Page 1

IZUNOME

O caminho da salvação que começa e termina com

JOHREI


IZUNOME


ÍNDICE

Ensinamento do mês Sou um cientista em religião

6

Culto do Paraíso Terrestre “O importante é a decisão de querer transmitir a Luz Divina”

8

Experiência na prática da fé “Preciso transmitir essa Luz ao maior número de pessoas”

IZUNOME IZ ZUN NO OM ME

5

10

Presidência mundial O caminho da salvação que começa e termina com Johrei

16

Trono de Kyoshu Cinquentenário da ascensão de Nidai-Sama - parte 3

18

Expansão Igreja Messiânica e Secretaria Johvem conectam-se às redes sociais

20

Fundação Mokiti Okada FMO participa de fórum sobre alimentação escolar

21

Fundação Mokiti Okada Professores de Ikebana participam de aprimoramento

22

Korin Universitários consomem frangos Korin

Foto da capa: Monte Nokoguiri Hiroshi Tsumagari Depto. Editorial - Japão. JUNHO / 2012 –

3


IZUNOME

EDITORIAL

Amigo

é para essas coisas...

N

o último Culto Mensal de Agradecimento, realizado no Solo Sagrado de Guarapiranga em 1º de maio, o presidente mundial da nossa Igreja, Revmo. Tetsuo Watanabe, falou sobre a época em que começou a fazer difusão pioneira no Rio de Janeiro. Contou que sofreu muito com fofocas – afinal, um jovem japonês, que praticamente não conseguia se comunicar em português, estava “curando” pessoas numa pequena casa na Tijuca, na zona norte carioca. Realmente, ele era “um prato cheio” para os fofoqueiros de plantão. Fofoqueiros nunca espalham coisas boas sobre as pessoas. Pelo contrário, parecem ser especialistas em só enxergar pontos negativos em quem quer que seja. São os famosos “amigos da onça”. Revmo. Watanabe propôs que nós, messiânicos, façamos exatamente o contrário. Ele quer que nos tornemos amigos de verdade. Amigos de verdade – aqueles com quem podemos contar em qualquer circunstância, estando eles perto ou longe de nós – são pessoas interessantes. Nós sabemos que temos defeitos, às vezes até reconhecemos e nos desculpamos por alguns deles, mas um amigo de verdade, não. Para ele, você é perfeito. Ele gostaria de ser como você. E, quando damos uma daquelas escorregadelas normais na vida, jamais ouviremos dele uma crítica que nos jogue ainda mais para baixo. Nosso amigo de verdade vai se calar, abrir para nós um sorriso e, nos bastidores, nos ajudar a não incorrer mais no mesmo erro. Porque ele é nosso amigo de verdade. Talvez seja numa pessoa assim que o Revmo. Watanabe pede que nos transformemos. No Ensinamento “Fé e confiança”, Meishu-Sama descreve algumas características de umverdadeiro amigo: “(...) As pessoas devem comentar, a respeito desse homem: ´É alguém que me ajudou, que me salvou...é pessoa muito bondosa... seria um grande prazer tê-lo como amigo. É uma criatura muito agradável...” Vamos pensar: quantas pessoas, hoje, têm uma opinião assim sobre nós? Nas anotações delas, quantas vezes aparece o nosso nome no quesito “meu amigo de verdade”? Nenhuma vez? Ótimo! Significa que o caminho para o nosso crescimento está totalmente aberto. Essa citação aparece apenas poucas vezes? Já não está tão mal. O importante é que tenhamos o desejo forte, firme e sincero de, ao nos encontrarmos com alguém, não deixarmos que ele se vá sem que tenhamos conquistado mais um “Diploma de Amigo”. Boa leitura, bom aprimoramento.

ERRATA O Centro de Pesquisa Mokiti Okada comunica um erro nas informações contidas no texto “CPMO desenvolve sementes de milho”, publicado na página 21 da edição de abril 2012 de IZUNOME. O CPMO pede que seja desconsiderada a 2ª frase do 3º parágrafo da referida matéria, em que se lê “As sementes cultivadas, (...) são frutos de oito anos de seleção”. A informação correta é: “As sementes cultivadas são resultado de uma das pesquisas do programa de desenvolvimento de melhoramento genético, que acontece no CPMO desde 2003.”

Acesse nossos sites:

Publicação mensal da Igreja Messiânica Mundial do Brasil Ano IV - nº 54 - ISSN 2177-7462 Elaboração: Divisão de Comunicação da Igreja Messiânica Mundial do Brasil Diretor da Divisão: Rev. Mitsuaki Manabe Jornalista responsável: Antonio Ramos de Queiroz Filho (MTb 21898) E-mail: ascom@messianica.org.br Edição de Arte: Kioshi Hashimoto Revisão: Ivna Fuchigami Fotografia: Ricardo Fuchigami Colaboradores: Lúcia Martuscelli, Rosana Cavalcanti, Kelly Mello, Fernanda Silvestre (redação); Tony Tajima, Alecssandro Lima, Camila Rossetti, Michel Rossetti, Celina Watanabe e Hiroshi Tsumagari (fotografia) Produção: Fundação Mokiti Okada - M.O.A. Redação e Administração: Rua Morgado de Mateus, 77 – 1º andar – CEP 04015-050 Vila Mariana – São Paulo – SP – Tel. 11 5087-5078

4 – JUNHO / 2012

www.messianica.org.br

www.fmo.org.br

www.korin.com.br

www.kmambiente.com.br

www.planetaazul.com.br

www.faculdademessianica.edu.br

Tiragem: 82.180 exemplares Impressão: Editora Abril

Coordenação de produção e impressão:

www.fmo.org.br

Rua Morgado de Matheus, 77 – 4º andar CEP 04015-050 – Vila Mariana – São Paulo – SP Tel. 11 5087-5030

SEKAI KYUSEI KYO IZUNOME

www.solosagrado.org.br

www.johvem.com.br

www.izunome.jp


IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL DO BRASIL

IZUNOME

ENSINAMENTO DO MÊS

Sou um cientista em

RELIGIÃO [...] Agora devo falar sobre um acontecimento extraordinário. Como já explicamos, os fenômenos do Mundo Material são produzidos pela união dos elementos Sol, Lua e Terra. A distinção entre o dia e a noite é decorrente da alternância do Sol e da Lua. Acontece que no Mundo Espiritual também existe dia e noite. Evidentemente, a ciência da matéria não consegue compreender isso, mas a ciência espiritual o consegue. O acontecimento extraordinário a que me refiro é a grande mudança que está para ter início no mundo. Um acontecimento surpreendente, jamais imaginado pela humanidade, isto é, um fenômeno histórico: a Transição da Noite para o Dia. Para entendê-lo, torna-se necessário um estudo do ponto de vista Tempo. No Mundo Espiritual há transição da noite para o dia em períodos de dez, cem, mil ou milhões de anos. [...] É claro que, dependendo do caráter das coisas e da sua grandeza – maior, média ou menor – elas se refletem do espírito para a matéria com maior ou menor rapidez, mas o essencial move-se com precisão. Agora está justamente ocorrendo a transição de um período de três mil anos; estamos no alvorecer de um

novo período. Já me referi a isso antes, e até a data acha-se bem definida. Foi a 15 de junho de 1931 que o Mundo Espiritual começou a se transformar em dia. A mudança se processará até certo tempo e gradualmente se refletirá no Mundo Material. [...] O fato de o Mundo Espiritual estar se tornando dia significa que há uma intensificação do elemento fogo. Apesar de ser uma mudança gradativa, já está se projetando no Mundo Material. Assim, o mundo em que a água predominava sobre o fogo, tornar-se-á o mundo em que o fogo predominará sobre a água. Através da ciência da matéria não se pode perceber tal fenômeno, mas as pessoas dotadas de alta espiritualidade conseguem percebê-lo plenamente. Com essa mudança, todos os problemas para os quais não se encontrava solução, serão resolvidos de maneira clara e precisa. Com base no que acabo de expor, vou criar a Verdadeira Civilização elevando o nível da Ciência atual. Meishu-Sama em 7 de abril de 1954. Extraído do Livro “Alicerce do Paraíso”, vol. 1 (trechos)

JUNHO / 2012 –

5


IZUNOME

CULTO DO PARAÍSO TERRESTRE

„O importante é a decisão de querer trans

a

Reverendo Hidenari Hayashi, presidente da IMMB.

B

om-dia a todos! Minhas congratulações a todos os presentes pela participação neste tão importante Culto do Paraíso Terrestre. Hoje, este culto especial está sendo transmitido via satélite a 47 unidades de todo o Brasil. Meus cumprimentos também a todos os que estão nos acompanhando ao vivo, nos Centros de Aprimoramento! No Solo Sagrado de Atami, o Culto do Paraíso Terreste será realizado no próximo dia 15 de junho, e mais de 170 caravanistas brasileiros já estão no Japão, preparando-se para nos representar nesse Culto. Como todos os messiânicos sabem, no alvorecer do dia 15 de junho de 1931, no alto do Monte Nokoguiri, Meishu-Sama recebeu a revelação de Deus sobre a transição da Era da Noite para a Era do Dia. Ou seja, o mundo entrou num novo ritmo: é o que chamamos de ritmo da era do dia, regido pela mudança do egoísmo para o altruísmo e do materialismo para o espiritualismo. Além disso, a partir daquela data, o elemento fogo, essência do Johrei, vem ficando cada vez mais forte no mundo espiritual, que, por sua vez, se reflete neste mundo material. Nós, messiânicos, celebramos o Culto do Paraíso Terrestre para nos lembrarmos principalmente desses dois pontos: mudanças e aumento da força do Johrei. Será que realmente completamos a nossa transição interior, passando de materialistas e egoístas para espiritualistas e altruístas? Até que ponto es-

6 – JUNHO / 2012

Saudação do Rev. Hidenari Hayashi, presidente da IMMB Solo Sagrado de Guarapiranga 10 de junho de 2012 tamos cientes da missão que recebemos de MeishuSama, quando fomos outorgados com o Ohikari para ministrarmos Johrei às outras pessoas? A experiência de fé que acabamos de ouvir da senhora Nanã, mostra claramente como esses dois pontos estão destacados. Quando ela reconheceu que precisava mudar seu sentimento, colocando-se à disposição de Meishu-Sama para ser utilizada na salvação de seu semelhante, em apenas um dia, conseguiu ministrar Johrei a quatro pessoas no seu ambiente de trabalho. Acho que o ponto importante nessa experiência é que, quando se muda o sonen no sentido de querer salvar alguém, de querer ministrar Johrei, de querer ser útil a Deus, a Luz entra no coração e as oportunidades começam a aparecer. Todos os messiânicos que receberam o Ohikari, ganharam a permissão de ministrar o sagrado Johrei. Para mim, quando eu recebi o Ohikari, foi a maior mudança que ocorreu na minha vida, pois eu mudei de lado: deixei de ser um simples recebedor de Johrei e passei para o lado daqueles que podem ser úteis a Deus, salvando outras pessoas, ministrando-lhes o Johrei. O Johrei é uma prática bem simples, mas impregnado do amor de Deus, que quer salvar toda a humanidade. O Johrei pode ser praticado por qualquer pessoa, desde criança até idoso, homem ou mulher, de qualquer classe social, em qualquer lugar, a qualquer momento. Logo depois da outorga, é só desejar a felicidade de seu semelhante, erguer a mão e deixar Meishu-Sama atuar. Mesmo quem ainda não tem experiência, consegue


CULTO DO PARAÍSO TERRESTRE

Luz Divina‰

O culto pelo Brasil via satélite

IZUNOME

mitir

Belém - PA.

Exposição de ikebana ikebana, venda de produtos naturais Korin e apresentação do Coral Mokiti Okada. Atividades que abrilhantaram o Culto do Paraíso.

maravilhosos resultados com o Johrei. É uma prática tão simples, que talvez muitas pessoas não estejam sentindo seu valor. Eu sei que ainda tem gente que não está conseguindo ministrar Johrei todos os dias. Então, tentem começar ministrando Johrei a seus familiares. Se não tiverem muito tempo disponível, podem ministrar poucos minutos... O importante é a decisão de querer transmitir a Luz Divina, e o empenho em ser verdadeiros ministrantes do Johrei. A senhora Nanã disse em seu depoimento que sente que Meishu-

Sama deu a ela uma grande Luz e que esta continua crescendo dentro dela. E que sente também que precisa transmiti-la a outras pessoas. Acho que esse seu estado de espírito está totalmente de acordo com aqueles que conseguiram entrar no ritmo do dia, reconhecendo sua missão de levantar a mão do Johrei, como messiânicos. Assim, eu pergunto: “Vamos assumir essa obra do Johrei, para expandir a força de salvação ao maior número de pessoas?” Muito obrigado e boa missão a todos!

Salvador - BA.

Petrópolis - RJ.

Porto Alegre - RS.

JUNHO / 2012 –

7


IZUNOME IIZ ZUN UNOM OME

EXPERIÊNCIA EEX XP PEER ER RIIÊÊN NC CIIA NA NA PRÁ PRÁTICA ÁT TIICA CA D DA A FFÉÉ

Nanã Faustino do Nascimento Prado relatou suas experiências no Culto do Paraíso Terrestre, no Solo Sagrado de Guarapiranga.

„Preciso transmitir essa Luz ao maior número

de pessoas‰

B

om-dia a todos! Meu nome é Nanã Faustino do Nascimento Prado. Dedico no Johrei Center Casa Verde ligado à área Santana, região São Paulo Capital. Hoje, gostaria de relatar a todos os senhores a mudança ocorrida no meu sentimento com a prática do Johrei, em preparação para este culto do Paraíso Terrestre. Sempre tenho participado das reuniões em que estudamos as orientações de Kyoshu-Sama e do presidente mundial, Revmo. Tetsuo Watanabe. Por intermédio delas, comecei a sentir o quanto estava distante da missão de ser um instrumento de salvação, pois, como messiânica há 11 anos, apesar de conseguir encaminhar alguns familiares, vinha agindo sem compromisso com os problemas das pessoas que me procuravam. Por exemplo, sou escrivã de polícia e, no meu local de trabalho, tive muitas oportunidades de ter sido instrumento, mas acabei desperdiçando-as. Porém, no culto mensal de abril, o reverendo responsá-

8 – JUNHO / 2012

vel pela Região fez uma palestra em preparação ao Culto do Paraíso Terrestre. Nela, ele enfatizou que, nós, messiânicos, não podemos perder mais tempo porque já estamos em pleno Juízo Final. Portanto, como estamos sendo preparados, um a um, para conseguirmos passar essa fase de transição, há a necessidade de urgentemente ligarmos o maior número de pessoas a Deus. Ao término da palestra, senti uma sensação maravilhosa de ter finalmente compreendido a respeito da importância dessa transição. Por outro lado, também fiquei meio preocupada, pois o tempo está passando muito rápido. Assim, no dia seguinte, resolvi que precisava me colocar à disposição de Meishu-Sama e que se alguém viesse me contar seus problemas, de que ordem fossem, eu iria me envolver, ouvir com atenção e oferecer-lhe Johrei para se tornar útil a Deus. Então, na primeira oportunidade que tive no trabalho, disse aos policiais que se encontravam de plantão, que eu era messiânica e que estava à disposição de todos para ministrar o Johrei nas horas


EXPERIÊNCIA NA PRÁTICA DA FÉ

JUNHO / 2012 –

IZUNOME

vagas. Nesse plantão, Objetivando cumprir trabalhavam comigo dez nossa missão de ligar policiais. Na hora, todos as pessoas ao Messias ouviram o que eu disse, Meishu-Sama, continuo mas não demonstraram atenta às oportunidades nenhuma reação. Mesque aparecem à minha mo assim, não me abalei frente, principalmente e fiquei com o verdadeipara oferecer a sagrada ro desejo de servir espeLuz do Johrei. rando as oportunidades Por exemplo, um dia, aparecerem. Não demona academia de dança rou muito e algumas poque eu frequento, ao térliciais começaram a vir mino da aula, a instrutora me procurar. As duas me abordou perguntado: primeiras que vieram à ”Nanã, você é messiâniO Rev. Hidenari Hayashi recepcionou Nanã, o esposo Paulo minha mesa, já haviam ca, não é? Você poderia Marcos e a filha, Vitória, logo após o Culto do Paraíso. me relatado seus probledar uma explanação para mas tempos atrás, mas eu não tinha feito nada a res- nós?” Assim, fiz uma pequena aula sobre os princípeito. Nesse momento, reconheci minha falha e, com pios messiânicos para ela e os sete alunos presentes. um forte remorso no coração, pedi desculpas a elas A partir de então, quando tenho oportunidade, após por não tê-las ajudado antes e ministrei-lhes Johrei. a aula, tenho ministrado Johrei a três pessoas, na Depois, eu disse: “Olha, minha igreja tem o ministro própria sala de exercícios. Ainda na delegacia onde responsável que me pediu para levar os problemas trabalho, continuo ministrando Johrei a cinco coledas pessoas que não conhecem o Johrei para ele aten- gas, que já estão frequentando os Johrei Centers nos der. Vocês não gostariam de visitar o Johrei Center?”. bairros onde residem. Duas já estão assistindo às auElas aceitaram e liguei para o ministro, agendando as las para se tornarem messiânicas. Também estou busvisitas. Uma aceitou ir no mesmo dia, e a outra ficou cando as pessoas cuja salvação eu negligenciei, para para o dia seguinte. Mais tarde, outras duas também pedir desculpas a elas e colocar-me como instrumenpediram Johrei, que ministrei na sala delas. Dali da to para sua felicidade. delegacia, outro colega policial nos deu carona e nos Com isso, minha vida se tornou mais harmônica e levou ao Johrei Center. No fim, ele também recebeu a felicidade que sinto em perceber que Meishu-Sama o Johrei. vem me utilizando, está me transformando em uma No dia em que tomei a decisão de estar à dispo- pessoa cada vez mais tranquila, especialmente por sição de Meishu-Sama para me utilizar livremente, trabalhar num ambiente tenso como é o de qualquer terminei o expediente ministrando Johrei a quatro delegacia de polícia. Até meu esposo, que também pessoas! Assim, durante o mês de abril, pude ser pio- é messiânico e delegado, passou a se esforçar para neira na vida de seis pessoas, e essas duas amigas cumprir sua missão como missionário, indo diaque foram ao Johrei Center se tornaram messiânicas riamente ao Johrei Center dedicar. Hoje, sinto que na outorga de maio. Acompanhei-as durante a sua Meishu-Sama colocou uma grande Luz dentro de formação. Uma levou o filho e o neto, e a outra, uma mim que está ficando cada vez mais intensa. família de seis pessoas para conhecerem o Johrei Assim, ter a permissão de estar neste Altar, num Center. Agora, as duas estão acompanhando essas dia tão importante como hoje, me faz crer que eu prepessoas, da mesma forma que eu fiz. Hoje, são fortes ciso transmitir essa Luz ao maior número de pessoas. candidatas para a outorga do mês de junho. Muito obrigada e feliz Culto do Paraíso Terrestre!

9


IZUNOME

PRESIDÊNCIA MUNDIAL - A FORMAÇÃO DO PARAÍSO NO LAR - 11ª PARTE

O caminho da s que

Meishu-Sama recebendo a sra. Madeleine David (à esquerda), vice-diretora do Museu Cernuschi de Paris, no terceiro andar do Museu de Belas-Artes de Hakone.

Em setembro deste ano (2011), estive em Angola, costa ocidental da África, para participar da cerimônia de lançamento da pedra fundamental da Escola Agrícola de Cacuaco. A difusão da obra divina de Meishu-Sama neste continente teve início há vinte anos e, graças aos milagres do Johrei, já está presente em dezessete países e conta com mais de 66 mil messiânicos. Revmo. Tetsuo Watanabe.

Origem da Difusão do Johrei

H

oje, a prática da horta caseira, baseada nos preceitos da Agricultura Natural preconizada por MeishuSama, vem sendo ensinada em diversas escolas do continente. Por outro lado, vários terrenos estão sendo doados para o desenvolvimento da Agricultura Natural. O governo de Angola, por exemplo, já doou cerca de 2.700 hectares, nos quais planejamos implantar o sistema agroflorestal1. No intuito de viabilizar a difusão das

técnicas agrícolas, pretendemos também investir na formação de técnicos e na disseminação de técnicas sustentáveis de perfuração de poços que fornecerão água tanto para o consumo humano quanto para o uso agrícola. Isto porque, quando se vive num país onde as mais diversas áreas ainda se encontram em desenvolvimento, antes de qualquer outra coisa, o fundamental é ter água potável e alimentos seguros que garantam a vida. É também importante que haja con-

1. O sistema agroflorestal, diferente da monocultura, preza pela alta diversidade no cultivo, vivificando as características do solo e da região.

10 – JUNHO / 2012


PRESIDÊNCIA MUNDIAL - A FORMAÇÃO DO PARAÍSO NO LAR - 11ª PARTE

começa e termina com dições em que seja possível dormir em paz. Promover a educação é o passo seguinte para que o povo de uma nação possa viver de maneira justa, correta e autônoma, livrando-se da demanda interesseira de países desenvolvidos que só pensam em explorar seus recursos naturais. Trabalhamos cientes disso e, por esta razão, os messiânicos da África se dedicam com tanto fervor às atividades que nossa Igreja vem desenvolvendo. Existe brilho e esperança em seu olhar. A sociedade contemporânea e a dificuldade em aceitar o Johrei Lembro-me com saudades do princípio da difusão no Brasil, quando estava rodeado por pessoas que mostravam esse mesmo brilho. Delas eu recebia energia para me dedicar à divulgação do Johrei, correndo por toda parte. É verdade que, logo no início, quase ninguém queria receber Johrei. Porém, quando os milagres começaram a surgir, as pessoas passaram a vir, atraídas pela Luz e, finalmente, uma grande instituição se estabeleceu. Creio que a difusão no Japão dos anos quarenta também ocorreu de forma semelhante. Entretanto, especialmente em países desenvolvidos, vêm crescendo, de modo geral, o medo, o preconceito e o desinteresse pela religião, que obstruem o desenvolvimento desta. No Japão, por exemplo, a situação das novas religiões foi particularmente agravada desde o ataque terrorista ao metrô de Tóquio pela seita Aum Shinrikyo, conhecida também como seita Verdade Suprema, em 1995. Meu amigo Peter Clarke, sociólogo inglês, falecido recentemente, costumava dizer que, mesmo na Inglaterra, conhecida pelo valor que confere às tradições, o número de jovens que frequentam as Igrejas vem diminuindo consideravelmente. Creio que esta tendência é fruto da falta de uma educação espiritualista e do ensino religioso correto. O Brasil, membro do BRICS2 e forte candidato a se tornar uma das grandes potências econômicas do século 21, apesar de ser um país muito tolerante com relação às religiões, futuramente, poderá também passar a vê-las com indiferença, caso a educação 2. BRICS é a sigla usada para se referir aos cinco grandes mercados emergentes – Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul.

IZUNOME

alvação Johrei Texto publicado na Revista Izunome (Japão) nº 91, ano 2011. Tradução: Min. Geórgia Raffo.

valorize somente o mateterialismo, que favorece a ganância e o egoísmo. See isto ocorrer, é possívell que o Johrei também venha a ser ignorado. Sendo assim, antes que isto ocorra, gostaria muito que os ensinamentos de Meishu-Sama e o os como Johrei fossem assimilados parte da própria cultura brasileira e de outros países como Tailândia, Sri Lanka, países da África etc. A salvação evolui de acordo com a mentalidade de cada época O Japão contemporâneo, por exemplo, tornou-se uma sociedade individualista em que cada um participa do que quiser, diminuindo, a cada dia, a quantidade de pessoas que tomam parte em atividades religiosas. Mas isto – como bem sabem os fiéis que têm filhos e netos – não significa que o homem atual tenha perdido o interesse pelas coisas do espírito; ele

Cerimônia de lançamento da pedra fundamental da Escola Agrícola de Cacuaco, em Angola. JUNHO / 2012 –

11


IZUNOME

PRESIDÊNCIA MUNDIAL - A FORMAÇÃO DO PARAÍSO NO LAR - 11ª PARTE

Angola: messiânicos e comunidade local trabalhando a terra, juntos.

simplesmente não gosta da ideia de fazer parte de uma determinada instituição religiosa, de ser forçado a participar de suas atividades ou de ter seus pensamentos e atitudes limitados. Nossa Igreja não impõe nenhum tipo de restrição, pois se baseia no ensinamento de Meishu-Sama “Liberdade na fé”. Apesar disso, ela não consegue mudar, do dia para a noite, a grande onda que originou esta aversão. Conforme ensina Meishu-Sama, é fundamental que, até mesmo as religiões, conheçam profundamente a mentalidade de cada época. (Ensinamento “O espírito de Izunomê”). Assim, creio que, para a salvação por meio do Johrei ser assimilada mundialmente, precisamos, por um lado, conhecer bem o pensamento e os anseios dominantes da época e, por outro, fazer com que as pessoas compreendam a atuação da nossa Igreja. Para tanto, é importante ampliar, com base nos ensinamentos de Meishu-Sama, o conceito de Johrei que, até então, viemos interpretando, principalmente como meio para solucionar problemas de doença, pobreza e conflito. Se fizermos isto, conseguiremos ampliar também o escopo da salvação. Com o intuito de facilitar a compreensão do que estamos dizendo, gostaria de apresentar um breve retrospecto da evolução do Johrei ao longo do tempo. Evolução do Johrei Religião lado a lado com as práticas médicas Em 1º de janeiro de 1935, Meishu-Sama fundou a Associação Kannon do Grande Japão (Dai Nippon Kannon Kai), que foi o embrião da Igreja Messiânica Mundial; o Johrei que praticamos hoje, chamava-se “Tratamento espiritual de digitopuntura (shiatsu) no estilo Okada”. Naquela época, a Obra Divina era desenvolvida colocando-se a religião em pé de igualdade com as práticas médicas. O crescimento da nossa Igreja foi tão expressivo que o então jornal Tokyo Nichi Nichi Shinbun, um dos mais importantes na época, publicou uma matéria de página inteira intitulada “A celebridade do momento: o grande mestre do Poder Kannon e as misteriosas graças promovidas por ele”. A partir de 1936, porém, o militarismo intensificouse, e o controle ideológico tornou-se ainda mais rígido. Devido à pressão das autoridades, Meishu-Sama dissolveu a Associação Kannon do Grande Japão e decidiu dar continuidade às suas atividades sob a forma de terapia, por meio da Associação Japonesa de Saúde (Dai Nippon Kenko Kyokai), fundada por ele. Poucos meses mais tarde, a Polícia Metropolitana baixou uma ordem proibindo a prática dessas atividades terapêuticas, e a associação também foi dissolvida.

12 – JUNHO / 2012

De “Tratamento espiritual de digitopuntura (shiatsu)” para simplesmente “Método de shiatsu” Em outubro de 1937, graças à influência de algumas pessoas importantes do mundo político que tiveram a vida salva pelo Johrei, a proibição foi suspensa. Contudo, as autoridades exigiram que Meishu-Sama definisse a natureza de suas atividades: se eram religiosas ou terapêuticas. Ele optou pela segunda alternativa e deu continuidade ao seu trabalho, chamando-o de “Método de shiatsu no estilo Okada”. Assim, o aspecto religioso do seu trabalho foi deixado em segundo plano. O Johrei daquela época era aplicado utilizando-se a ponta dos dedos ou a palma das mãos, movendo-a ligeiramente para esquerda e para direita sobre a parte enferma, quase tocando o corpo do recebedor. No dia 28 de novembro de 1940, mais uma vez, Meishu-Sama foi obrigado a interromper suas atividades, devido à pressão das autoridades. Desta vez, porém, o trabalho de difusão do Johrei teve continuidade por intermédio de seus discípulos. Meishu-Sama passou a orientar e a incentivar a consolidação da fé, realizando encontros e entrevistas com eles. Sete anos mais tarde, em 10 de fevereiro de 1947, Meishu-Sama reformou o sistema: o trabalho que, até então, vinha sendo desenvolvido de modo descentralizado, utilizando-se o sobrenome de cada discípulo para dar nome aos centros de terapia (por exemplo: Método de shiatsu no estilo [sobrenome do discípulo]), foi unificado por meio da instituição da Associação de Divulgação da Terapia Japonesa de Purificação (Nippon Joka Ryoho Fukyu-kai). De “tratamento terapêutico” para “meio de criar felicidade” Em 30 de agosto de 1947, foi instituída a pessoa jurídica Igreja Kannon do Japão (Nippon Kannon Kyodan), e o Johrei, que era chamado de “chiryou” (tratamento), passou a ser denominado okiyome (purificação). Somente em junho de 1948, ele recebe o nome de Johrei (purificação do espírito), como o conhecemos hoje. Conforme nos referimos há pou-


PRESIDÊNCIA MUNDIAL - A FORMAÇÃO DO PARAÍSO NO LAR - 11ª PARTE

co, antes ele era aplicado utilizando-se a ponta dos dedos ou a palma das mãos e praticamente tocando o corpo do recebedor. A partir desta mudança, ele deveria ser ministrado guardando-se uma distância de cerca de 10 cm e movimentando-se ligeiramente a mão para um lado e para o outro. Passados dois anos, em 4 de fevereiro de 1950, foi instituída a Igreja Messiânica Mundial (Sekai Meshiya Kyo), e o Grande Mestre passou a ser chamado de Meishu-Sama. Em maio do mesmo ano, ele sofreu perseguição religiosa e, em dezembro, publicou o artigo intitulado “Mudança no método do Johrei”. Neste, explicou que, como se tratava de um método para irradiar a Luz divina, ele deveria passar a ser transmitido por meio da imposição das mãos a uma distância de 30 a 60 cm, sem movimentá-las de um lado para o outro e tirando-se a força física. Posteriormente, no ensinamento “Johrei e felicidade”, publicado em 1952, Meishu-Sama deixou claro o objetivo do Johrei: “Pode parecer que o Johrei da nossa Igreja tem por finalidade a cura das doenças; na verdade, não é só isso. Ele tem um significado muito maior, sobre o qual vou escrever. Em poucas palavras, poderíamos dizer que ele é um meio de criar felicidade.” (grifo da revisão). Em 1º de julho de 1953, ele orientou: “Quanto mais profunda é a fé, maior se torna a força espiritual. Isto porque a “inteligência da percepção verdadeira” (“tie shokaku”) é a base.” Por meio desta orientação, Meishu-Sama está nos ensinando que o Johrei pode ser ministrado por qualquer pessoa que tenha recebido o Ohikari; porém, a intensidade da Luz varia, fundamentalmente, de acordo com a elevação espiritual do ministrante. O sonen-Johrei Depois que começou a purificar em 19 de abril de 1954, conta-se que Meishu-Sama, diversas vezes, comentou o seguinte: “A partir de agora, será o Mundo

do Sonen3. O Johrei vem em segundo lugar. Em primeiro, vem o sonen. Portanto, aprendam a mentalizar.” (Jornal Tijo Tengoku, nº 68). No livro de reminiscências sobre MeishuSama, consta que, certa vez, ele permitiu que um dedicante que estava purificando ficasse sentado num cantinho da sala na qual estava trabalhando alguns textos, e que só de ficar ali, a pessoa melhorou. Na época, MeishuSama explicou: “Como a Luz ficou mais intensa, é possível curar com o sonen-Johrei.” (“Reminiscências sobre Meishu-Sama”). Tenho certeza de que, conforme vamos adentrando a Era do Dia, a Luz de Deus vai se tornando cada vez mais intensa. Entretanto, na minha opinião, é fundamental reconhecer, com humildade, que, por trás do sonen-Johrei realizado por Meishu-Sama, existe um sonen sublime, pautado na inteligência da percepção verdadeira adequada ao ritmo da nova era. A propósito, ter inteligência da percepção verdadeira significa ter a extraordinária capacidade e sabedoria para captar a profunda razão das coisas. Em 10 de dezembro de 1951, Meishu-Sama fez a seguinte advertência: “Saber entregar nas mãos de Deus é muito bom. Porém, é inadmissível deixar tudo por Sua conta. Se pensarmos que tudo é vontade de Deus e ficarmos apenas nisso, acabaremos fracassando. Portanto, para distinguir uma situação da outra é preciso ter inteligência superior. Enfim, não podemos ficar presos somente a um ponto nem restritos à força humana. O importante é harmonizar todas as coisas.” Dessa forma, podemos concluir que a inteligência da percepção verdadeira não é algo que podemos obter simplesmente contando com a força que vem de fora, recebendo Johrei. Precisamos, sim, ter o desejo de nos aproximar de Meishu-Sama e nos empenhar para elevar nossa razão, sentimento e vontade. Portanto, o esforço humano é necessário. Quanto mais elevado o nível daqueles três se tornar, maior será o poder do Johrei e a sensação de plenitude interior. Assim, conseguiremos nos aproximar da felicidade. Diversas formas para purificar o espírito Em 10 de dezembro de 1958, Nidai-Sama, herdeira da obra divina de Meishu-Sama, deu a seguinte orientação: “O maior objetivo do Johrei é construir o caminho para o Paraíso e fazer surgir e aumentar o número de seres humanos corretos. Se nos esquecermos deste objetivo e o Johrei for praticado visando somente à purificação, a religião não cumprirá sua missão original.” Na minha opinião, o “Johrei que

3. Sonen é uma palavra japonesa que significa, de modo geral, “ideia” ou “atitude mental”; é o resultado da ação conjunta da trilogia razão, sentimento e vontade. JUNHO / 2012 –

13

IZUNOME

Sala de Chá no Solo Sagrado de Kyoto: o contato com a arte eleva o espírito.


PRESIDÊNCIA MUNDIAL - A FORMAÇÃO DO PARAÍSO NO LAR - 11ª PARTE

IZUNOME

As caligrafias de Meishu-Sama nos transmitem Luz.

visa somente à purificação” é aquele que é ministrado com o intuito de solucionar os problemas que estão à nossa frente. Portanto, tenho a impressão de que Nidai-Sama está nos dizendo que existe um Johrei que não se reduz a isto. Na sequência de sua orientação, ela disse: “É importante dar alimento à alma, ou seja, os ensinamentos”. Acredito que isto se relaciona ao artigo “Johrei através das letras”, escrito por Meishu-Sama, no qual ele diz que, ao lermos os textos escritos por ele, recebemos Johrei pelos olhos. Quando se referiu ao jornal Hikari como “balas de Luz”, em 1949, Meishu-Sama também nos ensinou o poder que os textos possuem. Ampliando um pouco mais o conceito de Johrei, temos as seguintes palavras de MeishuSama: “(...) qualquer pessoa que visite esse local [o solo sagrado] purificará seu espírito maculado pelas condições do mundo, e sua alma, completamente árida, será regada na própria fonte.” (“A respeito do Paraíso Terrestre”) Podemos concluir, a partir destas palavras, que só de pisar os modelos de Paraíso, a pessoa recebe Luz. Portanto, os solos sagrados também são uma forma de Johrei. Meishu-Sama ensina ainda que a apreciação de obras de alto nível artístico também eleva o espírito. A este respeito, escreveu o seguinte no ensinamento “A missão da Arte”: “O espírito dos artistas (...) influenciará o espírito do povo. Falando mais claro, as vibrações espirituais emitidas pela alma do artista tocarão a sensibilidade das pessoas através das obras literárias, da pintura, dos instrumentos musicais, dos cantos, das danças, etc. (...) O artista deve funcionar como orientador espiritual do povo.” E não se trata apenas de receber Luz por meio da apreciação da arte. Mesmo que cada um não chegue a se tornar um “orientador espiritual do povo”, é importante produzir obras que manifestem, o máximo possível, verdade, bem e belo, como artistas que pro-

porcionam alegria e prazer àqueles que estão perto de si. Ao ler isto, pode haver quem diga: “Mas eu não tenho nenhum talento artístico, não sei pintar, não sei tocar nenhum instrumento...!” Isto não é verdade. Afinal, Meishu-Sama não nos ensinou que tanto o Johrei, a Agricultura Natural e a construção dos protótipos do Paraíso também são formas de arte? Praticar o Johrei; produzir alimentos seguros, pensando na saúde das pessoas; tornar o lar e o ambiente de trabalho mais belos por meio de nossas palavras e atitudes, enfim, todas as ações que empreendemos no sentido de tornar este mundo um lugar paradisíaco não seriam formas de arte que também transmitem Luz? Tudo converge no “Johrei” Eu recebo Johrei desde criança e, durante toda minha vida, pude sentir, em meu corpo, seu poder. Depois que me tornei missionário, naturalmente ministrei Johrei a muitas pessoas que passavam por severas purificações e, nesses casos, também presenciei inúmeros milagres. Por isso, acredito que, mais do que ninguém, compreendo o quanto o Johrei é maravilhoso. Fazendo, porém, uma breve reflexão sobre minha atitude, na época em que estava na difusão, percebo que eu não me limitava à ministração do Johrei: cuidei, como pai, de crianças que tinham ficado órfãs; transmitia e praticava os ensinamentos com intuito de melhorar, ao menos um pouquinho, a vida das pessoas; arrisquei minha vida, entrando em lugares perigosos; alegrei-me com aqueles que estavam felizes por terem recebido uma graça e chorei junto com aqueles que estavam sofrendo. Acredito que foi porque me dediquei desta maneira, desejando a felicidade das pessoas, que Deus concedeu a mim e a todas elas Luz, purificação e cura. Sri Lanka: jovens messiânicos vivenciam o amor de Meishu-Sama ao levantar a mão para ministrar o sagrado Johrei.

14 – JUNHO / 2012


PRESIDÊNCIA MUNDIAL - A FORMAÇÃO DO PARAÍSO NO LAR - 11ª PARTE

Finalmente... Atualmente, nossa Igreja vem difundindo e desenvolvendo pesquisas sobre o Johrei como medicina alternativa. Mas seria apropriado dizer que este é somente um aspecto do que é o Johrei em sua essência. Precisamos praticar o Johrei que Meishu-Sama disse ter um “significado muito maior”. E, conforme ele nos ensinou, este Johrei não se restringe à solução da purificação pela doença: antes, é o Johrei da prática do amor altruísta, que salva e conduz verdadeiramente as pessoas à felicidade eterna. É este “Johrei da salvação” que precisamos praticar. Por meio dele, gostaria que cultivássemos o amor e a sinceridade, polindo e elevando nossa fé. Esta atitude, tal como nos orientou Kyoshu-Sama, tem por objetivo consumar o propósito do Supremo Deus, qual seja: “[...] fazer com que toda a humanidade retorne ao Seu Paraíso e renasça como Seus verdadeiros filhos, para que o Paraíso Terrestre se estabeleça.” (4 de fevereiro de 2011). Se a pessoa se dedica com todo amor e sinceridade à elevação da fé, um dia, conseguirá se aproximar, ao menos um pouquinho, de Meishu-Sama, cuja existência, por si só, era Luz. Mesmo não levantando as mãos, tudo o que ele fazia ou produzia se tornava Luz, purificando o espírito das pessoas que estavam à sua volta. É nisto que acredito.

JUNHO / 2012 –

15

IZUNOME

Tenho certeza de que tudo o que realizamos com amor e sinceridade, pensando na felicidade do próximo, manifesta Luz. Seja uma simples palavra, um sorriso, uma flor vivificada, uma hortaliça, uma refeição, a limpeza, o trabalho realizado, enfim, tudo o que fazemos pensando no sentimento do outro, libera Luz divina. Com isto, o espírito e o sentimento de nossos familiares e de todos que têm afinidade conosco são purificados e suas vidas ganham energia e serenidade. Quando ocorre alguma tragédia, poderíamos dizer que as ações empreendidas por inúmeras pessoas de bom coração com o intuito de prestar ajuda às vítimas bem como as lágrimas e o suor derramados nesta empreitada, são, numa visão bem ampla, uma forma de Johrei, que transmite às pessoas o amor de Deus. O Johrei, porém, não se limita a solucionar problemas: ele ajuda na prevenção dos mesmos, para que eles não ocorram. Assim, tudo converge no “Johrei”. Em outras palavras, o grande objetivo da Igreja Messiânica é que as coisas “comecem e terminem com o Johrei”. Quem neste mundo sentiria medo ou teria preconceito contra um trabalho desses? Se as nossas intenções forem bem compreendidas, tenho certeza de que as pessoas também compreenderão mais facilmente o Johrei pela imposição das mãos, que é um exemplo puro de amor altruísta. Creio que a difusão e a formação de herdeiros da fé também ocorrerão naturalmente.


IZUNOME

TRONO DE KYOSHU

Cinquentenário da ascensão de

Vencendo o próprio limite Em janeiro de 1958, foi criada uma subcomissão voltada para elaborar os projetos da construção do Santuário do Templo Messiânico (vide Revista Izunome nº 53), que foram apresentados, finalmente, por ocasião do Culto de Outono, realizado no mês de outubro do mesmo ano.

16 – JUNHO / 2012

Nidai-Sama durante viagem missionária e palestrando para ministros e missionários.

E

m suas viagens missionárias, Nidai-Sama explicava aos membros a linha principal da fé messiânica e a importância da construção desse Santuário. Com sua voz agradável e harmoniosa, ela cada vez mais conquistava os fiéis e dava-lhes forte motivação para se engajarem nas dedicações. Muitas vezes, sua palestra chegava a durar duas horas e, mesmo depois de retornar ao aposento, ficava até de madrugada revisando a palestra do dia seguinte. Por ocasião de suas visitas missionárias, nem sempre tinha tempo suficiente para descansar, mas ela não se importava nem mesmo em perder as noites de sono. Se, dentre as pessoas que vinham se despedir dela, encontrasse alguém em estado de purificação, Nidai-Sama logo levantava a mão e ministrava-lhe Johrei ali mesmo, com a maior naturalidade. Caso alguém se aproximasse para apertar-lhe a mão, logo estendia a sua e, sorrindo, dizia: “Se recebeu a Luz por meio desta minha visita, não a guarde só para você, divida-a com outras pessoas.”


TRONO DE KYOSHU

Em outubro de 1961, finalmente a construção do Santuário do Templo Messiânico foi concluída e, de suas cerimônias de inauguração, participaram mais de cem mil pessoas. Contudo, devido aos trabalhos intensos, a saúde de Nidai-Sama já estava no seu limite. Logo após a inauguração, um dedicante que servia ao seu lado disse-lhe: “Agora, a senhora precisa descansar...”, ao que ela respondeu bem calma: “Olha, se eu tivesse descansado um ano atrás, ainda valeria a pena, mas agora já é tarde...”. “Um ano atrás” corresponde exatamente a um momento crucial, em que a construção entrava na sua fase mais importante. Nidai-Sama sabia que essa obra fora uma determinação dada pelo Supremo Deus e, portanto, ela se preocupava bastante para que a construção não se atrasasse um segundo sequer. Até sua ascensão, Nidai-Sama se empenhou ativamente No Culto de Ano-Novo de 1962, com a saúde bem debilitada, Nidai-Sama descansava no Hekiun-so (NT: residência oficial do Líder Espiritual). Ao se aproximar o momento da cerimônia, pediu ajuda à dedicante que servia ao seu lado para pôr a vestimenta adequada ao culto e adentrou a sala do Altar. Após um tempo ali dentro, saiu e disse aos servidores: “Ministrei Johrei em direção ao Templo Messiânico. Assim, todas as pessoas que vieram ao culto receberam a Luz Divina.” Menos de um mês depois do culto, na noite de 23 de janeiro, seu estado se agravou de repente e, na madrugada do dia 24, às 02h15, partiu para o mundo espiritual aos 65 anos de idade. Após sua ascensão, Nidai-Sama recebeu o nome divino de “Amatsu Matama Yoshimino Mikoto” (Deusa celestial da Verdade, do Bem e da Beleza). No dia 28 de janeiro, em meio a profunda tristeza, foi realizado o Culto de Ascensão, no Templo Messiânico. Poema de Nidai-Sama: Até o dia em que irei me encontrar com o saudoso Meishu-Sama, preciso deixar construído, solidamente, o alicerce do Paraíso Terrestre. No final desse ano, o número de messiânicos havia chegado a 205.000 pessoas. Polimento recíproco entre o bem e o mal Quando os dedicantes que serviam ao seu lado ficavam preocupados com algum problema que surgia, Nidai-Sama dizia: “Tenham paciência por cinco anos. Certamente, no final desses cinco anos, o problema estará resolvido.” Ela era assim. Sua personalidade era extremamente paradisíaca, otimista, mas também brincalhona e tinha o coração puro como o de uma criança. À

IZUNOME

Nidai-Sama

— parte 3

A Segunda Líder Espiritual dedicando junto com os membros.

sua volta pairava sempre uma tranquilidade, suave como a brisa da primavera. Costuma-se dizer que, para o amor de mãe, quanto mais feio é o filho, mais bonito lhe parece. Era com esse amor que Nidai-Sama acolhia as pessoas malquistas trazendo-as para perto de si e tratando-as carinhosamente. Nidai-Sama sempre observava as pessoas com sentimento amplo e dizia: “Mesmo que uma pessoa tenha muitos defeitos, se acharmos nela um ponto positivo e depositarmos o nosso amor nesse ponto, ela crescerá a olhos vistos.” Ela também afirmava que deve haver um “polimento recíproco entre o bem e o mal”, ou seja, que todas as pessoas, tanto as do bem quanto as do mal, polindo-se reciprocamente, poderão ir juntas para o paraíso. Ela possuía um amplo sentimento, raro em uma pessoa comum. “Aquele que conseguiu se conscientizar plenamente da verdadeira missão da nossa Igreja, consegue encaminhar as pessoas com facilidade.” “Há pessoas que ainda duvidam da chegada do Juízo Final, mas isso é lamentável, pois, com certeza, ele vai acontecer.” “A virtude oculta é importante. Mas seria melhor ainda, se o mundo todo começasse a praticála.” Estas eram suas palavras, ensinadas por meio de sua própria postura. Atualmente, nosso objetivo é nos tornarmos “pioneiros da salvação”, tendo como tarefa a expansão do altruísmo e o sentimento de gratidão em nosso cotidiano. Para tanto, precisamos relembrar as palavras de NidaiSama: “A essência da fé é formar pessoas e salvar a humanidade. Se não nos elevarmos a esse nível de compreensão, não conseguiremos obter a verdadeira força”, as quais devem ser gravadas em nossos corações. Outrossim, para conseguirmos terminar a construção do Solo Sagrado, precisamos aprender com a nossa alma, a fé ardente que Nidai-Sama depositou na construção do Santuário do Templo Messiânico. Continua no próximo número... JUNHO / 2012 –

17


IZUNOME

EXPANSÃO

Igreja Messiânica e Secretaria Johvem

conectam-se

A

informação instantânea e integrada é atualmente imprescindível para qualquer movimento ou organização manifestar-se e comunicar-se. As informações chegam rapidamente a um número cada vez mais expressivo de pessoas e essa ação facilita e acelera a comunicação interpessoal e o acesso ao conhecimento. Os brasileiros, por sua vez, estão mais conectados à rede mundial de computadores e este índice cresce vertiginosamente. De acordo com dados do IBOPE NETRAITINGS*, já são, em 2012, 79,9 milhões de brasileiros conectados à Internet. Só no site de relacionamentos Facebook, o Brasil registrou, em 2011, 35,1 milhões de usuários, assumindo a quarta colocação no ranking mundial, atrás apenas dos EUA (157 milhões), da Indonésia (41,7 milhões) e da Índia (41,3 milhões). Com a facilidade e abrangência desta ferramenta, a Secretaria Johvem e a Igreja Messiânica Mundial do Brasil viram na Internet e nas redes sociais um excelente canal de comunicação com os messiânicos e simpatizantes. Desde abril, a IMMB possui uma página no Facebook e um perfil no Twitter, cujo objetivo é interagir e compartilhar com os seguidores as atividades desenvolvidas durante o ano, permitindo às pessoas trocar informações e realizar uma colaboração mútua de transmissão de conteúdo, de maneira extremamente rápida e eficaz. Entre as atividades compartilhadas pela Igreja Messiânica nas redes sociais estão os calendários de cultos, trechos de Ensinamentos, fotos e vídeos dos

Parte do grupo que alimentou as páginas da IMMB e Secretaria Johvem durante a Conferência Nacional, realizada em abril.

Solos Sagrados do Brasil e do Japão. Diariamente, também são postados trechos da publicação “Gotas de Luz”, que oferecem aos seguidores do Twitter e da página no Facebook mensagens de sabedoria para o dia a dia. A possibilidade de compartilhar tais conteúdos com um grande número de pessoas de maneira fácil e rápida foi o grande motivo para que a IMMB ingressasse nas mídias sociais. O mesmo fez a Secretaria Johvem, ao lançar, durante a 8ª Conferência Johvem, em 30 de abril, a página oficial do Johvem no Facebook.

* Fontes: http://info.abril.com.br/noticias/internet/brasil-fecha-2011-com-79-9-mi-de-internautas-10042012-29.shl http://veja.abril.com.br/noticia/vida-digital/numero-de-brasileiros-no-facebook-cresceu-298-em-2011

18 – JUNHO / 2012


EXPANSÃO

A página traz todos os detalhes da última edição da Conferência e, a partir de do dia 30 de abril, passou a ser a página oficial do Johvem na rede. Toda a cobertura do evento, além das atividades desenvolvidas nos programas de formação e nas unidades religiosas, estão disponíveis. Na Conferência, a novidade foi apresentada de forma descontraída e muito divertida. Para demonstrar como é fácil participar, o secretário Johvem, ministro Edson Matsui, acessou a página do Johvem no Facebook e curtiu o perfil no momento da apresentação. Segundo uma das participantes do evento, Cristiane Rocha, a ferramenta é mais uma forma de aproximar os jovens messiânicos. “Hoje, os jovens buscam se relacionar por meio das redes sociais; então, para nós messiânicos, essas ferramentas são mais uma forma de estarmos próximos dos jovens de todas as regiões do País. O Facebook é uma ferramenta bastante utilizada e acredito que terá muito sucesso”, declarou a jovem da Região Nordeste. Além de todas essas novidades, a Sede Central lança, no mês de junho, o novo site da Igreja Messiânica Mundial do Brasil, totalmente reformulado, com novo layout e com muito mais conteúdo, tanto para os messiânicos quanto para quem está conhecendo a doutrina e visitando o site pela primeira vez. Os tópicos, dentre outros, consistem na apresentação de informações básicas sobre a Sede Central, Centros de Aprimoramento, Johrei Centers, além de Ensinamentos e atividades realizadas pelas unidades, como assistência religiosa e peregrinação aos Solos Sagrados do Japão. O novo site também traz

informações sobre formação religiosa messiânica, que engloba ensino, programas de formação de jovens e pré-seminário, além de noções sobre liturgia, com explicações sobre cultos mensais e especiais, sorei-saishi etc. Seções multimídia com vídeos, fotos, palestras e experiências de fé dos cultos também estarão disponíveis no novo site. Quer saber as novidades sobre as atividades da Igreja Messiânica e da Secretaria Johvem? Acesse as páginas e siga os perfis no Twitter e no Facebook:  Site IMMB: www.messianica.org.br  Facebook IMMB: www.facebook.com/messianica  Twitter: @messianica  Site Johvem: www.johvem.com.br  Facebook Johvem: www.facebook.com/johvembr

JUNHO / 2012 –

19

IZUNOME

às redes sociais


IZUNOME

FUNDAÇÃO MOKITI OKADA

FMO participa de fórum sobre alimentação escolar

Alimentação Escolar Orgânica - Garantia de Saúde e Sustentabilidade” foi o assunto da palestra ministrada pela nutricionista do setor de Alimentação Natural da Fundação Mokiti Okada, Tereza Maria Casulli, no 8º Fórum Nacional de Alimentação Escolar, que abordou “O Comportamento entre o Saber e o Sabor – Reflexos na Obesidade durante a Fase Escolar”. O evento ocorreu nos dias 24 e 25 de maio, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo (SP). Casulli compartilhou as pesquisas que o grupo de Alimentação Natural desenvolveu na manipulação do alimento orgânico, observando-se as diferenças deste em relação ao convencional e a consequente criação de técnicas dietéticas apropriadas ao orgânico. Neste levantamento, foi elaborada uma tabela comparativa entre convencionais e orgânicos, já que o percentual de aproveitamento do segundo é de 100%. Para viabilizar a ideia de adoção do alimento orgânico, foi apresentado um comparativo de preços, no qual se observa que o custo benefício é equivalente. Maria Tereza participou de uma mesa-redonda coordenada pela nutricionista e membro do Comitê Científico da Federação Nacional das Empresas de Refeições Coletivas – FENERC, Joana D´Arc Mura. De acordo com Joana, o 8º Fórum de Alimentação Escolar teve como princípio criar uma massa crítica que possa responsabilizar-se pela alimentação escolar em um determinado local e repassar um perfil nutricional diferenciado. Joana ainda comentou a atuação da FMO: “Fiquei impressionada com o trabalho que a Fundação desenvolve para contribuir para a melhoria da alimentação. Há um olhar diferenciado sobre manter a ordem e o respeito com o alimento e a natureza. Acredito que a instituição está no caminho certo. Também estou encantada com os livros sobre saúde que já foram publicados pela equipe.” A presidente do Conselho Regional de Nutrição,

Vilma Ávila Galasso (centro) durante oficina culinária no Fórum.

20 – JUNHO / 2012

Miguel Angelo Lopes: apresentação da dinâmica pedagógica, projetos e objetivos do Planeta Azul.

Beatriz Tenuta, destacou que “o 8º Fórum trouxe muitas novidades e discussões importantes sobre a alimentação escolar.” Além da palestra de Tereza Casulli, a Fundação promoveu vivência de Ikebana Sanguetsu Kids, apresentação do projeto Planeta Azul e oficinas culinárias: Alimento Vivo – Doce sem açúcar e Saber e Sabor – Culinária Orgânica, com a participação da nutricionista Thaís Yumi Kogachi e as culinaristas Rosa Maria Rodrigues e Vilma Ávila Galasso. O coordenador do Projeto Planeta Azul, Miguel Angelo Lopes, realizou duas apresentações no Fórum. Durante a primeira, dirigida aos alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental Olavo Fontoura, na capital paulista, ele introduziu a dinâmica pedagógica do projeto, que utiliza a revista em quadrinhos Planeta Azul produzida a partir de situações e vivências extraídas do cotidiano dos alunos que frequentam a Educação Infantil e o Ensino Fundamental. Já os professores receberam explicações sobre a dinâmica e os objetivos do Planeta Azul, e a proposta pedagógica 2012 – A arte como inspiração para uma vida saudável. Com o tema “Flor, Arte e Educação”, a vivência de ikebana foi conduzida pela professora do setor Ikebana Sanguetsu, Ivete Hinae Pereira, e contou com a presença de aproximadamente 30 participantes. Durante o evento, o setor distribuiu mais de 1.000 miniarranjos aos expositores e participantes. Coligada à Fundação Mokiti Okada, a Korin Meio Ambiente promoveu uma atividade sobre resíduos sólidos urbanos orgânicos. A atividade foi coordenada pelo gerente-geral da KMA, José Luiz Choiti Tomita, que abordou o problema do lixo nas cidades, coleta seletiva e compostagem.


FUNDAÇÃO MOKITI OKADA

IZUNOME

Professores de Ikebana participam de aprimoramento

C

erca de 500 pessoas participaram de um aprimoramento para instrutores da Ikebana Sanguetsu, no dia 28 de abril, na sede da Fundação Mokiti Okada, em São Paulo (SP). A abertura da atividade contou com a presença do presidente da Fundação Mokiti Okada - FMO, Rogério Hetmanek, que destacou a importância de priorizar a missão de todos os seres, com base no respeito à ordem natural da Verdade em ação na natureza. Nesse sentido, pediu aos coordenadores do Sanguetsu que buscassem dar ênfase à missão da flor em alegrar a vida pela beleza. Para divulgar as ações do setor Alimentação Natural da FMO e o livro “O sabor das Estações – Vol. II”, o coordenador Luis Fernando Buck esteve igualmente presente Rev. Rogério Hetmanek, presidente da FMO. Ao lado, Erisson Thompson de Lima Jr. ao evento. O coordenador da Ikebana Sanguetsu, Erisson e, depois, na instituição, pois ela é uma ferramenta Thompson de Lima Jr., apresentou o planejamento de melhoria da qualidade de vida do ser humano e e o material de estudo do setor para promoção das de otimização do tempo no trabalho. atividades em 2012, que têm como base as orientaO representante do setor de Agricultura Natural ções do reverendíssimo Tetsuo Watanabe, presidente da Fundação Mokiti Okada, Douglas Yoshimi Hamundial da Igreja Messiânica. rada, apresentou o projeto Horta em Casa & Vida Estrutura organizacional, plano de ação e meto- Saudável. Segundo ele, o projeto “consiste em uma dologia de ensino foram outros assuntos abordados atividade que pode ser realizada por toda a família, por Erisson, que ainda repassou a agenda com as ensina a gratidão pela alimentação e pelo produtor e principais atividades que serão realizadas ao longo permite compreender a sustentabilidade social e ecodo ano. “Convocamos todos os instrutores para da- lógica. Além disso, quem a pratica, adquire a verdarem um grande salto na expansão da Ikebana San- deira saúde preconizada por Mokiti Okada.” guetsu em nosso País e se tornarem o número um na O consultor Clayton Nagai fez um breve relato sofelicidade de nossos alunos“, disse. bre o trabalho que sua empresa já desenvolveu junto No dia 30 foi a vez dos coordenadores regionais e à Ikebana Sanguetsu e os próximos passos dentro do de área da Ikebana Sanguetsu no Brasil se reunirem, planejamento proposto. na sede da Fundação Mokiti Okada, para novo apriO presidente da Fundação Mokiti Okada, Rogério moramento. Hetmanek, repassou algumas orientações aos preA especialista em gestão de qualidade, Gleise de sentes. Ele ressaltou que todos precisam entender o Campos Scabio, falou sobre Qualidade Total e os caminho da flor, que é o caminho da Verdade. “Só asProgramas 5´s, 8´s e 10’s. Ela reforçou a importância sim a pessoa se torna espiritualista. E só o verdadeiro de implantar a qualidade total, começando pelo lar espiritualista pratica o verdadeiro altruísmo.” JUNHO / 2012 –

21


IZUNOME

KORIN

Universitários consomem

frangos Korin

G

raças ao aumento de políticas públicas que favorecem a compra de alimentos orgânicos e os provenientes da agricultura familiar por escolas e universidades públicas, o consumo destes produtos tem sido pauta em discussões de diretoria das instituições de ensino preocupadas em oferecer aos seus alunos e colaboradores uma alimentação mais saudável, cultivada sem adubos químicos e agrotóxicos. Dentro desta busca, que depende principalmente da decisão da reitoria, há dois anos, a Universidade Federal de Santa Catarina faz parte de um projeto intitulado “Sabor & Saúde”, cujo objetivo é incentivar a produção e gerar canais de escoamento dos produtos da agricultura familiar e orgânicos das proximidades da universidade. A logística é um dos fatores mais relevantes e esta região conta com um ótimo sortimento de produtos orgânicos vindos principalmente do município de Santa Rosa de Lima (SC), garantindo a sustentabilidade do negócio até hoje. Este projeto, que conta com a parceria da cooperativa AGRECO e o CED - Centro de Educação da UFSC, tem conseguido disponibilizar, em alguns dias da semana, 15 itens distribuídos entre frutas, legumes, verduras e cereais aos frequentadores do RU-Restaurante Universitário do campus. Com o sucesso da iniciativa, a reitoria abriu uma licitação pública de fornecimento de carne de frangos orgânicos para incrementar o cardápio, agora com uma proteína

22 – JUNHO / 2012

orgânica. Por intermédio do gestor de contratos da SOS Transporte de Alimentos, Roberto Carlos Cardoso, a Korin entrou em uma das cotações e conseguiu, pela primeira vez, atender um pedido de uma licitação para abastecimento de uma instituição pública. UFSC: duas vezes por semana, no almoço e no jantar, “Temos a intenção de frango Korin para a saúde dos alunos. Mensalmente são fornecidos 2.600 kg do produto. aumentar nosso cardápio de orgânicos. Entretanto, o alto custo e a disponibilidade local gócios para a empresa, permitindo são grandes desafios a serem venci- que os produtos cheguem de outras dos”, argumenta Deise de Oliveira formas a diversos tipos de público, Rita, diretora do RU. A iniciativa no caso, o universitário. “Chegamos de participar deste projeto partiu à ponta da cadeia de fornecimento da reitoria, que sempre defendeu a mais próxima do consumidor: uma ideia e os benefícios de fornecer ali- cozinha industrial que abastece mentos livres de agroquímicos aos seus clientes com alimentos orgâalunos da universidade. nicos, independentemente do valor “Fazemos questão que pelo me- cobrado. Isso demonstra que a colunos algumas vezes por semana, de- na da salvação pela Agricultura Naterminados produtos servidos nas tural e a filosofia de Mokiti Okada refeições sejam de origem orgâni- estão mais presentes em nosso dia ca. A política desta administração a dia.” valoriza a alimentação orgânica e, Edson Shiguemoto fala dos plapor isso, investe parte de seu orça- nos da Korin: “Nossa expectativa é mento na compra destes produtos, que, com essa primeira experiência, mesmo que sejam mais caros. As tornemos a marca e a qualidade dos leis atuais permitem, por meio de frangos orgânicos mais conhecidas licitação pública, incluir alimentos neste nicho, podendo gerar conorgânicos e provenientes da agri- vites para participarmos de novas cultura familiar sem qualquer tipo licitações.” de impedimento”, finaliza. O restaurante da Universidade Após vencer a licitação, que Federal de Santa Catarina, coorpermite um ano de fornecimento, denado por Beatriz Martinelli da desde março de 2012 a Korin pas- divisão administrativa; Melina sou a entregar mensalmente 2.600 Valério dos Santos, chefe da divikg de coxas com sobrecoxas orgâ- são de Nutrição e Helen de Aguiar nicas, preparadas e servidas duas Ardeng, nutricionista, serve diavezes por semana. riamente 6.300 almoços e 2.300 Segundo o gerente comercial da jantares a alunos, professores e Korin, Edson Shiguemoto, a experi- funcionários, a um preço simbóliência abriu um novo campo de ne- co e subsidiado de R$ 1,50.


IZUNOME


IZUNOME

2012/06  

O caminho da salvação começa e termina com o Johrei

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you