Page 1


GABINETE DA PRESIDÊNCIA

2 NOV DEZ 2007

Feliz 2008!

M

eishu-Sama nos ensinou que tudo, na Natureza e na nossa vida, acontece em ciclos. Isso se aplica também à nossa dedicação na Obra Divina, e ao trabalho que é desenvolvido pela IMMB e instituições coligadas. Estamos chegando ao final de mais um ciclo - o ano de 2007 - e, ao fazer um retrospecto de tudo o que aconteceu podemos, com alegria, confirmar a Verdade das palavras de nosso Mestre. Em entrevista que o JM publica na página 3 desta edição, o reverendo Hidenari Hayashi define, com sabedoria, o que o ano de 2007 representou para nós. Segundo ele, graças às orientações do nosso Líder Espiritual, Kyoshu-Sama, e do presidente mundial da IMM, Revmo. Tetsuo Watanabe, nós firmamos nossa identidade - somos uma família que reconhece e reverencia Meishu-Sama como o Messias tão esperado pela humanidade. Um outro ponto que ele destaca é o

fato de, agora, nós estarmos conscientes de que nós e nossos antepassados não somos existências separadas. A certeza de que somos unos com eles nos trouxe a permissão de entender muitas coisas e, principalmente, nos mostrou como trazer, para o nosso cotidiano, a responsabilidade pela salvaçào de nossos entes queridos já falecidos e a certeza de que, no dia-a-dia, eles estão conosco, dedicando na Obra Divina. Esta edição do JM traz uma breve retrospectiva do que aconteceu em 2007. Registra, também, uma experiência com um detalhe inusitado. Quando relacionou todos os seus credores, Demerval da Silva Quirino incluiu, no final da lista, um tal “Seu Messias”, mesmo sem entender bem a orientação que recebera de sua ministra. O relato que ele fez, no Culto do Natalício de Meishu-Sama, realizado no dia 16 no Solo Sagrado de Guarapiranga, emocionou os milhares de participantes da cerimônia.

As graças que Demerval recebeu têm uma fonte - o exercício diário e constante da Prática do Sonen. Como ele, milhares de messiânicos também estão entrando num novo ritmo da prática da fé, conforme têm nos orientado Kyoshu-Sama e o Revmo. Watanabe. Isso tudo prenuncia, para 2008, novas e maravilhosas experiências, e uma grande expansão do trabalho de difusão da Obra Divina do Messias, Meishu-Sama, no Brasil e no mundo. Quando esta edição do JM chegar às suas mãos, provavelmente o “ciclo 2007” já estará encerrado. Que em 2008 cada um dos messiânicos seja protagonista de uma história azul, cheia de graças e proteção e que, sob a Luz do Messias, Meishu-Sama, possamos revalidar nossa permissão de dedicar na Obra Divina, junto com nossos antepassados, cumprindo nossa missão de contribuir para o estabelecimento, nesta Terra, do Paraíso Terrestre .

“Vencemos um grande desafio” Grupo Korin amplia atividades e, depois de 10 anos, finalmente recebe a aprovação do Ministério da Agricultura para a frase que deve constar dos rótulos dos frangos verdes. JM: Quando o sr. assumiu a Direção Geral da Korin Empreendimentos Ltda.? Rev. Rubens: Em abril deste ano. Quais as empresas que compõem o grupo? São seis: a Korin Agropecuária Ltda.; Korin Agricultura Natural Ltda.; Korin Alimentos Ltda.; Korin Meio Ambiente – KMA; CNM – Construtora Novo Mundo Ltda. e a CNM – Serviços de Jardinagem e Paisagismo Ltda. Qual a sua avaliação sobre os resultados alcançados em 2007? Considero muito positiva, e isso se deve ao trabalho que vinha sendo feito pela gestão anterior. Marcamos presença nos eventos mais importantes que aconteceram em São Paulo, relacionados com a nossa área de atuação, e ampliamos os contatos tanto no plano nacional como com empresas estrangeiras, que se interessaram pelo nosso trabalho. Outro grande resultado que alcançamos foi o fato de termos conseguido, finalmente, vencer um desafio que vinha sendo enfrentado há muito tempo, junto ao Ministério da Agricultura. Qual foi esse desafio? Desde o início da produção do frango “verde”, a Korin enfrentou muitas dificuldades com relação à aprovação da frase que era usada nos rótulos, relativa ao nosso modelo natural de produção. Embora tivesse sido aprovada pelos órgãos competentes em duas instâncias, dezembro de 1999 e janeiro de 2000, a autorização concedida era de caráter provisório. Que tipo de problema essa situação gerou? Muitos prejuízos. Sempre que você lança um novo corte, por exemplo, precisa de aprovação para o novo rótulo. E essa autorização não era dada. Assim, durante 13 anos não pudemos desenvolver e comercializar novos produtos da linha de frangos. Como foi resolvido o impasse? Depois de sucessivas aprovações e cancelamentos do nosso texto, finalmente ficou marcada uma reunião da gerência da Korin Agropecuária com autoridades do Ministério da Agricultura, em Brasília. Antes da reunião, na sede da área da Igreja de Brasília, junto com os ministros, minutos antes de os gerentes da Korin entrarem na reunião, fizemos oração no Altar, pedindo a MeishuSama que se manifestasse naquele encontro, e que a Sua Vontade fosse concretizada ali. Antes de entrarem na reunião, os gerentes da Korin também elevaram o pensamento a Ele, com o mesmo objetivo. Qual foi o resultado desse trabalho? O melhor possível. A reunião transcorreu em plena harmonia. Chegou-se a um consenso que atenderia tanto às necessidades de adequação às normas do Ministério, quanto aos interesses filosóficos e comerciais da Korin em continuar a divulgar, aos seus clientes, seu sistema diferenciado de criação.

Rev. Rubens Manzalli, diretor geral da Korin Empreendimentos Ltda.

Como era a frase antiga e como ela ficou? A que usávamos era: “Frangos criados sem antibióticos e promotores de crescimento”. A finalmente aprovada é: “Sistema de criação sem uso de antibióticos terapêuticos e antibióticos como melhoradores de desempenho.” Quais as perspectivas para 2008? São promissoras. Todas as empresas coligadas estão fazendo avanços, planejando a diversificação das áreas em que atuam, além de desenvolverem estudos no sentido de aprimorar ainda mais aquilo que já vêm fazendo. Dentre as empresas do grupo, a KMA – Korin Meio Ambiente é a caçula. Como ela está estruturada? Na verdade, o trabalho de pesquisa e desenvolvimento de tecnologia na área de microbiologia aplicada ao meio ambiente já existia. Era e continua sendo feito nos laboratórios do Centro de Pesquisa da Fundação Mokiti Okada, em Ipeúna, no interior de São Paulo. Esses estudos são voltados para a solução de problemas de impacto ambiental causados por empresas ou produtores, de um modo geral. O que justificou a criação da empresa? A satisfação dos primeiros clientes que fizeram uso dessa tecnologia fez com que eles divulgassem esse resultado, gerando uma demanda de prestação de serviços que exigia a criação de uma empresa para administrar todo o processo de aplicação dessa tecnologia. Atualmente, a KMA presta serviços para 25 indústrias, em vários Estados, no tratamento de resíduos que degradam o meioambiente. Quais são os princípios que regem o trabalho das empresas coligadas à Korin Empreendimentos? A Korin, assim como a Fundação Mokiti Okada e a própria Igreja, tem como missão difundir e concretizar o ideal de Meishu-Sama de estabelecer o Paraíso Terrestre, um mundo isento de doenças, conflitos e pobreza. Apesar da sua atuação comercial, trabalhamos sempre com base nos Ensinamentos de Meishu-Sama e nas orientações do Revmo. Tetsuo Watanabe, que ressaltam cons-

tantemente a Verdade existente na “Lei do Espírito Precede a Matéria”. Assim, temos o objetivo de fortalecer cada vez mais o sentimento espiritualista dos gerentes e funcionários, desenvolvendo, dentro de cada um, a vontade de servir a Deus, na Obra Divina, através das seguintes práticas: - Iniciamos e finalizamos todas as reuniões internas com oração, pedindo ao Messias, Meishu-Sama, para atuar naquele momento, iluminando nossas decisões e nos permitindo cumprir a missão que Ele nos atribuiu, no nosso exercício profissional; - Procuramos “dar vida às coisas”, colocando “espírito na forma”, não realizando as atividades diárias simplesmente porque temos de fazê-las, mas sim, colocando todo o nosso sentimento e vontade em tudo que fazemos. Com isso, temos a certeza de que este sentimento germinará, como uma semente que colocamos no solo, crescendo e se desenvolvendo dentro das Leis Naturais. - Agradecer em qualquer circunstância, mas ter na consciência o desejo de que o que está bom fique ainda melhor. - Atender cada cliente com espírito de servir renovado, fazendo com ele que se sinta único.

JORNAL MESSIÂNICO Produzido pela Fundação Mokiti Okada - M.O.A. Redação e Administração: Rua Morgado de Matheus, 77 - 1º andar CEP 04015-050 - Vila Mariana - São Paulo - SP Tel. (0xx11) 5087-5078 Diretor responsável: Antonio Ramos de Queiroz Filho (MTb 21898) E-mail: jm@messianica.org.br Editor de Arte: Kioshi Hashimoto Assistente de Arte: João Paulo Otsuka Fotografia: Ricardo Fuchigami fotografiajm@messianica.org.br Tiragem: 100 mil exemplares Foto da capa: Paulo Schlick Impressão:

............................................................ Acesse nossos sites

www.messianica.org.br

www.fmo.org.br

www.solosagrado.org.br

www.johvem.com.br

www.korin.com.br

www.planetaazul.com.br


IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL DO BRASIL

Meishu-Sama, o Messias tão esperado

3

O Rev. Hidenari Hayashi define 2007 como um marco na história da Igreja e afirma que a identidade da instituição está finalmente firmada com o reconhecimento de Meishu-Sama como o Messias.

NOV DEZ 2007

JM: Qual a sua avaliação dos resultados do trabalho da Igreja, em 2007? Rev. Hayashi: Foram extremamente positivos. Realmente, neste ano, houve grande mudança no trabalho de difusão. Isso pode ser verificado através do ingresso de um grande número de novos membros, e da participação muito mais ativa dos messiânicos na materialização da sua gratidão, por exemplo, entre outros fatores. A que o senhor atribui esse crescimento? Às orientações que vimos recebendo, desde 2005, do nosso Líder Espiritual, Kyoshu-Sama, e do presidente mundial, Revmo. Watanabe, e ao empenho dos membros em colocá-las em prática. Na verdade, a Obra Divina no Brasil começou a ganhar novo ritmo em 2005, no Culto às Almas dos Antepassados, quando recebemos do Revmo. Watanabe a orientação sobre a Prática do Sonen. Na ocasião, ele nos transmitiu também uma orientação de Kyoshu-Sama em que ele se referia a dois Ensinamentos de vital importância para a prática da fé messiânica.

Masaaki Okada (esq.) e Rev. Katsuyuki Higashimoto (dir.) da Igreja Su no Hikari, recebem explicações sobre o terreno do Solo Sagrado de Guarapiranga.

Quais são esses dois Ensinamentos? O primeiro se refere ao fato de o homem possuir a partícula divina, outorgada pelo Supremo Deus, e que constitui seu espírito primordial. O segundo esclarece que não somos seres sem relação com nada. Nós somos a síntese de centenas, milhares de antepassados, e somos seus representantes. Kyoshu-Sama afirmou que, se os messiânicos viverem baseados nesses dois Ensinamentos, conseguirão mudar a atmosfera espiritual do mundo inteiro. De que modo a Prática do Sonen contribuiu para construir essa nova realidade? Falando francamente, antes, quando a gente enfrentava uma tarefa pesada, sentia grande dificuldade. Quando as pessoas enfrentavam uma purificação forte acabavam ficando desanimadas. Hoje, como nosso pensamento e a nossa compreensão mudou, se ampliou e aprofundou, estamos aceitando positivamente essas dificuldades e problemas e realmente enfrentando com espírito de gratidão. Por isso, começaram a surgir tantas graças, proteção e milagres. Isso vale também para a nossa compreensão sobre os Ensinamentos de Meishu-Sama. Essa compreensão também se ampliou? De que forma? Nós achávamos que Meishu-Sama tinha nascido com uma grande missão, reconhecíamos a grandeza dos Seus Ensinamentos, que para nós são a Verdade, mas hoje estamos sentindo que a nossa compreensão ainda era muito pequenininha. Agora, através das orientações de Kyoshu-Sama e do Revmo. Watanabe, nós realmente reconhecemos que Meishu-Sama é o Messias, o Salvador da humanidade, e estamos falando isso abertamente,

Messiânicos africanos no Culto aos Antepassados.

Rev. Hidenari Hayashi, presidente da IMMB.

sem nenhum receio ou dúvida. Para mim, 2007 vai ficar marcado na história da nossa Igreja por esse fato – finalmente foi estabelecida a nossa identidade. A Igreja Messiânica Mundial é a Igreja que reconhece Meishu-Sama como o Messias tão esperado pela humanidade. 2007 também vai ficar marcado por uma grande mudança na nossa relação com os antepassados, não é? É verdade. Nós sabíamos que o espírito precede a matéria, por exemplo, mas na verdade não estávamos conseguindo viver nosso cotidiano de acordo com essa lei. Não sabíamos como agir para que ela fizesse parte do nosso dia-a-dia. Isso mudou graças às orientações que vêm sendo transmitidas por Kyoshu-Sama e pelo Revmo. Watanabe. Antes, nós pensávamos: “Meus antepassados vivem em outro mundo, eu estou aqui na Terra”. Hoje entendemos que vivemos juntos, que não há distância entre nós e eles. Somos seus representantes. Realmente essas orientações mexeram com a nossa cabeça, ampliaram a nossa compreensão e nos deram condições de praticar os Ensinamentos de Meishu-Sama na vida cotidiana.

da participação nos cultos , da prática do Donativo de Gratidão e da participação na segunda fase da construção do Solo Sagrado de Guarapiranga mas, principalmente, através do empenho no encaminhamento de novos membros, para que esse Messias que habita em nós possa manifestar Seu poder, não apenas nas nossas vidas mas também nas das pessoas com quem convivemos. Sem dúvida, uma nova etapa está se iniciando... É verdade. E isso fica muito claro quando observamos toda a movimentação que aconteceu durante este ano. Em Guarapiranga, cerca de 12 mil pessoas participaram das dedicações na segunda fase de construção. Foram plantadas quase 5 mil mudas de árvores nativas. Também este ano, o número de membros que peregrinaram aos Solos Sagrados do Japão foi recorde – 451 pessoas, incluindo um grupo de jovens com 183 participantes. Por falar em jovens, segundo relatório que recebi, cerca de 3 mil pessoas de todo o Brasil foram envolvidas nos programas de aprimoramento Johvem 1, Johvem 2 e Johvem 3, que eles promoveram esse ano. Além de tudo isso tivemos também, dentre muitas visitas ilustres, a grande alegria de receber, pela primeira vez, o jovem Masaaki Okada, bisneto de Meishu-Sama, filho do nosso Líder Espiritual. Ele está cursando mestrado em Ciência das Religiões na Universidade de Oxford, em Londres, e aproveitou as férias para vir estudar e pesquisar o desenvolvimento da fé messiânica em nosso país.

Encontro ligado ao Programa de Formação de Jovens, realizado na Sede Central em dezembro.

Integrantes da 123ª Caravana brasileira: ao todo, 451 brasileiros peregrinaram aos Solos Sagrados, em 2007.

Estamos, então, redescobrindo os Ensinamentos? Acho que nós sempre soubemos que os Ensinamentos poderiam gerar grandes mudanças em todos os campos da atuação do homem, estabelecendo novos paradigmas, mas não estávamos conseguindo praticar os dois mais importantes – temos uma partícula divina e, portanto, somos representantes de Deus, e somos a soma de nossos antepassados. Isso é inédito, nenhum mestre religioso ensinou isso antes, até porque, dentro do Plano Divino, não havia chegado o tempo certo. Agora chegou a hora de revelar essa Verdade. Nós fomos os primeiros a receber esses Ensinamentos. Então, de hoje em diante, todos nós devemos nos perguntar: “Por que eu estou aqui nesse mundo? Qual é a minha missão?”, e procurar cumpri-la plenamente. Voltando à Prática do Sonen, o senhor acha que ela ajudou a compreender e aprofundar a convicção de que Meishu-Sama é o Messias? Eu acho. Porque nós já sabíamos, mas não conseguíamos entender como estamos entendendo hoje. Nossa compreensão se ampliou e aprofundou, e isso trouxe grandes mudanças. Realmente foi estabelecido o caminho que devemos seguir, o que devemos fazer, no dia-a-dia, para sermos salvos, verdadeiramente felizes. Esse caminho está bem claro no slogan “Vamos cultivar a fé que liga ao Messias, Meishu-Sama”. É isso que se liga à nossa salvação e à das outras pessoas também. O Messias está dentro de nós, e está querendo se manifestar plenamente. Cabe a nós purificar nossas máculas através da Prática do Sonen, do Johrei,

O Solo Sagrado de Guarapiranga também foi palco de vários eventos e recebeu muitos visitantes, não é? Exato. Cerca de 310 mil pessoas estiveram lá, este ano, seja participando dos cultos ou simplesmente visitando o local. Ao todo, entre os visitantes não membros, 475 grupos de escolas, entidades religiosas, estudantes, autoridades municipais e estaduais etc. passaram por Guarapiranga este ano. Isso é uma grande alegria para nós. É importante também registrar a retomada do intercâmbio de aprimoramento entre o Brasil e o Japão, além da presença, entre nós, de 180 membros do exterior, representantes de 26 países, que também fizeram estudos e aprimoramento no Solo Sagrado. Quais as expectativas para 2008? Acho que será um ano em que nos será permitida ainda maior ampliação do nosso trabalho, em todos os sentidos. Tenho certeza de que todos os messiânicos estão animados e dispostos a aprimorar e crescer espiritualmente, para que possamos levar, a um número maior de pessoas, a Luz do Messias, Meishu-Sama. Que 2008 seja um ano pleno de paz, saúde, harmonia e desenvolvimento – esse é o desejo que manifesto, em nome de toda a direção da nossa Igreja. Feliz 2008 para todos!

Rev. Shigueki Kishimoto: intercâmbio Brasil-Japão.


FUNDAÇÃO MOKITI OKADA

NOV DEZ 2007

Fundação tem grandes planos para 2008 O presidente da FMO, Rev. Rogério Hetmanek, fala dos avanços nas atividades da instituição e dos planos para o ano que vem.

Investindo na missiologia JM: 2007 parece ter sido um ano marcante para a Fundação. O que norteou o trabalho? Rev. Rogério: Na verdade nós colhemos, neste ano, os primeiros frutos concretos de um trabalho que começou a ser desenvolvido em 2003, sob a orientação do Revmo. Watanabe e a presidência do Rev. Hidenari Hayashi. Sempre vimos a Fundação como uma instituição que tem por missão levar a toda a sociedade a filosofia de Mokiti Okada aplicada a cada área de atuação do ser humano. Mas, para cumprir essa missão, era necessário que nós mesmos a entendêssemos com profundidade e nos preparássemos para esse trabalho. Os últimos 4 anos foram dedicados a essa preparação. Pode detalhar como foi o trabalho, nesse período? Mokiti Okada ensina que Deus atribuiu a cada ser humano e a cada coisa uma missão. Então, todo o staff da Fundação se envolveu num estudo a que denominamos “missiologia”. Por exemplo: de acordo com a filosofia de Mokiti Okada, qual é a missão da arte? Qual a missão do artista? Do educador? Qual a missão da Flor do Sanguetsu? E a dos professores de Ikebana? Qual é a missão do solo? Quando você não se aprofunda no estudo da missão de cada uma dessas coisas, não consegue criar os instrumentos nem as formas adequadas para que elas realmente manifestem a Verdade preconizada por Mokiti Okada. O artista, por exemplo, não evolui espiritualmente e, em conseqüência, sua arte não influencia positivamente quem a aprecia. Sem a promoção da evolução, harmonia e beleza na vida do ser humano, não existe a verdadeira arte, no conceito de Mokiti Okada. É para alcançar esse patamar de realização que estamos trabalhando. Os reflexos desse esforço já se tornaram visíveis, em 2007? Certamente. Desde que cada setor começou esse estudo da missiologia aplicada à sua área de atuação, foram surgindo pessoas interessadas em participar do trabalho. Essas pessoas estavam por aí, já eram membros da Igreja, já conheciam os Ensinamentos de Meishu-Sama, mas nós não estávamos propiciando a elas a oportunidade de fazer um estudo dirigido que lhes possibilitasse entender melhor, ampliar a compreensão sobre o que Mokiti Okada espera delas, através do dom que cada um tem no exercício da sua profissão. Esse espaço agora já existe. Por que é necessário esse estudo? Porque, do contrário, nós vamos ficar fazendo arranjos florais como todo mundo faz, sem reconhecer e ensinar qual é a missão da flor; vamos fazer uma agricultura como todo mundo faz, sem reconhecer e ensinar qual é a missão do solo; vamos educar as pessoas como todo mundo faz, sem transmitir valores espiritualistas, verdadeiros, capazes de formar cidadãos conscientes de sua missão de servir na construção de um mundo espiritual e materialmente evoluído. E, principalmente, não vamos cumprir a missão que nos foi atribuída por Meishu-Sama. 2007 foi um ano muito importante para nós porque nos lançamos na sociedade, mostramos claramente as coisas em que acreditamos, o que fazemos e o que queremos fazer, e o retorno foi o melhor possível. Pode citar algumas dessas realizações? Acredito que houve um desenvolvimento expressivo em todas as áreas. O Projeto Planeta Azul, por

Rev. Rogério Hetmanek, presidente da Fundação Mokiti Okada.

exemplo, está agora sendo aplicado em 54 escolas, envolvendo cerca de 300 professores e quase 6 mil alunos do ensino fundamental, níveis 1 e 2. Também firmamos convênio com as APAES de Santa Bárbara do Oeste e de Americana, no interior de São Paulo. Lá, 700 alunos são atendidos pelo projeto. Graças a parcerias que conseguimos firmar, levamos à cidade de Guaraqueçaba, no Paraná, um projeto cultural que, num primeiro momento, resultou na instalação do primeiro cinema daquela comunidade, além de também implantarmos o Planeta Azul em escolas locais. Estamos também fechando uma parceria, com um importante município do Rio de Janeiro, envolvendo a Prefeitura e a iniciativa privada, para a implantação de uma escola-modelo que irá envolver cerca de 8 mil alunos. A parceria com a Kinoforum propiciou a jovens de comunidades carentes sua primeira experiência na área de produção de cinema, em curta metragem. Dos quatro curtas produzidos, um foi locado no Solo Sagrado de Guarapiranga. Já está em andamento a organização da segunda edição desse projeto, que culmina com a apresentação dos trabalhos em mostras de âmbito nacional. A Academia Sanguetsu também expandiu seu leque de atividades, o setor de Saúde deu passos importantes para que os profissionais messiânicos mergulhem cada vez mais no estudo da visão de Mokiti Okada sobre a medicina e a verdadeira saúde. Outro que ganhou estrutura e já está entrando num ritmo bem dinâmico foi o setor de Arte. Vários artistas messiânicos já estão se reunindo semanalmente, aqui na Sede, para estudar os conceitos de nosso Patrono sobre o Belo, etc. Quais as perspectivas para 2008? Já no início do ano, dentro desse projeto global de estruturação da missiologia aplicada a cada área, pretendemos reunir os profissionais de Educação messiânicos para iniciar estudos visando a formatação de uma pedagogia Okadiana, de modo a poder pragmatizar, nas nossas escolas, a verdadeira educação que nos é ensinada por Mokiti Okada. Esses estudos sobre a missiologia serão feitos por todos os setores da Fundação. E, é claro, vamos dedicar especial empenho na abertura da Faculdade Messiânica. Em outubro o INEP/MEC disponibilizou o relatório referente à avaliação in loco, feita por peritos das duas instituições, em que eles conferiram, a todos os itens avaliados, o conceito “perfil ótimo”. Estamos apenas aguardando a publicação da Portaria Ministerial, para podermos abrir o processo seletivo das primeiras turmas do curso de Teologia.

Faculdade Messiânica

Aula do curso “História da religião no oriente”, com o prof. Cláudio Moreno Domingues.

Em 2007 foram ministrados 15 cursos livres, abrangendo temas como História Social da Arte, Introdução à Gestão Ambiental, Importância da Espiritualidade na Saúde, Formação Integral do Ser Humano, Conceitos Básicos em Religiões do Oriente, Redação Criativa, e cursos de inglês, japonês instrumental e espanhol, dentre outros, envolvendo cerca de 300 participantes. A expectativa, para 2007, é a efetiva implantação da Faculdade, com o processo de seleção das primeiras turmas.

Guaraqueçaba ganha seu primeiro cinema O Cine Guará foi inaugurado em 21 de julho, com a presença do prefeito Riad Said Zahooui, do vice-prefeito Gerce Cunha, do presidente da Câmara de Vereadores, Aílton Neves, de Amauri Semczuk, representante do SESC Paranaguá, de secretários municipais e professores da rede pública. As duas primeiras sessões foram realizadas no salão paroquial Bom Jesus dos Perdões, reunindo cerca de 35 pessoas, entre jovens e adultos. O primeiro filme projetado foi “Tainá 2”. O segundo, “Dois filhos de Francisco”. O secretário municipal de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer, Marcelo Alves de Aquino, agradeceu à Fundação pela iniciativa e destacou, na cerimônia de inauguração, a importância do cinema para a comunidade e reforçou a idéia de dar continuidade ao trabalho, visando conseguir implantar a segunda fase do “Projeto Cine Guará”, que consiste em levar o cinema para as áreas rurais e ilhas que integram aquela comunidade. Atualmente, o Cine Guará está funcionando em espaço cedido pelo Clube de Guaraqueçaba. Por que Guaraqueçaba? A Fundação Mokiti Okada adquiriu, em dezembro de 2003, uma área de 130 hectares (cerca de 1,300 mil m2), às margens do rio Puruquara, no lugar conhecido como Morro do Bronze, no litoral paranaense, com o objetivo de preservar o meio ambiente e desenvolver projetos voltados para o turismo ecológico e para a valorização da cultura das comunidades ribeirinhas, cuja subsistência é calcada, basicamente, na prática agrícola e na produção de objetos artesanais, tendo como matéria prima materiais recolhidos da própria Natureza. Através dos contatos entre a FMO e prefeitura de Guaraqueçaba, começaram a ser le-

Platéia na inauguração do primeiro cinema de Guaraqueçaba.

Dra. Eny: o conceito de saúde inclui o bem estar espiritual.

vantadas as necessidades da comunidade local, sendo então detectadas as carências com relação à educação e atividades culturais. Através do setor de Projetos, num trabalho de interação com os líderes da comunidade, foi implantado, em escolas da cidade, o Projeto Planeta Azul (JM Maio/Junho 2007), e criado, através de parcerias, o projeto que levou à cidade, sua primeira sala de projeções.

O Encontro de Profissionais de Saúde da área São Paulo– A reuniu, em 21 de julho, 150 participantes. A palestra “Saúde revelada por Mokiti Okada” foi ministrada pelo reverendo Takeo Saito, que falou sobre a importância da “Prática do Sonen”, da gratidão, de cuidar das pessoas e de agradecer em qualquer circunstância. “Vamos cuidar de alguém e de seu passado, com espírito de salvar e conduzir, como verdadeiro discípulo de Meishu-Sama. Precisamos amar mais a todos e viver com espírito de gratidão”, afirmou. A responsável pelo setor de Saúde da Fundação Mokiti Okada, dra. Eny Márcia Ruggerini, discorreu sobre “Ciência e espiritualidade de mãos dadas”. Segundo ela, a Organização Mundial de Saúde incluiu, desde 1998, no conceito de “saúde”, a questão do bem estar também espiritual, além do físico, mental e social. Eny informou que, no mundo inteiro, a sociedade médica está se voltando para a interação entre a espiritualidade e a medicina. Dois casos clínico-espirituais foram apresentados no encontro, ambos evidenciando a importância que a assistência com ministração de Johrei teve na recuperação das pessoas em purificação. O Rev. José Roberto Bellinger fez o encerramento do evento, afirmando que o encontro foi o embrião de atividades e aprimoramentos para os profissionais de Saúde de São Paulo-A, de modo que eles possam se tornar ainda mais úteis à sociedade.

Aspecto do terreno da FMO em Guaraqueçaba.

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

IACE Instituto de Cerâmica O Instituto de Arte Cerâmica – IACE - da Fundação Mokiti Okada promoveu, de 22 de novembro a 6 de dezembro, a exposição anual dos trabalhos de seus professores e alunos. Os oitenta expositores apresentaram peças elaboradas com argila, através de técnicas diferenciadas. O processo criativo fluiu com uma cerâmica de formas singulares e com uma grande pluralidade de cores e efeitos, alcançados através da queima em temperatura de 1300° graus centígrados, em forno a gás. A mostra do IACE foi apreciada por cerca de 650 pessoas, durante o período em que esteve aberta ao público no Salão de Exposições do Edifício Mokiti Okada, na Vila Mariana, zona sul da capital paulista. Segundo José Vieira, diretor do Instituto, as peças expostas revelam o desenvolvimento técnico alcançado pelos alunos, que estão, agora, seguros e prontos para se aprofundar e pesquisar novas formas de expressão. O manuseio da argila e o exercício de dar a ela uma forma cada vez mais inovadora é, além de uma ótima terapia, um desafio instigante. O IACE está com inscrições abertas para os cursos em 2008. Além de cerâmica, o Instituto disponibiliza também cursos de Ikebana Sanguetsu. Os contatos podem ser feitos pelo fone (011) 5573-8099 ou pelo e-mail: iace@fmo.org.br.

Encontro de Saúde - São Paulo

Corrida da Primavera e Caminhada pela Paz A oitava edição da Corrida da Primavera, realizada no dia 23 de setembro, no Rio de Janeiro, reuniu 6 mil pessoas, entre atletas messiânicos e não messiânicos, convidados e autoridades locais. Representantes da Ikebana Sanguetsu e do Coral Mokiti Okada também estavam presentes, dando um toque de beleza, harmonia e encantamento ao Aterro do Flamengo, local de realização da prova. Crescendo a cada ano e atraindo vários segmentos da sociedade carioca e fluminense, a Corrida da Primavera já faz parte do calendário oficial da Cidade Maravilhosa. Em 2004, paralelamente à Corrida, foi criada a Caminhada pela Paz, que conta com a participação daqueles que preferem um esporte mais light, independente da idade. “Foi um domingo de alegria, descontração, alimentação saudável e limpeza do corpo e da alma”, comentou Luiz Sergio Lazary, coordenador regional da FMO no Rio.

Largada na 8ª Corrida da Primavera, no Rio de Janeiro.

[

Um dia + que feliz

[

4

FUNDAÇÃO MOKITI OKADA

Olhos brilhando, muita ansiedade, alegria e surpresas marcaram o Dia + que Feliz, promovido pela IMMB em parceria com a Fundação Mokiti Okada e Korin. Durante todo o dia 20 de julho, 45 filhos de funcionários de 5 a 12 anos participaram de uma série de atividades cuidadosamente planejadas pela equipe organizadora do evento. Após a oração matinal e o café da manhã, o grupo foi receber as boas vindas do presidente da Igreja, Rev. Hidenari Hayashi. Em seguida, participaram de uma atividade coordenada por professores do grupo Reciclarte, que consistiu em cada um montar o seu próprio brinquedo com material reciclado, e de um teatro interativo sobre a preservação do meio ambiente. Ainda no período da manhã, a meninada foi conhecer o local de trabalho dos pais e almoçaram com eles, no refeitório da Sede. À tarde, os pequeninos assistiram a uma palestra sobre Horticultura Natural, ministrada pelo engenheiro agrônomo da Korin Agricultura Natural, Eduardo Prochnou, que aproveitou o momento e ensinou a gurizada a plantar alface, utilizando a agricultura natural. Outra surpresa planejada para o dia foi a exibição do filme infantojuvenil “Uma noite no museu”, com direito a farta distribuição de pipoca. Para fechar a programação, profissionais do Instituto de Arte Cerâmica - IACE ministraram uma aula de cerâmica para a garotada. Para o próximo ano a comissão organizadora já está pensando em novas brincadeiras e programação diferente, sempre com o objetivo de proporcionar um Dia + que Feliz a todos.

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Ikebana Sanguetsu Rev. Hidenari Hayashi e as crianças do Dia + que Feliz.

Camboriú: encantamento através da Flor do Sanguetsu.

Pelo segundo ano consecutivo a Academia Sanguetsu do Balneário Camboriú (SC) participou da Semana de Arte e Cultura da UNIVALI (Universidade do Vale do Itajaí). O evento tem por objetivo difundir várias formas de manifestação artística, bem como proporcionar uma oportunidade de expressão para alunos, professores e funcionários daquela instituição de ensino, promovendo, através das artes, o aprimoramento e integração para as pessoas que trabalham e estudam na universidade, e para a comunidade em geral. A exposição de Ikebana aconteceu do dia 21 a 28 de setembro, com coordenação da professora Rosângela de Quadros, e participação de todos os alunos da Academia Sanguetsu. Na abertura do evento foram distribuídas mini-Ikebanas para os visitantes, que também tiveram oportunidade de participar de uma vivência floral, conduzida pela instrutora de vivências Daniele Mizuta.

Construindo brinquedos com material reciclável.

Eduardo Prochnou ensinou as crianças a plantar alface.

5 NOV DEZ 2007


CULTO DO NATALÍCIO DE MEISHU-SAMA

6

A dívida com o “seu Messias”

NOV DEZ 2007

Demerval da Silva Quirino estava endividado. Quando relacionou todos os seus credores, foi orientado a incluir uma pessoa muito especial. Ele obedeceu. O resultado foi inesperado.

M

eu nome é Dermeval da Silva Quirino, do Johrei Center São João do Meriti, Rio de Janeiro. Sou membro da Igreja há 7 anos mas, ultimamente, não estava cumprindo minha missão e nem sequer praticava regularmente o Donativo de Gratidão. Cheguei a uma situação muito difícil, com muitas dívidas. Fiquei tão desanimado que não ia mais à Igreja. Pensei até em devolver meu Ohikari! Então, em março desse ano fui conversar com a ministra. Ela me perguntou como eu estava fazendo minha dedicação e oferecendo o Donativo de Gratidão. Respondi que trabalhava fora do município e viajava diariamente, por isso não assumia compromissos. Em relação ao Donativo, fui franco e expliquei toda a minha situação financeira, que era caótica, e disse que por isso não fazia o Donativo. A ministra me orientou a fazer a Prática do Sonen. Como sou representante comercial – vendo carrocerias para caminhões -, também me orientou a oferecer 10% de cada venda que realizasse. Tive muita dificuldade para cumprir essa última orientação, pois eu não conseguia vender nada. Fiquei muito desanimado. Achei que ela estava ficando maluca, e que estava me orientando errado. O tempo passava e as dívidas cresciam. Para piorar, bati meu carro e tive um prejuízo muito grande. A situação ficou péssima, pois agora não tinha como ir trabalhar, já que não tinha dinheiro nem carro. Mas, com a Prática do Sonen, os resultados começaram a aparecer: dias depois, a minha sogra me emprestou o carro dela, coisa que não faz para ninguém, para que eu pudesse trabalhar. Mesmo assim, as vendas não decolavam... Além disso, comecei a ter problemas de relacionamento com meu gerente, sendo muito humilhado por ele. A ministra me esclareceu que Meishu-Sama estava recebendo as minhas orações e que a Luz tinha entrado em minha vida, o que fez a purificação aumentar. Ela me orientou a fazer a Prática do Sonen, encaminhando os antepassados do meu gerente, pedindo perdão por algo que poderia ter feito a ele ou a seus antepassados. Reforçou a necessidade de ler os Ensinamentos, dedicar e encaminhar pessoas, afirmando que essa é a dedicação que mais agrada a Deus. Fiz uma reflexão e vi que estava acumulando muita ingratidão. A ministra me orientou que as dívidas materiais eram só reflexo das dívidas espirituais, e que eu precisava materializar o Donativo para saldá-las. Só assim conseguiria pagar a dívida material. Mesmo sem saber direito como isso seria possível, firmei o compromisso. Três dias depois, meu gerente me chamou e pediu que fizesse a lista de todas as minhas dívidas, pois ele tinha conversado com o dono da firma e, por eu ser funcionário antigo, eles iriam me emprestar o dinheiro para pagar tudo. Fui imediatamente ao Johrei Center, contar o ocorrido para a ministra, e ela me orientou a fazer 10% do valor dessa dívida, como donativo para saldar a dívida espiritual. Então, perguntei a ela: “Como é que eu vou fazer donativo de dívida? O gerente pediu para que eu relacionasse nominalmente os meus credores. Eu não posso colocar o nome da Igreja nessa lista!”. Ela me olhou séria, e disse: “Você não deve para a Igreja. Você deve ao Messias. Você acredita mesmo que Meishu-Sama é o Messias?”.

Papai Noel participou do Culto do Natalício.

Demerval da Silva Quirino: obediência e gratidão geraram, em curto espaço de tempo, o recebimento de muitas graças.

Respondi: “Sim, acredito!” Ela falou: “Então escreva aí que você deve X ao Sr. Messias”. Fui para casa pensando, mas sem entender. Lembrei da importância da obediência ao superior e, na primeira folha, relacionei nominalmente todos os meus credores: banco, aluguel, lojas, etc. Na segunda folha, o último nome que incluí foi “Sr. Messias”, e coloquei o valor de 10% da soma total da dívida. Era um valor muito alto, cerca de R$ 5.000,00. Por isso, não acreditei que meu gerente fosse aceitar. No dia seguinte, muito receoso, entreguei a lista. Ele pegou a primeira folha, olhou, pegou a segunda folha, olhou, não falou nada. No final, sério, me disse: “Bom, va-

Coral: homenagem ao Messias, Meishu-Sama.

mos fazer o seguinte: vou começar de trás para a frente. O primeiro que vai ser pago é esse tal Sr. Messias”. Quase desmaiei! Lembrei-me da minha ingratidão e de não ter confiado no Messias, Meishu-Sama. Depois de fazer meu primeiro donativo, referente ao pagamento da dívida com o Messias, o gerente me ofereceu o adiantamento da ajuda de custo que todo vendedor recebe, para poder trabalhar. A ministra me orientou a também fazer donativo relativo a essa ajuda de custo. Afinal, era o dinheiro que me possibilitaria viajar para fazer as vendas e, portanto, eu precisava agradecer. No dia seguinte, um cliente pediu uma visita para fazer um orçamento. Na verdade ele já tinha um outro orçamento em mãos, que era cerca de 20% mais em conta do que o meu. Mas, ele me disse: “Olha, eu tenho uma proposta de seu concorrente mas, não sei por que, algo me diz que devo comprar de você!” E fechou a compra comigo. Foi mais um milagre! Porém, como eu recebo a comissão das vendas só dois meses após fechar o negócio, acabei ficando novamente sem dinheiro para ir trabalhar. Fui falar com a ministra, pois ela queria acompanhar cada fato novo que acontecia comigo mas,

quando cheguei, ela nem levantou a cabeça para me ver, e simplesmente me disse: “Você ainda não confia no Messias? Ainda é ingrato. Vá ao Altar orar. Entre na prática do Sonen de Gratidão”. Fiquei sentido, pois achei que ela não me deu atenção, mas fui obediente e fiz o que ela orientou. Ao chegar em casa, no mesmo dia, meu vizinho veio me pagar R$ 120,00 que estava me devendo desde o início do ano. Saí para trabalhar e fechei mais três vendas. Voltei ao Johrei Center, para relatar à ministra, e ela estava estudando um Ensinamento que dizia: “Não se irrite, não se precipite, não seja orgulhoso”. Naquele momento, recebi uma ligação para visitar outro cliente. Falei para ele que seria bom se conseguisse realizar essa venda e mais uma vez ela me chamou a atenção: “Corrija seu Sonen, vá para o Altar e agradeça já ao Messias pelas vendas que você já fez. Faça a prática do Sonen com Donativo”. Ao chegar na empresa pretendente à compra, participei de uma reunião juntamente com outros dois concorrentes. Todos discutiam sobre as condições que desejavam conceder ao presidente da empresa, para fechar a venda. Durante a reunião, eu lembrava das orientações e, por mais que estivesse irritado e cansado, sabia que deveria respeitar a Vontade de Deus e não me precipitar, mesmo achando que iria perder. Ao fim de sete horas de conversa, o presidente mandou os outros vendedores saírem da sala e fechou comigo uma venda cinco vezes maior do que a que eu esperava. Desejo ressaltar que fiquei oito meses sem conseguir cumprir a minha cota mensal de venda, que era de 100 mil reais. Mas, desde que fiz o primeiro donativo, em outubro, num período de 10 dias fechei negócios no valor de cerca de um milhão e meio de reais. Um mês depois, já tinha vendido mais de 4 milhões e meio de reais. Recebi parte da comissão das vendas na época do Culto dos Antepassados, e pude fazer meu Donativo Especial, pois sei que foram eles que trouxeram estas bênçãos. Parece que se abriu uma porta no mundo espiritual e que todas as riquezas que estavam aprisionadas por minha ingratidão foram liberadas. Uma outra coisa: em 18 anos que atuo como vendedor, nunca alcancei a cota de vendas no mês de dezembro. Quem é vendedor sabe que praticamente ninguém compra entre o mês de dezembro e o Carnaval. Mas, neste mês, já fechei 3 vendas e bati a meta do mês. E ainda estamos na metade de dezembro! Depois dessa experiência aprendi que a obediência é o caminho para receber graças, que a purificação é para limpar as máculas, e que a Prática do Sonen com Donativo de Gratidão gera ainda mais gratidão. Por isso eu, que não tinha compromisso nenhum com as dedicações, até então, agora estou comprometido com a prática do Donativo, com a Marcha da flor, que é uma atividade que realizamos de entrega de mini-arrajos florais para freqüentadores, e a prática do encaminhamento.Inclusive, já estou acompanhando duas pessoas que estão passando pelo mesmo problema que eu passei. Agradeço a Meishu-Sama e aos meus antepassados pela purificação, pois assim tive a segunda chance de conhecer o poder do Messias. Meishu-Sama, feliz aniversário! O senhor é o Messias!

O relato de Demerval encantou os participantes do Culto.


KORIN EMPREENDIMENTOS LTDA

Diversificando áreas de ação

Nossas empresas fecham 2007 com resultado positivo, conquistando o reconhecimento do mercado como expoentes na questão da alimentação saudável e na promoção da verdadeira saúde.

5ª Biofach América Latina

A

BioFach, mais importante feira de produtos orgânicos do mundo, teve a sua 5ª edição da América Latina realizada nos dias 16, 17 e 18 de outubro, em São Paulo. Simultaneamente à feira aconteceu a Exposustentat, voltada para o segmento de bens e serviços sustentáveis como produtos florestais, pesca sustentável, comércio justo e mercado de créditos de carbono. Estiverem presentes 300 expositores brasileiros e internacionais, fornecedores de alimentos, bebidas, cosméticos e insumos orgânicos e outros produtos. Mais de 3 mil pessoas, de 15 países, visitaram a feira. O evento incluiu uma série de palestras e conferências que abordaram tendências de mercado, oportunidades de negócios e a regulamentação do setor orgânico no Brasil e no mundo, entre outros assuntos. Uma das palestras foi ministrada pelo gerente industrial da Korin, Luis Carlos Demattê Filho, que falou sobre o tema “O manejo nutricional dos sistemas de produção animal”. A Korin esteve presente com um stand na BioFach para expor seus produtos que possuem a certificação de orgânicos: frutas, legumes, verduras, café, mel e o Bokashi. A novidade este ano foi o lançamento, feito durante a feira, do frango caipira orgânico. Os visitantes puderam conhecer o produto através de exposição da nova embalagem, distribuição de folhetos e de explicações sobre os diferenciais de produção da Korin. “O frango caipira orgânico da Korin é uma grande notícia para o mercado orgânico, porque é um produto ainda pouco encontrado, mas muito

Atividade da Korin despertou interesse de empresários.

Estande da Korin na Biofach.

procurado pelos consumidores. Além disso, é da Korin, uma organização conhecida pela qualidade dos seus produtos”, declarou José Pedro Santiago, diretor do IBD (Instituto Biodinâmico), responsável pela certificação do frango orgânico Korin. “A Korin é uma das poucas, capacitada a desenvolver este produto com sobriedade pela experiência que ela já tem e pelo compromisso filosófico por trás da organização”, ressaltou Alexandre Harkaly, diretor do IBD. Na área disponibilizada para a Exposustentat, a Korin esteve presente mostrando o frango “verde” e os ovos. Muitos consumidores do frango visitaram o stand para parabenizar a empresa pela qualidade do produto. “Eu conheço muito bem o frango Korin. É ótimo! Compro sempre na loja da Vila Mariana”, relatou a dona de casa, Margarida Nunes. Durante a feira ocorreram diversas rodadas de negócios apoiadas pela Agência de Promoções às Exportações (Apex) e pelo Sebrae-SP. A Korin esteve presente em duas delas, representada pelo gerente geral, Reginaldo Morikawa, o gerente comercial, Edson Shiguemoto e o gerente da Agricultura Natural, Jarbas Cordeiro de Sousa. O intuito foi estabelecer importantes contatos de compra e venda de produtos. No Brasil, a produção orgânica ocupa uma área de 800 mil hectares. Anualmente, o país exporta, em orgânicos, entre 100 a 120 milhões de dólares. Mais de 90% dos 150 exportadores nacionais são micro ou pequenas empresas. Estados Unidos, Alemanha, França, Japão e Reino Unido são os mercados mais atendidos pelo Brasil.

Aulas de culinária

A

Korin promoveu, em 2007, na Sede Central da IMMB, aulas de culinária ministradas pela culinarista Angela Festa. A iniciativa veio atender a solicitações dos consumidores dos produtos naturais comercializados pela empresa em sua loja da Vila Mariana (SP). Na primeira aula foram ensinadas, passo a passo, as receitas de capeletti in brodo, sopa creme de abóbora orgânica e bolo com geléia de morango orgânico. A repercussão positiva gerou muitos pedidos de novos encontros, sendo então agendada uma segunda aula em que os participantes aprenderam a fazer espeto de legumes orgânicos com queijo coalho, kafta de frango Korin e bolo de cenoura orgânica com calda de cacau orgânico. As aulas de culinária Korin contaram com mais de 50 participantes, mesmo tendo sido divulgadas apenas entre amigos pelos próprios clientes da loja da Vila Mariana. Todos receberam um caderno com instruções sobre os ingredientes e a forma de preparar cada receita. Além disso, durante as aulas a

Degustação: quanto mais cedo se alimentar bem, melhor.

Barraca da Korin na feira orgânica: iniciativa pioneira da prefeitura de São Paulo.

Mais acesso a alimentos saudáveis A primeira feira livre de produtos orgânicos da cidade de São Paulo aconteceu no estacionamento administrativo do Mercado Municipal, no dia 22 de setembro. O projeto foi desenvolvido pela Secretaria Municipal de Abastecimento. A Korin esteve presente comercializando a sua linha de frutas, legumes e verduras orgânicos. Todos os produtos comercializados nas 25 barracas distribuídas no local traziam selos de certificadoras, o que garantia terem sido cultivados sem agrotóxicos e produtos químicos e através de processo que respeita as normas por elas estabelecidas com relação à preparação do solo, a colheita e o transporte. A Feira é parte do projeto “Circuito de feiras livres de produtos orgânicos”, organizado pela Prefeitura de São Paulo. O objetivo é atender a uma camada da população preocupada com o desenvolvimento auto-sustentável, e que não encontra oferta suficiente de produtos naturais ou orgânicos no mercado. “A procura por produtos orgânicos é uma tendência que está crescendo entre os consumidores, por isso decidimos levar esse tipo de produto para a rua, mais perto da população”, afirma Andrea Matarazzo, secretário das Subprefeituras. A expectativa é que, dentro de três meses, outras três feiras sejam abertas na capital paulista. Além de comercializar seus produtos nas feiras, A Korin, representada pelo gerente do pólo de Agricultura Natural de Atibaia, Jarbas Cordeiro de Souza, também faz parte do Conselho Consultivo para gerenciamento do projeto.

Festa do morango é sucesso

Angela Festa: entusiasmo com a culinária natural.

Korin fez sorteio de produtos e premiou os participantes com a degustação dos pratos elaborados em cada aula. A Korin conta com o estusiasmo da culinarista Angela Festa, no desenvolvimento de aulas e cursos. Técnica em nutrição, ela trabalha com produtos orgânicos, naturais e integrais há mais de 10 anos. A didática da aula e o sabor dos pratos foram aprovados pelos participantes, que solicitaram mais cursos com produtos da Korin e dicas de utilização de itens naturais e orgânicos na alimentação diária das famílias. “Infelizmente, perdemos o costume de utilizar produtos naturais na nossa alimentação. Nessas aulas, conheci novos itens e aprendi que posso utilizá-los no meu cotidiano, de uma maneira saudável e gostosa”, afirmou Neuza Oshiro Yanagiya, participante do curso. Para saber mais sobre a programação de aulas, entre em contato pelo e-mail varejo@korin.com.br ou pelo telefone (11) 5579-9363, com Jair Alves ou Leandro de Barros.

A 5ª edição da Festa do Morango Natural e Arte aconteceu em Limeira (SP) nos dias 25 e 26 de agosto, e contou com 12 mil participantes. Durante o evento foram enaltecidas as três colunas de salvação da Igreja Messiânica, através da Marcha do Johrei, vivências de Ikebana e Alimentação Natural “A iniciativa de fazer a festa começou com a idéia de divulgar os preceitos da Agricultura Natural. Trouxemos o morango como ‘âncora’, para chamar atenção para a questão da alimentação saudável, declarou o Min. Fernando Augusto, do Centro de Pesquisa da Fundação Mokiti Okada, um dos idealizadores da festa, que já faz parte do calendário de eventos da cidade. A Fundação Mokiti Okada ficou responsável pelas barracas de doces, bebidas, yakissoba, espeto de frango e carne, e morangos in natura. O Planeta Azul também marcou presença, com seus personagens Prof. Camarão e a borboleta Flora, que divertiram as crianças. Os alimentos preparados com o morango orgânico da Korin foram a atração da festa, principalmente o espetinho de morango com chocolate. Foram mais de 5.000 unidades de espetinhos, representando a venda de 850 quilos da fruta em dois dias, além de suco, tortinhas, brigadeiro, bolo e mousses de morango. Também puderam ser apreciados produtos derivados do frango Korin, como espetinhos de frango e yakissoba.

7 NOV DEZ 2007


ACONTECEU NO SOLO SAGRADO

8 NOV DEZ 2007

Um ano bastante movimentado Em 2007, o Solo Sagrado de Guarapiranga foi palco de muitas atividades que envolveram o governo estadual, municipal, e recebeu visitas de representantes de várias religiões. Conheça algumas delas. Um abraço na represa

Dia Mundial da Água

O Solo Sagrado de Guarapiranga foi escolhido para sediar a 2ª edição do “Abraço na Guarapiranga”. O evento, que aconteceu no dia 27 de maio, reuniu milhares de pessoas em três pontos nas margens do reservatório, na região sul de São Paulo. No Solo Sagrado, o “Abraço” contou com a participação de quase 3 mil pessoas, incluindo o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, o presidente da Sabesp, Gesner Oliveira, e o secretário de Recursos Hídricos e Meio Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, Luciano Zica. Também marcaram presença vários secretários municipais de São Paulo, deputados estaduais, vereadores, representantes de organizações sociais, lideranças religiosas, membros e freqüentadores da IMMB. O reverendo Carlos Roberto Sendas Ribeiro representou a IMMB, deu as boas vindas aos participantes do evento, e ministrou Johrei coletivo. Ao saudar os presentes, Rev. Sendas falou sobre a importância e o significado do Solo Sagrado para a humanidade, e mostrou os cuidados que a Igreja teve e continua tendo na construção e na manutenção do Solo Sagrado, com relação à preservação ambiental.

Em comemoração ao “Dia Mundial da Água”, que é celebrado no dia 22 de março, ocorreu no dia 23, no Solo Sagrado de Guarapiranga, com a presença do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, secretários municipais e estaduais, vereadores e subprefeitos da capital paulista, a assinatura de dois decretos: o primeiro criou a Guarda Ambiental Civil Metropolitana, inicialmente composta por 70 policiais. O segundo decreto criou a “Operação Defesa das Águas”, estabelecendo medidas para combater a ocupação ilegal das áreas de mananciais das represas Guarapiranga e Billings. De acordo com o prefeito paulista, o Solo Sagrado está inserido nesse importante programa de recuperação do meio ambiente e das áreas de mananciais. “O Solo Sagrado presta um serviço inestimável de cooperação com a prefeitura e com o governo do Estado, para alcançarmos os nossos objetivos”, concluiu. Para o secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Eduardo Jorge, o Solo Sagrado tem grande importância para a cidade de São Paulo e para a região de mananciais, e o objetivo da prefeitura é desenvolver vários outros trabalhos em parceria.

Equipamento da nova Guarda Ambiental.

Abraço na Represa: cerca de 3 mil participantes no Solo.

Trote ecológico

Oficiais da Polícia Militar

Um grupo de 82 calouros dos cursos de Engenharia e Gestão Ambiental do Centro Universitário Senac de Santo Amaro esteve no Solo Sagrado de Guarapirangano dia 7 de fevereiro, com o intuito de participar da atividade de reflorestamento da segunda etapa da construção, como aula-trote. No novo terreno, os alunos receberam orientações técnicas dos paisagistas da Construtora Novo Mundo - CNM. Foram plantadas 21 mudas de árvores nativas da região. Segundo a professora e bióloga Sílvia Fazolari Correia, essa atividade foi realizada com o objetivo de integração entre os novos alunos, favorecendo o trabalho de equipe e mostrando a importância de recuperar uma área degradada. O professor Ermínio Fernandes afirmou que a visita foi muito importante, do ponto de vista da gestão ambiental, uma vez que esse era o primeiro contato que os calouros estavam tendo com a terra.

No dia 26 de setembro, o Solo Sagrado recebeu cerca de 95 oficiais da Polícia Militar das regiões de Santo Amaro, Jardim São Luis, Parelheiros, Grajaú e outros locais. A reunião tinha como objetivo estudar assuntos operacionais dos oficiais da zona sul da cidade de São Paulo, e foi presidida pelo chefe do Comando de Policiamento de Área, coronel Eduardo José Félix de Oliveira. O tenente-coronel Emanuel de Aquino Lopes, do 27º Batalhão da Policia Militar, que fica localizado na mesma região do Solo Sagrado de Guarapiranga, fez o seguinte comentário: “É praxe a realização de rodízios dos locais de reunião, para haver maior integração entre os oficiais de outras áreas. E o Solo Sagrado, para nós, além de ser uma excelente referência de organização e harmonia, possui infraestrutura ideal para que o encontro ocorra com sobriedade e privacidade. Nos sentimos muito bem aqui. Por isso, elegemos o local para o nosso encontro”.

Calouros do Senac - Santo Amaro (SP): trote ecológico.

Encontro de oficiais da Polícia Militar.

Católicos celebram missa

Visita de comunidades religiosas

No dia 30 de setembro cerca de 80 jovens ligados à Paróquia Nossa Senhora dos Migrantes, do bairro do Grajaú, participaram da atividade intitulada “Perseverança”, que incluiu a celebração de uma missa, pelo Padre Paolo Parise, e a ministração de Johrei coletivo pelo ministro Jakson Araújo. Segundo Carlos Gildamar Bezerra Costa Junior, responsável do grupo de adolescentes, o retiro proporcionou momentos de oração, atividades de interação e um contato com a natureza. “Perseverança é a junção de duas palavras: “persistência” e “esperança”. Por isso, nosso objetivo é que os jovens, após a comunhão (catequese), não se afastem da igreja e se preparem para o sacramento da crisma”, explicou, acrescentando que os jovens precisam persistir naquilo em que acreditam e que nunca devem perder as esperanças.

A visita de 11 freiras e irmãs consagradas da Comunidade Sagrado Coração de Jesus, realizada no dia 2 de maio, teve como objetivo promover um retiro espiritual e desenvolver estudos bíblicos. As atividades aconteceram no decorrer de todo o dia. Em setembro, estudantes da Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção e os freis Guilherme Pereira Anselmo Junior, Genivaldo de Oliveira Santos e Sérgio Luiz Corradini, visitaram o Solo Sagrado. Membros da Congregação Missionária de Santo Inácio de Antioquia – Família Inaciana, os freis vieram em busca de informações complementares para desenvolver um trabalho na área de Teologia das Religiões. No final da visita os religiosos participaram do culto vesperal, ocasião em que receberam Johrei pela primeira vez.

Paróquia Migrantes: missa oficiada pelo padre Paolo Parise.

Grupo de Mórmons Um grupo de 14 jovens missionários da Igreja Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias visitou o Solo Sagrado de Guarapiranga no dia 17 de janeiro, com o objetivo de aprender sobre a cultura de outras religiões. O grupo de jovens era composto por seis brasileiros e oito americanos, com faixa etária entre 19 e 25 anos. Os mórmons foram recepcionados por um guia do Solo, que os conduziu pelos jardins e dependências do local. Segundo Elder Guimarães, foi a primeira vez que o grupo visitou o local. “Todos ficaram muito encantados com a beleza exuberante que existe aqui e, também, pela forma extremamente carinhosa como foram recebidos”, afirmou.

Igreja Adventista do Sétimo Dia Jovens mórmons da Igreja Jesus Cristo dos Últimos Dias.

Freiras da Comunidade Sagrado Coração de Jesus.

Com o objetivo de realizar atividades religiosas voltadas para o aperfeiçoamento pessoal e espiritual, 80 missionários da Igreja Adventista do 7º dia estiveram no Solo Sagrado. Durante todo o dia eles desenvolveram dinâmicas interativas e leitura de textos bíblicos e cantos religiosos. A organização do encontro escolheu o Solo Sagrado para a realização das atividades através de um de seus freqüentadores, que, ao conhecer o local, relatou aos amigos a sensação maravilhosa sentida através do contato com a natureza. Após poderem comprovar este fato, o grupo visualizou futuros retornos em breve para realização de novas atividades.

2007/06  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you