃO MOKITI OKADA

Oriente e Ocidente no caminho

do Belo para a nova Era desperta a reflexão, o olhar e a busca gradativa da excelência nos campos artístico, pessoal, profissional e comunitário.” Segundo a coordenadora acadêmica da instituição, Andréa Tomita, a proposta do curso foi elaborada de acordo com os fundamenExposição de obras de Shen Teh Chi (Guarapiranga). tos artísticos estabelecidos por Mokiti oltada aos profissionais Okada. “Nosso plano pedagógide diferentes áreas que co se liga à prática da Coluna de buscam cursos de espe- Salvação por meio do Belo. Princialização em perspec- cipalmente, quando inspirados tiva interdisciplinar, a por Mokiti Okada, reconhecemos nova pós-graduação Arte e De- o papel da Arte de alto ação da senvolvimento Humano: conflu- nível para elevação ências culturais no caminho do espiritualidade humana. Belo” será oferecida pela Faculda- Nestes tempos de grande de Messiânica, em São Paulo (SP), intranquilidade social com início previsto para o primei- vividos em nosso país e ta desno mundo, a oferta ro semestre deste ano. a uma Com projeto pedagógico cen- te curso significa uição trado no processo criativo do ser valiosa contribuição humano, o curso visa apresentar da comunidade meso cruzamento da cultura oriental siânica em vários sene ocidental, e abordar a Verda- tidos”, explica. ecer Para oferecer de, o Bem e o Belo nas obras de Mokiti Okada. Um diferencial da disciplinas que aupla proposta é a estimulação de capa- xiliem na ampla so cidades perceptivas, emocionais, formação, o curso os cognitivas e relacionais dos estu- abordará aspectos udantes para abranger a formação, sobre arte, edua, a pesquisa e a docência. Ou seja, cação, natureza, e esta pós proporcionará ao aluno criatividade melhor relacionamento interpes- espiritualidade. soal, atuação efetiva na sociedade Entre os estudos que serão e prática da espiritualidade. A doutora em Artes e coor- trabalhados, a denadora do curso, Eunice Vaz pós-graduação Yoshiura, explica que “os estudos conta com as de cunho teórico-prático visam ao seguintes madesenvolvimento humano, por térias: História enmeio do caminho do Belo. E a arte da arte e do desen-

V

18 – MARÇO / 2014

volvimento humano na cultura ocidental e oriental; Experiência estética no processo criativo; Contemplação da natureza no caminho da arte do Japão, entre outras. De acordo com a coordenação, serão aplicadas 12 disciplinas pelo corpo docente da faculdade e por professores convidados da Universidade de São Paulo (USP), da Fundação Mokiti Okada e de outras instituições educacionais parceiras. O curso é presencial e tem a duração de 18 meses. As inscrições devem ser feitas pelo site www.faculdademessinanica.edu. br. Informações pelo telefone (11) 5081-5888. A Faculdade Messiânica está localizada à Rua Humberto I, 612, Vila Mariana, São Paulo (SP).


FUNDAÇÃO MOKITI OKADA

IZUNOME

Ikebana Sangetsu inicia atividades

V

árias manifestações artísticas como: taiko (tambores japoneses), da escola Wadaiko Sho, escola de samba Águia de Ouro; cerimônia do chá do Centro Chado Urasenke do Brasil; orquestra de violões do Setor Musical da Fundação Mokiti Okada, balé, banda de música e ikebana estiveram presentes ao evento denominado “Hatsuike – A primeira flor do ano”, que marcou o início dos trabalhos da Ikebana Sange-tsu e a comemoração dos 40 anos da academia no País. O evento ocorreu no dia 2 de fevereiro, em São Paulo, e reuniu aproximadamente 1,2 mil pessoas de vários estados do Brasil. Algumas autoridades, como deputados federais, estaduais, vereadores e representantes da comunidade japonesa prestigiaram o encontro. O presidente da Fundação Mokiti Okada (FMO), Rogério Hetmanek, e o vice-presidente, Miguel Bomfim, foram responsáveis pela entrega dos certificados aos instrutores que representaram suas regiões e receberam o documento em nome dos alunos, totalizando 3.580 formandos nos vários níveis dos cursos de ikebana. A Secretaria de Agricultura e Alimentação Natural lançou o livro “Agricultura e Alimentação Natural”, que contém a pesquisa realizada no Japão, entre 2006 e 2010, sobre os efeitos benéficos de uma dieta baseada em alimentos produzidos pelo método da Agricultura Natural/Orgânica sobre a saúde. De acordo com a paranaense e empresária, Alice Akemi Okada, que fotografava a exposição, é a primeira vez que vem ao Hatsuike. “Comecei a fazer aula de ikebana neste ano e fui convidada pela minha professora para vir ao evento, que está muito lindo!

Os arranjos florais trazem felicidade e enobrecem o ser humano”, diz. Para a publicitária Maria Aparecida de Prizio, “minha casa não fica mais sem flor. Fazer ikebana é gratificante e uma prática enriquecedora para a elevação espiritual.” “Pretendo aprimorar-me e aprender a transmitir melhor meus sentimentos por meio da flor”, conta a aluna Claudia Teixeira de Oliveira, que há dois meses começou o curso e pela primeira vez esteve no Hatsuike. Durante o encontro, o presidente Hetmanek reforçou a missão da Arte, de acordo com a orientação de Mokiti Okada. “O Paraíso é o mundo da arte. É importante que tudo que seja feito se torne artístico, desde a atividade mais elementar”, reforçou ele. O coordenador nacional da Ikebana Sangetsu, Erisson Thompson de Lima Jr., repassou aos presentes os três pontos que pretende trabalhar ao longo deste ano por meio dos arranjos florais. São eles: Compartilhe tudo de bom; traba-

Acima, representantes das instituições que participaram do evento. Houve demostração da criação de ikebanas e exposição de arranjos florais.

lhe em equipe e pratique o bem. “Fazer o próximo feliz é o segredo para ser feliz”, finalizou. MARÇO/ 2014 –

19


KORIN

IZUNOME

Existem hormôn Quem nunca participou de uma conversa sobre o uso de hormônios em frangos e seus malefícios à saúde? O assunto se tornou tão presente em nosso dia a dia, que passou a ser defendido por muitos como uma verdade. Essa “lenda urbana” ganhou intensidade na década de 1950, a partir de experiências de aplicação de hormônios na criação de bovinos. Nessa época, como os hormônios eram derivados de estrógenos, que são hormônios femininos, o assunto logo alcançou relevância nacional a ponto de virar tema de carnaval.

S

egundo se comentava, a carne de boi consumida pela população estava contaminada por hormônios femininos, fazendo com que os homens, além de engordar muito, começassem a adquirir trejeitos femininos e a sofrer de impotência sexual. A notícia se espalhou, e o consumo da carne de boi caiu quase 80% nas grandes metrópoles. O governo precisou intervir energicamente para pôr fim aos boatos, valendo-se, para tal, dos veículos de comunicação de massa para desmentir o mito. A marchinha “Eu hein, boi!”, de Arnô Provenzano e Otolino Lopes, fez sucesso na voz de Ângela Maria: “Boi, boi, boi/Eu não quero nem de quebra/Quem come a sua carne/Fala fino e se requebra/Eu hein, boi/Vou comendo bacalhau/ Depois conto como foi.” O momento que vivemos atu-

20 – MARÇO / 2014

Frangos Korin: manejo e nutrição diferenciados.

almente, com certeza, tem fundamento nas raízes criadas por este caso. Anos depois, a história se repete. No dia 4 de fevereiro de 2014, a Secretaria da Defesa Agropecuária, órgão ligado ao MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, autorizou, de forma facultativa, o uso da frase: “SEM USO DE HORMÔNIO, COMO ESTABELECE A LEGISLAÇÃO BRASILEIRA”, no painel traseiro da embalagem, a fim de continuar com o trabalho de quebrar este mito popular tão persistente. No Brasil, nenhuma produção de aves recebe hormônios, uma vez que tal aplicação é proibida, desde 6 de janeiro de 1976, pelo MAPA (Decreto nº76.986). “Outro fator é que os hormônios não são eficientes em aves em função de sua fisiologia não conseguir converter seus efeitos em rendimento de carne e, por isso, não é utilizado”,

declara o médico-vete-rinário e ador coordenador t -geral do C Centro de Pesquisa Mokiti Okada, Luiz Carlos Demattê Filho. Para sanar qualquer tipo de dúvida, o único hormônio existente nas aves é o produzido naturalmente pelo organismo, o que ocorre igualmente nos demais animais, inclusive no ser humano. Animais sob estresse crônico secretam altos níveis de corticoides, que resultam na redução das funções imunológicas, fragilizando os animais, que se tornam suscetíveis a doenças. Com isso, mais medicamentos e antibióticos são usados, criando um círculo vicioso. No caso da Korin, os animais são criados dentro das normas de bem-estar animal, seguidas pioneiramente, no Brasil, pela empresa.


KORIN

IZUNOME

ios em frangos? ção e mantêm a saúde dos animais sem o uso de quimioterápicos. Até bem pouco tempo, acreditava-se que a aplicação de antibióticos em animais de corte não só fazia com que os mesmos crescessem com maior velocidade como também poderiam proteger quem os ingerisse de uma série de doenças transmitidas por esses animais. A Food and Drug Administration, órgão dos EUA que regula as indústrias alimentícias e de medicamentos, concluiu, em estudo recente, que esta não é uma realidade. Segundo pesquisas da organização, a ingestão constante dessas substâncias pode desenvolver doenças graves e até matar pessoas. Esta conclusão levou o país norte-americano a discutir a proibição do uso de antibióticos na produção agropecuária. A Korin, que já produz o frango sem antibióticos desde 1994 e desenvolve um trabalho pioneiro no Brasil, é reconhecida pela sociedade brasileira e por muitos profissionais de saúde como a melhor Korin: pioneira na não-utilização de antibióticos na produção de frangos. opção para uma alimentação saudável. Um dos efeitos mais devastadores da apliProduções convencionais de frango utilizam doses altas de antibióticos que promovem o crescimen- cação de antibióticos em aves é o surgimento das suto dos animais através de uma atuação seletiva na perbactérias, bactérias resistentes que não podem ser flora intestinal. “Independentemente de qualquer re- combatidas pelo sistema imunológico humano e que sultado prático, como somos difusores da filosofia de vêm matando centenas de pessoas em todo o munMokiti Okada, proporcionamos o melhor ambiente e do. “O aparecimento de bactérias resistentes, que é condição possíveis, já que os animais são seres vivos atualmente considerado uma pandemia mundial, que possuem espírito e sentimento”, declara Regi- ocorre pelo uso indiscriminado de antibióticos na naldo Morikawa, diretor-superintendente da Korin. produção de aves, suínos, peixes e bovinos”, explica “Na verdade, o uso de hormônios é frequentemen- Morikawa. Para tirar outras dúvidas te confundido com o uso de antibióticos como me melhoradores de desempenho no sistema dee produção sobre a produção diferenciaconvencional. Isso porque ambos promovem vem o cres- da dos frangos da Korin, entre em contato com o cimento de animais”, ressalta. Atualmente, a Korin trabalha com dois is sistemas SAC, através do e-mail de criação de frangos certificados: a linha a sustentá- sac@korin.com.br vel, que engloba os frangos livres de antibióticos, ntibióticos, Solenne e caipira, e a linha orgânica. O diferencial dessas produções está no manejo e na nuutrição dos animais. Todos os frangos da Korin possuem criação livre de antibióticos e promotores de crescimento. As aves, certificadas pela WQS (World Quality Service), recebem ração 100% vegetal à base de milho e soja. Com a ausência de antibióticos, que torna a carne do frango Korin muito mais saudável, a empresa oferece aos animais prebióticoss e probióticos, óleos essenciais de plantas e ervas aromáticas, tais como canela, orégano e capimem a ra-limão, nutrientes naturais que enriquecem MARÇO/ 2014 –

21


IZUNOME

KORIN MEIO AMBIENTE

KMA realiza teste-piloto para tratamento de resíduo sólido urbano

C

om o desenvolvimento senvolvimento tecnológico que see deu após a Revolução Industrial, l, iniciou-se um intenso movimento mento de exploração dos recursos rsos naturais. Paralelamente, houve grandes alterações nas características e nas quantidades químicas, físicas e bioulógicas dos produtos. Aliado a este avanço, o sistema capitalista vigente desde o final do século XIX fez com que o consumo mundial aumentasse consideravelmente, o que acarretou o crescimento do volume dos resíduos gerados. Atualmente, os resíduos sólidos constituem uma problemática enfrentada por pequenas, médias e grandes cidades, uma vez que, a cada dia, os espaços para a destinação do lixo se tornam mais escassos, seja devido às áreas irregulares, lixões, que estão sendo fechados, seja em decorrência dos aterros sanitários, que estão atingindo sua máxima capacidade. Na busca de soluções ambientalmente corretas, a KMA (Korin Meio Ambiente) vem desenvolvendo tecnologias para o tratamento e descarte corretos dos resíduos orgânicos. Dentre as tecnologias desenvolvidas, a KMA apresenta o Sistema ADB (Alta Degradação Biológica), que consiste num simples processo de aceleração da decomposição dos resíduos orgânicos e que tem ainda a vantagem de não necessitar de grandes áreas para sua implantação. Neste sistema, há um substrato composto por serragem (maravalha) ou material de poda de paisagismo ao qual é acrescido o acelerador de compostagem, propiciando a criação de um ambiente favorável ao processo de aceleração. A este substrato são adicionados os resíduos orgânicos a serem tratados. Todo o material é homogeneizado e colocado geralmente em formato de leira (monte) atingindo a temperatura necessária para a decomposição em algumas horas. Os RSU (Resíduos Sólidos Urbanos) são os resíduos domiciliares e os resíduos de limpeza urbana. As características dos RSU dependem dos hábitos e costumes de cada comunidade, sendo que, geralmente, os resíduos orgânicos correspondem a mais de 50% de sua composição total. Com base nesta informação,

22 – MARÇO / 2014

Tratamento do resíduo sólido urbano utilizando o sistema de alta degradação biológica.

À frente, o resíduo tratado. Ao fundo, o substrato peneirado.

foi realizado um teste-piloto para o tratamento deste tipo de resíduo com o objetivo de reduzir o volume a ser destinado aos aterros sanitários. Para a aplicação do teste, primeiramente foi preciso preparar o substrato que, após 15 dias, ficou pronto. Inicialmente, com a recepção de 250 kg diários de RSU previamente separados, após o sétimo dia a quantidade foi dobrada, passando para 500 kg diários de RSU tratados. O sistema foi alimentado diariamente durante 25 dias, chegando a atingir temperaturas médias de 70°C. Neste período, utilizando-se o mesmo substrato, foram tratados cerca de 10.500 kg de material orgânico proveniente do resíduo sólido urbano, restando apenas 3.000 kg de material inerte (inativo) destinado ao aterro, ou seja, do total houve uma redução de 71% em peso dos resíduos. O teste, mais uma vez, mostrou a eficiência do Sistema ADB e a qualidade dos serviços e das soluções ambientais da KMA no tratamento de resíduos sólidos urbanos, uma vez que foi possível reduzir consideravelmente o volume a ser destinado para o aterro sanitário. Trata-se, portanto, de uma solução válida, aplicável em centros urbanos de qualquer dimensão. Para saber mais informações acesse: www.kmambiente.com.br.


IZUNOME


IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL DO BRASIL

2014/03  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you