Page 1

JORNAL MESSIÂNICO IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL DO BRASIL - MATERIAL DE ESTUDO PARA MISSIONÁRIOS - ANO 35

NOVEMBRO-DEZEMBRO 2006

Nº 359


GABINETE DA PRESIDÊNCIA

2 NOV DEZ 2006

A

Reverendíssimo desde sempre

história da difusão da fé messiânica em nosso país passa, inevitavelmente, pela odisséia vivida por um jovem japonês que, junto com seus colegas recém-chegados do Japão, conseguiu, com esforço e muito sacrifício, edificar a coluna sobre a qual se sustentaria todo o nosso trabalho, até hoje. De “Arigó japonês”, como foi definido em uma publicação famosa no Rio de Janeiro dos anos 70, a líder de uma comunidade de mais de 300 mil pessoas, como presidente da IMMB, a trajetória desse missionário que nasceu no Japão mas que se considera brasileiro de coração é motivo de orgulho para todos nós. Estamos em 2006. Desde 2000 nossa Igreja tem um novo presidente mundial, e ele se chama Tetsuo Watanabe. Por indicação dele, nossa Igreja no Brasil também tem um novo

presidente - o reverendo Hidenari Hayashi. No Culto às Almas dos Antepassados, ele usou de suas atribuições para fazer uma surpresa ao presidente mundial da IMM. “Hoje, tivemos a grande permissão de contar com a participação do presidente mundial da Igreja neste Culto aos Antepassados. Antes de chamá-lo para nos conceder sua orientação, quero dar uma explicação a todos os senhores. Historicamente, quando um dirigente da nossa Igreja é empossado como presidente mundial, passa a ser chamado de “reverendíssimo”. O nosso querido reverendo Watanabe recebeu essa missão há seis anos e, desde então, o sentimento da Direção da Igreja no Brasil era poder atribuir a ele esse título. Como ainda acumulava a presidência da IMMB, ele era irredutível e não queria ser apresentado assim. Mas agora, que ele se tornou nosso

Presidente de Honra e nos visita, pela primeira vez, como presidente mundial, não tem mais jeito. Ele vai ter de aceitar. É com muita gratidão que eu chamo agora, para nos dirigir sua orientação, o presidente mundial da nossa Igreja, reverendíssimo Tetsuo Watanabe”. Ao iniciar sua saudação, Revmo. Watanabe afirmou: “Rev. Hayashi pensa que era por humildade que eu não queria ser chamado de reverendíssimo. Na verdade eu não queria porque, com esse título, parece que eu já estou ‘mais para lá do que para cá’, como se diz no Brasil. Mas, agora não tem mais jeito”. Títulos que têm relação com a hierarquia da nossa Igreja. Mas, no coração de milhares de pessoas que foram salvas por sua atuação missionária, o missionário Tetsuo Watanabe sempre foi reverendíssimo. Hoje e sempre.

FATO RELEVANTE

Comunicado da IMMB A

Igreja Messiânica Mundial do Brasil leva ao conhecimento de todo o quadro de ministros, missionários, membros e voluntários da IMMB, das entidades coligadas e a quem interessar possa, o quanto segue: Já há algum tempo vínhamos recebendo relatórios reportando as atividades desenvolvidas por pessoas que, já tendo se desligado ou sido desligadas do quadro pastoral da instituição, continuavam identificando-se como ministros da IMMB. O assunto foi encaminhado à Comissão de Ética da Sede Geral da Igreja, em Atami, Japão, por determinação do Conselho Deliberativo e de todos os diretores e supervisores da Igreja no Brasil. A referida Comissão de Ética se reuniu no dia 12 de julho e analisou, de forma criteriosa, os relatórios e documentos enviados pela IMMB. Após amplos debates, com base nos dados apresentados, a Comissão decidiu por recomen-

dar a revogação da qualificação sacerdotal de Ministro de Confissão Religiosa, que havia sido outorgada pela Igreja às pessoas nomeadas abaixo. A recomendação da Comissão de Ética foi apresentada à diretoria executiva da Igreja Messiânica Mundial (Igreja-Mãe), em reunião realizada no dia 16 de julho, e aprovada por unanimidade. A decisão foi encaminhada, através de ofício, em 15 de setembro último, ao Gabinete da Presidência da IMMB pelo chefe da Comissão de Qualificação Sacerdotal do Solo Sagrado de Atami, reverendo Tokihiro Yamashita. Ela desautoriza as pessoas abaixo relacionadas a se apresentarem como ministros da IMMB e a desenvolver quaisquer atividades, do oficio religioso ou não, sob o pretexto de estarem agindo com o conhecimento e anuência da Igreja Messiânica Mundial do Brasil. São as seguintes as pessoas que tiveram sua

qualificação como ministros da Igreja Messiânica Mundial do Brasil revogada: 01. Amadeu Bernardo da Silva 02. Ana Patrícia Segneri Naylor 03. Anália Leico Torrieli 04. Carlos Gilberto Barbosa 05. Carlos Roberto Torrieli 06. Dorgival Santos Silva 07. Elza Mendes Rabelo 08. Ideli Domingues 09. José Carlos Alves 10. Maria Christina Segneri de Souza 11. Marisa Moreira 12. Mauro de Carvalho Ferreira 13. Rumilda Fernandes da Silva Rev. Hidenari Hayashi Presidente

Seja nosso parceiro

Acesse nossos sites

Cadastre-se para interagir com os projetos da Fundação Mokiti Okada. Envie seus dados para nucleoarte@fmo.org.br ou recorte o formulário e envie para rua Morgado de Matheus, 77, Vila Mariana, SP, CEP 04015-050, - Núcleo Arte ou Área de Saúde.

www.messianica.org.br

CADASTRO ÁREA CULTURAL – NÚCLEO ARTE – ÁREA DE SAÚDE Nome

___________________________________________________________________________

E-mail

___________________________________________________________________________

www.fmo.org.br

www.korin.com.br

Endereço – Rua / Av. ________________________________________________________________ Bairro ______________________________ Cidade ______________________________________ UF _________ CEP _______________ DDD + Telefones _____________________________________

JORNAL MESSIÂNICO Produzido pela Fundação Mokiti Okada - M.O.A.

Função (área cultural – especificar: escultura, pintura, produção, etc.) _________________________

Redação e Administração: Rua Morgado de Matheus, 77 - 1º andar CEP 04015-050 - Vila Mariana - São Paulo - SP Tel. (0xx11) 5087-5078 Diretor responsável: Antonio Ramos de Queiroz Filho (MTb 21898) Editor de Arte: Kioshi Hashimoto Assistente de Arte: João Paulo Otsuka Fotografia: Ricardo Fuchigami Secretaria: Vivian Palmeira Tiragem: 100 mil exemplares E-mail: jm@fmo.org.br

____________________________________________________________________________________

Impressão:

Membro desde ________ C. Aprimoramento __________________ Johrei Center ______________ Profissional da Área:

Cultural ❑

Saúde ❑

Nível Escolar (se universitário, especificar o curso) _______________________________________ Profissão (área em que trabalha atualmente) _____________________________________________

Especialização (área de Saúde): _________________________________________________________


TRONO DE KYOSHU

Um Paraíso em cada um de nós Um momento inesquecível marcou a peregrinação de membros brasileiros aos Solos Sagrados do Japão, em setembro último. No Palácio de Cristal, eles receberam orientação de Kyoshu-Sama (Líder Espiritual da IMM). Leia a mensagem que ele pediu que fosse transmitida a todos os messiânicos do Brasil.

S

enhores caravanistas, felicitações pelo Culto de Outono. Sejam bem-vindos ao Japão e ao Solo Sagrado. Estou muito feliz por ter a oportunidade de me encontrar com os senhores aqui, hoje. Gostaria de agradecer, do fundo do coração, pela dedicação de todos em prol da Obra Divina, principalmente através da “Prática do Sonen”, onde quer que estejam. Sinto-me fortalecido e confiante, por todos os senhores estarem dirigindo este grandioso sentimento de gratidão a Meishu-Sama junto comigo, ultrapassando as barreiras de tempo e espaço. Eu acredito que a “Prática do Sonen” é uma prática extremamente grata para o nosso crescimento, como filhos do Supremo Deus. Quando percebemos um ponto falho em nosso sentimento, angústia ou sofrimento em nossos corações, ou então, quando nos deparamos com uma situação difícil, devemos compreender que Deus está buscando concretizar Seu amor, nos ensinando que estes sofrimentos são aprendizados necessários na nossa vida. Sendo assim, nós entregamos estes sofrimentos buscando sua solução, mas eu percebi outro ponto muito importante. Todos nós, seres humanos, possuímos infalivelmente um lado positivo e um lado negativo. Assim, acabamos sofrendo por causa disso mas, por outro lado, no fundo dos nossos corações, não estaríamos pensando como seria enorme a felicidade, se conseguíssimos resolver esse problema? Será que Deus não estará ansioso, à espera deste sentimento de alegria? Estamos crescendo como filhos do Supremo Deus. Por isso, nosso maior dever, como filhos, não seria concretizar o Seu desejo e sermos utilizados para alegrá-Lo? Nós fomos criados para poder sentir a alegria do Supremo Deus dentro de nossos corações, através dos sentimentos de alegria, felicidade, gratidão e demais emoções que brotam dentro de nós. Por isso, mesmo não conseguindo sentir completamente todas estas emoções, se pudermos apenas perceber a alegria e gratidão que brotam escondidas no fundo dos nossos corações, devemos ter coragem e entregar estes sentimentos para o Supremo Deus, que se encontra junto a Meishu-Sama.

Kyoshu-Sama orienta caravanistas brasileiros, no Palácio de Cristal, no Solo Sagrado de Atami.

Junto com caravanistas de outros países, os brasileiros fizeram Mitama Migaki no Templo Messiânico de Atami.

Caravanistas no Solo Sagrado de Hakone, em meio à alta vibração espiritual ali impregnada por Meishu-Sama.

Foto comemorativa da visita e dedicação de um dos grupos de brasileiros no Solo Sagrado de Kyoto.

O Min. Luiz Fernando dos Reis representou os brasileiros no Ofertório de Gratidão, no Culto de Outono.

Não devemos considerar a alegria e a gratidão que brotam dentro de nós como nossos sentimentos. Como eles são, na verdade, sentimentos do Supremo Deus, que está vivo dentro de cada um de nós, devemos alegrá-Lo, em primeiro lugar. Por isso, precisamos oferecer as alegrias e a gratidão que sentimos para o nosso Messias, Meishu-Sama, que se encontra junto ao Supremo Deus, e pedir para sermos cada vez mais utilizados por Ele, como se isto fosse um presente que nosso Mestre está nos entregando. Os senhores estão agora no Protótipo do Paraíso Terrestre, que, segundo Meishu-Sama, reflete na Terra o Paraíso existente no mundo divino. A origem deste protótipo é o paraíso que existe dentro de cada um de nós. Todos nós nascemos neste mundo material para sermos utilizados na Obra de construção do Paraíso, que é o mundo da origem da criação. Como os senhores estão no Solo Sagrado, que é o protótipo deste Paraíso, gostaria que todos aproveitassem ao máximo para poder relembrar que o Paraíso existente dentro dos senhores é o local da nossa própria origem. Experimentem a alegria de respirar o ar que é expirado pelo Supremo Deus, dirigindo seus sentimentos para o Paraíso que existe dentro de vocês e para Meishu-Sama, que vive dentro desse Paraíso. Também gostaria que os senhores continuassem com essa sensação, mesmo depois de voltarem para os seus países, e que passassem a respirar vivamente. Vamos dividir essa respiração com os inúmeros antepassados que vivem dentro de cada um de nós, com toda a humanidade e com todos os seres vivos. Encerro minhas palavras orando, do fundo do coração, para que todos os senhores consigam dividir esta respiração com toda a humanidade. Muito obrigado a todos.

3 NOV DEZ 2006


CULTO ÀS ALMAS DOS ANTEPASSADOS

CULTO ÀS ALMAS DOS ANTEPASSADOS

“Tudo é realizado pelo nosso Salvador”

4 NOV DEZ 2006

No Culto às Almas dos Antepassados, realizado no Solo Sagrado de Guarapiranga nos dias 1° e 2 de novembro com a participação de cerca de 50 mil pessoas, o presidente mundial da IMM, Revmo. Tetsuo Watanabe, orientou sobre a importância de se alcançar a convicção de que Meishu-Sama é o Salvador, e citou experiências que viveu em sua segunda visita ao continente africano, em agosto último. Segundo ele, o que está embasando o surgimento de tantos milagres e a expansão da fé messiânica na África é a inabalável convicção, de missionários e membros, de que Meishu-Sama é o Messias. FOTO: TONY TAJIMA

O Revmo. Tetsuo Watanabe, presidente mundial da IMM, orientou os participantes do Culto, no Solo Sagrado de Guarapiranga.

B

om dia a todos! Os senhores estão passando bem? Puxa! Como estou feliz em poder estar aqui junto com todos os senhores! Desta vez, antes de partir do Japão, estive com Kyoshu-Sama. Ele enviou recomendações a todos os membros brasileiros, e pediu que eu participasse deste Culto como seu representante. Hoje, homenageamos os nossos antepassados. Eu acredito que, depois que começou a “Prática do Sonen”, eles devem estar muito felizes por terem sido encaminhados ao nosso Salvador, MeishuSama. Nessa época, milhões de pessoas participam das cerimônias religiosas do Dia de Finados, em memória daqueles que já faleceram, com o sentimento de que eles já não existem mais. Mas, quem é espiritualista sabe que eles morreram para o mundo material, mas continuam vivos no mundo espiritual. Os messiânicos não precisam esperar o Dia de Finados para se encontrar com seus antepassados no cemitério, porque acreditam que todos os dias estão vivendo e servindo junto com eles. Gostaria de contar uma experiência que vivi, na minha família. No Dia dos Pais meu filho, que mora em Tokyo, me convidou para passar a noite na casa dele. Ele é casado e tem 3 filhos, de 7, 5 e 2 anos. Eu já tenho seis netos, viu? Na verdade, seis netos e meio... À noite, quando fui fazer oração vesperal no Altar do Lar, meus netos vieram correndo e se sentaram ao meu lado, fazendo fila. Eles juntaram as mãozinhas, e oraram junto comigo. Estavam uma gracinha... Bem, depois que as crianças foram dormir, eu me sentei com meu filho e minha nora para tomar chá, e começamos a conversar. Então, eles fizeram muitas perguntas sobre a fé e, principalmente, sobre a “Prática do Sonen”. Foi muito bom ver que eles estavam interessados em saber mais sobre fé. Os olhos deles brilhavam a cada pergunta que eu respondia. Naquele momento, senti uma alegria tão profunda que não dá para explicar. Acho que senti essa alegria por perceber, através da postura dos meus netinhos e de meu filho, que mesmo quando, um dia, eu tiver de retornar ao mundo espiritual, continuarei a viver ligado a eles, pois todos estarão me sucedendo na fé e poderei, eternamente, junto com eles, continuar servindo à Obra de Deus. É claro que aquela alegria não era só minha. Meus pais, avós e todos os familiares que se encontram no mundo espiritual também deviam estar muito felizes naquele momento. Mas, não é

só através da alegria que os antepassados nos passam suas mensagens. Eles também se comunicam com seus descendentes através das purificações, como conflitos familiares, doenças, problemas financeiros, etc. O que será que eles querem nos transmitir com essas mensagens? Primeiro: os que ainda não foram salvos querem ser perdoados, purificados, salvos e ser úteis a Deus; Segundo: quem já foi salvo quer evoluir, servindo à Obra Divina através de seus descendentes. Por isso eles deixam acontecer muitas coisas, para que a gente perceba a sua vontade. Se conseguirmos cumprir corretamente nossa missão como seres humanos, de servir na construção do Paraíso Terrestre e de nos aproximarmos cada vez mais de Deus, sendo exemplo para nossa família, naturalmente estaremos criando nossos sucessores da fé entre nossos descendentes. No final de agosto, antes de voltar ao Japão, visitei a África do Sul, Moçambique, Angola e também a Alemanha. Em Angola, participei do Culto de Inauguração do Altar da Sede Central da África, juntamente com 30 mil pessoas. É muita gente, não acham? Seis anos atrás, quando estive lá pela primeira vez, só havia 2 mil membros. Hoje são 20 mil! Cresceu 10 vezes mais! Durante o Culto um jovem de 29 anos, chamado Pascoal, nos relatou sua experiência de fé. Ele contou que uma pessoa lhe disse: “Eu tenho um primo que teve uma trombose, há três anos. Desde então ele não enxerga, não fala e não anda. Vive deitado na cama, em um barraco no quintal da casa, só esperando morrer”. Pascoal, então, quis ajudar e foi até a casa dele. Foi recebido pela irmã do rapaz, que contou, desanimada:

Prática da fé gera milagres e sentimento de gratidão.

Cerca de 50 mil pessoas participaram do Culto aos Antepassados, nos dias 1° e 2 de novembro, em Guarapiranga.

“Há 17 anos venho freqüentando fielmente uma religião, e lá pedi que salvassem meu irmão. Até um sacerdote veio várias vezes em casa, para orar. Mas, como não houve nenhuma melhora, minha família perdeu as esperanças dele se recuperar. Eu sei que suas orações não vão adiantar nada...mas, já que você quer...” O jovem Pascoal mostrou sua convicção, dizendo: “Olhe, eu sei que você acredita em sua religião. Mas, para mim, o verdadeiro Salvador é Meishu-Sama”. Então, ela perguntou quem era Meishu-Sama. Pascoal respondeu: “Meishu-Sama é o nosso Salvador, o único capaz de perdoar, purificar e salvar.” E ministrou Johrei durante uma hora e meia no doente. Depois, ele disse: “Eu sei que tanto seu irmão como sua família estão passando por um momento difícil. Mas, experimente fazer um pedido a Meishu-Sama. Com certeza Ele ouvirá sua prece! Vamos entregar o sofrimento de seu irmão a Meishu-Sama. Como ele não enxerga e não fala, gostaria que você lesse isto no lugar dele, com todo o sentimento, junto comigo”. E entregou um pedaço de papel onde estava escrito assim: Primeiro: Eu acredito que Meishu-Sama é o Messias esperado pela humanidade. Acredito também que esta doença do meu irmão, a trombose, a perda da fala, da visão e o fato de ele não conseguir andar são sinais dos seus antepassados. Segundo: Senhores antepassados ligados ao meu irmão, eu vou encaminhar os vossos sofrimentos de doença - a paralisia dos membros, a perda da fala e da visão ao Salvador, Meishu-Sama, para que Ele perdoe, purifique e salve todos vocês. Terceiro: Meishu-Sama, Salvador da humanidade! Por favor, receba todos os sofrimentos dos antepassados do meu irmão, para que eles sejam perdoados, purificados e salvos por Vós. Entrego tudo ao Senhor. Em seguida, Pascoal fez essa “Prática do Sonen”, junto com a moça. Durante a conversa que teve com os familiares, ele ficou sabendo que o pai do rapaz havia falecido com a mesma doença, quatro anos atrás. Então, Pascoal disse a eles: “Ah... O sofrimento dele é, na verdade, a manifestação do sofrimento do seu pai” e pediu para que os familiares fizessem a “Prática do Sonen” todos os dias, de manhã e à noite. No dia seguinte, quando Pascoal foi visitar o doente, o rapaz, que não falava, já tinha voltado a falar. Pascoal conversou com ele, e fizeram uma reflexão sobre seu passado. Descobriram que ele havia tomado atitudes que fizeram muitas pessoas infelizes. Então, desta vez, como ele já conseguia falar, fez junto com o Pascoal a “Prática do Sonen”,

encaminhando os sofrimentos de seus antepassados a Meishu-Sama e, também, pedindo perdão a todas as pessoas a quem ele havia feito sofrer. Três dias depois, esse rapaz já estava conseguindo ir ao banheiro e tomar banho sozinho, andar com a ajuda de uma bengala. Também tinha voltado a enxergar normalmente. Com essa melhora, voltou a morar dentro da casa, junto com a família. Foi um grande milagre! Com essa assistência religiosa, o jovem Pascoal conseguiu encaminhar 31 pessoas que presenciaram esse milagre, incluindo parentes deste rapaz! Assim, com muitas experiências como esta, os membros africanos estão confirmando cada vez mais que Meishu-Sama é o Salvador. Esta convicção é que está dando grande energia para a expansão da difusão. E também, depois que eles passaram a ministrar o Johrei junto com a “Prática do Sonen”, começaram a acontecer milagres inacreditáveis. Só neste ano, 15 pessoas que foram consideradas mortas, algumas até com atestado de óbito, voltaram à vida graças ao Johrei e à “Prática do Sonen”. Os senhores acreditam nisso? Realmente, são experiências impressionantes e é difícil acreditar assim, de imediato. Toda vez que o Rev. Francisco voltava da África, me contava muitas experiências de pessoas que haviam ressuscitado. Mas, quando eu ouvia, falava: “Ah é? Então está bom...” mas, no fundo, ainda tinha minhas dúvidas... “Será que ele não está exagerando?” – eu pensava. Por isso, quando estive na África, quis confirmar se era verdade ou não. Lá tem uma ministra chamada Tininha, muito dedicada, chefe de Johrei Center, e que também é médica. Então, aproveitei e perguntei a ela: “Olha, fiquei sabendo que já teve 15 casos de pessoas que ressuscitaram, aqui... A senhora estava presente no momento em que todos esses casos aconteceram?” Ela respondeu: “Não, não em todos os casos”. “Então, quantos casos a senhora presenciou?”- perguntei. “Eu presenciei só três... porque foi quando eu estava ministrando Johrei! Mas várias pessoas presenciaram as outras ressuscitações, por isso garanto que não é mentira. Todos os casos são verdadeiros!” Depois, ela me contou detalhadamente cada caso. Eu disse para a ministro Tininha que, em outros países, muitas pessoas não acreditariam nestes casos. Então, ela me perguntou: “Mas por quê? Eles não acreditam que Meishu-Sama é o nosso Messias?” Respondi: “Não... eu estava me referindo às pessoas da sociedade. É lógico que os membros e ministros acreditam nisso, com certeza!”. Assim eu

Delegações representando messiânicos de 10 países vieram ao Solo Sagrado para reverenciar seus antepassados.

falei para ela... Eu não quero simplesmente dizer que o fato de uma pessoa morrer e voltar a viver seja o mais importante. O que quero afirmar aqui é que Deus controla a vida e a morte do ser humano. Por isso, mesmo morrendo ou voltando a viver, tudo é resultado da atuação e da profunda vontade de Deus. Uma outra coisa, que acho importante falar, é que os membros da África ministraram Johrei e fizeram a “Prática do Sonen” não com o objetivo de fazer a pessoa voltar a viver, mas sim, para salvar a sua alma. E se esses milagres aconteceram é porque talvez, hoje, as pessoas da África precisem presenciar este tipo de atuação de Deus. Isso pode continuar por mais alguns anos, ou pode acabar de um dia para o outro, surgindo outra forma da manifestação do poder de Deus Supremo. Porém, eu acho também que tudo isso não está acontecendo só para despertar os africanos, não. É para despertar toda a humanidade, e ainda, para os messiânicos do mundo inteiro reconhecerem que Meishu-Sama é o nosso Salvador. Graças a isso, tenho certeza de que todos os membros africanos, centralizados na fé em Meishu-Sama, como nosso Salvador, conseguirão realizar uma expansão ainda maior. Eles já me prometeram que, dentro de três anos, formarão 100 mil verdadeiros messiânicos, para poder iniciar a construção do Solo Sagrado da África. Realmente, lá a difusão está crescendo muito rápido, mas isso não é tão fácil como a gente imagina. Lá também há quem diga: “Eu quero encaminhar pessoas à Obra de Meishu-Sama, mas não consigo”. Para quem fala assim, os ministros orientam firmemente: “Para encaminhar pessoas, primeiro precisamos encaminhar a nós mesmos. Até onde você se encaminhou?” Para os membros

A Banda Marcial Mokiti Okada se apresentou após o Culto.

que dizem ter vergonha de ministrar Johrei para pessoas desconhecidas, eles orientam claramente: “Se você tem vergonha de ministrar o Johrei, é porque você também tem vergonha de MeishuSama. É Ele quem ministra Johrei. Tudo é realizado pelo nosso Salvador, Meishu-Sama! Por isso, tenha coragem de estender a mão!” Religiões tradicionais, como o cristianismo e o islamismo, são predominantes na África. Por isso, é difícil afirmar que Meishu-Sama é o Salvador. Porém, lá os ministros demonstram uma crença inabalável, dizendo: “Se não transmitirmos claramente os Ensinamentos, não conseguiremos salvar ninguém nem receberemos graças, porque quem perdoa, purifica e salva é o nosso Salvador, Meishu-Sama”. Na África, em todos os Johrei Centers e Núcleos de Johrei, todos os dias, na hora da oração matinal e da oração vesperal, tem relato de experiência de fé. Na verdade, esses relatos de graças é que orientam os africanos, animando-os e deixando-os ganhar a vontade de ministrar o Johrei, fazer gratidão e encaminhar outras pessoas. Finalmente, no dia 1º de setembro viajei da África para a Alemanha. Lá, participei de um aprimoramento para portadores do mal de Parkinson, com a presença de 130 pessoas. Também realizei um aprimoramento para todos os ministros que atuam na Europa. Como Kyoshu-Sama nos orientou, os milagres pertencem a Deus e a MeishuSama e não devemos guardá-los só para nós, mas sim, ligá-los às atividades que desenvolvem a salvação de toda a humanidade. Por isso decidi contar, em todos os lugares que visitei, tanto na Europa como no Japão e agora aqui, para os senhores, esses maravilhosos milagres que estão acontecendo na África. Espero que esses relatos colaborem para que todos os messiânicos brasileiros tenham ainda mais vontade de dedicar na segunda etapa da construção do Solo Sagrado de Guarapiranga, junto com seus antepassados. Daqui a cinco anos eu quero convidar o nosso Líder Espiritual, Kyoshu-Sama, para inaugurar essa segunda etapa da construção, que será sete vezes maior do que o atual Solo Sagrado. Essa grandiosa Obra é de responsabilidade dos membros brasileiros. Quando estiver pronta, será motivo de grande orgulho para os messiânicos do mundo inteiro e se tornará um protótipo do Paraíso capaz de mostrar o poder do nosso Salvador, Meishu-Sama. Vamos enfrentar mais esse desafio, junto com nossos antepassados? Muito obrigado. Boa missão para todos.

5 NOV DEZ 2006


SOLO SAGRADO DE GUARAPIRANGA

6 NOV DEZ 2006

“Eles constroem lugares sagrados” Para Tsutomu Kasai, responsável pela implantação dos projetos da 2ª fase de construção do Solo Sagrado de Guarapiranga, paisagistas projetam jardins. “Com o amor que devotam à humanidade, o que os messiânicos estão fazendo é criar um ambiente sagrado, onde qualquer pessoa pode estreitar sua ligação com a divindade, independentemente da fé que professe”.

O

s voluntários messiânicos não poupam esforços para contribuir com a edificação do Protótipo do Paraíso Terrestre. Mais de 6 mil pessoas já participaram das atividades de reflorestamento e enriquecimento dos terrenos que abrigarão o complexo, que irá ampliar o Solo Sagrado de Guarapiranga em sete vezes. Já foram plantadas uma média de 3 mil mudas de árvores nativas da mata atlântica, pelas mãos dos voluntários de Brasília, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Recife, São Luis, São Paulo, Bahia, Santa Catarina e outros estados. Mas não são somente voluntários brasileiros que estão envolvidos nesse desafio. Messiânicos vindos do exterior também deixam sua contribuição nessa dedicação. Até agora, mais de 100 estrangeiros participaram das atividades da segunda etapa da construção. São membros vindos da Venezuela, Equador, Peru, Bolívia, Chile, Costa Rica, Colômbia e Argentina. Além desses, voluntários de Moçambique, Angola, São Tomé e Príncipe, Reino Unido, Portugal e Japão estiveram participando das atividades mais recentemente, em outubro. Para a angolana Delfina Natalia, o sentimento de gratidão é a explicação para tamanho empenho. “Foi graças ao Brasil que a Igreja Messiânica chegou à África”. Muitos dos voluntários estrangeiros nunca estiveram no Brasil e, tampouco, participaram da primeira fase de edificação do primeiro Protótipo do Paraíso Terrestre do ocidente. Apesar disso, já começaram a sentir a importância desse projeto. “Fiquei emocionada quando cheguei, e vi um Solo Sagrado tão bonito. Lembro que, antigamente, não havia nada aqui. Fico imaginando como ficará o novo terreno, daqui a alguns anos”, disse a costa-riquenha Núbia Valverde. Ela acredita que o amor impregnado nessa construção gera uma vibração que, aos poucos, começa a se expandir pelo mundo. “Vendo tudo aqui, senti que é possível construir modelos como este em outros lugares”. O ministro Marcelo Faria, responsável pela Difusão na Argentina, explica que o intuito é exatamente esse - “as pessoas sentirem o que é essa construção e levarem esse sentimento para seus países, com o desejo de expandir a Obra de Meishu-Sama”. Os membros africanos pensam da mesma maneira. “Nós viemos aqui para buscar forças para trabalhar na Obra Divina e, através disso, apreendermos o sentimento com que devemos construir o Solo Sagrado da África”, diz Tunga Diazaya, da Angola. Assim como os voluntários da primeira etapa da construção, essa nova geração de dedicantes também deseja deixar seu sentimento de amor e gratidão impregnados em Guarapiranga: “Desfrutamos dessa beleza toda, mas nosso esforço não se fez presente. Deixaremos nosso suor impregnado aqui, assim como os que nos precederam”, completa o ministro responsável pela caravana africana, Mario José João. É com muito esforço que alguns conseguem participar desse trabalho. Ana Lúcia Fonseca, que há 12 anos mora em Portugal, não participou da primeira fase da construção do Solo Sagrado de Guarapiranga. Agora, nessa nova etapa, veio ansiosa mas só não imaginou que teria de enfrentar seu maior medo. “Quando disseram que a gente ia entrar na mata, e que teríamos de colo-

Funcionários da IMMB, FMO e Korin também dedicaram na 2ª fase da construção, em outubro.

Membros do Reino Unido dedicaram com o ministro Érico Tavares (dir.), responsável pela difusão naquele país.

car botas, pensei: ‘Vai ter aranha!’. Tenho tanto medo que, quando vejo uma, me descontrolo”, disse ela. Para deixar plantado seu sentimento nesta Obra, e enfrentar o pavor que tem de aranhas, Ana Lúcia recorreu à “Prática do Sonen”. “Quando me lembrei que meu pai era caçador e que vivia na mata, cheguei a chorar. Então, pedi permissão para encaminhar essa angústia, esse medo de algum dos meus antepassados ao nosso Salvador, Meishu-Sama, e fiquei mais tranqüila”. No final da atividade, uma surpresa: “Adorei, achei tudo lindo!”. Apesar do empenho, todos acreditam que a contribuição ainda é pequena. “Vai dar trabalho, mas esse aprendizado é importante”, diz o escocês Gordon Mcauly, integrante da caravana do Reino Unido. Para o colega de grupo, o inglês Bertran Newman, a experiência é interessante. “Gostei muito do Solo Sagrado, e é muito pequena a minha contribuição”. A brasileira Carla Marcus, radicada no Reino Unido há 7 anos, acha que participar dessa construção é uma grande per-

missão para os membros do exterior. “Esse trabalho é muito importante, porque engloba o mundo inteiro”. Tsutomu Kasai, o paisagista responsável pela implantação dos projetos, diz que um parque e o Solo Sagrado de Guarapiranga não têm diferenças visíveis. “Em ambos existe beleza. A diferença está naquilo que não se pode ver, na vibração que fica impregnada no local. Nesse sentido, os messiânicos são os maiores paisagistas do mundo”. Quando é questionado sobre se os voluntários envolvidos nesse trabalho são profissionais ou amadores, Kasai é categórico: “Não é uma técnica de paisagismo que está construindo esse Solo Sagrado. Ele está sendo edificado pelo amor que cada pessoa, com muito esforço, traz para cá e deposita nesse solo. Profissionais projetam jardins. Nossos voluntários criam, com esse amor, ambientes onde qualquer pessoa pode estreitar seu contato com a divindade, independente da fé que professe. É por isso que eles não constroem jardins. Constroem lugares sagrados”.

Min. Kiyoaki Sugihara (penúltimo à direita), da Secretaria de Jovens do Japão, dedicou com jovens brasileiros.

Messiânica de Portugal (à esquerda) faz dupla com jovem de Campo Grande (MS), no trabalho dentro da mata.

Voluntários do Setor de Saúde da FMO também estiveram em Guarapiranga, dando sua contribuição na dedicação.

Membros africanos confraternizam com brasileiros, após a dedicação de plantio no Solo Sagrado


KORIN AGRICULTURA NATURAL LTDA.

Korin firma convênio na BioFach

7

Cooperação tecnológica entre a Korin Agricultura Natural Ltda. e a Soyminas marca o início de programa de produção orgânica de biodiesel, utilizando a tecnologia do Nutri Bokashi. Menos agrotóxicos no solo, geração de empregos e melhor qualidade de vida para o produtor rural são pontos relevantes do convênio firmado entre as duas empresas.

NOV DEZ 2006

A

utilização do Bokashi para a fermenKorin Agricultura Natural tação dessa biomassa orgânica, transLtda. e a Soyminas Biodiesel formando-a em um fertilizante orgâfirmaram parceria para denico de primeiríssima qualidade, o senvolver um programa pioneiro qual deverá voltar ao solo como prinde produção orgânica de biodiesel, cipal insumo para uma produção susa partir de plantas oleaginosas cultentável”. tivadas de forma ambientalmente A produção orgânica de biodiesel correta. O acordo de colaboração será certificada com um selo especítecnológica foi assinado pelo gefico, para distinguir os produtores rente geral da Korin, Fernando Aururais e possibilitar o reconhecimento gusto de Souza, e pelo represenda qualidade do produto pelos mertante da Soyminas, Nélio Sanardi cados consumidores do combustível. Pêra Jr., durante a BioFach AmériA parceria entre a Korin e a Soyminas ca Latina, no dia 27 de outubro, no contribuirá para a criação de novos Transamérica Expo Center, em São empregos na agricultura familiar e Paulo. para a geração de renda pelo agroA iniciativa das duas empresas, negócio orgânico, melhorando a de investir na produção orgânica qualidade de vida do produtor rural. de biodiesel, somará a tecnologia O site www.planetaorganico.com.br da Agricultura Natural da Korin, define o convênio firmado entre a Koque produz o fertilizante orgânico rin e a Soyminas como um dos desNutri Bokashi, à competência da O representante da Soyminas, Nélio Sanardi Pêra Jr. (esq) e o gerente geral da Korin taques da BioFach, em sua edição paSoyminas Biodiesel, na produção Agricultura Natural Ltda., Fernando Augusto de Souza, assinam o convênio entre as duas ra a América Latina. A BioFach, o mais de combustíveis a partir de fontes empresas, durante a BioFach 2006. A utilização da tecnologia do Nutri Bokashi vai gerar importante evento internacional na renováveis. O uso de óleos vegetais empregos para a agricultura familiar, além de reduzir drasticamente a utilização de área de negócios e conferências do produzidos em sistema orgânico, agrotóxicos nas áreas de plantio de oleaginosas, matéria prima para a produção do biodiesel. setor orgânico, teve, em 2006, edições como matéria prima para o biorealizadas em Tóquio, Japão (setembro), Baltimodiesel, gerará um farelo que será destinado à re, EUA (de 5 a 7 de outubro) e em São Paulo (25 fertilização do solo, na forma de composto com o Nutri Bokashi. Conseqüentemente, haverá um do uso de agrotóxicos e fertilizantes químicos, a 27 de outubro). O próximo evento será em feganho ambiental com a eliminação ou redução pelos agricultores. vereiro de 2007 em Nuremberg, na Alemanha. Segundo Fernando Augusto, da Korin, a produção do biodiesel no Brasil deverá ocupar área de plantio superior ao território de países como a Holanda, por exemplo. “Daí a preocupação lógica com os impactos ambientais que poderão ser gerados pela escolha equivocada das técnicas de produção”, afirma. O gerente geral da Korin destaca ainda um ponto que dá à tecnologia desenvolvida pela empresa um diferencial, no tocante à preocupação com o meio ambiente: “Há que se considerar que o volume de bagaço gerado pela prensagem das sementes, para se extrair o óleo, tem proporções gigantescas, gerando um passivo ambiental muito grande. A Korin apresentou uma solução técnica, com a Estande da Korin Agricultura Natural Ltda. na BioFach. A BioFach é o maior evento mundial do setor orgânico.

PROJETO GUARAQUEÇABA - PR - BIOFACH

“Arte Nossa” é sucesso na feira Mostra de artesanato na maior feira mundial voltada para o setor orgânico dá visibilidade à cultura das comunidades ribeirinhas e ao trabalho que a Fundação Mokiti Okada vem desenvolvendo em Guaraqueçaba.

A

Fundação Mokiti Okada adquiriu, em dezembro de 2003, uma área de 130 hectares (cerca de 1,300 mil m2), às margens do rio Puruquara, no lugar conhecido como Morro do Bronze, no litoral paranaense, com o objetivo de preservar o meio ambiente e desenvolver projetos voltados para o turismo ecológico e para a valorização da cultura das comunidades ribeirinhas, cuja subsistência é calcada, basicamente, na prática agrícola e na produção de objetos artesanais, tendo como matéria prima materiais recolhidos da própria Natureza. Foi com o objetivo de divulgar esse trabalho que a Korin Agricultura Natural Ltda. cedeu um de seus estandes, na BioFach, para que integrantes da Cooperativa de Artesãos de Guaraqueçaba “Arte Nossa” mostrassem seu trabalho. Os tapetes, arandelas, almofadas, porta-retratos, papel e outros utensílios de decoração, todos produzidos com fibra de banana e açucena, fizeram sucesso. Inúmeros contatos foram feitos,

Jamile Pereira, presidente da Coorperativa de Artesanato “Arte Nossa”, participou do evento, que teve apoio da Prefeitura Municipal de Guaraqueçaba, representada por seu diretor de Turismo e Cultura, Marcelo Alves de Aquino.

gerando fonte progressiva de renda para aquela comunidade carente, além de ter sido despertado, em inúmeros empresários expositores na mostra, o interesse pela região e seu potencial, no que toca à ampliação, através das famílias de agricultores ali residentes, do cultivo de produtos orgânicos para suprir suas necessidades e a das comunidades adjacentes, com alimentos isentos da utilização de agrotóxicos ou quaisquer outros produtos prejudiciais à saúde do ser humano. A participação da comunidade ligada à APA (Área de Proteção Ambiental) – Guaraqueçaba na BioFach foi o primeiro passo concreto do trabalho que vem sendo desenvolvido pela Fundação Mokiti Okada e pela Korin Agricultura Natural Ltda. junto ao Conselho Consultivo da APA, no sentido de promover a inserção social e abrir mercado para o escoamento da produção agrícola e artesanal das comunidades da região, gerando renda e melhoria na qualidade de vida para a população local.


GINCANA SOLIDÁRIA 2006

8 NOV DEZ 2006

Quem quer, faz! O sucesso da Gincana Solidária está diretamente ligado à sua participação. Incentive seus familiares, amigos, vizinhos e estabelecimentos comerciais do seu bairro a se integrarem nesse esforço.

I

nstituída em 1973, a Campanha de Natal, iniciativa da Fundação Mokiti Okada com o apoio da Igreja Messiânica Mundial do Brasil, já beneficiou cerca de 6.774 instituições carentes de todo o país com um montante avaliado em R$18.282.689,3 (cerca de U$ 8.543.312,8). A partir de agora ela ganha características diferentes, passando a ser desenvolvida não apenas nos meses que precedem o Natal mas durante o ano inteiro, sob a forma de uma “Gincana Solidária”. O slogan do novo projeto é “Quem quer, faz”. O objetivo é exercitar e difundir a solidariedade através da arrecadação de alimentos não-perecíveis, roupas e brinquedos, para o maior número possível de instituições carentes de todo o país, durante todo o ano. O conceito de gincana remete à disputa entre grupos. O vencedor é aquele que consegue alcançar os melhores resultados, cumprindo tarefas dentro de um determinado espaço de tempo. A “Gincana Solidária” também é assim, mas tem uma característica que a diferencia das disputas normais. No nosso caso, quem vence a Gincana é o grupo ou a unidade da IMMB que conseguir arrecadar mais doações e, com esse esforço, beneficiar o maior número de instituições carentes de sua área. Na verdade há uma tabela de prêmios (veja no site da FMO), para o grupo ou unidade que conseguir arrecadar mais, mas mesmo esses prêmios irão beneficiar apenas as instituições assistidas e serão revertidos em bens duráveis, a serem adquiridos pela Fundação Mokiti Okada,

de acordo com a necessidade de cada instituição escolhida pela área. A Campanha de Natal / Gincana Solidária abre um novo tempo no trabalho da Fundação Mokiti Okada, no cumprimento de sua missão de ser referência em eventos solidários, em nosso país. Ela abre, também, um amplo espaço para que as pessoas que se identificam com os nossos objetivos de contribuir para a criação de uma sociedade mais justa, harmoniosa e feliz, possam contribuir, com seu trabalho voluntário, para que caminhemos, a passos cada vez mais largos, na concretização desse objetivo que é, na verdade, o ideal de toda a sociedade brasileira e de toda a humanidade.

Realização

O encerramento da Gincana Solidária 2006 vai acontecer no dia 22 de dezembro. A partir de agora, a realização da Fundação Mokiti Okada e da IMMB passa a contar com o apoio do Movimento Johvem e da Korin Agricultura Natural.

Apoio

Movimento Johvem

Suas fotos valem pontos! Veja a diferença:

Foto em baixa resolução.

Fachada da Instituição Beneficente NOSSO LAR, na Vila Mariana, SP. No recorte, parte das doações recebidas na Sede Central e entregues em 24 de novembro.

P

ara ganhar uma gincana, você precisa acumular mais pontos que seus concorrentes. No site da FMO (www.fmo.org.br), você vai saber quantos pontos valem cada ação que você desenvolva na Gincana Solidária. Quesitos como arrecadação de produtos alimentícios, de limpeza, vestuário, higiene pessoal, além de quantos voluntários sua unidade conseguiu mobilizar, tudo isso conta pontos. Mais uma coisa: se você quiser pontuar mais, providencie o registro fotográfico das suas ações. É importante que suas fotos tenham a seguinte configuração, para efeito de publicação no JM: Fotos feitas com negativos • Não podem ter a data impressa na foto.

• Não escreva nada no verso da ampliação em papel. Elas deixam marcas que inviabilizam a reprodução gráfica. Identifique a instituição ou as pessoas que aparecem na foto em outro papel, e anexe à foto. Fotos digitais • As fotos digitais devem ter a resolução máxima que a sua câmera permitir. Normalmente, esse registro está na letra L do menu da sua máquina. Fotos com resolução baixa não permitem boa qualidade de impressão . Se as suas fotos vierem assim, você vai ganhar os pontos a que tem direito, mas não vai poder vê-las publicadas no JM. • Elimine o registro da data, mesmo na câmera digital.

Foto em alta resolução

Fique atento! Não deixe de consultar o site da FMO (www.fmo.org.br). Lá você vai encontrar todas as informações sobre os relatórios que deverá enviar para nós. Lembre-se de que as instituições que forem beneficiadas pelo seu esforço voluntário também deverão entregar recibos do recebimento das doações. Postos de arrecadação das doações Sede Central da IMMB e FMO Rua Morgado de Matheus, 77 - V. Mariana Todos as unidades da IMMB em todo o Brasil ( Johrei Centers)


2006/11  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you